Programa de Mentoring

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa de Mentoring"

Transcrição

1

2 Programa de Mentoring Empoderamento Feminino: Vantagens Econômicas e Sociais Empoderamento Feminino: Desafios Mentoring

3 Empoderamento Feminino: Vantagens Econômicas e Sociais O acesso feminino a posições de liderança auxilia na mudança cognitiva da sociedade com relação ao papel da mulher. Isto propicia, direta e indiretamente, maior possibilidade de desenvolvimento, redução da pobreza e maior acesso à justiça, criando condições para a melhoria do bem estar, não só das mulheres, mas de suas famílias e da sociedade como um todo.

4 Empoderamento Feminino: Vantagens Econômicas e Sociais mulheres desempenham um papel cada vez mais importante na economia. A proporção de mulheres jovens entre as idades de 15 e 24 com menos de cinco anos de escolaridade reduziu a metade entre e , enquanto que a proporção de mulheres com mais de 13 anos de escolaridade mais do que dobrou no mesmo período. Além disso, as mulheres constituem a maioria dos estudantes universitários na maioria dos países latino- americanos. Em parte como resultado dos seus níveis crescentes de educação, a participação das mulheres na força de trabalho e sua Fontes: McKinsey&Company Women Matter A Latin American Perspective 2012 Relatório sobre o Desenvolvimento Mundial - Igualdade de Genero e Desenvolvimento

5 Empoderamento Feminino: Desafios Apesar dos avanços em escolaridade e autonomia, as mulheres ainda representam uma pequena parte dos papéis de liderança na sociedade. Esta baixa participação se dá tanto no âmbito do governo como da iniciativa privada.

6 Empoderamento Feminino: Desafios Desafios estão dentro da corporação A chave para melhorar a diversidade de gênero dentro da corporação está, pelo menos até certo ponto, dentro das próprias corporações. O gráfico abaixo demonstra o problema, utilizando o Brasil como exemplo. Na trajetória dos recém- formados até o nível de gerência médio / sênior para o comitê executivo, a representação das mulheres diminui consistentemente de uma fase para a outra. Fontes: McKinsey&Company Women Matter A Latin American Perspective

7 Empoderamento Feminino: Desafios Diversidade de gênero é melhor suportada por um ecossistema composto por três tipos de iniciativas: - Comprometimento - Programas de desenvolvimento das mulheres - Um conjunto de facilitadores O gráfico abaixo relaciona apenas uma parte das iniciativas que estão inseridas em cada uma destas categorias. Empresas diferentes vão escolher diferentes combinações de iniciativas, mas a pesquisa e experiência mostram que o sucesso de programas de diversidade de gênero são sustentados por alguns componentes- chave. Diversidade de gênero é definido como uma prioridade estratégica, existe rigoroso sistema para rastrear a representação das mulheres dentro da empresa, e são tomadas medidas para enfrentar o preconceito de gênero. Fontes: McKinsey&Company Women Matter A Latin American Perspective

8 Por que Mentoring? Mentoring tem sido identificado como uma ferramenta eficaz no desenvolvimento e retenção de talentos dentro das organizações. Estudos mostram que minorias (incluindo mulheres) tendem a não se beneficiar naturalmente de programas de Mentoring informais dentro das corporações. Portanto, a utilização de programas estruturados, que assegurem a participação de mulheres, pode ser um instrumento- chave no desenvolvimento de futuras mulheres líderes. Ter um Mentor(a) pode ser um dos relacionamentos mais poderosos de desenvolvimento que você irá experimentar. Em uma pesquisa, quatro dos cinco principais executivos disseram que ter um Mentor foi um dos pontos- chave para o sucesso - David Clutterbuck

9 Objetivo Geral O objetivo geral é programa de Mentoring para ser disponibilizado pela Rede de Mulheres Lideres pela Sustentabilidade que ajude a desenvolver mulheres nas corporações, aumentando a participação feminina em postos de liderança.

10 O QUE É MENTORING? Processo que visa a troca de conhecimentos e experiências entre um profissional em início de carreira (Mentee) e outro (Mentor(a)), que já tenha uma carreira desenvolvida, com certos conhecimentos e habilidades também desenvolvidos.

11 Missão Incentivar o desenvolvimento profissional estruturado com maior retenção da mulher nas Organizações, buscando condições compatíveis diante das oportunidades de carreira, viabilizando recursos para encorajá- las no caminho da realização pessoal e profissional. Fontes: Programa de Mentoring KPMG

12 Programa de Mentoring Objetivos: Criar um canal de comunicação e suporte a carreira de profissionais em fase de desenvolvimento profissional, favorecendo sua ascensão. Como: Oferecendo suporte, incentivo e informação sobre carreira de maneira estruturada e continuada. Público: Mulheres em fase de crescimento profissional

13 O que é Mentoring? O que é: relacionamento entre um profissional mais experiente que orienta, aconselha e compartilha experiências com um mais jovem para o desenvolvimento pessoal e de carreira. Mentor(a): ter o perfil e treinamento para assumir o papel. Ser voluntário Mentee: ter um aprendizado com uma perspectiva mais ampla e enfrentar os desafios da próxima geração de líderes. 4 Fases do Mentor(a)amento: 1. Preparação 2. Estrutura 3. Processo 4. Fechamento

14 Processo de Mentoring 1 Identificar a Mentee 2 Identificar Mentores 3 Escolha do Mentor(a) e Mentee 4 Treinamento de Mentoring para Mentores 5 Sessão de conscientização para Mentees 6 Inicio das Sessões de Mentoring 7 Coaching para os Mentores 8 Avaliação da eficácia do processo

15 Processo de Mentoring Troca de informações sobre cada um Compartilhar informações necessárias Ser específico nos objetivos Discutir os objetivos de seu Mentor(a) Estabeleça expectativas para os encontros Leia a biografia de seu Mentor(a) e compartilhe informações sobre si mesmo (isto é, formação e experiência, a posição e as responsabilidades, objetivos de carreira a curto e longo prazo, os desafios atuais) em sua primeira reunião. Compartilhe suas avaliações de desempenho. Seja específico sobre o que objetivos você gostaria de realizar durante o relacionamento Mentoring. Compreender os objetivos e expectativas de seu Mentor(a) irá garantir que a relação de Mentoring é benéfico para ambos. Mentees devem tomar a iniciativa de estabelecer um calendário de reuniões. Discutir quantas vezes vão se encontrar, quanto tempo, será utilizado agendas de reuniões, a melhor maneira de se comunicar / contatar o seu Mentor(a), como o progresso será avaliado, etc

16 4 componentes principais da relação Mentor(a) x Mentee 1. Confiança A Mentee deve confiar que os assuntos discutidos serão mantidos entre Mentor(a) e Mentee, e que o/a Mentor(a)(a) fará conforme combinado. 2. Foco No encontro, a Mentee deve sentir que a atenção do Mentor(a) está totalmente voltada a ela, em uma escuta ativa e sem julgamentos. 3. Empatia - Respeitar e buscar entender o ponto de vista da Mentee. 4. Empowerment Orientar a Mentee, e mostrar que ela tem condições de tomar suas próprias decisões e assumir responsabilidades.

17 Ser Mentor(a) 10 competências ou atributos essenciais: 1. Auto conhecimento - ter um bom conhecimento de seus próprios pontos fortes e fraquezas ajuda a ser mais aberto e humano para com a Mentee. 2. Empatia colocar- se no lugar do outro, compreender o comportamento de outras pessoas. 3. Profissionais mais experientes ter a sabedoria acumulada 4. Comunicação saber ouvir, questionar, explicar, dar feedback e sintetizar. 5. Compromisso com a sua própria aprendizagem - ver o Mentoring como mais uma oportunidade para adicionar à sua própria experiência e visão. 6. Grande interesse em desenvolver outros fazer com que a Mentee sinta que o você quer estar lá e ajudar.

18 10. Clareza de objetivos - capaz de estabelecer e alcançar metas para si próprio e, portanto, ter facilidade para ajudar os outros a fazerem o mesmo. Ser Mentor(a) 10 competências ou atributos essenciais: 7. Gestão de relacionamento - ter uma boa relação e construção de habilidades sociais gerais. 8. Oferecer perspectivas - a capacidade de colocar as questões num contexto mais amplo. O que para a Mentee, menos experiente, pode ser um problema gigante, talvez não seja tão grande assim. 9. Modelagem conceitual possuir habilidades analíticas para identificar padrões nas questões que discutem com a Mentee, e criar analogias ou metáforas, o que o ajudará a entender melhor o que está acontecendo.

19 Mentee Como aproveitar o Mentoring 1. Saber o que você deseja alcançar através da relação (ex. quais transições pessoais que você quer fazer?); 2. Demonstrar entusiasmo e interesse; 3. Respeitar o/a Mentor(a) pela sua experiência e quem ele/ela é; 4. Ouvir com atenção, tomar notas, conforme o caso; 5. Demonstrar integridade e transparência, seja honesto com você mesma, bem como com o/a seu/sua Mentor(a); 6. Utilizar- se de perguntas para obter do Mentor(a) explicações mais detalhadas; 7. Esteja preparada para explorar algumas questões que podem te tirar da sua zona de conforto; 8. Refletir sobre as reuniões e o que você aprendeu em sua discussão com o seu Mentor(a); 9. Certificar- se de que o Mentor(a) entende que tipo de ajuda você precisa; 10. Aceitar críticas.

20 Responsabilidades Mentor(a) Responsável por ajudar a Mentee exclusivamente em seu desenvolvimento. Responsável esclarecer quaisquer dúvidas sobre o processo de Mentoring. Mentee Responsável pelo agendamento das sessões com o Mentor(a). 100% responsável pelo seu desenvolvimento durante o processo.. Responsável pelas habilidades a serem desenvolvidas.

21 Planejamento do programa de Mentoring Agendar uma reunião com a Mentee Criar um acordo de Mentoring Qual a frequência das reuniões? Quanto tempo vai durar cada reunião? Onde e quando nós vamos nos reunir? Quem será o responsável por agendar as sessções? Como serão administrados as mudanças de sessções? - Anexo 1 - Administrando as sessões de Mentoring Dedicar tempo e espaço para qualidade de suas sessões, evitar interrupções e torná- las uma prioridade. Tenha em mente os objetivos a serem alcançados, estabelecer desafios e compromissos realistas e segui- los. Incentivar discussões abertas e em profundidade, enriquecer com exemplos, dúvidas e opiniões. Dar dicas - Anexo 2 -

22 Orientações para reuniões de Mentoring 1.- Prepare- se com antecedência para a reunião Marcar as reuniões com menos uma semana de antecedência. Para evitar o absentismo, recomendamos marcar as reuniões para os próximos seis meses, no mínimo. Certifique- se que as reuniões são realizadas em um lugar privado onde não há interrupções. Respire e se concentrar antes de começar. 2.- Criar um ambiente de confiança Antes de iniciar a reunião, tente criar o ambiente certo para a sessão de Mentoring: propicie um sentimento de confiança através de uma one- on- one conversa, explicar os objectivos da sessão, mostrar o seu interesse em realizar a reunião, etc) Explique ao seu participante como Mentoring é um processo de aprendizagem e desenvolvimento, e que durante estas sessões você vai procurar desenvolver habilidades e competências e trabalhar para melhorar o desempenho. Garantir a confidencialidade das informações pessoais que possam surgir durante as sessões, nos casos em que esta não está ligada ao desempenho. 3. Estabeleça um acordo para as reuniões de Mentoring Discuta a seguinte com a Mentee: O que você espera desta reunião? Por que você quer isso? O que a Mentee vai fazer para aproveitar o máximo nos próximos minutos?

23 Orientações para reuniões de Mentoring Continuação 4. Seja um ouvinte ativo Peça à Mentee para falar sobre ela. Comente sobre assuntos que você gostaria de discutir com a Mentee. Seja um ouvinte ativo para reconhecer o que a Mentee deseja transmitir. Se algo não estiver claro, pergunte ; é melhor checar e não fazer suposições. Para ser um melhor "ouvinte ativo", recomendamos o seguinte: Ao ouvir a opinião da sua Mentee, você pode ficar tentado a fazer suas próprias opiniões ou julgamentos. Não faça isso. Você precisa parar e apenas ouvir. Não tente impor suas próprias ideias ou perspectivas. Tente ouvir mais do que as palavras. Aprenda a distinguir entre as palavras, o tom de voz e linguagem corporal. Resumir, parafrasear, reiterar e repetir o que a Mentee tenha dito, para garantir clareza e compreensão. Incentivar, aceitar e reforçar as expressões de emoções, sentimentos, percepções, crenças, preocupações e sugestões da Mentee. Questões que podem ajudar: 1.Por que você acha que você se sente desse jeito? Por que isso é importante para você? O que quer dizer com isso? 2.Eu não entendi completamente essa idéia, você poderia explicar melhor? 3.O que é exatamente lhe preocupa / incomoda / irrita sobre esta situação? 4.O que aconteceu exatamente? (Definir ações concretas)

24 Orientações para reuniões de Mentoring Continuação 5. Pergunte e ajude a Mentee a encontrar novas interpretações O que precisa ser evitado: 1.Perguntas fechadas que podem ser respondidas com um "sim" ou "não" 2.Perguntas que incluem uma solução. 3.Perguntas que implicam um julgamento ou opinião. 4.Perguntas que começam com "Por que você fez isso?" Isso pode provocar uma atitude defensiva. Dar uma interpretação a partir de sua experiência. Compartilhar histórias de sua própria carreira. Ampliar a perspectiva do participante, com um olhar mais estratégico para a situação. 6. Criar consciência e promover a reflexão da Mentee Você precisa trabalhar sob um ponto onde a Mentee possa ver oportunidades de ação até o final da reunião. Peça aa Mentee para dizer- lhe quais as oportunidades e as possibilidades que identificou agora e que não tenha identificado antes da sessão de Mentoring. Ajude a Mentee a estar ciente de sua realidade e a procurar ver o mundo, os costumes, as diferenças entre fatos e interpretações, e as discrepâncias entre pensamentos, sentimentos e ações. Questões que podem ajudar: 1.Você ve novas possibilidades ou oportunidades?

25 Orientações para reuniões de Mentoring Continuação 7. Surgindo novas ações Ajudar a criar um comprometimento de mudança. Certifique- se de que a Mentee saia da reunião com ações e um compromisso de fazer algo diferente, então ele/ ela pode melhorar naquilo que representa um desafio para ele/ela. Inspire a Mentee a explorar ideias e soluções alternativas, avaliar as opções e tomar as decisões correspondentes. Promover a autodescoberta e auto- gestão. Desafios de fomento para as questões que precisam ser melhoradas ou trabalhadas. Pergunta que pode ajudar: 1.Agora que tivemos essa conversa, que ações específicas você acha que você poderia parar de tomar, começar a tomar, aumentar ou diminuir? 8. Encerramento e agradecimento Quando terminar a reunião, repasse os acordos e compromissos que foram estabelecidos. Agradeça aa Mentee pelo o seu tempo. Comente que na próxima reunião você pretende discutir sobre como ele/ela está progredindo com os seus compromissos e ações.

26 Medição do progresso Pelo desenvolvimento profissional Objetivos pela avaliação de desempenho Pelas Competências a Mentee teve ter uma conversa com seu superior imediato, a fim de receber feedback sobre sua avaliação de competência e também pode fornecer ao Mentor(a) 2 ou 3 habilidades para ajudar num modelo de liderança. Uma vez validada com o superior imediato eles são apresentados ao Mentor(a), com o desafio de trabalhar no que foi acordado e validado com o seu gerente.

27 Mentoring: Impacto e Benefícios Mentor(a) Mentee Ter insights & compreensão Compartilhar conhecimento e experiência Dar feedback aos empregados e a organização Experimentar a vitalidade de uma conexão entre gerações com outros funcionários Programa de Mentoring Competências de Liderança Atingir metas e melhorar as habilidades e conhecimentos Fortalecer Carreira e Desenvolvimento Pessoal Melhorar a transição para novas atribuições e papéis Desenvolver relacionamentos com clientes internos e externos em todos os níveis Cria Parceria Cross- Funcional Promove a aprendizagem e aumento talentos Organização Aumenta a motivação e comprometimento dos funcionários Makes Role Model visible Apoia a Diversidade e Inclusão e Desenvolvimentos de Carreira Aumenta a produtividade e desempenho dos funcionários

28 Anexo 1 EXEMPLO DE ACORDO DE MENTORING Antes de primeira reunião, o Mentor(a) e Mentee preenchem o formulário de forma independente. Durante a reunião, conjuntamente revisam e discutem sob a perspectiva de cada um. Em seguida, entram num acordo para cada item. Ambos, Mentor(a) e Mentee, assinam e datam o formulário. a Mentee é responsável por guardar o formulário e, caso necessário, revisar e atualizar. Reuniões Frequência das reuniões? Duração das reuniões? Quando e onde serão as reuniões? Quem será responsável pelo agendamento das reuniões? Como serão administrados mudanças não planejadas? Existe alguma previsão de mudanças nas responsabilidades profissionais e/ ou no fluxo de trabalho num futuro próximo? Existem outras mudanças antecipadas?

29 Anexo 1 Continuação Expectativas Que tipo de ajuda a Mentee precisa do Mentor(a)? Tem algum tópico urgente? Qual o resultado desejado da nossa parceria? Quais serão os benefícios para cada um de nós? Quais são as regras básicas para as nossas discussões? (exemplo: confidencialidade, transparência, honestidade, veracidade, etc) Quais características o Mentor(a) espera da Mentee? Quais características a Mentee esperado do Mentor(a)? Tem Como vamos manter o gerente da Mentee informado? Se aparecer problemas, como eles serão resolvidos? Quanto tempo para demorar o programa de Mentoring (pelo menos 6 meses?) E, como vamos saber quando o programa atingiu o seu propósito e podemos terminar? Questões adicionais que discutimos e concordamos: Assinatura do Mentor(a) Assinatura da Mentee Data: Data:

30 Anexo 2 ORIENTAÇAO PARA UM PROGRAMA DE MENTORING BEM SUCEDIDO Essas orientações são fornecidas aos Mentores para garantir que o programa de Mentoring começa com o entendimento de um bom relacionamento para o sucesso do programa: Fazer reuniões mensais no mínimo Certifique- se de reuniões regulares com o Mentee: Agora que você já assumiu o compromisso de discussões regulares com o seu Mentee, garantir que isso fique no seu radar. Priorizar, além de outros compromissos, e garantir que os próximos encontros estão agendados e que ocorram conforme planejado. Programe um tempo para se preparar adequadamente para os próximos reuniões: Como um Mentor(a), prepara- se para próxima reunião. Separe um tempo em sua agenda para planejar os detalhes logísticos e discussão para a próxima reunião com o seu Mentee. Gerencie as discussões com seu aprendiz de forma efetiva: Esforce- se para garantir que em cada reunião com seu Mentee seja discutido os objetivos comuns estabelecidos no início do programa e avance nas discussões para que o tempo seja bem aproveitado. Defina claramente os próximos passos antes de terminar a reunião: Como acontece com qualquer reunião eficaz, estabelecer e deixar claro os próximos passos para ambos o Mentor(a) e a Mentee no final de cada reunião. Use- os para alavancar os discussões de cada mês. Follow up dos compromissos: Estabeleça prazos para acompanhar os seus compromissos e mantenha- se informado dos prazos do seu Mentee também. O follow- up possui o desafio para você mesmo ou seu Mentee, aproveitar a oportunidade para resolver problemas juntos. Dinamizar e enriquecer seu relacionamento por meio do engajamento Preste atenção nos "eventos de vida" do Mentee Quando é o aniversário dele? Data do casamento? Ele está procurando apartamento? Entender como está sendo o ano na vida do seu Mentee irá ajudá- lo a planejar para as próximos reuniões e determinar como você pode apoiar o seu Mentee para além do imediatismo do seu trabalho e da organização. Buscar oportunidades informais para a construção do relacionamento: Enquanto discussões formais regulares com o seu Mentee são importantes para o relacionamento momentaneo, interações informais, talvez, fora do ambiente de trabalho imediato pode ajudar a aprofundar o relacionamento e solidificar o compromisso de mão dupla. Entregar além das expectativas: Assim como nas relação mais gratificante em sua vida pessoal e profissional, onde a outra parte consistentemente supera as suas expectativas ou necessidades. Superar, fazendo tarefas suplementares, ou fazer um call extra provavelmente vai encantar e surpreender o seu Mentee, aprofundando a sua relação de confiança com mais rapidez.

31 Diferenças entre Mentoring / Coaching Anexo 3 Definição Propósito MENTORING Mentor(a)es são indivíduos com experiência e conhecimento em uma área de especialidade que se comprometem a construir o relacionamento com seu Mentee a fim de prover ascensão e suporte na carreira Aconselhamento e apoio quando necessário COACHING É uma relação entre um executivo organizacional e o coach, o qual faz uso do processo dos componentes de coaching combinados com comportamentos de coach. Assim o coach facilita os objetivos conjuntamente identificados para melhoria de aspectos pessoais e relativos à organização Pró-atividade, descoberta e crescimento Objetivo Orientação Prazo Partilhar conhecimento e experiências profissionais Orientado no relacionamento Longo prazo, sessões flexíveis Alcançar / atingir objetivos pessoais Autodesenvolvimento e orientado a resultados Curto prazo, sessões estruturadas Agenda Interação Definido pela Mentee e Mentor(a) estrutura informal Presencial, correspondência, telefone ou Definida pelo coach e pelo executivo, os quais, em conjunto, determinam as metas a serem alcançadas. Presencial ou por telefone Foco Intervenção Foco no presente e no futuro Transferir conhecimento em uma área de domínio especifico Foco no presente e no futuro Desenvolvimento de um plano de ação que, por meio de sessões de coaching, alcance os resultados definidos Resultado Ascensão na carreira e desenvolvimento pessoal Fonte: Coach, Um Estudo sobre a Percepção dos Envolvidos: Organização, Execução e Coach Marco Aurelio de Araujo Ferreira Objetiva novos conhecimentos, habilitades e valores com resultados pessoais e profissionais

32 Referências Bibliográficas Women Matter A Latin American Perspective - McKinsey&Company 2012 Relatório sobre o Desenvolvimento Mundial - Igualdade de Genero e Desenvolvimento Making Mentoring Work Catalyst Research, 2010 Bridging the Gender Gap Tackling womens inequality. Oct 2012 KPMG KNOW Programa de Mentoring KPMG Programa de Mentoring Trevisan Auditores Programa de Mentoring PepsiCo LAB 2011/2012/2013

Competências avaliadas pela ICF

Competências avaliadas pela ICF Competências avaliadas pela ICF ð Estabelecendo a Base: 1. Atendendo as Orientações Éticas e aos Padrões Profissionais Compreensão da ética e dos padrões do Coaching e capacidade de aplicá- los adequadamente

Leia mais

03 Set PROJETO. Manual. Inscrições. www.incubadora.coppe.ufrj.br http://www.alumnicoppead.com.br/index.php/projeto-mentoring. até

03 Set PROJETO. Manual. Inscrições. www.incubadora.coppe.ufrj.br http://www.alumnicoppead.com.br/index.php/projeto-mentoring. até Manual Faça parte desse time! Inscrições até 03 Set www.incubadora.coppe.ufrj.br http://www.alumnicoppead.com.br/index.php/projeto-mentoring INDICE Agenda Objetivos O Mentoring Quais os benefícios chaves

Leia mais

SG BRÉSIL CARRIÈRE AU FÉMININ

SG BRÉSIL CARRIÈRE AU FÉMININ C1 SG BRÉSIL CARRIÈRE AU FÉMININ Mentores Mentoring é o relacionamento entre dois profissionais com diferentes níveis de senioridade, cujo objetivo é facilitar o desenvolvimento do profissional menos sênior,

Leia mais

Coaching Executivo: Coaching como instrumento fundamental do Líder

Coaching Executivo: Coaching como instrumento fundamental do Líder Coaching Executivo: Coaching como instrumento fundamental do Líder I Simpósio Coaching - Arte e Ciência CRA-SP 28 de maio de 2013 1 COACH Sentido original da palavra: veículo para transporte de pessoas.

Leia mais

Competências Essenciais de Coaching. Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING

Competências Essenciais de Coaching. Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING Competências Essenciais de Coaching Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING Por que estamos aqui? Estamos aqui para: Conhecer quais são as competências essências do um

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Perfil e Competências do Coach

Perfil e Competências do Coach Perfil e Competências do Coach CÉLULA DE TRABALHO Adriana Levy Isabel Cristina de Aquino Folli José Pascoal Muniz - Líder da Célula Marcia Madureira Ricardino Wilson Gonzales Gambirazi 1. Formação Acadêmica

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

ACTION LEARNING. O que é Action Learning? FUN D A MEN T OS D O

ACTION LEARNING. O que é Action Learning? FUN D A MEN T OS D O C L E O W O L F F O que é Action Learning? Um processo que envolve um pequeno grupo/equipe refletindo e trabalhando em problemas reais, agindo e aprendendo enquanto atuam. FUN D A MEN T OS D O ACTION LEARNING

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching,

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, 5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, Consultoria, Terapias Holísticas e Para Encher Seus Cursos e Workshops. Parte 01 Como Se Posicionar e Escolher os Clientes dos Seus Sonhos 1 Cinco Etapas Para

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

CFO Program Para uma carreira em constante transformação

CFO Program Para uma carreira em constante transformação CFO Program Para uma carreira em constante transformação A Deloitte refere-se a uma ou mais entidades da Deloitte Touche Tohmatsu Limited, uma sociedade privada, de responsabilidade limitada, estabelecida

Leia mais

NOSSO OLHAR QUEM SOMOS NOSSA ATUAÇÃO RESULTADOS OBTIDOS NOSSA ABORDAGEM APRESENTAÇÃO CLIENTES E PARCEIROS

NOSSO OLHAR QUEM SOMOS NOSSA ATUAÇÃO RESULTADOS OBTIDOS NOSSA ABORDAGEM APRESENTAÇÃO CLIENTES E PARCEIROS QUEM SOMOS NOSSO OLHAR NOSSA ATUAÇÃO NOSSA ABORDAGEM RESULTADOS OBTIDOS CLIENTES E PARCEIROS APRESENTAÇÃO QUEM SOMOS O trabalho daassssssso consiste em atuar no desenvolvimento de grupos e indivíduos,

Leia mais

Position Paper. As Melhores Práticas Globais no Desenvolvimento de Trainees e Jovens Talentos. Edição Nº1. www.ipledu.com +55 11 2364 9355

Position Paper. As Melhores Práticas Globais no Desenvolvimento de Trainees e Jovens Talentos. Edição Nº1. www.ipledu.com +55 11 2364 9355 Position Paper Edição Nº As Melhores Práticas Globais no Desenvolvimento de Trainees e Jovens Talentos www.ipledu.com +55 64 955 O ipl Institute of Performance and Leadership é uma empresa especializada

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counsuling: Desmistificando o Coaching Inquietações... O que é? Para que serve? Quem

Leia mais

Como combinado segue proposta para o coaching executivo com foco na preparação e caminhos para o seu crescimento e desenvolvimento profissional.

Como combinado segue proposta para o coaching executivo com foco na preparação e caminhos para o seu crescimento e desenvolvimento profissional. Belo Horizonte, 28 de março de 2013. Cara Grayce, Como combinado segue proposta para o coaching executivo com foco na preparação e caminhos para o seu crescimento e desenvolvimento profissional. Estamos

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

COACHING. Parceria para o sucesso! Coordenação Técnica e Instrutoria : Teorema Consultoria e Assessoria - São Paulo

COACHING. Parceria para o sucesso! Coordenação Técnica e Instrutoria : Teorema Consultoria e Assessoria - São Paulo COACHING Parceria para o sucesso! Coordenação Técnica e Instrutoria : Teorema Consultoria e Assessoria - São Paulo www.teoremaconsult.com.br teorema@teoremaconsult.com.br Coach É o papel que você assume

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

Princípios de Liderança

Princípios de Liderança Princípios de Liderança LIDERANÇA E COACH www.liderancaecoach.com.br / liderancaecoach ÍNDICE Liderança Chefe x Líder O que um líder não deve fazer Dicas para ser um líder de sucesso Para liderar uma equipe

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa.

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa. A Liderança Faz a Diferença Guia de Gerenciamento de Riscos Fatais Introdução 2 A prevenção de doenças e acidentes ocupacionais ocorre em duas esferas de controle distintas, mas concomitantes: uma que

Leia mais

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES Desde 1999 NOSSA MISSÃO AÇÕES DE TREINAMENTO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES MISSÃO Inspirar nossos clientes para a expansão de ideias e formação de relacionamentos saudáveis e duradouros no ambiente

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE COACHING EDUCATION By José Roberto Marques Diretor Presidente - Instituto Brasileiro de Coaching Denominamos de Coaching Education a explicação, orientação e aproximação

Leia mais

O Coach Formação & Carreira

O Coach Formação & Carreira O Coach Formação & Carreira Eu aprendí que as pessoas poderão esquecer o que você disse mas jamais esquecerão o que você as fez sentir. Voce não pode ensinar nada a uma pessoa; pode apenas ajudá-la a encontrar

Leia mais

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

O Coaching pode ajudar uma pessoa a:

O Coaching pode ajudar uma pessoa a: O que é o Coaching O que é o Coaching É um processo compartilhado de desenvolvimento pessoal e profissional focado em ações no presente, para tornar real suas intenções de atingir objetivos e alcançar

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

LIDERAR UMA FORÇA DE TRABALHO MULTIGERACIONAL:UM GUIA PARA O COACHING & O ENGAJAMENTO DO COLABORADOR

LIDERAR UMA FORÇA DE TRABALHO MULTIGERACIONAL:UM GUIA PARA O COACHING & O ENGAJAMENTO DO COLABORADOR LIDERAR UMA FORÇA DE TRABALHO MULTIGERACIONAL:UM GUIA PARA O COACHING & O ENGAJAMENTO DO COLABORADOR LIDERAR UMA FORÇA DE TRABALHO MULTIGERACIONAL:UM GUIA PARA O COACHING & O ENGAJAMENTO DO COLABORADOR

Leia mais

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores!

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Empreendedores Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Por meio de um método de aprendizagem único,

Leia mais

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Objetivos da Aula: Nesta aula, iremos conhecer os diversos papéis e responsabilidades das pessoas ou grupos de pessoas envolvidas na realização de

Leia mais

44% 56% 67.896 respostas no Brasil. 111.432 respostas na América Latina. 0,5% Margem de erro. Metodologia e Perfil. homens.

44% 56% 67.896 respostas no Brasil. 111.432 respostas na América Latina. 0,5% Margem de erro. Metodologia e Perfil. homens. Brasil A pesquisa em 2015 Metodologia e Perfil 111.432 respostas na América Latina 44% homens 67.896 respostas no Brasil 0,5% Margem de erro 56% mulheres * A pesquisa no Uruguai ainda está em fase de coleta

Leia mais

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Latest update New and revised ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Introdução A ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, a primeira norma ambiental internacional do mundo tem ajudado milhares de

Leia mais

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 O COACHING...4 ORIGENS...5 DEFINIÇÕES DE COACHING...6 TERMOS ESPECÍFICOS E SUAS DEFINIÇÕES...7 O QUE FAZ UM COACH?...8 NICHOS DE ATUAÇÃO DO COACHING...9 OBJETIVOS DO COACHING...10

Leia mais

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil O futuro é (deveria ser) o sucesso Como estar preparado? O que você NÃO verá nesta apresentação Voltar

Leia mais

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

PEN - Processo de Entendimento das Necessidades de Negócio Versão 1.4.0

PEN - Processo de Entendimento das Necessidades de Negócio Versão 1.4.0 PEN - Processo de Entendimento das Necessidades de Negócio Versão 1.4.0 Banco Central do Brasil, 2015 Página 1 de 14 Índice 1. FLUXO DO PEN - PROCESSO DE ENTENDIMENTO DAS NECESSIDADES DE NEGÓCIO... 3 2.

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

C A R R E I R A H O G A N D E S E N V O L V E R DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA. Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264

C A R R E I R A H O G A N D E S E N V O L V E R DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA. Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 S E L E C I O N A R D E S E N V O L V E R L I D E R A R H O G A N D E S E N V O L V E R C A R R E I R A DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 Data: 12,

Leia mais

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL COD: NOR 312 APROVAÇÃO: Resolução DIREX Nº 009/2012 de 30/01/2012 NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO 1/17 ÍNDICE

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

Módulo 3. Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.2, 6.2.1, 6.2.2, 6.2.3, 6.2.4, 6.2.5, 6.3, 6.4, 6.4.1, 6.4.2, 6.4.

Módulo 3. Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.2, 6.2.1, 6.2.2, 6.2.3, 6.2.4, 6.2.5, 6.3, 6.4, 6.4.1, 6.4.2, 6.4. Módulo 3 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.2, 6.2.1, 6.2.2, 6.2.3, 6.2.4, 6.2.5, 6.3, 6.4, 6.4.1, 6.4.2, 6.4.3 Exercícios 6.2 Iniciando a auditoria/ 6.2.1 Designando o líder da equipe

Leia mais

COMPETÊNCIAS PRINCIPAIS

COMPETÊNCIAS PRINCIPAIS COMPETÊNCIAS PRINCIPAIS As onze competências principais em coaching foram desenvolvidas para possibilitar a maior compreensão sobre as habilidades e abordagens usadas atualmente na profissão de coaching

Leia mais

Catálogo de treinamentos

Catálogo de treinamentos Catálogo de treinamentos 11 3892-9572 www.institutonobile.com.br Desenvolvendo seus Talentos O Instituto Nobile desenvolve as mais modernas soluções em treinamento e desenvolvimento. Oferecemos programas

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

Formulário de Avaliação de Desempenho

Formulário de Avaliação de Desempenho Formulário de Avaliação de Desempenho Objetivos da Avaliação de Desempenho: A avaliação de desempenho será um processo anual e sistemático que, enquanto processo de aferição individual do mérito do funcionário

Leia mais

Que Liderança hoje? A Transformação acontece aqui e agora o que permanecerá? Mentoring, Tutoring, Coaching A Inteligência Emocional

Que Liderança hoje? A Transformação acontece aqui e agora o que permanecerá? Mentoring, Tutoring, Coaching A Inteligência Emocional Que Liderança hoje? A Transformação acontece aqui e agora o que permanecerá? Mentoring, Tutoring, Coaching A Inteligência Emocional Estamos numa encruzilhada Não é a falta de saídas que é problemática,

Leia mais

CULTURA ORGANIZACIONAL. Prof. Gilberto Shinyashiki FEA-RP USP

CULTURA ORGANIZACIONAL. Prof. Gilberto Shinyashiki FEA-RP USP CULTURA ORGANIZACIONAL Prof. Gilberto Shinyashiki FEA-RP USP Cultura é uma característica única de qualquer organização Apesar de difícil definição, compreende-la pode ajudar a: Predizer como a organização

Leia mais

Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio?

Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio? Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio? Matheus Kfouri Marino Camila Dias de Sá* A competitividade do agronegócio brasileiro é incontestável e resulta em taxas expressivas

Leia mais

Kit de Apoio à Gestão Pública 1

Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Índice CADERNO 3: Kit de Apoio à Gestão Pública 3.1. Orientações para a reunião de Apoio à Gestão Pública... 03 3.1.1. O tema do Ciclo 4... 03 3.1.2. Objetivo, ações básicas

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Como Eu Começo meu A3?

Como Eu Começo meu A3? Como Eu Começo meu A3? David Verble O pensamento A3 é um pensamento lento. Você está tendo problemas para começar seu A3? Quando ministro treinamentos sobre o pensamento, criação e uso do A3, este assunto

Leia mais

1. Objetivo. 2. Público-alvo

1. Objetivo. 2. Público-alvo 1. Objetivo Contribuir para um futuro melhor para todos a partir do investimento em desenvolvimento de jovens com potencial para liderança, atuantes em comunidades e/ou entidades sem fins lucrativos, em

Leia mais

COMO FAZER A TRANSIÇÃO

COMO FAZER A TRANSIÇÃO ISO 9001:2015 COMO FAZER A TRANSIÇÃO Um guia para empresas certificadas Antes de começar A ISO 9001 mudou! A versão brasileira da norma foi publicada no dia 30/09/2015 e a partir desse dia, as empresas

Leia mais

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial Sumário executivo À medida que as organizações competem e crescem em uma economia global dinâmica, um novo conjunto de pontos cruciais

Leia mais

CONSELHOS PARA PAIS E FILHOS. Geração Futura. Perceba o seu filho e ajude-o a subir as notas! Sucesso Escolar

CONSELHOS PARA PAIS E FILHOS. Geração Futura. Perceba o seu filho e ajude-o a subir as notas! Sucesso Escolar Sucesso Escolar CONSELHOS PARA PAIS E FILHOS Geração Futura Perceba o seu filho e ajude-o a subir as notas! www.geracaofutura.pt geracaofutura.formacao@gmail.com Telemóvel: 919 123 725 Skype: geracaofutura

Leia mais

GEEF Grupo de Estudos de Empresas Familiares Gvlaw OUT/2014

GEEF Grupo de Estudos de Empresas Familiares Gvlaw OUT/2014 GEEF Grupo de Estudos de Empresas Familiares Gvlaw OUT/2014 Quem sou eu em 3 fases Há 18 anos Reinventando identidade Pessoas Governança Familiar PMC Mesa Coerentia Ekilibra Marketing Lage e Magy Itau

Leia mais

Tendências em Gestão de Pessoas

Tendências em Gestão de Pessoas Tendências em Gestão de Pessoas Iniciamos um novo ano, 2011. Dois meses já se passaram, e voltamos aos artigos sobre RH estratégico, Tendências de Recursos Humanos, Novos Rumos para a área de Recursos

Leia mais

COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS

COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS CONHEÇA OS FUNDAMENTOS O QUE É O COACHING? Coaching é um processo de aceleração de resultados que consiste no desenvolvimento de competências e habilidades profissionais

Leia mais

Mário Rocha. A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências

Mário Rocha. A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências Mário Rocha A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências Missão Visão Objetivos estratégicos Competências Organizacionais Competências Conhecimento o que saber Habilidades - saber fazer

Leia mais

Como se tornar um líder de Sucesso!

Como se tornar um líder de Sucesso! Como se tornar um líder de Sucesso! Os 10 mandamentos do Como se tornar um líder de Sucesso! O líder é responsável pelo sucesso ou fracasso de uma organização. A liderança exige de qualquer pessoa, paciência,

Leia mais

1 Dicas para o profissional que vira chefe dos colegas

1 Dicas para o profissional que vira chefe dos colegas 1 Dicas para o profissional que vira chefe dos colegas http://oglobo.globo.com/economia/emprego/dicas-para-profissional-que-vira-chefe-dos-colegas-13653201 Tudo depende da postura pessoal, mas clareza

Leia mais

Leandro Alves da Silva

Leandro Alves da Silva Leandro Alves da Silva First Peopleware Quem sou... Leandro Alves da Silva - Coach e responsável pelo desenvolvimento de novos negócios da First Peopleware - Doutor em Educação pela FEUSP - Personal&Professional

Leia mais

Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA

Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA Em ação! PARTE 1: (5 minutos) Procure alguém que você não conhece ou que conhece

Leia mais

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil 10Minutos Futuro do trabalho Pesquisa sobre impactos e desafios das mudanças no mundo do trabalho para as organizações no B O futuro do trabalho Destaques Escassez de profissionais, novos valores e expectativas

Leia mais

Painel Um caminho para o modelo brasileiro realizações desde a fundação do GEC em 2007

Painel Um caminho para o modelo brasileiro realizações desde a fundação do GEC em 2007 Painel Um caminho para o modelo brasileiro realizações desde a fundação do GEC em 2007 Projetos Perfil e Competências do Coach Entidades Formadoras e Certificadoras Perfil e Competências do Coach Adriana

Leia mais

Desenvolvimento de Liderança Motivação e Trabalho em Equipe

Desenvolvimento de Liderança Motivação e Trabalho em Equipe Desenvolvimento de Liderança Motivação e Trabalho em Equipe Eduardo Rocha Diretor da DSG Consultoria Capacitar seus colaboradores, do gerente aos coordenadores é o melhor caminho para melhorar a eficácia

Leia mais

Código de. Conduta e Melhores Práticas

Código de. Conduta e Melhores Práticas Código de Conduta e Melhores Práticas PRESSUPOSTOS Ser complementar ao Código de Ética do Administrador e harmônico a este Aproveitar a experiência de entidades de contextos onde Coaching é uma atividade

Leia mais

Amanda Oliveira. E-book prático AJUSTE SEU FOCO. Viabilize seus projetos de vida. www.escolhas-inteligentes.com

Amanda Oliveira. E-book prático AJUSTE SEU FOCO. Viabilize seus projetos de vida. www.escolhas-inteligentes.com E-book prático AJUSTE SEU FOCO Viabilize seus projetos de vida CONTEÚDO À QUEM SE DESTINA ESSE E-BOOK:... 3 COMO USAR ESSE E-BOOK:... 4 COMO ESTÁ DIVIDIDO ESSE E-BOOK:... 5 O QUE É COACHING?... 6 O SEU

Leia mais

Acompanhamento do Novo Empregado Manual do Gestor

Acompanhamento do Novo Empregado Manual do Gestor Acompanhamento do Novo Empregado Manual do Gestor Prezado Gestor, Estamos iniciando um momento muito importante na história da EBC, é a primeira vez que recebemos, desde a criação da Empresa, empregados

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

MBA Executivo FranklinCovey

MBA Executivo FranklinCovey MBA Executivo FranklinCovey LIDERANÇA E GESTÃO ORGANIZACIONAL PRODUTIVIDADE E EXECUÇÃO FranklinCovey Internacional A FranklinCovey é líder global no treinamento em eficácia, em ferramentas de produtividade

Leia mais

PESSOAS ORGANIZACIONAL

PESSOAS ORGANIZACIONAL #7 #8 CULTURA GESTÃO DE PESSOAS ORGANIZACIONAL ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição de cultura 3. A cultura organizacional 4. Níveis da cultura organizacional 5. Elementos da cultura organizacional 6. Dicas

Leia mais

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 2. Liderança X Gerenciamento. Contextualização. Empreendedor Conflitos.

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 2. Liderança X Gerenciamento. Contextualização. Empreendedor Conflitos. Gestão de Recursos Humanos Aula 2 Profa. Me. Ana Carolina Bustamante Organização da Aula Liderança Competências gerenciais Formação de equipes Empreendedor Liderança X Gerenciamento Conceito e estilos

Leia mais

O que é ser um RH estratégico

O que é ser um RH estratégico O que é ser um RH estratégico O RH é estratégico quando percebido como essencial nas decisões estratégicas para a empresa. Enquanto a área de tecnologia das empresas concentra seus investimentos em sistemas

Leia mais

Administração Judiciária

Administração Judiciária Administração Judiciária Planejamento e Gestão Estratégica Claudio Oliveira Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica Conselho Superior da Justiça do Trabalho Gestão Estratégica Comunicação da Estratégia

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

NÚCLEO. Coaching com PNL. A Paixão de Fazer Acontecer. Coaching com PNL. Coaching com PNL. Programação Neurolinguística: PNL no Coaching

NÚCLEO. Coaching com PNL. A Paixão de Fazer Acontecer. Coaching com PNL. Coaching com PNL. Programação Neurolinguística: PNL no Coaching 1 Coaching com PNL Pensamento & Ação Programação Neurolingüística Coaching A Paixão de Fazer Acontecer O processo de apoiar uma pessoa na identificação e criação de estados desejados, desenvolvendo e acessando

Leia mais

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo COMO USAR O MATERIAL NAS PÁGINAS A SEGUIR, VOCÊ ENCONTRA UM PASSO A PASSO DE CADA ETAPA DO DESIGN FOR CHANGE, PARA FACILITAR SEU TRABALHO COM AS CRIANÇAS. VOCÊ VERÁ QUE OS 4 VERBOS (SENTIR, IMAGINAR, FAZER

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br

Leia mais

Coaching para Apoio ao desenvolvimento da Liderança

Coaching para Apoio ao desenvolvimento da Liderança Coaching para Apoio ao desenvolvimento da Liderança Coaching é... Processo De apoio à aprendizagem focado na 2a Ordem Focado no desenvolvimento da capacidade de ação De incentivo para a busca ativa e criativa

Leia mais

Como transformar a sua empresa numa organização que aprende

Como transformar a sua empresa numa organização que aprende Como transformar a sua empresa numa organização que aprende É muito interessante quando se fala hoje com profissionais de Recursos Humanos sobre organizações que aprendem. Todos querem trabalhar em organizações

Leia mais

6 Considerações Finais

6 Considerações Finais 6 Considerações Finais Este capítulo apresenta as conclusões deste estudo, as recomendações gerenciais e as recomendações para futuras pesquisas, buscadas a partir da análise dos casos das empresas A e

Leia mais

José Modelo Empresa ABC 16 de dezembro de 2008

José Modelo Empresa ABC 16 de dezembro de 2008 Avaliação Caliper de Empresa ABC 16 de dezembro de 2008 Fornecido por Caliper Estratégias Humanas do Brasil Ltda. Copyright 2008 Caliper Corporation. Todos os direitos reservados. Este Guia de Desenvolvimento

Leia mais

Conceitos básicos de Coaching e Feedback

Conceitos básicos de Coaching e Feedback Conceitos básicos de Coaching e Feedback OBJETIVOS Apresentar os trainees aos seus coachs passar conceitos básicos de coaching e feedback "Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso

Leia mais

TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA 5 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS 7 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA 5 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS 7 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA Líderes eficazes devem encontrar maneiras de melhorar o nível de engajamento, compromisso e apoio das pessoas, especialmente durante os períodos

Leia mais

O DESAFIO DOS EXECUTIVOS

O DESAFIO DOS EXECUTIVOS COACHING EXECUTIVO O DESAFIO DOS EXECUTIVOS Os executivos das empresas estão sujeitos a pressões crescentes para entregarem mais e melhores resultados, liderando as suas organizações através de mudanças

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais