Docente do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Goiás, Rua S7, s/n, Setor Sul, Palmeiras de Goiás GO. .:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Docente do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Goiás, Rua S7, s/n, Setor Sul, Palmeiras de Goiás GO. E-mail.: nilton.cezar@ueg.br."

Transcrição

1 Avaliação de Pragas em uma Cultura de Milho para Produção de Sementes. BELLIZZI, N. C. 1, WINDER, A. R. S. 2, PEREIRA JUNIOR, R. D. 2 e BARROS, H. A. V Docente do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Goiás, Rua S7, s/n, Setor Sul, Palmeiras de Goiás GO. .: 2 Acadêmicos do Curso de Agronomia da Universidade Estadual de Goiás. RESUMO O projeto foi desenvolvido na Fazenda Boa Esperança no município de Palmeiras de Goiás com o objetivo de avaliar as pragas em milho destinado a produção de sementes semente, para a empresa Pioneer Sementes S/A. O milho foi plantado nos dias 05, 06, 07 e 08 de agosto de 2008, em uma área de 48 ha, cujo cultivo anterior era tomate. A adubação de plantio foi de 400 Kg/ha de N P K com formulação , 390 Kg/ha de uréia e 160 kg/ha de cloreto. O espaçamento utilizado foi de 0,55 m entre linhas de plantio, com 4,0 sementes por metro linear. A metodologia do trabalho consistiu em fazer avaliação semanal das pragas do milho para semente através da avaliação em transecto. Em cada ponto, foram observadas 10 plantas, avaliando-se as partes baixeiras, mediana, ponteira e espigas de cada planta. Os insetos foram contados semanalmente em cada ponto avaliado, sendo feito uma média da infestação de cada inseto por dez plantas. Depois da contagem, os valores foram comparados com a literatura para verificar a eficiência e o nível de controle das pragas na lavoura. Pelos resultados obtidos observamos que A lagarta do cartucho (Spodoptera frugiperda) e a lagarta da espiga (Helicoverpa zea), estiveram presente durante todo o ciclo da cultura do milho da progênie fêmea, causando danos às folhas durante a fase vegetativa e às espigas durante a fase reprodutiva. A partir de 27 de outubro de 2008, além das duas pragas principais (S. frugiperda e H. zea), foi identificado um percevejo conhecido como gaúcho (Leptoglossus zonatus) aumentando assim a população de pragas. Palavras-chave: Zea mays, lagartas desfolhadoras, percevejo gaucho, avaliação de pragas A cultura do milho é uma das plantações mais antigas no mundo, tendo se tornado a base da alimentação de diversos povos, inclusive os Sul-americanos. O milho é uma planta da família Poaceae e da espécie Zea mays. A espiga de milho mais antiga que se tem conhecimento foi descoberta em ac. no vale do Tehuacan no México. O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de milho, segundo Duarte (2002). Na realidade, o uso do milho em grão como alimentação animal representa a maior parte do consumo desse cereal, isto é, cerca de 70% no mundo. Nos Estados Unidos, cerca de 50% é destinado a esse fim, enquanto que no Brasil varia de 60 a 80%, dependendo da fonte da estimativa e de ano para ano. Desde a sua origem até hoje o milho passou por mudanças estruturais, tais como o modelo arquitetônico de entre-nós mais curtos, bainhas mais fechadas, folhas mais eretas e outras características que propiciaram uma mudança no sistema de cultivo, passando da colheita de plantas isoladas nativas para o plantio em linha e adensado, com uma população que variou de plantas/ha para até plantas/ha. A cultura do milho sofre, conforme Moreira (2004), ataque de pragas desde a semente por ocasião do plantio, até à colheita. Além das pragas tradicionais da cultura, em anos recentes tem ocorrido também, o ataque de pragas oriundas de outros cultivos 1145

2 como a soja, trigo e pastagens. Apesar do número relativamente alto de pragas, aquelas iniciais são consideradas as mais importantes em função da capacidade de matar a planta. Segundo Viana (2007), as pragas iniciais atacam as sementes, raízes e plântulas (Plantas jovens) do milho após a semeadura, sendo que existem as mais importantes, as que atacam a fase vegetativa e reprodutiva da plantação, entre elas estão a Spodoptera frugiperda, Helicoverpa zea, Leptoglossus zonatus e outras, que atingem níveis de danos em alguma fase fenológica da cultura. Conforme Cruz (2008) a definição de MIP adotada por um painel organizado pela FAO enuncia:"manejo Integrado de Pragas é o sistema de manejo de pragas que, no contexto, associa o ambiente e a dinâmica populacional da espécie, utiliza todas as técnicas apropriadas e métodos de forma tão compatível quanto possível, e mantém a população da praga em níveis abaixo daqueles capazes de causar dano econômico". Este projeto foi desenvolvido em 2008 na Fazenda Boa Esperança no município de Palmeiras de Goiás, com o objetivo de avaliar a infestação das pragas em milho destinado à produção de sementes para a empresa Pioneer Sementes S/A, as quais serão comercializadas em 2010 e Matérias de Métodos O projeto foi desenvolvido na fazenda Boa Esperança de propriedade do Sr. Jeverson Candido da Costa localizada na Rodovia GO 408, km 03, no município de Palmeiras de Goiás. O milho semente, destinado à empresa Pioneer Sementes S/A, foi plantado, nos dias 05, 06, 07 e 08 de agosto de 2008, em uma área de 48 ha, (pivô central, nº 2), cujo cultivo anterior era tomate. A adubação de plantio foi de 400 Kg/ha de N P K com formulação , 390 Kg/ha de uréia e 160 kg/ha de cloreto, a cultivar utilizada foi a Verena (código interno da empresa), o espaçamento utilizado foi de 0,55 m entre linhas de plantio, com 4,0 sementes por metro linear. A metodologia do trabalho consistiu em fazer avaliação semanal das pragas do milho para semente através da avaliação em transecto. Essa avaliação consistiu em amostragens de pragas e inimigos naturais em cinco pontos, distribuídos na lavoura. Em cada ponto, foram observadas 10 plantas, avaliando-se as partes baixeiras, mediana, ponteira e espigas de cada planta. Os insetos foram contados semanalmente e em cada ponto avaliado, sendo feito uma média da infestação de cada inseto por dez plantas. Depois da contagem, os valores foram comparados com a literatura para verificar a eficiência e o nível de controle das pragas na lavoura. Resultados e Discussão A metodologia utilizada nessa pesquisa foi a avaliação semanal da lagarta do cartucho na fazenda Boa Esperança e os dados coletados são apresentados na Tabela

3 Tabela 1 Número de plantas de milho atacadas por Spodoptera frugiperda por ponto de amostragem na cultura do milho para semente em Palmeiras de Goiás - GO. Safra Datas da Coleta Ponto 1 Ponto 2 Ponto 3 Ponto 4 Ponto 5 Média de plantas atacadas/ponto 25/ / / / / / / / / / / / Fonte: Pereira Júnior (2009) As lagartas do cartucho (S. frugiperda) estiveram presente durante todo o ciclo da cultura do milho da progênie fêmea, causando danos às folhas durante a fase vegetativa e às espigas durante a fase reprodutiva. O nível de controle da S. frugiperda, segundo Gallo et al. (2002), é de 20% de plantas com folhas raspadas até 30º dia após o plantio e de 10% de plantas raspadas do 40º ao 60º dia. Como o milho foi plantado no dia cinco de agosto de 2008, a infestação durante todo o período esteve no limite do nível de controle, mesmo com todas as aplicações de inseticidas apresentado na tabela abaixo. Para o controle químico das pragas do milho, o produtor realizou aplicações conforme o quadro 3. Quadro 3 Aplicações de inseticidas na cultura do milho para semente em Palmeiras de Goiás - GO. Safra INSETICIDAS DATA PRODUTO PRINCÍPIO ATIVO DOSE (kg/ha ou L/ha) 22/08/08 Lorsban 480 BR Clopirifós 2,0 01/09/08 Lannate BR Metomil 0,8 06/09/08 Tracer Spinosad 0,06 13/09/08 Tracer + Imunit Spinosade + (Alfacipermetrina/Tefublenfuron) 0,06 + 0,25 19/09/08 Gallaxy 100 CE Novaluron 0,25 25/09/08 Avaunt 150 Metomil 0,4 02/10/08 Tracer Spinosad 0,06 12/10/08 Avaunt 150 Metomil 0,4 Fonte: Pionner (2009) Os produtos aplicados mantiveram a população de S. frugiperda dentro do nível de controle, a infestação inicial que era de 30%, em média, caiu para de 10% das plantas, entre os dias oito e quinze de setembro de 2008, mostrando a eficiências dos 1147

4 produtos Lanate BR (Metomil) e Tracer (Spinosad). Foi verificado através de uma avaliação feita no dia 27 de outubro de 2008, que mesmo com essas aplicações na fase de enchimento dos grãos, além das duas pragas principais (S. frugiperda e H. zea), foi identificado um percevejo conhecido como gaúcho (Leptoglossus zonatus) aumentando assim a população de pragas conforme as Tabelas 2 e 3. Tabela 2 Número de plantas de milho atacadas por Helicoverpa zea por ponto de amostragem na cultura do milho para semente em Palmeiras de Goiás - GO. Safra Datas da Coleta Ponto 1 Ponto 2 Ponto 3 Ponto 4 Ponto 5 Média de plantas atacadas/ponto 25/ / / / / / / / / / / / Fonte: Pereira Júnior (2009) A Helicoverpa zea manteve níveis populacionais próximo de zero até o pendoamento, chegando o número de plantas atacadas até 3 plantas/ponto. H. zea é um inseto polífago, o que dificulta a implementação de um programa de manejo integrado do inseto. O controle de H. zea se faz quase que exclusivamente do ciclo total em torno de 39 dias com viabilidade superior a 88%, mediante emprego de inseticidas, sendo a eficiência deste método, muito baixa. Isto se deve ao fato das lagartas, encontrarem-se protegidas no interior das espigas. Provocando, ainda, um efeito negativo no equilíbrio biológico existente entre o inseto-praga e seus inimigos naturais, e o mau uso dos químicos acaba também por forçar a seleção de populações resistentes aos pesticidas (CRUZ, 2002). Segundo Giolo et al. (2006), os danos causados pela Helicoverpa zea prejudicam a plantação de três formas: atacandos os estigmas, impedindo a fertilização e, em conseqüência, surgirão falhas nas mesmas; alimentando-se de grãos leitosos, os destruindo e; finalmente, os orifícios deixados pelas lagartas nas espigas, por ocasião da fase de pupa, facilitam a penetração de microrganismos que podem causar podridões. Com isso, verificou - se que um dos principais danos diretos que a Helicoverpa zea causa é na alimentação dos grãos leitosos, enquanto que os danos indiretos se expressam por grãos contaminados por fungos (grãos ardidos) e falhas na espiga. A Tabela 3 demonstra o número de plantas de milho atacadas pelo percevejo gaúcho (Leptoglossus zonatus) por ponto de amostragem. 1148

5 Tabela 3: Número de plantas de milho atacadas pelo percevejo gaúcho (Leptoglossus zonatus) por ponto de amostragem na cultura do milho para semente em Palmeiras de Goiás - GO. Safra Datas da Coleta Ponto 1 Ponto 2 Ponto 3 Ponto 4 Ponto 5 Média de plantas atacadas/ponto 25/ / / / / / / / / / / / Fonte: Pereira Júnior (2009) O Leptoglossus zonatus é um coreídeo. As ninfas e adultos alimentando-se das sementes do milho facilitam a penetração de microorganismos, aumentando ainda mais as perdas. Portanto, constituem problemas principalmente nos campos de produção de sementes. Para Waquil (2000) os danos são causados devido à sucção de seiva dos grãos, estes tornam-se manchados e ficam reduzidos no tamanho. Portanto, panículas com grãos mal formados e manchados constituem no principal sintoma de danos. Algumas espécies podem também inocular agentes fitopatogênicos nos grãos. A forma de controle desse percevejo pode ser feita através do método químico, através do trator ou se possível com a pulverização aérea, com inseticidas fosforados ou carbamatos. As conseqüências imediatas desta seleção de indivíduos resistentes a um determinado grupo químico passam primeiramente pelo aumento das doses dos ingredientes ativos. Na Figura 1 observamos a média de infestação dos insetos presentes nas plantas de milho atacadas por ponto de amostragem. 4 Número médio de plantas atacadas/ponto de amostragem S. frugiperda H. zea L. zonatus 0 25/8/09 1/9/09 8/9/09 15/9/09 22/9/09 29/9/ /10/09 Amostragens 13/10/09 20/10/09 27/10/09 3/11/09 10/11/09

6 Figura 1. Infestação média de insetos na cultura do milho para semente em Palmeiras de Goiás GO. Safra Na Figura 1 observamos a média da infestação, demonstrando que até o pendoamento somente a S. frugiperda apresentou problemas de infestação, mas quando o pendoamento inicia, outras pragas como a H. zea, a Euxesta sp e o L. zonatus se apresentam como pragas potenciais de destruição se não foram controladas no momento certo. O controle destas pragas não obteve melhores resultados, devido ao fato de haver ao redor desta lavoura, outras áreas cultivadas com o milho na nesta época, com diferença de alguns dias, onde os insetos podem refugiar se nas lavouras vizinhas no momento das aplicações dos inseticidas. Literatura Citada CRUZ, I. A. Resistência de Spodoptera a inseticidas. Revista Cultivar. Pelotas, v. 37, p.12-14, CRUZ, J. C.; KARAM, D.; MONTEIRO, M. A. R.; MAGALHÃES, P. C. A Cultura do Milho. Embrapa Milho e Sorgo: Sete Lagoas, p. DUARTE, J de O. Importância econômica. In: CRUZ, J. C.; VERSIANI, R. P.; FERREIRA, M. T. R. (Eds.) Cultivo do milho. Sete Lagoas: EMBRAPA Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo GALLO, D.; NAKANO, O.; SILVEIRA NETO, S.; CARVALHO, R. P. L.; BAPTISTA, G. C.; BERTI FILHO, E.; PARRA, J. R. P.; ZUCCHI, R. A.; ALVES, S. B.; VENDRAMIM, J. D.; MARCHINI, L. C.; LOPES, J. R. S.; OMOTO, C. Entomologia agrícola. Piracicaba: FEALQ, GIOLO, et al. Biologia de Helicoverpa zea (Boddie, 1850) (Lepidoptera: Noctuidae) em duas dietas artificiais. Revista Brasileira de Agrociência, Pelotas, v. 12, n. 2, p , abr-jun, MOREIRA, S. G. Tratamento de sementes visando manejo de pragas na cultura do milho. Minas Gerais: ReHAgro, Disponível em: < Acesso em 15 abr VIANNA, P. A.; CRUZ, I.; WAQUIL, J. M. Cultivo de Milho. Embrapa Milho e Sorgo : Sistemas de Produção. 3ª ed. Set., Disponível em: < d/prsementes.htm> Acesso em: 19 out WAQUIL, José Magid. Cultivo do sorgo. Embrapa Milho e Sorgo : Sistemas de Produção, 2. 4ª ed. Set./2000 Disponível em: 1150

7 < Acessado em: 19 out. de

Levantamento de adultos de Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) utilizando armadilha de feromônio em área comercial de milho Bt

Levantamento de adultos de Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) utilizando armadilha de feromônio em área comercial de milho Bt Levantamento de adultos de Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) utilizando armadilha de feromônio em área comercial de milho Bt Rosangela C. Marucci 1, Simone M. Mendes 2, José M.

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Ocorrência Natural de Predadores nos Períodos Vegetativo e Reprodutivo da Cultura do Milho de Segunda Safra em Ribeirão

Leia mais

GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL,

GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL, GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL, 2008-2012 Maximiliano Miura (1), Alfredo Tsunechiro (2), Célia Regina Roncato Penteado Tavares Ferreira (1) Introdução

Leia mais

Posicionamento de Cultivares Convencionais

Posicionamento de Cultivares Convencionais DIA DE CAMPO SOBRE MILHO CATI -MANDURI - 15/03/2017 Posicionamento de Cultivares Convencionais e Diferenças de Manejo em Relação às Transgênicas Aildson Pereira Duarte Programa Milho IAC/APTA Milho Safrinha

Leia mais

Núcleo 1 Chapadão do Sul

Núcleo 1 Chapadão do Sul Ano II 15 de abril de 2013. Relatório semanal de 08 a 15 de abril de 2013. Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes Semana com períodos diurno nublado e com precipitações na maior parte

Leia mais

Espécies de Tricogramatídeos em Posturas de Spodoptera frugiperda (Lep.: Noctuidae) e Flutuação Populacional em Cultivo de Milho

Espécies de Tricogramatídeos em Posturas de Spodoptera frugiperda (Lep.: Noctuidae) e Flutuação Populacional em Cultivo de Milho Espécies de Tricogramatídeos em Posturas de Spodoptera frugiperda (Lep.: Noctuidae) e Flutuação Populacional em Cultivo de Milho Vinícius S. Sturza 1, Cátia Câmera 1, Leandro P. Ribeiro 2 e Sônia T. B.

Leia mais

Dispêndios com Inseticidas, Fungicidas e Herbicidas na Cultura do Milho no Brasil,

Dispêndios com Inseticidas, Fungicidas e Herbicidas na Cultura do Milho no Brasil, Dispêndios com Inseticidas, Fungicidas e Herbicidas na Cultura do Milho no Brasil, 2000-20009 Alfredo Tsunechiro, Célia R. R. P. T. Ferreira e Maximiliano Miura Instituto de Economia Agrícola (IEA) Caixa

Leia mais

6.4 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS

6.4 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS 6.4 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS Prejuízos: -Competição por água; -Competição por luz; -Competição por nutrientes; -Hospedeiros de pragas e doenças; -Interferência na operação de colheita. Período de competição:

Leia mais

Levantamento dos Insetos Presentes em Espigas de Milho em Cultivo de Segunda Safra

Levantamento dos Insetos Presentes em Espigas de Milho em Cultivo de Segunda Safra Levantamento dos Insetos Presentes em Espigas de Milho em Cultivo de Segunda Safra Alexandre de S. Pinto, Henrique Swiech Filho, Vinícius L. Lopes e Vinicius Pedrão Instituição Universitária Moura Lacerda,

Leia mais

LANÇAMENTO DKB 290 MULTI PLANTIO O NOVO HÍBRIDO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES CATÁLOGO DE HÍBRIDOS SAFRINHA REGIÃO NORTE 2014/2015. dekalb.com.

LANÇAMENTO DKB 290 MULTI PLANTIO O NOVO HÍBRIDO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES CATÁLOGO DE HÍBRIDOS SAFRINHA REGIÃO NORTE 2014/2015. dekalb.com. LANÇAMENTO DKB 290 O NOVO HÍBRIDO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES + MULTI PLANTIO CATÁLOGO DE HÍBRIDOS SAFRINHA REGIÃO NORTE 2014/2015 dekalb.com.br ASAS PARA O SEU POTENCIAL. DKB 310 Alto potencial produtivo

Leia mais

LANÇAMENTO DKB 290 MULTI PLANTIO O NOVO HÍBRIDO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES CATÁLOGO DE HÍBRIDOS SAFRINHA REGIÃO SUL 2014/2015. dekalb.com.

LANÇAMENTO DKB 290 MULTI PLANTIO O NOVO HÍBRIDO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES CATÁLOGO DE HÍBRIDOS SAFRINHA REGIÃO SUL 2014/2015. dekalb.com. LANÇAMENTO DKB 290 O NOVO HÍBRIDO PARA ALTAS PRODUTIVIDADES + MULTI PLANTIO CATÁLOGO DE HÍBRIDOS SAFRINHA REGIÃO SUL 2014/2015 dekalb.com.br ASAS PARA O SEU POTENCIAL. DKB 290 O novo híbrido para altas

Leia mais

Efeito do inseticida Lorsban na supressão de Spodoptera frugiperda (Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae) na cultura do milho.

Efeito do inseticida Lorsban na supressão de Spodoptera frugiperda (Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae) na cultura do milho. Efeito do inseticida Lorsban na supressão de Spodoptera frugiperda (Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae) na cultura do milho. Previous Top Next 1MARIA DE L. C. FIGUEIREDO, 2 ANGÉLICA M. PENTEADO-DIAS

Leia mais

As 12 conclusões do Workshop sobre o uso de refúgio para conservação da eficácia do algodão-bt no Brasil

As 12 conclusões do Workshop sobre o uso de refúgio para conservação da eficácia do algodão-bt no Brasil Presidência/213 Brasília, 04 de dezembro de 2013. Excelentíssimo Sr. Sérgio De Marco Presidente da Câmara Setorial do Algodão As 12 conclusões do Workshop sobre o uso de refúgio para conservação da eficácia

Leia mais

Módulo 4. Controle químico

Módulo 4. Controle químico Módulo 4 Controle químico Controle químico Manejo de Helicoverpa spp. Monitoramento e NC - Nunca aplicar com base em calendários Retardar a primeira pulverização o máximo possível Inseticidas seletivos

Leia mais

DIFERENTES PROGRAMAS DE MANEJO DE PRAGAS, DOENÇAS E PLANTAS DANINHAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA (Zea mays L.), NA REGIÃO DO TRIÂNGULO MINEIRO.

DIFERENTES PROGRAMAS DE MANEJO DE PRAGAS, DOENÇAS E PLANTAS DANINHAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA (Zea mays L.), NA REGIÃO DO TRIÂNGULO MINEIRO. DIFERENTES PROGRAMAS DE MANEJO DE PRAGAS, DOENÇAS E PLANTAS DANINHAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA (Zea mays L.), NA REGIÃO DO TRIÂNGULO MINEIRO. Marco Aurélio de Oliveira Fagotti 1, Luiz Francisco Weber

Leia mais

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE MILHO SAFRINHA, TRANSGÊNICO E CONVENCIONAL NO MUNICÍPIO DE COLINA, ESTADO DE SÃO PAULO, SAFRA 2013

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE MILHO SAFRINHA, TRANSGÊNICO E CONVENCIONAL NO MUNICÍPIO DE COLINA, ESTADO DE SÃO PAULO, SAFRA 2013 AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE MILHO SAFRINHA, TRANSGÊNICO E CONVENCIONAL NO MUNICÍPIO DE COLINA, ESTADO DE SÃO PAULO, SAFRA 2013 Fernando Bergantini Miguel 1, Marcelo Ticelli 2, Ivana Marino Bárbaro 2, Francisco

Leia mais

Plantas hospedeiras de Helicoverpa zea (Boddie) (Lepidoptera: Noctuidae)

Plantas hospedeiras de Helicoverpa zea (Boddie) (Lepidoptera: Noctuidae) Plantas hospedeiras de Helicoverpa zea (Boddie) (Lepidoptera: Noctuidae) Alice Emanuele dos Santos 1 ; Simone M. Mendes 2 ; Tatiana Rodrigues Carneiro 3; Lorena de Oliveira Martins 4 ; Savana Xanti Gomes

Leia mais

O presente estudo foi instalado no município de Alfenas-MG, a 900 m de altitude. Rodolfo Carvalho Cesar de San Juan 1

O presente estudo foi instalado no município de Alfenas-MG, a 900 m de altitude. Rodolfo Carvalho Cesar de San Juan 1 ESTUDO DO EFEITO DO INSETICIDA CROPSTAR SOBRE PLANTAS DE MILHO CONVENCIONAL E Bt YIELDGARD E HERCULEX SUBMETIDAS À ALTA PRESSÃO DE ATAQUE DE Spodoptera frugiperda Rodolfo Carvalho Cesar de San Juan 1 1.

Leia mais

EFEITO DE DESALOJANTE E INSETICIDAS NO CONTROLE DA SPODOPTERA FRUGIPERDA (LEPIDOPTERA: NOCTUIDAE) DO MILHO

EFEITO DE DESALOJANTE E INSETICIDAS NO CONTROLE DA SPODOPTERA FRUGIPERDA (LEPIDOPTERA: NOCTUIDAE) DO MILHO EFEITO DE DESALOJANTE E INSETICIDAS NO CONTROLE DA SPODOPTERA FRUGIPERDA (LEPIDOPTERA: NOCTUIDAE) DO MILHO Diego de A. LEPK 1 ; Danilo de A. LEPK 2 RESUMO O trabalho objetivou-se avaliar o uso de inseticidas

Leia mais

SOJA BT E O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS: EXPERIÊNCIAS E PERSPECTIVAS. Antonio Cesar S. dos Santos Londrina, 06 de Julho de 2016

SOJA BT E O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS: EXPERIÊNCIAS E PERSPECTIVAS. Antonio Cesar S. dos Santos Londrina, 06 de Julho de 2016 SOJA BT E O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS: EXPERIÊNCIAS E PERSPECTIVAS Antonio Cesar S. dos Santos Londrina, 6 de Julho de 216 Agenda Introdução (Área Plantada de Transgênicos Global e Brasil) Produtos aprovados

Leia mais

Maior interação com ambiente eleva uso de cultivar transgênico no Brasil

Maior interação com ambiente eleva uso de cultivar transgênico no Brasil Vantagens Maior interação com ambiente eleva uso de cultivar transgênico no Brasil Pedro Patric Pinho Morais e Aluízio Borém* freeimages / Alistair Williamson Adoção de cultivares transgênicos, no Brasil,

Leia mais

OCORRÊNCIA DA MOSCA-DA-ESPIGA EM DIFERENTES HÍBRIDOS DE MILHO

OCORRÊNCIA DA MOSCA-DA-ESPIGA EM DIFERENTES HÍBRIDOS DE MILHO OCORRÊNCIA DA MOSCA-DA-ESPIGA EM DIFERENTES HÍBRIDOS DE MILHO Marcos Doniseti Michelotto (1), Aildson Duarte Pereira (2), Rogério Soares de Freitas (3), Melina Zacarelli Pirotta (4), Tamiris Marion de

Leia mais

Milho Doce SV0006SN Seminis. Milho Doce SV9298SN Seminis. Biotecnologia e qualidade que unem o campo, indústria e mercado.

Milho Doce SV0006SN Seminis. Milho Doce SV9298SN Seminis. Biotecnologia e qualidade que unem o campo, indústria e mercado. Milho Doce Seminis Biotecnologia e qualidade que unem o campo, indústria e mercado. Milho Doce SV0006SN Seminis Qualidade que une campo, indústria e mercado. Milho doce Performance series single pro sc

Leia mais

Níveis de infestação e controle de Spodoptera frugiperda (Lepdoptera: Noctuidae) no município de Cassilândia/MS

Níveis de infestação e controle de Spodoptera frugiperda (Lepdoptera: Noctuidae) no município de Cassilândia/MS Níveis de infestação e controle de Spodoptera frugiperda (Lepdoptera: Noctuidae) no município de Cassilândia/MS Stefanie A. Moreira¹, Alexandre M. Cardoso² e Gustavo H. C. Vieira³ Universidade Estadual

Leia mais

SAFRA 2014/15 ORIENTAÇÕES DO PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA BAHIA

SAFRA 2014/15 ORIENTAÇÕES DO PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA BAHIA SAFRA 2014/15 ORIENTAÇÕES DO PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DA BAHIA Revisão de 16/06/2014 Programa baseado no Manejo Integrado de Pragas MIP 1. Controle Cultural Delimitação do vazio sanitário, calendário de

Leia mais

ESTUDO DO PROGRESSO GENÉTICO NA POPULAÇÃO UFG- SAMAMBAIA, SUBMETIDA A DIFERENTES MÉTODOS DE SELEÇÃO.

ESTUDO DO PROGRESSO GENÉTICO NA POPULAÇÃO UFG- SAMAMBAIA, SUBMETIDA A DIFERENTES MÉTODOS DE SELEÇÃO. ESTUDO DO PROGRESSO GENÉTICO NA POPULAÇÃO UFG- SAMAMBAIA, SUBMETIDA A DIFERENTES MÉTODOS DE SELEÇÃO RAMOS, Michele Ribeiro 1 ; BRASIL, Edward Madureira 2 Palavras-chave: progresso genético, métodos de

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Utilização de Fontes de Silício Para Controle de Danos de Spodoptera frugiperda (J.E.Smith) (Lepidoptera: Noctuidae)

Leia mais

Aspectos Biológicos de Spodoptera frugiperda (J. E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) Alimentada com Buva (Conyza sp.)

Aspectos Biológicos de Spodoptera frugiperda (J. E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) Alimentada com Buva (Conyza sp.) Aspectos Biológicos de Spodoptera frugiperda (J. E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) Alimentada com Buva (Conyza sp.) Cibele de Souza Batista 1, Simone M. Mendes 2, Eduardo Rezende 3, Tatiane Aparecida

Leia mais

EFEITO DO MILHO Bt EM VARIÁVEIS BIOLÓGICAS E COMPORTAMENTAIS DO PERCEVEJO PREDADOR Orius insidious (SAY, 1832)

EFEITO DO MILHO Bt EM VARIÁVEIS BIOLÓGICAS E COMPORTAMENTAIS DO PERCEVEJO PREDADOR Orius insidious (SAY, 1832) EFEITO DO MILHO Bt EM VARIÁVEIS BIOLÓGICAS E COMPORTAMENTAIS DO PERCEVEJO PREDADOR Orius insidious (SAY, 1832) Simone Martins Mendes 1 ; Katia Gisele Brasil Boregas 2 ; Talita Costa Fermino 3 ; Marcos

Leia mais

Genética Embrapa: INOVAÇÃO E SUPERIORIDADE NO CAMPO

Genética Embrapa: INOVAÇÃO E SUPERIORIDADE NO CAMPO Genética Embrapa: INOVAÇÃO E SUPERIORIDADE NO CAMPO Foz do Iguaçu PR 20/06/2017 Engº Agrº Ralf Udo Dengler Engº Agrº Milton Dalbosco Fundação Meridional Novos patamares de produtividade! Destaques do Melhoramento

Leia mais

CONTROLE BIOLÓGICO DAS PRAGAS DA ESPIGA, SOBRE PARÂMETROS QUALITATIVOS E QUANTITATIVOS NA CULTURA DO MILHO DE SAFRINHA EM UBIRATÃ/PR

CONTROLE BIOLÓGICO DAS PRAGAS DA ESPIGA, SOBRE PARÂMETROS QUALITATIVOS E QUANTITATIVOS NA CULTURA DO MILHO DE SAFRINHA EM UBIRATÃ/PR 27 CONTROLE BIOLÓGICO DAS PRAGAS DA ESPIGA, SOBRE PARÂMETROS QUALITATIVOS E QUANTITATIVOS NA CULTURA DO MILHO DE SAFRINHA EM UBIRATÃ/PR CARLOS BATISTA FOGAÇA LUIZ 1 ; SANDRA REGINA MAGRO 2 1 Engenheiro

Leia mais

Uma das maneiras de reduzir os efeitos da

Uma das maneiras de reduzir os efeitos da Uma das maneiras de reduzir os efeitos da baixa disponibilidade de forragem sobre o desempenho dos animais é conservar a forragem de uma estação de crescimento para períodos de escassez de alimentos. A

Leia mais

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO Manejo de Agroecosistemas Sustentaveis Monferrer 431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO José C. Cruz 1 ; Israel A. Pereira Filho 1 ;

Leia mais

EFEITO DE DIFERENTES DOSES DO ÓLEO ESSENCIAL DE AÇAFRÃO NO CONTROLE DO PULGÃO BRANCO (APHIS GOSSYPII) NA CULTURA DO ALGODOEIRO

EFEITO DE DIFERENTES DOSES DO ÓLEO ESSENCIAL DE AÇAFRÃO NO CONTROLE DO PULGÃO BRANCO (APHIS GOSSYPII) NA CULTURA DO ALGODOEIRO EFEITO DE DIFERENTES DOSES DO ÓLEO ESSENCIAL DE AÇAFRÃO NO CONTROLE DO PULGÃO BRANCO (APHIS GOSSYPII) NA CULTURA DO ALGODOEIRO Marcos Fernandes Oliveira 1, Fábio Shigeo Takatsuka 2, Paulo Marçal Fernandes

Leia mais

INFORMATIVO SEMENTES AGROCERES

INFORMATIVO SEMENTES AGROCERES INFORMATIVO SEMENTES AGROCERES MANEJO DE VIROSES TRANSMITIDAS POR PULGÕES NA CULTURA DO MILHO UILSON SANTOS TECNOLOGIAS DE MANEJO O pulgão-do-milho (Rhopalosiphum maidis) é um inseto sugador de seiva que

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Efeito de Diferentes Proteínas Bt Expressas em Milho Geneticamente Modificado na Sobrevivência e Biomassa de Helicoverpa

Leia mais

INFORMATIVO SOBRE TECNOLOGIAS DE RESISTÊNCIA A INSETOS SEMEANDO O FUTURO

INFORMATIVO SOBRE TECNOLOGIAS DE RESISTÊNCIA A INSETOS SEMEANDO O FUTURO INFORMATIVO SOBRE TECNOLOGIAS DE RESISTÊNCIA A INSETOS É IMPORTANTE A utilização de milho geneticamente modificado resistente a insetos, conhecido como milho Bt (Bacillus thuringiensis), tem crescido signficativamente

Leia mais

MULTI PLANTIO CATÁLOGO DE HÍBRIDOS VERÃO REGIÃO NORTE 2014/2015 REFÚGIO E COEXISTÊNCIA

MULTI PLANTIO CATÁLOGO DE HÍBRIDOS VERÃO REGIÃO NORTE 2014/2015 REFÚGIO E COEXISTÊNCIA REFÚGIO E COEXISTÊNCIA PLANTIO DO REFÚGIO O plantio das áreas de refúgio representa o principal componente do plano de Manejo de Resistência de Insetos (MRI) dos híbridos com as Tecnologias VT PRO. A preservação

Leia mais

Manejo e Controle de Pragas do Milho Safrinha

Manejo e Controle de Pragas do Milho Safrinha 04 Manejo e Controle de Pragas do Milho Safrinha José Fernando Jurca Grigolli 1 Introdução Muitas espécies de insetos estão associadas à cultura do milho, mas apenas algumas atingem o status de praga-chave,

Leia mais

Boletim Técnico. FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra.

Boletim Técnico. FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. Boletim Técnico FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. Oferece aos produtores a possibilidade de controle de lagartas e das plantas daninhas. A associação das tecnologias GlyTol TwinLink

Leia mais

Circuito Milho 15/16

Circuito Milho 15/16 Circuito Milho 15/16 187 Fazendas Área Total: 210.157 ha Norte 48,3% 101.426 ha 31 Municípios 5 Dias Leste 12,4% 26.138 ha 8704 Km Oeste 14,8% 31.205 ha Sul 24,5% 51.388 ha Perfil do Entrevistado MT 43,9%

Leia mais

Milho Bt: avaliação preliminar da resistência de híbridos comerciais à lagarta-do-cartucho, Spodoptera frugiperda (J. E.

Milho Bt: avaliação preliminar da resistência de híbridos comerciais à lagarta-do-cartucho, Spodoptera frugiperda (J. E. 157 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2008 Milho Bt: avaliação preliminar da resistência de híbridos comerciais à lagarta-do-cartucho, Spodoptera frugiperda (J. E. Smith, 1797) Simone M. Mendes

Leia mais

Viabilidade do Biocontrole de Pragas em Sistemas Integrados. Sergio Abud Biólogo Embrapa Cerrados

Viabilidade do Biocontrole de Pragas em Sistemas Integrados. Sergio Abud Biólogo Embrapa Cerrados Viabilidade do Biocontrole de Pragas em Sistemas Integrados Sergio Abud Biólogo Embrapa Cerrados Ameaças Fitossanitárias Segundo a Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária (SBDA), 150 Pragas Quarentenárias

Leia mais

Tiago Moreira Damasceno I, Gustavo Radomile Tofoli II, Regiane Cristina Oliveira de Freitas Bueno III, Adeney de Freitas Bueno IV

Tiago Moreira Damasceno I, Gustavo Radomile Tofoli II, Regiane Cristina Oliveira de Freitas Bueno III, Adeney de Freitas Bueno IV CONTROLE DE PRAGAS DO GIRASSOL USANDO O TRATAMENTO DE SEMENTES COM INSETICIDAS E SUA INFLUÊNCIA NA PRESERVAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DAS SEMENTES, DURANTE O ARMAZENAMENTO Tiago Moreira Damasceno I,

Leia mais

LEVANTAMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS EM LAVOURAS DE TRIGO TECNICAMENTE ASSISTIDAS NO PARANÁ. Claudia De Mori

LEVANTAMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS EM LAVOURAS DE TRIGO TECNICAMENTE ASSISTIDAS NO PARANÁ. Claudia De Mori LEVANTAMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS EM LAVOURAS DE TRIGO TECNICAMENTE ASSISTIDAS NO PARANÁ Claudia De Mori HISTÓRICO com a colaboração de profissionais de cooperativas e de empresas de assistência técnica,

Leia mais

Curso Inspetor de Campo em MIP Soja. Reunião da Comissão Técnica de Cereais, Fibras e Oleaginosas da FAEP Curitiba, 11 de abril de 2016

Curso Inspetor de Campo em MIP Soja. Reunião da Comissão Técnica de Cereais, Fibras e Oleaginosas da FAEP Curitiba, 11 de abril de 2016 Curso Inspetor de Campo em MIP Soja Reunião da Comissão Técnica de Cereais, Fibras e Oleaginosas da FAEP Curitiba, 11 de abril de 2016 Parcerias e Validação Inspetor de Campo MIP Soja Demanda Inspetor

Leia mais

Levantamento Populacional de Inimigos Naturais Associados à Cultura do Milho

Levantamento Populacional de Inimigos Naturais Associados à Cultura do Milho Levantamento Populacional de Inimigos Naturais Associados à Cultura do Milho Matheus C. Dallasta 1, Thiago Montanha 1, Daniel C. Dallasta 1, Priscila A. Makino 1, Marie C. F. Laborde 1 e Paula P. P. Peixoto

Leia mais

QUEBRA DE PLANTAS DE SOJA

QUEBRA DE PLANTAS DE SOJA QUEBRA DE PLANTAS DE SOJA? SINTOMA Dano caracterizado por depressão na haste, logo acima do nó cotiledonar, que pode evoluir para um anelamento, resultando no tombamento ou quebra das plantas de soja.

Leia mais

Parcerias que semeiam crescimento.

Parcerias que semeiam crescimento. Parcerias que semeiam crescimento. Catálogo 6 Soja SEMEANDO O FUTURO DESDE 1856 KWS Catálogo de Soja 6 1 A KWS Sementes vem acompanhando a evolução do mercado e a cada safra traz mais novidades para seus

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Levantamento da Biodiversidade Entomológica em Plantas de Cobertura e no Milho Aline Silvia Dias 1, Julliana Borges

Leia mais

Avaliação de Cultivares de Milho na Região de Sete Lagoas, MG

Avaliação de Cultivares de Milho na Região de Sete Lagoas, MG ISSN 1679-1150 Avaliação de Cultivares de Milho na Região de Sete Lagoas, MG 65 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2005 Autores José Carlos Cruz Eng. Agr., Ph. D. Embrapa Milho e Sorgo. Caixa Postal 151 CEP 35701-970

Leia mais

9.4. Manejo integrado de pragas do milho em unidade demonstrativa no Vale do Urucuia

9.4. Manejo integrado de pragas do milho em unidade demonstrativa no Vale do Urucuia 502 22 a 24 de Setembro de 2011 Universidade Federal de Viçosa Viçosa/MG 9.4. Manejo integrado de pragas do milho em unidade demonstrativa no Vale do Urucuia Hilton Lopes Galvão 1, Sebastião Lourenço Henrique

Leia mais

Ministério da Agricultura

Ministério da Agricultura Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento Avaliação de Cultivares de Milho Visando à Produção de Minimilho na Região Norte do Estado de Minas Gerais ISSN 0100-9915 131 O minimilho é o nome dado

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR Foi realizado no dia 10 de julho de 2012 em Guarapuava (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação

Leia mais

NOTA TÉCNICA SOBRE CIRCUITO TECNOLÓGICO MILHO 2017

NOTA TÉCNICA SOBRE CIRCUITO TECNOLÓGICO MILHO 2017 NOTA TÉCNICA SOBRE CIRCUITO TECNOLÓGICO MILHO 2017 Alexandre Ferreira da Silva 1, Álvaro Vilela Resende 1, Miguel Marques Gontijo Neto 1, Emerson Borghi 1, Eduardo Mattos 2, Rafael Major Pitta 2, Anderson

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CASE DA REGIÃO

APRESENTAÇÃO DO CASE DA REGIÃO APRESENTAÇÃO DO CASE DA REGIÃO SUL Leandro Sartoreli Ricci Mamborê - PR 2010/2011 Produtividade: 6.027 kg/ha (100,5 sc/ha) - Variedade SYN 3358 (Variedade com folhas lanceoladas e alta resistência ao acamamento)

Leia mais

Palavras-chave: algodoeiro, tratamento de sementes, estande, eficiência. INTRODUÇÃO

Palavras-chave: algodoeiro, tratamento de sementes, estande, eficiência. INTRODUÇÃO AVALIAÇÃO DE INSETICIDAS NO CONTROLE DA LAGARTA-ELASMO Elasmopalpus lignosellus NA CULTURA DO ALGODÃO Luis Alberto Aguillera (Cooperfibra / luis@cooperfibra.com.br ), Paulo Eduardo Degran (UFGD) RESUMO

Leia mais

Transferência de tecnologias para a produção de sementes de milho variedade melhoradas pela Embrapa com foco na agricultura familiar em Minas Gerais

Transferência de tecnologias para a produção de sementes de milho variedade melhoradas pela Embrapa com foco na agricultura familiar em Minas Gerais Transferência de tecnologias para a produção de sementes de milho variedade melhoradas pela Embrapa com foco na agricultura familiar em Minas Gerais Diego O. Carvalho ¹, João B. Guimarães Sobrinho ¹, Fredson

Leia mais

ISSN X Setembro, Perfil do Produtor e Manejo de Pragas na Microrregião Dourados

ISSN X Setembro, Perfil do Produtor e Manejo de Pragas na Microrregião Dourados ISSN 1679-043X Setembro, 2009 102 Perfil do Produtor e Manejo de Pragas na Microrregião Dourados ISSN 1679-043X Setembro, 2009 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Agropecuária Oeste Ministério

Leia mais

MANEJO DE NUTRIENTES NO ALGODOEIRO Solos de Goiás

MANEJO DE NUTRIENTES NO ALGODOEIRO Solos de Goiás MANEJO DE NUTRIENTES NO ALGODOEIRO Solos de Goiás Ana Luiza Dias Coelho Borin Engenheira agrônoma, D.Sc. em Ciência do Solo Pesquisadora da Embrapa Algodão Adubação de sistemas intensivos de produção Conceitos

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Produção de Milho Verde em Diferentes Épocas de Semeadura em Janaúba - MG. Iran dias borges 1, Renata Santos Pereira

Leia mais

ADOÇÃO DE MELHORES PRÁTICAS AGRONÔMICAS

ADOÇÃO DE MELHORES PRÁTICAS AGRONÔMICAS ADOÇÃO DE MELHORES PRÁTICAS AGRONÔMICAS O QUE SÃO AS MELHORES PRÁTICAS AGRONÔMICAS? POSICIONAMENTO TÉCNICO COERENTE E CONSISTENTE Dessecação antecipada e uso de inseticidas para manejo de pragas residentes

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA LICENCIADAS SAFRA SUL 2013/2014. niderasementes.com.br

CULTIVARES DE SOJA LICENCIADAS SAFRA SUL 2013/2014. niderasementes.com.br CULTIVARES DE SOJA LICENCIADAS SAFRA SUL 3/4 niderasementes.com.br Parceria que rende mais. NS4823 A mais precoce do mercado. Resistência ao acamamento. Ótima arquitetura de plantas. Marrom Ereta, porte

Leia mais

Milho. Instruções agrícolas para as principais culturas econômicas. Zea mays L.

Milho. Instruções agrícolas para as principais culturas econômicas. Zea mays L. Zea mays L. Gramínea anual da família Poaceae, originária do México, anual, com 1,5 a 3,0 m de altura no florescimento, cultivada no verão e na segunda safra (milho safrinha). O consumo dos grãos pode

Leia mais

MAIOR PRODUTIVIDADE PARA SUA LAVOURA, SEMENTES DE MILHO E SORGO PARA GRÃOS E SILAGEM.

MAIOR PRODUTIVIDADE PARA SUA LAVOURA, SEMENTES DE MILHO E SORGO PARA GRÃOS E SILAGEM. MAIOR PRODUTIVIDADE PARA SUA LAVOURA, SEMENTES DE MILHO E SORGO PARA GRÃOS E SILAGEM. SEMENTES BIOMATRI É SINAL VERDE PARA A PRODUTIVIDADE. Apresentamos nossa linha de produtos para a safra 2017/2018,

Leia mais

INSETICIDAS EM PULVERIZAÇÃO NO CONTROLE DO PULGÃO APHIS GOSSYPII (GLOVER, 1877) NO ALGODOEIRO INTRODUÇÃO

INSETICIDAS EM PULVERIZAÇÃO NO CONTROLE DO PULGÃO APHIS GOSSYPII (GLOVER, 1877) NO ALGODOEIRO INTRODUÇÃO Página 200 INSETICIDAS EM PULVERIZAÇÃO NO CONTROLE DO PULGÃO APHIS GOSSYPII (GLOVER, 1877) NO ALGODOEIRO Silvestre Bellettini 1 ; Nair M.T. Bellettini 1 ; Milton Nishimura 2 ; Rafael Bellettini 3 ; Marcio

Leia mais

PRAGAS DA CULTURA DO MILHO FORRAGEIRO

PRAGAS DA CULTURA DO MILHO FORRAGEIRO PRAGAS DA CULTURA DO MILHO FORRAGEIRO Paulo Afonso Viana 1 Vários fatores contribuem para reduzir a produtividade da cultura do milho. Entre eles, destacam-se os insetos-pragas. Para o milho forrageiro,

Leia mais

Feijões do Grupo Comercial Carioca

Feijões do Grupo Comercial Carioca 2013 Feijões do Grupo Comercial Carioca BRS Ametista A cultivar de feijão BRS Ametista se destaca por apresentar plantas e tipo comercial de grãos semelhantes aos da cultivar Pérola, mas com maior tolerância

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO CRIOULAS PARA A PRODUÇÃO DE SILAGEM NO MUNICÍPIO DE ARAQUARI - SC

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO CRIOULAS PARA A PRODUÇÃO DE SILAGEM NO MUNICÍPIO DE ARAQUARI - SC AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE MILHO CRIOULAS PARA A PRODUÇÃO DE SILAGEM NO MUNICÍPIO DE ARAQUARI - SC Modalidade: ( ) Ensino ( X ) Pesquisa ( ) Extensão Nível: (X) Médio ( ) Superior ( ) Pós-graduação Área:

Leia mais

Concurso de produtividade de silagem de milho na região Central de Minas Gerais - Safra 2009/2010

Concurso de produtividade de silagem de milho na região Central de Minas Gerais - Safra 2009/2010 Concurso de produtividade de silagem de milho na região Central de Minas Gerais - Safra 2009/2010 Walfrido, M. Albernaz 1 ; José C. Cruz 2 ; Israel. A. Pereira Filho 2, Walter, J. R. Matrangolo 2, Marcos

Leia mais

A CULTURA DO MILHO IRRIGADO

A CULTURA DO MILHO IRRIGADO A CULTURA DO MILHO IRRIGADO República Federativa do Brasil Fernando Henrique Cardoso Presidente Ministério da Agricultura e do Abastecimento Marcus Vinícius Pratini de Moraes Ministro Empresa Brasileira

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 108. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca.

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL INFORMATIVO Nº 108. Este informativo não representa o endosso da AMPASUL para nenhum produto ou marca. PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO DE 23 DE FEVEREIRO A 9 DE MARÇO DE 2015 INFORMATIVO Nº 108 1 Neste período foi realizada mais uma rodada de reuniões dos GTA (Grupo de Trabalho do

Leia mais

PRODUÇÃO DE MILHO SAFRINHA NOS ESTADOS DO MARANHÃO, PIAUÍ E TOCANTINS

PRODUÇÃO DE MILHO SAFRINHA NOS ESTADOS DO MARANHÃO, PIAUÍ E TOCANTINS PRODUÇÃO DE MILHO SAFRINHA NOS ESTADOS DO MARANHÃO, PIAUÍ E TOCANTINS Márcio A. Montechese (1) Introdução Os principais municípios produtores de milho safrinha do Maranhão são Balsas, Riachão, Tasso Fragoso,

Leia mais

Uso do Milho Bt no Manejo Integrado de Lepidópteros-praga: Recomendações de Uso

Uso do Milho Bt no Manejo Integrado de Lepidópteros-praga: Recomendações de Uso Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento 170 ISSN 0102-0099 Dezembro, 2009 Sete Lagoas, MG Uso do Milho Bt no Manejo Integrado de Lepidópteros-praga: Recomendações de Uso ¹ Simone Martins Mendes

Leia mais

CULTIVARES DE ALGODOEIRO HERBÁCEO RECOMENDADAS PARA OS CERRADOS DO MEIO- NORTE DO BRASIL

CULTIVARES DE ALGODOEIRO HERBÁCEO RECOMENDADAS PARA OS CERRADOS DO MEIO- NORTE DO BRASIL CULTIVARES DE ALGODOEIRO HERBÁCEO RECOMENDADAS PARA OS CERRADOS DO MEIO- NORTE DO BRASIL José Lopes Ribeiro (1), Eleusio Curvelo Freire 2), Francisco José Correia Farias 2), Francisco Pereira de Andrade

Leia mais

Resistência de Insetos a Inseticidas

Resistência de Insetos a Inseticidas XXXV Ciclo de Reuniões da CSM/PR 23/08/2016 Resistência de Insetos a Inseticidas Algodão Edson Hirose Embrapa Soja Milho Soja Por que os insetos pragas são tão difíceis de controlar? Plantas x Insetos

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Clima Temperado. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Clima Temperado. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. ISSN 1516-8840 Dezembro, 2011 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Clima Temperado Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documento 334 Manejo da Resistência de Spodoptera frugiperda

Leia mais

MANEJO DE PRAGAS DO MILHO Bt

MANEJO DE PRAGAS DO MILHO Bt MANEJO DE PRAGAS DO MILHO Bt Rodolfo Bianco Eng. Agr. Dr. / Entomologia Ocorrência e manejo de pragas do milho: Situação Percevejo Barriga Verde Antes (± 5 anos) População de até 3 4 por metro TS Suficiente

Leia mais

O produtor pergunta, a Embrapa responde

O produtor pergunta, a Embrapa responde Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Milho e Sorgo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento O produtor pergunta, a Embrapa responde José Carlos Cruz Paulo César Magalhães Israel

Leia mais

1.2. Situação da Cultura do Trigo no Brasil e no Mundo

1.2. Situação da Cultura do Trigo no Brasil e no Mundo 1.2. Situação da Cultura do Trigo no Brasil e no Mundo TRIGO BALANÇO MUNDIAL Ano Área Produção Consumo Consumo Estoque final (mil ha) (mil t) (mil t) per capta (mil t) (kg/hab/ano) 2007/08 217.102 612.708

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 171

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 171 Página 171 EFICIÊNCIA DOS INSETICIDAS TEFLUBENZURON E CLORFENAPIR NO CONTROLE DE LEPIDÓPTEROS NA CULTURA DO ALGODÃO 1 Ricardo de Andrade Silva* 1 ; Adilson Moraes Santos 2 e Sandra Cristina Vigo 3 1 Graduando

Leia mais

Orientações sobre o controle químico de doenças fúngicas para o milho

Orientações sobre o controle químico de doenças fúngicas para o milho INFORME TÉCNICO APROSOJA Nº 112/2016 09 de março de 2016 Orientações sobre o controle químico de doenças fúngicas para o milho Considerando o pleno desenvolvimento da Safra 2016 de milho, a Associação

Leia mais

Pragas da cultura da erva-mate. ERVA-MATE - Ilex paraguariensis St. Hil., Família Aquifolíaceae

Pragas da cultura da erva-mate. ERVA-MATE - Ilex paraguariensis St. Hil., Família Aquifolíaceae Pragas da cultura da erva-mate ERVA-MATE - Ilex paraguariensis St. Hil., Família Aquifolíaceae ÁREA DE OCORRÊNCIA NO BRASIL Mato Grosso do Sul,Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul IMPORTÂNCIA ECONÔMICA

Leia mais

Produção de sementes Espaçamento entre as linhas (cm)

Produção de sementes Espaçamento entre as linhas (cm) Adubação Verde ADUBAÇÃO VERDE O que é adubação verde Consiste no cultivo e na incorporação ao solo de plantas (principalmente as leguminosas) que contribuem para a melhoria das condições físicas, químicas

Leia mais

Estudo da Antixenose da Lagarta-do-Cartucho em Sorgo.

Estudo da Antixenose da Lagarta-do-Cartucho em Sorgo. Estudo da Antixenose da Lagarta-do-Cartucho em Sorgo. Michele Silva Rocha (1) ; Adriano Jorge Nunes dos Santos (2) ; Joao Paulo Dale Costa e Silva (3) ; Lorena de Oliveira Martins (4) ; Jose Avelino Santos

Leia mais

OS ASPECTOS IMPORTANTES DO PLANEJAMENTO E DO MANEJO DAS LAVOURAS COM O ALGODÃO-SOJA-MILHO TRANSGÊNICOS

OS ASPECTOS IMPORTANTES DO PLANEJAMENTO E DO MANEJO DAS LAVOURAS COM O ALGODÃO-SOJA-MILHO TRANSGÊNICOS OS ASPECTOS IMPORTANTES DO PLANEJAMENTO E DO MANEJO DAS LAVOURAS COM O ALGODÃO-SOJA-MILHO TRANSGÊNICOS Josué Grah - SLC Agricola - Coordenador de Planejamento e Pesquisa SLC AGRICOLA Quem somos? Safra

Leia mais

CONTROLE DA LAGARTA MILITAR (Spodoptera sp.)

CONTROLE DA LAGARTA MILITAR (Spodoptera sp.) CONTROLE DA LAGARTA MILITAR (Spodoptera sp.) Fabiano Victor Siqueri Engº. Agr. Pesquisador da área de Proteção de Plantas. fabiano.ata@fundacaomt.com.br Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato

Leia mais

KWS - Catálogo de Milho

KWS - Catálogo de Milho KWS - Catálogo de Milho 2015 1 KWS SAAT AG KWS SAAT AG é a quarta principal empresa de melhoramento de sementes do mundo. Há mais de 150 anos no mercado, ela está presente em mais de 70 países. O objetivo

Leia mais

Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul. Introdução

Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul. Introdução Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul Machado, J.R. de A. 1 ; Guimarães, L.J.M. 2 ; Guimarães, P.E.O. 2 ; Emygdio, B.M. 3 Introdução As variedades sintéticas

Leia mais

GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 1

GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 1 GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 1 CREDENZ é a Bayer inteira voltada para o seu negócio. Credenz é a marca de sementes da Bayer que já nasceu trazendo toda a credibilidade que a marca Bayer tem, e

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Efeito de Diferentes Princípios Ativos de Inseticidas em Tratamento de Sementes na Cultura do Milho Jhonatan Schlosser

Leia mais

BIOLOGIA E PREFERÊNCIA ALIMENTAR DE Spodoptera frugiperda (LEPIDOPTERA: NOCTUIDAE) EM DIFERENTES FONTES HOSPEDEIRAS

BIOLOGIA E PREFERÊNCIA ALIMENTAR DE Spodoptera frugiperda (LEPIDOPTERA: NOCTUIDAE) EM DIFERENTES FONTES HOSPEDEIRAS BIOLOGIA E PREFERÊNCIA ALIMENTAR DE Spodoptera frugiperda (LEPIDOPTERA: NOCTUIDAE) EM DIFERENTES FONTES HOSPEDEIRAS BIOLOGY AND PREFERENCE FOOD Spodoptera frugiperda (LEPIDOPTERA: NOCTUIDAE) IN DIFFERENT

Leia mais

Influência da Adubação Nitrogenada e do Ambiente na Produção de Grãos de Variedades de Milho

Influência da Adubação Nitrogenada e do Ambiente na Produção de Grãos de Variedades de Milho Influência da Adubação Nitrogenada e do Ambiente na Produção de Grãos de Variedades de Milho XXIV Congresso Nacional de Milho e Sorgo - 01 a 05 de setembro de 2002 - Florianópolis - SC José C. Cruz1, Israel

Leia mais

DANOS E NÍVEL DE DANO ECONÔMICO DO PERCEVEJO BARRIGA VERDE NA CULTURA DO MILHO DAMAGE AND ECONOMIC THRESHOLD OF THE STINK BUG ON CORN CROP

DANOS E NÍVEL DE DANO ECONÔMICO DO PERCEVEJO BARRIGA VERDE NA CULTURA DO MILHO DAMAGE AND ECONOMIC THRESHOLD OF THE STINK BUG ON CORN CROP http://dx.doi.org/10.18512/1980-6477/rbms.v14n3p291-299 DANOS E NÍVEL DE DANO ECONÔMICO DO PERCEVEJO BARRIGA VERDE NA CULTURA DO MILHO MARCELA MARCELINO DUARTE 1, CRÉBIO JOSÉ ÁVILA 2 e VIVIANE SANTOS 2

Leia mais

Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil. Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC

Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil. Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC Lançamento Soja marca Pioneer no Sul do Brasil Ricardo B. Zottis Ger. Produto RS/SC Agenda 1. Histórico Soja marca Pioneer 2. Pesquisa Soja Brasil 3. Qualidade das Sementes DuPont Pioneer 4. Cultivares

Leia mais

GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 2

GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 2 GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 2 CREDENZ é a Bayer inteira voltada para o seu negócio. Credenz é a marca de sementes da Bayer que já nasceu trazendo toda a credibilidade que a marca Bayer tem, e

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE CULTIVARES DE MILHO SAFRINHA NO MUNICÍPIO DE SINOP-MT

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE CULTIVARES DE MILHO SAFRINHA NO MUNICÍPIO DE SINOP-MT AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE CULTIVARES DE MILHO SAFRINHA NO MUNICÍPIO DE SINOP-MT Alexandre Ferreira da Silva (1), Miguel Marques Gontijo Neto (2), Flávio Dessaune Tardin (3) Eduardo Lopes Filimberti (4),

Leia mais

FÓRUM PERMANENTE DE MONITORAMENTO DE TEMPO E CLIMA PARA A AGRICULTURA NO RIO GRANDE DO SUL

FÓRUM PERMANENTE DE MONITORAMENTO DE TEMPO E CLIMA PARA A AGRICULTURA NO RIO GRANDE DO SUL FÓRUM PERMANENTE DE MONITORAMENTO DE TEMPO E CLIMA PARA A AGRICULTURA NO RIO GRANDE DO SUL XXV REUNIÃO TÉCNICA 17 de dezembro de 2002 O Fórum Permanente de Monitoramento de Tempo e Clima para a Agricultura

Leia mais

Influência da Safrinha na Eficiência de Produção do Milho no Brasil

Influência da Safrinha na Eficiência de Produção do Milho no Brasil XXX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO SALVADOR 5 DE AGOSTO DE 2014 Influência da Safrinha na Eficiência de Produção do Milho no Brasil Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico, Campinas (IAC) Influência

Leia mais

GUIA DE HÍBRIDOS SAFRINHA NORTE

GUIA DE HÍBRIDOS SAFRINHA NORTE GUIA DE HÍBRIDOS SAFRINHA NORTE ÍNDICE 1. 70 ANOS DA SEMENTES AGROCERES 2. BIOTECNOLOGIAS 3. MAPA DE REGIÕES CLIMÁTICAS 4. HÍBRIDOS DE MILHO 5. TRATAMENTO INDUSTRIAL DE SEMENTES 6. MANEJO DE PLANTAS DANINHAS

Leia mais