MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL"

Transcrição

1 N. o de Junho de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B Estabelecer que a Comissão é presidida pelo Ministro Adjunto do Primeiro-Ministro e tem a seguinte composição: a) Um representante da Presidência do Conselho de Ministros; b) Um representante do Ministro de Estado e da Defesa Nacional; c) Um representante do Ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades Portuguesas; d) Um representante do Ministro da Economia; e) Um representante do Ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas; f) Um representante do Ministro da Ciência e do Ensino Superior; g) Um representante do Ministro das Obras Públicas, Transportes e Habitação; h) Um representante do Ministro das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente. 6 Determinar que os membros da Comissão referidos no número anterior sejam designados por despacho conjunto do Primeiro-Ministro e do ministro respectivo. 7 Estabelecer que a Comissão integra ainda personalidades de reconhecido mérito, em número não superior a oito, a designar por despacho do Primeiro-Ministro. 8 Determinar que a coordenação dos trabalhos a desenvolver pela Comissão seja assegurada pelo representante da Presidência do Conselho de Ministros. 9 Determinar que a nomeação e a exoneração do coordenador referido no número anterior, que é equiparado a director-geral para efeitos remuneratórios, sejam efectuadas por despacho do Primeiro-Ministro. 10 Determinar que junto da Comissão funcione um conselho consultivo, que reunirá quando convocado pela Comissão, ao qual compete dar parecer sobre áreas sectoriais que relevem para o trabalho da Comissão, bem como sobre outras matérias que a Comissão entenda submeter à sua apreciação. 11 Estabelecer que o conselho consultivo, a que se refere o número anterior, é integrado pelas personalidades de reconhecido mérito que forem designadas por despacho do Primeiro-Ministro e pelos seguintes elementos: a) Um representante do Ministro da Educação; b) Um representante do Ministro da Cultura; c) Um representante do Governo Regional dos Açores; d) Um representante do Governo Regional da Madeira. 12 Determinar que os membros do conselho consultivo referidos nas alíneas a) e b) do número anterior sejam designados por despacho conjunto do Primeiro- -Ministro e do ministro respectivo e que os referidos nas alíneas c) e d) do mesmo número sejam designados por despacho do presidente do respectivo Governo Regional. 13 Permitir que a Comissão proceda à audição de quaisquer entidades públicas e privadas que entender convenientes à consecução dos seus objectivos. 14 Incumbir a Comissão de apresentar no prazo de 180 dias um relatório relativo à elaboração de uma estratégia sobre os assuntos do oceano. 15 Determinar que o apoio administrativo e logístico necessário ao funcionamento da Comissão seja assegurado pela Presidência do Conselho de Ministros. 16 Determinar que os encargos orçamentais decorrentes do previsto na presente resolução sejam suportados por verbas provenientes da Presidência do Conselho de Ministros. 17 Estabelecer que a Comissão cessa as suas funções até 30 de Junho de Determinar a produção de efeitos da presente resolução a partir da data da sua aprovação. 19 Extinguir a Comissão criada pela Resolução do Conselho de Ministros n. o 98/2000, de 2 de Agosto. Presidência do Conselho de Ministros, 27 de Maio de O Primeiro-Ministro, José Manuel Durão Barroso. MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL Portaria n. o 484/2003 de 17 de Junho O Decreto-Lei n. o 248/95, de 21 de Setembro, define a Polícia Marítima (PM) como uma força policial armada e uniformizada, competindo-lhe, designadamente, garantir e fiscalizar o cumprimento da lei nas áreas de jurisdição do sistema da autoridade marítima com vista a preservar a regularidade das actividades marítimas e a segurança e os direitos dos cidadãos. O artigo 40. o do Estatuto do Pessoal da Polícia Marítima (EPPM), aprovado pelo mesmo diploma, estabelece que o seu pessoal usa uniforme de talhe e composição a regulamentar por portaria do Ministro da Defesa Nacional. Dando cumprimento ao aludido preceito legal, importa, pois, proceder à aprovação do Regulamento de Uniformes, Fardamento e Equipamento do Pessoal da PM, por forma a dotar esta força policial de uniformes, fardamento e equipamento adequados à sua apresentação condigna e à eficaz actuação no cenário de emprego operacional caracterizado pelas condições de insalubridade e agressividade próprias do meio onde exerce a sua actividade. Foram observados os procedimentos decorrentes da Lei n. o 53/98, de 18 de Agosto. Assim, ao abrigo do disposto no artigo 40. o do EPPM, aprovado pelo Decreto-Lei n. o 248/95, de 21 de Setembro: Manda o Governo, pelo Ministro de Estado e da Defesa Nacional, o seguinte: 1. o É aprovado o Regulamento de Uniformes, Fardamento e Equipamento do Pessoal da Polícia Marítima, publicado em anexo à presente portaria, da qual faz parte integrante. 2. o São revogadas as Portarias n. os 650/71, de 27 de Novembro, 659/71, de 2 de Dezembro, e 395/76, de 2 de Julho. Pelo Ministro de Estado e da Defesa Nacional, Henrique José Praia da Rocha de Freitas, Secretário de Estado da Defesa e Antigos Combatentes, em 16 de Maio de 2003.

2 3536 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Junho de 2003 REGULAMENTO DE UNIFORMES, FARDAMENTO E EQUIPAMENTO DO PESSOAL DA POLÍCIA MARÍTIMA CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1. o Uso de uniformes 1 O pessoal da Polícia Marítima (PM) está obrigado ao uso de uniforme quando em serviço nas unidades, estabelecimentos e organismos daquela Polícia e nos actos de serviço no exterior daqueles. 2 O pessoal da PM está ainda obrigado à estrita observância das disposições constantes do presente Regulamento, não sendo permitido alterar os padrões e modelos dos artigos de uniforme. Artigo 2. o Modelos, designação, composição e dotações 1 Os modelos dos artigos de uniforme, fardamento, equipamento e distintivos do pessoal da PM constam do anexo I ao presente Regulamento, do qual faz parte integrante. 2 Os uniformes da PM, sua designação, composição e ocasiões de uso constam do anexo II ao presente Regulamento, do qual faz parte integrante. 3 As dotações dos artigos de uniforme constam do anexo III ao presente regulamento, do qual faz parte integrante. Artigo 3. o Grupos de artigos de uniforme 1 Designam-se por artigos de uniforme as peças de vestuário e outros artigos que, quando usados, definem, por simples observação visual, a organização a que pertencem os seus elementos e as respectivas categorias hierárquicas. 2 A PM tem os seguintes grupos de uniformes: a) Artigos do 1. o grupo fardamento e distintivos pertencentes aos seus elementos, cujo uso é obrigatório; b) Artigos do 2. o grupo pequeno equipamento pertencente ao Estado e a cargo dos elementos que o utilizam; c) Artigos do 3. o grupo equipamento ou distintivos pertencentes ao Estado e a cargo das unidades ou serviços. Artigo 4. o Propriedade dos artigos de fardamento 1 Os artigos a que se refere a alínea a) don. o 2 do artigo anterior podem obter-se nos organismos abastecedores da Marinha e no mercado. 2 Os artigos a que se refere a alínea b) don. o 2 do artigo anterior são distribuídos pelo Estado aos respectivos utilizadores, que ficam seus depositários enquanto estiverem na efectividade do serviço e mantiverem as categorias que ao seu uso dão direito. 3 Os artigos a que se refere a alínea c) don. o 2 do artigo anterior são: a) Pertença de cada unidade ou serviço, em cujas contas de material devem estar à carga; b) Distribuídos pelas unidades ou serviços, sempre que necessário, ao pessoal que for chamado a utilizá-los; c) Devolvidos às unidades ou serviços quando já não forem necessários ou quando os respectivos utilizadores mudem de situação. Artigo 5. o Identificação dos artigos de uniforme 1 Os artigos de uniforme são descritos por ordem alfabética, sendo integrados de acordo com os grupos referidos no artigo 3. o do presente Regulamento. 2 Os artigos de uniforme de uso comum e os específicos dos elementos do sexo masculino são identificados por um padrão numérico ou pela simples designação do artigo. 3 Os artigos de uniforme específicos dos elementos do sexo feminino são identificados pela simples designação do artigo ou por um padrão numérico seguido da letra «F» e, os destinados a grávidas, pelas letras «F-G». CAPÍTULO II Artigos do 1. o grupo Fardamento e distintivos SECÇÃO I Artigos de uso obrigatório SUBSECÇÃO I Fardamento de uso comum Artigo 6. o Blusão 1 O blusão, conforme figura n. o 1, é de tecido de poliéster-lã azul, de talhe folgado, e abotoa à frente, da esquerda para a direita, com uma ordem de quatro botões de massa pretos do padrão n. o 3, com carcela de 0,050 m de largura; a gola voltada e de talhe, que permite cruzar e abotoar, tem atrás 0,050 m de altura e dispõe de bandas com 0,120 m de largura. 2 No peito, de cada lado, tem uma algibeira exterior de 0,140 m de altura por 0,120 m de largura, com macho central de 0,040 m de largura; por cima de cada algibeira, a uma distância de 0,010 m, existe uma portinhola de duplo recorte terminada em bico, com a altura de 0,060 m ao centro e 0,050 m nos extremos; nesta portinhola está aberta uma casa para abotoar num botão de metal do padrão n. o 7, pregado sobre o macho da algibeira. 3 Tem um cinto de 0,050 m de largura, que é parte integrante do blusão e abotoa à frente por dentro, com dois botões de massa pretos do padrão n. o 3. 4 Os punhos são direitos, de 0,050 m de largura, e abotoam com um botão de massa preto do padrão n. o 4. 5 Nos ombros, tem platinas fixas com 0,040 m de largura, que abotoam junto à gola com botões iguais aos da algibeira e que servem para enfiar as passadeiras. 6 O blusão azul do padrão F abotoa à frente da direita para a esquerda.

3 N. o de Junho de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3537 Artigo 7. o Blusão de nylon 1 O blusão de nylon, conforme figura n. o 2,éde material respirável, azul escuro, com tratamento de repelência à água, enchimento em poliéster e forrado em tecido de nylon; tem costuras verticais de fixação do enchimento, gola de pelo sintético amovível através de fecho de correr sob carcela e outra fixa, reforçada, do mesmo tecido do resto do blusão, tipo corta-vento, punhos de malha e platinas nos ombros com fecho de mola no cós; lateralmente, e de cada lado, tem ajuste através de presilha com velcro; à frente, tem fecho de correr sob carcela e abotoa com botões de mola, sendo o primeiro no cós e mais três equidistantes; tem dois bolsos interiores com acesso oblíquo e, interiormente, do lado esquerdo, um de chapa, fechando todos com velcro. 2 O blusão de nylon do padrão F abotoa à frente da direita para a esquerda. Artigo 8. o Boné O boné, conforme figura n. o 3, é de tecido azul climatizado, tendo à frente as armas da PM envolvidas pela inscrição «Polícia Marítima», bordados a ouro; a estrela tem 0,050 m de diâmetro. Artigo 9. o Botas 1 As botas, conforme figura n. o 4, são de pele de bezerro de cor preta, sem enfeites ou presilhas, têm biqueiras, gáspeas, folhas de cano (duas por bota) e taloeiras, estas últimas cobrindo reforços ou contrafortes, dispõem de rastos de borracha antiderrapante e são resistentes aos hidrocarbonetos e à água do mar. 2 Cada bota está provida de dois grampos, um de cada lado do cano, à altura dos artelhos, para fixação de um polainito, e aperta sobre paleta por meio de atacador preto a trabalhar em oito pares de furos com ilhós que orlam, à frente, as duas folhas do cano; a paleta prolonga a gáspea para cima até ao nível do quinto daqueles pares de furos a contar de baixo e, porque os seus lados são cosidos às faces internas das orlas perfuradas das folhas do cano, forma com estas folhas e com a taloeira uma cobertura contínua em volta do tornozelo e do peito do pé. Artigo 10. o Botas de cano 1 As botas de cano, conforme figura n. o 5, são de carneira de cor preta, têm solas de borracha cujos rastos apresentam sulcos radiais, tanto nos saltos como nas plantas dos pés, medindo 0,300 m na sua máxima altura, entre os rastos e os topos superiores dos respectivos canos. 2 Cada cano é formado por quatro folhas quase rectangulares, ao alto, unidas umas às outras pelos rebordos maiores, e todas elas à gáspea e ou à taloeira, pelos rebordos que lhes servem de base, através de costuras com sobreposição susceptíveis de garantirem a continuidade e a estanqueidade do conjunto; o seu aperto, com uma dobra que a configuração e o posicionamento das quatro folhas facilitam, é conseguido do lado exterior da perna por intermédio de duas presilhas fixadas por ilhós à folha que cobre o peito do pé e de duas fivelas fixadas, por sua vez, pela costura desse mesmo lado da tira que se sobrepõe à união, a meio e atrás, das duas folhas laterais do cano; apertado, assemelha-se a uma superfície cilíndrica com 0,300 m de perímetro no topo superior; desapertado, adquire o aspecto de uma superfície tronco-cónica abrindo para cima. Artigo 11. o Botas de lona 1 As botas de lona, conforme figura n. o 6, são constituídas por material de lona azul, borracha e espuma. 2 Componentes de lona: a) Taloeira ou talão; b) Folhas do cano (duas por bota), cada uma com cinco ilhós, onde passa um atacador azul, de algodão entrançado, com agulhas metálicas nas pontas; a folha interior tem mais dois ilhós, junto à base, para ventilação; c) Paleta. 3 Componentes de borracha: a) Revirão, que fixa o rasto ao corpo da bota; b) Rasto, com sulcos. 4 Componente de espuma palmilha, colocada interiormente ao rasto. Artigo 12. o Botões de massa 1 Os botões de massa, conforme figura n. o 7, brancos, pretos, cinzentos e azuis, são redondos e lisos, embora com rebordo saliente, e têm no centro quatro orifícios para fixação. 2 Dos botões referidos no número anterior existem, para cada cor, os seguintes padrões: a) N. o 1, com 0,028 m de diâmetro; b) N. o 2, com 0,025 m de diâmetro; c) N. o 3, com 0,020 m de diâmetro; d) N. o 4, com 0,015 m de diâmetro; e) N. o 5, com 0,010 m de diâmetro. Artigo 13. o Botões de metal 1 Os botões de metal dos padrões n. os 6 e 7, conforme figura n. o 8, são dourados, redondos, de face posterior plana e lisa, no centro da qual se encontra ligado rigidamente um pequeno aro de arame para fixação e de face anterior em forma de calote esférica onde, em relevo e de fora para dentro, se observam um debrum circular a toda a volta, imitando um cabo, um vivo também circular que apoia interiormente todo o debrum e, por último, duas palmas uma de loureiro e outra de carvalho, rodeando uma âncora.

4 3538 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Junho de Aos padrões referidos no número anterior correspondem, respectivamente, os seguintes diâmetros: a) N. o 6, com 0,022 m; b) N. o 7, com 0,015 m. Artigo 14. o Botões de punho 1 Os botões de punho, conforme figura n. o 9, são de metal dourado com aplicações de madrepérola branca. 2 O botão propriamente dito é de metal redondo e plano, com um pequeno rebordo de secção rectangular a toda a volta, duas hastes em «U» e travinca com mola que trabalha no meio destas; a aplicação que enche a caixa criada pelo rebordo do botão é de madrepérola branca e tem no centro, marcado por filete metálico também da cor do ouro, o contorno de um ferro tipo almirantado circundado por uma estrela de seis pontas. 3 Têm as seguintes dimensões: a) Botão, com o diâmetro exterior de 0,020 m, espessura total de 0,003 m, altura do rebordo de 0,015 m, largura do rebordo de 0,002 m, altura do ferro de 0,010 m e distância entre as unhas do ferro de 0,006 m; a estrela tem de diâmetro 0,013 m; b) Haste em «U», com o comprimento total de 0,020 m; c) Travinca, com o comprimento total de 0,018 m. Artigo 15. o Calças 1 As calças azuis, conforme figura n. o 10, são de tecido de algodão azul, têm três pares de bolsos e braguilha, esta com cinco botões de massa azuis do padrão n. o 4, cós com sete passadeiras de 0,055 m de altura e dois dispositivos simples para ajuste transversal das calças. 2 Os bolsos, um de cada lado, estão posicionados da seguinte forma: a) Laterais superiores pegados ao cós e interiores, do tipo convencional; acessos através de rasgos de 0,200 m, inclinados de 5 o para a frente, que os põem em comunicação com o exterior; o rasgo do bolso esquerdo é provido de um fecho de correr que abre para baixo; b) Laterais inferiores a meio das coxas, exteriores e centrados nas costuras laterais do lado de fora das pernas, com 0,240 m de largura por 0,210 m de altura e têm fole; fechados por portinholas direitas de 0,080 m com botões de pressão azuis nos extremos livres (dois por bolso), admitindo cada bolso duas amplitudes de fecho; c) Traseiros a 0,060 m abaixo do cós e interiores; acessos através de rasgos de 0,150 m, horizontais, que os põem em comunicação com o exterior; têm portinholas direitas de 0,060 m, fechadas a meio por botões de pressão azuis (um por bolso). 3 Os dispositivos de ajustamento são dois: a) Ao nível da cinta, entre os bolsos traseiros e o cós constituídos por duas presilhas saindo das costuras laterais e trabalhando em fivelas metálicas escuras; b) Ao nível dos tornozelos constituídos por dois cordões azuis que trabalham nas bainhas lisas das calças. Artigo 16. o Calças de nylon As calças de nylon, conforme figura n. o 11, são de material respirável azul, com tratamento de repelência à água, enchimento em poliéster e forrado em tecido de nylon, com costuras verticais de fixação do enchimento; são subidas acima do cós, de forma a proteger a zona dos rins e abdómen, com alças de material elástico cosidas atrás; à frente tem braguilha e fecho de correr sob carcela; ao longo da perna, do lado exterior, desde a anca até à orla inferior, tem um fecho de correr sob carcela abotoando nesta orla, com fecho de mola; na frente de cada perna e atrás do lado direito tem um bolso de chapa. Artigo 17. o Calções 1 Os calções, conforme figura n. o 12, são de tecido poliéster-algodão azul, têm dois pares de bolsos e braguilha, esta com três botões de massa azuis do padrão n. o 4, e o seu cós, com sete passadeiras, mede 0,055 m de altura; dois dispositivos simples permitem ajustar transversalmente os calções. 2 Os bolsos, um de cada lado, estão posicionados da seguinte forma: a) Laterais superiores pegados ao cós e interiores, do tipo convencional; acessos através de rasgos de 0,200 m, inclinados de 30 o para a frente, que os põem em comunicação com o exterior; o rasgo do bolso esquerdo é provido de um fecho de correr que abre para baixo; b) Laterais inferiores a meio das coxas, exteriores e centrados nas costuras laterais do lado de fora das pernas, com 0,240 m de largura por 0,210 m de altura e têm fole; fecham-nos portinholas direitas de 0,080 m com botões de pressão azuis nos extremos livres (dois por bolso), admitindo cada bolso duas amplitudes de fecho; 3 Os dispositivos de ajustamento, posicionados ao nível da coxa, são constituídos por duas presilhas saindo das costuras laterais, esquerda e direita, trabalhando em fivelas metálicas escuras. Artigo 18. o Calções de ginástica Os calções de ginástica, conforme figura n. o 13, são de tecido de algodão branco sarjado, têm fitas de galão tecido com fio de azul brilhante com 0,010 m de largura, cosidas ao longo das costuras laterais exteriores das pernas e o seu ajustamento à cintura é feito por meio de uma bainha com elástico. Artigo 19. o Camisa do padrão n. o 1 1 A camisa do padrão n. o 1, conforme figura n. o 14, é de popelina de algodão-poliéster de cor azul, aberta

5 N. o de Junho de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3539 à frente e com carcela; tem colarinho de cós, mangas compridas com punhos simples, passadeiras sob platinas fixas nos ombros e, de cada lado do peito, uma portinhola terminada em bico, por cima de uma algibeira exterior com macho central. 2 Esta camisa possui 13 botões de massa cinzentos do padrão n. o 4 dois nos ombros junto ao colarinho, onde abotoam os extremos soltos das platinas, dois nos machos das algibeiras, onde abotoam as respectivas portinholas, sete à frente, onde abotoa a carcela da esquerda para a direita, e, finalmente, dois nos punhos. 3 O colarinho, as platinas, a carcela, as portinholas e os punhos são pespontados e a fixação da portinhola direita é parcialmente aberta junto ao seu extremo esquerdo, fornecendo um suporte para canetas. 4 As dimensões são as seguintes: a) Colarinho com altura atrás de 0,035 m e altura nos bicos de 0,065 m; b) Platinas com largura de 0,040 m; c) Carcela com largura de 0,030 m; d) Portinholas com altura ao centro de 0,060 m, altura nos extremos de 0,040 m e abertura para canetas de 0,030 m; e) Algibeiras com largura de 0,130 m, altura de 0,150 m e largura dos machos de 0,025 m; f) Punhos com altura de 0,060 m. 5 A camisa do padrão n. o 1-F difere da descrita nos números anteriores na forma de abotoar à frente que, neste caso, é da direita para a esquerda e nas costas que tem duas pinças, sendo ligeiramente cintada. Artigo 20. o Camisa do padrão n. o 2 1 A camisa do padrão n. o 2, conforme figura n. o 15, é de cor azul ou branca, utilizando botões cinzentos ou brancos, respectivamente, e difere da descrita no artigo anterior nas mangas que, neste caso, são curtas e terminam 0,025 m acima das curvas dos cotovelos, formando como que uma prega de bordo superior pespontado, com 0,035 m de altura; tem colarinho de cós com pesponto pegado para usar aberto a formar bandas e sem gravata. 2 A camisa do padrão n. o 2-F difere na forma de abotoar à frente que, neste caso, é da direita para a esquerda, e tem duas pinças de ajuste nas costas, sendo ligeiramente cintada. Artigo 21. o Camisola de algodão A camisola, conforme figura n. o 16, é de algodão azul ou branco, tipo T-shirt, com mangas de um quarto e decote redondo, aquelas e este debruados com malha mais elástica do mesmo algodão; têm fitas de galão do padrão n. o 2, cosidas ao longo do exterior das mangas; no peito, do lado esquerdo, leva estampadas as armas da PM e nas costas, em duas linhas, a inscrição «Polícia Marítima». Artigo 22. o Camisola de malha 1 A camisola, conforme figura n. o 17, é de malha canelada de lã azul, de mangas compridas, mais apertada nos canhões das mangas e no cós da cintura; tem decote redondo com rebordo largo, deixando aparecer parte do colarinho da camisaeonódagravata. 2 Aplicadas sobre a camisola descrita no número anterior e feitas de tecido azul não elástico, completam-na nos ombros duas ombreiras e duas platinas fixas onde vestem as passadeiras; as ombreiras, que descem igualmente à frente e atrás até meio das cavas das mangas, suportam as platinas cujos extremos soltos se prendem junto à gola por intermédio de fitas de velcro; na face externa da manga esquerda, na zona correspondente ao braço, tem um bolso estreito com costura vertical a meio; tem cotoveleiras de reforço, inseridas na costura da manga e arrematadas com pontos direitos e duplos. 3 As costuras de ligação do corpo, da gola e das mangas são arrematadas por dentro, sem perda de elasticidade, com as seguintes dimensões: a) Debrum da gola com altura de 0,035 m; b) Canhões das mangas com altura de 0,070 m; c) Cós da cintura com altura de 0,070 m; d) Platinas com largura de 0,040 m; e) Ombreiras com largura de 0,120 m; f) Bolso com altura de 0,150 m e largura de 0,040 m; g) Cotoveleiras com altura de 0,250 m e largura de 0,100 m. Artigo 23. o Camisola de gola alta A camisola de gola alta, conforme figura n. o 18, é em tudo idêntica à descrita no artigo anterior, excepto na gola, que é reforçada e tem de altura 0,060 m a 0,080 m, de forma a cobrir parcialmente o pescoço. Artigo 24. o Camisola sem mangas 1 A camisola sem mangas, conforme figura n. o 19, é confeccionada em malha de lã azul, sem platinas e sem mangas, com decote em bico. 2 Destina-se a ser usada com jaquetão, casaco ou blusão. Artigo 25. o Cinto de precinta O cinto, conforme figura n. o 20, é de precinta de algodão azul ou branco, com 0,030 m de largura, rematado nos dois extremos por caixas de latão oxidadas de cor azul ou cromadas; a fivela de latão, com as mesmas características das caixas, exibe as armas da PM. Artigo 26. o Dólman 1 O dólman, conforme figura n. o 21, é de tecido de algodão azul, com talhe amplo, costura vertical a meio das costas a unir dois panos de corte direito, pespontos de 0,010 m, gola, platinas, bolsos, mangas ajustáveis e dispositivos para outros ajustamentos ao corpo; aberto a meio da frente, fecha-o um sistema duplo de fecho de correr e oito botões de massa azuis do padrão n. o 3 a trabalharem com e a coberto de três carcelas de 0,050 m, sobrepostas, o primeiro entre o pescoço e a cinta e os segundos a toda a altura do dólman. 2 A gola, redonda e em feitio de rebuço, mede 0,050 m de altura.

6 3540 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Junho de As platinas, nos ombros, têm de largo 0,040 m, sendo as extremidades junto às mangas cosidas às costuras de ligação destas às cavas e, nas outras extremidades, possuem casas que abotoam junto à gola em botões de massa azuis do padrão n. o 3. 4 Os bolsos, todos nos quartos dianteiros, situam-se à esquerda e direita da abertura do dólman e ao nível do peito e abaixo da linha da cinta: a) À esquerda e ao nível do peito três bolsos sobrepostos, um interior, cosido de chapa e em toda a sua periferia à face interna do dólman, acessível pelo lado de fora através de rasgo vertical, de 0,120 m, com fecho de correr; dois exteriores, o primeiro, rectangular, de 0,200 m de largura por 0,210 m de altura, dispondo de fole e portinhola direita, de 0,080 m, que o fecha, numa das duas amplitudes de fecho possíveis, por intermédio de botões de pressão situados nos seus cantos livres, e o segundo, um bolso simples e liso, também rectangular, de 0,090 m de largura por 0,110 m de altura; b) À direita e ao nível do peito dois bolsos sobrepostos, um interior e outro exterior, este último análogo ao exterior referido em primeiro lugar na alínea precedente; o bolso interior simples e liso, aberto em cima, é fechado com uma presilha que abotoa num botão de massa azul do padrão n. o 4; c) Abaixo da linha da cinta, tanto à esquerda como à direita um bolso quadrado de 0,170 m de lado e com portinhola de 0,080 m, inclinado 20 o para trás em relação à horizontal e em tudo o resto semelhante aos exteriores descritos na alínea a). 5 As mangas são abertas 0,220 m ao longo da costura longitudinal anterior a partir da origem da orla, cujos cantos podem ligar-se por um botão de massa azul do padrão n. o 4 à respectiva casa; a boca de cada manga é ajustável ao braço por uma presilha trabalhando em fivela metálica escura. 6 Para o seu ajuste abaixo da cinta, o dólman dispõe de cada lado, a 0,100 m da respectiva orla inferior, de uma presilha horizontal com casa e de dois botões de massa azul do padrão n. o 3, a 0,050 m um do outro, onde a presilha abotoa actuando paralelamente à referida orla. Artigo 27. o Fato de treino 1 O fato de treino, conforme figura n. o 22,éde tecido de algodão-poliéster azul e composto por um blusão e um par de calças largas e sem braguilha, ambos com as costuras exteriores revestidas por faixas de 0,050 m de largura, onde se alternam fitas brancas e azuis dispostas longitudinalmente. 2 O blusão, com gola, cós e punhos de malha canelada a conferir-lhes a conveniente elasticidade, é liso, tanto no peito como nas costas, e aberto à frente, regulando essa abertura um fecho de correr que actua de fora a fora entre a orla superior da gola e a orla inferior do cós; leva do lado esquerdo do peito um emblema de tecido branco exibindo as armas da PM; nas costas tem, em duas linhas, a inscrição «Polícia Marítima». 3 As calças têm, atrás e à direita, um bolso interior acessível pelo lado de fora através de um rasgo horizontal com fecho de correr. Artigo 28. o Gabardina 1 A gabardina, conforme figura n. o 23, é confeccionada em fazenda-poliéster impermeabilizada e em cor azul. 2 As frentes cruzam-se de modo a cobrir as bandas do jaquetão ou casaco e dispõem de duas ordens de botões de cor azul de formato grande, distanciadas 0,110 m a 0,130 m; os botões são distanciados entre si de 0,130 m a 0,150 m, conforme a altura do utilizador. 3 As bandas têm a largura de 0,090 m a 0,150 m, de harmonia com a estatura do utilizador. 4 Na frente existem dois bolsos metidos de 0,160 m de largura, com portinholas de 0,065 m de altura. 5 As costas são atravessadas na altura por costura vertical interrompida por uma abertura de 0,350 m a contar da orla; a abertura abotoa interiormente por meio de um botão de formato pequeno. 6 Sobre a cintura tem um cinto de 0,050 m de largura, pregado de ilharga a ilharga de forma a ajustar levemente. 7 A gola é do tipo dois tombos. 8 As mangas, sem punhos, têm um botão de formato pequeno junto à costura posterior, pregado a 0,050 m da orla. 9 Nos ombros existem dois passadores para colocação de platinas rígidas. 10 O comprimento da gabardina deve ser tal que a orla inferior fique uma mão travessa abaixo do joelho. 11 Para os elementos do sexo masculino a gabardina abotoa à direita; para os do sexo feminino abotoa à esquerda. Artigo 29. o Gravata 1 A gravata, conforme figura n. o 24, é de cor preta, de tecido de seda lisa, de talhe próprio para ser usada com nó de correr. 2 A gravata tem as seguintes dimensões: a) Comprimento 1,420 m; b) Largura nos extremos máxima de 0,080 m e mínima de 0,040 m; c) Largura, a meio 0,027 m. Artigo 30. o Luvas 1 As luvas, conforme figura n. o 25, são de fio de escócia branco ou de pelica castanha e abotoam, ao nível dos pulsos, sobre as faces internas destes, respectivamente, com botões de massa brancos ou castanhos do padrão n. o 4, um em cada luva. 2 Para os elementos do sexo feminino as luvas de pelica são de cor preta, com botões da mesma cor. Artigo 31. o Meias de ginástica As meias de ginástica, conforme figura n. o 26, são de malha de algodão de cor azul ou branca, têm canos e canhões com 0,300 m e 0,070 m de altura, respectivamente, e dispõem de reforços nos calcanhares.

7 N. o de Junho de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3541 Artigo 32. o Passadeiras 1 As passadeiras, conforme figura n. o 27, são de tecido de lã azul, consistentes, de forma tubular espalmada, próprias para serem enfiadas nas platinas fixas existentes em certos artigos de uniforme; são guarnecidas, de acordo com o previsto neste Regulamento, com os distintivos das categorias. 2 Têm de largura 0,060 m e de comprimento 0,100 m. Artigo 33. o Passa-montanhas O passa-montanhas, conforme figura n. o 28, é de malha de lã azul e de modelo próprio para proteger toda a cabeça, com abertura para a face. Artigo 34. o Peúgas As peúgas, conforme figura n. o 29, são de malha de algodão branco ou preto, lisas e sem enfeites. Artigo 35. o Platinas 1 As platinas, conforme figura n. o 30, são rígidas, de folha metálica forrada com tecido azul, transversal e ligeiramente arqueada e boleados os ângulos do respectivo contorno; a configuração de cada uma delas deriva de um rectângulo pelo corte dos dois cantos do lado menor, que se destina a ficar mais próximo do pescoço, por forma a retirar-lhes dois triângulos isósceles de bases iguais ao troço restante do mesmo lado. 2 A face superior de cada platina tem, a meia largura e a curta distância do lado referido no final do número anterior, um botão metálico do padrão n. o 7 e exibe, de acordo com o estabelecido neste Regulamento, os distintivos das categorias; a fixação de cada platina é feita por intermédio de dispositivo próprio montado na sua face inferior. 3 Têm as seguintes dimensões: a) Rectângulo inicial com 0,130 m de comprimento e 0,060 m de largura; b) Triângulos retirados, de lados iguais de 0,018 m; c) Botão, cujo centro dista do lado mais próximo do pescoço de 0,015 m. Artigo 36. o Pólo do padrão n. o 1 O pólo do padrão n. o 1, conforme figura n. o 31, é de malha de algodão piqué, de cor azul, com manga, colarinho e ombros reforçados; ajusta ao punho por tecido da mesma malha elástico, levando nas costas, em duas linhas, a inscrição «Polícia Marítima»; leva no peito, do lado direito, uma platina para receber uma passadeira e, do lado esquerdo, estampado, o crachá da PM; na manga direita leva fitas de velcro para afixação do distintivo do comando. Artigo 37. o Pólo do padrão n. o 2 O pólo do padrão n. o 2, conforme figura n. o 32, difere do descrito no artigo anterior nas mangas, que, neste caso, são curtas e terminam cerca de 0,025 m acima da curva dos cotovelos, formando uma bainha pespontada com 0,025 m de largura, ajustando ao braço por tecido da mesma malha elástico, conforme figura n. o 32; na manga direita leva fitas de velcro para afixação do distintivo do comando. Artigo 38. o Sapatos de ginástica Os sapatos de ginástica, conforme figura n. o 33, são de lona, reforçada nos calcanhares e nas zonas de fixação dos ilhós para aperto, com tratamento de repelência à água, de cor azul ou branca; têm biqueiras de borracha e rastos de borracha antiderrapante; cada sapato dispõe, ainda, de um reforço de borracha canelada que cobre a toda a volta a ligação do respectivo rasto às demais partes constituintes, e aperta à frente, sobre pala, com atacadores azuis ou brancos trabalhando em quatro pares de furos, com ilhós de latão cromado que orlam os dois lados do rasgo central e longitudinal, susceptível de estender até à biqueira a abertura por onde entra o pé. Artigo 39. o Tranqueta 1 A tranqueta para gravata, conforme figura n. o 34, é constituída por dois braços curvados, um sobre o outro, e abertura para o lado esquerdo fazendo mola; tem 0,060 m de comprimento e 0,005 m de largura; a meio do braço visível existe uma miniatura metálica com 0,018 m de diâmetro, com as armas da PM. 2 A tranqueta do padrão F difere da descrita no número anterior, na forma de abertura que, neste caso, é para o lado direito. SUBSECÇÃO II Fardamento específico dos elementos do sexo masculino Artigo 40. o Boné de pala do padrão n. o 1 1 O boné de pala do padrão n. o 1, conforme figura n. o 35, é de tecido branco, com copa, quartos, cinta, emblema e galão que o suporta, francalete e pala. 2 A copa, quase circular, tem de raio mais 0,035 m do que a cinta, excepto à frente, onde aquela diferença se situa entre 0,050 m e 0,055 m para garantir completo apoio ao emblema que se lhe encosta; é esticada por meio de um arco de verga. 3 Os quartos de 0,050 m de altura, dispostos dois de cada lado do plano longitudinal do boné, são cosidos superiormente à copa, inferiormente à cinta e, lateralmente, uns aos outros, a formarem como que uma superfície tronco-cónica. 4 A cinta tem 0,040 m de altura e, a toda a volta, a 0,008 m da orla inferior, um vivo de lã azul; interiormente é forrada com uma tira de carneira. 5 O emblema com 0,070 m de diâmetro, conforme figura n. o 36, é constituído por uma estrela de seis pontas

8 3542 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Junho de 2003 com 0,022 m de diâmetro, tendo no seu interior uma âncora com 0,018 m de altura, tudo dentro de uma elipse de 0,035 m de altura por 0,025 m de largura, formada por duas serrilhas, rodeada por um silvado de loureiro e carvalho, encimada pelo escudo nacional, assente sobre uma esfera armilar com 0,020 m de diâmetro, tudo bordado a ouro, excepto o fundo do escudo que é a prata; o emblema é fixado à costura que fecha à frente num galão de seda preta fosca, de cordões longitudinais e iguais, com 0,030 m de largura que assenta sobre a cinta acima do vivo. 6 O francalete é constituído por dois cordões de ouro com 0,004 m de diâmetro cada, em requife de fieira torcido e dobrado, com duas pinhas de correr servindo de passadeiras e outras duas rematando as voltas que formam as casas; estas casas abotoam em dois botões metálicos do padrão n. o 7, pregados na cinta do boné, um de cada lado da pala, junto dos respectivos cantos, nas posições diametralmente opostas que a figura permite identificar. 7 A pala, centrada no plano longitudinal do boné, é de cabedal, arredondada, curva e inclinada 30 o para baixo da orla inferior da cinta, nascendo nos extremos do diâmetro transversal desta última e salientando-se para a frente por forma a que o seu desenvolvimento máximo nesse sentido seja de 0,065 m; a face inferior da pala é forrada a verde e a face superior tem um debrum de polimento preto, com 0,005 m de largura, e é forrada com tecido de lã azul exibindo, exteriormente, dois sutaches dourados. 8 Destina-se a ser utilizado pelos inspectores. Artigo 41. o Boné de pala do padrão n. o 2 1 O boné de pala do padrão n. o 2 é idêntico ao descrito no artigo anterior, alterando a pala que tem apenas um sutache dourado, conforme figura n. o Destina-se a ser utilizado pelos subinspectores e chefes. Artigo 42. o Boné de pala do padrão n. o 3 1 O boné de pala do padrão n. o 3 é idêntico ao descrito no artigo anterior, alterando a pala que é de polimento preto e o francalete que é de cordão de seda preta com 0,005 m de diâmetro, conforme figura n. o Destina-se a ser utilizado pelos subchefes. Artigo 43. o Boné de pala do padrão n. o 4 1 O boné de pala do padrão n. o 4 é idêntico ao descrito no artigo anterior, alterando o emblema que não tem silvado a rodeá-lo, conforme figura n. o Destina-se a ser utilizado pelos agentes. Artigo 44. o Calças do padrão n. o 1 As calças do padrão n. o 1, conforme figura n. o 40, são de tecido de lã azul elasticotine direitas ou de tecido de poliéster-algodão branco e, além de pregas e braguilha, têm de cada lado, junto à costura lateral, uma algibeira interior cuja abertura de acesso se confunde com essa mesma costura; o cós tem 0,040 m de altura e sete passadeiras para cinto e, do lado direito, atrás, uma algibeira interior com abertura horizontal, a meio de cujo bordo exterior existe uma casa que abotoa num botão de massa preto do padrão n. o 4; a largura das orlas inferiores das pernas situa-se entre 0,230 m e 0,280 m. Artigo 45. o Calças do padrão n. o 2 As calças do padrão n. o 2, conforme figura n. o 41, são de tecido de poliéster-lã azul e, além de pregas e braguilha, têm de cada lado, na folha da frente, uma algibeira cuja abertura, inclinada 30 o para diante, se estende da costura lateral e exterior da perna até ao cós, e, na folha de trás, outra algibeira interior mas com abertura horizontal de 0,150 m coberta por portinhola de duplo recorte terminada em bico, com alturas de 0,060 m a meio e de 0,050 m nos extremos e com casa central, vizinha desse bico, onde abotoa um botão de massa preto do padrão n. o 4; o cós, com sete passadeiras para cinto, tem 0,040 m de altura; nas pernas, a largura das orlas inferiores situa-se entre 0,230 m e 0,280 m. Artigo 46. o Calções de banho Os calções de banho, conforme figura n. o 42, são de sarja de poliamida azul, têm, interiormente, trousses de malha e o seu ajustamento à cintura é feito por meio de bainha elástica reforçada por cordão de seda. Artigo 47. o Camisa branca do padrão n. o 1 A camisa branca do padrão n. o 1 é de popelina de algodão-poliéster, idêntica à descrita no artigo 19. o, com excepção dos botões que são de massa brancos. Artigo 48. o Camisa do padrão n. o 3 A camisa do padrão n. o 3, conforme figura n. o 43, é de popelina de algodão-poliéster branco; é aberta à frente e sem carcela; tem colarinho pespontado com 0,020 m a 0,040 m que a remata em torno do pescoço, mangas compridas e punhos simples de duas casas, de 0,060 m de altura; fecha à frente com seis botões de massa brancos do padrão n. o 5; o aperto dos punhos é feito com botões de punho. Artigo 49. o Capa de boné A capa de boné de pala, conforme figura n. o 44, é de tecido de poliéster-algodão branco; o seu talhe e dimensões devem permitir vestir o boné com folga mínima indispensável à respectiva colocação, ficando completamente esticada, sob o galão suporte do emblema, por acção da cinta e em torno da copa por acção do aro de verga desta. Artigo 50. o Dólman do padrão n. o 1 O dólman do padrão n. o 1, conforme figura n. o 45, é de tecido de poliéster-algodão branco; abotoa à frente

9 N. o de Junho de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3543 e ao meio com cinco botões de metal do padrão n. o 6, destacáveis, sendo a distância à gola de 0,025 m e ao bordo inferior do cinto de 0,025 m, encontrando-se os restantes equidistantes destes; tem gola direita, entretelada, com a altura de 0,030 m a 0,060 m e cantos levemente arredondados unindo-se formando um «V» suave, fechando com colchetes no interior; é levemente cintado e ligeiramente comprido para cobrir as ancas; nos ombros têm duas passadeiras fixas para colocação de platinas rígidas; as mangas têm canhões com a altura de 0,075 m. Artigo 51. o Jaquetão do padrão n. o 1 1 O jaquetão do padrão n. o 1, conforme figura n. o 46, é de tecido de lã azul elasticone, assertoado, levemente cintado, suficientemente comprido para cobrir as ancas e forrado com cetim preto; tem gola voltada, com bandas, mangas fechadas e duas portinholas lisas e rectangulares, uma de cada lado, ao nível dos botões mais baixos que cobrem as aberturas para o exterior, horizontais, de outras tantas algibeiras interiores; nas costas possui três costuras, uma a meio, rectilínea e a toda a altura, e as outras duas, nos quartos traseiros, mais afastadas da primeira que as laterais dos mesmos quartos, nascendo nas cavas esquerda e direita entre essas costuras laterais e as longitudinais posteriores das mangas correspondentes e, descendo, convergindo um pouco até à cinta e daí para baixo, tornando-se não só paralelas à costura do meio como ainda abertas nos extremos inferiores. 2 O jaquetão possui à frente oito botões metálicos do padrão n. o 6, fixos, que constituem duas ordens de quatro, ligeiramente divergentes para cima, abotoando somente os três botões inferiores do lado direito. 3 O jaquetão tem as seguintes dimensões: a) Bandas de 0,100 m a 0,120 m; b) Abotoadura (jaquetão abotoado) com distância entre botões inferiores das duas ordens de 0,100 m a 0,120 m, distância dos botões à bainha inferior do jaquetão de 0,240 m e distância entre botões da mesma ordem de 0,075 m a 0,095 m; c) Portinholas com altura de 0,050 m; d) Algibeiras com largura de 0,130 m a 0,150 m; e) Aberturas (nas costas) com altura de 0,200 m. 4 Destina-se a ser utilizado pelos inspectores, subinspectores, chefes e subchefes. Artigo 52. o Jaquetão do padrão n. o 2 1 O jaquetão do padrão n. o 2, conforme figura n. o 47, é idêntico ao descrito no artigo anterior, excepto na folha exterior de cada manga que, neste caso, possui botões metálicos do padrão n. o 7, colocados a 0,040 m e 0,075 m da respectiva bainha, chegados à costura longitudinal posterior e cosidos paralelamente a esta. 2 Destina-se a ser utilizado pelos agentes. Artigo 53. o Sapatos 1 Os sapatos, conforme figura n. o 48, são de calfe, de cor branca ou preta ou de verniz preto, sem enfeites e com costuras nos calcanhares reforçadas com tiras exteriores; têm biqueiras, solas de couro e saltos de borracha; cada sapato aperta à frente sobre pala, com atacador branco ou preto, consoante a cor do sapato, trabalhando em cinco pares de furos que orlam os dois lados do rasgo central e longitudinal que constitui a abertura por onde entra o pé e que é susceptível de se estender até quase à biqueira. 2 Os sapatos de verniz preto destinam-se a ser usados, exclusivamente, por inspectores, subinspectores, chefes e subchefes. SUBSECÇÃO III Fardamento específico dos elementos do sexo feminino Artigo 54. o Blusa do padrão F-G 1 A blusa do padrão F-G, conforme figura n. o 49, é de tecido de poliéster-lã azul, de talhe folgado e aberta à frente, com carcela de 0,035 m de largura, com colarinho de cós com pesponto pegado, mangas compridas com punhos simples, platinas fixas nos ombros, onde vestem passadeiras; as costuras laterais têm uma abertura de 0,080 m e do cabeção da camisa saem ainda duas pregas. 2 A blusa possui 11 botões de massa cinzentos do padrão n. o 5; 2 nos ombros, junto ao colarinho, onde abotoam os extremos soltos das platinas, 7 à frente, onde abotoa a carcela, e 2 nos punhos. 3 As platinas, a carcela, e os punhos são pespontados. 4 A blusa tem as seguintes dimensões: a) Colarinho com a altura atrás de 0,035 m e altura nos bicos de 0,065 m; b) Platinas com largura de 0,040 m; c) Carcela com largura de 0,030 m; d) Punhos com altura de 0,060 m. 5 A blusa é utilizada em substituição do blusão a que se refere o artigo 6. o Artigo 55. o Boné do padrão n. o 1-F 1 O boné do padrão n. o 1-F, conforme figura n. o 50, é de tecido feltro azul, forrado a cetim branco, com uma tira de carneira; tem copa elíptica branca, abas viradas com rebordo, emblema e francalete de cordão dourado. 2 O emblema com 0,070 m de diâmetro é constituído por uma estrela de seis pontas com 0,022 m de diâmetro, tendo no seu interior uma âncora com 0,018 m de altura, tudo dentro de uma elipse de 0,035 m de altura por 0,025 m de largura, formada por duas serrilhas, rodeada por um silvado de loureiro e carvalho, encimada pelo escudo nacional, assente sobre uma esfera armilar com 0,020 m de diâmetro, tudo bordado a ouro, excepto o fundo do escudo que é a prata; o emblema é fixado à costura que fecha à frente num galão de seda preta, fosca, de cordões longitudinais e iguais, que assenta no limite inferior da virola; na parte superior do galão de seda é cosida uma tira de sutache de ouro, em serrilha, com 0,010 m de largura.

10 3544 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Junho de O francalete é constituído por dois cordões dourados, com 0,004 m de diâmetro, em requife de fieira torcido e dobrado, com duas pinhas de correr servindo de passadeiras e outras duas rematando as voltas que formam as casas; estas casas abotoam em dois botões metálicos do padrão n. o 7 pregados na cinta do boné, um de cada lado da aba. 4 A aba centrada no plano longitudinal do boné é arredondada e ligeiramente inclinada para baixo da orla inferior. 5 O boné tem as seguintes dimensões: a) Aba com largura de 0,050 m; b) Tira de carneira com largura de 0,035 m; c) Galão de seda com largura de 0,035 m; d) Copa com altura de 0,080 m. 6 Destina-se a ser utilizado pelos inspectores. Artigo 56. o Boné do padrão n. o 2-F 1 O boné do padrão n. o 2-F é idêntico ao descrito no artigo anterior, alterando a parte superior do galão de seda que tem uma tira de sutache dourado, em serrilha, com 0,005 m, conforme figura n. o Destina-se a ser utilizado pelos subinspectores e chefes. Artigo 57. o Boné do padrão n. o 3-F 1 O boné do padrão n. o 3-F é igual ao descrito no artigo anterior, excepto na parte superior do galão de seda que não tem sutache, conforme figura n. o 52, e o francalete que é de cordão de seda preta. 2 Destina-se a ser utilizado pelos subchefes. Artigo 58. o Boné do padrão n. o 4-F 1 O boné do padrão n. o 4-F é idêntico ao descrito no artigo anterior, diferindo deste no emblema que não tem silvado a rodeá-lo, conforme figura n. o Destina-se a ser utilizado pelos agentes. Artigo 59. o Botas altas As botas altas, conforme figura n. o 54, são de calfe preto, com meio salto e fecho do lado interior; medem cerca 0,300 m na sua altura máxima entre os rastos e o topo superior do respectivo cano. Artigo 60. o Calças do padrão n. o 1-F 1 As calças do padrão n. o 1-F, conforme figura n. o 55, são de tecido de lã azul elasticotine ou de tecido de poliéster-algodão branco. 2 Possuem braguilha frontal com fecho de correr de 0,180 m sob carcela. 3 A frente está provida de uma prega de 0,040 m de profundidade e dois bolsos metidos de 0,160 m de comprimento, inclinados, com profundidade de 0,270 m e rematados por dois vivos de 0,005 m de largura. 4 A parte de trás está provida de duas pinças de ajuste com 0,075 m de comprimento, coincidindo o centro da direita com o centro de implantação de um bolso metido, de 0,095 m de comprimento, com profundidade de 0,015 m e avivado por dois vivos de 0,005 m de largura. 5 Possui cós de 0,035 m de altura, pespontado em ambas as faces e provido de cinco passadores de 0,013 m de largura e 0,060 m de comprimento; é abotoado ao centro por casa e botão de massa preta do padrão n. o 4. 6 A largura inferior da calça varia entre 0,230 m e 0,280 m. Artigo 61. o Calças do padrão n. o 2-F 1 As calças do padrão n. o 2-F, conforme figura n. o 56, são de tecido poliéster-lã azul, sem pestana e direitas, tendo de cada lado e na folha da frente uma algibeira interior, começando a parte inferior da abertura na costura lateral; a abertura tem uma inclinação de mais ou menos 30 o, o cós tem sete passadores, a partir do qual saem duas pinças atrás e duas pregas de cada lado e à frente, fechando com um fecho de correr sob uma carcela com a largura de 0,020 m. 2 O cós tem 0,040 m de altura e aperta com um botão de massa preta do padrão n. o 4. 3 A largura inferior da calça varia entre 0,230 m e 0,280 m. Artigo 62. o Calças do padrão n. o 1-F-G 1 As calças do padrão n. o 1-F-G, conforme figura n. o 57, são de lã azul elasticotine ou em tecido poliéster-algodão branco. 2 Possuem alçapão frontal com cós de 0,035 m de altura, no qual corre um cordão de algodão-poliéster para ajustamento. 3 A parte de trás está provida de duas pinças de ajuste com 0,075 m de comprimento, coincidindo o centro da direita com o centro de implantação de um bolso metido de 0,095 m de comprimento, com a profundidade de 0,015 m e avivado por dois vivos de 0,005 m de largura. 4 Possui ainda alçapão traseiro com cós de 0,035 m de largura, rematado por duas tiras de elástico preto de 0,020 m de largura, sendo uma das secções caseada para ajuste, com 0,125 m de comprimento; a segunda secção de elástico possui o comprimento de 0,190 m, na qual está pregado um botão para ajuste; os vincos são pespontados a 0,002 m da margem. Artigo 63. o Calças do padrão n. o 2-F-G 1 As calças do padrão n. o 2-F-G, conforme figura n. o 58, são de tecido poliéster-lã azul, tipo alçapão, com um cós atrás, donde saiem quatro pinças, duas de cada lado; outro cós à frente donde partem oito pregas, quatro de cada lado.

11 N. o de Junho de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B O sistema do fecho da calça é feito através de uma fita autocolante branca com uma fita de elástico caseada numa das extremidades que aperta num botão de massa branco do padrão n. o 4. 3 O cós tem 0,040 m. 4 A largura inferior da calça varia entre 0,230 m e 0,280 m. Artigo 64. o Camisa do padrão n. o 1-F-G 1 A camisa do padrão n. o 1-F-G, conforme figura n. o 59, é de popelina de algodão-poliéster azul, aberta à frente e com carcela, com colarinho de cós com pesponto pegado, mangas compridas, punhos simples e platinas fixas nos ombros, onde vestem passadeiras quando usada a descoberto. 2 A camisa tem na frente e nas costas uma prega de cada lado com 0,120 m de profundidade. 3 Esta camisa possui 11 botões de massa cinzentos do padrão n. o 5, sendo 2 nos ombros junto ao colarinho, onde abotoam os extremos soltos das platinas, 7 à frente, onde abotoa a carcela, e 2 nos punhos. 4 As platinas, a carcela e os punhos são pespontados. 5 A camisa tem as seguintes dimensões: a) Colarinho: Altura atrás 0,035 m; Altura nos bicos 0,065 m; b) Platinas com largura de 0,040 m; c) Carcela com largura de 0,030 m; d) Punho com altura de 0,060 m. Artigo 65. o Camisa do padrão n. o 2-F-G 1 A camisa azul do padrão n. o 2-F-G, conforme figura n. o 60, é de popelina-poliéster azul, aberta à frente e com carcela e tem colarinho de cós com pesponto pegado; é usada com colarinho aberto e sem gravata e tem mangas curtas que terminam cerca de 0,025 m acima das curvas dos cotovelos, formando como que uma prega de bordo superior pespontado com 0,035 m de altura; platinas fixas nos ombros, onde vestem passadeiras quando usada a descoberto. 2 A camisa tem, ainda, na frente e nas costas uma prega de cada lado com 0,120 m de profundidade. 3 Esta camisa possui oito botões de massa cinzentos do padrão n. o 5; dois nos ombros junto ao colarinho, onde abotoam os extremos soltos das platinas, e seis à frente, onde abotoa a carcela. 4 As platinas e a carcela são pespontadas. 5 A camisa tem as seguintes dimensões: a) Colarinho: Altura atrás 0,035 m; Altura nos bicos 0,065 m; b) Platinas com largura de 0,040 m; c) Carcela com largura de 0,030 m. Artigo 66. o Camisa branca do padrão n. o 1-F 1 A camisa branca do padrão n. o 1-F, conforme figura n. o 61, é de popelina de algodão-poliéster; possui mangas de martelo, de cujo ângulo de cava partem os cortes de ajustamento frontais e traseiros. 2 A gola tem entretela ligeira, de terminais arredondados, está montada sobre um pé de gola com 0,040 m de altura no centro-costas e 0,035 m no centro-frente, onde está implantada a primeira casa de abotoamento, e possui a altura total de 0,075 m. 3 A frente tem um bolso metido, ao nível do peito e do lado esquerdo, com 0,090 m de comprimento e 0,140 m de profundidade, avivado por dois vivos de 0,005 m de largura. 4 O abotoamento é feito por seis casas de 0,013 m de altura colocadas no sentido vertical e botões de massa branca do padrão n. o 5, colocados à distância de 0,080 m. 5 A manga possui um punho de 0,055 m de altura, abotoado por casa e botão do padrão n. o 5, e com uma abertura de 0,115 m, rematada por tira, cujo ângulo centraléde90 o ; o ajustamento da manga ao punho é efectuado por quatro pregas ligeiras, com cerca de 0,012 m de profundidade. 6 Sobre o ombro estão colocadas as platinas, com 0,012 m de comprimento por 0,040 m de largura, cujo centro termina em bico, onde são abotoadas à camisa por casa e botão de massa branca do padrão n. o 5; as extremidades destas são fixadas à camisa por dois pespontos. Artigo 67. o Camisa branca do padrão n. o 1-F-G A camisa branca do padrão n. o 1-F-G é idêntica à descrita no artigo anterior, diferindo apenas nas partes laterais onde existem pregas de 0,120 m de profundidade, partindo do vértice do ângulo da cava para alargar em função da gravidez. Artigo 68. o Capa de boné do padrão F A capa de boné do padrão F, conforme figura n. o 62, é de tecido poliéster-algodão branco, com talhe e dimensão que permita vestir o boné e com a folga mínima indispensável à respectiva colocação, ficando completamente esticada sob o galão que suporta o emblema. Artigo 69. o Carteira 1 A carteira do padrão F, conforme figura n. o 63, é de verniz preto, forrada, com pala ovalada, tendo fixado no interior um pequeno espelho. 2 Tem as seguintes dimensões: a) Altura da carteira 0,230 m; b) Altura da pala 0,100 m; c) Largura da carteira 0,120 m; d) Comprimento do espelho 0,120 m; e) Altura do espelho 0,055 m.

12 3546 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Junho de 2003 Artigo 70. o Casaco do padrão n. o 1-F 1 O casaco do padrão n. o 1-F, conforme figura n. o 64, é de tecido de lã azul elasticotine, levemente cintado, com uma altura que permita cobrir ligeiramente a anca e forrado de cetim preto; tem gola voltada com bandas de largura entre 0,100 m e 0,110 m. A frente está provida de dois bolsos metidos com largura entre 0,130 m e 0,150 m colocados ao nível dos botões inferiores e cobertos com palas direitas de 0,050 m de altura. Possui ainda à frente duas costuras, uma de cada lado, de abertura que partem da cava e terminam na bainha permitindo o seu ajustamento e duas pinças que têm o seu início na parte superior das palas das algibeiras e vão até à zona do peito; nas costas exibe três costuras, uma ao meio e a toda a altura e as outras duas nos quartos traseiros que nascem nas cavas e descem até à bainha do casaco. 2 O casaco é assertoado com oito botões metálicos do padrão n. o 6, que constituem duas ordens de quatro, ligeiramente divergentes, abotoando somente os três botões inferiores do lado esquerdo; quando abotoados, os botões das duas ordens ficam distanciados de 0,100 m a 0,120 m; a distância entre botões consecutivos da mesma ordem é de 0,070 m a 0,090 m, sendo a distância aproximada dos botões inferiores à bainha do casaco de 0,240 m. 3 Destina-se a ser utilizado pelos inspectores, subinspectores, chefes e subchefes. Artigo 71. o Casaco do padrão n. o 2-F 1 O casaco do padrão n. o 2-F, conforme figura n. o 65, é idêntico ao descrito no artigo anterior, excepto na folha interior de cada manga que, neste caso, tem dois botões metálicos do padrão n. o 7, a 0,040 m e 0,075 m da respectiva bainha, chegados à costura longitudinal posterior e cosidos paralelamente a esta. 2 Destina-se a ser utilizado pelos agentes. Artigo 72. o Casacos dos padrões n. os 1-F-G e 2-F-G Os casacos dos padrões n. os 1-F-G e 2-F-G são idênticos aos descritos nos artigos 70. o e 71. o, respectivamente, diferindo destes nas partes laterais, onde existem duas pregas com 0,140 m de fundura, partindo do vértice do ângulo da cava, sendo este ligeiramente arredondado, para alargar em função da evolução da gravidez. Artigo 73. o Casaco do padrão n. o 3-F 1 O casaco do padrão n. o 3-F, conforme figura n. o 66, é de tecido de poliéster-algodão branco, levemente cintado com um altura que cubra ligeiramente a anca; tem duas algibeiras interiores, direitas, com portinhola, começando a sua abertura junto à costura do meio quarto da frente; abotoa com quatro botões metálicos do padrão n. o 6, destacáveis. 2 A gola é do tipo paletó com dois passadores nos ombros para colocar as platinas rígidas e mangas terminando com um canhão onde são fixados dois botões de punho do padrão n. o 7, também destacáveis, guarnecendo as suas folhas exteriores próximo das respectivas costuras longitudinais posteriores, de um e outro lado do vivo do canhão. 3 Tem as seguintes dimensões: a) Algibeiras com a largura de 0,140 m a 0,160 m e altura de 0,180 m a 0,200 m; b) Canhão das mangas com a altura de 0,075 m; c) Gola com a largura da banda de 0,070 m a 0,080 m e altura atrás de 0,035 m a 0,045 m; d) Abotoadura com a distância aproximada do botão inferior à bainha inferior de 0,240 m e distância entre botões consecutivos de 0,060 m a 0,080 m. Artigo 74. o Casaco do padrão n. o 3-F-G O casaco do padrão n. o 3-F-G é idêntico ao descrito no artigo anterior, diferindo apenas na costura do meio quarto da frente, possuindo por dentro 0,080 m a 0,100 m de tecido para alargar em função da gravidez. Artigo 75. o Fato de banho O fato de banho, conforme figura n. o 67, é de tecido poliamida-elastano, cor azul, tipo desportivo com alças cruzadas nas costas. Artigo 76. o Mala 1 A mala, conforme figura n. o 68, é de calfe liso, branco ou preto, forrada, com dois bolsos interiores, pala em bico e pega de tiracolo regulável. 2 Tem as seguintes dimensões: a) Altura 0,180 m; b) Altura da pala 0,100 m; c) Largura 0,250 m. Artigo 77. o Meias As meias, conforme figura n. o 69, são de «vidro», de cor bege, lisas, de feitio corrente. Artigo 78. o Saias 1 As saias, conforme figura n. o 70, são de tecido poliéster-algodão branco ou poliéster-lã azul, direitas, com o comprimento até ligeiramente abaixo do joelho, cintura justa e sete passadores no cós, a partir do qual saem um par de pinças à frente e atrás; tem, ainda, uma pinça atrás, cosida até cerca de três quartos da altura da saia, fechando do lado esquerdo com um fecho de correr e dois colchetes de cós.

13 N. o de Junho de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B A saia branca é forrada a sergelim branco e a azul é forrada a tecido de alpaca preta. 3 O cós tem 0,040 m de altura. Artigo 79. o Sapatos do padrão F 1 Os sapatos do padrão F, conforme figura n. o 71, são de calfe liso, branco ou preto ou de verniz preto, com biqueiras, ligeiramente abertos, costuras dos calcanhares sem tiras de reforço; têm solas, palmilhas e saltos de couro natural e são forrados em carneira. 2 Os saltos têm 0,025 m de altura. 3 Os sapatos de verniz destinam-se a ser usados pelos inspectores, subsinspectores, chefes e subchefes. Artigo 80. o Vestido pré-natal O vestido pré-natal, conforme figura n. o 72, é de tecido de poliéster-lã azul, tem platinas, decote e cavas debruadas; à frente leva encaixe e macho; é forrado com tecido de alpaca preta. SECÇÃO II Artigos facultativos Artigo 81. o Fixador de calças 1 O fixador de calças à bota de cano, conforme figura n. o 73, é um cordão de elástico azul com um gancho de aço inoxidável em cada um dos seus extremos, a possibilitar fácil encaixe um no outro. 2 O cordão a que se refere o número anterior, entrançando a 12 cabos individualmente revestidos de poliéster, tem 0,0045 m de diâmetro e 0,200 m de comprimento, sem tensão. Artigo 82. o Impermeável 1 O impermeável, conforme figura n. o 74, é de tecido de cor azul, fino, leve e impermeável, não cintado e de costuras encostadas com pespontos de 0,005 m; tem gola, convencional com pontas e leva escapulário sem costuras; tem mangas em cristo, fechadas e lisas; tem forro de rede na zona do dorso, facilitando a ventilação conseguida através das fendas que estabelece tanto no peito como nas costas; abotoa à frente sem assertoar e, ainda, à frente, ao nível da cinta e de cada lado, dispõe de dois bolsos interiores abertos por dentro, para acesso ao uniforme que estiver por baixo, e acessíveis de fora através de rasgos ao alto, inclinados e com pestanas; atrás e a meio, uma costura vertical, com pesponto sobreposto, desce do escapulário e termina numa abertura, também vertical e de lados também sobrepostos, que se prolonga cerca de 0,300 m até à orla inferior do impermeável e que tem, a meio, um botão e uma presilha; em cada ombro, uma passadeira e um botão facultam o uso da platina de ida e volta, que, uma vez no seu lugar, deve ter o extremo que abotoa, ou seja, o mais próximo da gola, a 0,010 m desta; leva estampado o crachá do lado esquerdo, no peito. 2 Para além dos três botões mencionados no número anterior, que são de massa, azuis e do padrão n. o 4, o impermeável possui seis do mesmo material e da mesma cor, dois ainda do padrão n. o 4 e quatro do padrão n. o 2, que constituem a sua abotoadura, situada à frente e a meio numa sequência vertical, em cujos início e fim se encontram os dois botões do padrão n. o 4 e, entre eles, os quatro do padrão n. o 2; de cima para baixo, o primeiro, ao nível da gola, único a descoberto depois de abotoado, abotoa em casa comum à orla esquerda do impermeável e à respectiva carcela, numa zona em que as duas se mantêm unidas e se confundem; do segundo ao quinto, inclusive, abotoam na carcela e o sexto e último, embora também encoberto quando abotoado, abotoa em presilha. 3 O impermeável, no interior, tem uma bolsa com fecho de correr, presa à costura que fixa o escapulário e que permite a recolha do conjunto, devidamente dobrado. 4 O impermeável tem as seguintes dimensões: a) Gola com o comprimento de pontas de 0,080 m; b) Platinas com a largura de 0,040 m; c) Abotoadura frontal com a largura de carcela de 0,050 m; d) Bolsos com a altura de 0,180 m e largura das pestanas de 0,040 m; e) Mangas com o perímetro das orlas de 0,340 m a 0,180 m; f) Bolsa com a altura de 0,180 m e largura de 0,270 m. SECÇÃO III Distintivos SUBSECÇÃO I Disposições comuns Artigo 83. o Finalidade e designação 1 Os distintivos destinam-se a diferenciar as categorias, bem como a identificar habilitações ou o exercício de determinadas funções do pessoal da PM. 2 Designam-se genericamente por «galões» os distintivos das categorias de inspector, subinspector e chefe e por «divisas» os distintivos das categorias de subchefe e agente. Artigo 84. o Armas da PM 1 As armas da PM, conforme figura n. o 75, são constituídas por uma âncora circundada por uma estrela de seis pontas, ambas douradas. 2 São colocadas, em regra, à frente do lado esquerdo, sobre o peito.

14 3548 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Junho de Nas peças de vestuário em que as armas da PM forem aplicáveis por estampagem, são de cor azul ou branca, consoante o fundo do artigo de forma a criar contraste, sendo aplicadas à frente do lado esquerdo, sobre o peito; têm 0,060 m de diâmetro. Artigo 85. o Crachá 1 O crachá, conforme figura n. o 76, é composto por um escudo nacional numa esfera armilar sobre duas âncoras cruzadas, bordeladas por dois círculos com o interior em esmalte azul escuro, com a inscrição «POLÍ- CIA MARÍTIMA», tudo sobre uma estrela de seis pontas em metal, de forma côncava; têm 0,060 m de diâmetro. 2 O crachá é dourado para os inspectores, subinspectores e chefes e prateado para os subchefes e agentes. 3 É usado, em regra, à frente do lado esquerdo, sobre o peito, fixado através de alfinete com mola ou aposto em presilha para colocação no botão do bolso. 4 Nas peças de vestuário, em que for aplicável por estampagem, o crachá é azul ou branco, consoante o fundo do artigo de forma a criar contraste. SUBSECÇÃO II Distintivos das categorias Artigo 86. o Inspector 1 O distintivo da categoria de inspector, conforme figura n. o 77, é constituído por três galões dourados, com 0,010 m de largura e 0,040 m de comprimento, separados entre si de 0,003 m, encimados por uma âncora, rodeada por duas palmas de carvalho e azinho e uma estrela de seis pontas, tudo em fio de ouro, bordado sobre tecido azul. 2 Os galões colocados nas mangas das peças de vestuário têm a mesma largura e o comprimento vai de costura a costura, sendo separados entre si por 0,005 m. 3 A âncora tem 0,010 m na haste, 0,013 m de unha a unha e 0,020 m de comprimento, sendo as palmas de 0,040 m de largura e de 0,030 m de altura extrema. 4 A estrela, com 0,015 m de diâmetro, fica distanciada da âncora de 0,007 m. Artigo 87. o Subinspector O distintivo da categoria de subinspector, conforme figura n. o 78, é idêntico ao descrito no artigo anterior, diferindo deste no número de galões, que tem apenas dois. Artigo 88. o Chefe O distintivo da categoria de chefe, conforme figura n. o 79, é idêntico ao descrito no artigo anterior, diferindo deste no número de galões, que tem apenas um. Artigo 89. o Subchefe 1 O distintivo da categoria de subchefe, conforme figura n. o 80, é constituído por uma âncora, rodeada por duas palmas de carvalho e azinho separadas na base por 0,020 m, com 0,050 m de largura e 0,040 m de altura extrema, e por uma estrela de seis pontas a encimá-la, tudo em fio de ouro, bordado sobre tecido azul. 2 A âncora tem 0,013 m na haste, 0,016 m de unha a unha e 0,025 m de comprimento. 3 A estrela tem 0,015 m de diâmetro e fica distanciada da âncora de 0,035 m. Artigo 90. o Agente de 1. a classe 1 O distintivo da categoria de agente de 1. a classe, conforme figura n. o 81, é constituído por quatro divisas douradas separadas entre si de 0,002 m, encimadas por uma âncora e por uma estrela de seis pontas, tudo em fio de ouro, bordado sobre tecido azul; a divisa, é constituída por dois ramos com 0,028 m de comprimento e 0,005 m de largura, formando um ângulo de 120 o entre si. 2 A âncora tem 0,013 m na haste, 0,016 m de unha a unha e 0,025 m de comprimento. 3 A estrela, com 0,015 m de diâmetro, fica distanciada da âncora de 0,007 m. Artigo 91. o Agente de 2. a classe O distintivo da categoria de agente de 2. a classe, conforme figura n. o 82, é idêntico ao descrito no artigo anterior, diferindo deste apenas no número de divisas, que tem apenas três. Artigo 92. o Agente de 3. a classe O distintivo da categoria de agente de 3. a classe, conforme figura n. o 83, é idêntico ao descrito no artigo anterior, diferindo deste apenas no número de divisas, que tem apenas duas. Artigo 93. o Agente estagiário O distintivo da categoria de agente estagiário, conforme figura n. o 84, é idêntico ao descrito no artigo anterior, diferindo deste no número de divisas, que tem apenas uma. Artigo 94. o Uso e colocação dos distintivos 1 Os distintivos das categorias são usados nas passadeiras, nas platinas ou nas mangas dos uniformes, sendo, em princípio, exibidos simultaneamente nos dois lados das peças de fardamento.

15 N. o de Junho de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B Nas categorias de inspector, subinspector e chefe os distintivos são colocados: a) Nas passadeiras, ficando a estrela a 0,003 m da orla superior e o primeiro galão a 0,005 m da orla inferior; b) Nas platinas, ficando a estrela a 0,016 m do botão e o primeiro galão a 0,012 m da orla inferior. 3 Nas categorias de subchefe e agente os distintivos são colocados: a) Nas passadeiras, ficando a estrela a 0,003 m da orla superior e a extremidade da primeira divisa a 0,005 m da orla inferior; b) Nas platinas, ficando a estrela a 0,016 m do botão. 4 No jaquetão e nos casacos dos padrões n. os 1-F e 2-F os distintivos são colocados: a) Nas categorias de inspector, subinspector, chefe e subchefe: na orla das mangas a 0,060 m destas, conforme figuras n. os 85, 86, 87 e 88, medidos a partir do primeiro galão ou da base das palmas; b) Nas categorias de agente: nas mangas, a 0,060 m dos ombros, conforme figuras n. os 89, 90, 91 e 92, medidos a partir da estrela. 5 No dólman e no casaco do padrão n. o 3-F os distintivos são colocados nos ombros através de platinas, conforme figuras n. os 93, 94, 95, 96, 97, 98, 99 e 100. SUBSECÇÃO III Outros distintivos Artigo 95. o Identificação pessoal 1 A placa de identificação pessoal, conforme figura n. o 101, é rectangular, de plástico preto, com 0,080 m de comprimento e 0,020 m de altura, levando na face posterior, um alfinete de fixação e, na face anterior, gravado a branco, em letras maiúsculas de 0,006 m, o nome e apelido. 2 A placa de identificação pessoal é de uso obrigatório, do lado direito do peito, em todos os uniformes excepto nos de cerimónia. Artigo 96. o Cursos O pessoal da PM que tenha frequentado com aproveitamento cursos em estabelecimentos militares ou civis, nacionais ou estrangeiros, assinaláveis por distintivos não previstos no presente Regulamento, mas cujas características não contrariem os critérios nele estabelecidos, poderão usá-los nos jaquetões, casacos, dólmanes e camisas dos uniformes de cerimónia, do lado direito do peito, até um máximo de três, com prioridade para os de especialização, desde que o requeiram e lhes seja autorizado pelo comandante-geral. Artigo 97. o Comando 1 O distintivo do comando, conforme figura n. o 102, é um escudo composto pelas armas da PM, enquadradas pela inscrição «POLÍCIA MARÍTIMA» e o nome do respectivo comando. 2 As armas da PM, a inscrição, a designação do comando, bem como a orla do escudo são dourados. Artigo 98. o «POLÍCIA MARÍTIMA» As peças de vestuário onde for aplicável, nas costas, levam estampada a inscrição «POLÍCIA MARÍTIMA», centrada, em duas linhas horizontais, sendo a primeira palavra inscrita a 0,120 m do cós da gola e afastada da segunda por 0,020 m, tendo as letras um tamanho proporcional a 0,040 m de altura. CAPÍTULO III Artigos do 2. o grupo Pequeno equipamento Artigo 99. o Cadeado O cadeado para o saco de viagem, conforme figura n. o 103, é de latão tipo yalle com duas chaves. Artigo 100. o Saco de viagem 1 O saco de viagem, conforme figura n. o 104, é de lona de algodão azul ferrete, paralelepipédico e tem 0,800 m de comprimento e 0,350 m de diâmetro. 2 O fundo do saco é de paredes duplas havendo entre elas, para reforço, diversas folhas de lona; tem cinco pernos exteriores para assentamento, um em cada canto e um ao centro. 3 Nas faces laterais de topo existem, respectivamente de cada lado, uma moldura com janela de material transparente para colocação de um cartão de identificação e uma pequena pega. 4 Na boca do saco há uma bainha a todo o comprimento, fechando aquela com fecho de correr nos dois sentidos e cadeado; possui duas pegas laterais fixas, uma central amovível, com ombreira em borracha antideslizante; tem ainda dois bolsos laterais a toda a largura, só de um lado, como mostra a figura. CAPÍTULO IV Artigos do 3. o grupo Equipamento e distintivos Artigo 101. o Apito O apito é de metal cromado e do modelo exibido na figura n. o 105.

16 3550 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Junho de 2003 Artigo 102. o Bastão O bastão e a respectiva bainha, conforme figura n. o 106, têm as seguintes características: a) O bastão é constituído por uma barra cilíndrica de borracha forrada a cabedal de cor preta, com 0,520 m de comprimento e 0,025 m de espessura; no topo apresenta um casquilho de metal cromado a rematar; a 0,120 m da base do casquilho, leva uma cinta de metal de onde sai um fiel de couro dobrado com 0,250 m de comprimento. b) A bainha é de consistência rígida, em tecido de cordura de nylon ou de cabedal de cor preta, com 0,150 m de comprimento e 0,045 m de largura; suspende ao cinturão através de uma alça e tem uma passadeira e braçadeira com botão de pressão para fixar o bastão. Artigo 103. o Botas de água As botas de água, conforme figura n. o 107, são de borracha vulcanizada e forradas por dentro com malha de algodão; as suas solas são antiderrapantes e os seus canos, em altura, não devem ultrapassar o nível dos joelhos. Artigo 104. o Braçal 1 O braçal, conforme figura n. o 108, é confeccionado em tecido de nylon, de cor azul, e leva afixado, com fitas de velcro, o distintivo do comando a que se refere o artigo 97. o 2 O escudo tem 0,100 m de altura e 0,080 m de largura; a estrela nele centrada tem 0,050 m de diâmetro. 3 O painel do escudo é destacável, sob o qual existe uma bolsa porta canetas. 4 É usado na manga direita, preso à platina, ajustando-se ao braço por fitas de velcro. 5 Nos polos é substituído pelo distintivo do comando. Artigo 105. o Capacete 1 O capacete, conforme figura n. o 109, é de modelo corrente, tipo construção civil, de cor branca. 2 Leva estampadas à frente as armas da PM, em cor azul, envolvidas pela inscrição «POLÍCIA MARÍ- TIMA»; a estrela tem 0,050 m de diâmetro. Artigo 106. o Colete 1 O colete de actuação, conforme figura n. o 110, é de cor azul em tecido de teflon, perfurado. 2 Leva estampada na frente e nas costas, em cor branca, a inscrição «POLÍCIA MARÍTIMA», em duas linhas e, entre estas, duas faixas de tecido reflector a toda a largura do colete, com 0,030 m de largura cada. Artigo 107. o Fato de água 1 O fato de água é de tecido impermeável de nylon, revestido, de cor azul. 2 O casaco, conforme figura n. o 111, tem manga comprida, gola, platinas e capuz amovível; abotoa à frente com fecho de correr sob carcela e cinco botões de mola; leva a inscrição «POLÍCIA MARÍTIMA» em cor branca, estampada nas costas, em duas linhas horizontais centradas; à frente tem dois bolsos com pala e botões, levando estampado sobre o do peito um crachá da PM; as mangas têm punho que abotoa com botão e a 0,100 m da orla destas duas faixas de tela reflectora com 0,050 m de largura, colocadas obliquamente formando um ângulo de 45 o, afastadas entre si por 0,100 m. 3 As calças, conforme figura n. o 112, têm faixas reflectoras das mesmas características e medidas das mangas, surgindo a primeira a 0,150 m da bainha, a qual abotoa com botão de mola; os botões e os fechos são em material anticorrosivo. Artigo 108. o Fato de macaco 1 O fato de macaco, conforme figura n. o 113, em zuarte de cor azul, tem gola de voltar, abotoa a meio do peito, com seis botões grandes de baquelite ou osso, sendo o primeiro pregado à gola. 2 Na frente tem dois bolsos exteriores sobre o peito e dois inferiores; os primeiros levam uma pestana com um botão pequeno, que é cosido exteriormente; os segundos são colocados junto às costuras laterais das calças. 3 De cada lado do quadril tem um passador destinado a passar o cinto do mesmo tecido que aperta por meio de uma fivela de metal branco. 4 Atrás, do lado direito, leva um bolso. 5 Os punhos são direitos de 0,050 m de largura e abotoam com botão de baquelite ou osso. 6 As platinas têm 0,045 m de largura e o comprimento adequado à largura do ombro por forma que o botão fique junto da gola. 7 Nas costas leva em duas linhas, centrada, a inscrição «POLÍCIA MARÍTIMA», em cor branca. 8 Os botões são da cor do fato. Artigo 109. o Fiel do apito O fiel do apito, conforme figura n. o 114, é uma corrente metálica cromada, com 0,043 m de comprimento, constituída por mola e travinca. CAPÍTULO V Medalhas e condecorações e seu uso Artigo 110. o Uso e precedências 1 O uso de medalhas e condecorações e respectivas precedências rege-se pela Lei Orgânica das Ordens Honoríficas Portuguesas, pelo Regulamento da Meda-

17 N. o de Junho de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3551 lha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas e pelas normas protocolares aplicáveis. 2 As medalhas e condecorações são usadas no lado esquerdo do peito. Artigo 111. o Uso de insígnias 1 As insígnias para o peito, conforme figura n. o 115, usam-se suspensas das respectivas fitas aplicadas numa ou mais barras metálicas ou de material plástico rígido. 2 As barras a que se refere o número anterior são fixadas em pontos existentes nos jaquetões, casacos e dólmanes; cada barra não pode exceder 0,120 m de comprimento; a primeira barra é fixada acima da costura da portinhola rectangular do bolso existente no lado esquerdo do peito nos dólmanes brancos e nos jaquetões e casacos, aproximadamente 0,030 m acima do primeiro botão superior existente no lado esquerdo do peito ou em lugar correspondente de forma a que, quando colocadas, se apresentem como na referida figura. 3 As fitas das insígnias podem, quando necessário, sobrepor-se parcialmente, respeitando sempre a ordem de precedência. Artigo 112. o Uso de fitas simples 1 As fitas simples, conforme figura n. o 116, usam-se aplicadas em barras metálicas ou de material plástico rígido, que possuem um alfinete de segurança para fixação, onde se colocam da direita para a esquerda e de baixo para cima, de acordo com a precedência estabelecida. 2 Cada barra tem o comprimento necessário para suportar uma ou mais fitas simples, até ao máximo de quatro, dispostas sem intervalos. 3 As barras são justapostas e o preenchimento de nova barra só se inicia após o preenchimento da anterior. 4 A primeira barra é fixada acima da costura da portinhola rectangular do bolso existente no lado esquerdo do peito nos jaquetões, casacos e dólmanes, aproximadamente 0,030 m acima do primeiro botão superior do lado esquerdo do peito ou em lugar correspondente nas camisas. 5 As fitas usam-se nos jaquetões, casacos, dólmanes e camisas brancas dos padrões n. os 2, 2-F e 2-F-G. Artigo 113. o Uso de placas As placas para o peito, conforme figura n. o 117, usam-se colocadas na intersecção da vertical do primeiro botão com a horizontal do terceiro botão nos jaquetões casacos e dólmanes, sendo escalonadas segundo uma inclinação de 135 o para cada lado da linha mediana da primeira placa. Artigo 114. o Uso de bandas As bandas usam-se cruzadas da direita para a esquerda, colocadas a tiracolo, por forma a que a extremidade do braço superior da cruz fique a 0,100 m abaixo da cintura. Artigo 115. o Uso de insígnia de pescoço A insígnia para o pescoço usa-se apenas uma, conforme figura n. o 218. Artigo 116. o Condecorações colectivas 1 Os distintivos de condecorações colectivas, conforme figura n. o 119, são constituídos por cordões e miniaturas de cordões. 2 Os cordões de condecoração colectiva usam-se suspensos do ombro direito pelo respectivo travessão; nos uniformes de cerimónia só é permitido o uso de cordões de uma condecoração colectiva, a qual tem de corresponder à medalha de maior precedência. 3 As miniaturas de cordões de condecorações colectivas usam-se colocadas aproximadamente a 0,030 m imediatamente acima da costura da portinhola rectangular do bolso existente no lado esquerdo do peito nos dólmanes, ou em lugar correspondente nos jaquetões, casacos e camisas brancas dos padrões n. os 2, 2-F e 2-F-G. Artigo 117. o Condições de uso 1 As insígnias para o peito, as placas, as insígnias para o pescoço e os cordões de condecoração colectiva usam-se com os uniformes de cerimónia. 2 Em actos de pequena cerimónia usam-se as fitas simples e miniaturas de cordões de condecorações colectivas. CAPÍTULO VI Disposições complementares e finais Artigo 118. o Obtenção e conservação dos artigos de uniforme 1 Os elementos da PM são responsáveis pela obtenção e conservação dos artigos identificados como sendo do 1. o grupo e que, nos termos do presente regulamento, lhes competir usar. 2 A renovação do fardamento é da responsabilidade de cada um dos utilizadores. 3 Quando os artigos de fardamento apresentem indícios de ruína prematura, incúria ou desleixo, o elemento a quem estão distribuídos é por eles responsável pecuniariamente, liquidando na íntegra os artigos danificados. Artigo 119. o Dotações de fardamento Aos alunos estagiários da PM são atribuídas as seguintes dotações de artigos de uniforme: a) A dotação inicial, distribuída no princípio do curso de formação; b) A dotação suplementar, distribuída àqueles que tenham terminado o mencionado curso com aproveitamento.

18 3552 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Junho de 2003 Artigo 120. o Uso de uniforme na pré-aposentação e aposentação 1 O pessoal da PM na situação de pré-aposentação, na efectividade de serviço, faz uso do uniforme nas condições previstas para o pessoal no activo. 2 O pessoal da PM que, nas situações de pré-aposentação ou aposentação, participe em cerimónia que obrigue ao uso de uniforme, usa aquele que estava em vigor à data em que deixou a efectividade do serviço. Artigo 121. o Traje civil Ao pessoal da PM é permitido o uso de traje civil sempre que, em razão da natureza do serviço, lhe seja determinado. Artigo 122. o Interdição de uso de uniforme Ao pessoal da PM não é permitido o uso de uniforme, designadamente, nas seguintes situações: a) Quando tome parte em reuniões ou manifestações de carácter político, partidário ou sindical; b) No exercício de cargos ou desempenho de funções públicas de natureza não policial; c) No exercício ou representação de actividades privadas ou de quaisquer outras com elas directa ou indirectamente relacionadas. Artigo 123. o Competências Compete à Direcção de Abastecimento da Marinha: a) Definir as normas e procedimentos técnicos no âmbito das matérias específicas constantes do presente Regulamento; b) Assegurar, em conformidade com as especificações e padrões aprovados, o aprovisionamento dos artigos a que se refere o presente Regulamento. Artigo 124. o Controlo de qualidade Como garantia de uniformidade e regularidade, são condições indispensáveis para a concessão da autorização de fabrico dos artigos de uniforme previstos no presente Regulamento, que pode revestir a forma de contrato, a aferição prévia da qualidade, forma, cor e tonalidade dos artigos ou elementos propostos e a reconhecida seriedade e competência dos proponentes. Artigo 125. o Situações omissas Em matéria de regulamentação de uniformes, as situações omissas serão objecto de despacho do Ministro da Defesa Nacional, mediante proposta do Comandante-Geral da PM, após ter ouvido o Conselho da Polícia Marítima.

19 N. o de Junho de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3553

20 3554 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Junho de 2003

S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS. Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro

S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS. Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro Atendendo a que os modelos dos uniformes e distintivos a utilizar pelos elementos do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros

Leia mais

7518 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 273 24 de Novembro de 2001 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. c) Uniforme n. o 2; d) Uniforme n. o 3.

7518 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 273 24 de Novembro de 2001 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. c) Uniforme n. o 2; d) Uniforme n. o 3. 7518 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 273 24 de Novembro de 2001 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Portaria n. o 1314/2001 de 24 de Novembro Nos termos do disposto no artigo 43. o do Regulamento Geral

Leia mais

REGULAMENTO DO UNIFORME N.º 2 FARDA DE TRABALHO DO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS. CAPÍTULO I Disposições gerais

REGULAMENTO DO UNIFORME N.º 2 FARDA DE TRABALHO DO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS. CAPÍTULO I Disposições gerais REGULAMENTO DO UNIFORME N.º 2 FARDA DE TRABALHO DO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define o uniforme n.º 2, farda de trabalho, dos

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015. Série. Número 34

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015. Série. Número 34 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS Portaria n.º 50/2015 Aprova o Regulamento do Fardamento

Leia mais

Portaria n.º 254/2011 de 30 de Junho. Regulamento de Uniformes dos Militares do Exército (RUE)

Portaria n.º 254/2011 de 30 de Junho. Regulamento de Uniformes dos Militares do Exército (RUE) Portaria n.º 254/2011 de 30 de Junho Regulamento de Uniformes dos Militares do Exército (RUE) 2011 MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL Portaria n.º 254/2011 de 30 de Junho O Decreto-Lei n.º 249/95, de 21 de

Leia mais

APÊNDICE V. Modelos de Uniforme e Crachá

APÊNDICE V. Modelos de Uniforme e Crachá APÊNDICE V Modelos de Uniforme e Crachá MARÇO DE 2016 1 23 ÍNDICE 1.1. Apresentação...3 1.2. Tecidos...3 2.1. Gerente Feminino...5 2.2. Atendente Feminino...7 2.3. Gestante...9 2.4. Orientador Feminino...

Leia mais

REPUBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO INTERIOR GABINETE DO MINISTRO RELATÓRIO

REPUBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO INTERIOR GABINETE DO MINISTRO RELATÓRIO REPUBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO INTERIOR GABINETE DO MINISTRO RELATÓRIO À medida que a Polícia Nacional vai atingindo um desenvolvimento que se pode considerar à altura dos objectivos traçados para a

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS ESTADO DO PARÁ

TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS ESTADO DO PARÁ 1. Dados Gerais da Licitação Número do Processo Licitatório PA 031/2016 Exercício 2016 Modalidade Tipo Objeto Registro de Preços Originário de Pregão Presencial Menor Preço Status Publicada Contratação

Leia mais

Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado

Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado 1 POSTOS UAI - PROJETO DE UNIFORMIZAÇÃO ARTIGO COD. PAG FUNÇÃO AGASALHO FEMININO BEGE T- 11/ T-12 58 COPEIRA AGASALHO FEMININO PRETO T-13 13 ATEN. RECEPÇÃO,

Leia mais

R E G U L A M E N T O UNIFORMES ESCOLARES E FARDAS DE TRABALHO

R E G U L A M E N T O UNIFORMES ESCOLARES E FARDAS DE TRABALHO R E G U L A M E N T O UNIFORMES ESCOLARES E FARDAS DE TRABALHO Outubro 2015 1 UNIFORMES E FARDAS DE TRABALHO Os uniformes escolares e fardas de trabalho integram a imagem das Escolas de Hotelaria e Turismo

Leia mais

FICHAS REFERENCIAIS UNIFORMES SENAC

FICHAS REFERENCIAIS UNIFORMES SENAC FICHAS REFERENCIAIS UNIFORMES SENAC RECEPÇÃO - SECRETARIA ESCOLAR - CENTRAL DE MATRÍCULA CAIXAS - CONTACT CENTER - BIBLIOTECA FEMININO - INVERNO 01 RECEPÇÃO - SECRETARIA ESCOLAR - CENTRAL DE MATRÍCULA

Leia mais

ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Referente ao Pregão nº 038/2010

ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Referente ao Pregão nº 038/2010 ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Referente ao Pregão nº 038/2010 LOTE 01: ESPECIFICAÇÕES DO ITEM 1: Blusa para usuários do sexo feminino, colarinho, com pence de busto no sentido horizontal frente e pence

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIFORME EXECUTIVO PARA ATENDENTE COMERCIAL

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIFORME EXECUTIVO PARA ATENDENTE COMERCIAL ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIFORME EXECUTIVO PARA ATENDENTE COMERCIAL 1. PALETÓ MASCULINO 30039 Paletó padrão alfaiataria, três botões, 03 (três) bolsos embutidos (externo) 01 (um) bolso embutido (interno)

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA 8428-(2) Diário da República, 1.ª série N.º 185 22 de setembro de 2015 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Portaria n.º 304-A/2015 de 22 de setembro A Lei n.º 19/2004,

Leia mais

FICHA TÉCNICA DATA: 18-05-12 FARDAMENTO ALUNO TÉCNICO

FICHA TÉCNICA DATA: 18-05-12 FARDAMENTO ALUNO TÉCNICO 1 FICHA TÉCNICA FARDAMENTO ALUNO TÉCNICO DATA: 18-05-12 DESCRIÇÃO: CAMISETA COM RECORTES LATERAIS, MANGA MEIA CAVA COM RECORTE NO CORPO DA CAMISETA, GOLA EM ESTILO MANDARIM COM ABERTURA EM ZÍPER E PUNHO

Leia mais

DESCRIÇÃO UNIFORMES BLAZER FEMININO

DESCRIÇÃO UNIFORMES BLAZER FEMININO DESCRIÇÃO UNIFORMES BLAZER FEMININO Blazer padrão alfaiataria, acinturado, modelo tradicional com três botões bolsos com lapelas. Tecido composto c/ 100% poliéster, (padrão Sanyotex ou Superior); Sanyotex:

Leia mais

Intro. O Banco BiG decidiu proteger cada um dos 95 bombeiros voluntários de Carregal do Sal, adquirindo equipamentos de combate a fogos que incluem:

Intro. O Banco BiG decidiu proteger cada um dos 95 bombeiros voluntários de Carregal do Sal, adquirindo equipamentos de combate a fogos que incluem: Intro. O Banco BiG decidiu proteger cada um dos 95 bombeiros voluntários de Carregal do Sal, adquirindo equipamentos de combate a fogos que incluem: _Casaco _Calças _Botas _Luvas _Cógula Estes equipamentos

Leia mais

REGULAMENTO DE UNIFORMES

REGULAMENTO DE UNIFORMES POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS ANEXO III REGULAMENTO DE UNIFORMES TÍTULO I Generalidades Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

ANEXO V PROPOSTA COMERCIAL PADRONIZADA PREGÃO N. 038/2010

ANEXO V PROPOSTA COMERCIAL PADRONIZADA PREGÃO N. 038/2010 À DME Distribuição S/A - DMED PREGÃO N. 038/2010 A empresa..., inscrita no CNPJ/MF sob o n..., estabelecida à Av./Rua..., n..., bairro..., na cidade de..., CEP..., telefone..., fax..., e-mail..., vem pela

Leia mais

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul 11-1 0-1977 Diário Oficial Estado de Mato Grosso do Sul ANO XXXII n. 7.655 CAMPO GRANDE-MS, QUARTA-FEIRA, 68 PÁGINAS GOVERNADOR ANDRÉ PUCCINELLI Vice-Governador MURILO ZAUITH Secretário de Estado de Governo

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Diário da República, 1.ª série N.º 153 9 de Agosto de 2010 3259 MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Aviso n.º 173/2010 Por ordem superior se torna público ter a Etiópia depositado, junto do Director -Geral

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS DO RUCBMRN

DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS DO RUCBMRN CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMRN (RUCBM) ANEXO I DA PORTARIA Nº 153 GAB CMDO, DE 29 DE AGOSTO DE 2014. DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS

Leia mais

Página 1 de 6 KIT ENXOVAL PARA RECÉM-NASCIDOS COMPOSTO DE: - 01 cobertor; - 02 macacões curto tipo short; - 02 conjuntos tipo pagão;

Página 1 de 6 KIT ENXOVAL PARA RECÉM-NASCIDOS COMPOSTO DE: - 01 cobertor; - 02 macacões curto tipo short; - 02 conjuntos tipo pagão; KIT ENXOVAL PARA RECÉM-NASCIDOS COMPOSTO DE: - 01 cobertor; - 02 macacões curto tipo short; - 02 conjuntos tipo pagão; - 02 gorros de moletom; - 02 calças compridas; - 02 pares de meia recém-nascido; -

Leia mais

INDUSTRIA ATIVA ROUPA DE CAÇA E AVENTURA COLETES CALÇAS CAMISOLAS

INDUSTRIA ATIVA ROUPA DE CAÇA E AVENTURA COLETES CALÇAS CAMISOLAS INDUSTRIA ATIVA ROUPA DE CAÇA E AVENTURA COLETES CALÇAS CAMISOLAS COLETE SINTRA Colete com múltiplos bolsos (total 15) de diferentes tamanhos e fácil abertura com palas com velcro e fechos, que nos dá

Leia mais

Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha

Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Notas. 1.- O presente Capítulo compreende apenas os artefatos confeccionados de qualquer matéria têxtil, com exclusão das pastas ("ouates") e dos

Leia mais

Ajudas Técnicas/Produtos de Apoio em Reumatologia

Ajudas Técnicas/Produtos de Apoio em Reumatologia Ajudas Técnicas/Produtos de Apoio em Reumatologia AJUDAS TÉCNICAS/PRODUTOS DE APOIO Prevenção de complicações Enfermeira: Andreia Gonçalves Actividades de vida diária Bem estar psicológico Comunidade,

Leia mais

INSTITUCIONALIZA O UNIFORME

INSTITUCIONALIZA O UNIFORME DECRETO Nº29.482, de 03 de outubro de 2008. INSTITUCIONALIZA O UNIFORME DO PROGRAMA RONDA DO QUARTEIRÃO E MODIFICA O DECRETO Nº18.063, DE 06 DE AGOSTO DE 1986 (REGULAMENTODE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR

Leia mais

Coordenadoria Geral de Licitações ATA PUBLICADA DOC 16/08/2007 PÁG. 63/64. Anexo I MEMORIAL DESCRITIVO

Coordenadoria Geral de Licitações ATA PUBLICADA DOC 16/08/2007 PÁG. 63/64. Anexo I MEMORIAL DESCRITIVO ATA UBLICADA DOC 16/08/2007 Á. 63/64 Anexo I EORIAL DESCRITIVO I DA DESCRIÇÃO DO OBJETO 1 O presente emorial presta-se a DESCRIÇÃO DE UNIFORES ARA O USO DE SERVIDORES JUNTO AS RAÇAS DE ATENDIENTO DAS SUBREFEITURAS,

Leia mais

UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES)

UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES) UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES) PEÇA ESPECIFICAÇÃO USO AQUISIÇÃO OBSERVAÇÕES SAPATO Social preto, padrão militar, com cadarço. Preferencialmente em lojas militares Evitar uso de sapato social com

Leia mais

RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 689/2010 SES/SENAI PR

RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 689/2010 SES/SENAI PR RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 689/2010 SES/SENAI PR A Comissão de Licitações do Sistema FIEP, instituída pela Portaria nº 06/2010, informa o RESULTADO do Pregão Presencial nº 689/2010: Protocolo: 6018/2010

Leia mais

Fitas soltas (1cm de largura) Nesta ordem. Camiseta preta ou body com fitas soltas pregadas na gola (nas cores vermelha, amarela, e verde)

Fitas soltas (1cm de largura) Nesta ordem. Camiseta preta ou body com fitas soltas pregadas na gola (nas cores vermelha, amarela, e verde) MENINAS GRUPO 04 A Cabelo com penteado utilizando elásticos nas cores verde, amarela e vermelha MENINAS GRUPO 04 A Cabelo com penteado utilizando elásticos nas cores verde, amarela e vermelha Fitas soltas

Leia mais

DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS

DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS 1- COLETE : - Azul marinho; - 02 (duas) faixas refletivas, na direção horizontal, na cor laranja;

Leia mais

O quadro abaixo tem as indicações de agulhas, linhas e comprimento de pontos adequados aos vários tipos de tecidos:

O quadro abaixo tem as indicações de agulhas, linhas e comprimento de pontos adequados aos vários tipos de tecidos: Relação de Tecido, Agulha, Linha e Ponto Para obter os melhores resultados, escolha sempre uma agulha de número e ponta adequados ao tecido. A agulha mais fina é de nº 9 e a mais grossa é de nº 18. Quanto

Leia mais

MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI. MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI

MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI. MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI Chapéu de palha encapado com veludo preto, decorado com renda branca franzida na borda arabescos e acabamento feito com galão dourado,

Leia mais

Art. 1º. Fica aprovado o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/RN), anexo ao presente Decreto.

Art. 1º. Fica aprovado o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/RN), anexo ao presente Decreto. Decreto nº 16.039, de 3 de maio de 2002. Dispõe sobre o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/ RN). O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, usando da

Leia mais

Colocamos a disposição para melhor orientação a tabela do IPI, onde você irá encontrar as Nomenclaturas referidas de acordo com o seu produto.

Colocamos a disposição para melhor orientação a tabela do IPI, onde você irá encontrar as Nomenclaturas referidas de acordo com o seu produto. Colocamos a disposição para melhor orientação a tabela do IPI, onde você irá encontrar as Nomenclaturas referidas de acordo com o seu produto. Observe que para as Indústrias de Confecções que trabalham

Leia mais

ATO Nº 173/2004. I - Técnico Judiciário - Área Administrativa - Especialidade Transporte; (Redação dada pelo Ato nº 121/2009)

ATO Nº 173/2004. I - Técnico Judiciário - Área Administrativa - Especialidade Transporte; (Redação dada pelo Ato nº 121/2009) ATO Nº 173/2004 Dispõe sobre o uso de uniforme de serviço por servidores ocupantes dos cargos que especifica ou requisitados, dentre outras providências. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA

Leia mais

PREGÃO Nº 008/2012 CML/PM ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 003/2013 GERP/SEMAD EMPRESA VENCEDORA: COMÉRCIO E INDÚSTRIA EQUILÍBRIO LTDA

PREGÃO Nº 008/2012 CML/PM ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 003/2013 GERP/SEMAD EMPRESA VENCEDORA: COMÉRCIO E INDÚSTRIA EQUILÍBRIO LTDA PREGÃO Nº 008/2012 CML/PM ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 003/2013 GERP/SEMAD No dia 16 de abril de 2013, no Órgão Gerenciador, foram registrados os preços das empresas abaixo identificadas, para eventual

Leia mais

CONSIDERANDO que cabe às OS o fornecimento dos insumos e equipamentos para as Unidades de Saúde sob contrato de Gestão com a SMSDC;

CONSIDERANDO que cabe às OS o fornecimento dos insumos e equipamentos para as Unidades de Saúde sob contrato de Gestão com a SMSDC; Circular S/SUBPAV/SAP n.º 08/2011. Rio de Janeiro, 09 de maio de 2011. Aos Coordenadores das A.P.s com vistas às Organizações Sociais e às Unidades Primárias de Saúde Assunto: Uniformes para as Equipes

Leia mais

No sentido da marcha. Manual de instruções. Grupo Peso Idade 2-3 15-36 kg 4-12 anos

No sentido da marcha. Manual de instruções. Grupo Peso Idade 2-3 15-36 kg 4-12 anos No sentido da marcha Manual de instruções ECE R44 04 Grupo Peso Idade 2-3 15-36 kg 4-12 anos 1 ! Obrigado por optar pela BeSafe izi Up FIX A BeSafe desenvolveu esta cadeira com todo o cuidado, para proteger

Leia mais

Recolhas Etnográficas Trajos. Autoria. Comissão Técnica GFCB

Recolhas Etnográficas Trajos. Autoria. Comissão Técnica GFCB Recolhas Etnográficas Trajos Autoria Comissão Técnica GFCB FICHA ETNOGRÁFICA:n.º Assunto: Trajo de Casamento Data da Recolha: 1986 Objecto: Casamento - Urra Época em que foi usado: Início do século XX

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO E QUANTIDADE DO OBJETO

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO E QUANTIDADE DO OBJETO ANEXO I ESPECIFICAÇÃO E QUANTIDADE DO OBJETO LOTE 0 Item DESCRIÇÃO DO MATERIAL Código Quant. Unid. 2 3 4 5 6 7 8 9 0 CURTA, GOLA CARECA, IMPRESSÃO EM SILK SCREEN, TAMANHO P (66CM X 46 CM), CONFORME LAY-OUT

Leia mais

COMO TIRAR MEDIDAS. Na modelagem industrial, as medidas são padronizadas, mas é sempre bom saber como elas são tiradas.

COMO TIRAR MEDIDAS. Na modelagem industrial, as medidas são padronizadas, mas é sempre bom saber como elas são tiradas. COMO TIRAR MEDIDAS Na modelagem industrial, as medidas são padronizadas, mas é sempre bom saber como elas são tiradas. MEDIDAS HORIZONTAIS OU DE CIRCUNFERÊNCIA. 1. PESCOÇO OU DEGOLO: passe a fita métrica

Leia mais

SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS

SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS REGULAMENTO DE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR DA PARAÍBA (RUPMPB) SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS I - 8º UNIFORME CAVALARIA 8º UNIFORME A (8ºA) - CAVALARIA HISTÓRICO NEGO a) 8º UNIFORME

Leia mais

Concurso Público n.º 19/DAC/2009

Concurso Público n.º 19/DAC/2009 Direcção Nacional Unidade Orgânica de Logística e Finanças Departamento de Logística Concurso Público n.º 19/DAC/2009 Aquisição de fatos de instrução com crachá aborrachado para o pessoal com funções policiais

Leia mais

Regulamento de hino, uniformes, distintivos, símbolos, bandeiras, cerimónias e outros objectos de identificação colectiva ou individual

Regulamento de hino, uniformes, distintivos, símbolos, bandeiras, cerimónias e outros objectos de identificação colectiva ou individual Regulamento de hino, uniformes, distintivos, símbolos, bandeiras, cerimónias e outros objectos de identificação colectiva ou individual da Associação dos Escoteiros de Portugal P.O.R. (Princípios, Organização

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 14 / 15

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 14 / 15 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 14 / 15 CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº. 12 / 14 Aos dezesseis dias do mês de abril do ano de 2015, nas dependências do Departamento de Compras e Licitações, situado na Avenida Presidente

Leia mais

(P 2 ) Exames de ELIMINATÓRIO Aptidão Física (P 3 ) Inspeção da. ELIMINATÓRIO Saúde (P 4 ) Avaliação. ELIMINATÓRIO Psicológica (P 5 ) Investigação

(P 2 ) Exames de ELIMINATÓRIO Aptidão Física (P 3 ) Inspeção da. ELIMINATÓRIO Saúde (P 4 ) Avaliação. ELIMINATÓRIO Psicológica (P 5 ) Investigação CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DIRETORIA DE PESSOAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NAS FILEIRAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL NA QUALIFICAÇÃO

Leia mais

Material. 2 Cristiane Débora

Material. 2 Cristiane Débora Feltro : - Cor de pele - Verde claro - verde escuro - Branco - Cáqui - Marrom - Laranja - Bege Papelão Paraná Palito de churrasco Manta siliconada 2 mini botões/ 2 meio pérolas pretas Linhas das cores

Leia mais

ANEXO IX TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO IX TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO IX TERMO DE REFERÊNCIA 1- Delimitação do Objeto Contratação de Empresa especializada em Confecção de Fantasias e aquisição de Acessórios para atender o Serviço de Convivência e Fortalecimento de

Leia mais

Projeto de Uniformização. Gerente: Mara Nogueira Machado Consultor: Sidney Araújo

Projeto de Uniformização. Gerente: Mara Nogueira Machado Consultor: Sidney Araújo Projeto de Uniformização Gerente: Mara Nogueira Machado Consultor: Sidney Araújo DETALHE Camisa Fem Tradicional TECIDO: Tricoline Elastano TECIDO DETALHE: Microleve COR: Branco COR DETALHES: 10 Verde Bandeira

Leia mais

MUNICIPIO DE ERECHIM PREFEITURA MUNICIPAL

MUNICIPIO DE ERECHIM PREFEITURA MUNICIPAL ADITIVO Nº 419/2014 ADITIVO AO CONTRATO ADMINISTRATIVO N.º 197/2014 ADITIVO AO CONTRATO ADMINISTRATIVO N. 197/2014 PROCESSO N.º 13443/2013 PREGÃO PRESENCIAL N.º 199/2013 AQUISIÇÃO DE EPIs - DIVERSAS SECRETARIAS

Leia mais

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Originária da Confederação do Tiro Brasileiro decreto 1503 de 5 de setembro de 1906

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Originária da Confederação do Tiro Brasileiro decreto 1503 de 5 de setembro de 1906 Exercícios com Elástico Os Exercícios com elástico irão trabalhar Resistência Muscular Localizada (RML). Em cada exercício, procure fazer a execução de maneira lenta e com a postura correta. Evitar o SOLAVANCO

Leia mais

Como fazer o seu próprio escudo medieval

Como fazer o seu próprio escudo medieval Dark Ages - idade média www.sec11.cjb.net goshinryukempo@hotmail.com Idade média Como fazer o seu próprio escudo medieval Existem dois métodos, um simples e o outro bem mais elaboro. 1. O método simples:

Leia mais

O que é um traje típico?

O que é um traje típico? O que é um traje típico? Conta a história que os nobres se revoltavam com o povo por eles imitarem suas vestimentas. Foi criada então uma lei que proibia o povo usar trajes iguais aos da nobreza. Quem

Leia mais

DIRETRIZES PARA OS TRAJE ATUAL PEÃO ADULTO, VETERANO E JUVENIL

DIRETRIZES PARA OS TRAJE ATUAL PEÃO ADULTO, VETERANO E JUVENIL MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO DIRETRIZES PARA A PILCHA GAÚCHA ATUALIZADA conforme as Convenções Tradicionalistas nºs 76ª (Taquara, julho de 2011), 77ª (Guaporé, julho de 2012) e 78ª (Porto Alegre, julho

Leia mais

Boneca de Papel Elsa. Braço direito. Braço esquerdo. Peito. Tronco. Costas. Saia. Flocos de neve. Cortar Cortar. Cortar. Cortar.

Boneca de Papel Elsa. Braço direito. Braço esquerdo. Peito. Tronco. Costas. Saia. Flocos de neve. Cortar Cortar. Cortar. Cortar. Boneca de Papel lsa Braço direito F G Braço esquerdo Tronco Costas Peito M N B C Flocos de neve Saia disneybabble.com.br 1/5 Boneca de Papel lsa 1 mprima o modelo em papel sulfite e cole-o em cartolina,

Leia mais

1º ANO A - CALYPSO 1º ANO A - CALYPSO

1º ANO A - CALYPSO 1º ANO A - CALYPSO 1º ANO A - CALYPSO - Flor - Braceletes de elástico com folhos verde e amarelo - Top em tecido algodão azul Royal com folhos em verde limão e amarelo. OBS: O bracelete é separado do top. - Saia estilo tchu

Leia mais

-----------NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DA CHAVE DA CIDADE E MEDALHA MUNICIPAL: - Pelo Sr. Presidente foi apresentada a seguinte proposta:...

-----------NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DA CHAVE DA CIDADE E MEDALHA MUNICIPAL: - Pelo Sr. Presidente foi apresentada a seguinte proposta:... -----------NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DA CHAVE DA CIDADE E MEDALHA MUNICIPAL: - Pelo Sr. Presidente foi apresentada a seguinte proposta:... ----------- PREÂMBULO... -----------A Câmara Municipal de Bragança,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS 3690 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 176 1 de Agosto de 2000 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Portaria n. o 533/2000 de 1 de Agosto O Decreto-Lei n. o 40/2000,

Leia mais

S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 22/2008 de 6 de Março de 2008

S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 22/2008 de 6 de Março de 2008 S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 22/2008 de 6 de Março de 2008 Considerando que os Serviços de Ambiente de Ilha são serviços periféricos da Secretaria Regional do Ambiente e do Mar, nos termos da

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA ICA 168-6/2011 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA PESSOAL-MILITAR RCA 35-2 REGULAMENTO DE UNIFORMES PARA OS MILITARES DA AERONÁUTICA (RUMAER) 2012 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DIRETORIA

Leia mais

Tipos de Pontos de Costura

Tipos de Pontos de Costura Tipos de Pontos de Costura São Paulo 2009 2009 Equipe responsável Elaboração Maria Luiza Veloso Mariano Joveli Ribeiro Rodrigues Diagramação Joveli Ribeiro Rodrigues Ficha catalográfica MARIANO, Maria

Leia mais

Manual Descritivo para Construção do ASBC

Manual Descritivo para Construção do ASBC Manual descritivo para construção do ASBC 1 Felipe Marques Santos Manual Descritivo para Construção do ASBC (Aquecedor Solar de Baixo Custo) Coordenador: Prof. Dr. Rogério Gomes de Oliveira 2 Manual descritivo

Leia mais

MINIS TÉRIO DA. Todos os direitos reservados ao Ministério Jovem da AAmaR. Conselho do Ministério da Música da AAmaR

MINIS TÉRIO DA. Todos os direitos reservados ao Ministério Jovem da AAmaR. Conselho do Ministério da Música da AAmaR Regulamento de Uniformes MINIS TÉRIO Todos os direitos reservados ao Ministério Jovem da Conselho do Ministério da Música da JOVEM Alvo A mensagen do advento a todo mundo em minha geração III. UNIFORME

Leia mais

Dicas para orientar a cliente na escolha de biquínis e da roupa mais adequada para cada tipo de corpo.

Dicas para orientar a cliente na escolha de biquínis e da roupa mais adequada para cada tipo de corpo. Dicas para orientar a cliente na escolha de biquínis e da roupa mais adequada para cada tipo de corpo. Biquíni Ideal Aquelas que têm seios grandes precisam antes de tudo de sustentação. Tops com alças

Leia mais

DESIGN E FUNCIONALIDADE

DESIGN E FUNCIONALIDADE P5341 P. 13 Touca em sarja com tiras de ajuste no mesmo tecido e tom. DESIG E FUCIOALIDADE ao serviço dos profissionais de hotelaria e restauração P4422 P. 125 Avental comprido. Disponível em 23 cores.

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE GESTÃO E PLANEJAMENTO GABINETE

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE GESTÃO E PLANEJAMENTO GABINETE 1 2 ANEXO I REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE PADRÃO DE ATENDIMENTO VAPT VUPT DO PROCON-GOIÁS FINALIDADE Art. 1º A Unidade Padrão de Atendimento Vapt Vupt do PROCON - Goiás tem por finalidade: I. Responsabilizar-se

Leia mais

Dist. da linha saída à 1ª barreira

Dist. da linha saída à 1ª barreira TÉCNICA DAS CORRIDAS COM BARREIRAS Antes de mais nada podemos dizer que as corridas com barreiras são provas de velocidade rasa porque, muito embora o barreiristas se depare com uma série de barreiras

Leia mais

Aos Coordenadores das A.P.s com vistas às Organizações Sociais e às Unidades Primárias de Saúde Assunto: Uniformes para as Equipes de Saúde da Família

Aos Coordenadores das A.P.s com vistas às Organizações Sociais e às Unidades Primárias de Saúde Assunto: Uniformes para as Equipes de Saúde da Família Circular S/SUBPAV/SAP n.º 07/2011. Rio de Janeiro, 15 de abril de 2011. Aos Coordenadores das A.P.s com vistas às Organizações Sociais e às Unidades Primárias de Saúde Assunto: Uniformes para as Equipes

Leia mais

Venda Proibida - Gratuito

Venda Proibida - Gratuito NR 6 - Equipamento de Proteção Individual - EPI 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considerase Equipamento de Proteção Individual - EPI todo dispositivo de uso individual,

Leia mais

Os princípios da composição do vestuário levam em conta os seguintes aspectos:

Os princípios da composição do vestuário levam em conta os seguintes aspectos: Princípios de Composição do Vestuário Para trabalhar com roupas mais elaboradas é importante conhecer os princípios de composição do vestuário. Neste nicho de mercado, este tipo de peça é desenvolvido

Leia mais

APOSTILA DE VOLEIBOL

APOSTILA DE VOLEIBOL APOSTILA DE VOLEIBOL O voleibol é praticado em uma quadra retangular dividida ao meio por uma rede que impede o contato corporal entre os adversários. A disputa é entre duas equipes compostas por seis

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL SRP Nº 04-059/2014 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 051/2014

PREGÃO PRESENCIAL SRP Nº 04-059/2014 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 051/2014 Estado da Paraíba PREGÃO PRESENCIAL SRP Nº 04-059/2014 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 051/2014 Aos vinte e dois dias do mês de outubro do ano de 2014 a, através da Comissão Especial de Registro de Preços,

Leia mais

ANTECEDENTES E EVOLUÇÃO

ANTECEDENTES E EVOLUÇÃO Bandeira Nacional ANTECEDENTES E EVOLUÇÃO 5 D. Afonso Henriques (1143-1185) Segundo a tradição, durante as primeiras lutas pela Independência de Portugal, D. Afonso Henriques teria usado um escudo branco

Leia mais

102 - Puppet Noel Confeiteiro. Quantidade: 4. 4 (quatro) malhas de suplex.

102 - Puppet Noel Confeiteiro. Quantidade: 4. 4 (quatro) malhas de suplex. 102 - Puppet Noel Confeiteiro. Quantidade: 4. 4 (quatro) malhas de suplex. 103 - Bolacha Puppet. Quantidade: 8. 8 (oito) meias. 104 - Boneca Fantástica Fábrica. Quantidade: 8. Reformas e ajustes necessários.

Leia mais

Recado aos Pais e Professores

Recado aos Pais e Professores Recado aos Pais e Professores A criança aprende fazendo. Um trabalho manual confeccionado logo após a história bíblica fixa os ensinos que a criança acabou de ouvir, e também é um lembrete visual do constante

Leia mais

TROFÉU CLUBE DESPORTIVO NACIONAL PROMERCH PUBLICIDADE 2011 REGULAMENTO TÉCNICO

TROFÉU CLUBE DESPORTIVO NACIONAL PROMERCH PUBLICIDADE 2011 REGULAMENTO TÉCNICO TROFÉU CLUBE DESPORTIVO NACIONAL PROMERCH PUBLICIDADE 2011 REGULAMENTO TÉCNICO 1. TODAS AS VIATURAS DEVERÃO ESTAR OBRIGATORIAMENTE EQUIPADAS COM: 1.1. - Armação de Segurança constituída por: a) Arco Principal:

Leia mais

Axkid Manual de Instruções Kidzone

Axkid Manual de Instruções Kidzone Axkid Manual de Instruções Kidzone segurança Voltada para frente com cinto de 9-18kg Voltada para trás com cinto de segurança Voltada para frente com 9-25 Kg o cinto de segurança do adulto 15-25 kg Testado

Leia mais

TÉCNICAS DE ARTESANATO Tita Mascarenhas CURSO BÁSICO DE BORDADOS BORDADO À MÃO PONTOS BÁSICOS

TÉCNICAS DE ARTESANATO Tita Mascarenhas CURSO BÁSICO DE BORDADOS BORDADO À MÃO PONTOS BÁSICOS TÉCNICAS DE ARTESANATO Tita Mascarenhas CURSO BÁSICO DE BORDADOS BORDADO À MÃO PONTOS BÁSICOS Bordado é uma forma de criar desenhos e figuras ornamentais em um tecido, utilizando para este fim diversos

Leia mais

Convidamos Vossas Senhorias a apresentarem proposta de preços para o fornecimento de uniformes.

Convidamos Vossas Senhorias a apresentarem proposta de preços para o fornecimento de uniformes. COTAÇÃO ELETRÔNICA nº 5/2012 - SELIC Brasília-DF, 23 de julho de 2012. Prezados Senhores, Convidamos Vossas Senhorias a apresentarem proposta de preços para o fornecimento de uniformes. 2. Para que a Administração

Leia mais

Ideal Work Uniformes e EPI s Ltda. Rua Pio XI, 824 - Alto da Lapa São Paulo - SP - CEP: 05060-000 Fone: (11) 3833-0264 - duplor@idealwork.com.

Ideal Work Uniformes e EPI s Ltda. Rua Pio XI, 824 - Alto da Lapa São Paulo - SP - CEP: 05060-000 Fone: (11) 3833-0264 - duplor@idealwork.com. www.centraldecatalogos.com.br - (11) 3723-5566 Ideal Work Uniformes e EPI s Ltda. Rua Pio XI, 824 - Alto da Lapa São Paulo - SP - CEP: 05060-000 Fone: (11) 3833-0264 - duplor@idealwork.com.br www.idealwork.com.br

Leia mais

CONCORRÊNCIA SESC/MA Nº 13/0003-CC REGISTRO DE PREÇOS ANEXO I DESCRIÇÕES DOS ITENS. Sesc Administração 48 3 9 60 PAR

CONCORRÊNCIA SESC/MA Nº 13/0003-CC REGISTRO DE PREÇOS ANEXO I DESCRIÇÕES DOS ITENS. Sesc Administração 48 3 9 60 PAR Item 1 2 3 Uso Interno (RCMS) 12 6634-1 12 7132-4 12 0738-13 12 0911-69 12 6634-2 12 7265-8 12 6607-4 12 7268-6 12 0738-6 12 0911-75 12 6634-3 12 7131-3 12 6607-2 12 7268-7 12 7266-8 12 0738-5 12 0911-74

Leia mais

Proposta de Preços ANEXO I

Proposta de Preços ANEXO I PREGÃO PRESENCIAL Nº 088 / 2011 Proposta de Preços ANEXO I Processo 14.793 / 2011 Razão Social do Licitante: CNPJ: Insc. Estadual: Endereço: Cidade: Estado: Telefone : Fax : e-mail : INFORMACÕES PARA PAGAMENTOS

Leia mais

CARACTERÍSTICAS IDEAIS

CARACTERÍSTICAS IDEAIS DESEHAMOS E COFECIOAMOS VESTUÁRIO DE TRABALHO COM AS CARACTERÍSTICAS IDEAIS QUE OS PROFISSIOAIS ECESSITAM PARA A SUA ATIVIDADE PROFISSIOAL P32S P. 55 ovas calças multibolsos em tecido stretch. Este tecido

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. ESTRUTURA E BLINDAGEM DOS MODULOS 1.1 - Estruturas Laterais Externas Deverão ser confeccionadas em chapa de aço SAE1010 #18, com varias dobras formando colunas, sem quinas ou

Leia mais

PREGÃO SRP Nº 497/2012 CPL 04 MAPA DO(S) VENCEDOR(ES) DA LICITAÇÃO ÓRGÃO SOLICITANTE DA LICITAÇÃO: FUNDHACRE. Empresa Vencedora DISCRIMINAÇÃO

PREGÃO SRP Nº 497/2012 CPL 04 MAPA DO(S) VENCEDOR(ES) DA LICITAÇÃO ÓRGÃO SOLICITANTE DA LICITAÇÃO: FUNDHACRE. Empresa Vencedora DISCRIMINAÇÃO ÓRGÃO SOLICITANTE DA LICITAÇÃO: FHACRE OBJETO: Aquisição de Cadeiras de Rodas para Fisioterapia Reabilitação, para atender as demandas da FHACRE 1 CADEIRA DE RODA INFANTIL NRº DE 36 A 40 - Conjunto de

Leia mais

O essencial sobre Autor: Francisco Cubal

O essencial sobre Autor: Francisco Cubal O essencial sobre Autor: Francisco Cubal 1 Qual a história do Voleibol? Em 1895 o professor de Educação Física G. Morgan, nos Estados Unidos, criou uma modalidade desportiva que, devido ao seu toque no

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR MF - 2.004 MANUAL DE QUALIDADE - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

MANUAL DO FORNECEDOR MF - 2.004 MANUAL DE QUALIDADE - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS VERSÃO 10 PAG: 1 / 24 Esta Instrução visa definir tipos, formas e locais para fixação das etiquetas de preços, uniformizando a apresentação visual dos produtos e impedindo ainda que essas etiquetas danifiquem

Leia mais

FORMULÁRIO-PROPOSTA. Valor unitário. Valor total. Item Descrição Qtde. 1 Móvel com Gavetas 12,00m². 2 Móvel com Portas de Abrir 70,00m²

FORMULÁRIO-PROPOSTA. Valor unitário. Valor total. Item Descrição Qtde. 1 Móvel com Gavetas 12,00m². 2 Móvel com Portas de Abrir 70,00m² FORMULÁRIO-PROPOSTA Nome da empresa (razão social):... Endereço:... Cidade:... UF:... CEP:... CNPJ/MF n.:... Telefone/fax:... Responsável pela assinatura do contrato: Nome:... Cargo/função:...Telefone/fax:...

Leia mais

Separata ao Boletim do Exército

Separata ao Boletim do Exército Separata ao Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO SEPARATA AO BE Nº 11/2014 PORTARIA COMANDANTE DO EXÉRCITO Nº 158, DE 6 DE MARÇO DE 2014. Altera o Capítulo

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada para eventual fornecimento, montagem e instalação de mobiliário, para a Procuradoria Regional do Trabalho da 2a Região

Leia mais

E S T U D O D O M O V I M E N T O - V

E S T U D O D O M O V I M E N T O - V 1 Pronação A pronação corresponde ao movimento que coloca a face palmar da mão virada para trás, colocando o 1º dedo (polegar) da mão mais próximo do plano sagital. Supinação A supinação corresponde ao

Leia mais

UNIFORME SESI. Especificação Técnica

UNIFORME SESI. Especificação Técnica UNIFORME SESI Especificação Técnica 2015 SUMÁRIO 1. CAMISETA MANGA CURTA 3 2. CAMISETA MANGA LONGA 10 3. REGATA 17 4. POLO MASCULINA 24 5. POLO FEMININA 32 6. JAQUETA MASCULINA - TACTEL 40 7. JAQUETA MASCULINA

Leia mais

ESQUADREJADORA. Princípios principais de utilização e precauções:

ESQUADREJADORA. Princípios principais de utilização e precauções: ESQUADREJADORA A esquadrejadora é uma máquina de serra circular que permite realizar cortes rectos de precisão, vazados ou interrompidos, de peças de grande dimensão. É constituída por um corpo com mesa

Leia mais

Feminino. Tipos de corpo. Ampulheta

Feminino. Tipos de corpo. Ampulheta O guia de tamanho será desenvolvido para auxiliar os e-consumidores, no momento da compra. O e-consumidor terá disponível um guia de auxilio a medidas, de forma que permitirá que o mesmo obtenha informações

Leia mais

3. Pressione o cotovelo, com a maior força possível com a outra mão, em direção ao outro ombro. Fique nesta posição por 10 segundos. Repita 3X.

3. Pressione o cotovelo, com a maior força possível com a outra mão, em direção ao outro ombro. Fique nesta posição por 10 segundos. Repita 3X. THIAGO MURILO EXERCÍCIOS PARA DEPOIS DO TÊNIS 1. Em Pé de costas para um canto de parede flexione a sua perna mais forte para frente, alinhe a coluna e leve os braços para trás até apoiar as palmas das

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES PREGÃO MOBILIÁRIO 2013.

ESPECIFICAÇÕES PREGÃO MOBILIÁRIO 2013. ESPECIFICAÇÕES PREGÃO MOBILIÁRIO 2013. Processo 56220/2013-73 Pregão 26/2014 GRUPO 1 MESAS E ESTAÇÕES DE TRABALHO 1 MESA RETANGULAR PARA COMPUTADOR 1200X770MM 2 MESA RETANGULAR PARA COMPUTADOR 1600X770MM

Leia mais

Clientes COM Serviços de Limpeza Doméstica

Clientes COM Serviços de Limpeza Doméstica Clientes COM Serviços de Limpeza Doméstica Engomadoria Lavandaria & Engomadoria Peças variadas - da peça a avulso 1,20 Peças variadas - da peça a avulso 2,00 nº Peças 24h 48h nº Peças 10 7,00 0,70 15,00

Leia mais

34 - Coro Cênico - Mulher 1 Quantidade: 12. Execução de 12 véus de algodão preso com a faixa de malha suplex; 12 túnicas de algodão texturizado

34 - Coro Cênico - Mulher 1 Quantidade: 12. Execução de 12 véus de algodão preso com a faixa de malha suplex; 12 túnicas de algodão texturizado 34 - Coro Cênico - Mulher 1 Quantidade: 12. Execução de 12 véus de algodão preso com a faixa de malha suplex; 12 túnicas de algodão texturizado listrado verticalmente com tecido de estofaria e debrum em

Leia mais