475/ 2009/COGES/DENOP/SRH/MP

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "475/ 2009/COGES/DENOP/SRH/MP"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas NOTA TÉCNICA N o 475/ 2009/COGES/DENOP/SRH/MP ASSUNTO: CARGO DE TÉCNICO EM REABILITAÇÃO OU FISIOTERAPIA REFERÊNCIA: / SUMÁRIO EXECUTIVO 1. Trata-se de consulta, proveniente do Serviço Médico Universitário Rubens Brasil - SMURB, acerca da situação funcional de servidoras lotados na referida Unidade, ocupantes do cargo de Técnico em Reabilitação ou Fisioterapia, em face da Resolução nº 211, de 17 de agosto de 2000, do Conselho Federal de Fisioterapia (CREFITO), a qual veda o exercício profissional da Fisioterapia aos portadores de Certificados de Cursos Seqüenciais e dá outras providências. ANÁLISE 2. A consulta apresenta os seguintes questionamentos, que foram submetidos à análise da Subsecretaria de Assuntos Administrativos do Ministério da Educação: Sendo a Universidade Federal da Bahia uma instituição autônoma, possuidora de um plano de cargos e salários reconhecido pelo Ministério da Educação e Cultura, e tendo as respectivas servidoras desenvolvido as atividades de atendimento e tratamento fisioterápico sob supervisão dos fisioterapeutas do serviço, pergunta-se: Como proceder com as funcionárias no que tange a Resolução do CREFITO? Estas servidoras podem continuar atuando na função? Como a Universidade tem se posicionado sobre esta questão uma vez que dispomos de técnicos de reabilitação em outras unidades da UFBA? Como proceder com a avaliação de desempenho das servidoras quando solicitada pela Superintendência para progressão funcional? A inserção em tarefas administrativas a exemplo de agendamento de consultas, distribuição de prontuários nas salas, registro dos atendimentos poderão ser caracterizados como desvio de função? (fl.1) 3. Em atendimento à consulta realizada, a Subsecretaria de Assuntos Administrativos do Ministério da Educação manifestou-se ressaltando que o ponto central da demanda refere-se ao disposto na referida Resolução, que veda o exercício profissional da Fisioterapia aos portadores de Certificados de Cursos Seqüenciais. Acrescenta a Subsecretaria

2 que o Conselho Federal de Fisioterapia considera ilegal, com relação a estes, a prática de ato profissional que por sua natureza metodológica, científica e técnica, configure ato próprio e privativo do profissional Fisioterapeuta. A Resolução nº 211, de 17 de agosto de 2000, dispõe o seguinte: Art. 1º O exercício profissional da Fisioterapia só é permissível ao indivíduo portador de diploma de graduação superior plena em Fisioterapia, após obtenção do registro profissional no Sistema COFFITO/CREFITO. Art. 2º É proibido o exercício profissional da Fisioterapia ao portador de Certificado de Curso Seqüencial, mesmo que reconhecido no âmbito educacional. Art. 3º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário 4. Cita como importante referência para análise do caso a Lei nº , de 12 de janeiro de 2005, que dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreira dos Cargos de Técnico Administrativo em Educação, segundo a qual para que ocorra o ingresso no cargo de Técnico Administrativo em Educação de Técnico em Reabilitação ou Fisioterapia, o candidato deve apresentar como escolaridade o Ensino Médio profissionalizante ou Ensino Médio completo mais curso profissionalizante, conforme descreve o Anexo II, da referida Lei: DISTRIBUIÇÃO DOS CARGOS POR NÍVEL DE CLASSIFICAÇÃO E REQUISITOS PARA INGRESSO CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO NÍVEL DE DENOMINAÇÃO DO REQUISITOS PARA INGRESSO CLASSIFICAÇÃO CARGO ESCOLARIDADE OUTROS D Técnico em Reabilitação ou Fisioterapia Médio Profissionalizante ou Médio completo + curso Técnico 5. Transcreve, ainda, o Decreto Lei nº 938, de 13 de outubro de 1969: Art. 1º É assegurado o exercício das profissões de fisioterapeuta e terapeuta ocupacional, observado o disposto no presente Decreto-lei. Art. 2º O fisioterapeuta e o terapeuta ocupacional, diplomados por escolas e cursos reconhecidos, são profissionais de nível superior. Art. 3º É atividade privativa do fisioterapeuta executar métodos e técnicas fisioterápicos com a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física do ciente. Art. 4º É atividade privativa do terapeuta ocupacional executar métodos e técnicas terapêuticas e recreacional com a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade mental do paciente. Art. 5º Os profissionais de que tratam os artigos 3º e 4º poderão, ainda, no campo de atividades específica de cada um:

3 I - Dirigir serviços em órgãos e estabelecimentos públicos ou particulares, ou assessorá-los tecnicamente; II - Exercer o magistério nas disciplinas de formação básica ou profissional, de nível superior ou médio; III - supervisionar profissionais e alunos em trabalhos técnicos e práticos. Art. 6º Os profissionais de que trata o presente Decreto-lei, diplomados por escolas estrangeiras devidamente reconhecidas no país de origem, poderão revalidar seus diplomas. Art. 7º Os diplomas conferidos pelas escolas ou cursos a que se refere o artigo 2º deverão ser registrados no órgão competente do Ministério da Educação e Cultura. Art. 8º Os portadores de diplomas expedidos até data da publicação do presente Decreto-lei, por escolas ou cursos reconhecidos, terão seus direitos assegurados, desde que requeiram, no prazo de 120 (cento e vinte) dias, o respectivo registro observando quando for o caso, o disposto no final do art. 6º. Art. 9º É assegurado, a qualquer entidade pública ou privada que mantenha cursos de fisioterapia ou de terapia ocupacional, o direito de requerer seu reconhecimento, dentro do prazo de 120 (cento e vinte) dias, a partir da data da publicação do presente Decreto-lei. Art. 10. Todos aqueles que, até a data da publicação no presente Decreto lei exerçam sem habilitação profissional, em serviço público atividade de que cogita o artigo 1º serão mantidos nos níveis funcionais que ocupam e poderão ter as denominações de auxiliar de fisioterapia e auxiliar de terapia ocupacional, se obtiverem certificado em exame de suficiência. 1º O disposto no artigo é extensivo, no que couber, aos que, em idênticas condições e sob qualquer vínculo empregatício, exerçam suas atividades em hospitais e clínicas particulares. 2º Diretoria do Ensino Superior do Ministério da Educação e Cultura promoverá realização, junto às instituições universitárias competentes, dos exame de suficiência a que se refere este artigo. Art. 11. Ao órgão competente do Ministério da Saúde caberá fiscaliza em todo o território nacional, diretamente ou através das repartições sanitárias congêneres dos Estados, Distrito Federal e Territórios, o exercício das profissões de que trata o presente Decreto-lei. Art. 12. O Grupo da Confederação Nacional da Profissões Liberais, constante do Quadro de Atividades e Profissões, anexo à Consolidação das Leis do Trabalho, aprovado pelo Decreto-lei nº 5 452, de 1 de maio de 1943, é acrescido das categorias profissionais de fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, auxiliar de fisioterapia e auxiliar de terapia ocupacional. Art. 13. O presente Decreto-lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogandose as disposições em contrário. 6. Traz ao esclarecimento a citação da Lei nº 6.316, de 17 de dezembro de 1975, que criou os Conselhos: Federal e Regionais de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, transcrevendo o inciso II do art. 5º, que especificou a competência do Conselho Federal. Art. 5º Compete ao Conselho Federal: I -...

