Operações Geométricas com Imagens

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Operações Geométricas com Imagens"

Transcrição

1 Processamento de Imagens Digitais Operações Geométricas com Imagens PARTE 3 Glaucius Décio Duarte Instituto Federal Sul-rio-grandense : Campus Pelotas Engenharia Elétrica Atualizado em 24mai de 7

2 1. Transformações Geométricas com Imagens 1.3 Redimensionamento (Escala) Matriz de transformação: T = [ex 0 0; 0 ey 0; 0 0 1] onde ex e ey são os fatores de escala nas direções x e y Função: imresize imagemredimensionada = imresize(imagemrgb, fator); onde: fator: fator de redimensionamento pkg load image; clc; clf; rgb = imread ('resistor.jpg'); figure(1); imshow(rgb); rgb_redimensionada = imresize(rgb,0.5); imwrite(rgb_redimensionada,"resistor2.jpg"); Zoom Digital Capacidade de Resolução da Imagem Os sensores de imagens contêm uma teia (ou grade) de fotocélulas, cada uma delas representando um pixel na imagem final - assim a resolução de uma câmera digital é determinada pela quantidade de fotocélulas que existem na superfície de seu sensor. Por exemplo, uma câmera com um sensor no qual cabem 1600 (largura) x 1200 (altura) fotocélulas é capaz de gerar uma imagem de 1600 x 1200 pixels. Então, 2 de 7

3 para efeito de terminologia e definição da capacidade de uma câmera, dizemos simplesmente que ela tem uma resolução de 1600 x 1200 pixels, ou 1,92 megapixels. Atualmente as câmeras mais simples geram arquivos de 640 x 480 pixels, enquanto câmeras de capacidade média estão por volta de 1600 x 1200 pixels, e câmeras de ponta produzem imagens de x pixels (perto de 5 megapixels). Importante notar que isto se refere às câmeras amadoras, pois algumas profissionais já produzem mais de seis milhões de pixels. Quanto maior a capacidade de resolução, geralmente maior também o preço. Outro detalhe importante é que quanto maior a imagem em pixel, maior o tamanho do arquivo resultante. Por isso, normalmente as câmeras digitais possuem uma regulagem para o tamanho do arquivo, dando a opção para o fotógrafo de escolher o modo de resolução. Assim, se alguém vai capturar imagens para a WEB e possui uma câmera de 3.3 megapixels, pode regulá-la para gerar imagens de apenas 640 x 480 pixels, bem mais fáceis de armazenar e lidar. Por exemplo, uma câmera de alta resolução de 2048 x 1560 pixels, gera uma imagem média em arquivo JPEG (depende das tonalidades e intensidade de luz retratadas) de aproximadamente 1,2 MB (megabytes). Já na resolução de 640 x 480 pixels, no mesmo formato JPEG, gerará um arquivo de apenas 220 Kb (kilobytes), ou seja, menos de 1/5 do tamanho. Além da preocupação com espaço de armazenamento e rapidez em transmissão pela Internet, em termos práticos deve-se levar em conta o tamanho com o qual se pretende imprimir a imagem. Ainda seguindo os exemplos acima, a imagem de 2048 x 1560 pixels (3.3 MB) pode ser impressa, sem qualquer perda, em alta resolução (300 dpi), no tamanho de 17,34 x 13 cms, enquanto a imagem de 640 x 480 pixels permite apenas uma boa imagem impressa no tamanho 5,42 x 4,06 cms. Como se calcula o tamanho em termos de resolução é assunto que trataremos mais adiante neste curso, quando abordarmos a impressão. Apesar de quanto maior o número de fotocélulas num sensor melhores imagens serem produzidas, acrescentar simplesmente fotocélulas à um sensor nem sempre é fácil e pode resultar em problemas. Por exemplo, para se colocar mais fotocélulas num sensor de imagem, o sensor precisaria ser maior ou as fotocélulas menores. Chips maiores com mais fotocélulas aumentam as dificuldades de construção e os custos para o fabricante. Fotocélulas menores, por outro lado, serão menos sensíveis e irão capturar menos luz que as de um chip normal. Concluindo, colocar mais fotocélulas num sensor, além de sua complexidade e alto custo, acaba resultando em arquivos maiores, de difícil armazenamento. Por isso a constante corrida tecnológica entre os fabricantes na busca de sensores de maior resolução, com qualidade e preço competitivo. 3 de 7

4 Efeito visual de blocos, pixelização Quanto mais fotocélulas e consequentemente mais pixels, melhores serão os detalhes gravados, e mais nítidas serão as imagens. Se alguém ampliar e continuar ampliando qualquer imagem digital, simplesmente por replicação de pixels (Figura 1), chegará um momento em que os pixels vão começar a aparecerem multifacetados (Figuras 5 e 6). Esse efeito se chama pixelização. Portanto, quanto mais pixels existirem em uma imagem, mais ela aceitará ampliações com qualidade; quanto menos pixels, menor a ampliação possível Interpolação Bilinear (pela média) Aconselha-se este método para fatores de escala 2, 3 ou 4, pois acima disto, acentua-se o borramento. Algoritmo (válido para escala = 2) a) interpolação segundo as linhas f (0,0) = f(0,0) f (0,1) = 0.5(f(0,0)+f(0,1)) f (0,2) = f(0,1) f (0,3) = 0.5(f(0,1)+f(0,2)) b) interpolação segundo as colunas OBS: - f(x, y) <= f (x, y) - Assume-se f(x, y) = 0 for a de [0, M-1] e [0, N-1] Exemplo 1: Considere a seguinte imagem (representada pelas intensidades de cinza). M = [ ; ; ] 4 de 7

