ESTRUTURA S.F.N. COMPOSIÇÃO DO CMN: CMN 17/6/2011

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTRUTURA S.F.N. COMPOSIÇÃO DO CMN: CMN 17/6/2011"

Transcrição

1 CONCURSO BB 2011 ESTRUTURA S.F.N. CONHECIMENTOS BANCÁRIOS 1 2 CMN CMN compete: - estabelecer as diretrizes gerais das políticas monetária, cambial e creditícia. - regular as condições de constituição, funcionamento e fiscalização das instituições financeiras - disciplinar os instrumentos de política monetária e cambial. COMPOSIÇÃO DO CMN: MINISTRO DA FAZENDA MINISTRO DO PLANEJAMENTO PRESIDENTE DO BACEN DICA: CONHECIMENTOS GERAIS X CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

2 FCC PERGUNTA: Reuniões: CMN X COPOM 7 8 CUIDADO: COMOC X SUMOC BACEN O Banco Central do Brasil é uma autarquia federal integrante do Sistema Financeiro Nacional sendo vinculado ao Ministério da Fazenda. É a autoridade monetária principal do país, tendo recebido esta competência de três instituições diferentes: SUMOC, BANCO DO BRASIL E TESOURO NACIONAL 9 10 CMN BACEN EXTINGUE A SUMOC REFORMA 64 ATENÇÃO: BACEN É SECRETÁRIA EXECUTIVA DO CMN BACEN ÉFISCALIZADOR E REGULAMENTADOR DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS BACEN É SECRETÁRIA EXECUTIVA DO COMOC AS REUNIÕES DO COPOM OCORREM NO BACEN NÃO SOFRE HIERARQUIA DO MINIFAZ

3 CAIU BB E CAIU FCC: IMPORTANTE FCC Ele atua como verdadeiro guardião da moeda, garantindo força a e equilíbrio ao mercado financeiro e da economia, protegendo seu valor, impedindo que os gastos dos recursos sejam bancados pela Emissão de dinheiro, fator de desvalorização da moeda. COPOM foi instituído em 20 de junho de 1996, com o objetivo de estabelecer as diretrizes da política monetária e de definir a taxa de juros. Responsável por emitir o RELATÓRIO RIO DA INFLAÇÃO ÃO 08 reuniões ordinárias rias por ano 08 membros (presidente do bacen + 07 diretores) O SELIC! O SELIC (SISTEMA DE LIQUIDAÇÃO E CUSTÓDIA) O Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic), do Banco Central do Brasil, é um sistema informatizado que se destina à custódia de títulos escriturais de emissão do Tesouro Nacional, bem como ao registro e à liquidação de operações com esses títulos. CETIP Éuma sociedade administradora de mercados de balcão organizados, ou seja, de ambientes de negociação e registro de valores mobiliários, títulos públicos e privados de renda fixa e derivativos de balcão. Os títulos públicos são os estaduais e municipais emitidos após s janeiro de SELIC X CETIP S.A SELIC TODOS OS TITULOS ATÉ 1992 CETIP TITULOS PÚBLICOS ESTADUAIS E MUNICIPAIS DESDE 1992 CVM Objetivos principais: Estimular o investimento no mercado acionário; Proteger os titulares de valores mobiliários contra as emissões irregulares e outros atos ilegais; Assegurar o funcionamento eficiente e regular das Bolsas e Instituições auxiliares que operem nesse mercado

4 BANCO DO BRASIL Banco do Brasil BB Éum conglomerado financeiro de economia mista que atua como banco múltiplo e têm suas ações negociadas em Bolsa. Atua como agente financeiro do Governo Federal. O BB éo principal executor das políticas oficial de crédito e rural. Entre as suas múltiplas funções, o Banco do Brasil realiza: BANCO DO BRASIL Financiar as atividades industriais e rurais; Execução do serviço da dívida pública consolidada; Agenciamento dos pagamentos e recebimentos fora do País; Executa a política de preços mínimos dos produtos agropastoris; Aquisição e o financiamento dos estoques de produtos exportável; MAIS PEDIDAS SOBRE BB: Operações cambiais e da continuidade a política de comércio exterior; Recebe o depósito compulsório dos bancos comerciais em nome do Bacen; Operação dos fundos de investimento setorial como Pesca e Reflorestamento; Financiamento para aquisição e instalação da pequena e média propriedade rural; Pagamentos e suprimentos necessários à execução do Orçamento Geral da União; BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES Criado em 1952 éo principal órgão de execução da política de investimento de longo prazo do Governo Federal. Éa principal instituição financeira de fomento do país BNDES Objetivos básicos: Diminuir os desequilíbrios regionais; Fortalecer o setor empresarial nacional; DICA: Gerir todo o processo de privatização das empresas estatais; BNDES Impulsionar o desenvolvimento econômico e social do país; Promover o crescimento e a diversificação das exportações; Promover o desenvolvimento integrado das atividades agrícolas, industriais e de serviços

5 DICAS BNDES Para isso, o BNDES conta com recursos próprios, recebe doações de entidades nacionais e internacionais e administra diversos programas, como o FINAME Fundo de Financiamento para aquisição de equipamentos. Também existem bancos de desenvolvimento estaduais, como o Banco do Nordeste do Brasil S.A. BNBe o Banco da Amazônia S.A. BASA AGÊNCIA DE FOMENTO: As agências de fomento têm como objeto social a concessão de financiamento de capital fixo e de giro associado a projetos na Unidade da Federação onde tenham sede. Devem ser constituídas sob a forma de sociedade anônima de capital fechado e estar sob o controle de Unidade da Federação ão, sendo que cada Unidade só pode constituir uma agência CAIXA Éa instituição financeira responsável pela operacionalização das políticas do Governo Federal para a habitação popular e saneamento básico. Caracteriza se mais como um banco de apoio ao trabalhador de baixa renda. BANCOS COMERCIAIS Os bancos comerciais, por suas múltiplas m funções, constituem a base do Sistema Monetário Nacional, são, sem dúvida, d a mais conhecida das instituições financeiras. Seu objetivo principal é proporcionar o suprimento oportuno e adequado de recursos necessários para financiar, a curto e médio m prazo, o comércio, indústria, as empresas prestadoras de serviços e as pessoas físicas. f BANCOS MÚLTIPLOSM Os bancos múltiplos são instituições financeiras privadas ou públicas que realizam as operações ativas, passivas e acessórias das diversas instituições financeiras. O banco múltiplo deve ser constituído com, no mínimo, duas carteiras, sendo uma delas, obrigatoriamente, comercial ou de investimento, e ser organizado sob a forma de sociedade anônima. Sociedades Corretoras CCVM São as instituições típicas do mercado acionário, operando com compra, venda e destruição de títulos e valores mobiliários por conta de terceiros. Sua constituição depende de autorização do Banco central, e o exercício de sua atividade depende de autorização da CVM