4 II - exercer função normativa, baixar atos necessários à interpretação e execução do disposto nesta Lei e à fiscalização do exercício profissional, adotando providências indispensáveis à realização dos objetivos institucionais. 7. Faz menção, também, à Resolução nº 241, de 23 de maio de 2002, que tornou ilegal o exercício de atividades aos portadores de certificado de Técnico em Reabilitação ou Fisioterapia, conforme a seguir: Art. 1º - É vedado ao portador de certificado de Técnico de Reabilitação e/ou Fisioterapia a prática de ato profissional que por sua natureza metodológica, científica e técnica, esteja caracterizada na sua prescrição e na sua indução terapêutica como ato próprio e privativo de profissional Fisioterapeuta; Art. 2º - A prática referida no artigo 1º desta resolução é tipificada como exercício ilegal de atividade regulamentada que deverá ser interrompida pela ação institucional do CREFITO, preventivo a ocorrência de lesões econômicas e sociais nos termos da lei; Art. 3º - O Fisioterapeuta com registro profissional no COFFITO que se associar e/ou se acumpliciar com ações indutoras ao exercício ilegal da atividade regulamentada Fisioterapia e/ou delegar a leigo ato que por sua natureza técnico/científica seja próprio e privativo de profissional Fisioterapeuta na tipicidade do artigo 1º desta resolução, responderá solidariamente nos termos da lei, pelas ofensas éticas e legais cometidas e também, pelas lesões econômicas e sociais resultantes do ilícito praticado; Art. 4º - Os casos omissos serão deliberados pelo Plenário do COFFITO; Art. 5º - Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogadas disposições em contrário. 8. A Subsecretaria de Assuntos Administrativos do Ministério da Educação dá prosseguimento à sua manifestação colocando que o cargo em comento é originário do Plano Único de Classificação e Retribuição de Cargos e Empregos PUCRCE, objeto da Lei nº 7.596/87: Descrição do Cargo: Auxiliar o Fisioterapeuta na execução dos trabalhos e nas execuções das técnicas fisioterápicas prescritas pelo médico. Responsabilidades: Pelo serviço executado; Pelo material de consumo, equipamento e material permanente à sua disposição. Requisitos: 2º grau completo/ profissionalizante e/ou de especialização. Promoção ou acesso: Conforme estabelecido neste PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS. Atividades Típicas: Manusear todos os aparelhos relacionados com fisioterapia, sabendo os cuidados a tomar com cada um deles, durante as aplicações; Auxiliar na execução dos exercícios e técnicas cinesioterápicas prescritas; Examinar o cliente, verificando as partes do corpo a serem massageadas, bem como a indicação médica, para iniciar o tratamento prescrito; Massagear os clientes, utilizando processos adequados, para corrigir anomalias físicas ou estéticas,

5 melhorar a circulação ou obter outras vantagens terapêuticas; Treinas o cliente na prática de exercícios, fazendo demonstrações para ajudar a correlação dos defeitos e/ou na recuperação ou embelezamento das partes em tratamento; Executar outras tarefas da mesma natureza e nível de dificuldade. 9. Com base nos diplomas legais apresentados a Subsecretaria de Assuntos Administrativos do Ministério da Educação demonstra seu entendimento no sentido de que não há conflito entre o conteúdo das resoluções do Conselho Federal de Fisioterapia e o disposto na Lei nº , de 12 de janeiro de 2005 (que dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras dos Cargos de Técnico-Administrativo em Educação PCCTAE), pois as normas do Conselho Federal referem-se à exigência da profissão de Fisioterapeuta diplomado em curso superior de Fisioterapia. Já o cargo de Técnico em Reabilitação ou Fisioterapia (previsto no PCCTAE) reúne conjunto de atribuições e responsabilidades diferentes daquelas desempenhadas pelo Fisioterapeuta, apresentando como requisito para ingresso o certificado de conclusão de curso de nível médio profissionalizante ou certificado de conclusão do nível médio mais curso técnico. 10. Prossegue sua manifestação com a seguinte afirmação: não se caracteriza como exercício ilegal da profissão o trabalho desenvolvido por auxiliares de fisioterapeuta, no caso concreto os Técnicos em Reabilitação ou Fisioterapia, onde atuam profissionais habilitados em fisioterapia. O desempenho técnico dos auxiliares de fisioterapia subordina-se à direção, coordenação, supervisão e orientação do fisioterapeuta, figurando, portanto, entre aqueles técnicos que, geralmente sob supervisão de profissionais de formação superior, desempenham tarefas complementares, porém de amplitude e responsabilidades menores (fl. 18). 11. Por fim, a Subsecretaria submete o presente processo à apreciação superior, sugerindo, s.m.j., o seu encaminhamento à Secretaria de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, para esclarecimentos quanto ao posicionamento a ser adotado, com vistas a uniformizar entendimento acerca do tema e para que possa prestar orientações à Universidade Federal da Bahia. 12. Em síntese, é o relatório. 13. As atribuições inerentes ao cargo de Técnico em Reabilitação ou Fisioterapia não são as mesmas do cargo de Fisioterapeuta, conforme pode ser constatado ao realizar comparação entre as atribuições do primeiro já relacionadas no item 8 supra e as do segundo cargo, conforme descrito a seguir: Descrição do Cargo: Executar tratamento das enfermidades psicomotoras, através de agentes físicos; Responsabilidades: Pelo serviço executado; Pelo material de consumo, equipamento e material permanente à sua disposição. Requisitos:

6 Curso Superior Completo de Reabilitação e Fisioterapia e/ou Registro no Conselho competente Promoção ou acesso: Conforme estabelecido neste Plano de Cargos e Salários. Atividades Típicas: - o estudo de doentes e acidentes; planejar e executar tratamentos de afecções reumáticas, osteorartroses, seqüelas de acidentes vascular cerebrais, meningite, de paralisia cerebrais, motoras, memógeras e outros; atender amputados, preparando o coto e fazendo treinamentos; Ensinar exercícios corretivos, orientado e treinando pacientes; Ensinar exercícios físicos de preparação e condicionamento pré e pós parto; Fazer relaxamento, exercícios e jogos com pacientes portadores de problemas psíquicos; Supervisionar e avaliar atividades do pessoal auxiliar de fisioterapia; Observar as anotações das aplicações e tratamentos realizados; Planejar, Organizar e Administrar serviços gerais e específicos de fisioterapia; Preparar relatórios, documentos e pareceres em assuntos de fisioterapia; Executar outras tarefas da mesma natureza e nível de dificuldade. 14. Feita a comparação indicada, pode-se concluir que o Técnico em Reabilitação ou Fisioterapia desempenha de forma auxiliar algumas atividades de menor grau de complexidade, sob supervisão do Fisioterapeuta. Importante entender que aquele não exercerá funções privativas deste, visto que a maior parte de suas atribuições apenas guardam relação e similaridade com as atividades descritas pelo Decreto Lei nº 938, de 13 de outubro de 1969, in verbis: Art. 3º É atividade privativa do fisioterapeuta executar métodos e técnicas fisioterápicas com a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física do paciente. 15. O Decreto Lei nº 938/69 prevê a hipótese de profissionais de nível médio desenvolverem atividades relacionadas ou inerentes à fisioterapia, ao dispor em seu art. 5º, inciso II, a possibilidade de o fisioterapeuta exercer magistério, no campo de atividades específicas, nas disciplinas de formação básica ou profissional, de nível superior ou médio. Logo, o texto normativo admite tanto a existência de profissionais de nível médio, como a existência de instituições de ensino direcionadas para este nível de formação. 16. Acrescentamos que não cabe ao COFITO interferir nos critérios utilizados pela Administração Pública para o provimento de cargos públicos, visto que suas atribuições se restringem àquelas estabelecidas pela Lei nº 6.316/75 citada anteriormente. CONCLUSÃO 17. O cargo de Técnico em Reabilitação ou Fisioterapia, integrante do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação, estruturado pela Lei nº /2005, apresenta requisitos e atividades diversas das do Cargo de Fisioterapeuta. É válido reforçar que as atribuições inerentes ao cargo de Técnico em Reabilitação ou

7 Fisioterapia não abrangem aquelas que são próprias e privativas dos profissionais de Fisioterapia. Por fim, não se vislumbra conflito entre as normas jurídicas que regulamentam a profissão de fisioterapeuta e a Lei nº /2005, considerando estar cumprido o atendimento de todos os requisitos formais e materiais de elaboração da Lei. 18. Com tais esclarecimentos, propomos o encaminhamento do presente processo à Coordenação Geral de Gestão de Pessoas do Ministério da Educação COGEP/MEC, para ciência e conhecimento. À consideração superior. Brasília, 29 de outubro de EMERÍUDA BORGES SANTOS Chefe de Divisão DIPCC/COGES/SRH/MP De acordo. À consideração da Senhora Diretora do Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Brasília, 29 de outubro de VANESSA SILVA DE ALMEIDA Coordenadora Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas Aprovo. Encaminhe-se ao COGEP/MEC, conforme proposto. Brasília, 29 de outubro de DANIELE RUSSO BARBOSA FEIJÓ Diretora do Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais

LEI Nº 7.498, DE 25 DE JUNHO DE 1986

LEI Nº 7.498, DE 25 DE JUNHO DE 1986 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação LEI Nº 7.498, DE 25 DE JUNHO DE 1986 Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº XXXX DE XX DE XXXXXX DE 201X ALTERA A LEI Nº 6720, DE 25 DE MARÇO DE 2014, QUE INSTITUI PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E REMUNERAÇÃO DA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

COFFITO CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL A N E X O I I R E S O L U Ç Õ E S C O F F I T O 2 0 7, 2 0 8, 3 7 7 E 3 7 8

COFFITO CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL A N E X O I I R E S O L U Ç Õ E S C O F F I T O 2 0 7, 2 0 8, 3 7 7 E 3 7 8 COFFITO CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL A N E X O I I R E S O L U Ç Õ E S C O F F I T O 2 0 7, 2 0 8, 3 7 7 E 3 7 8 RESOLUÇÃO Nº. 207/2000 RESOLUÇÃO n.º 207, DE 17 DE AGOSTO DE 2000

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 205, DE 2014

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 205, DE 2014 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 205, DE 2014 Dispõe sobre a regulamentação da profissão de sanitarista e técnico sanitarista, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Capítulo I Disposição preliminar

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO CHOÇA ESTADO DA BAHIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO CHOÇA ESTADO DA BAHIA LEI Nº 278, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014. Altera e insere dispositivos na Lei Municipal nº 016, de 20 de janeiro de 2004, a qual dispõe sobre o Plano de Carreira e Remuneração dos Servidores do Magistério

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, FAÇO SABER que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: CAPÍTULO I

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, FAÇO SABER que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: CAPÍTULO I Lei Complementar nº 182, de 07 de dezembro de 2000. Dispõe sobre o Plano de Cargos, Funções e Vencimentos e institui o Quadro e Plano de Carreira dos Servidores dos Serviços Auxiliares de apoio administrativo

Leia mais

COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA SUGESTÃO N º 090, DE 2005

COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA SUGESTÃO N º 090, DE 2005 COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA SUGESTÃO N º 090, DE 2005 Solicita que seja convidado o Presidente do COFFITO Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional a comparecer à Comissão de Educação

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA EMENTA: A LEI Nº 6.839/80 CARACTERIZA A OBRIGAÇÃO DE REGISTRO NO CONSELHO RESPECTIVO EM RAZÃO DA ATIVIDADE PREPONDERANTE PRESTADA PELA EMPRESA. AS INSTITUIÇÕES MÉDICAS REGISTRADAS

Leia mais

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte,

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte, LEI Nº 302/05 "DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS" O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I 1 REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA Título I Das Disposições Gerais Capítulo I Dos Objetivos e da Estruturação Geral do Serviço de Psicologia Art. 1º - O Serviço de Psicologia é parte

Leia mais

L E I N 7.785, DE 9 DE JANEIRO DE 2014

L E I N 7.785, DE 9 DE JANEIRO DE 2014 L E I N 7.785, DE 9 DE JANEIRO DE 2014 Dispõe sobre a reestruturação da Loteria do Estado do Pará - LOTERPA e dá outras providências. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO PARÁ estatui e eu sanciono a

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 Dispõe sobre o Regulamento sobre Movimentação de servidores no âmbito do Instituto Federal Catarinense. O Presidente do do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 530. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte

LEI COMPLEMENTAR Nº 530. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 28/12/2009) LEI COMPLEMENTAR Nº 530 Altera dispositivos da Lei Complementar nº 16, de 09.01.1992; da Lei Complementar nº 353, de 06.01.2006; da

Leia mais

E S T A D O D E M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D E M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara DECRETO EXECUTIVO MUNICIPAL Nº 3.243/2015 25.06.2015. Altera a regulamentação da Lei 1.509/2013 de 13.03.2013 em seus artigos 22 e 23, nos termos do artigo 11 da referida Lei; dá nova nomenclatura ao cargo

Leia mais

O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Lei 7238 de 30 de Dezembro de 1996 DISPÕE SOBRE O QUADRO ESPECIAL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE, INSTITUI O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA SAÚDE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE, ESTABELECE

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 34/99/CEE/SC

ESTADO DE SANTA CATARINA CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 34/99/CEE/SC ESTADO DE SANTA CATARINA CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 34/99/CEE/SC Fixa normas para o reconhecimento da equivalência de estudos da Educação Básica e Profissional realizados no exterior, revalidação

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco. Regimento Interno do Centro de Informática

Universidade Federal de Pernambuco. Regimento Interno do Centro de Informática Universidade Federal de Pernambuco Regimento Interno do Centro de Informática TÍTULO I DISPOSIÇÃO PRELIMINAR SUMÁRIO 2 TÍTULO II DA FINALIDADE DO CENTRO TÍTULO III DOS CURSOS DO CENTRO TÍTULO IV DA ESTRUTURA

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE - CEFID RESOLUÇÃO 01/2008/CEFID

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE - CEFID RESOLUÇÃO 01/2008/CEFID UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE - CEFID RESOLUÇÃO 01/2008/CEFID Fixa normas para Elaboração, Qualificação e Apresentação dos Trabalhos de Conclusão

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N 4.986, DE 16 DE MAIO DE 1988. Cria o Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas - IMA e adota outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo decreta

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 1, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2016 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 1, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2016 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO Nº 1, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2016 (*) Define Diretrizes Operacionais Nacionais para o credenciamento institucional

Leia mais

DECRETO Nº 533, DE 02 DE SETEMBRO DE 1991.

DECRETO Nº 533, DE 02 DE SETEMBRO DE 1991. ALTERADO PELOS DECRETOS SC N 322/1995; 2.155/1997; 2.442/1997 DECRETO Nº 533, DE 02 DE SETEMBRO DE 1991. Dispõe sobre a competência do Conselho de Meio Ambiente - CONSEMA - SC O GOVERNADOR DO ESTADO DE

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACUCO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACUCO GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 493/09 ALTERA A LEI MUNICIPAL Nº 302/05 - PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

PARECER CREMEB Nº 28/13 (Aprovado em Sessão Plenária de 23/07/2013)

PARECER CREMEB Nº 28/13 (Aprovado em Sessão Plenária de 23/07/2013) PARECER CREMEB Nº 28/13 (Aprovado em Sessão Plenária de 23/07/2013) EXPEDIENTE CONSULTA Nº 011.881/13 ASSUNTO: Relação de proporcionalidade: Número de profissionais médicos e número de atendimentos. RELATORA:

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31144 de 08/04/2008

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31144 de 08/04/2008 DIÁRIO OFICIAL Nº. 311 de 08/0/008 GABINETE DA GOVERNADORA L E I Nº 7.030, DE 30 DE JULHO DE 007* Cria o Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará - IDESP, e dá outras providências.

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE TÉCNICOS EM RADIOLOGIA 9ª REGIÃO Serviço Público Federal

CONSELHO REGIONAL DE TÉCNICOS EM RADIOLOGIA 9ª REGIÃO Serviço Público Federal ILUSTRÍSSIMO SENHOR DIRETOR PRESIDENTE DO CRTR9ª REGIÃO, (1) (nome da empresa) Endereço: (2) Bairro: CEP: Cidade: UF: Telefone: (3) CNPJ:(4) Cadastrada neste Conselho Regional de Técnicos em Radiologia

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 301/CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 24 DE JUNHO DE 2016

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 301/CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 24 DE JUNHO DE 2016 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 301/CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 24 DE JUNHO DE 2016 Dispõe sobre a participação de servidores do Tribunal Superior do Trabalho em ações de educação corporativa

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 6.697-C DE 2009 Dispõe sobre as carreiras dos servidores do Ministério Público da União e as carreiras dos servidores do Conselho Nacional do Ministério Público; fixa valores

Leia mais

PORTARIA Nº 4.984 DE 11 DE JULHO DE 2013. (Republicação) (Texto compilado com as alterações promovidas pela Portaria nº 3.

