Espaço Não Formal e Sua Contribuição Na Educação Formal e Continuada: Uma Experiência Bem Sucedida No Brasil.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Espaço Não Formal e Sua Contribuição Na Educação Formal e Continuada: Uma Experiência Bem Sucedida No Brasil."

Transcrição

1 Espaço Não Formal e Sua Contribuição Na Educação Formal e Continuada: Uma Experiência Bem Sucedida No Brasil. ALMEIDA, P.C.T; BRITTO FILHO, J.D; NUNES, W.V. 1

2 Espaço Não Formal e Sua Contribuição Na Educação Formal e Continuada: Uma Experiência Bem Sucedida No Brasil. ALMEIDA, P.C.T (1) ; BRITTO FILHO, J.D (2; 3) ; NUNES, W.V. (1) 1) I.F.R.J. Nilópolis, - BRASIL; 2) CEDERJ Paracambi / UERJ Universidade do Estado do Rio de Janeiro, BRASIL; 3) MCTI-CETEM Centro de Tecnologia Mineral Ilha do Fundão RJ-BRASIL RESUMO: s: O Espaço da Ciência de Paracambi (ECP) é dedicado à divulgação científica, um projeto de sentido amplo que busca apresentar, para a comunidade, a ciência e a tecnologia de uma maneira criativa e lúdica, fazendo com que a informação científica torne-se mais popular. Este Espaço é uma unidade ligada a Secretaria Municipal de Educação e Esporte de Paracambi - R.J. Possui como objetivos a difusão do conhecimento científico, transformando o saber especializado em bem comum, com a promoção da inclusão social, despertando a população de um modo geral (público leigo, estudantes e professores) para os processos e princípios da Ciência com a exposição de experimentos, com visitação orientada, exposição itinerante, organização de oficinas de produção de experimentos científicos por alunos do ensino fundamental, médio ou superior e suporte educacional aos educadores (professores) onde os mesmos tenham a oportunidade de colocar em pauta a importância da educação científica para a vida dos alunos. Segundo (OLIVEIRA E MOURA, 2005), os Espaços Não Formais estimulam a aprendizagem dos alunos estreitam as amizades e motivam novos saberes. PALAVRAS CHAVE: Espaços Não Formais; Educação; Divulgação Científica, Popularização da Ciência e Tecnologia; Políticas Públicas para Educação, Fomento Governamental. INTRODUÇÃO: O Espaço da Ciência de Paracambi (ECP) é dedicado à divulgação científica, em um projeto de sentido amplo que busca apresentar, para a comunidade, a ciência e a 2

3 tecnologia de uma maneira criativa e lúdica, fazendo com que a informação científica torne-se mais popular. Espaço da Ciência é um programa da Fundação CECIERJ Centro de Ciências do Estado do Rio de Janeiro, que tem como objetivo a implantação de centros de ciências e planetários nos municípios do Estado do Rio de Janeiro. Uma ação de política de estado trans governamental de interiorização de centros de ciências inovadora no Brasil, que busca promover a difusão e popularização da ciência e tecnologia para o público em geral, mas é especialmente voltada para os estudantes e professores das redes escolares regionais. Nesse espaço, um misto de museu e centro de ciências, cuja concepção envolveu diversos setores dos poderes federal, estadual e municipal, cujo o planejamento e instalação envolveu uma parceria com o BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Social (Governo Federal), através de um convênio estabelecido com a Prefeitura Municipal de Paracambi (Governo Municipal), o Setor de Divulgação Científica da Fundação CECIERJ (Governo do Estado do Rio de Janeiro). Além disso, há o aporte financeiro recebido por projetos específicos para feiras e eventos que tem sido contemplados desde 2009 e anos seguintes através de editais do CNPq Conselho Nacional de Pesquisa (Agencia de fomento do governo federal), onde verbas tem sido usadas para complementar e ampliar o leque de atividades de cunho científico e cultural, além de ajudar a manter as exposições e equipamentos interativos existentes e oferecidos aos visitante, assim como contribuir para a melhoria do ensino formal de ciências ao servir de apoio aos professores como local para suas atividades didáticas em ambiente extra classe. O sentido do existir do ECP Paracambi é a difusão contínua do conhecimento científico, transformando o saber especializado em bem comum; catalisando a promoção da inclusão social, despertando a população de um modo geral (público leigo, estudantes e professores) para os processos e princípios da Ciência; a manutenção de exposição de experimentos, com visitação orientada; a exposição itinerante; a organização de oficina de produção de experimentos científicos por alunos do ensino fundamental, médio ou superior e a difusão da ciência, a qual considera uma dimensão subjetiva, que é o envolvimento emocional e mental das pessoas, uma dimensão social, que é a formação de cidadania, uma dimensão cultural, correspondendo ao estímulo à criatividade e uma dimensão ecológica, envolvendo a compreensão da unidade entre homem e natureza, Segundo (GASPAR 2002), Na educação informal, não há lugar, horários ou currículos. Os conhecimentos são partilhados em meio a uma interação sociocultural que tem, como única condição necessária e suficiente, existir quem saiba e quem queira ou precise saber. E esse é exatamente o sentido de existência do ECP. (Figuras 01; 02; 03; 04; 05; 06; 07 e 08). Os diversos experimentos científicos de Física e Matemática, disponibilizados aos visitantes sob a supervisão e orientação de monitores previamente treinados, constituídos por estudantes dos cursos de Licenciaturas do CEDERJ Polo de Paracambi. Entre os ambientes existentes contamos com uma sala de Microscopia, com microscópios de luz, câmeras e televisores digitais que oferecem a alunos, 3

4 professores, público visitante, a oportunidade de conhecer e manusear equipamento de pesquisa de excelente nível tecnológico. Hoje, o agendamento de visitas das escolas interessadas conta com os diversos recursos (telefone, pessoalmente, por ofício, sítio institucional e correio eletrônico: Telefone: (21) e Pessoalmente: Rua Sebastião de Lacerda, s/nº - CEP: , bairro da Fábrica Paracambi RJ BRASIL (segunda a sexta-feira das 9:00H às 16:00H). Ainda contamos com um Sitio Institucional: Correio Eletrônico: OBJETIVOS: As atividades desenvolvidas pelo ECP têm como objetivo: A popularização, promoção e divulgação da cultura científica, possibilitando uma maior aproximação às comunidades e a inovação de práticas pedagógicas e de aprendizagem, Despertar o interesse da sociedade em geral para a Ciência, contribuindo para a educação científica dos jovens, especialmente dos estudantes dos ensinos fundamental e médio. Dessa forma procura promover a formação de futuros profissionais que poderão atuar no campo da Ciência e da Tecnologia. Dar suporte Educacional, oferecendo oficinas a educadores onde tenham a oportunidade de colocar em pauta a importância da educação científica para a vida dos alunos, estimulando a promoção de feiras de ciências nas escolas do Município de Paracambi. Consolidar a missão da instituição na divulgação da ciência e tecnologia de forma interativa e inovadora. METODOLOGIA: A metodologia usada foi a pesquisa de caráter descritivo e qualitativo envolvendo relatos de diversas atividades, tais como a apresentação de palestras, murais, exibições teatrais, mostras itinerantes, oficinas para professores da rede municipal de ensino, oficinas para alunos da rede municipal de ensino, oficinas abertas para a comunidade local, com temas sempre ligados a divulgação e popularização de Ciência e Tecnologia (Figuras 04, 06 e 08). Como descrito anteriormente, a sala de microscopia vem desenvolvendo, sob agendamento, as seguintes atividades: preparo de lâminas para observação em microscópio; observação e identificação de protozoários cultivados para esse fim; observar insetos e corpos muitos pequenos; conhecer as partes componentes e aprender como operar um microscópio de luz transmitida e refletida e lupa. O Cineclube CEDERJ está em pleno funcionamento no ECP desde o mês de outubro de 2013, toda sexta-feira a partir das 18:00 horas, com apresentações do acervo disponibilizado pela Fundação CECIERJ e com alguns títulos doados pelo projeto VER 4

5 CIÊNCIA, um acervo disponibilizado pelo MCTI Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, órgão do governo Federal. CONCLUSÕES E IMPLICAÇÕES Este trabalho tem como principal objetivo descrever, documentar e divulgar o fruto dos trabalhos desenvolvidos ao longo de uma década no município de Paracambi, região Sul Fluminense do estado do Rio de Janeiro Brasil, em que desenvolvemos, implementamos e consolidamos práticas dos programas de governos das diversas esferas (Poder Municipal, Poder Estadual e Poder Federal) de tal forma que através das ações implementadas possibilitaram que fossemos contemplados por três vezes em Editais de programa de fomento governamental do MCTI repassado pelo CNPq, no qual com os recursos obtidos nos possibilitou melhorar as condições de logística nas feiras municipais de 2012, 2013 e 2014 sempre em parceria com o governo municipal da Prefeitura do Município de Paracambi, através da Secretaria Municipal de Educação e Esportes. A responsabilidade dos profissionais envolvidos dentro da referida Secretaria Municipal tem possibilitado que os recursos financeiros e humanos disponibilizados gerem novos talentos tanto no tocante as ações de Ciência e Tecnologia como no Esporte em ato continuo e consonante. A abrangência primária é de fomentar o aprendizado e discussão em atividades transversais e complementares dos diversos segmentos sociais; de tal modo que venham a promover ações desde a compreensão dos princípios de geração e consumo de energia, preservação do meio ambiente, inovações tecnológicas e suas variantes no dia a dia desde o cidadão comum, assim como os profissionais especializados e governo local. Uma sociedade que possua mais informações torna-se menos dependente de apelos consumistas e antiecológicos tendo uma capacidade de promover bem estar social. O Espaço da Ciência de Paracambi está aberto para receber, diariamente, alunos das diversas escolas do município, de municípios das regiões Sul Fluminense, Baixada e público interessado. O ECP já foi visitado, desde o início de nossa gestão (2009 atual), por um público de professores, estudantes e comunidade em geral, com um crescimento progressivo no decorrer desses anos. Além das atividades regulares, também são promovidos eventos com exposições abertas para a comunidade em épocas pré-definidas, palestras com temas de interesse científico, realização de concursos sobre temas ligados à Ciência, exibição de mídias, peças teatrais, resultando em um retorno social de imensa importância para a região. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: 1. OLIVEIRA, Cacilda Lages. MOURA, Dácio Guimarães. Projeto Trilhos Marinhos uma abordagem de ambientes não formais de aprendizagem através da Metodologia de Projetos. Educ. Tecnol. Belo Horizonte, v.10,n.2,p.46-51, jul/dez.2005; 2. VICTORIANO, G. (2013). Espaços não formais de ensino: contribuições de professores de Ciências e Biologia em formação. En: RIBEIRO; Job Antonio Garcia Ribeiro (organizador). Bauru: UNESP/FC, p p Espaços não formais: breves considerações. 5

6 3. GASPAR, Alberto. A educação formal e a educação informal e Ciências In: Massarani,Luisa; MOREIRA, Ildeu de Castro; BRITO, Fátima (orgs.).ciência e Público: caminhos da divulgação científica no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ, ANEXOS: Figura 01 Entrada do ECP com painel de acolhimento para fotos. Muito procurado pelos nossos pequenos cientistas. 6

7 Figura 02 Atividade do Clube de Xadrez com futuros exadristas sob treinamento do monitor (em pé). Figura 03 Participantes do Curso de Capacitação de Mediadores de Xadrez (2013), oferecido pelo ECP 7

8 Figura 04 Oficina Brincando com a Ciência, ministrada pelo Dr. Ronaldo de Almeida (MAST Museu de Astronomia e Ciências Afins RJ) para professores da Rede Municpal de Educação do Municipio de Paracambi RJ. Figura 05 Dr. Ronaldo de Almeida (MAST RJ)demonstrando de forma bem descontraída como é bom brincar com efeitos físicos 8

9 Figura 06 Oficina do projeto Olhai para o Céu ministrado por pesquisadores do ON Observatório Nacional para alunos do ensino médio e professores 9

10 Figura 07 Salão de multi tarefas do ECP. Neste espaço pode-se observar os diverss experimentos ao fundo da sala. Figura 08 Sala multimídia, ambiente multiusuário onde ministra-se cursos, oficinas, palestras e sessoes de filmes para a comunidade. 10

Encontro de alunos EaD e presencial da UFRRJ. A educação a distancia no Consórcio CEDERJ: Alguns dados

Encontro de alunos EaD e presencial da UFRRJ. A educação a distancia no Consórcio CEDERJ: Alguns dados Encontro de alunos EaD e presencial da UFRRJ A educação a distancia no Consórcio CEDERJ: Alguns dados Masako Oya Masuda Vice-Presidente de Educação a Distância O que é o Consórcio CEDERJ? Consórcio das

Leia mais

A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos.