6 LEASING Sociedades Distribuidoras DTVM São as Sociedades Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, sua atuação émais restrita do que as Corretoras. Sociedades de Arrendamento Mercantil Leasing São empresas típicas de concessão de crédito. Em linhas gerais, a operação de leasing se assemelha a uma locação, tendo o cliente, ao final do contrato, as opções de renovar, adquirir ou devolver o bem àempresa que o financiou As operações de leasing são regulamentadas pela CMN SISTEMA DE SEGUROS PRIVADOS CNSP SUSEP (FCC SEMPRE CAI) CNPC PREVIC SOCIEDADE SEGURADORA RESSEGUROS SOCIEDADE CORRETORA SEGURO O QUE É SEGURO? Dá se o nome de seguro (do latim "securu") a todo contrato pelo qual uma das partes, segurador, se obriga a indenizar a outra, segurado, em caso da ocorrência de determinados sinistro, em troca do recebimento de um prêmio de seguro O QUE É SINISTRO? Sinistro refere se a qualquer evento em que o bem segurado sofre um acidente ou prejuízo material. Representa a materialização do risco, causando perda financeira para a seguradora. CNSP CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS, RESPONSÁVEL POR: REGULAR, REGULAMENTAR, DELIBERAR TUDO SOBRE O SISTEMA NACIONAL DE SEGUROS PRIVADO

7 SUSEP AUTARQUIA FEDERAL. FISCALIZA AS SEGURADORAS E OPERADORES DE SEGURO PRIVADO. FISCALIZA SOCIEDADES DE CAPITALIZAÇÃO. FISCALIZA PREVIDENCIA COMPLEMENTAR ABERTA EXECUTA AS NORMAS CRIADAS PELO CNSP PEGADINHA: SE A SUSEP NÃO FISCALIZA AS PREVIDENCIAS COMPLEMENTARES FECHADAS, QUEM FISCALIZA? PREVIC AUTARQUIA, RESPONSÁVEL POR FISCALIZAR OS FUNDOS DE PENSÃO! FUNDOS DE PENSÃO = PREVIDENCIA COMPLEMENTAR FECHADA EXECUTA AS REGRAS, NORMAS, RESOLUÇÕES CRIADAS PELA CNPC PEGADINHA: CNPC X CNSP! CNPC RESSEGUROS CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: CRIA REGRAS SOBRE A PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PRIVADA PREVIC ÉSUA SECRETARIA EXECUTIVA. DICA: ORGÃO DO MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA 39 PÚBLICO OU PRIVADO SEGURO DO SEGURO! S.A IRB RE.S.A RE.S.A VINCULADO AO MINISTÉRIO DA FAZENDA. ABERTURA PARA ENTIDADES PRIVADAS OPERAR DESDE 2007 FISCALIZADOS POR SUSEP! 40 COSSEGUROS CORRETORAS DE SEGUROS REPARTIÇÃO DO MESMO RISCO POR 02 (DUAS) OU MAIS SOCIDADES SEGURADORAS. ÚNICA APÓLICE OU DIVERSAS APÓLICES. SEGURADORA LIDER PESSOA FISICA OU JURIDICA FILIADOS A FENACOR AUTONOMAS OU CATIVAS

8 CAPITALIZAÇÃO depósito periódico de prestações pecuniárias pelo contratante, o qual terá,, depois de cumprido o prazo contratado, o direito de resgatar parte dos valores depositados corrigidos por uma taxa de juros estabelecida contratualmente. CONCORRE A PRÊMIOS. PREVIDÊNCIA ABERTA X FECHADA ABERTA: S.A, VISA LUCROS, SUSEP FISCALIZA FECHADA: SOCIEDADE CIVIL, NÃO VISA LUCROS, PREVIC FISCALIZA VV, VC, AM MERCADO A TERMO 30, 60, 90, 120 E 180 DIAS 20% MINIMO DE GARANTIA 100% MAXIMO DE GARANTIA PUT OU CALL MERCADO DE OPÇÕES: VENDA DE UMA CERTA QUANTIDADE DE AÇÕES, A UM PREÇO PRÉ FIXADO ATÉ UMA DATA DETERMINADA LIQUIDAÇÃO INTEGARAL OU PARCIAL (PRO RATA) LOTE DE AÇÕESA MERCADO FUTURO DATAS DE LIQUIDAÇÃO FUTURA DEPÓSITO DE MARGENS PELOS DETENTORES DE POSIÇÃO DE COMPRA E VENDA DATAS PRE FIXADAS PELA BOLSA. SWAP TROCA OU PERMUTA TROCA DE RENTABILIDADE E RISCO ENTRE INVESTIDORES PERIGO DE CONTRATO ATRELADO AO CAMBIO CETIP EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇAO MERCADO FINANCEIRO INTERNACIONAL