PORTARIA Nº 4.984 DE 11 DE JULHO DE 2013. (Republicação) (Texto compilado com as alterações promovidas pela Portaria nº 3. PORTARIA Nº 4.984 DE 11 DE JULHO DE 2013. (Republicação) (Texto compilado com as alterações promovidas pela Portaria nº 3.029/2014) Regulamenta a Gratificação por Encargo de Curso no âmbito da Justiça

Leia mais

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais.

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais. Portaria 1.105, de 28 de setembro de 1998 O Ministro de Estado da Educação e do Desporto, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto 1.845, de 28 de março de 1996, e tendo em vista o Parecer

Leia mais

PROJETO DE LEI N, DE 2015. (Do Senhor Deputado Professor Victório Galli)

PROJETO DE LEI N, DE 2015. (Do Senhor Deputado Professor Victório Galli) PROJETO DE LEI N, DE 2015 (Do Senhor Deputado Professor Victório Galli) O CONGRESSO NACIONAL decreta: Dispõe sobre a regulamentação do exercício das profissões de Analista de Sistemas, Desenvolvedor, Engenheiro

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU Nº 05/2009

RESOLUÇÃO CONSU Nº 05/2009 RESOLUÇÃO CONSU Nº 05/2009 Cria o Núcleo de Inovação Tecnológica da UESC - NIT O Presidente do Conselho Universitário CONSU - da Universidade Estadual de Santa Cruz UESC, no uso de suas atribuições, em

Leia mais

Elaborado por RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL

Elaborado por RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL Elaborado por RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL Página 2 de 14 1 INTRODUÇÃO O Plano de Cargos e Salários do CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE MINAS GERAIS CRA-MG, cuja última versão data de maio/2014,

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas NOTA

Leia mais

Desembargador CARLOS SANTOS DE OLIVEIRA

Desembargador CARLOS SANTOS DE OLIVEIRA AÇÃO DE COBRANÇA. PAGAMENTO DE GRATIFICAÇÃO DE INCENTIVO À DOCÊNCIA. VERBA DESTACADA DO FUNDEB. LEI FEDERAL Nº 11.494/07. NUTUREZA PROPTER LABOREM. PROFESSORES EM ESTAGIO PROBATÓRIO. ATO ADMINISTRATIVO

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº... (Autoria: Poder Executivo) CAPÍTULO I DA CARREIRA

PROJETO DE LEI Nº... (Autoria: Poder Executivo) CAPÍTULO I DA CARREIRA PROJETO DE LEI Nº... (Autoria: Poder Executivo) Dispõe sobre a carreira Assistência à Educação do Distrito Federal e dá outras providências CAPÍTULO I DA CARREIRA Art. 1. Carreira Assistência à Educação

Leia mais

*LEI COMPLEMENTAR Nº 283, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2004.

*LEI COMPLEMENTAR Nº 283, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2004. Governo do Estado do Rio Grande do Norte Gabinete Civil Coordenadoria de Controle dos Atos Governamentais *LEI COMPLEMENTAR Nº 283, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2004. Altera a Lei Complementar n.º 163, de 5 de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA INSTRUÇÃO NORMATIVA SJU Nº 02/2014 Versão: 01 Data da Aprovação: 31/03/2014 Ato de Aprovação: Decreto Municipal Nº 075/2014 Unidade Responsável: Procuradoria Geral. I - FINALIDADE: A presente Instrução

Leia mais

XLIII PLENÁRIA NACIONAL DO FÓRUM DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO - FNCE

XLIII PLENÁRIA NACIONAL DO FÓRUM DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO - FNCE XLIII PLENÁRIA NACIONAL DO FÓRUM DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO - FNCE O Futuro da Educação a Distância na Educação Básica Francisco Aparecido Cordão facordao@uol.com.br Dispositivos da LDB e DECRETOS

Leia mais

DECRETO Nº 27.958, DE 16 DE MAIO DE 2007 DODF DE 17.05.2007

DECRETO Nº 27.958, DE 16 DE MAIO DE 2007 DODF DE 17.05.2007 DECRETO Nº 27.958, DE 16 DE MAIO DE 2007 DODF DE 17.05.2007 Aprova o Estatuto Social da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal e dá outras providências. O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso

Leia mais

Atribuições dos Tecnólogos

Atribuições dos Tecnólogos UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL TECNOLOGIA EM CONTRUÇÃO CIVIL EDIFÍCIOS E ESTRADAS Atribuições dos Tecnólogos Prof.ª Me. Fabiana Marques Maio / 2014 SOBRE O TECNÓLOGO Segundo

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO N, DE 2007

PROJETO DE LEI DO SENADO N, DE 2007 SENADO FEDERAL GABINETE DO SENADOR EXPEDITO JÚNIOR PROJETO DE LEI DO SENADO N, DE 2007 Dispõe sobre a regulamentação do exercício da profissão de Analista de Sistemas e suas correlatas, cria o Conselho

Leia mais

Rua Ulisses Caldas, 81 - Centro - Natal/RN 59025-090 (55)xx84-3232-8863 www.natal.rn.gov.br

Rua Ulisses Caldas, 81 - Centro - Natal/RN 59025-090 (55)xx84-3232-8863 www.natal.rn.gov.br LEI Nº. 6.067, DE 11 DE MARÇO DE 2010. Altera a Lei Ordinária 5.711/06, que dispõe sobre a Organização Administrativa da Câmara Municipal do Natal, e dá outras providências. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL DECRETO Nº 309, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2005. Aprova o Regimento Interno e o Organograma da Secretaria Municipal do Trabalho e Cooperativismo e dá outras providências. O PREFEITO DE PALMAS no uso das atribuições

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAETÉ ESTADO DE MINAS GERAIS LEI Nº 2.574/2009

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAETÉ ESTADO DE MINAS GERAIS LEI Nº 2.574/2009 LEI Nº 2.574/2009 Dispõe sobre o Plano de Empregos e Salários dos Empregados Públicos do quadro permanente da área da SAÚDE do Município de Caeté. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI (Sra. Fátima Bezerra PT/RN)

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI (Sra. Fátima Bezerra PT/RN) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI (Sra. Fátima Bezerra PT/RN) Regulamenta o exercício das profissões de Técnico em Saúde Bucal (TSB) e de Auxiliar em Saúde Bucal (ASB). O CONGRESSO NACIONAL DECRETA:

Leia mais

RESOLUÇÃO SEE Nº 772, de 08 de junho de 2006.

