Os Colegiados de Gestão Regional como dispositivos da Regionalização do SUS Cenários e Perspectivas Análise da Situação do CGMR na Bahia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os Colegiados de Gestão Regional como dispositivos da Regionalização do SUS Cenários e Perspectivas Análise da Situação do CGMR na Bahia"

Transcrição

1 Os Colegiados de Gestão Regional como dispositivos da Regionalização do SUS Cenários e Perspectivas Análise da Situação do CGMR na Bahia Novembro de 2010 Maria Conceição Benigno Magalhães Diretora da DIPRO/SUREGS/SESAB

2 Organograma da SESAB DIPRO DICON DIREG

3 O CONCEITO DE REGIÃO DE SAÚDE COM O PACTO Recortes territoriais inseridos em um espaço geográfico contínuo, identificados a partir de identidades culturais, econômicas e sociais redes de comunicação e infraestrutura de transporte, onde deverão ser organizadas as redes regionalizadas de ações e serviços de saúde para prestar atenção à saúde da população.

4 A REGIONALIZAÇÃO COM O PACTO DE GESTÃO COMO É ENTENDIDA: Eixo estruturante do processo de descentralização da gestão no SUS As mudanças no processo de regionalização: Orienta a descentralização das ações e serviços de saúde e os processos de negociação e pactuação entre os gestores Regionalização viva!!!! A construção de um novo desenho de região A formação de colegiados gestores regionais FONTE: MINISTÉRIO DA SAÚDE PORTARIA 399-GM, 2006

5 SEGUNDA VERSÃO PRIMEIRA VERSÃO PROPOSTA INICIAL PRIMEIRA VERSÃO PDR-BA : BREVE HISTÓRICO CARTOGRÁFICO 1º Desenho: 31/08/2001 Desenho : PDR macrorregiões de saúde 31 microrregiões 122 módulos assistenciais 7 macrorregiões de saúde 32 microrregiões 125 módulos assistenciais Desenho : PDR 2003 REVISADO Desenho Atual: PDR macrorregiões de saúde 32 microrregiões 125 módulos assistenciais 9 macrorregiões de saúde 28 microrregiões

6 Conceitos utilizados para revisão do PDR no Estado em 2007 Aplicando os Conceitos: Economia de escala; Economia de escopo; Acesso; Capacidade de Investimento; Sustentabilidade econômica; Na construção dos Critérios: Definição de uma média de habitantes para compor a microrregião = a habitantes; Número mínimo de habitantes para um Município Referência de Microrregião (MRM) = hab; Raio máximo de deslocamento de 100 km dos municípios até o município de referência; Capacidade Instalada.

7 Mapa das Macrorregiões POPULAÇÃO MACRORREGIÃO PÓLO 2008 CENTRO-LESTE Feira de Santana CENTRO-NORTE Jacobina EXTREMO SUL Teixeira de Freitas LESTE Salvador NORDESTE Alagoinhas NORTE Juazeiro OESTE Barreiras SUDOESTE Vitória da Conquista SUL Itabuna Total geral

8 Mapas das Microrregiões MICRORREGIÃO Nº Pop 2008* Municípios Alagoinhas Barreiras Brumado Camaçari Cruz das Almas Feira de Santana Guanambi Ibotirama Ilhéus Irecê Itaberaba Itabuna Itapetinga Jacobina Jequié Juazeiro Paulo Afonso Porto Seguro Ribeira do Pombal Salvador Santa Maria da Vitória Santo Antônio de Jesus Seabra Senhor do Bonfim Serrinha Teixeira de Freitas Valença Vitória da Conquista Total geral

9 MACRORREGIÕES QUE FAZEM FRONTEIRAS COM OUTROS ESTADOS Tocantis Piauí Pernambuco Alagoas Sergipe Centro-Leste Centro Norte Extremo-Sul Leste Nordeste Norte Oeste Sudoeste Sul Goiás Minas Gerais Espírito Santo

10 A GESTÃO REGIONALIZADA DO SUS BAHIA FINALIDADES: Fortalecer a estratégia da regionalização; Instituir um processo de planejamento regional apoiando o planejamento local; Promover as pactuações entre os gestores e acompanhar sua implantação; Participar do desenvolvimento do processo regulatório definindo fluxos e protocolos; Propor modificações no processo de descentralização das ações de saúde à CIB/BA;

11 A GESTÃO REGIONALIZADA DO SUS BAHIA FINALIDADES: Participar na priorização das linhas de investimento da microrregião (PDI); Instituir processos dinâmicos de avaliação e monitoramento regional; Apoiar a implementação da Política de Atenção da Rede Especializada: I. Desenho de redes hierarquizadas, regionalizadas, integradas, acessíveis e eficientes; II. Lógica de Programação e Alocação de Recursos; III. Sistema de acompanhamento, regulação, avaliação, controle e revisão da PPI, com contratualização de hospitais estratégicos;

12 Em 2007: Avanços Adesão ao Pacto pela Saúde pelo Estado Revisão do PDR; Apoio às DIRES; Reestruturação da Rede Própria Estadual; Regularização nos repasses das contrapartidas financeiras Estadual aos Municípios Elaborado o Planejamento Estratégico Em 2008: Adesão ao Pacto Pela Vida pelos 417 Municípios; Foram instituídos 28 CGMRs (conforme PDR); Em 20 meses - março/08 à Novembro/09 foram realizadas 257 reuniões das 280 programadas; Manutenção e Ampliação da oferta de serviços MAC mais regionalizada.

