EXPRESSÃO ECONÔMICA DA CIDADE DE SÃO PAULO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXPRESSÃO ECONÔMICA DA CIDADE DE SÃO PAULO"

Transcrição

1 EXPRESSÃO ECONÔMICA DA CIDADE DE SÃO PAULO Ementa: O presente estudo pretende mostrar com números o tamanho e curiosidades da economia da cidade de São Paulo, que no próximo dia 25 de janeiro completa 458 anos. Com o dado mais atual do PIB municipal referente ao ano de 2009, recentemente divulgado pelo IBGE, puderam ser realizadas as comparações da economia paulistana com o PIB de outros países, regiões e estados. 1. Introdução A cidade de São Paulo completa no dia 25 de janeiro deste ano, 458 anos. Se a cidade fosse um país entraria no rol das principais economias do mundo. O estudo dará a clara dimensão do potencial da economia paulistana, comparando-a com as principais economias do mundo, com os países da América do Sul, com os estados norte-americanos e com os estados brasileiros. Como as informações obtidas através do Fundo Monetário Internacional (PIB dos países) e do US Government Revenue (PIB dos estados americanos) estão em dólar americano, se faz necessário realizar a conversão do PIB brasileiro e paulistano de real para dólar para efeitos de comparação. Para isso utilizou-se a cotação do dólar comercial (venda) médio anual conforme tabela abaixo: ,43 2,18 1,95 1,84 1,99 Fonte: BCB Cotação do Dólar (R$/US$) - Média Anual Outro ajuste feito foi a alteração do PIB do Brasil do valor que o FMI divulgou pelo valor divulgado pelo IBGE, que se acredita que aproxima mais da realidade. No FMI o PIB brasileiro de 2009 em milhões foi de US$ , enquanto o que o IBGE divulgou foi de US$ , realizando a conversão pelo câmbio de 1,99, que foi a média do ano de Apesar desta mudança, não houve qualquer alteração na classificação das economias.

2 E por fim, na comparação com os estados norte americanos, foi utilizado o PIB dos Estados Unidos obtido pelo US Government Revenue, o qual se difere do apontado pelo FMI. Há uma distorção de 76 bilhões de dólares. Este critério também não altera qualquer tipo de posição ou análise a ser feita. Essas foram as três observações técnicas para que se entenda o cálculo feito no estudo. A seguir os números da economia paulistana. 2. Comparando com a Economia Nacional Com o PIB de 2009 beirando os 400 bilhões de reais ou quase 200 bilhões de dólares e representando 12% do PIB do país, a cidade de São Paulo se apresenta como o município mais rico do Brasil. O valor de 389 bilhões de reais é maior que o dobro do PIB do segundo município mais rico, o do Rio de Janeiro com R$ 176 bilhões. Quando se realiza a comparação com os estados brasileiros, a capital paulista só perde para o próprio estado de São Paulo. E mesmo se retirasse o valor do município do PIB do estado, não haveria alteração na ordem de classificação. A produção paulistana representa cerca de 90% do PIB do estado do Rio de Janeiro. A economia paulistana é maior que a soma do PIB de 14 estados.

3 PRODUTO INTERNO BRUTO (PIB) DOS ESTADOS E CIDADE DE SÃO PAULO DE 2009 (R$ Milhões / valores correntes) Ordem ESTADO Em R$ Em US$ Part (%) 1 São Paulo ,5% 2 Cidade de São Paulo ,0% 3 Rio de Janeiro ,9% 4 Minas Gerais ,9% 5 Rio Grande do Sul ,7% 6 Paraná ,9% 7 Bahia ,2% 8 Distrito Federal ,1% 9 Santa Catarina ,0% 10 Goiás ,6% 11 Pernambuco ,4% 12 Espírito Santo ,1% 13 Ceará ,0% 14 Pará ,8% 15 Mato Grosso ,8% 16 Amazonas ,5% 17 Maranhão ,2% 18 Mato Grosso do Sul ,1% 19 Paraíba ,9% 20 Rio Grande do Norte ,9% 21 Alagoas ,7% 22 Rondônia ,6% 23 Sergipe ,6% 24 Piauí ,6% 25 Tocantins ,4% 26 Amapá ,2% 27 Acre ,2% 28 Roraima ,2% BRASIL Fonte: IBGE Elaboração: FecomercioSP É importante ressaltar que a cidade de São Paulo agrega as mais amplas atividades econômicas, o que torna menos dependente em casos de turbulências econômicas. A maioria das cidades brasileiras estão atreladas a poucos setores, do comércio externo, das commodities, benefícios sociais, enfim situações que os tornam mais vulneráveis, e que caso haja um descompasso na economia mundial, problemas climáticos, entre outros desafios, essas cidades são afetadas de forma mais significativa. São Paulo sofre menos com essas tensões pela sua economia diversificada e tem sua força na área de comércio e serviços, sendo o maior centro financeiro da América Latina. A grande indústria está estabelecida ao redor da capital, na região metropolitana. Outra comparação interessante é com as regiões do Brasil. O PIB da cidade de São Paulo é mais que o dobro que a soma de todos os estados da região norte do Brasil. E 25% a mais que o PIB dos estados do Centro Oeste. E a capital paulista perde para a soma regiões Nordeste, Sul e Sudeste, o qual a cidade de São Paulo representa 89%, 73% e 22%, respectivamente, do PIB destas regiões.

