CONJUNTOS. PROBABILIDADES Professora Rosana Relva Números Inteiros e Racionais. Uma breve história. Alguns conceitos primitivos CONJUNTOS ELEMENTOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONJUNTOS. PROBABILIDADES Professora Rosana Relva Números Inteiros e Racionais. Uma breve história. Alguns conceitos primitivos CONJUNTOS ELEMENTOS"

Transcrição

1 PROBABILIDADES Professora Rosana Relva Números Inteiros e Racionais 1 Uma breve história e administrar os seus bens de forma a não ser enganado. O homem sempre teve a necessidade de se organizar 2 Preliminares Intuitivamente, aceitamos por conjuntos uma coleção ou classe de objetos bem definidos, e os objetos que formam o conjunto são chamados elementos do conjunto. Alguns conceitos primitivos Conjunto: representa uma coleção de objetos. O conjunto de todos os brasileiros. O conjunto de todos os números naturais. O conjunto de todos os números reais tal que x²-4=0. Em geral, um conjunto é denotado por uma letra maiúscula do alfabeto: A, B, C,..., Z. 4 ELEMENTOS É um componente ou objeto do Conjunto. José da Silva é um elemento do conjunto dos brasileiros. REPRESENTAÇÃO DE UM CONJUNTO Podemos representar um conjunto enumerando os seus elementos entre chaves e separados por vírgula. 1. Sendo V o conjunto das vogais, representaremos: V = { a, e, i, o, u}

2 REPRESENTAÇÃO DE UM CONJUNTO 2. Sendo I o conjunto dos números ímpares menores que 50. I = { 1,, 5, 7,..., 49}. Sendo P o conjunto dos números pares maiores que zero: P = { 2, 4, 6, 8,...} REPRESENTAÇÃO DE UM CONJUNTO Outra maneira de representarmos um conjunto consiste em enunciarmos uma propriedade características do conjunto, isto é, uma propriedade comum aos seus elementos e somente a eles. 7 8 REPRESENTAÇÃO DE UM CONJUNTO D = { X I X é o dia da semana } A barra vertical ( I ) Significa tal que. Lê-se: D é o conjunto dos elementos x, tais que x é dia da semana. 9 IGUALDADE DE Dizemos que um conjunto A é igual a um conjunto B e escrevemos: A = B Se A = { a, e, i, o, u} e B = {i, a, o, e, u} então A = B, pois todo elemento de A pertence a B e vice-versa. Observe que um conjunto não se modifica quando trocamos a ordem dos seus elementos. 10 Representação de um conjunto CONJUNTO VAZIO A A ou 11 Representação de um conjunto CONJUNTO VAZIO NÃO REPRESENTA O CONJUNTO VAZIO A

3 CONJUNTO VAZIO 1. Sendo A o conjunto dos dias da semana que iniciam pela letra r, então B = Ø. CONJUNTO UNITÁRIO O conjunto que possui apenas um elemento chamase conjunto unitário CONJUNTO UNITÁRIO REPRESENTAÇÃO POR CHAVES CONJUNTO UNITÁRIO REPRESENTAÇÃO POR DIAGRAMA A 2 A CONJUNTO UNITÁRIO 1. Sendo R o conjunto das consoantes da palavra ERA, R é um conjunto unitário: R = {r}. SUBCONJUTOS Dizemos que um conjunto A é subconjunto B quando todo elemento de A é também elemento de B. A relação A é subconjunto de B é representado por:

4 SUBCONJUTOS A B (A está contido em B) Ou ainda B A (B contêm A) SUBCONJUTOS Sendo A = { 1,2} e B = {1,2,,4}, então A B, pois todo elemento de A é também elemento de B União de Conjuntos Dados dois conjuntos A e B, chama-se união de A e B se indica A B (A união B) o conjunto cujos elementos pertencem a A ou B. 1. A = { 1, 2,, 4 } B = {, 4, 5, 6 } AB 1, 2,, 4,5,6 21 União de Conjuntos V = { vogais do nosso alfabeto } C = { consoantes dos nosso alfabeto } AB a, b,c,d,e,...,z 22 União de Conjuntos INTERSECÇÃO DE A B A B A B Dados dois conjuntos A e B, chama-se intersecção de A e B e se indica A B (A inter B) o conjunto cujos elementos são comuns a A e B, isto é que pertencem a A e também a B

5 1. A = {1, 2,, 4} B = {, 4, 5, 6} A B, 4 A = {,,,, } V = { vogais do nosso alfabeto } C = { consoantes do nosso alfabeto } B = {,,, } A B 25, V C 26 O DIFERENÇA DE DIFERENÇA DE Operações entre Conjuntos Dados dois conjuntos A e B, chama-se diferença entre os conjuntos A e B nessa ordem e se indica A B o conjunto cujos elementos pertencem a A, mas não pertencem a B. 27 É o conjunto dos elementos que pertencem a A e não pertence a B. 28 DIFERENÇA DE EXEMPLOS A = {1,2,,} B = {,7,8,9} A A B = {1,2} B DIFERENÇA DE EXEMPLOS M = {, 5, 6} P = {, 5, 6, 7} O M P =

6 DIFERENÇA DE EXEMPLOS A B A B A B CONJUNTO COMPLETAR Particularmente, quando B é um subconjunto de A, a diferença A B chama-se conjunto complementar de B em relação a A: C B A A B 1 2 OPERAÇÕES COM LEITORES DE REVISTAS Veja = 1800 Época = 600 OPERAÇÕES CONJUNTO COM COMPLETAR RESOLUÇÃO Faremos dois diagramas VEJA ÉPOCA Ambas = 400 Calcule o número total de pessoas consultadas? Começaremos preenchendo pela Intersecção 4 OPERAÇÕES COM VEJA ÉPOCA AGORA É SÓ COMPLETAR (FCC)Num universo de 800 pessoas, é sabido que 200 delas gostam de samba, 00 de rock e 10 de samba e rock. Quantas não gostam nem de samba e nem de rock? a) 800 b) 70 c) 670 d) 560 e)

7 SAMBA ROCK SAMBA =70 ROCK 00+10=170 SAMBA ROCK E SOMA = 70 = 800 DIFERANÇA UFRJ -Dos 80 alunos de uma turma, 15 foram reprovados em Matemática, 11 em Física e 10 em Química. Oito alunos foram reprovados simultaneamente em Matemática e Física, seis em Matemática e Química e 4 em Física e Química. Sabendo que alunos foram reprovados nas três disciplinas, determine quantos alunos não foram reprovados em nenhuma dessas disciplinas. a) 50 b) 52 c) 59 d) 61 e) 70 MATEMÁTICA FÍSICA MFQ = 9 40 MATE MÁTICA FÍSICA MATE MÁTICA FÍSICA MFQ = MFQ =

8 MATE MÁTICA FÍSICA MATE MÁTICA FÍSICA MFQ = MFQ = 4 44 MATE MÁTICA FÍSICA MATE MÁTICA FÍSICA MFQ = MFQ = REPROVADOS = 21 DE ALUNOS = 80 DIFERENÇA = 59 C FUNCAB - Numa escola os alunos do 5º ano podem estudar um ou mais dos seguintes idiomas: Inglês, Espanhol e Alemão. Sabe-se que nesse ano, 100 alunos estudam Inglês. 100 alunos estudam Espanhol. 45 alunos estudam Alemão. 60 alunos estudam Inglês e Espanhol. 20 alunos estudam Inglês e Alemão

9 20 alunos estudam Espanhol e Alemão. 15 alunos estudam Inglês, Espanhol e Alemão. Todos os alunos estudam pelo menos um dos três idiomas. O número total de alunos do 5º ano dessa escola, que estudam um e somente um desses três idiomas,nesse ano, é igual a: A) 70 B) 85 C) 90 D) 95 E) 100 INGLÊS ALEMÃO 5 5 I = 100 ESPANHOL E = 100 A = IE = 60 IA = 20 EA = 20 IEA = INGLÊS ESPANHOL ALEMÃO C SOMENTE UM IDIOMA Ufrj - Numa sala de aula com 60 alunos, 11 jogam xadrez, 1 são homens e mulheres jogam xadrez conclui-se, portanto, que: a) 1 são mulheres b) 29 são homens e jogam xadrez c) 26 mulheres não jogam xadrez d) 2 homens jogam xadrez e) 26 são mulheres XADREZ NÃO alunos 11 jogam xadrez 1 são homens mulheres jogam xadrez XADREZ 8 11 NÃO a) 1 são mulheres

10 XADREZ 8 11 NÃO XADREZ 8 11 NÃO b) 29 são homens e jogam xadrez c) 26 mulheres não jogam xadrez CESPE - Numa turma de alunos, existem 5 rapazes (que usam calça jeans ou não), 18 pessoas que usam calça jeans, 15 moças que não usam calça jeans e 7 rapazes que usam calça jeans. Julgue os itens: 1) 11 moças usam jeans 2) 17 rapazes não usam jeans ) Total de moças é 26 4) O número de estudantes que são rapazes ou usam calça jeans é rapazes 18 pessoas que usam calça jeans 15 moças que não usam calça jeans 7 rapazes que usam calça jeans ) 11 moças usam jeans 2) 17 rapazes não usam jeans ) Total de moças é ) O número de estudantes que são rapazes ou usam calça jeans é

11 O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade

Teoria das Probabilidades

Teoria das Probabilidades Teoria das Probabilidades Qual a probabilidade de eu passar no vestibular? Leandro Augusto Ferreira Centro de Divulgação Científica e Cultural Universidade de São Paulo São Carlos - Abril / 2009 Sumário

Leia mais

INE5403 FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA DISCRETA

INE5403 FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA DISCRETA INE5403 FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA DISCRETA PARA A COMPUTAÇÃO PROF. DANIEL S. FREITAS UFSC - CTC - INE Prof. Daniel S. Freitas - UFSC/CTC/INE/2007 p.1/59 2 - FUNDAMENTOS 2.1) Teoria dos Conjuntos 2.2) Números

Leia mais

A motivação é fundamental

A motivação é fundamental A motivação é fundamental A motivação é fundamental para se dedicar aos estudos. Quando a perdemos, nossa vontade de estudar diminui ou até desaparece. A seguir algumas dicas para manter a motivação para

Leia mais

Revisão ENEM. Conjuntos

Revisão ENEM. Conjuntos Revisão ENEM Conjuntos CONJUNTO DOS NÚMEROS NATURAIS N Números naturais são aqueles utilizados na contagem dos elementos de um conjunto. N = {0,1,2,3,...} N* = {1,2,3,4,...} CONJUNTO DOS NÚMEROS INTEIROS

Leia mais

elementos. Caso teremos: elementos. Também pode ocorrer o seguinte fato:. Falsa. Justificativa: Caso, elementos.

elementos. Caso teremos: elementos. Também pode ocorrer o seguinte fato:. Falsa. Justificativa: Caso, elementos. Soluções dos Exercícios de Vestibular referentes ao Capítulo 1: 1) (UERJ, 2011) Uma máquina contém pequenas bolas de borracha de 10 cores diferentes, sendo 10 bolas de cada cor. Ao inserir uma moeda na

Leia mais

Raciocínio Lógico para o INSS Resolução de questões Prof. Adeilson de melo REVISÃO 01 - conjuntos e porcentagens

Raciocínio Lógico para o INSS Resolução de questões Prof. Adeilson de melo REVISÃO 01 - conjuntos e porcentagens APRESENTAÇÃO Olá, prezados concursandos! Sejam bem-vindos à resolução de questões de Raciocínio Lógico preparatório para o INSS. Mais uma vez, agradeço ao convite do prof. Francisco Júnior pela oportunidade

Leia mais

Operações com Conjuntos

Operações com Conjuntos Colégio Adventista Portão EIEFM MATEMÁTICA Operações com Conjuntos 1º Ano APROFUNDAMENTO/REFORÇO Professor: Hermes Jardim Disciplina: Matemática Lista 1 1º Bimestre 2013 Aluno(a): Número: Turma: Operações

Leia mais

CURSO ON LINE RACIOCÍNIO LÓGICO PARA DESESPERADOS PROFESSORES: GUILHERME NEVES E VÍTOR MENEZES

CURSO ON LINE RACIOCÍNIO LÓGICO PARA DESESPERADOS PROFESSORES: GUILHERME NEVES E VÍTOR MENEZES 1 1. CONJUNTOS... 3 1 Introdução... 3 2 Formas de representação de conjuntos... 4 3 Conjunto universo... 7 4 Subconjuntos.... 8 5 Conjuntos em que os elementos também são conjuntos.... 10 6 Operações com

Leia mais

Atenção: Material do grupo do. adquiriu com outra pessoa, foi vítima de um falso rateio e em

Atenção: Material do grupo do. adquiriu com outra pessoa, foi vítima de um falso rateio e em Atenção: Material do grupo do Roger Rodrigues se você adquiriu com outra pessoa, foi vítima de um falso rateio e em breve não receberá mais material. Aula 03 Raciocínio Lógico p/ INSS - Técnico do Seguro

Leia mais

MÓDULO 6 INTRODUÇÃO À PROBABILIDADE

MÓDULO 6 INTRODUÇÃO À PROBABILIDADE MÓDULO 6 INTRODUÇÃO À PROBBILIDDE Quando estudamos algum fenômeno através do método estatístico, na maior parte das vezes é preciso estabelecer uma distinção entre o modelo matemático que construímos para

Leia mais

Gabarito de Matemática do 7º ano do E.F.

Gabarito de Matemática do 7º ano do E.F. Gabarito de Matemática do 7º ano do E.F. Lista de Exercícios (L10) a Colocarei aqui algumas explicações e exemplos de exercícios para que você possa fazer todos com segurança e tranquilidade, no entanto,

Leia mais

Teoria dos Conjuntos. Prof Elizeu Junior

Teoria dos Conjuntos. Prof Elizeu Junior Teoria dos Conjuntos Prof Elizeu Junior Introdução A teoria dos Conjuntos representa instrumento de grande utilidade nos diversos desenvolvimentos da Matemática, bem como em outros ramos das ciências físicas

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO RAUL PILLA COMPONENTE CURRICULAR: Matemática PROFESSORA: Maria Inês Castilho. Conjuntos

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO RAUL PILLA COMPONENTE CURRICULAR: Matemática PROFESSORA: Maria Inês Castilho. Conjuntos ESCOL ESTDUL DE ENSINO MÉDIO UL PILL COMPONENTE CUICUL: Matemática POFESSO: Maria Inês Castilho Noções básicas: Conjuntos 1º NOS DO ENSINO MÉDIO Um conjunto é uma coleção qualquer de objetos, de dados,

Leia mais

Probabilidade. Definições, Notação, Regra da Adição

Probabilidade. Definições, Notação, Regra da Adição Probabilidade Definições, Notação, Regra da Adição Definições básicas de probabilidade Experimento Qualquer processo de observação ou medida que permita ao pesquisador fazer coleta de informações. Evento

Leia mais

Exemplos de Problemas Aplicando o Princípio Fundamental da Contagem. Professor: Flávio dos Reis Moura Skype; mineironegrogalo75

Exemplos de Problemas Aplicando o Princípio Fundamental da Contagem. Professor: Flávio dos Reis Moura Skype; mineironegrogalo75 Exemplos de Problemas Aplicando o Princípio Fundamental da Contagem Professor: Flávio dos Reis Moura Skype; mineironegrogalo75 Este material tem por objetivo ajudar o aluno a aplicar o Princípio Fundamental

Leia mais

PROF. LUIZ CARLOS MOREIRA SANTOS

PROF. LUIZ CARLOS MOREIRA SANTOS 1 - CONCEITO PROF. LUIZ CARLOS MOREIRA SANTOS CONJUNTOS Conjunto proporciona a idéia de coleção, admitindo-se coleção de apenas um elemento (conjunto unitário) e coleção sem nenhum elemento (conjunto vazio).

Leia mais

Os gráficos estão na vida

Os gráficos estão na vida Os gráficos estão na vida A UUL AL A Nas Aulas 8, 9 e 28 deste curso você já se familiarizou com o estudo de gráficos. A Aula 8 introduziu essa importante ferramenta da Matemática. A Aula 9 foi dedicada

Leia mais

ANA CETRO - 2012. 01. Observe a sequência abaixo e, em seguida, assinale a alternativa que preenche. corretamente o espaço do ponto de interrogação.

ANA CETRO - 2012. 01. Observe a sequência abaixo e, em seguida, assinale a alternativa que preenche. corretamente o espaço do ponto de interrogação. ANA CETRO - 2012 01. Observe a sequência abaixo e, em seguida, assinale a alternativa que preenche corretamente o espaço do ponto de interrogação. (A) (B) (C) (D) (E) 1 Resolução: Essa sequência lógica

Leia mais

Contagem I. Figura 1: Abrindo uma Porta.

Contagem I. Figura 1: Abrindo uma Porta. Polos Olímpicos de Treinamento Curso de Combinatória - Nível 2 Prof. Bruno Holanda Aula 4 Contagem I De quantos modos podemos nos vestir? Quantos números menores que 1000 possuem todos os algarismos pares?

Leia mais

DIAGRAMA DE ATIVIDADES

DIAGRAMA DE ATIVIDADES DIAGRAMA DE ATIVIDADES Profª Lucélia Oliveira Email: lucelia.com@gmail.com DIAGRAMA DE ATIVIDADES É o diagrama com maior ênfase ao nível de algoritmo da UML e provavelmente um dos mais detalhistas. Era

Leia mais

Faculdades Pitágoras de Uberlândia. Matemática Básica 1

Faculdades Pitágoras de Uberlândia. Matemática Básica 1 Faculdades Pitágoras de Uberlândia Sistemas de Informação Disciplina: Matemática Básica 1 Prof. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2010 Professor Walteno

Leia mais

INSTITUTO TECNOLÓGICO

INSTITUTO TECNOLÓGICO PAC - PROGRAMA DE APRIMORAMENTO DE CONTEÚDOS. ATIVIDADES DE NIVELAMENTO BÁSICO. DISCIPLINAS: MATEMÁTICA & ESTATÍSTICA. PROFº.: PROF. DR. AUSTER RUZANTE 1ª SEMANA DE ATIVIDADES DOS CURSOS DE TECNOLOGIA

Leia mais

Tendo como referência as informações apresentados no texto acima, julgue o item que se segue.

Tendo como referência as informações apresentados no texto acima, julgue o item que se segue. COMENTÁRIO PROA POLICIA EDERAL 2009 COMENTÁRIO GERAL A prova foi bem fácil para o aluno que estudou. A CESPE continuou impecável, abordando todos os assuntos do edital. Existe apenas uma questão cujo gabarito

Leia mais

Atenção: o conjunto vazio é representado por { } 1.2 Pertinência e Inclusão

Atenção: o conjunto vazio é representado por { } 1.2 Pertinência e Inclusão Módulo 1 Conjuntos A Teoria dos Conjuntos foi estabelecida por Georg Ferdinand Ludwig Cantor (1845 1918). Em meados do século XX, a Teoria dos Conjuntos exerceu profundos efeitos sobre o ensino da Matemática.

Leia mais

PROBABILIDADE Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr.

PROBABILIDADE Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. PROBABILIDADE Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística - PPGEMQ / PPGEP - UFSM - O intelecto faz pouco na estrada que leva à descoberta, acontece um salto na consciência, chameo de

Leia mais

Faculdade de Computação

Faculdade de Computação UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Disciplina : Teoria da Computação Professora : Sandra Aparecida de Amo Lista de Exercícios n o 2 Exercícios sobre Modelos de Máquinas de Turing

Leia mais

MATEMÁTICA A - 12o Ano Probabilidades - Noções gerais Propostas de resolução

MATEMÁTICA A - 12o Ano Probabilidades - Noções gerais Propostas de resolução MATEMÁTICA A - 12o Ano Probabilidades - Noções gerais Propostas de resolução Exercícios de exames e testes intermédios 1. Como o zero é o elemento neutro da multiplicação, o produto dos números saídos

Leia mais

Resolverei neste artigo a prova de Raciocínio Lógico do concurso para a SEFAZ-SP 2009 organizada pela FCC.

Resolverei neste artigo a prova de Raciocínio Lógico do concurso para a SEFAZ-SP 2009 organizada pela FCC. Olá pessoal! Resolverei neste artigo a prova de Raciocínio Lógico do concurso para a SEFAZ-SP 2009 organizada pela FCC. 01. (SEFAZ-SP 2009/FCC) Considere o diagrama a seguir, em que U é o conjunto de todos

Leia mais

Material Teórico - Aplicações das Técnicas Desenvolvidas. Exercícios e Tópicos Relacionados a Combinatória. Segundo Ano do Ensino Médio

Material Teórico - Aplicações das Técnicas Desenvolvidas. Exercícios e Tópicos Relacionados a Combinatória. Segundo Ano do Ensino Médio Material Teórico - Aplicações das Técnicas Desenvolvidas Exercícios e Tópicos Relacionados a Combinatória Segundo Ano do Ensino Médio Prof Cícero Thiago Bernardino Magalhães Prof Antonio Caminha Muniz

Leia mais

TEORIA DOS CONJUNTOS Símbolos

TEORIA DOS CONJUNTOS Símbolos 1 MATERIAL DE APOIO MATEMÁTICA Turmas 1º AS e 1º PD Profº Carlos Roberto da Silva A Matemática apresenta invenções tão sutis que poderão servir não só para satisfazer os curiosos como, também para auxiliar

Leia mais

UNITAU APOSTILA PROBABILIDADES PROF. CARLINHOS

UNITAU APOSTILA PROBABILIDADES PROF. CARLINHOS ESCOLA DE APLICAÇÃO DR. ALFREDO JOSÉ ALI UNITAU APOSTILA PROAILIDADES ibliografia: Curso de Matemática Volume Único Autores: ianchini&paccola Ed. Moderna Matemática Fundamental - Volume Único Autores:

Leia mais

Área - Relações Interpessoais

Área - Relações Interpessoais Área - Relações Interpessoais Eu e os Outros ACTIVIDADE 1 Dar e Receber um Não. Dar e Receber um Sim. Tempo Previsível 60 a 90 m COMO FAZER? 1. Propor ao grupo a realização de situações de role play, em

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. Vitor Valerio de Souza Campos

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. Vitor Valerio de Souza Campos LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Vitor Valerio de Souza Campos Exemplos de algoritmos Faça um algoritmo para mostrar o resultado da multiplicação de dois números. Algoritmo em descrição narrativa Passo 1 Receber

Leia mais

O quadro abaixo apresenta a distribuição dos salários dos funcionários em um banco.

O quadro abaixo apresenta a distribuição dos salários dos funcionários em um banco. 1) BANESE - FCC 2012 Considere que em uma indústria todos os seus operários trabalham com desempenhos iguais e constantes. Sabe-se que 24 desses operários, trabalhando 6 horas por dia, durante 10 dias,

Leia mais

I. Princípio Fundamental da Contagem (P.F.C.)

I. Princípio Fundamental da Contagem (P.F.C.) ANÁLISE OMBINATÓRIA A principal finalidade da Análise ombinatória é estabelecer métodos de contagem. I. Princípio Fundamental da ontagem (P.F..) O P.F.., ou princípio multiplicativo, determina o número

Leia mais

Conjuntos numéricos. Notasdeaula. Fonte: Leithold 1 e Cálculo A - Flemming. Dr. Régis Quadros

Conjuntos numéricos. Notasdeaula. Fonte: Leithold 1 e Cálculo A - Flemming. Dr. Régis Quadros Conjuntos numéricos Notasdeaula Fonte: Leithold 1 e Cálculo A - Flemming Dr. Régis Quadros Conjuntos numéricos Os primeiros conjuntos numéricos conhecidos pela humanidade são os chamados inteiros positivos

Leia mais

Cálculo das Probabilidades e Estatística I

Cálculo das Probabilidades e Estatística I Cálculo das Probabilidades e Estatística I Prof a. Juliana Freitas Pires Departamento de Estatística Universidade Federal da Paraíba - UFPB juliana@de.ufpb.br Introdução a Probabilidade Existem dois tipos

Leia mais

RACIONCÍNIO LÓGICO E MATEMÁTICO PARA O INSS REVISÃO 05

RACIONCÍNIO LÓGICO E MATEMÁTICO PARA O INSS REVISÃO 05 RACIONCÍNIO LÓGICO E MATEMÁTICO PARA O INSS CESPE FCC CONSULPLAN CESGRANRIO IADES AOCP Prof. Adeilson de Melo www.profranciscojunior.com.br Página 1 Prof. Adeilson de Melo www.profranciscojunior.com.br

Leia mais

Unidade 11 - Probabilidade. Probabilidade Empírica Probabilidade Teórica

Unidade 11 - Probabilidade. Probabilidade Empírica Probabilidade Teórica Unidade 11 - Probabilidade Probabilidade Empírica Probabilidade Teórica Probabilidade Empírica Existem probabilidade que são baseadas apenas uma experiência de fatos, sem necessariamente apresentar uma

Leia mais

Programa de Formação Contínua em Matemática para Professores do 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico. I. Conjuntos

Programa de Formação Contínua em Matemática para Professores do 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico. I. Conjuntos I. Conjuntos 1. Introdução e notações 1.1. Relação de pertença 1.2. Modos de representar um conjunto 1.3. Classificação de conjuntos quanto ao número de elementos 1.4. Noção de correspondência 2. Relações

Leia mais

MATEMÁTICA - 1 o ANO MÓDULO 09 CONJUNTOS

MATEMÁTICA - 1 o ANO MÓDULO 09 CONJUNTOS MATEMÁTICA - 1 o ANO MÓDULO 09 CONJUNTOS A 3 7 1 5 9 A B A B A B A B A B A B A B A B A B A B A B A B A B A - B A B A - B A B A - B Como pode cair no enem (UERJ) Em um posto de saúde de uma comunidade carente,

Leia mais

4Distribuição de. freqüência

4Distribuição de. freqüência 4Distribuição de freqüência O objetivo desta Unidade é partir dos dados brutos, isto é, desorganizados, para uma apresentação formal. Nesse percurso, seção 1, destacaremos a diferença entre tabela primitiva

Leia mais

POLINÔMIOS. Ana Paula Gargano

POLINÔMIOS. Ana Paula Gargano POLINÔMIOS Ana Paula Gargano O que é polinômio? É uma expressão algébrica composta de um ou mais termos, que é o produto de um número por letras elevadas a expoentes naturais. A parte numérica é o coeficiente

Leia mais

QUESTÃO 1 ALTERNATIVA B

QUESTÃO 1 ALTERNATIVA B 1 QUESTÃO 1 Marcos tem 10 0,25 = 2,50 reais em moedas de 25 centavos. Logo ele tem 4,30 2,50 = 1,80 reais em moedas de 10 centavos, ou seja, ele tem 1,80 0,10 = 18 moedas de 10 centavos. Outra maneira

Leia mais

1) A distribuição dos alunos nas 3 turmas de um curso é mostrada na tabela abaixo.

1) A distribuição dos alunos nas 3 turmas de um curso é mostrada na tabela abaixo. 1) A distribuição dos alunos nas 3 turmas de um curso é mostrada na tabela abaixo. A B C Homens 42 36 26 Mulheres 28 24 32 Escolhendo-se uma aluna desse curso, a probabilidade de ela ser da turma A é:

Leia mais

ANDRÉ REIS RACIOCÍNIO LÓGICO E MATEMÁTICO. 2ª Edição DEZ 2014

ANDRÉ REIS RACIOCÍNIO LÓGICO E MATEMÁTICO. 2ª Edição DEZ 2014 ANDRÉ REIS RACIOCÍNIO LÓGICO E MATEMÁTICO TEORIA QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS DA EBSERH AOCP GABARITADAS 20 QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS DA EBSERH AOCP RESOLVIDAS 2 EXERCÍCIOS RESOLVIDOS Teoria e

Leia mais

Determinar potências com expoente fraccionário. Aplicar as regras práticas da multiplicação e divisão de potências.

Determinar potências com expoente fraccionário. Aplicar as regras práticas da multiplicação e divisão de potências. 5 Potência de Expoente Fraccion onário Objectivos de aprendizagem: No final desta lição, você será capaz de: Determinar potências com expoente fraccionário. Aplicar as regras práticas da multiplicação

Leia mais

As expressões que apresentam letras, além de operações e números são chamadas expressões algébricas. As letras são as variáveis.

As expressões que apresentam letras, além de operações e números são chamadas expressões algébricas. As letras são as variáveis. 1 Aula 3 Expressões algébricas. Produtos notáveis. Fatoração. Objetivos: Conceituar variáveis. Enumerar as propriedades operacionais das expressões algébricas. Fatorar expressões algébricas. Simplificar

Leia mais

A Matemática do ENEM em Bizus

A Matemática do ENEM em Bizus A Matemática do ENEM em Bizus Neste primeiro artigo sobre a Matemática do ENEM, eu quero abordar a estratégia do conteúdo, tendo por base as provas anteriores e as tendências de abordagem. Quando confrontamos

Leia mais

Avaliação e Desempenho Aula 4

Avaliação e Desempenho Aula 4 Avaliação e Desempenho Aula 4 Aulas passadas Motivação para avaliação e desempenho Aula de hoje Revisão de probabilidade Eventos e probabilidade Independência Prob. condicional Experimentos Aleatórios

Leia mais

Fração como porcentagem. Sexto Ano do Ensino Fundamental. Autor: Prof. Francisco Bruno Holanda Revisor: Prof. Antonio Caminha M.

Fração como porcentagem. Sexto Ano do Ensino Fundamental. Autor: Prof. Francisco Bruno Holanda Revisor: Prof. Antonio Caminha M. Material Teórico - Módulo de FRAÇÕES COMO PORCENTAGEM E PROBABILIDADE Fração como porcentagem Sexto Ano do Ensino Fundamental Autor: Prof. Francisco Bruno Holanda Revisor: Prof. Antonio Caminha M. Neto

Leia mais

Matemática SSA 2 REVISÃO GERAL 1

Matemática SSA 2 REVISÃO GERAL 1 1. REVISÃO 01 Matemática SSA REVISÃO GERAL 1. Um recipiente com a forma de um cone circular reto de eixo vertical recebe água na razão constante de 1 cm s. A altura do cone mede cm, e o raio de sua base

Leia mais

Capítulo 7. Topologia Digital. 7.1 Conexidade

Capítulo 7. Topologia Digital. 7.1 Conexidade Capítulo 7 Topologia Digital A Topologia Digital estuda a aplicação das noções definidas em Topologia sobre imagens binárias. Neste capítulo vamos introduzir algumas noções básicas de Topologia Digital,

Leia mais

Índice. 1. Metodologia de Alfabetização...3. 2. Aprendizagem da Escrita...3 3. Aprendizagem da Leitura...6

Índice. 1. Metodologia de Alfabetização...3. 2. Aprendizagem da Escrita...3 3. Aprendizagem da Leitura...6 GRUPO 6.1 MÓDULO 6 Índice 1. Metodologia de Alfabetização...3 1.1. Qual o Conhecimento sobre o Sistema de Escrita dos Jovens e Adultos?... 3 2. Aprendizagem da Escrita...3 3. Aprendizagem da Leitura...6

Leia mais

FGV-EAESP PROVA DE RACIOCÍNIO MATEMÁTICO CURSO DE GRADUAÇÃO AGOSTO/2004

FGV-EAESP PROVA DE RACIOCÍNIO MATEMÁTICO CURSO DE GRADUAÇÃO AGOSTO/2004 QUESTÃO 1. Numa cidade do interior do estado de São Paulo, uma prévia eleitoral entre 2.000 filiados revelou as seguintes informações a respeito de três candidatos A, B, e C, do Partido da Esperança (PE)

Leia mais

A probabilidade representa o resultado obtido através do cálculo da intensidade de ocorrência de um determinado evento.

A probabilidade representa o resultado obtido através do cálculo da intensidade de ocorrência de um determinado evento. Probabilidade A probabilidade estuda o risco e a ocorrência de eventos futuros determinando se existe condição de acontecimento ou não. O olhar da probabilidade iniciou-se em jogos de azar (dados, moedas,

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE RACIOCÍNIO LÓGICO P/ PERITO MÉDICO LEGISTA DA PCDF

RESOLUÇÃO DA PROVA DE RACIOCÍNIO LÓGICO P/ PERITO MÉDICO LEGISTA DA PCDF RESOLUÇÃO DA PROVA DE RACIOCÍNIO LÓGICO Olá galera!!!! P/ PERITO MÉDICO LEGISTA DA PCDF Hoje estou postando a resolução da prova de Raciocínio Lógico para PERITO MÉDICO LEGISTA DA PCDF, ocorrida no domingo,

Leia mais

1ª Parte Questões de Múltipla Escolha

1ª Parte Questões de Múltipla Escolha MATEMÁTICA 11 a 1ª Parte Questões de Múltipla Escolha A soma dos cinco primeiros termos de uma PA vale 15 e o produto desses termos é zero. Sendo a razão da PA um número inteiro e positivo, o segundo termo

Leia mais

a) C D. b) C D. c) (A B) (C D). d) (A B) (C D).

a) C D. b) C D. c) (A B) (C D). d) (A B) (C D). Conjuntos e Conjuntos Numéricos Exercícios 1. Uma pesquisa de mercado foi realizada, para verificar a preferência sobre três produtos, A, B e C. 1.00 pessoas foram entrevistadas. Os resultados foram os

Leia mais

a) ½ b) 1/3 c) 14 d) 1/5 e) 1/6

a) ½ b) 1/3 c) 14 d) 1/5 e) 1/6 PROBABILIDADE 1) (ANEEL) Ana tem o estranho costume de somente usar blusas brancas ou pretas. Por ocasião de seu aniversário, Ana ganhou de sua mãe quatro blusas pretas e cinco brancas. Na mesma ocasião,

Leia mais

Tópicos de Matemática Discreta

Tópicos de Matemática Discreta José Sousa Pinto Universidade de Aveiro, 1999 Tópicos de Matemática Discreta Texto de Apoio - 2005/2006 Departamento de Matemática UNIVERSIDADE DE AVEIRO Estudar Matemática... em memória de Sousa Pinto

Leia mais

EXERCÍCIOS EXAMES E TESTES INTERMÉDIOS ESTATÍSTICA E PROBABILIDADES

EXERCÍCIOS EXAMES E TESTES INTERMÉDIOS ESTATÍSTICA E PROBABILIDADES EXERCÍCIOS EXAMES E TESTES INTERMÉDIOS ESTATÍSTICA E PROBABILIDADES. Num acampamento de verão, estão jovens de três nacionalidades: jovens portugueses, espanhóis e italianos. Nenhum dos jovens tem dupla

Leia mais

RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO

RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO Caro aluno, Disponibilizo abaixo a resolução das questões de Matemática e Raciocínio Lógico da prova para o cargo de Oficial de Promotoria do Ministério

Leia mais

(c) 2a = b. (c) {10,..., 29}

(c) 2a = b. (c) {10,..., 29} 11 Atividade extra UNIDADE CONJUTOS Fascículo 4 Matemática Unidade 11 Conjuntos Exercı cio 11.1 Sejam os conjuntos A = {a, 7, 0} e B = {0, 1, b}, tal que os conjuntos A e B sejam iguais. Qual é a relação

Leia mais

Resolverei neste artigo uma prova da fundação VUNESP realizada em 2010.

Resolverei neste artigo uma prova da fundação VUNESP realizada em 2010. Olá pessoal! Resolverei neste artigo uma prova da fundação VUNESP realizada em 2010. 01. (Fundação CASA 2010/VUNESP) Em um jogo de basquete, um dos times, muito mais forte, fez 62 pontos a mais que o seu

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 24

Transcrição de Entrevista n º 24 Transcrição de Entrevista n º 24 E Entrevistador E24 Entrevistado 24 Sexo Feminino Idade 47 anos Área de Formação Engenharia Sistemas Decisionais E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

Se entregar em papel, por favor, prenda esta folha de rosto na solução desta lista, preenchendo seu nome. Ela será usada na correção.

Se entregar em papel, por favor, prenda esta folha de rosto na solução desta lista, preenchendo seu nome. Ela será usada na correção. Matemática Aplicada Lista numero 3 Probabilidade e Estatística tarcisio.praciano@gmail.com T. Praciano-Pereira Sobral Matemática alun@: 27 de agosto de 2015 Instituto Alencarina Produzido com L A TEX sis.

Leia mais

Ciências Físico-Químicas

Ciências Físico-Químicas Teste Intermédio de Ciências Físico-Químicas Versão 1 Teste Intermédio Ciências Físico-Químicas Versão 1 Duração do Teste: 90 minutos 14.03.2012 9.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de

Leia mais

HORÁRIO MANHÃ 2012 6ºA SEG TER QUA QUI SEX 1ª AULA MAT HIST ED. FISICA MAT INGLÊS ED. FISICA 4ª AULA MUSICA MAT PORT PORT OE

HORÁRIO MANHÃ 2012 6ºA SEG TER QUA QUI SEX 1ª AULA MAT HIST ED. FISICA MAT INGLÊS ED. FISICA 4ª AULA MUSICA MAT PORT PORT OE HORÁRIO MANHÃ 2012 6ºA 1ª AULA MAT HIST ED. FISICA MAT INGLÊS 2ª AULA PORT MAT HIST GEO GEO 3ª AULA PORT CIEN ARTE ED. FISICA 4ª AULA MUSICA MAT PORT PORT OE FILO 5ª AULA CIEN GEO ARTE PORT ESPANHOL 6ª

Leia mais

Resolvendo problemas com logaritmos

Resolvendo problemas com logaritmos A UA UL LA Resolvendo problemas com logaritmos Introdução Na aula anterior descobrimos as propriedades dos logaritmos e tivemos um primeiro contato com a tábua de logarítmos. Agora você deverá aplicar

Leia mais

Elementos de Matemática Discreta

Elementos de Matemática Discreta Elementos de Matemática Discreta Prof. Marcus Vinícius Midena Ramos Universidade Federal do Vale do São Francisco 9 de junho de 2013 marcus.ramos@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~marcus.ramos Marcus

Leia mais

Introdução à Probabilidade e Estatística

Introdução à Probabilidade e Estatística Professor Cristian F. Coletti Introdução à Probabilidade e Estatística (1 Para cada um dos casos abaixo, escreva o espaço amostral correspondente e conte seus elementos. a Uma moeda é lançada duas vezes

Leia mais

Raciocínio Lógico Exercícios. Prof. Pacher A B P(A B) P(A/B) = P(B) n(a) P(A) = n(s) PROBABILIDADE DECORRÊNCIA DA DEFINIÇÃO

Raciocínio Lógico Exercícios. Prof. Pacher A B P(A B) P(A/B) = P(B) n(a) P(A) = n(s) PROBABILIDADE DECORRÊNCIA DA DEFINIÇÃO PROBBILIDDE Introdução teoria da probabilidade é o ramo da matemática que cria, desenvolve e em geral pesquisa modelos que podem ser utilizados para estudar experimentos aleatórios ou não determinísticos.

Leia mais

Módulo VIII. Probabilidade: Espaço Amostral e Evento

Módulo VIII. Probabilidade: Espaço Amostral e Evento 1 Módulo VIII Probabilidade: Espaço Amostral e Evento Suponha que em uma urna existam cinco bolas vermelhas e uma branca. Extraindo-se, ao acaso, uma das bolas, é mais provável que esta seja vermelha.

Leia mais

O princípio multiplicativo

O princípio multiplicativo A UA UL L A O princípio multiplicativo Introdução A palavra Matemática, para um adulto ou uma criança, está diretamente relacionada com atividades e técnicas para contagem do número de elementos de algum

Leia mais

CURSOS ON-LINE - ESTATÍSTICA BÁSICA CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO CARVALHO AULA 02

CURSOS ON-LINE - ESTATÍSTICA BÁSICA CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO CARVALHO AULA 02 Olá, amigos! AULA 02 Tudo bem com vocês? E aí, revisaram a aula passada? Espero que sim. Bem como espero que tenham resolvido as questões que ficaram pendentes! A propósito, vamos iniciar nossa aula de

Leia mais

PROF. JOSIMAR PADILHA

PROF. JOSIMAR PADILHA RACIOCÍNIO LÓGICO Nós somos o que fazemos repetidamente, a excelência não é um feito, e sim, um hábito.aristóteles. Sucesso! PROF. JOSIMAR PADILHA 1 01 - NOÇÕES DE CONJUNTOS Nesta primeira aula iremos

Leia mais

C Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 7

C Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 7 RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 7 TEORIA DAS PROBABILIDADES Vamos considerar os seguintes experimentos: Um corpo de massa m, definida sendo arrastado horizontalmente por uma força qualquer, em um espaço definido.

Leia mais

PROFMAT - UNIRIO COORDENADOR GLADSON ANTUNES ALUNO JOÃO CARLOS CATALDO ANÁLISE COMBINATÓRIA

PROFMAT - UNIRIO COORDENADOR GLADSON ANTUNES ALUNO JOÃO CARLOS CATALDO ANÁLISE COMBINATÓRIA PROFMAT - UNIRIO COORDENADOR GLADSON ANTUNES ALUNO JOÃO CARLOS CATALDO ANÁLISE COMBINATÓRIA Questão 1: Entre duas cidades A e B existem três empresas de avião e cinco de ônibus. Uma pessoa precisa fazer

Leia mais

Material Teórico - Módulo de Divisibilidade. MDC e MMC - Parte 1. Sexto Ano. Prof. Angelo Papa Neto

Material Teórico - Módulo de Divisibilidade. MDC e MMC - Parte 1. Sexto Ano. Prof. Angelo Papa Neto Material Teórico - Módulo de Divisibilidade MDC e MMC - Parte 1 Sexto Ano Prof. Angelo Papa Neto 1 Máximo divisor comum Nesta aula, definiremos e estudaremos métodos para calcular o máximo divisor comum

Leia mais

CONCEITOS. Evento: qualquer subconjunto do espaço amostral. Uma primeira idéia do cálculo de probabilidade. Eventos Teoria de conjuntos

CONCEITOS. Evento: qualquer subconjunto do espaço amostral. Uma primeira idéia do cálculo de probabilidade. Eventos Teoria de conjuntos INTRODUÇÃO À PROAILIDADE Exemplos: O problema da coincidência de datas de aniversário O problema da mega sena A teoria das probabilidade nada mais é do que o bom senso transformado em cálculo A probabilidade

Leia mais

Teoria das Probabilidades I. Ana Maria Lima de Farias Universidade Federal Fluminense

Teoria das Probabilidades I. Ana Maria Lima de Farias Universidade Federal Fluminense Teoria das Probabilidades I Ana Maria Lima de Farias Universidade Federal Fluminense Conteúdo 1 Probabilidade - Conceitos Básicos 1 1.1 Introdução....................................... 1 1.2 Experimento

Leia mais

Eventos independentes

Eventos independentes Eventos independentes Adaptado do artigo de Flávio Wagner Rodrigues Neste artigo são discutidos alguns aspectos ligados à noção de independência de dois eventos na Teoria das Probabilidades. Os objetivos

Leia mais

CAPÍTULO 2 FUNÇÕES 1. INTRODUÇÃO. y = 0,80.x. 2. DEFINIÇÃO DE FUNÇÃO DE A EM B ( f: A B) 4. GRÁFICO DE UMA FUNÇÃO

CAPÍTULO 2 FUNÇÕES 1. INTRODUÇÃO. y = 0,80.x. 2. DEFINIÇÃO DE FUNÇÃO DE A EM B ( f: A B) 4. GRÁFICO DE UMA FUNÇÃO CAPÍTULO 2 FUNÇÕES 1. INTRODUÇÃO Muitas grandezas com as quais lidamos no nosso cotidiano dependem uma da outra, isto é, a variação de uma delas tem como conseqüência a variação da outra. Exemplo 1: Tio

Leia mais

.x.y.z A B = {1,2,3,4} Conjunto das Partes CONJUNTOS. Nomenclatura: Conjuntos Letras maiúsculas Elementos Letras minúsculas

.x.y.z A B = {1,2,3,4} Conjunto das Partes CONJUNTOS. Nomenclatura: Conjuntos Letras maiúsculas Elementos Letras minúsculas Nomenclatura: Representação:.x.y.z CONJUNTOS Conjuntos Letras maiúsculas Elementos Letras minúsculas A = {x,y,z}- Entre chaves Diagrama de Euler-Venn Descrição de um Conjunto Enumerado - A= {a,e,i,o,u}

Leia mais

Objetivos, conteúdo e estruturação do Curso de Hebraico Bíblico (módulo 1)

Objetivos, conteúdo e estruturação do Curso de Hebraico Bíblico (módulo 1) Objetivos, conteúdo e estruturação do Curso de Hebraico Bíblico ( 1) 1) Objetivos 1.1) Apresentar as diferenças básicas entre os idiomas português e hebraico. 1.2) Apresentar alguns estilos de escrita

Leia mais

Frações. Números Racionais

Frações. Números Racionais Frações Números Racionais Consideremos a operação 4:5 =? onde o dividendo não é múltiplo do divisor. Vemos que não é possível determinar o quociente dessa divisão no conjunto dos números porque não há

Leia mais

RESUMO TEÓRICO. n(a) P(A) = n(u) 0 P(A) 1

RESUMO TEÓRICO. n(a) P(A) = n(u) 0 P(A) 1 RESUMO TEÓRICO Experimentos aleatórios: são aqueles que, mesmo repetidos várias vezes sob condições semelhantes, apresentam resultados imprevisíveis. Exemplo: Lançar um dado e verificar qual é a face voltada

Leia mais

Quando dividimos uma grandeza em um número inteiro de partes iguais, cada uma destas partes é dita ser uma alíquota da grandeza dada.

Quando dividimos uma grandeza em um número inteiro de partes iguais, cada uma destas partes é dita ser uma alíquota da grandeza dada. 6. FRAÇÕES ORDINÁRIAS 1). A ideia de alíquota 2). A ideia de fração 3). Frações de grandezas contínuas e de grandezas discretas 4). O tipo mais importante de frações discretas: as frações ordinárias 5).

Leia mais

QUESTÕES COMENTADAS E RESOLVIDAS

QUESTÕES COMENTADAS E RESOLVIDAS LENIMAR NUNES DE ANDRADE INTRODUÇÃO À ÁLGEBRA: QUESTÕES COMENTADAS E RESOLVIDAS 1 a edição ISBN 978-85-917238-0-5 João Pessoa Edição do Autor 2014 Prefácio Este texto foi elaborado para a disciplina Introdução

Leia mais

séries iniciais do ensino fundamental encontramos um campo predominantemente feminizado,

séries iniciais do ensino fundamental encontramos um campo predominantemente feminizado, A FEMINIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO NOS DIAS ATUAIS: O ESPAÇO PARA OS TIOS Débora Guimarães Cruz Santos (UFS/NPGECIMA) 1 RESUMO Quando se fala de feminização do magistério nas séries iniciais do ensino fundamental,

Leia mais

8º ANO TEOREMA DE PITÁGORAS. Nuno Marreiros. O que é um Teorema? Quem foi Pitágoras?

8º ANO TEOREMA DE PITÁGORAS. Nuno Marreiros. O que é um Teorema? Quem foi Pitágoras? TEOREMA DE PITÁGORAS 8º ANO Nuno Marreiros O que é um Teorema? Quem foi Pitágoras? 1 O que é um Teorema? Os Gregos trouxeram até nós o conceito de teorema. Um teorema é uma afirmação matemática cuja demonstração

Leia mais

Trabalho de Implementação Jogo Reversi

Trabalho de Implementação Jogo Reversi Trabalho de Implementação Jogo Reversi Paulo Afonso Parreira Júnior {paulojr@comp.ufla.br} Rilson Machado de Olivera {rilson@comp.ufla.br} Universidade Federal de Lavras UFLA Departamento de Ciência da

Leia mais

Exercícios Teóricos Resolvidos

Exercícios Teóricos Resolvidos Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Matemática Exercícios Teóricos Resolvidos O propósito deste texto é tentar mostrar aos alunos várias maneiras de raciocinar

Leia mais

MATEMÁTICA LISTA 1 - CONJUNTOS PROBLEMAS

MATEMÁTICA LISTA 1 - CONJUNTOS PROBLEMAS MATEMÁTICA Prof. Sabará LISTA 1 - CONJUNTOS PROBLEMAS 1. Numa pesquisa sobre preferência de detergentes realiada numa população de 100 pessoas, constatou-se que 62 consomem o produto A; 47 consomem o produto

Leia mais

EXISTE O INFERNO? Introdução

EXISTE O INFERNO? Introdução EVANGELISMO PESSOAL EXISTE O INFERNO 1 EXISTE O INFERNO? Introdução A. Um dos temas religiosos mais carregados de emoção é o tema do Inferno. Que sucede depois da morte física? Há algo mais além do túmulo

Leia mais

CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO. ALUNA: Rosane Lima Alves Rodrigues. TUTORA: Tânia Vigorito

CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO. ALUNA: Rosane Lima Alves Rodrigues. TUTORA: Tânia Vigorito CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO ALUNA: Rosane Lima Alves Rodrigues TUTORA: Tânia Vigorito 2007 Objetivos: Debater assuntos do interesse dos alunos. Incentivar a produção textual. Estimular o trabalho em grupo.

Leia mais

Resolução eficaz de problemas: quatro exemplos

Resolução eficaz de problemas: quatro exemplos JFF6-0 Resolução eficaz de problemas: quatro exemplos Em Março participarei no evento Que Matemática para a Sociedade de Informação?, organizado pelo grupo FAST da Universidade do Minho, cujo objectivo

Leia mais

Preparação da época de exames

Preparação da época de exames Preparação da época de exames Sugestões para os estudantes Imagem de http://jpn.icicom.up.pt/imagens/educacao/estudar.jpg A preparação para os Exames começa no início do Semestre O ritmo de exposição da

Leia mais

28 de agosto de 2015. MAT140 - Cálculo I - Derivação Impĺıcita e Derivadas de Ordem Superior

28 de agosto de 2015. MAT140 - Cálculo I - Derivação Impĺıcita e Derivadas de Ordem Superior MAT140 - Cálculo I - Derivação Impĺıcita e Derivadas de Ordem Superior 28 de agosto de 2015 Derivação Impĺıcita Considere o seguinte conjunto R = {(x, y); y = 2x + 1} O conjunto R representa a reta definida

Leia mais