13 Em 2009: Avanços Início da EP com o curso de Gestão Regionalizada, e os demais cursos coordenados pela SUPERH. Ampliação da oferta de serviços MAC; Criação da Comissão do Pacto de Gestão na Bahia (resolução CIB n097/2009); Elaboração do novo fluxo do Pacto pela Saúde (resolução CIB n 125/2009); Apoio técnico do COSEMS para discutir o Pacto nos CGMR; Passamos de 19 para 90 municípios com adesão ao Pacto de Gestão; sendo 42 Municípios com o Comando Único; Todas as solicitações de Adesão ao TCGM com Assunção ao Comando Único foram aprovadas pela Comissão do Pacto de Gestão; Todos os 417 Municípios do Estado da Bahia alimentaram os indicadores do Pacto pela Vida no SISPACTO; Elaboração de nova PPI, com oficinas, validação de CNES, e rodadas microrregionais validadas em CGMR.

14 Em 2010 Avanços Finalização do Curso de Gestão Regionalizada; Adesão ao Pacto Pela Vida biênio 2010/2011 pelos 417 Municípios; Passamos de 90 para 226 municípios com adesão ao Pacto de Gestão, sendo 62 Municípios com o Comando Único; 382 Municípios do Estado da Bahia alimentaram os indicadores do Pacto pela Vida no SISPACTO com os resultados de 2009; Conclusão da PPI. Nomeação do GT-PPI na CIB, para acompanhamento e avaliação da PPI; Inicio dos trabalhos para implantação do Apoio Institucional da SUREGS;

15 E o funcionamento do CGMR? Cultura Solidária e de co-responsabilização para: Contribuir para o desenvolvimento de Regiões Sanitárias com maior grau de autonomia e maior resolutividade Integrar Regiões Sanitárias e Regiões e Administrativas Contribuir para construção da integralidade das ações e seviços de saúde na região Dar Concretude ao Pacto pela Saúde;

16 E o funcionamento do CGMR? Cultura Solidária e de co-responsabilização para: Auxiliar na organização da Regionalização; Estimular articulação entre Gestores e instâncias; Viabilizar o Planejamento Regional; Induzir a conformação de redes Assistenciais; Promover a Educação Permanente em Ato; Pactuações dinâmicas - PPI VIVA.

17 COLEGIADO DE GESTÃO MICRORREGIONAL CGMR - HISTORICO Estabelecido pela Portaria/GM-MS 399 de 22/02/2006 onde trata da regionalização e seus pressupostos ex: co-gestão; Elaboração do regimento interno em 2007; Regimento_CGMR.doc Instituído por Resolução CIB 143 de 09/10/2007; Alteração no quadro da representação Estadual e nomeação dos coordenadores e membros efetivos dos CGMR Portaria Estadual 1232 de 19/05/2008 e a Portaria Estadual 1136 de 12/07/2010; PORTARIA Nº1136 Coordenadores e Membros Efetivos; Inicio do processo de implantação do CGMR maio 2008; Consolidação dos CGMR como espaço de pactuação 2009;

18 Análise da situação de funcionamento dos Metodologia da Análise: CGMR-BA 1. Elaborado inquérito com 33 perguntas, com respostas: SIM / Não/Parcialmente e espaço para justificativas; 2. Elaborado duas oficinas: uma com os diretores das DIRES e Membros Efetivos dos CGMR, e outra com as representações das secretarias executivas dos CGMR; 3. O inquérito foi aplicado presencialmente nas oficinas;

19 Análise da situação de funcionamento dos CGMR-BA 4. Ainda durante as oficinas, foram apresentado os dados compilados das respostas e com este instrumento foram realizadas discussões coletivas e apontado sugestões para resolução dos problemas identificados; 5. Os inquéritos não respondidos presencialmente foram encaminhados por , explicado o processo, preenchido e retornado à DIPRO; 6. Os inquéritos não respondidos presencialmente foram respondidos por

20 Relação das Questões MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO DO COLEGIADO DE GESTÃO MICRORREGIONAL - CGMR 01)Os membros conhecem o regimento do CGMR? 02)O desenvolvimento dos trabalhos é realizado de acordo com a recomendação do regimento? 03)A pauta é enviada para DIPRO com 10 dias de antecedência, conforme regimento? 04)A pauta é enviada aos membros efetivos com 10 dias de antecedência conforme o regimento? 05)As sugestões dos integrantes para definição de pauta, estão sendo enviadas por escrito e com prazo de 10 dias úteis de antecedência. Qual o meio de envio? 06)Há cronograma pré definido para realização das reuniões, conforme o regimento?

21 Relação das Questões MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO DO COLEGIADO DE GESTÃO MICRORREGIONAL - CGMR 07)O envio da versão final da pauta da reunião, está sendo enviada pela Secretaria Executiva com antecedência mínima de 4 dias, conforme regimento 08)É respeitada a presença de 50% e mais um dos representantes do colegiado para início das reuniões? 09)As reuniões são planejadas previamente de forma conjunta? 10)As reuniões são conduzidas de forma participativa? 11)Há divulgação ampla das reuniões do CGMR nos meios de comunicação disponíveis? 12)Há participação de outros sujeitos dos serviços da comunidade, das instituições de ensino superior - IES, etc? 13)Os participantes (não membros) têm direito a voz? 14)Quais são as pautas mais discutidas nas reuniões do colegiado?

22 Relação das Questões MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO DO COLEGIADO DE GESTÃO MICRORREGIONAL - CGMR 16) Há formação de Câmara Técnica? 17) A equipe da Câmara Técnica participa das reuniões e assessora os membros do CGMR no desenvolvimento dos trabalhos? 18) A Câmara tem contribuído para qualificação do processo de discussão? 19) Existem grupos de trabalho? Membros / representação: 20) Temas já trabalhados/ datas? Há liberdade e autonomia desses grupos (compromisso com o 21) conhecimento técnico, científico)? 22) Apresenta relatórios conclusivos sobre as matérias submetidas a estudo à Câmara Técnica dentro do prazo acordado? 23) Comunicam a DIPRO a solicitação de apoio de areas técnicas da SESAB, quando há necessidade de apoio aos grupos de trabalho ou Câmaras Técnicas?