5 Então, a imagem resultante, após a aplicação do método de zoom por interpolação bilinear, para um grau de ampliação igual a 2x: MR = [ ; ; ; ; ] Exemplo 2: a = imread('imagem.jpg'); b = imresize(a,[480*2,640*2],'nearest'); imshow(b(240:720,320:960)) Exemplo 3: a = imread('imagem.jpg'); b = imresize(a,[240,320],'bilinear'); c = imresize(b,[120,160],'bilinear'); figure, imshow(a); figure, imshow(b); figure, imshow(c); 1.4 Deslizamento Matriz de transformação - deslizamento vertical: T = [1 0 0; dv 1 0; 0 0 1] Matriz de transformação - deslizamento horizontal: T = [1 dh 0; 0 1 0; 0 0 1] onde dv e dh são os fatores de deslizamento nas direções vertical e horizontal Função: imshear id = imshear(imagemgray, eixo, fator, modo); onde: 5 de 7

6 eixo: pode ser ("x" ou "y") fator: fator de deslizamento modo: pode ser ("loose", "crop" ou "wrap") rgb = imread ('resistor.jpg'); gray = rgb2gray(rgb); figure(1); clf; subplot(1,2,1); imshow(gray); gray_deslizado = imshear(gray,'x',0.1,'crop'); subplot(1,2,2); imshow(gray_deslizado); imwrite(gray_deslizado,'resistor_gray_deslizado.jpg'); title(' DESLIZAMENTO '); 1.5 Espelhamento Matriz de espelhamento em relação ao eixo x: T = [1 0 0; 0-1 0; 0 0 1] Matriz de espelhamento em relação ao eixo y: T = [-1 0 0; 0 1 0; 0 0 1] Matriz de espelhamento em relação à origem: T = [-1 0 0; 0-1 0; 0 0 1] Função: flipud flipud(imagem) Realiza um espelhamento da imagem em relação ao eixo X. 6 de 7

7 flipud([1, 2; 3, 4]) Função: fliplr fliplr(imagem) Realiza um espelhamento da imagem em relação ao eixo Y. fliplr([1, 2; 3, 4]) de 7

Operações Geométricas com Imagens

Operações Geométricas com Imagens Introdução ao PID Processamento de Imagens Digitais Operações Geométricas com Imagens Glaucius Décio Duarte Instituto Federal Sul-rio-grandense : Campus Pelotas Engenharia Elétrica Atualizado em 17mar2015

Leia mais

Introdução ao Octave + Pacote de Processamento de Imagens

Introdução ao Octave + Pacote de Processamento de Imagens Introdução ao PID Processamento de Imagens Digitais Introdução ao Octave + Pacote de Processamento de Imagens Glaucius Décio Duarte Instituto Federal Sul-rio-grandense : Campus Pelotas Engenharia Elétrica

Leia mais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais Esse artigo sobre Formatos de Arquivos Digitais é parte da Tese de Doutoramento do autor apresentada para a obtenção do titulo de Doutor em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP. Thales Trigo

Leia mais

Processamento de Imagens Digitais

Processamento de Imagens Digitais Processamento de Imagens Digitais Redução de Ruídos - Filtros Espaciais "Passa-Baixa" Glaucius Décio Duarte Instituto Federal Sul-rio-grandense Engenharia Elétrica 1 de 7 Ruído em Imagens Digitais As imagens

Leia mais

Imagem digital 2. Resolução x dimensão da imagem

Imagem digital 2. Resolução x dimensão da imagem Uma imagem bitmapeada é formada por um conjunto de pixels. gerados no momento da digitalização da imagem (através do scanner ou câmera digital). PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital 2 Resolução x dimensão

Leia mais

Mídia Impressa X Mídia Eletrônica

Mídia Impressa X Mídia Eletrônica Diferenças entre Mídia Impressa e Eletrônica Resolução Web >> 72dpi Impressão >> 300dpi Padrão de cores Web >> RGB Impressão >> CMYK Tipos de Arquivos Web >> GIF / JPEG Impressão >> TIF / EPS Tamanho dos

Leia mais

Redução de imagem no domínio espacial

Redução de imagem no domínio espacial Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 5º Ano, 1º Semestre Televisão Digital - 2002/2003 Redução de imagem no domínio espacial Armando

Leia mais

Quais as diferenças entre os formatos de imagem PNG, JPG, GIF, SVG e BMP?

Quais as diferenças entre os formatos de imagem PNG, JPG, GIF, SVG e BMP? Quais as diferenças entre os formatos de imagem PNG, JPG, GIF, SVG e BMP? 66.393 Visualizações Por Daniele Starck Disponível em: www.tecmundo.com.br/imagem/5866 quais as diferencas entre os formatos de

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) 1 Classificação da imagem Em relação à sua origem pode-se classificar uma imagem,

Leia mais

Como enviar fotos de câmeras digitais

Como enviar fotos de câmeras digitais Como enviar fotos de câmeras digitais Se as fotos que você deseja enviar para o Geo-Obras foram capturadas com uma câmera digital, será necessário copiá-las para o computador. A maioria dos modelos utiliza

Leia mais

GUIA PADRONIZAÇÃO DE IMAGENS NO INDICADOR CRM

GUIA PADRONIZAÇÃO DE IMAGENS NO INDICADOR CRM GUIA PADRONIZAÇÃO DE IMAGENS NO INDICADOR CRM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Padrões de Proporção... 3 3. Qualidade das Imagens... 6 4. Fotos Panorâmicas... 7 5. Youtube... 8 Página 2 de 9 1. Objetivo

Leia mais

Fotografia digital. Origens da foto digital

Fotografia digital. Origens da foto digital Fotografia digital Este manual, terá como tema uma introdução à fotografia digital, permitindo que os internautas tenham noções básicas de uso da câmera digital, seu funcionamento e recursos, de como transferir

Leia mais

Fotografia Digital. Aula 1

Fotografia Digital. Aula 1 Fotografia Digital Aula 1 FOTOGRAFIA DIGITAL Tema da aula: A Fotografia 2 A FOTOGRAFIA A palavra Fotografia vem do grego φως [fós] ("luz"), e γραφις [grafis] ("estilo", "pincel") ou γραφη grafê, e significa

Leia mais

Tamanho e resolução da imagem

Tamanho e resolução da imagem Tamanho e resolução da imagem Para se produzir imagens de alta qualidade, é importante compreender como é que os dados dos pixels da imagem são medidos e mostrados. Dimensões dos pixels O número de pixels

Leia mais

Módulo 3 Amostragem de Imagens Sistema Multimédia Ana Tomé José Vieira

Módulo 3 Amostragem de Imagens Sistema Multimédia Ana Tomé José Vieira Módulo 3 Amostragem de Imagens Sistema Multimédia Ana Tomé José Vieira Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática Universidade de Aveiro 1 Imagens Digitais 2 Sumário O olho Humano Sistemas

Leia mais

Expansão de Imagem #2

Expansão de Imagem #2 Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Engenharia Electrotécnica e de Computadores Expansão de Imagem #2 Televisão Digital António Alberto da Silva Marques Pedro Ricardo dos Reis Porto, 2004

Leia mais

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital

Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Aula 6 Fundamentos da fotografia digital Fundamentos da fotografia digital: Câmeras digitais CCD e CMOS Resolução Armazenamento Softwares para edição e manipulação de imagens digitais: Photoshop e Lightroom

Leia mais

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão 1 Diferenças entre o CCD e o Filme: O filme como já vimos, é uma película de poliéster, coberta em um dos lados por uma gelatina de origem animal com partículas

Leia mais

Fotografia digital 1

Fotografia digital 1 Fotografia digital 1 Indice 1 Origens da foto digital... 4 2 Imagens Inusitadas... 6 2.1 Resgatando Álbuns de Família... 8 3 Diferenças entre tradicionais e digitais... 8 4 Conceitos e procedimentos...

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Processamento Digital de Imagens

Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Processamento Digital de Imagens Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Processamento Digital de Imagens Prof Fabrízzio Alphonsus A M N Soares 2012 Capítulo 2 Fundamentos da Imagem Digital Definição de Imagem: Uma imagem

Leia mais

COMO PREPARAR/ENVIAR SEU ARQUIVO PARA IMPRESSÃO EM COREL DRAW E PHOTOSHOP

COMO PREPARAR/ENVIAR SEU ARQUIVO PARA IMPRESSÃO EM COREL DRAW E PHOTOSHOP COMO PREPARAR/ENVIAR SEU ARQUIVO PARA IMPRESSÃO EM COREL DRAW E PHOTOSHOP ÍNDICE EXPORTANTO EM COREL DRAW 1 - definindo o tamanho pág. 3 2 - padrão (sistema de cores - cmyk) pág. 3 3 - resolução pág. 4

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3) Introdução A possibilidade de utilizarmos imagens, gráficos, desenhos e textos artísticos

Leia mais

Código de Barras ISSN

Código de Barras ISSN Código de Barras ISSN Escrito por: Eng. Luciano T.Junior O Código ISSN...3 O que o Número ISSN Representa?... 3 O Código de Barras ISSN...4 Código de Barras Adicionais... 4 Outras Informações...6 O LinhaBase

Leia mais

III CONCURSO DE FOTOGRAFIA FAE

III CONCURSO DE FOTOGRAFIA FAE III CONCURSO DE FOTOGRAFIA FAE REGULAMENTO Um olhar para o futuro I PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO A. O Concurso de Fotografia da FAE é uma iniciativa promovida pela Coordenação do Núcleo Cultural do Programa de

Leia mais

ferramentas da imagem digital

ferramentas da imagem digital ferramentas da imagem digital illustrator X photoshop aplicativo ilustração vetorial aplicativo imagem digital 02. 16 imagem vetorial X imagem de rastreio imagem vetorial traduz a imagem recorrendo a instrumentos

Leia mais

SISTEMAS DE UNIDADES DO COMPUTADOR

SISTEMAS DE UNIDADES DO COMPUTADOR SISTEMAS DE UNIDADES DO COMPUTADOR Sistemas de unidades do computador Unidade de Armazenamento e informação Unidade de Frequência Unidade de Transmissão Unidade de velocidade de transmissão Unidade de

Leia mais

Imagem e Gráficos. vetorial ou raster?

Imagem e Gráficos. vetorial ou raster? http://computacaografica.ic.uff.br/conteudocap1.html Imagem e Gráficos vetorial ou raster? UFF Computação Visual tem pelo menos 3 grades divisões: CG ou SI, AI e OI Diferença entre as áreas relacionadas

Leia mais

Atividade: matrizes e imagens digitais

Atividade: matrizes e imagens digitais Atividade: matrizes e imagens digitais Aluno(a): Turma: Professor(a): Parte 01 MÓDULO: MATRIZES E IMAGENS BINÁRIAS 1 2 3 4 5 6 7 8 Indique, na tabela abaixo, as respostas dos 8 desafios do Jogo dos Índices

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas a manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Departamento de Eletrônica e Computação - DELC Introdução à Informática Prof. Cesar Tadeu Pozzer Julho de 2006 Imagens Uma imagem é representada por uma matriz

Leia mais

Departamento de Engenharia Industrial MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

Departamento de Engenharia Industrial MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Engenharia Industrial MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Apresentação Introdução / Conceito 02 Área de Proteção 03 Versões 04 Aplicação Sobre Fundo Colorido 06 Aplicação Sobre Fundo Claro e/ou Escuro 07 Aplicação

Leia mais

Aquisição e Representação da Imagem Digital

Aquisição e Representação da Imagem Digital Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Aquisição e Representação da Imagem Digital Antonio G. Thomé thome@nce.ufrj.br Sala AEP/33 Sumário. Introdução 2. Aquisição e Representação da Imagem

Leia mais

Aula 2 Aquisição de Imagens

Aula 2 Aquisição de Imagens Processamento Digital de Imagens Aula 2 Aquisição de Imagens Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira mvieira@sc.usp.br EESC/USP Fundamentos de Imagens Digitais Ocorre a formação de uma imagem quando

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Seção do Corpo Imagens

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Seção do Corpo Imagens IntroduçãoàTecnologiaWeb HTML HyperTextMarkupLanguage XHTML extensiblehypertextmarkuplanguage SeçãodoCorpo Imagens ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger SeçãodoCorpo Imagens Índice

Leia mais

Tratamento de Imagens

Tratamento de Imagens José Luiz de Souza Pio Karla Albuquerque de Vasconcelos Borges Disciplina: Processamento digital de Imagens 07/2001 Tratamento de Imagens 1. Imagem com ruído eliminação de ruído com técnicas do domínio

Leia mais

VIDJAYA INFORMÁTICA LTDA.

VIDJAYA INFORMÁTICA LTDA. Parametrização do formato e características visuais da tabela eletrônica Área Operacional Servidor Área Espelho Terminal (2) Modelo de terminal 1 Área Operacional Modelo de terminal 2 Modelo de terminal

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO

COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA RESOLUÇÃO Associada à quantidade e a qualidade de

Leia mais

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Conteúdo s: Aspetos genéricos sobre o trabalho com imagens computacionais. Imagens computacionais e programas que criam ou manipulam esse tipo de imagens.

Leia mais

Introdução ao Processamento de Imagens

Introdução ao Processamento de Imagens Introdução ao PID Processamento de Imagens Digitais Introdução ao Processamento de Imagens Glaucius Décio Duarte Instituto Federal Sul-rio-grandense Engenharia Elétrica 2013 1 de 7 1. Introdução ao Processamento

Leia mais

Gerenciamento de cor. 7.2 Calibração do scanner utilizando a calibração IT8 de SilverFast

Gerenciamento de cor. 7.2 Calibração do scanner utilizando a calibração IT8 de SilverFast Botão para a abertura do diálogo de calibração IT8 colorido: A calibração IT8 está ativa cinza: A calibração IT8 está desativada O botão IT8 somente está visível, se a função estiver liberada!.2 Calibração

Leia mais

Sidnei Costa Souza sid.nat@zaz.com.br RESOLUÇÃO

Sidnei Costa Souza sid.nat@zaz.com.br RESOLUÇÃO Sidnei Costa Sza sid.nat@zaz.com.br RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO A imagem está em alta baixa resolução? Vai serrilhar/pixealizar a imagem? Estas são perguntas muito comuns em um bureau de saída de fotolito. Estas

Leia mais

Manual PAINT.NET de imagens

Manual PAINT.NET de imagens Manual PAINT.NET de imagens 1. Instalação 1.1 - Para instalar o programa paint.net, o primeiro passo é baixá-lo do endereço a seguir e salvá-lo em seu computador. http://ww2.prefeitura.sp.gov.br/paint_net/paint.net.3.36.exe

Leia mais

Fundamentos de Processamento de Imagens SCC0251/5830 Processamento de Imagens

Fundamentos de Processamento de Imagens SCC0251/5830 Processamento de Imagens Fundamentos de Processamento de Imagens SCC0251/5830 Processamento de Imagens Prof. Moacir Ponti Jr. www.icmc.usp.br/~moacir Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação USP 2012/1 Moacir Ponti Jr.

