A Famosa Agulhada do Didi. Figura 1 A Agulhada do Didi. Obs: linha azul média de 3 dias linha verde média de 8 dias linha roxa média de 20 dias

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Famosa Agulhada do Didi. Figura 1 A Agulhada do Didi. Obs: linha azul média de 3 dias linha verde média de 8 dias linha roxa média de 20 dias"

Transcrição

1 A Famosa Agulhada do Didi Figura 1 A Agulhada do Didi Obs: linha azul média de 3 dias linha verde média de 8 dias linha roxa média de 20 dias Na verdade o padrão aqui e 5 minutos e não dias. Como será dito abaixo, a média segue o intervalo colocado no gráfico. Utilizaremos estas cores paras as médias em todos os gráficos. A agulhada do Didi foi criada pelo famoso grafista brasileiro conhecido como Didi. Ele estudou o comportamento das diversas médias móveis e observando as de 3, 8 e 20 dias determinou a famosa agulhada. Para se visualizar a agulhada do Didi deve-se colocar no seu programa de gráficos as médias móveis de 3, 8 e 20 dias, cada uma com uma cor a sua escolha. Utilize sempre as mesmas cores. Dias aqui seriam o padrão. Se o gráfico for semanal por exemplo, seriam 3, 8 e 20 semanas. Se o gráfico for de 5 minutos seriam 3, 8 e 20 intervalos (candles) de 5 minutos. Considero, em mercados voláteis e de grande volume, o melhor critério para determinar grandes movimentos de alta ou de baixa. A observação da agulhada do didi e bastante simples: 1 - Normas Gerais:

2 a) Escolha um ativo com grande volume e número de negócios elevados. A agulhada perde valor em mercados de pouca liquidez. b) A agulhada é melhor observada em gráficos de candlestick. 2 Preparação da Agulhada: a) Fique atento sempre que as três médias começarem a correr juntas, ou ao menos próximas. b) A agulhada irá acontecer quando, após estarem juntas, elas se separarem. Figura 2 Preparação da Agulhada 3 A Agulhada do Didi de Alta: a) Observe quando as três médias se juntarem b) O ideal é que as três médias, antes de se separarem, passem por dentro de um candle (Como a linha passando pela agulha) c) Ao se separarem, a média de 3 dias sai por cima, a de 8 fica no meio e a de 20 dias sai por baixo.

3 Figura 3 A Agulhada do Didi de Alta 4 A Agulhada do Didi de Baixa: a) Observe quando as três médias se juntarem b) O ideal é que as três médias antes de se separarem, passem por dentro de um candle (Como a linha passando pela agulha) c) Ao se separarem, a média de 20 dias sai por cima, a de 8 fica no meio e a de 3 dias sai por baixo.

4 Figura 4 A Agulhada do Didi de Baixa. 5 - Critérios para conformação e intensificação da agulhada: a) Um candle que confirma o movimento na direção da agulhada, o ideal e que se inicie acima do anterior (no caso de agulhada de alta) ou abaixo do anterior (no caso de agulhada de baixa), não necessariamente com Gap. b) Aumento concomitante do volume ou número de negócios no momento ou logo após a agulhada. c) O fato dela acontecer no rompimento de um suporte ou de uma resistência Observe na figura abaixo os três critérios de intensificação que vão comprovar a agulhada:

5 Figura 5 Critérios de Intensificação da agulhada 6 - O Fim da agulhada a) Alguns consideram que a agulhada terminou e realizam lucro quando ocorre fechamento de um candle abaixo da média de 8 dias (Atenção, fechamento e não somente a perfuração por uma perna (sombra) de um candle. Esta é a forma mais segura mas que pode diminuir os lucros. b) A agulhada termina com certeza quando a fechamento de um candle abaixo da média contrária ao movimento. (A de 20 dias no caso de agulhada de alta e a de 3 dias no caso de agulhada de baixa). Esta forma e mais arriscada mas poderá trazer lucros maiores. c) Pode-se considerar terminada a agulhada tambem quando um objetivo de Fibonacci é totalmente realizado (50% ou 62%) Observe na figura abaixo o fim da agulhada nas três situações: F1 Quando ocorreu fechamento abaixo da média de 8 dias F2 Quando ocorreu fechamento abaixo da média de 20 dias (para o caso de uma agulhada de alta) Fibo Indica realização após extensão de Fibonacci de 50%.

6 Figura 6 O Fim da agulhada 7 - A Agulhada Falsa ou O Violino a) Quando após uma aparente agulhada ocorre movimento na direção contrario a que indica a agulhada ou então ocorre uma acumulação. b) Figuras de reversão como dojis, martelos após a agulhada devem levantar suspeitas quanto a uma falsa agulhada. c) O STOP deve ser dado quando o ponto da agulhada for ultrapassado em direção contraria. Deve-se ficar atento para possível nova agulhada em qualquer das duas direções.

7 Figura 7 A falsa agulhada 8 - Quando Realizar o Lucro? a) Pode-se utilizar as extensoes de fibonacci e realizar o lucro em qual delas o mercado parar encontrar uma resistência forte 38%, 50% ou 62%. A extensão de 50% e sempre a mais provável após uma agulhada. b) Quando umas das situações que mostram que a agulhada acabou, descritas no item 6, a e b. c) Deve-se ficar atento que as vezes o fim da agulhada e falso e ela abre de novo em seguida. Observe na figura abaixo que temos o objetivo de 62% de Fibonacci cumprido e temos o ponto F1 Fechamento abaixo da média de 8 dias. São estes dois critérios para realização de lucros. Apesar disso não temos ainda o ponto F2 Fechamento abaixo da média de 20 dias e no ponto A assinalado no gráfico a agulhada abre de novo. Pode-se realizar o lucro pois dois critérios já foram preenchidos ou esperar o ponto F2 (fechamento abaixo da média de 20 dias). Uma boa estratégia e realizar metade do lucro no ponto F1 e aguardar o ponto F2 para realizar a outra metade.

8 Figura 8 A realização de lucros. 9 A Agulhada do Didi e outros tipos de Gráficos da Análise Técnica: a) Pode-se utilizar a agulhada do Didi em conjunto com outros gráficos como o MACD o estocástico, etc. Estes gráficos servirão de confirmação da agulhada, sendo que para mim o que mais serve para este fim e o MACD. b) A agulhada do Didi em conjunto com o volume, o estudo dos suportes e das resistências e as extensões de Fibonacci já são mais do que suficientes. O uso de outros gráficos fica a critério de cada um. Observe na figura abaixo o cruzamento da linha de 26 dias do MACD pelo sinal, confirmando a Agulhada do Didi. Observe tambem o candle de alta que se inicia acima do anterior após a agulhada confirmando a mesma. Observe o incremento de volume Observe a preparação da agulhada com as três linhas juntas

9 Figura 9 Agulhada do Didi e MACD

CURSO DE ANÁLISE TÉCNICA APLICAÇÃO DE: FIBONACCI/CANDLESTICKS

CURSO DE ANÁLISE TÉCNICA APLICAÇÃO DE: FIBONACCI/CANDLESTICKS CURSO DE ANÁLISE TÉCNICA APLICAÇÃO DE: FIBONACCI/CANDLESTICKS Grafista de Bsb CURSO DE ANÁLISE TÉCNICA APLICAÇAO DE FIBONACCI E CANDLESTICK CONTEÚDO 1 - DEFINIÇÃO DE ANÁLISE TÉCNICA 2 A TÉCNICA 3 - OS

Leia mais

MINICURSO SEMAT. Análise Técnica para Investimentos em Bolsa de Valores, Índices e Commodities. Lucas Guilherme Rigo Canevazzi

MINICURSO SEMAT. Análise Técnica para Investimentos em Bolsa de Valores, Índices e Commodities. Lucas Guilherme Rigo Canevazzi MINICURSO SEMAT Análise Técnica para Investimentos em Bolsa de Valores, Índices e Commodities Lucas Guilherme Rigo Canevazzi Matheus Furtado de Souza Popp Prof. Dr. Geraldo Nunes Silva Prof. Dr. Maurílio

Leia mais

CANDLESTICK. Carlos Alberto Debastiani. Um método para ampliar lucros na Bolsa de Valores. Novatec

CANDLESTICK. Carlos Alberto Debastiani. Um método para ampliar lucros na Bolsa de Valores. Novatec CANDLESTICK Um método para ampliar lucros na Bolsa de Valores Carlos Alberto Debastiani Novatec Fundamentos Capítulo 1 A formação dos elementos do gráfico: os candles Ao analisar o mercado, podemos utilizar

Leia mais

Apostila da Oficina. Aprenda a Investir na Bolsa de Valores

Apostila da Oficina. Aprenda a Investir na Bolsa de Valores Apostila da Oficina Aprenda a Investir na Bolsa de Valores O objetivo da Oficina é ensinar como começar a investir no mercado acionário. Então vamos iniciar recapitulando os passos básicos. A primeira

Leia mais

ANÁLISE TÉCNICA MÉTODO EQUIPE AÇÕES POR OPÇÕES

ANÁLISE TÉCNICA MÉTODO EQUIPE AÇÕES POR OPÇÕES Página 1 de 8 ANÁLISE TÉCNICA MÉTODO EQUIPE AÇÕES POR OPÇÕES Olá, apresentaremos um método prático de análise técnica visando o fácil entendimento e a facilidade nas operações. Recomendamos que o leitor

Leia mais

Sumário. Agradecimentos...11 Sobre o autor...12 Aviso importante...13 Prefácio...14 Introdução...16. Capítulo 1 Definições básicas...

Sumário. Agradecimentos...11 Sobre o autor...12 Aviso importante...13 Prefácio...14 Introdução...16. Capítulo 1 Definições básicas... Marcos Abe Novatec Sumário Agradecimentos...11 Sobre o autor...12 Aviso importante...13 Prefácio...14 Introdução...16 Capítulo 1 Definições básicas...17 Métodos de análise...17 Os agentes do mercado...

Leia mais

Análise de Investimentos pela Escola Técnica

Análise de Investimentos pela Escola Técnica Análise de Investimentos pela Escola Técnica Eduardo Werneck Diretor de Sustentabilidade da Apimec Apimec - Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LEANDRO MARTINS

Leia mais

Ordem de Serviços. Abaixo será informado o procedimento passo a passo para emissão da ordem de serviço no CIAF.

Ordem de Serviços. Abaixo será informado o procedimento passo a passo para emissão da ordem de serviço no CIAF. Ordem de Serviços. Abaixo será informado o procedimento passo a passo para emissão da ordem de serviço no CIAF. 1 -Abertura da Ordem de Serviços: 1.1 Entre em Serviços + Ordem de Serviço + Abertura de

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas sexta-feira, 13 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 139,70 0,00 0,00-0,55 SET13 116,25 116,10 115,75-0,20

Leia mais

OBJETIVO MATERIAL POPULAÇÃO APLICAÇÃO INSTRUÇÕES 31/08/2011

OBJETIVO MATERIAL POPULAÇÃO APLICAÇÃO INSTRUÇÕES 31/08/2011 OBJETIVO TESTE DE ATENÇÃO CONCENTRADA TEACO-FF Avaliação Psicológica II Professora: Patrícia Volpato Avalia a capacidade de uma pessoa em selecionar apenas uma fonte de informação diante de vários estímulos

Leia mais

Joseilton S. Correia

Joseilton S. Correia O P E R A N D O N A Bolsa de Valores U T I L I Z A N D O ANÁLISE TÉCNICA Aprenda a identificar o melhor momento para comprar e vender ações Joseilton S. Correia Novatec Sumário Agradecimentos... 13 Sobre

Leia mais

Manual do Sistema de Trâmite de Processos da UFMT

Manual do Sistema de Trâmite de Processos da UFMT Manual do Sistema de Trâmite de Processos da UFMT Sumário OBJETIVO...2 INFORMAÇÕES...3 GRUPOS...4 OPERAÇÃO COM PROCESSOS E OFICIOS...5 USUÁRIOS...6 ACESSO...7 1º ACESSO...8 TELA INICIAL DO ACESSO...9 MENU:

Leia mais

Análise Técnica diária

Análise Técnica diária IBOVESPA Índice IBOV / FIQUE DE OLHO >Apesar > da pressão de venda no diário, mercado vai largando doji (candle de indecisão) em área de suporte, colocando um fio de esperança na galera, mas nada que empolgue

Leia mais

NOTIFICANDO USUÁRIOS SOBRE UMA NOVA EDIÇÃO

NOTIFICANDO USUÁRIOS SOBRE UMA NOVA EDIÇÃO EDITOR NOTIFICANDO USUÁRIOS SOBRE UMA NOVA EDIÇÃO Em Edições Clicar em Notificar Usuários A página inicial do Editor exibe as submissões em diversas fases do processo editorial, como no caso deste exemplo:

Leia mais

O que é o Sistema Geodésico de Referência? Qual é o Sistema Geodésico adotado no Brasil? Qual a diferença entre o Sistema SAD69 e SIRGAS2000?

O que é o Sistema Geodésico de Referência? Qual é o Sistema Geodésico adotado no Brasil? Qual a diferença entre o Sistema SAD69 e SIRGAS2000? O que é o Sistema Geodésico de Referência? É um sistema coordenado que serve de referência ao posicionamento no globo terrestre ou em um território nacional ou continental, utilizado para representar características

Leia mais

Estudo Exploratório. I. Introdução. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Pesquisa de Mercado. Paula Rebouças

Estudo Exploratório. I. Introdução. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Pesquisa de Mercado. Paula Rebouças Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Pesquisa de Mercado Paula Rebouças Estudo Exploratório I. Introdução A Dislexia é uma síndrome caracterizada por problemas na leitura: ao ler a pessoa

Leia mais

3 Estratégias de Análise Técnica

3 Estratégias de Análise Técnica 3 Estratégias de Análise Técnica Como foi visto no Capítulo 2, as estratégias dos investidores do mercado são compostas por dois fatores, a saber: o mecanismo de ativação σ i (t) (Eq. 2-10) e o mecanismo

Leia mais

A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem.

A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem. A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem. A ambulância deve: Avançar. Ceder a passagem apenas ao meu veículo. Ceder a passagem apenas ao veículo

Leia mais

Levantamento de processos de negócio. Douglas Machado Silva douglas.machado@uniriotec.br

Levantamento de processos de negócio. Douglas Machado Silva douglas.machado@uniriotec.br Levantamento de processos de negócio Douglas Machado Silva douglas.machado@uniriotec.br Objetivos da aula Entender o que é o levantamento de processos de negócio Conhecer abordagens de levantamento de

Leia mais

SISTEMA AGHOS. Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas

SISTEMA AGHOS. Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas AGHOS - GESTÃO E REGULAÇÃO ASSISTENCIAL E FINANCEIRA DE SAÚDE MÓDULO DE REGULAÇÃO AMBULATORIAL DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS ESPECIALIZADAS Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas SISTEMA

Leia mais

Vamos ver duas telas: Mesa e Itens de uma Mesa, como exemplo.

Vamos ver duas telas: Mesa e Itens de uma Mesa, como exemplo. 41 9 Restaurantes, Pizzarias, Hotéis, Casas Noturnas e similares Aos estabelecimentos como Restaurantes, há os controles de Atendentes, Quartos, Mesas, VIP (Cartões Pessoais de Consumação) e as comissões

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento do Imposto sobre

Leia mais

AGHOS - GESTÃO E REGULAÇÃO ASSISTENCIAL E FINANCEIRA DE SAÚDE MÓDULO DE REGULAÇÃO AMBULATORIAL DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS

AGHOS - GESTÃO E REGULAÇÃO ASSISTENCIAL E FINANCEIRA DE SAÚDE MÓDULO DE REGULAÇÃO AMBULATORIAL DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas SISTEMA AGHOS Versão 01.2011 ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 1. O SISTEMA...4 1.1 Acesso ao Sistema AGHOS:...4 1.2 Teclas de funções do Sistema:...5 1.3

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA ACESSO ÀS NOTIFICAÇÕES FEITAS PELO NOTIVISA Interessado: DETENTOR DO REGISTRO DO PRODUTO REGISTRADO EM SEU NOME = Empresa

ORIENTAÇÃO PARA ACESSO ÀS NOTIFICAÇÕES FEITAS PELO NOTIVISA Interessado: DETENTOR DO REGISTRO DO PRODUTO REGISTRADO EM SEU NOME = Empresa ORIENTAÇÃO PARA ACESSO ÀS NOTIFICAÇÕES FEITAS PELO NOTIVISA Interessado: DETENTOR DO REGISTRO DO PRODUTO REGISTRADO EM SEU NOME = Empresa I Acesso do Notivisa 1. Empresa deverá acessar o Notivisa pelo

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Geral. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Geral. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Geral Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema de Almoxarifado

Leia mais

ÂMBIO PARA INVESTIDORES NO FOREX

ÂMBIO PARA INVESTIDORES NO FOREX ÂMBIO PARA INVESTIDORES NO FOREX AVISO: Operações no Forex tem grande potencial de lucro mas também um grande potencial de risco e perda. Você precisa se prevenir dos riscos e preparar-se para aceitá-los

Leia mais

Como oferto um lance. Clique nas opções abaixo para ser direcionado ao passo a passo: ATENDIMENTO. - Como oferto um lance?

Como oferto um lance. Clique nas opções abaixo para ser direcionado ao passo a passo: ATENDIMENTO. - Como oferto um lance? Clique nas opções abaixo para ser direcionado ao passo a passo: ATENDIMENTO - Como oferto um lance? - Como imprimo 2ª via de boleto ao cliente? - Como realizo uma transferência de cota? - Onde consulto

Leia mais

5 CONCLUSÃO. 5.1. Resumo

5 CONCLUSÃO. 5.1. Resumo 70 5 CONCLUSÃO 5.1. Resumo Conforme visto no capítulo anterior, por meio das análises dos resultados da pesquisa de campo, realizadas no software SPSS 17.0 versão Windows, foram obtidas as funções de utilidade;

Leia mais

Análises: Análise Fundamentalista Análise Técnica

Análises: Análise Fundamentalista Análise Técnica Análises: Análise Fundamentalista Análise Técnica Análise Fundamentalista Origem remonta do final do século XIX e princípio do século XX, quando as corretoras de bolsa tinham seus departamentos de análise

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. Departamento Regional de São Paulo. Escola SENAI Hessel Horácio Cherkassky

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. Departamento Regional de São Paulo. Escola SENAI Hessel Horácio Cherkassky SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL Departamento Regional de São Paulo GUIA DE REFERÊNCIA RÁPIDA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO GUIA DO ALUNO Cubatão SP SUMÁRIO página 1. O QUE É ESTÁGIO SUPERVISIONADO?

Leia mais

Dispositivo de detecção/aviso de fluxo no transporte pneumático

Dispositivo de detecção/aviso de fluxo no transporte pneumático Dispositivo de detecção/aviso de fluxo no transporte pneumático Manual de instruções F. BLOCK F B Neue Technik Entwicklung und Vertrieb Índice: 1 Características e utilização 3 2 Montagem do aparelho 4

Leia mais

Alertas ComStop Manual de Instruções

Alertas ComStop Manual de Instruções Alertas ComStop Manual de Instruções Índice: 1. Introdução: O que são e quando são enviados os Alertas 2. Como visualizar os Alertas ComStop no seu Terminal Enfoque 3. Alertas de Compra e Venda 3.1 Botão

Leia mais

4.2.1 Resumo do enquadramento de operações para procedimentos especiais

4.2.1 Resumo do enquadramento de operações para procedimentos especiais 1 / 7 CAPÍTULO IV DO PREGÃO ELETRÔNICO 4.1 LEILÕES Denomina-se apregoação por leilão aquela realizada com destaque das demais, mencionando-se, obrigatoriamente, o Ativo, o lote e o preço. As apregoações

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE EMISSÃO DE PARECER TÉCNICO

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE EMISSÃO DE PARECER TÉCNICO MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE EMISSÃO DE PARECER TÉCNICO CADASTRO NO SISTEMA 1 INÍCIO Para dar início ao cadastro de solicitação, digite o número do CNPJ da

Leia mais

GUIA DO USUÁRIO. FUPAC FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTONIO CARLOS Faculdade Presidente Antônio Carlos de Nova Lima BIBLIOTECA PROFESSOR BONIFÁCIO ANDRADA

GUIA DO USUÁRIO. FUPAC FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTONIO CARLOS Faculdade Presidente Antônio Carlos de Nova Lima BIBLIOTECA PROFESSOR BONIFÁCIO ANDRADA GUIA DO USUÁRIO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO De segunda às sextas-feiras: de 13:00h às 21:50h. OBS: No período de férias, o horário de funcionamento poderá sofrer alterações. CADASTRAMENTO DOS USUÁRIOS Para

Leia mais

PROJETO PILOTO. Setembro 2015

PROJETO PILOTO. Setembro 2015 PROJETO PILOTO Setembro 2015 Manual completo de funcionamento do projeto: Instruções Iniciais, Perguntas Frequentes e Tutorial de Utilização 1 Projeto Piloto - Aplicativo Di@rio de Classe 1) Instruções

Leia mais

Manual do Usuário. Solução de Informações Gerenciais - BI

Manual do Usuário. Solução de Informações Gerenciais - BI Manual do Usuário Solução de Informações Gerenciais - BI Versão 08.2011 Conteúdo Solução de Informações Gerencias - BI...4 1 - O que encontramos em Versões?...5 2 - O que contém a aba Ajuda?...6 2.1 -

Leia mais

PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010

PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010 PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010 OBSERVAÇÃO NA ESCOLA Localização da Escola 29/03 16/04 Espaço Físico PPP e o Ensino de Ciências OBSERVAÇÃO NA SALA Relação Professor/Alunos

Leia mais

Documentação Trade Manager. Metarobôs.

Documentação Trade Manager. Metarobôs. Documentação Trade Manager Metarobôs. Gráfico Parâmetro declaração do ativo operado: Sempre utilize letras MAIÚSCULAS (números são padrões). Não deixe o nome do ativo em BRANCO. Só será permitido deixar

Leia mais

Guia Rápido - CMA Series 4 Premium/Start. Guia Rápido de Utilização do CMA Series 4 Premium/Start

Guia Rápido - CMA Series 4 Premium/Start. Guia Rápido de Utilização do CMA Series 4 Premium/Start Guia Rápido de Utilização do CMA Series 4 Premium/Start 1 Prezado Usuário (a), Seja bem vindo (a) ao Guia Rápido de Utilização do CMA Series 4 Premium/Start, um roteiro prático para iniciar as configurações

Leia mais

Guia de registo de Reserva de Recursos. Reserva de Recursos

Guia de registo de Reserva de Recursos. Reserva de Recursos Reserva de Recursos Indice Introdução 2 Reserva simples 3 Reserva avançada 5 Consulta de disponibilidades de recursos 7 Reservas efetuadas 10 Serviços de Informática - Direção dos Serviços de Documentação

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE EXECUÇÃO: 1. Condições para o início dos serviços A alvenaria deve estar concluída e verificada. As superfícies

Leia mais

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Programa AMG Manual de Operação Conteúdo 1. Sumário 3 2. Programa

Leia mais

Manual do programa EXPERT PARK Versão 1.x

Manual do programa EXPERT PARK Versão 1.x Manual do programa EXPERT PARK Versão 1.x Ifox Eletrônica Ltda página: 1 de 31 1 Índice 1 ÍNDICE...2 2 APRESENTAÇÃO...3 3 TELA PRINCIPAL...4 3.1 TELA DE CADASTRAMENTOS E RELATÓRIOS F9...4 3.1.1 CADASTRA

Leia mais

Resolução da Prova de Raciocínio Lógico do TCE/SP, aplicada em 06/12/2015.

