Forex. Foreign Exchange Market NEGOCIAÇÕES NO MERCADO DE CÂMBIO ON-LINE. Reconhecimento de Risco

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Forex. Foreign Exchange Market NEGOCIAÇÕES NO MERCADO DE CÂMBIO ON-LINE. Reconhecimento de Risco"

Transcrição

1 Forex Foreign Exchange Market NEGOCIAÇÕES NO MERCADO DE CÂMBIO ON-LINE Reconhecimento de Risco Todos os clientes entendem e reconhecem que este curso de treinamento on-line foi elaborado pela e é exclusivo para os seus clientes. O curso foi desenvolvido ao longo dos anos para educar e instruir todos os clientes que queiram conhecer melhor o mercado financeiro de moedas (Forex). O mercado Forex é um mercado muito volátil, com movimentos rápidos, que podem levar consigo uma enorme possibilidade de ganhos e consequentemente de risco no capital investido, portanto, a não aceita nenhuma responsabilidade por qualquer perda ou danos financeiros, incluindo sem limitação, para qualquer perda de lucro do qual pode surgir diretamente ou indiretamente também do uso ou confiança das informações destes site. Investir no mercado Forex é para pessoas que tem condições de assumir risco. Pessoas que estudam este curso devem considerar cuidadosamente se Forex é apropriado ou não para elas, levando em conta a experiência, objetivo, disponibilidade de tempo e recursos financeiros. Todas as pessoas que investem no mercado Forex estão cientes de que os resultados das operações passadas, não são indicativos de resultado futuro. A lupafx recomenda que todas as pessoas que levam este curso e informações, devem estudar bem o mercado e também ter uma conta demonstrativa para minimizar riscos antes de iniciar em uma conta real (com fundos reais) no mercado. Investir no mercado Forex, sem conhecimento e treinamento, envolverá risco alto com potencial de perdas. Caso você tenha alguma dúvida a respeito de riscos, por favor, visite nosso site e acesse a nossa área de riscos. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida sem permissão prévia dos proprietários da lupafx.com.br. Todos os direitos reservados 2004.

2 Introdução O Fim Estratégias de Treinamento on-line. 1 - Forex. O Mercado Financeiro on-line. O mercado que não para de crescer. A importância dos Bancos Centrais, G 7 e Estados Unidos. Contrato de correlação de compra e venda Tipo de Intervenções 2 Realidade de Mercado e Riscos. A realidade Risco na taxa de câmbio, juros, crédito e soberania. 3 - Principais Moedas. O Dólar Americano. O Euro. O Iene Japonês. A Libra Esterlina. O Franco Suíço. 4 Sistema de Negociação Forex. Negociação Direta. Negociação com Corretoras. Sistema de Correção. 5 Análises Técnica Fundamentos e Objetivos. Teoria de Dow. Gráficos e Indicadores. Tipos de Gráficos. Gráficos Ajustes Principais. Trabalhando com Gráficos Rápidos. Linhas de Tendência. Suporte e Resistência. Padrões de Inversão. Padrões de Tendência. Intervalos. Indicadores Técnicos. Osciladores. Fibonacci. Teoria das Ondas de Elliott. 6 Trailing Stop 7 Detalhes e Diferenças em Gráficos Fatores Importantes. Diferença entre EMA e SMA. 8 Day Trade Swing Trade

3 O porque escolher day-trade ao invés de swing-trade? 9 Ordens de Compra (long) ou Venda (short) 10 A Influência de Fatores Financeiros e Político no Mercado Forex Fatores Financeiros Taxa de Juros Crise Política. 11 Tipos de Mercados Mercado Spot Mercado à Prazo Mercado Futuro Mercado de Opcões 12 - Teorias Monetárias e Taxa de Câmbio 13 - Indicadores de Análises Fundamentais do Mercado Forex Indicadores Econômicos. Setor Industrial. Construção Civil. Inflação. Balança Comercial. Empregos. Gastos do Consumidor. Vendas no Varejo. Indicadores Líderes. 14 Hedge Usar ou não usar? O preço para quem usa hedge. Hedge com Segurança. 15 Margem 16 - Lotes Negociáveis 17 Diário e Rotina Lupafx team Forexecutive

4 Introdução - O Fim Muito estranho e diferente para se iniciar um e - book, mas é conosco que você vai iniciar com diferença. A leitura deste e-book indica que você possui visão de mercado e está decido em diversificar seus investimentos junto ao mais novo mercado financeiro. Com uma educação simples e uma pesquisa de ponta em nosso site você terá conhecimentos que serão decisivos em todas as etapas de seus estudos. Considere todas as informações como ponto de partida, começando por este manual, o conhecimento necessário para uma exploração competente deste fabuloso mercado. Não e exagero dizer que este manual e diferente, pois seu objetivo e simplificar os pontos para você ter uma chance real de sucesso. Neste livro, você encontrará desafios relacionados com o aspecto real, necessários para o aprendizado e a compreensão. Apresentaremos um esboço concreto do que você precisa saber e praticar. Portanto, não é possível, apresentar um manual totalmente completo na exploração de um mercado globalizado, mas sim um conjunto suficiente de análise técnicas e fundamentais suficientes para adquirir lucros. Vamos ao que interessa -Estudos seguido de lucros.! Para iniciarmos, nada melhores do que tirarmos exemplos de nossa vida rotineira. Todos nós ouvimos comentários sobre a cotação do dólar, preço do petróleo e variações na bolsa de valores entre amigos e por meios da comunicação. Até nos dias de hoje, muitas pessoas ainda acreditam em perdas absurdas se tivessem que investir, pois elas acreditam que se você não fizer parte de um grupo inteiramente qualificado ou trabalhar diretamente no mercado financeiro, você nunca terá chances de obter lucros neste mercado. Hoje isso não está tão claro como deveria, porque muitas pessoas que nunca investiram e nunca trabalharam direto no mercado financeiro, já alcançaram uma independência financeira e transformaram isso em sua principal atividade profissional. O fato é que nós acreditamos que esse seja O FIM, ou melhor, O INÍCIO DO FIM de um pensamento negativo, da má interpretação de mercado, da falta de transparência de informações e da comparação jogoinvestimento. Não resta a menor dúvida de que se você não tiver a educação necessária e conhecimento de mercado, isso se tornará mesmo um jogo sem sucesso. Gostaríamos de deixar claro a você, que no processo de investimento financeiro é imprescindível adquirir a melhor educação, informação e análise para a conduta do seu dinheiro antes de tomar qualquer tipo de ação. A partir de hoje a nossa jornada de estudos mostrará o quanto a sua importância e participação será fundamental para o seu futuro financeiro. Bons estudos. Lupafx Team

5 Estratégia de treinamento on-line Caro *******(nome do comprador), Agora que você já conheceu os princípios do mercado Forex em nosso site, você já deve estar ansioso em adquirir informações mais avançadas. Para entender melhor todo o sistema de mercado, é importante conhecer também os princípios financeiros e os termos técnicos deste mercado. Recomendamos a partir de agora a abertura e a utilização de uma plataforma de investimento (Demo Account) de uma corretora Forex internacional. Caso você não tenha aberto uma até o presente momento, relacionamos abaixo, algumas das maiores e mais conceituadas corretoras Forex on-line internacional. / / / Ao longo deste livro, teremos todo o material necessário em uma linguagem clara e ferramentas agregadas para você desenvolver melhor seus conhecimentos e habilidades no sistema Forex. As estratégias abaixo, são exemplos do dia a dia de ex-funcionários de uma grande instituição financeira internacional, que irão oferecer uma ajuda indispensável no poder e escolha de negociação. Os gráficos de todas as plataformas internacionais estão em tempo real e os indicadores técnicos que eles oferecem são superiores a qualquer um do mercado financeiro. Todas as informações transmitidas ao usuário são grátis, e não existe comissão para investir neste mercado, apenas a diferença do spread que gira em torno de 5 pips. 1 FOREX O mercado Financeiro on-line. Forex O mercado que não para de crescer? O mercado internacional de moedas Forex é um tipo especial de mercado financeiro mundial. O objetivo dos negociadores no Forex é obter lucro como resultado da compra e venda de moedas estrangeiras. As taxas de câmbio de todas as moedas presentes no giro do mercado alteram-se de forma permanente, de acordo com a alteração da oferta e da demanda. Esta última está sujeita em grande parte à influência de qualquer evento importante para a sociedade humana em termos de economia, política e natureza. Conseqüentemente, os preços correntes de moedas estrangeiras, avaliadas em relação ao dólar americano, por exemplo, flutuam entre seus valores mais altos e mais baixos. Os negociadores obtêm ganhos através do uso dessas flutuações, em conjunto com o princípio conhecido de comprar mais barato vender mais caro. Forex é diferente de todos os outros setores do sistema financeiro mundial, graças à sua alta sensibilidade e a um grande número de fatores que se alteram constantemente. A acessibilidade para qualquer negociador que seja uma pessoa física ou jurídica, à rotatividade exclusivamente alta de negociações que criam uma liquidez garantida para as moedas negociadas, às operações durante vinte e quatro horas que permitem aos negociadores fazer transações após os horários comerciais normais ou durante feriados nacionais em seus países quando encontram os mercados estrangeiros funcionando. Assim como qualquer outro mercado, o Forex, apesar de ter lucratividade e um potencial exclusivamente alto é também um mercado de risco. É possível obter sucesso nele somente após um tempo com treinamento, o que inclui a familiarização com a estrutura e os tipos do Forex. Os princípios de formação de preços das moedas, os fatores que afetam as alterações de preços, e

6 os níveis de riscos de transações, fontes de informações necessárias para dar conta de todos esses fatores, técnicas para analisar e prever os movimentos do mercado, bem como as ferramentas e regras de negociação. Um papel importante no processo de preparação para negociar no Forex é a demotrading, como dito anteriormente. Isto é, negociar utilizando uma conta demo com um pouco de dinheiro virtual, que permite testar todo o conhecimento teórico e obter um mínimo necessário de experiência de negociação, não estando sujeito a perdas significativas. Você já abriu a sua? Relacionamos alguns dados sobre a origem e o desenvolvimento do mercado de câmbio. O mercado de câmbio possui uma longa história cuja origem pode ser encontrada no antigo Oriente Médio e na Idade Média, quando o comércio de câmbio começou a tomar forma após os banqueiros mercantis internacionais terem desenvolvido as letras de câmbio, que eram pagamentos transferíveis a terceiros, que permitiam flexibilidade e crescimento em negociações em moedas estrangeiras. O mercado de câmbio atual, caracterizado por períodos de alta volatilidade (que é a freqüência e a amplitude da alteração de um preço) e pela relativa estabilidade, formou-se no século XX. Em meados dos anos 30, a capital britânica, Londres, tornou-se o centro líder em mercado de câmbio, e a libra esterlina atuava como a moeda para se negociar e manter como uma moeda de reserva. Uma vez que, nos velhos tempos, o mercado de câmbio era negociado através de máquinas de telex, ou cabo, a libra obteve o apelido genérico de cabo ( cable ). Após a Segunda Guerra Mundial, quando a economia britânica foi destruída e os Estados Unidos era o único país não afetado pela guerra, o dólar americano, de acordo com o Acordo Breton Woods entre os EUA, a Grã-Bretanha e a França (1944) tornou-se a moeda de reserva para todos os países capitalistas. Todas as moedas foram fixadas em dólares norte-americanos (através da constituição de variações de moedas mantida pelos bancos centrais de países relevantes por meio das intervenções ou compras de moedas). Por sua vez, o dólar norte-americano estava fixado ao ouro por $35 por onça. Sendo assim, o dólar norte-americano tornou-se a moeda de reserva mundial. Segundo aquele mesmo acordo, organizou-se o Fundo Monetário Internacional (FMI), que hoje presta suporte financeiro significativo aos países em desenvolvimento e aos antigos países socialistas que passam pela transformação econômica. Para atingir essas metas, o FMI utiliza instrumentos como as Reserve trenches, que permitem que um membro saque seu próprio ativo de reserva no momento do pagamento, saques Credit trenches, e arranjos stand-by. As letras são as formas padrão de empréstimos do FMI, diferenciadas daquelas com a facilidade de financiamento compensatório (compensatory financing facility) que oferece ajuda financeira a países com problemas temporários, gerados por reduções em suas receitas de exportação. A buffer stock financing facility que tem o objetivo de auxiliar a estocagem de commodities primário de modo a garantir a estabilidade de preços de uma commodity específica e a extended facility, desenvolvida para prestar assistência a membros com problemas financeiros. No final dos anos 70, a flutuação livre das moedas foi determinada oficialmente, tornando se assim, o marco mais importante da história dos mercados financeiros no século XX, levando à formação do Forex como é hoje concebido. Isto é, as moedas podem ser negociadas por qualquer um, e seus valores são uma função das forças atuais de oferta e demanda no mercado, sendo que não há pontos específicos de intervenção que devam ser observados. O mercado de câmbio tem experimentado um crescimento espetacular em volume desde que se permitiu que as moedas flutuassem livremente entre si. Enquanto a rotatividade diária em 1977 era de US$ 5 bilhões, ela aumentou para US$ 600 bilhões em 1987, atingiu a marca de US$ 1 trilhão em setembro de 1992, e estabilizou-se por volta de US$ 1,5 trilhão em Os principais fatores que influenciaram o crescimento espetacular de volume serão mencionados abaixo. A crescente influência mútua entre diferentes economias quanto a taxas bancárias estabelecidas pelos bancos centrais, afeta essencialmente as taxas de câmbio das moedas e a competição mais intensa em mercados de bens e ao mesmo tempo na ligação de corporações de diferentes países, fazendo com que a revolução tecnológica na esfera do mercado de câmbio aconteça. Esta última ocorreu através do desenvolvimento de sistemas de negociação automatizados, e na transição para o mercado de moedas através da Internet. Além dos sistemas de negociação, sistemas coincidentes conectam, simultaneamente, todos os negociadores ao redor do mundo, duplicando eletronicamente o mercado das corretoras. Os avanços na tecnologia, em software de computadores e telecomunicações, além da maior experiência, têm aumentado o nível de sofisticação dos negociadores, bem como a habilidade para gerar lucros e controlar adequadamente os riscos nas negociações. Dessa forma, a sofisticação dos sistemas levou a um maior volume de negociações. Reserva de países.

7 Além da moeda de reserva global o dólar americano está também em outros países de reserva regional e internacional. Em 1978, os nove membros da Comunidade Européia ratificaram um plano para a criação do Sistema Monetário Europeu, administrado pelo Fundo Europeu de Cooperação Monetária. Em 1999, esses países, que constituíam a chamada Euro zone, implementaram a transição para a moeda comum européia o Euro. As notas de Euro são emitidas em denominações de 1, 2, 5, 10, 20, 50, 100, 200 e 500 Euros. O Euro é uma moeda de reserva regional para os países da zona européia, assim como o Iene japonês é para os países do Sudeste Asiático. O portfólio de moedas de reserva pode mudar, dependendo de condições internacionais específicas, incluindo assim o Franco Suíço. A importância dos Bancos Centrais, G 7 e Estados Unidos. Todos os Bancos Centrais, bem como o Sistema Federal Americano de Reserva (U.S. Federal Reserve System FRS), afetam os mercados estrangeiros de câmbio alterando as taxas de desconto e desempenhando as operações monetárias (como intervenções e compras de moeda). Dentre as operações de câmbio mais significantes estão os contratos de recompra, pelos quais se vende o mesmo título de volta pelo mesmo preço, em uma data futura predeterminada (geralmente, dentro de 15 dias), e a uma taxa de juros específica. Esse contrato representa uma injeção temporária de reservas no sistema bancário. O impacto sobre o mercado de câmbio estrangeiro é tal que a moeda nacional deve enfraquecer. Os contratos de recompra podem ser tanto contratos de recompra de clientes (customer repos), ou contratos de recompra do sistema (system repos). Contratos de correlação de compra e venda São exatamente o oposto dos contratos de recompra. Ao assinar um contrato casado de compra e venda em um banco ou o FRS vende um título para entrega imediata a um negociador ou banco central estrangeiro, com o contrato de comprar de volta no mesmo título pelo mesmo preço em uma data futura predeterminada (geralmente, dentro de 7 dias). Esse contrato representa uma drenagem temporária de reservas. O impacto sobre o mercado de câmbio estrangeiro é tal que a moeda nacional deveria se fortalecer. As operações monetárias incluem pagamentos entre bancos centrais ou para agências internacionais. Além disso, o FRS tem realizado uma série de contratos de swap [troca] de moedas com outros bancos desde Por exemplo, para ajudar um esforço de aliados de guerra contra a invasão do Iraque ao Kuwait em , os pagamentos foram feitos pelo Bundesbank e Bank of Japan ao Federal Reserve. Ainda, os pagamentos ao Banco Mundial ou às Nações Unidas são feitos através de bancos centrais. A intervenção no mercado de câmbio estrangeiro dos Estados Unidos pelo Tesouro dos EUA (U.S. Treasury) e pelo FRS tem o objetivo de restaurar as condições apropriadas do mercado ou influenciar as taxas de câmbio. O objetivo não é afetar as reservas. Tipos de Intervenções Há dois tipos de intervenções no mercado de câmbio: A intervenção esterilizada A intervenção não esterilizada; A intervenção não-esterilizada refere-se unicamente à atividade de câmbio estrangeiro. Tudo o que ocorre é a intervenção em si, na qual a Reserva Federal compra ou vende dólares norte-americanos em uma determinada moeda. Além do impacto no mercado de câmbio, há também o efeito monetário na oferta da moeda. Se a oferta da moeda sofrer impacto, ajustes conseqüentes deveram ser feitos nas taxas de juros, nos preços, e em todos os níveis da economia. Dessa forma, uma intervenção não-esterilizada no mercado de câmbio tem um efeito de longo-prazo.

8 A intervenção esterilizada neutraliza seu impacto na oferta da moeda. Uma vez que há poucos bancos centrais que desejam que o impacto de suas intervenções nos mercados de câmbio afete todos os setores da economia, as intervenções esterilizadas têm sido as opções de escolha. Isto também é verdade para o FRS. A intervenção esterilizada envolve uma etapa adicional da transação de moeda original. Esta etapa consiste de uma venda de títulos do governo que compense a adição de reserva que ocorre por causa da intervenção. Pode ser mais fácil visualizar isso se pensarmos que o banco central irá financiar a venda de uma moeda através da venda de um determinado número de títulos do governo. Visto que a intervenção esterilizada somente gera impacto na oferta e na demanda de uma determinada moeda, seu impacto tende a ter um efeito de curto a médio prazo. 2 - Realidade de Mercado e Riscos Realidade de mercado - Forex é um mercado de risco. A educação necessária, disciplina e a estratégia são fatores importantes que vão fazer com que os riscos sejam eliminados. Perdas são inevitáveis neste segmento. Manter ordens pequenas e aumentar gradativamente o número de ordens e lotes é fundamental para chegar ao sucesso financeiro. Aumente suas ordens e risco de acordo com a sua margem negociável. Como mencionado acima, a negociação no Forex envolve riscos essencialmente. A avaliação do grau de um possível risco considerado deve incluir seus vários tipos: o risco da taxa de câmbio, o risco da taxa de juros, o risco de crédito, e o risco-país. Risco da taxa de câmbio. O risco da taxa de câmbio é o efeito da mudança contínua no saldo de oferta e demanda do mercado mundial em uma posição de destaque do câmbio. No período em que o câmbio estiver em destaque, à posição estará sujeita a todas as alterações de preço. As medidas mais comuns para cortar prejuízos e conduzir posições lucrativas em que os prejuízos são mantidos dentro de limites administráveis são a posição-limite e o limite de prejuízo. De acordo com a limitação da posição, estabelece-se uma quantidade máxima de certa moeda que se permite que um negociador opere a qualquer hora durante os horários de negociação. O limite de prejuízo é uma medida desenvolvida para evitar perdas insustentáveis causadas por negociadores através da definição de níveis de interrupção de perdas (stoploss). Risco da taxa de juros. O risco da taxa de juros refere-se ao lucro e prejuízo gerados pelas flutuações nos spreads a prazo ( forward spreads ), além de desequilíbrios nos valores a prazo e intervalos de maturação entre transações na carteira de câmbio. Esse risco é pertinente para swaps de moedas, forward outright, futuros e opções. Para minimizar o risco da taxa de câmbio, definem-se limites no tamanho total dos desequilíbrios. Uma abordagem comum se dá em separar os desequilíbrios, baseando-se em suas datas de maturação, em até seis meses e após seis meses. Todas as transações são inseridas em sistemas computadorizados, de modo a calcular as posições para todas as datas de entrega, ganhos e perdas. A análise contínua do ambiente da taxa de juros é necessária para prever quaisquer mudanças que possam afetar intervalos significativos. Risco de crédito. O risco de crédito refere-se à possibilidade que uma moeda em posição de destaque tem de não ser paga conforme acordado, devido a uma ação voluntária ou involuntária da outra parte. Nesses casos, a negociação ocorre em câmbios regulados, tais como a câmara de compensação de Chicago. Duas formas de risco de crédito são conhecidas: 1. O risco de reposição ocorre quando as partes associadas a um banco falido descobrem que suas carteiras estão sujeitas ao risco de não obter reembolso do banco, quando então as contas apropriadas tornam-se desequilibradas. 2. O risco de liquidação ocorre por causa dos fusos horários nos diferentes continentes.

9 Conseqüentemente, as moedas podem ser negociadas em diferentes preços nos diferentes fusos ao longo do dia. Os dólares australianos e neozelandeses são creditados primeiro, seguidos pelo iene japonês, depois pelas moedas européias e finalmente pelo dólar americano. Portanto, o pagamento pode ser feito a uma parte que irá declarar insolvência (ou ser declarada insolvente) logo em seguida, mas antes de efetuar seus próprios pagamentos. Portanto, ao avaliar o risco de crédito, os usuários finais devem considerar não apenas o valor de mercado de suas carteiras, mas também a exposição potencial dessas carteiras. A exposição potencial pode ser determinada através da análise de probabilidade ao longo do tempo de maturação da posição de destaque. Os sistemas computadorizados disponíveis atualmente são muito úteis na implementação das políticas de risco de crédito. As linhas de crédito são facilmente monitoradas. Além disso, os sistemas de correlação introduzidos no mercado de câmbio desde abril de 1993 são utilizados por negociadores para a implementação da política de crédito. Os negociadores inserem a linha total de crédito de um parceiro específico. Durante a sessão de negociação, a linha de crédito é automaticamente ajustada. Se a linha for usada completamente, o sistema irá evitar que o negociador faça novas negociações com aquele parceiro. Após a maturação, a linha de crédito retorna o seu nível original. Risco de soberania. O risco de soberania refere-se à interferência do governo na atividade do Forex. Embora esteja teoricamente presente em todos os instrumentos de câmbio estrangeiro, o futuro de moedas é para todos os fins práticos, excetuados do risco-país, visto que os principais mercados de futuros de moedas estão localizados nos EUA. Sendo assim, os negociadores precisam perceber esse tipo de risco e estar em condições de responder a possíveis restrições administrativas. 3 - Sistema de Negociação Forex. Negociação direta. A negociação direta está baseada na reciprocidade da negociação. Um market maker o banco que faz ou cota um preço espera que o banco que a chame seja recíproco ao fazer um preço quando chamado. A negociação direta oferece mais descrição na negociação do que as negociações no mercado de corretoras. Às vezes, os negociadores se beneficiam dessa característica. A negociação direta costumava ser realizada principalmente pelo telefone. A negociação por telefone era lenta e tendia a erros. Os erros de negociação eram difíceis de se provar e ainda mais difíceis de se corrigir. A negociação direta foi transformada para sempre em meados dos anos 80, com a introdução dos sistemas de negociação. Os sistemas de negociação são computadores on-line que ligam os bancos contribuintes em todo o mundo de forma individual. O desempenho dos sistemas de negociação é caracterizado pela velocidade, confiabilidade e segurança. Esses sistemas são melhorados constantemente, de modo a oferecer o suporte máximo na principal função do negociador: negociar. O software é bastante confiável ao tomar os grandes cálculos das taxas de câmbio e as datas de valores padrão. Além disso, é extremamente preciso e rápido no contato com outras partes, na alternância de conversas e no acesso à base de dados. O negociador tem contato visual contínuo com as informações trocadas no monitor. É mais fácil ver do que ouvir tais informações, principalmente durante conversas simultâneas. A maioria dos bancos utiliza uma mistura de corretoras e sistemas de negociação direta. Ambas as abordagens chegam aos mesmos bancos, mas não às mesmas partes porque as corporações, por exemplo, não podem negociar no mercado de corretoras. Os negociadores desenvolvem relacionamentos, tanto com as corretoras como com os negociadores nos mercados, mas selecionam seu meio de negociação com base na qualidade do preço, e não em sentimentos pessoais. A participação de mercado entre sistemas de negociação e corretoras flutua de acordo com as condições do mercado. Condições rápidas do mercado são benéficas para os sistemas de negociação, enquanto condições regulares de mercado são mais benéficas às corretoras. Negociação com corretoras. As corretoras de câmbio, diferentemente de corretoras de ações, não assumem posições por si mesmas, mas apenas prestam serviços a bancos. O papel delas é reunir compradores e vendedores no mercado, de modo a otimizar o preço que mostram para seus clientes e executam os pedidos dos negociadores de forma rápida, precisa e confiável. A maioria das corretoras de câmbio realizam suas transações por telefone, utilizando o sistema open box um microfone em frente ao corretor que transmite continuamente tudo que ele ou ela diz para as linhas telefônicas diretas para os alto-falantes dos bancos. Dessa forma, todos os bancos podem ouvir todas

10 as negociações que são realizadas. Por causa do sistema open box utilizado pelas corretoras, um negociador pode ouvir todos os preços cotados, se o lance foi bem sucedido ou se a oferta foi aceita, e o preço a seguir. O que o negociador não poderá ouvir será a quantidade de lances e ofertas específicos e os nomes dos bancos que mostram os preços. Os preços são anônimos. O anonimato dos bancos que negociam no mercado garante a eficiência dele, visto que, assim, todos os bancos têm chances iguais de negociar. Às vezes, as corretoras cobram uma comissão que é paga igualmente pelo comprador e pelo vendedor. As tarifas são negociadas individualmente pelo banco e pela corretora. As corretoras mostram para os seus clientes os preços pagos por outros clientes, sejam eles os preços de mão dupla (lance e oferta), ou os preços de mão única (lance ou oferta) de seus clientes. Os negociadores mostram preços diferentes porque eles lêem o mercado de forma diferente; eles possuem expectativas e interesses diferentes. Uma corretora que possui mais de um preço em um ou dois lados pode automaticamente otimizar o preço. Em outras palavras, a corretora irá sempre mostrar o lance mais alto e a oferta mais baixa. Portanto, o mercado tem acesso ao melhor spread possível. Como você já deve ter escutado, as análises técnicas e fundamentais são utilizadas para prever a direção futura da moeda. Um negociador poderia testar o mercado fazendo um lance para uma pequena quantia para ver se há alguma reação. Outra vantagem do mercado das corretoras é que elas podem fornecer uma seleção mais ampla de bancos a seus clientes. Alguns bancos europeus e asiáticos possuem operações noturnas, de modo que seus pedidos são geralmente passados a corretoras que podem negociálos com bancos americanos, acrescentando liquidez ao mercado. Sistemas de correção. Diferentemente dos sistemas de negociação, nos quais a negociação não é anônima e são realizados de forma individual, os sistemas de correção são anônimos e negociadores individuais que negociam com o resto do mercado, de forma semelhante à negociação no mercado de corretoras. No entanto, ao contrário do mercado de corretoras, não há pessoas para trazer os preços para o mercado, e a liquidez pode ser limitada às vezes. Os sistemas de correlação são também bastante adequados para se negociar pequenas quantias. As características de velocidade, confiabilidade e segurança dos sistemas de negociação repetem-se nos sistemas de correlação. Além disso, as linhas de crédito são automaticamente administradas pelos sistemas. Os negociadores inserem a linha total de crédito para cada parte com que negociam. Quando a linha de crédito é atingida, o sistema automaticamente suspende as negociações com aquele negociador específico, exibindo restrições de crédito, ou mostra ao negociador somente o preço feito pelos bancos que possuem linhas de crédito abertas. Assim que a linha de crédito for restaurada, o sistema permitirá que o banco negocie novamente. No mercado interbancário os negociadores transacionam diretamente com sistemas de negociação, sistemas de correlação e de corretoras em um módulo complementar. 4 As Principais Moedas O Dólar Americano. É a principal moeda do mundo uma medida universal para avaliar todas as outras moedas no negociadas no Forex. Todas as moedas são geralmente cotadas em relação ao dólar americano. Em condições de insegurança política e econômica internacional, o dólar americano é a principal moeda segura, comprovado durante a crise do Sudeste da Ásia, de 1997 a Como indicado, o dólar americano tornou-se a moeda líder no final da Segunda Guerra Mundial, através do Acordo de Breton Woods, quando então as outras moedas foram virtualmente fixadas em dólares. A introdução do Euro em 1999 reduziu a importância do dólar apenas marginalmente. As outras moedas principais negociadas em relação ao dólar norte-americano são o Euro, o Iene Japonês, a Libra Esterlina e o Franco Suíço. O Euro - Desenvolvido para se tornar a primeira moeda em negociação simplesmente por ser cotada em termos americanos. Como o dólar americano, o Euro tem uma presença internacional forte que se origina dos membros da União Monetária Européia. A moeda continua aterrorizada pelo crescimento desigual, alto desemprego, e resistência governamental a mudanças estruturais. O par foi também balanceado em 1999 e 2000 por fluxos de saída de investidores estrangeiros, principalmente japoneses, que foram forçados a liquidar seus investimentos perdidos em ativos denominados em Euros. Além disso, administradores financeiros europeus balancearam suas carteiras e reduziram suas exposições ao euro, conforme suas necessidades de proteção do risco de moeda na Europa declinavam.

11 O Iene Japonês - É a terceira moeda mais negociada no mundo, possuindo uma presença internacional muito menor do que o dólar americano ou o Euro. O Iene é muito líquido no mundo, praticamente o dia todo. A demanda natural para se negociar o iene concentrou-se principalmente entre os keiretsu japoneses, conglomerados econômicos e financeiros. O Iene é muito mais sensível à volatilidade do índice Nikkei, a bolsa de valores japonesa, e ao mercado imobiliário. A Libra Esterlina. Até o final da Segunda Guerra Mundial, a libra era a moeda de referência. A moeda é fortemente negociada em relação ao Euro e ao dólar americano, mas possui uma presença única em relação a outras moedas. Antes da introdução do Euro, a libra se beneficiava de quaisquer dúvidas sobre a convergência de câmbio. Após a introdução do Euro, o Bank of England tem tentado levar as altas taxas inglesas a uma posição mais próxima às baixas taxas da zona do Euro. A libra poderia unir-se ao Euro no começo do século XXI, desde que o plebiscito do Reino Unido fosse positivo. O Franco Suíço. É a única moeda de um país europeu importante que não pertence à União Monetária Européia e nem aos países do G-7. Embora a economia suíça seja relativamente pequena, o franco suíço é uma das quatro principais moedas, lembrando de perto a força e a qualidade da economia e das finanças suíças. A Suíça possui um relacionamento econômico muito próximo com a Alemanha e, assim, com a zona do Euro. Portanto, em termos de insegurança política no Leste, o franco suíço é geralmente preferível frente ao Euro. Normalmente, acredita-se que o franco suíço seja uma moeda estável. Na verdade, de um ponto de vista cambial, o franco suíço lembra bastante os padrões do Euro, exceto pela sua liquidez. Conforme sua demanda excede a oferta, o franco suíço pode tornar-se mais volátil do que o Euro. 5 -Análise Técnica Fundamento e Objetivos. A análise técnica tem sido utilizada para prever os movimentos do mercado (isto é, alterações em preços de moedas, volumes, e juros abertos) que surgem das informações obtidas do passado. Os principais instrumentos para a análise técnica são tipos diferentes de gráficos, que representam as alterações dos preços das moedas durante um determinado tempo anterior às negociações de câmbio, bem como os indicadores técnicos. Este último tem sido obtido como resultado do processamento matemático de médias e outras características dos movimentos de preços. Os instrumentos da análise técnica são universais e aplicáveis a qualquer setor do Forex, qualquer moeda, e qualquer período de tempo. A análise técnica é fácil de se computar, o que é importante, visto que os serviços técnicos estão se tornando cada vez mais sofisticados e seus preços, mais razoáveis. Esses serviços estão disponíveis para todos os participantes do Forex, independentemente de seus planos de negociação, estratégias aplicadas, e prazos de continuidade em uma dada posição. Nas condições atuais, a análise técnica e feita por computadores, o que é importante se considerarmos que o meio de suporte eletrônico tem se tornado cada vez mais sofisticado. Teoria de Dow Os princípios fundamentais da análise técnica estão baseados na Teoria de Dow, com as seguintes teses principais: 1. O preço é um reflexo abrangente de todas as forças do mercado. Em qualquer ponto dado, todas as informações e forças do mercado estão refletidas nos preços da moeda ( O mercado sabe tudo ). 2. Os movimentos de preço seguem tendências ( A tendência é sua amiga ); as tendências são classificadas como tendências de alta, de baixa e plana. Os exemplos das tendências mencionadas são dados nas Figuras 4.1 a Os movimentos de preço são historicamente repetitivos ( A história se repete ), resultando em emergência periódica dos mesmos padrões nos gráficos. 4. O mercado tem três tendências: a mais longa (cerca de 1 ano) maior, ou primária; a de menor duração (1 mês ou mais), intermediária, ou secundária; e a curta (vários dias ou semanas), menor

12 [terciária]. A tendência primária tem três fases: acumulação, ascensão/queda, e distribuição. Dessa forma, na fase de acumulação de um mercado de alta, os negociadores mais experientes entram em novas posições. Na fase de ascensão e queda, a maioria do mercado finalmente "enxerga" o movimento e vai atrás dos outros. Finalmente, na fase de distribuição, os negociadores mais espertos tiram seus lucros e fecham suas posições, enquanto o interesse geral de negociação se desacelera num mercado que já foi longe demais. A tendência secundária é a correção da primeira tendência, e pode refazer um terço, metade ou dois terços da tendência primária. Na estrutura de uma tendência primária pode haver diversas tendências secundárias ou terciárias. A estrutura de uma tendência de alta é mostrada na Figura As tendências existem até que não se rompam (ver as Figuras 4.2 e 4.3) e quando suas inversões são confirmadas. A Figura 4.4 mostra um exemplo de inversões em um mercado de moedas de baixa. Os sinais de compra ocorrem nos pontos A e В, quando a moeda excede as altas anteriores. Figura 4.1. Exemplo de uma tendência de alta no gráfico. Figura 4.2. Exemplo de uma tendência de baixa e uma quebra no gráfico. 6. O volume deve confirmar a tendência. O volume consiste da quantia total de moeda negociada dentro de um período de tempo, geralmente de um dia. Grandes volumes de negociação sugerem que há interesse e liquidez em certo mercado, enquanto um baixo volume avisa o negociador para fechar posições. O interesse aberto é a exposição total ou posição de destaque em um determinado instrumento. Os valores do interesse aberto e do volume são disponibilizados em diferentes fontes, embora com um dia de atraso, como nos sistemas on-line (Reuters, Bloomberg), jornais (Wall Street Journal), e gráficos semanais impressos (Lupafx).

13 Figura 4.3. Exemplo de planos e quebras no gráfico. Figura 4.4. Diagrama da inversão do mercado de baixa. Figura 4.5. Diagrama da estrutura da tendência de alta: o lado esquerdo a maior tendência com tendências intermediárias; a parte do fundo do lado esquerdo tendências menores da tendência secundária circulada. Medições percentuais nas inversões de preço. O preço de uma moeda estrangeira, mesmo nas tendências mais fortes, nunca se move constantemente para cima ou para baixo. Os negociadores observam possíveis inversões (uma mudança na direção do movimento) em certos pontos dos gráficos. Há três pontos típicos principais em que uma possível inversão pode ser marcada em um gráfico em porcentagens, comparada com os movimentos anteriores (supressão percentual): 1. De acordo com Charles Dow, uma inversão para cima tradicionalmente ocorre após o preço ter passado abaixo de 1/3 (33%), ½ (50%), ou 2/3 (66%) da última alta. A inversão após 66% é considerada uma correção da tendência. 2. Utilizando-se as constantes de Fibonacci (ver Capítulo Fibonacci), pode-se esperar uma inversão para cima nos pontos de baixa aos 0,382 (38%), 0,5 (50%) e 0,618 (62%) da última alta.

14 3. De acordo com Gann, deve-se esperar por uma inversão para cima após cada 1/8 da última alta no caminho de descida. Gráficos e Indicadores Tipos de preços e unidades de tempo. Os gráficos para a análise técnica são construídos com as coordenadas preço (eixo vertical) tempo (eixo horizontal). Os seguintes tipos de preços de moedas representados nos gráficos são diferenciados no Forex: Aberto um preço no começo do período de negociação (ano, mês, dia, semana, hora, minuto). Fechado um preço no final do período de negociação. Máximo o preço mais alto observado durante um período de negociação. Mínimo o preço mais baixo observado durante um período de negociação. A análise técnica fornece e dá condição de poder utilizar gráficos para diferentes unidades de tempo de 1 ano ou mais até 1 minuto. Por exemplo, programa e gráficos permite analisar movimentações de preços para 1 dia, 4 horas, 30 minutos, 15 minutos, 5 minutos e 1 minuto. Quanto maior é o tempo aplicado para a elaboração do gráfico, maior é a gama de tempo para se analisar as movimentações de preços e para se determinar a maior tendência através do gráfico. Para gráficos de negociação mais curtos, unidades de tempo menores são mais adequadas. Gráfico de linhas - É elaborado na concessão de preços avulsos para um período de tempo selecionado. O gráfico de linha mais popular é o gráfico diário. Embora qualquer ponto ao longo do dia possa ser mostrado, a maioria dos negociadores foca-se no preço de fechamento, que entendem ser o mais importante (ver a Figura 4.6). Mas um problema imediato com o gráfico de linha diário é o fato de que é impossível ver a atividade dos preços para o saldo do período, bem como os intervalos (ver o Capítulo 4.6) quebras nos preços em junções de períodos de negociação. No entanto, os gráficos de linha são mais fáceis de se visualizar. Ainda, a análise técnica vai bem além da formação do gráfico, e para executar certos modelos e técnicas, os gráficos de linha são mais adequados do que qualquer outro tipo de gráfico. Gráfico de barras - Consiste em histogramas separados (ver a Figura 4.7). Para elaborar um histograma nas coordenadas preço tempo, os pontos referentes aos preços altos, baixos, abertos e fechados para um período de tempo analisado devem ser marcados na barra vertical. O preço de abertura geralmente é marcado com uma pequena linha horizontal à esquerda da barra, sendo que o preço de fechamento é marcado com uma pequena linha horizontal à direita da barra. Os gráficos de barras possuem a vantagem óbvia de mostrar a variação da moeda para o período selecionado. Uma vantagem desse gráfico é que, ao contrário dos outros, ele é capaz de mostrar os intervalos de preços. Dessa forma, é possível ver absolutamente todas as movimentações de preços durante o período em um gráfico de barras. Figura 4.6. Exemplo de um gráfico de linhas.

15 Figura 4.7. Exemplo de histogramas elaborados no gráfico. Gráfico de velas - Intimamente relacionado ao gráfico de barras. Ele também consiste de quatro preços principais: alto, baixo, aberto e fechado (ver a Figura 4.8). Além das leituras normais, o gráfico de velas tem um conjunto de interpretações particulares. Isto é possível graças à observação visual conveniente do gráfico. Figura 4.8. Exemplo de uma formação de velas no gráfico. Os preços de abertura e fechamento dos preços formam o corpo da vela. Para indicar que a abertura foi mais baixa do que o fechamento, o corpo da barra é deixado em branco. Os visores eletrônicos atuais permitem que se mantenha em branco ou se escolha uma cor de preferência. Se a moeda fechar abaixo de sua abertura, o corpo é preenchido. Em sua forma original, o corpo era preto, mas os visores eletrônicos permitem que ele seja preenchido com uma cor de preferência. A direção intra-dia (diária) e semanal em um gráfico de velas pode ser rastreada por meio de duas sombras : a sombra superior (uwakage) e a sombra inferior (shitakage). Assim como no gráfico de barras, o gráfico de velas é incapaz de rastrear cada movimento de preço durante a atividade do período. Tipos de Gráficos. Aprender como melhorar o uso do gráfico no mercado Forex no dia a dia é fundamental, porque se não houver um gráfico sincronizado com a realidade do dia, você estará sujeito a efetuar decisões erradas em um outro tipo ou espaço de tempo para os seus investimentos. Ao usar sua plataforma de investimento utilize também o seu diário de investimentos, tomando nota sobre acontecimentos e informações que deram ou não certo no decorrer de suas ordens de compra ou venda. Fazer a sua lição de casa em dia nestes gráficos, é muito importante para adquirir uma visão mais ampla do mercado, seja ele diário, (day-trade), semanal e mensal (swing-trade).

16 Atenção - *Adquira desde já bons HÁBITOS E DISCIPLINA em qualquer tipo de estratégia que você venha a escolhe, pois isto será de extrema importância para o seu sucesso*. Caso você tenha conhecimentos básicos em gráficos financeiros, é imprescindível que você acesse os endereços abaixo para conhecer os princípios de cada um, caso já tenha algum conhecimento, siga em frente. (indicadores de A - Z) Revise os indicadores de A-Z. Você já aprendeu sobre Médias Moventes e o SAR Parabólico? Se você não aprendeu ainda, de uma olhada desde já e retorne neste ponto, (LUPAFX) dando continuidade ao processo de aprendizado. Caso você já conheça os indicadores, podemos seguir em frente. Mas atenção, se você tentar aprender todos os indicadores de uma só vez, você não vai aproveitar 100% destes gráficos e desistirá automaticamente deste processo. Comece do 0 (zero) em conhecimento, leia todos os gráficos e as suas anotações e faça um resumo de seus conhecimentos, tome nota de tudo que achar importante para a sua estratégia, pois este é o momento para você iniciar uma BASE SÓLIDA e começar a adquirir conhecimentos sólidos para alcançar o topo. Estude, comece a desenhar a melhor estratégia e trabalhe da melhor maneira possível seguindo abaixo os principais indicadores. Há alguns indicadores que os Gurus usam e dão prioridade, mantendo assim, você fora de grandes problemas e lhe proporcionando maiores lucros. Os indicadores abaixo relacionados são profundamente necessários para garantir o seu sucesso NAS RESPECTIVAS ORDERNS: Gráficos Ajustes principais. A - Média Moventes Exponencial/Simples (EMA 10.20,50,200) (lupafx SMA5,9,20,50,100,200) B - Histograma de MACD, (12,26,9) (lupafx 3,8,13) C - Índice Relativo da Força (RSI), (10) (lupafx 14) D Bandas Bollinger (BB) ( 20, 2.0) (lupafx ) E - Estocástico Lento (5.5.3) (lupafx 5,3,3) F - Parabólico SAR (0.02, 0.2) (lupafx 0.02, 0.2) G - Momemtum (10) (lupafx 12)

17 H - Mudança na taxa de Preço (Price Rate of Change) I - Suporte e Resistência (free hand) J - Linha de tendência. (free hand) K - Fibonacci Retracements high/low L- Ondas de Elliot - Elliott Wave - Somente estude um novo indicador quando você entender completamente o indicador estudado e começar a visualizar e entender as movimentações e reações. Para tornar o seu estudo ainda mais completo, tome às anotações necessárias do indicador em seu diário financeiro. Nós não usamos diariamente todos os indicadores acima relacionados devido à falta de espaço e visualização junto aos principais gráficos, mas é muito importante saber tudo sobre todos eles, pois nas poucas vezes que você usar algum outro indicador com outro, isto tornará as suas decisões e confirmações muito mais visíveis. Trabalhando com Gráficos Rápidos. Agora que você conhece melhor a formulação dos gráficos, podemos começar a usar gráfico mais rápido. Se você estiver usando o gráfico de 15 minutos, tente o gráfico de 5 minutos. Se você estiver usando o gráfico de 5 minutos, tente praticar o gráfico de 1 minuto e se estiver usando o gráfico de 1 minuto, tente praticar o Tick Chart. A atividade do preço será mais agressiva, podendo assim, proporcionar maiores oportunidades e consequentemente maiores riscos. No gráfico de 1 ou 5 minutos, usando indicadores como Bollinger Bands & Parabollic SAR, ajuste suas médias moventes em 10 e 50. O 10 EMA é sua linha de disparada para iniciar dentro e fora das posições. Suas oportunidades de negociações ocorrem quando o 10 EMA move para cima e para baixo através do BB médio com maior freqüência. As mesmas regras aplicam-se como anteriormente, mas agora, a ação é muita mais rápida. Use a velocidade em seu favor, com isto, você terá mais oportunidades de negociação, revise suas anotações e informações e comece a praticar tudo em um espaço curto de tempo. Casos assim, são usados por pessoas físicas que não tem muito tempo para analisar os gráficos ou não usam estratégias longas e querem adquirir lucros em um espaço curto de tempo. Usando os hábitos de negociação cabíveis ao seu estilo de vida, nos gráficos mais rápidos, você estará colocando mais lotes em uma negociação, porque estará aguardando um número menor e mais rápido de pips no período escolhido. Tente fechar todas as posições antes que você saia ou deixe seu computador sem maiores instruções, pois ainda haverá um longo dia pela frente a ser negociado no mercado Forex. Atenção - Até hoje, são raros os casos em pessoas bem sucedidas neste tipo de estratégia, portanto, muito cuidado se você optar em usá-las.

18 Linhas de Tendência A linha de tendência. É um elemento inicial principal para a análise do gráfico de preços. Embora o mercado se mova em qualquer direção que não uma linha reta, mas um ziguezague, a colocação mútua dos pontos superiores e inferiores desses ziguezagues permitem a formação de uma linha que conecta as altas significativas (picos) ou as baixas significativas (canaletas) de um ziguezague, utilizando-se ferramentas técnicas de programas de computador (ver as Figuras 4.1 a 4.3). Para se desenhar uma linha de tendência, apenas trace a linha entre dois pontos e o terceiro ponto será a confirmação do ponto de contato. Em um gráfico de tendência de alta, isso deve ser desenhando utilizando-se as canaletas, em um gráfico de baixa utilizando-se picos. A linha de tendência e uma linha que é quase paralela à primeira e desenhada no lado oposto (através dos picos em uma tendência de alta e através das canaletas em uma tendência de baixa) formam o canal de negociação. As duas linhas são então as fronteiras do canal. Exemplos de canais de negociação são mostrados nas Figuras 4.9 e Figura 4.9. Exemplo de um canal de negociação de alta no gráfico. Suporte e Resistência Linhas de suporte e resistência. As fronteiras superior e inferior dos canais de negociação são chamadas de linhas de suporte e resistência. Os picos representam os níveis de preço no qual a pressão de venda excede a pressão de compra. Eles são conhecidos como níveis de resistência. As canaletas, por outro lado, representam os níveis no qual a pressão de venda sucumbe à pressão de compra, chamados de níveis de suporte. Em uma tendência de alta, os níveis de suporte e resistência consecutivos devem exceder um ao outro respectivamente. O contrário também é verdadeiro em uma tendência de baixa. Embora poucas exceções sejam aceitáveis, essas falhas devem ser consideradas como sinais de alerta para mudanças na negociação. Figura Exemplo de um canal de baixa e de sua quebra no gráfico.

19 A importância das tendências é uma função do tempo e do volume. Quanto mais tempo os preços saltarem além das linhas de suporte e resistência, mais significante se torna a tendência. O volume de negociação também é muito importante, especialmente nos níveis críticos de suporte e resistência. Quando a moeda salta além desses níveis sob um volume pesado, a importância da tendência aumenta. A importância dos níveis de suporte e resistência vai além de suas funções originais. Se esses níveis forem penetrados de forma convincente, eles tendem a tornar-se exatamente o oposto. Um nível de suporte firme, após ser penetrado em volume pesado, provavelmente se tornará um nível de resistência forte. (ver a Figura 4.11). Em contrapartida, uma resistência forte se torna um suporte firme após ter sido penetrada (ver a Figura 4.2). Em geral, para avaliar a confiabilidade (isto é, a possibilidade de uma quebra) das fronteiras do canal de negociação, tomando-se a decisão de fechar ou de salvar uma posição existente, um negociador deve se orientar pelas seguintes regras: 1. Um canal é mais confiável se ele existir por mais tempo. Sendo assim, a solidez de canais muito antigos (como os que existem há mais de 1 ano) decai abruptamente. 2. Um canal é mais confiável se sua largura for maior ( Leva-se tempo para quebrar um canal ). 3. A resistência pode ser quebrada se ela for rebatida no fundo de um volume crescente ( É necessário volume para quebrar a resistência ). 4. Um canal muito inclinado é menos confiável se comparado com um canal mais suave. 5. O suporte pode ser quebrado independentemente do volume ( sob o próprio peso ). Figura Exemplo de resistência transformada em suporte no gráfico. Figura Exemplo de suporte transformado em resistência no gráfico. Padrões de Inversão Independentemente da unidade de tempo que se aplica, os gráficos de movimento de preços formam diferentes tipos de padrões idênticos que se repetem periodicamente. Alguns desses padrões

20 sempre ocorrem nos gráficos antes da inversão de tendências quando o volume está crescendo ou diminuindo significativamente. Essas formações são conhecidas como padrões de inversão, e estão discutidos abaixo. Cabeça-e-ombros. O padrão cabeça-e-ombros é uma das formações de gráfico mais conhecidas e confiáveis. Ele consiste de três retomadas de alta consecutivas (ver a Figura 4.13). A primeira e a terceira retomada os ombros tem mais ou menos a mesma altura, e a retomada do meio a cabeça é a mais alta. As três retomadas estão baseadas na mesma linha de suporte ( ou em uma linha de resistência, no caso da formação cabeça-e-ombros invertida), conhecida como a linha de pescoço. Um exemplo real do padrão cabeça-e-ombros são mostrados na Figura Figura Diagrama de um padrão típico cabeça-e-ombros. Antes do ponto A, a linha de pescoço era uma linha de resistência. Quando a linha de resistência foi rompida, ela tornou-se uma linha de suporte importante. O preço rebateu nela duas vezes, nos pontos В e C. A linha de pescoço foi quebrada no ponto D, sob volume pesado, e a inversão da tendência foi confirmada. Quando a linha de suporte importante foi quebrada, uma supressão que poderia ser esperada para testar novamente a linha de pescoço (E), que agora é novamente a linha de resistência. Se a linha de resistência fosse mantida, esperar-se-ia que o preço pudesse cair para perto do nível F, que era o preço-alvo da formação cabeça-e-ombros. O alvo era aproximadamente igual em amplitude à distância entre o topo da cabeça e a linha de pescoço. O preço-alvo foi medido a partir do ponto D, quando a linha de pescoço foi rompida (linha DF na Figura 4.13). Figura Exemplo de um padrão real cabeça-e-ombros no gráfico. Sinais gerados pelo padrão cabeça-e-ombros. A formação cabeça-e-ombros fornecem informações excelentes: 1. A linha de suporte. Isto se baseia nos pontos В e C. 2. A linha de resistência. Após ceder no ponto D, o mercado pode testar novamente a linha de pescoço no ponto E.

Aula 3. ANÁLISES - Nível Básico Técnica e Fundamentalista Iniciantes

Aula 3. ANÁLISES - Nível Básico Técnica e Fundamentalista Iniciantes Aula 3 ANÁLISES - Nível Básico Técnica e Fundamentalista Iniciantes Introdução Para auxiliá-los na tomada de decisões, os investidores contam com dois tipos de análises: Análise Fundamentalista que baseia-se

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com História Antes do dólar a moeda de referência internacional era a Libra Esterlina, pois a Inglaterra era a grande economia mundial. Somente após a segunda

Leia mais

Índice REGULAMENTOS DA TELETRADE. Introdução...2. Margem de negociação...3. Tipos de aplicações/ordens...5. Envio e execução de ordens de mercado...

Índice REGULAMENTOS DA TELETRADE. Introdução...2. Margem de negociação...3. Tipos de aplicações/ordens...5. Envio e execução de ordens de mercado... Índice Introdução...2 Margem de negociação...3 Tipos de aplicações/ordens...5 Envio e execução de ordens de mercado...7 Ordem limitada...9 Autorização/registro... 13 Divisão... 14 Contratos futuros...

Leia mais

ebook - Forex para Iniciantes

ebook - Forex para Iniciantes Mercado financeiro Na economia, o mercado financeiro é um mecanismo que permite a compra e venda (comércio) de valores mobiliários (por exemplo ações e obrigações), mercadorias (como pedras preciosas ou

Leia mais

ESTUDO DE CASO MÓDULO XI. Sistema Monetário Internacional. Padrão Ouro 1870 1914

ESTUDO DE CASO MÓDULO XI. Sistema Monetário Internacional. Padrão Ouro 1870 1914 ESTUDO DE CASO MÓDULO XI Sistema Monetário Internacional Padrão Ouro 1870 1914 Durante muito tempo o ouro desempenhou o papel de moeda internacional, principalmente por sua aceitabilidade e confiança.

Leia mais

Modalidades de Pagamento

Modalidades de Pagamento Modalidades de Pagamento Remessa / Pagamento antecipado: Nesta modalidade, o importador realiza o pagamento ao exportador antes do envio da mercadoria. Trata-se da opção mais interessante para o exportador,

Leia mais

Nova York segue dentro do atual canal lateral. Margem de ganho mensal supera 8%

Nova York segue dentro do atual canal lateral. Margem de ganho mensal supera 8% Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Nº 519 Ano XVI 05/maio/2014 Nova York segue dentro do atual canal lateral. Margem de ganho mensal supera 8% Nos mercados futuros internacionais, a última semana

Leia mais

O MERCADO DE AÇÕES FOI REVOLUCIONADO E REDEFINIDO

O MERCADO DE AÇÕES FOI REVOLUCIONADO E REDEFINIDO O MERCADO DE AÇÕES FOI REVOLUCIONADO E REDEFINIDO A FÓRMULA DO SUCESSO PODE SER SIMPLES. A maioria dos corretores da bolsa sente dificuldade em atuar permanentemente com sucesso nos mercados financeiros.

Leia mais

E-book de Fundos de Investimento

E-book de Fundos de Investimento E-book de Fundos de Investimento O QUE SÃO FUNDOS DE INVESTIMENTO? Fundo de investimento é uma aplicação financeira que funciona como se fosse um condomínio, onde as pessoas somam recursos para investir

Leia mais

Dica de Trading - Verifique se o seu computador está a funcionar corretamente.

Dica de Trading - Verifique se o seu computador está a funcionar corretamente. Seja bem-vindo as Opções Binárias. Este E-book irá mostrar a você uma pequena visão sobre tudo o que precisa saber sobre os conceitos básicos das opções binárias. O que são Opções Binárias? Uma forma relativamente

Leia mais

3 A forma de funcionamento do mercado cambial

3 A forma de funcionamento do mercado cambial 27 3 A forma de funcionamento do mercado cambial Neste Capítulo, apresentar-se-á a forma de funcionamento do mercado cambial, algumas das suas principais instituições, seus participantes e algumas especificidades

Leia mais

Back-Test no MetaStock

Back-Test no MetaStock Back-Test no MetaStock Visão Geral Tela principal do System Tester O System Tester visa testar sistemas (trading systems) para determinar seu histórico de rentabilidade. Ele ajuda a responder a pergunta

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Mercado de Divisas e

Mercado de Divisas e Mercado de Divisas e Taxa de Câmbio Agentes do Mercado de Câmbio Taxa de Câmbio Nominal e Real Taxa de Câmbio Fixa e Flexível http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Agentes do Mercado Cambial Todos

Leia mais

Unidade de Política Econômica

Unidade de Política Econômica Unidade de Política Econômica Brasília, abril de 2007 Superávit na balança comercial e juros altos sustentam valorização do real No primeiro bimestre de 2007, o dólar foi negociado a R$ 2,10, na média

Leia mais

CURSO PRÁTICO MINI CONTRATO XP Interfloat Ago/ 2014

CURSO PRÁTICO MINI CONTRATO XP Interfloat Ago/ 2014 CURSO PRÁTICO MINI CONTRATO XP Interfloat Ago/ 2014 A História da BM&F Uma história de Sucesso criada em Junho de 1985. Constituída sob a forma de sociedade por ações. Desenvolver, organizar e operacionalizar

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opção sobre Futuro de Boi Gordo

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opção sobre Futuro de Boi Gordo CONTRATOS DERIVATIVOS Opção sobre Futuro de Boi Gordo Opção sobre Futuro de Boi Gordo O Contrato de Opção sobre Futuro de Boi Gordo com Liquidação Financeira foi lançado pela BM&FBOVESPA, em 22/07/1994,

Leia mais

Depressões e crises CAPÍTULO 22. Olivier Blanchard Pearson Education. 2006 Pearson Education Macroeconomia, 4/e Olivier Blanchard

Depressões e crises CAPÍTULO 22. Olivier Blanchard Pearson Education. 2006 Pearson Education Macroeconomia, 4/e Olivier Blanchard Depressões e crises Olivier Blanchard Pearson Education CAPÍTULO 22 Depressões e crises Uma depressão é uma recessão profunda e de longa duração. Uma crise é um longo período de crescimento baixo ou nulo,

Leia mais

DERIVATIVOS DE Balcão. Termo de Moedas

DERIVATIVOS DE Balcão. Termo de Moedas DERIVATIVOS DE Balcão Termo de Moedas Termo de Moedas Registro de negociação de taxas de câmbio ou de paridade futura O produto O Contrato a Termo de Moedas possibilita a negociação de taxa de câmbio ou

Leia mais

Finanças Internacionais

Finanças Internacionais Finanças Internacionais Bruno Funchal bfunchal@fucape.br 1 Bibliografia - Eun and Renick, cap. 4; - Grabbe, cap. 4. Objetivo: Apresentar ao aluno o arcabouço institucional dentro do qual as taxas de câmbio

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com O que é o Índice Futuro Para falar de índice futuro, primeiro precisamos falar do ÍNDICE no presente, que é o Ibovespa. O famoso índice que serve para medir

Leia mais

Forex. 2013, Março. O Mercado Cambial

Forex. 2013, Março. O Mercado Cambial Forex 2013, Março O Mercado Cambial AVISO O presente documento foi preparado pelo Banco BEST com o objectivo de informar os leitores sobre as principais características dos produtos derivados aqui apresentados,

Leia mais

ECONOMIA INTERNACIONAL II Professor: André M. Cunha

ECONOMIA INTERNACIONAL II Professor: André M. Cunha Introdução: economias abertas Problema da liquidez: Como ajustar desequilíbrios de posições entre duas economias? ECONOMIA INTERNACIONAL II Professor: André M. Cunha Como o cada tipo de ajuste ( E, R,

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM. Marina Fischer Danelli. Hedge em Financiamento à Importação

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM. Marina Fischer Danelli. Hedge em Financiamento à Importação INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM Marina Fischer Danelli Hedge em Financiamento à Importação São Paulo 2012 Marina Fischer Danelli Hedge em Financiamento à

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO Este texto não é uma recomendação de investimento. Para mais esclarecimentos, sugerimos a leitura de outros folhetos editados pela BOVESPA. Procure sua Corretora.

Leia mais

O que são CFDs? CFDS Uma abordagem prática

O que são CFDs? CFDS Uma abordagem prática O que são CFDs? Um CFD (Contract for difference) é um instrumento financeiro negociado fora de mercados regulamentados que proporciona, aos investidores, uma forma mais eficiente de negociação em acções.

Leia mais

O comportamento pós-crise financeira das taxas de câmbio no Brasil, China, Índia e Europa

O comportamento pós-crise financeira das taxas de câmbio no Brasil, China, Índia e Europa O comportamento pós-crise financeira das taxas de câmbio no Brasil, China, Índia e Europa Guilherme R. S. Souza e Silva * RESUMO - O presente artigo apresenta e discute o comportamento das taxas de câmbio

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Conhecimentos Bancários Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Conhecimentos Bancários Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Câmbio TROCA Conhecimentos Bancários Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Câmbio TROCA Moedas Estrangeiras

Leia mais

Princípios de Investimento

Princípios de Investimento Princípios de Investimento Rentabilidade Rentabilidade é o grau de rendimento proporcionado por um investimento pela valorização do capital ao longo do tempo. Liquidez Liquidez é a rapidez com que se consegue

Leia mais

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM. Pedro de Albuquerque Seidenthal

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM. Pedro de Albuquerque Seidenthal INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM Pedro de Albuquerque Seidenthal TAXA DE JUROS FUTURA: SIMULAÇÃO DE OPERAÇÕES ESPECULATIVAS São Paulo 2012 Pedro de Albuquerque

Leia mais

Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil

Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil Fevereiro/2014 A taxa de câmbio é um dos principais preços relativos da economia, com influência direta no desempenho macroeconômico do país e na composição de

Leia mais

Perguntas Freqüentes Operações em Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F)

Perguntas Freqüentes Operações em Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) 1. O que é contrato futuro? É um acordo entre duas partes, que obriga uma a vender e outra, a comprar a quantidade e o tipo estipulados de determinada commodity, pelo preço acordado, com liquidação do

Leia mais

Renda Fixa. Letra de Crédito Imobiliário

Renda Fixa. Letra de Crédito Imobiliário Renda Fixa Letra de Crédito Imobiliário Letra de Crédito Imobiliário Uma alternativa para diversificação de carteira de investimento O produto Letra de Crédito Imobiliário () é um título de crédito, lastreado

Leia mais

Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI. Prof. Fernando Rodrigues

Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI. Prof. Fernando Rodrigues Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI Prof. Fernando Rodrigues Quando se trabalha com projetos, é necessária a utilização de técnicas e ferramentas que nos auxiliem a estudálos, entendê-los e controlá-los.

Leia mais

Informações Adicionais sobre Serviços de Investimento. Ordens e Política de Execução de Ordens

Informações Adicionais sobre Serviços de Investimento. Ordens e Política de Execução de Ordens Informações Adicionais sobre Serviços de Investimento Ordens e Política de Execução de Ordens Introdução Nas Informações Adicionais sobre Serviços, a DEGIRO fornece uma descrição detalhada dos acordos

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO ESTE FOLHETO FAZ REFERÊNCIA AO PREGÃO À VIVA VOZ, FORMA DE NEGOCIAÇÃO UTILIZADA ATÉ 30/9/2005. A PARTIR DESSA DATA, TODAS AS OPERAÇÕES FORAM CENTRALIZADAS

Leia mais

ECONOMIA INTERNACIONAL II. Paridade Poder de Compra. Teoria: um primeiro olhar. A Lei do Preço Único

ECONOMIA INTERNACIONAL II. Paridade Poder de Compra. Teoria: um primeiro olhar. A Lei do Preço Único Teoria: um primeiro olhar ECONOMIA INTERNACIONAL II Paridade Poder de Compra Professor: André M. Cunha 1. Teoria da Paridade Poder de Compra (PPC) : a abordagem da paridade poder de compra (PPC) sugere

Leia mais

MANUAL DO GERENCIAMENTO DE RISCOS DE MERCADO

MANUAL DO GERENCIAMENTO DE RISCOS DE MERCADO MANUAL DO GERENCIAMENTO DE RISCOS DE MERCADO Introdução O Gerenciamento do Risco de Mercado no Grupo Didier Levy, considerando as empresas BEXS Banco de Câmbio S/A e BEXS Corretora de Câmbio S/A está fundamentado

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO ADVERTÊNCIA AO INVESTIDOR Risco de perda súbita total, superior ou parcial do capital investido Remuneração não garantida Existência de comissões Possibilidade de exigência

Leia mais

Conceitos básicos de negociação em CFDs

Conceitos básicos de negociação em CFDs Conceitos básicos de negociação em CFDs N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Advertências Específicas ao Investidor: Pode implicar a perda

Leia mais

BM&FBOVESPA A Bolsa é pra você!

BM&FBOVESPA A Bolsa é pra você! BM&FBOVESPA A Bolsa é pra você! Como Investir na Bolsa Nesta seção você descobrirá como investir na Bolsa. Os tópicos desta seção trazem, de maneira direta e sucinta, cada etapa pela qual você passará

Leia mais

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Identificação rápida de gargalos Uma forma mais eficiente de realizar testes de carga. Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009

Identificação rápida de gargalos Uma forma mais eficiente de realizar testes de carga. Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009 Identificação rápida de gargalos Uma forma mais eficiente de realizar testes de carga Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009 Identificação rápida de gargalos Uma forma mais eficiente de realizar testes

Leia mais

INVESTIMENTOS CONSERVADORES

INVESTIMENTOS CONSERVADORES OS 4 INVESTIMENTOS CONSERVADORES QUE RENDEM MAIS QUE A POUPANÇA 2 Edição Olá, Investidor. Esse projeto foi criado por Bruno Lacerda e Rafael Cabral para te ajudar a alcançar mais rapidamente seus objetivos

Leia mais

O PAPEL DA AGRICULTURA. Affonso Celso Pastore

O PAPEL DA AGRICULTURA. Affonso Celso Pastore O PAPEL DA AGRICULTURA Affonso Celso Pastore 1 1 Uma fotografia do setor agrícola tirada em torno de 195/196 Entre 195 e 196 o Brasil era um exportador de produtos agrícolas com concentração em algumas

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

METAS PARA A INFLAÇÃO, INTERVENÇÕES ESTERILIZADAS E SUSTENTABILIDADE FISCAL

METAS PARA A INFLAÇÃO, INTERVENÇÕES ESTERILIZADAS E SUSTENTABILIDADE FISCAL METAS PARA A INFLAÇÃO, INTERVENÇÕES ESTERILIZADAS E SUSTENTABILIDADE FISCAL Aluno: Carolina Machado Orientador: Márcio G. P. Garcia Introdução A liquidez abundante no mercado financeiro internacional e

Leia mais

Introdução. Capitais Internacionais

Introdução. Capitais Internacionais Capitais Internacionais e Mercado de Câmbio no Brasil Atualizado em fevereiro de 2009 1 Introdução O tratamento aplicável aos fluxos de capitais e às operações de câmbio acompanhou as conjunturas econômicas

Leia mais

[CONFIDENCIAL] Aprenda com o SAGAZ. Primeiros passos para investir na Bolsa.

[CONFIDENCIAL] Aprenda com o SAGAZ. Primeiros passos para investir na Bolsa. 1 Aprenda com o SAGAZ Primeiros passos para investir na Bolsa. Está pensando em investir em ações e não sabe por onde começar? Fique tranqüilo, você está no lugar certo. Aqui você terá a melhor orientação

Leia mais

Conceitos básicos de negociação em Futuros

Conceitos básicos de negociação em Futuros Conceitos básicos de negociação em Futuros N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Advertências Específicas ao Investidor: Pode implicar

Leia mais

MINICURSO SEMAT. Análise Técnica para Investimentos em Bolsa de Valores, Índices e Commodities. Lucas Guilherme Rigo Canevazzi

MINICURSO SEMAT. Análise Técnica para Investimentos em Bolsa de Valores, Índices e Commodities. Lucas Guilherme Rigo Canevazzi MINICURSO SEMAT Análise Técnica para Investimentos em Bolsa de Valores, Índices e Commodities Lucas Guilherme Rigo Canevazzi Matheus Furtado de Souza Popp Prof. Dr. Geraldo Nunes Silva Prof. Dr. Maurílio

Leia mais

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> MERCADO DE CÂMBIO. Uma oferta do serviço Bloomberg Professional MOMENTO PERFEITO

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> MERCADO DE CÂMBIO. Uma oferta do serviço Bloomberg Professional MOMENTO PERFEITO >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> MERCADO DE CÂMBIO Uma oferta do serviço Bloomberg Professional MOMENTO PERFEITO A PLATAFORMA DE CÂMBIO SEM IGUAL Os mercados de câmbio estão em

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA BOLSA AMERICANA NA ECONOMIA DOS PAÍSES EMERGENTES

A INFLUÊNCIA DA BOLSA AMERICANA NA ECONOMIA DOS PAÍSES EMERGENTES A INFLUÊNCIA DA BOLSA AMERICANA NA ECONOMIA DOS PAÍSES EMERGENTES JOÃO RICARDO SANTOS TORRES DA MOTTA Consultor Legislativo da Área IX Política e Planejamento Econômicos, Desenvolvimento Econômico, Economia

Leia mais

Gestão Tesouraria e Derivativos Prof. Cleber Rentroia MBA em Gestão Financeira Avançada

Gestão Tesouraria e Derivativos Prof. Cleber Rentroia MBA em Gestão Financeira Avançada 1. O direito de compra de um ativo, a qualquer tempo, pelo respectivo preço preestabelecido, caracteriza uma opção? a) Européia de venda b) Européia de compra c) Americana de venda d) Americana de compra

Leia mais

Fernando Nogueira da Costa Professor do IE- UNICAMP h2p://fernandonogueiracosta.wordpress.com/

Fernando Nogueira da Costa Professor do IE- UNICAMP h2p://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Fernando Nogueira da Costa Professor do IE- UNICAMP h2p://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Estrutura da apresentação 2 Breve histórico Os Mercados Futuros no mundo têm sua história diretamente vinculada

Leia mais

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando INFORMATIVO n.º 42 NOVEMBRO de 2015 A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando Fabiana D Atri - Economista Coordenadora do Departamento de Pesquisas e

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ Introdução O Gerenciamento do Risco de Liquidez no Grupo Didier Levy, considerando as empresas BEXS Banco de Câmbio S/A e BEXS Corretora de Câmbio S/A está

Leia mais

Como lutar em uma guerra de preços

Como lutar em uma guerra de preços Como lutar em uma guerra de preços Juliana Kircher Macroplan Prospectiva, Estratégia e Gestão Julho de 2006 Guerras de preços já são fatos concretos que ocorrem frequentemente em todos os mercados, seja

Leia mais

FAQ PERGUNTAS FREQUENTES STOCKS ETF S FUTURES CURRENCIES MUTUALFUNDS

FAQ PERGUNTAS FREQUENTES STOCKS ETF S FUTURES CURRENCIES MUTUALFUNDS Ibovtrend THE MARKET TIMING AND TRADE DECISION SYSTEM FOR EVERY MAJOR GLOBAL MARKET FAQ PERGUNTAS FREQUENTES STOCKS ETF S FUTURES CURRENCIES MUTUALFUNDS Pergunta: O Ibovtrend um corretora? Resposta: Nós

Leia mais

$ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND $ $

$ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND $ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND Investimento para quem busca a possibilidade de melhores retornos, através de uma carteira diversificada e com menor custo. Confira porque os fundos de índices são a nova opção

Leia mais

O que é e como funciona uma operação de swap

O que é e como funciona uma operação de swap O que é e como funciona uma operação de swap! O que é Swap! O que é Hedge! Mecanismo básico de funcionamento de uma operação de Swap Autores: Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br)! Administrador de Empresas

Leia mais

Teoria Básica de Oferta e Demanda

Teoria Básica de Oferta e Demanda Teoria Básica de Oferta e Demanda Este texto propõe que você tenha tido um curso introdutório de economia. Mas se você não teve, ou se sua teoria básica de economia está um pouco enferrujada, então este

Leia mais

DOMINE O MERCADO EM 10 MINUTOS

DOMINE O MERCADO EM 10 MINUTOS DOMINE O MERCADO EM 10 MINUTOS AVISO DE INVESTIMENTO DE ALTO RISCO: A Negociação de Opções Binárias é altamente especulativa, acarreta um alto nível de risco e poderá não ser adequada para todos os investidores.

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Introdução do módulo 7: Faça uma introdução sobre as vantagens e necessidade de se vender Valor e não Preço.

Introdução do módulo 7: Faça uma introdução sobre as vantagens e necessidade de se vender Valor e não Preço. Preparação do Instrutor Trazer para a reunião/encontro de vendas: DVD : Módulo 7 Aparelho de DVD e monitor de TV Flip chart e canetas ( pincel atômico) Canetas/lápis apontados Manuais dos participantes

Leia mais

Valor: Qual a fatia de investidores da América Latina no ESM?

Valor: Qual a fatia de investidores da América Latina no ESM? Entrevista com Klaus Regling, Diretor Executivo do Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM) Valor Econômico, 16 de julho de 2013 Valor: Por que buscar investidores no Brasil agora? Klaus Regling: Visitamos

Leia mais

O QUE É HEDGE E COMO ELE FUNCIONA

O QUE É HEDGE E COMO ELE FUNCIONA O QUE É HEDGE E COMO ELE FUNCIONA! O que é hedge?! Como estar protegido de um eventual prejuízo de uma operação financeira da empresa no futuro?! Como podemos hedgear uma operação efetuada em dólar?! Como

Leia mais

Taxa de Câmbio. Recebimento de juros Recebimentos de lucros do exterior Receita de rendas do trabalho

Taxa de Câmbio. Recebimento de juros Recebimentos de lucros do exterior Receita de rendas do trabalho Taxa de Câmbio TAXA DE CÂMBIO No Brasil é usado a CONVENÇÃO DO INCERTO. O valor do dólar é fixo e o variável é a nossa moeda. Por exemplo : 1 US$ = R$ 3,00 Mercado de Divisa No mercado de câmbio as divisas

Leia mais

Unidade II. Mercado Financeiro e de. Prof. Maurício Felippe Manzalli

Unidade II. Mercado Financeiro e de. Prof. Maurício Felippe Manzalli Unidade II Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Maurício Felippe Manzalli Mercados Financeiros Definição do mercado financeiro Representa o Sistema Financeiro Nacional Promove o fluxo de recursos através

Leia mais

W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R

W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R 8 PASSOS PARA INVESTIR EM AÇÕES SEM SER UM ESPECIALISTA W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R Aviso Importante O autor não tem nenhum vínculo com as pessoas, instituições financeiras e produtos, citados,

Leia mais

Otimização de abastecimento de pedidos

Otimização de abastecimento de pedidos Otimização de abastecimento de pedidos Quando passar da separação com papel para zero papel automação 1 Otimização que de traz abastecimento resultados de pedidos Otimização de abastecimento de pedidos

Leia mais

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Prof. Onivaldo Izidoro Pereira Finanças Corporativas Ambiente Econômico Em suas atividades uma empresa relacionase com: Clientes

Leia mais

NBC TSP 29 - Instrumentos Financeiros: Reconhecimento e Mensuração

NBC TSP 29 - Instrumentos Financeiros: Reconhecimento e Mensuração NBC TSP 29 - Instrumentos Financeiros: Reconhecimento e Mensuração Objetivo 1 O objetivo desta Norma é estabelecer princípios para reconhecer e mensurar ativos financeiros, passivos financeiros e alguns

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

The Winterbotham Merchant Bank

The Winterbotham Merchant Bank The Winterbotham Merchant Bank uma divisão de The Winterbotham Trust Company Limited CASH MANAGEMENT E SERVIÇOS DE BANCA FIDUCIÁRIA CASH MANAGEMENT E SERVIÇOS DE BANCA FIDUCIÁRIA Introdução Licenciada

Leia mais

Para investir em ações, você precisa ser cadastrado em uma Corretora de Valores, Distribuidora ou em um Banco.

Para investir em ações, você precisa ser cadastrado em uma Corretora de Valores, Distribuidora ou em um Banco. PERGUNTAS FREQUENTES 1. Como investir no mercado de renda variável (ações)? 2. Como é feita a transferência de recursos? 3. Qual a diferença de ações ON (Ordinária) e PN (Preferencial)? 4. Quais são os

Leia mais

W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R

W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R 8 DICAS ESSENCIAIS PARA ESCOLHER SUA CORRETORA W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R Aviso Importante O autor não tem nenhum vínculo com as pessoas, instituições financeiras e produtos, citados, utilizando-os

Leia mais

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc.

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc. Material de Estudo para Recuperação 9 ano. Juros Simples O regime de juros será simples quando o percentual de juros incidirem apenas sobre o valor principal. Sobre os juros gerados a cada período não

Leia mais

DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA

DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA GUIA PARA A ESCOLHA DO PERFIL DE INVESTIMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA Caro Participante: Preparamos para você um guia contendo conceitos básicos sobre investimentos, feito para ajudá-lo a escolher

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas Tributação Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas 1 Índice Imposto de Renda para Mercado de Opções 03 Exemplos de Apuração dos Ganhos Líquidos - Antes do Exercício

Leia mais

Iniciando. Bolsa de Valores. O que é uma ação?

Iniciando. Bolsa de Valores. O que é uma ação? O que é uma ação? Por definição é uma fração de uma empresa. Por isso, quem detém ações de uma companhia é dono de uma parte dela, ou melhor, é um dos seus sócios e por conseguinte passa a ganhar dinheiro

Leia mais

César Frade Finanças Aula 02

César Frade Finanças Aula 02 César Frade Finanças Aula 02 Olá Pessoal. Estamos nós aqui mais uma vez para tentar entender essa matéria. Concordo que a sua compreensão não é das mais fáceis, mas vocês terão que concordar comigo que

Leia mais

Crise Financeira Internacional Atuação do governo brasileiro no fornecimento de liquidez em moeda estrangeira

Crise Financeira Internacional Atuação do governo brasileiro no fornecimento de liquidez em moeda estrangeira Crise Financeira Internacional Atuação do governo brasileiro no fornecimento de liquidez em moeda estrangeira O agravamento da crise financeira internacional decorrente da falência do banco Lehman Brothers,

Leia mais

Introdução. Capitais Internacionais

Introdução. Capitais Internacionais Capitais Internacionais e Mercado de Câmbio no Brasil Atualizado em novembro de 2010 1 Introdução O tratamento aplicável aos fluxos de capitais e às operações de câmbio acompanhou as conjunturas econômicas

Leia mais

Mercados Futuros (BM&F)

Mercados Futuros (BM&F) Neste segmento de mercado se negociam contratos e minicontratos futuros de ativos financeiros ou commodities. Ou seja, é a negociação de um produto que ainda não existe no mercado, por um preço predeterminado

Leia mais

MERCADO DE OPÇÕES - O QUE É E COMO FUNCIONA

MERCADO DE OPÇÕES - O QUE É E COMO FUNCIONA MERCADO DE OPÇÕES - O QUE É E Mercados Derivativos Conceitos básicos Termos de mercado As opções de compra Autores: Francisco Cavalcante (f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas graduado pela EAESP/FGV.

Leia mais

Material complementar à série de videoaulas de Opções.

Material complementar à série de videoaulas de Opções. Apostila de Opções Contatos Bradesco Corretora E-mail: faq@bradescobbi.com.br Cliente Varejo: 11 2178-5757 Cliente Prime: 11 2178-5722 www.bradescocorretora.com.br APOSTILA DE OPÇÕES Material complementar

Leia mais

Solução Conta de Pagamento Internacional (IPA) do Citi. Globalização ativada

Solução Conta de Pagamento Internacional (IPA) do Citi. Globalização ativada Solução Conta de Pagamento Internacional (IPA) do Citi Globalização ativada Para multinacionais operando em diferentes mercados no mundo todo, é essencial contar com uma solução eficiente, econômica e

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

MANUAL DE SWING TRADING

MANUAL DE SWING TRADING MANUAL DE SWING TRADING LIÇÕES PRÁTICAS DE UM FLOOR TRADER 1ª Edição Rio de Janeiro Antônio Charbel José Zaib 2013 Z25 Zaib, Charbel Manual de Swing Trading: Lições Práticas de um Floor Trader / Charbel

Leia mais

Investimento internacional. Fluxos de capitais e reservas internacionais

Investimento internacional. Fluxos de capitais e reservas internacionais Investimento internacional Fluxos de capitais e reservas internacionais Movimento internacional de fatores Determinantes da migração internacional: diferencial de salários; possibilidades e condições do

Leia mais

ENTENDENDO OS CONCEITOS DE RISCO E RETORNO

ENTENDENDO OS CONCEITOS DE RISCO E RETORNO ENTENDENDO OS CONCEITOS DE RISCO E RETORNO! O Que é Risco?! Quais as origens do Risco?! As preferências com relação ao Risco! O Que é retorno sobre o investimento? Autores: Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br)!

Leia mais

A Taxa de Câmbio no Longo Prazo

A Taxa de Câmbio no Longo Prazo A Taxa de Câmbio no Longo Prazo Organização do Capítulo Introdução A Lei do Preço Único Paridade do Poder de Compra Modelo da Taxa de Câmbio de Longo Prazo Baseado na PPC A PPC e a Lei do Preço Único na

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Gestão Financeira Prof. Marcelo Cruz Fundos de Investimento 3 Uma modalide de aplicação financeira Decisão de Investimento 1 Vídeo: CVM Um fundo de investimento é um condomínio que reúne recursos de um

Leia mais

A pergunta de um trilhão de dólares: Quem detém a dívida pública dos mercados emergentes

A pergunta de um trilhão de dólares: Quem detém a dívida pública dos mercados emergentes A pergunta de um trilhão de dólares: Quem detém a dívida pública dos mercados emergentes Serkan Arslanalp e Takahiro Tsuda 5 de março de 2014 Há um trilhão de razões para se interessar em saber quem detém

Leia mais

O desafio da competitividade. Maio 2012

O desafio da competitividade. Maio 2012 O desafio da competitividade Maio 2012 ECONOMY RESEARCH Roberto Padovani Economista-Chefe (55 11) 5171.5623 roberto.padovani@votorantimcorretora.com.br Rafael Espinoso Estrategista CNPI-T (55 11) 5171.5723

Leia mais