PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES E APERFEIÇOAMENTO DE SERVENTUÁRIOS DO PODER JUDICIÁRIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES E APERFEIÇOAMENTO DE SERVENTUÁRIOS DO PODER JUDICIÁRIO"

Transcrição

1 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES E APERFEIÇOAMENTO DE SERVENTUÁRIOS DO PODER JUDICIÁRIO SANDRA DE OLIVEIRA DIAS GOIÂNIA 2012

2 SANDRA DE OLIVEIRA DIAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES E APERFEIÇOAMENTO DE SERVENTUÁRIOS DO PODER JUDICIÁRIO Trabalh de aprveitament d curs de Especializaçã em Dcência Universitária, d Prgrama de Especializaçã Lat Sensu, da Pntifícia Universidade Católica de Giás, sb a rientaçã da Prfª. Ms. Rse Mary Almas de Carvalh. Giânia 2012

3 DEDICATÓRIA Dedic este prjet pedagógic a meu esps Luiz Claudi, as meus filhs Hug e Ulysses pel api e mtivaçã durante a realizaçã de td curs de pósgraduaçã.

4 AGRADECIMENTOS Agradeç a Deus pel amr incndicinal a tds nós, pelas bênçãs que derrama sbre tds, que perda sempre as nssas fraquezas e aceita as nssas limitações, a Ele tda hnra e tda a glória. Agradeç a Tribunal de Justiça d Estad de Giás pr financiar este curs e a Desembargadr Paul Maria Teles pr ser idealizadr da Universidade d Pder Judiciári, a Desembargadr Vítr Barbza Lenza e Lebin Chaves Valente pr manter cnvêni entre a Pntifícia Universidade Católica de Giás e Tribunal de Justiça. Agradeç a Crdenadr d Curs de Pós-graduaçã, Prfessr Albert Ribeir d Carm, pr atender as reivindicações ds aluns e cntrnar s prblemas de frma equilibrada e educada. À minha querida rientadra Prfessra Ms. Rse Almas a quem me identifiquei desde iníci das aulas, pela serenidade, respeit, educaçã e equilíbri em prmver ensin-aprendizagem.

5 SUMÁRIO 1 IDENTIFICAÇÃO Instituiçã Nme d Curs Públic Alv Carga Hrária Períd de Realizaçã Númer de Vagas Prfessr Respnsável JUSTIFICATIVA OBJETIVO Geral Específic REFERENCIAL TEÓRICO PERFIL DO INGRESSANTE E DO EGRESSO Perfil d Ingressante Perfil d Egress METODOLOGIA Plan de Curs Ementa Cnteúds Bibligrafia Avaliaçã da aprendizagem Avaliaçã diagnóstica AVALIAÇÃO DO CURSO CRONOGRAMA REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 21

6 1 IDENTIFICAÇÃO 1.1 Instituiçã Tribunal de Justiça d Estad de Giás. 1.2 Nme d Curs Judiciári. Cmpartilhament de infrmações e aperfeiçament de serventuáris d Pder 1.3 Públic Alv O curs destina-se a frmaçã ds serventuáris da Justiça. 1.4 Carga Hrária O curs pssui uma carga hrária de 120 hras, divididas em 06 móduls, send que cada módul pssui um ttal de 20 hras cada. Será ferecid em 06 turmas de n máxim 30 aluns. 1.5 Períd de Realizaçã O curs será ministrad na mdalidade a distância cm prpsiçã de atividades assíncrnas, permitind a servidr flexibilidade de temp para a realizaçã ds estuds, ficand estabelecid períd de 06 (seis) meses para ser realizad e cncluíd. 1.6 Númer de Vagas Serã dispnibilizadas 30 vagas para cada uma das 06 turmas. 1.7 Prfessra Respnsável Sandra de Oliveira Dias

7 6 O prcess de implantaçã e implementaçã d curs cnta cm uma equipe pedagógica cmpsta pr especialistas nas áreas de Educaçã a Distância (EAD), Tecnlgia da Educaçã, Cmunicaçã e Multimídia. A equipe é frmada pr um pedagg, um especialista em tecnlgia da infrmaçã, um web designer e prfissinais para desempenh da funçã de tutria. É respnsável pr desenvlver, pesquisar e retralimentar sistema de ferta de curss a distância d Tribunal de Justiça, d Estad de Giás (TJGO), definind a cncepçã de educaçã que permeará tda a ferta de curss, bem cm a metdlgia e estratégias de ensin a serem desenvlvidas n prcess de ensinaprendizagem. Pssui ainda a funçã de definir s suprtes tecnlógic e pedagógic ds curss, bem cm a seleçã e prduçã d material didátic. O material didátic d curs Cmpartilhament de infrmações e aperfeiçament de serventuáris d Pder Judiciári será prduzid pr serventuári d Tribunal de Justiça de Giás, prfissinal cm recnhecida frmaçã e experiência na área específica d curs. Já a equipe de tutres, que irá acmpanhar prcess educacinal, detém cnheciment teóric e prátic das matérias a serem ministradas n curs e pde ser cnstituída u nã de dutres, mestres e especialistas, que terã a respnsabilidade de esclher e prduzir material didátic. A respnsabilidade da ferta d curs será atribuída a um Crdenadr Geral que terá a funçã de avaliar plan de curs, planejament das atividades, supervisinar a implementaçã d curs e verificar se s resultads fram satisfatóris, apntand falhas e sluções para bm desenvlviment e desempenh ds prfessres, tutres e crp técnic.

8 2 JUSTIFICATIVA O Cnselh Nacinal de Justiça (CNJ), pr mei da Resluçã nº 126, 22 de fevereir de 2011, estabeleceu cm meta a tds s Tribunais de Justiça d país a ferta de frmaçã inicial e cntinuada as serventuáris pr intermédi de curss na mdalidade de educaçã a distância (EAD). Destaca-se que a ferta de curss nessa mdalidade de educaçã permite ampliar as ações d Tribunal em treinaments e capacitaçã cm uma mair diversidade na ferta de curss, bem cm na ampliaçã da acessibilidade a esses curss pr serventuáris de td Estad de Giás. Sem dúvida, a frmaçã a ser prprcinada as serventuáris estará à dispsiçã da sciedade, cntribuind para a excelência n atendiment a cmunidade. Acrescenta-se as aspects mencinads acima a pssibilidade de uma cntínua frmaçã prfissinal sem a necessidade d funcinári se ausentar de suas funções u se deslcar de sua cidade de rigem, reduzind temp e investiments ds Tribunais em frmaçã. Identifica-se ainda utr aspect de relevância, pis material a ser prduzid para esses curss pderã cmpr um acerv cm vasta dcumentaçã a ser arquivada em bibliteca virtual d Tribunal de Justiça e ser dispnibilizad a tds s interessads. Os princípis nrteadres d prjet pedagógic d presente curs vltam-se para a dimensã epistemlógica, cm desenvlviment d pensament cientific, descnstruind mits e cstumes que emperram a máquina judiciária; decifrand e analisand a realidade em que s serventuáris estã inserids, bem cm a funçã que exercem e as cnsequências ds ats que praticam para prmver a justiça. Busca-se também, atender a dimensã prfissinalizante levand-s a cmpreender a açã pr eles prmvida e s reflexs causads dentr da Administraçã Pública e na sciedade, estabelecend relações e inter-relações entre s diferentes camps d saber-fazer, desenvlvend habilidades, cmprmiss e mtivaçã para desempenh de suas funções.

9 3 OBJETIVOS O curs Cmpartilhament de infrmações e aperfeiçament ds serventuáris d Pder Judiciári está direcinad a transmitir infrmações e cnheciments sbre Tribunal de Justiça e as atribuições inerentes a carg exercid pel servidr. 3.1 Geral Melhrar a administraçã da justiça, aperfeiçand técnicas de gestã, pesquisa e treinament, sem fins lucrativs, vltad especificamente para serventuáris da justiça, clcand à dispsiçã da sciedade uma prestaçã jurisdicinal séria, cmpetente e célere. 3.2 Específics Preparar serventuári para: 1) Cmpreender e analisar a rganizaçã d Pder Judiciári; 2) Distinguir e cnceituar, s cnteúds facilitadres para desempenh da funçã, nas seguintes matéria: direit administrativ, cnstitucinal, penal, prcessual civil, prcessual penal, custas e emluments; 3) Praticar ats frenses para assimilar a realidade d ctidian de uma escrivania cm: expedir mandads, fícis, acessar e mvimentar prcesss físics e virtuais, etc. públic.

10 4 REFERENCIAL TEÓRICO O cnceit de EAD adtad nesta ferta de curs parte d entendiment de que essa mdalidade de educaçã apresenta [...] frmas de aprendizagem rganizada, baseadas na separaçã física entre s aprendentes e s que estã envlvids na rganizaçã de sua aprendizagem. Esta separaçã pde aplicar-se a td prcess de aprendizagem u apenas a certs estágis u elements deste prcess. Pdem estar envlvids estuds presenciais e privads, mas sua funçã será suplementar u refrçar a interaçã predminantemente a distância. (MALCON apud BELLONI, 1999, p. 26). Preti (1996, p ) cntribui para uma melhr cmpreensã desse entendiment a afirmar que a EAD é cnstituída de certs elements, s quais pdem ser resumids em: a distância física entre prfessr-alun: diálg entre s atres d prcess educativ nã está restrit a presença física, esse pde se dar virtualmente; estud individualizad e independente: capacidade d estudante cnstruir cnheciment de frma autônma; prcess de ensin-aprendizagem mediatizad: a EAD deve ferecer suprtes e estruturas que viabilizem e incentivem a autnmia d estudante, através ds materiais didátics e tecnlógics, da tutria e da avaliaçã; us de tecnlgias: recurss técnics de cmunicaçã tais cm: crrei, rádi, TV, audicassette, hipermídia interativa, internet; cmunicaçã bidirecinal: em que estudante nã é mer receptr de infrmaçã, mas interage e dialga cm prfessres e utrs aluns, criand ações participativas. A se referir a uma presença dcente virtual se cnsidera, neste prcess educativ, a internet cm suprte tecnlógic. Nessa perspectiva, a EAD também pde ser definida cm educaçã nline, [...] uma mdalidade de educaçã a distância realizada via internet, cuja cmunicaçã crre de frma síncrna u assíncrna. Tant pde utilizar a internet para distribuir rapidamente as infrmações cm pde fazer us da interatividade prpiciada pela internet para cncretizar a interaçã entre as pessas, cuja cmunicaçã pde se dar de acrd cm distintas mdalidades cmunicativas. (ALMEIDA, 2003, p. 332). Destaca-se que n desenvlviment d prcess de ensin-aprendizagem é necessári minimizar a distância física entre prfessres e aluns pr intermédi ds mments de diálg e interaçã. Assim, será pssível a criaçã de vínculs, mtivand estudante n seu prcess de aprendizagem, bem cm n desempenh de atr e autr d seu prcess educacinal.

11 10 O entendiment de EAD aqui apresentad permite que a presente prpsta de curs seja implementada de frma assíncrna, u seja, cm a presença de um tutr mediadr em um ambiente virtual de aprendizagem. O desenvlviment de atividades cm essa característica permite que servidr as realize tarefas de qualquer lugar que se encntre, pr mei de celular, ntebk, cmputadr cnectad à internet, tablets e ipad. A frma assíncrna permite ainda que serventuári pssa trabalhar em seu própri ritm, pssibilitand-lhe interagir cm s demais clegas pr mei de mensagens nline, envi de text, áudi e víde. Cm já infrmad, a ferta d curs cntará cm suprte tecnlógic a internet e utilizará ambiente virtual de aprendizagem (AVA) Mdle.. Faz-se necessári ressaltar que em curss a distância planejament pedagógic pssui grande relevância, pis define: [...] cnjunt de princípis, de prcediments, de tarefas que permitem definir cnteúd de uma frmaçã, pr mei de uma identificaçã estrutural de cnheciments e de cmpetências visadas: realizar uma cenarizaçã pedagógica das atividades de um curs; definir cntext de utilizaçã e a estrutura ds materiais de aprendizagem, definir as infraestruturas, s recurss e s serviçs necessáris à transmissã d curs, mantend sua qualidade. (LITTO; FORMIGA, 2012, p. 76). Dessa frma, a cmpsiçã d cenári levará em cnsideraçã tip de frmaçã que se pretende difundir, u seja, curs vltad para a atualizaçã d serventuári dentr de suas atribuições. Este será bjetiv a ser perseguid e, pr se tratar de matérias vltadas para cnheciment cnceitual e prcedimental, caminh a ser percrrid para a sua efetivaçã se fundamentará em princípis pedagógics e terias de aprendizad que cntemplem prcess educacinal em uma abrdagem dialógica e cmunicativa. N tcante à definiçã das características d cenári pedagógic, além d suprte tecnlógic, das estratégias de ensin, das prpsições de atividades, d material didátic será também cnsiderad públic-alv. É imprtante que s aluns tenham facilidade em manusear s recurss tecnlógics utilizads n curs, desse md, terã também mair facilidade para desenvlver as etapas e atividades prpstas dentr d praz previamente determinad. Os cnteúds desenvlvids para este curs serã reutilizads em utras turmas, mas antes da ferta de cada nva turma será realizada uma avaliaçã desses cnteúds cm bjetiv de mantê-ls sempre atualizads. A utilizaçã de recurss tecnlógics também será avaliada, pdend ser inserid nvs recurss u ainda substituíds recurss já utilizad cm escp de manter a qualidade e interesse d públic-alv.

12 11 N tcante a infraestrutura, hdiernamente, Tribunal de Justiça pssui cndições financeiras, material tecnlógic e pessal suficiente para a implantaçã d curs na mdalidade a distância, faltand tã smente a cnslidaçã da equipe pedagógica que inicia suas ações na EAD.

13 5 PERFIL DO INGRESSANTE E DO EGRESSO 5.1 Perfil d Ingressante de Giás. Os ingressantes, cnfrme afirmad n iníci, sã serventuáris da justiça d Estad 5.2 Perfil d Egress Esperams que egress seja um multiplicadr d cnheciment, aplicand- em sua atividade labral, difundind-a as demais serventuáris que tmam psse em cncurs públic, trnand-se um facilitadr entre a cletividade e Pder Judiciári n desempenh de suas funções, send capaz de cmpreender e analisar a rganizaçã d Pder Judiciári.

14 6 METODOLOGIA O curs será ferecid na mdalidade a distância e desenvlvid na mdalidade a distância. Serã prmvids seis encntrs presenciais, definids previamente, n qual se utilizará dinâmicas de grup para frtalecer s laçs afetivs e a participaçã de tds s envlvids n prcess educacinal. Cm já infrmad, curs pssui uma carga hrária de 120 hras, divididas em 06 móduls, send que cada módul pssui um ttal de 20 hras cada. Será ferecid em 06 turmas de n máxim 30 aluns. Far-se-á inicialmente uma avaliaçã diagnóstica para identificar nível de cmpreensã da rganizaçã d Pder Judiciári e das práticas e ats frenses. A metdlgia prpsta cnsidera de fundamental imprtância que se efetive na relaçã educativa uma parceria e uma aprximaçã entre prfessr e alun. Destaca-se que nessa relaçã deve existir crdialidade, cmpanheirism e valrizaçã na participaçã d alun. É precis ainda que prfessr aceite alun d jeit que ele é e nã cm gstaria que fsse, que aceite cm autenticidade e respeit, que incentive e estimule para que assim pssa perceber além d cnteúd. Quant a prfessr parte-se d princípi que pssua dmíni d cnteúd devidamente atualizad e que utilize arguments e prpnha atividades prblematizadras, desafiand a cmpreensã de cada tema e assciand-as cm situações d ctidian. Dessa frma, a metdlgia a ser adtada deve buscar rganizar cnteúd pedagógic de frma equilibrada, percebend as ptencialidades e dificuldades d estudante, adequand-a a perfil de cada um de frma individualizada, apresentand cndições e recurss para bter resultad final, qual seja, prmver a cnstruçã d cnheciment, mtivand, fazend cm que estudante passe a pensar criticamente, mdificand a frma de agir e encntrar sluções para prblemas ctidians. Também serã adtadas estratégias pedagógicas que levem alun a desenvlver racicíni crític, a argumentaçã através da escrita, seja de frma individual u em grup, cm prpsiçã de atividades de síntese, de apresentaçã de piniã divergente sbre assunt específic, de prmçã de debates sbre determinad pnt de vista cm apresentaçã de cass cncrets e sluções adequadas, estabelecend a assciaçã da teria cm a prática. Insta acrescentar que a fim de evitar que alun sinta-se slitári n ambiente virtual, estratégias pedagógicas serã traçadas para mtivar a participaçã e interaçã entre s

15 14 participantes, pr exempl, um trabalh cperativ. Em algumas atividades, a turma pderá ser dividida em pequens grups, de n máxim de cinc aluns, srteand entre eles papel de crdenadr d grup. O desempenh da funçã de crdenadr será exercid pr tds s cmpnentes em um determinad períd de realizaçã da atividade a fim de desenvlver a capacidade de liderança, sens de respnsabilidade e cmprmiss cm a aprendizagem, cabend a crdenadr auxiliar tutr e s demais cmpnentes n repasse de infrmações, cm também prmvend encntrs presenciais para frtalecer s laçs da cmunidade. Este prjet pedagógic de curs a distância cnsidera a utilizaçã de diverss recurss na cnstruçã de sluções pedagógicas e administrativas, nã se pretende engessá-l, mas sim, definir ferramentas e estratégias de ensin que trnem curs acessível as servidres, cm a rganizaçã d cnteúd de maneira mdular e flexível na medida em que as necessidades emergem, bjetivand assegurar um aprendizad eficaz, definind estratégias de api pertinentes as servidres. Na prduçã e rganizaçã d cnteúd serã utilizads recurss de texts, hipertexts, vídes, e nas prpsições de atividades serã acrescidas as ferramentas de cmunicaçã cm fórum e chats. 6.1 Plan de Curs Ementa Organizaçã d Pder Judiciári. Cnteúds facilitadres para desempenh da funçã, nas seguintes matérias: direit administrativ, cnstitucinal, penal, prcessual civil, prcessual penal, custas e emluments Cnteúds MÓDULO 1: ORGANIZAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO: NO BRASIL Justiças especiais e justiças cmuns. Graus de jurisdiçã e classificaçã das cmarcas. Impediments d juiz e d serventuári. Tribunais Superires. Pder Judiciári e as funções essenciais à Justiça.

16 15 MÓDULO 2: ORGANIZAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO EM GOIÁS Cmarcas e distrits. Varas cmuns e especializadas. Órgãs de primeir e segund graus. Juizads Especiais. Instituiçã d Júri. O Tribunal de Justiça: cmpsiçã, órgãs jurisdicinais e administrativs. Crregedria: finalidade e estrutura. MÓDULO 3: NOÇÕES ELEMENTARES DE DIREITO CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO Nções de Cnstituiçã e Direit Cnstitucinal. Cnceit de jurisdiçã e seus princípis cnstitucinais. A rganizaçã ds Pderes e papel d Judiciári na Cnstituiçã. Os princípis cnstitucinais regentes da administraçã pública. O regime jurídic ds Servidres Públics Civis. A respnsabilidade funcinal e regime disciplinar d Serventuári da Justiça. Organizaçã Administrativa das Cmarcas e Diretria d Fr. MÓDULO 4: CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS DO CARGO (NOÇÕES DE PROCESSO E ATOS PROCESSUAIS). NOÇÕES DE DIREITO CIVIL Das pessas: naturais e jurídicas. Da capacidade civil da pessa natural. D dmicíli civil. Ds ats jurídics. Dispsições gerais. Ds bens públics e privads. Ds bens: classificaçã. NOÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL Ds ats prcessuais: d temp e d lugar ds ats prcessuais, ds prazs, das cmunicações ds ats: das citações e suas mdalidades, das intimações, da ntificaçã, das cartas: rgatória, precatória e de rdem.

17 16 Ats d prcess: autuaçã, terms, auts, ata, mandad, edital, alvará, certidã, traslad, cópias, carta de sentença, carta de arremataçã, carta de adjudicaçã, carta de remiçã. Da audiência: dispsições gerais, da cnciliaçã, da instruçã e julgament. Ds recurss: nções fundamentais, prazs. Lei ds juizads especiais cíveis e criminais: Leis nº s 9.099/95 e /2001. Das diversas espécies de execuçã: dispsições gerais. D prcess cautelar: arrest, sequestr, busca e apreensã. MÓDULO 5 - NOÇÕES DE DIREITO PENAL Da açã penal: espécies. Crime: dls, culps. Cntravenções penais (cnceits). Das penas: espécies. NOÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL PENAL D juiz, d ministéri públic, d acusad e defensr, ds assistentes e auxiliares da justiça. Das citações, intimações e ntificações. Ats d prcess: salv-cndut, guia de reclhiment, alvará de sltura e edital. D prcess cmum: da instruçã criminal, diligências, alegações finais. Ds recurss: espécies, prazs. MÓDULO 6 - PRÁTICA FORENSE Elabrar: certidã, term de audiência, term de recebiment e quitaçã, mandad de citaçã u intimaçã, carta precatória, infrmaçã a juiz, fíci, edital (cível e criminal), aut de reduçã de nmeaçã de bens à penhra, term de audiência de inquiriçã, term de audiência de instruçã e julgament, term de fiança Bibligrafia Bibligrafia básica ALEXANDRINO, Marcel Paul Vicente. Direit administrativ descmplicad. Ri de Janeir: Impetus, 2011.

18 17 ARAUJO JUNIOR, G. C. de. Práticas n prcess civil. Sã Paul: Atlas, BITENCOURT, Cezar Rbert. Tratad de direit penal: parte geral. vl. 1. Sã Paul: Saraiva, CAPEZ, Fernand. Curs de prcess penal. Sã Paul: Saraiva, GAGLIANO, Plabl Stlze; PAMPLONA FILHO, Rdlf. Nv curs de direit civil. v. 1. Sã Paul: Saraiva LENZA, Pedr. Direit cnstitucinal esquematizad. Sã Paul: Saraiva Bibligrafia cmplementar CARVALHO, Luís Gustav Grandinetti Castanh de. Prcess penal e cnstituiçã: princípis cnstitucinais d prcess penal. rev. e ampl. Ri de Janeir: Lumen Júris, CASELLA, J. E. Manual de prática frense. Sã Paul: Saraiva, CIRINO DOS SANTOS, Juarez. Direit penal: parte geral. Curitiba: ICPC; Lumen Juris, (Cncurs de crimes). DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direit administrativ. Sã Paul: Atlas, p. MEDAUAR, Odete. Direit administrativ mdern. Sã Paul: Revista ds Tribunais, GOIÀS (Estad). Lei nº 9.129, de 22 de dezembr de Dispõe sbre Códig de Organizaçã Judiciária d Estad de Giás. Dispnível em: < /publicaces/leis/lei_9129_ pdf>. Acess em: 07 de jun. de GONÇALVES, Marcus Vinicius Ris. Nv curs de direit prcessual civil. rev. e atual. Sã Paul: Saraiva, NERY JUNIOR, Nelsn; NERY, Rsa Maria Andrade. Códig de prcess civil cmentad e legislaçã extravagante. rev. ampl. Sã Paul: RT, SILVA, Jsé Afns da. Curs de direit cnstitucinal psitiv. Sã Paul: Revista ds Tribunais. WAMBIER, Luiz Rdrigues; ALMEIDA, Flavi Renat Crreia de; TALAMINI, Eduard. Curs avançad de prcess civil. rev., atual. e ampl. Sã Paul: RT, v Avaliaçã da Aprendizagem O sistema de avaliaçã da aprendizagem será efetivad pr mei de realizaçã de atividades a distância. Ns mments presenciais, cm cmplementaçã das avaliações

19 18 desenvlvidas n AVA, serã realizads semináris e uma avaliaçã final, verificand, assim, se aprendizad prpst inicialmente fi assimilad pel serventuári, se huve mudança de atitude e superaçã das dificuldades ns prcediments necessáris a desempenh das atividades n Tribunal de Justiça. N sistema de avaliaçã das atividades, será cnsiderada as bservações pntuadas pr pr Preti (1996) em que ingressante será avaliad quant a seu desempenh a lng de cada disciplina e d curs cm um td, cabend a tutr, acmpanhar td desenvlviment e cresciment d alun, apntad as dificuldades que fram superadas, a facilidade em participar e cumprir adequadamente as atividades prpstas. Cabe ressaltar que avaliaçã na educaçã a distância além de encntrar as mesmas dificuldades da presencial pssui uma utra característica a distância física entre prfessr e aluns. Essa distância pde dificultar a percepçã d prfessr quant a aprendizagem d alun, ist é, se cnteúd está send assimilad e cmpreendid. É precis que prfessr esteja mais atent e próxim d prcess de aprendizagem. Desta frma, n curs de EAD, será adtad sistema de avaliaçã de atividades presenciais cm semináris e avaliaçã final para verificar se aprendizad prpst inicialmente fi assimilad pel serventuári, se huve mudança de atitude e superaçã das etapas estabelecidas. A avaliaçã englbará também pntualidade, assiduidade, participaçã, interesse, criatividade, capacidade de reflexã de análise e síntese ral e escrita e autnmia ns estuds Avaliaçã diagnóstica Será realizada n iníci d curs uma avaliaçã diagnóstica para que se pssa traçar perfil d ingressante. Nesse sentid, n tcante as sujeits envlvids, se bservará: a) Tds sabem utilizar Mdle? b) Quem sã s aluns? Quants sã? Onde eles estã? c) Há prtadres de necessidades especiais? De que tip? A mídia utilizada favrecerá n curs que será desenvlvid? d) Que tip de mídias (suprtes) será utilizad para que pssam realizar a atividade? e) De nde irã atuar (instituiçã, casa, espaç públic, ambiente extern, estúdi de gravaçã)? f) Cm será a interaçã e cmunicaçã entre eles? g) Cm será a interaçã e cmunicaçã cm prfessres e tutres?

20 7 AVALIAÇÃO DO CURSO A avaliaçã será realizada a final d curs pel alun, cntempland aspects administrativs e pedagógics, pr exempl, alun avaliará prcess de ensinaprendizagem, a relaçã tutr e alun, a rganizaçã d curs, a rganizaçã ds encntrs presenciais.

21 20 8 CRONOGRAMA O curs está rganizad em 06 (seis) móduls, dividids em duas matérias, cm encntrs presenciais prevists 1 (uma) vez a mês. Terá a duraçã de seis meses, send realizad seis encntrs presenciais. Cas sejam necessáris utrs encntrs presenciais pderã ser prmvids. Módul C.Hrária C.H.Pres. C.H.Dist. Iníci Términ Móduls 1 e 2 Organiz. Pder Judiciári n Brasil e em Giás Módul 3 Nções elementares de direit cnstitucinal e administrativ Módul 4 Direit Civil D.Prc. Civil Módul 5 D. Penal D. Prc. Penal Módul 6 Prática Frense 20h-a 5h-a 15h 03/03/13 30/03/13 20h-a 5h-a 15h 03/04/13 30/04/13 20h-a 5h-a 15h 03/05/13 30/05/13 20h-a 5h-a 15h 03/06/13 30/06/13 20h-a 5h-a 15h 03/08/13 30/09/13