Leia mais

Aula 5 - Classificação

Aula 5 - Classificação AULA 5 - Aula 5-1. por Pixel é o processo de extração de informação em imagens para reconhecer padrões e objetos homogêneos. Os Classificadores "pixel a pixel" utilizam apenas a informação espectral isoladamente

Leia mais

Processamento digital de imagens. introdução

Processamento digital de imagens. introdução Processamento digital de imagens introdução Imagem digital Imagem digital pode ser descrita como uma matriz bidimensional de números inteiros que corresponde a medidas discretas da energia eletromagnética

Leia mais

1) Entrando com Matrizes no MatLab.

1) Entrando com Matrizes no MatLab. PRÁTICA 1. Atenção! Os quadros indicados com a letra T referem-se a Treinamento. Devem ser implementados mas não fazem parte do relatório da prática. Os quadros indicados coma letra E são os exercícios

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Introdução à Computação Licenciatura em Computação Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com Representação da informação Ao final deste capítulo você deverá ser capaz

Leia mais

Processamento de Imagens com MATLAB

Processamento de Imagens com MATLAB com MATLAB Carlos Alexandre Mello Toolboxes Image Processing Diretório: o toolbox/images/images Comando imshow(): Visualização de imagens Uso: o imshow(nome_do_arquivo ou variável) Exemplo: o imshow( eight.tif

Leia mais

Universidade Federal de Alagoas Instituto de Matemática. Imagem. Prof. Thales Vieira

Universidade Federal de Alagoas Instituto de Matemática. Imagem. Prof. Thales Vieira Universidade Federal de Alagoas Instituto de Matemática Imagem Prof. Thales Vieira 2014 O que é uma imagem digital? Imagem no universo físico Imagem no universo matemático Representação de uma imagem Codificação

Leia mais

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica A natureza da imagem fotográfica PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital - 1 Antes do desenvolvimento das câmeras digitais, tínhamos a fotografia convencional, registrada em papel ou filme, através de um processo

Leia mais

Manual Sistema MLBC. Manual do Sistema do Módulo Administrativo

Manual Sistema MLBC. Manual do Sistema do Módulo Administrativo Manual Sistema MLBC Manual do Sistema do Módulo Administrativo Este documento tem por objetivo descrever as principais funcionalidades do sistema administrador desenvolvido pela MLBC Comunicação Digital.

Leia mais

Introdução ao processamento de imagens e OCTAVE. Julio C. S. Jacques Junior juliojj@gmail.com

Introdução ao processamento de imagens e OCTAVE. Julio C. S. Jacques Junior juliojj@gmail.com Introdução ao processamento de imagens e OCTAVE Julio C. S. Jacques Junior juliojj@gmail.com Octave www.gnu.org/software/octave/ Linguagem Interpretada (similar ao MATLAB... portabilidade) Voltada para

Leia mais

INFORMÁTICA PARA ADMINISTRAÇÃO I

INFORMÁTICA PARA ADMINISTRAÇÃO I CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ INFORMÁTICA PARA ADMINISTRAÇÃO I Unidade II O usuário se comunica com o núcleo do computador (composto por CPU e memória principal) através de dispositivos de entrada

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL ÍNDICE CONSTRUÇÃO Versão preferencial... 03 Malha construtiva... 04 Cores institucionais... 05 USABILIDADE Área de não interferência... 06 Redução máxima... 07 Aplicações sobre

Leia mais

Prof. Célio Conrado 1

Prof. Célio Conrado 1 O usuário se comunica com o núcleo do computador (composto por CPU e memória principal) através de dispositivos de entrada e saída (dispositivos de E/S). Todo objeto que faz parte do sistema e tem por

Leia mais

WEB DESIGN ELEMENTOS GRÁFICOS

WEB DESIGN ELEMENTOS GRÁFICOS ELEMENTOS GRÁFICOS Parte 4 José Manuel Russo 2005 24 A Imagem Bitmap (Raster) As imagens digitais ou Bitmap (Raster image do inglês) são desenhadas por um conjunto de pontos quadrangulares Pixel alinhados

Leia mais

Técnicas de Cartografia Digital

Técnicas de Cartografia Digital Técnicas de Cartografia Digital Maria Cecília Bonato Brandalize 2011 Aula 8 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens Como são representados

Leia mais

Fotografia Digital no Brasil

Fotografia Digital no Brasil 1 Fotografia Digital no Brasil Hoje temos uma grande variedade de câmaras digitais, mas como elas captam a imagem e a transformam em informação digital é o que vamos ver a seguir. Um Pouco de História