RESOLUÇÃO SEE Nº 772, de 08 de junho de 2006. RESOLUÇÃO SEE Nº 772, de 08 de junho de 2006. Estabelece normas para processamento da promoção por escolaridade adicional dos servidores das carreiras dos Profissionais da Educação Básica do Poder Executivo

Leia mais

LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 CAPÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA

LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 CAPÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA Publicada D.O.E. Em 19.01.99 LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 Dispõe sobre a criação da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia - ADAB e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA

Leia mais

Nota Técnica nº 446/2010/COGES/DENOP/SRH/MP. ASSUNTO: Averbação de tempo de serviço. Referência: Processo Administrativo nº 10176.

Nota Técnica nº 446/2010/COGES/DENOP/SRH/MP. ASSUNTO: Averbação de tempo de serviço. Referência: Processo Administrativo nº 10176. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas Nota

Leia mais

CT03.07 - Departamento de Gestão Social Fevereiro/2013 Atualizado em março/2014 CARTA TÉCNICA

CT03.07 - Departamento de Gestão Social Fevereiro/2013 Atualizado em março/2014 CARTA TÉCNICA CARTA TÉCNICA Nome do Certificado: INSCRIÇÃO NO CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL ENTIDADES QUE DEVEM REALIZAR O REGISTRO: Entidades de Assistência Social ORGÃO RESPONSÁVEL PELA EMISSÃO: Conselho

Leia mais

ASSESSORIA JURÍDICA. PARECER N 7/AJ/CAM/2002 Brasília (DF), 11 de junho de 2002. Senhora Presidente do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN)

ASSESSORIA JURÍDICA. PARECER N 7/AJ/CAM/2002 Brasília (DF), 11 de junho de 2002. Senhora Presidente do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN) ASSESSORIA JURÍDICA PARECER N 7/AJ/CAM/2002 Brasília (DF), 11 de junho de 2002. PARA: DA: REFERÊNCIA: Senhora Presidente do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN) Assessoria Jurídica Expedientes Jurídicos

Leia mais

1º Excetuam-se da remuneração integral as vantagens indenizatórias, eventuais e transitórias.

1º Excetuam-se da remuneração integral as vantagens indenizatórias, eventuais e transitórias. DECRETO Nº 1.863, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2013 Regulamenta o afastamento do servidor público efetivo para frequentar curso de pós-graduação e estabelece outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA

Leia mais

RESOLUÇÃO CONFE No 87, de 26 de dezembro de 1977.

RESOLUÇÃO CONFE No 87, de 26 de dezembro de 1977. RESOLUÇÃO CONFE No 87, de 26 de dezembro de 1977. DÁ NOVA REDAÇÃO À RESOLUÇÃO N o 18, DE 10.02.72, DO CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA, PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL DE 27.03.72. CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA

Leia mais

345/2011/CGNOR/DENOP/SRH/MP

345/2011/CGNOR/DENOP/SRH/MP MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas NOTA

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. PARECER COREN-SP ASFOR e GEFIS Nº 059 / 2011

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. PARECER COREN-SP ASFOR e GEFIS Nº 059 / 2011 PARECER COREN-SP ASFOR e GEFIS Nº 059 / 2011 Assunto: Compatibilidade da formação do Aprendiz com a do Auxiliar e Técnico em Enfermagem 1. Do fato Solicitado parecer sobre a compatibilidade da formação

Leia mais

Emenda nº - CAS Substitutiva (ao PLS 607, de 2007)

Emenda nº - CAS Substitutiva (ao PLS 607, de 2007) Emenda nº - CAS Substitutiva (ao PLS 607, de 2007) Dispõe sobre a regulamentação do exercício da profissão de Analista de Sistemas e suas correlatas, autoriza o Poder Executivo a criar o Conselho Federal

Leia mais

GABINETE DO VICE - PREFEITO

GABINETE DO VICE - PREFEITO 4 GABINETE DO VICE - PREFEITO ESTRUTURA O RGANIZACIONAL GABINETE DO VICE-PREFEITO - Cadastro Organizacional/PMS Gabinete do Vice- Prefeito VICE-PREFEITO Coordenadoria Administrativa Setor de Material e

Leia mais

Regulamenta o Programa de Estágio de Estudantes na Câmara Municipal de São Paulo.

Regulamenta o Programa de Estágio de Estudantes na Câmara Municipal de São Paulo. ATO 994/07 Regulamenta o Programa de Estágio de Estudantes na Câmara Municipal de São Paulo. Considerando a Lei Federal nº 6.494, de 07/12/1977, que dispõe sobre o estágio de estudantes de ensino superior,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 08/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 08/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 08/2013 Regulamenta os critérios de concessão, no âmbito da UFBA, da gratificação por encargos de cursos e concursos e dá outras providencias.

Leia mais

Utilização de armas por membros do Poder Judiciário

Utilização de armas por membros do Poder Judiciário Utilização de armas por membros do Poder Judiciário Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Gabinete do Conselheiro José Lucio Munhoz PROCEDIMENTO DE CONTROLE ADMINISTRATIVO N o 0004466-81.2011.2.00.0000 RELATOR

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Promotoria de Justiça de Defesa da UF: DF Educação do Distrito Federal ASSUNTO: Consulta sobre competências do Sistema de Ensino para habilitação

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 16, DE 23 DE ABRIL DE 2014.

