INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES - IPG

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES - IPG"

Transcrição

1 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES - IPG CARTILHA PREVIDENCIÁRIA 2ª EDIÇÃO

2 Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. I João 4:8

3 APRESENTAÇÃO Prezados Servidores, Atualmente as informações estão cada vez mais ágeis, exigindo das instituições um empenho significativo para alcançar a excelência na implementação de seus serviços. Neste âmbito, não deixaremos de estar atentos à necessidade de melhoria dos serviços e informações a serem prestadas aos segurados e servidores do nosso Município. Com o passar dos anos e com o conhecimento técnico da matéria previdenciária, vimos que é preciso o esforço de todos para garantir futuramente uma vida digna para nossos aposentados e pensionistas, e benefícios justos a todos. Assim, é com grande satisfação que vimos por meio desta Cartilha informar e esclarecer as principais dúvidas pertinentes aos direitos previdenciários dos servidores do Município de Guarapari / ES, e também, de suas obrigações perante o Regime Previdenciário. O objetivo principal da Equipe do IPG é trabalhar na construção de um sistema de previdência eficaz, visando assegurar a todos os servidores e segurados uma aposentadoria, economicamente, sustentável e equilibrada. Saudações, José Augusto Ferreira de Carvalho Diretor Presidente do IPG 3

4 ÍNDICE Previdência no Brasil...05 Previdência Municipal...07 Regime de Previdência Municipal...08 Benefícios Previdenciários...11 Regras Atuais de Aposentadoria...12 Informações Importantes...20 Recadastramento e Censo Funcional...24 Fale com o IPG...25 Conheça mais sobre Previdência do Servidor Público...25 Expediente...26 Diretrizes do IPG

5 PREVIDÊNCIA NO BRASIL O que é a Seguridade Social? É um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da Sociedade destinados a assegurar os direitos relativos à Assistência Social, à Saúde e à Previdência Social, previstos na Constituição Federal que em seu título VIII (da Ordem Social) traz, entre os artigos 194 a 204, a base da regulamentação da Seguridade Social no Brasil. O artigo 194, em seu caput, determina que a Seguridade Social é composta por três pilares: Previdência Social: mecanismo público de proteção social e subsistência proporcionados, mediante contribuição, em um sistema de caráter contributivo e solidário; Assistência Social: política social de proteção gratuita aos necessitados; Saúde Pública: espécie da Seguridade Social (por efeito da Constituição) destinada a promover redução de risco de doenças e acesso a serviços básicos de saúde e saneamento. Como está organizada a Previdência no Brasil? A Previdência no Brasil está estruturada em 02 (dois) regimes previdenciários básicos, de caráter obrigatório e 01 (um) regime previdenciário de caráter complementar: Regime Geral de Previdência Social RGPS; Administrado pelo Instituto Nacional do Seguro Social INSS; Regimes Próprios de Previdência Social RPPS's; Administrado pelos Institutos Municipais e/ou Estaduais; Previdência Complementar Regime de Previdência Complementar RPC; 5

6 O que é RGPS? É o Regime Geral de Previdência Social obrigatório para todos os trabalhadores que exerçam atividades remuneradas as quais abrangem as empresas privadas, e todas as pessoas que trabalham por conta própria e contribuem para a previdência (INSS) são filiados obrigatórios do RGPS os ocupantes, exclusivamente, de cargo comissionado e contratados de forma temporária no serviço público. O que é RPPS? RPPS é o Regime Próprio de Previdência Social estabelecido no âmbito de cada ente federativo (União, Estados, Distrito Federal e Municípios) e assegura, por lei, ao servidor titular de cargo efetivo (cuja investidura tenha sido através de concurso público), pelo menos os benefícios de aposentadoria e pensão por morte, previstos no artigo 40 da Constituição Federal. O que é RPC? É o Regime de Previdência Complementar, cuja finalidade básica é complementar a aposentadoria do indivíduo, de modo que ele receba na inatividade o mesmo valor recebido quando estava no efetivo exercício laboral. 6

7 PREVIDÊNCIA MUNICIPAL O que é o IPG? O IPG é o Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Guarapari / ES, responsável pela Gestão do Regime Próprio de Previdência do Município de Guarapari. O Instituto, criado por força da Lei Municipal nº 1.825/1998 com vigência para início das atividades a partir de janeiro de 1999 e reestruturado pela Lei Municipal nº 2.542/2005, é uma Autarquia Municipal com personalidade jurídica própria e dispõe de autonomia administrativa, financeira e patrimonial. Sua estrutura organizacional é formada pelo Conselho Municipal de Previdência - CMP e por uma Diretoria Executiva. O CMP é um órgão colegiado composto por 06 (seis) membros, encarregado de acompanhar e fiscalizar a administração do IPG, sendo garantida a participação de representantes dos servidores públicos ativos e inativos, como forma de assegurar o envolvimento dos segurados nas discussões em temas relacionados ao interesse coletivo. A Diretoria Executiva é composta por 03 (três) membros Diretor Presidente, Diretor Administrativo e Financeiro e Diretor de Benefícios que deverão, obrigatoriamente, ser segurados do RPPS. 7

8 8 Regime de Previdência Municipal Quem administra o Regime Próprio de Previdência Social RPPS dos servidores públicos no Município de Guarapari? É o INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES IPG, que é uma Autarquia Municipal, com personalidade jurídica de Direito Público Interno, o qual possui autonomia administrativa e financeira criada pela Lei Municipal nº 1.825/1998, reformulada pela Lei nº 2.542/2005. Quais são os servidores filiados e segurados pelo IPG - RPPS? Atendendo a determinação do art. 40 da Constituição Federal, somente os servidores públicos titulares de cargo efetivo podem estar vinculados ao RPPS, ou seja, no âmbito do Município de Guarapari apenas os servidores efetivos pertencentes aos quadros dos Poderes Executivo e Legislativo, Autarquias e Fundações Públicas. De onde vem os recursos para o pagamento dos benefícios previdenciários do IPG? Os recursos do IPG se originam de: contribuição previdenciária dos segurados ativos, aposentados e pensionistas; contribuição patronal compulsória dos Poderes Executivo e Legislativo, Autarquias e Fundações Públicas; receitas oriundas de compensação previdenciária; rendimento das aplicações financeiras dos recursos previdenciários pertencentes ao IPG.

9 Por que devo contribuir com a alíquota de 11% (onze por cento) sobre o meu salário para o IPG? O servidor ativo deverá, compulsoriamente, contribuir com 11% (onze por cento) sobre a sua remuneração mensal no cargo efetivo, inclusive sobre o 13º salário. Esta alíquota é definida pelo artigo 4º da Lei Federal nº /2004. Como é feita a base de cálculo da contribuição? As parcelas que compõem a base de cálculo da contribuição, definidas por lei são: cargo efetivo, vantagens pessoais e demais vantagens incorporadas ou incorporáveis de natureza permanente e não transitória. Existe contribuição do servidor inativo e pensionista ao IPG? Sim, os servidores inativos e pensionistas contribuirão com 11% (onze por cento) sobre a parcela que ultrapassar o teto de benefícios pagos pelo RGPS / INSS. Quem administra o IPG? O IPG é administrado por uma Diretoria Executiva composta por 03 (três) membros: Diretor Presidente deverá possuir formação em nível superior e possuir, no mínimo, 10 (dez) anos de efetivo exercício no serviço público municipal de Guarapari e experiência administrativo-financeira na área pública; Diretor de Benefícios; Diretor Administrativo e Financeiro. Todos os ocupantes destes cargos devem, obrigatoriamente, ser servidores efetivos da Municipalidade. 9

10 Quem fiscaliza o IPG? O Ministério da Previdência Social MPS, o Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo TCE/ES e o Conselho Municipal de Previdência CMP. O que é o Conselho Municipal de Previdência? É um órgão colegiado consultivo e deliberativo encarregado de acompanhar e fiscalizar a administração do IPG. Como é constituído o Conselho Municipal de Previdência? O CMP é composto por 06 (seis) membros, escolhidos da seguinte forma: 02 (dois) representantes do Poder Executivo; 01 (um) representante do Poder Legislativo; 03 (três) representantes dos segurados e beneficiários do RPPS, sendo 02 (dois) representantes dos servidores em atividade e 01 (um) representante dos servidores inativos e pensionistas. 10

11 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Quais são os benefícios concedidos pelo IPG? Quanto ao servidor: aposentadoria por tempo de contribuição; aposentadoria por idade; aposentadoria por invalidez; aposentadoria compulsória. Quanto ao dependente: pensão por morte. Legislação aplicável art. 40 da Constituição Federal; EC 20/1998, 41/2003, 47/2005 e 70/2012; Lei Federal nº 9.717/1998; Lei Federal nº /2004; Instruções Normativas (MPS); Legislação pertinente ao Município ; Leis nº 2.542/2005 e nº 3.024/2009 Decreto Municipal nº 355/2008 Instruções Normativas IPG nº 01/2013, 02/2013, 03/2013 e 04/

12 REGRAS ATUAIS DE APOSENTADORIA REGRAS PARA APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO E IDADE: REGRA PERMANENTE Art. 40 da Constituição Federal Requisitos e Critérios: Idade Mínima: 60 (H) e 55 (M). Tempo de Contribuição Integral: 35 (H) e 30 (M). Proporcional Por Idade: 65 anos (H) e 60 anos (M). Tempo no Cargo da Aposentadoria: 05 anos. Tempo no Serviço Público: 10 anos. Obs.: Para o cargo de Professor exclusivamente em sala de aula, os requisitos de idade e tempo de contribuição serão reduzidos em 05 (cinco) anos. Respaldo Legal: Art. 40, 1, inciso III, alínea a da Constituição Federal. Exclusivamente Magistério: Art. 40, 1, inciso III, alínea "a e 5 da Constituição Federal. Grupo de Beneficiários: Regra acessível a todos os servidores ocupantes de cargo efetivo. Os servidores que ingressaram no serviço público após 31/12/2003, somente terão acesso a esta opção. Forma de Cálculo: Pela Média. Forma de Reajuste: Por Lei, com isonomia temporal do RGPS. Abono de Permanência: Sim. 12

13 REGRA ESPECIAL I Art. 6º da Emenda Constitucional nº 41/2003 Requisitos e Critérios: Idade Mínima: 60 (H) e 55 (M). Tempo de Contribuição Integral: 35 (H) e 30 (M). Tempo no Cargo da Aposentadoria: 05 anos. Tempo de Carreira: 10 anos. Tempo no Serviço Público: 20 anos. Obs.: Para o cargo de Professor exclusivamente em sala de aula, os requisitos de idade e tempo de contribuição serão reduzidos em 05 (cinco) anos. Respaldo Legal: Art. 6, incisos I, II, III e IV, e art. 7 da Emenda Constitucional n 41/2003. Exclusivamente Magistério: Art. 6, incisos I, II, III e IV, art. 7 da Emenda Constitucional n 41/2003 e art. 40, 5º da Constituição Federal. Grupo de Beneficiários: Os servidores ocupantes de cargo efetivo admitido até 31/12/2003. Forma de Cálculo: Regra da integralidade. Forma de Reajuste: Paridade Total. Abono de Permanência: Não. REGRA ESPECIAL II Art. 3º da Emenda Constitucional nº 47/2005 Requisitos e Critérios: Tempo de Contribuição Integral: 35 (H) e 30 (M). Tempo no Cargo da Aposentadoria: 05 anos. Tempo de Carreira: 15 anos. Tempo no Serviço Público: 25 anos. Respaldo Legal: Art. 3, inciso I, II e III, único da Emenda Constituição n 47/2005. Idade Mínima: Será resultante da redução em 01 ano relativa a 60 anos. 13

14 Contribuição (H) e 55 (M) para cada ano contribuído a mais, além do previsto no tempo de contribuição mínima (35 / 30). Grupo de Beneficiários: Os servidores ocupantes de cargo efetivo admitido até 16/12/1998. Forma de Cálculo: Regra da integralidade. Forma de Reajuste: Paridade Total. Abono de Permanência: Não. Demonstrativo Tempo de Contribuição HOMEM MULHER Tempo Idade Tempo Idade Mínima Contribuição Mínima REGRA DO DIREITO ADQUIRIDO Art. 3º da Emenda Constitucional nº 41/2003 Requisitos e Critérios: Idade Mínima: 60 (H) e 55 (M). Tempo de Contribuição Integral: 35 (H) e 30 (M). Tempo no Cargo: 05 anos. Tempo de Serviço Público: 10 anos. Respaldo Legal: Art. 3º da Emenda Constitucional n 41/2003 (art. 40, 1, inciso III, alínea a da Constituição Federal. 14

15 Exclusivamente Magistério: Art. 3º da Emenda Constitucional n 41/2003 (art. 40, 1, inciso III, alínea a e 5 da Constituição Federal. Idade Mínima: 53 (H) e 48 (M). Tempo de Contribuição Integral: 35 (H) e 30 (M). Pedágio de 20%. Para o professor mulher incremento de 20% e homem 17% sobre o tempo de Contribuição. Respaldo Legal: Art. 3º da Emenda Constitucional n 41/2003 (art. 8, inciso I, II, III, alínea a e b da Emenda Constitucional n 20/1998). Exclusivamente Magistério: Art. 3º da Emenda Constitucional n 41/2003 (art. 8, inciso I, II, III, alínea a e b e 4 da Emenda Constitucional n 20/1998). Tempo de Contribuição Proporcional: 30(H) e 25 (M) Pedágio de 40%. Para o professor mulher incremento de 20% e homem 17% sobre o tempo de Contribuição. Respaldo Legal: Art. 3º da Emenda Constitucional n 41/2003 (art. 8, inciso I,II, 1 em seu inciso I, alínea a e b e inciso II, 4º da Emenda Constitucional n 20/1998). Exclusivamente Magistério: Art. 3º da Emenda Constitucional n 41/2003 (art. 8, inciso I, II, 1 em seu inciso I, alínea a e b, inciso II e 4, da Emenda Constitucional n 20/1998). Proporcional Por Idade: 65 anos (H) e 60 anos (M). Tempo no Cargo: 05 anos. Respaldo Legal: Art. 3 da Emenda Constitucional n 41/2003 (art. 40, 1, inciso III, alínea b da Constituição Federal de Grupo de Beneficiários: Os servidores ocupantes de cargo efetivo admitido até 16/12/98 e com 100% dos requisitos e critérios completados até 31/12/2003. Forma de Cálculo: Regra da integralidade. 15