22 21 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALMEIDA, Maria Elizabeth Biancncini. Educaçã a distância na internet: abrdagens e cntribuições ds ambientes digitais de aprendizagem. Dispnível em: <http://www.sciel.br/sciel.php?pid=s &script=sci_arttext>. Acess em: 15 de mai de BELLONI, Maria Luiza. Educaçã a distância. Campinas, SP: Autres Assciads, CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Dispõe sbre Plan Nacinal de Capacitaçã Judicial de magistrads e servidres d Pder Judiciári. Resluçã 126, de 22 de fevereir de Dispnível em: <http://bdjur.stj.gv.br/xmlui/bitstream/handle/2011/36472/res_ 126_2011_CNJ.pdf?sequence=3>. Acess em: 07 de jun. de LITTO, Fredric Michael; FORMIGA, Marcs (Orgs.). Educaçã a distância: estad da arte. 2. ed. Sã Paul: Pearsn Educatin d Brasil, (v. 2). MOORE, Michael G.; KEARSLEY, Greg. Educaçã a distância: uma visã integrada. Trad. Rbert Falman. Sã Paul: Thmns Learning, PRETI, Oreste (Org.). Educaçã a distância: inici e indícis de um percurs. Cuiabá: NEAD/TE-UFMT, PESCE, L.; ZUIN, A. (Orgs.). Educaçã nline: cenári, frmaçã e questões didáticmetdlógics. Ri de Janeir: Walk, 2010.

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

A Estratégia do Tribunal de Justiça do Rio Grande Do Sul

A Estratégia do Tribunal de Justiça do Rio Grande Do Sul A Estratégia d Tribunal de Justiça d Ri Grande D Sul PODER JUDICIÁRIO Missã: De acrd cm fundament d Estad, Pder Judiciári tem a Missã de, perante a sciedade, prestar a tutela jurisdicinal, a tds e a cada

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi O país d futur parece estar chegand para muits brasileirs que investiram em qualidade e prdutividade prfissinal, empresarial e pessal ns últims ans. O gigante adrmecid parece estar despertand. Dads d Centr

Leia mais

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia d Ri de Janeir Edital Simplificad de Seleçã de Mnitria 2015.1 A Direçã Geral d IFRJ/, cmunica, pel presente Edital, que estarã abertas as inscrições para

Leia mais

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013.

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. ATUALIZA DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO ALFABETIZAÇÃO PARA ESTUDANTES DAS TURMAS DO 2º, 3º e 4º ANOS E 4ª SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL, COM DOIS ANOS

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO 1. OBJETIVO O Prêmi de Incentiv à Educaçã é uma iniciativa das empresas d Pl Industrial, através d Cmitê de Fment Industrial de Camaçari - COFIC. Tem pr bjetiv estimular,

Leia mais

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensã Universitária e Plíticas Públicas Períd 05 a 07 de dezembr de 2007 A 10ª Jrnada

Leia mais

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA FETLSVC - RS Julh 2007 INTRODUÇÃO As amplas, prfundas e rápidas transfrmações pr que passa a nssa sciedade prvcaram, frçsamente,

Leia mais

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de Faculdade de Ciências Sciais Aplicadas de Bel Hriznte Institut Superir de Educaçã Curs de Pedaggia ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA O ENCONTROCAS é um event semestral

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

O projeto Key for Schools PORTUGAL

O projeto Key for Schools PORTUGAL O prjet Key fr Schls PORTUGAL O teste Key fr Schls O teste Key fr Schls é cncebid para aplicaçã em cntext esclar e está de acrd cm Quadr Eurpeu Cmum de Referência para as Línguas O teste Key fr Schls permite

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Faculdade Independente d Nrdeste Credenciada pela Prtaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada n D.O.U. de 09/07/2001. CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

Proposta de Formação para o uso pedagógico e integrado do Tablet Educacional Estudos Autônomos

Proposta de Formação para o uso pedagógico e integrado do Tablet Educacional Estudos Autônomos Prpsta de Frmaçã para us pedagógic e integrad d Tablet Educacinal Estuds Autônms Objetiv geral: OBJETIVOS Prmver a Frmaçã Cntinuada ds Prfessres, Crdenadres Pedagógics e Gestres Esclares, na mdalidade

Leia mais

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010 Meta Priritária 5 Implantar métd de gerenciament de rtinas (gestã de prcesss de trabalh) em pel mens 50% das unidades judiciárias de 1º grau. Esclareciment da Meta Nã estã sujeits a esta meta s tribunais

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JUIZ DE FORA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JUIZ DE FORA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JUIZ DE FORA PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE PROJETO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA

Leia mais

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 1 REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 PARTICIPANTES A Olimpíada Jurídica 2014 é uma cmpetiçã direcinada a aluns que estejam regularmente matriculads ns curss de graduaçã de Direit de Instituições de

Leia mais

INSTITUTO PROFESSOR KALAZANS

INSTITUTO PROFESSOR KALAZANS INSTITUTO PROFESSOR KALAZANS CURSO DE PERITO JUDICIAL AERONÁUTICO - EMENTA EDITORA BIANCH COORDENADOR MENTOR PROFESSOR PROFESSOR KALAZANS 1 1 Bacharel em Direit; Pós-graduad em nível de Especializaçã em

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Vx Mercad Pesquisa e Prjets Ltda. Dads da rganizaçã Nme: Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Endereç: Av. Afns Pena, 1212 - Cep.

Leia mais

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitria de Graduaçã Rua Gabriel Mnteir da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-000 Fne: (35) 3299-1329 Fax: (35) 3299-1078 grad@unifal-mg.edu.br

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensin Técnic Códig: 0262 ETEC ANHANGUERA Municípi: Santana de Parnaíba Cmpnente Curricular: Cntabilidade Cmercial Eix Tecnlógic: Gestã e Negócis Módul: II C.

Leia mais

Centro de Referência: Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Centro de Referência: Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centr de Referência: Universidade Federal d Ri Grande d Nrte Edital para Seleçã de Preceptres de internat, estágis e residência em saúde. EDITAL 01/2015 A Universidade Federal d Ri Grande d Nrte, pr mei

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvlviment de Sistemas 3ª série Fundaments de Sistemas Operacinais A atividade prática supervisinada (ATPS) é um métd de ensinaprendizagem desenvlvid

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional Códig / Nme d Curs Status Códig - Área Subárea Especialida Dads Gerais 196 / Escla Gestres- Curs Especializaçã em Gestã Esclar Ativ 49 / Educaçã Gestã Educacinal Gestã Esclar Nivel d Curs Especializaçã

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais

Poder e escola: Uma analise acerca das relações entre professor e aluno.

Poder e escola: Uma analise acerca das relações entre professor e aluno. Pder e escla: Uma analise acerca das relações entre prfessr e alun. Marcs Paul A. Rdrigues 1 Andersn Silva Nunes 2 Intrduçã: O presente trabalh expõe s tips de pder exercid pels prfessres sbre s aluns,

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos os autos do Pedido de Providências 0.970,

VISTOS, relatados e discutidos os autos do Pedido de Providências 0.970, 1 Pedid de Prvidências n" 970 Requerente: Escla Nacinal da Magistratura e Assciaçã ds Magistrads d Brasil. Assunt:Resluçã n 11/2006 CNJ - Atividade jurídica - Curss de Pósgraduaçã - Ediçã de nrma de transiçã.

Leia mais

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps Realizads pela Direçã-Geral das Artes Avaliaçã da Utilidade ds Wrkshps Títul: Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps realizads pela

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (X) PROJETO DE PESQUISA PROJETO DE EXTENSÃO Acadêmic ; Scial PROJETO DE INTERDISCIPLINARIDADE

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 Març 2015 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT MORADA Estrada de Benfica, nº 372 - Lisba Tel./Fax. 217780073 Email funda_champagnat@maristascmpstela.rg Índice I. Intrduçã.1

Leia mais

Colégio Integrado EXATO

Colégio Integrado EXATO Clégi Integrad EXATO Rua: Ri de Janeir, 47 Jardim Bela Vista Mgi Guaçu SP CEP 13840-210 Telefne (19) Prpsta Plític-pedagógica d Clégi Integrad EXATO S/S Ltda. O Clégi Integrad EXATO cntextualiza sua açã

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas

Escola Básica e Secundária de Velas Escla Básica e Secundária de Velas Dcument Orientadr para a Implementaçã das TIC na Educaçã Pré-Esclar e Ensin Básic 1 As TIC na Educaçã Pré-Esclar e n Ensin Básic O presente Dcument de Orientações Metdlógicas

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE

CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE Institut Instituiçã fcada na geraçã de sluções para a implementaçã e gestã pedagógica de Núcles de Treinament e Capacitaçã de prfissinais e acadêmics

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Critéris de Avaliaçã Direçã Reginal de Educaçã d Nrte Agrupament de Esclas AMADEO DE SOUZA-CARDOSO Telões - Amarante EDUCAÇÃO MUSICAL 2ºCICLO An Letiv 2014/2015 Dmíni Cgnitiv

Leia mais

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 2 de 10 O Prjet Aliança O Prjet Aliança é uma idéia que evluiu a partir de trabalhs realizads cm pessas da cmunidade d Bairr da Serra (bairr rural

Leia mais

POR UMA GEOGRAFIA MELHOR

POR UMA GEOGRAFIA MELHOR LISTA CANDIDATA ÀS ELEIÇÕES PARA OS CORPOS SOCIAIS DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE GEÓGRAFOS BIÉNIO 2006-2008 POR UMA GEOGRAFIA MELHOR Assembleia Geral Presidente Jsé Albert Ri Fernandes (FL, Universidade

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Plan de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Escla Clégi Eng Juarez Wanderley Prfessr Fernand Nishimura de Aragã Disciplina Infrmática Objetivs Cnstruçã de um website pessal para publicaçã de atividades

Leia mais

Regulamento da Feira de Ciência

Regulamento da Feira de Ciência Regulament da Feira de Ciência A Feira A Feira de Ciência é um é um prject rganizad pel Núcle de Física d Institut Superir Técnic (NFIST). Esta actividade cnsiste em desenvlver um prject científic pr um

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO E IEES I EDUCAÇÃO DE SAÚDE INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES Excelência na Frmaçã através da Experiência e Aplicaçã MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO 1.CARGA HORÁRIA 32 Hras 2.DATA E LOCAL

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

Desenho centrado em utilização

Desenho centrado em utilização Desenh centrad em utilizaçã Engenharia de Usabilidade Prf.: Clarind Isaías Pereira da Silva e Pádua Departament de Ciência da Cmputaçã - UFMG Desenh centrad em utilizaçã Referências Cnstantine, L.L., &

Leia mais

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO REGULAMENTO 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO O PRÊMIO NA CATEGORIA DE JORNALISMO tem cm bjetiv premiar matérias veiculadas na imprensa nacinal relativas a temas ligads

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

COLÉGIO MILITAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

COLÉGIO MILITAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COLÉGIO MILITAR INGLÊS 1º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2015 2016 Grup Disciplinar de Inglês/Alemã 08.09.2015 Preâmbul 1. Pretende-se que a avaliaçã em Língua Estrangeira valrize td percurs esclar d alun,

Leia mais

1ª EDIÇÃO. Regulamento

1ª EDIÇÃO. Regulamento 1ª EDIÇÃO Regulament 1. OBJETIVO O Prêmi BRASILIDADE é uma iniciativa d Serviç de Api às Micr e Pequenas Empresas n Estad d Ri de Janeir SEBRAE/RJ, idealizad pr Izabella Figueired Braunschweiger e cm a

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

PASTORAL DA JUVENTUDE ARQUIDIOCESE DE LONDRINA PROJETO ESCOLA DE COORDENADORES PASSO A PASSO

PASTORAL DA JUVENTUDE ARQUIDIOCESE DE LONDRINA PROJETO ESCOLA DE COORDENADORES PASSO A PASSO PROJETO ESCOLA DE COORDENADORES PASSO A PASSO 1) Justificativa: A lharms para a realidade ds nsss grups de Pastral de Juventude, percebems a necessidade de reafirmaçã metdlógica d pnt de vista da açã eclesial.

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

EDITAL Nº 034/2014 ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE APERFEIÇOAMENTO DE SERVIDORES

EDITAL Nº 034/2014 ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE APERFEIÇOAMENTO DE SERVIDORES EDITAL Nº 034/2014 ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE APERFEIÇOAMENTO DE SERVIDORES Trna pública a abertura de inscrições para Curs PJE VARAS CÍVEIS Módul Servidres, destinad

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS O Prgrama Ciência sem Frnteiras, lançad n dia 26 de julh de 2011, é um prgrama d Gvern Federal que busca prmver a cnslidaçã, a expansã e a internacinalizaçã

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2º semestre / 2012 O Prgrama de Educaçã Cntinuada da trna públic, para cnheciment

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA De Plenári, err1 substituiçã à COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sbre Prjet de Lei da Câmara 209, de 2015, de autria d Deputad Aeltn Freitas, que altera a Lei n 8.906, de 4 de julh de 1994

Leia mais

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l Fund de Desenvlviment das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i R e g i n a l p a r a B r a s i l e C n e S u l Fnd de Desarrll de las Nacines Unidas para la Mujer O f i c i n a R e g i n a l p

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE (Prt. MEC nº 797/14, de 11/09/2014, publicada n DOU em 12/09/2014) EDITAL 2015 PROCESSO SELETIVO O Diretr Geral da Faculdade de Educaçã em Ciências da Saúde (FECS),

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Faculdade Independente d Nrdeste Credenciada pela Prtaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada n D.O.U. de 09/07/2001. CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12

Leia mais

PÓS-DOUTORADO EM PSICOLOGIA

PÓS-DOUTORADO EM PSICOLOGIA PÓS-DOUTORADO EM PSICOLOGIA INSCRIÇÕES: 2015 UNIVERSIDADE COMPROMETIDA COM A QUALIDADE: UK - Universidad Argentina Jhn F. Kennedy Prestígi, Experiência e Alt Nível Acadêmic. Validade Nacinal Autrizada

Leia mais

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA www.mastercmp.net 1 www.mastercmp.net www.mastercmp.net INFORMAÇO ES ADICIONAIS DO CURSO DE PROMODEL E MS PROJECT Prgramaçã: Carga hrária: 32 Hras Lcal: Sã Sebastiã d Paraís MG Prgramas usads n curs: MS

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE TURISMO CORAÇÃO EUCARÍSTICO

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE TURISMO CORAÇÃO EUCARÍSTICO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE TURISMO CORAÇÃO EUCARÍSTICO 1. Perfil d Curs O Curs de Turism da Pntifícia Universidade Católica de Minas Gerais apresentu um nv Prjet Pedagógic cnsiderand cenári

Leia mais

Plano de Recuperação - Inglês

Plano de Recuperação - Inglês Escla: 9º 2005/2006 Prf. I- APOIO PEDAGÓGICO ACRESCIDO Plan de Recuperaçã - Inglês Existência de dis níveis diferenciads: Nível I aluns cm graves deficiências de base. N.º Nme Nível II aluns cm algumas

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s)

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s) Prpsta Prjet: Data 25/05/2005 Respnsável Autr (s) Dc ID Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes Lcalizaçã Versã d Template

Leia mais

RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 01/2007 De 8 de novembro de 2007 Reedita as Normas para Reconhecimento de Títulos de Pós-Graduação, revogando a

RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 01/2007 De 8 de novembro de 2007 Reedita as Normas para Reconhecimento de Títulos de Pós-Graduação, revogando a RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N 01/2007 De 8 de nvembr de 2007 Reedita as Nrmas para Recnheciment de Títuls de Pós-Graduaçã, revgand a Resluçã Cmplementar n 02/93, de 25 de junh de 1993. O CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 20/10/2014 a 11/11/2014 Carg: Agente de Educaçã Infantil Taxa de Inscriçã: R$ 40,00 Salári/Remuneraçã: R$ 1.820,08 Nº Vagas: 80 Data da Prva: 07/12/2014

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

MODALIDADE DE FORMAÇÃO

MODALIDADE DE FORMAÇÃO CURSO 7855 PLANO DE NEGÓCIO - CRIAÇÃO DE PEQUENOS E MÉDIOS NEGÓCIOS Iníci ------ Duraçã 50h Hrári(s) ------ OBJECTIVOS GERAIS - Identificar s principais métds e técnicas de gestã d temp e d trabalh. -

Leia mais