CURSO ABERTO CIRANDAS.NET: ATUANDO EM PROL DA ECONOMIA SOLIDÁRIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO ABERTO CIRANDAS.NET: ATUANDO EM PROL DA ECONOMIA SOLIDÁRIA"

Transcrição

1 ÁREA: ECONOMIA SOCIAL, DA SAÚDE, SOLIDÁRIA E DO TRABALHO Área 6. Economia Social, Economia da Saúde, Economia Solidária e Economia do Trabalho (Trabalho completo) CURSO ABERTO CIRANDAS.NET: ATUANDO EM PROL DA ECONOMIA SOLIDÁRIA ADRIANE CARNEIRO DE ALMEIDA Graduanda em Tecnologia em Gestão de Cooperativas pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Monitora do Curso Aberto Cirandas.net promovido pela COLIVRE e UFRB com fomentos da SECULT. Rua Rui Barbosa, 334, Bairro Centro, CEP Cruz das Almas Bahia. (75)

2 CURSO ABERTO CIRANDAS.NET: ATUANDO EM PROL DA ECONOMIA SOLIDÁRIA RESUMO O presente artigo apresenta o projeto Curso Aberto Cirandas.net assim como também observações feitas após sua execução no Recôncavo da Bahia. O curso Aberto Cirandas.net é resultado do projeto Cirandas.net: Plataforma livre para o fortalecimento da rede de Economia Solidária no Recôncavo da Bahia, promovido pela Cooperativa de Tecnologias Livres (COLIVRE) e Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) com fomentos da Secretaria da Cultura do Estado da Bahia (SECULT). O Curso Aberto Cirandas.net é aberto e contínuo para formar grupos de aprendizes criados em parte pelos monitores do curso e outra parcela associados e/ou cooperados já pré-selecionados no decorrer do processo de construção do projeto. O intuito é que os formados associados venham criar suas lojas virtuais na Plataforma Livre para expor seus produtos à venda e utilizar a rede como espaço de interação com especialistas, consumidores, redes da Economia Solidária e apreciadores desta economia. E, os formados não associados a uma cooperativa ou associação passem a usar a rede social para fazer compras coletivas ou individuais e todas as ações possíveis na plataforma, exceto criar loja virtual. Tanto o curso Aberto Cirandas.net quanto a plataforma Cirandas.net fortalece a Economia Solidária. Palavras-chave: Economia Solidária. Cirandas.net. Formação. 1 INTRODUÇÃO A Economia Solidária é desenvolvida por pessoas que se unem para realizar trabalhos coletivos. Nesta economia não há nem patrão nem empregado, pois a gestão dos empreendimentos é autogestionária. Neste tipo de gestão todos os associados do empreendimento são responsáveis pelo mesmo, juntos tomam decisões e em conjunto são com equidade beneficiados. Neste tipo de economia o político e o econômico são desenvolvidos para dar qualidade de vida ou em determinados casos à inserção social. As

3 pessoas que vivem esta economia optam por um comércio e preço justo. Procuram desenvolver suas atividades econômicas em atos cooperativistas para os fortalecerem. Para fortalecer a Economia Solidária usa-se também rede social segmentada para integrar os empreendimentos desta economia, melhorar os diálogos e atividades econômicas entre estes empreendimentos, constituindo assim um âmbito voltado exclusivamente para atender as demandas da Economia Solidária. Um exemplo de rede social a serviço da Economia Solidária é o Cirandas.net. O Cirandas.net é uma rede social segmentada por trabalhar especificamente com a Economia Solidária. Suas ações abrangem não só os locais que os empreendimentos estão instalados fisicamente, mas também a esfera regional, nacional e internacional o que potencializa as atividades econômicas via rede. Na busca do fortalecimento da Economia Solidária usando esta ferramenta (rede social) inúmeros projetos sociais surgem e são executados por grupos que abraçam a causa. O Curso Aberto Cirandas.net é resultado deste investimento grupal. O curso foi desenvolvido na plataforma de software livre NOSFERO (plataforma web para redes sociais e de economia solidária) e na rede social Cirandas.net. A primeira fase do Curso Aberto Cirandas.net ocorreu no Recôncavo da Bahia. As formações do curso pelos monitores do projeto Curso Aberto Cirandas.net aconteceram em diferentes pontos desta região em laboratórios de informática e/ou em centros de inclusão digital. O Curso foi desenvolvido inicialmente por treze monitores formadores, mas chegou ao fim com seis monitores. A formação dos cursistas ocorreram inicialmente por uma préinscrição, pela inscrição no local e no dia dos cursos. Diferente dos cursistas não associados, os cursistas associados a Empreendimentos da Economia Solidária após o curso ativaram lojas virtuais no Cirandas.net. Para os empreendimentos especificamente, antes de participarem do curso estes responderam a um questionário e os dados coletados foram usados pelos programadores do Cirandas,net para fazer as primeiras configurações da loja virtual antes de ser ativada pelos empreendimentos. No entanto, alguns cursistas apresentaram entraves no processo de aprendizado prático do curso por pouco usar computador no cotidiano. Buscando apresentar o Curso Aberto Cirandas.net a partir da experiência de uma monitora do mesmo e base teórica em obras que discute e apresenta o curso e outros temas afim, será exposto inicialmente o funcionamento do Curso Aberto Cirandas.net, em sequência o produto final pós-curso Aberto Cirandas.net: construção da loja virtual e por fim exibir entraves constatados no processo de execução do Curso Aberto Cirandas.net.

4 2 CURSO ABERTO CIRANDAS.NET O Curso Aberto Cirandas.net tem como finalidade inicial a transmissão de conhecimentos básicos para a manipulação das ferramentas básicas no Cirandas.net. O motivo é que a partir do curso os formados cooperados poderão com facilidade configurar suas lojas virtuais no Cirandas.net pronto final após curso. Nesta loja os produtos e serviços dos empreendimentos que são da Economia Solidária estarão expostos à venda. Já os cursistas não associados ou cooperados aprenderão a acessar produtos do comércio justo. Para construir a equipe de formação do curso universitários de diferentes cursos da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foram formados por uma equipe multidisciplinar. Depois da formação os monitores formados construíram dez grupos de aprendizagem composto por interessados na Economia Solidária. Em paralelo a esta composição foi feito outro trabalho de formação com mais dez grupos de associados de empreendimentos cadastrados no Cirandas.net ou que estavam interessados em construir sua loja virtual no Cirandas.net com a aprovação do Fórum Baiano de Economia Solidária. Cada grupo a ser formado foi composto por no máximo dez pessoas e no mínimo três. As formações duraram seis meses que correspondia a primeira fase do Curso Aberto Cirandas.net. Este curso permitiu aos cooperados e associados de empreendimentos da Economia Solidária que utilizavam ou passariam a utilizar o Cirandas.net a obterem informações mais clara da Plataforma e um momento de tirar dúvidas para quem já a conhecia, ampliando assim o conhecimento das ferramentas da plataforma. O Cirandas.net é construído por software livre. Sua aparência é padronizada para que as pessoas que a utilizam e tem pouca habilidade com a tecnologia da informática saibam manipular as ferramentas com facilidade. Podemos perceber isso observando as figuras um (1) e dois (2), vejam: FIGURA 1: Painel de Controle de perfil pessoal FONTE:

5 FIGURA 2: Painel de Controle de uma comunidade FONTE: disciplinar-de-instrutores-do-cirandas.nt Analisando estas duas figuras é possível reafirmar que a forma que foi desenvolvida a plataforma NOSFERO facilita sua manipulação. O curso vem neste viés resaltando as significações da plataforma: mostrando as facilidades de uso, as ferramentas básicas, as funções, os caminhos para explorar adequadamente a rede social para a promoção efetiva de venda de produtos e circulação de conhecimentos com agilidade. O curso está construído no espaço virtual de comunidade da plataforma o que facilita o acesso dos novos usuários da rede social Cirandas.net. Como o próprio nome do curso sugere ele é aberto e por isso qualquer um que tenha perfil na rede social Cirandas.net podem acessar o material do curso, mas estes não recebem certificados. Para receber certificados é necessário se formar com a monitoria dos monitores do Cirandas.net. A primeira fase do Curso Aberto Cirandas.net foi formulado e executado com a aplicação de vinte cursos, tendo cada curso a duração de vinte horas, horas estas utilizadas com combinação de horários disponíveis dos cursistas e monitores. Quanto ao material didático do curso este é constituído por vídeos, textos e imagens. O material exposto no curso forma os aprendizes para além do simples manuseio das páginas. O curso é divido por tópicos (fases do curso) que são: Entenda o curso; Você no Cirandas.net; Cirandas e redes; Ecosol e internet; Comércio Eletrônico; Preparando a loja e Loja no cirandas.

6 O primeiro tópico Entenda o curso apresenta as diretrizes e os objetivos do curso. No tópico Você no Cirandas.net é exposto informações fundamentais sobre o Cirandas.net: O que é, qual seu objetivo, como acessar, como navegar, quem pode acessar e por que a importância do Cirandas.net. Já no tópico Cirandas e redes: apresenta, discute e experimenta a rede social de Economia Solidária Cirandas.net ressaltando os aspectos significantes de seu surgimento no contexto do avanço e desenvolvimento das comunicações em rede com foco na Economia Solidária. No tópico Ecosol e internet está exposto características das redes sociais digitais com foco na rede social Cirandas.net ressaltando as possibilidades de desenvolvimento de atividades comerciais. Preparando a loja é mais um tópico, e ao ser aplicado este tem um diferencial para os cursistas de Empreendimentos da Economia Solidária (EES), pois neste apresenta-se as principais questões relacionadas à prática comercial desenvolvida na internet. Ainda neste tópico se explica e executa a dinâmica de criação e gestão do recurso Empreendimento no Cirandas.Net (loja virtual). O último tópico Loja no Cirandas também exige uma diferenciação na explicação para os cursistas cooperados de empreendimentos, já que ao findar o curso estes ativarão uma loja virtual. Neste tópico amplia-se os conhecimentos sobre a gestão do empreendimento (loja virtual) dentro do Cirandas.net mostrando páginas (lojas virtuais) já prontas e bem geridas e ativação do cesto de compras na loja. Para findar a formação se abre um espaço para avaliação do curso via formulário, esclarecimento de dúvidas se ainda houver e apresentação do interior de uma loja virtual fantasia. 3 PRODUTO FINAL PÓS-CURSO ABERTO CIRANDAS.NET: CONSTRUÇÃO DA LOJA VIRTUAL Para alcançar o objetivo final do Projeto Curso Aberto Cirandas.net os monitores do projeto carregam a incumbência de transmitir até o fim das vinte horas de formação do curso os conhecimentos de forma a proporcionar os cursistas base teórica e prática para o gerenciamento das lojas virtuais, no caso dos cooperados e/ou associados. A loja virtual do Cirandas.net é o meio pelo qual os empreendimentos da Economia Solidaria podem ampliar a exposição de seus produtos para venda, sua história e suas ações. A loja quanto vitrine para venda funciona como um cardápio virtual. O comprador ou cliente escolhe o produto e quantidade dos produtos, além de obter informações dos insumos dos produtos antes ou no momento da compra. Se houver dúvidas o cliente tem a opção de entrar em contato com o empreendimento no espaço fale conosco.

7 Contudo, a compra não é efetivada na loja virtual, o cliente faz o pedido na loja, mas a compra é concluída por telefone. Por meio do telefonema o empreendimento segue passos para efetivar a compra de forma segura. A loja virtual é manipulada pelos próprios cooperados ou associados dos empreendimentos. Para ativar a loja virtual o empreendimento recebe um código do Fórum Baiano de Economia Solidária. Este código é digitado em área adequada na página do Cirandas.net e após sequência de preenchimento de informações a loja é ativada. Para receber este código o empreendimento tem que ser da Economia Solidária ou desenvolver um trabalho para o bem de um grupo da Agricultura Familiar ou Economia popular. Os empreendimentos recebem a loja já com configurações iniciais que constam as principais informações sobre o empreendimento, mas estas configurações podem ser alteradas a qualquer momento se necessário. As informações finais ficam por conta do grupo do empreendimento que irão administrar a página (loja), mas em caso de dúvidas os empreendimentos podem entrar em contato em qualquer tempo com os instrutores e/ou programadores do Cirandas.net. A loja virtual segue também os padrões do perfil, do blog e da comunidade da plataforma livre NOSFERO, mas com suas especificidades. Portanto, os monitores não podem pular nenhuma etapa do curso, nem tão pouco não explicar detalhadamente os tópicos por que geraria deficiência no manuseio da loja virtual. A criação do perfil, de um blog e de uma comunidade no decorrer do curso de maneira prática é para tornar familiar as ferramentas do Cirandas.net. A partir das figuras abaixo podemos ver a semelhança entre as ferramentas do perfil pessoal, comunidade e loja virtual: FIGURA 3: Aparência da página de perfil individual FONTE:

8 FIGURA 4: Página inicial de uma comunidade FONTE: FIGURA 5: Página inicial de uma loja virtual FONTE: Visível, portanto que todas as ações até chegar a ativação da loja são essenciais, que a aparência da loja virtual contribui para atingir seu publico alvo e que com sua ativação se impulsiona o comércio eletrônico na lógica da Economia Solidária abrindo oportunidades para os empreendimentos trabalharem em redes. A ação num todo do Curso Aberto Cirandas.net de fato auxilia a ampliação de atividades economias via redes sociais dentro do viés da Economia Solidária, a fortificando.

9 4 ENTRAVES NO PROCESSO DE EXECUÇÃO DO CURSO ABERTO CIRANDAS.NET As pessoas acima de trinta e cinco anos e que pouco utilizavam redes sociais ou faziam compras pela internet tinham dificuldades para manipular os micros computadores e navegar na rede social Cirandas.net. O pouco conhecimento em relação a informática que tinham parcela dos participantes dos cursos fez com que em vários momentos os monitores caminhassem a passos lentos. Somando com o tempo que tinha as formações acabou que prejudicando a eficiência do curso. O que não significa que o tempo da formação é insuficiente, nem tão pouco caminhar devagar neste caso seja ruim, mas coloca-se isso como uma constatação para se pensar em práticas que venham calçar o curso antes ou depois da formação. Outro fator que não estava presente, mas que poderia contribuir significantemente para o crescimento dos cursistas foi o chat da rede social que estava desativado. A ausência deste diminuiu a comunição entre os monitores e os cursistas durante e pós-curso. A ausência de um curso de fotografia também deixou lacunas. O que não significa que seria necessário um curso profissional, mas para dominar e replicar com maior segurança conhecimentos sobre como tirar ou analisar fotos seria interessante a realização de um minicurso de fotografia, principalmente para aqueles que iriam configurar a loja virtual. Todos estes entraves até então citados são colados como pontos a serem apreciados e que ao serem realizados podem despertar maior interesse de cooperativas e associações a usarem com maior frequência a rede social Cirandas.net para diversos fins. CONSIDERAÇÕES FINAIS O Curso Aberto Cirandas.net por meio dos procedimentos que este segue para sua realização se refirma como uma ação em prol da Economia Solidária e com veemência deve permanecer aberto e continuo. Para ampliar a eficiência do curso alguns procedimentos precisam ser feitos, como por exemplo, na formação dos monitores estes receberem capacitação para trabalhar com planos de aulas, aprendendo assim usar uma metodologia sistemática. Como foi apresentado dificuldades no manuseio dos micros computadores e pouco uso de redes sociais por parte dos associados e cooperados, a execução de um curso de

10 informática para estas pessoas antes do curso do Cirandas seria interessante. Desta forma os resultados da formação do Curso Aberto Cirandas.net se ampliaria. Quanto ao material este é condizente com os objetivos a ser alcançados. O material composto por vídeos, imagens e textos escritos favorece o aprendizado dos cursistas provocando o rápido aprendizado. As formações realizadas pela equipe multidisciplinar do projeto que ocorreu em diversas etapas proporcionou a capacitação dos monitores do Cirandas para a realização de oficinas de qualidade. Para os monitores, mesmo com os presentes entraves o Projeto Curso Aberto Cirandas.net oferece crescimento. Ministrar este curso oportuniza obter uma experiência impar fazendo com que os graduandos monitores aprendam a articular o conhecimento adquirido na academia com as demandas reais dos empreendimentos da Economia Solidária. REFERÊNCIAS

11 CIRANDAS.NET. Curso Aberto Cirandas.net. Disponível em: <http://cirandas.net/ Aprendizagem>. Acesso em: 01 abr FILHO, Genauto Carvalho de França. A via sustentável-solidária no desenvolvimento local. Disponível em: <http://base.socioeco.org/docs/o_s pdf>. Acesso em: 20 set SINGER, Paul. Introdução à economia solidária. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2002.

Ambiente de Aprendizagem Moodle FPD Manual do Aluno

Ambiente de Aprendizagem Moodle FPD Manual do Aluno Ambiente de Aprendizagem Moodle FPD Manual do Aluno Maio 2008 Conteúdo 1 Primeiros passos...4 1.1 Tornando-se um usuário...4 1.2 Acessando o ambiente Moodle...4 1.3 O ambiente Moodle...4 1.4 Cadastrando-se

Leia mais

GUIA DIDÁTICO GERAL CURSO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL SIGEDUCA MODALIDADE EAD

GUIA DIDÁTICO GERAL CURSO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL SIGEDUCA MODALIDADE EAD GUIA DIDÁTICO GERAL CURSO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL SIGEDUCA MODALIDADE EAD 1. APRESENTAÇÃO O Secretário de Estado de Educação tem o prazer de convidar-lhe a participar do Curso Sistema

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 1. Identificação

PLANO DE ENSINO. 1. Identificação 1. Identificação PLANO DE ENSINO Curso: A INTERNET E SUAS FERRAMENTAS Disciplina: A Internet e suas Ferramentas Período Ministrado/Semestre- Bimestre- Mês/Ano: 03 de setembro a 08 de outubro/2º Semestre

Leia mais

MANUAL DO ALUNO MOODLE

MANUAL DO ALUNO MOODLE MANUAL DO ALUNO MOODLE 1. Primeiros passos 1.1. Tornando-se um usuário No ambiente Moodle alunos e tutores são usuários do sistema. Assim, o primeiro passo, para todos, é tornar-se usuário. Este manual

Leia mais

EDUCAÇÃO COOPERATIVISTA E O CURSO ABERTO CIRANDAS

EDUCAÇÃO COOPERATIVISTA E O CURSO ABERTO CIRANDAS EDUCAÇÃO COOPERATIVISTA E O CURSO ABERTO CIRANDAS.NET: A INSERÇÃO DE EMPREENDIMENTOS ECONÔMICOS SOLIDÁRIOS DO RECÔNCAVO DA BAHIA NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Adriane Carneiro de Almeida, Daciane de Oliveira

Leia mais

Manual do Usuário 2013

Manual do Usuário 2013 Manual do Usuário 2013 MANUAL DO USUÁRIO 2013 Introdução Um ambiente virtual de aprendizagem é um programa para computador que permite que a sala de aula migre para a Internet. Simula muitos dos recursos

Leia mais

Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior. Sanmya Feitosa Tajra

Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior. Sanmya Feitosa Tajra Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior Sanmya Feitosa Tajra Mestre em Educação (Currículo)/PUC-SP Professora de Novas Tecnologias

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Precisamos reinventar a forma de ensinar e aprender, presencial e virtualmente, diante de tantas mudanças na sociedade e no mundo do trabalho. Os modelos tradicionais

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

GUIA DO PÓS-GRADUANDO ON-LINE

GUIA DO PÓS-GRADUANDO ON-LINE GUIA DO PÓS-GRADUANDO ON-LINE UNIASSELVI-PÓS Programa de Pós-Graduação APRESENTAÇÃO Seja bem-vindo ao programa de pós-graduação UNIASSELVI-PÓS! Aqui você encontra, de forma simples e ágil, todas as orientações

Leia mais

Estratégias de e-learning no Ensino Superior

Estratégias de e-learning no Ensino Superior Estratégias de e-learning no Ensino Superior Sanmya Feitosa Tajra Mestre em Educação (Currículo)/PUC-SP Professora de Novas Tecnologias da Anhanguera Educacional (Jacareí) RESUMO Apresentar e refletir

Leia mais

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO Caro(a) aluno(a), seja bem-vindo às Disciplinas Online da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Bom Despacho e Faculdade de Educação de Bom Despacho. Em pleno século 21, na era digital, não poderíamos

Leia mais

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 INSTITUIÇÃO PROPONENTE: Ministério da Educação CNPJ: 00.394.445/0124-52 SETOR RESPONSÁVEL PELO PROJETO: Secretaria de Educação Básica(SEB) ENDEREÇO: Esplanada dos Ministérios,

Leia mais

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem 2.1 Introdução Caro Pós-Graduando, Nesta unidade, abordaremos o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que será utilizado no curso: o Moodle. Serão

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Gestão da Tecnologia da Informação 3ª Série Programação para Web A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA IVINHEMA MS MAIO DE 2010 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR

Leia mais

1. Capacitação Docente em Informática na Educação

1. Capacitação Docente em Informática na Educação DO EDITOR DE TEXTOS A PLATAFORMA MOODLE: UM PROJETO PILOTO INOVADOR DE CAPACITAÇÃO DOCENTE CONSTRUCIONISTA EM UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Maira Teresinha Lopes Penteado 1 Maria Beatriz

Leia mais

PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA

PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA 11 PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA O PVANet é o ambiente virtual de aprendizagem (AVA) de uso exclusivo da UFV. Os AVAs apresentam diferenças de layout, forma de acesso, funcionamento,

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA 2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA Neste capítulo faremos uma breve descrição de algumas plataformas para ensino a distância e as vantagens e desvantagens de cada uma. No final do capítulo apresentamos

Leia mais

Programa de Voluntariado Corporativo da Petrobrás. TIC de Mãos Dadas com o Social. Oficina TIC Economia Solidária Material Didático Apostila Cirandas

Programa de Voluntariado Corporativo da Petrobrás. TIC de Mãos Dadas com o Social. Oficina TIC Economia Solidária Material Didático Apostila Cirandas Programa de Voluntariado Corporativo da Petrobrás TIC de Mãos Dadas com o Social Oficina TIC Economia Solidária Material Didático Apostila Cirandas módulo I APRESENTAÇÃO Apresentação Objetivo Ambientar

Leia mais

REDES SOCIAIS COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA

REDES SOCIAIS COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA REDES SOCIAIS COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA Guilherme Garcez Cunha, UNIPAMPA Campus Dom Pedrito, guilhermecunha@unipampa.edu.br; Franciele B. de O. Coelho,

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS PARA ATUAÇÃO COMO INSTRUTORES NOS CURSOS GESTÃO DA ESTRATÉGIA COM O USO DO

PROCESSO SELETIVO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS PARA ATUAÇÃO COMO INSTRUTORES NOS CURSOS GESTÃO DA ESTRATÉGIA COM O USO DO PROCESSO SELETIVO DE SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS PARA ATUAÇÃO COMO INSTRUTORES NOS CURSOS GESTÃO DA ESTRATÉGIA COM O USO DO BSC E MÓDULO 2 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORGANIZACIONAL (PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Projeto para o Fortalecimento da Avaliação de Programas e Projetos Sociais no Brasil

Projeto para o Fortalecimento da Avaliação de Programas e Projetos Sociais no Brasil Projeto para o Fortalecimento da Avaliação de Programas e Projetos Sociais no Brasil Estudo de Caso : Proposta para a avaliação do Programa Inclusão Digital e Transformação Eduardo Marino eduardo.marino@yahoo.com.br

Leia mais

Guia de Ambientação Março/2011

Guia de Ambientação Março/2011 Guia de Ambientação Março/2011 APRESENTAÇÃO Caro cursista, Bem vindo ao Guia de Ambientação. Este documento é dirigido a você, participante. Com ele, você conhecerá como está estruturada a interface de

Leia mais

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO NOME DO PROJETO Web Rádio: Escola César Cals- Disseminando novas tecnologias via web ENDREÇO ELETRÔNICO www.eccalsofqx.seduc.ce.gov.br PERÍODO DE EXECUÇÃO Março a Dezembro de

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de TIC. Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de TIC. Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão de TIC Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Pró diretoria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação;

Leia mais

Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE

Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE Resumo O projeto tem como objetivo principal promover a inclusão digital dos softwares

Leia mais

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são:

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são: 1) Formas de participação do Corpo Discente: O Colegiado do Curso é um órgão consultivo, deliberativo e normativo, onde é possível a participação do corpo discente nas decisões que competem a exposição

Leia mais

PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC. Multimídia

PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC. Multimídia PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC Multimídia Prof.ª Sylvia Augusta Catharina Fernandes Correia de Lima Floresta - PE 2013 CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Redes sociais no Terceiro Setor

Redes sociais no Terceiro Setor Redes sociais no Terceiro Setor Prof. Reginaldo Braga Lucas 2º semestre de 2010 Constituição de redes organizacionais Transformações organizacionais Desenvolvimento das organizações articuladas em redes

Leia mais

A PRESENTAÇÃO SUMÁRIO

A PRESENTAÇÃO SUMÁRIO SUMÁRIO Apresentação Como ter sucesso na educação à distância A postura do aluno online Critérios de Avaliação da aprendizagem do aluno Como acessar a plataforma Perguntas freqüentes A PRESENTAÇÃO O Manual

Leia mais

SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE CURSISTAS

SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE CURSISTAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO. PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO PRÓ-CONSELHO CURSO DE EXTENSÃO A DISTANCIA FORMAÇÃO

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL BANDEIRANTES MANUAL DO ALUNO

CENTRO EDUCACIONAL BANDEIRANTES MANUAL DO ALUNO CENTRO EDUCACIONAL BANDEIRANTES MANUAL DO ALUNO 1 SUMÁRIO INFORMAÇÕES GERAIS 03 QUEM PODE FAZER O CURSO DE EJA A DISTÂNCIA 04 MATRÍCULA 04 COMO FUNCIONA 05 CALENDÁRIO DOS CURSOS 06 AVALIAÇÃO E CRITÉRIOS

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Sumário Apresentação As Vantagens Dessa Moderna Sistemática do Ensino O Papel do Aluno Professor Tutor Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Dúvidas e Suporte

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA - PROCESSO SELETIVO DE SUPERVISORES DE TUTORIA E TUTORES DO PÓLO REGIONAL SUL DA REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO PARA INCLUSÃO DIGITAL

CHAMADA PÚBLICA - PROCESSO SELETIVO DE SUPERVISORES DE TUTORIA E TUTORES DO PÓLO REGIONAL SUL DA REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO PARA INCLUSÃO DIGITAL CHAMADA PÚBLICA - PROCESSO SELETIVO DE SUPERVISORES DE TUTORIA E TUTORES DO PÓLO REGIONAL SUL DA REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO PARA INCLUSÃO DIGITAL DO PROGRAMA TELECENTROS.BR - EDITAL N.º 001/2010- REDE MARISTA

Leia mais

ESCOLA DE GESTORES CEARÁ

ESCOLA DE GESTORES CEARÁ ESCOLA DE GESTORES CEARÁ Fortaleza 18 de Maio de 2009 Karla Colares Vasconcelos Universidade Federal do Ceará karlinha@virtual.ufc.br Marcos Dionísio Ribeiro do Nascimento Universidade Federal do Ceará

Leia mais

Processo Seletivo UA - 2015

Processo Seletivo UA - 2015 Processo Seletivo UA - 2015 1. APRESENTAÇÃO: O Universitário Ativo é um projeto idealizado pelo criador da Universidade Capenga, Sérgio Ribs, em parceria com sua equipe. Lançado em 2014, o projeto tem

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE USO DO SOFTWARE EDUCACIONAL FALANDO SOBRE... HISTÓRIA DO BRASIL EM AULA MINISTRADA EM LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

CONSIDERAÇÕES SOBRE USO DO SOFTWARE EDUCACIONAL FALANDO SOBRE... HISTÓRIA DO BRASIL EM AULA MINISTRADA EM LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA CONSIDERAÇÕES SOBRE USO DO SOFTWARE EDUCACIONAL FALANDO SOBRE... HISTÓRIA DO BRASIL EM AULA MINISTRADA EM LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Dorisvaldo Rodrigues da Silva drsilva@unioeste.br Vera Lúcia Ruiz Rodrigues

Leia mais

Formação em Gestão Acadêmica

Formação em Gestão Acadêmica PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAL COORDENAÇÃO DE ENSINO E INTEGRAÇÃO ACADÊMICA NÚCLEO DE FORMAÇÃO PARA DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR Formação em Gestão Acadêmica Cruz das Almas-BA

Leia mais

Documento de Visão. O sistema atual se baseia no método padrão de ensino, onde a presença física dos alunos é essencial para um bom aprendizado.

Documento de Visão. O sistema atual se baseia no método padrão de ensino, onde a presença física dos alunos é essencial para um bom aprendizado. UFF Universidade Federal Fluminense Instituto de Computação Engenharia de Software II Professora: Bianca Zadrozny 1º Trabalho Prático: Documento de Visão Alunos: Diego Soares, Felipe Maia e Leandro Feijó.

Leia mais

Curso de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Manual do Aluno

Curso de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Manual do Aluno Curso de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido Manual do Aluno Março 2009 Mensagem de boas-vindas! Caro cursista! Seja bem-vindo ao curso de Formação de Tutores.

Leia mais

O que é um Objeto Educacional? página 01. Objeto Educacional passo a passo página 05

O que é um Objeto Educacional? página 01. Objeto Educacional passo a passo página 05 O que é um Objeto Educacional? página 01 Objeto Educacional passo a passo página 05 O que é um Objeto Educacional A definição de Objeto Educacional, adotada pela equipe do projeto Arte com Ciência, é um

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO e-jovem

APRESENTAÇÃO DO PROJETO e-jovem APRESENTAÇÃO DO PROJETO e-jovem O Projeto e-jovem é uma iniciativa do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Educação SEDUC, cuja proposta visa oferecer formação em Tecnologia da Informação

Leia mais

EDITAL Nº 019/2015 REABERTURA DA SELEÇÃO DE MONITORES DO CURSO PREPARATÓRIO PARA ACESSO À EDUCAÇÃO SUPERIOR - PROJETO UNIVERSIDADE PARA TODOS 2015

EDITAL Nº 019/2015 REABERTURA DA SELEÇÃO DE MONITORES DO CURSO PREPARATÓRIO PARA ACESSO À EDUCAÇÃO SUPERIOR - PROJETO UNIVERSIDADE PARA TODOS 2015 EDITAL Nº 019/2015 REABERTURA DA SELEÇÃO DE MONITORES DO CURSO PREPARATÓRIO PARA ACESSO À EDUCAÇÃO SUPERIOR - PROJETO UNIVERSIDADE PARA TODOS 2015 A UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA por meio

Leia mais

O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino

O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino Escolher o Sponte Educacional é escolher inteligente Sistema web para gerenciamento de instituições

Leia mais

Inclusão digital de deficientes visuais através de Projeto Comunitário, Santana do Livramento (2013)

Inclusão digital de deficientes visuais através de Projeto Comunitário, Santana do Livramento (2013) Inclusão digital de deficientes visuais através de Projeto Comunitário, Santana do Livramento (2013) Eduardo Bueno Simões Pires 1, Aline da Cunha Simões Pires 2 1 Instituto de Informática Universidade

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

PROJETO DE INFORMÁTICA EDUCATIVA DE CAMPO LIMPO PAULISTA-SP

PROJETO DE INFORMÁTICA EDUCATIVA DE CAMPO LIMPO PAULISTA-SP PROJETO DE INFORMÁTICA EDUCATIVA DE CAMPO LIMPO PAULISTA-SP ADRIANA DE CÁSSIA GALLANI XAVIER RODRIGUES Coordenadora do Ensino Fundamental I Secretaria Municipal de Educação adriana.rodrigues@campolimpopaulista.sp.gov.br

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Sumário Apresentação Ambiente Virtual As Vantagens Dessa Moderna Sistemática do Ensino O Papel do Aluno Professor Tutor Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente

Leia mais

ENSINO DA DISCIPLINA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA

ENSINO DA DISCIPLINA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA ENSINO DA DISCIPLINA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA Divane Marcon Fundação Universidade Federal do Pampa divanemarcon@unipampa.edu.br Fabiane C. Höpner

Leia mais

Organizar uma Biblioteca Virtual PÚBLICO-ALVO: Licenciandos, estudantes do ensino superior. TEMPO DE DURAÇÃO: 14 dias (2 semanas)

Organizar uma Biblioteca Virtual PÚBLICO-ALVO: Licenciandos, estudantes do ensino superior. TEMPO DE DURAÇÃO: 14 dias (2 semanas) Organizar uma Biblioteca Virtual PÚBLICO-ALVO: Licenciandos, estudantes do ensino superior. TEMPO DE DURAÇÃO: 14 dias (2 semanas) JUSTIFICATIVA O mundo digital está cada vez mais fazendo parte do processo

Leia mais

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 07 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 09 Edição do Perfil... 12 Acessando as Atividades... 14 Iniciando o Semestre...

Leia mais

Gestão Estratégica de Negócios

Gestão Estratégica de Negócios INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão Estratégica de Negócios Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Santa Rita do Sapucaí MG Setembro de 2013

Leia mais

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS TUTORIAL DE TUTORIAL DE Sumário APRESENTAÇÃO 6 OBJETIVOS 8 CAPÍTULO 1 CONHECENDO OS MENUS DE NAVEGAÇÃO 10 CAPÍTULO 2 O SGUS NA PRÁTICA DOS GESTORES 22 CONCLUSÃO 28 REFERÊNCIAS 30 TUTORIAL DE Apresentação

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS PROFESSOR: Itair Pereira da Silva DISCENTES: Maria das Graças João Vieira Rafael Vitor ORGANOGRAMA PRESIDENTE GERENTE

Leia mais

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG 1 ÍNDICE 03 APRESENTAÇÃO. Dicas para estudar a distância. Funções do professor e do tutor 04 CADASTRO NO CURSO 05 ACESSO AO CURSO 07 FERRAMENTAS DE ESTUDO. Conteúdo: aulas virtuais.

Leia mais

Índice. Introdução... 3 Conhecendo Ambiente de estudo... 4

Índice. Introdução... 3 Conhecendo Ambiente de estudo... 4 Página 1 Índice Introdução... 3 Conhecendo Ambiente de estudo... 4 O QUE É EDUCAÇÃO A DISTANCIA (EAD)?... 4 O que é necessário para estudar em ead?... 4 Quais são as vantagens de estudar a distância?...

Leia mais

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS São Paulo SP Maio 2012 Setor Educacional Educação Corporativa Classificação das Áreas

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A LINGUAGEM EM BLOGS EDUCATIVOS E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM Adriana Ferreira Boeira* PPGEd/UCS

A RELAÇÃO ENTRE A LINGUAGEM EM BLOGS EDUCATIVOS E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM Adriana Ferreira Boeira* PPGEd/UCS 1 A RELAÇÃO ENTRE A LINGUAGEM EM BLOGS EDUCATIVOS E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM Adriana Ferreira Boeira* PPGEd/UCS RESUMO: Este trabalho apresenta a pesquisa, que está em andamento, que tem como objetivo

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches A presença de tecnologias digitais no campo educacional já é facilmente percebida, seja pela introdução de equipamentos diversos,

Leia mais

Symantec University para Parceiros Perguntas freqüentes

Symantec University para Parceiros Perguntas freqüentes Symantec University para Parceiros Perguntas freqüentes Sumário INFORMAÇÕES GERAIS... 1 SYMANTEC UNIVERSITY PARA PARCEIROS... 1 TREINAMENTO... 2 SERVIÇO DE INFORMAÇÕES... 4 COLABORAÇÃO... 5 Informações

Leia mais

UMA AÇÃO DE EXTENSÃO PARA CONTRIBUIR COM A INCLUSÃO DIGITAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES RESUMO

UMA AÇÃO DE EXTENSÃO PARA CONTRIBUIR COM A INCLUSÃO DIGITAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES RESUMO UMA AÇÃO DE EXTENSÃO PARA CONTRIBUIR COM A INCLUSÃO DIGITAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Dayana da Silva Souza 1 ; Luana de Oliveira F. Crivelli 1 ; Kerly Soares Castro 1 ; Eduardo Machado Real 2 ; André

Leia mais

Projeto de Design Instrucional

Projeto de Design Instrucional Projeto de Design Instrucional Curso: Educação Financeira Modalidade: EaD on-line o que é Design Instrucional? A ação institucional e sistemática de ensino, que envolve o planejamento, o desenvolvimento

Leia mais

O SOFTWARE EUCLIDEAN REALITY AUXILIANDO NA CONSTRUÇÃO DO TEOREMA DE PITÁGORAS

O SOFTWARE EUCLIDEAN REALITY AUXILIANDO NA CONSTRUÇÃO DO TEOREMA DE PITÁGORAS O SOFTWARE EUCLIDEAN REALITY AUXILIANDO NA CONSTRUÇÃO DO TEOREMA DE PITÁGORAS Vânia de Moura Barbosa Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco vanibosa@terra.com.br Introdução Um dos primeiros questionamentos

Leia mais

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução 1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução Este tutorial tem a finalidade de guiar o aluno, dando orientações necessárias para o acesso, navegação e utilização das ferramentas principais. Um ambiente

Leia mais

PO 19: ENSINO DE ÂNGULOS: O AUXÍLIO DA LOUSA DIGITAL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA

PO 19: ENSINO DE ÂNGULOS: O AUXÍLIO DA LOUSA DIGITAL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA PO 19: ENSINO DE ÂNGULOS: O AUXÍLIO DA LOUSA DIGITAL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA José Erildo Lopes Júnior 1 juniormat2003@yahoo.com.br RESUMO Neste trabalho, vamos apresentar o conteúdo de ângulos, através

Leia mais

MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - ALUNO

MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - ALUNO MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - ALUNO 0800 703 3180 SUMÁRIO Apresentação Ambiente Virtual de Aprendizagem 1. Primeiro Acesso 1.1 Navegar em cursos 1.2 Enquete 1.3 Dados Cadastrais 2. Cursos

Leia mais

Alcance e flexibilidade nem sempre oferecidos pelo ensino presencial.

Alcance e flexibilidade nem sempre oferecidos pelo ensino presencial. Alcance e flexibilidade nem sempre oferecidos pelo ensino presencial. Nos programas e cursos da Educação a Distância da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (EAD/ ENSP), a formação dos profissionais

Leia mais

O Funcionamento dos Cursos... 02 Geração de Login e Senha... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 06 Ambiente Virtual de Aprendizagem...

O Funcionamento dos Cursos... 02 Geração de Login e Senha... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 06 Ambiente Virtual de Aprendizagem... O Funcionamento dos Cursos... 02 Geração de Login e Senha... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 06 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 08 Edição do Perfil... 10 Ambiente Colaborar... 11 Iniciando

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso Apresentação do Curso INFORMAÇÕES INICIAIS 2 COMO IREMOS TRABALHAR 3 REQUISITOS PARA ACESSAR O CURSO 3 DIAS E HORÁRIOS DAS AULAS 4 CALENDÁRIO E CONTEÚDOS 4 AULA INAUGURAL 6 INVESTIMENTO E CONDIÇÕES DE

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DA ATUAÇÃO E CONDIÇÕES DE TRABALHO DOS TUTORES DE POLO DE APOIO PRESENCIAL

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DA ATUAÇÃO E CONDIÇÕES DE TRABALHO DOS TUTORES DE POLO DE APOIO PRESENCIAL RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DA ATUAÇÃO E CONDIÇÕES DE TRABALHO DOS TUTORES DE POLO DE APOIO PRESENCIAL ENSINO A DISTÂNCIA 2º SEMESTRE - 2014 CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER COMISSÃO PRÓPRIA

Leia mais

Sumário. Guia do Aluno

Sumário. Guia do Aluno Sumário Guia do Aluno 1. Roteiro de estudo...3 2. Acessando seu ambiente acadêmico...5 3. Ferramentas...6 3.1 Avisos...6 3.2 Calendário...7 3.3 Tarefas...8 3.4 Informações pessoais...9 3.5 Minhas notas

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES - TELECENTROS.BR

PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES - TELECENTROS.BR PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES - TELECENTROS.BR REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO PARA INCLUSÃO DIGITAL PROGRAMANDO O FUTURO - POLO REGIONAL CENTRO-OESTE DA REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO

Leia mais

OFICINA EDUCOMUNICATIVA EM FOTOGRAFIA

OFICINA EDUCOMUNICATIVA EM FOTOGRAFIA OFICINA EDUCOMUNICATIVA EM FOTOGRAFIA Uma proposta para aplicação no Programa Mais Educação Izabele Silva Gomes Universidade Federal de Campina Grande UFCG izabelesilvag@gmail.com Orientador (a): Professora

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EAD 1

MANUAL DO ALUNO EAD 1 MANUAL DO ALUNO EAD 1 2 1. CADASTRAMENTO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Após navegar até o PORTAL DA SOLDASOFT (www.soldasoft.com.br), vá até o AMBIENTE DE APRENDIZAGEM (www.soldasoft.com.br/cursos).

Leia mais

II Curso de Extensão a Distância: Explorando a Base de Dados da Saúde BVS UFCSPA NEAD CEDUMED UAN Manual do Aluno

II Curso de Extensão a Distância: Explorando a Base de Dados da Saúde BVS UFCSPA NEAD CEDUMED UAN Manual do Aluno Neste guia você encontrará as seguintes orientações: Conteúdo Definição de Educação a Distância... 2 Perfil do Aluno... 2 Os 6 Mandamentos do Aluno Virtual... 4 Objetivos do Curso... 6 Funcionamento do

Leia mais

Projeto Blogs! Paraná. Autor: Rodrigo Asturian Jornalista da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar).

Projeto Blogs! Paraná. Autor: Rodrigo Asturian Jornalista da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar). Projeto Blogs! Paraná Autor: Rodrigo Asturian Jornalista da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar). Introdução Enquanto a tecnologia avança vertiginosamente, o problema da exclusão digital persiste

Leia mais

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário Portal Ypadê Montes Claros, 16 de Julho de 2011 Revisão 3 Sumário 1. Apresentação do portal e escopo deste documento... 2 2. Acessando o Portal Ypadê...

Leia mais

O MUNDO MUDOU. #fato

O MUNDO MUDOU. #fato DO GIZ AO BYTE O MUNDO MUDOU #fato Sociedade da Informação Informação como recurso estratégico Uso intensivo das TIC Interação digital Diversas formas de fazer as mesmas, ou novas coisas Qual é a sua?

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3

Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3 Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3 A LEGO Education tem o prazer de trazer até você a edição para tablet do Software LEGO MINDSTORMS Education EV3 - um jeito divertido

Leia mais

UM ROTEIRO PARA A EXECUÇÃO DE ATIVIDADES EM UM PROJETO DE INCLUSÃO DIGITAL

UM ROTEIRO PARA A EXECUÇÃO DE ATIVIDADES EM UM PROJETO DE INCLUSÃO DIGITAL UM ROTEIRO PARA A EXECUÇÃO DE ATIVIDADES EM UM PROJETO DE INCLUSÃO DIGITAL R.L. Stange *, A. A. Batista*. * Universidade Tecnológica federal do Paraná, Guarapuava, Brasil e-mail: rlgomes@utfpr.edu.br Resumo

Leia mais

NÚCLEO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS DE JARDIM/MS PLANO DE AÇÕES

NÚCLEO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS DE JARDIM/MS PLANO DE AÇÕES NÚCLEO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS DE JARDIM/MS PLANO DE AÇÕES PLANO DE AÇÃO 2015 Planejamento anual de atividades a serem Desenvolvidas pelos Professores Lotados no Núcleo de Tecnologias Educacionais

Leia mais

O curso é de conversação? Também, ele tem o objetivo de desenvolver habilidades como escrever, ler e ouvir na língua inglesa.

O curso é de conversação? Também, ele tem o objetivo de desenvolver habilidades como escrever, ler e ouvir na língua inglesa. FAQ BBC Como funciona o curso? O curso é EAD. Você faz o curso online através de um computador com acesso à banda larga. Professores-tutores estão disponíveis para resolver suas dúvidas e te dar suporte.

Leia mais

USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DO BREJO PARAIBANO

USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DO BREJO PARAIBANO USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DO BREJO PARAIBANO MIRANDA 1, Márcia Verônica Costa; SILVA 2, Gilmar Batista da 1 Professora Orientadora

Leia mais

INSTITUIÇÕES APRENDENTES: EMPREENDIMENTOS SOLIDÁRIOS EM COMUNIDADES LOCAIS.

INSTITUIÇÕES APRENDENTES: EMPREENDIMENTOS SOLIDÁRIOS EM COMUNIDADES LOCAIS. INSTITUIÇÕES APRENDENTES: EMPREENDIMENTOS SOLIDÁRIOS EM COMUNIDADES LOCAIS. Ana Lícia de Santana Stopilha Professora Assistente da Universidade do Estado da Bahia Campus XV Doutoranda em Difusão do Conhecimento

Leia mais

1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA - DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE A Coordenadoria de Educação a Distância da Universidade Federal de Viçosa (CEAD/UFV),

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

Sumário GUIA DO ALUNO. Primeiro Acesso... 3. Roteiro de Estudos Modalidade SEPI... 4. Roteiro de Estudos Modalidade SEI... 6

Sumário GUIA DO ALUNO. Primeiro Acesso... 3. Roteiro de Estudos Modalidade SEPI... 4. Roteiro de Estudos Modalidade SEI... 6 Sumário Primeiro Acesso... 3 Roteiro de Estudos Modalidade SEPI... 4 Roteiro de Estudos Modalidade SEI... 6 Acesso ao Ambiente Acadêmico Blackboard... 8 1 - Ferramentas... 9 1.1 - Calendário... 11 1.2

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Formulação de Conteúdos Educacionais Programa Nacional de Tecnologia Educacional

Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Formulação de Conteúdos Educacionais Programa Nacional de Tecnologia Educacional Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Formulação de Conteúdos Educacionais Programa Nacional de Tecnologia Educacional SEB DCE CGMID COGTEC PROINFO SEB SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

Leia mais

DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO SISTEMA INTEGRADO DE FORMAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO - SIFMT

DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO SISTEMA INTEGRADO DE FORMAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO - SIFMT DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO SISTEMA INTEGRADO DE FORMAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO - SIFMT 1 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2. CENÁRIO PROFISSIONAL 3. CONCEPÇÃO DA APRENDIZAGEM E METODOLOGIA 4. ESTRATÉGIAS

Leia mais