Resolução da Prova de Raciocínio Lógico do TCE/SP, aplicada em 06/12/2015. de Raciocínio Lógico do TCE/SP, aplicada em 6/12/215. Raciocínio Lógico p/ TCE-SP Na sequência, criada com um padrão lógico-matemático, (1; 2; 1; 4; 2; 12; 6; 48; 24;...) o quociente entre o 16º termo

Leia mais

Introdução... 3. 1ª Parte - Acesso à Aplicação Avaliação Online... 4 I Aceder à Aplicação... 4 1. Inscrição... 4 2. Acesso à Aplicação...

Introdução... 3. 1ª Parte - Acesso à Aplicação Avaliação Online... 4 I Aceder à Aplicação... 4 1. Inscrição... 4 2. Acesso à Aplicação... Índice Introdução... 3 1ª Parte - Acesso à Aplicação Avaliação Online... 4 I Aceder à Aplicação... 4 1. Inscrição... 4 2. Acesso à Aplicação... 4 II Entrada na Aplicação... 5 1. Informações... 6 1. Avaliação

Leia mais

Regras de Auditoria e Liberação de Movimentos (Parte 1)

Regras de Auditoria e Liberação de Movimentos (Parte 1) Regras de Auditoria e Liberação de Movimentos () Março - 2014 Índice Título do documento 1. Auditoria de Movimentos (ECM) Introdução:... 3 2. Grupos de Usuário (ECM):... 3 3. Colaboradores... 4 4. Configuração

Leia mais

Terminologias Introdutórias de Custo: Uma Pesquisa Exploratória Na Universidade Federal de Pernambuco Nos Cursos de Ciências Contábeis e Administração

Terminologias Introdutórias de Custo: Uma Pesquisa Exploratória Na Universidade Federal de Pernambuco Nos Cursos de Ciências Contábeis e Administração Terminologias Introdutórias de Custo: Uma Pesquisa Exploratória Na Universidade Federal de Pernambuco Nos Cursos de Ciências Contábeis e Administração Christianne Calado Vieira de Melo Lopes Julie Nathalie

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA ORÇAMENTÁRIA AULA 04: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO TÓPICO 05: ADMINISTRAÇÃO DO DISPONÍVEL VERSÃO TEXTUAL Numa situação ideal, em que uma empresa tem um controle total

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 084 Novembro 2012

BOLETIM INFORMATIVO Nº 084 Novembro 2012 BOLETIM INFORMATIVO Nº 084 Novembro 2012 Novo Procedimento para Geração de Ordem de Serviço PREZADO(s) PARCEIRO(s) A Luizaseg tem uma novidade para vocês! Agora, será possível gerar a Ordem de Serviço

Leia mais

TELA INICIAL: BOTÕES INICIAIS:

TELA INICIAL: BOTÕES INICIAIS: Sumário 1. Tela Inicial... 02 2. Venda [F1]... 03 a. Cliente [F2]... 03 b. Importar [F9]... 04 c. Produtos [F3]... 04 d. Fechamento [F4]... 05 e. Impressão, Ponto de Referência e Observações... 07 f. Consulta

Leia mais

ESTUDO GRÁFICO DOS MOVIMENTOS. Gráfico posição x tempo (x x t)

ESTUDO GRÁFICO DOS MOVIMENTOS. Gráfico posição x tempo (x x t) ESTUDO GRÁFICO DOS MOVIMENTOS No estudo do movimento é bastante útil o emprego de gráficos. A descrição de um movimento a partir da utilização dos gráficos (posição x tempo; velocidade x tempo e aceleração

Leia mais

Pró-Reitoria de Educação a Distância. Manual do Ambiente Virtual de Aprendizagem para alunos

Pró-Reitoria de Educação a Distância. Manual do Ambiente Virtual de Aprendizagem para alunos Pró-Reitoria de Educação a Distância Manual do Ambiente Virtual de Aprendizagem para alunos Como acessar o ambiente 1. Entre no Ambiente Virtual de Aprendizagem localizado na página principal do Portal

Leia mais

Guia de Consulta do Portal Educacional

Guia de Consulta do Portal Educacional Guia de Consulta do Portal Educacional 1 Apresentação No Portal Educacional Web o aluno terá acesso as seguintes informações: Dados cadastrais, Faltas por etapa, Frequência diária, Notas por etapa e Quadro

Leia mais

MENU DE COMMODITIES SOJA MAIO (SOJK10) Soja fechou em leve baixa, trabalha na casa entre 21,50 e 21,80. JULHO 2009/ MAIO 2010 (N/K)

MENU DE COMMODITIES SOJA MAIO (SOJK10) Soja fechou em leve baixa, trabalha na casa entre 21,50 e 21,80. JULHO 2009/ MAIO 2010 (N/K) MENU DE COMMODITIES SOJA MAIO (SOJK10) SOJA MAIO (SOJK10) Médias no Profitchart utilizando o after market. Tempo 60 minutos MÉDIAS 12 SIMPLES E 23 SIMPLES TEMPO 60 MINUTOS SUPORTE 1 R$ 21,80 SITUAÇÃO VENDA

Leia mais

BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS Manual de Estágio Osasco 2014 O que é o Estágio? "Estágio é o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o

Leia mais

DIRF 2012 (Ano base 2012) Entrega e Prazo. Da Obrigatoriedade de Entrega

DIRF 2012 (Ano base 2012) Entrega e Prazo. Da Obrigatoriedade de Entrega DIRF 2012 (Ano base 2012) A RFB (Receita Federal do Brasil) divulgou as regras para o preenchimento e o envio da Dirf (Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte) 2013. A Instrução Normativa nº 1.297/2012

Leia mais

150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007

150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007 150 ISSN 1679-0162 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2007 A evolução da produção de milho no Mato Grosso: a importância da safrinha Jason de Oliveira Duarte 1 José Carlos Cruz 2 João Carlos Garcia 3 Introdução

Leia mais

Q-Acadêmico. Módulo CIEE - Estágio. Revisão 01

Q-Acadêmico. Módulo CIEE - Estágio. Revisão 01 Q-Acadêmico Módulo CIEE - Estágio Revisão 01 SUMÁRIO 1. VISÃO GERAL DO MÓDULO... 2 1.1 PRÉ-REQUISITOS... 2 2. ORDEM DE CADASTROS PARA UTILIZAÇÃO DO MÓDULO CIEE... 3 2.1 CADASTRANDO EMPRESAS... 3 2.1.1

Leia mais

Channel. Módulo Gerencial. Tutorial. Atualizado com a versão 4.02

Channel. Módulo Gerencial. Tutorial. Atualizado com a versão 4.02 Channel Módulo Gerencial Tutorial Atualizado com a versão 4.02 Copyright 2009 por JExperts Tecnologia Ltda. todos direitos reservados. É proibida a reprodução deste manual sem autorização prévia e por

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas sábado, 14 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 139,00 0,00 0,00-0,70 SET13 115,55 115,70 115,70-0,70

Leia mais

Acesse pela Internet usando o endereço eletrônico: www.dspconvenio.com.br

Acesse pela Internet usando o endereço eletrônico: www.dspconvenio.com.br Manual do Site 1 Acesse pela Internet usando o endereço eletrônico: www.dspconvenio.com.br 2 Tela Inicial do Front End 3 Marque o campo Pessoa Jurídica 4 Digite o CNPJ de sua Empresa (corrido,sem traço,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SEED

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SEED SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SEED Sistema Obras Online Módulo Pedido Julho - 2013 Secretaria da Educação do Paraná Av. Água Verde, 2140 - Vila Isabel 80240-900 - Curitiba - PR 41 3340-1500 e Superintendência

Leia mais

Este documento tem o objetivo de orientar e esclarecer sobre os procedimentos para adesão ao ProInfo Programa Nacional de Informática na Educação.

Este documento tem o objetivo de orientar e esclarecer sobre os procedimentos para adesão ao ProInfo Programa Nacional de Informática na Educação. Prezado(a) Prefeito(a), Este documento tem o objetivo de orientar e esclarecer sobre os procedimentos para adesão ao ProInfo. Estes procedimentos estão divididos em três etapas: Primeira Etapa Termo de

Leia mais

Objetivo: Demonstrar como realizar os lançamentos de ajuste das contas que representam as contas de ativo não circulante, que representam o

Objetivo: Demonstrar como realizar os lançamentos de ajuste das contas que representam as contas de ativo não circulante, que representam o Solução em Gestão Municipal Solução em Gestão Municipal Objetivo: Demonstrar como realizar os lançamentos de ajuste das contas que representam as contas de ativo não circulante, que representam o Patrimônio

Leia mais

Manual da AGENDA GRACES 2011

Manual da AGENDA GRACES 2011 1 Agenda Graces Manual da AGENDA GRACES 2011 O Sistema Agenda Graces integrada ao Sistema Graces e Agenda Graces Grátis foi desenvolvido pela empresa Quorum Informática. Este Manual tem por objetivo atender

Leia mais

BOVESPA Fechamento: 52.440 SU: 48.015 Tendência de C/M/L prazos IFR Volume IBOV Variação: -0,01% RE: 59.523 Baixa / Baixa / Baixa 38,08% R$ 4,66 bi

BOVESPA Fechamento: 52.440 SU: 48.015 Tendência de C/M/L prazos IFR Volume IBOV Variação: -0,01% RE: 59.523 Baixa / Baixa / Baixa 38,08% R$ 4,66 bi Índice Bovespa BOVESPA Fechamento: 52.440 SU: 48.015 Tendência de C/M/L prazos IFR Volume IBOV Variação: -0,01% RE: 59.523 Baixa / Baixa / Baixa 38,08% R$ 4,66 bi -0,01% -10,85% -24,33% -21,35% O IBOV

Leia mais

Manual Documentação de Arquivos. Tela Classificação de Arquivo

Manual Documentação de Arquivos. Tela Classificação de Arquivo Manual Documentação de Arquivos Tela Classificação de Arquivo Objetivo e orientações iniciais Registro das classificações dos arquivos: título e unidade organizacional responsável. Menu: Documentação Classificação

Leia mais

Data: Turma: 5º anos A B C

Data: Turma: 5º anos A B C Aluno (a): Nº TRABALHO 2º BIMESTRE - ENSINO FUNDAMENTAL Disciplina: Interdisciplinar Professor(a): Danielle e Patrícia Data: Turma: 5º anos A B C Vamos rumo ao 2 bimestre? Muito bem, nossa tarefa dessa

Leia mais

PLANEJAR, ELABORAR E CUMPRIR METAS

PLANEJAR, ELABORAR E CUMPRIR METAS PLANEJAR, ELABORAR E CUMPRIR METAS Fernanda Micaela Ribeiro Theiss Prof. Ademar Lima Júnior Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI Bacharelado em Ciências Contábeis (CTB 561) 14/05/2012 RESUMO

Leia mais

Apostila de Análise Gráfica

Apostila de Análise Gráfica Apostila de Análise Gráfica Contatos Bradesco Corretora E-mail: faq@bradescobbi.com.br Cliente Varejo: 11 2178-5757 Cliente Prime: 11 2178-5722 www.bradescocorretora.com.br APOSTILA DE ANÁLISE GRÁFICA

Leia mais

Relatórios. Manual. Pergamum

Relatórios. Manual. Pergamum Relatórios Manual Pergamum Manual PER-MAN-005 Estatísticas Circulação de Materiais - Geral Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 1-4 1.1 PESQUISANDO ESTATÍSITICAS E RELATÓRIOS... 1-10 1.2 UTILIZANDO O MÓDULO RELATÓRIOS...

Leia mais

Manual de solicitação para envio de equipamento em garantia. Bosch Sistemas de Segurança

Manual de solicitação para envio de equipamento em garantia. Bosch Sistemas de Segurança Manual de solicitação para envio de equipamento em garantia Bosch Sistemas de Segurança 2 Manual Sistema de Garantia Bosch Sistemas de Segurança Acesso ao Sistema Para acessar o sistema, entre no site

Leia mais

Ministério da Educação - MEC Universidade Federal de Santa Maria UFSM Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP

Ministério da Educação - MEC Universidade Federal de Santa Maria UFSM Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP Ministério da Educação - MEC Universidade Federal de Santa Maria UFSM Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP Tutorial de preenchimento do Plano de Estudos On-line NOVEMBRO DE 2013 2 Índice 1 Tutorial

Leia mais

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. ESSE MATERIAL NÃO PODE SER DISTRIBUÍDO SEM A DEVIDA AUTORIZAÇÃO DO GAPE SOB PENA DE PAGAMENTO DE MULTA.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. ESSE MATERIAL NÃO PODE SER DISTRIBUÍDO SEM A DEVIDA AUTORIZAÇÃO DO GAPE SOB PENA DE PAGAMENTO DE MULTA. EXCEL PARA TODOS 1 AULA 01 OPERAÇÕES BÁSICAS E RÉGUA DE FORMATAÇÃO 1. Operações Básicas Muitas dessas operações você já faz e utiliza normalmente, tanto nas suas tarefas diárias quanto com o uso do Excel.

Leia mais

Alguns conselhos para melhorar a qualidade do polimento

Alguns conselhos para melhorar a qualidade do polimento Alguns conselhos para melhorar a qualidade do polimento Página 1 de 7 Conselhos para melhorar a Qualidade do Polimento INTRODUÇÃO Para conferir um polimento de excelente qualidade às chapas ou ladrilhos

Leia mais

CIRURGIA DE RINOSSEPTOPLASTIA. Informações sobre a cirurgia

CIRURGIA DE RINOSSEPTOPLASTIA. Informações sobre a cirurgia CIRURGIA DE RINOSSEPTOPLASTIA Informações sobre a cirurgia P: A RINOSSEPTOPLASTIA DEIXA CICATRIZES? R: Certos narizes permitem que as cicatrizes fiquem escondidas dentro da cavidade nasal. Nestes casos,

Leia mais

AR PDV SOLUÇÕES AR CONSULTORIA EM INFORMÁTICA

AR PDV SOLUÇÕES AR CONSULTORIA EM INFORMÁTICA 1 Sumário: 1. AR PDV...02 2. Registro / Login...03 3. Configuração...03 4. Abertura de Caixa...03 5. Registro de Vendas...04 a. Passos para Emissão do Cupom Fiscal...05 b. Inserindo Produtos...06 c. Formas

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA COMPRA DE TÍTULOS NO TESOURO DIRETO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA COMPRA DE TÍTULOS NO TESOURO DIRETO ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA COMPRA DE TÍTULOS NO TESOURO DIRETO Um título público consiste, de maneira simplificada, um empréstimo ao governo federal, ou seja, o governo fica com uma dívida com o comprador

Leia mais

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 MANUAL DE USO DO SISTEMA GOVERNO DIGITAL ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 2.0. SOLICITAÇÕES DE AIDF E AUTORIZAÇÃO DE EMISSÃO DE NOTA

Leia mais

REGISTRO DE PROJETOS

REGISTRO DE PROJETOS REGISTRO DE PROJETOS 1. REGISTRO DE PROJETOS Esta aplicação tem o objetivo de realizar o Registro de Projetos da Instituição. É possível, incluir, alterar ou excluir essas informações. 1.1. Acessando a

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca DISCURSO EM CURITIBA, DANDO INICIO

Leia mais

Passo a passo para emissão de Nota Fiscal de Produtor Eletrônica NFP-e

Passo a passo para emissão de Nota Fiscal de Produtor Eletrônica NFP-e Passo a passo para emissão de Nota Fiscal de Produtor Eletrônica NFP-e Natureza 44 - RETORNO DE SAÍDA COM SUSPENSÃO Por causa do sigilo fiscal, foram hachurados os dados do contribuinte. Toda NFP-e emitida

Leia mais

As ações, em sua maioria, são negociadas a partir de códigos formados através de letras e números:

As ações, em sua maioria, são negociadas a partir de códigos formados através de letras e números: Como funciona o mercado de ações Conceitualmente, uma ação é um pedaço de uma empresa, ou seja, comprar uma ação significa ser sócio de uma companhia. No Brasil, as ações de empresas de capital aberto

Leia mais

Multimedidor Portátil MPK

Multimedidor Portátil MPK [1] Introdução O Multimedidor Portátil é um instrumento que facilita a análise de instalações elétricas em campo com alta flexibilidade. A solução é composta de: Multimedidor: Instrumento digital microprocessado,

Leia mais

TREINAMENTO DE EMISSÃO DE GASES DE EFEITO ESTUFA E PEGADA DE CARBONO

TREINAMENTO DE EMISSÃO DE GASES DE EFEITO ESTUFA E PEGADA DE CARBONO TREINAMENTO DE EMISSÃO DE GASES DE EFEITO ESTUFA E PEGADA DE CARBONO TREINAMENTO DE EMISSÃO DE GASES DE EFEITO ESTUFA E PEGADA DE CARBONO INTRODUÇÃO O meio ambiente sofreu prejuízos de todo tipo ao longo

Leia mais

Índice. 2.2. Personalizando o Monitor Diário... 4. 3.2. Personalizando o Monitor Intraday... 7 1. INTRODUÇÃO... 3 2. MONITOR DIÁRIO...

Índice. 2.2. Personalizando o Monitor Diário... 4. 3.2. Personalizando o Monitor Intraday... 7 1. INTRODUÇÃO... 3 2. MONITOR DIÁRIO... Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. MONITOR DIÁRIO... 4 2.2. Personalizando o Monitor Diário... 4 3. MONITOR INTRADAY... 6 3.2. Personalizando o Monitor Intraday... 7 4. FÓRMULAS TÉCNICAS... 8 5. STATUS OFFLINE...

Leia mais

Manual Sistema AtecSoftware

Manual Sistema AtecSoftware Manual Sistema AtecSoftware ÍNDICE Sistema Janela principal... 3, 4 Cadastros Cadastro de Horários... 5, 6, 7, 8, 9, 10 Cadastro de Funcionários... 11 Feriados... 12,13 Movimentações Movimentações... 14,

Leia mais

Assim como o diâmetro de um cano é função da quantidade de água que passa em seu interior, a bitola de um condutor depende da quantidade de elétrons

Assim como o diâmetro de um cano é função da quantidade de água que passa em seu interior, a bitola de um condutor depende da quantidade de elétrons Elétrica Quem compõe a instalação elétrica - quadro de luz - centro nervoso das instalações elétricas. Deve ser metálico ou de material incombustível, e nunca de madeira (na sua parte interna ou externa).

Leia mais

GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS

GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS Sumário 1. Introdução... 2 2. Início Portal Coordenador... 2 2.1. Novos Pedidos... 2 2.2. Pendências... 3 2.3. Menu... 4 2.4. Sair... 4 3. Saldo de Projetos... 5 4. Extrato

Leia mais

A MINHA CASA IDEAL TAMBEM É ECOLOGICA

A MINHA CASA IDEAL TAMBEM É ECOLOGICA A MINHA CASA IDEAL TAMBEM É ECOLOGICA Elaborado por: Tânia Fernandes E-mail: taniac2010@gmail.com Escola Eça De Queirós Turma S12 UFCD-6 18 de Abril de 2010 1 Cozinha Terraço 40 mp Área Total-144.90 m²

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Sumário: Tópico: Página: 2 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento

Leia mais

LEAN E A TEORIA DAS RESTRIÇÕES

LEAN E A TEORIA DAS RESTRIÇÕES Pós Graduação em Engenharia de Produção Ênfase na Produção Enxuta de Bens e Serviços (LEAN MANUFACTURING) LEAN E A TEORIA DAS RESTRIÇÕES Exercícios de Consolidação - gabarito - Prof. Eduardo G. M. Jardim,

Leia mais

GTDC. Monitor GTDC Web v 3.0

GTDC. Monitor GTDC Web v 3.0 GTDC Monitor GTDC Web v 3.0 Créditos Criação, Formatação e Revisão Documentação Colaboração Antonio Carlos Freire Rainho Fernando Hirata Marcelo Galhardo Marcos Lazarini Dados Técnicos Número de Revisões:

Leia mais

REGISTRO VISITA TÉCNICA COMISSÃO TEMÁTICA DE ATIVIDADES PRODUTIVAS PROJETO DA COOPERATIVA DE CORTE, COSTURA E ARTESANATO

REGISTRO VISITA TÉCNICA COMISSÃO TEMÁTICA DE ATIVIDADES PRODUTIVAS PROJETO DA COOPERATIVA DE CORTE, COSTURA E ARTESANATO REGISTRO VISITA TÉCNICA COMISSÃO TEMÁTICA DE ATIVIDADES PRODUTIVAS 1 PROJETO DA COOPERATIVA DE CORTE, COSTURA E ARTESANATO PROGRAMA ENERGIA SOCIAL PARA A SUSTENTABILIDADE LOCAL Perolândia - GO Data: 22/08/2012

Leia mais

Sistema de Eventos - Usuário

Sistema de Eventos - Usuário 2013 Sistema de Eventos - Usuário Coordenação de Tecnologia da Informação e Comunicação FUNDEPAG 06/06/2013 Sumário 1- Sistema de eventos... 3 1.1 Eventos... 3 1.2 Eventos que participo... 4 1.3 Trabalhos...

Leia mais

Sistema Integrado de Atendimento

Sistema Integrado de Atendimento Sistema Integrado de Atendimento Sistema Integrado de Atendimento. Um sistema moderno, completo e abrangente que modifica a realidade do atendimento de sua empresa, proporcionando maior segurança na tomada

Leia mais

Se A é o sucesso, então é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada. (Albert Einstein)

Se A é o sucesso, então é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada. (Albert Einstein) Escola Básica Integrada c/ Jardim de Infância da Malagueira Teste de Avaliação Matemática 9ºB Nome: Nº: Data: 4 3 11 Classificação: A prof: O Enc. Educação: Se A é o sucesso, então é igual a X mais Y mais

Leia mais

X-Trade Brokers Dom Maklerski S.A. XTB Expert Builder. Manual. Michał Zabielski, traduzido por Paulo Santos 2010-02-15

X-Trade Brokers Dom Maklerski S.A. XTB Expert Builder. Manual. Michał Zabielski, traduzido por Paulo Santos 2010-02-15 X-Trade Brokers Dom Maklerski S.A. XTB Expert Builder Manual Michał Zabielski, traduzido por Paulo Santos 2010-02-15 Índice Instalação... 2 Notificação legal... 5 Ajustes/Preferências iniciais... 6 Linguagem...

Leia mais

Se A é o sucesso, então é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada. (Albert Einstein)

Se A é o sucesso, então é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada. (Albert Einstein) Escola Básica Integrada c/ Jardim de Infância da Malagueira Teste de Avaliação Matemática 9ºB Nome: Nº: Data: 4 3 11 Classificação: A prof: O Enc. Educação: Se A é o sucesso, então é igual a X mais Y mais

Leia mais