ESTUDOS ALELOPÁTICOS DE PLANTAS MEDICINAIS NA GERMINAÇÃO E CRESCIMENTO INICIAL DE ESPÉCIES CULTIVADAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTUDOS ALELOPÁTICOS DE PLANTAS MEDICINAIS NA GERMINAÇÃO E CRESCIMENTO INICIAL DE ESPÉCIES CULTIVADAS"

Transcrição

1 ESTUDOS ALELOPÁTICOS DE PLANTAS MEDICINAIS NA GERMINAÇÃO E CRESCIMENTO INICIAL DE ESPÉCIES CULTIVADAS Maria de Fátima Cirino Idalgo (PIBIC/CNPq), Danilo Miralha Franco, Rodrigo de Souza Poletto (Orientador), Universidade Estadual do Norte do Paraná/Campus de Cornélio Procópio. Botânica/Fisiologia Vegetal Palavras-chave: Alelopatia, Mikania glomerata, Plectranthus barbatus. Resumo Objetivo foi avaliar efeitos alelopáticos dos extratos aquosos de Mikania glomerata () e Plectranthus barbatus () sobre a germinação e crescimento inicial de Cucumis sativus (pepino) e Sorghum bicolor (sorgo). Para tanto, foram produzidos extratos aquosos e realizados os tratamentos nas concentrações % (extrato puro); 8; 6; 4; e de extrato e um grupo controle (água destilada) Para cada tratamento foram adicionados 5ml de extrato em quatro placas de Petri contendo 5 sementes de pepino e outras com sorgo, ambas acondicionadas em Câmara de Germinação à 5 C, com luz constante. Durante seis dias registrou-se a germinação e crescimento das plântulas. Os dados foram submetidos às análises de variância, com teste de Tukey (P<,5), o programa estatístico foi o Sigma Plot.. Os resultados demonstraram que o extrato seco de diminuiu a porcentagem de germinação e o crescimento do caule das plântulas de pepino, além disso, o extrato fresco afetou as raízes nas concentrações de % e %, comportamento semelhante nos extratos fresco e seco do para o crescimento da raiz e do caule do pepino. Na avaliação do experimento com sorgo observou-se que o extrato seco de proporcionou uma queda no desenvolvimento das raízes em comparação aos extratos do, onde em algumas concentrações houve um incremento no desenvolvimento. Concluímos que os extratos de Plectranthus barbatus e Mikania glomerata inibiram a germinação e crescimento das plântulas de Cucumis sativus (pepino) e Sorghum bicolor (sorgo), especialmente para os extratos secos e principalmente nas baixas concentrações. Introdução A alelopatia é a ciência que estuda a ação de compostos secundários sobre outros organismos. Essa influência pode ser interespecífica, quando uma determinada espécie vegetal tem efeito alelopático sobre outras espécies e a ação intraespecífica é o efeito da espécie sobre ela mesma (RAVEN, ).

2 Comprimento do caule Atualmente há um crescente aumento no uso de plantas medicinais nos estudos alelopáticos. Dentre estas plantas há a Mikania glomerata Spreng () muita utilizada no combate à gripe e como calmanteoutra é a Plectranthus barbatus Andrews () utilizada em problemas estomacais (LORENZI, ). Estes estudos são geralmente realizados em sementes de plantas cultivadas, consideradas sensíveis a aleloquímicos, como o pepino e o sorgo, das quais são observados os parâmetros germinação e crescimento para analisar o provável efeito da presença de substâncias alelopáticas. Portanto, o objetivo foi avaliar os efeitos alelopáticos de Mikania glomerata () e Plectranthus barbatus () sobre a germinação e crescimento inicial de Cucumis sativus L. (pepino) e Sorghum bicolor (L.) Moench (sorgo). Material e métodos A pesquisa foi desenvolvida no Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa e Ensino em Botânica e Educação Ambiental da UENP/Campus Cornélio Procópio-PR. Com a finalidade de se verificar o efeito de diferentes extratos de plantas na germinação e desenvolvimento inicial de sementes de pepino Cucumis sativus e de sorgo Sorghum bicolor, foram realizados experimentos com tratamentos nas seguintes concentrações % (extrato puro); 8; 6; 4; e % de extratos aquosos, havendo um grupo controle, no qual se utilizou apenas água destilada. Para os respectivos tratamentos foram adicionados 5ml de extrato dos diferentes concentrações em placas de Petri contendo 5 sementes de pepino e outro experimento com sorgo, ambos acondicionados em Câmara de germinação a 5 C, com luz constante, durante seis dias. As leituras de germinação foram diárias, durante todo o período do experimento, consideradas germinadas as sementes com mm de raiz (REHMAN et. al., 996). A partir dos resultados dos experimentos os dados foram submetidos às análises de variância, com teste de Tukey (P<,5) e o programa estatístico utilizado foi Sigma Plot.. Resultados e Discussão Os resultados demonstraram que as sementes de pepino submetidas aos extratos frescos de Plectranthus barbatus () e de Mikania glomerata () não tiveram diferenças significativas na porcentagem de germinação. Quanto ao crescimento da raiz do pepino, apenas o extrato do influenciou seu desenvolvimento, principalmente nas concentrações de e %, diminuindo o tamanho das raízes. Quando observado o efeito destes extratos no crescimento do caule (Figura ) percebeu-se que nas menores concentrações (%, %, 4% e 6%) houve um descréscimo do caule das plântulas submetidas ao extrato de. Já no extrato de houve um descréscimo apenas nas concentrações de e %, havendo um incremento nos demais tratamentos. Este comportamento de inibição foi semelhante ao trabalho de FRANCO; ROLIM de ALMEIDA e POLETTO (4) que analisaram extratos de Equisetum giganteum e Nephrolepis exaltata na germinação e crescimento de pepino Controle % % 4% 6% 8% Puro

3 Comprimento do caule Porcentagem de germinados Figura- Comprimento do caule de Cucumis sativus (pepino) submetido a diferentes concentrações de extrato fresco de Plectranthus barbatus () e Mikania glomerata (), Cornélio Procópio, 5. Analisando o extrato seco da P. barbatus observa-se que a germinação do pepino diminuiu em baixas concentrações de extrato, em relação ao controle, ocorrendo uma leve recuperação nas concentrações de 8 e %. Já o extrato seco M. glomerata, provocou diminuição da germinação do pepino na faixa dos tratamentos de,, 4 e 6%, e no extrato de 8% também houve uma recuperação deste processo (Figura ). Havendo um padrão de comportamento, onde as baixas concentrações provocam um efeito acentuado na germinação. Já no trabalho de TEIXEIRA e POLETTO (4) o extrato da planta Dieffenbachia picta provocou uma diminuição na germinação nas maiores concentrações, principalmente 8 e %. Quanto ao hipocótilo, o comportamento se repetiu, pois em extrato seco de, nas concentrações baixas não ocorreu desenvolvimento, nas concentração de 8% e % ocorreu um maior desenvolvimento. Para o extrato seco de observou-se decréscimo no desenvolvimento do hipocótilo, na faixa de a 6% de extrato (Figura ). As raízes, também seguiram este padrão, onde o extrato seco de provocou uma queda no desenvolvimento, principalmente nos extratos de,,4e 6%, enquanto no extrato seco de este efeito foi mais determinante não ocorrendo desenvolvimento das raízes Controle % % 4% 6% 8% Puro Figura - Porcentagem de germinação de Cucumis sativus (pepino) submetido a diferentes concentrações de extrato seco de Plectranthus barbatus () e Mikania glomerata (), Cornélio Procópio, 5.,5,5,5,5 Controle % % 4% 6% 8% Puro Figura - Comprimento do caule de Cucumis sativus (pepino) submetido a diferentes concentrações de extrato seco de Plectranthus barbatus () e Mikania glomerata (), Cornélio Procópio, 5. Nas análises do extrato fresco de P. barbatus percebeu-se também uma queda, entretanto mais suave, na porcentagem de germinação das sementes de sorgo entre os extratos e o controle (Figura 4). Quanto ao crescimento das raízes de sorgo, os extratos de % e o puro apresentaram um declínio acentuado no seu desenvolvimento (Figura 5). Nas análises do desenvolvimento de raízes laterais o extrato de 8% apresentou uma elevação em relação aos demais extratos e ao controle, com mais de raízes laterais, em média.

4 Porcentagem de germinação Comprimentos das Raízes Porcntagem de germinação As análises das sementes de sorgo em extrato fresco de M. glomerata mostraram um aumento crescente e linear na porcentagem de germinação do extrato de % para o puro, mas sempre abaixo do grupo controle (Figura 4). Quanto ao comprimento das raízes houve um declínio de seu desenvolvimento, para a maioria dos extratos em comparação ao controle (Figura 5). Confirmando esta ação nas raízes laterais que não se formaram na maioria dos extratos. Estes dados são semelhantes aos encontrados por FRANCO et al. (5) que trabalhou com extratos metanólicos e aquosos de Myrcia guianensis na germinação e crescimento de sorgo, dos quais inibiram a germinação e o desenvolvimento das raízes de Sorghum bicolor, além de alterar a expressão gênica Controle % % 4% 6% 8% Puro Figura 4- Porcentagem de germinação de Sorghum bicolor (sorgo) submetido a diferentes concentrações de extrato fresco de Plectranthus barbatus () e Mikania glomerata (), Cornélio Procópio, 5.,5,5,5 Controle % % 4% 6% 8% Puro Figura 5- Comprimento da raiz de Sorghum bicolor (sorgo) submetido a diferentes concentrações de extrato fresco de Plectranthus barbatus () e Mikania glomerata (), Cornélio Procópio, 5. Ambos os extratos secos de P. barbatus e M. glomerata seguiram um padrão de comportamento, demonstrando que nas concentrações baixas houve baixa porcentagem de germinação (Figura 6). Já quanto ao crescimento das raízes, ocorreu um grande declínio em todos os extratos de P. barbatus comparados ao controle, além disso, houve pouco desenvolvimento de raízes laterais. No extrato de M. glomerata houve maior desenvolvimento das raízes apenas nos extratos de 8 e %. Já às raízes laterais surgiram somente o grupo controle Controle % % 4% 6% 8% Puro

5 Figura 6- Porcentagem de germinação de Sorghum bicolor (sorgo) submetido a diferentes concentrações de extrato seco de Plectranthus barbatus () e Mikania glomerata (), Cornélio Procópio, 5. Conclusões Com toda a pesquisa feita podemos concluir que os extratos utilizados das espécies medicinais Plectranthus barbatus () e Mikania glomerata () possuem fator inibitório na germinação e crescimento das plântulas de Cucumis sativus (pepino) e Sorghum bicolor (sorgo), especialmente para os extratos secos e principalmente nas baixas concentrações. Ressaltando que estes extratos possuem provável efeito herbicida, havendo a necessidade de mais estudos neste sentido. Agradecimentos Agradecimento a Fundação Araucária, e ao Laboratório LIPEBEA. Referências: FRANCO, D.M.; ROLIM de ALMEIDA, L.F.R.; POLETTO, R.S. Allelopathic Potential of Equisetum giganteum L. and Nephrolepis exaltata L. on Germination and Growth of Cucumber and Lettuce. Journal of Plant Sciences. v., n. 5, 4, pp FRANCO, D.M.; SALDANHA, L.L.; SILVA, E.M.; NOGUEIRA, F.T.S.; DOKKEDAL, A.L.; SANTOS, C.; ROLIM de ALMEIDA, L.F. Effects of leaf extracts of Myrcia guianensis (Aubl.) DC.: on growth and gene expression during root development of Sorghum bicolor (L.) Moench. Allelopathy Journal, v. 5, n., p. 7-48, 5. LORENZI, H; ABREU MATOS, F.J. Plantas Medicinais do Brasil: nativas e exóticas. Nova Odessa: Instituto Plantarum,. RAVEN, P. H.; EVERT, R. F.; EICHHORN, S. E. Biologia Vegetal. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan,, 96p. REHMAN, S.; HARRIS, P. J. C.; BOURNE, W. F.; WILKIN, J. The effects of sodium chloride on germination and the potassium and calcium contents of Acaciaseeds. Seed Science and Technology, v. 5, p , 996. TEIXEIRA, R.A.; POLETTO, R.S. Efeito alelopático de plantas tóxicas sobre a germinação e crescimento inicial do pepino. Revista Científica Eletrônica de Agronomia, v.5, n., p.8-47, 4.

Germinação das Sementes de Soja Contaminadas com Ferrugem Asiática e sem Contaminação

Germinação das Sementes de Soja Contaminadas com Ferrugem Asiática e sem Contaminação das Sementes de Soja Contaminadas com Ferrugem Asiática e sem Contaminação Colli, A. M. T 1 1 Faculdades Integradas Fafibe Bebedouro SP aureacolli@linkway.com.br Basso, L. P. 2 2 Graduação - Faculdades

Leia mais

ALELOPATIA COM EXTRATO DE FALSO BOLDO (Plectranthus barbatus) EM MILHO (Zea mays L.).

ALELOPATIA COM EXTRATO DE FALSO BOLDO (Plectranthus barbatus) EM MILHO (Zea mays L.). ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ALELOPATIA COM EXTRATO DE FALSO BOLDO (Plectranthus barbatus) EM MILHO (Zea mays L.). Ednilson Clayton

Leia mais

098-Efeito alelopático de plantas de cobertura na germinação de sementes de alface

098-Efeito alelopático de plantas de cobertura na germinação de sementes de alface 098-Efeito alelopático de plantas de cobertura na germinação de sementes de alface Allelopathic effect of cover crops on the germination of seeds of lettuce MEINERZ, Cristiane Cláudia. UNIOESTE, crismeinerz@hotmail.com;

Leia mais

Helem Fernandes Naves Peixoto 1,3 Severino de Paiva Sobrinho 2,3 Mariane de Carvalho Vidal 2,4. Voluntário Iniciação Científica PVIC/UEG

Helem Fernandes Naves Peixoto 1,3 Severino de Paiva Sobrinho 2,3 Mariane de Carvalho Vidal 2,4. Voluntário Iniciação Científica PVIC/UEG 1 AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ALELOPÁTICO DO ADUBO VERDE (CROTALARIA SPECTABILIS) SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE TOMATE (LYCOPERSICON ESCULENTUM MILL) E POSTERIOR DESENVOLVIMENTO EM CAMPO Helem Fernandes Naves

Leia mais

INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO

INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO AMARAL, Kevin Bossoni do 1 ; CAMPOS, Ben-Hur Costa de 2 ; BIANCHI, Mario Antonio 3 Palavras-Chave:

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Influência de Temperaturas de Secagem no Vigor de Sementes de Milho Geneticamente Modificadas Patrícia Marluci da

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Germinação e Vigor de Sementes de Sorgo Forrageiro Submetidas a Estresse Salino Rosane Borges Mendes 1, Juliana Leite

Leia mais

15032 - Efeito alelopático de extratos vegetais sobre a germinação de espécies olerícolas

15032 - Efeito alelopático de extratos vegetais sobre a germinação de espécies olerícolas 15032 - Efeito alelopático de extratos vegetais sobre a germinação de espécies olerícolas Allelopathic effect on germination percentagen in the three vegetable crops LUCHMANN, Jhony Alex 1 ; RIBEIRO, Raquel

Leia mais

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO GIRASSOL (Helianthus annuus L.)

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO GIRASSOL (Helianthus annuus L.) Iniciação Científi ca CESUMAR Jan./Jun. 2009, v. 11, n. 1, p. 23-27 INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO GIRASSOL (Helianthus annuus L.) Gessé Almeida Santos* Patricia da Costa

Leia mais

Efeitos Alelopáticos do Azadirachta indica (Nim) na germinação de alface (Lactuca sativa L.)

Efeitos Alelopáticos do Azadirachta indica (Nim) na germinação de alface (Lactuca sativa L.) Efeitos Alelopáticos do Azadirachta indica (Nim) na germinação de alface (Lactuca sativa L.) Júlia Maluf dos SANTOS NETA 1 ; Luciano Donizete GONÇALVES 2 ; Haroldo Silva VALLONE 3 ; Maria Cristina da Silva

Leia mais

61º Congresso Nacional de Botânica 05 a 10 Manaus, Amazonas, Brasil

61º Congresso Nacional de Botânica 05 a 10 Manaus, Amazonas, Brasil AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ALELOPÁTICO DE Casearia decandra Jacq. (Salicaceae) 6º Congresso Nacional de Botânica 05 a 0 Rosiane de Setembro B.N. DENARDIN de 00 Neusa F. de MOURA Liliana ESSI Katiuska MARINS

Leia mais

DESEMPENHO PRODUTIVO DE MIRTILEIRO (Vaccinium corymbosum) EM FUNÇÃO DO USO DE TORTA DE MAMONA

DESEMPENHO PRODUTIVO DE MIRTILEIRO (Vaccinium corymbosum) EM FUNÇÃO DO USO DE TORTA DE MAMONA DESEMPENHO PRODUTIVO DE MIRTILEIRO (Vaccinium corymbosum) EM FUNÇÃO DO USO DE TORTA DE MAMONA LUCIANO PICOLOTTO 1 ; MICHEL ALDRIGHI GONÇALVES 2 ; GERSON KLEINICK VIGNOLO 2 ; LETICIA VANNI FERREIRA 2 ;

Leia mais

REDUÇÃO DE DERIVA DE HERBICIDAS COM USO DE ADJUVANTE E DIFERENTES PONTAS DE PULVERIZAÇÃO

REDUÇÃO DE DERIVA DE HERBICIDAS COM USO DE ADJUVANTE E DIFERENTES PONTAS DE PULVERIZAÇÃO REDUÇÃO DE DERIVA DE HERBICIDAS COM USO DE ADJUVANTE E DIFERENTES PONTAS DE PULVERIZAÇÃO Taffaréu Oliveira Agostineti (PIBIC/CNPq), Marco Antonio Gandolfo (Orientador), e-mail: agostineti@outlook.com Universidade

Leia mais

PREPARADO HOMEOPÁTICO Sulphur NA GERMINAÇÃO E NO CRESCIMENTO INICIAL DE ALFACE

PREPARADO HOMEOPÁTICO Sulphur NA GERMINAÇÃO E NO CRESCIMENTO INICIAL DE ALFACE V Fórum Regional de Agroecologia e VIII Semana do Meio Ambiente Pensar Globalmente, Agir localmente e utilizar ecologicamente 08 a 10 de novembro de 2012 PREPARADO HOMEOPÁTICO Sulphur NA GERMINAÇÃO E NO

Leia mais

CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS ATRAVÉS DE HERBICIDAS EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA

CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS ATRAVÉS DE HERBICIDAS EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS ATRAVÉS DE HERBICIDAS EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA Hugo de Almeida Dan 1, Alberto Leão de Lemos Barroso 2, Lilian Gomes de Moraes Dan 3, Alaeste Diniz da Silva Júnior 3, Cleriston

Leia mais

CRESCIMENTO INICIAL DO GIRASSOL cv. Embrapa 122 / V 2000 SUBMETIDO A ESTRESSE SALINO NA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO

CRESCIMENTO INICIAL DO GIRASSOL cv. Embrapa 122 / V 2000 SUBMETIDO A ESTRESSE SALINO NA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO CRESCIMENTO INICIAL DO GIRASSOL cv. Embrapa 122 / V 2000 SUBMETIDO A ESTRESSE SALINO NA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO Magaly Morgana Lopes da COSTA 1 ; Guilherme de Freitas FURTADO 1 ; Elysson Marcks Gonçalves ANDRADE

Leia mais

PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO EM DIFERENTES SUBSTRATOS À BASE DE MATERIAIS REGIONAIS SOB ADUBAÇÃO FOLIAR 1 INTRODUÇÃO

PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO EM DIFERENTES SUBSTRATOS À BASE DE MATERIAIS REGIONAIS SOB ADUBAÇÃO FOLIAR 1 INTRODUÇÃO PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO EM DIFERENTES SUBSTRATOS À BASE DE MATERIAIS REGIONAIS SOB ADUBAÇÃO FOLIAR 1 Leonardo Pereira da Silva Brito 2, Ítalo Herbert Lucena Cavalcante 2, Márkilla Zunete Beckmann-Cavalcante

Leia mais

4. RESULTADOS E DISCUSSÃO

4. RESULTADOS E DISCUSSÃO 4. RESULTADOS E DISCUSSÃO 4.1. Energia cinética das precipitações Na Figura 9 estão apresentadas as curvas de caracterização da energia cinética aplicada pelo simulador de chuvas e calculada para a chuva

Leia mais

EFICIÊNCIA DE DIFERENTES REAGENTES NA DEGRADAÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA DE EFLUENTES LÍQUIDOS

EFICIÊNCIA DE DIFERENTES REAGENTES NA DEGRADAÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA DE EFLUENTES LÍQUIDOS Eixo Temático: Ciências Ambientais e da Terra EFICIÊNCIA DE DIFERENTES REAGENTES NA DEGRADAÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA DE EFLUENTES LÍQUIDOS Tiago José da Silva 1 Ana Clara de Barros 2 Daiane de Moura Costa

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 INFLUÊNCIA DE EXTRATOS FOLIARES DE BARBATIMÃO SOBRE A GERMINAÇÃO E CICLO CELULAR DE ALLIUM CEPA. FLÁVIA PEREIRA BALIEIRO 1, SANDRO BARBOSA 2 ; NATÁLIA CHAGAS FREITAS 3, LUCIENE DE OLIVEIRA RIBEIRO 4, LUIZ

Leia mais

DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA RESUMO

DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA RESUMO DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA Valter de Oliveira Neves Júnior 1 ; Zélio de Lima Vieira 1 ; Tiago Trevizam de Freitas 1 ; Edgar Rodrigues Marques 1 ; Paulo César

Leia mais

Influência Do Envelhecimento Acelerado Na Germinação E Vigor De Sementes De Ipê-Roxo Tabebuia impetiginosa (Mart. Ex DC) Standl.

Influência Do Envelhecimento Acelerado Na Germinação E Vigor De Sementes De Ipê-Roxo Tabebuia impetiginosa (Mart. Ex DC) Standl. Anais do VIII Seminário de Iniciação Científica e V Jornada de Pesquisa e Pós-Graduação UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS 10 a 12 de novembro de 2010 Influência Do Envelhecimento Acelerado Na Germinação E

Leia mais

Potencial Germinativo De Sementes De Moringa oleifeira Em Diferentes Condições De Armazenamento

Potencial Germinativo De Sementes De Moringa oleifeira Em Diferentes Condições De Armazenamento Potencial Germinativo De Sementes De Moringa oleifeira Em Diferentes Condições De Armazenamento Kyvia Pontes Teixeira das Chagas (1) ; Ciro de Oliveira Ribeiro (2) ; Hanieri Alves da Silva (3) ; Luan Henrique

Leia mais

Exercícios com Gabarito de Biologia Pteridófitas

Exercícios com Gabarito de Biologia Pteridófitas Exercícios com Gabarito de Biologia Pteridófitas 1) (PUC - SP-2008) No ciclo de vida de uma samambaia ocorre meiose na produção de esporos e mitose na produção de gametas. Suponha que a célula-mãe dos

Leia mais

4. RESULTADOS E DISCUSSÃO. Quadro 11 - Exatidão dos mapeamentos de uso do solo

4. RESULTADOS E DISCUSSÃO. Quadro 11 - Exatidão dos mapeamentos de uso do solo 4. RESULTADOS E DISCUSSÃO 4.1. Mudanças ocorridas no uso do solo No Quadro 11 são apresentadas as exatidões dos mapas temáticos gerados a partir do processamento digital das imagens do sensor Landsat 5

Leia mais

Alelopatia de Leucena sobre soja e plantas invasoras. Leucaena allelopathy on weeds and soybean seed germination

Alelopatia de Leucena sobre soja e plantas invasoras. Leucaena allelopathy on weeds and soybean seed germination Alelopatia de Leucena sobre soja e plantas invasoras Leucaena allelopathy on weeds and soybean seed germination Márcia Maria Mauli 1 ; Andréa Maria Teixeira Fortes 2 *; Danielle Medina Rosa 3 ; Gislaine

Leia mais

ENSAIO PRELIMINAR DE FITOTOXICIDADE EM AMOSTRAS DE RESÍDUOS QUÍMICOS PRODUZIDOS EM AULAS PRÁTICAS DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA

ENSAIO PRELIMINAR DE FITOTOXICIDADE EM AMOSTRAS DE RESÍDUOS QUÍMICOS PRODUZIDOS EM AULAS PRÁTICAS DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA ENSAIO PRELIMINAR DE FITOTOXICIDADE EM AMOSTRAS DE RESÍDUOS QUÍMICOS PRODUZIDOS EM AULAS PRÁTICAS DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Thalita da Silva Copelli (1) Graduanda, curso de Tecnologia em Processos Ambientais

Leia mais

USO DA CULTURA DO JERIVÁ (SYAGRUS ROMANZOFFIANA) VISANDO AGREGAR RENDA À AGRICULTURA FAMILIAR

USO DA CULTURA DO JERIVÁ (SYAGRUS ROMANZOFFIANA) VISANDO AGREGAR RENDA À AGRICULTURA FAMILIAR 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( x ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA USO DA CULTURA DO JERIVÁ (SYAGRUS ROMANZOFFIANA) VISANDO

Leia mais

Potencial alelopatico de extratos vegetais de Crotalaria juncea sobre a germinação de plantas daninhas

Potencial alelopatico de extratos vegetais de Crotalaria juncea sobre a germinação de plantas daninhas Revista Brasileira de Agroecologia ISSN: 1980-9735 Potencial alelopatico de extratos vegetais de Crotalaria juncea sobre a germinação de plantas daninhas Alellopathyc potential of vegetable extracts of

Leia mais

O USO DO COAGULANTE NATURAL MORINGA NO TRATAMENTO DE ÁGUAS PROUZIDAS NA EXTRAÇÃO DE PETRÓLEO EM COMPARAÇÃO AO SULFATO DE ALUMÍNIO

O USO DO COAGULANTE NATURAL MORINGA NO TRATAMENTO DE ÁGUAS PROUZIDAS NA EXTRAÇÃO DE PETRÓLEO EM COMPARAÇÃO AO SULFATO DE ALUMÍNIO O USO DO COAGULANTE NATURAL MORINGA NO TRATAMENTO DE ÁGUAS PROUZIDAS NA EXTRAÇÃO DE PETRÓLEO EM COMPARAÇÃO AO SULFATO DE ALUMÍNIO Criste Jones Bessa Simão 1 ; Rafaely Angélica Fonseca Bandeira 2, Regina

Leia mais

Avaliação agronômica de variedades de cana-de-açúcar, cultivadas na região de Bambuí em Minas Gerais

Avaliação agronômica de variedades de cana-de-açúcar, cultivadas na região de Bambuí em Minas Gerais Avaliação agronômica de variedades de cana-de-açúcar, cultivadas na região de Bambuí em Minas Gerais César Ferreira Santos¹; Antônio Augusto Rocha Athayde²; Geann Costa Dias 1 ; Patrícia Fernades Lourenço¹

Leia mais

COMPORTAMENTO GERMINATIVO DE DIFERENTES CULTIVARES DE GIRASSOL SUBMETIDAS NO REGIME DE SEQUEIRO

COMPORTAMENTO GERMINATIVO DE DIFERENTES CULTIVARES DE GIRASSOL SUBMETIDAS NO REGIME DE SEQUEIRO COMPORTAMENTO GERMINATIVO DE DIFERENTES CULTIVARES DE GIRASSOL SUBMETIDAS NO REGIME DE SEQUEIRO Autor 1 Renata Fernandes de Matos Autor 2 Edilza Maria Felipe Vásquez Autor 3 Leonardo Lenin Marquez de Brito

Leia mais

Caramuru Alimentos Ltda, Rod. BR 060 Km 388 s/n Zona Rural, C.E.P: 75.901.970 - Rio Verde/GO e-mail: zeronaldo@caramuru.com

Caramuru Alimentos Ltda, Rod. BR 060 Km 388 s/n Zona Rural, C.E.P: 75.901.970 - Rio Verde/GO e-mail: zeronaldo@caramuru.com Teores de óleo e proteína em grãos de soja, com diferentes manejos de percevejo, da colheita ao armazenamento, utilizando a espectroscopia no infravermelho próximo (NIR) 59 Marcelo Alvares de Oliveira

Leia mais

EFEITO ALELOPÁTICO DE CARQUEJA, CONFREI E MIL-FOLHAS SOBRE O DESENVOLVIMENTO DA TIRIRICA

EFEITO ALELOPÁTICO DE CARQUEJA, CONFREI E MIL-FOLHAS SOBRE O DESENVOLVIMENTO DA TIRIRICA ISSN 0103-989X Licenciado sob uma Licença Creative Commons EFEITO ALELOPÁTICO DE CARQUEJA, CONFREI E MIL-FOLHAS SOBRE O DESENVOLVIMENTO DA TIRIRICA Allelopathic effect of the carqueja, comfrey and yarrow

Leia mais

FENOLOGIA REPRODUTIVA DE MURTA NO JARDIM BOTÂNICO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM, SANTA MARIA-RS

FENOLOGIA REPRODUTIVA DE MURTA NO JARDIM BOTÂNICO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM, SANTA MARIA-RS FENOLOGIA REPRODUTIVA DE MURTA NO JARDIM BOTÂNICO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM, SANTA MARIA-RS FERRERA, Tiago Silveira 1 ; BURIOL, Galileo Adeli 2 ; EISINGER Sônia Maria 3 Palavras-Chave:

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 6 a 0 de Agosto de 0 Qualidade de Sementes Híbridas de Milho Processadas em Separador por Cor Cibele Aparecida Teixeira da Silva, João Almir

Leia mais

Estudo das Propriedades Físico Mecânicas do Papel a ser submetido ao 4º EETCG- Encontro de Engenharia e Tecnologia dos Campos Gerais

Estudo das Propriedades Físico Mecânicas do Papel a ser submetido ao 4º EETCG- Encontro de Engenharia e Tecnologia dos Campos Gerais Estudo das Propriedades Físico Mecânicas do Papel a ser submetido ao 4º EETCG- Encontro de Engenharia e Tecnologia dos Campos Gerais Pâmila Thais Heitkoeter de Melo (FATEB Faculdade de Telêmaco Borba)

Leia mais

Estrutura de um resumo de trabalho científico: título autores filiação texto: introdução material e métodos resultados discussão

Estrutura de um resumo de trabalho científico: título autores filiação texto: introdução material e métodos resultados discussão Estrutura de um resumo de trabalho científico: título autores filiação texto: O papel de aves frugívoras na germinação e potencial dispersão de sementes da Aroeira vermelha Schinus terebinthifolius. Leonardo

Leia mais

Palavras-chave: Beterraba, Betalaínas, Atividade antioxidante.

Palavras-chave: Beterraba, Betalaínas, Atividade antioxidante. Cultivando o Saber 195 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 Avaliação do potencial antioxidante do extrato obtido a partir da beterraba

Leia mais

ACLIMATIZAÇÃO DE CULTIVARES DE ABACAXIZEIRO SOB MALHAS DE SOMBREAMENTO COLORIDAS

ACLIMATIZAÇÃO DE CULTIVARES DE ABACAXIZEIRO SOB MALHAS DE SOMBREAMENTO COLORIDAS ACLIMATIZAÇÃO DE CULTIVARES DE ABACAXIZEIRO SOB MALHAS DE SOMBREAMENTO COLORIDAS RAFAEL SOUZA MELO 1 ; JEFFERSON BITTENCOURT VENÂNCIO 2 ; WELLINGTON FARIAS ARAÚJO 3 ; EDVAN ALVES CHAGAS 4 ; NILMA BRITO

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE MELOEIRO CANTALOUPE ORGÂNICO SOB DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO

DESENVOLVIMENTO DE MELOEIRO CANTALOUPE ORGÂNICO SOB DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE MELOEIRO CANTALOUPE ORGÂNICO SOB DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO J. R. G. de Paiva 1 ; L. F. de Figueredo 2 ; T. H. da Silva 3 ; R. Andrade 4 ; J. G. R. dos Santos 4 RESUMO: O manejo

Leia mais

Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP.

Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP. Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP. Roberto Andreani Junior 1 Pedro Galbiati Neto 1 UNICASTELO-Faculdade de Ciências

Leia mais

Biologia floral do meloeiro em função de doses de nitrogênio em ambiente protegido.

Biologia floral do meloeiro em função de doses de nitrogênio em ambiente protegido. Biologia floral do meloeiro em função de doses de nitrogênio em ambiente protegido. Roberto Cleiton Fernandes de Queiroga 1 ; Mário Puiatti 1 ; Paulo Cezar Rezende Fontes 1 ; Paulo Roberto Cecon 2 ; Ancélio

Leia mais

CONTROLE DA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA EM TESTES DE SANIDADE PELO USO DA RESTRIÇÃO HÍDRICA 1

CONTROLE DA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA EM TESTES DE SANIDADE PELO USO DA RESTRIÇÃO HÍDRICA 1 RESTRIÇÃO HÍDRICA EM GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA 77 CONTROLE DA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA EM TESTES DE SANIDADE PELO USO DA RESTRIÇÃO HÍDRICA 1 JOSÉ DA CRUZ MACHADO 2 ; JOÃO ALMIR DE OLIVEIRA 3

Leia mais

Efeito da variação sazonal no potencial alelopático de Sálvia. Effect of seasonal variation in Sálvia allelopathy potential

Efeito da variação sazonal no potencial alelopático de Sálvia. Effect of seasonal variation in Sálvia allelopathy potential Efeito da variação sazonal no potencial alelopático de Sálvia Effect of seasonal variation in Sálvia allelopathy potential Clair Aparecida Viecelli 1 ; Claudia Tatiana Araujo da Cruz-Silva 2 Resumo A biossíntese

Leia mais

DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE MUDAS DE CAFEEIRO SOB DOSES DE CAMA DE FRANGO E ESTERCO BOVINO CURTIDO

DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE MUDAS DE CAFEEIRO SOB DOSES DE CAMA DE FRANGO E ESTERCO BOVINO CURTIDO DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE MUDAS DE CAFEEIRO SOB DOSES DE CAMA DE FRANGO E ESTERCO BOVINO CURTIDO Cícero José da Silva¹; Benjamim de Melo²; César Antônio da Silva³; Carlos Eduardo Mesquita Pode 4 ;

Leia mais

150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007

150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007 150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007 A evolução da produção de milho no Mato Grosso: a importância da safrinha Jason de Oliveira Duarte 1 José Carlos Cruz 2 João Carlos Garcia 3 Introdução

Leia mais

Os saberes populares na utilização do boldo (Plectranthus barbatus Andrews- Lamiaceae) como fitoterápico nos distúrbios gástricos e hepáticos

Os saberes populares na utilização do boldo (Plectranthus barbatus Andrews- Lamiaceae) como fitoterápico nos distúrbios gástricos e hepáticos Os saberes populares na utilização do boldo (Plectranthus barbatus Andrews- Lamiaceae) como fitoterápico nos distúrbios gástricos e hepáticos Elaine Moreira Alves Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO DO COMPLEXO RAPAMICINA-FKBP12-TOR EM PLANTAS C4

TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO DO COMPLEXO RAPAMICINA-FKBP12-TOR EM PLANTAS C4 TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO DO COMPLEXO RAPAMICINA-FKBP12-TOR EM PLANTAS C4 CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS

Leia mais

PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DE ÓLEO BRUTO DE GIRASSOL

PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DE ÓLEO BRUTO DE GIRASSOL PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DE ÓLEO BRUTO DE GIRASSOL Cesar Aparecido da Silva 1 RESUMO O Brasil por ser um grande produtor de oleaginosas e ao mesmo tempo possuir um déficit energético no que se refere

Leia mais

Aplicação de Nitrogênio em Cobertura no Feijoeiro Irrigado*

Aplicação de Nitrogênio em Cobertura no Feijoeiro Irrigado* ISSN 1678-9636 Aplicação de Nitrogênio em Cobertura no Feijoeiro Irrigado* 49 O feijoeiro é uma das principais culturas plantadas na entressafra em sistemas irrigados nas regiões Central e Sudeste do Brasil.

Leia mais

AVALIAÇÃO DE MICROALGAS NA ADUBAÇÃO DE MUDAS DE RÚCULA (Eruca sativa, MILLER)

AVALIAÇÃO DE MICROALGAS NA ADUBAÇÃO DE MUDAS DE RÚCULA (Eruca sativa, MILLER) AVALIAÇÃO DE MICROALGAS NA ADUAÇÃO DE MUDAS DE RÚCULA (Eruca sativa, MILLER) Daiéli Ferreira das CHAGAS, Fatima Rosângela de Souza SARAIVA, Isabel Cristina MÜLLER (Aluna de Iniciação Científica Curso Técnico

Leia mais

O uso de pó de rocha fosfática para o desenvolvimento da agricultura familiar no Semi-Árido brasileiro.

O uso de pó de rocha fosfática para o desenvolvimento da agricultura familiar no Semi-Árido brasileiro. O uso de pó de rocha fosfática para o desenvolvimento da agricultura familiar no Semi-Árido brasileiro. Maíra Leão da Silveira Bolsista de Iniciação Científica, Geografia, UFRJ Francisco Mariano da Rocha

Leia mais

COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE FEIJOEIRO AO ATAQUE DE Bemisia tabaci (Genn.) BIÓTIPO B (HEMIPTERA: ALEYRODIDAE)

COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE FEIJOEIRO AO ATAQUE DE Bemisia tabaci (Genn.) BIÓTIPO B (HEMIPTERA: ALEYRODIDAE) COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE FEIJOEIRO AO ATAQUE DE Bemisia tabaci (Genn.) BIÓTIPO B (HEMIPTERA: ALEYRODIDAE) B.C. Martins 1 ; F.S. Rocha 1,4 ; L.A. Ferreira 1,4 ; J.C.M.R. Silva 1,4 ; R.R. Guimarães

Leia mais

ANÁLISE DAS CONDIÇÕES DE ILUMINAÇÃO NATURAL E ARTIFICIAL DA SALA AULA ATELIÊ 1 DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA UFMS.

ANÁLISE DAS CONDIÇÕES DE ILUMINAÇÃO NATURAL E ARTIFICIAL DA SALA AULA ATELIÊ 1 DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA UFMS. ANÁLISE DAS CONDIÇÕES DE ILUMINAÇÃO NATURAL E ARTIFICIAL DA SALA AULA ATELIÊ 1 DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA UFMS. Nathalya Luciano Buges - Acadêmica do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFMS

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS FISIOLOGIA VEGETAL

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS FISIOLOGIA VEGETAL UFRGS FISIOLOGIA VEGETAL 1. (Ufrgs 2015) A coluna à esquerda, abaixo, lista dois hormônios vegetais; a coluna à direita, funções que desempenham. Associe adequadamente a coluna direita com a esquerda.

Leia mais

APLICAÇÃO FOLIAR DE ZINCO NO FEIJOEIRO COM EMPREGO DE DIFERENTES FONTES E DOSES

APLICAÇÃO FOLIAR DE ZINCO NO FEIJOEIRO COM EMPREGO DE DIFERENTES FONTES E DOSES APLICAÇÃO FOLIAR DE ZINCO NO FEIJOEIRO COM EMPREGO DE DIFERENTES FONTES E DOSES DENIS AUGUSTO DE SOUSA 1,4, ROBERLI RIBEIRO GUIMARÃES 2,4, ITAMAR ROSA TEIXEIRA 2,4 RESUMO: À exceção de alguns trabalhos

Leia mais

Inclusão de bagaço de cana de açúcar na alimentação de cabras lactantes: desempenho produtivo

Inclusão de bagaço de cana de açúcar na alimentação de cabras lactantes: desempenho produtivo Inclusão de bagaço de cana de açúcar na alimentação de cabras lactantes: desempenho produtivo José Maria de OLIVEIRA Júnior 1 ; Gian Nascimento 2 ; Rafael Mendonça de Carvalho ² ; Wanderson Bahia Paulineli²;

Leia mais

EFEITO ALELOPÁTICO DE CANOLA (Brassica napus) NO DESENVOLVIMENTO. PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) E PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max)

EFEITO ALELOPÁTICO DE CANOLA (Brassica napus) NO DESENVOLVIMENTO. PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) E PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) EFEITO ALELOPÁTICO DE CANOLA (Brassica napus) NO DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) Autor(es): Apresentador: Rodrigo Ciotti Orientador: Revisor 1: Revisor 2: Instituição: MOTTA, Marcelo;

Leia mais

k dt = (1) Em que: U= teor de água do produto no tempo t, b.s. Ue= teor de água de equilíbrio, b.s. t= tempo em horas k = constante

k dt = (1) Em que: U= teor de água do produto no tempo t, b.s. Ue= teor de água de equilíbrio, b.s. t= tempo em horas k = constante DETERMINAÇÃO DAS CURVAS DE SECAGEM DE FOLHAS DE PATA-DE-VACA (Bauhinia forficata) 1 Victor Correa Viana 1,3 ; Ivano Alessandro Devilla 2,3 Bolsista PBIC/UEG 2 Pesquisador Orientador, UEG 3 Curso de Engenharia

Leia mais

Tipos e tamanhos de estacas na formação de mudas de Schinus terebinthifolius

Tipos e tamanhos de estacas na formação de mudas de Schinus terebinthifolius 17 Workshop de Plantas Medicinais do Mato Grosso do Sul/7º Empório da Agricultura Familiar PPM Tipos e tamanhos de estacas na formação de mudas de Schinus terebinthifolius Felipe Ferreira 1 (IC)*, Fagner

Leia mais

ABSORÇÃO DE MICRONUTRIENTES APÓS APLICAÇÃO DE BIOSSÓLIDO NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE EUCALIPTO

ABSORÇÃO DE MICRONUTRIENTES APÓS APLICAÇÃO DE BIOSSÓLIDO NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE EUCALIPTO ABSORÇÃO DE MICRONUTRIENTES APÓS APLICAÇÃO DE BIOSSÓLIDO NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE EUCALIPTO Ivo Zution Gonçalves¹; Giovanni de Oliveira Garcia²; João Carlos Madalão³; Hanne Nippes Bragança 4 ; Glaucio

Leia mais

Avaliação da germinação de sementes de fragmentos florestais receptadas em redes visando recomposição da flora local

Avaliação da germinação de sementes de fragmentos florestais receptadas em redes visando recomposição da flora local Avaliação da germinação de sementes de fragmentos florestais receptadas em redes visando recomposição da flora local Juliana Leite Ribeiro 1, Sâmmara Emiliana Fonseca Carvalho 2, Marielle Aparecida de

Leia mais

TRANSFERÊNCIA DE CALOR POR RESFRIAMENTO RADIAL EM SUCOS DILUÍDO E CONCENTRADO

TRANSFERÊNCIA DE CALOR POR RESFRIAMENTO RADIAL EM SUCOS DILUÍDO E CONCENTRADO TRANSFERÊNCIA DE CALOR POR RESFRIAMENTO RADIAL EM SUCOS DILUÍDO E CONCENTRADO Rosana Araújo Cruz 1 (PVIC), Anna Carolina O. Martins 1 (PVIC), Rosilayne M. Oliveira Trindade 1 (PVIC), Thaís Rodrigues de

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE CAFÉ ROBUSTA (Coffea canephora) CULTIVAR APOATÃ IAC 2258 EM FUNÇÃO DO GRAU DE UMIDADE E DO AMBIENTE

CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE CAFÉ ROBUSTA (Coffea canephora) CULTIVAR APOATÃ IAC 2258 EM FUNÇÃO DO GRAU DE UMIDADE E DO AMBIENTE CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE CAFÉ ROBUSTA (Coffea canephora) CULTIVAR APOATÃ IAC 2258 EM FUNÇÃO DO GRAU DE UMIDADE E DO AMBIENTE R. M. Torres Faculdade de Agronomia e Engenharia Floresta - FAEF A. C. S.

Leia mais

TIJOLOS CRUS COM SOLO ESTABILIZADO

TIJOLOS CRUS COM SOLO ESTABILIZADO TIJOLOS CRUS COM SOLO ESTABILIZADO João Maurício Fernandes Souza¹; José Dafico Alves² ¹ Bolsista PIBIC/CNPq, Engenheiro Agrícola, UnUCET - UEG 2 Orientador, docente do Curso de Engenharia Agrícola, UnUCET

Leia mais

Produção de cultivares de alface em três sistemas de cultivo em Montes Claros-MG

Produção de cultivares de alface em três sistemas de cultivo em Montes Claros-MG Produção de cultivares de alface em três sistemas de cultivo em Montes Claros-MG Cândido Alves da Costa; Sílvio Júnio Ramos; Simone Nassau Zuba; Wagner Fabian. UFMG-Núcleo de Ciências Agrárias, C. Postal

Leia mais

AVALIAÇÃO DE COMPOSTOS FENÓLICOS EM PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS NO MUNICÍPIO DE LAGES

AVALIAÇÃO DE COMPOSTOS FENÓLICOS EM PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS NO MUNICÍPIO DE LAGES AVALIAÇÃO DE COMPOSTOS FENÓLICOS EM PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS NO MUNICÍPIO DE LAGES (1) Taise Alves de Lima; (1) Talita Ribeiro de Souza; (1) Jeane Aparecida Muniz Matos; (2) Ana Paula de Lima Veeck

Leia mais

AVALIAÇÃO DE TENSOATIVOS COMERCIAIS EM SISTEMAS MICROEMULSIONADOS NA QUEBRA DE EMUSÃO DE PETRÓLEO

AVALIAÇÃO DE TENSOATIVOS COMERCIAIS EM SISTEMAS MICROEMULSIONADOS NA QUEBRA DE EMUSÃO DE PETRÓLEO AVALIAÇÃO DE TENSOATIVOS COMERCIAIS EM SISTEMAS MICROEMULSIONADOS NA QUEBRA DE EMUSÃO DE PETRÓLEO Diego Rodrigo Queiroz Alves de Souza 1 ; Leandro Assis de Oliveira 2 ; Gabriela Fontes Deiró Ferreira 3

Leia mais

Avaliação dos Parâmetros Morfológicos de Mudas de Eucalipto Utilizando Zeolita na Composição de Substrato.

Avaliação dos Parâmetros Morfológicos de Mudas de Eucalipto Utilizando Zeolita na Composição de Substrato. III SIMPÓSIO SOBRE A BIODIVERSIDADE DA MATA ATLÂNTICA. 2014 115 Avaliação dos Parâmetros Morfológicos de Mudas de Eucalipto Utilizando Zeolita na Composição de Substrato. H. B. Totola 1,*, M. Zibell 2,

Leia mais

Eficiência dos Dessecantes Paraquat e Diquat na Antecipação da Colheita do Milho.

Eficiência dos Dessecantes Paraquat e Diquat na Antecipação da Colheita do Milho. Eficiência dos Dessecantes Paraquat e Diquat na Antecipação da Colheita do Milho. XXIV Congresso Nacional de Milho e Sorgo - 01 a 05 de setembro de 2002 - Florianópolis - SC Magalhães, P. C.1, Durães,

Leia mais

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia FENOLOGIA DE UMA COMUNIDADE ARBÓREA NA AMAZÔNIA CENTRAL COMO FERRAMENTA PARA CONSERVAÇÃO Suiane Claro Saraiva;

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE COMPOSIÇÃO DE CONCRETO PERMEÁVEL COM AGREGADOS ORIUNDOS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO DE CAMPINAS

DESENVOLVIMENTO DE COMPOSIÇÃO DE CONCRETO PERMEÁVEL COM AGREGADOS ORIUNDOS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO DE CAMPINAS DESENVOLVIMENTO DE COMPOSIÇÃO DE CONCRETO PERMEÁVEL COM AGREGADOS ORIUNDOS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO DE CAMPINAS Katrine Krislei Pereira Engenharia Civil CEATEC krisleigf@hotmail.com Resumo:

Leia mais

Anais. Naviraí/MS - Brasil. Organização. Coordenação. Comitê Científico

Anais. Naviraí/MS - Brasil. Organização. Coordenação. Comitê Científico Organização Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Gerência da Unidade de Naviraí Coordenação do Curso de Química Coordenação do Curso de Tecnologia em Alimentos Coordenação Prof. Dr. Alberto Adriano

Leia mais

FENOLOGIA REPRODUTIVA DE SCHINUS TEREBINTHIFOLIUS RADDI EM ÁREA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL

FENOLOGIA REPRODUTIVA DE SCHINUS TEREBINTHIFOLIUS RADDI EM ÁREA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL FENOLOGIA REPRODUTIVA DE SCHINUS TEREBINTHIFOLIUS RADDI EM ÁREA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL Azevedo, Cláudia P.M.F.; Ferreira, Paulo C.; Pasin, Liliana A.A.P. UNIVAP/Ciências Biológicas, claumariotto@hotmail.com

Leia mais

SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Crotalaria retusa L.

SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Crotalaria retusa L. SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Crotalaria retusa L. Lima, V.C.S. (1) ; Monteiro, C.C. (1) ; Sousa L.A. (1) ; Guimarães L.L. (1) ; Rodrigues, J.V.F. (1) ; Bonilla, O.H. (1) valerialimanovetres@gmail.com.

Leia mais

ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE ROMÃ (Punica Granatum L.)... 611

ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE ROMÃ (Punica Granatum L.)... 611 ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE ROMÃ (Punica Granatum L.).... 611 ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE ROMÃ (Punica Granatum L.). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios/Apta will.takata@gmail.com narita@apta.sp.gov.br

Leia mais

{dybanners}1,1,,meioweb Links Patrocinados{/dybanners} Fonte: IBGE

{dybanners}1,1,,meioweb Links Patrocinados{/dybanners} Fonte: IBGE {dybanners}1,1,,meioweb Links Patrocinados{/dybanners} Fonte: IBGE A taxa de desocupação ficou praticamente estável, pois suas variações em relação a março (9,0%) de 2009 e também a abril de 2008 (8,5%)

Leia mais

GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3

GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3 Módulo 09 GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3 Quando ocorre o fechamento dos estômatos a condução de seiva bruta fica prejudicado bem como a entrada de gás carbônico para o processo fotossintético. 02. C O deslocamento

Leia mais

Número de plantas para estimação do plastocrono em feijão guandu

Número de plantas para estimação do plastocrono em feijão guandu Número de plantas para estimação do plastocrono em feijão guandu Alberto Cargnelutti Filho 1 Marcos Toebe 2 Giovani Facco 3 Gustavo Oliveira dos Santos 3 Bruna Mendonça Alves 2 Anderson Bolzan 4 1 - Introdução

Leia mais

RESUMO INTRODUÇÃO. 1 Graduando do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG. 2 Professor orientador, UnU- Ipameri - UEG

RESUMO INTRODUÇÃO. 1 Graduando do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG. 2 Professor orientador, UnU- Ipameri - UEG DENSIDADE DE SEMEADURA DE FEIJÃO-DE-PORCO Canavalia ensiformis. Mário Guilherme de Biagi Cava 1 ; Bruce James Santos 1 ; Vinícius André Pereira 1 ; Paulo César Timossi 2 1 Graduando do Curso de Agronomia,

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS ATRIBUTOS QUÍMICOS DE UM SOLO SOB FLORESTA ATLÂNTICA NA FAZENDA SANTA RITA, FARIA LEMOS, MG

AVALIAÇÃO DOS ATRIBUTOS QUÍMICOS DE UM SOLO SOB FLORESTA ATLÂNTICA NA FAZENDA SANTA RITA, FARIA LEMOS, MG AVALIAÇÃO DOS ATRIBUTOS QUÍMICOS DE UM SOLO SOB FLORESTA ATLÂNTICA NA FAZENDA SANTA RITA, FARIA LEMOS, MG Maria José Reis da Rocha 1, Camila Aparecida da Silva Martins 2, Aderbal Gomes da Silva 3, Mauro

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA EM INTEGRAÇÃO COM PECUÁRIA E FLORESTA DE EUCALIPTO

PRODUTIVIDADE DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA EM INTEGRAÇÃO COM PECUÁRIA E FLORESTA DE EUCALIPTO PRODUTIVIDADE DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA EM INTEGRAÇÃO COM PECUÁRIA E FLORESTA DE EUCALIPTO Valdecir Batista Alves (1), Gessí Ceccon (2), Júlio Cesar Salton (3), Antonio Luiz Neto Neto (4), Leonardo

Leia mais

Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem.

Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem. Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem. DAMASCENO, T. M. 1, WINDER, A. R. da S. 2, NOGUEIRA, J. C. M. 3, DAMASCENO, M. M. 2, MENDES, J. C. da F. 2, e DALLAPORTA, L. N.

Leia mais

V Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012

V Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012 V Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012 Produção de mudas e avaliação de características Agronômicas e químicas de mangarito (Xanthossoma

Leia mais

DECOMPOSIÇÃO DOS RESÍDUOS CULTURAIS DE MILHO E SOJA SOBRE DIFERENTES COBERTURAS DE SOLO NUMA ÁREA SOB SEMEADURA NO CERRADO

DECOMPOSIÇÃO DOS RESÍDUOS CULTURAIS DE MILHO E SOJA SOBRE DIFERENTES COBERTURAS DE SOLO NUMA ÁREA SOB SEMEADURA NO CERRADO DECOMPOSIÇÃO DOS RESÍDUOS CULTURAIS DE MILHO E SOJA SOBRE DIFERENTES COBERTURAS DE SOLO NUMA ÁREA SOB SEMEADURA NO CERRADO FERNANDEZ 1, A.T.; TORRES 2, J.L.R.; PEREIRA 3, M.G.; FABIAN 4 ; A.J. 1 Graduando

Leia mais

Pró-Reitoria Acadêmica. Escola de Exatas, Arquitetura e Meio Ambiente. Trabalho de Conclusão de Curso

Pró-Reitoria Acadêmica. Escola de Exatas, Arquitetura e Meio Ambiente. Trabalho de Conclusão de Curso Pró-Reitoria Acadêmica Escola de Exatas, Pró-Reitoria Arquitetura Acadêmica e Meio Ambiente Escola Curso de Exatas, de Ciências Arquitetura Biológicas e Meio Ambiente Trabalho de Curso Conclusão de Biologia

Leia mais

INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO

INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO LEANDRO CARLOS FERREIRA 1,3 ; ITAMAR ROSA TEIXEIRA 2,3 RESUMO: O sistema de cultivo

Leia mais

ALELOPATIA DE EXTRATOS VEGETAIS DE Tabebuia sp. SOBRE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE PLANTAS INFESTANTES EM CULTURAS AGRÍCOLAS

ALELOPATIA DE EXTRATOS VEGETAIS DE Tabebuia sp. SOBRE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE PLANTAS INFESTANTES EM CULTURAS AGRÍCOLAS 1 ALELOPATIA DE EXTRATOS VEGETAIS DE Tabebuia sp. SOBRE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE PLANTAS INFESTANTES EM CULTURAS AGRÍCOLAS Guilherme Lorini Nunes, Patricia de Costa Zonetti e Leandro Paiola Albrecht

Leia mais

CURSOS Agronomia, Ciências Habilitação em Biologia, Educação Física, Farmácia, Fisioterapia e Zootecnia

CURSOS Agronomia, Ciências Habilitação em Biologia, Educação Física, Farmácia, Fisioterapia e Zootecnia PROCESSO SELETIVO 2002/2 BIOLOGIA CURSOS Agronomia, Ciências Habilitação em Biologia, Educação Física, Farmácia, Fisioterapia e Zootecnia Só abra este caderno quando for autorizado pelo fiscal. Leia atentamente

Leia mais

Influência de Metais e de Antioxidantes na Estabilidade do Biodiesel de Soja

Influência de Metais e de Antioxidantes na Estabilidade do Biodiesel de Soja Influência de Metais e de Antioxidantes na Estabilidade do Biodiesel de Soja Silmara Furtado da Silva 1, Claudia Cristina Dias 1 e Maria Letícia Murta Valle 1 RESUMO 1 Universidade Federal do Rio de Janeiro/

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DAS FORMAS DE FÓSFORO APÓS 15 ANOS DA ADOÇÃO DE SISTEMAS DE MANEJO

DISTRIBUIÇÃO DAS FORMAS DE FÓSFORO APÓS 15 ANOS DA ADOÇÃO DE SISTEMAS DE MANEJO DISTRIBUIÇÃO DAS FORMAS DE FÓSFORO APÓS 15 ANOS DA ADOÇÃO DE SISTEMAS DE MANEJO Resumo Jefferson B. Venâncio 1, Josiléia Acordi Zanatta 2, Júlio Cesar Salton 2 Os sistemas de manejo de solo podem influenciar

Leia mais

EFEITOS DA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA MENTE ATIVA NO EQUILÍBRIO E COGNIÇÃO DE PARTICIPANTE COM DOENÇA DE ALZHEIMER

EFEITOS DA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA MENTE ATIVA NO EQUILÍBRIO E COGNIÇÃO DE PARTICIPANTE COM DOENÇA DE ALZHEIMER EFEITOS DA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA MENTE ATIVA NO EQUILÍBRIO E COGNIÇÃO DE PARTICIPANTE COM DOENÇA DE ALZHEIMER EFFECTS OF PARTICIPATION IN THE PROGRAM " MENTE ATIVO" IN BALANCE AND COGNITIVE FUNCTION

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 TOXICIDADE DA FRAÇÃO ACETATO DE ETILA PROVENIENTE DO EXTRATO AQUOSO DE FOLHAS DE BYRSONIMA INTERMEDIA EM BIOENSAIO COM ALFACE LAIANE CORSINI ROCHA 1 ; SANDRO BARBOSA 2 ; LIDIANE ORLANDI 3 ; LUIZ CARLOS

Leia mais

Efeito da colhedora, velocidade e ponto de coleta na qualidade física de sementes de milho

Efeito da colhedora, velocidade e ponto de coleta na qualidade física de sementes de milho Efeito da colhedora, velocidade e ponto de coleta na qualidade física de sementes de milho 1 Delineide Pereira Gomes, 2 Érika S. M. Koshikumo, 3 Leandra Matos Barrozo, 4 Breno Marques S. e Silva e 5 Rouverson

Leia mais

EFEITO DA ADUBAÇÃO FOSFATADA SOBRE O RENDIMENTO DE FORRAGEM E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE PASPALUM ATRATUM BRA-009610

EFEITO DA ADUBAÇÃO FOSFATADA SOBRE O RENDIMENTO DE FORRAGEM E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE PASPALUM ATRATUM BRA-009610 REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA - ISSN 1677-0293 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE A GRONOMIA E E NGENHARIA F LORESTAL DE G ARÇA/FAEF A NO IV, NÚMERO 08, DEZEMBRO DE 2005. PERIODICIDADE:

Leia mais

INFLUÊNCIA DO USO DE ÁGUA RESIDUÁRIA E DOSES DE FÓSFORO NA ÁREA FOLIAR DO PINHÃO MANSO

INFLUÊNCIA DO USO DE ÁGUA RESIDUÁRIA E DOSES DE FÓSFORO NA ÁREA FOLIAR DO PINHÃO MANSO INFLUÊNCIA DO USO DE ÁGUA RESIDUÁRIA E DOSES DE FÓSFORO NA ÁREA FOLIAR DO PINHÃO MANSO Marcio Melquiades Silva dos Anjos (1); Anderson Santos da Silva (1); Patrício Gomes Leite (2); Ronaldo do Nascimento

Leia mais

JOGO ELETRÔNICO FACILITA APRENDIZADO DE GENÉTICA E BIOTECNOLOGIA NO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS

JOGO ELETRÔNICO FACILITA APRENDIZADO DE GENÉTICA E BIOTECNOLOGIA NO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS JOGO ELETRÔNICO FACILITA APRENDIZADO DE GENÉTICA E BIOTECNOLOGIA NO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS ISSN: 1981-3031 RESUMO O estudo de genética e biotecnologia é um dos temas da Biologia que mais atrai o

Leia mais