RESOLUÇÃO N.º 16, DE 23 DE ABRIL DE 2014. RESOLUÇÃO N.º 16, DE 23 DE ABRIL DE 2014. Regulamenta a implantação do serviço voluntário no âmbito do Poder Judiciário do Estado de Roraima e dá outras providências. O EGRÉGIO, em sua composição plenária,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO CNPJ: 18.602.037/0001-55 Insc. Est. Isento São Gotardo Minas Gerais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO CNPJ: 18.602.037/0001-55 Insc. Est. Isento São Gotardo Minas Gerais LEI COMPLEMENTAR Nº.132, DE 02 DE MARÇO DE 2015. Dispõe sobre a criação e extinção de cargos em comissão de livre provimento e exoneração sem aumento da despesa e dá outras providências. O povo do Município

Leia mais

considerando o Decreto nº 6.114, de 15 de maio de 2007; considerando a Portaria/MEC nº 1.084 de 02 de setembro de 2008;

considerando o Decreto nº 6.114, de 15 de maio de 2007; considerando a Portaria/MEC nº 1.084 de 02 de setembro de 2008; Dispõe sobre os critérios e valores para pagamento de Gratificações por Encargo de Cursos ou Concursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (IFMS). A COORDENADORA-GERAL

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N. PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011 O SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO DO MUNICÍPIO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CUNI Nº 014, DE 29 DE ABRIL DE 2015. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS, no uso de suas atribuições

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA 1 MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO-RDC Nº 2, DE 25 DE JANEIRO DE 2010 (*) Dispõe sobre o gerenciamento de tecnologias em saúde em estabelecimentos de saúde. A Diretoria

Leia mais

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei:

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei: LEI Nº 2.581/2009 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE CAETÉ. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 1.939, DE 2015 (Do Sr. Weverton Rocha)

PROJETO DE LEI N.º 1.939, DE 2015 (Do Sr. Weverton Rocha) *C0054196A* C0054196A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 1.939, DE 2015 (Do Sr. Weverton Rocha) Dispõe sobre a criação e a estruturação do regime jurídico de Advogado de Empresa Estatal Federal e

Leia mais

PORTARIA CNMP-PRESI Nº 241, DE 15 DE AGOSTO DE 2013.

PORTARIA CNMP-PRESI Nº 241, DE 15 DE AGOSTO DE 2013. PORTARIA CNMP-PRESI Nº 241, DE 15 DE AGOSTO DE 2013. Aprova o Regimento Interno da Auditoria Interna do Conselho Nacional do Ministério Público. O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO,

Leia mais

INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS

INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS O Incentivo à Qualificação é um benefício, na forma de retribuição financeira, calculado sobre o padrão de vencimento percebido pelo servidor,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA DECRETO Nº 247

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA DECRETO Nº 247 DECRETO Nº 247 Regulamenta os artigos 17 a 20, da Lei Municipal nº 14.544, de 11 de novembro de 2014 e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE CURITIBA, CAPITAL DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das

Leia mais

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e,

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e, DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013 Cria a Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro S/A RIOSAÚDE e aprova seu Estatuto. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA N 66, DE 12 DE MAIO DE 2005.

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA N 66, DE 12 DE MAIO DE 2005. INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA N 66, DE 12 DE MAIO DE 2005. O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 24,

Leia mais

PROGRAMA DE APREDIZAGEM NO IFRN

PROGRAMA DE APREDIZAGEM NO IFRN MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROGRAMA DE APREDIZAGEM NO IFRN

Leia mais

DECRETO nº 53.464 de 21-01-1964

DECRETO nº 53.464 de 21-01-1964 DECRETO nº 53.464 de 21-01-1964 Regulamenta a Lei nº 4.119, de agosto de 1962, que dispõe sobre a Profissão de Psicólogo. O Presidente da República, usando das atribuições que lhe confere o art.87, item

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA/INCRA/Nº 32, DE 11 DE JUNHO DE 1999. (Boletim de Serviços nº 24, de 14/06/99)

INSTRUÇÃO NORMATIVA/INCRA/Nº 32, DE 11 DE JUNHO DE 1999. (Boletim de Serviços nº 24, de 14/06/99) INSTRUÇÃO NORMATIVA/INCRA/Nº 32, DE 11 DE JUNHO DE 1999. (Boletim de Serviços nº 24, de 14/06/99) Dispõe sobre a concessão de estágio, no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária INCRA, aos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 002 - CONSU DE 29 DE MAIO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº. 002 - CONSU DE 29 DE MAIO DE 2007 Rua Governador Luiz Cavalcante, S/N, TELEFAX (82) 3530-3382 CEP: 57312-270 Arapiraca-Alagoas RESOLUÇÃO Nº. 002 - CONSU DE 29 DE MAIO DE 2007 Regulamenta, no âmbito da Uneal, os afastamentos dos servidores

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Princesa Isabel de Educação e Cultura UF: SP ASSUNTO: Consulta sobre validade dos diplomas de mestrado

Leia mais

TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA NATUREZA. PARÁGRAFO ÚNICO Atividade curricular com ênfase exclusiva didático-pedagógica:

TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA NATUREZA. PARÁGRAFO ÚNICO Atividade curricular com ênfase exclusiva didático-pedagógica: REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO IFRR N A regulamentação geral de estágio tem por objetivo estabelecer normas e diretrizes gerais que definam uma política

Leia mais

1. Das disposições acerca da avaliação de desempenho no âmbito do PCCTAE

1. Das disposições acerca da avaliação de desempenho no âmbito do PCCTAE Nota Técnica nº 07/2008 SINASEFE. Servidores técnico-administrativos das Instituições Federais de Ensino. Avaliação de desempenho. Previsão sobre a matéria em legislação específica (Lei 11.091/05 e Decreto

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 972, DE 17 DE OUTUBRO DE 1969

DECRETO-LEI Nº 972, DE 17 DE OUTUBRO DE 1969 DECRETO-LEI Nº 972, DE 17 DE OUTUBRO DE 1969 Dispõe sobre exercício da profissão de jornalista. OS MINISTROS DA MARINHA DE GUERRA, DO EXÉRCITO E DA AERONÁUTICA MILITAR, usando das atribuições que lhes

Leia mais

MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DA BOA VISTA PREFEITURA DO MUNICÍPIO

MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DA BOA VISTA PREFEITURA DO MUNICÍPIO CONHECIMENTOS GERAIS 1 Conforme previsto na Lei nº 8.080/90, a articulação das políticas e programas, a cargo das comissões intersetoriais, abrangerá, em especial, as seguintes atividades: A) Alimentação,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 8 DE JULHO DE 2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 8 DE JULHO DE 2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 8 DE JULHO DE 2008 Dispõe sobre a participação de servidores do Supremo Tribunal Federal em ações de treinamento. O DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL,

Leia mais

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM DIREITO Sumário CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... 1 CAPÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO DO PROGRAMA...2 CAPÍTULO III DO CORPO DOCENTE,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N. 86

LEI COMPLEMENTAR N. 86 LEI COMPLEMENTAR N. 86 Dispõe sobre a criação do Emprego Público de Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate às Endemias, sobre o respectivo processo seletivo público e dá outras providências. Faço

Leia mais

REGULAMENTA A CONCESSÃO DO ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO AOS TITULARES DOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO DA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA FAETEC.

