Estado. Mesorregião. Microrregião. Distância até a capital. Características geográficas. Área. população. Densidade. Altitude. Clima.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estado. Mesorregião. Microrregião. Distância até a capital. Características geográficas. Área. população. Densidade. Altitude. Clima."

Transcrição

1 ' 50" S 49 56' 45" O São Paulo Marília Marília Estado Mesorregião Microrregião Municípios limítrofes Norte: Getulina, Guaimbê, Júlio Mesquita; Leste: Álvaro de Carvalho, Vera Cruz, Ocauçu; Sul: Campos Novos Paulista; Oeste: Echaporã, Oriente e Pompéia. 443 quilômetros Distância até a capital Características geográficas 1.170,054 km² hab. est ,5 hab./km² 675 metros tropical Aw UTC -3 Área população Densidade Altitude Clima Fuso horário Indicadores IDH

2 2 0,821 PNUD/2000 R$ ,00 IBGE/2003 PIB PIB per capita R$ 6.923,44 IBGE/2003 Marilia um município brasileiro no estado de SãoPaulo. Fica distante da capital do estado 443 km por rodovia; 529 km por ferrovia e 376 km em linha reta. Localiza-se a uma latitude de 22コ12'50" sul e a uma longitude de 49コ56'45" oeste, estando a uma altitude de 675 metros. Sua população estimada em 2006 era de habitantes, sendo assim, a 13ェ maior cidade do interior paulista em numero de habitantes. Geografia Marília está sobre a Serra dos Agudos O municipio de Marilia está em toda sua extensão situado sobre o ramo ocidental da Serra dos Agudos que o atravessa de leste a oeste. Os contrafortes dessa serra terminam geralmente em paredes de grau revestidos de vegetação. Dentro do municipioç recebe algumas denominações especiais: Serra de Avencas, Serra de Cincinatina (onde fica o Morro Redondo); Serra do Tiveron: Serra do Macuco e Serra de Casa Grande. Clima O clima da cidade Subtropical com as seguintes características: Temperatura média anual: 22,4ºC Mês mais quente janeiro: 26,7ºC Mês mais frio junho: 16,4ºC Máxima absoluta: 40,6ºC Mínima absoluta: - 2,1ºC Demografia Dados do Censo População Total: Urbana: Rural: Homens:

3 3 Mulheres: Densidade demografica (hab./kmイ): 168,65 Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 15,57 Expectativa de vida (anos): 71,37 Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,21 Taxa de Alfabetização: 93,35%. ヘndice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,821 Hidrografia IDH-M Renda: 0,782. IDH-M Longevidade: 0,773. IDH-M Educação: 0,908. Rio do Peixe Rio Aguapeí Dados Demográficos: a - Número de Habitantes: Estimativa Populacional IBGE-2006: hab. b - Taxa de crescimento populacional: 1,84 % ano c - Taxa de ocupação: taxa de urbanização: 91,46% d - Número de habitantes por residência: Média de 3,21 Hab / domicilio em Descrição do Sistema de Água. a - Índice de atendimento: 98 57% da população do Município atendida com os serviços de abastecimento público de água tratada. b Número de economias: b.1 Totais un b.2 Residenciáis un b.3 Comerciáis un b.4 - Industriáis un b.5 Públicas un b.6 Públicas Municipais un b 1 Número de Ligações de Água por categoria em 2.006: Residenciáis un Comerciáis un Industriáis un

4 4 Públicas un Públicas Municipais un Especiais...0 un Total un b 2 - Número de Ligações de Esgoto por categoria em Residenciáis un Comerciáis un Industriáis un Públicas un Públicas Municipais un Especiais...0 un Total un c - Quantidade de Água Bruta ( com relatório de analise de turgidez, Cor, etc..) Valor produzido no ano m 3 d - Sistema de Captação de água e Capacidade de dos Sistemas de captação, vazão nominal: Manancial, Rio, Poços, etc... Manancial m 3 Rios m 3 Poços m 3 e Capacidade do sistema de captação (vazão nominal) ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA (VAZÃO, ENDEREÇO E LOCALIZAÇÃO). Captação Vazão m³/h Localização - Endereços Sistema Cascata Água do Norte (Represa). Sistema Peixe (Rio) Arrependido (Represa). 450 Fazenda Cascata, próximo ao Condomínio Maria Isabel Fazenda Rio do Peixe Estrada Marília Assis. CAPTAÇÃO DE ÁGUA SUPERFICIAL Captação Vazão m³/h Localização - Endereços Represa do Arrependido 800 Na captação onde estão as Bombas Rio do Peixe 1600 Na captação de água Represa Água do Norte 150 Na captação de água

5 5 Represa Cascata 300 Na captação Bombas Represa Ribeirão dos Índios - Em construção POÇOS DO AQÜIFERO GUARANI (FORMAÇÃO BOTUCATU PIRAMBÓIA) PG. Captação Vazão m³/h Localização - Endereços PG 01 Poço Profundo 180 Rua Virgínio Cavallari (final da rua) Sítio de Recreio Panambi (Bairro 168) PG 02 Poço Profundo 240 Rua José Serezuela s/n. º, Bairro Nova Marília COHAB (Bairro 141) PG 03 Poço Profundo 230 Rua Dante Veck s/n. º, Bairro Jardim Santa Antonieta (Bairro103) PG 04 Poço Profundo 360 Rua Plínio de Queiroz, n. º 174 Jardim Marambaia (Bairro 115) POÇOS DO AQÜIFERO SERRA GERAL (FALHA NO BASALTO) PSG Captação Vazão m³/h Localização - Endereços PSG 01 Poço Cavalete 80 A margem direita do Córrego do Cavalete a 1600m do Barbosa PSG 02 Poço Cavalete 80 A margem esquerda do Córrego do Cavalete a 2220m do Barbosa PSG 03 Poço Cavalete 50 A margem esquerda do Córrego do Cavalete a 20m do Barbosa PSG 04 Poço Cavalete 50 A margem esquerda do Córrego do Cavalete a 350m do Barbosa POÇOS DO AQÜIFERO BAURU (FORMAÇÃO MARÍLIA ADAMANTINA) PB Captação Vazão m³/h Localização Endereços PB 01 Poço Argolo Ferrão 1 (D). PB 02 Poço Argolo Ferrão 2. 5 R. Monsenhor João Batista Toffoli N.H. Tereza B. Argolo Ferrão (Bairro 164). 6 R. Regina Caliman Gradin esq. C/ R. Maria Cândida de Souza (Bairro 164). PB 03 Poço 2,2 R. João Florêncio de Carvalho com Rua

6 6 Bandeirantes. Melchiades F. Flores Bandeirantes (Bairro 93). PB 04 Poço CDHU 1. 6,2 R. Mario Bataiola prolong. S/n.º no conj. CDHU próximo Ao N.H. Maria Angélica. PB 05 Poço CDHU 2. 6 R. Mario Bataiola com R. Raimundo G. Ferreira prox. Ao N.H. Maria Angélica. PB 06 Poço Colibri. 4 R. André Martins Parra, n.º 171, no Cond. Residencial Jardim Luciana. PB 07 Poço Comerciários 1. PB 08 Poço Comerciários 2. 6 R. Antonio Lopes Garcia, esq. Av. José da S. Nogueira V. dos Comerciários 1. (Bairro 209). 6,1 R. Antonio Oliveira Reis, s/n.º - Vila dos Comerciários 2. (Bairro 211). PB 09 Poço Damasco 1 14,5 R. Alexandre Chaia com o prolong. Da R. _taipu Jd. Damasco 1. (Bairro 212). PB 10 Poço Damasco R. Alexandre Chaia com a R. Guilherme Chefer Neto Jd. Damasco 2. (Bairro 204). PB 11 Poço Domingos Basta 1. PB 12 Poço Domingos Basta 2. 2,2 R. Domingos Basta (no final da R.) Nova Marília (Bairro 141). 6 R. Nair Rosilho, esq. Com R. Domingos Basta Nova Marília (Bairro 141). PB 13 Poço Doreto. 1,5 R. Jorge Kochan s/n.º - prox. A Av. Durval de Menezes Nova Marília (Bairro 141). PB 14 Poço dos Namorados. PB 15 Poço EMEI Sementinha. 1,5 Av. Men de Sá, s/n.º - dentro da Creche Municipal Nova Marília (141). 1 R. Ângelo Trevelin ao lado do n.º 514 (EMEI Sementinha) Jd. Planalto (Bairro 105). PB 16 Poço Girassol. 1 R. das Orquídeas s/n.º, Junto a Praça da Fonte do Girassol Jd. Marília (Bairro 20). PB 17 Poço Isabel Ribeiro Alves. 17,4 R. Alcindo Saul Amaral, prox. A esq. Com a R. Itália Pq. São Jorge (Bairro 57). PB 18 Poço Itaípu. 13 R. Ticiano Tóffoli, no sistema de lazer do Jd. _taipu (Bairro 151). PB 19 Poço Marajó R. Azarias Carvalho Leme, s/n.º - na Escola Municipal Jd. Esplanada (Bairro 122). PB 20 Poço Marajó R. Azarias Carvalho Leme, esq. R. Capitão Durval C. Silva, Jd Esplanada (Bairro 122). PB 21 - Poço Planalto 1. 6 Av. João Ramalho c/ Durval de Menezes Nova

7 7 Marília (Bairro 141). PB 22 Poço Planalto 2 7 Av. Durval de Menezes com R. Severino Zambom, Nova Marília (Bairro 141). PB 23 Poço Planalto 3. 6 Av. Antonio Gonzáles Gimenes, defronte ao n.º 125, Jd Planalto (Bairro 105). PB 24 Poço R8 (8 ). 7 Av. Eugênio Coneglian, Quadra A Distrito Ind. Área do Reserv. R8 (Bairro 102). Captação Vazão m³/h Localização Endereços PB 25 Poço R8 ( 6 ). 4 Av. Eugênio Coneglian, Quadra A Distrito Ind.Área do Reserv. R8 (Bairro102). PB 26 Poço São Miguel. 3,2 R. Castro Alves enfrente ao n.º 869 na Pça São Miguel Bairro São Miguel (Bairro 08). PB 27 Poço Teruel 1. 4 R. Miguel Pastori com a R. Júlio F. de Barros Jardim Califórnia (Bairro 111). PB 28 Poço Teruel 2. 7 R. Alcides Caliman com R. Isamu Egashira, Jd. Califórnia (Bairro 111). PB 29 Poço Tomé de. Souza 1. PB 30 Poço Tomé de Souza 2. PB 31 Poço N.Hab. Costa e Silva. 5,2 Av. Tomé de Souza X R. Eduardo Prado, Jd. Monte Castelo (Bairro 58). 5,1 Av. Tomé de Souza X R. Júlio David Graxia, Conj. H. João B. Tóffoli (Bairro 187). 7 R. Fernando Fontana, s/n.º - Praça Marcelino Medeiros (Bairro 90). PB 32 Poço Figueirinha. 1,5 Av. José Jorente, s/n.º junto a praça B. Jd. Figueirinha. PB 33 Jd. Parati. 12 R. Alcides Nunes, Quadra 09, ao lado do n.º Jd. Parati. PB 34 Poço Novo.Horizonte. 1,5 R. Althemar Dutra, s/n.º ao lado do posto de Saúde B. Novo Horizonte (Bairro 150). PB 35 Flora Rica. 1,5 R. Belém s/n.º - Jd. Flora Rica (Bairro 197). PB 36 Jd. Continental. 3 R. Adolfo Luiz Viana, n.º 215 B, Jd. Continental (Bairro 118). PB 37 Nova Marília II. 7 R. Tenente Doraci Marques, enfrente ao n.º 332, Nova Marília II (Bairro 216). POÇOS DO AQÜIFERO BAURU DOS DISTRITOS (PBD).

8 8 Captação Vazão m³/h Localização - Endereços PBD 01 Poço Rosália. 22 Nas Dependências do DAEM, R. Kanity Yamani, 149. PBD 02 Poço Padre Nóbrega. 3 Av. Sampaio Vidal próx. A R. Salgado Filho, antigo Recalque. PBD 03 Lácio. 9,9 R. Gonçalves Dias, na Praça da Igreja Santa Luzia. PBD 04 Padre Nóbrega. 12,9 PBD 05 Padre Nóbrega. 9,7 Av. Perimetral com R. São Paulo, próx. A Caixa d Água. Av. Anchieta com R. Salgado Filho, Poço da Praça. PBD 06 Avencas. 10 Fazenda Irmãos Ponteli, anexo a captação do Rio. PBD 07 Amadeu Amaral. 5,8 Distrito Amadeu Amaral. PBD 08 Dirceu. 7 Praça do Distrito. PBD 09 Lácio. 12,5 Rua Josefina S. Agostinho esq. R. C Distrito Industrial. PBD 10 Padre Nóbrega. 20 Av. Sampaio Vidal, próx. A R. Salgado Filho Recalque novo. f - Existência de poços artesianos específicos (Indústrias, residenciais, etc.). Dados fornecidos pelo Cadastramento em andamento fase de coleta de dados DAEE. g - Adução: Extensão da rede adutora, material, idade. REDE DE ÀGUA ESTADO IDADE REDE DE ESGOTO ESTADO IDADE DE BARRO VIDRADO ÓTIMO 60 anos DE FERRO FUNDIDO: RUIM 60 anos DE FERRO FUNDIDO: BOM 40 anos DE AMIANTO: RUIM 40 anos DE AMIANTO: RUIM 40 anos TUBULAÇÃO PEAD ÓTIMA 37 anos TUBULAÇÃO PEAD ÓTIMA 37 anos h - Estação Elevatória EEE e Boosters: quantidade e relação das Bombas DAEM - Elevatórias de Esgoto: Ano ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO: N. º BAIRRO: ENDEREÇO: 01 Jardim Flamingo. Rua Adhemar Ferreira de Mello Junior.

9 02 Vila Operária da Alimentação II. Rua Conrrado Zapaterra prolongamento. 03 Nova Marília. Rua Gonçalves Ferreira CDHU. 04 Condomínio Portal dos Nobres. Rua Wagner Gomes Fernandes. 05 Parque das Esmeraldas. Rua João Bertolotti. 06 Parque da s Esmeraldas II. Rua Jorge Wilton Viltzer. 07 Represa Cascata. Estrada anexa à Barragem. 08 Altos da Cidade. Rua Waldemar Benetti. 09 Parque Residêncial Sta. Gertrudes. Rua Dulce de Abreu Colombera. 10 Vila Maria. Rua José Batista de Souza. 11 Comerciário I. Rua Marcelino Campos. 12 Comerciarios II. Rua Flávio Grassi. 13 Jardim Teruel. Rua Léia Cristina Coneglian Iwazaki. 14 Jardim Figuirinha I Rua Vitório Salviano Rodrigues. 15 Jardim Figueirinha II Rua Neuza Menezes 16 Vila Flora Rua Alair Ribeiro de Castro. 17 Condomínio Residencial Portal da Via de Circulação Serra. 18 Jardim Damasco I Rua Nadir de Oliveira Marques com Rua Sebastião Vieira. 19 Jardim Damasco II Rua Nivaldo Severo Barbosa. 20 Condomínio Portal do Parati Rua Plínio Amaral Condomínio Colibri Via ) Vila Maria: (Rua José Batista de Souza, s/n). - 1 bomba marca ABS, modelo PIR M46/2D, de 4,6 kw (23 m 3 /h x 45 mca); - 1 bomba marca Flygt, modelo 3102 S , de 4,5 kw; 2) Esmeralda I: (R. João Bertolotti, s/n). - 2 bombas marca Flygt, modelo 3127 S , de 7,5 kw; 3) Esmeralda II: (R. Rosina Pegoraro, s/n). - 2 bombas marca ABS, modelo SJEI 15W (68 m 3 /h x 9,7 mca); 4) Altos da Cidade: (R. Waldemar Benetti, s/n). - 2 bombas marca ABS, modelo SJEI 20D, de 1,5 kw (66 m 3 /h x 13,3 mca); 5) Jd. Alimentação: (R. Jorge Mansur, s/n). - 2 bombas marca ABS, modelo ROB 1001T ET, de 3,0 kw (45 m 3 /h x 23 mca); 6) Condomínio Residencial Colibri: - 2 bombas marca SPV, modelo EG1000, de 3,2 kw;

10 10 7) Conjunto Habitacional Paulo Lúcio Nogueira CDHU: (R. Mario Battaiola, 10). - 2 bombas marca Flygt, modelo M AL, de 7,5 kw; 8) Comerciários I: (R. Marcelino Campos, s/n). - 2 bombas marca KSB, modelo KRT K /122XG 158, de 17 CV (33,4 m 3 /h x 35 mca); 9) Comerciários II: (R. Antonio de Oliveira Reis, s/n). - 2 bombas marca KSB, modelo KRT K /122XG 260, de 17 CV (28,8 m 3 /h x 42 mca); 10) Jd. Teruel: (R. Miguel Pastori, s/n). - 2 bombas marca KSB, modelo KRTS /22UG; 11) Jd. Flamingo: (R. Adhemar Ferreira de Melo, s/n). 2 bombas marca KSB, modelo KRT K40-250/172XG-260/195 (15 m 3 /h x 70 mca); 12) Santa Gertrudes: (Av. João Barcelon, s/n). - 2 bombas marca ABS, modelo M80/2D, de 8,0 kw; 13) Núcleo Alcides Matiuzzi: (Av. Antonio Lourenço, 100). - 2 bombas marca KSB, de 10 CV; 14) Núcleo Alcyr Raineri: (R. Vitório Salviano Rodrigues, s/n). - 2 bombas marca ABS, de 5 CV; 15) Jd. David Leuder P. Alves: (R. João Batista Vrech, 159). - 2 bombas marca SPV, modelo EG1000, de 3,2 kw; i - Reservarão: quantidade e capacidade de reserva (volume disponível). RESERVATÓRIO LOCALIZAÇÃO CÉLULAS DE RESERVAÇÃO TIPO N. VOLUME m³ SUBSISTEMA PEIXE R. Represa do Arrependido Represa do Arrependido Apoiado Metálico R. ETA Peixe Bairro Jardim Morumbi. Subterrâneo R. Segundo Recalque Peixe Fazenda entre a Captação e Apoiado cada ETA Peixe R 02 Bairro Alto Cafezal. Subterrâneo Elevado

