Balanço Social A gente quer um mundo melhor, a gente faz isso acontecer.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Balanço Social 2014. A gente quer um mundo melhor, a gente faz isso acontecer."

Transcrição

1 Balanço Social 2014 A gente quer um mundo melhor, a gente faz isso acontecer.

2 DIRETORIA - GESTÃO 2013/2015 DIRETORIA EXECUTIVA Presidente Ernesto João Reck São Lourenço do Oeste 1º Vice-Presidente André Gaidzinski Florianópolis 2º Vice-Presidente Christiane Hufenüssler Jaraguá do Sul 1º Diretor Financeiro Doreni Isaias Caramori Junior Florianópolis 2º Diretor Financeiro Leandro Porto da Rosa Palhoça 1º Diretor Secretário Olvacir José Bez Fontana Criciúma 2º Diretor Secretário Gilson José Pedrassani Canoinhas V.P. Mulher Empresária Maria Aparecida Passos Itapema V.P. Jovem Empresário Liandra Nazário Nóbrega Florianópolis V. P. Soluções Empresariais Marcelo André Destri Noronha Jaraguá do Sul V.P. Setor Prestação de Serviços Joi Luiz Daniel Içara V.P. Setor da Indústria Christian Dilhmann Joinville V.P. Setor Comércio Maria Izabel Pinheiro Sandri Itajaí V.P. Setor Agronegócios Vincenzo F. Mastrogiacomo Chapecó V.P. Turismo Magda Bez Balneário Camboriú V.P. Integração Alberto Stringhini Concórdia V.P. Assuntos Jurídicos Jonny Zulauf São Bento do Sul V.P. Assuntos Tributários Célio Armando Janczeski São Lourenço do Oeste V.P. Educação Empreendedora Neiva Dreger Kieling Florianópolis V.P. Técnico Ciro José Cerutti Rio do Sul V.P. Relações Internacionais Milvo Zancanaro Itá V.P. Comércio Exterior Ido José Steiner Blumenau V.P. Micro e Pequenas Empresas Adriano Zimmermann Guaramirim V.P. Soluções Financeiras Uwe Stortz São Bento do Sul V.P. Patrimônio Ricardo Harger Martins São José V.P. Socioempresarial Mário Sérgio Zilli Bacic Rio Negrinho V.P. Meio Ambiente José Mário Gomes Ribeiro Joinville V.P. Programa Empreender Amandio João da Silva Junior Rio do Sul V.P. Assuntos de Logística Eduardo Silvério Nunes Tubarão V.P. Inovação e Tecnologia Marcus Rocha Florianópolis Pres. Conselho Superior Alaor Francisco Tissot Florianópolis CONSELHO FISCAL Titular Marcos Antonio Cardozo de Souza São José Titular John Kennedy Lara da Costa Biguaçu Titular Luiz Dário Rocha Imbituba Suplente Carlos Vanderley Porfirio Dionísio Cerqueira Suplente Elson Otto Palmitos Suplente Ulysses Gaboardi Filho Curitibanos VICE-PRESIDENTES REGIONAIS Grande Florianópolis José Carlos de Souza Tijucas Sul Carlos Becker Fornasa Braço do Norte Extremo Sul Karoly Agardi Araranguá Vale do Itajaí Mário Fávero Timbó Alto Vale André Armin Odebrecht Rio do Sul Norte Eluisa Hertel Maiochi Guaramirim Planalto Norte Reinaldo Baechtold Filho Campo Alegre Serra Catarinense Roberto Rogério Amaral Lages Oeste Darci Fiorini Pinhalzinho Meio-Oeste Auri Marcel Baú Caçador Noroeste Allan Edgard Kreutz Dionísio Cerqueira Extremo Oeste Afonso Nieuhes Itapiranga

3 BALANÇO SOCIAL 2014

4 PERFIL O Balanço Social da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (FACISC) chega à sua quarta edição apresentando os esforços da entidade em promover a integração e a representatividade empresarial por meio do associativismo, da busca de um ambiente favorável aos negócios e do desenvolvimento sustentável catarinense. Tendo como referência os indicadores Ethos para Negócios Sustentáveis e Responsáveis, foram alinhadas as dimensões dessa ferramenta às diretrizes de gestão da FACISC, sendo estas a representatividade, a responsabilidade socioempresarial, a melhoria do ambiente empresarial e o fortalecimento do sistema. O formato do documento permite a comparação das ações em uma leitura que oferece visão clara dos avanços, das proposições e dos desafios da entidade.

5 SUMÁRIO 07 MENSAGEM DO PRESIDENTE 08 QUEM SOMOS REPRESENTATIVIDADE 12 GOVERNANÇA CORPORATIVA 16 ATUAÇÃO REGIONAL E SETORIAL 19 RELAÇÕES GOVERNAMENTAIS 21 RELAÇÕES INSTITUCIONAIS 25 COMITÊ JURÍDICO 26 ÁREA INTERNACIONAL 28 ESCOLA CORPORATIVA FACISC RESPONSABILIDADE SOCIO EMPRESARIAL 32 CARTA DE PRINCÍPIOS 33 CÓDIGO DE CONDUTA/ÉTICA 34 PROJETO GERAÇÃO EMPREENDEDORA 35 MUNICIPALIZAÇÃO DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) 36 OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 36 INDICADORES FECAM 37 COMISSÃO MISTA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA ALESC 37 EDUCAÇÃO TRIBUTÁRIA 38 SOLUÇÕES FINANCEIRAS 39 MELHOR APLICAÇÃO DO RECURSO 40 DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL 43 ESTATÍSTICA E DADOS ECONÔMICOS 44 MEIO AMBIENTE

6 MELHORIA DO AMBIENTE EMPRESARIAL 48 PROGRAMA EMPREENDER 58 EMPREENDER COMPETITIVO 61 EMPREENDER COMPETITIVO CEME FORTALECIMENTO DO SISTEMA 64 ESCRITÓRIO DE PROJETOS 65 PADRONIZAÇÃO E CLAREZA DO FLUXO DE PROJETOS 66 RESULTADOS DOS PROJETOS 68 PROJETO EDUCAÇÃO FINANCEIRA 69 PROGRAMA FACISC DE EXCELÊNCIA 70 SOLUÇÕES EMPRESARIAIS 73 COMUNICAÇÃO CORPORATIVA 74 REDE DE NOTÍCIAS DEMONSTRATIVOS 78 DVA DEMONSTRATIVO DO VALOR ADICIONADO

7 07 MENSAGEM DO PRESIDENTE A gente quer, a gente faz O ano de 2014 foi marcado pela forte atuação da FACISC junto à sociedade. Orientados pela nossa missão de promover a integração e a representatividade empresarial, por meio do associativismo, da busca de um ambiente favorável aos negócios e do desenvolvimento sustentável, desenvolvemos ações regionais e estaduais que nos permitiram traçar um caminho para alcançar nossos objetivos. Entre outras ações, buscamos mostrar aos representantes públicos do que, na visão do empresário, o estado precisa para crescer. Cientes da responsabilidade que também nos é cabida, lançamos propostas com conteúdos econômicos inéditos para subsidiar as decisões empreendedoras. Fomos também protagonistas no setor da responsabilidade social. Capacitamos nossos atores além da participação e da organização de palestras, seminários e outros eventos, sempre buscando disseminar o associativismo entre os mais diversos públicos. Atuamos fortemente na disseminação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, essencialmente junto ao setor empresarial, e de forma inédita iniciamos a inserção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável em nosso planejamento, já prospectando a agenda pós-2015 a ser implementada pela Organização das Nações Unidas (ONU). Repensamos ainda a forma de nos comunicarmos, inovando nossa comunicação visual, unindo e fortalecendo a identidade do maior sistema empresarial de Santa Catarina. Estimulando empresários a participar efetivamente do planejamento e da execução de ações que favoreçam o desenvolvimento local, também mobilizamos e buscamos o progresso regional. Para que tudo isso se tornasse realidade, foi essencial a solidificação de um fluxo estruturado para as propostas que passaram a ser planejadas desde a concepção da ideia até o encerramento, o que contribuiu para a construção da Governança da Federação. Nas páginas a seguir, apresentamos um balanço dos resultados gerados por essas ações que ajuda a construir os alicerces necessários para alcançar o que almejamos, ou seja, fazer deste mundo um lugar cada vez melhor. Ernesto João Reck Presidente da FACISC

8 08 BALANÇO SOCIAL 2014 FACISC QUEM SOMOS Maior sistema empresarial catarinense pela capilaridade e pela representação da economia catarinense na indústria, no comércio, na prestação de serviços, nos agronegócios, de profissionais liberais, do turismo e de demais formas organizadas de desenvolvimento e fomento empresarial, a FACISC reúne 33 mil empresas distribuídas em 220 municípios de Santa Catarina por intermédio de 146 Associações Empresariais. Entre as principais bandeiras defendidas pela entidade estão: - Melhoria da infraestrutura; - Melhoria na gestão da aplicação dos recursos públicos; - Maior aproximação entre as classes empresarial e política; - Desenvolvimento econômico sustentável; - Redução e simplificação da carga tributária; - Voto aberto em todas as instâncias; - Combate à corrupção. MISSÃO VISÃO Consolidar-se como a Entidade Empresarial voluntária e associativista, líder na promoção do desenvolvimento sustentável catarinense. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS - Posicionamento e opinião; - Geração de valor e cidadania; - Inovação; - Capilaridade. VALORES - Ética e seriedade; - Valorização do associativismo; - Transparência; - Profissionalismo; - Parcerias efetivas e com qualidade; - Responsabilidade social; - Honestidade e respeito aos associados; - Apoio à livre iniciativa e ao empreendedorismo. Promover a integração e a representatividade empresarial, por meio do associativismo, na busca do ambiente favorável aos negócios e do desenvolvimento sustentável catarinense.

9 FACISC 09 QUEM SOMOS 5% 5% 7% TEMPO DE CASA 25% 57% FAIXA ETÁRIA 36% 65% acima de 10 anos: 3 entre 6 e 10 anos: 3 entre 3 e 5 anos: 16 até 3 anos: 42 acima de 51 anos: 5 entre 31 e 50 anos: 24 até 30 anos: 35 5% 17% 38% 62% GÊNERO REGIME DE TRABALHO 78% masculino: 24 feminino: 40 assessores: 4 consultores regionais: 14 colaboradores: 64 Fonte: FACISC

10

11 DIRETRIZ REPRESENTATIVIDADE DIMENSÃO ETHOS GOVERNANÇA E GESTÃO FOCO ESTRATÉGICO POSICIONAMENTO E OPINIÃO

12 12 BALANÇO SOCIAL 2014 FACISC GOVERNANÇA CORPORATIVA Na busca da melhoria da qualidade da gestão, foram criadas em fevereiro de 2014 duas instâncias primárias para a avaliação e a validação dos projetos da FACISC. Denominadas Comitês de Gestão e Diretivo, atuam em prol da eficiência econômica e do bem-estar de todos os públicos ligados ao Sistema FACISC. Por intermédio de um conjunto eficiente de mecanismos, buscam assegurar que as decisões estejam sempre alinhadas com os interesses e as diretrizes do planejamento da instituição, contribuindo assim para o desenvolvimento econômico sustentável. Ao todo, em 2014 foram analisados 17 projetos e avaliadas diversas ações de gestão que trouxeram melhorias para os públicos interno e externo. Em 2015, o desafio é com o crescimento da entidade e a incorporação do novo modelo de gestão pela equipe e pela diretoria, além de elevar o Comitê de Gestão ao status de Governança Corporativa. POLÍTICAS, PROCEDIMENTOS E SISTEMAS DE GESTÃO Para a maior transparência dos procedimentos financeiros e dos processos internos perante as afiliadas, em 2014 foi criado o modelo de orçamento participativo, envolvendo a diretoria na gestão do recurso por meio dos projetos estruturados. Além disso, também foi implementado o Procedimento Operacional Padrão (POP), que contribuiu para definir processos e modelos para atender demandas e atividades administrativas, como, por exemplo, requisição de materiais, serviços e ressarcimentos.

13 REPRESENTATIVIDADE 13 Responsabilidade socioempresarial COMUNICAR / DAR VISIBILIDADE

14 14 BALANÇO SOCIAL 2014 FACISC NEGÓCIO MISSÃO VISÃO Associativismo empresarial com foco em resultados em prol da sociedade catarinense. Promover a integração e a representatividade empresarial, por meio do associativismo, Consolidar-se como a entidade empresarial voluntária e associativista, líder na OBJETIVO ESTRATÉGICO: ATUAÇÃO REGIONAL ATUAÇÃO SETORIAL RELAÇÕES GOVERNAMENTAIS DIRETRIZ REPRESENTATIVIDADE Alto Vale Extremo Oeste Extremo Sul Grande Florianópolis Meio-Oeste Noroeste Norte Oeste Planalto Norte Serra Catarinense Sul Vale do Itajaí Agronegócios Comércio Indústria Marketing Prestação de Serviços Turismo Aproximação dos poderes constituídos (Executivo, Legislativo e Judiciário) Gestão Pública OBJETIVO ESTRATÉGICO: RESPONSABILIDADE SOCIAL MEIO AMBIENTE MELHOR APLICAÇÃO DO RECURSO DIRETRIZ RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Projeto Iniciativa Responsável (FIA) Participação na Certificação de R.S.E. da Alesc Participação no GT Processos Instituto Ethos Programa de Voluntariado Programa Trabalho Seguro Disseminação de Práticas de R.S.E. no Sistema FACISC Programa Meio Ambiente e Empresas Projeto Fortalecimento dos Sistemas Municipais de Licenciamento Selo Ambiental FACISC Movimento Brasil Eficiente (MBE) Educação Fiscal Disseminação do conceito do Observatório Social Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção OBJETIVO ESTRATÉGICO: SOLUÇÕES EMPRESARIAIS PROGRAMA EMPREENDER CONSELHOS E NÚCLEOS ESTADUAIS DIRETRIZ MELHORIA DO AMBIENTE Serasa - Informação Cadastral Util Card - Gestão de Benefícios Util Alimentação - Gestão de Benefícios Util Refeição - Gestão de Benefícios Uniodonto - Plano Odontológico Printe - Proteção Intelectual Certificado de Origem - Exportação Certificado Digital - Obrigação Legal XML Empresarial - Armazenamento de Arquivo Obinóculo - Negócios e Currículos Fiscall - Benefícios Fiscais de SC Seguro de Crédito Internacional / Nacional Núcleos Setoriais Núcleos Multissetoriais Núcleos Temáticos Núcleos Territoriais Comitês Abertos CEJESC CEME CONCEX NEA NIVOC OBJETIVO ESTRATÉGICO: ASSOCIAÇÕES EMPRESARIAIS GESTÃO INTERNA FACISC SISTEMA CACB DIRETRIZ FORTALECIMENTO DO SISTEMA FACISC Planejamento Estratégico Sigaem Assessorias e Consultorias Programa FACISC de Excelência na Gestão de ACIs Integração no Sistema FACISC Recursos Humanos Finanças Administrativo e Patrimônio Estrutura e Tecnologia Imagem e Marketing Comunicação Corporativa Gestão de Projetos Eventos Projetos de Cooperação e Parcerias Progerecs Soluções Empresariais

15 REPRESENTATIVIDADE 15 na busca do ambiente favorável aos negócios e do desenvolvimento sustentável catarinense. promoção do desenvolvimento sustentável catarinense. POSICIONAMENTO E OPINIÃO RELAÇÕES INSTITUCIONAIS CACB Cofem - Federações Empresariais Jucesc Sebrae Sistema S Conselhos Estaduais (Consema, Conceel, Casas de Microcrédito, Trib. Adm. Tributário, CECOP, etc.) DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Assuntos Jurídicos Assuntos Tributários Infraestrutura Logística Micro e Pequenas Empresas Relações Internacionais Comércio Exterior Prodec GERAÇÃO DE VALOR E CIDADANIA EDUCAÇÃO Educação Empreendedora Educação Continuada (MBA, PGVE, cursos, treinamentos, eventos) FOMENTO AO EMPREENDEDORISMO Empreendedorismo Individual Empreendedorismo Coletivo SOLUÇÕES FINANCEIRAS Microcrédito Cooperativas de Crédito Sociedade Garantidora de Crédito DESENV. ECONÔMICO LOCAL (DEL) Análise econômica Planejamento estratégico municipal Conselho de Desenvolvimento Econômico INOVAÇÃO ECONOMIA E ESTATÍSTICA Pesquisa Análise Econômica INOVAÇÃO E TECNOLOGIA Projetos Consultorias Assessorias CAPILARIDADE

16 16 BALANÇO SOCIAL 2014 FACISC ATUAÇÃO REGIONAL E SETORIAL Para atender as demandas específicas de cada região do estado, a FACISC tem sua atuação subdividida em 12 regionais. Essas regionais são representadas pelos vice-presidentes regionais, empresários locais que conhecem as necessidades dos seus representados e são os porta-vozes da federação nas regiões. Além disso, a capilaridade da FACISC também permite que a entidade atue setorialmente em prol dos interesses de setores específicos. Esse modelo de atuação regional e setorial permite à federação conhecer a realidade dos empresários e agir pontualmente nas questões mais relevantes para os setores. Ao longo de 2014, cada uma das regionais da FACISC realizou um planejamento personalizado com as demandas locais. A seguir, são apresentados alguns dos resultados colhidos para o desenvolvimento local na avaliação dos vice-presidentes regionais: REGIONAL SUL A realização do Planejamento Estratégico da Regional Sul da FACISC para o período 2013/2015 evidenciou que o principal foco de atuação deveriam ser as questões da infraestrutura logística. Atuamos direcionados para a finalização da duplicação da BR-101, a definição na gestão do Porto de Imbituba, a efetivação da Ferrovia Litorânea e a operacionalização do Aeroporto Regional Sul. Uma das estratégias que obteve resultado positivo foi o apoio de todas as Associações Empresariais (ACIs) da regional à Carta do Sul, para que a gestão do Porto de Imbituba fosse concedida ao governo do estado. A atuação marcante da regional resultou na concessão da administração do porto pelo Governo Federal para os próximos 23 anos. Um fato inédito que marcou a Regional Sul foi a realização da última plenária de 2014 nas dependências do aeroporto regional. As ACIs trabalharam arduamente para que o aeroporto virasse realidade. Foram 15 anos de luta, e poder fazer uma reunião quando

17 REPRESENTATIVIDADE 17 da materialização desse trabalho foi muito gratificante para todos. Para 2015, estamos focados na Ferrovia Litorânea e no fortalecimento das pequenas associações através das soluções. Estamos planejando também a abertura de uma nova ACI no município de São Martinho. Carlos Becker Fornazza, Vice-Presidente Regional Sul REGIONAL NORTE Na Regional Norte realizamos vários encontros com os presidentes das Associações Empresariais para discutir os gargalos da região, que são principalmente a energia elétrica e as rodovias federais e estaduais. Dos encontros resultaram contatos em Florianópolis com representantes da Celesc e do Deinfra e também reuniões com a Celesc e o DNIT em Joinville e Guaramirim. Tais ações vêm unindo a classe empresarial em torno das necessidades comuns e contribuindo para agilizar a execução de obras essenciais para melhorar o tráfego e a oferta de energia elétrica. Além disso, os núcleos empresariais também têm contribuído para a integração empresarial na região, apresentando resultados visíveis com a manutenção dos núcleos que já existem e a criação de novos, com destaque para os núcleos de jovens que contribuem para renovar as lideranças locais. Eluisa Hertel Maiochi, Vice-Presidente Regional Norte REGIONAL EXTREMO SUL Atuamos nos focos empresariais, como, por exemplo, a expansão do gás natural, a energia elétrica, a BR- 101, a BR-285, a NR-12, o Porto de Imbituba, o Aeroporto Regional de Jaguaruna e a Ferrovia Litorânea. Os temas foram abordados em encontros com deputados federais e estaduais e presidentes de estatais. Além disso, a questão da saúde também preocupou todas as Associações da Regional Extremo Sul, que estão empenhadas para que o governo do estado faça o socorro urgente aos pequenos hospitais que estão em via de fechamento. Essa ação resultou em uma reunião dos presidentes de associações com a então secretária de saúde. Sem grandes êxitos, a ação deverá ser retomada em 2015 com a chegada do novo secretário, pois a saúde da população é um dos focos principais da regional, visto que as precárias condições dos hospitais refletem em todos os segmentos da sociedade, principalmente entre o público de baixa renda. Karoly Agardi, Vice-Presidente Regional Extremo Sul REGIONAL ALTO VALE Todas as ações geraram resultados práticos e objetivos. Lutamos por maior contingente na segurança pública regional, pela implantação de um curso de especialização em administração e negócios (MBA) em Pouso Redondo e pelos trevos da BR-470 com mais segurança em Trombudo Central. Também fizemos mobilização a para efetivação do traçado da Ferrovia da Integração com a consolidação do apoio político regional de forma unânime e com apoio popular. Essa obra vai mudar a realidade econômica da região, consolidando o progresso, a sustentabilidade e a competitividade dos negócios gerados no Alto Vale. André Odebrecht, Vice-Presidente Regional Alto Vale REGIONAL GRANDE FLORIANÓPOLIS Entre as principais ações defendidas pela regional estão a mobilidade urbana, com a luta pela conclusão da obra da alça de contorno na BR-101, o acompanhamento do Programa Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), a criação de observatórios sociais e a participação efetiva no combate à corrupção e pela transparência pública. José Carlos de Souza, Vice-Presidente Regional Grande Florianópolis REGIONAL EXTREMO OESTE Nosso objetivo maior é e sempre será a valorização do associativismo e a busca constante da defesa dos interesses da classe empresarial e da comunidade regional, visando à qualidade de vida da população e ao desenvolvimento de forma sustentável. Nesse sentido, nossa regional está tendo crescimento constante, tanto em número como na qualidade dos associados. Também temos demanda crescente na utilização dos produtos e serviços oferecidos às nossas associações empresariais. O Programa Empreender é o grande diferencial, mostrando crescimento ano após ano do número de núcleos e empresas participantes, que buscam o aperfeiçoamento, a solução de problemas comuns e o fortalecimento das empresas. Planejadas, alinhadas com as bandeiras da federação, nossas ações têm demonstrado a importância da FACISC e das associações no meio empresarial, conseguindo unificar nossos interesses e levar aos órgãos governamentais as reivindicações de interesse da regional. Afonso Niehues, Vice-Presidente Regional Extremo Oeste REGIONAL MEIO-OESTE Estabelecemos como bandeira da regional Meio-Oeste a inovação nas entidades empresariais. Assim, cada entidade pode definir novos parâmetros de comportamento a partir de situações particulares. Isso desencadearia mudanças nas instituições e nos meios onde se encontram sem que elas fiquem vinculadas às ações dos governos federal, estadual e municipal na execução de obras como infraestrutura, redução de impostos, melhoria do ambiente empresarial, além de outras bandeiras que continuamos defendendo, mas cujas execuções não determinamos. Focamos em ações internas, mais ágeis e dinâmicas, que mudem da competição para a cooperação entre cidades da regional. Também buscamos a renovação dos quadros associativistas, a capacitação contínua,

18 18 BALANÇO SOCIAL 2014 FACISC Garuva Canoinhas Três Barras Mafra Campo Alegre Itapoa Dionísio Palma Sola Cerqueira São Lourenço D'Oeste Jupia Guarujá do Sul Campo Erê Princesa Galvão Novo Horizonte São José do Cedro São São Bernardino Domingos Coronel Abelardo Luz Anchieta Martins Guaraciaba Barra Bonita São Miguel Bom Jesus Irati Formosa Paraíso da Boa Vista do Oeste do Sul Ipuaçú Sul Romelândia São Miguel D'Oeste Brasil Jardinópolis Tigrinho Quilombo Ouro Verde o d Oeste Serra Alta Flor do Sertão Bom Jesus Passos Maia Bandeirante Maravilha União do Oeste Marema Modelo Faxinal dos Descanso Lajeado Grande Guedes Pinhalzinho Belmonte Iraceminha Nova Erechim Águas Frias Vargeão Ponte Serrada Santa Helena Coronel Freitas Saudades Nova Xaxim Tunápolis Iporã d'oeste Cunhataí Itaberaba Irani Cordilheira Alta Xavantina Lindóia do Sul Riqueza São Carlos Planalto Alegre Arvoredo São João Ipumirim do Oeste Caibi Palmitos Águas de Seara Arabutã Itapiranga Chapecó Guatambú Caxambú do Sul M o n d a í Cunha Porã Regional Grande Florianópolis Sul Extremo Sul Vale do Itajaí Alto Vale Norte Planalto Norte Serra Catarinense Meio-Oeste Oeste Extremo Oeste Noroeste Chapecó Paial Xanxerê Itá Concórdia As áreas em tom mais claro não possuem ACIs, e são ou podem ser atendidas por ACIs das cidades próximas. Macieira Água Doce Salto Veloso Arroio Trinta Vargem Bonita Iomerê Treze Tilias Catanduvas Luzerna Ibicaré Tangará Jaborá Joaçaba Herval D'Oeste PresidenteLacerdópolis Ibiam Castelo Branco Herval Velho Peritiba Ouro Ipira Alto Bela Vista Capinzal Campos Novos Piratuba Zortéa Pinheiro Preto Matos Costa Celso Ramos Porto União Calmon Rio das Antas Videira Caçador Monte Carlo Abdon Batista Anita Garibaldi Fraiburgo Frei Rogério Vargem Ponte Alta Cerro Negro Irineópolis Timbó Grande Lebon Régis Brunopolis Campo Belo do Sul Curitibanos Bela Vista do Toldo Santa Cecília São José do Cerrito Capão Alto Major Vieira Ponte Alta do Norte São Cristóvão do Sul Monte Castelo Correia Pinto Lages Papanduva Mirim Doce Palmeira Braço do Trombudo São Joaquim Praia Grande Vitor Meirelles Agrolândia Otacilio Costa Painel Santa Terezinha Taió Itaiópolis Rio do Campo Witmarsum Dona Salete Emma Rio do Oeste Pouso Redondo Bocaina do Sul Urupema Timbé do Sul Jacinto Machado Santa Rosa do Sul Grão Pará São Martinho Braço do Norte Armazém Orleans Bom Jardim São Gravatal da Serra Ludgero Lauro Müller Capivari de Baixo Pedras Treviso Urussanga Grandes Tubarão Treze de Maio Siderópolis Cocal do Sul Sangão Nova Veneza Jaguaruma Morro da Fumaça Morro Içara Grande Forquilhinha Turvo Meleiro Maracajá Ermo São João do Sul José Boiteaux Rio Negrinho Ibirama Presidente Getúlio Laurentino Trombudo Central Agronômica Aurora Lontras Atalanta Ituporanga Rio Rufino Rio do Sul Imbuia Petrolândia Chapadão do Lageado Urubici Ascurra Bom Retiro Araranguá Balneario Arroio do Silva Sombrio Balneario Gaivota Passo de Torres São Bento do Sul Rodeio Apiúna Presidente Nereu Vidal Ramos Leoberto Leal Alfredo Wagner Criciúma Corupá Rio dos Doutor Cedros Pedrinho Benedito Novo Timbó Indaial Santa Rosa de Lima Botuverá Anitápolis Rio Fortuna Schroeder Jaraguá do Sul Pomerode Blumenau Gaspar Nova Trento Major Garcino Joinville Guaramirim Massaranduba Guabiruba Luiz Alves Piçarras Brusque Antônio Carlos Angelina São Pedro de Alcantara Rancho Queimado Águas Mornas São Bonifácio São João do Itaperiú Ilhota Canelinha Tijucas São João Batista Imaruí Araquari Barra Velha Itajaí Camboriú Santo Amaro da Imperatriz Itapema Biguaçú São José Palhoça Paulo Lopes Laguna São Francisco do Sul Penha Balneário Barra do Sul Navegantes Balneário Camboriú Garopaba Imbituba Porto Belo Bombinhas Governador Celso Ramos FLORIANÓPOLIS a diminuição da distância entre as entidades e as comunidades, a definição de planos estratégicos de médio e longo prazo e a aproximação do meio acadêmico. Entre os resultados obtidos na regional, destaque para o Programa FACISC de Excelência. Das 11 Associações da Regional, oito aderiram ao programa. Em Campos Novos, a Semana do Empreendedor, evento em parceria com a prefeitura, teve mais de 300 pessoas, entre empresários e alunos, participando gratuitamente da programação. Tivemos campanhas de doação de sangue e inspeções veiculares gratuitas realizadas com o apoio do NEA nos municípios de Capinzal, Campos Novos, Fraiburgo e Salto Veloso com mais de 400 veículos inspecionados gratuitamente, além da distribuição de mais de 500 mudas de árvores e da arrecadação de mais de 500 quilos de alimentos não perecíveis doados para entidades assistenciais. Em Joaçaba, destaco o projeto Primeiros Passos e Junior Achievement, e em Salto Veloso, a decoração de Páscoa e Natal feita gratuitamente e voluntariamente pelos diretores e pela equipe técnica da associação. Auri Marcel Baú, Vice-Presidente Regional Meio-Oeste REGIONAL PLANALTO NORTE Vivemos em um mundo com constante aceleração e alto trânsito de informação. Como somos uma região voltada para o setor primário, principalmente a madeira, temos que pensar em um modelo dinâmico para melhorar o escoamento da produção, a melhoria da comunicação e a eficiência em energia. Por isso, obtivemos avanços na distribuição de energia, principalmente para a microrregião de Mafra/Itaiópolis /Papanduva; a federalização da BR-280, entre Canoinhas/Irineópolis/Porto União; a conclusão da SC-112, em Rio Neginho/Volta Grande; o início das obras da SC-447, fazendo a interligação do Planalto Norte com o Vale do Itajaí; bem como a revitalização da Rodovia dos Móveis, entre São Bento do Sul e Campo Alegre. No entanto, ainda buscamos melhorias nas comunicações com moções junto aos órgãos competentes e alertando para a utilização de energias renováveis, a cogeração e a eficiência energética, participando junto com a FACISC de convênios internacionais para o estudo e a viabilidade de utilização nas empresas instaladas na região. Reinaldo Beachtold Filho Vice-Presidente Regional Planalto Norte

19 REPRESENTATIVIDADE 19 RELAÇÕES GOVERNAMENTAIS Em outubro, a campanha teve seu primeiro resultado. Foi protocolado na Assembleia Legislativa um requerimento propondo a criação de uma frente parlamentar pela duplicação da BR-282. CAMPANHA: DUPLICAÇÃO DA BR-282 QUEM VEM TEM QUE VOLTAR Pensando na duplicação de todo o trecho de escoamento de boa parte da produção catarinense, a FACISC e as ACIs de municípios do Meio-Oeste, do Oeste e do Extremo Oeste lançaram em março de 2014 uma campanha para a realização da obra, uma das mais esperadas pelos catarinenses. Com o slogan Duplicação da BR-282 Quem vem tem que voltar, a estrada que tem sido palco de manifestações, sobretudo no trecho do município de Xanxerê, por conta da paralisação das obras de duplicação, recebeu 14 outdoors espalhados pelas 10 cidades participantes da campanha, que ficam às margens da BR-282: Lages, Campos Novos, Joaçaba, Xanxerê, Xaxim, Chapecó, Pinhalzinho, Maravilha, Vargeão e São Miguel do Oeste. A ideia foi sensibilizar motoristas, passageiros e autoridades públicas sobre a importância da duplicação da rodovia para a segurança dos usuários e o desenvolvimento socioeconômico de Santa Catarina. A campanha destacou um dos principais itens da pauta de reivindicações da entidade, que é a melhoria da infraestrutura do estado, principalmente do interior. Boa parte do escoamento da produção estadual passa pela BR-282, por isso a FACISC decidiu sensibilizar os representantes dos poderes Executivo e Legislativo, nas várias esferas. Em outubro, a campanha teve seu primeiro resultado. Foi protocolado na Assembleia Legislativa um requerimento propondo a criação de uma frente parlamentar pela duplicação da BR-282. O objetivo foi colocar o parlamento catarinense junto com outras entidades, como a FACISC, na luta pela duplicação dessa rodovia.

20 20 BALANÇO SOCIAL 2014 FACISC VOZ ÚNICA: DO QUE SC PRECISA? O Voz Única é um instrumento democrático que unifica a voz do empresariado em torno das mesmas questões e bandeiras, com foco no desenvolvimento econômico de Santa Catarina. Nesse sentido, foi imprescindível o envolvimento das associações empresariais na gestão das cidades e do estado, pois como agências fomentadoras do desenvolvimento local conseguem reunir as reivindicações fornecendo um panorama da situação. Um instrumento de informação e consulta para candidatos, empresários, entidades e sociedade, a cartilha Voz Única 2014 reuniu mais de 600 itens listados pelas associações empresariais de todas as regiões catarinenses. Além de documentar e comunicar, o projeto Voz Única 2014 também tem o intuito de dar subsídios para que as associações possam fazer campanhas pelo voto consciente e pelo voto útil. Ao todo foram entregues cartilhas para imprensa, políticos, autoridades, líderes empresariais, associados das ACIs e formadores de opinião. AS PRINCIPAIS DEMANDAS DE SANTA CATARINA O QUE SC PRECISA?

21 REPRESENTATIVIDADE 21 Empresários do setor automecânico em missão na Alemanha, em setembro. RELAÇÕES INSTITUCIONAIS FUNDAÇÃO EMPREENDER Um braço técnico da FACISC, a Fundação Empreender possui um vice-presidente técnico na estrutura da federação e a participação efetiva dos vice-presidentes regionais no conselho consultivo da fundação. Nesse formato, são desenvolvidos produtos e serviços, reestabelecendo o processo de internacionalização por meio de convênios e termos de cooperação econômica. Destaque para a renovação da parceria com a HWK, que viabilizou a intensificação das missões e dos programas de estágios. Dessa forma, hoje a Fundação Empreender representa uma rede de cooperação que busca desenvolver o empreendedorismo com base no fortalecimento das Associações Empresarias e de suas empresas associadas, contribuindo para desenvolver o espírito associativo e o voluntariado entre seus participantes. Ao todo, 66 empresas foram beneficiadas com os conhecimentos adquiridos por intermédio das missões organizadas pela Fundação Empreender em Entre os resultados alcançados com as missões estão: - Integração e fortalecimento do setor; - Atualização de mercado; - Relacionamento e ampliação de rede de contatos; - Profissionalização; - Capacitação; - Troca de experiências. Para a maioria dos empresários, foi a primeira participação em feiras internacionais do setor: - 17 realizaram novos negócios com no mínimo uma e no máximo 10 empresas; - 19 conheceram novos produtos; - 6 conheceram a concorrência e o mercado; - 2 conheceram novos clientes; - 14 conheceram novas técnicas e novos equipamentos; - 6 adquiriram novas máquinas e novos equipamentos; - 19 encontraram representantes ou distribuidores.

CDLS CATARINENSES CDL E-MAIL DA CDL FONE

CDLS CATARINENSES CDL E-MAIL DA CDL FONE CDLS CATARINENSES CDL E-MAIL DA CDL FONE CDL Abdon Batista: executivo@abdonbatista.cdl-sc.org.br (49) 3545-1003 CDL Abelardo Luz: executivo@abelardoluz.cdl-sc.org.br (49) 3445-4296 CDL Agrolândia executivo@agrolandia.cdl-sc.org.br

Leia mais

Cadastro das contas bancárias dos Fundos Municipais de Assistência Social para o cofinanciamento estadual socioassistencial - SST/SC

Cadastro das contas bancárias dos Fundos Municipais de Assistência Social para o cofinanciamento estadual socioassistencial - SST/SC Cadastro das contas bancárias dos Fundos Municipais de Assistência Social para o cofinanciamento estadual socioassistencial - SST/SC Município Custeio Custeio Custeio Custeio 1 Abdon Batista 10.359.074/0001-72

Leia mais

CÓDIGOS DE SANTA CATARINA

CÓDIGOS DE SANTA CATARINA CÓDIGOS DE SANTA CATARINA Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001 UF MUNICÍPIO CÓDIGO DE ÁREA SC ABDON BATISTA 49 SC ABELARDO LUZ 49 SC AGROLÂNDIA 47 SC AGRONÔMICA 47 SC ÁGUA DOCE 49 SC ÁGUAS DE CHAPECÓ

Leia mais

Total de homens Total de mulheres

Total de homens Total de mulheres Nome do população população 4200051 Abdon Batista 2.775 1.382 1.271 724 1.929 2.653 4200101 Abelardo Luz 16.440 8.628 8.472 9.570 7.530 17.100 4200200 Agrolândia 7.810 4.703 4.625 5.964 3.364 9.328 4200309

Leia mais

UF Município Micro-Região Classificação Tipo

UF Município Micro-Região Classificação Tipo SC Abdon Batista Curitibanos Média Renda Superior Estagnada SC Abelardo Luz Xanxerê Média Renda Superior Estagnada SC Agrolândia Ituporanga Média Renda Superior Estagnada SC Agronômica Rio do Sul Alta

Leia mais

Tabela II Produto Interno Bruto, População e PIB per capita, segundo os municípios de Santa Catarina 2008

Tabela II Produto Interno Bruto, População e PIB per capita, segundo os municípios de Santa Catarina 2008 Tabela II Produto Interno Bruto, e, segundo os municípios de Santa Catarina 2008 4216206 São Francisco do Sul 3.162.842,03 39.341 80.395,57 1 4208203 Itajaí 10.183.448,26 169.927 59.928,37 2 4218509 Treze

Leia mais

DIVISÃO DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DE SANTA CATARINA POR MESORREGIÕES

DIVISÃO DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DE SANTA CATARINA POR MESORREGIÕES ANEXO VI DIVISÃO DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DE SANTA CATARINA POR MESORREGIÕES 1. MUNICÍPIOS DA REGIÃO SUL Araranguá Armazém Balneário Arroio do Silva Balneário Gaivota Balneário Rincão Braço do Norte Capivari

Leia mais

RECURSOS FEDERAIS PARA A CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA A RUBEOLA (R$) 2008 42 SC 672,96 269,18 942,14 A RUBEOLA (R$) 2008

RECURSOS FEDERAIS PARA A CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA A RUBEOLA (R$) 2008 42 SC 672,96 269,18 942,14 A RUBEOLA (R$) 2008 ESTADO : SANTA CATARINA CÓD. ESTADO IBGE RECURSOS FEDERAIS PARA A CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA A RUBEOLA 2008 CONTRAPARTIDA TOTAL RECURSOS 42 SC 672,96 269,18 942,14 CÓD. IBGE MUNICÍPIO RECURSOS FEDERAIS

Leia mais

Vagas nas Câmaras Municipais - Santa Catarina Ordem Alfabética de Município

Vagas nas Câmaras Municipais - Santa Catarina Ordem Alfabética de Município 22/0/2004 1 ABDON BATISTA 2.630 2 ABELARDO LUZ 17.46 3 AGROLÂNDIA 8.004 4 AGRONÔMICA 4.406 5 ÁGUA DOCE 6.85 6 ÁGUAS DE CHAPECO 5.578 7 ÁGUAS FRIAS 2.322 8 ÁGUAS MORNAS 5.630 ALFREDO WAGNER 8.568 ALTO BELA

Leia mais

Tarifas para telefones fixos no estado de Santa Catarina

Tarifas para telefones fixos no estado de Santa Catarina Abdon Batista - SC R$ 0,12 Abelardo Luz - SC R$ 0,12 Agrolandia - SC R$ 0,12 Agronomica - SC R$ 0,12 Agua Doce - SC R$ 0,12 Aguas de Chapeco - SC R$ 0,12 Aguas Frias - SC R$ 0,12 Alfredo Wagner - SC R$

Leia mais

Abrangência das Regionais e Extensões do IEL/SC Regional / Extensão Abdon Batista. Águas de Chapecó. São Miguel d Oeste.

Abrangência das Regionais e Extensões do IEL/SC Regional / Extensão Abdon Batista. Águas de Chapecó. São Miguel d Oeste. Abrangência das Regionais e Extensões do IEL/SC Cidade Regional / Extensão Abdon Batista Abelardo Luz Agrolândia Agronômica Água Doce Águas de Águas Frias Aguas Mornas Alfredo Wagner Alto Bela Vista Anchieta

Leia mais

Valores a receber dos Governos Estaduais = Valor anual efetivamente arrecadado (menos) Valor disponibilizado pelos Estados ao FUNDEB (CRÉDITOS)

Valores a receber dos Governos Estaduais = Valor anual efetivamente arrecadado (menos) Valor disponibilizado pelos Estados ao FUNDEB (CRÉDITOS) SC ABDON BATISTA 382,47 SC ABELARDO LUZ 5.629,22 SC AGROLANDIA 1.454,75 SC AGRONOMICA 727,39 SC AGUA DOCE 1.829,83 SC AGUAS DE CHAPECO 651,12 SC AGUAS FRIAS 419,73 SC AGUAS MORNAS 686,42 SC ALFREDO WAGNER

Leia mais

Relatório de Categorização MTur - Ministério do Turismo Categorização dos municípios das regiões turísticas do mapa do turismo brasileiro

Relatório de Categorização MTur - Ministério do Turismo Categorização dos municípios das regiões turísticas do mapa do turismo brasileiro Relatório de Categorização MTur - Ministério do Turismo Categorização dos municípios das regiões turísticas do mapa do turismo brasileiro Parâmetros da consulta: SUL / Santa Catarina Resumo da Seleção

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE CADASTRO RURAL ÍNDICES BÁSICOS DE 2005

SISTEMA NACIONAL DE CADASTRO RURAL ÍNDICES BÁSICOS DE 2005 NOME S SC SANTA CATARINA (20 Microrregiões, 293 Municípios) 317.737 8.354.154,1 95.346,2 42001 SÃO MIGUEL D'OESTE (21 Municípios) 28.262 424.884,3 4.242,0 4200804 ANCHIETA 10 1 18 A3-3 3 45 1.400 24.064,4

Leia mais

COMUNICADO nº 12/2014. Aos: Senhores Prefeitos e Executivos de Associações de Municípios.

COMUNICADO nº 12/2014. Aos: Senhores Prefeitos e Executivos de Associações de Municípios. COMUNICADO nº 12/2014 Aos: Senhores Prefeitos e Executivos de Associações de Municípios. Referente: Atualização do Sistema Concentrador REGIN. A, na busca de auxiliar os gestores públicos municipais, vem

Leia mais

1. Média anual da ação coletiva escovação supervisionada:

1. Média anual da ação coletiva escovação supervisionada: ESTADO DE SANTA CATARINA DE ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, CONTROLE E AVALIAÇÃO GERÊNCIA DE COORDENAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA DIVISÃO DE SAÚDE BUCAL Relatório: INDICADORES DE SAÚDE BUCAL DO PACTO

Leia mais

Nota Técnica n o 094/2005 SRC/ANEEL. Em 16 de setembro de 2005.

Nota Técnica n o 094/2005 SRC/ANEEL. Em 16 de setembro de 2005. Nota Técnica n o 094/2005 SRC/ANEEL Em 16 de setembro de 2005. Processo: 48500.003255/03-45 Assunto: Análise da 2 a parte do Plano de Universalização de Energia Elétricas da Centrais Elétricas de Santa

Leia mais

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina. Pesquisa Fecomércio Mobilidade Urbana em Santa Catarina

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina. Pesquisa Fecomércio Mobilidade Urbana em Santa Catarina Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Pesquisa Fecomércio Mobilidade Urbana em Santa Catarina SUMÁRIO INTRODUÇÃO......... 2 RENDA E CRÉDITO PARA VEÍCULOS...... 3 AUTOMÓVEIS

Leia mais

Descentralização do Governo e. regionalização do Desenvolvimento

Descentralização do Governo e. regionalização do Desenvolvimento do Governo e regionalização do Desenvolvimento administrativa e desconcentração do Poder Descentralizar transferir parte do planejamento e das ações de governo para instâncias mais próximas do cidadão

Leia mais

PREMIAÇÃO INCENTIVO AO RECOLHIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL 1. OBJETO

PREMIAÇÃO INCENTIVO AO RECOLHIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL 1. OBJETO PREMIAÇÃO INCENTIVO AO RECOLHIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL 1. OBJETO O presente instrumento tem por objeto regulamentar o projeto de incentivo ao recolhimento da contribuição sindical patronal, que premiará

Leia mais

RELAÇÃO DAS DECISÕES PROFERIDAS EM PROCESSOS DE IMPUGNAÇÃO AO VALOR ADICIONADO, EM 1ª INSTÃNCIA PROCESSO MUN ASSOC ASSUNTO JULGADOR DECISÃO I.E.

RELAÇÃO DAS DECISÕES PROFERIDAS EM PROCESSOS DE IMPUGNAÇÃO AO VALOR ADICIONADO, EM 1ª INSTÃNCIA PROCESSO MUN ASSOC ASSUNTO JULGADOR DECISÃO I.E. ATO DIAT 023/11 ANEXO ÚNICO RELAÇÃO DAS DECISÕES PROFERIDAS EM PROCESSOS DE IMPUGNAÇÃO AO VALOR ADICIONADO, EM 1ª INSTÃNCIA PROCESSO MUN ASSOC ASSUNTO JULGADOR DECISÃO I.E. SEF 23525/2011GASPAR AMMVI PP

Leia mais

FERIADOS MUNICIPAIS NO ANO DE 2014 (ZONAS ELEITORAIS E POSTOS DE ATENDIMENTO)

FERIADOS MUNICIPAIS NO ANO DE 2014 (ZONAS ELEITORAIS E POSTOS DE ATENDIMENTO) S MUNICIPAIS NO ANO DE 2014 ( E POSTOS DE ATENDIMENTO) ATUALIZADO EM 29.1.2014 Abelardo Luz (71ª ZE) Dia do Padroeiro; Dia do Município 20.1 e 27.7 Anchieta (82ª ZE) Dia do Município; Dia do Colono e do

Leia mais

Programa de Controle de Dengue

Programa de Controle de Dengue Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado da Saúde Sistema Único de Saúde Superintendência de Vigilância em Saúde Diretoria de Vigilância Epidemiológica Gerência de Vigilância de Zoonoses e Entomologia

Leia mais

Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado da Fazenda Diretoria de Administração Tributária Gerencia de Sistemas e Informações Tributárias

Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado da Fazenda Diretoria de Administração Tributária Gerencia de Sistemas e Informações Tributárias Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado da Fazenda Diretoria de Administração Tributária Gerencia de Sistemas e Informações Tributárias MÓDULO DE APURAÇÃO DO MOVIMENTO ECONÔMICO LAYOUT DO ARQUIVO

Leia mais

TOTAL 686 69 614 3 Fonte: LACEN SES SC

TOTAL 686 69 614 3 Fonte: LACEN SES SC Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado da Saúde Sistema Único de Saúde Superintendência de Vigilância em Saúde Diretoria de Vigilância Epidemiológica Gerência de Vigilância de Zoonoses e Entomologia

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 14/2004-GP. Cria os pólos regionais de informática e disciplina o exercício da função de Técnico de Suporte em Informática.

RESOLUÇÃO N. 14/2004-GP. Cria os pólos regionais de informática e disciplina o exercício da função de Técnico de Suporte em Informática. TIPO: RESOLUÇÃO Nº 14/04-GP ORIGEM: GP DATA DA ASSINATURA: 28.06.2004 PRESIDENTE: DES. JORGE MUSSI PUBLICAÇÃO NO DJSC n.º 11.464 PÁG 03 DATA:.05.07.2004 OBS: Cria os pólos regionais de informática e disciplina

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO CONSELHO ESTADUAL DAS CIDADES CONCIDADES/SC

ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO CONSELHO ESTADUAL DAS CIDADES CONCIDADES/SC ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO CONSELHO ESTADUAL DAS CIDADES CONCIDADES/SC REGIMENTO DA 5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES Art. 1º-

Leia mais

ATUAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL NO MEIO AMBIENTE URBANO

ATUAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL NO MEIO AMBIENTE URBANO ESTADO DE SANTA CATARINA SECETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL ATUAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL NO MEIO AMBIENTE URBANO Major PM Marledo Egidio

Leia mais

EDITAL N 005/2012/CESF/UFSC PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA

EDITAL N 005/2012/CESF/UFSC PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE PÚBLICA Campus Prof. João David Ferreira Lima CEP 88040-900 Trindade - Florianópolis - Santa Catarina - Brasil www.unasus.ufsc.br/saudedafamilia

Leia mais

FEDERACAO CATARINENSE DE MUNICIPIOS

FEDERACAO CATARINENSE DE MUNICIPIOS Folha: 1 3 CUSTOS E DESPESAS 4.606.208,52D 3.2 DESPESAS 2.384.549,01D 3.2.01 DESPESAS OPERACIONAIS 2.384.549,01D 3.2.01.01 DESPESAS COM PESSOAL 2.384.549,01D 3.2.01.01.001 Ferias 119.188,68D 3.2.01.01.002

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 0044_V1_2015 Evolução do PIB nas Rodovias de Santa Catarina - 2003 A 2012 -

NOTA TÉCNICA Nº 0044_V1_2015 Evolução do PIB nas Rodovias de Santa Catarina - 2003 A 2012 - NOTA TÉCNICA Nº 0044_V1_2015 Evolução do PIB nas Rodovias de Santa Catarina - 2003 A 2012 - Jaraguá do Sul (SC), Maio de 2015. ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Jaraguá Ativa: Cidade inteligente e sustentável, cidade

Leia mais

REGULAMENTO GERAL 2009

REGULAMENTO GERAL 2009 REGULAMENTO GERAL 2009 Site: www3.sol.sc.gov.br/fesporte E-mail: geded@fesporte.sc.gov. CAPÍTULO 1 Disposições iniciais Art. 1º - Este regulamento é um documento composto pelo conjunto de disposições que

Leia mais

Portaria 56/2014 24/07/2014

Portaria 56/2014 24/07/2014 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento BINAGRI - SISLEGIS Portaria 56/2014 24/07/2014 MINISTÉRIO DA AGRIVULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA PORTARIA Nº 56, DE

Leia mais

058293739-63 049980619-09 038941739 47

058293739-63 049980619-09 038941739 47 Nome Veterinário CRM V José Daniel Luzes Fedullo 041 49U S Lara Elisa Medeiros da Silva 450 7 Adriano do Pardo Cordeiro 350 0 Carlos André Kalinoski 041 18V P Adaelcio Camuzzato 037 62 Douglas Kissner

Leia mais

Abelardo Luz (71ª ZE) Dia do Padroeiro; Dia do Município 20.1 e 27.7

Abelardo Luz (71ª ZE) Dia do Padroeiro; Dia do Município 20.1 e 27.7 S MUNICIPAIS NO ANO DE 2012* Abelardo Luz (71ª ZE) Dia do Padroeiro; Dia do Município 20.1 e 27.7 Anchieta (82ª ZE) Dia do Município; Dia do Colono e do Motorista; Dia da Reforma Luterana; Dia da Padroeira

Leia mais

Programa de Desenvolvimento da

Programa de Desenvolvimento da Programa de Desenvolvimento da Empresa Catarinense Paulo Bornhausen Secretário O que é o? O Programa de Desenvolvimento da Empresa Catarinense -, tem como finalidade conceder incentivo à implantação ou

Leia mais

Porto Seguro Empresa, Bares e Restaurantes, Multirisco, Hotéis e Pousadas, Concessionária, Pet Shop e Veterinária, Estética e Beleza e Consultórios

Porto Seguro Empresa, Bares e Restaurantes, Multirisco, Hotéis e Pousadas, Concessionária, Pet Shop e Veterinária, Estética e Beleza e Consultórios Novos serviços disponíveis para os estados de Santa Catarina, do Rio Grande do Sul, de São Paulo, de Minas Gerais e do Mato Grosso do Sul: Empresariais: Porto Seguro Empresa, Bares e Restaurantes, Multirisco,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE PÚBLICA XIV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE PÚBLICA XIV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE PÚBLICA XIV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA CINTIA JUNKES O impacto de óbito adicional à estabilidade do

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DST/AIDS

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DST/AIDS BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DST/AIDS N.º 01 1ª à 40ª Semana Epidemiológica Janeiro a Outubro de 2001 2 SUMÁRIO Editorial... 03 AIDS Dados Epidemiológicos de Santa Catarina Gráficos Distribuição das taxas de

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA Instituições Fiscalizadas Julho 2013: Sede Casa de Saúde São Sebastião - Florianópolis Cepon - Florianópolis Emergência do Hospital Regional Dr. Homero de Miranda Gomes - São José Emergência do Hospital

Leia mais

Conteúdo: SEÇÃO 1. Portaria 95... 02. SEÇÃO 2 Sem matéria relevante. SEÇÃO 3 Sem matéria relevante. Subsecretaria de Planejamento e Orçamento

Conteúdo: SEÇÃO 1. Portaria 95... 02. SEÇÃO 2 Sem matéria relevante. SEÇÃO 3 Sem matéria relevante. Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Ano CXLVII Nº 40 Brasília DF, terça-feira, 2 de março de 2010 Obs.: As matérias selecionadas estão marcadas em amarelo. Conteúdo: SEÇÃO 1 Portaria 95... 02 SEÇÃO

Leia mais

EDITAL N 17/UNOESC/2015

EDITAL N 17/UNOESC/2015 EDITAL N 17/UNOESC/2015 Estabelece critérios de seleção para as vagas do Curso de Extensão em Desenvolvimento Regional, integrante do Programa de Educação Superior para o Desenvolvimento Regional - PROESDE.

Leia mais

COMÉRCIO E SERVIÇOS COMÉRCIO E SERVIÇOS

COMÉRCIO E SERVIÇOS COMÉRCIO E SERVIÇOS COMÉRCIO E SERVIÇOS SANTA CATARINA EM NÚMEROS Comércio e Serviços SEBRAE 2010 2010 SEBRAE/SC Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina. Todos os direitos reservados e protegidos por

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina CONTRATO N. 083/2012 Contrato para fornecimento de vales-refeição em papel, para as Eleições 2012, autorizado pelo Senhor Eduardo Cardoso, Secretário de Administração

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO URBANO E MEIO AMBIENTE - SDM DIRETORIA DE SANEAMENTO -DISA

ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO URBANO E MEIO AMBIENTE - SDM DIRETORIA DE SANEAMENTO -DISA Abdon ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO URBANO E MEIO AMBIENTE - SDM DIRETORIA DE SANEAMENTO -DISA Garuva Canoinh Três Mafra Campo Itapoá São Bento do São Francisco do Dionísio

Leia mais

RELATÓRIO FINAL RELATÓRIO CONTENDO OS RESULTADOS DO PLANO DE PESQUISA

RELATÓRIO FINAL RELATÓRIO CONTENDO OS RESULTADOS DO PLANO DE PESQUISA PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICO ENTRE O MINISTÉRIO PÚBLICO DE SANTA CATARINA E ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL SEÇÃO SANTA CATARINA RELATÓRIO FINAL RELATÓRIO CONTENDO

Leia mais

DESCONTO ASSISTENCIAL CCT - 2004/2005 Complementação

DESCONTO ASSISTENCIAL CCT - 2004/2005 Complementação DESCONTO ASSISTENCIAL CCT - 2004/2005 Complementação 1 Condições estabelecidas pelas assembléias dos Sindicatos Profissionais para efeito de desconto e repasse das verbas deduzidas dos salários dos bancários

Leia mais

DIAGNÓSTICO PRELIMINAR DO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA

DIAGNÓSTICO PRELIMINAR DO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIAGNÓSTICO PRELIMINAR DO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Florianópolis, março de 2005 Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental

Leia mais

Relatório Comparativo Anual

Relatório Comparativo Anual I Setor de Fiscalização Relatório Comparativo Anual Região Sul Região Oeste e Serrana Região Norte e Alto Vale Região do Vale do Itajaí e Grande Florianópolis Total Geral de Municípios Visitados 20 municípios

Leia mais

TURISMO E ARTESANATO TURISMO E ARTESANATO

TURISMO E ARTESANATO TURISMO E ARTESANATO TURISMO E ARTESANATO SANTA CATARINA EM NÚMEROS Turismo e Artesanato SEBRAE 2010 2010 SEBRAE/SC Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina. Todos os direitos reservados e protegidos

Leia mais

Rua Comandante José Ricardo Nunes, 79 Florianópolis/SC CEP: 88070-220

Rua Comandante José Ricardo Nunes, 79 Florianópolis/SC CEP: 88070-220 Rua Comandante José Ricardo Nunes, 79 Florianópolis/SC CEP: 88070-220 SECRETARIA DE ESTADO DO TURISMO, CULTURA E ESPORTE FUNDAÇÃO CATARINENSE DE ESPORTE - FESPORTE GERÊNCIA DE ESPORTE DE BASE E INCLUSÃO

Leia mais

UNIDADE DE POLÍTICA ECONÔMICA E INDUSTRIAL DIRETORIA DE RELAÇÕES INDUSTRIAIS

UNIDADE DE POLÍTICA ECONÔMICA E INDUSTRIAL DIRETORIA DE RELAÇÕES INDUSTRIAIS UNIDADE DE POLÍTICA ECONÔMICA E INDUSTRIAL DIRETORIA DE RELAÇÕES INDUSTRIAIS SANTA CATARINA EM DADOS FLORIANÓPOLIS V.17 p. 1-156 27 2 SANTA CATARINA EM DADOS 27 Elaboração Federação das Indústrias do Estado

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA Instituições Fiscalizadas Março 2013: Subseções Ambulatório do Presídio - Blumenau Ambulatório do Presídio - Indaial Ambulatório do Presídio Regional Itajaí Ambulatório Penitenciária - Itajaí Ambulatório

Leia mais

SANTA CATARINA. Tipo de Serviço. Dias de Funcionamento

SANTA CATARINA. Tipo de Serviço. Dias de Funcionamento SC CORREIOS AC ABDON BATISTA AV 26 DE ABRIL, 707 - SL 02 CENTRO ABDON BATISTA ABDON BATISTA OI Fixo, OI Móvel Segunda a Sexta 09:00-12:00 / 14:00-16:30 SC POSTO ATENDIMENTO A. S. MODAS AV 26 DE ABRIL,

Leia mais

Selo de Mérito ABC 2012. Projeto Reação Habitação Tempo de reconstrução em Santa Catarina

Selo de Mérito ABC 2012. Projeto Reação Habitação Tempo de reconstrução em Santa Catarina Selo de Mérito ABC 2012 Projeto Reação Habitação Tempo de reconstrução em Santa Catarina Antecedentes do projeto Face ao panorama de destruição decorrente de inundações e deslizamentos de encostas, com

Leia mais

CONTRATO N. 01/2008 EMPRESA REUNIDAS TRANSPORTADORA RODOVIÁRIA DE CARGAS S.A.

CONTRATO N. 01/2008 EMPRESA REUNIDAS TRANSPORTADORA RODOVIÁRIA DE CARGAS S.A. CONTRATO N. 01/2008 TERMO DE CONTRATO DE FORNECIMENTO QUE ENTRE SI CELEBRAM O ESTADO DE SANTA CATARINA, POR INTERMÉDIO DO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, E A EMPRESA REUNIDAS TRANSPORTADORA RODOVIÁRIA

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA Plano Plurianual 28-211 1 ProPav Rural Órgão Responsável Objetivo Justificativa Secretaria de Estado da Infra-Estrutura Viabilizar a pavimentação de acessos e ruas das comunidades rurais. Integrar as comunidades

Leia mais

Relação de Varas e Juízos Cadastrados - PRODNASC

Relação de Varas e Juízos Cadastrados - PRODNASC Relação de Varas e Juízos Cadastrados - PRODNASC Nome da Vara ou Juízo Endereço Contato Abelardo Luz - Vara Única Avenida Padre João Smedt, 1667 Telefone: (49) 3445-8102 Complemento: Fórum Fax: (49) 3445-8101

Leia mais

Associação de Apicultores de Indaial- API. Associação de Apicultores de Ituporanga - ASAPI

Associação de Apicultores de Indaial- API. Associação de Apicultores de Ituporanga - ASAPI Município Abelardo Luz Águas de Chapecó Água Doce Águas Mornas Anchieta Anchieta Apiúna Araranguá Balneário Gaivota Belmonte Blumenau Bom Retiro Bom Retiro Botuverá Caçador Campo Alegre Campo Alegre Campo

Leia mais

CONFERÊNCIA MUNICIPAL E/OU CONFERÊNCIA REGIONAL PASSO A PASSO. 1º passo: Convocação de Conferência REGIONAL E/OU MUNICIPAL.

CONFERÊNCIA MUNICIPAL E/OU CONFERÊNCIA REGIONAL PASSO A PASSO. 1º passo: Convocação de Conferência REGIONAL E/OU MUNICIPAL. CONFERÊNCIA MUNICIPAL E/OU CONFERÊNCIA REGIONAL PASSO A PASSO 1º passo: Convocação de Conferência REGIONAL E/OU MUNICIPAL. a) O instrumento convocatório deverá ser, na Conferência Regional, portaria assinada

Leia mais

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS APRESENTAÇÃO Em Dezembro de 2004 por iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná o CPCE Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial nasceu como uma organização

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA Instituições Fiscalizadas Novembro 2015: Sede e Subseções Abrigo Municipal Blumenau Ambulatório de Epidemiologia Canoinhas Ambulatório Geral Guilherme Gensen Blumenau Assistência Médica em Eventos (AME)

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

CURSOS SUPERIORES SENAI

CURSOS SUPERIORES SENAI CURSOS SUPERIORES SENAI USE NOSSO NOME PARA CONSTRUIR O SEU. EDITAL DE PROCESSO SELETIVO ESPECIAL 2º SEMESTRE 2014/2 WWW.SC.SENAI.BR 0800 48 1212 CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA SENAI/SC PROCESSO SELETIVO

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

REGULAMENTO GERAL E TÉCNICO - 2013

REGULAMENTO GERAL E TÉCNICO - 2013 SECRETARIA DE ESTADO DO TURISMO, CULTURA E ESPORTE FUNDAÇÃO CATARINENSE DE ESPORTE FESPORTE SECRETARIA DE EDUCAÇÃO- SED 14ºFESTIVAL ESCOLAR DANÇA CATARINA REGULAMENTO GERAL E TÉCNICO - 2013 Site: www.fesporte.sc.gov.br

Leia mais

MAPA DE COBERTURA. POA:comercial@atlantida.com.br Fone: (51) 3218.5722 Fax: (51) 3218.5770 www.atlantida.rbs.com.br

MAPA DE COBERTURA. POA:comercial@atlantida.com.br Fone: (51) 3218.5722 Fax: (51) 3218.5770 www.atlantida.rbs.com.br MAPA DE COBERTURA REDE ATLÂNTIDA A Rede Atlântida está no ar, via satélite, com foco na Região Sul do Brasil: Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Porto Alegre 94,1 Alvorada Alto Feliz Araricá Arroio dos

Leia mais

Manifesto da Micro e Pequena Empresa e do Empreendedor Individual de Santa Catarina

Manifesto da Micro e Pequena Empresa e do Empreendedor Individual de Santa Catarina Lages, 30 de outubro de 2011 Ilmo. Senhor, A FAMPESC Federação da Micro e Pequena Empresa e do Empreendedor Individual do Estado de Santa Catarina, entidade que compreende as AMPE s - Associações de Micro

Leia mais

Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL

Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL CANDIDATOS A PREFEITOS E PREFEITAS MUNICIPAIS Pleito Eleitoral 2012 PROPOSTAS DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A PROMOÇÃO

Leia mais

Prof. Valter Luís Estevam Junior

Prof. Valter Luís Estevam Junior Análise Exploratória de Dados Extraídos do Processo Seletivo SiSU/2014-1 Prof. Valter Luís Estevam Junior Diretoria de Avaliação e Regulação do Ensino - PROEN Observação: esta apresentação contém alguns

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA

O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA SPDM - ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA RELATÓRIO TRIMESTRAL DE ATIVIDADES HOSPITAL FLORIANÓPOLIS CONTRATO DE GESTÃO N. 02/SES/SPG/SC/2013 TRIMESTRE DE ABRIL MAIO E JUNHO DE 2015

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2015 (POSIÇÃO EM 22/07/15 - ÓRGÃOS / UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS)

CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2015 (POSIÇÃO EM 22/07/15 - ÓRGÃOS / UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS) CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2015 (POSIÇÃO EM 22/07/15 - ÓRGÃOS / UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS) 01000 - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO 01001 - Assembléia Legislativa do Estado 02000 - TRIBUNAL DE CONTAS DO

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Ações Preparatórias para o Verão 2014/2015

Ações Preparatórias para o Verão 2014/2015 Verão 2014/2015 2 A temporada de verão consiste no período do ano que requer maior atenção ao comportamento do sistema elétrico. Aumento significativo na demanda de energia: Elevado consumos dos sistemas

Leia mais

SDS PREFÁCIO. João Raimundo Colombo Governador do Estado de Santa Catarina

SDS PREFÁCIO. João Raimundo Colombo Governador do Estado de Santa Catarina 1 PREFÁCIO João Raimundo Colombo Governador do Estado de Santa Catarina Eduardo Pinho Moreira Vice-governador do Estado de Santa Catarina Lucia Gomes Vieira Dellagnelo Secretária de Estado do Desenvolvimento

Leia mais

DETERMINAÇÃO N.º 002/FUNDAÇÃO / 2009

DETERMINAÇÃO N.º 002/FUNDAÇÃO / 2009 DETERMINAÇÃO N.º 002/FUNDAÇÃO / 2009 ESTABELECE CRITÉRIOS E MEDIDAS DE CONTENÇÃO DE GASTOS COM ALIMENTAÇÃO, HOSPEDAGEM E DESLOCAMENTO, NO ÂMBITO DA FUNDAÇÃO UNIVALI. O Presidente da Fundação Universidade

Leia mais

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Prefeito Empreendedor Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Março/2012 Expediente Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Fernando

Leia mais

Plano de Marketing Turístico de Santa Catarina 2020

Plano de Marketing Turístico de Santa Catarina 2020 Plano de Marketing Turístico de Santa Catarina 2020 documento executivo O Plano Catarina 2020 foi aprovado por unanimidade pelo Conselho Estadual de Turismo do Estado de Santa Catarina na reunião celebrada

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015/1 APRENDIZAGEM INDUSTRIAL CANDIDATOS FORMALMENTE ENCAMINHADOS POR INDÚSTRIAS CONTRIBUINTES DO SENAI/SC

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015/1 APRENDIZAGEM INDUSTRIAL CANDIDATOS FORMALMENTE ENCAMINHADOS POR INDÚSTRIAS CONTRIBUINTES DO SENAI/SC EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015/1 APRENDIZAGEM INDUSTRIAL CANDIDATOS FORMALMENTE ENCAMINHADOS POR INDÚSTRIAS CONTRIBUINTES DO SENAI/SC 1. Apresentação O SENAI/SC torna pública a abertura do período para

Leia mais

Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária. http://www.fapeu.org.br. EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N o 004/FAPEU/2015

Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária. http://www.fapeu.org.br. EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N o 004/FAPEU/2015 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N o 004/FAPEU/2015 A Fundação de Amparo a Pesquisa e Extensão Universitária-FAPEU, no uso de suas atribuições, torna público o resultado final da Habilitação e Pré-Habilitação

Leia mais

I Setor de Fiscalização

I Setor de Fiscalização I Setor de Fiscalização Região Oeste e Serrana Região Sul e Alto Vale Região Norte, Vale do Itajaí e Grande Florianópolis Total Geral de Municípios Visitados 109 municípios 39 municípios 32 municípios

Leia mais

EDITAL DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 0003/2013-CINCO REGISTRO DE PREÇOS N 0012/2013-CINCO PROCESSO ADMINISTRATIVO LICITATÓRIO PAL Nº 0012/2013-CINCO

EDITAL DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 0003/2013-CINCO REGISTRO DE PREÇOS N 0012/2013-CINCO PROCESSO ADMINISTRATIVO LICITATÓRIO PAL Nº 0012/2013-CINCO EDITAL DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 0003/2013-CINCO REGISTRO DE PREÇOS N 0012/2013-CINCO PROCESSO ADMINISTRATIVO LICITATÓRIO PAL Nº 0012/2013-CINCO O CONSÓRCIO INTEGRADO DO CONTESTADO - CINCO, Consórcio Público,

Leia mais

Relatório de Atividades e Prestação de Contas Exercício 2012

Relatório de Atividades e Prestação de Contas Exercício 2012 Relatório de Atividades e Prestação de Contas Exercício 2012 Plano de Trabalho e Proposta Orçamentária Exercício 2013 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 ESTRUTURA DO CIGA... 4 RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXERCÍCIO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SISTEMA DE OPERAÇÃO SUBSISTEMA ESTUDOS DO SISTEMA CÓDIGO TÍTULO FOLHA Requisitos para a Conexão de Micro ou Mini Geradores de Energia ao Sistema Elétrico da Celesc Distribuição

Leia mais

Abdon Batista 2.653. Abelardo Luz 17.096. Agrolândia 9.328. Agronômica 4.885. Água Doce 6.932. Águas de Chapecó 6.100. Águas Frias 2.

Abdon Batista 2.653. Abelardo Luz 17.096. Agrolândia 9.328. Agronômica 4.885. Água Doce 6.932. Águas de Chapecó 6.100. Águas Frias 2. Abdon Batista 2.653 Abelardo Luz 17.096 Agrolândia 9.328 Agronômica 4.885 Água Doce 6.932 Águas de Chapecó 6.100 Águas Frias 2.424 Águas Mornas 5.540 Alfredo Wagner 9.335 Alto Bela Vista 2.005 Anchieta

Leia mais

SANTA CATARINA EM DADOS

SANTA CATARINA EM DADOS SANTA CATARINA Realização: SANTA CATARINA UNIDADE DE POLÍTICA ECONÔMICA E INDUSTRIAL DIRETORIA DE RELAÇÕES INDUSTRIAIS E INSTITUCIONAIS SANTA CATARINA FLORIANÓPOLIS V.21 p. 1-156 Elaboração Federação

Leia mais

Instituições Fiscalizadas Setembro 2014:

Instituições Fiscalizadas Setembro 2014: Instituições Fiscalizadas Setembro 2014: Sede e Subseções Aconchego Lar & Cuidados Florianópolis Atividade Residência e Centro de Convivência Terceira Idade Florianópolis Imperial Hospital de Caridade

Leia mais

VOTAÇÃO DO CANDIDATO POR SEÇÃO

VOTAÇÃO DO CANDIDATO POR SEÇÃO 1 de 37 MUNICÍPIO: ANITA GARIBALDI ELEITORES APTOS: 7688 ZONA: 52 SEÇÕES (VOTOS): 117 (1) ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL JOSE BORGES DA SILVA 2 de 37 MUNICÍPIO: BALNEÁRIO CAMBORIÚ ELEITORES APTOS: 86981

Leia mais

Total de domicílios particulares não-ocupados de uso ocasional. Total de domicílios particulares não-ocupados vagos

Total de domicílios particulares não-ocupados de uso ocasional. Total de domicílios particulares não-ocupados vagos Nome do com sem 4200051 Abdon Batista 848 0 83 116 1.047 0 0 0 4200101 Abelardo Luz 5.017 0 152 492 5.661 3 1 2 4200200 Agrolândia 2.954 0 85 185 3.224 1 1 0 4200309 Agronômica 1.510 1 53 136 1.700 0 0

Leia mais

CENTRAL DO RÁDIO ACAERT - RELÁTORIO DE FATURAMENTO

CENTRAL DO RÁDIO ACAERT - RELÁTORIO DE FATURAMENTO CENTRAL DO RÁDIO - RELÁTORIO DE FATURAMENTO POR AGÊNCIA 27/01/2014 Agência: V.Líquido Pgto 27/01/14 R$ Nr. NFiscal 25311/2013/C RADIO FM POP 98.9 (PORTO BELO) PORTO BELO 15/01/2014 745,00 546 02/12/2013

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2047 - Micro e Pequenas Empresas Número de Ações 10 Tipo: Operações Especiais 0473 - Honra de Aval decorrente de Garantia do Risco das Operações de Financiamento a Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

Elas formam um dos polos mais dinâmicos da economia brasileira, e são o principal sustentáculo do emprego e da distribuição de renda no país.

Elas formam um dos polos mais dinâmicos da economia brasileira, e são o principal sustentáculo do emprego e da distribuição de renda no país. Fonte: http://www.portaldaindustria.org.br 25/02/2015 PRONUNCIAMENTO DO PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO NACIONAL (CDN) DO SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE), NA SOLENIDADE

Leia mais

Núcleo Regional de Toledo

Núcleo Regional de Toledo Núcleo Regional de Toledo Municípios participantes Anahy Assis Chateaubriand Boa Vista da Apar. Braganey Cafelândia Campo Bonito Cap. Leônidas Marques Cascavel Catanduvas Céu Azul Corbélia Diamante do

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

CAPÍTULO 1 DISPOSIÇÕES GERAIS SEÇÃO I ORGANIZAÇÃO, JURISDIÇÃO E LIMITES

CAPÍTULO 1 DISPOSIÇÕES GERAIS SEÇÃO I ORGANIZAÇÃO, JURISDIÇÃO E LIMITES CAPÍTULO 1 DISPOSIÇÕES GERAIS 0101 COMPOSIÇÃO E JURISDIÇÃO SEÇÃO I ORGANIZAÇÃO, JURISDIÇÃO E LIMITES A Capitania dos Portos de Santa Catarina é composta pela sua sede em Florianópolis e as seguintes Organizações

Leia mais

Santa Sant Cat a arina t em DaDoS 2013 Sant a C atarina em D a D o S 2013 www.fiescnet.com.br

Santa Sant Cat a arina t em DaDoS 2013 Sant a C atarina em D a D o S 2013 www.fiescnet.com.br Santa Catarina em Dados 2013 Santa Catarina em Dados 2013 UNIDADE DE POLÍTICA ECONÔMICA E INDUSTRIAL DIRETORIA DE RELAÇÕES INDUSTRIAIS SANTA CATARINA EM DADOS / Florianópolis / v. 23 / p.01-176 / 2013

Leia mais