23 Relação das Questões MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO DO COLEGIADO DE GESTÃO MICRORREGIONAL - CGMR 24) A Secretaria Executiva está conformada e legitimada? 25) Existe espaço definido de funcionamento da Secretaria Executiva? 26) Existe equipe definida para composição da Secretaria Executiva? 27) A Secretaria cumpre as suas atribuições satisfatoriamente? 28) Existe registro documental de todas as definições consensuadas nas reuniões do CGMR? De que forma? São acessíveis? 29) São divulgadas e encaminhadas para as instâncias competentes? 30) O resumo executivo é enviado para a DIPRO até 8 dias após a reunião? 31) O Colegiado conhece como pode ser gasto o recurso anual destinado ao funcionamento dos CGMR? 32) O CGMR decide de forma participativa como serão gastos os recursos do Colegiado? 33) A Secretaria Executiva presta conta dos recursos do CGMR?

24 O desenvolvimento dos trabalhos é realizado de acordo com a recomendação do regimento? SMS SES

25 Há cronograma pré definido para realização das reuniões, conforme o regimento? SMS SES

26 Quais são as pautas mais discutidas nas reuniões dos Colegiados? Situação de Saúde; PPI; Acesso/Regulação; Atenção Básica; Educação Permanente;

27 Há formação de Câmara Técnica? SMS SES

28 Existem grupos de trabalho? SMS SES

29 A Secretaria Executiva está conformada e legitimada? SMS SES

30 Existe espaço definido de funcionamento da Secretaria Executiva? SMS SES

31 A Secretaria cumpre as suas atribuições satisfatoriamente? SMS SES

32 Existe registro documental de todas as definições consensuadas nas reuniões do CGMR? SMS SES

33 O CGMR decide de forma participativa como serão gastos os recursos do Colegiado? SMS SES

34 Observações Alguns Colegiados relatam seguir o regimento parcialmente; Existem CT implantadas em alguns CGMR, porém não atuantes, e em outros o processo está em formação; Quando há formação de Grupos de Trabalho este é composto por técnicos da Regional de saúde e representantes do Município; Em aproximadamente 50% dos Colegiados a Secretária Executiva está instalada na sede das Regionais de saúde e muitas vezes tem seu papel desenvolvido por esta; Todas as reuniões são registradas em Atas e tem seu acesso garantido;

35 Proposições Formalizar as câmaras técnicas(ct), conforme o regimento no que diz respeito aos temas e propor mudança no regimento no que diz respeito à coordenação/responsabilização e apoio a essas CT. Articular as CT dos Colegiados com as CT da CIB; Readequar o Regimento conforme as singularidades regionais e implantá-lo de fato;

36 OBRIGADA!! Conceição Benigno Diretora de Programação Telefone: (71) /3942/3943 Site da DIPRO:

37 CONTATOS Superintendência de Regulação e Atenção à Saúde Diretoria de Programação (DIPRO) CGRM: Telefone: (71) /3942/3943 Site da DIPRO:

CENÁRIO. Estimativa de Câncer de Mama e Colo de Útero para o Ano de 2012 Estados da Região Nordeste SUREGS 2.500 2.190 2.110 2.000 1.500 1.

CENÁRIO. Estimativa de Câncer de Mama e Colo de Útero para o Ano de 2012 Estados da Região Nordeste SUREGS 2.500 2.190 2.110 2.000 1.500 1. CENÁRIO Estimativa de Câncer de Mama e Colo de Útero para o Ano de 2012 Estados da Região Nordeste 2.500 2.190 2.110 2.000 1.770 1.500 1.000 500 970 1.030 850 640 320 580 230 780 460 440 410 280 370 370

Leia mais

Grupo de Trabalho da PPI. Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP

Grupo de Trabalho da PPI. Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP Grupo de Trabalho da PPI Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP 29 de março de 2011 Considerando: O processo de regionalização dos Municípios, que objetiva a organização

Leia mais

RESOLUÇÃO CIB Nº 011/2015. O Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011, que regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990;

RESOLUÇÃO CIB Nº 011/2015. O Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011, que regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990; RESOLUÇÃO CIB Nº 011/2015 Aprova Regimento Interno da Comissão Intergestores Bipartite e das Comissões Intergestores Regionais do Estado da Bahia. A Plenária da Comissão Intergestores Bipartite da Bahia,

Leia mais

comunicação e articulação entre o cidadão gestão pública de saúde. É constituída por rede 23 Ouvidorias assim distribuídas: 12

comunicação e articulação entre o cidadão gestão pública de saúde. É constituída por rede 23 Ouvidorias assim distribuídas: 12 A Ouvidoria i SUS/Bahia é um canal de comunicação e articulação entre o cidadão que exerce seu papel no controle social e a gestão pública de saúde. É constituída por uma coordenação no nível central e

Leia mais

Salvador Julho de 2010

Salvador Julho de 2010 Ministério da Saúde Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa SGEP Departamento de Monitoramento e Avaliação da gestão do SUS Salvador Julho de 2010 Cooperação Acadêmica & Gestão para o Fortalecimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPLANTAÇÃO DO DECRETO 7.508/11 E APRIMORAMENTO DO PACTO PELA SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPLANTAÇÃO DO DECRETO 7.508/11 E APRIMORAMENTO DO PACTO PELA SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPLANTAÇÃO DO DECRETO 7.508/11 E APRIMORAMENTO DO PACTO PELA SAÚDE Decreto 7.508/11 Regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema

Leia mais

RELATÓRIO I REUNIÃO DO COMITÊ GESTOR ESTADUAL DA REDE DE PÓLOS DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE

RELATÓRIO I REUNIÃO DO COMITÊ GESTOR ESTADUAL DA REDE DE PÓLOS DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SESAB SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPECS SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO PERMANENTE E COMUNICAÇÃO EM SAÚDE EESP ESCOLA ESTADUAL DE SAÚDE PÚBLICA SECRETARIA EXECUTIVA

