Análise do Tratamento Epilatório Utilizando Laser de Diodo de 800 nm no Período de na Cidade de Quedas do Iguaçu, PR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise do Tratamento Epilatório Utilizando Laser de Diodo de 800 nm no Período de 2006-2011 na Cidade de Quedas do Iguaçu, PR"

Transcrição

1 OmniPax Editora Rev Bras Terap e Saúde, 5(1):1-8, 2014 Análise do Tratamento Epilatório Utilizando Laser de Diodo de 800 nm no Período de na Cidade de Quedas do Iguaçu, PR Analysis of Hair Removal Treatment Using a 800 nm Laser Diode in the Period of in Quedas do Iguaçu, PR Claudia Keli Gonçalves, Naudimar di Pietro Simões Faculdade de Tecnologia IBRATE, Curitiba, PR Resumo: Contextualização: Este trabalho é o resultado de uma pesquisa de levantamento de dados precedida por revisão de literatura sobre o tratamento epilatório a laser de diodo de 800 nm. Objetivo: Agrupar, comparar e analisar as informações colhidas junto às fichas de avaliação e procedimento dos pacientes submetidos à epilação a laser, no período entre junho de 2006 a junho de 2011, na cidade de Quedas do Iguaçu, PR; a fim de obter dados sobre o perfil de pacientes que procuram esse tipo de tratamento. Métodos: Precedido por revisão bibliográfica sobre os assuntos abordados, dados foram retirados das fichas de avaliação arquivadas, com autorização prévia da empresa proprietária do laser. A identificação dos pacientes foi ocultada e dados sobre sexo, idade, região preferencial, fototipo, fluência aplicada foram quantitativamente coletados. Resultados: Num total de 143 pacientes, 130 eram mulheres e realizaram mais tratamentos em virilha, rosto e axila, respectivamente. Predominou a idade média de 25 anos e a fluência inicial entre 25 e 29 J/cm 2. Os homens realizaram tratamentos em barba e dorso, predominando idade acima dos 30 anos e fluência inicial abaixo dos 20 J/cm 2. O fototipo que se fez mais presente foi o III (segundo Fitzpatrick) e 62% dos pacientes realizou sessões em somente uma região do corpo. Considerações Finais: Foi possível, a partir da análise dos dados, identificar o perfil de cliente atendido em uma clínica de Fisioterapia Dermatofuncional especializada em epilação. Apesar da identificação deste perfil, observouse a necessidade da ampliação do procedimento de exame fisioterapeutico e maior detalhamento da avaliação clínica do paciente, visando possibilidade de execução de procedimentos de forma mais eficiente e com controle de riscos. Palavras-chave: Epilação, Laser de diodo, Fisioterapia dermato-funcional. Abstract: Background: This study is the result of a data collection research preceded by a literature review about the hair removal treatment with laser diode. Objective: To group, compare and analyze the information gathered from the evaluation and procedure forms of the hair removal patients, in the period from 2006 to 2011, in Quedas do Iguaçu, PR; in order to obtain details about the profile of those patients. Methods: Preceded by a literature review about the topics discussed, data were drawn from the evaluation forms, with prior authorization of the company that owns the laser equipment. The identification of patients was concealed and data on sex, age, preferred application region, phototype, and applied fluence, were quantitatively collected. Results: A total of 143 patients, 130 were female and made more applications in bikini areas, face and axilla, respectively. The average age was 25 and the initial fluence was between 25 and 29 J/cm 2. Men preferred applications in beard and back and the average age was over 30; the initial fluence below 20 J/cm 2. The most common phototype was the III (according to Fitzpatrick) and 62% of the patients being submitted to the applications in only one region of the body. Conclusion: The analysis of data allowed to identify the profile of the patient served in a Dermatofunctional Physiotherapy Clinics, specialized in hair removal. Although the profile was successfully identified, it is still needed the extension of the physiotherapeutic examination procedure and more detailing in the clinical evaluation of the patient, aiming at improving the procedures and risk controlling. Keywords: Hair removal, Laser diode, Dermato-functional physical therapy. 1. Introdução A fotodepilação vem crescendo em popularidade nos últimos anos e com isso surge também a necessidade de uma visão mais crítica sobre os métodos de aplicação utilizados e dados que comprovem a eficácia em longo prazo destes tratamentos. Considerando que os velhos métodos de depilação como a lâmina, a cera, os cremes depilatórios e a eletrólise têm resultados temporários e não muito Autor correspondente: eficazes e considerando a invenção da fototermólise e o desenvolvimento e aprimoramento de vários sistemas de laser com diversos comprimentos de onda, atualmente, a remoção efetiva de pelos é realmente possível. Não somente as pessoas que sofrem com excesso de pelos, mas também aquelas que querem a sua redução por comodidade ou estética estão cada dia mais procurando métodos de remoção permanente de pelos. Vale lembrar que, segundo dados de Haedersdal & Gøtzsche 5, para o FDA (Food and Drug Admi- DOI /rbts ISSN

2 2 Gonçalves & Simões nistration EUA, redução permanente de pelos não necessariamente implica na eliminação de todos os pelos da área de tratamento. Essa informação normalmente é distorcida em anúncios que prometem redução definitiva ou permanente. Isso leva as pessoas a terem expectativas irreais ou distorcidas em relação ao tratamento; expectativas de que os pelos não cresçam nunca mais. Como todo tratamento, há casos com melhores respostas do que outros e, a experiência clínica nos mostra que, muitas vezes, mesmo aqueles pacientes com bom prognóstico, podem não ter os resultados esperados. Idade, estabilidade hormonal, uso de certos medicamentos, fototipo de pele, cor e densidade dos pelos são características significativas em relação ao sucesso dos tratamentos de epilação com laser. Além disso, a competência do profissional que realiza o tratamento é determinante na eficácia da epilação. De acordo com acórdão COFFITO 293, sobre a utilização da radiação laser, o documento estabelece que, baseado na evolução das tecnologias Laser e na teoria da fototermólise seletiva, o fisioterapeuta está apto a utilizar o Laser de baixa e média potencia para a epilação 11. Baseado no exposto este estudo teve como objetivo analisar, retrospectivamente, o tratamento para epilação utilizando Laser de diodo. 2. Médodos Nesta pesquisa propôs-se realizar um levantamento de dados sobre o tratamento de epilação a laser de diodo realizado na Clínica Reviver, na cidade de Quedas do Iguaçu, PR, no período entre junho de 2006 e junho de 2011, com laser de epilação de 800 nm (Light Sheer ou Milesman Premium), na busca de detalhes sobre sexo, fototipos, regiões de tratamento e formas de tratamento dos pacientes tratados e, a partir destes dados, planejar ações em relação à melhora da qualidade nos atendimentos prestados pelos fisioterapeutas e clínicas; perceber tendências de mercado, o qual é intensamente voltado para o âmbito estético; assim como dar margem a novas pesquisas em relação ao nível de satisfação dos pacientes e resultados em longo prazo. Para tanto, foi realizada inicialmente uma revisão da bibliografia atual sobre técnicas epilatórias a laser, disponível em sites de literatura científica da internet e em livros sobre dermatologia e fisioterapia dermato-funcional. Os dados relativos aos tratamentos foram retirados de 143 fichas de avaliação de pacientes de epilação atendidos pela clínica. A análise das fichas foi previamente autorizada pela empresa proprietária do laser Image Locações, com sede em São José dos Pinhais, PR, assim como pela pessoa responsável pela Clínica Reviver, onde os tratamentos foram realizados. A identificação dos pacientes foi ocultada e os dados foram analisados quantitativamente. Foram atendidos pacientes da própria cidade e de cidades num raio de 100 km de distância. Os tratamentos foram realizados por fisioterapeutas contratadas pela empresa proprietária do laser, todos com treinamento específico para o trabalho com epilação. Os intervalos entre os atendimentos eram comumente de 30, 60 ou 90 dias. Este estudo visa o levantamento de dados das fichas de avaliação e evolução dos pacientes de epilação atendidos na Clínica Reviver, de Quedas do Iguaçu, PR, no período de julho de 2006 a julho de 2011, com o objetivo de traçar um perfil do cliente que busca este tipo de atendimento. 3. Revisão da Literatura 3.1. Anatomia do pelo O pelo é uma produção epidérmica, filiforme e queratinizada que se encontra em quase toda a superfície cutânea, variando de diâmetro, comprimento e forma, de acordo com a região do corpo, idade e sexo 9. O pelo nasce de uma estrutura da pele chamada de folículo piloso. É nesta estrutura que existe a raiz do pelo, sua única parte viva, que vai do bulbo até a saída do poro na epiderme. O bulbo se encontra na posição mais inferior do folículo, onde há a papila dérmica e a matriz do pelo, que são responsáveis pelos processos de regeneração e por onde o pelo recebe sua nutrição, trazida por capilares sanguíneos. O istmo ou talo é o segmento intermediário que vai do músculo eretor do pelo até a abertura da glândula sebácea (cada folículo está associado a pelo menos uma glândula sebácea e ela é responsável pela produção da oleosidade natural do pelo e da pele). O infundíbulo é a porção mais superior do folículo que continua até a superfície da epiderme e do lado de fora, temos a haste do pelo 2. O pelo em si possui três camadas: a parte mais interna é chamada de medula. Ao redor dela está o córtex, que é a parte essencial do pelo, constituindo cerca de 90% do seu peso e composto por células queratinizadas. Ao redor do córtex, há uma estrutura de placas chamadas cutículas, sobrepostas entre si, formando de 5 a 10 camadas para proteção do córtex. A cor dos pelos é definida pela quantidade de melanina produzida pelos melanócitos situados na raiz. É no bulbo piloso que também ocorrem alterações de pigmentação em função do ciclo de crescimento do pelo.

3 Análise do tratamento epilatório utilizando laser de diodo de 800nm 3 O ciclo de crescimento do pelo pode ser dividido em três fases: fase anágena ou de crescimento ativo; fase catágena ou de involução e fase telógena ou de descanso 5. A duração das fases e a distribuição dos pelos variam de acordo com as diferentes regiões anatômicas. O crescimento e aspecto dos pelos nas diversas partes do corpo são fortemente influenciados pelos hormônios sexuais 9. A fase anágena é aquela em que o pelo está em intensa atividade celular. É a fase ativa de formação e crescimento do pelo a partir das células germinativas, estão em intensa atividade mitótica. Nesta fase há também grande concentração de melanina no bulbo piloso. A fase catágena é uma fase de transição, quando a matriz celular pára de proliferar e se desprende da papila dérmica, deslocando-se no sentido da superfície da pele. Ocorre a queratinização do bulbo piloso. A fase telógena é uma fase de repouso, quando a atividade na raiz do pelo pára completamente. O pelo mantém-se preso somente por sua base e em 2 a 4 meses normalmente ele é eliminado. Numa mesma área pilosa, podemos encontrar pelos nas três fases de seu ciclo. A proporção entre as fases varia conforme a localização no corpo e a ação hormonal. O conhecimento das fases de crescimento do pelo são determinantes para o sucesso da epilação com laser, visto que somente na fase anágena haverá concentração de melanina suficiente para absorção da energia do laser e consequente destruição completa do bulbo piloso Laser O termo laser é um acrônimo para Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation (Amplificação da luz pela emissão estimulada de radiação) 6. A radiação laser é caracterizada por três aspectos: Monocromaticidade: a luz produzida por um laser é monocromática, ou seja, tem apenas uma cor, com feixes de um único comprimento de onda. O comprimento de onda é um fator importante na determinação dos efeitos terapêuticos produzidos pelos tratamentos a laser, pois este parâmetro determina quais biomoléculas absorverão a radiação. Colimação: os raios de luz produzidos pelo aparelho de laser são paralelos, praticamente inexistindo qualquer divergência na radiação emitida ao longo da distância percorrida. O feixe de laser é extremamente organizado e se propaga na mesma direção, com uniformidade e pouca dispersão. Coerência: representa o sincronismo das ondas de luz. A radiação laser emite ondas de luz com picos e depressões que se encaixam perfeitamente no tempo e no espaço sendo, então, unidirecional, permanecendo ordenada por longas distâncias e com pouca dispersão. A luz proveniente de um aparelho de laser pode interagir com o tecido irradiado de duas formas: a) espelhamento da luz incidente; b) absorção da luz incidente por um cromóforo (que é o caso do laser de diodo usado para epilação e citado neste trabalho). Os efeitos da radiação laser nos tecidos biológicos relacionam-se ao comprimento de onda, ao tipo de pulso, à densidade de energia, frequência de tratamento e tipo de tecido irradiado, sendo que podem ir desde um efeito bioestimulante até ablações cirúrgicas Fototermólise seletiva O laser, por apresentar um único comprimento de onda, terá afinidade com uma única estrutura (cromóforo) a qual irá apresentar um coeficiente de absorção específico. O mecanismo de ação do laser por absorção de luz incidente que tem o cromóforo melanina como alvo, é chamado de Fototermólise Seletiva 2. Os lasers que operam na região do vermelho ou próximo ao infravermelho são seletivamente absorvidos pela melanina e tem penetração profunda na derme. A luz, ao atingir a derme, provoca superaquecimento dos pelos pigmentados, levando a desnaturação ou a coagulação irreversível da proteína. Como a melanina só é encontrada na porção do bulbo piloso na fase anágena, a epilação com laser só será eficaz quando alcançar a porção do bulbo a uma determinada potência e produzir uma temperatura média de 60 o C. Nesta temperatura, com dano térmico no bulbo e na papila dérmica, haverá a fototermólise seletiva, o que causa destruição total ou parcial do folículo piloso 2,8. No entanto, a melanina presente na epiderme compete com a melanina presente no pelo. Por este motivo, o paciente ideal pra epilação a laser é aquele que possui pele clara e pelo escuro, pois a produção de calor dada pela fototermólise pode destruir, além do bulbo piloso, a melanina da epiderme, alterando assim outras células e causando efeitos colaterais, como alteração na pigmentação da pele, crostas, queimaduras e cicatrizes 2,8. Segundo classificação de Fitzpatrick (Tabela 1), são seis os fototipos de pele. Vale lembrar, então, que o laser de epilação é mais indicado para os fototipos I, II e III, porque há menos riscos de efeitos colaterais do que nos fototipos IV e V (Figura 1) 10.

4 4 Gonçalves & Simões Tipo de pele Tipo I Tipo II Tipo III Tipo IV Tipo V Tipo VI Tabela 1: Classificação de Fitzpatrick. Descrição Pele muito clara, sempre queima, nunca bronzeia Pele clara, sempre queima e algumas vezes bronzeia Pele menos clara, algumas vezes queima e sempre bronzeia Pele morena clara raramente queima e sempre bronzeia Pele morena escura, nunca queima e sempre bronzeia Pele negra, nunca queima, sempre bronzeia Figura 1: Exemplos de fototipos. Disponível em: acessado em 08/11/ Laser de diodo Existem vários tipos de radiações que podem ser utilizados para epilação (4): Laser de Ruby (comprimento de onda de 694 nm), Laser Alexandrite (comprimento de onda de 755 nm), Laser de Diodo (comprimento de onda de 800 e 810 nm), Neodímio Yag Laser (comprimento de onda de 1064 nm), Luz Intensa Pulsada (comprimento de onda de 560 a 1200 nm). Dierickx et al. 4, após pesquisas e extensa prática clínica com lasers para epilação, foram identificados importantes parâmetros para otimizar a eficácia e segurança do tratamento a laser: Comprimento de onda: o comprimento de onda ideal para epilação é aquele que é fortemente absorvido pela melanina e não pelos tecidos adjacentes e alcança profundamente a derme. Comprimentos de onda entre 700 e 1000 nm se encaixam neste critério. O laser de diodo de 800 nm aquece o folículo piloso numa temperatura suficiente para causar dano térmico e alterações histológicas ao folículo piloso, mas não a epiderme, onde distribui uma mínima quantidade de energia, mesmo em pacientes de pele escura 12. Isso tem importância clínica para a população de pele escura que procura por um procedimento seguro e efetivo de remoção de pelos. Tempo de pulso: é um parâmetro muito importante para a epilação efetiva sem dano a epiderme. Para a remoção efetiva dos pelos, a duração de pulso ótima é aproximadamente igual ao TRT Tempo de Relaxamento Térmico do folículo piloso. O TRT é definido como o tempo neces-

5 Análise do tratamento epilatório utilizando laser de diodo de 800nm 5 sário para um objeto resfriar a metade da temperatura alcançada imediatamente após a exposição ao laser. Para pelos humanos, O TRT varia entre 10 e 100 ms. Pulsos mais curtos que o TRT causam aquecimento insuficiente às estruturas alvo (bulbo e papila dérmica). Pulsos mais longos que o TRT podem causar dano à derme circunjacente 4. O laser de diodo possui estas possibilidades de duração de pulso. Fluência: tratamentos usando a mais alta fluência tolerada produzem melhores resultados em termos de redução de pelos, mas os efeitos colaterais também aumentam. O laser de diodo normalmente possui fluências que variam entre 10 e 100 J/cm 2. Resfriamento: apesar da luz do laser ter perfeita especificidade sobre a melanina, ela pode causar dano para a pele ao redor do folículo, porque a epiderme também contém melanina. Sendo assim, é necessário o uso de uma estratégia para resfriar a epiderme enquanto suficiente energia do laser é distribuída para danificar os folículos pilosos. O sistema Light Sheer possui esse resfriamento 4. Trelles et al. 12 realizou uma pesquisa histológica, em que comparou dados da epiderme dos pacientes pré e pós-tratamento com laser de diodo. Nos resultados do pós-tratamento, a epiderme apresentou configuração normal e a camada de queratina estava intacta, sem alterações identificáveis. Na derme, havia edema moderado em sua camada superficial e eram visíveis hastes de pelos desprendidas de suas bainhas, edema perifolicular, necrose e sinais de hemorragia entre as fibras de colágeno. Havia também níveis variados de danos à integridade física dos folículos pilosos, com sinais de infiltração inflamatória (Figura??). Todos esses danos foram associados à ação do laser, vistos que não estavam presentes na observação pré-tratamento. De acordo com o manual de instruções do aparelho, o sistema Light Sheer é composto por um console, uma tela sensível ao toque, um interruptor de pedal, um cabo de alimentação e uma peça de mão ligada ao console através de cabo de ligação fixo. O elemento principal é um diodo de arsenieto de gálio acoplado a uma ponta de safira que é refrigerada pela água, colocada em contato com a pele durante a distribuição de energia do laser. Uma ponteira de 9 mm 2 pode distribuir de 10 a 60 J/cm 2 de fluência, com durações de pulso selecionáveis entre 30 e 100 ms ou automaticamente a metade da fluência (como 40 J/cm 2 e 20 ms de pulso). A taxa de repetição de pulso pode variar entre 0,5 e 2 pulsos por segundo 1. Figura 2: Dano ao folículo piloso: (esquerda) folículo normal, (direita) imediatamente após o tratamento Técnica de aplicação De acordo com Borges 2, antes de iniciar o processo de epilação, alguns dados devem ser levantados a fim de garantir a eficácia terapêutica: 1. o paciente deve ser classificado quanto ao fototipo, pois isso será determinante na escolha do tempo de pulso a ser utilizado; 2. deve ser avaliada a presença de alterações hormonais que possam interferir na eficácia em longo prazo do tratamento (ovários policísticos, hirsutismo, hipertricose) e o paciente deve ser informado sobre isso; 3. deve ser avaliada a área de tratamento quando à cor, espessura e sensibilidade da pele, pois quanto mais grossa a pele, maior será sua capacidade de relaxamento térmico; 4. os pelos devem ser avaliados em relação à sua densidade, cor e espessura, pois quanto mais escuro e calibroso o pelo, mais rápido ocorre a destruição pelo laser em virtude da maior presença de melanina; 5. deve ser estabelecido o intervalo médio entre as sessões, que devem ser de acordo com a velocidade de crescimento do pelo: em média, tratamentos de face devem ter intervalos de 30 dias e no restante do corpo, o intervalo é maior, entre 30 e 60 dias; 6. o paciente deve ser questionado sobre qualquer procedimento epilatório que possa ter retirado a raiz do pelo nas últimas 4 semanas, pois caso esse dado seja positivo, recomendase esperar a maturação da raiz do novo pelo. No preparo para a aplicação, devem ser seguidas algumas etapas: os pelos devem ser cortados rente a pele com lâmina; deve-se limpar a pele;

6 6 Gonçalves & Simões pode ser aplicado anestésico tópico, se necessário; caso haja necessidade de delimitar a área de tratamento, isto pode ser feito com lápis branco ou vermelho. Inicialmente deve-se tomar cuidado para evitar a sobreposição de disparos, desta forma, evitando o dano térmico na pele; a ponteira da peça de mão deve ser limpa regularmente e a fluência deve seguir o nível de tolerância do paciente. Os pacientes devem ser avisados a esperarem uma sensação de calor e pedidos que avisem o terapeuta se sentirem sensação intolerável de dor. O propósito do tratamento não é queimar a pele, mas somente alcançar níveis de calor e dor toleráveis 12. A resposta de pele deve ser observada: a reação desejada é o aparecimento de moderada hiperemia e edema peribulbar. Qualquer desprendimento de pele ou acinzentamento são sinais de queimadura e a fluência deve ser reajustada. Ao final da aplicação, ou antes da troca de região de tratamento, a ponteira da peça de mão deve ser degermada com clorexidina 2 a 4%, para evitar qualquer tipo de contaminação. O paciente pode ser orientado a usar um creme a base de corticóide tópico para reduzir a resposta inflamatória e quanto a necessidade de não expor ao sol a área de tratamento. Contra-indicações da epilação a laser: Fototipo VI; Uso de isotretinoína oral; Distúrbio hormonal não controlado; Pelos finos, claros e brancos; Dermatites em atividade; Gravidez Efeitos da epilação a laser Segundo Haedersdal & Gøtzsche 5, os resultados da epilação com laser de diodo em longo prazo não são bem documentados com nenhum tratamento: há falta de estudos randomizados. Considera-se a redução de pelos entre 1 a 6 meses depois do tratamento como curto prazo e além, preferencialmente mais que 12 meses, como longo prazo. A distinção entre curto e longo prazo (de resultado de redução) é baseada no ciclo de crescimento do pelo. Na intenção de avaliar o verdadeiro efeito das intervenções, o período do teste deve exceder a duração do ciclo de crescimento do pelo na área tratada. Exemplos de fases de crescimento são estimadas em 1 a 2 meses para coxa, 4 a 6 meses para pernas, 2 a 5 meses para buço, 12 meses para barba e 2 a 6 anos para couro cabeludo 7. Royo et al. 10 estudaram os resultados de 368 pacientes e as áreas que reagiram melhor ao laser foram a região púbica - virilha - e as axilas. No seu estudo, a perda de pelos por sessão foi gradual e proporcional ao número de sessões realizadas. A eficiência total do tratamento foi de 75 a 100%. O laser de diodo promove eficácia, segurança e conforto com alto nível de satisfação dos pacientes, mesmo para fototipos mais altos. Pode-se alcançar 90% de depilação permanente com uma média de 5 sessões, considerando o fototipo específico: pele clara e pelo escuro. Para isso, deve-se selecionar bem os pacientes e utilizar um bom fluxo de energia: mínimo de 20 J/cm 2 2. Quanto maior a fluência, melhor o resultado em remoção de pelos, mas altas fluências aumentam o risco de complicações. Em virtude disso, as técnicas de resfriamento são imprescindíveis para minimizar o dano epidérmico e então reduzir o índice de complicações 14. Deve-se lembrar também que quando não se trabalha o fototipo ideal, a eficácia dos resultados diminui e os efeitos colaterais aumentam. As complicações mais frequentes são queimaduras, crostas, mudanças de pigmentação, eritema, edema e dor. Muitos desses efeitos colaterais são pequenos e temporários 8,13. A abundância de melanina na epiderme de pacientes com pele morena é uma situação perigosa porque pode aumentar a incidência de efeitos colaterais. Da mesma forma, o paciente deve ser orientado a evitar o sol, visto que a pele bronzeada tem um maior risco de dano epidérmico. Em estudos que comparam a eficiência dos lasers para epilação há uma certa vantagem para o laser de diodo, apesar de este ser apontado também como o que produz mais dor e inflamação. Realizouse um estudo comparando resultados epilatórios entre Luz Intensa Pulsada (LIP) e Laser de Diodo e notou-se que, na escala análoga de dor, os pacientes tratados com laser tinham níveis mais altos, mas com a LIP foi preciso maior número de sessões para se conseguir o mesmo efeito e o tempo de espera até o novo crescimento de pelos foi menor 3. É importante ressaltar ainda que não houveram efeitos adversos em longo prazo em nenhuma das técnicas. 4. Resultados Foram analisadas todas as fichas dos pacientes que foram atendidos dentro do período imposto pela pesquisa e descobriu-se, primeiramente, que 91% dos pacientes eram mulheres e somente 9% eram homens, de um total de 143 pacientes. Foram realizadas sessões em 234 áreas de tratamento, visto

7 Análise do tratamento epilatório utilizando laser de diodo de 800nm 7 que alguns pacientes realizaram a epilação em mais do que somente uma área. Entre as regiões de tratamento femininas, a predominância foi nas epilações de virilha (62,3%), seguido de rosto, axila, perna, coxa e abdomen. Entre as regiões de epilação masculina, a maioria dos tratamentos foi realizada na barba (92%), sendo apenas 8% dos tratamentos em dorso. Outro detalhe importante dos tratamentos de epilação foi o fototipo predominante. O fototipo III, que apresenta boa resposta com a aplicação de laser de diodo, foi o mais comum, 66% dos pacientes. Em segundo lugar, o fototipo II, representando 31% da população. O fototipo IV foi encontrado em apenas 3% da amostra. Os fototipos I e V não se fizeram presentes. Separando as fichas das pacientes que realizaram o tratamento na virilha que foi a região mais procurada, obteve-se alguns dados sobre a média de fluência inicial utilizada e sobre a idade das pacientes. Este levantamento foi realizado também para os pacientes do sexo masculino. No primeiro caso, pôde-se perceber que a fluência inicial utilizada variou entre 14 e 34 J/cm 2, com a predominância para os valores de fluência entre 20 e 29 J/cm 2, com cerca de 86% das pacientes. Como citado neste mesmo trabalho, um valor mínimo de fluência para o bom resultado da epilação é 20 J/cm 2 e na maioria dos casos este parâmetro foi seguido 2. Vale lembrar que a cada nova sessão realizada pelas pacientes, o valor da fluência foi aumentado em cerca de 2 ou 3 J/cm 2, de acordo com a tolerância individual. No caso dos pacientes do sexo masculino, o valor de fluência predominante esteve abaixo dos 20 J/cm 2 na maioria da amostra (54%). Isso pode se dever ao fato de que a região de escolha da maioria dos homens foi a barba, região de grande sensibilidade e com presença de mais do que somente um pelo em cada folículo, com pelos possivelmente calibrosos e com grande quantidade de melanina. Utilizando-se aa mesmas fichas anteriores, obtevese dados sobre a idade dos pacientes na data da primeira aplicação. As mulheres que realizaram o tratamento na região da virilha tinham entre 15 e 51 anos, com a maioria iniciando a partir dos 25 anos de idade. Entre os homens, os pacientes tinham entre 19 e 49 anos, com a predominância a partir dos 30 anos de idade. Foi analisado o número de regiões em que cada paciente realizou o tratamento epilatório e 62% realizaram a epilação em somente uma região. Foi importante perceber, ainda, que cerca de 19% realizaram a epilação em 3 ou mais regiões. 5. Discussão De acordo com os dados levantados nesta pesquisa, percebeu-se que as mulheres são maioria 91% na procura pela depilação permanente, mesmo aquelas que não apresentam pelos em demasia, como casos de hirsutismo ou hipertricose, mas também mulheres que buscam o tratamento por conforto e comodidade, apesar do seu alto custo. O fototipo predominante foi o III, que segundo a classificação de Fitzpatrick, possui pele menos clara, que algumas vezes queima e sempre bronzeia, com 66% dos pacientes. Não houve pacientes com fototipo I provavelmente porque nesses indivíduos os pelos são claros e com pouca quantidade de melanina, a ponto de não obterem resposta com o uso do laser de diodo e nem com o fototipo V, que teria muitos efeitos colaterais, pelo fato de a melanina da pele competir com a melanina do pelo na absorção da radiação laser. O Fototipo IV, pela mesma razão, apareceu com somente 3% dos pacientes atendidos. O número médio de sessões realizadas por paciente não pode ser levantado pois, na data de fechamento dos critérios de inclusão deste trabalho, havia pacientes tanto em fase inicial, quanto intermediária e final de tratamento e escolheu-se fazer o levantamento sobre todos os que haviam iniciado o tratamento até aquele momento. Apesar da possibilidade de se levantar todos esses dados, as fichas de avaliação e procedimento deveriam conter relatos de evolução do paciente para posterior avaliação do tratamento, assim como dados mais precisos em relação ao tipo e quantidade de pelos; dados hormonais, histórico medicamentoso e de saúde do paciente; para que posteriormente estes dados pudessem ser comparados com a impressão dos pacientes em relação aos resultados. No período entre junho de 2006 e junho de 2011 houve várias alterações em relação à aplicação do laser de diodo na Clínica Reviver como: mudanças nas tabelas de valores e promoções; mudanças nos profissionais responsáveis; mudanças na escolha da venda de pacotes ou sessões individuais, possivelmente baseadas em diferentes propostas de marketing. Estas mudanças puderam ser percebidas porque as fichas continham os valores pagos pelos pacientes e as assinaturas dos responsáveis pelas aplicações. 6. Considerações Finais Como a epilação a laser veio crescendo em popularidade nos últimos anos, tornou-se importante

8 8 Gonçalves & Simões pesquisar detalhes a cerca dos tratamentos realizados. O laser de diodo é comprovadamente um método eficaz e seguro, com poucos efeitos colaterais, desde que sejam seguidas as orientações corretas para a aplicação e que o tratamento seja feito por profissional devidamente habilitado. Foi possível identificar, a partir da análise dos dados, que o perfil dos pacientes envolvidos no tratamento de epilação, no grupo estudado, é predominantemente de mulheres com idade entre 15 a 51 anos, fototipo III. Com tendencia a fazer epilação em uma única região. A região de virilha corresponde a 62% da procura por epilação no sexo feminino. A fluência inicial utilizada para o tratamento da região de virilha foi estabelecida no valor de 20 à 29J. Análises como a deste trabalho são o passo inicial para levantamentos mais profundos em termos de perfil de pacientes relacionado com o seu nível de eficácia e satisfação. Os dados analisados neste trabalho, são válidos para planejar estratégias de marketing sobre a epilação; analisar tendências de mercado; corrigir possíveis erros e dar continuidade as pesquisas. Porém observou-se a necessidade da ampliação do procedimento de exame fisioterapeutico e maior detalhamento da avaliação clínica do paciente, visando possibilidade de execução de procedimentos de forma mais eficiente e com controle de riscos. de cicatrização da pele de ratos. Curitiba, PR, 2007, dissertação de Mestrado em Tecnologia de Saúde, PUC-PR. [12] Trelles, M.A.; Urdiales, F. & Al-Zadouni, M., Hair structures are effectively altered during 810 nm diode laser hair epilation at low fluences. Journal of Dermatological Treatment, 21(2):97 100, [13] Vano-Galvan, S. & Jaen, P., Complication of nonphysiciansupervised laser hair removal. Canadian Family Physician, 55(1):50 52, [14] Zainab, J., Laser removal in a patient with polycystic ovarian syndrome and vitiligo. Journal of Cosmetic Dermatology, 10(1):72 73, Notas Biográficas Claudia Keli Gonçalves é Fisioterapeuta formada desde 2003, pós-graduada em Fisioterapia Dermato-Funcional, em Gestão Pública e em Fisioterapia traumatológica, ortopédica e desportiva. Naudimar di Pietro Simões é graduada em Fisioterapia (UTP), tem formação em Dermoestética pelo Instituto Nielograno, é pósgraduada em Metodologia da Ciência (Fac. Espírita do Paraná), Mestre em Tecnologia em Saúde (PUC-PR), e Doutoranda em Medicina e Cirurgia (UFPR). Referências [1] Adrian, R.M., Lightsheer 800 nm Pulsed, High-power Diode Laser Hair Removal System. Technical Report PB , Lumenis Inc., Santa Clara, CA, [2] Borges, F.S., Dermato-Funcional: Modalidades Terapêuticas nas Disfunções Estéticas. São Paulo, SP: Phorte, [3] Cameron, H.; Ibbotson, S.H.; Dawe, R.S.; Ferguson, J. & Moseley, H., Within-patient right-left blinded comparison of diode (810 nm) laser therapy and intense pulsed light therapy for hair removal. Lasers in Medical Science, 23(4): , [4] Dierickx, C.C.; Anderson, R.R.; Campos, V.B. & Grossman, M.C., Effective, Permanent Hair Reduction Using a Pulsed, High Power Diode Laser. Technical Report PB , Lumenis Inc., Santa Clara, CA, [5] Haedersdal, M. & Gøtzsche, P.C., Laser and photoepilation for unwanted hair growth. Cochrane Database of Systematic Reviews, 18(4):CD004684, [6] Kitchen, S. & Bazin, S., Eletroterapia de Clayton. 10a edição. São Paulo, SP: Manole, [7] Olsen,, REFERÊNCIA INCOMPLETA,. [8] Osório, N. & Torezan, L.A.R., Laser em Dermatologia Conceitos básicos e aplicações. São Paulo, SP: Roca, [9] Rey, L., Dicionário de Termos Técnicos de Medicina e Saúde. 1a edição. Rio de Janeiro, RJ: Guanabara Koogan, [10] Royo, J.; Urdiales, F.; Moreno, J.; Al-Zarouni, M.; Cornejo, P. & Trelles, M.A., Six-month follow-up multicenter prospective study of 368 patients, phototypes III to V, on epilation efficacy using an 810-nm diode laser at low fluence. Lasers in Medical Science, 26(2): , [11] Simões, N.D.P., Parecer técnico sobre a utilização da radiação laser pelo profissional fisioterapeuta. In: Estudo comparativo entre laser HeNe e a estimulação elétrica no processo

Introdução. Light Amplification by Stimulated Emission of Radition. Amplificação da Luz por Emissão Estimulada de Radiação.

Introdução. Light Amplification by Stimulated Emission of Radition. Amplificação da Luz por Emissão Estimulada de Radiação. L.A.S.E.R. Introdução Light Amplification by Stimulated Emission of Radition. Amplificação da Luz por Emissão Estimulada de Radiação. Introdução Em 1900 o físico alemão Max Planck apresentou uma explanação

Leia mais

PARECER CRM/MS N 06/2011 PROCESSO CONSULTA CRM-MS 01/2011 CÂMARA TÉCNICA DE DERMATOLOGIA. Interessado: Dr. M.A.L

PARECER CRM/MS N 06/2011 PROCESSO CONSULTA CRM-MS 01/2011 CÂMARA TÉCNICA DE DERMATOLOGIA. Interessado: Dr. M.A.L PARECER CRM/MS N 06/2011 PROCESSO CONSULTA CRM-MS 01/2011 CÂMARA TÉCNICA DE DERMATOLOGIA Interessado: Dr. M.A.L Parecerista: Câmara Técnica de Dermatologia EMENTA: Uso de sistema a LASER para epilação

Leia mais

C O F F I T O CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL

C O F F I T O CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL PARECER DO GRUPO DE TRABALHO FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL LUZ INTENSA PULSADA (IPL ou LIP) Utilizando o princípio da fototermólise seletiva, ganharam popularidade aparelhos de emissão de luz intensa pulsada

Leia mais

O que é Depilação com Laser?

O que é Depilação com Laser? O que é Depilação com Laser? Autor Prof. Dr. Miguel Francischelli Neto Clínica Naturale Av. Moema, 87 cj 51-52, Moema, São Paulo - SP, Brasil Fone 11 50511075 Clínica Naturale 2008 Pêlos indesejáveis são

Leia mais

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A DEPILAÇÃO A LASER

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A DEPILAÇÃO A LASER TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A DEPILAÇÃO A LASER Sumário Introdução... 03 O que é a depilação a laser... 06 Quais são os cuidados necessários antes e após as sessões... 11 Como são os aparelhos...

Leia mais

Dói? Qual o melhor equipamento? É definitiva? É seguro? Como o laser elimina o pêlo. Fotodepilação VS Depilação a Laser. Todos podem fazer?

Dói? Qual o melhor equipamento? É definitiva? É seguro? Como o laser elimina o pêlo. Fotodepilação VS Depilação a Laser. Todos podem fazer? DEPILAÇÃOALASER Fotodepilação VS Depilação a Laser Dói? É definitiva? É seguro? Qual o melhor equipamento? Como o laser elimina o pêlo Qual o cuidado devo ter antes ou depois da aplicação Todos podem fazer?

Leia mais

11/18/2011. ILIB irradiação do laser no sangue.

11/18/2011. ILIB irradiação do laser no sangue. Analisando o significado da terminologia LASER LASER (Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation) ILIB irradiação do laser no sangue. BASES FÍSICAS DA RADIAÇÃO LASER Princípios Elementares

Leia mais

2. Fundamentos Físicos: Laser e Luz Intensa Pulsada

2. Fundamentos Físicos: Laser e Luz Intensa Pulsada 2. Fundamentos Físicos: Laser e Luz Intensa Pulsada A luz está presente em praticamente todos os momentos de nossas vidas e tem fundamental importância para a sobrevivência da vida no planeta. Atualmente,

Leia mais

LASER histórico e aplicações

LASER histórico e aplicações LASER histórico e aplicações Marina Scheid Matheus Hennemann Biofísica III Prof. Edulfo Diaz Histórico 1905 Albert Einstein, com auxílio de Max Planck Luz: pacotes discretos e bem determinados Fótons Histórico

Leia mais

ENDERMOTERAPIA INSTITUTO LONG TAO

ENDERMOTERAPIA INSTITUTO LONG TAO ENDERMOTERAPIA INSTITUTO LONG TAO Melissa Betel Tathiana Bombonatti A endermoterapia foi criada na França em 1970 por Louis Paul Guitay. Ele sofreu um grave acidente de carro que causou queimaduras de

Leia mais

Acórdão nº. 293 de 16 de junho de 2012.

Acórdão nº. 293 de 16 de junho de 2012. Imprimir Acórdão nº. 293 de 16 de junho de 2012. D.O.U nº 120, Seção I, em 03/07/2012, páginas 127 e 128. O PLENÁRIO DO CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL, no uso de suas atribuições

Leia mais

Multiplataforma expansível que oferece. a exclusiva tecnologia ELOS. www.skintecmedical.com.br. Sinergia da Luz e Radiofrequência

Multiplataforma expansível que oferece. a exclusiva tecnologia ELOS. www.skintecmedical.com.br. Sinergia da Luz e Radiofrequência Multiplataforma expansível que oferece TM a exclusiva tecnologia ELOS Sinergia da Luz e Radiofrequência Ajuste individual da Energia Óptica e da Energia de RF para alcançar a máxima eficiência. Interface

Leia mais

Depilação a Laser da SKIN PLANET Planilha de Fatos Laser Tabela Comparativa de Dispositivos Laser

Depilação a Laser da SKIN PLANET Planilha de Fatos Laser Tabela Comparativa de Dispositivos Laser Depilação a Laser da SKIN PLANET Planilha de Fatos Laser Tabela Comparativa de Dispositivos Laser Baixe a versão em PDF da Tabela comparativa de Dispositivos Laser Dispositivo Descrição Fatos Falácias

Leia mais

exceto para hipertensão. As pacientes responderam a dois questionários depois de terminado o tratamento. O questionário um perguntava qual q

exceto para hipertensão. As pacientes responderam a dois questionários depois de terminado o tratamento. O questionário um perguntava qual q AVALIAÇÃO DO TRATAMENTO PARA REJUVENESCIMENTO COM O LED (LIGHT EMMITING DIODES) Bhertha M. Tamura (Assistente da Universidade de Santo Amaro, Colaboradora da Dermatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade

Leia mais

DISCIPLINA EFEITOS BIOLÓGICOS DA RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES 1º. QUADRIMESTRE DE 2012

DISCIPLINA EFEITOS BIOLÓGICOS DA RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES 1º. QUADRIMESTRE DE 2012 INTERAÇÃO LASER-TECIDO DISCIPLINA EFEITOS BIOLÓGICOS DA RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES 1º. QUADRIMESTRE DE 2012 1 INTERAÇÃO LUZ-TECIDOS Reflexão Espalhamento Transmissão Refração Absorção Ar Tecido Absorção

Leia mais

Fibro Edema Gelóide. Tecido Tegumentar. Epiderme. Epiderme. Fisiopatologia do FibroEdema Gelóide

Fibro Edema Gelóide. Tecido Tegumentar. Epiderme. Epiderme. Fisiopatologia do FibroEdema Gelóide Lipodistrofia Ginóide Estria Discromia Distúrbios inestéticos O termo "celulite" foi primeiro usado na década de 1920, para descrever uma alteração estética da superfície cutânea (ROSSI & VERGNANINI, 2000)

Leia mais

Feridas e Curativos. Maior órgão do corpo humano.

Feridas e Curativos. Maior órgão do corpo humano. Feridas e Curativos Enfermeira: Milena Delfino Cabral Freitas Pele Maior órgão do corpo humano. Funções: proteção contra infecções, lesões ou traumas, raios solares e possui importante função no controle

Leia mais

Anatomia da pele. Prof. Dr. Marcos Roberto de Oliveira. marcos.oliveira@fadergs.edu.br

Anatomia da pele. Prof. Dr. Marcos Roberto de Oliveira. marcos.oliveira@fadergs.edu.br Anatomia da pele Prof. Dr. Marcos Roberto de Oliveira marcos.oliveira@fadergs.edu.br SISTEMA TEGUMENTAR: PELE E FÁSCIA Funções: proteção regulação térmica sensibilidade Sua espessura varia de 0.5mm nas

Leia mais

NEOPLASIA INTRAEPITELIAL VULVAR RIO DE JANEIRO 2013

NEOPLASIA INTRAEPITELIAL VULVAR RIO DE JANEIRO 2013 NEOPLASIA INTRAEPITELIAL VULVAR diagnóstico e conduta RIO DE JANEIRO 2013 A NIV aumentou em 4 vezes nos EUA entre 1973 e 2000 A regressão da NIV existe O câncer invasor está presente em 3% das mulheres

Leia mais

MASSAGEM EM POPULAÇÃO IDOSA PREVENÇÃO E MANUTENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO

MASSAGEM EM POPULAÇÃO IDOSA PREVENÇÃO E MANUTENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO MASSAGEM EM POPULAÇÃO IDOSA PREVENÇÃO E MANUTENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO Prof. Esp.* ANDRÉ LEONARDO DA SILVA NESSI Prof. Ms.**AIDE ANGÉLICA DE OLIVEIRA Prof. Dra.*VILMA NATIVIDADE *Universidade Anhembi

Leia mais

Procedimentos Estéticos

Procedimentos Estéticos Abaixo estão relacionados os procedimentos realizados pelo profissional biomédico habilitado em biomedicina estética de acordo com as resoluções e normativas vigentes do Conselho Federal de Biomedicina

Leia mais

CÂNCER DA PELE PATROCÍNIO

CÂNCER DA PELE PATROCÍNIO Luizinho e Chiquinho CÂNCER DA PELE PATROCÍNIO SBD: DERMATOLOGISTA COM TÍTULO DE ESPECIALISTA CUIDANDO DE VOCÊ. Luizinho/Chiquinho e o câncer da pele Oi Luiz. NOssO país é privilegiado, pois temos sol

Leia mais

ANÁLISE DOS INDICADORES DE ASSISTÊNCIA AO PACIENTE CIRÚRGICO

ANÁLISE DOS INDICADORES DE ASSISTÊNCIA AO PACIENTE CIRÚRGICO ANÁLISE DOS INDICADORES DE ASSISTÊNCIA AO PACIENTE CIRÚRGICO Thatianny Tanferri de Brito PARANAGUÁ; Ana Lúcia Queiroz BEZERRA. Faculdade de Enfermagem Universidade Federal de Goiás ttb.paranagua@gmail.com;

Leia mais

Daniel Mendes Pinto Angiologia e Cirurgia Vascular. Reunião clínica Hospital Mater Dei - junho-2013

Daniel Mendes Pinto Angiologia e Cirurgia Vascular. Reunião clínica Hospital Mater Dei - junho-2013 Tratamento de varizes com Laser endovenoso Daniel Mendes Pinto Angiologia e Cirurgia Vascular Reunião clínica Hospital Mater Dei - junho-2013 Veias varicosas Prevalência de 20% em homens e até 35% em mulheres

Leia mais

COLÉGIO TÉCNICO SÃO BENTO

COLÉGIO TÉCNICO SÃO BENTO Manchas e Patologias da Pele O espectro das lesões melanócitas vai de suma simples mancha tipo as sardas, nevos atípicos, que podem ser precursores do melanoma. Os cuidados tomados com qualquer tipo de

Leia mais

Elight + IPL 01. Fotodepilação Fotorejuvenescimento Tratamento de lesões vasculares Tratamento do acne e pigmentação

Elight + IPL 01. Fotodepilação Fotorejuvenescimento Tratamento de lesões vasculares Tratamento do acne e pigmentação Elight + IPL 01 Fotodepilação Fotorejuvenescimento Tratamento de lesões vasculares Tratamento do acne e pigmentação 1. ELIGHT VS IPL O IPL (Luz Pulsada Intensa) é a última tecnologia desenvolvida após

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA MEIA ELÁSTICA NO TRATAMENTO DA INSUFICIÊNCIA VENOSA CRÔNICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

UTILIZAÇÃO DA MEIA ELÁSTICA NO TRATAMENTO DA INSUFICIÊNCIA VENOSA CRÔNICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE

Leia mais

ONICOMICOSE (Infecção Fúngica Ungueal) PROTOCOLO DE USO. Compromisso com a inovação. www.lbtlasers.com.br

ONICOMICOSE (Infecção Fúngica Ungueal) PROTOCOLO DE USO. Compromisso com a inovação. www.lbtlasers.com.br ONICOMICOSE (Infecção Fúngica Ungueal) PROTOCOLO DE USO Guia Clínico Módulo de Laser Nd:YAG 1064nm XL O módulo não refrigerado de Laser Nd:YAG 1064nm dos sistemas Harmony e Harmony pode ser usado para:

Leia mais

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO RECÉM-NASCIDO EM FOTOTERAPIA: UMA REVISÃO DE LITERATURA

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO RECÉM-NASCIDO EM FOTOTERAPIA: UMA REVISÃO DE LITERATURA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO RECÉM-NASCIDO EM FOTOTERAPIA: UMA REVISÃO DE LITERATURA Flávia Teixeira Germano, Universidade Potiguar, flavinhabebezao@hotmail.com Ana Eliedna Nogueira, Universidade Potiguar,

Leia mais

3. CARACTERÍSTICAS DO FILME

3. CARACTERÍSTICAS DO FILME 3. CARACTERÍSTICAS DO FILME 3.1 INTRODUÇÃO Para que possamos analisar a forma como o filme radiográfico responde aos diferentes fatores determinados pela exposição à radiação, precisamos definir alguns

Leia mais

ALOXIDIL. Theraskin Farmacêutica Ltda. Solução capilar 5% Minoxidil 50 mg/ml

ALOXIDIL. Theraskin Farmacêutica Ltda. Solução capilar 5% Minoxidil 50 mg/ml ALOXIDIL Theraskin Farmacêutica Ltda. Solução capilar 5% Minoxidil 50 mg/ml Aloxidil minoxidil 50mg/mL SOLUÇÃO CAPILAR 5% USO ADULTO EXCLUSIVO PARA USO MASCULINO USO TÓPICO APRESENTAÇÃO Frasco plástico

Leia mais

ALOPÉCIA ANDROGENÉTICA NA MULHER JOVEM ESTUDO DE CASO COM ÊNFASE NO TRATAMENTO

ALOPÉCIA ANDROGENÉTICA NA MULHER JOVEM ESTUDO DE CASO COM ÊNFASE NO TRATAMENTO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA ALOPÉCIA ANDROGENÉTICA NA MULHER JOVEM ESTUDO DE CASO COM ÊNFASE NO

Leia mais

Data: 27/03/2014. NTRR 54/2014 a. Medicamento x Material Procedimento Cobertura

Data: 27/03/2014. NTRR 54/2014 a. Medicamento x Material Procedimento Cobertura NTRR 54/2014 a Solicitante: Secretaria da segunda vara da comarca de Caeté Número do processo: 0004453-75.2014 Data: 27/03/2014 Medicamento x Material Procedimento Cobertura Réu: Comarca de Caeté e Estado

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE LESÕES ESPORTIVAS DURANTE OS 53º JOGOS REGIONAIS

CARACTERIZAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE LESÕES ESPORTIVAS DURANTE OS 53º JOGOS REGIONAIS CARACTERIZAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE LESÕES ESPORTIVAS DURANTE OS 53º JOGOS REGIONAIS Beatriz de Vilas Boas de Oliveira 1, Keyleytonn Sthil Ribeiro 2 1 Faculdade de Pindamonhangaba, Curso de Fisioterapia, biavilasboas@yahoo.com.br

Leia mais

Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular

Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular Object 1 Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular Curso de Educação Física. Centro Universitário Toledo de Araçatuba - UNITOLEDO. (Brasil) Prof. Mário Henrique

Leia mais

Projeto de um Sistema Mecânico para Auxiliar o Implante Permanente de Sementes Radioativas em Tecidos Moles

Projeto de um Sistema Mecânico para Auxiliar o Implante Permanente de Sementes Radioativas em Tecidos Moles Universidade Federal de São João Del-Rei MG 26 a 28 de maio de 2010 Associação Brasileira de Métodos Computacionais em Engenharia Projeto de um Sistema Mecânico para Auxiliar o Implante Permanente de Sementes

Leia mais

3. FORMAÇÃO DA IMAGEM

3. FORMAÇÃO DA IMAGEM 3. FORMAÇÃO DA IMAGEM 3.1 INTRODUÇÃO O sistema de geração da imagem de RM emprega muitos fatores técnicos que devem ser considerados, compreendidos e algumas vezes modificados no painel de controle durante

Leia mais

Seu manual do usuário COMPAQ BD 340I http://pt.yourpdfguides.com/dref/3594988

Seu manual do usuário COMPAQ BD 340I http://pt.yourpdfguides.com/dref/3594988 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

Para uma análise correta da presente Consulta, devemos considerar algumas Normas Legislativas específicas da medicina.

Para uma análise correta da presente Consulta, devemos considerar algumas Normas Legislativas específicas da medicina. PARECER CRM/MS 14/2014 PROCESSO CONSULTA N 13/2014 INTERESSADO: COOPUR - Cooperativa dos Urologistas do Mato Grosso do Sul ASSUNTO: Certificado de Habilitação/Área de Atuação/Convênio/Ato Médico PARECERISTA:

Leia mais

A capacidade de carga total com uso moderado é de aproximadamente 80% após 300 ciclos.

A capacidade de carga total com uso moderado é de aproximadamente 80% após 300 ciclos. Segurança da bateria A HP encara a segurança com muita seriedade e disponibiliza Material Safety Data Sheets (MSDS) (Fichas de dados de segurança de material; em inglês) que fornecem informações gerais

Leia mais

COLISÕES UNIDIMENSIONAIS

COLISÕES UNIDIMENSIONAIS ACIDENTES DE TRÂNSITO: COLISÕES UNIDIMENSIONAIS Copyright 2014: Sérgio Gustavo de Miranda I- INTRODUÇÃO: Acesse www.sgmiranda.com.br/forensics/unidim_collisions.html para utilizar a planilha eletrônica

Leia mais

A VISÃO DO GERENCIAMENTO DE CUSTOS EM EMPRESAS DE SAÚDE

A VISÃO DO GERENCIAMENTO DE CUSTOS EM EMPRESAS DE SAÚDE ROSADAS, L.A. da S.; MACEDO, M.A. da S. 1 A VISÃO DO GERENCIAMENTO DE CUSTOS EM EMPRESAS DE SAÚDE LEANDRO AZEVEDO DA SILVA ROSADAS¹ MARCELO ALVARO DA SILVA MACEDO² 1. Aluno do 7ª período do curso de Ciências

Leia mais

LUZ INTENSA PULSADA. Princípios Básicos. Dra Dolores Gonzalez Fabra

LUZ INTENSA PULSADA. Princípios Básicos. Dra Dolores Gonzalez Fabra LUZ INTENSA PULSADA Princípios Básicos Dra Dolores Gonzalez Fabra Fazemos o Uso da L.I.P. ( não é laser) e do laser de Nd Yag, conforme a necessidade. * L.I.P. para lesões pigmentares, telangectasias,

Leia mais

Controle II. Estudo e sintonia de controladores industriais

Controle II. Estudo e sintonia de controladores industriais Controle II Estudo e sintonia de controladores industriais Introdução A introdução de controladores visa modificar o comportamento de um dado sistema, o objetivo é, normalmente, fazer com que a resposta

Leia mais

LUZ INTENSA PULSADA FOTOREJUVENESCIMENTO. Princípios Básicos - P arte II. Dra Dolores Gonzalez Fabra

LUZ INTENSA PULSADA FOTOREJUVENESCIMENTO. Princípios Básicos - P arte II. Dra Dolores Gonzalez Fabra LUZ INTENSA PULSADA Princípios Básicos - P arte II FOTOREJUVENESCIMENTO Dra Dolores Gonzalez Fabra O Que é Fotorejuvescimento? Procedimento não ablativo e não invasivo. Trata simultaneamente hiperpigmentações,

Leia mais

PROJETO FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL NA SAÚDE DA MULHER NA ASSISTÊNCIA DE MULHERES ACOMETIDAS POR RUGAS

PROJETO FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL NA SAÚDE DA MULHER NA ASSISTÊNCIA DE MULHERES ACOMETIDAS POR RUGAS PROJETO FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL NA SAÚDE DA MULHER NA ASSISTÊNCIA DE MULHERES ACOMETIDAS POR RUGAS MAIA, Ingrid Vanessa E. 2 RAMALHO, Jéssica Soares 2 FERREIRA, Luana de Lima 2 JUNIOR, Paulo Sergio

Leia mais

43 225 321 027 5.000,00 4250-062 PORTO

43 225 321 027 5.000,00 4250-062 PORTO LASER DÍODO 808 nm Tratamento permanente para todos os tipos de cores de pêlo: Buço, barba, pêlos no peito, axilas, pêlos nas costas, pêlos nos braços, pêlos nas pernas e pêlos indesejáveis fora da linha

Leia mais

Modelo de Texto de Bula. betametasona (como 17-valerato)... 1mg (0,1% p/p) veículo: (carbopol, álcool isopropílico e água purificada q.s.p)...

Modelo de Texto de Bula. betametasona (como 17-valerato)... 1mg (0,1% p/p) veículo: (carbopol, álcool isopropílico e água purificada q.s.p)... Betnovate valerato de betametasona Capilar FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES: BETNOVATE Capilar é uma solução transparente, levemente viscosa, contendo 17-valerato de betametasona a 0,1% p/p. O veículo

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 VERIFICAÇÃO DO PÉ DIREITO COMO TÉCNICA DE CONFORTO TÉRMICO Mariana Ferreira Martins Garcia 1 ;Phelippe Mendonça de Paiva 2 ; Diogo Humberto Muniz 3 ;Adriana Pereira Resende Martins 4 ; Daniela Satie Kodama

Leia mais

APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA

APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA Questões associadas à aplicação dos lasers na Medicina Princípios Físicos e aspectos técnicos do equipamento Interacção da luz laser com os tecidos: fotocoagulação, fotovaporização,

Leia mais

Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística. 1 - Introdução

Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística. 1 - Introdução Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística Área Temática: Emprego e Mercado de Trabalho, Demografia Econômica. 1 - Introdução Este texto

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Obrigado por adquirir a escova elétrica corporal e facial D-Clean Plus. Este manual deve ser guardado para consultas futuras.

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Obrigado por adquirir a escova elétrica corporal e facial D-Clean Plus. Este manual deve ser guardado para consultas futuras. MANUAL DE INSTRUÇÕES Obrigado por adquirir a escova elétrica corporal e facial D-Clean Plus. Este manual deve ser guardado para consultas futuras. 2 Esse produto contém: Aparelho 3 escovas (facial normal,

Leia mais

CM 50. P Aparelho Anti-celulite. Instruções de utilização

CM 50. P Aparelho Anti-celulite. Instruções de utilização CM 50 PT P Aparelho Anti-celulite Instruções de utilização Beurer GmbH Söflinger Str. 218 89077 Ulm, Germany Tel.: +49 (0)731 / 39 89-144 Fax: +49 (0)731 / 39 89-255 www.beurer.com Mail: kd@beurer.de Componentes

Leia mais

Mercado de Trabalho. O idoso brasileiro no. NOTA TÉCNICA Ana Amélia Camarano* 1- Introdução

Mercado de Trabalho. O idoso brasileiro no. NOTA TÉCNICA Ana Amélia Camarano* 1- Introdução NOTA TÉCNICA Ana Amélia Camarano* O idoso brasileiro no Mercado de Trabalho 30 1- Introdução A análise da participação do idoso nas atividades econômicas tem um caráter diferente das análises tradicionais

Leia mais

O objetivo da rinoplastia estética é o resultado harmônico e natural, com traços adequados ao rosto da pessoa.

O objetivo da rinoplastia estética é o resultado harmônico e natural, com traços adequados ao rosto da pessoa. RINOPLASTIA (CIRURGIA PLÁSTICA DO NARIZ) O objetivo da rinoplastia estética é o resultado harmônico e natural, com traços adequados ao rosto da pessoa. Por meio da entrevista com o(a) paciente, o cirurgião

Leia mais

finasterida Merck S/A comprimidos revestidos 1 mg

finasterida Merck S/A comprimidos revestidos 1 mg finasterida Merck S/A comprimidos revestidos 1 mg finasterida Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. 1 mg APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 1 mg em embalagem com 30 ou 60 comprimidos. USO ORAL

Leia mais

RECONSTRUÇÃO CAPILAR POR NANOQUERATINIZAÇÃO EM PRÁTICAS SUPERVISIONADAS DE CAPILAR DO CURSO DE ESTÉTICA E COSMÉTICA RELATO DE CASO

RECONSTRUÇÃO CAPILAR POR NANOQUERATINIZAÇÃO EM PRÁTICAS SUPERVISIONADAS DE CAPILAR DO CURSO DE ESTÉTICA E COSMÉTICA RELATO DE CASO RECONSTRUÇÃO CAPILAR POR NANOQUERATINIZAÇÃO EM PRÁTICAS SUPERVISIONADAS DE CAPILAR DO CURSO DE ESTÉTICA E COSMÉTICA RELATO DE CASO ESCOBAR Sabrina Batista 1, MORALEZ Joceane Mate 1, FRITZ Flávio 2 Palavras-Chave:

Leia mais

finasterida Comprimido revestido 1mg

finasterida Comprimido revestido 1mg finasterida Comprimido revestido 1mg MODELO DMODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE finasterida Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÕES Comprimido revestido 1mg Embalagens contendo

Leia mais

TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1. Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3.

TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1. Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3. TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1 Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3. 1 Pesquisa realizada no curso de Administração da Unijuí 2 Aluna

Leia mais

SAÍDA DO MERCADO DE TRABALHO: QUAL É A IDADE?

SAÍDA DO MERCADO DE TRABALHO: QUAL É A IDADE? SAÍDA DO MERCADO DE TRABALHO: QUAL É A IDADE? Ana Amélia Camarano* Solange Kanso** Daniele Fernandes** 1 INTRODUÇÃO Assume-se que idade avançada e invalidez resultam em perda da capacidade laboral, o que

Leia mais

C O L O R I M E T R I A

C O L O R I M E T R I A C O L O R I M E T R I A FUNDAMENTOS DA COLORIMETRIA Coleta da amostra Preparação da amostra Procedimento de teste O teste Amostra na cubeta Reagentes adicionados Período de espera Branco da amostra Leitura

Leia mais

ESTATÍSTICA. Prof. Ari Antonio, Me. Ciências Econômicas. Unemat Sinop 2012

ESTATÍSTICA. Prof. Ari Antonio, Me. Ciências Econômicas. Unemat Sinop 2012 ESTATÍSTICA Prof. Ari Antonio, Me Ciências Econômicas Unemat Sinop 2012 1. Introdução Concepções de Estatística: 1. Estatísticas qualquer coleção consistente de dados numéricos reunidos a fim de fornecer

Leia mais

FINASTIL (finasterida)

FINASTIL (finasterida) FINASTIL (finasterida) EMS SIGMA PHARMA LTDA Comprimido Revestido 5 mg IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO FINASTIL finasterida APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 5 mg de finasterida acondicionados em embalagem

Leia mais

Protocolo de Manuseio Mínimo Revisão: 27 / 08 / 2014

Protocolo de Manuseio Mínimo Revisão: 27 / 08 / 2014 UNIDADE DE ADMINISTRAÇÃO UTI Neonatal - HMIB Protocolo de Manuseio Mínimo Revisão: 27 / 08 / 2014 Elaboração Ludmylla Beleza 1 Ana Clara Costa Chagas 2 1 Enfermeira, preceptora do Programa de Residência

Leia mais

EXCEDENTE REATIVO (EFEITOS NAS REDES E INSTALAÇÕES)

EXCEDENTE REATIVO (EFEITOS NAS REDES E INSTALAÇÕES) EXCEDENTE REATIVO (EFEITOS NAS REDES E INSTALAÇÕES) Baixos valores de fator de potência são decorrentes de quantidades elevadas de energia reativa. Essa condição resulta em aumento na corrente total que

Leia mais

PROJETO DE RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I:

PROJETO DE RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I: IFES INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO ANDRÉ VANDER PERINI CARLOS EDUARDO POLATSCHEK KOPPERSCHMIDT WILLIAM SFALSIN MANHÃES PROJETO DE RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I: CADEIRA DE RODAS SÃO MATEUS ES 2013

Leia mais

Física. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor:

Física. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Física Questão 1 (Unirio 2000) Um aluno pegou um fina placa metálica e nela recortou um disco de raio r. Em seguida, fez um anel também de raio r com um fio

Leia mais

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 2015 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 Uma mola comprimida por uma deformação x está em contato com um corpo de massa m, que se encontra

Leia mais

AURICULOTERAPIA NO TRATAMENTO DOS DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO (DORT): UMA AVALIAÇÃO RETROSPECTIVA

AURICULOTERAPIA NO TRATAMENTO DOS DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO (DORT): UMA AVALIAÇÃO RETROSPECTIVA ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 AURICULOTERAPIA NO TRATAMENTO DOS DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO (DORT):

Leia mais

4 APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA

4 APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA 4 APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA 4.1. PRINCÍPIOS FÍSICOS DO FUNCIONAMENTO DOS LASERS Como se sabe, a sigla LASER é composta das iniciais de Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation e que

Leia mais

Secos, mistos, oleosos. Qual o seu tipo de cabelo? Você cuida bem de seus cabelos? Confira algumas dicas da dermatologista Dra. Andréa Botto.

Secos, mistos, oleosos. Qual o seu tipo de cabelo? Você cuida bem de seus cabelos? Confira algumas dicas da dermatologista Dra. Andréa Botto. Secos, mistos, oleosos. Qual o seu tipo de cabelo? Você cuida bem de seus cabelos? Confira algumas dicas da dermatologista Dra. Andréa Botto. CONTEÚDO HOMOLOGADO Nesta entrevista ao isaúde Bahia, a médica

Leia mais

A seguir são apresentadas as etapas metodológicas da Pesquisa CNT de Rodovias.

A seguir são apresentadas as etapas metodológicas da Pesquisa CNT de Rodovias. Metodologia A Pesquisa CNT de Rodovias propõe-se a avaliar a situação das rodovias brasileiras a partir da perspectiva dos usuários da via. As características - pavimento, sinalização e geometria - são

Leia mais

PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 11 PESQUISA DE MERCADO

PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 11 PESQUISA DE MERCADO PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 11 PESQUISA DE MERCADO Índice 1. Pesquisa de mercado...3 1.1. Diferenças entre a pesquisa de mercado e a análise de mercado... 3 1.2. Técnicas de

Leia mais

Pesquisa sobre Segurança do Paciente em Hospitais (HSOPSC)

Pesquisa sobre Segurança do Paciente em Hospitais (HSOPSC) Pesquisa sobre Segurança do Paciente em Hospitais (HSOPSC) Instruções Esta pesquisa solicita sua opinião sobre segurança do, erros associados ao cuidado de saúde e notificação de eventos em seu hospital

Leia mais

CORRELAÇÃO ENTRE CONSUMIDORES DE DROGAS LICITAS E ILICITAS EM UM CAPS II

CORRELAÇÃO ENTRE CONSUMIDORES DE DROGAS LICITAS E ILICITAS EM UM CAPS II 929 CORRELAÇÃO ENTRE CONSUMIDORES DE DROGAS LICITAS E ILICITAS EM UM CAPS II Ana Paula Fernandes de Lima Demarcina Weinheimer Jussara Terres Larissa Medeiros Tarlise Jardim Vanessa Campos Camila Jacques

Leia mais

O que é LUZ? SENAI - Laranjeiras. Espectro Eletromagnético. Fontes de luz 14/01/2013. Luminotécnica 40h

O que é LUZ? SENAI - Laranjeiras. Espectro Eletromagnético. Fontes de luz 14/01/2013. Luminotécnica 40h SENAI - Laranjeiras Luminotécnica 40h O que é LUZ? A luz, como conhecemos, faz parte de um comprimento de onda sensível ao olho humano, de uma radiação eletromagnética pulsante ou num sentido mais geral,

Leia mais

O QUE É REJUVENESCIMENTO A LASER

O QUE É REJUVENESCIMENTO A LASER O QUE É REJUVENESCIMENTO A LASER O TITAN, A LUZ PULSADA e o ND: YAG Clínica Naturale 2008 Autor Prof. Dr. Miguel Francischelli Neto Clínica Naturale Av. Moema, 87 cj 51-52, Moema, São Paulo - SP, Brasil

Leia mais

Estudo Histológico das Mudanças Estruturais da Pele Fina Palpebral após a Fototermólise Seletiva com Laser de CO 2

Estudo Histológico das Mudanças Estruturais da Pele Fina Palpebral após a Fototermólise Seletiva com Laser de CO 2 Estudo Histológico das Mudanças Estruturais da Pele Fina Palpebral após a Fototermólise Seletiva com Laser de CO 2 Sergio Lessa 1 Roberto Sebastiá? Eduardo Flores 3 1] Professor Assistente do Curso de

Leia mais

Extensômetro de Alto Alongamento AHX800 Manual Title

Extensômetro de Alto Alongamento AHX800 Manual Title Extensômetro de Alto Alongamento AHX800 Manual Title Additional Manual do Information Produto be certain. 100-238-343 A Informações sobre Direitos Autorais Informações sobre Marca Registrada Informação

Leia mais

Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos

Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos Os dados devem ser apresentados em tabelas construídas de acordo com as normas técnicas ditadas pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Leia mais

Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI) www.fai.com.br

Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI) www.fai.com.br Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI) www.fai.com.br LEITE, Gisele Bueno da Silva; MOURA, Karla Senger Pinto de; DORNELAS, Lilian Maria Candido de Souza; BORGES, Juliana Bassalobre Carvalho. Atuação

Leia mais

6 Efeito do Tratamento Térmico nas Propriedades Supercondutoras e Microestruturas de Multicamadas Nb/Co

6 Efeito do Tratamento Térmico nas Propriedades Supercondutoras e Microestruturas de Multicamadas Nb/Co 6 Efeito do Tratamento Térmico nas Propriedades Supercondutoras e Microestruturas de Multicamadas Nb/Co Com objetivo de observar a possibilidade da formação de nanopartículas de Co por tratamento térmico,

Leia mais

BARREIRAS QUEBRADAS PARA A APRENDIZAGEM UNEMAT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRA MATO GROSSO.

BARREIRAS QUEBRADAS PARA A APRENDIZAGEM UNEMAT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRA MATO GROSSO. BARREIRAS QUEBRADAS PARA A APRENDIZAGEM UNEMAT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRA MATO GROSSO. Resumo NETTO, Marcos Augusto SANTOS, Paulo Ricardo Junges dos MENDES, Rafael Müller BICHOFF, Regina

Leia mais

Construção de um Medidor de Potência Elétrica de Lâmpadas Incandescentes Através de Métodos Calorimétricos

Construção de um Medidor de Potência Elétrica de Lâmpadas Incandescentes Através de Métodos Calorimétricos SCIENTIA PLENA VOL. 2, NUM. 5 2006 www.scientiaplena.org.br Construção de um Medidor de Potência Elétrica de Lâmpadas Incandescentes Através de Métodos Calorimétricos (Construction an Electrical Power

Leia mais

As Sete Ferramentas Básicas do Controle da Qualidade

As Sete Ferramentas Básicas do Controle da Qualidade Curso e-learning As Sete Ferramentas Básicas do Controle da Qualidade Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

DIA MUNDIAL DO CÂNCER 08 DE ABRIL

DIA MUNDIAL DO CÂNCER 08 DE ABRIL DIA MUNDIAL DO CÂNCER 08 DE ABRIL Enviado por LINK COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 04-Abr-2016 PQN - O Portal da Comunicação LINK COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL - 04/04/2016 Que tal aproveitar o Dia Mundial do Câncer

Leia mais

Workshop de Conhecimentos sobre Pele

Workshop de Conhecimentos sobre Pele Workshop de Conhecimentos sobre Pele Objetivos Após concluir o treinamento você será capaz de compartilhar com suas clientes: Como funciona a pele. Características de cada tipo de pele. Como classificar

Leia mais

Sistema Tegumentar. Arquitetura do Tegumento. Funções do Sistema Tegumentar Proteção 09/03/2015

Sistema Tegumentar. Arquitetura do Tegumento. Funções do Sistema Tegumentar Proteção 09/03/2015 Sistema Tegumentar Sistema Tegumentar É constituído pela pele, tela subcutânea e seus anexos cutâneos Recobre quase toda superfície do corpo Profa Elaine C. S. Ovalle Arquitetura do Tegumento Funções do

Leia mais

Sistema Circulatório

Sistema Circulatório Sistema Circulatório O coração Localização: O coração está situado na cavidade torácica, entre a 2ª e 5ª costelas, entre os pulmões, com 2/3 para a esquerda, ápice para baixo e para esquerda e base para

Leia mais

1 - OBJETIVO E PRINCÍPIO DO ESTUDO

1 - OBJETIVO E PRINCÍPIO DO ESTUDO Obs. Esse documento é uma reprodução parcial do relatório original, onde se destacam os principais topicos nele contido. O relatório completo se encontra em nosso arquivos 1 - OBJETIVO E PRINCÍPIO DO ESTUDO

Leia mais

Análise Econômica do Mercado de Resseguro no Brasil

Análise Econômica do Mercado de Resseguro no Brasil Análise Econômica do Mercado de Resseguro no Brasil Estudo encomendado a Rating de Seguros Consultoria pela Terra Brasis Resseguros Autor: Francisco Galiza Sumário 1. Introdução... 3 2. Descrição do Setor...

Leia mais

Em qualquer processo produtivo, deve-se garantir que as

Em qualquer processo produtivo, deve-se garantir que as Confiabilidade, calibração e definições importantes para os instrumentos de medir Os instrumentos de medição são os dispositivos utilizados para realizar uma medição e no âmbito da metrologia legal são

Leia mais

Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede

Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede Fig. 1: Arranjo do experimento P2510502 O que você vai necessitar: Fotocélula sem caixa 06779.00 1 Rede de difração, 600 linhas/mm 08546.00 1 Filtro

Leia mais

FLAXIN finasterida Merck S/A comprimidos revestidos 5 mg

FLAXIN finasterida Merck S/A comprimidos revestidos 5 mg FLAXIN finasterida Merck S/A comprimidos revestidos 5 mg Flaxin finasterida MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA APRESENTAÇÃO Comprimidos revestidos de 5 mg em embalagem com 30

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 ANÁLISE DE DISTORÇÕES HARMÔNICAS Michelle Borges de Oliveira¹; Márcio Aparecido Arruda² ¹Universidade de Uberaba, Uberaba Minas Gerais ²Universidade de Uberaba, Uberaba Minas Gerais oliveiraborges.michelle@gmail.com;

Leia mais

Avaliação em Fisioterapia Dermatofuncional

Avaliação em Fisioterapia Dermatofuncional Avaliação em Fisioterapia Dermatofuncional Ms. Giovana B. Milani Mestre em Ciências pela FMUSP Pós- Graduada em Fisioterapia Dermato-Funcional Pós- Graduada em Aparelho locomotor no esporte Pré e Pós Cirurgia

Leia mais

LASER. Prof. Gabriel Villas-Boas

LASER. Prof. Gabriel Villas-Boas LASER Prof. Gabriel Villas-Boas INTRODUÇÃO O termo Laser constitui-se numa sigla que significa: Amplificação da Luz por Emissão Estimulada da Radiação. Esta radiação é constituída por ondas eletromagnéticas,

Leia mais

Levantamento Inicial do Consumo de Energias Térmica e Elétrica na Indústria Brasileira de Revestimentos Cerâmicos

Levantamento Inicial do Consumo de Energias Térmica e Elétrica na Indústria Brasileira de Revestimentos Cerâmicos Levantamento Inicial do Consumo de Energias Térmica e na Indústria Brasileira de Revestimentos Cerâmicos Helton José Alves, Fábio Gomes Melchiades, Anselmo Ortega Boschi* Laboratório de Revestimentos Cerâmicos

Leia mais