CONVIDADOS MINEIROS - GO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONVIDADOS MINEIROS - GO"

Transcrição

1 REGISTRO DA 1ª OFICINA DE CAPACITAÇÃO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO I DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) E CONVIDADOS MINEIROS - GO Data: Horário: 09h00min às 30min Local: Sala da UEG Município: Mineiro-GO Número de participantes: 33 Facilitadora: Regina Borowski e André Biazoti Relatoria: Lílian Cabral Marques Agenda: 1- Círculo inicial de abertura. 2- Apresentação sobre projetos 3- Organização do projeto 4- Intervalo 5- Dinâmica em grupo 6- Apresentação sobre projetos (continuação) 7 Dinâmica em grupo 8 Encerramento 1- Abertura André Biazoti, Coordenador do Polo Araguaia, iniciou agradecendo a todos pela presença e abordou o que foi discutido nos Diálogos Comunitário e reuniões passadas, como os 8 Objetivos do Milênio, Carta da Terra, Flor da Cultura da Sustentabilidade, entre outros. André aproveita a oportunidade para comentar com os integrantes de CC e CTs que o Cine Energia Social fixo não vem obtendo êxito em suas exibições e pede a opinião dos integrantes, que sugerem o Cine ser Itinerante, direcionado para públicos específicos. Ennidelva disse que será muito bom para escolas poderem ter o Cine Itinerante. Em seguida, André apresenta aos presentes a Consultora Regina Borowski e explica que Regina irá conduzir a reunião. Regina dá as boas-vindas a todos e pede para os participantes que façam um círculo. Após o círculo formado, Regina apresenta o símbolo da reunião: um barco de papel, que representa onde todos estão no momento. Regina ressalta que precisamos conhecer quem está nesse barco e pede aos participantes que cada um se apresente e diga o que trouxe para reunião. Dinâmica de abertura da Oficina de Elaboração de Projetos.

2 2- Apresentação sobre Projetos Após a dinâmica, a consultora Regina inicia a apresentação sobre elaboração de projetos e aborda algumas questões básicas sobre o que é um projeto social e como podemos trabalhar com ele. Por que trabalhar com projeto social? O que é projeto social? Quais são os itens que não podem faltar na construção de um projeto social? Quais são as vantagens? O que aprendemos? Qual a sua experiência pessoal? Já está trabalhando com algum projeto? Em qual projeto está trabalhando? Regina afirmou que todo projeto social tem como princípio fundamental pensar no coletivo e explicou o roteiro para construção de projetos da apostila, a partir de sua organização: 3- Organização do Projeto 1º Bloco: Mapa Situacional 1 Parte: Em que realidade o projeto vai atuar? Quem são os participantes diretos do projeto? Descrição dos aspectos mais amplos que envolvem o problema; Busque dados específicos sobre a temática do projeto na região onde irá acontecer. 2 Parte: Quais serão os participantes do Projeto? Caracterizar os participantes do projeto segundo sua etnia, atividade econômica, faixa etária, região de moradia, entre outros aspectos. Perguntas Norteadoras Qual é a questão com a qual o projeto vai trabalhar? Quais são os problemas com os quais o projeto pretende lidar? Como essa questão se apresenta na área geográfica específica do projeto? Quais as causas desses problemas? Quais as características socioeconômicas e culturais desta área? Que grupos sociais compõem a comunidades do projeto? Quais as características dos participantes do projeto? Regina perguntou quais itens não podem faltar em um projeto social. Os participantes responderam que não pode faltar planejamento, diagnóstico da realidade e comprometimento.

3 2 Bloco: Organização do Projeto 1 Parte: Qual é o objetivo geral do projeto? O objetivo geral expressa a intenção de atingir um determinado fim, uma mudança na situação social da região. O objetivo geral é capaz de sinalizar mudanças mais profundas que poderão ser alcançadas a médio e longo prazo. 2ª Parte: Quais são os objetivos específicos? São passos estratégicos para que o objetivo geral seja alcançado. Deve ser capaz de demonstrar aspectos mais concretos, mostrar números e ações que estejam convergindo para alcançar o objetivo geral. Que ações são esperadas? Ações concretas a serem realizadas com os participantes já definidos. Dica: As ações devem estar conectadas com o objetivo geral e com os objetivos específicos. Pode ser mais de uma ação para um único objetivo específico. 4- Intervalo 5- Dinâmica em Grupo: Repondo as energias Após intervalo, Regina orientou os participantes a formarem 5 grupos e distribuiu as apostilas com o material da atividade. Instruções: 1. Ler o texto da apostila p. 8 (Projeto Jaguarão) 2. Identifique: Objetivo Geral Objetivo Específico Público-alvo 6- Apresentação sobre projetos (continuação) Dando continuidade às atividades, cada grupo elegeu um representante para expor a ideia do grupo.

4 Grupo 1 Projeto Jaguarão. Recuperar a Mata Atlântica sem comprometer a produção. Conservar os 18% já existentes; Promover 12 cursos de técnicas de conservação; Capacitar professores ativos na rede pública; Estabelecer um trabalho prático de manejo em duas áreas degradadas. Grupo 2 Projeto Jaguarão. Estabelecer a convivência harmônica do produtor rural com o ambiente; Incentivar a conservação da Mata Atlântica remanescente, recuperar áreas degradadas e a implantar de florestas de proteção e produção. Realizar 12 cursos de técnicas de conservação no ano; Recuperar 02 áreas degradadas. Público-alvo: Produtores rurais do Vale do Paraíba-SP. Grupo 3 Projeto Jaguarão. Recuperar a Mata Atlântica sem comprometer a produção. Conservar os 18% já existentes; Promover 12 cursos de técnicas de conservação; Capacitar professores ativos na rede pública; Estabelecer um trabalho prático de manejo em duas áreas degradadas. Grupo 4 Projeto Jaguarão. Promover a convivência harmônica do produtor rural com o ambiente e conservação e recuperação da Mata Atlântica Município de Cunha SP Contribuindo para a convivência harmônica (...).

5 Realizar 12 cursos de técnicas de conservação. Estabelecer um trabalho prático de manejo em duas áreas degradadas. Capacitar professores de biologia ativos da rede pública. Público-alvo: Produtores rurais do Município de Cunha. Texto: Atualmente, o município de Cunha SP (...). Regina fez comentários sobre cada uma das apresentações, levantando pontos importantes no que se refere à elaboração de projetos e às palavras corretas a serem utilizadas ao expor a proposta idealizada. 7- Dinâmica em Grupo: Em continuação, foi proposto outro exercício, em que os participantes, após lerem um texto, determinaram objetivos, ações e resultados que eram esperados para cada ação. Instruções: 1. Ler o texto da apostila Projeto Mão na Massa 2. Identifique: Objetivo Geral Objetivo Específico Público-alvo Ações Resultados Esperados Grupo1 Os resultados da dinâmica estão colocados abaixo: Projeto Mão na Massa. Base de pesquisa: DIEESE-Classe; Jovens. Região: BH, SP, PA, Recife e Salvador. Inclusão social de jovens no mercado de trabalho nas regiões: BH, SP, Porto alegre, Recife e Salvador. Qualificação profissional de jovens de 18 a 29 anos, que tenham o ensino médio completo, contribuir com a inserção dos jovens no mercado de trabalho, com apoio das empresas parceiras, de 100% dos jovens formados. Ações: Aulas específicas profissionalizantes, de acordo com o segmento das empresas parceiras; buscar e incentivar programas de estágios para os estudantes; oferecer reciclagem contínua aos jovens formados. Resultados Esperados:

6 Superar o índice de 50% de jovens empregados; formação de 100% dos jovens que ingressam nos cursos. Grupo2 Projeto Aprender a Empreender. Inserir jovens de 18 a 26 anos no mercado de trabalho na região metropolitana de São Paulo na atividade de construção civil. Capacitar 500 jovens para atuação no setor de construção civil; Estabelecer parceria entre o CREA e 12 construtoras da região; Articular convênio com o SENAC para desenvolver os cursos profissionalizantes de dois anos. Ações: Identificar a atividade de maior demanda no setor de construção civil em São Paulo; Selecionar 10 educadores para ministrar os cursos; Promover intercâmbio entre as empresas parceiras e a instituição de ensino (SENAC), com vistas a mesclar a prática e a teoria. Resultados Esperados: Implantação dos cursos; Fomento de mão de obra qualificada no mercado de trabalho; Absorção dos alunos como profissionais nas empresas parceiras (mínimo 80%); Melhoria na qualidade de vida. Grupo 3 (Paulo, Rafael, Telma e Paulo Dalanesi) Projeto Mão na Massa. Promover a inclusão social de jovens entre 18 e 29 anos por meio da qualificação profissional e contribuir com a inserção do jovem no mercado de trabalho formal. Qualificar profissionalmente jovens entre 18 e 29 anos, das 5 regiões metropolitanas (BH, PA, Recife, Salvador e São Paulo SP). Empregar no mínimo 50% dos jovens formados. Ações: Contratação de profissionais qualificados para a realização dos treinamentos; Fazer parcerias com empresas. Resultados Esperados: Contratação de no mínimo 100 profissionais qualificados (3 anos).

7 Grupo 4 Projeto Mão na Massa. Promover a inclusão social dos jovens entre 18 e 29 anos por meio da qualificação profissional em vários setores de negócios, em sintonia com as necessidades de desenvolvimento integral da juventude em BH-MG. Capacitar, em 24 meses, 4000 jovens nas áreas da economia de maior demanda. Empregar, no mínimo, 50% dos jovens capacitados. Ações: Definir, por meio de pesquisas, as áreas econômicas de maior demanda por mão de obra; Definir equipe técnica para criar e executar os cursos; Criar uma rede de empregabilidade (Sine, Balcão de empregos, CDL, grandes empresas). Resultados Esperados: Ter ao final de 24 meses 4000 jovens capacitados, Ter 50% dos jovens capacitados empregados. Grupo 5 Projeto Jovens Capacitar e inserir jovens de Mineiros (GO) menos favorecidos no mercado de trabalho. Capacitar 100 jovens semestralmente no setor de informática; Inserir, no mínimo, 80% dos jovens capacitados no mercado de trabalho através de parcerias. Contratar 5 professores capacitados. Ações: Fazer um diagnóstico socioeconômico para a seleção de 100 jovens a cada semestre; Fazer parcerias com empresas de informática para inserir os jovens no mercado de trabalho. Resultados Esperados: Obter turmas com jovens que têm perfil estabelecido pelo projeto. Pré-contrato para garantir a empregabilidade. Após as apresentações dos grupos, cada grupo teve um retorno dos participantes e da consultora Regina sobre as propostas apresentadas. Antes do encerramento, a ETH Bionergia, na pessoa do Sr. Érico Baracho, fez uma doação de equipamento de proteção individual-epi (Perneiras) à Associação de Guias de Mineiros. Os integrantes da Associação agradeceram a ajuda da ETH e aproveitaram a oportunidade para divulgar as atividades realizadas pela Associação no município.

8 Integrantes recebendo as perneiras da ETH. 8-Encerramento Para finalizar, Regina pede que os participantes façam círculo novamente. Em seguida, pede para que cada um pegue o barco de papel e diga o que leva e o que deixa da reunião. Regina agradece a participação de todos e diz que conta com todos para o próximo módulo da capacitação. Participantes da Oficina de Elaboração de Projetos Próximo Eventos Capacitação Elaboração de projetos II" Data: 27/09/11 Local: UEG Horário: 9h00 18h00

9 Avaliação da Reunião Conteúdo Apresentação do conteúdo 11 7 Compreensão do conteúdo 12 7 Excelente Bom Regular Ruim Aplicabilidade ao meu trabalho Muito ruim Organização Horários 12 7 Tempo para as atividades Local Metodologia Recursos (apresentações em Power Point, Calendário 2011) 11 6 Exercícios práticos realizados Materiais escritos 14 4 Grupos de trabalho 10 9 Equipe Facilitador /Regina 13 5 Facilitador/ Lílian e André 12 5 Avaliação global da reunião Excelente Bom Regular Ruim Muito ruim (10) (8) () () () Avaliação comparativa desta reunião com relação a outras dos quais já participou Muito bom Não tão bom Igual Não participei de outras capacitaçõe s (11) () (2) (5) Sugestões: Ter mais tempo para realizar as atividades (práticas em grupo);

10

11 Segmento Lista de Presença Nome CONSELHO COMUNITÁRIO 07/abr 04/mai 08/jun 26/jul 23/ago 09- Governo Local Neiba Maria Moraes Barcelos A AJ AJ P A Governo Local Wendel Matos Vilela A P P A A Governo Local Marcos Silva Cunha AJ AJ A A A ETH Fabiano Zillo P P P AJ A ETH Érico Baracho P P P P P Sociedade Civil Anah Tereza de Almeida Jácomo P P p AJ A Sociedade Civil Leandro Silveira R AJ AJ AJ A Sociedade Civil Dilce Flumian P P P AJ AJ Segmento Nome CT EDUCAÇÃO 07/abr 04/mai 08/jun 26/jul 23/ago Governo Local Ennidelva Carrijo Resende AJ P P P P Governo Local Joaquim Bento da Silva P P P P AJ ETH Ivete Alves P P P P P ETH Aldo Perico P A A - - ETH André Polidoro P P A P P ETH Lorena Blandina Moraes - - P AJ P Sociedade Civil Ita de Fátima Assis AJ A A - - Sociedade Civil José Maria de Sousa P P P AJ P 09-

12 CT EDUCAÇÃO Segmento Nome 07/abr 04/mai 08/jun 26/jul 23/ago Governo Local Marconi Santos Oliveira P P P R P Governo Local Ailson Orotides P P P P P ETH Álvaro Puglia P P A - - ETH Cristiano Dale P P P P A ETH Vinicius Fulem P P A P AJ ETH Matheus Wilson Louvem Vianna P Sociedade Civil Elmo Assis Sousa AJ A A - - Sociedade Civil Lucely Moares Pio P Sociedade Civil Ivan José Pio - P P A AJ 09- Segmento Nome 07/abr 04/mai 08/jun 26/jul 23/ago Governo Local Jadson Alves Vieira P P P A - Governo Local Adelvair Rezende P P A P P ETH Paulo Dalanese A AJ AJ P P ETH Juliana Rodrigues Silva P A P AJ AJ ETH Marco Andre A. Amaral P A AJ P A Sociedade Civil Taisa Antonello A A A - - Sociedade Civil Zigomar Garske Alves A A P A A Sociedade Civil Renato Alves Moreira P AJ AJ P R Sociedade Civil Lucely Moares Pio - A P A P 09-

13 Segmento Nome CT CULTURA 07/abr 04/mai 08/jun 26/jul 23/ago 17-19h Governo Local Martiniano José da Silva AJ AJ P P P Governo Local Marta Brandão Rezende Carneiro P AJ P P A ETH Marileide Carvalho P P P - - ETH Maria Cristina de Carvalho P ETH Eduardo Moreira Viana P ETH Fabio Carvalho A A AJ P A ETH Nabor de Araújo Nogueira P A A P P Sociedade Civil Ana Maria de Oliveira Verveloni A P P A A Sociedade Civil Toninho Gomes AJ AJ AJ P AJ Sociedade Civil Dom Rodrigo Perissinotto AJ P P A A Sociedade Civil Inês Maria Parmeggiani AJ P P AJ AJ 09- A P AJ R Ausente Presente Ausência Justificada Enviou representante

2- Dinâmica: Passeio Sinérgico

2- Dinâmica: Passeio Sinérgico REGISTRO DA 3ª OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS MÓDULO CAPTAÇÃO DE RECURSOS I PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL MINEIROS - GO Data: 25-10-2011 Horário: 09h00min às 30min

Leia mais

REGISTRO DA OFICINA DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DE PROJETOS PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL MINEIROS - GO

REGISTRO DA OFICINA DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DE PROJETOS PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL MINEIROS - GO REGISTRO DA OFICINA DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DE PROJETOS PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL MINEIROS - GO Data: 07-12-2011 Horário: 08h00min às 12h00min Local: Sala da UEG Município:

Leia mais

CONVIDADOS ALTO TAQUARI - MT

CONVIDADOS ALTO TAQUARI - MT REGISTRO DA 1ª OFICINA DE CAPACITAÇÃO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO I PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL CONSELHO COMUNITÁRIO (CC), COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) E CONVIDADOS ALTO TAQUARI - MT

Leia mais

REGISTRO DA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL DE ALTO TAQUARI - MT

REGISTRO DA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL DE ALTO TAQUARI - MT REGISTRO DA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL DE ALTO TAQUARI - MT Data: 6/12/2012 Horário: 7h30 às 12h00 Local: CECOI Município: Alto

Leia mais

REGISTRO DO DIÁLOGO COMUNITÁRIO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL 3º DIÁLOGO COMUNITÁRIO MINEIROS - GO

REGISTRO DO DIÁLOGO COMUNITÁRIO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL 3º DIÁLOGO COMUNITÁRIO MINEIROS - GO REGISTRO DO DIÁLOGO COMUNITÁRIO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL 3º DIÁLOGO COMUNITÁRIO MINEIROS - GO Data: 08-06-2011 Horário: 09h10min às 12h00min Local: Sala UEG Município: Mineiros-GO

Leia mais

REGISTRO 3ª REUNIÃO DE VALIDAÇÃO DE PROJETOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL COMISSÕES TEMÁTICAS

REGISTRO 3ª REUNIÃO DE VALIDAÇÃO DE PROJETOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL COMISSÕES TEMÁTICAS 1 REGISTRO 3ª REUNIÃO DE VALIDAÇÃO DE PROJETOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) E CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) Perolândia GO Data: 11/04 Local: Câmara Municipal

Leia mais

REGISTRO 1ª REUNIÃO DE VALIDAÇÃO DE PROJETOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL COMISSÕES TEMÁTICAS

REGISTRO 1ª REUNIÃO DE VALIDAÇÃO DE PROJETOS DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL COMISSÕES TEMÁTICAS 1 REGISTRO 1ª REUNIÃO DE VLIDÇÃO DE ROJETOS DO ROGRM ENERGI SOCIL R SUSTENTBILIDDE LOCL COMISSÕES TEMÁTICS (CTs) E CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) Costa Rica MS Data: 27/06 Local: uditório da Secretaria de Educação

Leia mais

2. Leitura de um conto

2. Leitura de um conto Agenda: REGISTRO DA 4ª OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS MÓDULO CAPTAÇÃO DE RECURSOS II PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL MINEIROS - GO Data: 22-11-2011 Horário: 09h00min

Leia mais

MEMÓRIA DA1ª REUNIÃO DE CC E CTs DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL ALTO TAQUARI - MT

MEMÓRIA DA1ª REUNIÃO DE CC E CTs DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL ALTO TAQUARI - MT MEMÓRIA DA1ª REUNIÃO DE CC E CTs DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL ALTO TAQUARI - MT Data: 16 de junho de 2011 Local: Salão Social da Igreja Batista Número de participantes: 18 pessoas

Leia mais

Prefeitura Municipal de Senador José Porfírio Secretaria Municipal de Educação Coordenadoria de Ensino. PROJETO Prova Brasil na Escola

Prefeitura Municipal de Senador José Porfírio Secretaria Municipal de Educação Coordenadoria de Ensino. PROJETO Prova Brasil na Escola PROJETO Prova Brasil na Escola SENADOR JOSÉ PORFÍRIO PA 2015 Identificação Autor do Projeto: Luiz Pena Titulo do Projeto: Prova Brasil na Escola Unidade Executora: SEMED Equipe de Coordenação: Secretária

Leia mais

MEMÓRIA DO 4º DIÁLOGO COMUNITÁRIO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL ALTO TAQUARI MT AGENDA DO 4º DIÁLOGO COMUNITÁRIO

MEMÓRIA DO 4º DIÁLOGO COMUNITÁRIO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL ALTO TAQUARI MT AGENDA DO 4º DIÁLOGO COMUNITÁRIO MEMÓRIA DO 4º DIÁLOGO COMUNITÁRIO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA SUSTENTABILIDADE LOCAL ALTO TAQUARI MT Data: 15 de setembro de 2011 Tema: A FLOR DA CULTURA DA SUSTENTABILIDADE Local: Salão Social da

Leia mais

REGISTRO DA 3ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - GO

REGISTRO DA 3ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - GO REGISTRO DA 3ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - GO Data: 25/03 Horário: 14:00hs às 17:00hs Local: Centro de treinamento da ETH Município:

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

Registro da Oficina de Avaliação (CC e CTs) Teodoro Sampaio - SP

Registro da Oficina de Avaliação (CC e CTs) Teodoro Sampaio - SP 1 Registro da Oficina de Avaliação (CC e CTs) Teodoro Sampaio - SP Data: 08/12/2011 Horário: 9:00h às 11:30h Local: Sede do IPÊ Município: Teodoro Sampaio Número de participantes: 15 Equipe de Facilitadores:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação Diretoria de Extensão e Políticas de Inclusão

Leia mais

Caro(a)s voluntário(a)s. é

Caro(a)s voluntário(a)s. é Os Caro(a)s voluntário(a)s. é com satisfação que apresentamos cinco na temática do empreendedorismo que vocês poderão implementar junto aos alunos das escolas parceiras: Introdução ao Mundo dos Negócios,

Leia mais

Centro Universitário Newton Paiva Curso de Psicologia. Manual de Estágios Currículo 2009.02

Centro Universitário Newton Paiva Curso de Psicologia. Manual de Estágios Currículo 2009.02 Centro Universitário Newton Paiva Curso de Psicologia Manual de Estágios Currículo 2009.02 Belo Horizonte Dezembro de 2009 1 FICHA TÉCNICA CORPO ADMINISTRATIVO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA Presidente

Leia mais

REGISTRO DA 2ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - GO

REGISTRO DA 2ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - GO REGISTRO DA 2ª REUNIÃO DE TRABALHO DO CONSELHO COMUNITÁRIO (CC) E DAS COMISSÕES TEMÁTICAS (CTs) Cachoeira Alta - GO Data: 0/03 Horário: 1:00hs às 17:00hs Local: Centro de treinamento da ETH Município:

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES. 41 anos: cuidando das pessoas e da Terra!

RELATÓRIO DE ATIVIDADES. 41 anos: cuidando das pessoas e da Terra! RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 41 anos: cuidando das pessoas e da Terra! Avenida João Batista Medina, 358 Embu - SP - CEP 06840-000 (11) 4781.6837 - www.seaembu.org SOCIEDADE ECOLÓGICA - SEAE 41 anos cuidando

Leia mais

Economia Criativa conceito

Economia Criativa conceito Economia Criativa conceito A Economia Criativa é um conceito ainda em desenvolvimento, que compreende a gestão da criatividade para gerar riquezas culturais, sociais e econômicas. Abrange os ciclos de

Leia mais

Apêndice F-21C Relatório das Atividades de Dezembro do projeto de educação ambiental PPA para AJA Minas Gerais, Brasil

Apêndice F-21C Relatório das Atividades de Dezembro do projeto de educação ambiental PPA para AJA Minas Gerais, Brasil Apêndice F-21C Relatório das Atividades de Dezembro do projeto de educação ambiental PPA para AJA Minas Gerais, Brasil Groupo AJ na demonstração do modelo de bacia hidrográfica. Preparado para: Susan Kurbis,

Leia mais

O ESTUDO DA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES E A RELAÇÃO COM CONTEÚDOS MATEMÁTICOS

O ESTUDO DA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES E A RELAÇÃO COM CONTEÚDOS MATEMÁTICOS ISSN 2177-9139 O ESTUDO DA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES E A RELAÇÃO COM CONTEÚDOS MATEMÁTICOS Edimar Fonseca da Fonseca edyyfon@yahoo.com.br Fundação Universidade Federal do Pampa, Campus Caçapava do

Leia mais

AÇÕES DA EXTENSÃO PROJETOS 2009 - ENCERRADOS. Programa ESAG Sênior. Coordenador: Mário César Barreto Moraes

AÇÕES DA EXTENSÃO PROJETOS 2009 - ENCERRADOS. Programa ESAG Sênior. Coordenador: Mário César Barreto Moraes AÇÕES DA EXTENSÃO PROJETOS 2009 - ENCERRADOS Programa ESAG Sênior Mário César Barreto Moraes Bolsistas: Vanessa Vidal Riso Danielle Cândido Vecchietti Juliana Oliveira Lima de Souza A busca pro metodologias

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS UFU RELATÓRIO FINAL DE AÇÕES EXTENSIONISTAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS UFU RELATÓRIO FINAL DE AÇÕES EXTENSIONISTAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PRÓ-REITORIA DE ETENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS UFU RELATÓRIO FINAL DE AÇÕES ETENSIONISTAS 1. IDENTIFICAÇÃO CAMPUS: FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL-

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

Apresentação. Objetivos do Programa

Apresentação. Objetivos do Programa Diálogo Jovem 0 Índice Assunto Pagina Apresentação 2 Objetivos do Programa 2 Resultados esperados 3 Demandas do Programa 3 Por que investir 4 Origem dos Recursos 5 Metodologia 6 Roteiro do Primeiro encontro

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FACULDADE DE MANTENA 2010-2014

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FACULDADE DE MANTENA 2010-2014 RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FACULDADE DE MANTENA 2010-2014 Mantena-MG INTRODUÇÃO A Faculdade de Mantena FAMA - é um estabelecimento particular de ensino superior, que visa a atender

Leia mais

PROPOSTA DE TRABALHO ENSINO MÉDIO 2010. Pais e Alunos

PROPOSTA DE TRABALHO ENSINO MÉDIO 2010. Pais e Alunos PROPOSTA DE TRABALHO ENSINO MÉDIO 2010 Pais e Alunos Proposta de Trabalho Ensino Médio 2010 A partir de 2010 o nosso projeto pedagógico do Ensino Médio estará ainda mais comprometido com a formação integral

Leia mais

Anápolis sediou, na última terça-

Anápolis sediou, na última terça- FIEG ANÁPOLIS Programa Jovem Aprendiz é lançado no Senai Foto: Alex Malheiros Anápolis sediou, na última terça- -feira,15, o lançamento do novo modelo do Programa Jovem Aprendiz, com integração entre o

Leia mais

CONSIDERAÇÕES INICIAIS ACERCA DOS ESTUDOS REALIZADOS PELO SUBPROJETO PIBID DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO DO MUNICÍ- PIO DE ALTO ARAGUAIA-MT

CONSIDERAÇÕES INICIAIS ACERCA DOS ESTUDOS REALIZADOS PELO SUBPROJETO PIBID DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO DO MUNICÍ- PIO DE ALTO ARAGUAIA-MT CONSIDERAÇÕES INICIAIS ACERCA DOS ESTUDOS REALIZADOS PELO SUBPROJETO PIBID DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO DO MUNICÍ- PIO DE ALTO ARAGUAIA-MT Ellen Regina Moraes Bispo, Edinéia Guimarães Nunes e

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE EDUCACIONAL DE MEDIANEIRA MISSÃO: FORMAR PROFISSIONAIS CAPACITADOS, SOCIALMENTE RESPONSÁVEIS E APTOS A PROMOVEREM AS TRANSFORMAÇÕES FUTURAS. ESTÁGIO SUPERVISIONADO LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA

Leia mais

MANIFESTO ABENEFS: Alinhando a formação inicial em Educação Física às necessidades do setor saúde

MANIFESTO ABENEFS: Alinhando a formação inicial em Educação Física às necessidades do setor saúde Associação Brasileira de Ensino da Educação Física para a Saúde MANIFESTO : Alinhando a formação inicial em Educação Física às necessidades do setor saúde INTRODUÇÃ O A Associação Brasileira de Ensino

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICA EM REGISTROS E PRODUÇÃO DAS INFORMAÇÕES EM SAÚDE

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICA EM REGISTROS E PRODUÇÃO DAS INFORMAÇÕES EM SAÚDE Laboratório de Educação Profissional em Informações e Registros em Saúde LIRES CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TÉCNICA EM REGISTROS E PRODUÇÃO DAS INFORMAÇÕES EM SAÚDE Nome da Unidade: Escola Politécnica de Saúde

Leia mais

Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO

Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO Curso/Habilitação: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Disciplina: Empreendimentos em Informática

Leia mais

Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores

Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores PROGRAMA INSTITUCIONAL DE ACÕES AFIRMATIVAS RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADES (AGOSTO/2009 A AGOSTO/2010) Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores Paulo Eduardo Boeira Capeller Dr(ª).

Leia mais

Programa Ambiental: 1º Ciclo de Palestras Uso sustentável dos recursos naturais

Programa Ambiental: 1º Ciclo de Palestras Uso sustentável dos recursos naturais EXTENSO 2013 Eje 4: Ambiente, Educación Ambiental y Desarrollo Programa Ambiental: 1º Ciclo de Palestras Uso sustentável dos recursos naturais Letícia Fernanda Assis¹; Márcio Viera²; Juliana Ferrari³;

Leia mais

Novas Formas de Aprender e Empreender

Novas Formas de Aprender e Empreender Novas Formas de Aprender e Empreender DÚVIDAS FREQUENTES 1. Sobre o Prêmio Instituto Claro, Novas Formas de Aprender e Empreender 1.1. O que é o Prêmio? O Prêmio Instituto Claro Novas Formas de Aprender

Leia mais

Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011

Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011 Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011 INTRODUÇÃO A Fundação Tide Setubal nasce em 2005 para ressignificar e inovar o trabalho pioneiro

Leia mais

TÍTULO: PERFIL SOCIOECONÔMICO DOS PROFISSIONAIS FORMANDOS DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA FACIAP

TÍTULO: PERFIL SOCIOECONÔMICO DOS PROFISSIONAIS FORMANDOS DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA FACIAP Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: PERFIL SOCIOECONÔMICO DOS PROFISSIONAIS FORMANDOS DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA FACIAP CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Coro Infantil Gato na Tuba

Mostra de Projetos 2011. Coro Infantil Gato na Tuba Mostra de Projetos 2011 Coro Infantil Gato na Tuba Mostra Local de: Piraquara Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Associação Beneficente

Leia mais

OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS

OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS Mais informações: Site PIBID: http://www.pibid.ufrn.br/ Site LEM/UFRN: http://www.ccet.ufrn.br/matematica/lemufrn/index.html E-mail do LEM/UFRN: lem2009ufrn@yahoo.com.br

Leia mais

Gráfico 1 Jovens matriculados no ProJovem Urbano - Edição 2012. Fatia 3;

Gráfico 1 Jovens matriculados no ProJovem Urbano - Edição 2012. Fatia 3; COMO ESTUDAR SE NÃO TENHO COM QUEM DEIXAR MEUS FILHOS? UM ESTUDO SOBRE AS SALAS DE ACOLHIMENTO DO PROJOVEM URBANO Rosilaine Gonçalves da Fonseca Ferreira UNIRIO Direcionado ao atendimento de parcela significativa

Leia mais

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES O Programa de Certificação de Formadores busca capacitar profissionais da área da educação como formadores de professores e gestores educacionais. Com esta certificação, os formadores poderão ministrar

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

Atualmente. Fonte: Séries estatísticas e históricas IBGE, Censos Agropecuários 1960, 1970, 2006, IBGE-LSPA IBGE-PPM, Conab - * Dado relativo a 2008

Atualmente. Fonte: Séries estatísticas e históricas IBGE, Censos Agropecuários 1960, 1970, 2006, IBGE-LSPA IBGE-PPM, Conab - * Dado relativo a 2008 Programa Atualmente CONTEXTUALIZAÇÃO 1965 2006 Var. Área dos estab. Agrop. milhões ha 272,0 354,9 + 30,5% Área de Lavouras milhões ha 31,3 76,7 +145% Produção de Grãos milhões de ton 19,9 144,1 +624% Produtividade

Leia mais

ATA DA 141ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE CONSUMIDORES DA AMPLA

ATA DA 141ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE CONSUMIDORES DA AMPLA ATA DA 141ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE CONSUMIDORES DA AMPLA Local: Sala do Conselho de Consumidores da Ampla, Edifício Sede da Ampla, Praça Leoni Ramos nº 1 bl. 02/4º andar - São Domingos Niterói,

Leia mais

Prova de qualidade. Sistema de gestão do SESI Por um Brasil Alfabetizado faz a diferença EDUCAÇÃO

Prova de qualidade. Sistema de gestão do SESI Por um Brasil Alfabetizado faz a diferença EDUCAÇÃO Prova de qualidade Sistema de gestão do SESI Por um Brasil Alfabetizado faz a diferença Algumas ações simples, mas de grande eficiência, podem explicar por que alunos do SESI Por um Brasil Alfabetizado

Leia mais

PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC CADISTA PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL

PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC CADISTA PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC Campus Ceilândia CADISTA PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL Ceilândia Outubro de 2014 Reitoria Wilson Conciani Reitor Adilson Cesar de

Leia mais

Registro da Oficina de Avaliação Nova Alvorada do Sul - MS

Registro da Oficina de Avaliação Nova Alvorada do Sul - MS 1 Registro da Oficina de Avaliação Nova Alvorada do Sul - MS Data: 04/12/2012 Horário: 14h00minh às 17h00minh Local:Câmara Municipal Município: Nova Alvorada do Sul Número de participantes: 21 Equipe de

Leia mais

Missão Fomentar o desenvolvimento das organizações por meio da responsabilidade social corporativa.

Missão Fomentar o desenvolvimento das organizações por meio da responsabilidade social corporativa. Missão Fomentar o desenvolvimento das organizações por meio da responsabilidade social corporativa. Visão Ser um Núcleo multiplicador e de referência em ações de responsabilidade econômica, social e ambiental

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO (Anexo 1)

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO (Anexo 1) Prezado(a) Professor(a), Visando orientar e otimizar as informações que deverão constar no projeto, elencamos, abaixo, os itens imprescindíveis para compreensão e apresentação da sua proposta ao Prêmio

Leia mais

Conversando sobre a REALIDADE. Propostas Educação. Ano 1 - nº 3 - Nov/15

Conversando sobre a REALIDADE. Propostas Educação. Ano 1 - nº 3 - Nov/15 Conversando sobre a REALIDADE social do BRASIL Propostas Educação Ano 1 - nº 3 - Nov/15 Partido da Social Democracia Brasileira Presidente: Senador Aécio Neves Instituto Teotônio Vilela Presidente: José

Leia mais

UTILIZANDO O BARCO POP POP COMO UM EXPERIMENTO PROBLEMATIZADOR PARA O ENSINO DE FÍSICA

UTILIZANDO O BARCO POP POP COMO UM EXPERIMENTO PROBLEMATIZADOR PARA O ENSINO DE FÍSICA UTILIZANDO O BARCO POP POP COMO UM EXPERIMENTO PROBLEMATIZADOR PARA O ENSINO DE FÍSICA José Rodolfo Neves da Silva joserodolfoneves@yahoo.com Lidiana dos Santos Lidiana_santos18@hotmail.com Renally Gonçalves

Leia mais

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Curso Gestão Administrativa e Captação de Recursos Módulo III - Junho - 2013

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Curso Gestão Administrativa e Captação de Recursos Módulo III - Junho - 2013 P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Curso Gestão Administrativa e Captação de Recursos Módulo III - Junho - 2013 Planejamento Estratégico Municipal Atividade prática Pensar em problemas e soluções.

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: instrumento norteador efetivo de investimentos da IES

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: instrumento norteador efetivo de investimentos da IES 152 AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: instrumento norteador efetivo de investimentos da IES Silvana Alves Macedo 1 Reginaldo de Oliveira Nunes 2 RESUMO O processo da Auto-Avaliação Institucional ainda é um

Leia mais

Orientações Gerais para o Mobilizador 1

Orientações Gerais para o Mobilizador 1 Orientações Gerais para o Mobilizador 1 Índice CADERNO 1: ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O MOBILIZADOR 1.1. Mensagem ao mobilizador... 03 1.2. Materiais de implantação do Ciclo 4... 05 1.3. As reuniões: quantas

Leia mais

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX INTRODUÇÃO A extensão universitária é, na realidade, uma forma de interação que deve existir permanentemente entre a universidade e os diversos setores da sociedade. Assim, a

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

A atuação da Cemig em Sustentabilidade Empresarial

A atuação da Cemig em Sustentabilidade Empresarial A atuação da Cemig em Sustentabilidade Empresarial Companhia Energética de Minas Gerais - Cemig Superintendência de Sustentabilidade Empresarial Adiéliton Galvão de Freitas Presença em 19 estados brasileiros

Leia mais

TÍTULO: AUTORES: E-mail: INSTITUIÇÃO: ÁREA TEMÁTICA

TÍTULO: AUTORES: E-mail: INSTITUIÇÃO: ÁREA TEMÁTICA 1 TÍTULO: EXTENSÃO RURAL: O PAPEL DOS ESTUDANTES DE MEDICINA VETERINÁRIA NA ORIENTAÇÃO DE PRODUTORES FAMILIARES AUTORES: Wanderson A. B. Pereira, Murilo M. O. de Souza, David G. Francis E-mail: wadriano@bol.com.br,

Leia mais

REGISTRO 1ª REUNIÃO DE VALIDAÇÃO DE PROJETOS COMISSÕES TEMÁTICAS E CONSELHO COMUNITÁRIO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA A SUSTENTABILIDADE LOCAL

REGISTRO 1ª REUNIÃO DE VALIDAÇÃO DE PROJETOS COMISSÕES TEMÁTICAS E CONSELHO COMUNITÁRIO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA A SUSTENTABILIDADE LOCAL REGISTRO 1ª REUNIÃO DE VALIDAÇÃO DE PROJETOS COMISSÕES TEMÁTICAS E CONSELHO COMUNITÁRIO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA A SUSTENTABILIDADE LOCAL Perolândia GO Data: 08/12 Local: Câmara Municipal de Perolândia

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de Projetos

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de Projetos INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão de Projetos Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Aprovado no dia 15/05/2013 Pró diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP Regulamento do Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Faculdade de

Leia mais

PROEJA: UMA EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO NA EEEFM PROFESSOR GETÚLIO GUEDES EM PEDRAS DE FOGO PB

PROEJA: UMA EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO NA EEEFM PROFESSOR GETÚLIO GUEDES EM PEDRAS DE FOGO PB PROEJA: UMA EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO NA EEEFM PROFESSOR GETÚLIO GUEDES EM PEDRAS DE FOGO PB INTRODUÇÃO ARAGÃO, Wellington Alves Secretaria Estadual de Educação- PB welledu@yahoo.com.br

Leia mais

PLANO DE ENSINO - 1S - 2011 - FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

PLANO DE ENSINO - 1S - 2011 - FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS PLANO DE ENSINO - 1S - 2011 - FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS CURSO: Curso Superior de Tecnologia em Negócios Imobiliários TURNO: Noturno DISCIPLINA: Gestão Mercadológica de Vendas SEMESTRE: 3º semestre

Leia mais

Contexto. Educação para o mundo do trabalho. Por Mozart Neves Ramos - Todos Pela Educação em 01/03/2013

Contexto. Educação para o mundo do trabalho. Por Mozart Neves Ramos - Todos Pela Educação em 01/03/2013 META NACIONAL 11 - Educação Profissional- Triplicar as matrículas da Educação Profissional Técnica de nível médio, assegurando a qualidade da oferta e pelo menos 50% da expansão no segmento público. Contexto

Leia mais

Grupo Gestor Mar de Cultura XXV Breve Informativo 18 de março de 2010

Grupo Gestor Mar de Cultura XXV Breve Informativo 18 de março de 2010 Grupo Gestor Mar de Cultura XXV Breve Informativo 18 de março de 2010 Missão: Atuar para o desenvolvimento solidário e participativo de Paraty articulando a sociedade civil organizada e poder público para

Leia mais

UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA - UNISANTA RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA

UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA - UNISANTA RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA - UNISANTA RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA NÚCLEO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NAI É preciso avaliar para aprimorar CONSIDERAÇÕES INICIAIS A UNISANTA desenvolveu,

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE NA MODALIDADE A DISTÂNCIA ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DC 4019 04/10/2013 Rev. 01 1. Dados Legais Parecer 473 de 24/11/2009. DECRETO No 2.929, de 21 de dezembro de 2009. Parecer 144

Leia mais

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC METODOLOGIA PARA O ENSINO DE LINGUA PORTUGUESA. Parte 1 (solicitante)

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC METODOLOGIA PARA O ENSINO DE LINGUA PORTUGUESA. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFENCIA EM FORMAÇÃO E APOIO

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária Ano 2015 Título do Projeto: Convivência Social Tipo de Projeto: projeto

Leia mais

As contribuições do PRORROGAÇÃO na formação continuada dos professores da Rede Municipal de Educação de Goiânia.

As contribuições do PRORROGAÇÃO na formação continuada dos professores da Rede Municipal de Educação de Goiânia. As contribuições do PRORROGAÇÃO na formação continuada dos professores da Rede Municipal de Educação de Goiânia. FURBINO, Ana Paula Amaral 1 ; ARRUDA, Gyzely Santana de 2 ; AIRES, Vinicius 3 ; COSTA, Jonatas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS MINISTÉRIO DA SAÚDE FACULDADE DE ODONTOLOGIA RESUMO DAS ATIVIDADES DO PRÓ-SAÚDE NA FACULDADE DE ODONTOLOGIA UFG

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS MINISTÉRIO DA SAÚDE FACULDADE DE ODONTOLOGIA RESUMO DAS ATIVIDADES DO PRÓ-SAÚDE NA FACULDADE DE ODONTOLOGIA UFG UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS MINISTÉRIO DA SAÚDE FACULDADE DE ODONTOLOGIA RESUMO DAS ATIVIDADES DO PRÓ-SAÚDE NA FACULDADE DE ODONTOLOGIA UFG As atividades do Pró-Saúde para o primeiro ano de desenvolvimento

Leia mais

Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público

Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público 1. SOBRE O STARTUPGOV: O StartupGov: O Desafio do Serviço Público é um espaço para debate com o objetivo de aproximar o governo de especialistas

Leia mais

Manual 6: TREINAMENTO PARA CARREGADORES DE MERCADO

Manual 6: TREINAMENTO PARA CARREGADORES DE MERCADO Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Companhia Nacional de Abastecimento Conab Diretoria de Gestões de Estoques Diges Superintendência de Programas Institucionais e Sociais de Abastecimento

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Processo Seletivo 2013 CURSOS TÉCNICOS PRESENCIAIS 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. Processo Seletivo 2013 CURSOS TÉCNICOS PRESENCIAIS 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO Processo Seletivo 2013 CURSOS TÉCNICOS PRESENCIAIS 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Vendas FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO BRASILEIRO ANÁLISES DO PERÍODO 1996/2014

CENÁRIO ECONÔMICO BRASILEIRO ANÁLISES DO PERÍODO 1996/2014 CENÁRIO ECONÔMICO BRASILEIRO ANÁLISES DO PERÍODO / BOLETIM: OUTUBRO/2015 PESQUISA DE PRODUTIVIDADE SOBRE A EQUIPE TÉCNICA DA FUNDAÇÃO DOM CABRAL (FDC) COORDENAÇÃO TÉCNICA DA PESQUISA DE PRODUTIVIDADE:

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO BASQUETE MINEIRO

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO BASQUETE MINEIRO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO BASQUETE MINEIRO O que é? O Programa de Desenvolvimento do Basquete Mineiro (PDBM) é um projeto focado no atendimento as demandas dos clubes e escolas, em novas metodologias

Leia mais

ATA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE TURISMO.

ATA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE TURISMO. ATA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE TURISMO. Ao trigésimo dia do mês de setembro de dois mil e quinze, na sala de reuniões do SEBRAE LONDRINA, estavam presentes o Presidente do CONTUR,

Leia mais

CONSELHO DE CONSUMIDORES Criado pela Lei nº 8.631, de 4 de março de 1993

CONSELHO DE CONSUMIDORES Criado pela Lei nº 8.631, de 4 de março de 1993 ATA DA 55ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE CONSUMIDORES DA AMPLA Local: Petrópolis - DATA: 17/08/06 1. PRESENTES: Paulo César de Carvalho Moreira Leite - Presidente Representante da Classe Comercial -

Leia mais

ATA DA 128ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE CONSUMIDORES da AMPLA

ATA DA 128ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE CONSUMIDORES da AMPLA ATA DA 128ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE CONSUMIDORES da AMPLA Local: OAB Ordem dos Advogados do Brasil Cabo Frio, no seguinte endereço: Rua Ministro Gama Filho, 23, Qd. 42 Braga, Cabo Frio/ RJ. Data:

Leia mais

Política e Planejamento do Saneamento Básico na Bahia: Desafios e Perspectivas da Implementação

Política e Planejamento do Saneamento Básico na Bahia: Desafios e Perspectivas da Implementação Política e Planejamento do Saneamento Básico na Bahia: Desafios e Perspectivas da Implementação Mesa redonda 3 O papel institucional na elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico: interesses,

Leia mais

O PROCESSO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DO CURSO ON-LINE CONTABILIDADE PARA PROFISSIONAIS NÃO CONTADORES

O PROCESSO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DO CURSO ON-LINE CONTABILIDADE PARA PROFISSIONAIS NÃO CONTADORES 1 O PROCESSO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DO CURSO ON-LINE CONTABILIDADE PARA PROFISSIONAIS NÃO CONTADORES 100-TC-B5 05/2005 Daniela Karine Ramos Ilog Tecnologia, dadaniela@gmail.com B - Conteúdos

Leia mais

Comissão de Avaliadores Reconhecimento do Curso de Direito Campus Biguaçu

Comissão de Avaliadores Reconhecimento do Curso de Direito Campus Biguaçu EVENTO: Reunião da Comissão Própria de Avaliação Univali CPA 2. COORDENAÇÃO: Profa. Jeane Cristina de Oliveira Cardoso 3. Data: 16.04.2015 Horário: 14H Local: Sala 2022º piso Campus Biguaçu 4. ENVOLVIDOS:

Leia mais

A EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS ADULTOS

A EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS ADULTOS A EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS ADULTOS Alyson Fernandes de Oliveira 1 Hanna Maia Marques de Mello 2 Ana Paula de Almeida Saraiva Magalhães 3 Renata Emiko Basso Hayashi 4 Resumo: Com o elevado

Leia mais

COMO TRABALHAR COM VÍDEOS DE INTERNET. A presente metodologia que se construiu foi desenvolvida e aplicada em uma

COMO TRABALHAR COM VÍDEOS DE INTERNET. A presente metodologia que se construiu foi desenvolvida e aplicada em uma COMO TRABALHAR COM VÍDEOS DE INTERNET Jackes Alves de Oliveira 1º momento: Contextualização A presente metodologia que se construiu foi desenvolvida e aplicada em uma tradicional escola da Rede Municipal

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA POLÍTICAS PÚBLICAS GUIA DO FACILITADOR

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA POLÍTICAS PÚBLICAS GUIA DO FACILITADOR PARA POLÍTICAS PÚBLICAS GUIA DO FACILITADOR 2008. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo Sebrae SP TODOS OS DIREITOS RESERVADOS A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

REGISTROS REUNIÃO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL NA E.E SALVADOR MORENO MUNHOZ. TEORODO SAMPAIO - SP

REGISTROS REUNIÃO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL NA E.E SALVADOR MORENO MUNHOZ. TEORODO SAMPAIO - SP 1 REGISTROS REUNIÃO DO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL NA E.E SALVADOR MORENO MUNHOZ. TEORODO SAMPAIO - SP Data: 01/09/2012 Horário: 18h às 20h. Munhoz Município: Teodoro Sampaio Carneiro da Silva Gonçalves Número

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM ANÍBAL FERNANDES

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM ANÍBAL FERNANDES UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA FRANCISCO DE ASSIS DO NASCIMENTO RITA DE CÁSSIA GUEDES LIMA RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012

Leia mais

O que é? Objetivos. FREIRE, P. A educação na cidade. São Paulo: Cortez, 1993, p. 68.

O que é? Objetivos. FREIRE, P. A educação na cidade. São Paulo: Cortez, 1993, p. 68. O que é? Inspirado no Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos (MOVA), criado pelo educador Paulo Freire (1921 1997), o Projeto MOVA Brasil é desenvolvido pelo Instituto Paulo Freire (IPF) em parceria

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 3ª REGIÃO ATA DE REUNIÃO ASSUNTO: Acompanhamento das ações da Comissão de Responsabilidade Socioambiental 1. Informações Gerais Data: 18/03/2014 Horário: 14 horas Local: Anexo GV - 10º andar - Plenário 3 Participantes:

Leia mais

É hora de celebrar! No mês de dezembro mais uma turma de jovens se formou em emocionante celebração M

É hora de celebrar! No mês de dezembro mais uma turma de jovens se formou em emocionante celebração M Janeiro São Paulo. Brasil www.vidajovem.org 2015 É hora de celebrar! No mês de dezembro mais uma turma de jovens se formou em emocionante celebração M ais uma turma se encerrou no mês de dezembro e como

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos sociais. O edital destina-se às organizações

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

www.institutoproterra.org.br

www.institutoproterra.org.br APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Missão O Instituto Pró Terra é uma entidade sem fins lucrativos criada em 1997 sob o CNPJ: 04728488/0001-29, que reúne amigos, educadores, técnicos e pesquisadores com a missão

Leia mais

METODOLOGIA PARA CONSTRUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA EAD: DO PLANO DE ENSINO AO ROTEIRO DE TUTORIA.

METODOLOGIA PARA CONSTRUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA EAD: DO PLANO DE ENSINO AO ROTEIRO DE TUTORIA. 1 METODOLOGIA PARA CONSTRUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA EAD: DO PLANO DE ENSINO AO ROTEIRO DE TUTORIA. Maio/2008 Mara Yáskara Nogueira Paiva Cardoso Uniararas, marayaskara@uniararas.br Ana Carolina Castelli

Leia mais

Manuais ISGH Coordenadoria de Educação Permanente, Ensino e Pesquisa CEPEP

Manuais ISGH Coordenadoria de Educação Permanente, Ensino e Pesquisa CEPEP Manuais ISGH Coordenadoria de Educação Permanente, Ensino e Pesquisa CEPEP Página 1 ELABORAÇÃO Assessoras Técnicas da Educação Permanente ISGH Ana Karine Girão Lima Társia Vitoria de Araujo Joaquim Nogueira

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELOS PSICÓLOGOS DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SESAU NOS MUNICÍPIOS AFETADOS PELA ENCHENTE

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELOS PSICÓLOGOS DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SESAU NOS MUNICÍPIOS AFETADOS PELA ENCHENTE GOVERNO DE ALAGOAS RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELOS PSICÓLOGOS DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SESAU NOS MUNICÍPIOS AFETADOS PELA ENCHENTE MACEIÓ, 2010 GOVERNO DE ALAGOAS TEOTÔNIO VILELA FILHO

Leia mais

6. O Diagnóstico Rápido Participativo. 6.1 Aspectos teóricos. 6.2 Metodologia do Diagnóstico Participativo da bacia hidrográfica do rio Sesmaria

6. O Diagnóstico Rápido Participativo. 6.1 Aspectos teóricos. 6.2 Metodologia do Diagnóstico Participativo da bacia hidrográfica do rio Sesmaria 6. O Diagnóstico Rápido Participativo 6.1 Aspectos teóricos O Diagnóstico Rápido Participativo DRP é uma metodologia que permite o levantamento de informações e conhecimentos da realidade da comunidade

Leia mais