A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos. Q A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos. É uma alusão à essência e ao compromisso da Secretaria

Leia mais

Produção de um documentário amador por turmas de ensino médio e EJA, (ensino de jovens e adultos) com o uso do Windows Movie Maker

Produção de um documentário amador por turmas de ensino médio e EJA, (ensino de jovens e adultos) com o uso do Windows Movie Maker Produção de um documentário amador por turmas de ensino médio e EJA, (ensino de jovens e adultos) com o uso do Windows Movie Maker Adriana Oliveira Bernardes UENF (Universidade Estadual do Norte Fluminense

Leia mais

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus APRESENTAÇÃO Ao se propor a sistematização de uma política pública voltada para os museus brasileiros, a preocupação inicial do Ministério

Leia mais

Ações do Governo do Estado do Rio de Janeiro com Educação a Distância. Carlos Bielschowsky Presidente da Fundação Cecierj / Consórcio Cederj

Ações do Governo do Estado do Rio de Janeiro com Educação a Distância. Carlos Bielschowsky Presidente da Fundação Cecierj / Consórcio Cederj Ações do Governo do Estado do Rio de Janeiro com Educação a Distância Carlos Bielschowsky Presidente da Fundação Cecierj / Consórcio Cederj 100 mil alunos EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS 1. Graduação do

Leia mais

São partes integrantes do respectivo projeto as seguintes atividades:

São partes integrantes do respectivo projeto as seguintes atividades: REDESCOBRINDO A ASTRONOMIA: UMA NOVA JANELA PARA O CÉU DO CERRADO SANTOS, Dener Pereira.; MARTINS, Alessandro.; PRADO, Valdiglei Borges.; LIMA, Thiago Oliveira. 1 Palavras-chaves: Divulgação científica,

Leia mais

Educação a Distância, problemas e desafios. Carlos Bielschowsky. Presidente da Fundação Cecierj / Consórcio Cederj

Educação a Distância, problemas e desafios. Carlos Bielschowsky. Presidente da Fundação Cecierj / Consórcio Cederj Educação a Distância, problemas e desafios Carlos Bielschowsky Presidente da Fundação Cecierj / Consórcio Cederj Educação Superior a Distância no Brasil No exterior vem sendo amplamente utilizada a décadas,

Leia mais

MUSEU DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE LONDRINA

MUSEU DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE LONDRINA MUSEU DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE LONDRINA Histórico O Museu de Ciência e Tecnologia de Londrina (MCTL) é um Órgão Suplementar da Universidade Estadual de Londrina, em fase de regularização administrativa,

Leia mais

Universidade Estadual Paulista - UNESP

Universidade Estadual Paulista - UNESP Difundindo e Popularizando a Ciência na UNESP: Interação entre Pós-Graduação e Ensino Básico Carmen Silvia Fernandes Boaro, Adriane Pinto Wasko, Carmen Silvia Fernandes Boaro, Clelia Akiko Hiruma Lima,

Leia mais

A Semana Coordenadores Regionais Cadastro Atividades Ciência no Brasil Notícias Contato

A Semana Coordenadores Regionais Cadastro Atividades Ciência no Brasil Notícias Contato A Semana Coordenadores Regionais Cadastro Atividades Ciência no Brasil Notícias Contato Atividades As atividades que acontecem durante a SNCT são variadas: tendas da ciência em praças públicas; feiras

Leia mais

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras 1. Introdução O Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras foi idealizado pelo Conselho Gestor da Escola,

Leia mais

Ciência Móvel: Um Museu de Ciências Itinerante

Ciência Móvel: Um Museu de Ciências Itinerante Ciência Móvel: Um Museu de Ciências Itinerante 1 Resumo José Ribamar Ferreira, Marcus Soares e Miguel de Oliveira Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz msoares@coc.fiocruz.br, riba@coc.fiocruz.br,

Leia mais

vrocha@coc.fiocruz.br evelyse@ioc.fiocruz.br vtschall@cpqrr.fiocruz.br

vrocha@coc.fiocruz.br evelyse@ioc.fiocruz.br vtschall@cpqrr.fiocruz.br 1 A CONTRIBUIÇÃO DO MUSEU DA VIDA PARA A EDUCAÇÃO NÃO FORMAL EM SAÚDE E AMBIENTE: UMA PROPOSTA DE PRODUÇÃO DE INDICADORES PARA A ELABORAÇÃO DE NOVAS ATIVIDADES EDUCATIVAS. Vânia Rocha COC Museu da Vida

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento e Planejamento Urbano

Secretaria de Desenvolvimento e Planejamento Urbano VIII SEMANA MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 20 A 25 DE OUTUBRO DE 2013 A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia foi criada em junho/2004, através do Decreto Lei nº9, visando à popularização e democratização

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE RESENDE AGÊNCIA DO MEIO AMBIENTE DO MUNICÍPIO DE RESENDE

PREFEITURA MUNICIPAL DE RESENDE AGÊNCIA DO MEIO AMBIENTE DO MUNICÍPIO DE RESENDE PREFEITURA MUNICIPAL DE RESENDE AGÊNCIA DO MEIO AMBIENTE DO MUNICÍPIO DE RESENDE CONVÊNIO PUC - NIMA/ PETROBRAS / PMR PROJETO EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de Valores Ético-Ambientais para o exercício da

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ ESTADO DO PARANÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ ESTADO DO PARANÁ A N E X O I E D I T A L D E C O N C U R S O P Ú B L I C O Nº 01/2015 D O S R E Q U I S I T O S E A T R I B U I Ç Õ E S D O S C A R G O S RETIFICAÇÃO

Leia mais

Ensino de Ciências e alfabetização científica na interação universidade e escola. Categoria do projeto: III Projetos finalizados (projetos encerrados)

Ensino de Ciências e alfabetização científica na interação universidade e escola. Categoria do projeto: III Projetos finalizados (projetos encerrados) Ensino de Ciências e alfabetização científica na interação universidade e escola. Mostra Local de: Guarapuava Categoria do projeto: III Projetos finalizados (projetos encerrados) Nome da Instituição/Empresa:

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social

O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social II Fórum de Informação em Saúde IV Encontro da Rede BiblioSUS O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social Maria de Fátima Ramos Brandão Outubro/2007 1 Apresentação O Projeto Casa Brasil Modelos

Leia mais

Departamento de Políticas de Comunicação. Gerência de Patrocínio

Departamento de Políticas de Comunicação. Gerência de Patrocínio Departamento de Políticas de Comunicação Gerência de Patrocínio PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES DO DEPARTAMENTO Implementar as estratégias de comunicação para o Sistema BNDES, divulgando sua atuação e programas;

Leia mais

Ensinar ciências fazendo ciência com professores e alunos da educação básica

Ensinar ciências fazendo ciência com professores e alunos da educação básica Ensinar ciências fazendo ciência com professores e alunos da educação básica Pavão, Antonio, C.¹, Rocha, Claudiane, F..S.², Silva, Ana, P.³ Espaço Ciência - www.espacociencia.pe.gov.br pavao@ufpe.br¹,

Leia mais

ANEXO I Endereço das Universidades

ANEXO I Endereço das Universidades SELEÇÃO PÚBLICA DE TUTORES A DISTÂNCIA VAGAS REMANESCENTES FUNDAÇÃO CECIERJ / CONSÓRCIO CEDERJ ANEXO I Endereço das Universidades CURSO / UNIVERSIDADE ENDEREÇO PARA ENTREGA DA DOCUMENTAÇÃO Horário (de

Leia mais

Criança faz arte? ISTA. Gratuito! PROJETO EXPOSIÇÃO DE ARTE PALESTRAS VÍDEOS WEBSITE REDE SOCIAL MINISTÉRIO DA CULTURA APRESENTA

Criança faz arte? ISTA. Gratuito! PROJETO EXPOSIÇÃO DE ARTE PALESTRAS VÍDEOS WEBSITE REDE SOCIAL MINISTÉRIO DA CULTURA APRESENTA Criança faz arte? MINISTÉRIO DA CULTURA APRESENTA PROJETO ART EIRA ISTA EXPOSIÇÃO I - T - I - N - E - R - A - N - T - E 1 EXPOSIÇÃO DE ARTE PALESTRAS VÍDEOS WEBSITE REDE SOCIAL Gratuito! Elias Rodrigues

Leia mais

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas 1. Apresentação do Problema Epitácio José Paes Brunet É cada vez mais expressiva, hoje, nas cidades brasileiras, uma nova cultura que passa

Leia mais

CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB2011 RECURSOS SÓLIDOS RECICLAR E PRECISO. Baturité-CECidade-UF

CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB2011 RECURSOS SÓLIDOS RECICLAR E PRECISO. Baturité-CECidade-UF CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB2011 RECURSOS SÓLIDOS RECICLAR E PRECISO Baturité-CECidade-UF 2011 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1. NOME DA AABB: Associação Atlética Banco do Brasil de Baturité 1.2. TÍTULO: RECICLAR

Leia mais

SIMPÓSIO INTERNACIONAL MUSEUS, BIODIVERSIDADE E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

SIMPÓSIO INTERNACIONAL MUSEUS, BIODIVERSIDADE E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL 1 SIMPÓSIO INTERNACIONAL MUSEUS, BIODIVERSIDADE E SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL Data: 08 a 10 de Junho de 2010 - Local : Museu Histórico Nacional / Rio de Janeiro Dia 11 de Junho: Visitas organizadas ao Museu

Leia mais

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE IV. CÂMARA TEMÁTICA DA EDUCACÃO, CULTURA E DESPORTOS Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE Meta 1 Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola; Meta 2 Até 2010, 80% e,

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim - ES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Introdução O Programa Municipal de Educação Ambiental estabelece diretrizes, objetivos, potenciais participantes, linhas

Leia mais

Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO

Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO Proponente: Sociedade de Amigos do Museu de Biologia Mello

Leia mais

REALIZAÇÕES DO PIBID NA UNIDADE EDUCACIONAL JOSÉ LUSTOSA ELVAS FILHO, BOM JESUS-PI

REALIZAÇÕES DO PIBID NA UNIDADE EDUCACIONAL JOSÉ LUSTOSA ELVAS FILHO, BOM JESUS-PI REALIZAÇÕES DO PIBID NA UNIDADE EDUCACIONAL JOSÉ LUSTOSA ELVAS FILHO, BOM JESUS-PI Francisco Cleiton da Rocha 1 Marcos Vinícius de Sousa 2 Stella Indira Rocha Lobato 3 1 Professor Assistente da Universidade

Leia mais

Criança faz arte? ISTA KIT PROJETO ARTEIRARTISTA EXPOSIÇÕES ITINERANTES PALESTRAS E VÍDEOS

Criança faz arte? ISTA KIT PROJETO ARTEIRARTISTA EXPOSIÇÕES ITINERANTES PALESTRAS E VÍDEOS www.aviva.org.br Criança faz arte? ART EIRA ISTA PROJETO ARTEIRARTISTA EXPOSIÇÕES ITINERANTES PALESTRAS E VÍDEOS Aprovado no Edital LEIC 001/2013, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais

Leia mais

PROJETO PONTO DE CULTURA FAZENDO ARTE 1

PROJETO PONTO DE CULTURA FAZENDO ARTE 1 PROJETO PONTO DE CULTURA FAZENDO ARTE 1 MENDONÇA, Marcelo Rodrigues OLIVEIRA, João Manoel Borges RESUMO: O Ponto de Cultura Fazendo Arte é uma ação da Associação dos Moradores do Bairro Santa Terezinha

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II EDITAL Nº 001/2011/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL - PIBELPE 2015-2016

RELATÓRIO GERENCIAL - PIBELPE 2015-2016 RELATÓRIO GERENCIAL - PIBELPE 2015-2016 Nº Coordenadores Título do Projeto Bolsista Resumo do Projeto 1 Ana Cristina Cunha da Silva Laboratório de Pronúncia de Língua Inglesa 01 Anexo 1 2 Andrea Cristina

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Ensino. Fundamental II. Estudar aqui faz diferença!

Ensino. Fundamental II. Estudar aqui faz diferença! Ensino Fundamental II Estudar aqui faz diferença! CENTRO EDUCACIONAL SÃO CAMILO Proposta Pedagógica Missão: Promover o desenvolvimento do ser humano por meio da educação e da saúde, segundo os valores

Leia mais

Apoio às políticas públicas já existentes;

Apoio às políticas públicas já existentes; Uma voz complementa a outra, um sorriso cativa o próximo e é nesse pensamento que o Instituto Mundo Melhor, organização sem fins lucrativos liderada pelo Grupo MM Mercadomóveis, trabalha com projetos sociais

Leia mais

CAPA. Divulgação científica para a população ainda é um desafio para a ciência contemporânea. Alguns pesquisadores querem mudar este quadro

CAPA. Divulgação científica para a população ainda é um desafio para a ciência contemporânea. Alguns pesquisadores querem mudar este quadro CAPA Divulgação científica para a população ainda é um desafio para a ciência contemporânea. Alguns pesquisadores querem mudar este quadro 8 Revista de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Pará

Leia mais

INSTITUTO METROPOLITANO DE ENSINO SUPERIOR NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO EM EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

INSTITUTO METROPOLITANO DE ENSINO SUPERIOR NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO EM EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES A partir das Diretrizes Curriculares dos Cursos de Graduação do Ministério da Educação, as Atividades Complementares passaram a figurar como importante componente dos Cursos Superiores

Leia mais

Indicadores para avaliação de projetos sociais: os Projetos Comunitários FMCSV. Inês Mindlin Lafer gerente de programas

Indicadores para avaliação de projetos sociais: os Projetos Comunitários FMCSV. Inês Mindlin Lafer gerente de programas Indicadores para avaliação de projetos sociais: os Projetos Comunitários FMCSV Inês Mindlin Lafer gerente de programas 27 de maio de 2010 Agenda Apresentação FMCSV Os projetos Comunitários FMCSV A avaliação

Leia mais

EMEF ÁUREA CELI BARBOSA Rua Marco Pólo, 729 Bairro São Vicente Gravataí. Biblioteca Mario Quintana. Projeto Biblioteca Viva

EMEF ÁUREA CELI BARBOSA Rua Marco Pólo, 729 Bairro São Vicente Gravataí. Biblioteca Mario Quintana. Projeto Biblioteca Viva EMEF ÁUREA CELI BARBOSA Rua Marco Pólo, 729 Bairro São Vicente Gravataí Biblioteca Mario Quintana Projeto Biblioteca Viva Autor do projeto: Professor Paulo Medeiros 1. INTRODUÇÃO O projeto Biblioteca Viva,

Leia mais

CONSÓRCIO DAS SEIS UNIVERSIDADES PÚBLICAS E O GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ONDE TODA A COMPETÊNCIA ACADÊMICA EMANA DAS UNIVERSIDADES:

CONSÓRCIO DAS SEIS UNIVERSIDADES PÚBLICAS E O GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ONDE TODA A COMPETÊNCIA ACADÊMICA EMANA DAS UNIVERSIDADES: LICENCIATURAS A DISTÂNCIA A EXPERIÊNCIA DO CEDERJ- Celso Costa -UFF 1 O que é o Consórcio CEDERJ? CONSÓRCIO DAS SEIS UNIVERSIDADES PÚBLICAS E O GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ONDE TODA A COMPETÊNCIA

Leia mais

Fundação Romi. Centro de Documentação

Fundação Romi. Centro de Documentação Fundação Romi Centro de Documentação Neste espaço os mais importantes períodos da história barbarense são pontuados, partindo dos povos primitivos, passando pela fundadora, a cana-de-açúcar, os impactos

Leia mais

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais PRINCÍPIOs 1. A inclusão digital deve proporcionar o exercício da cidadania, abrindo possibilidades de promoção cultural,

Leia mais

O Dirigente Municipal de Educação e a articulação com o terceiro setor

O Dirigente Municipal de Educação e a articulação com o terceiro setor Missão Promover e realizar ações que contribuam para a melhoria da qualidade da educação pública e que fomentem o desenvolvimento social de comunidades de baixa renda. Visão Ser referência como fundação

Leia mais

ESPAÇO TRANSFORMADOR. Institucionalizado para a Comunidade. Transformação Baseada na tomada de consciência, na descoberta e na mudança de atitudes e

ESPAÇO TRANSFORMADOR. Institucionalizado para a Comunidade. Transformação Baseada na tomada de consciência, na descoberta e na mudança de atitudes e ESPAÇO TRANSFORMADOR Transformação Baseada na tomada de consciência, na descoberta e na mudança de atitudes e comportamentos e especialmente na construção e aplicação dos conhecimentos apreendidos. Organização

Leia mais

Cultura Oficina Litoral Sustentável

Cultura Oficina Litoral Sustentável Cultura Oficina Litoral Sustentável 1 ESTRUTURA DA AGENDA REGIONAL E MUNICIPAIS 1. Princípios 2. Eixos 3. Diretrizes 4. Ações 4.1 Natureza das ações (planos, projetos, avaliação) 4.2 Mapeamento de Atores

Leia mais

Programação da Semana Nacional de Ciência & Tecnologia na Fiocruz 2015 Luz, Ciência e Vida

Programação da Semana Nacional de Ciência & Tecnologia na Fiocruz 2015 Luz, Ciência e Vida Programação da Semana Nacional de Ciência & Tecnologia na Fiocruz 2015 Luz, Ciência e Vida As Unidades da Fiocruz, coordenadas pela Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação (VPEIC) e pelo Museu

Leia mais

PIBID DE FÍSICA MODALIDADE EAD- FUNCIONAMENTO, DESAFIOS E PERSPECTIVAS Patricia Martins Guarda Regina Lelis de Sousa

PIBID DE FÍSICA MODALIDADE EAD- FUNCIONAMENTO, DESAFIOS E PERSPECTIVAS Patricia Martins Guarda Regina Lelis de Sousa PIBID DE FÍSICA MODALIDADE EAD- FUNCIONAMENTO, DESAFIOS E PERSPECTIVAS Patricia Martins Guarda Regina Lelis de Sousa Resumo Este trabalho consiste no relato de experiência de coordenadores de área do Programa

Leia mais

VI- 064 BRINCANDO E APRENDENDO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

VI- 064 BRINCANDO E APRENDENDO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL VI 064 BRINCANDO E APRENDENDO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL Iara Amorim Leôncio Bióloga pela Universidade Estadual da Paraíba Monica Maria Pereira da Silva (1) Bióloga pela Universidade Estadual da Paraíba; Especialista

Leia mais

Consórcio das universidades públicas

Consórcio das universidades públicas GRADUAÇÃO Consórcio das universidades públicas UERJ UNIRIO UENF UFRJ UFF UFRRJ CEFET/ RJ O corpo docente pertence às universidades consorciadas. É dele a responsabilidade do preparo do projeto político

Leia mais

NOTA INTRODUTÓRIA. A visita virtual ao ExpoLab, está disponível em: http://expolab.centrosciencia.azores.gov.pt/visita-virtual

NOTA INTRODUTÓRIA. A visita virtual ao ExpoLab, está disponível em: http://expolab.centrosciencia.azores.gov.pt/visita-virtual OFERTA EDUCATIVA Ano letivo 2015/2016 NOTA INTRODUTÓRIA O ExpoLab é um centro de ciência viva, na Lagoa, cuja missão é a promoção da cultura científica e tecnológica, através da divulgação de conceitos

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3º... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II Da Finalidade

Leia mais

Águas & Território. Boletim. nº4 - Dezembro 2014 Publicação da Diretoria de Gestão das Águas e do Território (Digat) Educação Ambiental

Águas & Território. Boletim. nº4 - Dezembro 2014 Publicação da Diretoria de Gestão das Águas e do Território (Digat) Educação Ambiental Boletim Águas & Território nº4 - Dezembro 2014 Publicação da Diretoria de Gestão das Águas e do Território (Digat) Educação Ambiental Esta edição do Boletim Águas & Território apresenta os principais programas,

Leia mais

FATORES DE QUALIDADE: PONTOS POSITIVOS DO EMPREGO DA TECNOLOGIA EAD NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CONSÓRCIO CEDERJ - UFRRJ

FATORES DE QUALIDADE: PONTOS POSITIVOS DO EMPREGO DA TECNOLOGIA EAD NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CONSÓRCIO CEDERJ - UFRRJ FATORES DE QUALIDADE: PONTOS POSITIVOS DO EMPREGO DA TECNOLOGIA EAD NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CONSÓRCIO CEDERJ - UFRRJ Rio de Janeiro, RJ, 02/05/2010 Silvestre Prado de Souza Neto UFRRJ silvestrenet0@uol.com.br

Leia mais

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru Projeto Pedagógico e Estrutura Curricular Missão do Curso de Engenharia Elétrica da FE/Unesp/Bauru A formação continuada de Engenheiros

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania

EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania 1 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...3 2 OBJETIVOS DO PROJETO:...5 3 METAS PARA A SUSTENTABILIDADE...6 4 JUSTIFICATIVAS...6 4.1-

Leia mais

MANUAL DO CEPED CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS- CURSO DE PEDAGOGIA

MANUAL DO CEPED CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS- CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO CEPED CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS- CURSO DE PEDAGOGIA Professora Eliane Maria Freitas Monken (org) Belo Horizonte 2013 2 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 03 2 OBJETIVOS... 04 2.1 Objetivo

Leia mais

Atividades Complementares. Gestão

Atividades Complementares. Gestão Atividades Complementares Gestão Sumário Gestão ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1. Atividades Complementares... 03 2. Computação e avaliação das Atividades Complementares... 03 3. Quadro das atividades com horas

Leia mais

ANO DE 2007 EDUCAÇÃO FÍSICA

ANO DE 2007 EDUCAÇÃO FÍSICA ANO DE 2007 - CURSO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS De 10 a 28 de março SEMINÁRIO: INTRODUÇÃO À E CARACTERIZAÇÃO PROFISSIONAL C/H: 75 horas Dias 23 e 24 de junho CURSO: MUSCULAÇÃO C/H: 20 horas 01 de setembro

Leia mais

TRABALHOS APROVADOS 5º SECAM 01 CUIDADO COM A COBRA - GRANDE : A INFLUÊNCIA DOS MITOS E LENDAS AMAZONICOS NO IMAGINÁRIO DE CRIANÇAS PARINTINENSES

TRABALHOS APROVADOS 5º SECAM 01 CUIDADO COM A COBRA - GRANDE : A INFLUÊNCIA DOS MITOS E LENDAS AMAZONICOS NO IMAGINÁRIO DE CRIANÇAS PARINTINENSES TRABALHOS APROVADOS 5º SECAM 01 CUIDADO COM A COBRA - GRANDE : A INFLUÊNCIA DOS MITOS E LENDAS AMAZONICOS NO IMAGINÁRIO DE CRIANÇAS PARINTINENSES 02 AS CONTRIBUIÇÕES DAS NEUROCIÊNCIAS PARA A PRENDIZAGEM

Leia mais

TRABALHOS APROVADOS 5º SECAM

TRABALHOS APROVADOS 5º SECAM TRABALHOS APROVADOS 5º SECAM 01 CUIDADO COM A COBRA - GRANDE : A INFLUÊNCIA DOS MITOS E LENDAS AMAZONICOS NO IMAGINÁRIO DE CRIANÇAS PARINTINENSES 02 AS CONTRIBUIÇÕES DAS NEUROCIÊNCIAS PARA A PRENDIZAGEM

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA A DISTÂNCIA DA UFF: UMA EXPERIÊNCIA COM ÊXITO. Kátia L. Dal Bello 1 Mauro de A. Santos 2 Regina C. M.

CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA A DISTÂNCIA DA UFF: UMA EXPERIÊNCIA COM ÊXITO. Kátia L. Dal Bello 1 Mauro de A. Santos 2 Regina C. M. CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA A DISTÂNCIA DA UFF: UMA EXPERIÊNCIA COM ÊXITO. Kátia L. Dal Bello 1 Mauro de A. Santos 2 Regina C. M. Bragança 3 Coordenação do curso de Licenciatura em Matemática a

Leia mais

PROGRAMA DE HABILIDADES SOCIAIS COMO ESTRATÉGIA PARA A INCLUSÃO ESCOLAR E SOCIAL

PROGRAMA DE HABILIDADES SOCIAIS COMO ESTRATÉGIA PARA A INCLUSÃO ESCOLAR E SOCIAL PROGRAMA DE HABILIDADES SOCIAIS COMO ESTRATÉGIA PARA A INCLUSÃO ESCOLAR E SOCIAL PATRÍCIA LORENA QUITÉRIO patylorenaq@gmail.com PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PROPED/UERJ) 1 INTRODUÇÃO A oficina

Leia mais

Responsabilidade Social

Responsabilidade Social Responsabilidade Social INSTITUTO DE CIDADANIA EMPRESARIAL DO MARANHÃO ICE/MA MISSÃO: Difundir o conceito de desenvolvimento sustentável de modo a incentivar as empresas a adotarem a responsabilidade social

Leia mais

Relatório Gestão do Projeto 2013

Relatório Gestão do Projeto 2013 Relatório Gestão do Projeto 2013 Fundação Aperam Acesita e Junior Achievement Minas Gerais: UMA PARCERIA DE SUCESSO SUMÁRIO Resultados 2013... 6 Resultados dos Programas... 7 Programa Vamos Falar de Ética...

Leia mais

Dra. Cristina Maria Carvalho Delou Psicóloga Coordenadora do PAAAH/SD

Dra. Cristina Maria Carvalho Delou Psicóloga Coordenadora do PAAAH/SD Dra. Cristina Maria Carvalho Delou Psicóloga Coordenadora do PAAAH/SD 1992 PROJETO NÃO-FORMAL oferecia apenas orientação psicopedagógica gratuita para alunos com AH/SD, com base na Lei 4119/62, Art. 13

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7

Leia mais

Centro Municipal de Estudos e Projetos Educacionais Julieta Diniz

Centro Municipal de Estudos e Projetos Educacionais Julieta Diniz Centro Municipal de Estudos e Projetos Educacionais Julieta Diniz Av. Prof. José Inácio, 195 Bairro Brasil Uberlândia/MG CEP 3400-732 Fones: (34) 32-4363 / Fax 31-659 e-mails: audiovisualcemepe@gmail.com

Leia mais

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (através do

Leia mais

Projeto Ludoteca do Turismo: atuação em escolas de Pelotas

Projeto Ludoteca do Turismo: atuação em escolas de Pelotas Projeto Ludoteca do Turismo: atuação em escolas de Pelotas Carmen Maria Nunes da Rosa 1. Universidade Federal de Pelotas Resumo: O presente trabalho trata das atividades, desenvolvidas pelo projeto Elaboração

Leia mais

PASTORAL UNIVERSITÁRIA

PASTORAL UNIVERSITÁRIA PASTORAL UNIVERSITÁRIA Objetivos: 1. Oportunizar a comunidade educativa uma vivência de fraternidade que possibilite transcender os limites meramente humanos e a excelência acadêmica, com uma atitude de

Leia mais

PROGRAMA ELOS DE CIDADANIA

PROGRAMA ELOS DE CIDADANIA PROGRAMA ELOS DE CIDADANIA Educação Ambiental para a Gestão Participativa e Integrada de Águas e Florestas da Mata Atlântica (2013) Registro SR3/UERJ/2013 Nº 4558 EIXOS DE FORMAÇÃO 1. Eixo de formação

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA FACULDADE DE TECNOLOGIA, CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO, FATECE PIRASSUNUNGA, SP

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA FACULDADE DE TECNOLOGIA, CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO, FATECE PIRASSUNUNGA, SP REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA FACULDADE DE TECNOLOGIA, CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO, FATECE PIRASSUNUNGA, SP. 2 CAPÍTULO I... 3 DA NATUREZA E DAS FINALIDADES...

Leia mais

Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações

Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações CIDADES DIGITAIS CONSTRUINDO UM ECOSSISTEMA DE COOPERAÇÃO E INOVAÇÃO Cidades Digitais Princípios

Leia mais

I Feira de Ciências e Engenharias da Universidade Federal da Grande Dourados (FECEN/UFGD) Edital FECEN nº 1, 04 de Maio de 2015

I Feira de Ciências e Engenharias da Universidade Federal da Grande Dourados (FECEN/UFGD) Edital FECEN nº 1, 04 de Maio de 2015 I Feira de Ciências e Engenharias da Universidade Federal da Grande Dourados (FECEN/UFGD) Edital FECEN nº 1, 04 de Maio de 2015 A I Feira de Ciências e Engenharias da Universidade Federal da Grande Dourados

Leia mais

Clipping IFRJ Setembro de 2012

Clipping IFRJ Setembro de 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Instituto Federal Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Assessoria de Comunicação Clipping IFRJ Setembro de 2012 11/09

