Secção I Disposições Gerais. Artigo 1 (Objeto)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Secção I Disposições Gerais. Artigo 1 (Objeto)"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE uni _ UNIVERSIDADE DE CABO VERDE ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E AMBIENTAIS PROGRAMA DO CONCURSO CONCURSO N Ol-ECAA/20l5 Secção I Disposições Gerais Artigo 1 (Objeto) o presente regulamento define as regras aplicáveis ao processo deste recrutamento de docentes para o CESP em Cuidados Primários de Saúde Animal na modalidade de trabalho a tempo parcial e Docente/Coordenador para o Ensino a Distância na ECAA, por um período de seis meses renováveis. Artigo 2 (Regime de docência) 1. O pessoal docente recrutado para o CESP em Cuidados Primários de Saúde Animal, no quadro do presente concurso, e ao abrigo deste concurso, exerce as suas funções em regime de trabalho a tempo parcial, mediante um contrato de prestação de serviço pelas horas lecionadas. 2. O docente/coordenador para o Ensino a Distância exerce as suas funções em regime de trabalho a tempo inteiro por um período de 6 meses renováveis mediante avaliação positiva. Artigo 3 (Disciplinas CESP Cuidados Primários de Saúde Animal e Termos de Referência Docente/coordenador EAD) 1. As áreas científicas e disciplinares abertas ao concurso, o perfil e área de formação dos candidatos constam do formulário e das fichas fornecidas no site da Uni-CV 2. Os Termos de Referência para o docente/coordenador do Ensino a Distância aberto ao concurso, constam do formulário e das fichas fornecidas no site da Uni-CV Artigo 4 (Forma de candidatura) 1. As candidaturas são feitas eletronicamente, através do preenchimento on-line do formulário fornecido no link disponibilizado para o efeito no site da Uni-CV. 1

2 2. As candidaturas são limitadas a um máximo de 3 disciplinas. 3. O serviço de recepção das candidaturas emite eletronicamente recibos dos formulários de candidatura cabalmente preenchidos, notificando a rejeição liminar das candidaturas a que faltem os documentos exigidos. " Artigo 5 (Informações exigidas) Os formulários de candidatura devem recolher as seguintes informações relativas aos candidatos: a) Identificação completa do candidato; b) Área de formação, grau académico e, quando couberem, classificações do curso e das disciplinas do histórico escolar; c) Anos e locais de experiência profissional; d) Trabalhos científicos, com a indicação do título e das referências precisas da sua publicação, nomeadamente em livro, revista ou repositório científico (onde se aplicar); e) Vagas a tempo integral ou disciplinas a tempo parcial a que concorre. Artigo 6 (Modalidades de concurso) 1. Sem prejuízo do disposto nos números seguintes, cada candidato pode concorrer a uma ou, simultaneamente, a várias modalidades de concurso explicitadas no formulário disponibilizado no site da Uni-CV, a saber: a) Concurso para recrutamento de docentes para o CESP em Cuidados Primários de Saúde Animal, b) Concurso para o recrutamento de docente/coordenador para Ensino a Distância. 2. No caso de candidatura a várias modalidades de concurso, o concorrente deve preencher, em relação a cada uma delas, o respetivo formulário de candidatura. 3. No caso referido no número anterior, o candidato deve, em cada caso, fazer expressa menção de que concorre a outras modalidades. Artigo 7 (Documentos obrigatórios) 1. É obrigatória a apresentação, conjuntamente com o formulário de candidatura, dos seguintes documentos, por via eletrónica: a) Curriculum vitae atualizado e devidamente comprovado com os documentos pertinentes; b) Carta de motivação; c) Certificado de grau académico e Histórico do Curso; d) Talão ou documento equivalente comprovativo do pagamento da taxa de candidatura, no montante de 3.000$00 ECV, conforme Deliberação N 009/CONSU-14. Dados Bancários: BANCO COMERCIAL DO ATLÂNTICO (BCA) N DE CO NTA: NIB: IBAN: CV

3 SWIFTIBIC: BCATCVCV ou BANCO CABOVERDIANO DE NEGÓCIOS (BCN) N DE CO NTA: NIB: IBAN: CV SWIFT/BIC: CANBCVCV 2. A apresentação de demais documentação, em papel, apenas é exigida aos candidatos que vierem a ser selecionados. 3. Salvo o disposto em contrário no presente regulamento, é exigido aos candidatos selecionados a apresentação dos seguintes documentos, em original ou fotocópia autenticada, no momento da contratação: a) Certificado de grau académico e, quando couber, do Histórico do curso; b) Certidão de equivalência; c) Fotocópia do Bilhete de Identidade ou de Passaporte; d) Atestado Médico; e) Atestado de Vacinas; f) Certificado de registo criminal. 4. No caso da alínea b) do número anterior, a equivalência tanto pode ser emitida pelo serviço central competente do departamento governamental responsável pelo ensino superior corno pelo Conselho Científico da área correspondente da Uni-CV, a requerimento do interessado. 5. No caso da alínea c) do número 3, é dispensada a autenticação de fotocópia caso, conjuntamente com esta, for apresentado o documento original, para efeito de cotejo ou verificação de autenticidade da fotocópia. Artigo 8 0 (Colaborador habitual) 1. Os candidatos que sejam "colaboradores habituais" da Uni-CV são dispensados da apresentação de documentos não caducáveis, designadamente, certificados de grau, de equivalência e histórico escolar, devendo a candidatura ser feita apenas com base no preenchimento do respetivo formulário. 2. Considera-se "colaborador habitual" o candidato que tenha prestado serviço docente na ECAAlUni-CV durante, pelo menos dois semestres, em qualquer das modalidades de docência, e com avaliação de desempenho não inferior a Bom, comprovada, no ato da candidatura, por declaração emitida pelo Conselho Diretivo Da ECAAlUni-CV. 3. Os candidatos que fizerem prova da condição de "colaborador habitual" da Uni-CV, e corno tal forem considerados, são dispensados das entrevistas e da apresentação da carta de motivação. 3

4 Artigo 9 (Júri do concurso) 1. A Presidente do Conselho Diretivo da ECAA nomeia um júri para o concurso de recrutamento de docentes para o CESP em Cuidados Primários de Saúde Animal e para o docente/coordenador do Ensino a Distância 2. O júri será composto por cinco membros efetivos escolhidos de entre docentes e técnicos da Uni- CV de reconhecido mérito nas suas áreas de saber, que se ocuparão da avaliação, seriação e seleção dos candidatos concorrentes às vagas existentes. 3. O Júri reúne-se nas instalações da Universidade de Cabo Verde. 4. As entrevistas, quando tiverem lugar, serão organizadas em datas fixadas e pub1 icitadas com a antecedência mínima de cinco dias. 5. Por deliberação do júri podem, excepcionalmente, realizar-se entrevistas por videoconferência ou outro meio considerado idóneo, desde que sejam previamente asseguradas todas as garantias de rigor, transparência e autenticidade das entrevistas. 6. O júri só pode reunir-se e deliberar validamente com a presença da maioria dos seus membros. 7. As deliberações do júri são aprovadas por maioria absoluta dos membros que o constituem. Secção 11 Processo selectivo Artigo 10 (Fases do processo de seleção) 1. A seleção dos candidatos decorre em quatro fases sucessivas, a saber: a) Fase preliminar, em que o júri, em função da avaliação geral das candidaturas sujeitas à sua avaliação, em cada uma das modalidades, decide admitir os candidatos que preencham os requisitos formais estabelecidos no regulamento do concurso, excluindo aqueles que não preencham tais requisitos, devendo as listas ser publicadas, consoante a modalidade de candidatura, por ordem alfabética; b) Fase inicial de seriação, em que o júri, em função dos resultados da avaliação curricular das candidaturas admitidas, em cada modalidade de concurso, procede à elaboração da lista dos candidatos ao concurso, procede à elaboração da lista dos candidatos seriados, em número não superior ao triplo das vagas submetidas a concurso, por ordem decrescente das classificações atribuídas, numa escala de 1 a 5, tendo em conta o disposto nos artigos 4 e seguintes do presente regulamento; c) Fase complementar de seleção, em que o júri submete o concorrente que não tenha o estatuto de "colaborador habitual" a uma entrevista, de duração não superior a 30 minutos, caso o júri achar necessário, para aprofundar a avaliação da adequação do perfil científico e pedagógico dos candidatos apurados na fase anterior às exigências do exercício da docência nas vagas a que concorrem e às funções gerais e específicas do pessoal docente da Uni-CV, previstas nos artigos 7 a 9 do Estatuto do Pessoal Docente da Uni-CV, atribuindo a cada um deles uma classificação na escala de 1 a 5 valores, tendo em conta o disposto nos artigos 11 e seguintes do presente regulamento; 4

5 d) Fase final de seriação, em que o júri, relevando os resultados obtidos pelos candidatos nas fases referidas anteriormente, procede à elaboração das listas seriadas dos candidatos efetivos e suplentes, segundo cada uma das modalidades de concurso, enviando posteriormente a lista ao Presidente do Conselho Diretivo da ECAA que após emissão de nm parecer o submeterá a Reitora para efeitos de homologação e subsequente contratação. 2.Para efeitos da seriação a que se refere a alínea b) do número 1, o júri atenderá aos critérios e fatores de ponderação constantes dos artigos seguintes. 3.No caso da insuficiência de candidatos para se alcançar o número previsto na alínea b) do número 1, a lista seriada limitar-se-á ao número de candidaturas elegíveis. 4. Os resultados da seleção nas fases referidas nas alíneas c) e d) do n.? 1 são publicados conjuntamente. Secção 111 (Docentes para CESP em Cuidados Primários de Saúde Animal) Artigo 11 o (Critérios de seleção) 1.0 processo de seleção dos candidatos obedece a um conjunto de critérios, que são objeto de classificação numa escala de 1 a 5 valores e objeto de ponderação, nos termos do disposto no presente regulamento. 2.São critérios da seleção, na fase inicial de seriação, a que se refere a alínea b) do número um do artigo anterior: a) O grau académico na área científica de candidatura, a que corresponde o peso de 40% da classificação geral obtida nesta fase (critério 1 = clxo,4); b) A experiência profissional como docente no ensino superior, comprovada, mediante uma declaração de bom desempenho emitido pelo órgão diretivo ou de gestão científico-pedagógica da respetiva instituição do ensino superior, a que corresponde o peso de 35% da classificação (critério 2 -c2xo,35); c) A experiência profissional e prática relevante no domínio da área correspondente à disciplina do concurso, a que corresponde o peso de 25% (critério 3 -c3xo,25); 3. Tendo em conta o disposto no número anterior, a fórmula de cálculo da nota de candidatura na fase inicial de seriação é a seguinte: NFI = (ClxO,40) + (C2xO,35) + (C3xO,25) 4. A nota final de cada candidato, correspondente ao resultado da fase final de seriação, consiste no somatório das classificações obtidas na fase de inicial de seriação e na fase complementar de seleção. Artigo 12 0 (Apreciação do grau académico) 1.0 júri levará em consideração, a correspondência do grau académico à área disciplinar a que se candidata. 2.0s graus académicos, com a observância do disposto na alínea a) do n 1 do artigo anterior, têm a seguinte classificação: a) Doutoramento -5,0 valores; 5

6 b) Mestrado -3,5 valores; c) Pós-graduação não conferente de grau -2,0 valores; d) Licenciatura de duração não inferior a quatro anos -1,5 valores. 3. Em caso de apresentação de mais de um grau académico, prevalece, para efeitos do presente concurso, o grau académico mais elevado, salvo indicação expressa pelo candidato do grau que considerar relevante para apreciação. Artigo 13 (Experiência profissional) o item da experiência profissional dos candidatos como docentes no ensino superior, a que se refere a alínea b) do n.? 2 do artigo 11, tem a classificação de 1 a 5 valores. (Experiência Artigo 14 profissional e prática relevante no domínio da área) o item da experiência profissional e prática relevante no domínio da área correspondente à disciplina do concurso, a que se refere a alínea c) do n.? 2 do artigo 110, tem a classificação de 1 a 5 valores. Artigo 15 (Critério de exclusão) Serão liminarmente excluídos os candidatos que: a) Não tenham o perfil adequado para a disciplina a que se candidatam. b) Tenham o dossier incompleto (Cf. Artigo n.? 7 ). Artigo 16 (Critérios de desempate) Em caso de empate nas notas obtidas nas fases de seleção, prevalecerão os seguintes critérios de desempate, aferidos livremente pelo júri: a) Classificação do candidato no (s) grau(s) académico(s); b) Adequação da formação académica às áreas disciplinares em concurso; c) Experiência docente no ensino superior em Cabo Verde. 6

7 Secção IV (Docente/Coordenador para Ensino a Distância) Artigo 18 o (Critérios de seleção). 1.0 processo de seleção dos candidatos obedece a um conjunto de critérios, que são objeto de classificação numa escala de 1 a 5 valores e objeto de ponderação, nos termos do disposto no presente regulamento. 2.São critérios da seleção, na fase inicial de seriação, a que se refere a alínea b) do número um do artigo 10 : a) O grau académico na área científica de candidatura, a que corresponde o peso de 40% da classificação geral obtida nesta fase (critério 1 = c1xo,4); b) A experiência profissional como docente no ensino superior e na área relacionada directamente com a área do concurso, comprovada, mediante avaliação de desempenho mínimo de Bom, efetuada pelo órgão diretivo ou de gestão científico-pedagógica da respetiva instituição do ensino superior, a que corresponde o peso de 40% da classificação (critério 2 =c2xo,4); c) A relevância do trabalho científico publicado, na área correspondente à do concurso, a que corresponde o peso de 20% (critério 3 =c3xo,20); 3. Tendo em conta o disposto no número anterior, a fórmula de cálculo da nota de candidatura na fase inicial de seriação é a seguinte: NFI = (ClxO,40) + (C2xO,40) + (C3xO,20) 4. A nota final de cada candidato, correspondente ao resultado da fase final de seriação, consiste no somatório das classificações obtidas na fase de inicial de seriação e na fase complementar de seleção. Artigo 19 0 (Apreciação do grau académico) o júri levará em consideração, a correspondência do grau académico à área disciplinar do concurso a que se candidata. Os graus académicos, com a observância do disposto na alínea a) do n" 1 do artigo anterior, têm a seguinte classificação: a) Doutoramento (área de tecnologias educacionais) -5,0 valores; b) Doutoramento -4,0 valores; c) Mestrado (área de tecnologias educacionais) -3,5 valores; d) Mestrado -3,0 valores; e) Pós-graduação não conferente de grau (área de tecnologias educacionais) -2,5 valores; f) Pós-graduação não conferente de grau (área de tecnologias educacionais) -2,0 valores; g) Licenciatura de duração não inferior a quatro anos (área de tecnologias educacionais) -1,5 valores. h) Licenciatura de duração não inferior a quatro anos -1,0 valores. 3. Em caso de apresentação de mais de um grau académico, prevalece, para efeitos do presente concurso, o grau académico mais elevado, salvo indicação expressa pelo candidato do grau que considerar relevante para apreciação. 7