9 BB - SC Prof. Rodrigo Canda Conhecimentos Bancários 1. (CESPE) Está previsto o funcionamento também junto ao CMN de comissões consultivas de Normas e Organização do Sistema Financeiro,de Mercado de Valores Mobiliários e de Futuros, de Crédito Rural, de Crédito Industrial, de Crédito Habitacional e para Saneamento e Infra-Estrutura Urbana, de Endividamento Público e de Política Monetária e Cambial. 2. Baseado nos modelos norte americano e alemão, com maior autonomia, o COPOM Comitê de Política Monetária do Banco Central -, instituído em 1996, tem como principal função a discussão sobre o rumo da política monetária do Brasil, por isso seus objetivos são implementar a política monetária, definir a meta da taxa Selic e seu eventual viés, e analisar o 'Relatório de Inflação' 3. A Casa da Moeda do Brasil, responsável pela fabricação da Moeda no Brasil, trata-se de : (A) Empresa Pública, vinculada ao Ministério da Fazenda (B) Sociedade de Economia Mista, vinculada ao BACEN (C) Autarquia, vinculada ao Ministério da Fazenda (D) Empresa privada de Sociedade Anônima. (E) Autarquia, vinculada a CVM 4. O Banco Central do Brasil criado em 31 de dezembro de 1964, pela Lei 4.595/64: (A) Substituiu a COMOC- Comissão da Moeda e do Crédito (B) Normatiza através de resoluções, todo o Sistema Financeiro Nacional (C) É presidido por pessoa indicada pelo Ministro da Economia (D) Expede resoluções para execução do Conselho Monetário Nacional (E) É autoridade monetária nacional 5. O BNDES fica sujeito à supervisão: (A) Presidente do BACEN (B) Presidente do COPOM (C) Ministro de Estado do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. (D) Vice-Presidente da República (E) Ministro da Fazenda 6. ACERCA DO COPOM ASSINALE A ALTERNATIVA INCORRETA: (A) Composto por 08 membros (B) Reunião ocorre em 08 datas por ano (C) Presidido pelo Ministro da Fazenda (D) Estabelece a taxa básica de juros 7. O SELIC: (A) Emite escrituras sem lastro (B) Atesta as escrituras dos municípios e estados federados, além de papeis estrangeiros (C) Liquida papeis das autoridades não credenciadas no sistema Ofdealers (D) Faz custodia de títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional (E) Liquida papeis dos municípios e estados desde Entre as atribuições do Presidente do BACEN, assinale a alternativa incorreta: (A) Editar medida provisória com objetivo de execução. (B) representar o Banco Central no País e no exterior, ou indicar representante e respectivo suplente; (C) participar, como membro integrante, com direito a voto, das reuniões do CMN; (D) definir a competência e as atribuições dos membros da Diretoria; (E) entender-se, em nome do Governo Brasileiro, com as instituições financeiras estrangeiras e internacionais; 9. Dentre os Gestores do SISCOMEX, assinale a alternativa correta: (A) Receita Federal, Secretária da Agricultura, Polícia Federal (B) BACEN, Receita Federal, Polícia Federal (C) Despachantes Aduaneiros, BACEN, Receita Federal (D) Receita Federal, Bacen, Secretária do Comércio Exterior (E) Polícia Federal, BACEN, IBAMA 10. (FCC) As debêntures são títulos (valores mobiliários) emitidos por uma sociedade anônima de capital aberto. Podem ser emitidas nos tipos simples, conversível ou permutável. O que caracteriza a debênture permutável é o fato de poder ser: a)convertida em ações emitidas pela empresa emissora da debênture, conforme regras do contrato de emissão da debênture. b)trocada por ações de outra empresa, existentes no patrimônio da empresa emissora da debênture, conforme regras do contrato de emissão da debênture. c)trocada por bens da empresa emissora da debênture, conforme regras do contrato de emissão da debênture. d) convertida em ações emitidas pela empresa emissora da debênture a qualquer tempo. 11. (CESPE/UNB) Dentro da estrutura do Sistema Financeiro Nacional, é correto afirmar que a SUMOC, é a responsável direto por executar as ações interbancárias e assuntos monetários desde que expedidos pelo Conselho Monetário Nacional e Banco Central do Brasil, sua jurisdição nasce em 1964, com a criação do Bacen. 12. (CESPE/UNB) O SELIC registra apenas os títulos públicos de emissão emitidos pelo Tesouro Nacional ou pelo Banco Central, e os títulos públicos estaduais e municipais, estes últimos emitidos até (CESPE/NB) O COPOM também pode definir o viés, que é a prerrogativa dada ao Presidente do Banco Central para alterar a meta para a taxa SELIC a qualquer momento entre as reuniões ordinárias. São três as possibilidades: viés de alta, viés de baixa e viés neutro (ou sem viés), Presidente da República é parte integrante do COPOM. 14. (CESPE/UNB) Empresas de Capital Aberto, também conhecidas como companhias abertas, são aquelas que têm valores mobiliários (ações ou debêntures) registrados na CVM (Comissão de Valores Mobiliários, que é uma autarquia federal cuja Atualizada em 17/6/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1

10 BB - SC Prof. Rodrigo Canda Conhecimentos Bancários função é disciplinar e fiscalizar o mercado de valores mobiliários), e que podem negociar no mercado de balcão ou em Bolsas de Valores, o BACEN fiscaliza as Bolsas por natureza jurídica de banco das ações. 15. (CESPE/UNB) Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado mesmo sendo regidas pela Lei de Sociedade Anonima, o impedimento não abrange títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, ações de subscrição e ações escriturais negociadas na CETIP S.A. 16. (CESPE/UNB) O Conselho Monetário Nacional, CMN é constituído pelo Presidente da República, pelo Ministro de Estado da Fazenda (Presidente), pelo Ministro de Planejamento de Orçamento e Presidente do Banco Central. 17. É correto afirmar sobre a CETIP: (A) é contraparte central das operações negociadas e/ou registradas nos mercados organizados. (B) Não visa lucros por se tratar de empresa pública de caráter civil, alem de compensação é responsável por emitir relatório da inflação. (C) A CETIP registra títulos públicos do Tesouro Nacional desde 2002 (D) Registra títulos públicos dos Estados e Municipios desde 1992 (E) Órgão indexador utilizado pelos bancos para calculo de taxa básica de juros GABARITO 1- correto 2- correto 3- "a" 4- "e" 5- "c" 6- "c" 7- "d" 8- "a" 9- "d" 10- "b" 11- errado 12- errado 13- errado 14- errado 15- correto 16- errado 17- "d" 18- "c"c 19- correto 20- correto 18. O Sistema Financeiro Nacional, é constituído por todas as instituições financeiras públicas ou privadas existentes no país e seu órgão Maximo é o (a): (A) Banco Central do Brasil (B) BNDES (C) Conselho monetário nacional (D) Ministério da Fazenda (E) Ministério da Fazenda, Ministério do Planejamento e Conselho Monetário Nacional 19. No Mercado de Opções, mediante pagamento de um prêmio em dinheiro, a opção dá ao titular que a adquire o direito de comprar ou vender um ativoobjeto a outro investidor (CERTO) (ERRADO) 20. Underwriting é a operação de distribuição primária de debêntures, ou seja, a primeira venda dos títulos após a sua emissão. Tal processo é conduzido por instituição financeira contratada pela emissora, denominada coordenador líder, e pode contar com a participação de outras instituições intermediárias. (CERTO) (ERRADO) 2 Atualizada em 17/6/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

AULA 3. Disciplina: Mercado de Capitais Assunto: Introdução ao SFN. Contatos: E-mail: keillalopes@ig.com.br Blog: keillalopes.wordpress.

AULA 3. Disciplina: Mercado de Capitais Assunto: Introdução ao SFN. Contatos: E-mail: keillalopes@ig.com.br Blog: keillalopes.wordpress. AULA 3 Disciplina: Mercado de Capitais Assunto: Introdução ao SFN Contatos: E-mail: keillalopes@ig.com.br Blog: keillalopes.wordpress.com Objetivos da aula: SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL Histórico ; Composição;

Leia mais

SUPER CURSO DE CONHECIMENTOS BANCÁRIOS E SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL SIMULADO 01 - BACEN e CMN Professor: Tiago Zanolla

SUPER CURSO DE CONHECIMENTOS BANCÁRIOS E SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL SIMULADO 01 - BACEN e CMN Professor: Tiago Zanolla SIMULADO Conhecimentos Bancários e SFN QUESTÃO 01 (INÉDITA TZ 2013) Considerando o Sistema Financeiro Nacional, assinale a única alternativa que traz a correta correlação de itens: 1. Funding 2. Spread

Leia mais

Unidade III. Mercado Financeiro. Prof. Maurício Felippe Manzalli

Unidade III. Mercado Financeiro. Prof. Maurício Felippe Manzalli Unidade III Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Maurício Felippe Manzalli Mercados Financeiros Lembrando da aula anterior Conceitos e Funções da Moeda Política Monetária Política Fiscal Política Cambial

Leia mais

Conhecimentos bancários Profº Rodrigo Ocampo Barbati

Conhecimentos bancários Profº Rodrigo Ocampo Barbati Conhecimentos bancários Profº Rodrigo Ocampo Barbati 1) O Conselho Monetário Nacional (CMN), que foi instituído pela Lei 4.595, de 31 de dezembro de 1964, é o órgão responsável por expedir diretrizes gerais

Leia mais

Como funciona o Sistema Financeiro Nacional. José Reynaldo de Almeida Furlani Junho de 2013

Como funciona o Sistema Financeiro Nacional. José Reynaldo de Almeida Furlani Junho de 2013 José Reynaldo de Almeida Furlani Junho de 2013 Segmentação do Mercado MERCADO MONETÁRIO MERCADO DE CRÉDITO MERCADO FINANCEIRO MERCADO DE CAPITAIS MERCADO CAMBIAL Conceito de Sistema Financeiro Conjunto

Leia mais

Sistema Financeiro Nacional 3. Sistema Financeiro Nacional 3.1 Conceito 3.2 Subsistema de Supervisão 3.3 Subsistema Operativo 6/7/2006 2 3.1 - Conceito de Sistema Financeiro Conjunto de instituições financeiras

Leia mais

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Unidade III 6 O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O sistema financeiro nacional é o conjunto de instituições e instrumentos financeiros que possibilita a transferência de recursos

Leia mais

4/2/2011 DIRETRIZES DA POLÍTICA MONETÁRIA TAXA BÁSICA DE JUROS 08 MEMBROS 08 REUNIÕES RELATÓRIO DA INFLAÇÃO ATAS DO COPOM TAXA SELIC

4/2/2011 DIRETRIZES DA POLÍTICA MONETÁRIA TAXA BÁSICA DE JUROS 08 MEMBROS 08 REUNIÕES RELATÓRIO DA INFLAÇÃO ATAS DO COPOM TAXA SELIC CMN ORGAO MAXIMO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA FAZENDA, MINISTERIO DO PLANEJAMENTO, BACEN COMOC RESOLUÇÕES COPOM DIRETRIZES DA POLÍTICA MONETÁRIA TAXA BÁSICA DE JUROS 08 MEMBROS 08 REUNIÕES RELATÓRIO DA INFLAÇÃO

Leia mais

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são Arrendamento mercantil ou leasing é uma operação em que o proprietário de um bem cede a terceiro o uso desse bem por prazo determinado, recebendo em troca uma contraprestação. No que concerne ao leasing,

Leia mais

Unidade IV. Mercado Financeiro e de Capitais. Prof. Maurício Felippe Manzalli

Unidade IV. Mercado Financeiro e de Capitais. Prof. Maurício Felippe Manzalli Unidade IV Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Maurício Felippe Manzalli Mercados Financeiros - Resumo encontro anterior Sistema Financeiro Nacional Órgãos, entidades e operadoras Estrutura do Sistema

Leia mais

Economia e mercado financeiro

Economia e mercado financeiro Economia Jonas Barbosa Leite Filho* * Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas pela Faculdade Bagozzi. Graduado em Administração pelo Centro Universitário Campos de Andrade. Trabalhou no Banco do

Leia mais

3.1 - Estrutura do SFN

3.1 - Estrutura do SFN 1 3. Sistema Financeiro Nacional 3.1 Estrutura do SFN 3.2 Subsistema normativo 3.3 Subsistema de intermediação 3.4 Títulos públicos negociados no MF 3.5 Principais papéis privados negociados no MF 3/4/2012

Leia mais

Caixa Econômica Federal

Caixa Econômica Federal Turma Exercícios 01) Em relação ao Sistema Financeiro Nacional, analise as afirmativas a seguir: I - Compete ao Conselho Monetário Nacional Regular o valor externo da moeda e o equilíbrio do balanço de

Leia mais

TOP O BACEN atualmente pode emitir títulos? Sistema Especial de Liquidação e Custódia - Selic. Professor Luiz Antonio de Carvalho

TOP O BACEN atualmente pode emitir títulos? Sistema Especial de Liquidação e Custódia - Selic. Professor Luiz Antonio de Carvalho Professor Luiz Antonio de Carvalho Sistema Especial de Liquidação e Custódia - Selic lac.consultoria@gmail.com 1 2 CONCEITO O Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic), do Banco Central do Brasil,

Leia mais

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383 Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10 www.eadempresarial.net.br SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL Uma conceituação bastante abrangente de sistema financeiro poderia ser a de um conjunto de

Leia mais

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS. Prof. Rodrigo O. Barbati

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS. Prof. Rodrigo O. Barbati CONHECIMENTOS BANCÁRIOS Prof. Rodrigo O. Barbati AULA 01 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Subsistema normativo Sistema Financeiro Nacional O Sistema Financeiro Nacional (SFN) pode ser entendido

Leia mais

Evolução do SFN. 1. Primeiro Período: 1808-1914 MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS. 3. Terceiro Período: 1945-1965. 2. Segundo Período: 1914-1945

Evolução do SFN. 1. Primeiro Período: 1808-1914 MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS. 3. Terceiro Período: 1945-1965. 2. Segundo Período: 1914-1945 Evolução do SFN MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Profa. Dra. Andréa Paula Segatto-Mendes apsm@ufpr.br 1. Primeiro Período: 1808-1914 Abertura dos portos - acordos comerciais diretos Criação do Banco do

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL INSTITUIÇÕES. Lei 4.595/64 FINANCEIRAS COLETA INTERMEDIAÇÃO APLICAÇÃO CUSTÓDIA

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL INSTITUIÇÕES. Lei 4.595/64 FINANCEIRAS COLETA INTERMEDIAÇÃO APLICAÇÃO CUSTÓDIA SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL INSTITUIÇÕES Lei 4.595/64 FINANCEIRAS COLETA INTERMEDIAÇÃO APLICAÇÃO CUSTÓDIA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA JUROS PAGOS PELOS TOMADORES - REMUNERAÇÃO PAGA AOS POUPADORES SPREAD

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL BRUNI BRUNI BRUNI BRUNI. Sistema Financeiro Nacional

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL BRUNI BRUNI BRUNI BRUNI. Sistema Financeiro Nacional Capítulo Sistema Financeiro Nacional Bibliografia básica Todo o conteúdo dos slides deve ser acompanhado com o livro Mercados Financeiros, publicado pela Editora Atlas. Objetivos do capítulo Distinguir

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA «21. O sistema de intermediação financeira é formado por agentes tomadores e doadores de capital. As transferências de recursos entre esses agentes são

Leia mais

AULA 02. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo I

AULA 02. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo I AULA 02 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Subsistema Operativo I Subsistema Operativo No Sistema Financeiro Nacional, o subsistema operativo trata da intermediação, do suporte operacional e da administração.

Leia mais

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. Bancos Comerciais. Bancos Comerciais. prof.bancario@gmail.com

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. Bancos Comerciais. Bancos Comerciais. prof.bancario@gmail.com Concurso 2011 Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com Mercado Financeiro Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) 5ª aula Início da aula Instituições Operadoras Livro Como esticar seu dinheiro Ricardo

Leia mais

O mercado monetário. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Os mercados financeiros são subdivididos em quatro categorias (ASSAF NETO, 2012):

O mercado monetário. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Os mercados financeiros são subdivididos em quatro categorias (ASSAF NETO, 2012): O mercado monetário Prof. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br Blog: www.marcoarbex.wordpress.com Os mercados financeiros são subdivididos em quatro categorias (ASSAF NETO, 2012): Mercado Atuação

Leia mais

O Sistema Financeiro Nacional

O Sistema Financeiro Nacional O Sistema Financeiro Nacional 1 O Sistema Financeiro Nacional Foi constituído com base nas leis: 4595 de 31-12-64 Estrutura o Sistema Financeiro Nacional 4728 de 14-7- 65 Lei do Mercado de Capitais O Sistema

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Paulo AndréB. Moraes

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Paulo AndréB. Moraes ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Paulo AndréB. Moraes Programa da Disciplina 1 - Introdução às Finanças vabordar trajetória da evolução das finanças corporativas vtratar a relação da administração financeira com

Leia mais

AS OPERAÇÕES DE DERIVATIVOS NO MERCADO DE BALCÃO

AS OPERAÇÕES DE DERIVATIVOS NO MERCADO DE BALCÃO REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Conjuntura Adriana Maria Gödel Stuber e Walter Douglas Stuber Adriana Maria Gödel Stuber é Sócia de Stuber Advogados Associados. Mestra em Direito das Relações Sociais

Leia mais

Curso DSc. Você no curso certo. Concurso Público: Carreiras Correlatas e Linhas de Estudo

Curso DSc. Você no curso certo. Concurso Público: Carreiras Correlatas e Linhas de Estudo Curso DSc Você no curso certo Concurso Público: Carreiras Correlatas e Linhas de Estudo Concurso Público Planejamento de Médio Prazo Não é Vestibular Foco no Edital Questões sorteadas Não cai tudo Não

Leia mais

Mercado financeiro, segmentação e instituições uma abordagem geral. Ao final do estudo desta aula, você deverá ser capaz de:

Mercado financeiro, segmentação e instituições uma abordagem geral. Ao final do estudo desta aula, você deverá ser capaz de: Mercado financeiro, segmentação e instituições uma abordagem geral A U L A Meta da aula Apresentar a amplitude do mercado financeiro, seus segmentos especializados e as principais instituições financeiras

Leia mais

BC e Universidade. Como Funciona o Sistema Financeiro Nacional (SFN) Sistema Financeiro Nacional. Frederico Pechir Gomes e Beatriz Simas Silva

BC e Universidade. Como Funciona o Sistema Financeiro Nacional (SFN) Sistema Financeiro Nacional. Frederico Pechir Gomes e Beatriz Simas Silva BC e Universidade Como Funciona o Sistema Financeiro Nacional (SFN) Frederico Pechir Gomes e Beatriz Simas Silva Agenda SFN: Definição e Marco Legal Estrutura do SFN Subsistema Normativo CMN, Bacen, CVM

Leia mais

Introdução: Mercado Financeiro

Introdução: Mercado Financeiro Introdução: Mercado Financeiro Prof. Nilton TÓPICOS Sistema Financeiro Nacional Ativos Financeiros Mercado de Ações 1 Sistema Financeiro Brasileiro Intervém e distribui recursos no mercado Advindos de

Leia mais

Atualidades do Mercado Financeiro

Atualidades do Mercado Financeiro Atualidades do Mercado Financeiro Sistema Financeiro Nacional Dinâmica do Mercado Mercado Bancário Conteúdo 1 Sistema Financeiro Nacional A estrutura funcional do Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composta

Leia mais

Letra Financeira - LF

Letra Financeira - LF Renda Fixa Letra Financeira - LF Letra Financeira O produto A Letra Financeira (LF) é um título de renda fixa emitido por instituições financeiras com a finalidade de captar recursos de longo prazo. Tem

Leia mais

CETIP. Segundo o BACEN - CETIP

CETIP. Segundo o BACEN - CETIP Professor Luiz Antonio de Carvalho Central de Liquidação Financeira e de Custódia de Títulos - lac.consultoria@gmail.com 1 2 A Cetip é a integradora do mercado financeiro. É uma companhia de capital aberto

Leia mais

Unidade I FINANÇAS EMPRESARIAIS. Prof. Me. Alexandre Saramelli

Unidade I FINANÇAS EMPRESARIAIS. Prof. Me. Alexandre Saramelli Unidade I FINANÇAS EMPRESARIAIS Prof. Me. Alexandre Saramelli Finanças empresariais Objetivos gerais Fazer com que os alunos possam adquirir e/ou produzir os conhecimentos necessários para o desenvolvimento

Leia mais

Exercício para fixação

Exercício para fixação Exercício para fixação Quando o Banco Central deseja baratear os empréstimos e possibilitar maior desenvolvimento empresarial, ele irá adotar uma Política Monetária Expansiva, valendo-se de medidas como

Leia mais

Banco do Brasil. O Conselho Monetário Nacional (CMN) é a entidade máxima do sistema financeiro brasileiro, ao qual cabe

Banco do Brasil. O Conselho Monetário Nacional (CMN) é a entidade máxima do sistema financeiro brasileiro, ao qual cabe No Brasil, a condução e a operação diárias da política monetária, com o objetivo de estabilizar a economia, atingindo a meta de inflação e mantendo o sistema financeiro funcionando adequadamente, são uma

Leia mais

Renda Fixa Debêntures. Renda Fixa. Debênture

Renda Fixa Debêntures. Renda Fixa. Debênture Renda Fixa Debênture O produto A debênture é um investimento em renda fixa. Trata-se de um título de dívida que gera um direito de crédito ao investidor. Ou seja, o mesmo terá direito a receber uma remuneração

Leia mais

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012 Prof. Cid Roberto Concurso 2012 Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7 É um órgão colegiado, de segundo grau, integrante

Leia mais

BB- 2011. (E) controlar e liquidar financeiramente as operações de compra e venda de títulos públicos e manter sua custódia física e escritural.

BB- 2011. (E) controlar e liquidar financeiramente as operações de compra e venda de títulos públicos e manter sua custódia física e escritural. controlar e liquidar financeiramente as operações de compra e venda de títulos públicos e manter sua custódia física e escritural. 4. (FCC/BB/10) A operação de antecipação de um recebimento, ou seja,venda

Leia mais

Com relação ao Estatuto da Caixa, responda as questões abaixo:

Com relação ao Estatuto da Caixa, responda as questões abaixo: ESTATUTO DA CAIXA Com relação ao Estatuto da Caixa, responda as questões abaixo: 1 - Complete: A Caixa é Instituição integrante do e auxiliar da execução da do Governo Federal, a CEF sujeita-se às decisões

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA OABPREV-PR PARA O EXERCÍCIO DE 2010/2012

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA OABPREV-PR PARA O EXERCÍCIO DE 2010/2012 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA OABPREV-PR PARA O EXERCÍCIO DE 2010/2012 1- OBJETIVOS A Política de Investimentos dos Recursos Garantidores do Plano de Benefícios Previdenciários dos Advogados - PBPA e do

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária I

Administração Financeira e Orçamentária I Administração Financeira e Orçamentária I Sistema Financeiro Brasileiro AFO 1 Conteúdo Instituições e Mercados Financeiros Principais Mercados Financeiros Sistema Financeiro Nacional Ações e Debêntures

Leia mais

REGULAÇÃO MÍNIMA DO MERCADO DE CAPITAIS

REGULAÇÃO MÍNIMA DO MERCADO DE CAPITAIS MERCOSUL/CMC/DEC. N 8/93 REGULAÇÃO MÍNIMA DO MERCADO DE CAPITAIS TENDO EM VISTA: o Art. 1 do Tratado de Assunção, a Decisão N 4/91 do Conselho do Mercado Comum e a Recomendação N 7/93 do Subgrupo de Trabalho

Leia mais

IPC Concursos CEF 2014. Questões I SFN, CMN, BCB e CVM Material com as questões incorretas justificadas.

IPC Concursos CEF 2014. Questões I SFN, CMN, BCB e CVM Material com as questões incorretas justificadas. BRB 2011 Cespe Questões I SFN, CMN, BCB e CVM Material com as questões incorretas justificadas. A respeito da estrutura do Sistema Financeiro Nacional (SFN),julgue os itens a seguir. 1. Ao Conselho Monetário

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2012

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2012 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2012 Perspectivas para os Certificados de Recebíveis Imobiliários diante da queda das Taxas Juros no Brasil Prof. Dr. Fernando Bontorim

Leia mais

Resolução 3792. Principais Aspectos

Resolução 3792. Principais Aspectos Resolução 3792 Principais Aspectos Diretrizes para as aplicações princípios de segurança, rentabilidade, solvência, liquidez e transparência; boa fé, lealdade e diligência; elevados padrões éticos; cumprimento

Leia mais

AULA 03. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo II

AULA 03. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo II AULA 03 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Subsistema Operativo II BNDES No subsistema operativo, existem instituições que não captam depósitos à vista, como o BNDES. O Banco Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

PREFEITURA DE PORTO VELHO

PREFEITURA DE PORTO VELHO LEI Nº. 1628, DE 27 DE OUTUBRO DE 2005. Institui a Política Municipal de fomento à Economia Popular e Solidária na Cidade de Porto Velho e estabelece outras disposições. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PORTO

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TRAVESSIA INVESTIMENTO NO EXTERIOR 23.352.

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TRAVESSIA INVESTIMENTO NO EXTERIOR 23.352. FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TRAVESSIA INVESTIMENTO NO EXTERIOR 23.352.186/0001-43 Mês de Referência: Novembro de 2015 CLASSIFICAÇÃO ANBIMA:

Leia mais

LEI Nº 540/93 - DE, 19 DE MAIO 1.993. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso de suas atribuições legais,

LEI Nº 540/93 - DE, 19 DE MAIO 1.993. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso de suas atribuições legais, LEI Nº 540/93 - DE, 19 DE MAIO 1.993. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte:

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos: São condomínios, que reúnem aplicações de vários indivíduos para investimento

Leia mais

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1 41. (CAIXA/2010) Compete à Comissão de Valores Mobiliários CVM disciplinar as seguintes matérias: I. registro de companhias abertas. II. execução da política monetária. III. registro e fiscalização de

Leia mais

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10)

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) PROGRAMA DETALHADO Programa da Certificação Detalhado Profissional da Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) ANBID Série 10 Controle: D.04.08.07 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão:

Leia mais

Ação Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima.

Ação Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação ao portador Desde 1990 este tipo de ação não existe mais. Esse tipo de ação não trazia o

Leia mais

Valcedir Vicente Rosa. Sistema Financeiro Nacional

Valcedir Vicente Rosa. Sistema Financeiro Nacional 1 Sistema Financeiro Nacional Tópicos a serem abordados Visão geral do sistema financeiro nacional. Atuação dos participantes Mercado monetário e política monetária. Sistemas CETIP e SELIC Principais títulos

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Fundo de Investimento é uma comunhão de recursos, constituída sob a forma de condomínio que reúne recursos de vários investidores para aplicar em uma carteira diversificada de ativos financeiros. Ao aplicarem

Leia mais

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES PROEX

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES PROEX REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Conjuntura Walter Douglas Stuber WALTER DOUGLAS STUBER é sócio do escritório Stuber Advogados Associados e especialista em Direito Bancário, Mercado de Capitais e Negociações

Leia mais

Mirae Asset Securities (Brasil) C.T.V.M. Ltda www.miraeasset.com.br

Mirae Asset Securities (Brasil) C.T.V.M. Ltda www.miraeasset.com.br ENTIDADES AUTORREGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é uma companhia de capital brasileiro formada, em 2008, a partir da integração das operações da Bolsa de Valores

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 Subordinada à Resolução CMN nº 3.792 de 24/09/09 1- INTRODUÇÃO Esta política tem como objetivo estabelecer as diretrizes a serem observadas na aplicação dos recursos

Leia mais

ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO

ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 00.832.424/0001-12 MENSAGEM DO ADMINISTRADOR Prezado Cotista, Este FUNDO, constituído sob a forma de condomínio

Leia mais

Câmara Municipal de Pinheiral

Câmara Municipal de Pinheiral LEI Nº 753, de 05 de maio de 2014. Cria o Fundo Municipal de Habitação de Interesse Social FHIS e institui o Conselho Gestor do FHIS. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PINHEIRAL; Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

Cédula de Produto Rural -

Cédula de Produto Rural - Renda Fixa Cédula de Produto Rural - CPR Cédula do Produto Rural Comercialização de produtos do agronegócio com recebimento antecipado O produto A Cédula do Produtor Rural é um título de crédito lastreado

Leia mais

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar:

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar: EDITAL 2012 1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: Conselho Monetário Nacional; Banco Central do Brasil; Comissão de Valores Mobiliários; Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional; bancos

Leia mais

Lex Garcia Advogados http://lexlab.esy.es. Dr. Alex Garcia Silveira OABSP 285373

Lex Garcia Advogados http://lexlab.esy.es. Dr. Alex Garcia Silveira OABSP 285373 Alex Garcia Silveira Cartilha: Direito do Comercio Internacional São Paulo Junho de 2015 SUMÁRIO RESUMO... 5 ABSTRACT... 5 PARTES E AUXILIARES DO COMÉRCIO... 6 EXPORTADOR E IMPORTADOR... 6 SELEÇÃO DE MERCADO...

Leia mais

CENÁRIOS ECONÔMICOS SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL ESTRUTURA E FUNÇÕES

CENÁRIOS ECONÔMICOS SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL ESTRUTURA E FUNÇÕES SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL ESTRUTURA E FUNÇÕES Órgãos de Regulação e Fiscalização 1 Banco Central do Brasil Instituições Financeiras Captadoras de Depósitos à Vista Demais Instituições Financeiras 1 Bancos

Leia mais

DECRETO Nº 27.958, DE 16 DE MAIO DE 2007 DODF DE 17.05.2007

DECRETO Nº 27.958, DE 16 DE MAIO DE 2007 DODF DE 17.05.2007 DECRETO Nº 27.958, DE 16 DE MAIO DE 2007 DODF DE 17.05.2007 Aprova o Estatuto Social da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal e dá outras providências. O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso

Leia mais

LISTA DE TABELAS. Tabela I Bradesco Relação de Receitas de Prestação de Serviços...

LISTA DE TABELAS. Tabela I Bradesco Relação de Receitas de Prestação de Serviços... BANCOS MÚLTIPLOS LISTA DE TABELAS Tabela I Bradesco Relação de Receitas de Prestação de Serviços... RESUMO Neste trabalho serão apresentadas as principais características e serviços disponibilizados pelos

Leia mais

Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7

Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7 (D) sociedades bancárias oficiais; (E) instituições de financiamentos e investimentos. Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA 16/04/2013. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA 16/04/2013. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PARA ENGENHARIA Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 Obs.: Para aprofundar os conhecimentos no Sistema Financeiro Nacional, consultar o livro: ASSAF NETO, Alexandre.

Leia mais

Instrução Normativa DNRC nº 114, de 30 de setembro de 2011 - DOU 03.10.2011

Instrução Normativa DNRC nº 114, de 30 de setembro de 2011 - DOU 03.10.2011 Instrução Normativa DNRC nº 114, de 30 de setembro de 2011 - DOU 03.10.2011 Aprova o quadro enumerativo dos atos empresariais sujeitos à aprovação prévia de órgãos e entidades governamentais para registro

Leia mais

ITAÚ MAXI RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 04.222.433/0001-42

ITAÚ MAXI RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 04.222.433/0001-42 ITAÚ MAXI RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 04.222.433/0001-42 MENSAGEM DO ADMINISTRADOR Prezado Cotista, Este FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto,

Leia mais

MÓDULO 3 A estrutura brasileira para o comércio exterior

MÓDULO 3 A estrutura brasileira para o comércio exterior MÓDULO 3 A estrutura brasileira para o comércio exterior O governo brasileiro possui definida uma política voltada para o comércio internacional, onde defende os interesses das empresas nacionais envolvidas,

Leia mais

Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Cleber Rentroia MBA em Finanças e Banking

Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Cleber Rentroia MBA em Finanças e Banking 1. Quando o IPCA tende a subir além das metas de inflação, qual medida deve ser tomada pelo COPOM: a) Abaixar o compulsório b) Reduzir taxa do redesconto c) Aumentar o crédito d) Elevar a taxa de juros

Leia mais

O QUE É A CVM? II - a negociação e intermediação no mercado de valores mobiliários;

O QUE É A CVM? II - a negociação e intermediação no mercado de valores mobiliários; O QUE É A CVM? A CVM - Comissão de Valores Mobiliários é uma entidade autárquica em regime especial, vinculada ao Ministério da Fazenda, com personalidade jurídica e patrimônio próprios, dotada de autoridade

Leia mais

Prof. Cid Roberto. Spread. Operações passivas. Operações ativas. Operações acessórias. Conhecimentos Bancários e Atualidades do Mercado Financeiro

Prof. Cid Roberto. Spread. Operações passivas. Operações ativas. Operações acessórias. Conhecimentos Bancários e Atualidades do Mercado Financeiro Conhecimentos Bancários e Atualidades do Mercado Financeiro Mercado Financeiro Prof. Cid Roberto Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7

Leia mais

O PREFEITO CONSTITUCIONAL DO MUNICÍPIO DE TAVARES, ESTADO DA PARAÍBA, usando das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município;

O PREFEITO CONSTITUCIONAL DO MUNICÍPIO DE TAVARES, ESTADO DA PARAÍBA, usando das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município; LEI Nº 712, 28 DE FEVEREIRO DE 2014. CRIA O CONSELHO GESTOR DO TELECENTRO COMUNITÁRIO DO POVOADO DO SILVESTRE - MUNICÍPIO DE TAVARES-PB E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO CONSTITUCIONAL DO MUNICÍPIO

Leia mais

Relações Internacionais. Finanças Internacionais

Relações Internacionais. Finanças Internacionais Relações Internacionais Finanças Internacionais Prof. Dr. Eduardo Senra Coutinho Tópico 1: Sistema Financeiro Nacional ASSAF NETO, A. Mercado financeiro. 8ª. Ed. São Paulo: Atlas, 2008. Capítulo 3 (até

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM SEGUROS

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM SEGUROS DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM SEGUROS SEGURO Atividade bastante antiga Assemelha-se se a uma aposta Pagamento de uma parcela em dinheiro, para adquirir o direito a um reembolso por alguma perda ou avaria

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL É a atividade que fixa a política financeira do país, determinando as regras de sua atuação e impondo os meios necessários para conseguir os recursos financeiros necessários

Leia mais

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS 1. O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é constituído por todas as instituições financeiras públicas ou privadas existentes no país e seu órgão normativo

Leia mais

Sistema de Pagamentos Brasileiro SPB

Sistema de Pagamentos Brasileiro SPB Sistema de Pagamentos Brasileiro SPB CONCEITO: A função básica de um sistema de pagamentos é transferir recursos, bem como processar e liquidar pagamentos para pessoas, empresas, governo, Banco Central,

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA Conformidade ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento Versão 2015/2 Editada em novembro de 2015 SUMÁRIO 1.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital;

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital; RESOLUÇÃO Nº 3.922 Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O Banco Central do Brasil, na forma

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital;

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital; RESOLUÇÃO Nº 3.922 Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O Banco Central do Brasil, na forma

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO Esta Sociedade Corretora, em atenção ao disposto no art. 6º da Instrução nº 387/03 da CVM e demais normas expedidas pela BM&F BOVESPA, define através deste documento, suas

Leia mais

Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes Safra Petrobras - Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de (Administrado pelo Banco Safra de Investimento S.A.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 30 de Junho de 2007 e ao Período

Leia mais

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - POLÍTICA ECONÔMICA & MERCADO FINANCEIRO

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - POLÍTICA ECONÔMICA & MERCADO FINANCEIRO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - POLÍTICA ECONÔMICA & MERCADO FINANCEIRO Prof.Nelson Guerra Ano 2012 www.concursocec.com.br INTRODUÇÃO Trata-se da política utilizada pelo Governo para obter desenvolvimento

Leia mais

Unidade II FINANÇAS EMPRESARIAIS. Prof. Me. Alexandre Saramelli

Unidade II FINANÇAS EMPRESARIAIS. Prof. Me. Alexandre Saramelli Unidade II FINANÇAS EMPRESARIAIS Prof. Me. Alexandre Saramelli Costureiras 1950 Tarsila do Amaral Decisões de financiamento a longo prazo O Cenário brasileiro Desde a reforma do mercado financeiro, em

Leia mais

Reformulação dos Meios de Pagamento - Notas Metodológicas

Reformulação dos Meios de Pagamento - Notas Metodológicas Reformulação dos Meios de Pagamento - Notas Metodológicas Apresentação A institucionalização da série Notas Técnicas do Banco Central do Brasil, cuja gestão compete ao Departamento Econômico (Depec), promove

Leia mais

Fundos de Investimentos

Fundos de Investimentos Fundos de Investimentos 1 O que e um fundo de investimentos? Um fundo de investimentos concentra em uma unica entidade juridica, varios investidores com o mesmo objetivo e que compartilham a mesma estrategia

Leia mais

POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A. 18ª. e 19ª SÉRIES da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO

POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A. 18ª. e 19ª SÉRIES da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A. 18ª. e 19ª SÉRIES da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014.

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPOS DOS GOYTACAZES DECRETA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI:

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPOS DOS GOYTACAZES DECRETA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: Lei nº 7.084, de 02 de julho de 2001. Cria o Fundo de Desenvolvimento de Campos dos Goytacazes - FUNDECAM e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPOS DOS GOYTACAZES DECRETA E EU SANCIONO A SEGUINTE

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS PUBLICADO NO DOMP Nº 756 DE: 08/05/2013 PÁG. 1/4 PREFEITURA DE PALMAS LEI N o 1.966, DE 8 DE MAIO DE 2013. (Alterada pela Lei nº 2.198, de 03/12/2015). (Alterada pela Lei nº 2.097 de. A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

BRASIL FUNDOS IMOBILIÁRIOS Quadro Regulatório e de Fiscalidade. Mai/ 2010 1

BRASIL FUNDOS IMOBILIÁRIOS Quadro Regulatório e de Fiscalidade. Mai/ 2010 1 BRASIL FUNDOS IMOBILIÁRIOS Quadro Regulatório e de Fiscalidade Mai/ 2010 1 FII s - Características Fundos de Investimento Imobiliário (FII s) Criados em 1993 A sua supervisão é assegurada pela CVM Constituídos

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP N o 88, de 2002.

RESOLUÇÃO CNSP N o 88, de 2002. RESOLUÇÃO CNSP N o 88, de 2002. Dispõe sobre os critérios para a realização de investimentos pelas sociedades seguradoras, sociedades de capitalização e entidades abertas de previdência complementar e

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Ministério da Fazenda Comissão de Valores Mobiliários INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Estabelece normas e procedimentos para a organização e o funcionamento das corretoras de mercadorias. O

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL Nº 1925, DE 23 DE MAIO DE 2005, Págs 54 e 56 LEI Nº 1367, DE 17 DE MAIO DE 2005. Regulamentada pelo Decreto nº 198/06 Cria o Fundo Municipal de Desenvolvimento da Economia Popular

Leia mais

Aula 00 Operações Bancárias

Aula 00 Operações Bancárias Olá pessoal, Primeiramente, irei fazer uma breve apresentação. Meu nome é César de Oliveira Frade, sou funcionário de carreira do Banco Central do Brasil BACEN aprovado no concurso de 1997. Sou formado

Leia mais

AULA 04. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo III

AULA 04. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo III AULA 04 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Subsistema Operativo III SCTVM As sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários (SCTVM) são pessoas jurídicas auxiliares do Sistema Financeiro

Leia mais

CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES E INVESTIDORES 1. Aspectos gerais 1.1 Apresentação de documentos

CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES E INVESTIDORES 1. Aspectos gerais 1.1 Apresentação de documentos PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DE ATIVOS (CBLC) CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES

Leia mais