Leia mais

Câmera Digital. Autor: Darllene Negri Nicioli

Câmera Digital. Autor: Darllene Negri Nicioli Câmera Digital Autor: Darllene Negri Nicioli 2 OBJETIVO Têm como objetivo este trabalho mostrar o princípio de funcionamento geral de uma câmera digital até as vantagens e desvantagens do produto final,

Leia mais

Rastreamento de Múltiplos. Objetos em Tempo Real

Rastreamento de Múltiplos. Objetos em Tempo Real Rastreamento de Múltiplos Objetos em Tempo Real THIAGO DA ROSA DE BUSTAMANTE 1 UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Antônio Carlos, 667 Pampulha - Belo Horizonte, MG, Brasil trb@dcc.ufmg.br

Leia mais

RESOLUÇÃO 287 DE 29 DE JULHO DE 2008 (*) (com a alteração da Resolução nº 361/10)

RESOLUÇÃO 287 DE 29 DE JULHO DE 2008 (*) (com a alteração da Resolução nº 361/10) RESOLUÇÃO 287 DE 29 DE JULHO DE 2008 (*) (com a alteração da Resolução nº 361/10) Regulamenta o procedimento de coleta e armazenamento de impressão digital nos processos de habilitação, mudança ou adição

Leia mais

Sistemas de Informações Hospitalares Imagens Armazenamentos. Prof.: Edson Wanderley

Sistemas de Informações Hospitalares Imagens Armazenamentos. Prof.: Edson Wanderley Sistemas de Informações Hospitalares Imagens Armazenamentos Prof.: Edson Wanderley O que é um Sistema de Informação Hospitalar É um software que tem a finalidade de gerenciar um ou diversos setores de

Leia mais

Opções avançadas. Imprimindo páginas de separação. Impressora a laser Phaser 5500. Este tópico inclui:

Opções avançadas. Imprimindo páginas de separação. Impressora a laser Phaser 5500. Este tópico inclui: Opções avançadas Este tópico inclui: "Imprimindo páginas de separação" na página 2-68 "Imprimindo várias páginas em uma única folha de papel (várias em 1)" na página 2-69 "Imprimindo livretos" na página

Leia mais

Scanners Manual Básico. Um guia prático e rápido para conhecer o melhor tipo de equipamento para seus trabalhos.

Scanners Manual Básico. Um guia prático e rápido para conhecer o melhor tipo de equipamento para seus trabalhos. Scanners Manual Básico Um guia prático e rápido para conhecer o melhor tipo de equipamento para seus trabalhos. Tipos de Scanners Diferentes tipos de scanners funcionam de diferentes maneiras. Conheça

Leia mais

PTR 13530-P PTR 17530-P

PTR 13530-P PTR 17530-P DESCRITIVO TÉCNICO Linha P -22/02/12 Rev. I PRENSA DOBRADEIRA HIDRÁULICA SINCRONIZADA marca NGP mod. P Especificações Técnicas: Descrição Unid 4020-P 13530-P 17530-P 22030-P 26030-P 32030-P 40040-P Força

Leia mais

Desafios arquivísticos contemporâneos: seminário em torno dos 40 anos do CPDOC Sessão 1: Arquivos, metadados, nuvens: os desafios do mundo digital

Desafios arquivísticos contemporâneos: seminário em torno dos 40 anos do CPDOC Sessão 1: Arquivos, metadados, nuvens: os desafios do mundo digital Desafios arquivísticos contemporâneos: seminário em torno dos 40 anos do CPDOC Sessão 1: Arquivos, metadados, nuvens: os desafios do mundo digital 29 de agosto de 2013 Coordenação de Documentação do CPDOC

Leia mais

Русский Tipo Data Cor Semana Classifi cado conforme o tipo de arquivo (por exemplo, imagem, vídeo ou voz) Classifi cado conforme a seqüência de datas registradas. Classifi cado conforme a cor

Leia mais

Design para internet. Resolução. - No Design Gráfico quanto maior o DPI melhor. - Na web não é bem assim.

Design para internet. Resolução. - No Design Gráfico quanto maior o DPI melhor. - Na web não é bem assim. Resolução - No Design Gráfico quanto maior o DPI melhor. - Na web não é bem assim. Resolução Exemplo de imagem com diferentes resoluções de Pontos/Pixels por polegada". Em uma imagem digital quanto mais

Leia mais

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA.

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. Imagem digital é a representação de uma imagem bidimensional usando números binários codificados de modo a permitir seu armazenamento, transferência, impressão ou reprodução,

Leia mais

Capítulo 5. Figura 5.2. Conector para o monitor.

Capítulo 5. Figura 5.2. Conector para o monitor. Capítulo 5 Placas de vídeo Visão geral das placas de vídeo Esta placa está presente em todos os PCs, exceto nos que possuem placas de CPU com os circuitos de vídeo embutidos. A maioria dos PCs produzidos

Leia mais

Classificação de Imagens

Classificação de Imagens Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil Classificação de Imagens Profa. Adriana Goulart dos Santos Extração de Informação da Imagem A partir de uma visualização das imagens,

Leia mais

a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. Dezembro de 2009

a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. Dezembro de 2009 16 a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. 17 Marca Dinâmica e evolutiva, a marca Bematech é formada pelo símbolo e logotipo. Suas elipses simbolizam a essência de uma empresa empreendedora.

Leia mais

Modelos de Caso de Administração

Modelos de Caso de Administração Modelos de Caso de Administração Instruções Ajude a equipe Premier+ a concluir seus Casos de Administração de forma rápida e eficiente! Este documento lista as informações necessárias para concluir as

Leia mais

Manual de identidade LINHA PROFISSIONAL

Manual de identidade LINHA PROFISSIONAL Índice Proporções do logotipo Manual de identidade LINHA PROFISSIONAL A Black & Decker desenvolveu este guia para manter o padrão visual na comunicação da LINHA PROFISSIONAL. Nela você encontrará os elementos

Leia mais

Mídia Impressa. Media kit 2015. Informações. Quem são nossos leitores? www.revistadigitalsecurity.com.br

Mídia Impressa. Media kit 2015. Informações. Quem são nossos leitores? www.revistadigitalsecurity.com.br Mídia Impressa O que é a Digital Security A revista Digital Security traz as principais tendências e notícias sobre o mercado de segurança eletrônica do ponto de vista tecnológico, em todos os seus segmentos.

Leia mais

2 Texturas com Relevo e Equações de Pré Warping

2 Texturas com Relevo e Equações de Pré Warping 2 Texturas com Relevo e Equações de Pré Warping A noção de warping de imagens é fundamental para o entendimento da técnica abordada nesta dissertação. Este capítulo apresenta definições formais para vários

Leia mais

No manual da webcam, ele descobriu que seu sensor de imagem tem dimensão total útil de 2

No manual da webcam, ele descobriu que seu sensor de imagem tem dimensão total útil de 2 1. (Ufsc 2015) Fotografar é uma arte que se popularizou com os celulares e se intensificou com as redes sociais, pois todos querem postar, publicar os seus registros, suas selfies. Talvez alguns celulares

Leia mais

Cool Pet Photo RETRATO DE ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO. TM 00351 917006337 EMAIL coolpetphoto@gmail.com. WEB www.coolpetphoto.com

Cool Pet Photo RETRATO DE ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO. TM 00351 917006337 EMAIL coolpetphoto@gmail.com. WEB www.coolpetphoto.com Cool Pet Photo RETRATO DE ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO TM 00351 917006337 EMAIL coolpetphoto@gmail.com WEB www.coolpetphoto.com Parabéns! Se está a ler isto, provavelmente tem um animal de estimação que adora

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL Representação da imagem Uma imagem é uma função de intensidade luminosa bidimensional f(x,y) que combina uma fonte de iluminação e a reflexão ou absorção de energia a partir

Leia mais

Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída

Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída Classificação dos dispositivos (ou periféricos) ricos) Entrada Teclado Rato, touchpad, pointing device, track ball Scanner Câmaras digitais (fotográficas

Leia mais

TUTORIAL PARA ARQUIVOS DE VÍDEO

TUTORIAL PARA ARQUIVOS DE VÍDEO TUTORIAL PARA ARQUIVOS DE VÍDEO ALGUNS PARÂMETROS BÁSICOS A SEREM USADOS NA GERAÇÃO DE ARQUIVOS DE VÍDEO Quando geramos um arquivo de vídeo, ele se apresenta em diferentes formatos, conforme exemplos abaixo:.avi.mov.mpg.wmv

Leia mais

Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático

Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático Elementos que constituem o Computador O funcionamento do computador é possível devido aos vários elementos interligados que o constituem:

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas à manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

Apresentação do Projeto Gráfico

Apresentação do Projeto Gráfico Arte-final Arquivo feito no computador utilizando softwares específicos que permitem a produção de um fotolito para impressão gráfica. Programas Utilizados para a Produção de Arte-final. Dependendo das

Leia mais

Workshop Processing: Visualização de Dados e Interatividade

Workshop Processing: Visualização de Dados e Interatividade Workshop Processing: Visualização de Dados e Interatividade Imagens Claudio Esperança Programa de Engenharia de Sistemas e Computação COPPE / UFRJ Escola de Belas Artes Claudio Esperança (PESC/COPPE/UFRJ)

Leia mais

MANUAL DE APLICAÇÃO DA MARCA

MANUAL DE APLICAÇÃO DA MARCA MANUAL DE APLICAÇÃO DA MARCA 1. APRESENTAÇÃO Este manual apresenta, documenta e normatiza a utilização da identidade visual do Circo Crescer e Viver e de seu selo comemorativo de 10 anos. É fundamental

Leia mais

CADERNOS DE INFORMÁTICA Nº 1. Fundamentos de Informática I - Word 2010. Sumário

CADERNOS DE INFORMÁTICA Nº 1. Fundamentos de Informática I - Word 2010. Sumário CADERNO DE INFORMÁTICA FACITA Faculdade de Itápolis Aplicativos Editores de Texto WORD 2007/2010 Sumário Editor de texto... 3 Iniciando Microsoft Word... 4 Fichários:... 4 Atalhos... 5 Área de Trabalho:

Leia mais

I CONCURSO FOTOGRÁFICO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA REGULAMENTO

I CONCURSO FOTOGRÁFICO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA REGULAMENTO I CONCURSO FOTOGRÁFICO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA 1 Dos objetivos REGULAMENTO 1.1) A Biblioteca Universitária (BU) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promove, na semana de 25 a 29 de outubro

Leia mais

Trabalho Prático n. 2

Trabalho Prático n. 2 Trabalho Prático n. 2 Programação com Quadtrees Métodos de Programação I 2003/04 Preâmbulo Este trabalho prático é constituído por duas secções. A primeira contém questões obrigatórias, e a segunda questões

Leia mais

PDI 1 - Projeto e Design de Interfaces Web

PDI 1 - Projeto e Design de Interfaces Web Introdução a HTML e XHTML Elementos básicos parte 2 Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: --Adicionando imagens; --Trabalhando com vídeos e sons em HTML; Disponível em http://wp.me/p48yvn-43 2 Inserindo

Leia mais

MEDIA KIT 2015. O mais eficiente canal de comunicação para sua empresa

MEDIA KIT 2015. O mais eficiente canal de comunicação para sua empresa O mais eficiente canal de comunicação para sua empresa Mídia impressa Panorama Hospitalar: as notícias do setor em único só lugar Conteúdo exclusivo sobre as inovações, tendências e gestão no setor da

Leia mais

Encontrando a Linha Divisória: Detecção de Bordas

Encontrando a Linha Divisória: Detecção de Bordas CAPÍTULO 1 Encontrando a Linha Divisória: Detecção de Bordas Contribuíram: Daniela Marta Seara, Geovani Cássia da Silva Espezim Elizandro Encontrar Bordas também é Segmentar A visão computacional envolve

Leia mais

FILMADORA SPORT MANUAL DO USUÁRIO. Todas as Imagens deste manual são meramente ilustrativas.

FILMADORA SPORT MANUAL DO USUÁRIO. Todas as Imagens deste manual são meramente ilustrativas. FILMADORA SPORT MANUAL DO USUÁRIO Todas as Imagens deste manual são meramente ilustrativas. www.orangeexperience.com.br FILMADORA SPORT ÍNDICE Acessórios Encaixe dos Suportes Requisitos do Sistema O

Leia mais

Uma nova maneira de interagir com a Gráfica Art3! A mais nova tecnologia em aprovação de arquivos via WEB.

Uma nova maneira de interagir com a Gráfica Art3! A mais nova tecnologia em aprovação de arquivos via WEB. Uma nova maneira de interagir com a Gráfica Art3! A mais nova tecnologia em aprovação de arquivos via WEB. O Portal Art3 é um sistema que permite uma grande flexibilidade na entrega e aprovação de seus

Leia mais

Curso Prático de Fotografia

Curso Prático de Fotografia Curso Prático de Fotografia O Curso Prático de Fotografia do MEF abrange cinco áreas da fotografia, sendo indicado para quem pretenda adquirir uma formação técnica de base sólida. As áreas do Curso Prático

Leia mais

Sensores Next. Duodigit. www.duodigit.com.br (11) 2062-1821 contato@duodigit.com.br NB1010-U 75000223 NB1010-S 75000221

Sensores Next. Duodigit. www.duodigit.com.br (11) 2062-1821 contato@duodigit.com.br NB1010-U 75000223 NB1010-S 75000221 Sensores Next NB1010-U 75000223 NB1010-S 75000221 INTERFACE USB OU SPI EXCLUSIVO SISTEMA NEXT ACTIVE THERMAL RESOLUÇÃO DE 385DPI DURABILIDADE DE 1 MILHÃO DE TOQUES Em um mundo cada vez mais conectado,

Leia mais

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16 Informática Prof. Macêdo Firmino Representação da Informação Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16 Introdução Estamos acostumados a pensar nos computadores como mecanismos complexos,

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO 3 TELA DE APRESENTAÇÃO 3 DESENHANDO E TRANSFORMANDO 29 FERRAMENTA FORMA 29 PREENCHIMENTOS E CONTORNOS 36

Sumário INTRODUÇÃO 3 TELA DE APRESENTAÇÃO 3 DESENHANDO E TRANSFORMANDO 29 FERRAMENTA FORMA 29 PREENCHIMENTOS E CONTORNOS 36 Sumário Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 5.988 de 14/12/73. Nenhuma parte deste livro, sem prévia autorização por escrito de Celta Informática, poderá ser reproduzida total ou parcialmente,

Leia mais

Objetivos. Imagens no MATLAB. Imagens no MATLAB. Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina FACAPE Processamento de Imagens com MATLAB

Objetivos. Imagens no MATLAB. Imagens no MATLAB. Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina FACAPE Processamento de Imagens com MATLAB Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina FACAPE Processamento de Imagens com MATLAB Prof. Sergio 1 Objetivos Dar uma visão geral dos fundamentos de processamento digital de imagens. Introdução

Leia mais