11 R 04 R 06 R 08 R 10 SUBSISTEMA CASCATA R 12 SUBSISTEMAS DE POÇOS PROFUNDOS Reservatório do Poço Profundo P1 Reservatório do Poço Profundo P2 Reservatório do Poço Profundo P3 Reservatório do Poço Profundo P4 Reservatório Palmital R 16. Bairro São Miguel, Avenida Santo Antônio 1817 (Bairro 64). Bairro Fragata, Avenida Archimedes Manhães s/ n.. Distrito Industrial, Avenida Eugênio Coneglian s/n. Avenida João Ramalho com Avenida Mem de Sá. Bairro Maria Isabel, Avenida Vicente Ferreira Com Avenida Cascata. Rua Virgínio Cavallari (final da rua) Sítio de Recreio Panambi (Bairro 168). R. José Serezuela s/n.º, Bairro Nova Marília COHAB (Bairro 141). Rua Dante Vreck s/n.º, Bairro Jardim Santa Antonieta (Bairro 103). Rua Plínio de Queiroz, n.º 174 Jardim Marambaia (Bairro 115). Avenida República com Rua Piracicaba. 11 Subterrâneos cada Semi-Enterrado cada Semi-Enterrado Apoiado Elevado Semi-Enterrado Elevado Elevado Semi-Enterrado Elevado Semi-Enterrado Semi-Enterrado Semi-Enterrado Semi-Enterrado Apoiado SUBSISTEMAS DE POÇOS SEMI-PROFUNDOS Reservatório dos Poços Cavalete. Próximo ao Córrego do Apoiado 01 Cavalete afluente do Barbosa. RPB - N.H. Jd. Teruel. Rua Miguel Pastori. Elevado

12 12 RPB 02 Poço Argolo Ferrão 2. RPB 03 Poço Bandeirantes. RPB 06 Poço Colibri. RPB 08 Reservatório do Poço Comerciários 2 RPB 09 Poço Damasco 1. R. Regina Caliman Gradin esq. C/ R. Maria Cândida de Souza (Bairro 164).. R. João Florêncio de Carvalho, esq. R. Melchiades F. Flores Bandeirantes (Bairro 93) R. André Martins Parra, n.º 171, no Cond. Residencial Jardim Luciana. R. Alcides Nunes, s/n.º - Jardim Califórnia. R. Alexandre Chaia com o prolong. Da R. Itaipu Jd. Damasco 1. (Bairro 212). RPB 10 Poço Damasco 2. R. Alexandre Chaia com a R. Guilherme Chefer Neto Jd. Damasco 2. (Bairro 204). RPB 11 Poço Domingos Basta 1. R. Domingos Basta (no final da Rua.) Nova Marília (Bairro 141). Elevado Elevado 01 Elevado Elevado Apoiado Elevado R. Creche Balão Mágico. Av. João Ramalho. Elevado RPB 12 Poço Domingos Basta R. Nair Rosilho, esq. Com R. 2. Domingos Basta Nova Marília (Bairro 141). RPB 13 Poço Doreto. R. Jorge Kochan s/n.º - prox. Elevado A Av. Durval de Menezes Nova Marília (Bairro 141) RPB 14 Poço dos Namorados. Av. Men de Sá, s/n.º - dentro Cx. de água da Creche Municipal Nova Marília (Bairro 141). RPB 15 Poço EMEI Sementinha. R. Ângelo Trevelin ao lado Elevado do n.º 514 (EMEI Sementinha) Jd. Planalto (Bairro 105). RPB 16 Poço Girassol. R. das Orquídeas s/n.º, Junto a Praça da Fonte do Girassol Jd. Marília (Bairro 20). Elevado 01 05

13 13 RPB 17 Poço Isabel Ribeiro Alves. RPB 18 Poço Itaípu. RPB 19 Poço Marajó 1. RPB 20 Poço Marajó 2. RPB 21 - Poço Planalto 1. R. Alcindo Saul Amaral, prox. A esq. Com a R. Itália Pq. São Jorge (Bairro 57). R. Ticiano Tóffoli, no sistema de lazer do Jd. Itaipu (Bairro 151). R. Azarias Carvalho Leme, s/n.º - na Escola Municipal Jd. Esplanada (Bairro 122) R. Azarias Carvalho Leme, esq. R. Capitão Durval C. Silva, Jd Esplanada (Bairro 122). Av. João Ramalho c/ Durval de Menezes Nova Marília (Bairro 141). PB 22 Poço Planalto 2. Av. Durval de Menezes com R. Severino Zambom, Nova Marília (Bairro 141). PB 23 Poço Planalto 3. Av. Antonio Gonzáles Gimenes, defronte ao n.º 125, Jd. Planalto (Bairro 105). RPB 26 Poço São Miguel R. Castro Alves enfrente ao n. º 869 na Praça São Miguel Bairro São Miguel (Bairro 08) RPB 27 Poço Teruel 1 R. Miguel Pastori com a R. Júlio F. de Barros Jardim Califórnia (Bairro 111). RPB 28 Poço Teruel 2. R. Alcides Caliman com R. Isamu Egashira, Jd. Califórnia (Bairro 111). RPB 29 Poço Tomé de Souza 1. Av. Tomé de Souza X R. Eduardo Prado, Jd. Monte Castelo (Bairro 58). RPB 30 Poço Tomé de Souza 2. Av. Tomé de Souza X R. Júlio David Graxia, Conj. H. João B. Tóffoli (Bairro 187). Elevada Apoiado Elevado Apoiado 01 20

14 RPB 31 Silva Poço N.Hab. Costa e RPB 32 Poço Figueirinha R. Fernando Fontana, s/n. º - Praça Marcelino Medeiros (Bairro 90). Av. José Jorente, s/n. º junto a praça B. Jd. Figueirinha RPB 33 Jd. Parati. R. Alcides Nunes, Quadra 09, ao lado do n.º Jd. Parati. RPB 34 Poço Novo Horizonte R. Althemar Dutra, s/n. º ao lado do posto de Saúde B. Novo Horizonte (Bairro 150). RPB 35 Flora Rica. R. Belém s/n.º - Jd. Flora Rica (Bairro 197). RPB 36 Jd. Continental. R. Adolfo Luiz Viana, n. º 215 B, Jd. Continental (Bairro 118). RPB 37 Nova Marília II. R. Tenente Doraci Marques, enfrente ao n.º 332, Nova Marília II (Bairro 216). RPBD 01 Poço Rosália. Nas Dependências do DAEM, R. Kanity Yamani, 149. RPBD 02 Poço Padre Nóbrega. Av. Sampaio Vidal próx. A R. Salgado Filho, antigo Recalque. RPBD 03 Lácio. R. Gonçalves Dias, na Praça da Igreja Santa Luzia. RPBD 04 Padre Nóbrega. Av. Perimetral com R. São Paulo, próx. A Caixa d Água RPBD 05 Padre Nóbrega. Av. Anchieta com R. Salgado Filho, Poço da Praça. RPBD 06 Avencas. Fazenda Irmãos Ponteli, anexo a captação do Rio. Elevado em construção Cx. de Água Cx. de água Cx. de Água Apoiado cada Elevado Semi-enterrado cada Elevado cx de água Enterrado Elevado Apoiado cada RPBD 07 Amadeu Amaral. Distrito Amadeu Amaral Elevado RPBD 08 Dirceu. Praça do Distrito. RPBD 10 Padre Nóbrega. Av. Sampaio Vidal, próx. A R. Apoiado cada Salgado Filho Recalque novo.

15 15 Elevado j - Rede de distribuição: extensão da rede, material (ferro, amianto, pead) e idade média. Total extensão rede (ferro, amianto e pead) KM idade média 50 anos k - Hidrômetros (Idade média, porcentagem do município com hidrômetro). - Idade Média. A cada 05 anos o contribuinte é intimado a trocar o hidrômetro ou em caso de apresentar problemas de funcionamento. Porcentagem do Município com Hidrômetro. 97,20 % das ligações possuem hidrante. l - Estação de Tratamento de Água ETA: quantidade, vazão nominal, tratamento e destino do lodo. - Estação de tratamento de água: Captação Vazão m³/h Localização Endereços ETA Cascata. 450 Bairro Jardim Maria Isabel. ETA Peixe Bairro Jardim Morumbi. - Tratamento e destino do Lodo dos Tratamentos de Água. O Lodo produzido pelas ETAs é depositado provisoriamente aterro nas ETAS. m - Relação das bombas existentes com potência e horas de funcionamento por dia. Em fase de levantamento. n - Índice de Perda técnica (vazamento, evaporação, lavagem da ETA, etc). Índice Bruto de perdas lineares: 19,4 m³/dia.km; Fonte: Relatório SNIS Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgoto. Índice de Perdas por Ligação: 200,00 Litros/dia.Ligação. o - Índice de Perdas comerciais (Fraudes, ligações clandestinas, inadimplência, etc.). Índice de Perdas de Faturamento: 14,8 % Fonte: Relatório SNIS Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgoto. 1.4 Descrição do Sistema de Esgoto: 97,10% da população do Município atendida com os serviços de coleta pública de esgoto. a - Índice de atendimento na sede do município de Marília: Água:...100% Esgoto:...98%

16 16 Índice de atendimento no município de Marília: Água:...98,51% Esgoto:...97,10% b - Rede coletora de esgoto: Extensão da rede, material (ferro fundido, pead, etc) e idade média.: Extensão da Rede de Esgoto: Km. Idade média 50 anos c -Coletor Tronco, interceptores e Emissários: extensão, material, idade. Estações Elevatórias EEE: quantidade e relação das bombas. Unidade componentes do sistema de afastamento e tratamento de esgoto UNIDADES COMPONENTES DO SISTEMA DE AFASTAMENTO E TRATAMENTO DE ESGOTO

17 17 ESTAÇÃO DE TRATAMENTO B-SISTEMAS AFASTAMENTO COLETORES E EMISSÁRIOS. ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS ÁREA TOTAL (ha) VAZÃO (l/s) extensão em km. BARBOSA (Bacias Barbosa e Cascatinha) 24,20 EE-1.1. EE-1.2. EE-2.1. (3un) 380CV 100CV 40CV 520CV 28,0 231,2 416,2 POMBO(Bacia do Pombo) 20,16 27,0 116,3 209,3 PALMITAL (Bacias Índios, Palmital e Cascata) 34,64 EE-4.1. EE-4.2. EE-4.3. EE-5.1. EE-6.1. EE-6.2. (6un) 60CV 80CV 400CV 80CV 60CV 80CV 760CV 74,0 271,0 488,0 TOTAIS 79,0 9 un 1.280CV 129,0 618, ,5

18 18 d -Estação de tratamento de esgoto ETE: quantidade, vazão nominal; principal, secundária ou terciária. Atualmente 02% do volume de esgotos gerados do Município são tratados, mas com a implantação das novas estações de tratamento, será tratado 99.9%. Há hoje em execução o projeto de afastamento e tratamento por lagos tipo australiano. e - Estações de tratamento dos esgotos endereço e capacidade de atendimento: N. Endereço Tipo Capacidade 01 VIA DE CIRCULAÇÃO (Bairro Condomínio Fossa Filtro 200 ligações. Residencial Portal da Serra) 02 Condomínio Portal do Parati. Fossa-Filtro. 250 ligações. 03 Jardim Júlia e Janaína. Fossa-Filtro. 250 ligações. 04 Rua Nadir de Oliveira Marques X Rua Fossa Filtro. 250 ligações. Sebastião Vieira (Bairro Jardim Damasco I e II) 05 Distrito de Lácio, Distrito Industrial,Norma Técnica: NBR 9649/86 Fossa filtro. 250 ligações. 06 Distrito de Rosália Lagoa e filtro. 250 ligações. 07 Distrito de Avencas Fazenda Pontelli Fossa filtro. 250 ligações. 08 Distrito de Avencas Fossa filtro. 50 ligações. 09 Distrito de Padre Nóbrega Fossa filtro. 250 ligações. 10 Distrito de Padre Nóbrega Fossa filtro. 250 ligações. 11 Distrito de Padre Nóbrega Fossa filtro. 50 ligações. 12 Distrito de Padre Nóbrega Presídio Fossa filtro. 50 ligações. 13 Distrito de Amadeu Amaral. Fossa doméstica Descrição do Sistema de Controle: a - CCO Centro de controle operacional: Sem informação d Nível de automação, setorização, telemetria sem informação c - Controle de perdas por macro medição e micro medição:. Sem informação

19 Estrutura Tarifária e Faturamento Água e Esgoto em 2006: Sistema de cobrança de tarifa de água: Por faixa de consumo: Faixa inicial... 5 m³. Valor para faixa inicial... R$ 7,84. Sistema de cobrança de tarifa de esgotos: Única: Valor por mês... R$ 3,92. Percentagem sobre o consumo de água: 50%. Dados 23/05/2006 Decreto Municipal dá nova redação aos artigos 1. e 2. do decreto n /97. A tarifa mínima para utilização de água da categoria residencial para um suprimento mensal de 5 m³ de água, por prédio ou economia separada, será de R$ 7,84 (sete reais e oitenta centavos), a partir da referência maio com vencimento no mês de julho de Sistema de cobrança de Tarifa de água residencial: Por faixa de consumo: Faixa inicial: Até m³ Valor para faixa inicial... R$ 7,84. Até m³...r$ 7,84. De...06 m³...a...15 m³...0,92 R$/m³ De...16 m³...a...30 m³...2,49 R$/m³ De...31 m³...a...50 m³...3,34 R$/m³ De...51 m³...a m³ R$/m³ Acima de 100 m³...4,62 R$/m³ Sistema de cobrança de Tarifa de Água comercial, industrial pública e outros fins econômicos: Conforme o Art. 2. a tarifa mínima para utilização de água da categoria comercial, industrial, pública e para outros fins econômicos ou não, para um suprimento mensal de até 15 m³ de água, por prédio ou economia separada, será de R$ 22,00 (vinte e dois reais), a partir da referência maio com vencimento no mês de junho de Por faixa de consumo: Faixa inicial: Até m³ Valor para faixa inicial... R$ 19,10. De...16 m³...a...30 m³...2,89 R$/m³ De...31 m³...a...50 m³...3,84 R$/m³ De...51 m³...a m³...4,60 R$/m³ Acima de 100 m³...5,39 R$/m³ Sistema de cobrança de Tarifa de Esgoto:

20 20 Única Valor por mês... R$ 3,94 Sobre o consumo de água... 50% TAXAS SEMESTRAIS TERRENO VAGO. Taxa de utilização territorial água. A tarifa de utilização de água incide, também, sobre as unidades territoriais servidas pela respectiva de água, mesmo que não utilizadas, e será cobrada na base de 05% (cinco por cento) sobre o valor de consumo residencial de 15 m³ de utilização de água, por metro linear de testada das propriedades. Taxa de utilização de esgoto incide, também, sobre as unidades territoriais servidas respectivas redes coletoras de esgoto, mesmo que não utilizadas, e será cobrada na base de 03% (três por cento) o valor do consumo residencial de 15 m³ de utilização de água, por metro linear de testada das propriedades beneficiadas, mensalmente. TAXAS DE SERVIÇOS DIVERSOS: Valor UFIR ; Taxas a vigorar a partir de SERVIÇOS: UFIR VALOR 01 Aferição de hidrômetro. 10,97 21,95 02 Caixa de fofo. 16,46 32,94 03 Caminhão de água bruta. 32,93 65,90 04 Caminhão de água tratada 07 ml. 54,89 109,84 Acrescer por Km rodado. 1,64 3,28 05 Certidão Negativa e outras. 10,97 21,95 06 Conserto de ramal domiciliar. 10,97 21,95 07 Cópia de Xerox arquivo. 1,09 2,18 08 Cópia de xerox de croqui. 5,48 10,97 09 Corte na rua. 54,89 109,84 10 Corte no cavalete. 10,97 21,95 11 Desobstrução de esgoto. 21,95 43,92 12 Desobstrução de pias, ralos, vasos e tanques. 10,97 21,95 13 Emissão de 2ª Via. 2,19 4,38 14 Extensão de rede de água / taxa de protocolo. 10,97 21,95 15 Extensão de rede de esgoto / taxa de protocolo. 10,97 21,95 16 Instalação de hidrômetro. 6,58 13,17 17 Instalação de retenção ramal de esgoto: com válvula. 87,83 175,76

21 21 Instalação de retenção ramal de esgoto:sem 43,91 87,87 válvula. 18 Ligação de água. 82,34 164,77 19 Ligação de esgoto. 164,69 329,56 20 Limpeza de caixa de água até litros 10,97 21,95 A cada litros. 10,97 21,95 21 Limpeza de caixa de gordura residencial. 6,58 13,17 22 Limpeza de Caixa de gordura (cond/com/industrial). 109,79 219,70 23 Limpeza de fossa p/ viagem de caminhão. 109,79 219,70 24 Perfil domiciliar (topografia estudo). 21,95 43,92 25 Recuo de registro de passeio ou cavalete. 10,97 21,95 26 Requerimento/Recurso/Cancelamento. 5,48 10,97 27 Sondagem para ligação domiciliar. 21,95 43,92 28 Troca de torneiras, registros e bóias. 10,97 21,95 29 Troca de reparo de válvula de descarga. 10,97 21,95 30 Violação de lacre/corte. 32,93 65,90 31 Troca de vedante de torneira. 5,48 10,97 Obs: Caminhão de água com transporte próprio será cobrado o valor de 15 ml de água (comercial só o valor da água) com o valor vigente da época, se o caminhão tiver capacidade de até 15 ml, senão será seguida a tabela (quantos mil litros tiver o caminhão) Caminhão 07 mil litros - R$ 109,84.. Caminhão 10 mil litros R$ 156,90. Caminhão 20 mil litros R$313,80 Além da estrutura tarifária e Faturamento dos últimos 12 meses, informar também: 2.1 a - Número de Economias Totais Número de Economias totais de Água: Número de Economias totais de Esgoto: Número de Ligações totais:. Número de Ligações totais de Água: Número de Ligações totais de Esgoto: Número de ligações e economias por categoria (água e esgoto) 2.2.a - Número de Economias de Água por categoria em Residenciais Comerciais

22 22 Industriais Públicas Públicas Municipais Especiais... 0 Total b - Número de Economias de Esgoto por categoria em Residenciais Comerciais Industriais Públicas Públicas Municipais Especiais... 0 Total Consumo per capita de água: O consumo médio per capita de água no Município de Marília é de 359,3 L/hab.dia Fonte: Relatório SNIS Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgoto Histograma de Consumo (m³) por categoria (água e esgoto). Sem informação 2.4.a - Histograma de Consumo de água (m³) por categoria. Residenciais Comerciais Industriais Públicas Publicas/Municipais b - Histograma de Coleta de esgoto (m³) por categoria. Residenciais Comerciais Industriais Públicas Publicas/Municipais Tarifa Média (R$/m³; R$/eco): Residencial R$ 1.56 Comercial R$ 1, Histograma de Faturamento (R$) por categoria (água e esgoto):

23 a Histograma de Faturamento (R$) por categoria água: Residenciais ,54 Comerciais ,34 Industriais ,31 Públicas ,31 Publicas/Municipais , b Histograma de Faturamento (R$) por categoria esgoto: Residenciais ,56 Comerciais ,55 Industriais ,67 Públicas ,24 Publicas Municipais ,89

Concepção de instalações para o abastecimento de água

Concepção de instalações para o abastecimento de água Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano Concepção de instalações para o abastecimento de água Prof. Aníbal da Fonseca Santiago Universidade

Leia mais

Metas de Infraestrutura - Contrato de Programa - Duque de Caxias

Metas de Infraestrutura - Contrato de Programa - Duque de Caxias PRAZO EXECUÇÃO META A SER EXECUTADA DESCRITIVO DA META FÍSICO EXECUTADO 2008 2009 2010 2011 Ampliação e complementação do sistema de produção de água tratada para as localidades de Imbariê e Taquara, na

Leia mais

SANEAMENTO EM PORTO ALEGRE

SANEAMENTO EM PORTO ALEGRE SANEAMENTO EM PORTO ALEGRE Julho/2015 Antônio Elisandro de Oliveira Diretor-Geral do Dmae PORTO ALEGRE -RS População (2014): 1.472.482 habitantes PIB Brasil (2014): R$ 5,52 trilhões PIB Brasil (2012) per

Leia mais

PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA

PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA Diretoria de Tecnologia, Empreendimentos e Meio Ambiente - T Sistema Produtor de Água Mambu - Branco REUNIÃO DO COMITÊ TÉCNICO

Leia mais

3.9 VISCONDE DE RIO BRANCO

3.9 VISCONDE DE RIO BRANCO 3.9 VISCONDE DE RIO BRANCO Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Em Visconde de Rio Branco, o sistema público de abastecimento de água é operado e mantido pela

Leia mais

de Saneamento Básico do Município de

de Saneamento Básico do Município de Plano de Desenvolvimento para o Sistema de Saneamento Básico do Município de Mossoró DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO ATUAL A apresentação se dará em duas etapas: 1ª etapa - Resultado da Análise Técnico- operacional

Leia mais

ANALÂNDIA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R1 Diagnóstico

ANALÂNDIA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R1 Diagnóstico RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE ANALÂNDIA PRESTADOR: PREFEITURA MUNICIPAL DE ANALÂNDIA Relatório R1 Diagnóstico Americana, setembro de 2013 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

3.1. JUIZ DE FORA. 3.1.1 Sistema Existente de Abastecimento de Água

3.1. JUIZ DE FORA. 3.1.1 Sistema Existente de Abastecimento de Água A adução é feita por gravidade, partindo da barragem que garante a submergência de duas tubulações que encaminham a água captada a duas estruturas de controle (Foto 2), ambas construídas em concreto armado,

Leia mais

3.3 CATAGUASES. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, a responsabilidade pela sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local.

3.3 CATAGUASES. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, a responsabilidade pela sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local. Da caixa de areia a água chega às quatro câmaras onde estão interligadas as tubulações de sucção das bombas, essas unidades de bombeamento são em número de quatro, cada uma com capacidade de recalque de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO DECIV DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Consumo de Água DISCIPLINA: SANEAMENTO PROF. CARLOS EDUARDO F MELLO e-mail: cefmello@gmail.com Sistema de Abastecimento de Água

Leia mais

(EEAT) 3.1.7. 40 4. RECOMENDAÇÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS...

(EEAT) 3.1.7. 40 4. RECOMENDAÇÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS... RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE MOGI MIRIM PRESTADOR: SAAE - SERVIÇO AUTÔNOMO DE AGUA E ESGOTOS DE MOGI MIRIM Relatório R3 Continuação do diagnóstico e Não

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS Drenagem de Bacias SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS PROGRAMA Nº - 035 Garantir a captação e drenagem das bacias hidrográficas; Eliminar pontos de alagamento junto a córregos e canais; Proteger as margens

Leia mais

Rio Catucá (Barragem de Botafogo), Cumbe, Pilão, Tabatinga, Conga, Arataca/Jardim e ainda os Rios Pitanga e Utinga.

Rio Catucá (Barragem de Botafogo), Cumbe, Pilão, Tabatinga, Conga, Arataca/Jardim e ainda os Rios Pitanga e Utinga. SISTEMA BOTAFOGO INÍCIO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA: 1986 (1ª etapa) UNIVERSO DE ATENDIMENTO: Produz, aproximadamente, 17% do volume distribuído na Região Metropolitana do Recife, abrangendo Igarassu (parcialmente),

Leia mais

ORINDIÚVA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014

ORINDIÚVA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 ORINDIÚVA OBRAS E AÇÕES - GESTÃO 2011-2014 CULTURA: Pólo do Projeto Guri: O Projeto Guri tem como objetivo resgatar a auto-estima dos adolescentes, utilizando a música como agente transformador. Pólo Rua

Leia mais

ITIRAPINA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades

ITIRAPINA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE ITIRAPINA PRESTADOR: DAE DIVISÃO DE ÁGUA E ESGOTO Relatório R2 Não Conformidades Americana, agosto de 2014 SUMÁRIO 2 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO Autarquia Municipal Lei de criação Nº792 de 30-03-1967 CNPJ: 27.998.368/0001-47 TERMO DE REFERÊNCIA

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO Autarquia Municipal Lei de criação Nº792 de 30-03-1967 CNPJ: 27.998.368/0001-47 TERMO DE REFERÊNCIA 01. Objeto TERMO DE REFERÊNCIA O presente PMI visa orientar a apresentação de interessados na estruturação de Projetos de Implantação, Expansão, Restauração e Operação do Sistema de Abastecimento de Água

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ. PRESTADOR: DAE S.A. Água e Esgoto. Relatório R1 Diagnóstico

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ. PRESTADOR: DAE S.A. Água e Esgoto. Relatório R1 Diagnóstico RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ PRESTADOR: DAE S.A. Água e Esgoto Relatório R1 Diagnóstico Americana, dezembro de 2014 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

3.5 SANTOS DUMONT. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local, através da Secretaria de Obras.

3.5 SANTOS DUMONT. Quanto ao sistema de esgotamento sanitário, sua operação e manutenção cabe a Prefeitura local, através da Secretaria de Obras. Esta unidade compõe-se de três conjuntos moto-bombas idênticos, dos quais dois operam em paralelo, ficando o terceiro como unidade de reserva e/ou rodízio. Estão associados, cada um, a um motor elétrico

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 148

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 148 PROGRAMA Nº- 148 GESTÃO E CONTROLE DE PERDAS FUNÇÃO: 17 SANEAMENTO SUB-FUNÇÃO: 512 SANEAMENTO BÁSICO URBANO - Reduzir perdas de água reais e aparentes; reduzir os custos de exploração, produção e distribuição

Leia mais

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano Consumo de água Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia

Leia mais

ANEXO 01 MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO 01 MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO 01 MEMORIAL DESCRITIVO SERVIÇO PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO DAS ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO SANITÁRIO. LOCAL Bairros, Vila da Alimentação, Esmeralda I, Esmeralda II, Altos da

Leia mais

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais: O sistema conta com dois mananciais, ambos com captações superficiais:

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais: O sistema conta com dois mananciais, ambos com captações superficiais: 3.8 SÃO JOÃO NEPOMUCENO Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul A Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA, é o órgão responsável pela operação e manutenção

Leia mais

CAPÍTULO 02: ÁGUA DE ABASTECIMENTO

CAPÍTULO 02: ÁGUA DE ABASTECIMENTO CAPÍTULO 02: ÁGUA DE ABASTECIMENTO 61 Infra-estrutura de Abastecimento de Água do município O município de Vinhedo assenta-se em duas (02) Bacias Hidrográficas significativas do Estado de São Paulo, ou

Leia mais

I-021 PERDAS DE ÁGUA NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA

I-021 PERDAS DE ÁGUA NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA I-021 PERDAS DE ÁGUA NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA Evaristo C. Rezende dos Santos 2 José Almir R. Pereira 1 Lindemberg Lima Fernandes 2 Rui Guilherme

Leia mais

Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia.

Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia. MONTEALEGRE ALEGRE DO MONTE DOSUL SUL Protegida pelas últimas ramificações da Serra da Mantiqueira, em pleno vale do Rio Camanducaia. MONTE ALEGRE DO SUL Área 110,306 km² População (estimativa para 2014)

Leia mais

LEME RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R3 Continuação do Diagnóstico e Não Conformidades

LEME RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R3 Continuação do Diagnóstico e Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE LEME PRESTADOR: SAECIL SUPERINTENDÊNCIA DE ÁGUA E ESGOTOS DA CIDADE DE LEME Relatório R3 Continuação do Diagnóstico e Não

Leia mais

PLANO DIRETOR PARA COMBATE ÀS PERDAS EM SISTEMAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO DE ÁGUA

PLANO DIRETOR PARA COMBATE ÀS PERDAS EM SISTEMAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO DE ÁGUA PLANO DIRETOR PARA COMBATE ÀS PERDAS EM SISTEMAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO DE ÁGUA A PERDA DE ÁGUA NO ABASTECIMENTO PÚBLICO O índice de perdas é um dos principais indicadores da eficiência da operação dos

Leia mais

Lista de Unidades com Sala de Vacinação em Goiânia, segundo Distrito Sanitário de Abrangência

Lista de Unidades com Sala de Vacinação em Goiânia, segundo Distrito Sanitário de Abrangência Lista de Unidades com Sala de Vacinação em Goiânia, segundo Distrito Sanitário de Abrangência Distrito Sanitário da Região Campinas / Centro Endereço: Rua 67-A Nº 221-A - Setor Norte Ferroviário Telefones:

Leia mais

SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA CIDADE DE PASSO FUNDO/RS

SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA CIDADE DE PASSO FUNDO/RS SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA CIDADE DE PASSO FUNDO/RS Giovani Meira de Andrade (*), Jennifer Domeneghini 2, Alcindo Neckel 3, Aline Ferrão Custodio Passini 4, Andreia do Nascimento 5 * Faculdade

Leia mais

A seguir, far-se-á a descrição das unidades operacionais dos referidos sistemas:

A seguir, far-se-á a descrição das unidades operacionais dos referidos sistemas: 3.4 MURIAÉ Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Os sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário da cidade de Muriaé são operados e mantidos

Leia mais

VIII EXPOSIÇÃO DE EXPERIÊNCIAS MUNICIPAIS EM SANEAMENTO

VIII EXPOSIÇÃO DE EXPERIÊNCIAS MUNICIPAIS EM SANEAMENTO ASSEMAE VIII EXPOSIÇÃO DE EXPERIÊNCIAS MUNICIPAIS EM SANEAMENTO Título do trabalho O SEMASA E O TRATAMENTO DE ESGOTO NA CIDADE DE SANTO ANDRÉ Nome do Autor ISABEL CRISTINA ALEIXO DIAS CURRÍCULO DO AUTOR

Leia mais

BOM JESUS DOS PERDÕES

BOM JESUS DOS PERDÕES RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE BOM JESUS DOS PERDÕES PRESTADOR: Prefeitura Municipal de Bom Jesus dos Perdões Secretaria de Obras Relatório R1 Diagnóstico

Leia mais

Considerando a necessidade de conferir maior agilidade na implantação das obras de saneamento básico, visando a melhoria da qualidade de vida;

Considerando a necessidade de conferir maior agilidade na implantação das obras de saneamento básico, visando a melhoria da qualidade de vida; 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02/2010 Dispõe sobre licenciamento de sistemas de abastecimento de água e sistemas esgotamento sanitário, no Estado de Goiás. O Secretário da Secretaria do Meio Ambiente e dos

Leia mais

GERENCIAMENTO INFORMATIZADO DA MANUTENÇÃO EM UMA AUTARQUIA DE SANEAMENTO ROTINAS E MELHORIAS DO SISTEMA IMPLANTADO

GERENCIAMENTO INFORMATIZADO DA MANUTENÇÃO EM UMA AUTARQUIA DE SANEAMENTO ROTINAS E MELHORIAS DO SISTEMA IMPLANTADO GERENCIAMENTO INFORMATIZADO DA MANUTENÇÃO EM UMA AUTARQUIA DE SANEAMENTO ROTINAS E MELHORIAS DO SISTEMA IMPLANTADO Celso Garcia Crespo (1) Engenheiro Civil graduado pela Faculdade de Engenharia da Universidade

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 2

MEMORIAL DESCRITIVO 2 R:\Senador Canedo\Produtos 2007\Projeto SAA\PROJETO BÁSICO ÁGUA\HIDRÁULICO\RELATÓRIO\0.doc MEMORIAL DESCRITIVO 2 CONTROLE INTERNO Data JAN/08 Nº Folhas 18 Folhas Rev. Responsável Daniela Verificação Aprovação

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 195

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 195 Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 195 Manutenção e Operacionalização da Administração SUB-FUNÇÃO: 122 ADMINISTRAÇÃO GERAL Prover o SAAE de recursos materiais e humanos para o bom desenvolvimento

Leia mais

DISCIPLINA: SISTEMA SANITÁRIO (2/7)

DISCIPLINA: SISTEMA SANITÁRIO (2/7) DISCIPLINA: SISTEMA SANITÁRIO (2/7) Rede de capitação, tratamento e distribuição de água Rede de drenagem de águas pluviais Rede de coleta e tratamento de esgoto Serviço de coleta e tratamento de resíduos

Leia mais

Índice de atendimento por Sistemas de Abastecimento de Água

Índice de atendimento por Sistemas de Abastecimento de Água 81 Índice de atendimento por Sistemas de Abastecimento de Água 26,42% 73,58% CORSAN Outros Sistemas Gráfico 1: Percentual da população atendida pelo SAA - CORSAN. Assim, observa-se que 73,58% da população

Leia mais

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais:

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais: A elevatória apresenta três conjuntos moto-bombas (Foto 3), dos quais dois operam em paralelo, ficando um de reserva, cada um associado a um motor elétrico de 150 cv de potência e recalcando uma vazão

Leia mais

1 - Obras programadas

1 - Obras programadas 1 - Obras programadas 1.1 - Região Metropolitana Local: São Gonçalo Recuperação e melhoria na ETE São Gonçalo II com intervenções que visam: otimizar o processo de tratamento, bem como revisão dos equipamentos

Leia mais

Perfil Municipal - Rio Bom (PR)

Perfil Municipal - Rio Bom (PR) Caracterização do Território Área: 177,4 km² u Densidade Demográfica: 20,0 hab/km² Altitude da Sede: 680 m Ano de Instalação: 1.964 Distância à Capital: 284,5 km Microrregião: Faxinal Mesorregião: Norte

Leia mais

INÍCIO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA: A primeira etapa entrou em operação em 1975 e a segunda, em 1982.

INÍCIO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA: A primeira etapa entrou em operação em 1975 e a segunda, em 1982. SISTEMA TAPACURÁ INÍCIO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA: A primeira etapa entrou em operação em 1975 e a segunda, em 1982. UNIVERSO DE ATENDIMENTO: Produz, aproximadamente, 36% do volume distribuído na Região Metropolitana

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO 1. INTRODUÇÃO O Plano Municipal de Saneamento de Patos de Minas abrange a sede municipal, os distritos de Areado, Santana de Patos, Pindaíbas, Bom Sucesso de Patos, Major

Leia mais

Programa Consumo Responsável. Julho 2015

Programa Consumo Responsável. Julho 2015 Programa Consumo Responsável Julho 2015 PORTO ALEGRE - BRASIL População (2014): 1.472.482 habitantes PIB Brasil (2014): R$ 5,52 trilhões PIB Brasil (2012) per capita: R$ 22,6 mil PIB Rio Grande do Sul

Leia mais

3.2. DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA (SAA)

3.2. DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA (SAA) 3.2. DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA (SAA) As unidades básicas que compõem o sistema de abastecimento de água são mananciais superficiais e subterrâneos e captação de água bruta, as estações

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO LEI N.º 1.774, DE 24 DE ABRIL DE 2008. Dispõe sobre aprovação e instituição do Plano Municipal de Saneamento destinado à execução dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário no município

Leia mais

Região Campinas / Centro

Região Campinas / Centro Região Campinas / Centro Cais Campinas Endereço: Rua P-30 esquina com Rua P-26 Setor dos Funcionários (Praça de Esportes) Telefones: 3524-1930 e 3524-1931 Cais Deputado João Natal Endereço: Av. Industrial

Leia mais

VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA PARA IMPLANTAÇÃO DO SES AJURICABA-RS

VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA PARA IMPLANTAÇÃO DO SES AJURICABA-RS VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA PARA IMPLANTAÇÃO DO SES AJURICABA-RS Giuliano Crauss Daronco (1) Doutor em Recursos Hídricos e Saneamento. Departamento de Ciências Exatas e Engenhariais. (DCEEng). Universidade

Leia mais

ANEXO 2 TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO 2 TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 2 TERMO DE REFERÊNCIA INTRODUÇÃO Apresenta-se nesse Termo de Referência os objetivos, metas e prazos que a LICITANTE deve considerar em seus estudos para determinar o valor de sua oferta pela outorga

Leia mais

ESGOTAMENTO. Conceitos básicosb

ESGOTAMENTO. Conceitos básicosb ESGOTAMENTO SANITÁRIO Conceitos básicosb Interrelação entre captação de água e lançamento de esgotos ESGOTO SANITÁRIO ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO (ETE) ÁREA URBANA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

Leia mais

Cadastro Técnico de Sistemas de Abastecimento de Água

Cadastro Técnico de Sistemas de Abastecimento de Água 1 NORMA GT/FE/ Número / versão / ano ENG/CA/049/01/08 Data de aprovação 05 /11 / 2008 Doc. de aprovação Resolução nº 4950/2008 Cadastro Técnico de Sistemas de Abastecimento de Água SUMÁRIO 1 OBJETIVO...

Leia mais

COSEMA - FIESP Programas e Ações A para os grandes problemas da RMSP. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp

COSEMA - FIESP Programas e Ações A para os grandes problemas da RMSP. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp COSEMA - FIESP Programas e Ações A da Sabesp para os grandes problemas da RMSP Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp Evolução Populacional - RMSP Reversão da centrifugação Menor pressão

Leia mais

A MAIOR OBRA PÚBLICA DA HISTÓRIA DE NOVA ODESSA

A MAIOR OBRA PÚBLICA DA HISTÓRIA DE NOVA ODESSA e as obras do PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO A MAIOR OBRA PÚBLICA DA HISTÓRIA DE NOVA ODESSA INAUGURADA EM 14 DE DEZEMBRO DE 2012 Ministério das Cidades Um pouco de história Nova Odessa

Leia mais

PERFIL BÁSICO MUNICIPAL

PERFIL BÁSICO MUNICIPAL GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E GESTÃO (SEPLAG) Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) PERFIL BÁSICO MUNICIPAL Fortaleza-CE 2009 Apresentação O Instituto

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO PRESTADOR: DAAE DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTOS DE RIO CLARO Relatório R4 Continuação diagnóstico e Não Conformidades

Leia mais

A seguir faz-se a descrição das unidades operacionais dos referidos sistemas: Captação e Adução de Água Bruta ( trecho por gravidade )

A seguir faz-se a descrição das unidades operacionais dos referidos sistemas: Captação e Adução de Água Bruta ( trecho por gravidade ) 3.2 UBÁ Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul O sistema de abastecimento de água de Ubá é operado e mantido pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA,

Leia mais

Declaramos concordar com as condições estabelecidas no Regulamento para Apresentação de Trabalhos Técnicos na 38º Assembléia Nacional da ASSEMAE.

Declaramos concordar com as condições estabelecidas no Regulamento para Apresentação de Trabalhos Técnicos na 38º Assembléia Nacional da ASSEMAE. Título: Atualização e Manutenção do Cadastro Técnico Autores: Renan Moraes Sampaio Cargo Atual: Coordenador do Cadastro Técnico e Geoprocessamento. Formação: Engenheiro Civil e de Segurança do Trabalho.

Leia mais

ITABERÁ. OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 R$ 18.016.200,00

ITABERÁ. OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 R$ 18.016.200,00 ITABERÁ OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 R$ 18.016.200,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 357.256 litros de leite, no período de Jan/07 a Dez/2008 Custo: R$ 453 mil, beneficiando 1.018 famílias

Leia mais

Amplia-se a rede de esgoto na capital da República

Amplia-se a rede de esgoto na capital da República Distrito Federal Água e Esgoto Amplia-se a rede de esgoto na capital da República Com a proclamação da República, em 1889, a Inspetoria Geral de Obras Públicas passou a se chamar Inspeção Geral das Obras

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO MUNICÍPIO DE ITIRAPINA PRESTADOR: DAE DIVISÃO DE ÁGUA E ESGOTO

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO MUNICÍPIO DE ITIRAPINA PRESTADOR: DAE DIVISÃO DE ÁGUA E ESGOTO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO MUNICÍPIO DE ITIRAPINA PRESTADOR: DAE DIVISÃO DE ÁGUA E ESGOTO Relatório R3 Continuação Diagnóstico e Não Conformidades Americana,

Leia mais

IGARAPÉ PLANO DE RACIONAMENTO Sistema Igarapé

IGARAPÉ PLANO DE RACIONAMENTO Sistema Igarapé IGARAPÉ PLANO DE RACIONAMENTO Sistema Igarapé Vicente de Paulo Seabra da Rocha Gerente do Distrito do Médio Paraopeba-DTPA Introdução SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA O Sistema de Abastecimento de Água

Leia mais

VÁRZEA PAULISTA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 37.530.000,00

VÁRZEA PAULISTA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 37.530.000,00 VÁRZEA PAULISTA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 37.530.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 59.550 litros de leite de Jan/2007 a Mar/2009 - Custo: R$ 75 mil, beneficiando 150 famílias

Leia mais

ANEXO III INFORMAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA PROPOSTA TÉCNICA

ANEXO III INFORMAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA PROPOSTA TÉCNICA ANEXO III INFORMAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA PROPOSTA TÉCNICA ENVELOPE 1 PROPOSTA TÉCNICA 1 ) Descrição Sintética da Documentação Exigida Envelope II Proposta Técnica: I -CONHECIMENTOS GERAIS DO SISTEMA

Leia mais

RESOLUÇÃO ARES-PCJ Nº 81, DE 20 DE FEVEREIRO DE 2015

RESOLUÇÃO ARES-PCJ Nº 81, DE 20 DE FEVEREIRO DE 2015 RESOLUÇÃO ARES-PCJ Nº 81, DE 20 DE FEVEREIRO DE 2015 Dispõe sobre nova Estrutura Tarifária, revisão dos valores das Tarifas de Água e Esgoto e reajuste dos Preços Públicos dos demais serviços de água e

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE O CONCUMO DE ÁGUA E A CONDIÇÃO SOCIOECONOMICA DA POPULAÇÃO DE CATALÃO - GO

RELAÇÃO ENTRE O CONCUMO DE ÁGUA E A CONDIÇÃO SOCIOECONOMICA DA POPULAÇÃO DE CATALÃO - GO RELAÇÃO ENTRE O CONCUMO DE ÁGUA E A CONDIÇÃO SOCIOECONOMICA DA POPULAÇÃO DE CATALÃO - GO Tobias Ribeiro Ferreira (*), Ed Carlo Rosa Paiva * Universidade Federal de Goiás, Professor do Departamento de Engenharia

Leia mais

Panorama do Saneamento Básico no Brasil: situação em 2008 e os investimentos previstos para a Copa do Mundo de 2014

Panorama do Saneamento Básico no Brasil: situação em 2008 e os investimentos previstos para a Copa do Mundo de 2014 Panorama do Saneamento Básico no Brasil: situação em 2008 e os investimentos previstos para a Copa do Mundo de 2014 INTRODUÇÃO Reconhecendo a importância da oferta de saneamento para a melhoria da infraestrutura

Leia mais

IRACEMÁPOLIS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R4 Continuação diagnóstico e não conformidades

IRACEMÁPOLIS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R4 Continuação diagnóstico e não conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE IRACEMÁPOLIS PRESTADOR: SAE SERVIÇO DE ÁGUA E ESGOTO DE IRACEMÁPOLIS Relatório R4 Continuação diagnóstico e não conformidades

Leia mais

PROPOSTA DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE CAMPINAS PRODUTO 2 PROGNÓSTICOS, OBJETIVOS E METAS PRODUTO 3 PROGRAMAS E AÇÕES

PROPOSTA DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE CAMPINAS PRODUTO 2 PROGNÓSTICOS, OBJETIVOS E METAS PRODUTO 3 PROGRAMAS E AÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA 12/11/2013 PROPOSTA DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE CAMPINAS PRODUTO 2 PROGNÓSTICOS, OBJETIVOS E METAS PRODUTO 3 PROGRAMAS E AÇÕES OBJETIVOS E METAS ABASTECIMENTO DE ÁGUA /

Leia mais

Tabela 1. Tema Dado Atributo Fonte

Tabela 1. Tema Dado Atributo Fonte Tabela 1 Tema Dado Atributo Fonte 1. Base Cartográfica Básica a. Limites municipais b. Limites Distritais c. Localidades d. Rodovias e Ferrovias d. Rodovias e Ferrovias e. Linhas de Transmissão f. Estações

Leia mais

Fiscalização do Sistema de Abastecimento de Água do Distrito de Doutor Lund pertencente ao Município de Pedro Leopoldo

Fiscalização do Sistema de Abastecimento de Água do Distrito de Doutor Lund pertencente ao Município de Pedro Leopoldo Fiscalização do Sistema de Abastecimento de Água do Distrito de Doutor Lund pertencente ao Município de Pedro Leopoldo Belo Horizonte Outubro 2013 ÍNDICE 1 IDENTIFICAÇÃO DA AGÊNCIA REGULADORA... 5 2 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

MOGI MIRIM RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R1 Diagnóstico

MOGI MIRIM RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R1 Diagnóstico RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE MOGI MIRIM PRESTADOR: SAAE - SERVIÇO AUTÔNOMO DE AGUA E ESGOTOS DE MOGI MIRIM Relatório R1 Diagnóstico Americana, agosto

Leia mais

PIRASSUNUNGA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades

PIRASSUNUNGA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE PIRASSUNUNGA PRESTADOR: SERVIÇO DE ÁGUA E ESGOTO DE PIRASSUNUNGA SAEP Relatório R2 Não Conformidades Americana, março de

Leia mais

PIRACICABA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades

PIRACICABA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA PRESTADOR: SEMAE SERVIÇO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO Relatório R2 Não Conformidades Americana, maio de 2014 SUMÁRIO

Leia mais

Infraestrutura em Comunidades de Baixa Renda

Infraestrutura em Comunidades de Baixa Renda Infraestrutura em Comunidades de Baixa Renda Aspectos de concepção da infraestrutura de Água e Esgoto em Comunidades de Baixa Renda no Rio de Janeiro IAB Instituto dos Arquitetos do Brasil / Morar Carioca

Leia mais

TERRA ROXA. OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 6.020.000,00

TERRA ROXA. OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 6.020.000,00 TERRA ROXA OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 6.020.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de leite: distribuídos 37.474 litros de leite, no período de Jan/2007 a Jul/2009 Custo: R$ 47 mil, beneficiando

Leia mais

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 3º TRIMESTRE DE 2009

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 3º TRIMESTRE DE 2009 PSBJ- Programa de Saneamento da Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 3º TRIMESTRE DE 2009 As obras (tanto as concluídas quanto as em andamento)

Leia mais

I-036 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA CIDADE DE UBATUBA, ESTADO DE SÃO PAULO

I-036 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA CIDADE DE UBATUBA, ESTADO DE SÃO PAULO I-036 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA CIDADE DE UBATUBA, ESTADO DE SÃO PAULO Milton Tomoyuki Tsutiya (1) Engenheiro Civil pela Escola Politécnica da USP (1975). Mestre em Engenharia

Leia mais

RIO CLARO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R1 Diagnóstico

RIO CLARO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R1 Diagnóstico RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO PRESTADOR: DAAE DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTOS DE RIO CLARO Relatório R1 Diagnóstico Americana, outubro de 2013

Leia mais

1 CONSUMO DE ÁGUA COMERCIAL PÚBLICO

1 CONSUMO DE ÁGUA COMERCIAL PÚBLICO 1 1 CONSUMO DE ÁGUA 1.1 USOS DA ÁGUA DOMÉSTICO (Residencial) COMERCIAL CLASSES DE CONSUMO INDUSTRIAL PÚBLICO PERDAS E FUGAS DOMÉSTICO (litros / habitante / dia) BEBIDAS E COZINHA 10 20 LAVAGEM DE ROUPA

Leia mais

MUNICÍPIO DE SENADOR CANEDO/GO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO SERVIÇO PÚBLICO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO

MUNICÍPIO DE SENADOR CANEDO/GO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO SERVIÇO PÚBLICO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO MUNICÍPIO DE SENADOR CANEDO/GO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO SERVIÇO PÚBLICO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO pag. 1 INTRODUÇÃO Este trabalho é parte do Plano de Saneamento Básico

Leia mais

CONSUMOS DE ÁGUA CONSUMOS DE ÁGUA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA

CONSUMOS DE ÁGUA CONSUMOS DE ÁGUA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA CONSUMOS DE ÁGUA Componentes da demanda de água de uma população Doméstico Comercial Industrial Público Especial Perdas Desperdícios Principais fatores influenciam a demanda VOLUME DE ÁGUA A SER TRATADA

Leia mais

Serviços realizados no dia 16 de agosto de 2012

Serviços realizados no dia 16 de agosto de 2012 Serviços realizados no dia 16 de agosto de 2012 Bairro Endereço Complementos Serviços ALTO DA BOA VISTA MAESTRO JOAQUIM RANGEL 849 REP DE ASFALTO ALTO DA BOA VISTA MAESTRO JOAQUIM RANGEL 970 REP DE ASFALTO

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO NO INTERIOR PAULISTA PARALELO ENTRE PRESIDENTE EPITÁCIO E BIRIGUI

SANEAMENTO BÁSICO NO INTERIOR PAULISTA PARALELO ENTRE PRESIDENTE EPITÁCIO E BIRIGUI 427 SANEAMENTO BÁSICO NO INTERIOR PAULISTA PARALELO ENTRE PRESIDENTE EPITÁCIO E BIRIGUI Daiane dos Santos Esquevani¹, Camila Augusta Florindo¹, Mayara Pissutti Albano² Yeda Ruiz Maria² ¹ Discentes do curso

Leia mais

SOLUÇÕES PARA O SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PARA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM PA

SOLUÇÕES PARA O SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PARA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM PA SOLUÇÕES PARA O SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PARA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM PA Jaqueline Maria Soares (1) Engenheira Sanitarista pela Universidade Federal do Pará - UFPA. Mestre em Engenharia Civil

Leia mais

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE VAZÃO DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE GUARULHOS

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE VAZÃO DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE GUARULHOS AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE VAZÃO DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE GUARULHOS Thiago Garcia da Silva Santim (1) Engenheiro Civil e Mestre em Recursos Hídricos e Tecnologias Ambientais

Leia mais

Relatório R1 Diagnóstico

Relatório R1 Diagnóstico RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE LOUVEIRA PRESTADOR: Secretaria de água e esgoto de Louveira (SAE Louveira) Relatório R1 Diagnóstico Americana, dezembro de

Leia mais

DE TERMOS TRANSFERIDOS PARA SPU DOS BENS IMÓVEIS NÃO OPERACIONAIS

DE TERMOS TRANSFERIDOS PARA SPU DOS BENS IMÓVEIS NÃO OPERACIONAIS 55/2008 1023016-1 PRC DA ESTACAO SN CENTRO 1023018-1 1220934-0 1023032-0 1220935-0 1220933-0 R JACOB FRANTZ S/N CENTRO R JACOB FRANTZ 115 CENTRO R JACOB FRANTZ 162 CENTRO R DEPUTADO JACOB FRANTZ 162 CENTRO

Leia mais

COPASA Day 2011. 24 e 25 de novembro

COPASA Day 2011. 24 e 25 de novembro COPASA Day 2011 24 e 25 de novembro Benefícios do Tratamento de Esgoto Despoluição dos córregos e rios; Eliminação do mau cheiro; Meio ambiente limpo, recuperado e preservado; Diminuição da presença de

Leia mais

ENDEREÇOS DE JUIZADOS :: SÃO PAULO

ENDEREÇOS DE JUIZADOS :: SÃO PAULO ENDEREÇOS DE JUIZADOS :: SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO site: http://www.tj.sp.gov.br/conciliacao/primeirainstancia/setoresconciliacao.aspx POSTOS DE CONCILIAÇÃO PRÉPROCESSUAL Fórum João Mendes

Leia mais

PESQUISA SANEAMENTO Recursos financeiros assegurados para saneamento Bacias PCJ

PESQUISA SANEAMENTO Recursos financeiros assegurados para saneamento Bacias PCJ PESQUISA SANEAMENTO Recursos financeiros assegurados para saneamento Bacias PCJ GT/CRITÉRIOS (13/11/12) CT/PB (14/11/12) CT/PL (23/11) Oficina preparatória Cobranças PCJ e Fehidro DADOS NÃO OFICIAIS, EM

Leia mais

9 PROGRAMAS, AÇÕES E PROJETOS PARA ATENDIMENTO DAS METAS

9 PROGRAMAS, AÇÕES E PROJETOS PARA ATENDIMENTO DAS METAS 161 9 PROGRAMAS, AÇÕES E PROJETOS PARA ATENDIMENTO DAS METAS 162 A partir das projeções apresentadas no capítulo anterior e para se considerar os elementos indicados no diagnóstico, foram estabelecidos

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DO GOVERNO MODELOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO NO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DO GOVERNO MODELOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO NO ESTADO GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DO GOVERNO MODELOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO NO ESTADO FASE 2: MODELAGEM ECONÔMICO-FINANCEIRA (TERESINA) RELATÓRIO 06 BASE DE ATIVOS REGULATÓRIA

Leia mais

Instrução Normativa SEMARH nº 11 de 12/12/2011

Instrução Normativa SEMARH nº 11 de 12/12/2011 Instrução Normativa SEMARH nº 11 de 12/12/2011 Dispõe sobre o licenciamento dos sistemas de abastecimento de água e dos sistemas de esgotamento sanitário, no Estado de Goiás. O Secretário de Estado do

Leia mais

RESOLUÇÃO ARES-PCJ Nº 75, DE 14 DE JANEIRO DE 2015

RESOLUÇÃO ARES-PCJ Nº 75, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 RESOLUÇÃO ARES-PCJ Nº 75, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre a revisão tarifária dos serviços de abastecimento de água tratada, esgotamento sanitário e demais preços públicos a ser aplicado no Município

Leia mais

-Torre de tomada d água com dispositivos de comportas e tubulações com diâmetro de 1.200mm;

-Torre de tomada d água com dispositivos de comportas e tubulações com diâmetro de 1.200mm; SISTEMA SUAPE INÍCIO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA: 1982 (Inicialmente atendia apenas ao Complexo Industrial de Suape, e, a partir de 1983, passou a ter a configuração atual). UNIVERSO DE ATENDIMENTO: Produz,

Leia mais

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO Projetos de interceptor, emissário por gravidade, estação elevatória de esgoto e linha de recalque,

Leia mais

ANALÂNDIA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R4 Continuação Diagnóstico e Não Conformidades

ANALÂNDIA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R4 Continuação Diagnóstico e Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE ANALÂNDIA PRESTADOR: PREFEITURA MUNICIPAL DE ANALÂNDIA Relatório R4 Continuação Diagnóstico e Não Conformidades Americana,

Leia mais

Apresentação. Flávio Ataliba Flexa Daltro Barreto. Diretor Geral

Apresentação. Flávio Ataliba Flexa Daltro Barreto. Diretor Geral Apresentação O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) disponibiliza para o Governo e a sociedade o Perfil Básico Municipal 2011. As informações contidas no Perfil Básico Municipal,

Leia mais

IBATÉ OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 5.816.5 6.500,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite:

IBATÉ OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 5.816.5 6.500,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: IBATÉ OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 5.816.5 6.500,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 31.760 litros de leite, de Jan/2007 a Mar/2009 Custo: R$ 39 mil, beneficiando 80 famílias carentes,

Leia mais

DE TERMOS TRANSFERIDOS PARA SPU DOS BENS IMÓVEIS NÃO OPERACIONAIS

DE TERMOS TRANSFERIDOS PARA SPU DOS BENS IMÓVEIS NÃO OPERACIONAIS 49/2008 1099273-1 R OLAVO BILAC 21 ROCAS 1244208-0 RUA OLAVO BILAC n. 21 ROCAS 51/2008 1099263-0 ESPLANADA SILVA JARDIM S/N RIBEIRA 1241217-0 1240043-0 ESPLANADA SILVA JARDIM 169 RIBEIRA ESPLANADA SILVA

Leia mais