MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE BIOMEDICINA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE BIOMEDICINA"

Transcrição

1 MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE BIOMEDICINA 1

2 FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DA AMAZÔNIA REUNIDA CONSELHO SUPERIOR DA FESAR DIRETORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA COORDENAÇÃO DO CURSO DE BIOMEDICINA MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE BIOMEDICINA REDENÇÃO PA NOVEMBRO/2012 Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site 2

3 APRESENTAÇÃO É com satisfação que apresentamos o Manual de Estágio do Curso de Biomedicina, fruto de um trabalho que visa oferecer orientações sobre os procedimentos de estágio supervisionado e estágio extracurricular, cujas normas são regidas pela Lei do estagiário lei Nº , DE 25 DE SETEMBRO DE 2008 e pelo Regulamento Geral de Estágio da Faculdade da Amazônia Reunida - FESAR. O estágio é uma das formas significativas, do estudante desenvolver uma atividade que proporciona a aplicação de conhecimentos teóricos adquiridos na Faculdade/Curso técnico e permite a aquisição de novos conhecimentos por meio da vivência de situações próximas da realidade profissional. Além de contribuir com a formação profissional, em especial, pela articulação promovida entre a formação acadêmica e a formação profissional, o estágio possibilita uma formação humana diferenciada pelo contato direto com a comunidade, com o ambiente de trabalho, no que se refere à constituição de valores e ao estabelecimento de posturas e atitudes saudáveis, salutares em um modelo de educação exemplar, embasados dentro de um código de ética profissional. No estágio os estudantes vivem a rotina das empresas, o que gera amadurecimento, segurança e independência no desempenho de suas atividades junto à empresa e à própria Faculdade/Escola Técnica, além de possibilitar um exercício de convivência que favorece o desenvolvimento das relações interpessoais. A Coordenação do Curso juntamente com a Coordenação de Estágio trabalham para auxiliar o estudante estagiário na orientação dos procedimentos a serem adotados para o desenvolvimento do estágio. Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 3

4 SUMÁRIO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO... 5 CAPÍTULO II DAS FINALIDADES CAPÍTULO III DAS ÁREAS DE ESTÁGIO E INSCRIÇÃO CAPÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO E COORDENAÇÃO...8 e 9 CAPÍTULO V DAS AVALIAÇÕES DO ESTÁGIO E 11 CAPÍTULO VI DOS DIREITOS E DEVERES ESTÁGIO EXTRACURRICULAR CAPITULO I DA COSNTITUIÇÃO CAPÍTULO IX DAS COMPETÊNCIAS DAS COORDENAÇÕES DE CURSOS...12 CAPÍTULO X DAS ATRIBUIÇÕES DOS ACADÊMICOS...12 CAPÍTULO XI DAS DISPOSIÇÕES GERAIS...13 ANEXOS Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 4

5 MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO BIOMEDICINA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DA AMAZÔNIA REUNIDA FESAR ESTÁGIO SUPERVISIONADO O estágio supervisionado, de caráter obrigatório, será realizado nos laboratórios da própria Instituição, no quarto ano do curso (7º e 8º semestres) ou em laboratórios de análises clínicas ou institutos conveniados (8º semestre). Ele incluirá todas as disciplinas chamadas de Patologia Clínica que podem ser investigadas em um laboratório de Análises Clínicas com a duração de 770horas distribuídas em 7 (sete) módulos. Ao final do terceiro ano, o aluno recapitulará os conhecimentos relacionados a uma prática adequada do estágio supervisionado, de forma a tornar menos abrupto possível o corte do cordão umbilical que o prende ao professor. Ao final do estágio curricular, o estudante de biomedicina estará capacitado a realizar tarefas como: procedimentos em análises clínicas, gerenciamento de projetos institucionais filantrópicos, coleta de materiais, confecção de procedimentos operacionais padrão (POP) além de analisar casos clínicos. Esta carga capacita o egresso do Curso a assumir a responsabilidade técnica por laboratório de análises clínicas, além da realização de testes e análises que vai muito além do escopo de um laboratório de análises clínicas. CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO O Estágio Supervisionado, dos Cursos de Graduação, de caráter de iniciação à prática profissional, nos termos das exigências da legislação, deve ser cumprido pelos alunos regularmente matriculados nas respectivas séries do Curso que o exige, nos termos do currículo pleno em vigor, em empresas ou organizações externas à Faculdade ou em escritórios-piloto em laboratórios externos ou próprios da Instituição. Excepcionalmente, após análise da justificativa oferecida pelo aluno e do deferimento do Diretor da Faculdade, poderá inscrever-se no Estágio, por antecipação, aluno regularmente matriculado, cujo Plano de Estudos (de reprovado ou de adaptação) tenha sido aprovado. Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 5

6 CAPÍTULO II DAS FINALIDADES O Estágio Supervisionado tem por objetivo, oferecer ao aluno a oportunidade de aprender com a prática do trabalho cotidiano e desenvolver experiências, com vistas à complementação do seu aprendizado e ao seu crescimento profissional e humano. CAPÍTULO III DAS ÁREAS DE ESTÁGIO O Estágio Supervisionado será realizado em áreas previamente definidas, sob orientação do Supervisor específico, como soma do total de uma carga horária mínima de horasatividades obrigatórias definidas no currículo pleno em vigor, até atingir o mínimo previsto, nas áreas de concentração definidas pelo Coordenador. O Estágio Supervisionado compreende as seguintes fases: * Para efeito de desenvolvimento das suas atividades fora da instituição: a) 1ª Fase - Preenchimento de documentos: -Requerimento de solicitação de estágio supervisionado; Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 6

7 -Ofício de solicitação à empresa/organização/instituto/laboratório; -Plano de Estágio Supervisionado (retirar na Secretaria Acadêmica); -Ofício de aceitação do estagiário; -Termo de Convênio/Contrato/Concessão; -Ficha Cadastral aprovada pelo Coordenador. b) 2ª Fase - Controle periódico e avaliação do Estágio: -Ficha de Controle do Estágio Supervisionado; -Ficha de Avaliação do Estagiário pelo estabelecimento / empresa / organização; -Ficha de Avaliação do Estagiário pelo Supervisor. -Avaliação da média final pelo Supervisor/Coordenador * Para efeito de desenvolvimento das suas atividades dentro da instituição: a) 1º Controle periódico e avaliação do Estágio: -Ficha de Controle do Estágio Supervisionado; Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 7

8 -Ficha de Frequência do Estagiário. -Ficha de Avaliação do Estagiário pelo Supervisor. -Avaliação da média final pelo Supervisor/Coordenador. - Plano de estágio pelo Supervisor. CAPÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO E COORDENAÇÃO As disciplinas ou atividades de Estágio Supervisionado vinculam-se, para todos os efeitos de coordenação didático-pedagógica, operacionalização e de congregação de pessoal docente à Coordenadoria. São atribuições do Coordenador de Estágio: a) Definir em ato específico a programação das atividades a serem realizadas pelos Estagiários, cargas horárias mínimas por área de interesse pedagógico, bem como as orientações sobre os conteúdos dos assuntos a serem desenvolvidos; Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 8

9 b) Elaborar e fixar, o cronograma com as datas e horários dos módulos do Estágio Supervisionado para utilização discente; c) Juntamente com a Coordenação do Curso, providenciar a celebração de convênios com empresas e organizações congêneres, públicas ou privadas, para a aceitação dos estagiários; quando assim for possível. d) Disponibilizar aos discentes (todo fim de semestre), uma lista com os locais conveniados, numero de vagas ofertadas, forma de ingresso ao estágio (inscrição, seleção ou prova) com um prazo mínimo de dois meses. e) Com o auxílio do Supervisor do Estágio encaminhar os alunos interessados aos laboratórios, empresas, institutos e organizações conveniadas, para a realização das atividades do Estágio; f) Dar ciência à Diretoria da Faculdade do planejamento global e localização dos estagiários, bem como do andamento de todas as atividades específicas para o registro e assentamento da documentação respectiva; g) Providenciar toda documentação necessária e autorização dos setores financeiro e administrativo para o Seguro Obrigatório aos estagiários, de acordo com o que rege a lei. Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 9

10 São atribuições do Supervisor de Estágio: a) Orientar técnica e pedagogicamente os estagiários na elaboração e execução dos programas e atividades constantes do Plano de Estágio e, em especial, na elaboração do Relatório Final; b) Auxiliar na elaboração de todos os impressos e materiais necessários ao desenvolvimento das atividades de estágio, seu controle e avaliação parcial e final; c) Analisar o conjunto de atividades do estagiário sob sua responsabilidade, orientando-o e auxiliando na sua operacionalização, dentro das exigências do presente Regulamento e demais normas legais; d) Supervisionar as atividades dos estagiários e proceder às respectivas avaliações de desempenho, para a conclusão dos relatórios parciais e final, para apreciação final do Coordenador Geral. CAPÍTULO V DA AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO Considera-se aprovado no Estágio Supervisionado, o aluno que cumprir integralmente a carga horária de atividades definida no currículo e obtiver média final igual ou superior a 7,0 (cinco), computadas todas as avaliações parciais. O aproveitamento acadêmico é avaliado através do acompanhamento contínuo do aluno e dos resultados por ele obtidos nas atividades de estágio, projetos filantrópicos, provas escritas ou trabalhos de avaliação de conhecimento, nos exercícios de classe, domiciliares, bem como em outras atividades pertinentes. Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 10

11 A cada verificação de aproveitamento (tabela- aspectos observados) é atribuída uma nota expressa em grau numérico com variação de 0,5(meio) em 0,5 (meio) ponto, A freqüência é obrigatória para todas as atividades de estágio e, para aprovação, é necessária a acumulação mínima de 75% de presenças nessas atividades ou aulas de supervisão. A avaliação das atividades do Estágio Supervisionado desenvolvidas pelos estagiários, é efetuada de acordo com os critérios e normas complementares fixadas pela Coordenadoria de Curso com o consentimento da Coordenação de Estágio, levando em consideração todas as atividades individuais, estudos, projetos, seminários, trabalhos, pesquisas e relatórios. Não poderá haver um período de recuperação ou exame final, estando reprovado o aluno que não atingir a média final mínima. O cômputo das atividades do Estágio Supervisionado é cumulativo e efetuado de acordo com os critérios fixados nos termos do Artigo anterior, atribuídas com base nos relatórios periódicos de estágio e no desempenho efetivo dos estagiários. Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 11

12 A forma de avaliação e controle de freqüência do estágio, desenvolvido através da participação em projeto alternativo de estágio deverá ser fixada no respectivo projeto, obedecida à legislação vigente e de responsabilidade do Supervisor. CAPÍTULO VI DOS DIREITOS E DEVERES São direitos dos alunos-estagiários aqueles descritos no Regimento Geral da Faculdade, neste manual e na legislação em vigor. São deveres dos alunos-estagiários: a) cumprir este manual, as disposições pertinentes do Regimento da Faculdade e os prazos previstos; b) apresentar ao supervisor os relatórios das atividades desenvolvidas nos termos do Plano de Estágio; c) cumprir as normas vigentes na Faculdade, na empresa ou organização em que o estágio está sendo realizado. Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 12

13 MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO BIOMEDICINA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DA AMAZÔNIA REUNIDA FESAR ESTÁGIO EXTRACURRICULAR O estágio extracurricular,pode ser realizado durante todo o período de letivo em laboratórios de análises clínicas, institutos e instituições conveniados. A carga horária entra nas 110horas de atividades complementares. CAPITULO I DA CONSTITUIÇÃO O Estágio Extracurricular, dos Cursos de Graduação, devem seguir o Manual de Atividades Complementares dessa IES. Excepcionalmente, após análise da justificativa oferecida pelo aluno e do deferimento do Diretor da Faculdade, poderá inscrever-se no Estágio, por antecipação, aluno regularmente matriculado, cujo Plano de Estudos (de reprovado ou de adaptação) tenha sido aprovado. Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 13

14 CAPITULO II DA FINALIDADE O Estágio Extracurricular oportunizar ao acadêmico, a realização concomitantemente às disciplinas do currículo pleno, de atividades autônomas e flexíveis, em temáticas da área específica do curso. Sendo instrumentos úteis e válidos para a formação do futuro profissional. CAPITULO III DAS ÁREAS DE ESTÁGIO E INSCRIÇÃO O Estágio Extracurricular será realizado em áreas e locais previamente definidas, pela Coordenação de Curso e Coordenação de Estágio. A carga horária máxima para o estágio extracurricular é de 40 horas, segundo o Manual de Atividades Complementares dessa IES, complementando a carga horária de 110horas exigida pelo curso. Pesquisar o Manual das Atividades Complementares onde consta todas as atividades descritas com carga horária máxima permitida. O estagiário deverá escolher um supervisor nas dependências do estágio, para orientá-lo e se responsabilizar por suas atividades. Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 14

15 Ao final de cada semestre a Coordenação de Estágio deverá disponibilizar aos discentes uma lista com as empresas, organizações, institutos e laboratórios conveniados com a IES, a disponibilidade de vagas para o semestre seguinte e a forma de ingresso ao estágio (prova, seleção ou inscrição). O Estagiário deverá seguir as seguintes fases: * Para efeito de desenvolvimento do estágio extracurricular: a) 1ª Fase - Preenchimento de documentos: -Requerimento de solicitação de estágio extracurricular; -Ofício de solicitação à empresa/organização/instituto/laboratório; -Plano de Estágio; -Ofício de aceitação do estagiário (com os dados do supervisor); -Termo de Convênio/Contrato/Concessão; -Ficha Cadastral aprovada pelo Coordenador. b) 2ª Fase Comprovação e avaliação do Estágio Extracurricular: -Ficha de Controle de frequência do Estágio Extracurricular; -Plano de Estágio Extracurricular devidamente preenchido, assinado e carimbado pelo superviso Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 15

16 CAPÍTULO IV DOS DIREITOS E DEVERES São direitos dos alunos-estagiários aqueles descritos no Regimento Geral da Faculdade, neste Regulamento e na legislação em vigor. São deveres dos alunos-estagiários: a) cumprir este Regulamento, as disposições pertinentes do Regimento da Faculdade e os prazos previstos; b) apresentar ao Supervisor os relatórios das atividades desenvolvidas nos termos do Plano de Estágio; c) cumprir as normas vigentes na Faculdade, na empresa ou organização em que o Estágio está sendo realizado. Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 16

17 Diretora Geral Coordenação de Estágio Coordenação do Curso de Biomedicina Redenção, 19 de Novembro de Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 17

18 ANEXOS Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 18

19 ANEXOI OFÍCIO Nº:0 /2012 Redenção,... ASSUNTO: SOLICITAÇÃO DE VAGA DE ESTÁGIO EXTRACURRICULAR Prezado Senhor, Cumprimentamos V.Sª. e na oportunidade solicitamos vaga(s) de estágio para o(s) discente(s): do Curso de Graduação em Biomedicina, matrícula nº, matriculado no período, conforme convênio nº, firmado entre essa unidade concedente do estágio e a Faculdade de Ensino Superior da Amazonia- FESAR. Informamos que durante o desenvolvimento do estágio o supervisor da empresa, deverá preencher ficha de avaliação (segundo modelo próprio da FESAR), atribuindo nota ao estagiário. Aproveitamos para reiterar os nossos votos de estima e apreço a esta respeitada empresa, que tem a contribuir com nossa Faculdade no processo construtivo de ensino e aprendizagem, além de proporcionar ao nosso aluno a oportunidade de estagiar e ter contato com o ambiente real de trabalho. Atenciosamente, Coordenação de Estágio. 19

20 ANEXOII Ofício Nº:0 /2012 Redenção,... ASSUNTO: SOLICITAÇÃO DE VAGA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Prezada Senhora, Cumprimentamos V.Sª. e na oportunidade estamos encaminhando a discente do Curso de Graduação em Biomedicina,, regularmente matriculado na 8º semestre e sob o nº de matricula, para cumprir estágio acadêmico (obrigatorio), nas dependencias desta empresa. Informamos que durante o desenvolvimento do estágio o supervisor da empresa, deverá preencher e enviar relatório de avaliação (segundo modelo próprio da FESAR), seguindo todas as normas do Manual do Estágio de Biomedicina, atribuindo uma nota ao estagiário perante avaliação final (igual ou superior a 7,0), monitoramento da frequência (mínimo 75%) e atividades desenvolvidas. Aproveitamos para reiterar os nossos votos de estima e apreço a esta respeitada empresa que vem proporcionando aos nossos alunos a oportunidade de estagiar e ter contato com o ambiente real de trabalho. Atenciosamente, Coordenação de Estágio 20

21 ANEXOIII PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO FREQUÊNCIA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Nome do estagiário:. Local:. Módulo:. Professor Supervisor:. Data de início do estágio: / /. Data de término / /. CH Diária:. Data Horário Assinatura Resumo das Atividades Mensais do estagiário 21

22 CH Total do Módulo: Data de entrega: / / 22

23 OBJETIVOS DO ESTÁGIO:. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO ESTÁGIO:. DIFICULDADES ENCONTRADAS:. PARECER DO RESPONSÁVEL:. Assinatura do estagiário. Assinatura/Carimbo do responsável. 23

24 AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO ASPECTOS NOTA NOTA OBSERVADOS MÁXIMA 1. Relacionamento 1,0 2. Assiduidade 1,0 3. Disciplina 1,0 4. Iniciativa/Interesse 1,0 5. Afinidade com a área de realização do estágio 1,0 6. Conhecimento básico específico da área de estágio 1,0 7. Cumprimento das atividades previstas no plano de trabalho de estágio. 2,0 8. Outros aspectos específicos da área a critério do supervisor ou 2,0 orientador de estágio (ex.: participação em seminários, realização de outras atividades, evolução do desempenho no estágio, produção científica, etc.) Media Final Mínimo 7,0pts NOTA FINAL --- Data de entrega: / / Assinatura e Carimbo do Responsável ANEXOIV 24

25 PLANO DE ESTÁGIO EXTRACURRICULAR FREQUÊNCIA DE ESTÁGIO EXTRACURRICULAR Nome do estagiário:. Local:. Supervisor:. Data de início do estágio: / /. Data de término / /. CH Diária:. Data Horário Assinatura Resumo das Atividades Mensais do estagiário 25

26 CH Total do Estágio (Máximo 40h): Data de entrega: / /. OBJETIVOS DO ESTÁGIO: 26

27 . ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO ESTÁGIO:. DIFICULDADES ENCONTRADAS:. PARECER DO RESPONSÁVEL:. Assinatura do estagiário. Assinatura/Carimbo do responsável. 27

28 AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE ESTÁGIO EXTRACURRICULAR ASPECTOS NOTA NOTA OBSERVADOS MÁXIMA 1. Relacionamento 0,5 2. Assiduidade 0,5 3. Disciplina 0,5 4. Iniciativa 0,5 5. Interesse 0,5 6. Participação em trabalho em grupo 1,0 7. Afinidade com a área de realização do estágio 1,0 8. Conhecimento básico específico da área de estágio 2,0 9. Cumprimento das atividades previstas no plano de trabalho de 2,5 estágio. 10. Outros aspectos específicos da área a critério do supervisor ou 1,0 orientador de estágio (ex.: participação em seminários, realização de outras atividades, evolução do desempenho no estágio, produção científica, etc.) TOTAL DE PONTOS 10, NOTA FINAL --- Data de entrega: / / Assinatura e Carimbo do Responsável 28

29 ANEXO V OFÍCIO DE ACEITAÇÃO DO ESTAGIÁRIO ESTÁGIO EXTRACURRICULAR Para fins de comprovação junto a Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida, declaramos que o (a) aluno (a), do Curso de Biomedicina, regularmente matriculado sob o nº., foi aceito como estagiário (a) e realizará Estágio Extracurricular (remunerado segundo a lei do estagiário ou não remunerado) nas dependências desta Empresa, com início em / / e término em / /, concordando que o mesmo seja supervisionado por essa Instituição. Redenção Pará, de de. Assinatura do Supervisor da Empresa (sob o carimbo) 29

30 ANEXO VI OFÍCIO DE ACEITAÇÃO DO ESTAGIÁRIO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Para fins de comprovação junto a Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida, declaramos que o (a) aluno (a), do Curso de Biomedicina, regularmente matriculado sob o nº., foi aceito como estagiário (a) e realizará Estágio Supervisionado (remunerado segundo a lei do estagiário ou não remunerado) nas dependências desta Empresa, com início em / / e término em / /, concordando que o mesmo seja supervisionado por essa Instituição. Redenção Pará, de de. Assinatura do Supervisor da Empresa (sob o carimbo) 30

31 ANEXO VII OFÍCIO SOLICITAÇÃO DE CONVÊNIO Redenção, de,2012. Prezado Senhor (a), Honramo-nos em cumprimentá-lo, ao mesmo tempo em que apresentamos a V. Sa. o Curso de Graduação em Biomedicina da Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida, que tem como objetivo formar profissionais aptos a realizar atividades laboratoriais e pesquisa, além de desenvolver a parte humanista através de projetos sociais de cunho filantrópico e científicos com a sociedade local. Este curso tem duração de 4 anos ou 8 semestres, estando aptos a concorrer as vagas somente alunos devidamente matriculados e cursando a partir do 5º período. Sendo que, para se graduarem eles necessitam realizar o estágio extracurricular com carga horária máxima de 40 horas. Contribuindo as atividades complementares (110h), que poderão ser realizadas durante o período letivo ou férias. O estágio tem a função de proporcionar - lhes, a oportunidade de vivenciar a aplicabilidade dos conhecimentos adquiridos durante o curso. Em vista disso, solicitamos a esta conceituada empresa que analise a possibilidade de realização de um Contrato de Convênio de Estágio Extracurricular (não remunerado) com a Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida FESAR. 31

32 A efetivação desta parceria será altamente relevante para ambos, já que nossos alunos detêm conhecimentos teóricos suficientes para desenvolver atividades práticas de rotina. Sendo esta empresa favorável ao estágio, solicitamos que seu representante preencha o documento em anexo com os dados da empresa, data e horário do estágio, modo de seleção, quantidade de vagas ofertadas e nome do supervisor do estagiário (membro da empresa). A efetivação desta parceria será altamente relevante para ambos, já que nossos alunos detêm conhecimentos teóricos suficientes para desenvolver atividades práticas de rotina. Desde já agradecemos a atenção dispensada. Atenciosamente, Profa. Luciana Arantes Coordenadora Geral de Estágios Profa. Carla Patrícia Coordenadora Adjunta de Biomedicina Fone: (94) ou Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida Av. Brasil Nº Alto Paraná - Redenção PA Fone/fax: (94) Site: 32

33 ACEITE DE CONVÊNIO Para fins de comprovação junto a Faculdade de Ensino Superior, declaro que a empresa CNPJ: inscrição estadual com sede na, na cidade de PA. Representada pelo Sr (a): aceita analisar o Contrato de Convênio para Estágio Extracurricular (não remunerado). Desde já, confirmamos a disponibilidade de: Vagas: Início em / /, Horário: as h. Seleção: ( ) Entrevista (própria empresa) ou ( ) Avaliação (abertura de edital- instituição); Estando ciente, que de acordo com Manual de Estágio do Curso de Biomedicina da FESAR, a carga horária máxima à ser oferecida será de 40 horas e o Plano de Estágio deverá ser preenchido pelo supervisor do estagiário (membro da empresa). Redenção Pará, de de. Assinatura do Representante da Empresa (sob o carimbo) 33

34 MANUAL DE ATIVIDADES ACADÊMICO- CIENTÍFICO-CULTURAIS MANUAL DE ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Apresentação 34

35 A FESAR - Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida apresenta por meio deste Manual, orientações a fim de que os discentes ao longo de sua jornada acadêmica possam participar de forma ampla e integrada, motivados a procurar por ambientes social e culturalmente ricos e diversos. Tendo em vista a formação nas mais diversas áreas de atuação do atual profissional formado. As atividades de caráter acadêmico-científico-culturais AACC são atividades complementares e têm por finalidade proporcionar aos acadêmicos dos cursos de licenciatura e bacharelado oportunidade de crescimento e ampliação do conhecimento curricular e/ou profissional. Estas atividades acadêmicas estão previstas nas Resoluções do Conselho Nacional de Educação CNE/CP 2/2002 e CNE/CES 02/2007, que dispõesobre carga horária dos cursos de graduação, licenciaturas e bacharelados. As AACC poderão ser realizadas na própria FESAR ou em qualquer outra IES ou órgãos promovedores desde que devidamente reconhecido e documentado por meio de declarações, certificados e relatórios. As atividades diversificadas irão favorecer a ampliação do universo cultural dos acadêmicos por meio da pluralidade de espaços educacionais e de iniciativas de grupos formados por profissionais de diferentes campos do conhecimento. CRITÉRIOS PARA APROVEITAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS (AACC) RESOLUÇÕES CNE/CP 2, DE 19 /02/2002, E CNE 2, DE 18 /06/2007. As atividades Complementares têm por finalidade oportunizar ao acadêmico a realização concomitantemente às disciplinas do currículo pleno, de atividades autônomas e flexíveis, centradas em temáticas da área específica do curso e afins, que apresentem 35

36 instrumentos úteis e válidos para a formação e ao aprimoramento básico do futuro bacharel ou licenciado. No quadro abaixo estão dispostas a carga horária mínimas de AACC a serem cumpridas pelo discente no decorrer do curso de graduação, e poderão ser executadas a partir do 1º semestre/período. As AACC para os cursos de graduação da FESAR, estão limitadas ao máximo de 50% (cinqüenta por cento) da carga horária total a ser cumprida por todos os acadêmicos nas áreas de ensino, pesquisa e extensão, não previstas no currículo pleno. NOTA: Caso o acadêmico não cumpra com a carga horária obrigatória das AACC, ficará impossibilitado de participar da colação de grau, devendo cumpri-la na integra durante o semestre vigente ou posterior. ADMINISTRAÇÃO BIOMEDICINA DIREITO PEDAGOGIA ZOOTECNIA CURSOS CARGA HORÁRIA A SER CUMPRIDA DURANTE O CURSO 120H/A 110H/A 200H/A As atividades de ensino compreenderão as seguintes modalidades: I - Disciplinas diversas das previstas no curículo pleno do curso de graduação e eletivas exceto as obrigatórias; II - Monitorias de ensino; III-Estágios Extracurriculares; IV -Cursos de Informática e/ou idiomas; V - Viagens de estudo. As atividades de pesquisa compreenderão as seguintes modalidades: 36

37 I - Pesquisas científicas; II Trabalhos científicos publicados; III Assistência a defesas de: a) Monografias finais dos cursos e afins; b) Dissertações de mestrado; c) Tese de doutorado. As atividades de extensão compreenderão as seguintes modalidades: I - Projetos e programas de extensão; II-Eventos centrados em temática profissionalizantes do curso, com professores e especialistas na área, tais como: seminários, simpósios, congressos, conferências e palestras No caso de atividades em áreas afins de cada curso, caberá à Coordenação do respectivo Curso autorizar o registro da atividade e o computo da carga horária, considerando sua pertinência e utilidades à formação do bacharel ou licenciado, que fixará nestes casos específicos, o limite de horas a serem computadas. Os documentos necessários à comprovação das atividades descritas nos parágrafos anteriores com a carga horária máxima admitida por atividade realizada estão descritas abaixo. O acadêmico não precisa realizar todas as atividades elencadas nos artigos anteriores, mas é obrigatória a participação de todos os acadêmicos em pelo menos 1 (uma) atividade de cada área de ensino, pesquisa e extensão. O acadêmico deverá cadastrar-se através do formulário próprio (Anexo I) NA Secretaria Acadêmica, a qual será responsável pelo registro das atividades e computo da carga horária das atividades complementares realizadas pelo acadêmico. O controle, registro e computo da carga horária das atividades complementares serão realizados em formulário próprio (Anexo II) na Secretaria Acadêmica, mediante a 37

38 apresentação dos documentos comprobatórios das respectivas cargas horárias, devendo nessa ocasião apresentar o documento original e fotocópia para autenticação simples. O registro das AACC realizadas será feita apenas uma vez por semestre, conforme tabela anexa ( Anexo III), sendo de responsabilidade do acadêmico manter em seu poder os respectivos comprovantes até sua apresentação à Secretaria Acadêmica. No caso dos acadêmicos que estejam cursando suas últimas disciplinas para integralização da carga horária, também será admitida a apresentação de comprovantes de atividades complementares nos meses de abril ou setembro, independente da tabela de referência. A Secretaria Acadêmica protocolará o recebimento do documento original o qual o aluno deverá manter sob a sua guarda, podendo ser chamado a reapresentá-lo a qualquer momento. A Secretaria Acadêmica é responsável por informar a Coordenação de Curso o resultado final das AACC, atestando em ata ( Anexo IV) o cumprimento ou não da carga horária mínima do respectivo curso. Todas as atividades- acadêmico-culturais realizadas a partir do ingresso do acadêmico no curso de graduação da FESAR, serão válidas desde que atendidas as disposições deste Regulamento. 38

39 Quando o aluno ingressa através de transferência de outra IES, é possível aproveitar aquelas atividades complementares desenvolvidas naquele curso, cabendo à Coordenação do Curso analisar a pertinência ou não da atividade e atribuir-lhe carga horária. Este regulamento entra em vigor na data de sua aprovação pelos órgãos competentes, revogando-se todas as demais disposições em contrário existentes sobre a matéria. GRUPO DE ATIVIDADES ATIVIDADES DE ENSINO MODALIDADES DE ATIVIDADES Disciplinas não previstas no Currículo Pleno do Curso ou Eletiva (com exceção das obrigatórias) Monitoria Ensino de Estágios Extracurriculares¹ Viagem Estudos de CARACTERÍSTICAS E AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE Podem ser realizadas em outros cursos de graduação desta IES ou em outras instituições de Ensino Superior, no respectivo curso ou nas áreas afins. O limite de aproveitamento é de 20 horas/aulas por disciplina. Devem ser pertinentes as disciplinas do pleno curso. Devem ter convênio com instituições que tenham reconhecimento desta Faculdade. Dependem da prévia autorização e DOCUMENTO COMPROBATÓ RIO Atestado fornecido pela IES onde conste aprovação. Atestado Relatório. e Atestado e Relatório fornecido pela entidade conveniada. Atestado comprovando o CARG A HORÁ RIA LIMIT E Até 20 horas. Até 10 horas. Até 40 horas. Até 40 horas. 39

40 Cursos de Informática e/ou idiomas. acompanhamento da Coordenação Pedagógica ou de Curso. Dependem da prévia autorização da Coordenação Pedagógica ou de Curso. aproveitamento. Atestado comprovando o aproveitamento. Até 30 horas. ATIVIDADES DE PESQUISA Trabalhos Publicados Pesquisa Devem ser publicados em jornais, revistas e outros órgãos de veiculação e pública oficial. Os projetos e programas de pesquisa, elencado no inciso VI, devem ser orientados por docentes deste curso, exceto a Monografia Final, e devem ser atestados pelo orientador com o total de horas empregadas para a pesquisa. Excluem-se os projetos desenvolvidos em aulas do currículo pleno do curso. Cópia da publicação Até 20 horas. Atestado e relatório de desempenho pelo orientador Até 60 horas Projetos e Programas de Extensão Coordenados por Certificado Até 60 docentes da FESAR e horas. aprovados pelo curso. Os eventos promovidos Certificado Até 30 40

41 ATIVIDADES DE EXTENSÃO Eventos Administração e Representação em Entidades Estudantis por outros cursos ou Instituições serão analisados pela Coordenação de Curso quanto a relevância acadêmica dependendo de prévia e expressa autorização para registro de carga horária. Poderá atribuir-se carga hor[ária de duas (2) horas para participação de reuniões. Cópia da Ata das reuniões dos órgãos colegiados da IES. horas. Até 10 horas. Redenção, 23 de março de

REGULAMENTO DE AACC 2011/13

REGULAMENTO DE AACC 2011/13 REGULAMENTO DE AACC 2011/13 1 Apresentação A FESAR - Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida apresenta por meio deste Manual, orientações a fim de que os discentes ao longo de sua jornada acadêmica

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO- CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO- CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE REGULAMENTO DAS ACADÊMICO- CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE DA FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE REGULAMENTO DAS ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE SECRETARIADO

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO Justificativa Conforme consta nas leis de 2004 e 2005, parecer CNE/CES Nºs: 210/2004, e 023/2005, um curso de graduação em Administração desenvolve-se

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Sumário APRESENTAÇÃO... 3 CRITÉRIOS PARA APROVEITAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES... 4 1. DA INTEGRALIZAÇÃO... 4 2. DOS CRITÉRIOS PARA VALIDAÇÃO DAS ATIVIDADES...

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE PIRATININGA

FACULDADE BARÃO DE PIRATININGA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades Complementares constituem ações a serem desenvolvidas ao longo do curso, criando

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTOS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTOS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTOS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 ANEXO II REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades Complementares

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º O presente instrumento

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Gama DF fev./2015 SUMÁRIO CAPÍTULO I... 3 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 CAPÍTULO II... 4 DA REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES... 4 E SEU APROVEITAMENTO...

Leia mais

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º Estágio Supervisionado em Administração (ESA), é a disciplina

Leia mais

. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LETRAS LICENCIATURA - DA USJT DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LETRAS LICENCIATURA - DA USJT DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES . REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LETRAS LICENCIATURA - DA USJT DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O Curso de Letras - Licenciatura - objetiva a formação pedagógica, ao contemplar uma visão

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades Complementares constituem ações a serem desenvolvidas ao longo do curso, criando

Leia mais

das demais previsões relativas ao estágio previstas no Projeto Pedagógico do Curso, no Regimento Interno e na Legislação.

das demais previsões relativas ao estágio previstas no Projeto Pedagógico do Curso, no Regimento Interno e na Legislação. DIRETRIZES E NORMAS PARA O ESTÁGIO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE REDENTOR DE PARAÍBA DO SUL DOS OBJETIVOS Art. 1 O Sistema de Estágio da FACULDADE REDENTOR DE PARAÍBA DO SUL terá por objetivos gerais:

Leia mais

a) Estar regularmente matriculados no curso;

a) Estar regularmente matriculados no curso; (35) 3690-8900 / 3690-8958 (fax) br ESTÁGIO CURRÍCULAR SUPERVISIONADO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (ANO LETIVO 2014) 1 Caracterização Os cursos de Engenharia de Produção do Brasil são regidos pelas

Leia mais

7- Atividades Complementares (CH60)

7- Atividades Complementares (CH60) 7- Atividades Complementares (CH60) As atividades complementares no curso de Fisioterapia estão dispostas na nova matriz curricular para os ingressantes a partir do ano de 2008. Visando a garantir a flexibilidade

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PALMAS - TO.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PALMAS - TO. 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PALMAS - TO. 2 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES APRESENTAÇÃO Instituídas pelas

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO CULTURAL CAPÍTULO IV - DA ORGANIZAÇÃO, PLANEJAMENTO E CONTROLE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO CULTURAL CAPÍTULO IV - DA ORGANIZAÇÃO, PLANEJAMENTO E CONTROLE REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO CULTURAL CAPÍTULO I - DO CONCEITO, FINALIDADES E OBJETIVOS CAPÍTULO II - DAS ÁREAS, CAMPOS E ATIVIDADES CAPÍTULO III - DAS ATRIBUIÇÕES E COMPETÊNCIAS

Leia mais

MANUAL DO ALUNO (A) ATIVIDADES COMPLEMENTARES/ESTUDOS INDEPENDENTES

MANUAL DO ALUNO (A) ATIVIDADES COMPLEMENTARES/ESTUDOS INDEPENDENTES A formação complementar é fruto da participação do aluno, durante o período de realização do seu curso superior, em atividades que não estão inseridas na grade curricular, mas que reconhecidamente contribuem

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCACAO FÍSICA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCACAO FÍSICA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCACAO FÍSICA Da Definição e dos Objetivos do Estágio Art. 1º O estágio curricular obrigatório do curso de Licenciatura em Educação

Leia mais

FACULDADE ERNESTO RISCALI REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE LETRAS

FACULDADE ERNESTO RISCALI REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE LETRAS FACULDADE ERNESTO RISCALI REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE LETRAS OLÍMPIA 2014 1 REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LETRAS REGULAMENTO GERAL TÍTULO DO ESTÁGIO E SEUS FINS Artigo

Leia mais

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS 1 FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS TÍTULO I NATUREZA E OBJETIVO Art. 1º Os estágios curriculares supervisionados previstos

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º- Considera-se estágio, as atividades de aprendizagem social, profissional, proporcionadas ao

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CACOAL 2010 CAPÍTULO I DO CONCEITO, FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1º O Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relacionadas ao Estágio Curricular Supervisionado do da

Leia mais

Atividades Complementares Curso de Gestão em Recursos Humanos

Atividades Complementares Curso de Gestão em Recursos Humanos Atividades Complementares Curso de Gestão em Recursos Humanos APRESENTAÇÃO As Atividades Complementares (AC) são práticas curriculares de caráter independente, interdisciplinar e transversal que visam

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO- OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNISC

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO- OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNISC UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO- OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNISC CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança)

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança) Essa carta é somente um modelo e caso o aluno precise do documento tem que protocolar a solicitação na Secretaria Acadêmica. MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Curso: BACHAREL EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Curso: BACHAREL EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FLUXO DO TCC 6o SEM 7o SEM 8o SEM PESQUISA EM INFORMÁTICA Além da ementa da disciplina, o aluno desenvolverá uma proposta de pesquisa, que poderá ou não continuar a ser trabalhada nas disciplinas de TCC1,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ FACULDADE DE MATEMÁTICA CURSO DE MATEMÁTICA REGULAMENTO N 001, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ FACULDADE DE MATEMÁTICA CURSO DE MATEMÁTICA REGULAMENTO N 001, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ FACULDADE DE MATEMÁTICA CURSO DE MATEMÁTICA REGULAMENTO N 001, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013 Estabelece os procedimentos necessários à sistematização do Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM SERVIÇO SOCIAL OBRIGATÓRIO

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM SERVIÇO SOCIAL OBRIGATÓRIO MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM SERVIÇO SOCIAL OBRIGATÓRIO COORDENNAÇAO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Profª Msc Liana Maria Ibiapina do Monte SUMÁRIO APRESENTAÇÃO CARACTERIZAÇÃO TERMINOLOGIA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA RESOLUÇÃO N o 24/2012, DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO Aprova as Normas Gerais de Estágio de Graduação da Universidade Federal de Uberlândia, e dá outras providências. O CONSELHO DE GRADUAÇÃO DA, no uso das competências

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE EDUCACIONAL DE MEDIANEIRA MISSÃO: FORMAR PROFISSIONAIS CAPACITADOS, SOCIALMENTE RESPONSÁVEIS E APTOS A PROMOVEREM AS TRANSFORMAÇÕES FUTURAS. ESTÁGIO SUPERVISIONADO LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA

Leia mais

NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. CAPÍTULO I Das considerações gerais

NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. CAPÍTULO I Das considerações gerais Sociedade de Educação e Cultura de Goiás www.faculdadearaguaia.edu.br Rua 18 n 81 Centro Goiânia Goiás Fone: (62) 3224-8829 NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE CURSO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS

REGULAMENTO DE CURSO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS REGULAMENTO DE CURSO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS JUNHO/2011 CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares Art. 1º. Os cursos de Pós Graduação Lato Sensu da Faculdade de Tecnologia

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CURSO DE JORNALISMO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CURSO DE JORNALISMO Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado para o Curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Federal do Amapá Normatiza a organização e funcionamento do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado para o Curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Federal do Amapá

Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado para o Curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Federal do Amapá Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado para o Curso de Bacharelado em Jornalismo da Universidade Federal do Amapá Normatiza a organização e funcionamento do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM Regulamento de Atividades Complementares Curso de Enfermagem Capítulo I- Disposições Gerais Art. 1º - O presente regulamento tem por finalidade regrar as Atividades Complementares para o curso de Enfermagem

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DO IFPE NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DO IFPE NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

REGULAMENTO E MANUAL. Pedagogia e Letras

REGULAMENTO E MANUAL. Pedagogia e Letras INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE BARRETOS Mantido pelo Centro de Educação e Idiomas de Barretos Autorizado pela Portaria 71 de 11/01/2005 DOU Pedagogia Reconhecido pela portaria nº 663 de 11/05/2009 DOU

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL MONITORIA

REGULAMENTO INSTITUCIONAL MONITORIA UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA. REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE MONITORIA São Paulo 2010 CAPÍTULO l DOS OBJETIVOS Artigo 1º - As presentes normas têm por objetivo organizar e disciplinar

Leia mais

Regulamento do estágio curricular supervisionado obrigatório do curso de graduação em administração pública

Regulamento do estágio curricular supervisionado obrigatório do curso de graduação em administração pública SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Aplicação 3. Referências 4. Definições 5. Siglas 6. Condições Gerais 7. Elegibilidade para realização do estágio curricular supervisionado obrigatório 8. Admissão no estágio curricular

Leia mais

Recife/PE 2010 ESTÁGIO REGULAMENTO

Recife/PE 2010 ESTÁGIO REGULAMENTO ESTÁGIO REGULAMENTO Recife/PE 2010 2 CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS DO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1.º O presente regulamento visa cumprir a Política de estágios da Escola Superior de Marketing-ESM

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO INSTITUCIONAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este Regulamento define as orientações básicas, comuns a todos os cursos da Faculdade Católica do Tocantins

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL Art. 1 o O Estágio regulamentado pela Lei N o 11.788, de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012 Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. Alterada pela

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Administração é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS DE GUANAMBI Distrito de Ceraíma, s/n - Zona Rural - Cx Postal

Leia mais

MANUAL DO PROGRAMA DE ESTAGIO SUPERVISIONADO CAMPUS COLINAS DO TOCANTINS-TO

MANUAL DO PROGRAMA DE ESTAGIO SUPERVISIONADO CAMPUS COLINAS DO TOCANTINS-TO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA COORDENAÇÃO DE INTERAÇÃO SERVIÇO ESCOLA-EMPRESA MANUAL DO PROGRAMA DE ESTAGIO SUPERVISIONADO CAMPUS COLINAS DO TOCANTINS-TO COLINAS

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE LETRAS (PORTUGUÊS/INGLÊS E SUAS LITERATURAS) REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LETRAS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE LETRAS (PORTUGUÊS/INGLÊS E SUAS LITERATURAS) REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LETRAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE LETRAS (PORTUGUÊS/INGLÊS E SUAS LITERATURAS) REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LETRAS LAVRAS, 2014 CAPÍTULO I Da natureza Art. 1º - O Estágio Supervisionado do

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR 2008 Diretora Geral: Profª. Drª. Irmã Olga de Sá Vice-Diretora: Profª. Irmã Raquel Godoi Retz Coordenação Pedagógica: Prof. Ms José Luiz de Miranda Alves Coord. do Núcleo

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE Bacharelado em Administração Modalidade a Distância

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE Bacharelado em Administração Modalidade a Distância REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE Bacharelado em Administração Modalidade a Distância I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Bacharelado em Administração Modalidade a Distância é uma

Leia mais

REGULAMENTO 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO ENGENHARIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS Foz do Iguaçu PR

REGULAMENTO 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO ENGENHARIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS Foz do Iguaçu PR REGULAMENTO 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO ENGENHARIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS Foz do Iguaçu PR Ministério da Educação 1 Disposições Gerais O presente regulamento tem por objetivo estabelecer os critérios

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado Licenciatura em Música

Regulamento de Estágio Supervisionado Licenciatura em Música Regulamento de Estágio Supervisionado Licenciatura em Música CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1.º Entende-se, para efeitos dessa resolução, o estágio como ato educativo escolar supervisionado,

Leia mais

TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA NATUREZA. PARÁGRAFO ÚNICO Atividade curricular com ênfase exclusiva didático-pedagógica:

TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA NATUREZA. PARÁGRAFO ÚNICO Atividade curricular com ênfase exclusiva didático-pedagógica: REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO IFRR N A regulamentação geral de estágio tem por objetivo estabelecer normas e diretrizes gerais que definam uma política

Leia mais

Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio FAN - CEUNSP SALTO. Campus V

Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio FAN - CEUNSP SALTO. Campus V Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio FAN - CEUNSP SALTO Campus V Regulamento Interno de Estágio Supervisionado e ou Trabalho Pedagógico Supervisionado FAN-CEUNSP-SALTO -Campus V O presente

Leia mais

RESOLUÇÃO N 54/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO N 54/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 54/2009/CONEPE Aprova Normas Específicas do Estágio Curricular do

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 188, de 03 de novembro de 2015.

RESOLUÇÃO nº 188, de 03 de novembro de 2015. RESOLUÇÃO nº 188, de 03 de novembro de 2015. O Conselho Universitário CONSUNI, no uso de suas atribuições e em conformidade com Parecer nº 037, de 29 de outubro de 2015, R E S O L V E: Art. 1º Aprovar

Leia mais

Manual de Estágio Supervisionado

Manual de Estágio Supervisionado NEP Manual de Estágio Supervisionado Sumário Apresentação.................................................................... 3 Considerações Iniciais............................................................

Leia mais

FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas

FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico Credenciada pela portaria: MEC 292, de 15.02.2001 DOU Nº 35-E, de 19.02.2001, Seção 1 RESOLUÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TURISMO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TURISMO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TURISMO CAPÍTULO I - OBJETIVOS Art. 1º. O presente regulamento tem por finalidade normatizar as atividades de Estágio Supervisionado desenvolvidas no da

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Capítulo I - Definição Artigo 1º. O Estágio, como componente curricular obrigatório no Curso de Graduação

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTRODUÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTRODUÇÃO Considerando o objetivo de formação de docentes em que a atividade prática de prestação de serviços especializados é relevante à sociedade, torna-se necessário

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA Coordenação Geral de Integração Escola Comunidade - CGIEC REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS

Leia mais

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CADERNO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENSINO MÉDIO

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CADERNO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENSINO MÉDIO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CADERNO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENSINO MÉDIO RIBEIRÃO PRETO 2013 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Aluno: RA: Ano/semestre: Período letivo: 2 SUMÁRIO ORIENTAÇÕES

Leia mais

RESOLVE: Profª. MARIA CERES RODRIGUES MURAD Diretora Acadêmica

RESOLVE: Profª. MARIA CERES RODRIGUES MURAD Diretora Acadêmica RESOLUÇÃO Nº 5, DE 16 DE JULHO DE 2014 REGIMENTO DE PRÁTICA JURÍDICA Dispõe sobre a Prática Jurídica no âmbito da UNDB. O CONSELHO TÉCNICO- ADMINISTRATIVO, no uso das competências que lhe confere o art.

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 CAPÍTULO I Da Definição e Finalidades. Artigo 1 - O Estágio Supervisionado constitui-se no desenvolvimento, pelo aluno, de atividades práticas, exercidas mediante

Leia mais

FACULDADE ORÍGENES LESSA FACOL ISEOL - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA PORTARIA Nº 004 / 2009

FACULDADE ORÍGENES LESSA FACOL ISEOL - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA PORTARIA Nº 004 / 2009 ASSOCIAÇÃO LENÇOENSE DE EDUCAÇÃO E CULTURA - ALEC FACULDADE ORÍGENES LESSA FACOL ISEOL - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ORÍGENES LESSA PORTARIA Nº 004 / 2009 Usando as atribuições que lhe confere o regimento

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE NÍVEL MÉDIO PROFISSIONALIZANTE E DE GRADUAÇAO DO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA - IFB

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE NÍVEL MÉDIO PROFISSIONALIZANTE E DE GRADUAÇAO DO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA - IFB REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE NÍVEL MÉDIO PROFISSIONALIZANTE E DE GRADUAÇAO DO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA - IFB Brasília DF março/2011 Pró-reitoria de Ensino PREN Pró-reitoria

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIOMEDICINA DA FAAPE

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIOMEDICINA DA FAAPE REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIOMEDICINA DA FAAPE NATUREZA E FINALIDADES Art. 1º. O estágio curricular do Curso de Biomedicina da Faculdade do Agreste de Pernambuco ASCES constitui um

Leia mais

REGULAMENTO DA MOBILIDADE ACADÊMICA ESTUDANTIL DO IF SUDESTE MG CAPITULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO

REGULAMENTO DA MOBILIDADE ACADÊMICA ESTUDANTIL DO IF SUDESTE MG CAPITULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO Reitoria REGULAMENTO DA MOBILIDADE ACADÊMICA ESTUDANTIL DO IF SUDESTE MG Este regulamento visa estabelecer a organização e o funcionamento da Mobilidade Acadêmica Estudantil Nacional e Internacional, no

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS COORDENAÇÃO DE CIÊNCIA POLÍTICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS COORDENAÇÃO DE CIÊNCIA POLÍTICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS COORDENAÇÃO DE CIÊNCIA POLÍTICA REGULAMENTO PARA AFERIÇÃO E AVALIAÇÃO DAS S COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO

Leia mais

Portaria Fatec Santana de Parnaíba nº 02/2015 de 24 de abril de 2015

Portaria Fatec Santana de Parnaíba nº 02/2015 de 24 de abril de 2015 Portaria nº 02/2015 de 24 de abril de 2015 Estabelece a normatização das Atividades Acadêmico-Científico-Culturais (AACC) do curso de Gestão Comercial da Faculdade de Tecnologia de Santana de Parnaíba.

Leia mais

REGIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO

REGIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO Res. CONSUN nº 49/03, 10/12/03 Art. 1 o O presente documento objetiva fornecer as orientações

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE PAULISTA - UNORP

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE PAULISTA - UNORP REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE PAULISTA - UNORP CAPÍTULO I DOS FUNDAMENTOS LEGAIS Artigo 1º- O presente regulamento de estágios do Centro Universitário do Norte Paulista

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR EM SAUDE COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR EM SAUDE COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR EM SAUDE COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Instrução normativa Nº 01/2011 Revoga a Instrução Normativa N 02/2008 da comissão

Leia mais

COMISSÃO CURRICULAR DE HISTÓRIA

COMISSÃO CURRICULAR DE HISTÓRIA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 Institui normas para as Atividades Complementares do Curso de Histórias - Licenciatura e Bacharelado - submetidas a partir do 1º semestre de 2014 Partindo-se

Leia mais

Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia

Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia Petrolina PE Julho de 2015 1 Capítulo I Da natureza do TCC Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é um componente obrigatório

Leia mais

Educação Profissional Cursos Técnicos. Regulamento de Estágio Supervisionado

Educação Profissional Cursos Técnicos. Regulamento de Estágio Supervisionado Educação Profissional Cursos Técnicos Regulamento de Estágio Supervisionado CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O presente Regulamento de Estágio Supervisionado refere-se à formação do aluno

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Engenharia Mecânica é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 192 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº. 192 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº. 192 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº.

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades complementares, conforme regulamento do Centro Universitário UNIVATES, abrangem quatro categorias: ensino, pesquisa, extensão e profissional, devendo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 074, DE 20 DE ABRIL DE 2016.

RESOLUÇÃO Nº. 074, DE 20 DE ABRIL DE 2016. RESOLUÇÃO Nº. 074, DE 20 DE ABRIL DE 2016. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº 43/2016

Leia mais

Lucia Maria Sá Barreto de Freitas

Lucia Maria Sá Barreto de Freitas RESOLUÇÃO DO CONSEPE Nº 12/2010 Aprova o Regulamento das Atividades de Estágio do Curso de Engenharia de Produção da FSSS e dá outras Providências. A PRESIDENTE DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO-

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP Capítulo I DA NATUREZA E SUAS FINALIDADES Art. 1º O estágio baseia-se na Lei nº. 11.788, sancionada em 25 de setembro de 2008. Parágrafo

Leia mais

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DE CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DE CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO TÍTULO I 3 DA PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU E SEUS OBJETIVOS 3 TÍTULO II 5 DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA 5 CAPÍTULO I 5 DA ESTRUTURA 5 CAPÍTULO II 6 DA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU 6 CAPÍTULO

Leia mais

ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES-AAC

ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES-AAC ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES-AAC As atividades complementares serão incrementadas durante todo o Curso de Fisioterapia, onde a FAP propiciará mecanismos de aproveitamento de conhecimentos, adquiridos

Leia mais

APÊNDICE B: REGULAMENTO SOBRE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - UNIR CACOAL. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

APÊNDICE B: REGULAMENTO SOBRE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - UNIR CACOAL. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS APÊNDICE B: REGULAMENTO SOBRE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - UNIR CACOAL. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Este regulamento tem por objetivo estabelecer as

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 118/2004-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 118/2004-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 118/2004-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Estágio Supervisionado de Graduação do Curso de Administração da UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço

Leia mais

REGULAMENTO DO TCC DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE SÃO LOURENÇO

REGULAMENTO DO TCC DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE SÃO LOURENÇO REGULAMENTO DO TCC DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE SÃO LOURENÇO São Lourenço 2016 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. O Trabalho de Conclusão do Curso TCC é atividade curricular obrigatória e

Leia mais

RESOLUÇÃO 001/2014 DA CONCEPÇÃO E DOS OBJETIVOS

RESOLUÇÃO 001/2014 DA CONCEPÇÃO E DOS OBJETIVOS RESOLUÇÃO 001/2014 Dispõe sobre o Estágio Curricular Supervisionado do curso em atendimento ao que prevê o Projeto Pedagógico do Curso de Administração. A Coordenação do Curso de Administração, no uso

Leia mais

ATO NORMATIVO N 001 NDE ENGENHARIA DE ALIMENTOS/2013

ATO NORMATIVO N 001 NDE ENGENHARIA DE ALIMENTOS/2013 1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense Câmpus Concórdia Curso de Bacharelado em Engenharia de Alimentos

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Aprovado pela Resolução Consuni nº 26/10, de 08/09/2010. CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º O presente regulamento disciplina

Leia mais

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO Art. 1º A monitoria é uma atividade acadêmica, no âmbito da graduação, que pretende oferecer ao aluno experiência de iniciação à docência. 1º A monitoria

Leia mais

COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO FISICA - LICENCIATURA ATIVIDADES ACADÊMICO CIENTÍFICO CULTURAIS (ATIVIDADES COMPLEMENTARES)

COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO FISICA - LICENCIATURA ATIVIDADES ACADÊMICO CIENTÍFICO CULTURAIS (ATIVIDADES COMPLEMENTARES) ATIVIDADES ACADÊMICO CIENTÍFICO CULTURAIS (ATIVIDADES COMPLEMENTARES) As Atividades Acadêmico Científico Culturais (denominadas Atividades Complementares) têm como objetivo estimular no acadêmico na obtenção

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 04/12/CP INSEP

RESOLUÇÃO Nº. 04/12/CP INSEP FACULDADE INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO PARANÁ MANTENEDORA: INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E DA CIDADANIA IEC CNPJ: 02.684.150/0001-97 Maringá: Rua dos Gerânios, 1893 CEP: 87060-010 Fone/Fax:

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ADMINISTRAÇÃO

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ADMINISTRAÇÃO MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ADMINISTRAÇÃO 1 SUMÁRIO Lista de Anexos... 3 1. APRESENTAÇÃO... 4 2. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL... 5 3. DEFINIÇÕES... 5 4. OBJETIVOS... 6 5. PLANEJAMENTO E COMPETÊNCIAS...

Leia mais

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte,

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte, LEI Nº 302/05 "DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS" O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que

Leia mais

Regulamento das Atividades Complementares Graduação em Administração da Faculdade Casa do Estudante FACE

Regulamento das Atividades Complementares Graduação em Administração da Faculdade Casa do Estudante FACE Regulamento das Atividades Complementares Graduação em Administração da Faculdade Casa do Estudante FACE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O presente regulamento tem por finalidade normatizar

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA (FAMES)

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA (FAMES) REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE METODISTA DE SANTA MARIA (FAMES) SANTA MARIA RS 2014 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO

Leia mais

REFGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

REFGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA REFGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CANINDÉ CEARÁ 2014 R344 Regulamento das atividades complementares da licenciatura em matemática / Ana Claudia Gouveia de Sousa;

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS E PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS E PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS E PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais