RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Pedagogia Campus São Carlos.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Pedagogia Campus São Carlos."

Transcrição

1 RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES CURSO: PEDAGOGIA UFSCAR Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Pedagogia Campus São Carlos. INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE AVALIAÇÃO GERAL ALTO SATISFAÇÃO COM A UNIVERSIDADE SATISFAÇÃO COM O CURSO PARTICIPAÇÃO EM OUTRAS ATIVIDADES CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO CURSO/UNIVERSIDADE CONDIÇÕES PEDAGÓGICAS DO DOCENTE TRABALHO COORDENAÇÃO DO CURSO VALORIZAÇÃO DA FORMAÇÃO MODERADO ALTO MODERADO MODERADO ALTO ALTO ALTO 1- AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTO CIENTÍFICO ALTO 2- APRENDER DE FORMA AUTÔNOMA ALTO 3- DESENVOLVIMENTO PESSOAL ALTO 4- PAUTAR-SE NA ÉTICA E NA SOLIDARIEDADE ALTO 5- DOMÍNIO DE HABILIDADES DE COMUNICAÇÃO, NEGOCIAÇÃO E COOPERAÇÃO 6- COMPREENSÃO DAS RELAÇÕES HOMEM, AMBIENTE, TECNOLOGIA E SOCIEDADE ALTO ALTO

2 RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DE CURSOS TABELAS DESCRITIVAS - VISÃO ESTUDANTES PEDAGOGIA SÃO CARLOS Tabela 1: Questão 1 Avalie a contribuição das atividades/disciplinas cursadas até o momento para a sua formação em cada um dos aspectos abaixo relacionados que compõem o perfil do profissional/cidadão a ser formado pela UFSCar. A - Desenvolvimento pessoal do estudante. B - Aquisição de valores éticomorais e respeito às diferenças culturais, políticas e religiosas. C - Capacidade de adquirir conhecimento de forma autônoma, a partir da consulta e crítica a diferentes fontes de informação. D - Aquisição de conhecimento científico e das formas e instrumentos de sua aplicação profissional. E - Atuação em equipes de trabalho para resolução de problemas em diferentes situações. F - Segurança para atuar profissionalmente e tomar decisões considerando os diferentes fatores envolvidos. G - Domínio de habilidades básicas de comunicação. H - Domínio de habilidades básicas de negociação, cooperação e coordenação. I - Compreensão das relações homem, ambiente, tecnologia e sociedade. J - Comprometimento com a conservação ambiental e melhoria da qualidade de vida. K - Identificação de possibilidades de atuação n % n % n % n % n % MD N NR*

3 profissional considerando as suas potencialidades e as necessidades sociais. LEGENDA: 1- Muito significativa; 2 - Significativa; 3 - Medianamente significativa; 4 - Pouco significativa; 5 Nada significativa; MD = Mediana; N = Respostas válidas; NR* = 6 - Sem informação / condição para responder (Não resposta). Tabela 2: Questão 2 O Projeto Pedagógico de cada curso de graduação explicita o perfil do profissional/cidadão a ser formado por ele e estabelece a sua estrutura curricular, bem como as diretrizes gerais para o seu funcionamento. Selecione a alternativa que melhor retrata o seu conhecimento do Projeto Pedagógico do curso em que atua majoritariamente n % n % n % MD N LEGENDA: 1 Conheço; 2 Conheço parcialmente; 3 Desconheço; MD = Mediana; N = Respostas válidas.

4 Tabela 3: Questão 3 Analise se as seguintes atividades/disciplinas do seu curso foram desenvolvidas de forma integrada. 1 2 n % N % N A - Realização de atividades sob responsabilidade de docentes de diferentes áreas B - Interação de conteúdos entre disciplinas/atividades curriculares diversas C - Proposição de problemas cuja solução exige contribuição de várias disciplinas/atividades curriculares D - Utilização de estratégias didáticas diversificadas e comuns a várias disciplinas/atividades curriculares E - Articulação entre teoria e prática F - Desenvolvimento de projetos, oficinas, estudos envolvendo mais de uma disciplina/atividade curricular G - Promoção de eventos (seminários, simpósios, congressos) envolvendo mais de uma disciplina/atividade curricular do curso H - Integração entre várias disciplinas/atividades curriculares por meio de trabalho de campo I - Realização de avaliação integrada das disciplinas/atividades curriculares do mesmo semestre ou ano J - Tratamento de temas transversais (direitos humanos, sustentabilidade, entre outros) por mais de uma disciplina/atividade curricular. LEGENDA: 1- Sim; 2 - Não; N = Respostas válidas.

5 Tabela 4: Questão 4 Considerando as atividades/disciplinas cursadas até o momento como um todo, avalie nos seguintes aspectos n % n % n % n % n % MD N NR* A - O tempo necessário para o desenvolvimento das atividades propostas foi compatível com o tempo disponível para a sua execução. B - As oportunidades de desenvolver minha capacidade de questionar foram diversificadas. C - Compromisso com a exatidão e o rigor acadêmico. D - Pluralidade de pontos de vista na abordagem de algumas temáticas. E - Proposição de soluções para problemas de pesquisa e/ou extensão relacionados à futura atuação profissional/cidadã. F - Desenvolvimento de padrões éticos G - Tratamento de questões sociais, políticas e culturais no desenvolvimento dos conteúdos. H - Tratamento de temáticas ambientais no desenvolvimento das atividades curriculares. I - Percepção das diferentes possibilidades de atuação profissional LEGENDA: 1 Concordo totalmente; 2 Concordo; 3 Concordo parcialmente; 4 Discordo; 5 Discordo totalmente; MD = Mediana; N = Respostas válidas; NR* = 6 - Sem informação / condição para responder (Não resposta).

6 Tabela 5: Questão 5 Você teve contato com as seguintes atividades? 1 2 n % N % A - Estágio não obrigatório B - Projetos de iniciação científica, de iniciação tecnológica ou de iniciação à docência C - Monitoria em disciplinas D - Atividades Curriculares de Integração Ensino Pesquisa e Extensão (ACIEPE) ou atividades de extensão E - Congressos, simpósios, seminários, palestras, debates, mesas redondas e correlatos F - Visitas, excursões, estudos do meio e correlatos G - Atividades culturais H - Atividades esportivas I - Disciplinas eletivas (fora da grade curricular) LEGENDA: 1- Sim; 2 - Não; N = Respostas válidas. N Tabela 6: Questão 6 Você já fez estágio supervisionado? 1 2 n % N % LEGENDA: 1- Sim; 2 - Não; N = Respostas válidas. N

7 Tabela 7: Questão 6.1 Em caso positivo, avalie os aspectos ou condições a seguir enumerados, em relação ao estágio curricular obrigatório oferecido aos alunos do curso N % n % n % n % n % MD N NR* A - Aprendizagens proporcionadas pelo estágio supervisionado. B - Condições de realização do estágio supervisionado. C - Integração com o ambiente de trabalho propiciada pelo estágio supervisionado. D - Realização de atividades diversificadas (observação, reflexão, resolução de situaçõesproblema) no ambiente de realização do estágio. E realização de pesquisas envolvendo ação no ambiente de realização do estágio. F- Articulação da teoria com a prática do estágio G - Mobilização de conhecimentos de várias áreas no desenvolvimento das atividades de estágio. H Interação com órgãos relacionados à profissão, diferentes daquele de realização de estágio curricular. I Tempo curricular disponibilizado para atividade de estágio supervisionado. J - Orientação recebida para o desenvolvimento das atividades de estágio. LEGENDA: 1 Muito satisfatório; 2 Satisfatório; 3 Mediamente satisfatório; 4 - Insatisfatório; 5 Muito insatisfatório; MD = Mediana; N = Respostas válidas; NR* = 6 Sem informação (Não resposta).

8 Tabela 8: Questão 7 - Você já iniciou o Trabalho de Conclusão de Curso? 1 2 n % n % N LEGENDA: 1- Sim; 2 - Não; N = Respostas válidas. Tabela 9: Questão Em caso positivo, assinale as etapas que você percorreu na execução do seu trabalho até o momento. TENS 1 2 n % n % N A - Delimitação clara do objeto/problema/questão de pesquisa B - Levantamento de hipóteses ou pressupostos C - Levantamento bibliográfico para a fundamentação teórica D - Planejamento de procedimentos para teste das hipóteses ou análise do problema de pesquisa E - Escolha de métodos e técnicas de pesquisa F - Condução da coleta de dados G - Utilização de conhecimentos de outras áreas ou disciplinas para análise dos dados H - Produção de relato escrito adequado da pesquisa, obedecendo as normas academicamente reconhecidas I - Análise do trabalho por banca examinadora qualificada J - Comunicação oral do trabalho realizado em congressos LEGENDA: 1- Sim; 2 - Não; N = Respostas válidas.

9 Tabela 10: Questão 7.2 Em caso positivo, avalie os seguintes aspectos NR* MD N n % n % n % n % n % A - Adequação do tempo curricular destinado ao desenvolvimento do Trabalho de Conclusão de Curso. B - Orientação recebida para o desenvolvimento das atividades do Trabalho de Conclusão de Curso. C - Existência dos recursos necessários à execução do Trabalho de Conclusão de Curso (bibliografia, equipamentos, material de consumo etc). LEGENDA: 1 - Muito satisfatório; 2 - Satisfatório; 3 Mediamente satisfatório; 4 - Insatisfatório; 5 Muito insatisfatório; NR* = 6 - Não se aplica (Não resposta); N = Respostas válidas; MD = Mediana. Tabela 11: Questão 8 Avalie as condições didático-pedagógicas da maioria dos professores com quem você teve aula até este momento do curso com relação aos seguintes aspectos n % n % n % n % n % A - Domínio do conteúdo B - Relacionamento com estudantes C - Procedimentos metodológicos empregados D - Assiduidade e pontualidade E - Sistema de avaliação LEGENDA: 1 Muito bom; 2 Bom; 3 Regular; 4 Insuficiente; 5 Muito insuficiente; N = Respostas válidas; MD = mediana; MD N

10 Tabela 12: Questão 9 Avalie o trabalho da Coordenação do Curso nos aspectos referidos n % n % n % n % n % MD N NR* A - Organização didático-pedagógica B - Funcionamento do curso C - Orientações aos alunos D - Funcionamento do Conselho de Curso E - Fluxo de informações entre o Conselho de Curso e os docentes do curso. LEGENDA: 1 Muito satisfatório; 2 Satisfatório; 3 Mediamente satisfatório; 4 - Insatisfatório; 5 Muito insatisfatório; MD = Mediana; N = Respostas válidas; NR* = 6 Sem informação (Não resposta).

11 Tabela 13: Questão 10 Indique seu grau de satisfação com as condições de funcionamento e apoio às atividades de curso n % n % n % n % n % MD N NR* A - Adequação das salas às aulas teóricas B - Adequação dos laboratórios às aulas práticas C - Adequação do apoio de pessoal técnico nas aulas práticas. D - Disponibilidade de equipamentos para as aulas teóricas e práticas. E - Quantidade de livros no acervo das bibliotecas da UFSCar. F - Qualidade do atendimento aos usuários nas bibliotecas G - Horário em que é possível a utilização do acervo das bibliotecas. H - Recursos computacionais disponibilizados aos alunos pela Universidade. I - Qualidade do atendimento/suporte oferecido aos alunos na utilização dos recursos computacionais. J - Horário em que é possível a utilização dos recursos computacionais. K - Qualidade do atendimento da Divisão de Controle Acadêmico (DiCA). L - Horário de funcionamento da Divisão de Controle Acadêmico (DiCA). LEGENDA: 1 Muito satisfatório; 2 Satisfatório; 3 Mediamente satisfatório; 4 - Insatisfatório; 5 Muito insatisfatório; MD = Mediana; N = Respostas válidas; NR* = 6 Sem informação (Não resposta).

12 Tabela 24: Questão 11 Avalie seu grau de concordância com as seguintes afirmações n % n % n % n % n % MD N NR* A - O meu envolvimento com o curso é intenso B - O curso escolhido possibilitará minha realização profissional. C- O curso escolhido não está de acordo com as minhas aptidões e capacidades. D- A mudança de Universidade/Curso está fora de minhas cogitações. E- Os serviços oferecidos pela Universidade são do conhecimento de todos. F- A Universidade tem boa infraestrutura LEGENDA: 1- Concordo totalmente; 2 Concordo; 3 - Concordo parcialmente; 4 - Discordo; 5 Discordo totalmente; NR* = 6 - Sem informação / condição para responder (Não resposta); N = Respostas válidas; MD = Mediana.

13 RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DE CURSOS TABELAS DESCRITIVAS - VISÃO ESTUDANTES DO ÚLTIMO ANO PEDAGOGIA DIURNO - SÃO CARLOS Tabela 3: Questão 3 Avaliação da prioridade que tem sido dada ao curso de Licenciatura em relação à formação de profissionais NR* n % n % n % n % n % n % A - Docente para a educação infantil, anos iniciais e EJA B - Gestor/a da educação C - Pesquisador/a na área de educação D - Profissional com formação especializada para desempenhar trabalho técnico exigido pelo mercado atual. E - Profissional com formação ampla, que possibilite o exercício de várias atividades profissionais LEGENDA: 1 - Muito importante; 2 - Importante; 3 - Média importância; 4 - Pouca importância; 5 - Nenhuma importância; NR* = 6 - Sem informação / Condição para responder. Tabela 2: Questão 4 Avaliação dos aspectos e/ou condições referentes à aprendizagem profissional da docência no curso NR* N % n % n % n % n % n % A - Consideração pelos/as formadores/as, como base de sua atuação, das concepções prévias de futuros/as docentes sobre o que, como e para quê ensinar determinados conteúdos. B - Coerência entre as

14 estratégias/atividades utilizadas nas disciplinas e as concepções sobre o processo ensinoaprendizagem preconizadas para a atuação do/a educador/a. C - Desenvolvimento de atividades de prática de ensino (400h) ao longo de todo processo de formação. D - Interação com escolas ou outros órgãos relacionados à educação básica. E - Realização de atividades diversificadas (observação, reflexão, resolução de situações problema) em escolas ou outros órgãos relacionados à educação básica. F - Articulação entre teoria e prática no desenvolvimento das disciplinas. G - Realização de pesquisas envolvendo ação nos estágios H - Uso de tecnologias da informação e da comunicação e de metodologias, estratégias e materiais de apoio inovadores. I - Enriquecimento científicocultural propiciado pelas atividades acadêmicocientífico-culturais J - Desenvolvimento de hábitos de colaboração e de trabalho em equipe. K - Qualidade das aprendizagens proporcionadas pelo estágio supervisionado. L - Condições de realização do estágio supervisionado M - Integração com o ambiente escolar propiciada pelo estágio supervisionado. N - Tempo curricular disponibilizado para as atividades de estágio supervisionado. O Compatibilidade entre a

15 formação pedagógica e as condições para a atuação na realidade educacional vigente. LEGENDA: 1 - Muito satisfatório (a); 2 - Satisfatório (a); 3 - Medianamente satisfatório (a); 4 - Insatisfatório (a); 5 - Muito insatisfatório (a); NR* = 6 - Sem informação / Condição para responder. Tabela 3: Questão 6 Avaliação da matriz curricular do curso NR* n % n % n % n % n % n % A - Total de créditos das disciplinas optativas B - Número médio de créditos por semestre C - Distribuição dos créditos por semestre D - Sistema de requisitos E - Encadeamento das disciplinas na matriz curricular. F - Diversidade de opções em disciplinas optativas G - Diversidades de áreas de conhecimento abrangidas pelo curso. H - Número de disciplinas por área de conhecimento I - Total de créditos nas disciplinas por área de conhecimento LEGENDA: 1 - Muito satisfatório, (a); 2 - Satisfatório (a); 3 - Medianamente satisfatório (a); 4 Insatisfatório (a); 5 Muito insatisfatório (a); NR* = 6 Sem informação / Condição para responder.

16 Tabela 4: Questão 7 Avaliação da frequência que os/as estudantes têm tido a oportunidade de conhecer os objetivos da maioria das disciplinas do curso NR* n % n % N % n % N % n % LEGENDA: 1 - Muito frequente; 2 - Frequente; 3 - Medianamente frequente; 4 - Raramente; 5 - Muito raro; NR* = 6 - Sem informação / Condição para responder. Tabela 5: Questão 8 Comparando os conteúdos trabalhados nas várias disciplinas do curso, é possível detectar áreas mais privilegiadas? Sim Não n % n % Tabela 6: Questão 9 É possível detectar áreas menos valorizadas? Sim Não n % n %

17 Tabela 7: Questão 11 Avaliação da frequência com que os procedimentos didáticos são utilizados pelos/as docentes do curso NR* n % n % n % n % n % n % A - Aula dialogada B - Aula expositiva C - Aula prática de laboratório D - Construção de mapa conceitual E - Dramatização F - Discussão de tema por via eletrônica G - Ensino com pesquisa H - Estudo de caso I - Estudo de texto J - Estudo dirigido K - Estudo do meio L - Seminário M - Solução de problema N - Tempestade cerebral O Visita LEGENDA: 1 - Muito frequente; 2 - Frequente; 3 - Medianamente frequente; 4 - Raramente; 5 - Muito raro; NR* = 6 - Sem informação / Condição para responder.

18 Tabela 8: Questão 12 - Avaliação referente à maneira com que os procedimentos didáticos utilizados nas disciplinas do curso têm oferecido oportunidades ao/à estudante NR* n % N % n % n % n % n % A - Planejamento de atividades e/ou serviços na área de atuação do docente. B - Exercício das atividades características da profissão C - Aplicação de conhecimentos/habilidades em situações concretas e reais. D - Participação em pesquisa E - Produção de trabalho ou relatório baseado em pesquisa F - Comunicação com o público ou colegas acerca de atividades profissionais G - Aprendizagem autodirigida H - Exercício de reflexão e crítica I - Exercício autônomo de ações relacionadas à futura docência LEGENDA: 1 - Muito satisfatório (a); 2 - Satisfatório (a); 3 - Medianamente satisfatório (a); 4 - Insatisfatório (a); 5 - Muito insatisfatório (a); NR* = 6 - Sem informação / Condição para responder.

19 Tabela 9: Questão 13 Indicação da frequência que os recursos didáticos são utilizados pela maioria dos/as professores/as NR* n % n % n % n % n % n % A - Vídeo B Projetor de slides C - Lousa D Multimídia E Softwares educativos F Ambiente virtual de aprendizagem ( Moodle, etc). G Experimentos/ demonstração. LEGENDA: 1 - Muito frequente; 2 - Frequente; 3 - Medianamente frequente; 4 - Raro; 5 - Muito raro; NR* = 6 - Sem informação / Condição para responder.

20 Tabela 10: Questão 14 Indicação da frequência com a qual os procedimentos de avaliação de aprendizagem são utilizados pelos/as professores/as do curso de Pedagogia NR* n % n % n % n % n % n % A - Prova escrita individual B - Prova escrita em grupo C - Resolução de exercícios em sala de aula individual D - Resolução de exercícios em sala de aula em grupo E - Resolução de exercícios extra-classe individual F - Resolução de exercícios extra-classe em grupo G Relatórios individuais de atividades práticas H - Relatórios em grupo de atividades práticas I - Seminários LEGENDA: 1 - Muito frequente; 2 - Frequente; 3 - Medianamente frequente; 4 - Raro; 5 - Muito raro; NR* = 6 - Sem informação / Condição para responder. Tabela 11: Questão 16 Grau de satisfação com a formação recebida até o momento no Curso NR* n % n % n % n % n % n % LEGENDA: 1 - Muito satisfeito (a); 2 - Satisfeito (a); 3 - Medianamente satisfeito (a); 4 - Insatisfeito (a); 5 - Muito insatisfeito (a); NR* = 6 - Sem informação / Condição para responder.

21 RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DE CURSOS TABELAS DESCRITIVAS - VISÃO ESTUDANTES DO ÚLTIMO ANO PEDAGOGIA NOTURNO - SÃO CARLOS Tabela 1: Questão 3 Avaliação da prioridade que tem sido dada ao curso de Licenciatura em relação à formação de profissionais NR* n % n % n % n % n % n % A - Docente para a educação infantil, anos iniciais e EJA B - Gestor/a da educação C - Pesquisador/a na área de educação D - Profissional com formação especializada para desempenhar trabalho técnico exigido pelo mercado atual. E - Profissional com formação ampla, que possibilite o exercício de várias atividades profissionais LEGENDA: 1 Muito importante; 2 Importante; 3 Média importância; 4 - Pouca importância; 5 Nenhuma importância; NR* = 6 Sem informação / Condição para responder Tabela 2: Questão 4 - Avaliação dos aspectos e/ou condições referentes à aprendizagem profissional da docência no curso. A - Consideração pelos/as formadores/as, como base de sua atuação, das concepções prévias de futuros/as docentes sobre o que, como e para quê ensinar determinados NR* n % n % n % n % n % n %

22 conteúdos. B - Coerência entre as estratégias/atividades utilizadas nas disciplinas e as concepções sobre o processo ensinoaprendizagem preconizadas para a atuação do/a educador/a. C - Desenvolvimento de atividades de prática de ensino (400h) ao longo de todo processo de formação. D - Interação com escolas ou outros órgãos relacionados à educação básica. E - Realização de atividades diversificadas (observação, reflexão, resolução de situações problema) em escolas ou outros órgãos relacionados à educação básica. F- Articulação entre teoria e prática no desenvolvimento das disciplinas. G - Realização de pesquisas envolvendo ação nos estágios. H - Uso de tecnologias da informação e da comunicação e de metodologias, estratégias e materiais de apoio inovadores. I - Enriquecimento científicocultural propiciado pelas atividades acadêmicocientífico-culturais. J - Desenvolvimento de hábitos de colaboração e de trabalho em equipe. K - Qualidade das aprendizagens proporcionadas pelo estágio supervisionado. L - Condições de realização do estágio supervisionado. M - Integração com o ambiente escolar propiciada pelo estágio supervisionado. N - Tempo curricular disponibilizado para as

23 atividades de estágio supervisionado. O - Compatibilidade entre a formação pedagógica e as condições para a atuação na realidade educacional vigente LEGENDA: 1 Muito satisfatório(a); 2 satisfatório(a); 3 medianamente satisfatório (a); 4 - insatisfatório (a); 5 muito insatisfatório (a); NR* = 6 Sem informação / Condição para responder Tabela 3: Questão 6 Avaliação da matriz curricular do curso NR* n % n % n % n % n % n % A - Total de créditos das disciplinas optativas B - Número médio de créditos por semestre C - Distribuição dos créditos por semestre D - Sistema de requisitos E - Encadeamento das disciplinas na matriz curricular F- Diversidade de opções em disciplinas optativas G - Diversidades de áreas de conhecimento abrangidas pelo curso. H - Número de disciplinas por área de conhecimento I - Total de créditos nas disciplinas por área de conhecimento LEGENDA: 1 Muito satisfatório(a); 2 satisfatório(a); 3 medianamente satisfatório (a); 4 - insatisfatório (a); 5 muito insatisfatório (a); NR* = 6 Sem informação / Condição para responder

24 Tabela 4: Questão 7 Avaliação da frequência que os/as estudantes têm tido NR* n % n % n % n % n % n % LEGENDA: 1 Muito Frequente; 2 Frequente; 3 Medianamente Frequente; 4 - Raramente; 5 Muito Raro; NR* = 6 Sem informação / Condição para responder. Tabela 5: Questão 8 - Comparando os conteúdos trabalhados nas várias disciplinas do curso, é possível detectar áreas mais privilegiadas? Sim Não n % n % Tabela 6: Questão 9 - É possível detectar áreas menos valorizadas? Sim Não n % n %

25 Tabela 7: Questão 11 - Avaliação da frequência com que os procedimentos didáticos são utilizados pelos/as docentes do curso NR* n % n % n % n % n % n % A - Aula dialogada B - Aula expositiva C - Aula prática de laboratório D - Construção de mapa conceitual E - Dramatização F- Discussão de tema por via eletrônica G - Ensino com pesquisa H - Estudo de caso I - Estudo de texto J - Estudo dirigido K - Estudo do meio L - Seminário M - Solução de problema N - Tempestade cerebral O - Visita LEGENDA: 1 Muito Frequente; 2 Frequente; 3 Medianamente Frequente; 4 - Raro; 5 Muito Raro; NR* = 6 Sem informação / Condição para responder

26 Tabela 8: Questão 12 - Avaliação referente à maneira com que os procedimentos didáticos utilizados nas disciplinas do curso têm oferecido oportunidades ao/à estudante NR* n % n % n % n % n % n % A - Planejamento de atividades e/ou serviços na área de atuação do docente. B - Exercício das atividades características da profissão C - Aplicação de conhecimentos/habilidades em situações concretas e reais. D - Participação em pesquisa E - Produção de trabalho ou relatório baseado em pesquisa F- Comunicação com o público ou colegas acerca de atividades profissionais H - Aprendizagem autodirigida. I - Exercício de reflexão e crítica. J - Exercício autônomo de ações relacionadas à futura docência LEGENDA: 1 Muito satisfatório(a); 2 satisfatório(a); 3 medianamente satisfatório (a); 4 - insatisfatório (a); 5 muito insatisfatório (a); NR* = 6 Sem informação / Condição para responder

27 Tabela 9: Questão 13 - Indicação da frequência que os recursos didáticos são utilizadas pela maioria dos/as professores/as NR* n % n % n % n % n % n % A - Vídeo B - Projetor de slides C - Lousa D - Multimídia E - Sofwares educativos F- Ambiente virtual de aprendizagem ( Moodle,etc) G - Experimentos/demonstração LEGENDA: 1 Muito Frequente; 2 Frequente; 3 Medianamente Frequente; 4 - Raro; 5 Muito Raro; NR* = 6 Sem informação / Condição para responder

28 Tabela 10: Questão 14 - Indicação da frequência com a qual os procedimentos de avaliação de aprendizagem são utilizados pelos/as professores/as do curso de Pedagogia NR* n % n % n % n % n % n % A - Prova escrita individual B - Prova escrita em grupo C - Resolução de exercícios em sala de aula indivídual D - Resolução de exercícios em sala de aula em grupo E - Resolução de exercícios extraclasse individual F- Resolução de exercícios extraclasse em grupo G - Relatórios individuais de atividades práticas H - Relatórios em grupo de atividades práticas I - Seminários LEGENDA: 1 Muito Frequente; 2 Frequente; 3 Medianamente Frequente; 4 - Raro; 5 Muito Raro; NR* = 6 Sem informação / Condição para responder Tabela 11: Questão 16 Grau de satisfação com a formação recebida até o momento no curso NR* n % n % n % n % n % n % LEGENDA: 1 Muito Satisfeito (a); 2 Satisfeito (a); 3 Medianamente Satisfeito (a); 4 - Insatisfeito (a); 5 Muito Insatisfeito (a); NR* = 6 Sem informação / Condição para responder

29 RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DE CURSOS TABELAS DESCRITIVAS - VISÃO ESTUDANTES DO ÚLTIMO ANO PEDAGOGIA - SÃO CARLOS Tabela 4: Questão 3 Avaliação da prioridade que tem sido dada ao curso de Licenciatura em relação à formação de profissionais NR* n % n % n % n % n % n % A - Docente para a educação infantil, anos iniciais e EJA B - Gestor/a da educação C - Pesquisador/a na área de educação D - Profissional com formação especializada para desempenhar trabalho técnico exigido pelo mercado atual. E - Profissional com formação ampla, que possibilite o exercício de várias atividades profissionais LEGENDA: 1 Muito importante; 2 - Importante; 3 Média importância; 4 Pouco importante; 5 Nenhuma importância; NR*= 6 Sem informação / Condição para responder Tabela 5: Questão 4 - Avaliação dos aspectos e/ou condições referentes à aprendizagem profissional da docência no curso n % n % n % n % n % n % A - Consideração pelos/as formadores/as, como base de sua atuação, das concepções prévias de futuros/as docentes sobre o que, como e para quê ensinar determinados conteúdos. B - Coerência entre as

30 estratégias/atividades utilizadas nas disciplinas e as concepções sobre o processo ensinoaprendizagem preconizadas para a atuação do/a educador/a. C - Desenvolvimento de atividades de prática de ensino (400h) ao longo de todo processo de formação. D - Interação com escolas ou outros órgãos relacionados à educação básica. E - Realização de atividades diversificadas (observação, reflexão, resolução de situações problema) em escolas ou outros órgãos relacionados à educação básica. F - Articulação entre teoria e prática no desenvolvimento das disciplinas. G - Realização de pesquisas envolvendo ação nos estágios H - Uso de tecnologias da informação e da comunicação e de metodologias, estratégias e materiais de apoio inovadores I - Enriquecimento científicocultural propiciado pelas atividades acadêmicocientífico-culturais J - Desenvolvimento de hábitos de colaboração e de trabalho em equipe. K - Qualidade das aprendizagens proporcionadas pelo estágio supervisionado. L - Condições de realização do estágio supervisionado M - Integração com o ambiente escolar propiciada pelo estágio supervisionado. N - Tempo curricular disponibilizado para as atividades de estágio supervisionado. O - Compatibilidade entre a

31 formação pedagógica e as condições para a atuação na realidade educacional vigente. LEGENDA: 1 Muito satisfatório (a); 2 Satisfatório (a); 3 Medianamente satisfatório (a); 4 - Insatisfatório (a); 5 Muito insatisfatório (a); NR*= 6 Sem informação / Condição para responder Tabela 6: Questão 6 Avaliação da matriz curricular do curso NR* n % n % n % n % n % n % A - Total de créditos das disciplinas optativas B - Número médio de créditos por semestre C - Distribuição dos créditos por semestre D - Sistema de requisitos E - Encadeamento das disciplinas na matriz curricular. F - Diversidade de opções em disciplinas optativas G - Diversidades de áreas de conhecimento abrangidas pelo curso. H - Número de disciplinas por área de conhecimento I - Total de créditos nas disciplinas por área de conhecimento LEGENDA: 1 Muito satisfatório (a); 2 Satisfatório (a); 3 Medianamente satisfatório (a); 4 - Insatisfatório (a); 5 Muito insatisfatório (a); NR*= 6 Sem informação / Condição para responder

32 Tabela 7: Questão 7 Avaliação da frequência que os/as estudantes têm tido a oportunidade de conhecer os objetivos da maioria das disciplinas do curso NR* n % n % n % n % n % n % LEGENDA: 1 - Muito frequente; 2 - Frequente; 3 - Medianamente frequente; 4 - Raramente; 5 - Muito raro; NR* = 6 - Sem informação / Condição para responder. Tabela 8: Questão 8 - Comparando os conteúdos trabalhados nas várias disciplinas do curso, é possível detectar áreas mais privilegiadas? Sim Não n % n % Tabela 9: Questão 9 - É possível detectar áreas menos valorizadas? Sim Não n % n %

33 Tabela 10: Questão 11 - Avaliação da frequência com que os procedimentos didáticos são utilizados pelos/as docentes do curso NR* n % n % n % n % n % n % A- Aula dialogada B - Aula expositiva C - Aula prática de laboratório D - Construção de mapa conceitual E - Dramatização F - Discussão de tema por via eletrônica G - Ensino com pesquisa H - Estudo de caso I - Estudo de texto J - Estudo dirigido K - Estudo do meio L - Seminário M - Solução de problema N - Tempestade cerebral O - Visita LEGENDA: 1 Muito frequente; 2 Frequente; 3 Medianamente frequente; 4 Raro; 5 Muito raro; NR*= 6 Sem informação / Condição para responder

34 Tabela 11: Questão 12 - Avaliação referente à maneira com que os procedimentos didáticos utilizados nas disciplinas do curso têm oferecido oportunidades ao/à estudante NR* n % n % n % n % n % n % A- Planejamento de atividades e/ou serviços na área de atuação do docente. B - Exercício das atividades características da profissão C - Aplicação de conhecimentos/habilidades em situações concretas e reais. D - Participação em pesquisa E - Produção de trabalho ou relatório baseado em pesquisa F - Comunicação com o público ou colegas acerca de atividades profissionais. G - Aprendizagem autodirigida H- Exercício de reflexão e crítica I - Utilização da literatura existente na área LEGENDA: 1 Muito satisfatório (a); 2 Satisfatório (a); 3 Medianamente satisfatório(a); 4 Insatisfatório (a); 5 Muito insatisfatório (a); NR*= 6 Sem informação / Condição para responder

35 Tabela 12: Questão 13 - Indicação da frequência que os recursos didáticos são utilizadas pela maioria dos/as professores/as NR* n % n % n % n % n % n % A- Vídeo B - Projetor de slides C - Lousa D - Multimídia E - Sofwares educativos F - Ambiente virtual de aprendizagem ( Moodle,etc) G - Experimentos/demonstração LEGENDA: 1 Muito frequente; 2 Frequente; 3 Medianamente frequente; 4 Raro; 5 Muito raro; NR*= 6 Sem informação / Condição para responder

36 Tabela 13: Questão Questão 14 - Indicação da frequência com a qual os procedimentos de avaliação de aprendizagem são utilizados pelos/as professores/as do curso de Pedagogia NR* n % n % n % n % n % n % A- Prova escrita individual B - Prova escrita em grupo C - Resolução de exercícios em sala de aula indivídual D - Resolução de exercícios em sala de aula em grupo E - Resolução de exercícios extra-classe individual F - Resolução de exercícios extra-classe em grupo G - Relatórios individuais de atividades práticas H - Relatórios em grupo de atividades práticas I - Seminários LEGENDA: 1 Muito frequente; 2 Frequente; 3 Medianamente frequente; 4 Raro; 5 Muito raro; 6 Sem informação / Condição para responder

37 Tabela 14: Questão 16 - Grau de satisfação com a formação recebida até o momento no curso NR* n % n % n % n % n % n % LEGENDA: 1 Muito satisfeito (a); 2 Satisfeito (a); 3 Medianamente satisfeito (a); 4 Insatisfeito (a); 5 Muito insatisfeito (a); NR*= 6 Sem informação / Condição para responder

38 RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DE CURSOS QUESTÕES ABERTAS - VISÃO ESTUDANTES DO ÚLTIMO ANO Tabela 1. Número de respondentes do curso PEDAGOGIA - SÃO CARLOS Data da Aplicação Semestre Período Quantidade Número de Prevista respondentes 20/09 10º Diurno /09 10º Noturno Total 10º Tabela 2. Questão 1: A partir da análise desse perfil, anote observações e proposições para o seu aperfeiçoamento "O curso se limitou quanto a atuação do pedagogo em espaços não formais de educação. A atuação do pedagogo em espaços que estão além da escola é frequente no contexto atual, e isto foi muito pouco contemplado na formação." "Cursos de especialização na área de educação de jovens e adultos,pois falta mais informação já que é dado no último semestre do curso e falta a parte de gestão também nesta área." "Seria importante que a grade fosse melhor distribuída no quesito estágios, não concentrando-se amontoados, para não ser massante e nos impedir de realizar outras atividades." 4 "Acredito que deva haver um maior diálogo entre alguns professores e os estudantes para que isso se concretize." 5 "Considero que o curso deveria aperfeiçoar o trabalho multidiciplinar que praticamente não ocorreu." "Acredito que a o curso me fez crescer como profissional, pois hoje tudo que aprendi reflete no que está dito acima, ou seja, consigo ser uma profissional que pensa e reflete sobre suas ações pedagógicas, ao mesmo tempo sei que um curso de pedagogia não po" "O curso se limitou na apresentação de espaços não formais de educação, todos os estágios foram em escolas, não possibilitando o olhar de outras formas de educação a não ser a atrelada a escola." "A proposta de perfil do profissional a ser formado é boa, mas não se reflete na prática docente da universidade. A exigência de conteúdo exato, no sentido de refletir as opniões do professor responsável pela disciplina no dado semestre em que as cursei m" "Acabamos ficando tanto tempo envolvidos com atividades do curso que acaba sendo difícil a realização de atividades que promovam a interação, com isso fica difícil desenvolver um indivíduo ético, solidário e cooperativo socialmente. Acaba-se formando uma p" 10 "A partir do exposto, posso caracterizar como proposições do meu perfil, a questão de poder trabalhar em diversas áreas, não somente em instituições de ensino, ou seja, ser um

39 profissional capacitado para gerar conhecimentos e levar conhecimentos a outras" "Penso que o curso contribuí parcialmente para a formação de tal profissional, deixando a 11 desejar no que tange, sobretudo, a articulação entre a teoria e a prática, bem como de conhecimentos teóricos sólidos que contribuam para uma prática bem desenvolvida" "No que diz respeito a Anos iniciais, Ed. Infantil e Eja acredito que estou bem preparada, 12 porém quanto ma administração e gestão, creio o oposto devido a elaboração do estágio e a falta de experiências dos profissionais na escola que não sabiam o que faze" "A partir da análise, posso dizer que o meu aperfeiçoamento não é dos melhores pelo fato 13 de que em momento nenhum durante o decorrer do curso, nos foi apresentado formas de se trabalhar em espaços não escolares, o que dificultaria e muito caso fosse trabal" "Acredita-se que o curso possui falhas no que diz respeito a formação de um aluno 14 autônomo e independente, assim como na constante interface entre teoria e prática uma vez que, muitas vezes, deixa de fornecer meios e recursos para que tal atividade seja de" "O perfil curso aponta diversos pontos que não são tratados em sala de aula ou que são 15 totalmente desconexos da postura de alguns docentes da universidade, se por um lado ele propõe a autonomia de pensamento temos contato com professores que não aceitam qu" 16 "-" "Não é necessário um curso de 5 anos para se aprender o que se aprende neste 17 peeríodo.fica óbio aos alunos egressos que 5 anos é uma guerra de professores que não querem abrir mão de sua teoria e ficam chovendo no molhado." "O curso precisa reformular a grade curricular, pois algumas matérias repetem os mesmos 18 conteúdos adquiridos em outras. Na verdade é necessário articular uma grade que possibilite uma interação entre as diferentes matérias do semestre. Outras matérias deve" "Durante o curso, senti falta de experiências que nos fizessem compreender a 19 responsabilidade da profissão do professor, bem como seu compromisso político. Muitas vezes o conteúdo pedagógico foi o foco, faltando uma formação humana. Ainda, o rigor de estud" "Alguns aspectos estão suficientes e outros não. De um lado, existe uma preocupação dos 20 professores em ensinar os alunos a serem pessoas sem preconceitos e a lutarem por um mundo melhor. Esta parte está sendo muito bem realizada, pois o curso realmente abr" "Acredito que nós sairemos da Universidade com uma boa bagagem desse perfil 21 profissional. Contudo, acredito que não sairemos "prontos", ou seja, com todas essas características desenvolvidas, já que para mim, nunca seremos seres "prontos" estaremos num con" "Concordo que o curso de Pedagogia desperte no aluno a capacidade de reflexão e de 22 pensar e aprender de forma autônoma. No entanto, não sinto segurança em atuar inter/multi/transdisciplinarmente, pois não havia muito disso nas próprias disciplinas do curso" "O curso de pedagogia da UFSCar possui uma carência de matérias e recursos pedagógicos. 23 Apesar do curso não ser integral, facilitando que estudantes das camadas populares que precisão trabalhar terem acesso ao ensino superior, é notório que devido a carga" 24 "Não consta" 25 "Acredito que preparar melhor a grade curricular de modo que os estágio estejam melhor distribuidos, fará com que o curso seja mais aproveitavel." 26 "O CURSO ME PROPORCIONOU UM CONHECIMENTO APROFUNDADO DA EDUCAÇÃO. ME FEZ REFLETIR SOBRE DIVERSAS QUESTÕES E ME MOSTRO O

RELATÓRIO FINAL DE ACOMPANHAMENTO DA CARREIRA PROFISSIONAL E AVALIAÇÃO DO CURSO/UFSCar PELOS EGRESSOS ENGENHARIA DE PRODUÇÃO SÃO CARLOS

RELATÓRIO FINAL DE ACOMPANHAMENTO DA CARREIRA PROFISSIONAL E AVALIAÇÃO DO CURSO/UFSCar PELOS EGRESSOS ENGENHARIA DE PRODUÇÃO SÃO CARLOS RELATÓRIO FINAL DE ACOMPANHAMENTO DA CARREIRA PROFISSIONAL E AVALIAÇÃO DO CURSO/UFSCar PELOS EGRESSOS ENGENHARIA DE PRODUÇÃO SÃO CARLOS Amostragem Amostra n População N Total de respondentes Engenharia

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE ACOMPANHAMENTO DA CARREIRA PROFISSIONAL E AVALIAÇÃO DO CURSO/UFSCar PELOS EGRESSOS - ENGENHARIA FÍSICA SÃO CARLOS

RELATÓRIO FINAL DE ACOMPANHAMENTO DA CARREIRA PROFISSIONAL E AVALIAÇÃO DO CURSO/UFSCar PELOS EGRESSOS - ENGENHARIA FÍSICA SÃO CARLOS RELATÓRIO FIAL DE ACOMPAHAMETO DA CARREIRA PROFISSIOAL E AVALIAÇÃO DO CURSO/UFSCar PELOS EGRESSOS - EGEHARIA FÍSICA SÃO CARLOS Amostragem Amostra n População Engenharia Física A - úmero de respondentes

Leia mais

G1 Formação de Professores. Julia de Cassia Pereira do Nascimento (DO)/ juliacpn@interacaosp.com.br Edda Curi/ edda.curi@cruzeirodosul.edu.

G1 Formação de Professores. Julia de Cassia Pereira do Nascimento (DO)/ juliacpn@interacaosp.com.br Edda Curi/ edda.curi@cruzeirodosul.edu. CONTRIBUIÇÕES DO ESTÁGIO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: INDICATIVOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE E DA ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO NUM CURSO DE PEDAGOGIA G1 Formação de Professores

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE EDUCACIONAL DE MEDIANEIRA MISSÃO: FORMAR PROFISSIONAIS CAPACITADOS, SOCIALMENTE RESPONSÁVEIS E APTOS A PROMOVEREM AS TRANSFORMAÇÕES FUTURAS. ESTÁGIO SUPERVISIONADO LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA Credenciamento: Decreto Publicado em 05/08/2004 Recredenciamento: Decreto Publicado em 15/12/2006

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA Credenciamento: Decreto Publicado em 05/08/2004 Recredenciamento: Decreto Publicado em 15/12/2006 REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA (Ato de Aprovação: Resolução do Reitor Nº 53/2010 de 30/04/2010) Art. 1º O Estágio Supervisionado é uma parte do currículo

Leia mais

PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO E OS PRIMEIROS RESULTADOS

PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO E OS PRIMEIROS RESULTADOS Anais do III Simpósio sobre Formação de Professores SIMFOP Universidade do Sul de Santa Catarina, Campus de Tubarão Tubarão, de 28 a 31 de março de 2011 PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO

Leia mais

Planejamento Estratégico da Coordenação do Curso de Graduação em Psicologia

Planejamento Estratégico da Coordenação do Curso de Graduação em Psicologia Planejamento Estratégico da Coordenação do Curso de Graduação em Psicologia Apresentação: O curso de Psicologia da UFPR foi criado em 1976. Até hoje se apresenta como o único curso público e gratuito de

Leia mais

Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional - PROFBIO PROPOSTA

Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional - PROFBIO PROPOSTA Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional - PROFBIO PROPOSTA Considerando que o Ensino Médio é para a maioria dos cidadãos a última oportunidade de uma educação formal em Biologia, a

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: PEDAGOGIA Disciplina: TECNOLOGIA NA SALA DE AULA I Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Histórico da informática,

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Síntese do Projeto Pedagógico do curso Objetivos do curso Objetivo Geral O curso em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da ESADE,

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA FORMAÇÃO INICIAL DOS GRADUANDOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA FORMAÇÃO INICIAL DOS GRADUANDOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA FORMAÇÃO INICIAL DOS GRADUANDOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA Wanderlânyo de Lira Barboza * Emmanuel De Sousa Fernandes Falcão ** Resumo: O presente trabalho aborda reflexões

Leia mais

Plano de Ação da Orientação Educacional. 01- Introdução

Plano de Ação da Orientação Educacional. 01- Introdução Plano de Ação da Orientação Educacional 01- Introdução O contexto desafiante da atual sociedade brasileira, demanda progressivamente uma educação de qualidade. Tarefa de tal magnitude, exige uma concentrada

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP Regulamento do Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Faculdade de

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 0 2014 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FUNDAÇÃO EDUCACIONAL CLAUDINO FRANCIO FACULDADE CENTRO MATO-GROSSENSE SORRISO/MT Portaria Nº 004/2015 Dispõe sobre Relatório Apresentado pela Comissão Própria

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS - APS

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS - APS REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS - APS O presente Regulamento normatiza as Atividades Práticas Supervisionadas (APS) nos cursos de graduação da Faculdade Shalom de Ensino Superior,

Leia mais

AÇÃO INTEGRADA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A PARTIR DE UM PROJETO DE SAÚDE. Adriana Noviski Manso - PUCPR

AÇÃO INTEGRADA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A PARTIR DE UM PROJETO DE SAÚDE. Adriana Noviski Manso - PUCPR AÇÃO INTEGRADA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A PARTIR DE UM PROJETO DE SAÚDE Adriana Noviski Manso - PUCPR Beatriz Ferreira da Rocha - PUCPR Romilda Teodora Ens - PUCSP/PUCPR Resumo O presente relato

Leia mais

2.1 Dimensão 2 - A política para o ensino, a pesquisa e a extensão

2.1 Dimensão 2 - A política para o ensino, a pesquisa e a extensão 2.1 Dimensão 2 - A política para o ensino, a pesquisa e a extensão As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES DO CURSO

CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES DO CURSO RESOLUÇÃO CAS Nº 07 / 2007 De 05 de agosto de 2007 Reformula o Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Pedagogia, a ser implantado a partir do 2º semestre do ano letivo de 2007. CONSIDERANDO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM MATEMÁTICA. Curso: 55030 - Habilitação: Bacharelado - Depto de Matemática - ICMC-USP

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE BACHARELADO EM MATEMÁTICA. Curso: 55030 - Habilitação: Bacharelado - Depto de Matemática - ICMC-USP Curso: BACHARELADO EM MATEMÁTICA Área: Exatas O curso de Bacharelado em Matemática foi reconhecido pelo Decreto Federal nº 75448, de 06/03/1975 (D.O.E. 07/03/1975) Reconhecimento renovado por 5 anos pela

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Pedagogia Tempo de Integralização: Mínimo: 8 semestres Máximo: 14 semestres Nome da Mantida: Centro Universitário

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Edificações Modalidade Integrado DISCIPLINA: Educação Física

EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Edificações Modalidade Integrado DISCIPLINA: Educação Física MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO

Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO Curso/Habilitação: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Disciplina: Empreendimentos em Informática

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Móveis Modalidade Integrado DISCIPLINA: Educação Física

EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Móveis Modalidade Integrado DISCIPLINA: Educação Física MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

FACULDADES UNIFICADAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS DIVISÃO ACADÊMICA

FACULDADES UNIFICADAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS DIVISÃO ACADÊMICA PLANO DE ENSINO DADOS DA DISCIPLINA Nome da Disciplina: Didática para o ensino da Química Curso: Licenciatura Plena em Química Termo: 5º Carga Horária Semanal (h/a): 2 Carga Horária Semestral (h/a): 34

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS Seja bem-vindo à FADERGS! A seguir, apresentamos as principais informações sobre o seu curso, válidas para o semestre 2015/1. OS CURSOS SUPERIORES DE

Leia mais

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1029 OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR Minuta de Projeto de Resolução para audiência pública de 11/12/2015 Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Educação

Leia mais

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA Gabriela de Aguiar Carvalho, UFC Orientadora: Maria José Costa dos Santos, UFC INTRODUÇÃO

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO BÁSICA

AVALIAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO BÁSICA AVALIAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO BÁSICA Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Educação Básica sobre a ESEC 4 3.2. Opinião

Leia mais

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA. IFSP Campus São Paulo AS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA. IFSP Campus São Paulo AS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP Campus São Paulo AS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS O componente curricular denominado Atividades Acadêmico-Científico- Culturais foi introduzido nos currículos

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE,CURSO,TUTORIAS LOCAL E CENTRAL, SISTEMAS UNICO E AVA PEDAGOGIA - EAD UTA ORGANIZAÇÃO ESCOLAR

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE,CURSO,TUTORIAS LOCAL E CENTRAL, SISTEMAS UNICO E AVA PEDAGOGIA - EAD UTA ORGANIZAÇÃO ESCOLAR RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE,CURSO,TUTORIAS LOCAL E CENTRAL, SISTEMAS UNICO E AVA PEDAGOGIA - EAD UTA ORGANIZAÇÃO ESCOLAR 2º SEMESTRE 2012 CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de INFORMÁTICA II - FERRAMENTAS PARA ESCRITÓRIO. Parte 1 (Solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de INFORMÁTICA II - FERRAMENTAS PARA ESCRITÓRIO. Parte 1 (Solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

MANUAL DO ALUNO (A) ATIVIDADES COMPLEMENTARES/ESTUDOS INDEPENDENTES

MANUAL DO ALUNO (A) ATIVIDADES COMPLEMENTARES/ESTUDOS INDEPENDENTES A formação complementar é fruto da participação do aluno, durante o período de realização do seu curso superior, em atividades que não estão inseridas na grade curricular, mas que reconhecidamente contribuem

Leia mais

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS Ana Lúcia Cunha Duarte UCB duart_ana@hotmail.com Resumo: A prática investigativa desenvolvida no curso de Pedagogia do Centro de Educação,

Leia mais

O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UFSCar SOB O OLHAR DOS ALUNOS DA TURMA 2013 DO POLO DE FRANCA (SP)

O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UFSCar SOB O OLHAR DOS ALUNOS DA TURMA 2013 DO POLO DE FRANCA (SP) 1 O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UFSCar SOB O OLHAR DOS ALUNOS DA TURMA 2013 DO POLO DE FRANCA (SP) São Carlos - SP - maio/2015 Daniela Salgado Gonçalves da Silva - UFSCar - danisalgadoead@gmail.com Glauco

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA 1 Sumário APRESENTAÇÃO... 3 I - CARACTERIZAÇÃO... 5 II OBJETIVOS:... 6 III AS ATRIBUIÇÕES DA(O) ESTAGIÁRIA(O):... 7 IV - MODALIDADES

Leia mais

PESQUISA INSTITUCIONAL CAMPUS RIO DE JANEIRO. Cursos Técnicos Integrado ao Ensino Médio

PESQUISA INSTITUCIONAL CAMPUS RIO DE JANEIRO. Cursos Técnicos Integrado ao Ensino Médio PESQUISA INSTITUCIONAL CAMPUS RIO DE JANEIRO Cursos Técnicos Integrado ao Ensino Médio PESQUISA INSTITUCIONAL IFRJ - CAMPUS RIO DE JANEIRO CURSO TÉCNICO EM BIOTECNOLOGIA INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO 1 Capa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL AO ENSINO MÉDIO NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PROEJA Síntese dos

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura Física FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: (x) Presencial

Leia mais

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DADOS GERAIS DO CURSO DE PEDAGOGIA - CAMPUS DE SINOP

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DADOS GERAIS DO CURSO DE PEDAGOGIA - CAMPUS DE SINOP RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DADOS GERAIS DO CURSO DE PEDAGOGIA - CAMPUS DE SINOP PERÍODO: MARÇO DE 2009 A MARÇO DE 2012 1. APRESENTAÇÃO DO CURSO O curso de Pedagogia do Campus Universitário de Sinop foi

Leia mais

Pró-Reitora de Graduação da Universidade Federal de Goiás

Pró-Reitora de Graduação da Universidade Federal de Goiás Apresentação Prezados Professores e Acadêmicos Com o objetivo de consolidar a política de estágio da Universidade Federal de Goiás, a Pró-Reitoria de Graduação, por meio da Coordenação de Estágios, realizou

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E SOCIEDADE CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA Nova

Leia mais

LETRAS PESQUISA EXAME NACIONAL DE CURSOS

LETRAS PESQUISA EXAME NACIONAL DE CURSOS EXAME NACIONAL DE CURSOS Esta pesquisa é parte integrante do Exame Nacional de Cursos o Provão e tem por objetivo não só levantar informações que permitam traçar o perfil do conjunto de graduandos, mas

Leia mais

PROGRAMA E-TEC BRASIL CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA COORDENAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA A DISTÂNCIA

PROGRAMA E-TEC BRASIL CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA COORDENAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA A DISTÂNCIA PROGRAMA E-TEC BRASIL CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA COORDENAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA A DISTÂNCIA O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul de Minas, campus Muzambinho, disponibiliza

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA 11ª, 12ª e 13ª classes Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Ficha Técnica TÍTULO: Programa de Metodologia do Ensino de Educação

Leia mais

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO.

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. Grupo PET Administração Universidade Federal de Lavras UFLA Resumo Os jovens formam o conjunto

Leia mais

Pós graduação EAD Área de Educação

Pós graduação EAD Área de Educação Pós graduação EAD Área de Educação Investimento: a partir de R$ 109,00 mensais. Tempo de realização da pós graduação: 15 meses Investimento: R$109,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF). Ou

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A VISÃO DE ALGUMAS BOLSISTAS DO PIBID SOBRE SUA ATUAÇÃO EM CONTEXTOS EDUCACIONAIS INCLUSIVOS

Leia mais

Belém PA, Maio 2012. Categoria: Pesquisa e Avaliação. Setor Educacional: Educação Universitária. Macro: Sistemas e Instituições de EAD

Belém PA, Maio 2012. Categoria: Pesquisa e Avaliação. Setor Educacional: Educação Universitária. Macro: Sistemas e Instituições de EAD 1 A QUALIDADE DOS CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA: CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS E BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL UAB Belém PA, Maio 2012 Categoria: Pesquisa e Avaliação

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais 5.1. Conclusões A presente dissertação teve o objetivo principal de investigar a visão dos alunos que se formam em Administração sobre RSC e o seu ensino. Para alcançar esse objetivo,

Leia mais

Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional

Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional Faculdade Promove de Sete Lagoas 1.º-213 Sete Lagoas (MG) Membros da CPA Nome Segmento que representa Ludimila Tavares Rocha Silva Antônio Marcos de Oliveira

Leia mais

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS 1

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PROGRAMA NACIONAL ESCOLA DE GESTORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS

Leia mais

Títulos de Palestras, Oficinas ou Projetos Pedagógicos. Títulos de palestras para a formação continuada de professores:

Títulos de Palestras, Oficinas ou Projetos Pedagógicos. Títulos de palestras para a formação continuada de professores: Títulos de Palestras, Oficinas ou Projetos Pedagógicos Títulos de palestras para a formação continuada de professores: - O professor e a filosofia A valorização do papel do professor está intimamente ligada

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO ESTUDANTE

QUESTIONÁRIO DO ESTUDANTE Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Avaliação da Educação Superior Coordenação Geral do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CENTRO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTANCIA PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP 2007 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Licenciatura Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores ANÁLISES DE UM PROCESSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA EM UM CURSO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL NA MODALIDADE

Leia mais

NOVAS PROPOSTAS DE CURRÍCULOS DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA.

NOVAS PROPOSTAS DE CURRÍCULOS DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA. NOVAS PROPOSTAS DE CURRÍCULOS DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA. MODALIDADES: LICENCIATURA E BACHARELADO COM ATRIBUIÇÕES TECNOLÓGICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ (UFPI). Resumo Ana Lúcia Nunes Falcão de Oliveira

Leia mais

PROJETO SOCIAL CITY PETRÓPOLIS: NOVOS HORIZONTES NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

PROJETO SOCIAL CITY PETRÓPOLIS: NOVOS HORIZONTES NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA 369 PROJETO SOCIAL CITY PETRÓPOLIS: NOVOS HORIZONTES NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Jorge Leonardo Garcia (Uni-FACEF) Sílvia Regina Viel Rodrigues (Uni-FACEF) O Ensino da Matemática Hoje As aulas típicas

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O ESTÁGIO DE OBSERVAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E REGÊNCIA. 1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

ORIENTAÇÕES PARA O ESTÁGIO DE OBSERVAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E REGÊNCIA. 1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES ORIENTAÇÕES PARA O ESTÁGIO DE OBSERVAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E REGÊNCIA. 1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES O estágio tem como finalidade básica complementar a formação acadêmica dos educandos, permitindo-lhes o

Leia mais

Pedagogia Estácio FAMAP

Pedagogia Estácio FAMAP Pedagogia Estácio FAMAP # Objetivos Gerais: O Curso de Graduação em Pedagogia da Estácio FAMAP tem por objetivo geral a formação de profissionais preparados para responder às diferenciadas demandas educativas

Leia mais

O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NA MODALIDADE A DISTÂNCIA NO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA DA UFRPE

O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NA MODALIDADE A DISTÂNCIA NO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA DA UFRPE 1 O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NA MODALIDADE A DISTÂNCIA NO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA DA UFRPE Recife, maio/2010 Ana Paula Teixeira Bruno Silva Universidade Federal

Leia mais

Art. 1º Definir o ensino de graduação na UNIVILLE e estabelecer diretrizes e normas para o seu funcionamento. DA NATUREZA

Art. 1º Definir o ensino de graduação na UNIVILLE e estabelecer diretrizes e normas para o seu funcionamento. DA NATUREZA UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 07/04 Define o ensino de graduação na UNIVILLE e estabelece diretrizes e normas para seu funcionamento.

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE CÓDIGO DISCIPLINAS TEOR PRAT CHA PRÉ-REQUISITO PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO I ( INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA)

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE CÓDIGO DISCIPLINAS TEOR PRAT CHA PRÉ-REQUISITO PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO I ( INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA) Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA MATRIZ CURRICULAR FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO NAS QUATRO PRIMEIRAS SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL SERIADO ANUAL - NOTURNO 04 (QUATRO)

Leia mais

PROCESSO EDUCATIVO, DA SALA DE AULA À EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

PROCESSO EDUCATIVO, DA SALA DE AULA À EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA 1 PROCESSO EDUCATIVO, DA SALA DE AULA À EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Ariana Aparecida Soares Leonel 1 Ana Paula Ferreira 2 Natália Pereira Inêz 3 Frank José Silvera Miranda 4 RESUMO

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO Curso: Pedagogia PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Disciplina: Pedagogia de Projetos Carga Horária Semestral: 40 horas Semestre do Curso: 8º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceito de projeto. Concepções

Leia mais

CONCEPÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO INCLUSIVA MANTIDAS POR ESTUDANTES DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS DA UNESP DE MARÍLIA 1

CONCEPÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO INCLUSIVA MANTIDAS POR ESTUDANTES DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS DA UNESP DE MARÍLIA 1 CONCEPÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO INCLUSIVA MANTIDAS POR ESTUDANTES DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS DA UNESP DE MARÍLIA 1 Carla Cristina MARINHO 2. Sadao OMOTE 3. Faculdade de Filosofia e Ciências,

Leia mais

Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado

Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado Andréa Pereira de Souza Gestora da Formação Permanente na Secretaria Municipal de Educação do município de Mogi das Cruzes. Cintia

Leia mais

Centro Universitário Newton Paiva Curso de Psicologia. Manual de Estágios Currículo 2009.02

Centro Universitário Newton Paiva Curso de Psicologia. Manual de Estágios Currículo 2009.02 Centro Universitário Newton Paiva Curso de Psicologia Manual de Estágios Currículo 2009.02 Belo Horizonte Dezembro de 2009 1 FICHA TÉCNICA CORPO ADMINISTRATIVO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA Presidente

Leia mais

O ENSINO DA ARTE NO NÍVEL MÉDIO INTEGRADO AO TÉCNICO: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO DO CAMPO RESUMO

O ENSINO DA ARTE NO NÍVEL MÉDIO INTEGRADO AO TÉCNICO: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO DO CAMPO RESUMO O ENSINO DA ARTE NO NÍVEL MÉDIO INTEGRADO AO TÉCNICO: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO DO CAMPO Mara Pereira da Silva IFPA- CRMB pereiracantora1@hotmail.com RESUMO A pesquisa foi realizada mediante análise

Leia mais

a Resolução CONSEPE/UFPB nº. 34/2004, que orienta a elaboração e reformulação dos Projetos Políticos Pedagógicos dos Cursos de Graduação da UFPB;

a Resolução CONSEPE/UFPB nº. 34/2004, que orienta a elaboração e reformulação dos Projetos Políticos Pedagógicos dos Cursos de Graduação da UFPB; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 22 / 2007 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em, na modalidade

Leia mais

ANEXO I FORMULÁRIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMULÁRIO 1: COMISSÃO DE ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

ANEXO I FORMULÁRIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMULÁRIO 1: COMISSÃO DE ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCAÇÃO INFANTIL 1 ANEXO I FORMULÁRIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMULÁRIO 1: COMISSÃO DE ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL Nome Completo Cargo/Função Turno 1º 2º Integral

Leia mais

O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA

O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA SANTOS *, Josiane Gonçalves SME/CTBA josiane_2104@hotmail.com Resumo Os tempos mudaram, a escola mudou. Refletir sobre a escola na contemporaneidade

Leia mais

COMPOSIÇÃO CURRICULAR Seriado Semestral

COMPOSIÇÃO CURRICULAR Seriado Semestral Universidade Estadual da Paraíba - Centro de Educação- Campus I Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Resolução de Aprovação do Projeto Pedagógico UEPB/CONSEPE/35/99 Carga horária alterada de

Leia mais

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO 1 DA DEFINIÇÃO

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO 1 DA DEFINIÇÃO ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO DE RIO CLARO ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS REUNIDAS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO DE ADMINISTRAÇÃO GRADES 2008/2010 REGULAMENTO MARÇO 2012 (Substitui o regulamento

Leia mais

Curso de Formação A Abordagem do Atletismo na Educação Física. (Data de início: 22/05/2015 - Data de fim: 13/06/2015)

Curso de Formação A Abordagem do Atletismo na Educação Física. (Data de início: 22/05/2015 - Data de fim: 13/06/2015) Curso de Formação A Abordagem do Atletismo na Educação Física (Data de início: 22/05/2015 - Data de fim: 13/06/2015) I - Autoavaliação (realizada pelos formandos) A- Motivação para a Frequência da Ação

Leia mais

PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010

PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010 PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010 OBSERVAÇÃO NA ESCOLA Localização da Escola 29/03 16/04 Espaço Físico PPP e o Ensino de Ciências OBSERVAÇÃO NA SALA Relação Professor/Alunos

Leia mais

Av. Gen. Carlos Cavalcanti, 4748 - CEP 84030-900 - Tel. 0** (42) 220-3000 - Ponta Grossa Pr. - www.uepg.br

Av. Gen. Carlos Cavalcanti, 4748 - CEP 84030-900 - Tel. 0** (42) 220-3000 - Ponta Grossa Pr. - www.uepg.br CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Turno: MATUTINO/NOTURNO MATUTINO CURRICULO Nº 1 NOTURNO CURRICULO Nº 1 Reconhecido pelo Decreto nº 3.554 de 15.02.01, D.O.E. de 16.02.01. Renovação de Reconhecimento

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO PERÍODO: MARÇO DE 2009 A MARÇO DE 2012 CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS

MODELO DE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO PERÍODO: MARÇO DE 2009 A MARÇO DE 2012 CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS MODELO DE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO PERÍODO: MARÇO DE 2009 A MARÇO DE 2012 CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS APRESENTAÇÃO DO CURSO Caracterização geral do Curso de Ciências Econômicas da Unemat: Denominação

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA 1 RESOLUÇÃO/UEPB/CONSEPE/015/2011. UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA Aprova o Projeto Político Pedagógico do Curso de Graduação em Pedagogia/Primeira Licenciatura da Universidade Estadual da Paraíba. O

Leia mais

DOCUMENTO NORTEADOR PARA COMISSÕES DE AUTORIZAÇÃO E RECONHECIMENTO DE CURSO DE PEDAGOGIA

DOCUMENTO NORTEADOR PARA COMISSÕES DE AUTORIZAÇÃO E RECONHECIMENTO DE CURSO DE PEDAGOGIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DE ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DO ENSINO DE PEDAGOGIA

Leia mais

Área: Educação. Curso: Especialização lato sensu em Gestão Educacional. Apresentação: Público alvo: Objetivo: Carga horária: Horário:

Área: Educação. Curso: Especialização lato sensu em Gestão Educacional. Apresentação: Público alvo: Objetivo: Carga horária: Horário: Área: Educação Curso: Especialização lato sensu em Gestão Educacional Apresentação: A Escola Superior Batista do Amazonas (ESBAM) por meio da Coordenação de Pesquisa e Pós-Graduação oferece o Curso de

Leia mais

HISTÓRIA. 1. TURNO: Noturno HABILITAÇÃO: Licenciatura. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

HISTÓRIA. 1. TURNO: Noturno HABILITAÇÃO: Licenciatura. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos HISTÓRIA 1. TURNO: Noturno HABILITAÇÃO: Licenciatura GRAU ACADÊMICO: Licenciado em História PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 8 anos 2. OBJETIVO/PERFIL DO PROFISSIONAL A SER FORMADO A definição

Leia mais

CAMPUS BRUMADO DEPEN / COTEP P L A N O D E E N S I N O-APRENDIZAGEM. Manual de instruções. Prezado Professor e prezada Professora,

CAMPUS BRUMADO DEPEN / COTEP P L A N O D E E N S I N O-APRENDIZAGEM. Manual de instruções. Prezado Professor e prezada Professora, CAMPUS BRUMADO DEPEN / COTEP P L A N O D E E N S I N O-APRENDIZAGEM Manual de instruções Prezado Professor e prezada Professora, Apresentamo-lhes o modelo de Plano de Ensino-Aprendizagem para o Ensino

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática versus Estágio Supervisionado

Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática versus Estágio Supervisionado Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática versus Estágio Supervisionado O objetivo deste texto é destacar as principais atividades envolvendo o projeto pedagógico do curso de licenciatura

Leia mais

Formação Pedagógica de Assistentes de Economia uma experiência da Universidade Nova de Lisboa. Joana Marques Patrícia Rosado Pinto Patrícia Xufre

Formação Pedagógica de Assistentes de Economia uma experiência da Universidade Nova de Lisboa. Joana Marques Patrícia Rosado Pinto Patrícia Xufre Formação Pedagógica de Assistentes de Economia uma experiência da Universidade Nova de Lisboa Joana Marques Patrícia Rosado Pinto Patrícia Xufre Breve contextualização teórica Redefinição das linhas de

Leia mais

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 INSTITUIÇÃO PROPONENTE: Ministério da Educação CNPJ: 00.394.445/0124-52 SETOR RESPONSÁVEL PELO PROJETO: Secretaria de Educação Básica(SEB) ENDEREÇO: Esplanada dos Ministérios,

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA A ESCOLA INCLUSIVA

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA A ESCOLA INCLUSIVA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA A ESCOLA INCLUSIVA Vera Lúcia de Brito Barbos Mestranda em Educação Lúcia de Araújo R. Martins UFRN 1. INTRODUÇÃO Podemos considerar que estamos atravessando um dos maiores

Leia mais

RESULTADOS ALCANÇADOS

RESULTADOS ALCANÇADOS Política para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão 2.1. Coerência das políticas de ensino, pesquisa e extensão com os documentos oficiais. Objetivos Ações Realizadas RESULTADOS ALCANÇADOS

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA Turno: VESPERTINO Currículo nº 2 Reconhecido pelo Decreto nº. 3.598, de 14.10.08, D.O.E. nº 7.827 de 14.10.08, e complementação do reconhecimento pelo Decreto nº. 5.395,

Leia mais

PROJETO DE VIVÊNCIA 2016.1

PROJETO DE VIVÊNCIA 2016.1 FACULDADE PIO DÉCIMO LICENCIATURA EM QUÍMICA ENSINO DE QUÍMICA ÁREA 4 PROF a MARIA ANTÔNIA ARIMATÉIA FREITAS QUESTÃO 01 Com base na projeção da população brasileira para o período 2010-2040 apresentada

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA/IRATI - EAD (Currículo iniciado em 2010)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA/IRATI - EAD (Currículo iniciado em 2010) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA/IRATI - EAD (Currículo iniciado em 2010) COMUNICAÇÃO, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA C/H 68 (D0031/I) Informação e conhecimento no processo educativo. Recursos de

Leia mais

CURSO: EDUCAR PARA TRANSFORMAR. Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

CURSO: EDUCAR PARA TRANSFORMAR. Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Educação de Qualidade ao seu alcance EDUCAR PARA TRANSFORMAR O CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO: LICENCIATURA

Leia mais

PROJETO LÍNGUA DE FORA

PROJETO LÍNGUA DE FORA DESCRIÇÃO PROJETO LÍNGUA DE FORA O, de responsabilidade dos professores da disciplina de estágio supervisionado das línguas espanhola, francesa e inglesa, corresponde a 50 horas de estágio, das 200 horas

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

ANÁLISE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS ATRAVÉS DE EXPERIÊNCIAS NO PIBID/UFPA

ANÁLISE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS ATRAVÉS DE EXPERIÊNCIAS NO PIBID/UFPA ANÁLISE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS ATRAVÉS DE EXPERIÊNCIAS NO PIBID/UFPA Lilliane Miranda Freitas (Faculdade de Biologia/Universidade Federal do Pará) Resumo: Este trabalho tem como

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

PARECER DOS RECURSOS

PARECER DOS RECURSOS Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE Concurso Público de Ingresso no Magistério Público Estadual EDITAL Nº 21/2012/SED PARECER DOS RECURSOS CARGO: Conhecimentos Gerais 01) A Política

Leia mais

Informações gerais Colégio Decisão

Informações gerais Colégio Decisão 1 Informações gerais Colégio Decisão 2 Carta da Diretora Colégio Decisão Venha, que estamos de portas abertas para você. Carta da Direção Prezados país e responsáveis, A Organização de uma escola pede

Leia mais