REGULAMENTA A CONCESSÃO DO ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO AOS TITULARES DOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO DA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA FAETEC. Publicada no D. O. de 27/06/11 PORTARIA FAETEC/PR Nº 327 DE 20 DE JUNHO DE 2011 REGULAMENTA A CONCESSÃO DO ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO AOS TITULARES DOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO DA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 233/14 - CIB / RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS no uso de suas atribuições legais, e considerando:

RESOLUÇÃO Nº 233/14 - CIB / RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS no uso de suas atribuições legais, e considerando: RESOLUÇÃO Nº 233/14 - CIB / RS A Comissão Intergestores Bipartite/RS no uso de suas atribuições legais, e considerando: a Lei Federal nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, que regulamenta o Sistema Único

Leia mais

INFORMAÇÃO TÉCNICA 04/2006 CRIAÇÃO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

INFORMAÇÃO TÉCNICA 04/2006 CRIAÇÃO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE ESTUDOS E DE COOPERAÇÃO DEPARTAMENTO DE COOPERAÇÃO INFORMAÇÃO TÉCNICA 04/2006 CRIAÇÃO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Informação preparada pelos Professores Daniela

Leia mais

RESOLUÇÃO N 003/2012 CEFID

RESOLUÇÃO N 003/2012 CEFID RESOLUÇÃO N 003/2012 CEFID Fixa normas para Elaboração, Qualificação e Apresentação dos Trabalhos de Conclusão dos Cursos de Graduação em Licenciatura em Educação Física, Bacharelado em Educação Física

Leia mais

PODER EXECUTIVO MUNICIPAL DE ITIQUIRA- MT

PODER EXECUTIVO MUNICIPAL DE ITIQUIRA- MT INSTRUÇÃO NORMATIVA SCS Nº 002/2012, DE 31 DE OUTUBRO DE 2012. Versão nº 01 Aprovação em: 31/10/2012 Ato de Aprovação: Decreto Municipal nº 053/2012 Unidade Responsável: Departamento de Comunicação I -

Leia mais

Lei Orgânica da Provedoria de Justiça

Lei Orgânica da Provedoria de Justiça Lei Orgânica da Provedoria de Justiça Decreto-Lei n.º 279/93, de 11 de Agosto (alterado pelo Decreto Lei N.º15/98, de 29 de Janeiro) (alterado pelo Decreto-Lei n.º 195/2001, de 27 de Junho) (alterado pelo

Leia mais

Coordenadoria da Moralidade Administrativa INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12/CMA/2008 ÁREA: ADMINISTRAÇÃO DIRETA, FUNDOS E FUNDAÇÕES DO MUNICÍPIO DE ITAJAÍ

Coordenadoria da Moralidade Administrativa INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12/CMA/2008 ÁREA: ADMINISTRAÇÃO DIRETA, FUNDOS E FUNDAÇÕES DO MUNICÍPIO DE ITAJAÍ INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12/CMA/2008 ÁREA: ADMINISTRAÇÃO DIRETA, FUNDOS E FUNDAÇÕES DO MUNICÍPIO DE ITAJAÍ ASSUNTO: INSTRUMENTO NORMATIVO HISTÓRICO DELIBERAÇÃO VIGÊNCIA PROTOCOLO Nº DESCRIÇÃO Nº DATA A PARTIR

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 5.797, DE 2009

PROJETO DE LEI Nº 5.797, DE 2009 COMISSÃO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 5.797, DE 2009 (Apensado o projeto de lei nº 325, de 2011) Altera o art. 1º da Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, e o art. 1º da Lei nº 11.096, de 13 de janeiro

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS PORTARIA Nº 693, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2014

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS PORTARIA Nº 693, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS PORTARIA Nº 693, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2014 Estabelece regras e critérios de execução e monitoramento do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 3.512, DE 2008 Dispõe sobre a regulamentação do exercício da atividade de Psicopedagogia. Autora: Deputada PROFESSORA RAQUEL

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal CONCURSO PÚBLICO, NOMEAÇÃO E POSSE

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal CONCURSO PÚBLICO, NOMEAÇÃO E POSSE DEFINIÇÕES CONCURSO PÚBLICO, NOMEAÇÃO E POSSE Cód.: CNP Nº: - Versão: 02 Data: 22/02/2016 Concurso público Processo de seleção de natureza competitiva, aberto ao público geral, para provimento de cargo

Leia mais

Resende (RJ), 16 de setembro de 2015. ATO CONVOCATÓRIO AGEVAP N.º 022/2015 COMUNICADO Nº 5 Aos Interessados

Resende (RJ), 16 de setembro de 2015. ATO CONVOCATÓRIO AGEVAP N.º 022/2015 COMUNICADO Nº 5 Aos Interessados Resende (RJ), 16 de setembro de 2015. ATO CONVOCATÓRIO AGEVAP N.º 022/2015 COMUNICADO Nº 5 Aos Interessados Quanto aos pedidos de esclarecimentos apresentados por algumas entidades, referente ao Ato Convocatório

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. PROJETO DE LEI N o 6.219, DE 2009 I RELATÓRIO

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. PROJETO DE LEI N o 6.219, DE 2009 I RELATÓRIO COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI N o 6.219, DE 2009 Assegura aos portadores de diplomas de cursos a distância as mesmas prerrogativas legais, que portadores de diplomas de cursos presenciais.

Leia mais

Lei n.º 346/2014. Iracema-RR, em 12 de Maio de 2014. Que dispõe sobre:

Lei n.º 346/2014. Iracema-RR, em 12 de Maio de 2014. Que dispõe sobre: Lei n.º 346/2014. Iracema-RR, em 12 de Maio de 2014. Que dispõe sobre: Estabelece o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração dos Profissionais da Educação Básica do Município de Iracema e dá outras providências.

Leia mais