16 Forma de Reajuste: Paridade Total. Abono de Permanência: Sim. REGRA DE TRANSIÇÃO Art. 2º da Emenda Constitucional nº 41/2003 Requisitos e Critérios: Idade Mínima: 53 (H) e 48 (M). Tempo de Contribuição Integral: 35 (H) e 30 (M). Pedágio de 20%. Para o professor mulher incremento de 20% e homem 17% sobre o tempo de contribuição. Tempo no Cargo: 05 anos. Respaldo Legal: Art. 2, inciso I, II e III, alíneas a e b, 1, inciso I (ou II) da Emenda Constitucional n 41/2003. Grupo de Beneficiários: Os servidores ocupantes de cargo efetivo admitido até 16/12/98. Forma de Cálculo: Pela média. Fator redutor para cada ano antecipado em relação à idade de 60 anos (H) e 55 (M) na proporção: Servidores que completarem os requisitos até 31/12/2005, sofrerão redução de 3,5% por ano antecipado na aposentadoria. Servidores que completarem os requisitos após 31/12/2005, sofrerão redução de 5% por cada ano antecipado na aposentadoria. Forma de Reajuste: Por Lei, com isonomia temporal com o RGPS. Abono de Permanência: Sim. 16

17 REGRAS PARA APOSENTADORIA COMPULSÓRIA Grupo de Beneficiários: A CF determina que o servidor afastar-se-á de suas atividades depois de completados 70 (setenta) anos de idade, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição. Respaldo Legal: Art. 40, 1, inciso II, alínea a da Constituição Federal. Forma de Cálculo: Pela média. Forma de Reajuste: Por Lei, com isonomia temporal com o RGPS. REGRAS PARA APOSENTADORIA POR INVALIDEZ Aplica-se aos servidores declarados pela Pericia Médica Municipal inválido permanentemente para o serviço público, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição, exceto se decorrente de acidente em serviço, moléstia profissional ou doenças graves, contagiosas ou incuráveis na forma da Lei e através de avaliação pericial. Grupo de Beneficiários: Os servidores ocupantes de cargo efetivo, admitidos antes de 31/12/2003. Respaldo Legal: Emenda Constitucional nº 070/2012. Forma de Cálculo: Paridade Total. Grupo de Beneficiários: Os servidores ocupantes de cargo efetivo, admitidos após 31/12/2003, Respaldo Legal: Art. 40, 1, inciso I da Constituição Federal (combinado com a Lei Municipal nº 2.542/2005). Forma de Cálculo: Pela média. REGRAS PARA CONCESSÃO DE PENSÃO POR MORTE Em caso de morte do segurado aposentado ou não, os dependentes receberão uma pensão com valor correspondente ao da remuneração ou proventos desse segurado até o limite máximo estabelecido para os benefícios do RGPS, acrescido de 70% (setenta 17

18 por cento) da parcela excedente a este limite. O valor da pensão será dividido em partes iguais entre todos os dependentes com direito à pensão. Quem pode ser dependente? o cônjuge na constância do casamento; companheiro(a) mediante prova judicial; filho ou equiparado (enteado e menor sob tutela) não emancipados, menores de 21 (vinte e um) anos; filho inválido, cuja invalidez ocorra até 21 (vinte e um) anos, desde que reconhecida ou comprovada pela Perícia Médica Oficial do Município; os pais, desde que comprovem dependência econômica mediante prova judicial; o irmão não emancipado menor de 21 (vinte e um) anos, desde que comprove dependência econômica do segurado, mediante comprovação judicial. Irmão inválido, cuja invalidez ocorra até 21 (vinte e um) anos, desde que reconhecida ou comprovada pela Perícia Médica Oficial do Município e mediante comprovação judicial de dependência econômica. Base Legal: Artigos 14 a 18 da Lei Municipal nº 2.542/2005. Onde e quando deve ser feita a inscrição do dependente? Para os servidores ativos, a inscrição do dependente deverá ser feita diretamente na Gerência de Recursos Humanos. Quando for servidor inativo, deverá ser feita diretamente no IPG. Esta poderá ser feita a qualquer momento ou quando ocorrer o fato que justifique a inscrição do dependente mediante o fornecimento de dados e cópias de que comprovem a qualidade legal de dependente. 18

19 Quais os documentos necessários para a inscrição de dependente? cônjuge e filhos: certidões de casamento e de nascimento atualizadas; companheira ou companheiro: termo de justificação judicial de reconhecimento da união estável; filho menor de 21 (vinte e um) anos: certidão de nascimento; filho inválido: certidão de nascimento e laudo atestando a invalidez com data da época de constatação da invalidez; enteado: certidão de nascimento do dependente e de casamento do segurado(a) ou provas da união estável entre o segurado(a) e o(a) genitor(a) desse enteado; menor sob tutela: documento de tutela e certidão de nascimento do dependente tutelado; pais: certidão de nascimento do segurado e documentos de identidade de seus pais, acompanhado de justificação judicial de dependência econômica; irmão, não emancipado, menor de 21 (vinte e um) anos: certidão de nascimento, acompanhado de justificação judicial de dependência econômica; irmão inválido antes dos 21 (vinte e um) anos: certidão de nascimento, laudo com parecer da Equipe Médica Pericial do Município e acompanhado de justificação judicial de dependência econômica. 19

20 INFORMAÇÕES IMPORTANTES Pode ser utilizado tempo de contribuição do INSS-RGPS para se aposentar pelo IPG-RPPS? Sim, os servidores públicos Federais, Estaduais, Municipais ou do Distrito Federal podem utilizar o tempo de contribuição referente ao período que trabalharam vinculados ao INSS- RGPS para se aposentar no setor público. Do mesmo modo, segurados do INSS que, em alguma época, trabalharam no serviço público podem incluir esse período na contagem de seu tempo de contribuição, através de averbação. Essa possibilidade de transferência entre regimes de previdência é conhecida como Contagem Recíproca do Tempo de Contribuição. Como faço para requerer a averbação do tempo de contribuição? Para requerer a contagem recíproca e averbar o tempo de contribuição de Regime distinto, o servidor público deve solicitar junto ao INSS a Certidão de Tempo de Contribuição - CTC, cujo documento comprova todo o período trabalhado com vinculação ao RGPS, depois é só averbar esse tempo no setor de Recursos Humanos do órgão público onde trabalha, a qualquer momento. Da mesma forma, o segurado do INSS que trabalhou no setor público solicita a CTC ao setor de Recursos Humanos do órgão onde trabalhou ou no RPPS do Município. Em qual situação sou obrigado a averbar o tempo de INSS junto ao IPG? O período de tempo que o servidor trabalhou junto ao Município de Guarapari com recolhimento para o INSS; e, que tenha servido de base para cômputo das vantagens pessoais deve, obrigatoriamente, ser averbado junto ao IPG. 20

21 Quando posso pedir a Certidão de Tempo de Contribuição CTC do IPG-RPPS? Segundo o artigo 12 da Portaria MPS nº 154/2008, a CTC só pode ser emitida para exservidor. Como será feito o cálculo da aposentadoria que considera a média das remunerações de contribuição? Devem ser observados os seguintes passos: levantamento das remunerações que serviram de base para as contribuições do servidor ao longo de sua vida profissional, aos regimes de previdência a que esteve vinculado - RGPS e RPPS -, a partir da competência de julho/1994 ou desde a competência do início da contribuição do servidor, se posterior a julho/1994; atualização monetária dessas remunerações, mês a mês, de acordo com a variação integral do índice fixado para a atualização dos salários de contribuição utilizados para o cálculo dos benefícios do RGPS/INSS, divulgado em Portaria do Ministério da Previdência Social; considera-se, então, 80% das maiores remunerações do período apurado e aplica-se a média aritmética simples (soma dos valores das remunerações escolhidas dividido pelo número de meses). O resultado é o valor do benefício da aposentadoria. IMPORTANTE: Por ocasião de sua concessão, o valor do benefício não poderá exceder o valor da remuneração do respectivo servidor no cargo efetivo em que se der a aposentadoria. 21

22 O que é o Abono de Permanência? É o valor equivalente à contribuição previdenciária do servidor que terá o direito de recebê-la ao completar as exigências para a aposentadoria voluntária por tempo de contribuição, desde que opte por permanecer em atividade. O servidor fará jus ao abono de permanência até completar as exigências para a aposentadoria compulsória. Em outras palavras, quer dizer que o servidor continuará contribuindo com 11% para o RPPS e o Município ressarcirá ao servidor este valor. Onde posso requerer o Abono de Permanência? O servidor deverá preencher um requerimento junto ao IPG para obtenção do abono. Os recursos previdenciários poderão ser utilizados para o pagamento de assistência médica? Não. Os recursos previdenciários somente poderão ser utilizados para o pagamento dos benefícios previdenciários, devendo, inclusive, esses recursos serem depositados em conta distinta da conta corrente do Município. É permitida a realização de empréstimos com recursos do IPG? Não, nem aos segurados e nem ao Poder Público. A legislação federal proíbe a utilização de recursos do RPPS para outros fins que não exclusivamente previdenciários, ressalvada a despesa administrativa da Unidade Gestora do regime próprio. 22

23 Qual a situação previdenciária do servidor à disposição? O servidor titular de cargo efetivo cedido a outro Ente da Federação, com ou sem ônus, permanecerá vinculado ao IPG RPPS e contribuindo sobre o cargo efetivo. Qual a situação previdenciária do servidor afastado por licença sem vencimentos? O servidor afastado por licença sem vencimentos poderá pagar, junto ao IPG o valor da contribuição de 11% do vencimento do cargo efetivo, observando que também ficará responsável pelo valor da Contribuição Patronal de 16%. As contribuições feitas, nesses casos, somente, serão consideradas para cálculo de tempo de contribuição com fins previdenciários. O que é integralidade? É o direito que o servidor tem de se aposentar com o valor da última remuneração que recebia em atividade, limitado ao valor do seu cargo efetivo. O que é paridade? É como se dá o reajuste dos proventos dos aposentados e pensionistas a que tem direito o servidor, dependendo da regra de transição que fundamentou seu benefício. Os proventos de aposentadoria dos servidores públicos titulares de cargo efetivo e as pensões de seus dependentes serão revistos na mesma proporção e na mesma data, sempre que se modificar a remuneração dos servidores em atividade, sendo também estendidos aos aposentados e pensionistas quaisquer benefícios ou vantagens posteriormente concedidos aos servidores em atividade, inclusive, quando decorrentes da transformação ou reclassificação do cargo ou função em que se deu a aposentadoria, ou que serviu de referência para a concessão da pensão. 23

24 Em quanto tempo o benefício de aposentadoria ou pensão é concedido após requerido via processo no IPG? O processo de concessão de aposentadoria ou pensão inicia com o requerimento da parte interessada no setor de protocolo do IPG, onde entregará toda documentação necessária e o requerimento preenchido junto ao Departamento de Benefícios do IPG, tendo como prazo de até 20 (vinte) dias para análise e envio do processo ao setor competente para publicação da Portaria no Diário Oficial. A partir da publicação, o IPG efetua a inclusão do benefício na folha de pagamento e encaminha o processo ao Tribunal de Contas do Estado para homologação. Conheça o fluxo do processo: Protocolo IPG Segurado Análise Cadastral Cálculo de Benefício Legalidade Deliberação Pagamento Publicação TCE Homologação Recadastramento e Censo Funcional: O servidor inativo e pensionista deverá comparecer a sede do IPG anualmente no mês de seu aniversário para realizar o recadastramento previdenciário, sob pena de suspensão de seus proventos, conforme prevê a Instrução Normativa IPG nº 04/

25 FALE COM O IPG Quais são os meios de contato com o IPG? Os contados com o IPG podem ser feitos, pessoalmente, na Rua Alencar Moraes de Resende, 55, Bairro Jardim Boa Vista, CEP.: , pelo site ou pelos telefones (27) / Conheça mais sobre a previdência do servidor público: Para obter mais informações sobre a previdência dos servidores públicos, acesse os seguintes sites: Ministério da Previdência Social Associação Brasileira de Instituições de Previdência Estaduais e Municipais ABIPEM - Associação Nacional de Entidades de Previdência Municipal ANEPREM Associação Capixaba de Instituto de Previdência ACIP Referência de elaboração desta cartilha: Instituto de Previdência do Município de Vitória / ES IPAMV; Instituto de Previdência Município de Itapemirim / ES IPREVITA; Instituto de Previdência do Estado do Espírito Santo IPAJM. 25

26 EXPEDIENTE Prefeito Orly Gomes da Silva Diretoria Executiva Diretor Presidente José Augusto Ferreira de Carvalho Diretor Administrativo e Financeiro Attila Teixeira Fialho Diretora de Benefícios Márcia Henriques Motta Freitas Conselho Municipal de Previdência Márcio José Siqueira Pinheiro Presidente Alcione Lima Borges Aurelice Vieira Souza Inaldo Brambati Jorge Figueiredo Gonçalves José Luiz dos Santos Equipe do IPG Graciela Viera de Resende Jacinta Meriguete Costa Leonard Rocha Lannes Marleno Medeiros Oliveira Priscilla Fosse Faria Costa Rita de Cassia Nossa de Almeida Romilson Travezani 26

27 DIRETRIZES DO IPG VISÃO Ser referência na gestão e prestação de serviços previdenciários, garantindo a sustentabilidade dos Fundos Previdenciário, Financeiro e Capitalizado, bem como o pleno atendimento dos beneficiários. MISSÃO Atuar de forma responsável em uma gestão democrática e participativa, captando e capitalizando recursos para fortalecer o futuro dos segurados e seus dependentes. VALORES Ética na gestão de recursos públicos; Valorização do servidor público; Autonomia administrativa, financeira e patrimonial; Dignidade do beneficiário. 27

28 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES - IPG Rua Alencar Moraes de Rezende, 55 Bairro Jardim Boa Vista - CEP Guarapari - ES Tel.: hp:

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 1. NOVAS REGRAS PARA OS SERVIDORES QUE INGRESSAREM NO SERVIÇO PÚBLICO APÓS A PROMULGAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA EC Nº 41/03. a) Principais Características. - fim da paridade

Leia mais

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES.

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES. Fortalecendo o Futuro! PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES. ======================== Informações aos Segurados. ======================== 1 Apresentação Este manual foi elaborado

Leia mais

Regime Próprio de Previdência Social

Regime Próprio de Previdência Social Regime Próprio de Previdência Social Regime Próprio de Previdência Social RPPS é o regime de previdência, estabelecido no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios que assegura,

Leia mais

eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB

eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB INATIVAÇÃO DOS SERVIDORES PÚBLICOS Eduardo Matta Milton da Silveira Diretor de Administração dos Benefícios Previdenciários eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB O que vou levar? Como

Leia mais

Regras de Aposentadorias e Pensões

Regras de Aposentadorias e Pensões Seguridade Social: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e

Leia mais

CARTILHA DOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DOS SERVIDORES

CARTILHA DOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DOS SERVIDORES I IPSEMC - INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE CABEDELO ESTADO DA PARAÍBA Site: www.ipsemc.pb.gov.br E-mail: ipsemc@ipsemc.pb.gov.br CARTILHA DOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DOS SERVIDORES

Leia mais

MÓDULO RPPS ItabiraPrev. Instituto de Previdência de Itabira Lei Municipal nº 4.456, de 30/08/2011

MÓDULO RPPS ItabiraPrev. Instituto de Previdência de Itabira Lei Municipal nº 4.456, de 30/08/2011 MÓDULO RPPS Instituto de Previdência de Itabira Lei Municipal nº 4.456, de 30/08/2011 Regimes Previdenciários Art. 194, CF/1988 RGPS Regime Geral de Previdência Social RPPS Regime Próprio de Previdência

Leia mais

PREVIDENCIA SOCIAL ASPECTOS GERAIS SOBRE RPPS. RPPS Consult Consultoria e Assessoria em RPPS

PREVIDENCIA SOCIAL ASPECTOS GERAIS SOBRE RPPS. RPPS Consult Consultoria e Assessoria em RPPS PREVIDENCIA SOCIAL ASPECTOS GERAIS SOBRE RPPS RPPS Consult Consultoria e Assessoria em RPPS O que é Previdência Social? Previdência Social é que um seguro que o indivíduo faz durante o período em que está

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Prezado servidor,

APRESENTAÇÃO. Prezado servidor, 1 3 5 APRESENTAÇÃO Prezado servidor, A Lei Municipal nº 5.111 de 23 de novembro de 2010 criou o AMERIPREV, que é o responsável pela gestão do RPPS, Regime Próprio de Previdência Social do Servidor Público

Leia mais

http://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei%20complementar/2007/lei%20compl...

http://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei%20complementar/2007/lei%20compl... Page 1 of 6 LEI COMPLEMENTAR Nº 1.012, DE 05 DE JULHO DE 2007 Altera a Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978; a Lei nº 10.261, de 28 de outubro de 1968; a Lei Complementar nº 207, de 5 de janeiro

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988 MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL MPS SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL SPPS DEPARTAMENTO DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO DRPSP COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA, ATUÁRIA, CONTABILIDADE

Leia mais

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS INGRESSO NO SERVIÇO PÚBLICO ATÉ 19 DE DEZEMBRO DE 2003 TIPO DE Professora

Leia mais

Críticas e sugestões através do nosso e-mail: iprevi1@hotmail.com

Críticas e sugestões através do nosso e-mail: iprevi1@hotmail.com 1 CARTILHA DO SEGURADO 1. MENSAGEM DA DIRETORA PRESIDENTE Esta cartilha tem como objetivo dar orientação aos segurados do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Itatiaia IPREVI,

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS MANUAL DE. www.santos.sp.gov.br. Manual de Benefícios Previdênciários. CURTA /PrefeituraSantos. INSCREVA-SE /santoscidade

BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS MANUAL DE. www.santos.sp.gov.br. Manual de Benefícios Previdênciários. CURTA /PrefeituraSantos. INSCREVA-SE /santoscidade MANUAL DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS www.santos.sp.gov.br CURTA /PrefeituraSantos SIGA /santos_agora INSCREVA-SE /santoscidade 1 Apresentação A convivência diária com o servidor público municipal, integrante

Leia mais

REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS

REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS Teresina PI (06.12.2012) MPS Ministério da Previdência Social REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS Secretaria de Políticas de Previdência Social DEFINIÇÃO Previdência Social é que um seguro que

Leia mais

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES PROCEDIMENTO FORMULÁRIOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Passagem do servidor da atividade

Leia mais

Conhecendo o IPMDC. Departamento de Benefícios. Diego Lafaiete Courty Leite Técnico Previdenciário

Conhecendo o IPMDC. Departamento de Benefícios. Diego Lafaiete Courty Leite Técnico Previdenciário Conhecendo o IPMDC Departamento de Benefícios Diego Lafaiete Courty Leite Técnico Previdenciário O Departamento: Responsável pela concessão e revisão dos benefícios previdenciários do IPMDC; Responsável

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIAS

REGRAS DE APOSENTADORIAS REGRAS DE APOSENTADORIAS Cartilha elaborada para reunião com servidores de Betim - Maio/2015 O IPREMB O IPREMB é uma autarquia que operacionaliza e administra o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS)

Leia mais

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio.

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio. ESPÉCIES DE BENEFÍCIOS PARA OS SEGURADOS 1. APOSENTADORIA Aposentadoria por Invalidez No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para

Leia mais

A respeito do regime geral de previdência social, julgue os itens a seguir.

A respeito do regime geral de previdência social, julgue os itens a seguir. XX. (Auditor Governamental/CGE-PI/CESPE/2015): Direito Previdenciário A respeito do regime geral de previdência social, julgue os itens a seguir. 64. A dependência econômica do irmão menor de 21 anos de

Leia mais

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA 1. INTRODUÇÃO A previdência social no Brasil pode ser divida em dois grandes segmentos, a saber: Regime Geral de Previdência Social (RGPS):

Leia mais

Abono de Permanência. Modalidades de Aposentadoria. Contribuição Previdenciária do Servidor Inativo

Abono de Permanência. Modalidades de Aposentadoria. Contribuição Previdenciária do Servidor Inativo 1 Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Gestão de Pessoas Departamento de Administração de Pessoal Divisão de Análise de Processos e Administração de Benefícios SUMÁRIO ABONO

Leia mais

REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA NA UNIÃO, ESTADOS E MUNICÍPIOS LEGISLAÇÃO E GESTÃO

REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA NA UNIÃO, ESTADOS E MUNICÍPIOS LEGISLAÇÃO E GESTÃO MPS SPS Ministério da Previdência Social Secretaria de Previdência Social REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA NA UNIÃO, ESTADOS E MUNICÍPIOS LEGISLAÇÃO E GESTÃO São Gonçalo/RJ- Dez/2005 ESTRUTURA DO SISTEMA

Leia mais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais Secretaria de Estudos, Pesquisas e Políticas Públicas e Secretaria de Formação Política e Sindical. SINDICATO DOS TRABALHADORES

Leia mais

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA CARTILHA PREVIDENCIÁRIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES - IPREM IPREM Instituto de Previdência Municipal APRESENTAÇÃO Prezado Servidor, A Lei Complementar nº 35 de 05 de julho de

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES RECADASTRAMENTO GERAL - 2015

PERGUNTAS FREQUENTES RECADASTRAMENTO GERAL - 2015 PERGUNTAS FREQUENTES RECADASTRAMENTO GERAL - 2015 O que é o Recadastramento? Quem deve se recadastrar? Quem está afastado também deve se recadastrar? Quem NÃO deve se recadastrar? Quando realizar o recadastramento?

Leia mais

A PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO

A PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Previdência Social A PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO SALVADOR-BA, 17 DE JULHO DE 2004 PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO RPPS INSTITUÍDOS NO BRASIL Possibilidade

Leia mais

APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO

APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO Dra. Thais Riedel Apresentação Palestrante Formação Acadêmica: Faculdade de Direito Faculdade de Ciências Políticas Especialização em Processo Civil Especialização

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA APRESENTAÇÃO A equipe do Instituto de Previdência Municipal de São Gonçalo do Amarante - IPREV apresenta a

Leia mais

Senado Federal Subsecretaria de Informações

Senado Federal Subsecretaria de Informações Senado Federal Subsecretaria de Informações Data 19/12/2003 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41 Modifica os arts. 37, 40, 42, 48, 96, 149 e 201 da Constituição Federal, revoga o inciso IX do 3º do art. 142 da

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA ESTUDO ESTUDO QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Cláudia Augusta Ferreira Deud Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO ABRIL/2007 Câmara dos Deputados

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO

DIREITO PREVIDENCIÁRIO 1. Da Previdência Social DIREITO PREVIDENCIÁRIO Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios que preservem

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARUJÁ GUARUJÁ PREVIDÊNCIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARUJÁ GUARUJÁ PREVIDÊNCIA PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARUJÁ GUARUJÁ PREVIDÊNCIA Cartilha dos Direitos Previdenciários dos Servidores Públicos do Município de Guarujá Atualizada até a Emenda 70 de 29 de março de 2012 Caro servidor

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Emendas Constitucionais Emendas Constitucionais de Revisão Ato das Disposições

Leia mais

MÓDULO DELIBERAÇÃO nº 260/2013 ARQUIVOS DE IMPORTAÇÃO. (para servidores militares)

MÓDULO DELIBERAÇÃO nº 260/2013 ARQUIVOS DE IMPORTAÇÃO. (para servidores militares) TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO nº 260/2013 ARQUIVOS DE IMPORTAÇÃO (para servidores militares) VERSÃO 2014 Layout para a importação

Leia mais

MANUAL DO SERVIDOR APOSENTÁVEL. Servidor, este manual tem o objetivo de orientá-lo, por ocasião da aposentadoria.

MANUAL DO SERVIDOR APOSENTÁVEL. Servidor, este manual tem o objetivo de orientá-lo, por ocasião da aposentadoria. MANUAL DO SERVIDOR APOSENTÁVEL Servidor, este manual tem o objetivo de orientá-lo, por ocasião da aposentadoria. Onde requerer sua aposentadoria? Dirigir-se ao Órgão de Pessoal da Secretaria em que estiver

Leia mais

37º FONAI Maceió-AL. Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão.

37º FONAI Maceió-AL. Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão. 37º FONAI Maceió-AL Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão. 26 a 30/11/2012 Oficina Técnica Regras de Aposentadoria no Setor Público Pessoal Civil Cleison Faé Aposentadoria no Setor Público

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS

REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS INTRODUÇÃO Como o objetivo de facilitar o entendimento da matéria relacionada à reforma previdenciária, teceremos alguns comentários

Leia mais

Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos SMADRH Secretaria Municipal Adjunta de Recursos Humanos SMARH

Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos SMADRH Secretaria Municipal Adjunta de Recursos Humanos SMARH SEQÜÊNCIA DE DOCUMENTOS/INFORMAÇÕES NOS PROCESSOS DE APOSENTADORIA Voluntária Compulsória Laudo médico Unid. Resp. pela inclusão 1. Requerimento para aposentadoria voluntária (ARHRP 00604049) X UCP 2.

Leia mais

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS A REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS A REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Secretaria de Políticas de Previdência Social Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público Coordenação-Geral de Normatização e Acompanhamento Legal REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA

Leia mais

Vida Funcional. Direitos e benefícios dos Servidores Municipais. Na CF/88, Redação Original. Na EC 20/98, Regras Permanentes.

Vida Funcional. Direitos e benefícios dos Servidores Municipais. Na CF/88, Redação Original. Na EC 20/98, Regras Permanentes. Aposentadoria As Regras de Aposentadoria constantes da redação original da Constituição Federal (C.F.) de 1988 foram alteradas pelas Emendas Constitucionais (E.C.) 20/98, 41/03 e 47/05. A Aprofem, ao longo

Leia mais

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP MINISTÉRIO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE ÓRGÃOS EXTINTOS SAN Quadra 03 Lote A Ed. Núcleo dos Transportes Sala nº 2237 CEP: 70.040-902 BRASÍLIA DF ESPAÇO RESERVADO

Leia mais

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI N 2163/2015 Reformula o Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos Servidores da Caixa de Assistência, Previdência e Pensões dos Servidores Públicos Municipais de Porciúncula CAPREM e estabelece normas

Leia mais

PREVIDÊNCIA. - Do latim pre videre, ver com antecipação as contingências sociais e procurar compô-las, ou praevidentia, prever, antever.

PREVIDÊNCIA. - Do latim pre videre, ver com antecipação as contingências sociais e procurar compô-las, ou praevidentia, prever, antever. PREVIDÊNCIA CONCEITO - Do latim pre videre, ver com antecipação as contingências sociais e procurar compô-las, ou praevidentia, prever, antever. - Nasce com o Direito do Trabalho, tendo por objetivo minorar

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31604 de 10/02/2010 GABINETE DA GOVERNADORA LEI E MENSAGEM

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31604 de 10/02/2010 GABINETE DA GOVERNADORA LEI E MENSAGEM Número de Publicação: 69377 DIÁRIO OFICIAL Nº. 31604 de 10/02/2010 GABINETE DA GOVERNADORA LEI E MENSAGEM L E I Nº 7.379, 8 DE FEVEREIRO DE 2010 Altera e acrescenta dispositivos na Lei nº 6.439, de 14

Leia mais

OS REGIMES PREVIDENCIÁRIOS. Prof. Ms. Danilo César Siviero Ripoli

OS REGIMES PREVIDENCIÁRIOS. Prof. Ms. Danilo César Siviero Ripoli OS REGIMES PREVIDENCIÁRIOS Prof. Ms. Danilo César Siviero Ripoli No Brasil, existem 2 regimes previdenciários: A) REGIME PÚBLICO: RGPS Regime Geral de Previdência Social, o regime previdenciário próprio

Leia mais

CARTILHA DO SUBSÍDIO

CARTILHA DO SUBSÍDIO CARTILHA DO SUBSÍDIO Cléa da Rosa Pinheiro Vera Mirna Schmorantz A Direção do SINAL atenta às questões que dizem com a possibilidade de alteração da estrutura remuneratória das carreiras de Especialista

Leia mais

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO Fevereiro/2012 Apresentação Prezado participante, Com o objetivo de mostrar como funciona a Fundação Coelce de Seguridade Social Faelce e o Plano de Benefícios Definidos,

Leia mais

LEI Nº. 316/2005 DE 16 DE JUNHO DE 2005. FAÇO SABER QUE A CÂMARA MUNICIPAL APROVOU E EU SANCIONO E PROMULGO A SEGUINTE LEI:

LEI Nº. 316/2005 DE 16 DE JUNHO DE 2005. FAÇO SABER QUE A CÂMARA MUNICIPAL APROVOU E EU SANCIONO E PROMULGO A SEGUINTE LEI: LEI Nº. 316/2005 DE 16 DE JUNHO DE 2005. Dispõe sobre a reestruturação do Regime Próprio de Previdência Social do Município de São José do Povo/MT e, dá outras providências. FLORISBERTO SANTOS OLIVEIRA,

Leia mais

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS LEI COMPLEMENTAR MUNICIPAL N. 27/99 De 12 de Novembro de 1999 Aprova o Plano de Cargos dos Servidores do Poder Executivo Municipal e contém providências

Leia mais

RPPS X RGPS. Atuário Sergio Aureliano

RPPS X RGPS. Atuário Sergio Aureliano RPPS X RGPS Atuário Sergio Aureliano RPPS PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO E O SISTEMA PREVIDENCIÁRIO BRASILEIRO ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS e REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA

Leia mais

LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014 Concede reajuste remuneratório, altera as leis n os 7.227/96, 8.690/03, 9.240/06, 9.303/07 e 10.202/11, e dá outras providências. O Povo do Município de Belo Horizonte,

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS Palestra Tema: Formalização de Processo Administrativo na Gestão de Pessoas Aposentadoria é a contraprestação assistencial por serviços prestados, nos termos da

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO PROCESSO Nº

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO PROCESSO Nº DESPACHO Remeto à Secretaria do CSDPU a proposta de resolução em anexo, para autuação e distribuição. Adoto como justificativa para a Resolução as considerações constantes em seu preâmbulo. Informo, ainda,

Leia mais

Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP)

Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP) Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP) Conceitos gerais de gestão pública: princípios e regras da administração pública, processos de licitação, contratos

Leia mais

Ministério da Previdência Social MPS Secretaria de Políticas de Previdência Social SPS RPPS E RGPS

Ministério da Previdência Social MPS Secretaria de Políticas de Previdência Social SPS RPPS E RGPS RPPS E RGPS GUAXUPÉ MG AMOG - Associação dos Municípios da Microrregião da Baixa Mogiana. Pedro Antônio Moreira - AFRFB RGPS REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Art 201 ESTRUTURA DO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Regulamenta o inciso I do 4 do art. 40 da Constituição da República, que dispõe sobre a concessão de aposentadoria especial ao servidor público titular de cargo

Leia mais

Reforma da Previdência em perguntas e respostas

Reforma da Previdência em perguntas e respostas Reforma da Previdência em perguntas e respostas Por Antônio Augusto de Queiroz Com o propósito de esclarecer algumas dúvidas a respeito da reforma da Previdência (Emenda à Constituição nº 41, de 2003 e

Leia mais

TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém

TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém Superintendente: Luciano Moura dos Santos Diretor Adm. Financeiro: Olavo Lopes Perez Diretor de Benefícios: Karine Vecci Rua

Leia mais

Saiba Mais! FUNPREV. Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana PREFEITURA DE MARIANA

Saiba Mais! FUNPREV. Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana PREFEITURA DE MARIANA Saiba Mais! FUNPREV Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana PREFEITURA DE MARIANA Apresentamos a você servidor público municipal, segurado do FUNPREV, sua Cartilha Previdenciária. Esta

Leia mais

O seu futuro em boas mãos

O seu futuro em boas mãos O seu futuro em boas mãos Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Março 1994 Aposentadoria por Tempo de Contribuição Os Servidores Públicos

Leia mais

EC 70/12 E MUDANÇAS NA LEI 9.717/98

EC 70/12 E MUDANÇAS NA LEI 9.717/98 SPPS Secretaria de Políticas de Previdência Social Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público-DRPSP EC 70/12 E MUDANÇAS NA LEI 9.717/98 BENTO GONÇALVES, 25 de Maio de 2012 1 EMENDA CONSTITUCIONAL

Leia mais

Aposentadoria - Regra GERAL em vigor (Emenda Constitucional nº. 41/2003)

Aposentadoria - Regra GERAL em vigor (Emenda Constitucional nº. 41/2003) (TEMPO COMUM E/OU TEMPO DE MAGISTÉRIO) - Regra 09 Aposentadoria - Regra GERAL em vigor (Emenda Constitucional nº. ) De acordo com a Regra Geral que está em vigor desde 31/12/2003 (Emenda Constitucional

Leia mais

BRASIL: DO CABURAÍ AO CHUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 812, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005.

BRASIL: DO CABURAÍ AO CHUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 812, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. LEI Nº 812, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. AUTOR: PODER EXECUTIVO DÁ NOVA REDAÇÃO A LEI Nº 465, DE 30 DE JULHO DE 1998, ALTERADA PELA LEI Nº 602, DE 03 DE JANEIRO DE 2002, E LEI Nº 642, DE 21 DE NOVEMBRO DE

Leia mais

www.lumenjuris.com.br

www.lumenjuris.com.br www.lumenjuris.com.br Grupo de Discussão www.yahoo.com.br Grupos: DIRPREVI Kerlly Huback Programação Noções sobre o Sistema de Previdência Primeira Reforma (EC n 20/98) Segunda Reforma (EC n 41/03) Terceira

Leia mais

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário Jose Luis Wagner Luciana Inês Rambo Flavio Alexandre Acosta Ramos Junho de 2009 1 1. Introdução Desde

Leia mais

LEI Nº 9.241 DE 28 DE JULHO DE 2006. O POVO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.241 DE 28 DE JULHO DE 2006. O POVO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 9.241 DE 28 DE JULHO DE 2006 Institui o Plano de Carreira da Fundação Zôo-Botânica de Belo Horizonte e dá outras providências. O POVO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE, por seus representantes, decreta

Leia mais

APOSENTADORIAS. Aposentadoria por invalidez permanente;

APOSENTADORIAS. Aposentadoria por invalidez permanente; APOSENTADORIAS Aposentadoria é o direito que o servidor tem à inatividade remunerada, em decorrência de invalidez, da idade, ou oriunda da conjugação de vários requisitos, quais sejam: tempo de exercício

Leia mais

Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Prefeitura Municipal de Porto Alegre Prefeitura Municipal de Porto Alegre DECRETO Nº 14.330, de 28 de outubro de 2003. Regulamenta o inc. VIII do art. 17, os arts. 107, 108, 109 e 110, da Lei Complementar nº 478, de 26 de setembro de 2002,

Leia mais

Aspectos Gerais sobre a Aplicação da Lei 11.738/08 a. Ericksen Prätzel Ellwanger Assessor jurídico da FECAM

Aspectos Gerais sobre a Aplicação da Lei 11.738/08 a. Ericksen Prätzel Ellwanger Assessor jurídico da FECAM Aspectos Gerais sobre a Aplicação da Lei 11.738/08 a partir da ADI 4167 Ericksen Prätzel Ellwanger Assessor jurídico da FECAM A Lei 11.738/2008 A Lei nº 11.738, de 17/7/2008, instituiu o piso salarial

Leia mais

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 13 DE ABRIL DE 2015

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 13 DE ABRIL DE 2015 SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 13 DE ABRIL DE 2015 Estabelece orientações aos órgãos e entidades integrantes do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - Sipec sobre

Leia mais

ABONO DE PERMANÊNCIA

ABONO DE PERMANÊNCIA ABONO DE PERMANÊNCIA O abono de permanência foi instituído pela Emenda Constitucional nº 41/03 e consiste no pagamento do valor equivalente ao da contribuição do servidor para a previdência social, a fim

Leia mais

LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE

LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE 2015. Dispõe sobre a política remuneratória das carreiras do Grupo de Atividades de Educação Básica do Poder Executivo, altera a estrutura da carreira de Professor de Educação

Leia mais

Previdência Social. As Reformas da. Emenda Constitucional 47/05. Daisson Portanova. Outubro/2009

Previdência Social. As Reformas da. Emenda Constitucional 47/05. Daisson Portanova. Outubro/2009 As Reformas da Previdência Social IV encontro do FUNSEMA Seminário de Previdência da Região Metropolitana Emenda Constitucional 47/05 Outubro/2009 Daisson Portanova ESTRUTURA DO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 Dispõe sobre o Regulamento sobre Movimentação de servidores no âmbito do Instituto Federal Catarinense. O Presidente do do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 669. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte

LEI COMPLEMENTAR Nº 669. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte LEI COMPLEMENTAR Nº 669 Institui a modalidade de remuneração por subsídio e o Plano de Carreira para os servidores ocupantes dos cargos de Músico de Orquestra Nível Superior, Músico A e Músico B e dá outras

Leia mais

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SEÇÃO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

Prof. Adilson Sanchez Lei nº 8.213 (DOU de 25.07.91) Plano de Benefícios da Previdência Social PBPS

Prof. Adilson Sanchez Lei nº 8.213 (DOU de 25.07.91) Plano de Benefícios da Previdência Social PBPS Prof. Adilson Sanchez Prof. Adilson Sanchez www.adilsonsanchez.adv.br Lei nº 8.213 (DOU de 25.07.91) Plano de Benefícios da Previdência Social PBPS TÍTULO III Do Regime Geral de Previdência Social RGPS

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 6.697-C DE 2009 Dispõe sobre as carreiras dos servidores do Ministério Público da União e as carreiras dos servidores do Conselho Nacional do Ministério Público; fixa valores

Leia mais

INSS CURSO DE EXERCÍCIOS Previdenciário Bateria de Exercícios 03 Sérgio Armanelli

INSS CURSO DE EXERCÍCIOS Previdenciário Bateria de Exercícios 03 Sérgio Armanelli 159 (CESPE/2012/TCE-ES/Auditor de Controle Externo) No âmbito do RGPS, o auxílio-acidente, concedido no dia seguinte ao da cessação do auxílio-doença, visa indenizar o segurado empregado cuja capacidade

Leia mais

-Homens, Aposentadoria por tempo de contribuição: -Mulheres, Aposentadoria por tempo de contribuição:

-Homens, Aposentadoria por tempo de contribuição: -Mulheres, Aposentadoria por tempo de contribuição: DA APOSENTADORIA Aposentadoria por: I- Idade e Tempo de Contribuição: -Homens, Aposentadoria por tempo de contribuição: 35 anos de contribuição e 60 anos de idade, 10 anos de serviço público e 05 anos

Leia mais

CRIA O ISNTITUTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DE CAMPO GRANDE, REGULA O SEU FUNCIONAMENTO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

CRIA O ISNTITUTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DE CAMPO GRANDE, REGULA O SEU FUNCIONAMENTO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 711, de 17 de fevereiro de 1961. CRIA O ISNTITUTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DE CAMPO GRANDE, REGULA O SEU FUNCIONAMENTO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE: Faço saber

Leia mais

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS AO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI - IPREM -

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS AO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI - IPREM - REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS AO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI - IPREM - Resumos Esquematizados dos Critérios de Concessão, Cálculo e Reajustamento

Leia mais

1ª REGRA APOSENTADORIA POR IDADE E TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

1ª REGRA APOSENTADORIA POR IDADE E TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 5.1.1.Aposentadoria As informações aqui explicitam de forma objetiva os benefícios previdenciários dos RPPS Regimes Próprios de Previdência Social, em especial os do IPMB Instituto de Previdência do Município

Leia mais

Exmo. Sr. Presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo Sr. Celso Giglio

Exmo. Sr. Presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo Sr. Celso Giglio São Paulo, 05 de fevereiro de 2013 Exmo. Sr. Presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo Sr. Celso Giglio Solicitamos a intercessão de Vossa Excelência no sentido da instituição de um plano de carreira

Leia mais

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS O SISTEMA APÓS AS EMENDAS CONSTITUCIONAIS Nº 20/1998, 41/2003 E 47/2005 SINASEFE 27.2.2013 O SISTEMA DE PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASILEIRO Regime Geral de Previdência Social

Leia mais

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1- DEFINIÇÃO APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1.1 Passagem do servidor da atividade para a inatividade, com proventos calculados de acordo com a média aritmética das maiores remunerações,

Leia mais

FAAP MÓDULO MÉDIA CÁLCULO DA MÉDIA ARITMÉTICA SIMPLES DAS 80% MAIORES BASES DE CONTRIBUIÇÃO. INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO (uso somente em Excel 2010)

FAAP MÓDULO MÉDIA CÁLCULO DA MÉDIA ARITMÉTICA SIMPLES DAS 80% MAIORES BASES DE CONTRIBUIÇÃO. INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO (uso somente em Excel 2010) FAAP MÓDULO MÉDIA CÁLCULO DA MÉDIA ARITMÉTICA SIMPLES DAS 80% MAIORES BASES DE CONTRIBUIÇÃO INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO (uso somente em Excel 2010) 1) O que é? É uma ferramenta de cálculo simplificado e automatizado

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TRÊS LAGOAS ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE TRÊS LAGOAS ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL LEI N. 2.808, DE 18 DE MARÇO DE 2014. "CRIA O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS DO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS." MARCIA MOURA, Prefeita Municipal de Três Lagoas, Estado de

Leia mais

PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015

PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015 PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015 Direito Previdenciário 67. (Auditor de Controle Externo/TCE-CE/FCC/2015): O princípio constitucional estipulando que a Seguridade Social deve contemplar

Leia mais

REGULAMENTO FINANCEIRO DA FITO

REGULAMENTO FINANCEIRO DA FITO REGULAMENTO FINANCEIRO DA FITO DOS CONTRATANTES Art. 1º - Pela matrícula, a Fundação Instituto Tecnológico de Osasco, doravante denominada FITO e o Aluno e/ou Responsável Financeiro estabelecem recíprocos

Leia mais

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS O SINTFUB entende que o servidor que está para aposentar tem de ter esclarecimento sobre os tipos e regras para aposentadorias hoje vigentes antes de requerer esse direito.

Leia mais

PLANO DE CARREIRA DA PMPA

PLANO DE CARREIRA DA PMPA PLANO DE CARREIRA DA PMPA A realização do Pregão referente o Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos servidores municipais de Porto Alegre, segundo divulgado pela PMPA e compatível com o Programa Estratégico

Leia mais

SELEÇÃO DE ESTÁGIO - DIREITO

SELEÇÃO DE ESTÁGIO - DIREITO SELEÇÃO DE ESTÁGIO - DIREITO - Verifique se este caderno contém 20 questões objetivas e 2 temas de redação. Caso contrário, reclame ao fiscal da sala outro caderno. - A resposta deve ser marcada com caneta

Leia mais