Leia mais

Aplicativo SISPACTO DIPRO/SUREGS

Aplicativo SISPACTO DIPRO/SUREGS Aplicativo SISPACTO DIPRO/SUREGS Secretaria da Saúde do Estado da Bahia SESAB Superintendência de Gestão dos Sistemas de Regulação da Atenção à Saúde SUREGS Diretoria de Programação e Desenvolvimento de

Leia mais

PACTO PELA SAÚDE. Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão. Seminário Pacto pela Saúde Agosto/2007. Departamento de Apoio à Descentralização

PACTO PELA SAÚDE. Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão. Seminário Pacto pela Saúde Agosto/2007. Departamento de Apoio à Descentralização PACTO PELA SAÚDE Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão Seminário Pacto pela Saúde Agosto/2007 Departamento de Apoio à Descentralização Secretaria Executiva PACTO PELA SAÚDE Pactuaçã ção o firmada

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA NOTA TÉCNICA 07/13 RELATÓRIO ANUAL DE GESTÃO - RAG ORIENTAÇÕES GERAIS Introdução O Planejamento é um instrumento de gestão, que busca gerar e articular mudanças e aprimorar o desempenho dos sistemas de

Leia mais

Metodologia para a Elaboração do POA Web 2011

Metodologia para a Elaboração do POA Web 2011 Em 24/05/2010 Metodologia para a Elaboração do POA Web 2011 I Antecedentes Implantado em 2006, o POA Web faz parte do Sistema Integrado de Planejamento SIP, pensado, concebido e desenvolvido pela PROPLAN

Leia mais

ICKBio MMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE

ICKBio MMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE ICKBio INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 11, DE 8 DE JUNHO DE 2010 Disciplina as diretrizes, normas e procedimentos para a formação e funcionamento de Conselhos Consultivos em unidades de conservação federais. O

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE REGULAÇÃO Portaria GM 1.559 01/08/08

POLÍTICA NACIONAL DE REGULAÇÃO Portaria GM 1.559 01/08/08 Secretaria de Estado da Saúde Coordenadoria das Regiões de Saúde SIMPÓSIO FAEPA Conquistas e Desafios na Atenção à Saúde Pública em Ribeirão Preto A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO DE FLUXO DE PACIENTES PARA

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 Altera o Regimento Interno da Comissão Própria de Avaliação (CPA) das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração das Faculdades

Leia mais

Auditoria Documental de Saúde e Segurança. Autores: Bruno Pimentel dos Anjos e Marcio Garcia Barbosa

Auditoria Documental de Saúde e Segurança. Autores: Bruno Pimentel dos Anjos e Marcio Garcia Barbosa Auditoria Documental de Saúde e Segurança Autores: Bruno Pimentel dos Anjos e Marcio Garcia Barbosa Setembro/2013 Estado da Bahia COELBA 249.078 km de rede de distribuição 204.590 transformadores 328 subestações

Leia mais

PROGRAMA ESTADUAL DE DST/AIDS

PROGRAMA ESTADUAL DE DST/AIDS PROGRAMA ESTADUAL DE DST/AIDS Situação Epidemiológica da Bahia Nº total de casos acumulados de aids (1984-2010*) 13.169 ADULTOS Nº de casos acumulados de aids (1984-2010*) 12.773 CRIANÇAS Nº de casos acumulados

Leia mais

FÓRUM PERMANENTE DA AGENDA 21 DE TANGUÁ RJ REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO l - DA CONSTITUIÇÃO, SEDE, OBJETIVOS, PRINCÍPIOS E ATRIBUIÇÕES.

FÓRUM PERMANENTE DA AGENDA 21 DE TANGUÁ RJ REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO l - DA CONSTITUIÇÃO, SEDE, OBJETIVOS, PRINCÍPIOS E ATRIBUIÇÕES. FÓRUM PERMANENTE DA AGENDA 21 DE TANGUÁ RJ REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO l - DA CONSTITUIÇÃO, SEDE, OBJETIVOS, PRINCÍPIOS E ATRIBUIÇÕES. Art. 1º - O Fórum permanente da Agenda 21 de Tanguá, criado pela Lei

Leia mais

Política Nacional de Participação Social

Política Nacional de Participação Social Política Nacional de Participação Social Apresentação Esta cartilha é uma iniciativa da Secretaria-Geral da Presidência da República para difundir os conceitos e diretrizes da participação social estabelecidos

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA N o 173, DE 22 DE JANEIRO DE 2007 Aprova, na forma do Anexo a esta Portaria, o Regimento Interno do Comitê Permanente de Implementação e Acompanhamento

Leia mais

CAPÍTULO I: DA NATUREZA E FINALIDADE

CAPÍTULO I: DA NATUREZA E FINALIDADE REGULAMENTO DOS NÚLCLEOS DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS (NEABIs) DO IFRS Aprovado pelo Conselho Superior do IFRS, conforme Resolução nº 021, de 25 de fevereiro de 2014. CAPÍTULO I: DA NATUREZA

Leia mais

O COAP na perspectiva da gestão da Vigilância em Saúde. Sonia Brito Secretaria de Vigilância em Saúde

O COAP na perspectiva da gestão da Vigilância em Saúde. Sonia Brito Secretaria de Vigilância em Saúde O COAP na perspectiva da gestão da Vigilância em Saúde Sonia Brito Secretaria de Vigilância em Saúde Decreto 7.508/11 Regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização

Leia mais

Reunião de Abertura do Monitoramento 2015. Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO

Reunião de Abertura do Monitoramento 2015. Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO Reunião de Abertura do Monitoramento 2015 Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO Roteiro da Apresentação 1. Contextualização; 2. Monitoramento; 3. Processo de monitoramento;