4 Brasil Sudeste Sul Nordeste Centro Oeste Norte São Paulo 12% 22% 73% 89% 125% 239% Fonte: IBGE Comparação do PIB paulistano com as grandes regiões Elaboração e Cálculos: FecomercioSP 3. Comparando com as Principais Economias do Mundo Se a cidade de São Paulo fosse um país, estaria entre as 50 maiores potencias econômicas do mundo. No levantamento das informações de 2005 a colocação da cidade era a 49ª, mas pulou para a 40ª em É importante ressaltar que esse ganho se deve a três aspectos. O primeiro é que de fato a economia brasileira cresceu acima da média das grandes economias mundiais e São Paulo, cujo PIB está cada vez mais concentrado no setor de serviços, fez parte disso. O segundo aspecto foi que com a economia nacional aquecida e atrativa para investimentos, houve muita entrada de recursos externos que fez o real se valorizar e quando realizamos a conversão do PIB de real para dólar, acaba que tem-se um ganho relativo maior. E por último, o aspecto que em 2009 foi o auge da crise econômica americana e, portanto, o Brasil que sofreu menos impactos negativos do que as grandes potencias econômicas, teve também um ganho relativo. Em 2005 a cidade de São Paulo perdia para países como Paquistão, Hungria e Nigéria. Em 2009 não só deixou essas economias para trás, mas passou outros países importantes como Israel e Cingapura.

5 50 MAIORES ECONOMIAS DO MUNDO PIB (US$ Milhões) * CLASS PAÍS 2009 CLASS PAÍS Estados Unidos Noruega Japão Irã China Grécia Alemanhã Venezuela França Argentina Reino Unido Dinamarca Italia África do Sul BRASIL Emirados Árabes Unidos Espanha Tailândia Canada Finlândia Índia Portugal Rússia Colômbia Australia Irlanda México Hong Kong Coreia do Sul Cidade de São Paulo Holanda Israel Turquia Malásia Indonesia República Checa Suiça Egito Bélgica Cingapura Polônia Nigéria Suécia Filipinas Austria Romênia Taiwan Paquistão Arábia Saudita Chile Fontes: FMI e IBGE Elaboração: FecomercioSP * Com a hipótese da cidade de São Paulo ser um país. 4. Comparando com a América do Sul Quando a FecomercioSP realizou o estudo com os dados da cidade de São Paulo de 2005, a capital paulista se apresentava entre os países da América do Sul, na 6ª colocação. Segundo as informações referentes a 2009, a economia paulistana ficou a frente do Chile pulando para a 5ª posição, perdendo apenas para o próprio Brasil, Argentina, Venezuela e Colômbia. E, em relação à Argentina, o município de São Paulo tem um produto equivalente a 63% daquele país, a segunda economia da América do Sul. O PIB da cidade de São Paulo é 70% maior que a soma das economias de Equador, Uruguai, Bolívia e Paraguai, sendo 14 vezes maior que este último país.

6 CLASS PAÍS PIB Brasil Argentina Venezuela Colombia Cidade de São Paulo Chile Peru Equador Uruguai Bolivia Paraguai Fonte: FMI Elaboração: Fecomercio SP PIB DOS PAÍSES DA AMÉRICA DO SUL (em US$ milhões correntes) 5. Comparando com os Estados Norte-Americanos Os Estados Unidos possuem o maior PIB do mundo. Nem a soma das três posições seguintes (Japão, China e Alemanha) ultrapassaria o número da produção americana, segundo os dados do FMI de Diferentemente do que acontece no Brasil, onde se tem a região sudeste como o grande motor da economia nacional, nos Estados Unidos percebe-se que os cinco estados mais ricos estão em regiões distantes. Se a cidade de São Paulo fosse um estado americano, estaria a frente de 27 estados daquele país, ou seja, mesmo dentro da maior economia do mundo, a capital paulista mostraria sua expressão econômica. A riqueza anual paulistana corresponde ao dobro da dos estados de Arkansas e da capital Washington D.C, separadamente. O município de São Paulo tem seu PIB quase oito vezes maior que o estado americano de Vermont, o menor em termos econômicos.

7 6. Números da cidade COMPARAÇÃO DO PIB PAULISTANO COM OS ESTADOS AMERICANOS (Dados de 2009 / em US$ Milhões) Estados Unidos Califórnia Alabama Texas Carolina do Sul Nova Iorque Kentucky Flórida Oklahoma Illinois Iowa Pensilvânia Nevada Nova Jersey Kansas Ohio Utah Virginia Washington, D.C Carolina do Norte Arkansas Geórgia Mississippi Michigan Nebraska Massachusetts Novo México Washington Havaí Maryland Virginia Ocidental Indiana Delaware Minnesota New Hampshire Colorado Idaho Arizona Maine Tennesse Rhode Island Wisconsin Alaska Missouri Dakota do Sul Connecticut Wyoming Louisiana Montana Cidade de São Paulo Dakota do Norte Oregon Vermont Fonte: US Government Revenue e IBGE Elaboração: FecomercioSP Dados oficiais da cidade de São Paulo mostram números impressionantes, como: São Paulo é sede: 38% das 100 maiores empresas privadas de capital nacional; 63% dos grupos internacionais instalados no Brasil; 17 dos 20 maiores bancos; oito das 10 maiores corretoras de valores; estabelecimentos de saúde; 40 hospitais públicos, 61 hospitais particulares, leitos hospitalares, 99 bases móveis da Polícia Militar, 93 distritos policiais, 04 postos do Poupatempo, 146 faculdades, 26 universidades. Gastronomia: 12,5 mil restaurantes; 52 tipos de cozinhas; 15 mil bares; 3,2 mil padarias (10,4 milhões de pãezinhos por dia e 7,2 mil por minuto); 500 churrascarias; 250 restaurantes japoneses; 1,5 mil pizzarias (um milhão de pizzas por dia, 720 por minuto); dois mil opções de delivery. Turismo: 11,7 milhões de visitantes em 2010, sendo 10,1 milhões de turistas nacionais e 1,6 milhão de estrangeiros; 56,1% dos turistas vêm a negócios; 22,4% para participar de eventos; 10,9% a lazer; 4,0% para estudos; 2,6% para visitar parentes e amigos e 2,5% para assuntos relacionados a saúde.