8 Artigo 20 (Experiência profissional) o item da experiência profissional dos candidatos como docentes-investigadores no ensino superior, a que se refere a alínea b) do n.? 2 do artigo 18, tem a classificação de 1 a 5 valores. 1) Experiência como docente no ensino presencial 2) Experiência em educação a distância de E-tutoria, E-formação 3) Experiencia de Gestão de Cursos e conteúdos Online: 4) Desenvolvimentos de atividades e conteúdos pedagógicos mediatizados pelas TIC: 5) Experiência profissional na área relacionada directamente com a área do concurso Artigo 21 (Publicação científica) A publicação de trabalho científico relevante na área do concurso, a que se refere a alínea c) do n 2 do artigo 18, tem a classificação de 1 a 5 valores, nos termos seguintes: a) Mais de 5 trabalhos -5 valores; b) De 3 a 5 trabalhos -3 valores; c) De 1 a 2 trabalhos -1,5 valores. 8

9 Artigo 22 (Critério de exclusão) Serão liminarmente excluídos os candidatos que: a) Não tenham o perfil adequado para a disciplina a tlue se candidatam. b) Tenham o dossier incompleto (Cf. Artigo n." 7 ). c) Tenham tido avaliação insuficiente nos anos anteriores. Artigo 23 (Critérios de desempate) Em caso de empate nas notas obtidas nas fases de seleção, prevalecerão os seguintes critérios de desempate, aferidos livremente pelo júri: a) Classificação do candidato no (s) grau(s) académico(s); b) Adequação da formação académica às áreas disciplinas da ECAA; c) Adequação da formação académica às funções a desempenhar; d) Experiência docente no ensino superior em Cabo Verde. e) Experiência em programação de aplicações de ambiente web, gestão e programação de Bancos de Dados, virtualização e gestão de Servidor de Aplicações Apache. Artigo 24 (Metódica processual e prazos) 1. A seleção dos candidatos obedece às modalidades e regras constantes do presente regulamento, sem prejuízo do disposto na legislação aplicável. 2. O prazo de candidaturas é de 1-15 de Julho de 2015, a publicação do respetivo anúncio será na página institucional na Internet e nos órgãos informativos oficiais da Universidade de Cabo Verde. 3. No dia seguinte ao termo do prazo de apresentação das candidaturas, deve reunir-se o respetivo júri para o desempenho das funções que lhe concernem nos termos do presente regulamento. 4. No prazo de 5 dias úteis após o termo do prazo de apresentação das candidaturas, o júri fará publicar no site da Uni-CV as listas dos candidatos admitidos ou excluídos, nos termos referidos na alínea a) do número 1 do artigo 10, devendo, em caso de exclusão de candidaturas, indicar os respetivos motivos. 5. Até 10 dias úteis após o termo do prazo de apresentação das candidaturas, o júri fará publicar no site da Uni-CV as listas seriadas dos candidatos admitidos, nos termos referidos na alínea b) do n.? 1 do artigo Das listas a que se referem os números anteriores cabe recurso perante o Presidente do Conselho Diretivo da ECAA, a interpor no prazo de dois dias úteis após a data de publicação das mesmas, devendo a entidade de recurso decidir no mesmo prazo. 7. Decididos os recursos sobre as listas publicadas nos termos do n? 5, o júri mandará publicar no site da Uni-CV o calendário e os locais de realização das entrevistas, a que deverão comparecer os candidatos selecionados para o efeito, nos termos do presente regulamento, sob pena de exclusão liminar. 8. No termo das entrevistas, o júri submeterá ao/a Presidente do Conselho Diretivo da ECAA, para elaboração de um parecer que deverá acompanhar a lista seriada dos candidatos efetivos e 9

10 suplentes selecionados, nos termos referidos nas alíneas c) e d), n 1 do artigo 10, para efeitos de homologação pela Reitora. 9. Uma vez homologadas pelola Reitoria, com a observância do disposto no artigo seguinte, se couber, as listas referidas no número anterior serão publicadas no site da Uni-CV. 10. Das listas publicadas nos termos do número anterior, cabe reclamação perante ola Reitoria, a interpor no prazo de 48 horas (dias úteis). Artigo 25 (Reserva de direitos) 1. A ECAAlUni-CV reserva-se o direito de não selecionar ou não contratar candidatos que não ficarem classificados com uma pontuação mínima de 2,5 valores. 2. A ECAAlUni-CV reserva-se ainda o direito de condicionar a contratação de candidatos constantes das listas homologadas, às necessidades efetivas que resultarem da alteração do número de lugares a preencher, em função do preenchimento das vagas por outros meios legais de recrutamento. 3. Em caso de seleção de um candidato a um número de vagas a tempo parcial que ultrapasse o limite de remuneração previsto no n 3 do artigo 2., a ECAAlUni-CV reserva-se o direito de atribuir ao candidato as vagas que estiverem dentro desse limite, com a faculdade de livre escolha das mesmas. 4. Os direitos de reserva referidos nos números anteriores são exercidos no ato de homologação dos resultados finais do concurso pelola Reitoria. 5. A apresentação de qualquer candidatura ao concurso a que se refere o presente regulamento implica a aceitação tácita, pelo candidato, das reservas feitas nos números anteriores. Artigo 26 (Contratação) 1. Tendo em conta as listas homologadas pela Reitoria e observados os demais termos do presente regulamento, proceder-se-á à contratação dos candidatos selecionados. 2. A duração dos contratos terá em conta o disposto na lei e no presente regulamento. Artigo 27 (Dúvidas e casos omissos) As dúvidas e os casos omissos são resolvidos por despacho da Reitoria da Uni-CV. Artigo 28 (Entrada em vigor) O presente regulamento entra imediatamente em vigor, devendo ser publicado no site da Uni-CV conjuntamente com o edital de abertura do concurso. 10

11 ECAA em S. Jorge dos Órgãos, 01 de Julho de

GABINETE DA REITOR4 EDITAL

GABINETE DA REITOR4 EDITAL GABINETE DA REITOR4 EDITAL 1. A Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) pretende recrutar docentes com qualificações académicas e profissionais relevantes para a lecionação em diversas áreas disciplinares

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO Nº 17/2015 Regulamento Relativo ao Pessoal Docente Especialmente Contratado da Universidade de Évora

ORDEM DE SERVIÇO Nº 17/2015 Regulamento Relativo ao Pessoal Docente Especialmente Contratado da Universidade de Évora ORDEM DE SERVIÇO Nº 17/2015 Regulamento Relativo ao Pessoal Docente Especialmente Contratado da Universidade de Évora Considerando que cabe às instituições de ensino superior aprovar a regulamentação necessária

Leia mais

EDITAL. 2. Podem ser opositores ao concurso deste curso de mestrado:

EDITAL. 2. Podem ser opositores ao concurso deste curso de mestrado: EDITAL 1. Faz-se público que está aberto concurso para admissão ao Curso de Mestrado em Tecnologias de Informação e Comunicação em Educação, a iniciar no 1º semestre do ano letivo de 2015/2016 na Escola

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento dá cumprimento ao estabelecido no Regulamento dos Cursos de Pós-Graduação

Leia mais

Universidade Federal da Bahia Escola de Administração da UFBA Departamento de Sistemas e Processos Gerenciais

Universidade Federal da Bahia Escola de Administração da UFBA Departamento de Sistemas e Processos Gerenciais EDITAL INTERNO Nº 01/2012 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE DOCENTE POR TEMPO DETERMINADO O Chefe do da Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia UFBA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

DESPACHO. N.º 21 /2011 Data: 2011/05/30 Para conhecimento de: Pessoal Docente, Discente e Não Docente

DESPACHO. N.º 21 /2011 Data: 2011/05/30 Para conhecimento de: Pessoal Docente, Discente e Não Docente DESPACHO N.º 21 /2011 Data: 2011/05/30 Para conhecimento de: Pessoal Docente, Discente e Não Docente ASSUNTO: Regulamento de Cursos de Especialização Tecnológica da ESTeSL. No âmbito da sua missão e objectivos

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM 01 APROVADO POR: CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO 16 03 2012 Data: 16/03/2012 REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação)

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Nos termos do n.º 1 do artigo 10.º do Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso,

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO (Deliberação nº 50/2014)

CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO (Deliberação nº 50/2014) REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM MEIOS COMPLEMENTARES DE DIAGNÓSTICO EM ENFERMAGEM VETERINÁRIA MINISTRADO PELAS ESCOLAS SUPERIORES AGRÁRIAS DOS INSTITUTOS POLITÉCNICOS DE BRAGANÇA, DE CASTELO BRANCO,

Leia mais

Proposta de decreto-lei que altera o DL n.º 132/2012, de 27 de junho

Proposta de decreto-lei que altera o DL n.º 132/2012, de 27 de junho Proposta de decreto-lei que altera o DL n.º 132/2012, de 27 de junho (PREÂMBULO) Artigo 1.º Objeto O presente diploma procede à alteração do Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27 de junho. Artigo 2.º Alterações

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL.

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL. INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL Edição 2015-2017 Nos termos do Decreto -Lei n.º 42/2005, de pelo 22 de Fevereiro,

Leia mais

Regulamento Interno. Artigo 1º (Missão)

Regulamento Interno. Artigo 1º (Missão) Regulamento Interno O presente regulamento aplica-se a todos os Cursos de formação concebidos, organizados e desenvolvidos pelo Nucaminho - Núcleo dos Camionistas do Minho, com o objetivo de promover o

Leia mais

Recrutamento de um dirigente para a Autoridade da Mobilidade e dos. Transportes Ref.ª DAR/AMT-2015. Regulamento do Concurso

Recrutamento de um dirigente para a Autoridade da Mobilidade e dos. Transportes Ref.ª DAR/AMT-2015. Regulamento do Concurso Recrutamento de um dirigente para a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes Ref.ª DAR/AMT-2015 Regulamento do Concurso 1 A AMT pretende recrutar um dirigente para o desempenho de funções, em regime

Leia mais

Normas Regulamentares dos Mestrados Versão: 03 Data: 13/03/2013

Normas Regulamentares dos Mestrados Versão: 03 Data: 13/03/2013 Normas Regulamentares dos Mestrados Versão: 03 Data: 13/03/2013 RG PR12 04 Elaborado: Verificado: Aprovado: Conselho Técnico Científico do IPB GPGQ Conselho Técnico Científico do IPB Pág. 1 de 16 Instituto

Leia mais

AVISO BOLSA DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (BGCT)

AVISO BOLSA DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (BGCT) AVISO BOLSA DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (BGCT) O Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P./IPMA abre concurso, no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data de publicação deste anúncio,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARIQUEMES GABINETE DO PREFEITO EDITAL Nº. 001/2012

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARIQUEMES GABINETE DO PREFEITO EDITAL Nº. 001/2012 1 EDITAL Nº. 001/2012 O MUNICÍPIO DE ARIQUEMES, pessoa jurídica de direito público, inscrito no CNPJ sob o nº. 04.104.816/0001-16, estabelecido com sua sede administrativa, na Avenida Tancredo Neves, nº

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO - CEAD Nº 009/2013 Seleção Simplificada de Tutores Presenciais modalidade Educação

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. RESOLUÇÃO Nº 036/2012, DE 14 DE SETEMBRO DE 2012 Aprova as normas para concurso público de provimento de cargos de Professor de Nível Médio/Profissionalizante, Administrador Escolar, Supervisor Pedagógico

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 89 7 de Maio de 2010

Diário da República, 2.ª série N.º 89 7 de Maio de 2010 Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril Diário da República, 2.ª série N.º 89 7 de Maio de 2010 Regulamento n.º 416/2010 Regulamento das provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a

Leia mais

Mestrado Integrado em Medicina

Mestrado Integrado em Medicina Ao abrigo do disposto na alínea a) do artigo 26.º do Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de março, com a redação dada pelo Decreto-Lei n.º 115/2013, de 7 de agosto, e no exercício da competência conferida pela

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DO TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS TRANSPORTES EM TÁXI - DO MUNICÍPIO DE MIRANDELA

REGULAMENTO MUNICIPAL DO TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS TRANSPORTES EM TÁXI - DO MUNICÍPIO DE MIRANDELA REGULAMENTO MUNICIPAL DO TRANSPORTE PÚBLICO DE ALUGUER EM VEÍCULOS AUTOMÓVEIS LIGEIROS TRANSPORTES EM TÁXI - DO MUNICÍPIO DE MIRANDELA Nota justificativa (artigo 116.º do CPA) Em 22 de Dezembro de 2006,

Leia mais

SUPLEMENTO II SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência PARTE C. Terça-feira, 27 de maio de 2014 Número 101

SUPLEMENTO II SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência PARTE C. Terça-feira, 27 de maio de 2014 Número 101 II SÉRIE Terça-feira, 27 de maio de 2014 Número 101 ÍNDICE SUPLEMENTO PARTE C Ministério da Educação e Ciência Direção-Geral da Administração Escolar: Aviso n.º 6472-A/2014: Abertura do concurso externo

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições gerais. Artigo 1.º Objeto

CAPÍTULO I Disposições gerais. Artigo 1.º Objeto Nos termos do artigo 25º da Portaria nº 181-D/2015, de 19 de junho, aprova-se o Regulamento dos Regimes de Reingresso e de Mudança de Par Instituição/Curso na Escola Superior de Saúde Egas Moniz. CAPÍTULO

Leia mais

Regulamento dos Concursos Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior OUTUBRO, 2015

Regulamento dos Concursos Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior OUTUBRO, 2015 Regulamento dos Concursos Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior OUTUBRO, 2015 REG.CTC.08.01 Página 1 de 6 Regulamento dos Concursos Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior da Escola

Leia mais

EDITAL ESCOLA SUPERIOR DE ESTUDOS INDUSTRIAIS E DE GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO

EDITAL ESCOLA SUPERIOR DE ESTUDOS INDUSTRIAIS E DE GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO EDITAL ESCOLA SUPERIOR DE ESTUDOS INDUSTRIAIS E DE GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CONCURSO DE ACESSO AO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO PÓS-GRADUADA EM DIREÇÃO HOTELEIRA Edição 2014/2015 Fernando Flávio

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG. NORMA INTERNA Nº 01 2014 PPGEd 7 de janeiro de 2014

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG. NORMA INTERNA Nº 01 2014 PPGEd 7 de janeiro de 2014 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA UESB PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG NORMA INTERNA Nº 01 2014 PPGEd 7 de janeiro de 2014 Dispõe sobre a Disciplina iniciação à docência no ensino

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CENTRO FORMADOR DE RECURSOS HUMANOS CEFOR/SES-PB. CURSO TÉCNICO SAÚDE BUCAL

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CENTRO FORMADOR DE RECURSOS HUMANOS CEFOR/SES-PB. CURSO TÉCNICO SAÚDE BUCAL ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº. 06/2012/SES/CEFOR-PB A Secretaria do Estado da Saúde, através do CEFOR-PB, torna público para conhecimento dos interessados a realização de PROCESSO

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições gerais

CAPÍTULO I Disposições gerais CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito 1. São abrangidos por este concurso: a) Os titulares de um curso superior; b) Os titulares dos extintos cursos do Magistério Primário, de Educadores de Infância

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 059/2012-UAB-UEM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 059/2012-UAB-UEM EDITAL Nº 059/2012-UAB-UEM A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO: A abertura de inscrições do processo seletivo para contratação de TUTOR (PRESENCIAL)

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI NADIR DIAS DE FIGUEIREDO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI NADIR DIAS DE FIGUEIREDO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO OBJETIVO REGULAMENTO Art. 1.º Os cursos de pós-graduação lato sensu do SENAI de São Paulo, obedecem o que dispõe a Resolução CNE/CES n.º 1, de 8 de junho de 2007, do Conselho Nacional de Educação e

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO EDITAL Nº 003/2015.2

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO EDITAL Nº 003/2015.2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO EDITAL Nº 003/2015.2 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR POR PRAZO DETERMINADO O Chefe do Departamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DOUTORADO INTERINSTITUCIONAL EM FILOSOFIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DOUTORADO INTERINSTITUCIONAL EM FILOSOFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DOUTORADO INTERINSTITUCIONAL EM FILOSOFIA CHAMADA INTERNA N. 01-2009 PROCESSO DE INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE DOCENTES ESTÁVEIS DA UFMA

Leia mais

DESPACHO/SP/42/2014. Artigo 17.º. Enquadramento jurídico

DESPACHO/SP/42/2014. Artigo 17.º. Enquadramento jurídico DESPACHO/SP/42/2014 Aprovo a seguinte alteração ao Regulamento do Mestrado em Fisioterapia na área de especialização de movimento humano, ministrado na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra

Leia mais

EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO DE MESTRADO EM FISIOTERAPIA ANO LECTIVO DE 2015/2016 REPUBLICAÇÃO

EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO DE MESTRADO EM FISIOTERAPIA ANO LECTIVO DE 2015/2016 REPUBLICAÇÃO EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO DE MESTRADO EM FISIOTERAPIA ANO LECTIVO DE 2015/2016 REPUBLICAÇÃO Agostinho Luís da Silva Cruz, Presidente da Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto (ESTSP),

Leia mais

CURSO DE PSICOLOGIA REGIMENTO DO CONCURSO PARA PROFESSOR ÁREA: PSICOLOGIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL

CURSO DE PSICOLOGIA REGIMENTO DO CONCURSO PARA PROFESSOR ÁREA: PSICOLOGIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL CURSO DE PSICOLOGIA REGIMENTO DO CONCURSO PARA PROFESSOR ÁREA: PSICOLOGIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL A COORDENAÇÃO DO CURSO DE PSICOLOGIA, conforme Portaria nº 1100/2012, e o NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO. (2º Ciclo de Estudos)

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO. (2º Ciclo de Estudos) REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO (2º Ciclo de Estudos) - não se aplica aos perfis da formação de professores - 1/8 O grau de mestre é conferido aos que demonstrem: a) possuir conhecimentos e capacidade

Leia mais

EDITAL Nº.10 /2015. 1.5. As contratações decorrentes deste processo seletivo obedecerão ao que determina a Lei Municipal nº 2011/2012.

EDITAL Nº.10 /2015. 1.5. As contratações decorrentes deste processo seletivo obedecerão ao que determina a Lei Municipal nº 2011/2012. EDITAL Nº.10 /2015 O MUNICÍPIO DE JOÃO MONLEVADE, através da Secretaria Municipal de Educação, torna público que estarão abertas as inscrições para o Processo Seletivo Público Simplificado visando a formação

Leia mais

E D I T A L 001 / EAD/ UFSC CSE-CCN / 2013

E D I T A L 001 / EAD/ UFSC CSE-CCN / 2013 E D I T A L 001 / EAD/ UFSC CSE-CCN / 2013 A Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, através da FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS SÓCIO-ECONÔMICOS (FEPESE), torna pública as normas que regerão o Processo

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE ACESSO A CURSOS DE MESTRADOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA.

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE ACESSO A CURSOS DE MESTRADOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA. INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE ACESSO A CURSOS DE MESTRADOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA Edição 2014-2016 Nos termos do Decreto -Lei n.º 42/2005, de pelo 22 de

Leia mais

Recrutamento de um técnico superior jurista para a. Autoridade da Mobilidade e dos Transportes Ref.ª D1/AMT-2015. Regulamento do Concurso

Recrutamento de um técnico superior jurista para a. Autoridade da Mobilidade e dos Transportes Ref.ª D1/AMT-2015. Regulamento do Concurso Recrutamento de um técnico superior jurista para a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes Ref.ª D1/AMT-2015 Regulamento do Concurso 1 A AMT pretende recrutar um técnico superior jurista para o desempenho

Leia mais

EDITAL Nº 001 /2013 2. DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA INSCRIÇÃO

EDITAL Nº 001 /2013 2. DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA INSCRIÇÃO EDITAL Nº 001 /2013 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA ADMISSÃO DE PESSOAL EM CARÁTER TEMPORÁRIO (ACT) PARA A FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL/ ANO 2013. O Prefeito Municipal de

Leia mais

REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM ANIMAÇÃO DIGITAL

REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM ANIMAÇÃO DIGITAL REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM ANIMAÇÃO DIGITAL CAPÍTULO I GRAU DE MESTRE Artigo 1.º Criação A ESAP Guimarães confere o grau de Mestre em Animação Digital. O ciclo de estudos

Leia mais

CRONOGRAMA DO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES 2015/2º SEM.

CRONOGRAMA DO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES 2015/2º SEM. CRONOGRAMA DO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES 2015/2º SEM. ATIVIDADES DATAS Publicação do Edital 29 de agosto de 2015 Período de inscrições de 31 de agosto a 29 de setembro de 2015 Período de realização

Leia mais

Reitoria. Universidade do Minho, 16 de fevereiro de 2012

Reitoria. Universidade do Minho, 16 de fevereiro de 2012 Reitoria Despacho RT-12/2012 Por proposta do Conselho Pedagógico do Instituto de Ciências Sociais, é homologado o Regulamento do Ciclo de Estudos Conducente à obtenção do Grau de Mestre em Geografia, anexo

Leia mais

EDITAL Nº. 09/2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO, POR TEMPO DETERMINADO, DE CUIDADOR EM EDUCAÇÃO ESPECIAL

EDITAL Nº. 09/2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO, POR TEMPO DETERMINADO, DE CUIDADOR EM EDUCAÇÃO ESPECIAL EDITAL Nº. 09/2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO, POR TEMPO DETERMINADO, DE CUIDADOR EM EDUCAÇÃO ESPECIAL O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE TAUÁ-CEARÁ, Prof. João Álcimo

Leia mais

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº. 36/2015 TANGARÁ DA SERRA GESTÃO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº. 36/2015 TANGARÁ DA SERRA GESTÃO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC/AR/MT, torna público para conhecimento dos interessados que se encontram abertas às inscrições para candidatos ao cargo abaixo relacionado para ser contratado

Leia mais

EDITAL Nº 409/14 -PROGEPE CONCURSO PÚBLICO

EDITAL Nº 409/14 -PROGEPE CONCURSO PÚBLICO Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas EDITAL Nº 409/14 -PROGEPE CONCURSO PÚBLICO Por delegação de competência do Magnífico Reitor da Universidade Federal

Leia mais

4912 Diário da República, 1.ª série N.º 168 30 de agosto de 2012

4912 Diário da República, 1.ª série N.º 168 30 de agosto de 2012 4912 Diário da República, 1.ª série N.º 168 30 de agosto de 2012 Cláusula 4.ª Competências reconhecidas à escola Com o presente contrato, o Ministério da Educação e Ciência reconhece à escola as seguintes

Leia mais

PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR ESPECIAL DE VERÃO 2010

PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR ESPECIAL DE VERÃO 2010 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR ESPECIAL DE VERÃO 2010 EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÃO O Reitor do Centro Universitário Feevale, instituição de ensino superior recredenciada pela Portaria nº. 1.566, de 27

Leia mais

REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM DESENHO

REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM DESENHO REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM DESENHO CAPÍTULO I GRAU DE MESTRE Artigo 1.º Criação A ESAP - Guimarães confere o grau de Mestre em Desenho com Especialização em Prática

Leia mais

Regulamento dos concursos especiais para acesso e ingresso ao ensino superior na Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão Machado

Regulamento dos concursos especiais para acesso e ingresso ao ensino superior na Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão Machado ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DR. JOSÉ TIMÓTEO MONTALVÃO MACHADO Regulamento dos concursos especiais para acesso e ingresso ao ensino superior na Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso Página 1 de 10 REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO Preâmbulo A Portaria n.º 401/2007, de 5 de

Leia mais

Nº 005/2013 - EAD PROCESSO SELETIVO UNIFICADO 1º

Nº 005/2013 - EAD PROCESSO SELETIVO UNIFICADO 1º UNIMES Universidade Metropolitana de Santos Núcleo de Educação a Distância EDITAL Nº 005/2013 - EAD PROCESSO SELETIVO UNIFICADO 1º Semestre de 2014 Modalidade: Educação a Distância O Prof. Dr. Daniel Carreira

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE VISEU REGULAMENTO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE VISEU REGULAMENTO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE VISEU REGULAMENTO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objeto e âmbito O presente regulamento

Leia mais

Despacho. Regulamento dos Concursos de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso

Despacho. Regulamento dos Concursos de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso Despacho Regulamento dos Concursos de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso Tendo em consideração que: a) De acordo com o estipulado no artigo 10º da Portaria nº 401/2007, de 5 de Abril, o Regulamento

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU RESOLUÇÃO N.º 507/2007 Publicada no D.O.E. de 08/09-12-2007, pág. 24 Altera a Resolução Nº. 634/04 CONSEPE, que aprova o Regulamento de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPÁRTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA ESCOLA TÉCNICA ABERTA DO BRASIL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPÁRTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA ESCOLA TÉCNICA ABERTA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPÁRTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROGRAMA ESCOLA TÉCNICA ABERTA DO BRASIL PROCESSO SELETIVO nº. 27/2015/DEAD EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROFESSOR

Leia mais

Normas Regulamentares do Curso de Jornalismo Comunicação e Cultura

Normas Regulamentares do Curso de Jornalismo Comunicação e Cultura 0 APROVADO POR: Conselho Técnico-Científico 20 10 2010 Data: / / 20 10 2010 Normas Regulamentares do Curso de Jornalismo Comunicação e Cultura 1. INTRODUÇÃO As presentes normas aplicam se aos cursos de

Leia mais

REGULAMENTO DA FORMAÇÃO NÃO GRADUADA SECÇÃO I COORDENADOR DE CURSO. Artigo 1.º Coordenador de Curso

REGULAMENTO DA FORMAÇÃO NÃO GRADUADA SECÇÃO I COORDENADOR DE CURSO. Artigo 1.º Coordenador de Curso REGULAMENTO DA FORMAÇÃO NÃO GRADUADA SECÇÃO I COORDENADOR DE CURSO Artigo 1.º Coordenador de Curso 1. A coordenação pedagógica e científica de um curso de formação não graduada cabe, em regra, a um docente

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 019/2016-UAB-UEM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 019/2016-UAB-UEM EDITAL Nº 019/2016-UAB-UEM A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO: A abertura de inscrições do processo seletivo para contratação e formação de

Leia mais

EDUCAÇÃO POBREZA E DESIGUALDADE SOCIAL

EDUCAÇÃO POBREZA E DESIGUALDADE SOCIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CÂMPUS DE MIRACEMA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM EDUCAÇÃO POBREZA E DESIGUALDADE SOCIAL Av. Lourdes Solino s/nº Setor Universitário 77650-000 Miracema do Tocantins/TO

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu. Instituto Politécnico de Viseu REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS

Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu. Instituto Politécnico de Viseu REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu Instituto Politécnico de Viseu REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS Nos termos do artigo 26.º do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de Março,

Leia mais

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM DIREITO Sumário CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... 1 CAPÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO DO PROGRAMA...2 CAPÍTULO III DO CORPO DOCENTE,

Leia mais

Artigo 3º Bolsas de Investigação para Frequência de Estágios

Artigo 3º Bolsas de Investigação para Frequência de Estágios PROGRAMA OPERACIONAL DE VALORIZAÇÃO DO POTENCIAL HUMANO E COESÃO SOCIAL DA RAM EIXO I EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO FORMAÇÃO AVANÇADA DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE FORMAÇÃO AVANÇADA E QUALIFICAÇÃO DE RECURSOS

Leia mais

CONCURSO DE ACESSO AOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EDIÇÃO 2015/2016 2.º SEMESTRE

CONCURSO DE ACESSO AOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EDIÇÃO 2015/2016 2.º SEMESTRE O Presidente do Instituto Superior de Engenharia do Porto, João Manuel Simões da Rocha faz saber: 1. É aberto o calendário constante do Anexo I, o concurso de acesso para frequência, no 2.º semestre do

Leia mais

Serviço Público Federal. CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA _ 10ª REGIÃO JURISDIÇÃO Pará/Amapá

Serviço Público Federal. CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA _ 10ª REGIÃO JURISDIÇÃO Pará/Amapá CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DA 10ª REGIÃO Pa-Ap PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO Edital de Processo Seletivo Simplificado nº 01/2015 O Conselho Regional de Psicologia 10ª Região

Leia mais

Ministérios das Finanças e dos Negócios Estrangeiros

Ministérios das Finanças e dos Negócios Estrangeiros Ministérios das Finanças e dos Negócios Estrangeiros Portaria n.º /2010 Contratação temporária para o Ensino Português no Estrangeiro Nos termos do artigo 32.º do Decreto-Lei n.º 165/2006, de 11 de Agosto,

Leia mais

ACORDO DE PRINCÍPIOS PARA A REVISÃO DO ESTATUTO DA CARREIRA DOCENTE E DO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS PROFESSORES DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO

ACORDO DE PRINCÍPIOS PARA A REVISÃO DO ESTATUTO DA CARREIRA DOCENTE E DO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS PROFESSORES DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO ACORDO DE PRINCÍPIOS PARA A REVISÃO DO ESTATUTO DA CARREIRA DOCENTE E DO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS PROFESSORES DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO E DOS EDUCADORES DE INFÂNCIA Considerando a vontade comum do

Leia mais

Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Disposição geral Objeto

Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Disposição geral Objeto Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa SECÇÃO A Disposição geral Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define as normas aplicáveis

Leia mais

Edital N.º 032/2014 CPV Boa Vista, 27 de fevereiro de 2014.

Edital N.º 032/2014 CPV Boa Vista, 27 de fevereiro de 2014. Edital N.º 032/2014 CPV Boa Vista, 27 de fevereiro de 2014. A Universidade Federal de Roraima-UFRR, por meio da Comissão Permanente de Vestibular CPV, torna público o Processo Seletivo Simplificado, para

Leia mais

O perfil do tutor deverá estar de acordo com os seguintes quadros de distribuição de vagas.

O perfil do tutor deverá estar de acordo com os seguintes quadros de distribuição de vagas. EDITAL DE PROCESSO SELETIVO - CEAD Nº01/2014 Seleção Simplificada de Tutores Presenciais modalidade Educação a Distância Programa Universidade Aberta do Brasil UAB 2014 Seleção Simplificada de Tutores

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO (lato sensu) CAPITULO I DA CONSTITUIÇÃO, NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS DOS CURSOS

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO (lato sensu) CAPITULO I DA CONSTITUIÇÃO, NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS DOS CURSOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA R E I T O R I A Rua Esmeralda, 430-97110-060 Faixa Nova Camobi Santa

Leia mais

EDITAL N.º 016/2016 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSANTES NO CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO MODALIDADE LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM AGRONEGÓCIO

EDITAL N.º 016/2016 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSANTES NO CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO MODALIDADE LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM AGRONEGÓCIO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSANTES NO CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO MODALIDADE LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM AGRONEGÓCIO O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

A V I S O nº 3/2015 SORTEIO Nº 2/JFM/2015 LUGARES PARA VENDA DE PRODUTOS NA FEIRA DE ARTESANATO E VELHARIAS DO PRÍNCIPE REAL

A V I S O nº 3/2015 SORTEIO Nº 2/JFM/2015 LUGARES PARA VENDA DE PRODUTOS NA FEIRA DE ARTESANATO E VELHARIAS DO PRÍNCIPE REAL A V I S O nº 3/2015 SORTEIO Nº 2/JFM/2015 LUGARES PARA VENDA DE PRODUTOS NA FEIRA DE ARTESANATO E VELHARIAS DO PRÍNCIPE REAL Avisam-se todos os interessados que entre os dias 30 de Março e 24 de Abril

Leia mais

EDITAL Nº 13 DE 12 JULHO DE 2010 PROCESSO DE SELEÇÃO DO CURSO A DISTÂNCIA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO

EDITAL Nº 13 DE 12 JULHO DE 2010 PROCESSO DE SELEÇÃO DO CURSO A DISTÂNCIA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS - UFT PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS. CENTRO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS CTE EDITAL Nº 13 DE 12 JULHO DE 2010 PROCESSO

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DO CENTRO DE ESTUDOS EM DIREITO DO ORDENAMENTO, DO URBANISMO E DO AMBIENTE

REGULAMENTO DOS CURSOS DO CENTRO DE ESTUDOS EM DIREITO DO ORDENAMENTO, DO URBANISMO E DO AMBIENTE CAPÍTULO I CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO DO ORDENAMENTO, DO URBANISMO E DO AMBIENTE Artigo 1.º (Constituição do Curso) 1. O Curso de Especialização em Direito do Ordenamento, do Urbanismo e do Ambiente

Leia mais

REGIMENTO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO

REGIMENTO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO REGIMENTO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - O

Leia mais

1. Do número de vagas para professor pesquisador conteudista para as disciplinas da primeira etapa do Módulo I:

1. Do número de vagas para professor pesquisador conteudista para as disciplinas da primeira etapa do Módulo I: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Edital Nº 06/202 Processo Seletivo para Professor Pesquisador

Leia mais

Atribuição de Bolsas de Estudo aos Alunos do Ensino Superior. Preâmbulo

Atribuição de Bolsas de Estudo aos Alunos do Ensino Superior. Preâmbulo Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo aos Alunos do Ensino Superior Preâmbulo O desenvolvimento das sociedades democráticas exige cada vez mais políticas educativas que promovam uma efectiva

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UNIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA UEAD CURSO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS - VIRTUAL. EDITAL n 01/2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UNIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA UEAD CURSO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS - VIRTUAL. EDITAL n 01/2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UNIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA UEAD CURSO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS - VIRTUAL EDITAL n 01/2015 CONSULTA ELEITORAL PARA COORDENADOR E VICE-COORDENADOR DO CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

SELEÇÃO PARA ENTRADA NO PRIMEIRO PERÍODO LETIVO DE 2015

SELEÇÃO PARA ENTRADA NO PRIMEIRO PERÍODO LETIVO DE 2015 AGENDA MUDANÇA INTERNA DE CURSO SELEÇÃO PARA ENTRADA NO PRIMEIRO PERÍODO LETIVO DE 2015 16 a 18/9/2014 Período de inscrição - Internet 19/9/2014 Último dia para o candidato entregar seu Currículo à PRG

Leia mais

EDITAL 002/2015 ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO DESTINADO AO DESENVOLVIMENTO DE ESTÁGIOS JUNTO AO MUNICÍPIO DE PALMAS ESTADO DO PARANÁ

EDITAL 002/2015 ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO DESTINADO AO DESENVOLVIMENTO DE ESTÁGIOS JUNTO AO MUNICÍPIO DE PALMAS ESTADO DO PARANÁ EDITAL 002/2015 ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO DESTINADO AO DESENVOLVIMENTO DE ESTÁGIOS JUNTO AO MUNICÍPIO DE PALMAS ESTADO DO PARANÁ O CENTRO DE INTEGRAÇÃO NACIONAL DE ESTÁGIOS PARA ESTUDANTES CEINEE torna

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua assinatura. São Bernardo do Campo, 14 de março de 2013 PROF. DR. MARCIO DE MORAES REITOR

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua assinatura. São Bernardo do Campo, 14 de março de 2013 PROF. DR. MARCIO DE MORAES REITOR RESOLUÇÃO CONSUN Nº 04/2013 Aprova Edital do Processo Seletivo do Programa de integralização de créditos para a conclusão do Curso Superior de Teologia 2º semestre de 2013 na modalidade a distância O Conselho

Leia mais

Regulamento de Funcionamento e Avaliação dos Mestrados da APNOR

Regulamento de Funcionamento e Avaliação dos Mestrados da APNOR ASSOCIAÇÃO DE POLITÉCNICOS DO NORTE (APNOR) Instituto Politécnico de Bragança Instituto Politécnico do Cávado e do Ave Instituto Politécnico do Porto Instituto Politécnico de Viana do Castelo Regulamento

Leia mais

R E G U L A M E N T O

R E G U L A M E N T O R E G U L A M E N T O REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO JUNHO 2013 APROVADO PELO DESPACHO IPP/P-050/2013 [1 11] ÍNDICE Objeto... 3 Âmbito... 3 Conceitos...

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA

CIRCULAR INFORMATIVA CIRCULAR INFORMATIVA Nº. 47 Data: 2013/12/04 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente ASSUNTO: - Regulamento de Formação Contínua. Para os devidos efeitos, informa-se a comunidade

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTÍNUA DA FEUP

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTÍNUA DA FEUP REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTÍNUA DA FEUP Aprovado em 17 de janeiro de 2012 por Despacho do Diretor ao abrigo da competência consagrada na alínea m) do artigo 17.º dos Estatutos da FEUP 1 ENQUADRAMENTO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROCESSO SELETIVO nº33/2014/dead/2014/dead EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROFESSOR ORIENTADOR DEAD RETIFICADO A Reitora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC), no uso

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 154 / 2015. Assunto: Dispõe sobre seleção interna e externa de docentes

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 154 / 2015. Assunto: Dispõe sobre seleção interna e externa de docentes CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 154 / 2015 Assunto: Dispõe sobre seleção interna e externa de docentes O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão do Centro

Leia mais

Critérios e metodologia de admissão e de classificação e ordenação dos candidatos

Critérios e metodologia de admissão e de classificação e ordenação dos candidatos CONCURSO DOCUMENTAL PARA UM LUGAR DE PROFESSOR COORDENADOR PARA O SETOR DE ÁREAS DISCIPLINARES DE PSICOLOGIA E CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ÁREA DISCIPLINAR PSICOLOGIA SOCIAL, COMPORTAMENTO E COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL.

Leia mais

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário. ATO ADMINISTRATIVO REITORIA Nº 15/2015 Aprova o Edital do Processo Seletivo do Programa de Integralização de Créditos para a Conclusão do Curso Superior de Teologia Vestibular 2º semestre de 2015 O REITOR

Leia mais

Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra

Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento fixa as normas gerais relativas a matrículas e inscrições nos cursos do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra. Artigo 2.º Definições De

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSANTES NO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MODALIDADE LATO SENSU

PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSANTES NO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MODALIDADE LATO SENSU PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSANTES NO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MODALIDADE LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL E EDUCAÇÃO E GESTÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL A REITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Centro Universitário do Maranhão UNICEUMA CEPE

Centro Universitário do Maranhão UNICEUMA CEPE RESOLUÇÃO Nº 056/2010 Dispõe sobre a admissão à monitoria e seu exercício, e dá outras providências. A Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão do Centro Universitário do Maranhão, no uso

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS EDITAL PRORH Nº 126/2010

PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS EDITAL PRORH Nº 126/2010 PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS EDITAL PRORH Nº 126/20 A PRÓ-REITOR DE RECURSOS HUMANOS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA, no uso de suas atribuições estatutárias e regimentais, para atender à

Leia mais

CURSO MÓDULOS CARGA-HORÁRIA CARGA-HORÁRIA Presencial À distância TOTAL. (duzentas) horas

CURSO MÓDULOS CARGA-HORÁRIA CARGA-HORÁRIA Presencial À distância TOTAL. (duzentas) horas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO EDITAL PARA SELEÇÃO DE

Leia mais

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO Aprovado em reunião da Comissão Coordenadora do Conselho Científico em 22/11/2006 Aprovado em reunião de Plenário do Conselho Directivo em 13/12/2006 PREÂMBULO

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS - CCSA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTABILIDADE PPGC EDITAL Nº 017/2015-PPGC

CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS - CCSA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTABILIDADE PPGC EDITAL Nº 017/2015-PPGC CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS - CCSA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTABILIDADE PPGC EDITAL Nº 017/2015-PPGC 1 PREAMBULO Estabelece as normas para o processo seletivo de alunos regulares no Programa

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1. Objeto

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1. Objeto REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1. Objeto O presente Regulamento estabelece o regime de eleição dos membros que integrarão

Leia mais

EDITAL DE OBTENÇÃO DE NOVO TÍTULO 1º semestre de 2016

EDITAL DE OBTENÇÃO DE NOVO TÍTULO 1º semestre de 2016 EDITAL DE OBTENÇÃO DE NOVO TÍTULO 1º semestre de 2016 O Diretor Acadêmico da Faculdade de Direito de Contagem, Prof. Dr. Luiz Moreira Gomes Júnior, no uso de suas atribuições, e considerando o disposto

Leia mais