Leia mais

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA A DISTÂNCIA EM DISCUSSÃO

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA A DISTÂNCIA EM DISCUSSÃO 1078 A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA A DISTÂNCIA EM DISCUSSÃO Silvia Regina Viel Rodrigues 1 Resumo Neste trabalho, cujo objetivo é discutir a formação do professor de Matemática a distância, inicialmente

Leia mais

OBJETOS DE APRENDIZAGEM, RECURSOS DIGITAIS E VIRTUAIS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA

OBJETOS DE APRENDIZAGEM, RECURSOS DIGITAIS E VIRTUAIS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA OBJETOS DE

Leia mais

Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial

Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Programa 0049 DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL Objetivo Ampliar e melhorar a oferta de atendimento aos portadores de necessidades educativas especiais. Público Alvo Alunos com necessidades educativas

Leia mais

Escola Cidadã Sangue Novo no Hemoce

Escola Cidadã Sangue Novo no Hemoce PARCERIA Escola Cidadã Sangue Novo no Hemoce Ajudando a formar cidadãos transformadores que salvam vidas através da doação de sangue. Um projeto da Captação de Doadores e Diretoria de Hemoterapia 1. CONTEXTUALIZAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CÍCERO WILLIAMS DA SILVA EMERSON LARDIÃO DE SOUZA MARIA DO CARMO MEDEIROS VIEIRA ROBERTO GOMINHO DA SILVA

Leia mais

ARTE INOVA NA FORMAÇÃO DOS JOVENS

ARTE INOVA NA FORMAÇÃO DOS JOVENS MERCADO ARTE INOVA NA FORMAÇÃO DOS JOVENS Com apoio da Embratel, Instituto Ayrton Senna qualifica ONGs para o Programa Cidadão 21 Arte OInstituto Ayrton Senna e a Embratel aliaram-se há três anos para

Leia mais

Formação continuada: a educação municipal de Bauru/SP

Formação continuada: a educação municipal de Bauru/SP Formação continuada: a educação municipal de Bauru/SP Prof.ª Dra. Vera Mariza Regino Casério e-mail: veracaserio@bauru.sp.gov.br Prof.ª Esp. Fernanda Carneiro Bechara Fantin e-mail: fernandafantin@bauru.sp.gov.br

Leia mais

Contribuir para a implantação de programas de gestão e de educação ambiental em comunidades e em instituições públicas e privadas.

Contribuir para a implantação de programas de gestão e de educação ambiental em comunidades e em instituições públicas e privadas. TÍTULO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ESTRATÉGIA PARA O CONHECIMENTO E A INCLUSÃO SOCIAL AUTORES: Chateaubriand, A. D.; Andrade, E. B. de; Mello, P. P. de; Roque, W. V.; Costa, R. C. da; Guimarães, E. L. e-mail:

Leia mais

Cinema como ferramenta de aprendizagem¹. Angélica Moura CORDEIRO². Bianca da Costa ARAÚJO³ Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB.

Cinema como ferramenta de aprendizagem¹. Angélica Moura CORDEIRO². Bianca da Costa ARAÚJO³ Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB. Cinema como ferramenta de aprendizagem¹ Angélica Moura CORDEIRO² Bianca da Costa ARAÚJO³ Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB. RESUMO Este artigo pronuncia o projeto Criancine que

Leia mais

EDUCAÇÃO GRUPO POSITIVO

EDUCAÇÃO GRUPO POSITIVO EDUCAÇÃO 38 GRUPO POSITIVO Contribuição para o desenvolvimento Positivo trabalha para que sua contribuição ao ensino de O qualidade extrapole suas unidades e alcance de forma construtiva toda a sociedade.

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família Brasília, 05 a 08 de Agosto de

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família Brasília, 05 a 08 de Agosto de III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família Brasília, 05 a 08 de Agosto de 2008 Apoio Matricial em Saúde Mental: a Iniciativa de

Leia mais

Educação a Distância no Ensino Superior no Brasil: contexto da UAB

Educação a Distância no Ensino Superior no Brasil: contexto da UAB Unidade 2 Unidade 2 Educação a Distância no Ensino Superior no Brasil: contexto da UAB Nesta Unidade, será apresentada a legislação brasileira de EaD e suas implicações institucionais no sistema da Universidade

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04 Curso: Graduação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA PLENA MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Logística Qualificação:

Leia mais

Instituto Nacional de Ensino e Pesquisa

Instituto Nacional de Ensino e Pesquisa REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE INESP INSTITUTO NACIONAL DE ENSINO E PESQUISA Em conformidade com o Parecer CES/CNE 146/2002, homologado em 13 de maio de

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone:

Leia mais

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE MARANGUAPE-CE

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE MARANGUAPE-CE EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE MARANGUAPE-CE EDITAL N 20/2015 1. INTRODUÇÃO A ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE LUZIA LOPES GADÊLHA, por meio do Termo Convênio nº 05/2015, como parte integrante

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

PESQUISA OPERACIONAL Plano de Ensino. Prof. Me. Carlos Guimarães

PESQUISA OPERACIONAL Plano de Ensino. Prof. Me. Carlos Guimarães PESQUISA OPERACIONAL Plano de Ensino Prof. Me. Carlos Guimarães Agenda de Hoje Apresentação do Professor Missão da UNIP Objetivo do curso Perfil do Egresso Plano de Ensino Detalhado Regras do Jogo Aula

Leia mais

FEFISA Faculdades Integradas de Santo André CURSO DE BACHARELADO EM FISIOTERAPIA MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES (AACC)

FEFISA Faculdades Integradas de Santo André CURSO DE BACHARELADO EM FISIOTERAPIA MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES (AACC) FEFISA Faculdades Integradas de Santo André CURSO DE BACHARELADO EM FISIOTERAPIA MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES (AACC) 2012 / 2013 Prezado(a) aluno(a), É com muito orgulho e satisfação que oferecemos

Leia mais

LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR

LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR ANNA PAULA SILVA (PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS), ELIANE FERREIRA PINTO (PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS). Resumo A reciclagem tem como principal foco a conscientização

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais