PROJECTO NACIONAL DE FORMAÇÃO ORDENDADA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJECTO NACIONAL DE FORMAÇÃO ORDENDADA"

Transcrição

1 PROJECTO NACIONAL DE FORMAÇÃO ORDENDADA

2 CONCEITO e OBJECTIVOS FORÇA 8 é a sigla do Projecto Nacional da Formação Ordenada. Tem com principal objectivo a formação específica dos jogadores, treinadores e árbitros para um melhor desempenho nesta fase determinante do jogo. Tem uma visão a médio e longo prazo e prevê preparar os jogadores para o Mundial de 2015.

3 PORQUÊ? A Formação Ordenada (FO) tem uma crescente importância no Rugby moderno. Constitui plataforma de conquista determinante para o lançamento de jogo através da criação de igualdade ou superioridade numérica; Constitui uma plataforma capaz de provocar desgaste físico no adversário, promover a obtenção de pontos e ocupação território através das faltas

4 SEGURANÇA Têm-se assistido a grandes assimetrias entre jogadores treinados (ACADEMIA SUPER BOCK) e jogadores não treinados. Esse factor constitui um RISCO e a crescente preocupação com a SEGURANÇA; Nos escalões Sub 16 a seniores muitas equipas apresentam jogadores com morfotipo desadequado, com deficiente técnicas individual e fisicamente mal preparados para jogar na primeira linha.

5 METODOLOGIA A equipa de especialistas da FPR irá desenvolver competências técnicas junto dos jogadores e treinadores dos clubes A adesão ao projecto obriga no mínimo a 3 sessões de treino e a um conjunto de procedimentos Os treinadores terão parte activa no processo e estarão sob supervisão entre as 3 sessões

6 CONCEITO As acções terão 2 grupos classificados por escalões e por nível competitivo: GRUPO 1 Equipas sub 16, sub 18 e sub 21 Grupo 2 Equipas sénior HONRA 1ª DIVISÃO 2º DIVISÃO

7 GRUPO 1 TIPOLOGIA DOS 3 TREINOS TREINO 1 TÉCNICA INDIVIDUAL TREINO FUNCIONAL ESPECÍFICO E COORDENAÇÃO COLECTIVA SEGURANÇA MAIDAY TREINO 2 TECNICA INDIVIDUAL, TREINO FUNCIONAL, SEGURANÇA( Treinador) CORE FUNCIONAL VERIFICAR EQUILIBRIO TÉCNICA DE ENCAIXE MÁQUINA INDIVIDUAL POSTURA INDIVIDUAL POR POSTO, PEGAS POR POSTO, TREINO 3 TÉCNICA DE ENCAIXE E POSTURA POR POSTO (Treinador do clube) FORMAR 4X 4 MAQUIN INDIVIDUAL MONTAGEM DA FORMAÇÃO DE 8, DOS TRIANGULOS. PEGAS VOZES, TEMPOS

8 GRUPO 2 TIPOLOGIA DOS 3 TREINOS TREINO 1 TÉCNICA INDIVIDUAL TREINO FUNCIONAL ESPECÍFICO E COORDENAÇÃO COLECTIVA TÉCNICA DE ENCAIXE MÁQUINA INDIVIDUAL POSTURA INDIVIDUAL E PEGAS POR POSTO, SEGURANÇA MAYDAY TREINO 2 TECNICA INDIVIDUAL, TREINO FUNCIONAL, SEGURANÇA (Treinador do clube) TÉCNICA DE ENCAIXE E POSTURA POR POSTO (Treinador do clube) FORMAR 4X 4 MAQUINA INDIVIDUAL MONTAGEM DA FORMAÇÃO DE 8, LIGAÇÃO DOS TRIANGULOS. PEGAS VOZES, TEMPOS TREINO 3 TREINO 3 TREINO TÉCNICO TÁCTICO - FORMAÇÃO OFENSIVA e DEFENSIVA

9 OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS ALTO RENDIMENTO: SELECÇÕES NACIONAIS SÉNIOR, SUB 21, SUB 19, SUB 18 DETECÇÃO E SELECÇÃO DE TALENTOS : SELEÇCÕES REGIONAIS E NACIONAL S UB 16 E SUB 17 ACÇÕES ESPECIAIS COM JOGADORES E TREINADORES DE CLUBE NAS PARAGENS DO CALENDÁRIO PARA COMPETIÇÕES DE SEVENS ACÇÕES CONJUNTAS DE TREINADORES, ÁRBITROS E JOGADORES PARA DEFINIÇÃO DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA TREINO FUNCIONAL ESPECÍFICO PARA AVANÇADOS

10 CONDIÇÕES DE CANDIDATURA OS CLUBES INTERESSADOS DEVERÃO DISPONIBILIZAR: PRESENÇA OBRIGATÓRIA DOS TREINADORE(S) 8 16 JOGADORES AVANÇADOS INSCRITOS NA FPR; 2 PNEUS AUTOMÓVEL USADOS 1 BOLA FIT BALL 75 CM COM AR; 1 BOLA FIT BALL 55 CM COM ÁGUA; 1 TRENÓ FORÇA 8 (EMPURRAR E PUXAR) 1 ROLETE FORÇA 8 1 MÁQUINA DE FORMAÇÃO COM ALMOFADAS QUADRANGULARES.

11 EQUIPA FORÇA 8 Coordenador técnico: Henrique Rocha Errol Brain Técnicos Especialistas: Joaquim Ferreira João Luis Alexandre Lima

12 CONDIÇÕES DE CANDIDATURA OS CLUBES INTERESSADOS DEVERÃO ENVIAR OS SEUS PEDIDOS TRAVÉS DE FICHA DE INSCRIÇÃO PARA:

13 TIPOLOGIA DAS ACÇÕES TREINO 1.Técnica individual, treino funcional, Segurança 1.1 Aquecimento geral Treinador(s) de clube (10 ) 1.2 Aquecimento específico (FORÇA 8) Rotação da cintura ante versão e retroversão 5 P Posição mais forte Dinâmica dos 5 P (jogadores em circulo. Paragem por posições) Posição de força Sozinhos 2 a 2 adaptações rápidas puxar e empurrar

14 ACÇÕES ESPECIAIS 8 DE DEZEMBRO WORK SHOP FORÇA 8 LISBOA TREINOS ESPECIAIS JOGADORES E TREINADORES SUB 16 E SUB 18 (SEVENS) DIA 6, 7 NOVEMBRO NORTE, CENTRO E SUL DIA 5 OU 6 FEVEREIRO NORTE, CENTRO E SUL DIAS 12 OU 13 DE MARÇO NORTE, CENTRO E SUL

15 IMAGENS DE EXERCÍCIOS

16 Obrigados pela atenção Equipa FORÇA 8

RESPONSABILIDADES DOS AGENTES FORMATIVOS

RESPONSABILIDADES DOS AGENTES FORMATIVOS RESPONSABILIDADES DOS AGENTES FORMATIVOS CAB ÉPOCA 2015/2016 SUPERVISORES Definem os conceitos e os modelos de treino e de jogo que devem orientar o funcionamento das equipas da Formação de maneira a que

Leia mais

Plano de Formação 2009

Plano de Formação 2009 Plano de Formação 2009 Introdução: O Departamento de Formação (DF) da FPR apresenta o plano de formação para 2009. A formação de todos os agentes desportivos treinadores, dirigentes, árbitros e fisioterapeutas

Leia mais

Regulamento do Circuito Smashtour 2013

Regulamento do Circuito Smashtour 2013 REGULAMENTO CIRCUITO SMASHTOUR 2014 Regulamento do Circuito Smashtour 2013 1 - O Circuito será disputado em três fases, com um mínimo de 19 provas de cada fase de desenvolvimento Mínimo de 1 e máximo de

Leia mais

Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não

Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não REGULAMENTO DO TORNEIO INTER-REGIONAL DE SEVENS FEMININO 2014/2015 Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em

Leia mais

Feminino 2ª Divisão 2010_11. FASE FINAL APURADOS (1º ao 6º LUGAR) REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO

Feminino 2ª Divisão 2010_11. FASE FINAL APURADOS (1º ao 6º LUGAR) REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO Campeonato Nacional Feminino 2ª Divisão 2010_11 FASE FINAL APURADOS (1º ao 6º LUGAR) REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO A. Clubes Apurados B. Modelo Competitivo C. Marcação de Jogos D. Arbitragem E. Inscrição das

Leia mais

Curso de Treinadores de Nível 1

Curso de Treinadores de Nível 1 Gestão da equipa em Competição 2008 Temas a abordar Gestão da equipa em Competição Preocupações do Treinador, na semana da Competição Aspectos relacionados com Logística Aspectos relacionados com os Treinos

Leia mais

MANUAL DE PROCESSAMENTO DE INSCRIÇÕES DE AGENTES DESPORTIVOS Época 2013/2014

MANUAL DE PROCESSAMENTO DE INSCRIÇÕES DE AGENTES DESPORTIVOS Época 2013/2014 MANUAL DE PROCESSAMENTO DE INSCRIÇÕES DE AGENTES DESPORTIVOS Época 2013/2014 1. INSCRIÇÕES A EFECTUAR OBRIGATORIAMENTE NA FEDERAÇÃO - PO 01 - PO 02 - PO 03 Todos os agentes desportivos, Treinadores e Oficiais,

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DO PENTATLO MODERNO Programa Euro-Sénior

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DO PENTATLO MODERNO Programa Euro-Sénior Depois da Final da Taça do Mundo em 2008 a FPPM volta a receber a elite mundial da modalidade com a organização do Campeonato da Europa de Seniores 2016, o maior evento internacional jamais realizado em

Leia mais

Workshop (Da Estrutura e Desenvolvimento)

Workshop (Da Estrutura e Desenvolvimento) NOTA PRÉVIA: Dada a diversidade e quantidade de ideias e propostas manifestadas, optou por fazer-se uma síntese dos assuntos abordados retirando os comentários e as trocas de opiniões que entretanto surgiram,

Leia mais

RUGBY. para TODOS. Escolinhas de Rugby Um projecto de interacção social. Departamento de Desenvolvimento. Henrique Garcia

RUGBY. para TODOS. Escolinhas de Rugby Um projecto de interacção social. Departamento de Desenvolvimento. Henrique Garcia RUGBY para TODOS Escolinhas de Rugby Um projecto de interacção social Departamento de Desenvolvimento Henrique Garcia 1. Introdução A Federação Portuguesa de Rugby tem como missão tornar possível que TODAS

Leia mais

Projecto de criação. Escola de Futebol do. Clube Académico de Futebol Viseu

Projecto de criação. Escola de Futebol do. Clube Académico de Futebol Viseu Projecto de criação Escola de Futebol do Clube Académico de Futebol Viseu Setembro de 2002 Índice Metas propostas do projecto... 3 Recursos humanos... 3 Recursos materiais... 4 Instalações... 4 Material

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE TÉNIS XIRA 2015

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE TÉNIS XIRA 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO DE TÉNIS XIRA 2015 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 INSCRIÇÕES... 4 DATAS E LOCAIS DOS ENCONTROS 4 ESCALÕES ETÁRIOS/DURAÇÃO DE JOGO... 4 CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA... Erro! Marcador não definido.

Leia mais

O Rugby na Escola. Acção de Formação Maia Saudável Junho 2009. Francisco Carvalho - "Maia Saudável" - 2009

O Rugby na Escola. Acção de Formação Maia Saudável Junho 2009. Francisco Carvalho - Maia Saudável - 2009 O Rugby na Escola Acção de Formação Maia Saudável Junho 2009 História do Jogo O rugby teve origem em Inglaterra quando um estudante, Web Wellis do Colégio de Rugby, durante um jogo de futebol, segurou

Leia mais

Paralisia Cerebral- Associação Nacional de Desporto

Paralisia Cerebral- Associação Nacional de Desporto B O C C I A REGULAMENTAÇÃO GERAL NACIONAL 2008/2009 1 INTRODUÇÃO Todos os intervenientes em competições de zona e nacionais, acções de formação e classificação médico - desportiva, deverão reger-se pelos

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL WEST EUROPEAN VOLLEYBALL ZONAL ASSOCIATION WEVZA VOLLEYBALL COACHES SEMINAR

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL WEST EUROPEAN VOLLEYBALL ZONAL ASSOCIATION WEVZA VOLLEYBALL COACHES SEMINAR FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL WEST EUROPEAN VOLLEYBALL ZONAL ASSOCIATION WEVZA VOLLEYBALL COACHES SEMINAR 5, 6 E 7 DE JUNHO VALLADOLID (ESPANHA) PROPOSTA Tendo em conta a atribuição de 4 bolsas para

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE VOLEIBOL DE S. MIGUEL

ASSOCIAÇÃO DE VOLEIBOL DE S. MIGUEL ASSOCIAÇÃO DE VOLEIBOL DE S. MIGUEL REGULAMENTO INTERNO SECÇÃO I COMISSÕES DIRECTIVAS Artigo 1º As Comissões Directivas dependem directamente da Direcção competindo-lhes assegurar as actividades julgadas

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2014

PLANO DE ACTIVIDADES 2014 PLANO DE ACTIVIDADES 2014 INTRODUÇÃO Com o presente programa pretende-se continuar com o trabalho de divulgação e promoção da modalidade, iniciado nas épocas anteriores, na cidade das Caldas da Rainha

Leia mais

Regulamento dos Cursos de Treinadores. Patinagem Artística Grau I

Regulamento dos Cursos de Treinadores. Patinagem Artística Grau I Regulamento dos Cursos de Treinadores Patinagem Artística Grau I 1. Organização A responsabilidade dos Cursos de Treinadores é da Federação de Patinagem de Portugal (FPP), através da Direcção Técnica Nacional

Leia mais

O QUE É OBJECTIVOS: VANTAGENS

O QUE É OBJECTIVOS: VANTAGENS O QUE É O Gira Volei é um jogo fácil, divertido e competitivo destinado aos jovens com idade compreendida entre os 8 e os 16 onde apenas se pode utilizar uma técnica: o passe. OBJECTIVOS: Contribuir para

Leia mais

ACADEMIA SPORTING POLÍTICAS EDUCATIVAS E SOCIAIS NO DESPORTO. Um projecto de uma Escola de Formação Desportiva. Setúbal, 28 de Janeiro de 2005

ACADEMIA SPORTING POLÍTICAS EDUCATIVAS E SOCIAIS NO DESPORTO. Um projecto de uma Escola de Formação Desportiva. Setúbal, 28 de Janeiro de 2005 POLÍTICAS EDUCATIVAS E SOCIAIS NO DESPORTO Pedro Mil-Homens Santos Setúbal, 28 de Janeiro de 2005 ACADEMIA SPORTING Um projecto de uma de Formação Desportiva Sumário Introdução Missão e Organização Recrutamento

Leia mais

Futebolista e Basquetebolista

Futebolista e Basquetebolista Escola Básic dos 2º e 3º ciclos de Alembrança Futebolista e Basquetebolista Ano e turma: 7ºA Professor: Hélder Baião Disciplina: Área de Projecto Alunos: Hélio Abrantes Nº10 Mário Monteiro Nº15 Miguel

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO PLANO DE ACTIVIDADES PARA O ANO DE 2010. Senhores Dirigentes dos Clubes e Associações representativas de Clubes

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO PLANO DE ACTIVIDADES PARA O ANO DE 2010. Senhores Dirigentes dos Clubes e Associações representativas de Clubes FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO PLANO DE ACTIVIDADES PARA O ANO DE 2010 Senhor Presidente da Mesa da Assembleia-geral Senhores Dirigentes dos Clubes e Associações representativas de Clubes Senhores Dirigentes

Leia mais

Jornadas Técnico-Pedagógica Hóquei em Patins

Jornadas Técnico-Pedagógica Hóquei em Patins Federação Portuguesa de Patinagem Jornadas Técnico-Pedagógica Hóquei em Patins Associação de Patinagem de Lisboa GrupoDesportivode Patinagem Cascais, 23 de Abril de 2005 Federação Portuguesa de Patinagem

Leia mais

ESPINHO 2009 CAMPUS DE ANDEBOL

ESPINHO 2009 CAMPUS DE ANDEBOL CAMPUS DE ANDEBOL ESPINHO 2009 A 1ª Edição do Campus de Andebol Espinho 2009, pretende contribuir para a formação integral dos jovens participantes, no âmbito desportivo, humano e educativo. Aliar o treino

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CANOAGEM VELOCIDADE

PLANO DE TRABALHO CANOAGEM VELOCIDADE Versão 1 26/08/2015 PLANO DE TRABALHO CANOAGEM VELOCIDADE CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS PARA O ANO DE 2016 E CONVOCAÇÃO PARA O CENTRO DE TREINAMENTO Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2.

Leia mais

REDE TEMÁTICA DE ACTIVIDADE FÍSICA ADAPTADA

REDE TEMÁTICA DE ACTIVIDADE FÍSICA ADAPTADA REDE TEMÁTICA DE ACTIVIDADE FÍSICA ADAPTADA Patrocinada e reconhecida pela Comissão Europeia no âmbito dos programas Sócrates. Integração social e educacional de pessoas com deficiência através da actividade

Leia mais

Campeonato Regional de Ténis 2009 Iniciados e Juvenis CLUBE DE TÉNIS DO ESTORIL

Campeonato Regional de Ténis 2009 Iniciados e Juvenis CLUBE DE TÉNIS DO ESTORIL 1 Introdução DOCUMENTO ORIENTADOR O Campeonato Regional de Ténis enquadra-se num conjunto de Campeonatos Regionais da responsabilidade da Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo. O presente

Leia mais

CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DO JAMOR

CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DO JAMOR CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DO JAMOR Documento orientador de integração de Praticantes Critérios de financiamento às Federações Desportivas 2014/2015 O Centro de Alto Rendimento do Jamor (CAR Jamor) é uma

Leia mais

Regulamento 2010/2011. Cursos de Treinadores de Futebol. Distrital (Nível I)

Regulamento 2010/2011. Cursos de Treinadores de Futebol. Distrital (Nível I) Regulamento 2010/2011 Cursos de Treinadores de Futebol (Nível I) 1.- ORGANIZAÇÃO A responsabilidade dos Cursos de Treinadores é da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), através do seu (SF), a quem compete

Leia mais

Criação e Desenvolvimento de Novos Negócios no Sector Agro-Alimentar

Criação e Desenvolvimento de Novos Negócios no Sector Agro-Alimentar Curso de Formação Avançada Criação e Desenvolvimento de Novos Negócios no Sector Agro-Alimentar Em colaboração com 9 de Maio a 21 de Junho de 2008 Instituto Superior de Agronomia / Universidade Técnica

Leia mais

A Sessão de Treino. A Sessão de Treino. Curso de Treinadores de Nível 1. Cascais, 27 de Setembro

A Sessão de Treino. A Sessão de Treino. Curso de Treinadores de Nível 1. Cascais, 27 de Setembro A Sessão de Treino 2008 Temas a abordar A Sessão de Treino Preocupações do Treinador no treino Instrução Gestão Clima Disciplina Formas de organização da sessão de treino Para que servem Critérios de selecção

Leia mais

& '"#) $%%$$+,-&% %- $-01&$'%-)

& '#) $%%$$+,-&% %- $-01&$'%-) FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE RUGBY PLANO DE ACTIVIDADES & ORÇAMENTO 2012 ANEXOS !"#!"#$$ % & ' () &* & & && &% +,) - & ). && & / & & & & 0& /) + & ( 1 &0. 0 12 / & 3 & & & & &% & &.&) + 4 $!! %& '&(% & '"#)

Leia mais

Critérios de selecção

Critérios de selecção Emissor: GRATER Entrada em vigor: 01-06-2009 Associação de Desenvolvimento Regional Abordagem LEADER Critérios de selecção Os projectos serão pontuados através de fórmulas ponderadas e terão de atingir

Leia mais

FUTSAL. www.inatel.pt

FUTSAL. www.inatel.pt NORMAS ESPECIFICAS FUTSAL www.inatel.pt FUTSAL NORMAS ESPECIFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direção Desportiva, em complemento do Código Desportivo, para as provas organizadas

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2013/2014

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2013/2014 MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2013/2014 Versão 2 agosto 2013 Índice 1. Nota introdutória... 3 2. 1ª Filiação de Clubes e Entidades Coletivas... 3 3. Refiliação de Clubes e Entidades

Leia mais

PROJECTO DE COMUNICAÇÃO

PROJECTO DE COMUNICAÇÃO PROJECTO DE COMUNICAÇÃO VITÓRIA SPORT CLUBE Visão O objectivo e desafio do Departamento de Comunicação visa ajudar a congregar os actos comunicativos de todos aqueles que fazem parte do Clube e transmitir

Leia mais

Curso de Treinadores UEFA Pro 2013. Regulamento. 20 de Maio a 21 de Junho 2013 Quiaios Hotel Figueira da Foz

Curso de Treinadores UEFA Pro 2013. Regulamento. 20 de Maio a 21 de Junho 2013 Quiaios Hotel Figueira da Foz Curso de Treinadores UEFA Pro 2013 Regulamento 20 de Maio a 21 de Junho 2013 Quiaios Hotel Figueira da Foz REGULAMENTO 1.- ORGANIZAÇÃO O Curso de Treinadores UEFA Professional é organizado pela Federação

Leia mais

Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental. Acções de Valorização e Qualificação Ambiental. Aviso - ALG-31-2010-02

Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental. Acções de Valorização e Qualificação Ambiental. Aviso - ALG-31-2010-02 Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental Acções de Valorização e Qualificação Ambiental Aviso - ALG-31-2010-02 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO

Leia mais

TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES SUB

TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES SUB ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE ANGRA DO HEROÍSMO TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES SUB 18 FUTEBOL Angra do Heroísmo 30, 31 de Janeiro e 01 de Fevereiro de 2015 ESTRUTURA ORGÂNICA DIREÇÃO - CARLOS FONTES 969

Leia mais

Curso Regional de Juizes F.P.S. 2015

Curso Regional de Juizes F.P.S. 2015 Curso Regional de Juizes F.P.S. 2015 I Inscrições De acordo com o projecto de formação de Recursos Humanos da F.P.S. para 2013-2017 irá decorrer emviana do Castelo nos dias de 21 e 22 de Março um curso

Leia mais

2º CAMPEONATO MUNICIPAL DE MATRAQUILHOS. Normas de Funcionamento

2º CAMPEONATO MUNICIPAL DE MATRAQUILHOS. Normas de Funcionamento 2º CAMPEONATO MUNICIPAL DE MATRAQUILHOS Normas de Funcionamento Normas de Funcionamento Considerando a importância que a promoção da dinâmica desportiva assume no concelho, a Câmara Municipal da Lourinhã,

Leia mais

Inscrições Online 2010-2011 INSCRIÇÕES

Inscrições Online 2010-2011 INSCRIÇÕES GUIA DE INSCRIÇÕES Introdução A aplicação de inscrições online é uma aplicação informática, exclusivamente disponível através da internet, em funcionamento desde 2005 e que disponibiliza as seguintes funcionalidades:

Leia mais

Princípios de Jogo Formação - Infantis 2013-2014

Princípios de Jogo Formação - Infantis 2013-2014 O futebol é um jogo de oposição entre os jogadores de duas equipas e, simultaneamente, um jogo de cooperação entre os elementos da mesma equipa que procuram, a todo o momento, a adopção de comportamentos

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA. Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Órgãos de Gestão

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA. Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Órgãos de Gestão EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência

Leia mais

PROJETO NACIONAL ATIVIDADES AQUÁTICAS

PROJETO NACIONAL ATIVIDADES AQUÁTICAS PROJETO NACIONAL ATIVIDADES AQUÁTICAS WWW.AQUASUB.PT Aquasub - Etapas de Intervenção O Aquasub é um projeto nacional da Federação Portuguesa de Actividades Subaquáticas () de iniciação às modalidades aquáticas

Leia mais

ASPECTOS PSICOLÓGICOS NO Futsal através do treino Integrado

ASPECTOS PSICOLÓGICOS NO Futsal através do treino Integrado ASPECTOS PSICOLÓGICOS NO Futsal através do treino Integrado Francisco Batista Introdução A aplicação da Psicologia no treino desportivo tem, nestes últimos anos sido muito importante. A Psicologia é uma

Leia mais

PRINCIPIOS GERAIS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE JOGO

PRINCIPIOS GERAIS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE JOGO PRINCIPIOS GERAIS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE JOGO ANTÓNIO GUERRA DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO DA FPV CONHEÇA A SUA EQUIPA E A COMPETIÇÃO ONDE PARTICIPA Primeiro que tudo têm de conhecer a sua equipa,

Leia mais

Sociedade União 1º.Dezembro. Das teorias generalistas. à ESPECIFICIDADE do treino em Futebol. Programação e. Periodização do.

Sociedade União 1º.Dezembro. Das teorias generalistas. à ESPECIFICIDADE do treino em Futebol. Programação e. Periodização do. Sociedade União 1º.Dezembro Das teorias generalistas à ESPECIFICIDADE do treino em Futebol Programação e Periodização do Treino em Futebol 1 Programação e Periodização do Treino em Futebol Ter a convicção

Leia mais

II Curso de E-learning

II Curso de E-learning Associação Portuguesa dos Técnicos de Natação Complexo de Piscinas Municipais de Rio Maior Estradas das Marinhas 2040 Rio Maior II Curso de E-learning O Técnico de Manutenção de Piscinas de Uso Colectivo

Leia mais

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2015/2016. Artigo 1º (Entidade reguladora)

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2015/2016. Artigo 1º (Entidade reguladora) REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2015/2016 Artigo 1º (Entidade reguladora) A entidade reguladora da Escola de Futebol Os Afonsinhos é Academia do Vitória Sport Clube. Artigo 2º (Destinatários)

Leia mais

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2013/2014. Artigo 1º (Entidade reguladora)

REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2013/2014. Artigo 1º (Entidade reguladora) REGULAMENTO ESCOLA DE FUTEBOL OS AFONSINHOS Época 2013/2014 Artigo 1º (Entidade reguladora) A entidade reguladora da Escola de Futebol Os Afonsinhos é o departamento de futebol formação do Vitória Sport

Leia mais

Versão 1 14/11/2014 CANOAGEM VELOCIDADE CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE 2015 E CONVOCAÇÂO PARA O CENTRO DE TREINAMENTO

Versão 1 14/11/2014 CANOAGEM VELOCIDADE CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE 2015 E CONVOCAÇÂO PARA O CENTRO DE TREINAMENTO Versão 1 1/11/201 CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE 2015 E CONVOCAÇÂO PARA O CENTRO DE TREINAMENTO Sumário 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVO...3 3. ELEGIBILIDADE...3. CALENDÁRIO DE EVENTOS

Leia mais

enquadramento objectivos

enquadramento objectivos enquadramento O curso tem uma estrutura holística, integradora e procura trabalhar as competências da gestão de recursos humanos numa perspectiva de marketing interno no âmbito de temas marcadamente actuais,

Leia mais

StartMeUp - Powered by U.S. Embassy Portugal Prémio Nacional de Empreendedorismo 2012 (STARTMEUP) Regulamento do Prémio

StartMeUp - Powered by U.S. Embassy Portugal Prémio Nacional de Empreendedorismo 2012 (STARTMEUP) Regulamento do Prémio StartMeUp - Powered by U.S. Embassy Portugal Prémio Nacional de Empreendedorismo 2012 (STARTMEUP) Regulamento do Prémio Artigo 1.º Organização e objectivos 1. O Prémio STARTMEUP é uma iniciativa organizada

Leia mais

CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ

CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia Gaianima, E. M., Equipamentos Municipais Departamento do Desporto Escolar Escola Profissional de Gaia Academia de Xadrez de

Leia mais

Campeonato de Portugal Cross Longo. Atletas à procura de qualificação para o Campeonato da Europa

Campeonato de Portugal Cross Longo. Atletas à procura de qualificação para o Campeonato da Europa Campeonato de Portugal Cross Longo Atletas à procura de qualificação para o Campeonato da Europa No próximo dia 10 de Fevereiro, Gouveia vai receber o "Campeonato de Portugal Cross Longo. A prova terá

Leia mais

O processo de filiação de clubes/entidades é SEMPRE efetuado através da respetiva associação.

O processo de filiação de clubes/entidades é SEMPRE efetuado através da respetiva associação. Atualizado em 30 outubro 2012 1. Regime Transitório As normas constantes neste documento vigorarão até à entrada em funcionamento da plataforma eletrónica para a gestão das filiações e inscrições em eventos

Leia mais

Escolas de Pentatlo Moderno

Escolas de Pentatlo Moderno Escolas de Pentatlo Moderno ÍNDICE O que é o franchising PENTAKID? 3 Serviços PENTAKID 5 Marketing 6 Recursos Humanos 7 Financiamento 8 Processo de aquisição 9 Ficha técnica 10 Carta de resposta 11 2 O

Leia mais

Regulamento Interno Específico ANDEBOL

Regulamento Interno Específico ANDEBOL Instalações Desportivas São consideradas neste regulamento instalações desportivas da CPVV todas as instalações disponibilizadas pela instituição Casa do Povo de Valongo do Vouga. Elementos Desportivos

Leia mais

Curso Regional de Juizes F.P.S. 2014

Curso Regional de Juizes F.P.S. 2014 Curso Regional de Juizes F.P.S. 2014 I Inscrições De acordo com o projecto de formação de Recursos Humanos da F.P.S. para 2013-2017 irá decorrer na MADEIRA nos dias de 27, 28 e 29 de JUNHO um curso de

Leia mais

XI Mestrado em Gestão do Desporto

XI Mestrado em Gestão do Desporto 2 7 Recursos Humanos XI Mestrado em Gestão do Desporto Gestão das Organizações Desportivas Módulo de Gestão de Recursos Rui Claudino FEVEREIRO, 28 2 8 INDÍCE DOCUMENTO ORIENTADOR Âmbito Objectivos Organização

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO INTERNO DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO INTERNO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º A Federação Portuguesa de Voleibol, também abreviadamente designada por F.P.V., é uma pessoa colectiva de utilidade pública desportiva sem fins lucrativos,

Leia mais

DEFESA INDIVIDUAL por Luís Laureano

DEFESA INDIVIDUAL por Luís Laureano DEFESA INDIVIDUAL por Luís Laureano Sempre que me encontro em Reguengos não perco a oportunidade de observar atentamente os jogos do meu Clube. Tenho visto, nomeadamente, no escalão de Sub 14 masculino

Leia mais

ANTF. Acção de Actualização para Treinadores de Futebol de Jovens. Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo. Fases do Jogo

ANTF. Acção de Actualização para Treinadores de Futebol de Jovens. Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo. Fases do Jogo ANTF Acção de Actualização para Treinadores de Futebol de Jovens Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo Fases do Jogo VÍTOR URBANO FASES DO JOGO No Futebol Moderno, todos os jogadores da equipa, sem

Leia mais

Regulamento dos cursos

Regulamento dos cursos Cursos de Treinadores de Futsal UEFA C - Raízes/Grau I Regulamento dos cursos 2015 e seguintes 1.- ORGANIZAÇÃO A responsabilidade de organização dos Cursos de Treinadores é da Federação Portuguesa de Futebol

Leia mais

ORÇAMENTO PARA 2013. QUADRO DE RENDIMENTOS (De 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2013)

ORÇAMENTO PARA 2013. QUADRO DE RENDIMENTOS (De 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2013) 012345670 89 QUADRO DE RENDIMENTOS FACTOR VALOR TOTAL DAS CONTAS DA 1 RENDIMENTO DE BENS PRÓPRIOS Patrocínios e Publicidade 757.489 724 Prestações de Serviços - Patrocínios 757.489 2 INSCRIÇÕES E TAXAS

Leia mais

FUTSAL INTER CURSOS 2013/14 REGULAMENTO GERAL DA PROVA

FUTSAL INTER CURSOS 2013/14 REGULAMENTO GERAL DA PROVA INTER CURSOS 2013/14 REGULAMENTO GERAL DA PROVA 1 MODELO COMPETITIVO DO INTER CURSOS 1.1 ESTA COMPETIÇÃO SERÁ DISPUTADA ENTRE 35 EQUIPAS, DISTRIBUIDAS 12 PELA PRIMEIRA DIVISÃO, E DOIS GRUPOS NA SEGUNDA

Leia mais

Basquetebol A transição defesa-ataque nos escalões de sub-14 e sub-16: como fazer e como construir

Basquetebol A transição defesa-ataque nos escalões de sub-14 e sub-16: como fazer e como construir Basquetebol A transição defesa-ataque nos escalões de sub-14 e sub-16: como fazer e como construir Helder Silva Considerações gerais Índice Proposta de ensino do tema Transição Defesa Ataque O que é?,

Leia mais

Manual de Colaboração

Manual de Colaboração Manual de Colaboração 2 Introdução O zerozero.pt permite aos seus colaboradores a introdução de resultados e datas de jogos de diversas competições. Depois da óptima experiência desenvolvida com a nossa

Leia mais

PLANO DE ALTO RENDIMENTO AGUAS ABERTAS 2015

PLANO DE ALTO RENDIMENTO AGUAS ABERTAS 2015 PLANO DE ALTO RENDIMENTO AGUAS ABERTAS 2015 Índice 1. INTRODUÇÃO... 5 2. REGIME DE ALTO RENDIMENTO... 6 2.1. CRITÉRIOS DE ACESSO... 6 2.2. REGISTO DOS PRATICANTES... 6 2.3. INSCRIÇÃO DOS PRATICANTES...

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 07 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO Nos termos do Regulamento do SI Qualificação

Leia mais

Poucas Mulheres Treinadoras: Porquê? Cristina Matos Almeida

Poucas Mulheres Treinadoras: Porquê? Cristina Matos Almeida Poucas Mulheres Treinadoras: Porquê? Cristina Matos Almeida Eixos de intervenção Estudo diagnóstico Sensibilização de públicos estratégicos (dirigentes e responsáveis técnicos FD s) Empoderamento das treinadoras

Leia mais

Empresas que se mexem, são empresas que crescem!

Empresas que se mexem, são empresas que crescem! Empresas que se mexem, são empresas que crescem! Apresentação do Projecto/ Abertura de inscrições Introdução A Adere-Minho - Associação para o Desenvolvimento Regional do Minho, entidade de natureza associativa

Leia mais

Perfil Profissional de Treinador

Perfil Profissional de Treinador Programa Nacional de FORMAÇÃO de Treinadores Grau4 Perfil Profissional de Treinador Perfil Profissional - GRAU IV A formação de Grau IV consubstancia o topo da hierarquia profissional da actividade de

Leia mais

Treino em Circuito. O que é?

Treino em Circuito. O que é? Circuitando O que é? O trabalho em circuito foi idealizado por R.E.Morgan e G.T. Adamson em 1953, na Universidade de Leeds, na Inglaterra, como ofrma de manter os seus atletas em trabalho físico num espaço

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE DESIGN PRODUTOS DE MERCHANDISING

REGULAMENTO CONCURSO DE DESIGN PRODUTOS DE MERCHANDISING REGULAMENTO CONCURSO DE DESIGN PRODUTOS DE MERCHANDISING Promotor: Organização: // 1. PREÂMBULO O Chapitô é um projecto em que a Formação, a Criação, a Animação e a Intervenção promovem, dia a dia, cruzamentos

Leia mais

Projecto Nestum Rugby Rugby nas Escolas

Projecto Nestum Rugby Rugby nas Escolas Projecto Nestum Rugby Rugby nas Escolas Introdução A Federação Portuguesa de Rugby (FPR) acordou com o Gabinete do Desporto Escolar o lançamento do Projecto Nestum, Rugby nas Escolas. A NESTUM apoia este

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE REMO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE REMO Destinatários: Clubes Associados da FPR Circular Nº37/14 Proc. nº 2.1 Lisboa 2014-03-06 Assunto: Plano de apoio ao apetrechamento de clubes (PAAC 2014) 1. Introdução O desenvolvimento de uma qualquer modalidade

Leia mais

Associação de Futebol do Porto

Associação de Futebol do Porto Associação de Futebol do Porto RUA ANTÓNIO PINTO MACHADO, 96-106 4100-068 PORTO COMUNICADO OFICIAL Circular n.º 233 = 2014/= Para o conhecimento e orientação dos Clubes Filiados, SAD s, SDUQ S, Árbitros,

Leia mais

PLANO DE ALTO RENDIMENTO NATAÇÃO SINCRONIZADA 2016

PLANO DE ALTO RENDIMENTO NATAÇÃO SINCRONIZADA 2016 PLANO DE ALTO RENDIMENTO NATAÇÃO SINCRONIZADA 2016 Índice 1. INTRODUÇÃO... 4 2. REGIME DE ALTO RENDIMENTO... 6 2.1. CRITÉRIOS DE ACESSO... 6 2.2. REGISTO DOS PRATICANTES... 6 2.3. INSCRIÇÃO DOS PRATICANTES...

Leia mais

2014-2015. DSRLVT Coordenação Local do Desporto Escolar de Lisboa Cidade. Regulamento de Perícias e Corridas de Patins

2014-2015. DSRLVT Coordenação Local do Desporto Escolar de Lisboa Cidade. Regulamento de Perícias e Corridas de Patins 2014-2015 DSRLVT Coordenação Local do Desporto Escolar de Lisboa Cidade Regulamento de Perícias e Corridas de Patins 1 INTRODUÇÃO Pretende-se que os eventos sejam momentos especiais de convívio entre alunos

Leia mais

ESTORIL PRAIA. II Torneio Estoril Praia Escolas

ESTORIL PRAIA. II Torneio Estoril Praia Escolas ESTORIL PRAIA ü O Estoril- Praia alcançou o 5º lugar na Liga ZON Sagres 2012/2013, garanendo uma entrada no palco europeu através de um histórico acesso à Liga Europa 2013/2014. ESTORIL PRAIA OBJETIVOS

Leia mais

VOLEIBOL EM MUTAÇÃO OS DESAFIOS PARA COMEÇAR AGORA A COMPETIR AMANHÃ

VOLEIBOL EM MUTAÇÃO OS DESAFIOS PARA COMEÇAR AGORA A COMPETIR AMANHÃ VOLEIBOL EM MUTAÇÃO OS DESAFIOS PARA COMEÇAR AGORA A COMPETIR AMANHÃ ACÇÃO SOBRE TREINO FÍSICO O TREINO FUNCIONAL EM VOLEIBOL 11 12 13 Junho 19 20 Junho Estar funcional em vez de estar em forma Individualizar,

Leia mais

BENFICA FUTSAL TRAINING CAMP

BENFICA FUTSAL TRAINING CAMP SPORT LISBOA E BENFICA O Sport Lisboa e Benfica, Clube fundado em 28 de Fevereiro de 1904, é o maior Clube do Mundo. Está presente em 70 países através dos 14 Milhões de adeptos e tem a Águia como símbolo,

Leia mais

Troféu de Sintra em BTT 2014 REGULAMENTO

Troféu de Sintra em BTT 2014 REGULAMENTO Troféu de Sintra em BTT 2014 REGULAMENTO DIVISÃO DE DESPORTO E JUVENTUDE NÚCLEO DE DESPORTO AVENTURA Versão 10/3/2014 1 INTRODUÇÂO O Ciclismo nas suas diversas variantes e como modalidade desportiva torna-se

Leia mais

Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas Teórico-Práticas 60 h

Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas Teórico-Práticas 60 h UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA F A C U L D A D E D E E NGE N H ARIA Disciplina de DESENHO Contexto da Disciplina Horas de Trabalho do Aluno Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas

Leia mais

PÓLO AQUÁTICO. associação de natação de lisboa. Regulamentos Específicos

PÓLO AQUÁTICO. associação de natação de lisboa. Regulamentos Específicos PÓLO AQUÁTICO Regulamentos Específicos Época 2015/2016 TORNEIO DE ABERTURA DE ABSOLUTOS MASCULINOS A divulgar em circular. 2. PARTICIPAÇÃO Podem participar os jogadores do género masculino com idade mínima

Leia mais

REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS. (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro)

REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS. (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro) REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro) CAPÍTULO I Objectivos e caracterização do controlo de qualidade

Leia mais

Concurso de Concepção Cloud Habitar Portugal 2012 14

Concurso de Concepção Cloud Habitar Portugal 2012 14 Concurso de Concepção Cloud Habitar Portugal 2012 14 1/4 1. Enquadramento 2. Objectivo 3. Cloud Hp 2012 14 4. Requisitos 5. Destinatários 6. Concurso 7. Júri 8. Apresentação dos Trabalhos 9. Processo de

Leia mais

PLANEJAMENTO II DETECÇÃO NACIONAL DE TALENTOS DO BRASIL 2012. Fase 1. Detecção Municipal nos 27 Estados do Brasil 25 de março (domingo)

PLANEJAMENTO II DETECÇÃO NACIONAL DE TALENTOS DO BRASIL 2012. Fase 1. Detecção Municipal nos 27 Estados do Brasil 25 de março (domingo) A Liderança de Seleções, no uso das atribuições que lhe foram concedidas pela Confederação Brasileira de Tênis de Mesa CBTM, conforme disposto no Estatuto desta Entidade, Art. 4º, no Regulamento Geral

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE RUGBY/ASSOCIAÇÃO DE RUGBY DO SUL GUIA DE CONVÍVIOS DE RUGBY JUVENIL 2004/05

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE RUGBY/ASSOCIAÇÃO DE RUGBY DO SUL GUIA DE CONVÍVIOS DE RUGBY JUVENIL 2004/05 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE RUGBY/ASSOCIAÇÃO DE RUGBY DO SUL GUIA DE CONVÍVIOS DE RUGBY JUVENIL 2004/05 1 ORGANIZAÇÃO 2 LEIS DO JOGO 3 VALORES PEDAGÓGICOS 4 CALENDÁRIO DE CONVÍVIOS 5 ANEXOS Este documento

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DO AlGARVE. CURSO DE TREINADORES DE FUTEBOL UEFA C -RAÍZES Grau I REGULAMENTO DO CURSO

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DO AlGARVE. CURSO DE TREINADORES DE FUTEBOL UEFA C -RAÍZES Grau I REGULAMENTO DO CURSO ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DO AlGARVE CURSO DE TREINADORES DE FUTEBOL UEFA C -RAÍZES Grau I REGULAMENTO DO CURSO Novembro de 2014 / Junho de 2016 ÍNDICE 1. Organização 2. Data de Realização 3. Local de Funcionamento

Leia mais

50 the International Paris Air Show

50 the International Paris Air Show Cluster Aeroespacial Nacional Pavilhão de Portugal 50 the International Paris Air Show Paris - Le Bourget 17 a 23 de Junho de 2013 www.salon-du-bourget.fr ENQUADRAMENTO e OBJECTIVO Na continuidade das

Leia mais

1 - MENSAGEM DE BOM ANO

1 - MENSAGEM DE BOM ANO 1 - MENSAGEM DE BOM ANO Gostaria de desejar a todos um excelente ano de 2009. Este será um ano importante para o crescimento e consolidação do CNT Academia como local de treino privilegiado para o rugby.

Leia mais

Regulamento de Formação Inicial, Especializada, Contínua e Pós-Graduada

Regulamento de Formação Inicial, Especializada, Contínua e Pós-Graduada 1. Missão, Política e Estratégia da Entidade Num mundo em permanente mutação onde a investigação científica e o desenvolvimento das ciências ocupa um lugar determinante, a formação contínua ao longo da

Leia mais

2 CLASSIFICAÇÃO / PONTUAÇÃO

2 CLASSIFICAÇÃO / PONTUAÇÃO 1 CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS E CONFIGURAÇÃO DOS JOGOS O número de praticantes desportivos por equipa que podem ser inscritos no boletim de jogo é os seguintes: 2º Ciclo: 4 jogadores (Jogos 2x2); 3º Ciclo

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2013/2014

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2013/2014 MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2013/2014 JULHO 2013 Índice 1. Nota introdutória... 4 2. 1ª Filiação de Clubes e Entidades Coletivas... 4 a) Documentação necessária - Clubes:...

Leia mais

Futebol Feminino no Desporto Escolar. Plano Plurianual de desenvolvimento do projeto 2015/2016

Futebol Feminino no Desporto Escolar. Plano Plurianual de desenvolvimento do projeto 2015/2016 Futebol Feminino no Desporto Escolar Plano Plurianual de desenvolvimento do projeto 2015/2016 INTRODUÇÃO O Futebol Feminino é uma atividade que tem crescido nos últimos tempos em Portugal e por isso, sentimos

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL 2007 2008 e 2008-2009 ÍNDICE INTRODUÇÃO.. 3 1. CONSTITUIÇÃO / IDENTIFICAÇÃO DAS EQUIPAS... 4 2. DURAÇÃO DOS JOGOS... 5 3. A BOLA.. 6 4. CLASSIFICAÇÃO / PONTUAÇÃO.... 6

Leia mais

Eixo Prioritário III Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial Equipamentos para a Coesão Local Equipamentos Sociais

Eixo Prioritário III Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial Equipamentos para a Coesão Local Equipamentos Sociais Eixo Prioritário III Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial Equipamentos para a Coesão Local Equipamentos Sociais Aviso Apresentação de Candidaturas Equipamentos para a Coesão Local Equipamentos

Leia mais