8 Hotelaria: São Paulo reúne as principais redes hoteleiras nacionais e internacionais; 410 hotéis (42 mil apartamentos disponíveis); taxa de ocupação média dos hotéis em 2009: 62,2%; diária média em 2009: R$ 197. Cultura e Lazer: 160 teatros; 110 museus; 260 salas em 55 cinemas; 280 salas de teatro (600 espetáculos teatrais em média por ano); 40 centros culturais; 64 parques e áreas verdes; sete parques temáticos (na Grande São Paulo); sete grandes casas de espetáculos; 294 salas para shows e concertos; mil academias de ginástica; sete estádios de futebol. Eventos: São Paulo é a capital sul americana de feiras de negócios e está entre os top 15 destinos para eventos internacionais no mundo (12º lugar); realiza 90 mil eventos por ano (um evento a cada 6 minutos); 75% do mercado brasileiro de feiras de negócios; R$ 2,9 bilhões de receita/ano; R$ 700 milhões em locação de área para exposição; R$ 700 milhões em serviços; R$ 8,5 bilhões em viagens, hospedagem e transporte terrestre e aéreo. Só o Anhembi tem em torno de 400mil m² - é o maior complexo de eventos da América do Sul. Transporte: 37 mil táxis; 15 mil ônibus urbanos; linhas de ônibus; 28 terminais de ônibus; cinco linhas de metrô; 62,3 km de linhas de metrô + 20,0 km em construção; 55 estações do metrô; 270 kms de linhas de trem; Segunda maior frota de helicópteros do mundo. Em valores movimentados por turistas: Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1 R$ 230 milhões; Parada GLBT R$ 189 milhões; Fórmula Indy R$ 126 milhões (previsão 2010); Salão do Automóvel R$ 125,5 milhões; Bienal de São Paulo (de Artes) R$ 120 milhões. 7. Curiosidades finais Só para se ter uma noção do PIB paulistano comparando não com outras economias, mas com eventos mais aleatóreos, o PIB da cidade de São Paulo (2009) corresponde a prêmios da Mega Sena da Virada de 2011 (R$ 177 milhões) salários mínimos (R$ 622 reais ) Construção de 475 estádios do Itaquerão (R$ 820 milhões) receitas com eventos do GP de Fórmula um em SP (R$ 230 milhões) 8. Conclusão A cidade de São Paulo completa 458 anos mantendo o seu gigantismo economico. A sua posição nas próximas comparações, quando forem divulgados dos dados de 2010 e 2011, deve continuar melhorando. Porque

9 além da economia nacional ter apresentado taxas de crescimento acima da média mundial, o câmbio (R$/US$) médio destes dois anos foi de 1,76 e 1,67, respectivamente, segundo dados do Banco Central. Ou seja, a moeda nacional na trajetória de valorização, trará ganhos relativos significativos quando feita a conversão para o dólar. A capital paulista está de parabéns pelos seus números economicos. Também agora se tornando a capital com o menor índice de violência do Brasil, pode se orgulhar dos benefícios sociais dessa sua pujança econômica e de seu alto nível de eficiência em todas as áreas. Ordenamento das Capitais por Taxas de Homicídio (em 100 mil). Brasil: 2000/2010* Capital 2000 Pos. 2010* Pos. Maceió 45,1 8º 109,9 1º João Pessoa 37,8 13º 80,3 2º Vitória 79,0 2º 67,1 3º Recife 97,5 1º 57,9 4º São Luís 16,6 24º 56,1 5º Curitiba 26,2 20º 55,9 6º Salvador 12,9 25º 55,5 7º Belém 25,9 21º 54,5 8º Porto Velho 61,0 5º 49,7 9º Macapá 46,2 7º 49,0 10º Manaus 33,0 17º 46,7 11º Fortaleza 28,2 19º 45,9 12º Aracaju 39,9 10º 42,0 13º Cuiabá 69,5 3º 40,1 14º Goiânia 28,6 18º 39,8 15º Porto Alegre 39,2 12º 36,8 16º Belo Horizonte 34,8 16º 34,9 17º Brasília 37,5 14º 34,2 18º Natal 10,4 26º 32,3 19º Teresina 22,2 22º 30,8 20º Boa Vista 40,4 9º 28,5 21º Rio Branco 36,4 15º 25,9 22º Rio de Janeiro 56,6 6º 24,3 23º Florianópolis 10,2 27º 22,8 24º Palmas 21,8 23º 22,3 25º Campo Grande 39,3 11º 21,7 26º São Paulo 64,8 4º 13,0 27º Fonte: Mapa da Violência Instituto Sangari -SIM/SVS/MS *2010: dados preliminares Agora é esperar que a cidade de São Paulo nos próximos anos venha a disseminar esses indicadores positivos para todas as áreas sociais com a mesma expressividade com que vem mostrando no campo da economia e segurança pública. Fontes: IBGE, FMI, Banco Central, US Government Revenue, SPTuris, Caixa Econômica, Ministério da Fazenda, Corinthians. FECOMERCIOSP GD/AJC - 25/01/2012

Estatísticas básicas de turismo. Brasil

Estatísticas básicas de turismo. Brasil Estatísticas básicas de turismo Brasil Brasília, outubro de 2010 Estatísticas básicas de turismo Índice Páginas I - Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas internacionais

Leia mais

Criminalidade no Brasil

Criminalidade no Brasil Criminalidade no Brasil Instituto Avante Brasil Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Coordenação e elaboração de pesquisa: Flávia Mestriner Botelho De acordo com um levantamento realizado pelo Instituto

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas Especificações Técnicas Metodologia Técnicaeformadecoleta: Quantitativa: survey telefônico, com amostra 2.322 entrevistas, realizadas entre os dias 17 de junho e 07 de julho de 2009, pelo Instituto Vox

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM. Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva

IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM. Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva Objetivo: analisar os imigrantes da área de no Brasil Justificativa Referencial

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Outro olhar minucioso na estrutura de covariância de modelos espaciais

Outro olhar minucioso na estrutura de covariância de modelos espaciais Outro olhar minucioso na estrutura de covariância de modelos espaciais Renato Martins Assunção Elias Teixeira Krainski Guido del Piño 14 de março de 2007 Variação espacial discreta washington:main montana

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

Por que o mercado dos EUA?

Por que o mercado dos EUA? Este material foi desenvolvido por especialistas do franchising americano e é um guia de orientação para o empresário brasileiro que tem interesse em ingressar no maior mercado de franquias do mundo. Ele

Leia mais

mídiakit www.tvgazeta.com.br

mídiakit www.tvgazeta.com.br mídiakit www.tvgazeta.com.br JUNHO / 2015 #HISTÓRIA Fundada no aniversário da cidade de São Paulo, a TV Gazeta fala com uma metrópole globalizada com a intimidade de quem esteve presente na vida e no coração

Leia mais

INDICADORES MACROECONÔMICOS DO TURISMO, DOS PRINCIPAIS DESTINOS LITORÂNEOS DA BAHIA, NO PERÍODO DE 1998 A 2008

INDICADORES MACROECONÔMICOS DO TURISMO, DOS PRINCIPAIS DESTINOS LITORÂNEOS DA BAHIA, NO PERÍODO DE 1998 A 2008 CULTUR, ano 05 - nº 01/Especial - Jan/2011 www.uesc.br/revistas/culturaeturismo Licença Copyleft: Atribuição-Uso não Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas INDICADORES MACROECONÔMICOS DO TURISMO,

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

Meto t d o o d l o og o i g a II. Segm g e m nt n a t ção o do d o me m rcado III. C racte t rização o do d s o ent n r t evi v sta t do d s

Meto t d o o d l o og o i g a II. Segm g e m nt n a t ção o do d o me m rcado III. C racte t rização o do d s o ent n r t evi v sta t do d s Roteiro I. Metodologia II. III. IV. Segmentação do mercado Caracterização dos entrevistados Percepções sobre o turismo no Brasil V. Hábitos e comportamentos sobre turismo VI. VII. VIII. Prioridade de investimento

Leia mais

Sobre o FOHB Nossa missão:

Sobre o FOHB Nossa missão: 20 de maio de 2014 Sobre o FOHB Criado em 2002, o FOHB Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil é uma entidade associativa sem fins lucrativos que representa importantes redes hoteleiras, nacionais e internacionais,

Leia mais

FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO

Leia mais

1ª Avaliação Parlamentar Copa do Mundo 2014. Logística

1ª Avaliação Parlamentar Copa do Mundo 2014. Logística 1ª Avaliação Parlamentar Copa do Mundo 2014 Logística Economia Brasileira Gráfico 1 Crescimento Econômico Brasileiro e Mundial PIB 2002 a 2016 (em %) 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0-2,0 7,5 61 6,1 5,7 4,6 5,3 5,2

Leia mais

Mercado em números. Brasil. Designação oficial: República Federativa do Brasil. Guiana Venezuela Suriname Columbia. Capital: Brasília.

Mercado em números. Brasil. Designação oficial: República Federativa do Brasil. Guiana Venezuela Suriname Columbia. Capital: Brasília. Guiana Venezuela Suriname Columbia Guiana Francesa Designação oficial: República Federativa do Capital: Brasília Localização: Leste da América do Sul Peru Fronteiras terrestres: 16.145 km com a Argentina

Leia mais

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S.

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Nos últimos anos, tem crescido a expectativa em torno de uma possível

Leia mais

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil FACT-SHEET Cana-de-Açúcar, Milho e Soja Programa Agricultura e Meio Ambiente WWF - Brasília Março 28 WWF- Secretaria Geral Denise Hamú Superintendência de Conservação de Programas Temáticos Carlos Alberto

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA

Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA June 2002 Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA No início de 2002, a International Planning and Research Corporation (IPR)

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais MAR/15

Ranking Mundial de Juros Reais MAR/15 Ranking Mundial de Juros Reais MAR/15 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 7.938 0,37 0 0,00-7.938 0,37

Leia mais

Doingbusiness no Brasil. Penelope Brook PSD/FSD Vice Presidência Grupo Banco Mundial Rio de Janeiro 26 de julho de 2006

Doingbusiness no Brasil. Penelope Brook PSD/FSD Vice Presidência Grupo Banco Mundial Rio de Janeiro 26 de julho de 2006 Doingbusiness no Brasil Penelope Brook PSD/FSD Vice Presidência Grupo Banco Mundial Rio de Janeiro 26 de julho de 2006 1 Indicadores Doingbusiness 2006 2007 2008 Abertura de empresas Registro de propriedades

Leia mais

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 PRESIDENTE: Marciano Gianerini Freire EQUIPE TÉCNICA: Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: Heike Duske César Melo

Leia mais

2015 Global Feed Survey

2015 Global Feed Survey 2015 Global Feed Survey 2015 RESULTADOS DA PESQUISA RESUMO EXECUTIVO 2015 é o quarto ano consecutivo que a Alltech realiza a pesquisa global sobre rações. Este empreendimento exige uma quantidade significativa

Leia mais

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Nº de Entrevistados da Pesquisa: 39.000 pessoas Nº de locais das entrevistas: 27 15 em aeroportos internacionais, que representam 99% do fluxo internacional

Leia mais

IMPACTOS POSITIVOS PARA 2014

IMPACTOS POSITIVOS PARA 2014 IMPACTOS POSITIVOS PARA 2014 O turismo da cidade de São Paulo desenvolveu-se positivamente nos últimos anos. Muito mais pode ser esperado os para os próximos, prevendo uma chegada estimada em 17 milhões

Leia mais

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias 50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias Pesquisa realizada pela Rizzo Franchise e divulgada pela revista Exame listou as 50 cidades com as melhores oportunidades para abertura de

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14

Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 Ranking Mundial de Juros Reais SET/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Ingressos de Turistas Internacionais no RS por via de acesso

Ingressos de Turistas Internacionais no RS por via de acesso Anuário Estatístico de Turismo 2015 ano base 2014* *Publicado em 08/07/2015, pelo Ministério do Turismo. A publicação apresenta uma compilação de informações anuais relativas ao comportamento de diversos

Leia mais

Taxa de Ocupação atinge 80,69% e registra o melhor resultado para um mês de abril

Taxa de Ocupação atinge 80,69% e registra o melhor resultado para um mês de abril TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, em parceria com Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro Abril de 2012 Taxa

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS, APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS, APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS, APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DAPARAÍBA

Leia mais

PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007

PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007 PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007 Para o ano de 2007, o Produto Interno Bruto PIB do Estado de Rondônia apresentou um crescimento de 5,2% em relação ao ano anterior, ficando assim com 16ª a colocação no ranking

Leia mais

São Paulo. O Brasil como Pólo Internacional de Investimentos e Negócios. tsando@visitesaopaulo.com

São Paulo. O Brasil como Pólo Internacional de Investimentos e Negócios. tsando@visitesaopaulo.com São Paulo O Brasil como Pólo Internacional de Investimentos e Negócios São Paulo Convention & Visitors Bureau Fundação 25 de Janeiro Entidade estadual, mantida pela iniciativa privada. Captação e apoio

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO INVESTIMENTO EXTERNO DIRETO (IED) NO BRASIL: 1995-2013 1 RESUMO

A EVOLUÇÃO DO INVESTIMENTO EXTERNO DIRETO (IED) NO BRASIL: 1995-2013 1 RESUMO 1 A EVOLUÇÃO DO INVESTIMENTO EXTERNO DIRETO (IED) NO BRASIL: 1995-2013 1 Cleidi Dinara Gregori 2 RESUMO Este artigo tem como objetivo analisar a evolução do investimento externo direto, também conhecido

Leia mais

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB O NÚCLEO DE ECONOMIA EMPRESARIAL ESPM-SUL PESQUISA E APOIO 1. Despesas em

Leia mais

Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional:

Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional: Avanços e encaminhamentos sobre a Pesquisa de Turismo Internacional: Avaliações para o desenho amostral em rodovias segundo a metodologia proposta para a PTI Palestrante: Alfredo García Ramos (Consultor

Leia mais

200 4 Anuário Estatístico

200 4 Anuário Estatístico 2004 Anuário Estatístico REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Presidente MINISTÉRIO DO TURISMO WALFRIDO SILVINO DOS MARES GUIA Ministro INSTITUTO BRASILEIRO DE TURISMO EMBRATUR EDUARDO

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TURISMO E HOTELARIA SETEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TURISMO E HOTELARIA SETEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TURISMO E HOTELARIA SETEMBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT) o turismo compreende as atividades realizadas

Leia mais

Impactos do atual modelo de desenvolvimento econômico sobre as empresas

Impactos do atual modelo de desenvolvimento econômico sobre as empresas Impactos do atual modelo de desenvolvimento econômico sobre as empresas Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco Dezembro, 2015 1 Roteiro sofre de diversos desequilíbrios e problemas de competitividade.

Leia mais

O Perfil de Renda das Torcidas Brasileiras e o Público nos Estádios

O Perfil de Renda das Torcidas Brasileiras e o Público nos Estádios O Perfil de Renda das Torcidas Brasileiras e o Público nos Estádios Os 6 grandes grupos de torcedores do Brasil Não torce para ninguém; 21% Demais clubes do país; 19% Flamengo; 15% Corinthians; 13% São

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 214 vai movimentar o Turismo Brasileiro 9 dias O estudo As empresas Principais conclusões a 9 dias da Copa 1 principais emissores 1 Desempenho das cidades-sede Chegadas internacionais

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Origem dos dados... 3. Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 4. Variáveis de conteúdo... 4

Origem dos dados... 3. Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 4. Variáveis de conteúdo... 4 Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Doenças Crônicas artrite/reumatismo, problema crônico de coluna, distúrbio osteomuscular relacionado ao trabalho (DORT), depressão e outros problemas mentais Notas

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Doenças Crônicas doenças do pulmão, câncer, insuficiência renal crônica e outras doenças crônicas Notas Técnicas

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Doenças Crônicas doenças do pulmão, câncer, insuficiência renal crônica e outras doenças crônicas Notas Técnicas Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Doenças Crônicas doenças do pulmão, câncer, insuficiência renal crônica e outras doenças crônicas Notas Técnicas Sumário Origem dos dados... 3 Descrição das variáveis

Leia mais

Pro Board. O que é Pro Board?

Pro Board. O que é Pro Board? Objetivo Explicar a importância dos treinamentos certificados através do sistema internacional Pro Board, dirigindo abordagens ao programa NFPA 1041 Instrutor I. Pro Board O que é Pro Board? É a denominação

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Estilo de Vida Atividade física e hábito de assistir televisão Notas Técnicas

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Estilo de Vida Atividade física e hábito de assistir televisão Notas Técnicas Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Estilo de Vida Atividade física e hábito de assistir televisão Notas Técnicas Sumário Origem dos dados... 3 Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 4

Leia mais

368 municípios visitados

368 municípios visitados TURISTAS INTERNACIONAIS 60,3% visitaram o Brasil pela primeira vez 91,4 % Copa como o principal motivo da viagem 83% o Brasil atendeu plenamente ou superou suas expectativas 95% tem intenção de retornar

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 05/07/11 02/08/11 30/08/11 27/09/11 25/10/11 22/11/11 20/12/11 17/01/12 14/02/12 13/03/12 10/04/12 08/05/12 05/06/12 03/07/12 31/07/12 28/08/12 25/09/12

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

mensário estatístico-exportação Maio 2012 AÇÚCAR BRUTO

mensário estatístico-exportação Maio 2012 AÇÚCAR BRUTO mensário estatístico-exportação Maio 2012 AÇÚCAR BRUTO CONDIÇÕES Este relatório foi preparado pela Linus Galena Consultoria Econômica exclusivamente para uso de seus clientes e não poderá ser circulado,

Leia mais

Índice de Desenvolvimento da Educação Básica IDEB. Inep/MEC Reynaldo Fernandes. Presidente do Inep/MEC e Professor da FEA-RP/USP

Índice de Desenvolvimento da Educação Básica IDEB. Inep/MEC Reynaldo Fernandes. Presidente do Inep/MEC e Professor da FEA-RP/USP Índice de Desenvolvimento da Educação Básica IDEB Inep/MEC Reynaldo Fernandes Presidente do Inep/MEC e Professor da FEA-RP/USP O IDEB IDEB = j N j P j Indicador sintético que combina informações de desempenho

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 8 o ano 3 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. Leia o texto e responda. Fernando VII tinha um reino, mas não podia governá-lo; a monarquia espanhola tinha um rei, mas não podia

Leia mais

Redução de Homicídios no Brasil

Redução de Homicídios no Brasil Ministério da Saúde MS Secretaria de Vigilância em Saúde - SVS Redução de Homicídios no Brasil SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 1 METODOLOGIA DE ANÁLISE... 1 RESULTADOS... 2 Homicídios no Brasil... 2 Óbitos por Arma

Leia mais

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS SUFICIÊNCIA DE REDE: UM ESTUDO ECOLÓGICO SOBRE BENEFICIÁRIOS E REDES DE CUIDADOS À SAÚDE A PARTIR DE ANÁLISES EXPLORATÓRIAS DAS PROPORÇÕES DE PARTOS CESARIANOS E TAXAS DE MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA

Leia mais

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS

ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS IV ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura 28 a 30 de maio de 2008 Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. ECONOMIA DA CULTURA - EQUIPAMENTOS AUDIOVISUAIS NOS MUNICÍPIOS

Leia mais

ACESSOS À BVS-PSI MEDIDOS PELO GOOGLE ANALYTICS

ACESSOS À BVS-PSI MEDIDOS PELO GOOGLE ANALYTICS ACESSOS À BVS-PSI MEDIDOS PELO GOOGLE ANALYTICS 1º. Semestre 2013 O Google Analytics é um serviço gratuito oferecido pelo Google que permite analisar as estatísticas de visitação de um site. Este é o primeiro

Leia mais

DIFERENCIAIS SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS IDOSOS NO BRASIL

DIFERENCIAIS SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS IDOSOS NO BRASIL Seminário sobre Educação Superior e Envelhecimento Populacional no Brasil MEC - SESU/CAPES DIFERENCIAIS SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS IDOSOS NO BRASIL Maria Isabel Parahyba Coordenação de População e Indicadores

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

http://www1.folha.uol.com.br/saber/886508-brasil-e-o-unico-entre-os-emergentes-semuniversidades-top.shtml

http://www1.folha.uol.com.br/saber/886508-brasil-e-o-unico-entre-os-emergentes-semuniversidades-top.shtml FOLHA.COM http://www1.folha.uol.com.br/saber/886508-brasil-e-o-unico-entre-os-emergentes-semuniversidades-top.shtml 10/03/2011-03h00 Brasil é o único entre os emergentes sem universidades 'top' VAGUINALDO

Leia mais

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes.

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes. 3. Geografia Turística 3.1 Geografia Turística: Brasil de Ponta a Ponta Proporcionar ao participante melhor compreensão geográfica do país; Apresentar as principais especificidades existentes nos continentes

Leia mais

PETRÓLEO E GÁS NATURAL

PETRÓLEO E GÁS NATURAL PANORAMA DOS MERCADOS DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL NO BRASIL E NO MUNDO* Ivan Magalhães Júnior** * Novembro de 2004. ** Engenheiro da Área de Planejamento do BNDES. PETRÓLEO E GÁS NATURAL Resumo O objetivo

Leia mais

GRUPO DE ECONOMIA / FUNDAP

GRUPO DE ECONOMIA / FUNDAP ANEXO ESTATÍSTICO Produto Interno Bruto Tabela 1. Produto Interno Bruto Em R$ milhões Em U$ milhões 1 (último dado: 3º trimestre/) do índice de volume 2009 2010 (3ºtri) 2009 2010 (3ºtri) Trimestre com

Leia mais

EUA Dezembro Mercado em números

EUA Dezembro Mercado em números Dezembro 2016 Mercado em números Designação oficial: Estados Unidos da América Capital: Washington, DC Localização: América do Norte Alasca Fronteiras terrestres: 12.034 km com o Canadá (8.893 km) e México

Leia mais

A Casa do GPS. Catalogo Virtual A Casa do GPS (http://www.acasadogps.com.br) - Pagina: 1

A Casa do GPS. Catalogo Virtual A Casa do GPS (http://www.acasadogps.com.br) - Pagina: 1 A Casa do GPS Catalogo Virtual A Casa do GPS (http://www.acasadogps.com.br) - Pagina: 1 Departamentos da Loja -> Pagina Inicial -> Para Caminhões -> Airis -> Atualização de Radares -> CASKA -> Diversos

Leia mais

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC Categorias / Products:, INDUSTRIALIZADA / PROCESSED,,, 1 de 16 2000 1999 %(2000x1999) Janeiro / January US$ (000) US$/Ton 25.537 9.793 2.608 15.392 4.375 3.518 66% 124% -26% INDUSTRIALIZADA / PROCESSED

Leia mais

Para a REDEBLH, o futuro é agora

Para a REDEBLH, o futuro é agora Para a REDEBLH, o futuro é agora Planejamento Estratégico Paulo Ricardo da Silva Maia FIOCRUZ/IFF/REDEBLH pmaia@fiocruz.br Set-2011 O quadro Fonte: Vincent Van Gogh Gallery A Foto Primeira foto colorida.

Leia mais

EUA Março Mercado em números

EUA Março Mercado em números Março 2017 Mercado em números Designação oficial: Estados Unidos da América Capital: Washington, DC Localização: América do Norte Alasca Fronteiras terrestres: 12.034 km com o Canadá (8.893 km) e México

Leia mais

PORTO ALEGRE E DEMAIS CAPITAIS BRASILEIRAS

PORTO ALEGRE E DEMAIS CAPITAIS BRASILEIRAS Equipe de Vigilância de Eventos Vitais, Doenças e Agravos não Transmissíveis Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde Secretaria Municipal da Saúde da Prefeitura Municipal de Porto Alegre PORTO ALEGRE

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Saúde dos indivíduos com 60 anos ou mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Saúde dos indivíduos com 60 anos ou mais Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Saúde dos indivíduos com 60 anos ou mais Sumário Origem dos dados... 3 Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 4 Variáveis de conteúdo... 4 %Idosos c/limitação

Leia mais

Questão 25. Questão 27. Questão 26. alternativa B. alternativa C

Questão 25. Questão 27. Questão 26. alternativa B. alternativa C Questão 25 No Brasil, no período 1990-91 a 2003-04, a produção de grãos apresentou crescimento de 125%, enquanto a área plantada aumentou apenas 24%, conforme mostra o gráfico. BRASIL _ ÁREA PLANTADA E

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO - OPORTUNIDADES Um evento esportivo do porte de uma Copa do Mundo é como uma grande vitrine do país no exterior e corresponde a um

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 05/11/10 05/12/10 05/01/11 05/02/11 05/03/11 05/04/11 05/05/11 05/06/11 05/07/11 05/08/11 05/09/11 05/10/11 05/11/11 05/12/11 05/01/12 05/02/12 05/03/12

Leia mais

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA -

Leia mais

2014 JUNHO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2014 JUNHO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2014 JUNHO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários,

Leia mais

Recorde-se que no item Transporte chamou-se a atenção para o crescimento do movimento de vôos internacionais no aeroporto de Fortaleza.

Recorde-se que no item Transporte chamou-se a atenção para o crescimento do movimento de vôos internacionais no aeroporto de Fortaleza. A atividade do setor de no Ceará, tem apresentado um expressivo crescimento ao longo dos últimos anos. De fato, tendo recebido 970.000 turistas em 1997, este fluxo alcançou 1.550.857 em 2003 e 1.784.354

Leia mais

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008 (continua) Produção 5 308 622 4 624 012 4 122 416 3 786 683 3 432 735 1 766 477 1 944 430 2 087 995 2 336 154 2 728 512 Consumo intermediário produtos 451 754 373 487 335 063 304 986 275 240 1 941 498

Leia mais

Doingbusiness no Brasil. Jorge Lima Coordenador de Projetos Movimento Brasil Competitivo Curitiba 09 de novembro de 2006

Doingbusiness no Brasil. Jorge Lima Coordenador de Projetos Movimento Brasil Competitivo Curitiba 09 de novembro de 2006 1 Doingbusiness no Brasil Jorge Lima Coordenador de Projetos Movimento Brasil Competitivo Curitiba 09 de novembro de 2006 indicadores Doingbusiness 2006 2007 2008 Abertura de empresas Registro de propriedades

Leia mais

Aos PAIS LEVANDO os FILHOS para o EXTERIOR, TRAZENDO os FILHOS para o JAPÃO

Aos PAIS LEVANDO os FILHOS para o EXTERIOR, TRAZENDO os FILHOS para o JAPÃO Aos PAIS LEVANDO os FILHOS para o EXTERIOR, TRAZENDO os FILHOS para o JAPÃO Problemas relacionados ao sequestro de crianças (Sistema jurídico de cada país e a Convenção de Haia) Ministério dos Negócios

Leia mais

ANEXO I - Planilha para formação de preços ITEM 01 Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC na modalidade Local (PABX ANEEL) Com Im

ANEXO I - Planilha para formação de preços ITEM 01 Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC na modalidade Local (PABX ANEEL) Com Im ANEXO I Planilha para formação de preços ITEM 01 Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC na modalidade Local (PABX ANEEL) Com Im ITEM FIXO (A) Descrição Cobrado uma única vez QTD Preço Unitário Instalação

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS

Leia mais

Compliance e o Desenvolvimento empresarial Marina Araújo 2013

Compliance e o Desenvolvimento empresarial Marina Araújo 2013 Compliance e o Desenvolvimento empresarial Marina Araújo 2013 Qual o impacto do Compliance para o desenvolvimento? Qual o impacto do Compliance para o desenvolvimento? Econômico Como o Compliance das empresas

Leia mais

PERFIL DOS RADIOLOGISTAS NO BRASIL: análise dos dados INTRODUÇÃO

PERFIL DOS RADIOLOGISTAS NO BRASIL: análise dos dados INTRODUÇÃO 1 PERFIL DOS RADIOLOGISTAS NO BRASIL: análise dos dados INTRODUÇÃO O Brasil conta hoje, com 254.886 médicos em atividade profissional (CFM, 2003). O contingente de radiologistas é da ordem de 5388, o que

Leia mais

1.a. Atividades principais concepção, produção, desenvolvimento e distribuição de bens duráveis e produtos profissionais. São três as suas divisões:

1.a. Atividades principais concepção, produção, desenvolvimento e distribuição de bens duráveis e produtos profissionais. São três as suas divisões: Electrolux AB 1. Principais Características Matriz: Electrolux AB Localização: Estocolmo, Suécia Ano de fundação: 1901 Internet: www.electrolux.com Faturamento (2000): US$ 11.537 mi Empregados (2000):

Leia mais

A crise financeira global e as expectativas de mercado para 2009

A crise financeira global e as expectativas de mercado para 2009 A crise financeira global e as expectativas de mercado para 2009 Luciano Luiz Manarin D Agostini * RESUMO - Diante do cenário de crise financeira internacional, o estudo mostra as expectativas de mercado

Leia mais

Estudo dos países da América Latina e América Central

Estudo dos países da América Latina e América Central Empresa têxtil E M P R E S A T Ê X T I L Estudo dos países da América Latina e América Central Produtos considerados: 6003.33.00/6006.31.00/6006.21.00/6006.22.00/6006.23.00/6006.42.00 1. Exportações brasileiras

Leia mais

REQUERIMENTO Nº /2015 - CDR

REQUERIMENTO Nº /2015 - CDR REQUERIMENTO Nº /2015 - CDR Requeremos, nos termos do art. 93, Inciso II, do Regimento Interno do Senado Federal, ouvido o Plenário, a realização de Audiência Pública Conjunta das Comissões de Desenvolvimento

Leia mais

México HORÁRIO DE ATENDIMENTO AO PÚBLICO

México HORÁRIO DE ATENDIMENTO AO PÚBLICO México ATENÇÃO VERIFIQUE ATENTAMENTE AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTA PÁGINA PARA FACILITAR SEU ATENDIMENTO. SEM A APRESENTAÇÃO DOS REQUISITOS OBRIGATÓRIOS, O ATENDIMENTO NÃO SERÁ REALIZADO. O Consulado Geral

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

SEBRAE/RJ Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio do Janeiro

SEBRAE/RJ Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio do Janeiro SEBRAE/RJ Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio do Janeiro Rua Santa Luzia, 685 6º, 7º e 9º andares Centro Rio de Janeiro RJ CEP: 20030-041 Presidente do Conselho Deliberativo

Leia mais

Chile um sócio a longo prazo. Pedro Asenjo Comitê de Investimentos Estrangeiros

Chile um sócio a longo prazo. Pedro Asenjo Comitê de Investimentos Estrangeiros Chile um sócio a longo prazo Pedro Asenjo Comitê de Investimentos Estrangeiros Um sócio a longo prazo Nova política de atração de IED Temas Um ambiente de negócios maduro País de oportunidades Investimento

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Destaques do Education at a Glance 2014

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Destaques do Education at a Glance 2014 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Destaques do Education at a Glance 2014 Diretor de Estatísticas Educacionais Carlos Eduardo Moreno Sampaio

Leia mais

Tabela 11 - Capacidade total de hóspedes, por tipos de estabelecimentos, segundo os Municípios das Capitais - 2011

Tabela 11 - Capacidade total de hóspedes, por tipos de estabelecimentos, segundo os Municípios das Capitais - 2011 segundo os - 2011 Total Suítes Apartamentos Quartos (continua) Chalés Total 554 227 92 908 442 600 15 526 3 193 Porto Velho 5 028 293 4 569 104 62 Rio Branco 2 832 30 2 779 23 - Manaus 14 212 1 349 12

Leia mais

Questão 25 Questão 26

Questão 25 Questão 26 Questão 25 Questão 26 A Antártida apresenta um quadro natural com características marcantes: o inverno é longo, com seis meses sem luz solar e médias térmicas ao redor de 60ºC negativos; no verão, o albedo

Leia mais

A MULHER TRABALHADORA NO SETOR DA HOTELARIA E GASTRONOMIA EM SÃO PAULO E NO BRASIL

A MULHER TRABALHADORA NO SETOR DA HOTELARIA E GASTRONOMIA EM SÃO PAULO E NO BRASIL A MULHER TRABALHADORA NO SETOR DA HOTELARIA E GASTRONOMIA EM SÃO PAULO E NO BRASIL Um estudo de perfil sócio-econômico para subsidiar ações estratégicas na categoria MARÇO DE 2010 ALOISIO LEÃO DA COSTA

Leia mais