Leia mais

ORIENTAÇÕES E ESCLARECIMENTOS

ORIENTAÇÕES E ESCLARECIMENTOS COAP 06/13 ORIENTAÇÕES E ESCLARECIMENTOS 1.0 O que é o Contrato Organizativo da Ação Pública - COAP? O COAP é um acordo de colaboração firmado entre os três entes federativos, no âmbito de uma Região de

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

regionalização e contratos organizativos de ação pública.

regionalização e contratos organizativos de ação pública. A Regulamentação da Lei 8.080/90: A Regulamentação da Lei 8.080/90: regionalização e contratos organizativos de ação pública. Seminário Nacional PRÓ Saúde e PET Saúde Brasília, 19 de outubro de 2011.,

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Articulação Interfederativa COAP

MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Articulação Interfederativa COAP MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Articulação Interfederativa COAP O Brasil é o único país......com + de 100 milhões de hab. com o desafio de ter um sistema

Leia mais

IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE. Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada

IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE. Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada 25/11/2015 HISTÓRICO: Período anterior a CF de 1988 INAMPS População e procedimentos restritos Movimento

Leia mais

DECRETO 7.508 E O PLANEJAMENTO REGIONAL INTEGRADO DANTE GARCIA 2015

DECRETO 7.508 E O PLANEJAMENTO REGIONAL INTEGRADO DANTE GARCIA 2015 DECRETO 7.508 E O PLANEJAMENTO REGIONAL INTEGRADO DANTE GARCIA 2015 Região de Saúde [...] espaço geográfico contínuo constituído por agrupamentos de Municípios limítrofes, delimitado a partir de identidades

Leia mais

CICLO DE INOVAÇÃO NA GESTÃO PÚBLICA 14/07/2014. Infrahosp

CICLO DE INOVAÇÃO NA GESTÃO PÚBLICA 14/07/2014. Infrahosp Infrahosp Julho 2014 1 Sumário Categoria:... 3 Temática... 3 Ementa... 3 Ideia... 4 Infrahosp... 4 Nome do Pré-Projeto:... 4 Órgão executor:... 4 Início / Término da implementação:... 4 Público-alvo:...

Leia mais

Carta de Joinville 1) Sobre o Financiamento

Carta de Joinville 1) Sobre o Financiamento Carta de Joinville Os Secretários e Secretárias Municipais de Saúde, reunidos no XXIII Congresso Nacional das Secretarias Municipais de Saúde e IV Congresso Brasileiro de Saúde, Cultura de Paz e Não-Violência,

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2108 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2108 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Impresso por: RODRIGO DIAS Data da impressão: 20/03/2013-17:37:38 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2108 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1.

Leia mais

ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE

ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE O MODELO DE ATENÇÃO À SAÚDE DO SUS A FRAGMENTAÇÃO DO SISTEMA A CONCEPÇÃO HIERÁRQUICA DO SISTEMA O DESALINHAMENTO DOS INCENTIVOS ECONÔMICOS A INEFICIÊNCIA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM CAPÍTULO I Natureza, Finalidade, Sede e Foro Art. 1º - A Comissão Nacional de Residência em Enfermagem - CONARENF, criada pela Portaria

Leia mais

PREFEITURA DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

PREFEITURA DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE REGIONALIZAÇÃO NAS DIFERENTES REDES DE ATENÇÃO: COAP E REGIONALIZAÇÃO FERNANDO RITTER SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE PREFEITURA DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CONTRATO ORGANIZATIVO DA AÇÃO

Leia mais

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO DOU de 05/10/2015 (nº 190, Seção 1, pág. 669) Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 18 DE MARÇO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 18 DE MARÇO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 18 DE MARÇO DE 2014. Institui os procedimentos para o gerenciamento de projetos prioritários no âmbito da Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC e dá outras providências.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS Er REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS Art 1º O Fórum da Agenda 21 Local Regional de Rio Bonito formulará propostas de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento sustentável local, através

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

Salvador, Bahia Sábado e Domingo 11 e 12 de Maio de 2013 Ano XCVII N os 21.136 e 21.137

Salvador, Bahia Sábado e Domingo 11 e 12 de Maio de 2013 Ano XCVII N os 21.136 e 21.137 Salvador, Bahia Sábado e Domingo 11 e 12 de Maio de 2013 Ano XCVII N os 21.136 e 21.137 EDITAL Nº 052/2013 O Reitor da Universidade do Estado da Bahia UNEB, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL CAPÍTULO I DA FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL CAPÍTULO I DA FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 o O Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil, constituído em 1994,

Leia mais

PORTARIA Nº 1.097 DE 22 DE MAIO DE 2006.

PORTARIA Nº 1.097 DE 22 DE MAIO DE 2006. PORTARIA Nº 1.097 DE 22 DE MAIO DE 2006. Define o processo da Programação Pactuada e Integrada da Assistência em Saúde seja um processo instituído no âmbito do Sistema Único de Saúde. O MINISTRO DE ESTADO

Leia mais

EDITAL. Edital de Seleção para o Curso de Especialização em Gestão Hospitalar 2008

EDITAL. Edital de Seleção para o Curso de Especialização em Gestão Hospitalar 2008 EDITAL Edital de Seleção para o Curso de Especialização em Gestão Hospitalar 2008 Promoção: Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (SESAB); Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia (EADM/UFBA).

Leia mais

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP Macro estratégias Discussão, pactuação tripartite, e publicação de portaria da Politica Nacional de Atenção Hospitalar/PNHOSP no SUS, estabelecendo as diretrizes

Leia mais

Política Nacional de Educação Permanente em Saúde

Política Nacional de Educação Permanente em Saúde Política Nacional de Educação Permanente em Saúde Portaria GM/MS nº 1.996, de 20 de agosto de 2007 substitui a Portaria GM/MS nº 198, de 13 de fevereiro de 2004 e Proposta de Alteração Pesquisa de Avaliação

Leia mais

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 Regulamenta a Lei n o 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura SISTEMA NACIONAL DE CULTURA Processo de articulação, gestão, comunicação e de promoção conjunta de políticas públicas de cultura, mediante a pactuação federativa. Objetivo Geral do SNC Implementar políticas

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI REGULAMENTO NO NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FEATI NUPEFE Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti FEATI SEÇÃO I Da Natureza e Missão Art. 1 O Núcleo de Pesquisa e Extensão da FEATI

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE-SPAIS Goiânia Agosto/2011 SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE - SPAIS 6. GERÊNCIA DE

Leia mais

Projetos de apoio ao SUS

Projetos de apoio ao SUS Carta Convite: Facilitação dos Cursos de Especialização em Gestão da Vigilância em Saúde, Gestão da Clínica nas Redes de Atenção à Saúde, Regulação em Saúde no SUS e Gestão do Risco e Segurança do Paciente

Leia mais

Pactuação de Diretrizes, Objetivos, Metas e Indicadores 2013-2015. Videoconferências. Brasília-DF, 30 e 31 de março de 2015

Pactuação de Diretrizes, Objetivos, Metas e Indicadores 2013-2015. Videoconferências. Brasília-DF, 30 e 31 de março de 2015 Pactuação de Diretrizes, Objetivos, Metas e Indicadores 2013-2015 Videoconferências Brasília-DF, 30 e 31 de março de 2015 PAUTA Orientações sobre o processo de pactuação para o ano de 2015; Abertura do

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Educação Secretaria do Meio Ambiente Órgão Gestor da Política Estadual de Educação Ambiental

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Educação Secretaria do Meio Ambiente Órgão Gestor da Política Estadual de Educação Ambiental Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Educação Secretaria do Meio Ambiente Órgão Gestor da Política Estadual de Educação Ambiental PROJETO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Leia mais

Decreto 7.508 de 28/06/2011. - Resumo -

Decreto 7.508 de 28/06/2011. - Resumo - Decreto 7.508 de 28/06/2011 - Resumo - GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Secretaria de Estado de Saúde Pública Sistema Único de Saúde SIMÃO ROBISON DE OLIVEIRA JATENE Governador do Estado do Pará HELENILSON PONTES

Leia mais

PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA. Banco Mundial

PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA. Banco Mundial PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA POR QUE O PROJETO Decisão Estratégica do Governo do Estado da Bahia Necessidade de avançar na erradicação da pobreza rural Existência de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA Av. Mamoré, nº 1520, Bairro Três Marias CEP: 78919-541 Tel: (69) 3733-5000 Porto Velho - RO 1 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Apresentação: O presente plano de trabalho incorpora, na totalidade, o debate e indicativo do coletivo docente e discente do Centro de Educação e

Leia mais

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello Coordenador: Liliane Espinosa de Mello SAÚDE Visão: Que Santa Maria seja o principal Polo na Área de Saúde do interior do Rio Grande do Sul, contribuindo para a melhor qualidade de vida da população da

Leia mais

Estado: ESPIRITO SANTO RESPONSABILIDADES GERAIS DA GESTAO DO SUS

Estado: ESPIRITO SANTO RESPONSABILIDADES GERAIS DA GESTAO DO SUS PLANILHA DE PACTUAÇÃO DAS - TCG Data da Validação: 31/03/2010 Data da Homologação: 12/04/2010 Revisão Nº:001 Pedido de Revisão: 30/03/2010 Portaria: 2.846 Data da Publicação: 25/11/2008 Estado: ESPIRITO

Leia mais

PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009

PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI Plano de Trabalho Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

LEI Nº. 430 DE 15 DE ABRIL DE 2010

LEI Nº. 430 DE 15 DE ABRIL DE 2010 LEI Nº. 430 DE 15 DE ABRIL DE 2010 DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO E O FUNCIONAMENTO DA INSTÂNCIA MUNICIPAL DE CONTROLE SOCIAL DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA MARCOS ROBERTO FERNANDES CORRÊA, Prefeito Municipal de Pratânia,

Leia mais

BAIXO ARAGUAIA PORTAL DA AMAZÔNIA BAIXADA CUIABANA NOROESTE

BAIXO ARAGUAIA PORTAL DA AMAZÔNIA BAIXADA CUIABANA NOROESTE BAIXO ARAGUAIA PORTAL DA AMAZÔNIA BAIXADA CUIABANA NOROESTE APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA TERRITÓRIOS RIOS DA CIDADANIA Objetivos Os Territórios TERRITÓRIOS RIOS Os Territórios Rurais se caracterizam por: conjunto

Leia mais

NÚCLEOS DE EXTENSÃO EM DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL. PARCERIA MDA / CNPq. Brasília, 13 de maio de 2014

NÚCLEOS DE EXTENSÃO EM DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL. PARCERIA MDA / CNPq. Brasília, 13 de maio de 2014 NÚCLEOS DE EXTENSÃO EM DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL PARCERIA MDA / CNPq Brasília, 13 de maio de 2014 A política de desenvolvimento territorial Desde 2004 a SDT implementa a estratégia de desenvolvimento

Leia mais

Agenda Regional de Desenvolvimento Sustentável Eixo 4: Gestão Regional Integrada

Agenda Regional de Desenvolvimento Sustentável Eixo 4: Gestão Regional Integrada Agenda Regional de Desenvolvimento Sustentável Eixo 4: Gestão Regional Integrada 1 O Projeto Litoral Sustentável 1ª Fase (2011/2012): Diagnósticos municipais (13 municípios) Diagnóstico regional (Já integralmente

Leia mais

Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner. Secretário da Saúde Jorge Solla. Coordenadora da Ouvidoria SUS BAHIA Elide Oliveira de Carvalho

Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner. Secretário da Saúde Jorge Solla. Coordenadora da Ouvidoria SUS BAHIA Elide Oliveira de Carvalho 1 2 Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretário da Saúde Jorge Solla Coordenadora da Ouvidoria SUS BAHIA Elide Oliveira de Carvalho Equipe Técnica: Celurdes Carvalho Flávia Guimarães Simões

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Brasileira de Educação Familiar e Social UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Social da Bahia

Leia mais

PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA CONVOCAÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA ATUAÇÃO EM AÇÕES FORMATIVAS VINCULADAS AO PROGRAMA PACTO PELA EDUCAÇÃO

PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA CONVOCAÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA ATUAÇÃO EM AÇÕES FORMATIVAS VINCULADAS AO PROGRAMA PACTO PELA EDUCAÇÃO PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA CONVOCAÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA ATUAÇÃO EM AÇÕES FORMATIVAS VINCULADAS AO PROGRAMA PACTO PELA EDUCAÇÃO O SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA, no uso das suas atribuições,

Leia mais

A Importância do Planejamento na construção do SUS. Carmen Teixeira

A Importância do Planejamento na construção do SUS. Carmen Teixeira A Importância do Planejamento na construção do SUS Carmen Teixeira A importância do planejamento O planejamento está voltando à moda, depois de mais de uma década de predomínio do ideologismo neoliberal

Leia mais

O Pacto de Gestão do SUS e os Municípios

O Pacto de Gestão do SUS e os Municípios Colegiado de Secretários Municipais de Saúde do Estado de PE COSEMS-PE O Pacto de Gestão do SUS e os Municípios 2º Congresso Pernambucano de Municípios - AMUPE Gessyanne Vale Paulino Saúde Direito de todos

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Escola Nacional de Saúde Pública Escola de Governo em Saúde Programa de Educação à Distância IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Equipe da Coordenação

Leia mais

ESTRATÉGIA PARA PROPOSIÇÃO DE ARRANJOS REGIONAIS DE MANEJO RESÍDUOS SÓLIDOS NO ESTADO DA BAHIA: AS OFICINAS DE PERCEPÇÃO JUNTA A ATORES SOCIAIS

ESTRATÉGIA PARA PROPOSIÇÃO DE ARRANJOS REGIONAIS DE MANEJO RESÍDUOS SÓLIDOS NO ESTADO DA BAHIA: AS OFICINAS DE PERCEPÇÃO JUNTA A ATORES SOCIAIS I COBESA ESTRATÉGIA PARA PROPOSIÇÃO DE ARRANJOS REGIONAIS DE MANEJO RESÍDUOS SÓLIDOS NO ESTADO DA BAHIA: AS OFICINAS DE PERCEPÇÃO JUNTA A ATORES SOCIAIS Maria Valéria Gaspar de Queiroz Ferreira Sandra

Leia mais

Fundo Setorial de Petróleo e Gás Natural Comitê Gestor REGIMENTO INTERNO

Fundo Setorial de Petróleo e Gás Natural Comitê Gestor REGIMENTO INTERNO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Fundo Setorial de Petróleo e Gás Natural Comitê Gestor REGIMENTO INTERNO (aprovado na 49ª Reunião do Comitê realizada em 11 de abril de 2013) CAPÍTULO I Do

Leia mais

(II Conferência Nacional de Segurança Alimentar Nutricional, 2004)

(II Conferência Nacional de Segurança Alimentar Nutricional, 2004) 1 Segurança Alimentar e Nutricional Segurança alimentar é a realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a

Leia mais

Rede de Inovação e Aprendizagem em Gestão Hospitalar Rede InovarH/Ba (www.inovarh.ufba.br) Educação Permanente em Administração Hospitalar: A

Rede de Inovação e Aprendizagem em Gestão Hospitalar Rede InovarH/Ba (www.inovarh.ufba.br) Educação Permanente em Administração Hospitalar: A Rede de Inovação e Aprendizagem em Gestão Hospitalar Rede InovarH/Ba (www.inovarh.ufba.br) Educação Permanente em Administração Hospitalar: A experiência de EADM/ NPGA - UFBA Vera Mendes (vmendes@ufba.br)

Leia mais

Instruções para preenchimento do formulário de CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO

Instruções para preenchimento do formulário de CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO Instruções para preenchimento do formulário de CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO As instruções a seguir orientam a elaboração de propostas de Cursos de Aperfeiçoamento para aprovação e registro no Sistema de Informações

Leia mais

Oficina Nacional Planejamento no Âmbito do SUS. Planejamento Regional Integrado

Oficina Nacional Planejamento no Âmbito do SUS. Planejamento Regional Integrado Oficina Nacional Planejamento no Âmbito do SUS Planejamento Regional Integrado Brasília DF, novembro de 2014 LEGISLAÇÃO ANTERIOR AO DECRETO - VIGENTE Lei 8142/90-1º. art. 1 A Conferência de Saúde reunir-se-á

Leia mais

Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) Tratamento do Tabagismo

Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) Tratamento do Tabagismo Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) Tratamento do Tabagismo O tabagismo é, reconhecidamente, uma doença crônica, resultante da dependência à droga nicotina, e um fator de risco para cerca

Leia mais

no Desenvolvimento dos

no Desenvolvimento dos A Importância do Secretaria de Cooperativismo de Crédito no Desenvolvimento dos Territórios rios Rurais do Brasil (Tema X: O Cooperativismo de Crédito Como Agente Transformador) 5º Seminário Banco Central

Leia mais

Uma Nova Agenda para a Reforma do

Uma Nova Agenda para a Reforma do Uma Nova Agenda para a Reforma do Setor Saúde: Fortalecimento das Funções Essenciais da Saúde Pública e dos Sistemas de Saúde FORO REGIONAL ANTIGUA/GUATEMALA 19-22 DE JULHO DE 2004 PERSPECTIVAS NACIONAIS

Leia mais

TÍTULO DO PROJETO: I FORUM DA GRADUAÇÃO da UENF: Educação Contemporânea Desafios e Perspectivas

TÍTULO DO PROJETO: I FORUM DA GRADUAÇÃO da UENF: Educação Contemporânea Desafios e Perspectivas TÍTULO DO PROJETO: I FORUM DA GRADUAÇÃO da UENF: Educação Contemporânea Desafios e Perspectivas I-Introdução A Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro UENF é uma Instituição Estadual de

Leia mais

Saubara (UBS) Unidade de Saúde Saubara 0 0 0 Santo Amaro (UBS e maternidade) Secretaria Municipal de Saúde 0 0 0

Saubara (UBS) Unidade de Saúde Saubara 0 0 0 Santo Amaro (UBS e maternidade) Secretaria Municipal de Saúde 0 0 0 GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO ESTADUAL DST/AIDS DISTRIBUIÇÃO DE TESTE RÁPIDO HIV.SÍFILIS - ABRIL/2014 Município Unidade

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve: >PORTARIA Nº 2.051, DE 9 DE JULHO DE 2004 Regulamenta os procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004.

Leia mais

Lançamento do Planejamento Estratégico Nacional Brasília, 09 de novembro de 2011

Lançamento do Planejamento Estratégico Nacional Brasília, 09 de novembro de 2011 Lançamento do Planejamento Estratégico Nacional Brasília, 09 de novembro de 2011 1 Lançamento do Planejamento Estratégico Nacional Brasília, 09 de novembro de 2011 2 Planejamento Estratégico Nacional do

Leia mais

Ministério da Cultura Secretaria de Articulação Institucional SAI

Ministério da Cultura Secretaria de Articulação Institucional SAI Secretaria de Articulação Institucional SAI O Processo de Construção do SNC Teresina-PI 04/Dez/2012 A Importância Estratégica do SNC Após os inúmeros avanços ocorridos nos últimos anos no campo da cultura

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA - SALVADOR - 5 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - VITÓRIA DA CONQUISTA - 4

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA - SALVADOR - 5 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - VITÓRIA DA CONQUISTA - 4 ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - ILHÉUS - 3 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - BOM JESUS DA LAPA - 3 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - GUANAMBI - 3 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - SALVADOR

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2010 Regulamenta o Decreto nº 7.082, de 27 de janeiro de 2010, que institui o Programa Nacional de Reestruturação

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas PGDP

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas PGDP UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas PGDP (Dez) (Dez) Campus Doutores Mestres Especialistas Doutores Mestres Especialistas Variação Total Total Qtde

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Histórico de Revisões Data Versão Descrição 30/04/2010 1.0 Versão Inicial 2 Sumário 1. Introdução... 5 2. Público-alvo... 5 3. Conceitos básicos...

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Rua Adualdo Batista, 1550 Parque Iracema Fortaleza Ceará CEP: 60.824-140 Fone: (85) 3218.7020 www.cogerh.com.

TERMO DE REFERÊNCIA. Rua Adualdo Batista, 1550 Parque Iracema Fortaleza Ceará CEP: 60.824-140 Fone: (85) 3218.7020 www.cogerh.com. TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM PRODUÇÃO DE VÍDEO PARA ROTEIRIZAÇÃO, EDIÇÃO, GRAVAÇÃO DE LOCUÇÕES PROFISSIONAIS E MONTAGEM DE MATRIZ DE DVD COM MENU DE OPÇÕES DE ACESSO A CONTEÚDOS

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES EDITAL nº 064/2015 O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB), no uso de suas atribuições legais e regimentais, com fundamento no Decreto Governamental n.º 9.149, de 23 de julho de 2004, torna

Leia mais

EDITAL DE PROJETOS DA CESE

EDITAL DE PROJETOS DA CESE Igreja Católica Apostólica Romana Igreja Episcopal Anglicana do Brasil Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil Igreja Presbiteriana Independente do Brasil Igreja Presbiteriana Unida do Brasil

Leia mais

CONSELHO DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA DE SANTA CATARINA CONGESC

CONSELHO DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA DE SANTA CATARINA CONGESC CONSELHO DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA DE SANTA CATARINA CONGESC Regimento Interno CAPÍTULO I - Da Denominação, Natureza, Sede e Duração Art. 1º. O CONSELHO DE GESTORES MUNICIPAIS DE CULTURA DE SANTA

Leia mais

Informativo Especial da ABEM. Abril de 2014

Informativo Especial da ABEM. Abril de 2014 Informativo Especial da ABEM Prezado(s) Sócios(as), Abril de 2014 Neste informativo divulgamos o calendário com a programação dos eventos que serão promovidos pela Associação Brasileira de Educação Musical

Leia mais

Ministério da Cultura Secretaria de Articulação Institucional SAI

Ministério da Cultura Secretaria de Articulação Institucional SAI Secretaria de Articulação Institucional SAI Seminário Metas do Plano e dos Sistemas Municipal, Estadual e Nacional de Cultura Vitória-ES 05/Dez/2011 Secretaria de Articulação Institucional SAI A Construção

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014 CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014 Regulamenta a concessão de Auxílio para Apoio a Incubadoras

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA Nº 04

TERMO DE REFERENCIA Nº 04 TERMO DE REFERENCIA Nº 04 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA APOIO NA ELABORAÇÃO DE PRODUTO REFERENTE À AÇÃO 02 DO PROJETO OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL - INSTITUTO PÓLIS EM PARCERIA COM A PETROBRAS. Perfil:

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

JOSE AFRANIO P.PINHEIRO JR COSEMS-Ce

JOSE AFRANIO P.PINHEIRO JR COSEMS-Ce JOSE AFRANIO P.PINHEIRO JR COSEMS-Ce A Constituição Federal de 1988 e a Lei Orgânica da Saúde de 1990 estabelecem a descentralização e a regionalização como princípios norteadores dos processos de organização

Leia mais