Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des."

Transcrição

1 Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Rafael Godeiro Diretor da Revista: Des.ª Clotilde Madruga Diretor da Escola De Magistratura: Des. Amaury Moura Conselho de Magistratura: Desembargadores Osvaldo Cruz, Judite Nunes, Cristovam Praxedes, Armando Ferreira, Aécio Marinho e Célia Smith Primeira Câmara Cível: Desembargadores Vivaldo Pinheiro, Célia Smith e Expedito Ferreira Segunda Câmara Cível: Desembargadores Rafael Godeiro, Aderson Silvino e Cláudio Santos Terceira Câmara Cível: Desembargadores Aécio Marinho, Amaury Moura e João Rebouças Câmara Criminal: Desembargadores Caio Alencar, Armando Ferreira, Judite Nunes e Clotilde Madruga Procurador de Justiça: Doutor José Augusto de Souza Peres Filho

2 Presidência AVISO Nos termos do art. 544 do Código de Processo Civil, encontra(m)-se à disposição do(s) RECORRIDO(S), na Secretaria Judiciária do Tribunal de Justiça, pelo prazo de 10 (DEZ) dias, para apresentar(em) as contra-razões, querendo, o(s) seguinte(s) processo(s): Agravo de Instrumento No Recurso Especial Em Apelação Cível Nº / Agravante : Estado do Rio Grande do Norte Procuradora : Dra. Ana Cláudia Bulhões Porpino de Macedo (5677/RN) Agravados : Arnóbio Fonseca Júnior e outro Advogados : Drs. Raulino Sales Sobrinho (1873/RN) e outros Agravo de Instrumento No Recurso Especial Em Apelação Cível Nº / Agravante : Stephan Barisic Júnior Advogados : Drs. Humberto Henrique Costa Fernandes do Rego (4237/RN) e outro Agravado : COSERN - Companhia Energética do Rio Grande do Norte Advogados : Drs. Éverson Cleber de Souza (4241/RN) e outros Agravo de Instrumento No Recurso Extraordinário Em Apelação Cível Nº / Agravante : Stephan Barisic Júnior Advogados : Drs. Humberto Henrique Costa Fernandes do Rego (4237/RN) e outro Agravado : COSERN - Companhia Energética do Rio Grande do Norte Advogados : Drs. Éverson Cleber de Souza (4241/RN) e outros Secretaria Judiciária do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Natal, 30 de janeiro de SAMARONE FERREIRA DE SOUZA E SILVA Secretário Judiciário DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 2

3 Secretaria - Judiciária PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA JUDICIÁRIA AVISO Nos termos do despacho proferido no rosto da petição, encontra-se à disposição do Advogado MARCELO PAGNAN ESCUDERO OAB/RN 629-A, pelo prazo de 05 (cinco) dias, para, querendo, ter vista do seguinte processo: Reclamação nº Tribunal/RN Reclamante: Dione Ana Maria de Macedo Reclamado: Raimundo Nonato Reis e Silva Secretaria Judiciária do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte. Natal, 30 de janeiro de DIOGO FERNANDES CUNHA Secretário Judiciário em substituição legal DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 3

4 Departamento - Documentação Judiciária / Secretaria - Judiciária SECRETARIA JUDICIÁRIA De acordo com o Art. 506, III, do CPC, e Art. 171, 1º do Regimento Interno desta Corte, faço publicar o acórdão abaixo lido e aprovado em Sessão Ordinária e/ou Extraordinária do Egrégio Tribunal de Justiça: *RECURSO EM SENTIDO ESTRITO N.º ª VARA CRIMINAL - NATAL/RN. Recorrente: Ministério Público Estadual. Recorrido: Genival de Almeida Alencar. Advogada:Dra. Kátia Maria Lobo Nunes. Relatora: Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Quarta Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. *Republicado por incorreção da publicação feita na Edição do Diário da Justiça Eletrônico do dia 29/01/2008. Departamento de Documentação da Secretaria do Tribunal de Justiça, em Natal, 30 de janeiro de EDUARDO CRUZ REVORÊDO MARQUES Diretor Substituto DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 4

5 Departamento - Documentação Judiciária / Secretaria - Judiciária SECRETARIA JUDICIÁRIA De acordo com o Art. 506, III, do CPC, e Art. 171, 1º do Regimento Interno desta Corte, faço publicar o acórdão abaixo lido e aprovado em Sessão Ordinária e/ou Extraordinária do Egrégio Tribunal de Justiça: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM MANDADO DE SEGURANÇA N / Embargante: Estado do Rio Grande do Norte. Procuradora: Marjorie Alecrim Câmara de Oliveira. Embargada: Linderplastic Indústria e Comércio Ltda. Adv: Lailson Emanuel Ramalho de Figueiredo e outros. Relatora: Desembargadora Célia Smith. EMENTA: PROCESSUAL CIVIL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO VISANDO A REAPRECIAÇÃO DO JULGADO E O PREQUESTIONAMENTO DE MATÉRIAS CONSTITUCIONAL E INFRACONSTITUCIONAL APONTADAS PELO EMBARGANTE. INEXISTÊNCIA DOS VÍCIOS ELENCADOS NO ARTIGO 535 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. IMPOSSIBILIDADE DE REEXAME DA CAUSA. DESNECESSIDADE DE MENÇÃO EXPRESSA A DISPOSITIVOS SUPOSTAMENTE VIOLADOS. EMBARGOS DECLARATÓRIOS CONHECIDOS E REJEITADOS. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, em Sessão Plenária, à unanimidade de votos, rejeitar os embargos de declaração, nos termos do voto da Relatora que integra este acórdão. Departamento de Documentação da Secretaria do Tribunal de Justiça, em Natal, 30 de janeiro de EDUARDO CRUZ REVORÊDO MARQUES Diretor Substituto DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 5

6 Departamento - Documentação Judiciária / Secretaria - Judiciária SECRETARIA JUDICIÁRIA De acordo com o Art. 506, III, do CPC, e Art. 171, 1º do Regimento Interno desta Corte, faço publicar o acórdão abaixo lido e aprovado em Sessão Ordinária e/ou Extraordinária do Egrégio Tribunal de Justiça: APELAÇÃO CÍVEL N Origem: 15ª Vara Cível da Comarca de Natal/RN. Apte/apdo: Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ). Adv: Dr. Eurilo Ferreira da Rocha Neto. Apte/Apdas: Gisélia Costa Figueiredo e outros. Adv: Dr. Raimundo Nonato de Lima. Relator: Desembargador Vivaldo Pinheiro. EMENTA: CIVIL. PROCESSO CIVIL. APELAÇÃO CIVIL (PREVI). JUÍZO DE ADMISSIBILIDADE NEGATIVO. DESERÇÃO. APELAÇÃO CIVIL (GISÉLIA COSTA FIGUEIREDO E OUTROS). JUÍZO DE ADMISSIBILIDADE POSITIVO. JUROS ESTATUTÁRIOS. NÃO SUBSUNÇÃO A JUROS LEGAIS. AUSÊNCIA DE CARACTERIZAÇÃO DE PEDIDO IMPLÍCITO. PRECEDENTES. RECURSO INTERPOSTO PELA PREVI. NÃO CONHECIDO. APELO OFERTADO PELOS LITISCONSORTES. CONHECIDO E IMPROVIDO. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a 1ª Câmara Cível deste Egrégio Tribunal de Justiça, por maioria de votos, em não conhecer do recurso ofertado pela Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), vencido neste tópico o Desembargador Rafael Godeiro, bem como conhecer e negar provimento à apelação ofertada por Gisélia Costa Figueiredo e outros, nos termos do voto do relator, parte integrante deste acórdão. Departamento de Documentação da Secretaria do Tribunal de Justiça, em Natal, 30 de janeiro de EDUARDO CRUZ REVORÊDO MARQUES Diretor Substituto DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 6

7 Departamento - Documentação Judiciária / Secretaria - Judiciária SECRETARIA JUDICIÁRIA De acordo com o Art. 506, III, do CPC, e Art. 171, 1º do Regimento Interno desta Corte, faço publicar o acórdão abaixo lido e aprovado em Sessão Ordinária e/ou Extraordinária do Egrégio Tribunal de Justiça: MANDADO DE SEGURANÇA COM LIMINAR N Impetrante: A. Azevedo da Silva. Adv: José Paulo Queiroz. Impetrado: Secretário do Trabalho, da Habitação e Assistência Social. Relatora: Desembargadora Clotilde Madruga Alves Pinheiro. EMENTA: PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO. MANDADO DE SEGURANÇA. LICITAÇÃO. MODALIDADE PREGÃO. PRELIMINAR SUSCITADA PELO MINISTÉRIO PÚBLICO. PERDA SUPERVENIENTE DO OBJETO PELA CONCLUSÃO DO CERTAME E HOMOLOGAÇÃO DO RESULTADO. ACOLHIMENTO. EXTINÇÃO DO PROCESSO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO, NOS TERMOS DO ARTIGO 267, INCISO VI, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram o Tribunal Pleno deste Egrégia Corte de Justiça, à unanimidade de votos, em consonância com o Parecer Ministerial, em acolher a preliminar de falta de interesse processual suscitada pela Procuradoria Geral de Justiça e, por conseguinte, julgar extinto o processo sem resolução do mérito, por ausência superveniente de interesse processual, com esteio no inciso VI, do artigo 267, do Código de Processo Civil, nos termos do voto da Relatora, que passa a fazer parte integrante deste. Departamento de Documentação da Secretaria do Tribunal de Justiça, em Natal, 30 de janeiro de EDUARDO CRUZ REVORÊDO MARQUES Diretor Substituto DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 7

8 Departamento - Documentação Judiciária / Secretaria - Judiciária SECRETARIA JUDICIÁRIA De acordo com o Art. 506, III, do CPC, e Art. 171, 1º do Regimento Interno desta Corte, faço publicar o acórdão abaixo lido e aprovado em Sessão Ordinária e/ou Extraordinária do Egrégio Tribunal de Justiça: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM APELAÇÃO CÍVEL N / Origem: 7ª Vara Cível da Comarca de Natal/RN. Embargante: Arteleste Construções Ltda e Tucumann Engenharia e Empreendimentos Ltda. Adv: Luiz Daniel Felipe e outros. Embargado: Companhia Docas do Rio Grande do Norte - CODERN Adv: Karen Vasconcelos dos Santos Lima e outros. Relator: Juiz Ricardo Tinôco de Góes (Convocado). EMENTA: PROCESSUAL CIVIL. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. ALEGAÇÃO DE OMISSÃO, CONTRADIÇÃO E OBSCURIDADE NO ACÓRDÃO. INEXISTÊNCIA. IMPOSSIBILIDADE DE REDISCUTIR MATÉRIAS JÁ ANALISADAS. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO CONHECIDOS E REJEITADOS. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a 3ª Câmara Cível deste Egrégio Tribunal de Justiça, em Turma, à unanimidade de votos, em conhecer e rejeitar os Embargos de Declaração, nos termos do voto do Relator, que passa a fazer parte integrante deste. Departamento de Documentação da Secretaria do Tribunal de Justiça, em Natal, 30 de janeiro de EDUARDO CRUZ REVORÊDO MARQUES Diretor Substituto DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 8

9 Departamento - Documentação Judiciária / Secretaria - Judiciária SECRETARIA JUDICIÁRIA De acordo com o Art. 506, III, do CPC, e Art. 171, 1º do Regimento Interno desta Corte, faço publicar os acórdãos abaixo lidos e aprovados em Sessões Ordinárias e/ou Extraordinárias do Egrégio Tribunal de Justiça: Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : André Rodrigues de Lima Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Marcondes Gonçalves de Oliveira Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Alexsandro Silva Ribeiro Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Sávio Plynio Cardoso Pereira Parreira Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 9

10 Departamento - Documentação Judiciária / Secretaria - Judiciária DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Ruanito Ruan Robson Barbosa de Souza Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Gutemberg da Silva Alves Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Eric Calixto da Silva Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 10

11 Departamento - Documentação Judiciária / Secretaria - Judiciária Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Rutemberg Kleto da Silva Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Lindomar Lopes de Macedo Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Lúcio Mário do Nascimento Costa Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Erenilson Costa Silva Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 11

12 Departamento - Documentação Judiciária / Secretaria - Judiciária hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Jorge Luiz Eloia Souza Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Swesley Ricardo Araújo Pereira Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Everaldo Cândido Pereira Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Erivaldo Silva da Costa Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 12

13 Departamento - Documentação Judiciária / Secretaria - Judiciária ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Carlos Alberto do Nascimento Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Otávio Florêncio de Medeiros Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Makson André de Souza Costa Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 13

14 Departamento - Documentação Judiciária / Secretaria - Judiciária Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Ednaldo da Silva Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Departamento de Documentação da Secretaria do Tribunal de Justiça, em Natal, 30 de janeiro de EDUARDO CRUZ REVORÊDO MARQUES. Diretor Substituto Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente : Ministério Público Estadual Recorrido : Ivamar Francisco do Nascimento Advogada : Dra. Kátia Maria Lobo Nunes Relatora : Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe. 4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 14

15 Departamento - Documentação Judiciária / Secretaria - Judiciária SECRETARIA JUDICIÁRIA De acordo com o Art. 506, III, do CPC, e Art. 171, 1º do Regimento Interno desta Corte, faço publicar os acórdãos abaixo lidos e aprovados em Sessões Ordinárias e/ou Extraordinárias do Egrégio Tribunal de Justiça: Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente: Ministério Público Estadual. Recorrido: Idalmir Faustino Costa Júnior. Advogada: Dra. Kátia Maria Lobo Nunes. Relatora: Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO.1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe.4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente: Ministério Público Estadual. Recorrido: Mário Sérgio da Silva. Advogada: Dra. Kátia Maria Lobo Nunes. Relatora: Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO.1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe.4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente: Ministério Público Estadual. Recorrido: Fabiano Augusto da Silva. Advogada: Dra. Kátia Maria Lobo Nunes. Relatora: Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO.1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da corporação, sem licença, por prazo superior a oito dias, prescindido, assim, da existência de dolo específico. 2. Inexiste amparo legal a sustentar a aplicação da prescrição antecipada, baseada em sentença condenatória hipotética e em pena virtualmente aplicada. 3. Presentes os requisitos do art. 77 do Código de Processo Penal Militar e não configurada nenhuma das hipóteses do seu art. 78, o recebimento da denúncia é medida que se impõe.4. Recurso provido. CONCLUSÃO: ACORDAM os Desembargadores que integram a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, em Turma, à unanimidade de votos, em consonância com o parecer da Terceira Procuradora de Justiça, conhecer e dar provimento ao recurso para reformar a decisão impugnada e, em conseqüência, receber a denúncia formulada em desfavor do recorrido. Recurso em Sentido Estrito n.º ª Vara Criminal - Natal/RN. Recorrente: Ministério Público Estadual. Recorrido: Carlos Francisco da Silva Filho. Advogada: Dra. Kátia Maria Lobo Nunes. Relatora: Juíza Martha Danyelle (Convocada). EMENTA: PROCESSUAL PENAL E PENAL. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. REJEIÇÃO DA DENÚNCIA. CRIME MILITAR DE DESERÇÃO. DELITO FORMAL QUE SE CONFIGURA COM A AUSÊNCIA DO MILITAR DA SUA CORPORAÇÃO, SEM LICENÇA, POR MAIS DE OITO DIAS. INEXIGÊNCIA DE DOLO ESPECÍFICO. TIPICIDADE DA CONDUTA NARRADA NA PEÇA ACUSATÓRIA. PRESCRIÇÃO VIRTUAL. INEXISTÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. INAPLICABILIDADE. REFORMA DA DECISÃO. PROVIMENTO DO RECURSO. 1. O delito de deserção, por se tratar de crime formal, configura-se pela mera conduta do militar em se ausentar da DJe Ano 1 - Edição 60 - p. 15

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des.

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Rafael Godeiro Diretor da Revista: Des.ª Clotilde Madruga

Leia mais

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des.

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Rafael Godeiro Diretor da Revista: Des.ª Clotilde Madruga Diretor da Escola

Leia mais

Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Desª. Célia Smith Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da

Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Desª. Célia Smith Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Desª. Célia Smith Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da Escola De Magistratura: Des. Osvaldo Cruz Conselho de Magistratura:

Leia mais

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des.

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Rafael Godeiro Diretor da Revista: Des.ª Clotilde Madruga

Leia mais

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des.

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Rafael Godeiro Diretor da Revista: Des.ª Clotilde Madruga

Leia mais

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Primeira Câmara Criminal

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Primeira Câmara Criminal Juízo de origem: 37ª Vara Criminal da Comarca da Capital Embargante: Pither Honorio Gomes Advogado: Defensoria Pública Embargado: Ministério Público Presidente: Marcus Henrique Pinto Basílio Relatora:

Leia mais

PAUTA DE JULGAMENTO Nº. 27 27ª SESSÃO ORDINÁRIA

PAUTA DE JULGAMENTO Nº. 27 27ª SESSÃO ORDINÁRIA PAUTA ORDINÁRIA Nº 27/2013 1ª CÂMARA CRIMINAL PAUTA DE JULGAMENTO Nº. 27 27ª SESSÃO ORDINÁRIA Data: 23/7/2013 Publicada(s) no(s) D.J(s). dia (s): 2, 9 E 16/7/13. Desembargadora JACQUELINE ADORNO Presidente.

Leia mais

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des.

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Rafael Godeiro Diretor da Escola De Magistratura: Des.

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho \,, *.. _ ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL n g- 001.2005.017735-9/001 Comarca de Campina Grande RELATOR : Des. Genésio

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS APELAÇÃO CÍVEL Nº 466770/PE (2008.83.00.003630-3) APTE : UNIÃO APDO : MARCELO FERNANDES PIRES DOS SANTOS ADV/PROC : CAMILA AMBLARD ORIGEM: 2ª VARA FEDERAL DE PERNAMBUCO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.371.922 - SP (2013/0060257-8) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO PROCURADOR : DENISE FERREIRA DE OLIVEIRA CHEID E OUTRO(S) AGRAVADO

Leia mais

Jurisprudê ncias das Turmas Rêcursais do RN 2014

Jurisprudê ncias das Turmas Rêcursais do RN 2014 Jurisprudê ncias das Turmas Rêcursais do RN 2014 Turismo Sumário 1ª Turma Recursal... 1 2ª Turma Recursal... 2 3ª Turma Recursal... 4 1ª Turma Rêcursal RECURSO CÍVEL VIRTUAL Nº 0021501-58.2012.820.0001

Leia mais

A NOMEAÇÃO DE PARENTE PARA CARGO DE SECRETÁRIO CONFIGURA NEPOTISMO PROIBIDO PELA SÚMULA VINCULANTE Nº 13, DO E. SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL?

A NOMEAÇÃO DE PARENTE PARA CARGO DE SECRETÁRIO CONFIGURA NEPOTISMO PROIBIDO PELA SÚMULA VINCULANTE Nº 13, DO E. SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL? A NOMEAÇÃO DE PARENTE PARA CARGO DE SECRETÁRIO CONFIGURA NEPOTISMO PROIBIDO PELA SÚMULA VINCULANTE Nº 13, DO E. SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL? Gina Copola (agosto de 2.013) 1 I O tema relativo ao nepotismo

Leia mais

Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Des. Amaury Moura Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da

Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Des. Amaury Moura Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Des. Amaury Moura Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da Escola De Magistratura: Des. Osvaldo Cruz Conselho de Magistratura:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 809.962 - RS (2006/0007992-0) RELATOR : MINISTRO LUIZ FUX RECORRENTE : COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO - CORSAN ADVOGADO : OSVALDO ANSELMO REGINATO E OUTROS RECORRIDO : JARBAS

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal AGRAVO DE INSTRUMENTO 822.386 SÃO PAULO RELATOR : MIN. LUIZ FUX AGTE.(S) :CONSLADEL - CONSTRUTORA E LAÇOS DETETORES E ELETRÔNICA LTDA E OUTRO(A/S) ADV.(A/S) :LEONARDO GUERZONI FURTADO DE OLIVEIRA E OUTRO(A/S)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATORA : MINISTRA ELIANA CALMON EMENTA TRIBUTÁRIO IMPOSTO DE RENDA SOBRE VERBAS INDENIZATÓRIAS TRÂNSITO EM JULGADO FAVORÁVEL AO CONTRIBUINTE LEVANTAMENTO DE DEPÓSITO POSSIBILIDADE. 1. Reconhecida, por

Leia mais

: DES. FEDERAL VLADIMIR SOUZA CARVALHO - 2ª TURMA

: DES. FEDERAL VLADIMIR SOUZA CARVALHO - 2ª TURMA Tribunal Regional Federal da 5ª Região PJe-AGRAVO DE INSTRUMENTO 0800442-29.2015.4.05.0000 AGRAVANTE (Relatório) O desembargador federal Vladimir Souza Carvalho: Cuida-se de agravo de instrumento interposto

Leia mais

Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Des. Amaury Moura Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da

Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Des. Amaury Moura Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Des. Amaury Moura Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da Escola De Magistratura: Des. Osvaldo Cruz Conselho de Magistratura:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 35.825 - MG (2011/0218191-2) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : BIANCA REIS DE SOUZA E OUTROS ADVOGADO : ALICE NETO F DE ALMEIDA E OUTRO(S) AGRAVADO

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 739.747 MINAS GERAIS RELATORA RECTE.(S) ADV.(A/S) RECDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :NET BELO HORIZONTE LTDA : MARLYTON SANTIAGO DUTRA E OUTRO(A/S) :JOAO BATISTA

Leia mais

Nº 70033564584 COMARCA DE SANTO ÂNGELO CENILDO FERREIRA MARTINS R E L ATÓRIO

Nº 70033564584 COMARCA DE SANTO ÂNGELO CENILDO FERREIRA MARTINS R E L ATÓRIO AGRAVO DE INSTRUMENTO. SEGURO DPVAT. INCLUSÃO DA SEGURADORA LÍDER NO POLO PASSIVO. IMPOSSIBILIDADE. A escolha da seguradora contra quem vai litigar a vítima ou beneficiário do seguro DPVAT pertence a ela

Leia mais

336 TRIBUNAL DE JUSTIÇA

336 TRIBUNAL DE JUSTIÇA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO DE JANEIRO 2ª CÂMARA CRIMINAL AGRAVO Nº 0009049-46.2012.8.19.0000 AGRAVANTE: MINISTÉRIO PÚBLICO AGRAVADO: RAFAEL BEZERRA LEANDRO RELATORA: DES. KATIA MARIA AMARAL JANGUTTA AGRAVO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.045.616 - DF (2008/0069652-2) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADA : MINISTRO ALDIR PASSARINHO JUNIOR : NEUZA JOSE RIBEIRO : MARCOS ATAIDE CAVALCANTE E OUTRO(S) : BRB CLUBE

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECURSO EXTRAORDINÁRIO 684.952 SANTA CATARINA RELATORA RECTE.(S) ADV.(A/S) RECDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :ADMINISTRADORA DE BENS PORTOGALLO LTDA E OUTRO(A/S) : DANIELA GUEDES DE BASSI E OUTRO(A/S)

Leia mais

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des.

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Rafael Godeiro Diretor da Revista: Des.ª Clotilde Madruga

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS TRIBUNAL DE JUSTIÇA Secretaria da 2ª Câmara Criminal

ESTADO DO TOCANTINS TRIBUNAL DE JUSTIÇA Secretaria da 2ª Câmara Criminal PAUTA ORDINÁRIA Nº 26/2009 Serão julgados pela 2ª CÂMARA CRIMINAL do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins na 26ª SESSÃO ORDINÁRIA JUDICIAL, aos 28 (vinte e oito) dias do mês de julho (7)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 908.764 - MG (2006/0268169-1) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : MUNICÍPIO DE SANTA LUZIA ADVOGADO : JOSÉ RUBENS COSTA E OUTRO(S) RECORRIDO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.353.891 - RJ (2012/0109074-7) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI RECORRENTE : FUNDAÇÃO REDE FERROVIÁRIA DE SEGURIDADE SOCIAL - REFER ADVOGADO : ANDRÉA PICCOLO BRANDÃO E OUTRO(S) RECORRIDO

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )1( oãdróca atneme537454 ER 18/10/2005 SEGUNDA TURMA RELATORA RECORRENTE(S) : MIN. ELLEN GRACIE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL (RECURSO CRIMINAL Nº 3454) CONSTITUCIONAL. PROCESSSUAL PENAL. COMPETÊNCIA DA

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE GABINETE DA PRESIDÊNCIA SECRETARIA GERAL RESOLUÇÃO Nº 006/2004-TJ CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE GABINETE DA PRESIDÊNCIA SECRETARIA GERAL RESOLUÇÃO Nº 006/2004-TJ CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE GABINETE DA PRESIDÊNCIA SECRETARIA GERAL RESOLUÇÃO Nº 006/2004-TJ Dispõe sobre concurso de ingresso e de remoção nos Serviços Notariais e de Registro,

Leia mais

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des.

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Rafael Godeiro Diretor da Revista: Des.ª Clotilde Madruga

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR RECLAMANTE RECLAMADO INTERES. RECLAMAÇÃO Nº 5.979 - PE (2011/0116312-3) : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES : COMPANHIA ENERGÉTICA DE PERNAMBUCO - CELPE : FLÁVIO QUEIROZ BEZERRA CAVALCANTI E OUTRO(S)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.072.988 - MG (2008/0153048-9) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI RECORRENTE : CATALÃO VEÍCULOS LTDA ADVOGADO : ANALUCIA COUTINHO MALTA E OUTRO(S) RECORRIDO : CLEUZA MARIA BORGES ADVOGADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.453.802 - SP (2014/0109774-1) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ AGRAVANTE : ROSEMEIRE CARFARO AGRAVADO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO EMENTA AGRAVO REGIMENTAL.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.153.218 - SP (2009/0135019-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI EMENTA PROCESSO CIVIL. REPRESENTAÇÃO PROCESSUAL. CÓPIA DE PROCURAÇÃO. INSTRUMENTO PÚBLICO. PRESUNÇÃO DE VALIDADE.

Leia mais

PAUTA DE JULGAMENTO Nº. 44 44ª SESSÃO ORDINÁRIA

PAUTA DE JULGAMENTO Nº. 44 44ª SESSÃO ORDINÁRIA PAUTA ORDINÁRIA Nº 44/2011 1ª CÂMARA CRIMINAL PAUTA DE JULGAMENTO Nº. 44 44ª SESSÃO ORDINÁRIA Data: 6/12/2011 Publicada(s) no(s) D.J(s). de 18/10, 14/11 e 29/11/2011 Desembargador DANIEL NEGRY Presidente

Leia mais

2ª FASE OAB CIVIL Direito Processual Civil Prof. Renato Montans Aula online. EMBARGOS INFRINGENTES (Art. 530 534 do CPC)

2ª FASE OAB CIVIL Direito Processual Civil Prof. Renato Montans Aula online. EMBARGOS INFRINGENTES (Art. 530 534 do CPC) 2ª FASE OAB CIVIL Direito Processual Civil Prof. Renato Montans Aula online EMBARGOS INFRINGENTES (Art. 530 534 do CPC) Cabe de acórdão não unânime por 2x1 3 modalidades: a) Julgamento da apelação b) Julgamento

Leia mais

ACÓRDÃO 0000035-95.2015.5.04.0551 RO Fl. 1. DESEMBARGADORA MARIA MADALENA TELESCA Órgão Julgador: 3ª Turma

ACÓRDÃO 0000035-95.2015.5.04.0551 RO Fl. 1. DESEMBARGADORA MARIA MADALENA TELESCA Órgão Julgador: 3ª Turma 0000035-95.2015.5.04.0551 RO Fl. 1 DESEMBARGADORA MARIA MADALENA TELESCA Órgão Julgador: 3ª Turma Recorrente: Recorrente: Recorrido: Origem: Prolator da Sentença: NASCIMENTO CEZAR FREITAS - Adv. Vanessa

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATÓRIO O EXMO. SR. MINISTRO RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA (Relator): Trata-se de recurso especial interposto contra acórdão proferido pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo assim ementado: "Exceção

Leia mais

: MIN. GILMAR MENDES SÃO PAULO

: MIN. GILMAR MENDES SÃO PAULO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 680.724 SÃO PAULO RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) RECDO.(A/S) PROC.(A/S)(ES) ASSIST.(S) ASSIST.(S) ADV.(A/S) : MIN. GILMAR MENDES :LINO INÁCIO DE SOUZA : LUIZ GONZAGA DE CARVALHO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.279.941 - MT (2011/0167277-9) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES RECORRENTE : ESTADO DE MATO GROSSO PROCURADOR : PATRYCK DE ARAUJO AYALA E OUTRO(S) RECORRIDO : VALDECIR AUGUSTO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 300.953 - SP (2013/0046349-0) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI : PAULO ALVES ESTEVES SALO KIBRIT EMENTA AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. ALIMENTOS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 673.231 - SP (2004/0111102-8) RELATOR : MINISTRO HAMILTON CARVALHIDO RECORRENTE : OCTET BRASIL LTDA ADVOGADO : CARLOS HENRIQUE SPESSOTO PERSOLI E OUTROS RECORRIDO : JONH GEORGE DE CARLE

Leia mais

R E L A T Ó R I O RELATEI.

R E L A T Ó R I O RELATEI. R E L A T Ó R I O O Desembargador Federal JOSÉ MARIA LUCENA (Relator): Trata-se de apelação da sentença que CONCEDOU A SEGURANÇA pleiteada, para que a autoridade coatora tome as providências necessárias

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA ACÓRDÃO ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA AGRAVO INTERNO NO AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 073.2010.000820-7/001. ORIGEM : 4' Vara Mista da

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto . Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto o ACÓRDÃO EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N 001.2008.012917-21001 RELATOR : Desembargador José Ricardo Porto,

Leia mais

Desembargador JOSÉ DIVINO DE OLIVEIRA Acórdão Nº 373.518 E M E N T A

Desembargador JOSÉ DIVINO DE OLIVEIRA Acórdão Nº 373.518 E M E N T A Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 6ª Turma Cível Processo N. Agravo de Instrumento 20090020080840AGI Agravante(s) POLIMPORT COMÉRCIO E EXPORTAÇÃO

Leia mais

Jurisprudê ncias das Turmas Rêcursais do RN 2014

Jurisprudê ncias das Turmas Rêcursais do RN 2014 Jurisprudê ncias das Turmas Rêcursais do RN 2014 TV por Assinatura Sumário 1ª Turma Recursal... 1 2ª Turma Recursal... 2 3ª Turma Recursal... 7 1ª Turma Rêcursal RECURSO CÍVEL VIRTUAL Nº 0015356-20.2011.820.0001

Leia mais

Processo no. 075.2011.004.898-2/001. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO - -.. TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Desembargador N[:alr.

Processo no. 075.2011.004.898-2/001. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO - -.. TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Desembargador N[:alr. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO - -.. TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Desembargador N[:alr.`,}klilmid - 14k:Mnu Marcos Cavalcanti de Albuquerque ACÓRDÃO Apelação Clive] - no. 075.2011.004.898-2/001

Leia mais

DIRETORIA JUDICIÁRIA SECRETARIA DA 1ª CÂMARA CRIMINAL PAUTA DE JULGAMENTO Nº 23

DIRETORIA JUDICIÁRIA SECRETARIA DA 1ª CÂMARA CRIMINAL PAUTA DE JULGAMENTO Nº 23 DIRETORIA JUDICIÁRIA SECRETARIA DA 1ª CÂMARA CRIMINAL PAUTA DE JULGAMENTO Nº 23 De ordem do Excelentíssimo Senhor Desembargador LUIZ GADOTTI, Presidente da 1ª Câmara Criminal, faço público a todos os interessados

Leia mais

APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO Nº 5017968-34.2014.4.04.7205/SC

APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO Nº 5017968-34.2014.4.04.7205/SC APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO Nº 5017968-34.2014.4.04.7205/SC RELATORA : Des. Federal VIVIAN JOSETE PANTALEÃO CAMINHA APELANTE : UNIÃO - ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO APELADO : AUTORA ADVOGADO : FABIANE ELOISA

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão DJe 14/08/2012 Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 6 26/06/2012 SEGUNDA TURMA AG.REG. NO AGRAVO DE INSTRUMENTO 837.350 SÃO PAULO RELATOR : MIN. JOAQUIM BARBOSA AGTE.(S) :DIVICOM ADMINISTRADORA

Leia mais

As Fazendas Públicas Municipal, Federal e Estadual fora

As Fazendas Públicas Municipal, Federal e Estadual fora o 4 ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2005.069002-9/001 REMETENTE : Juizo de Direito da 14a Vara Cível

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 206.770 - RS (2012/0152556-0) RELATOR : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES EMENTA PROCESSUAL E TRIBUTÁRIO. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. CITAÇÃO POR EDITAL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro MANDADO DE SEGURANÇA (TURMA) (MSTR) Nº 103144/SE (0000385-44.2015.4.05.0000) IMPTTE : FERNANDO LIMA COSTA ADV/PROC : PAULO ROBERTO NERY NASCIMENTO E OUTROS IMPTDO : JUÍZO DA 6ª VARA FEDERAL DE SERGIPE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.434.491 - MG (2012/0121695-4) RELATOR : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO RECORRENTE : LAPA INCORPORAÇÕES EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS E SERVIÇOS S/A ADVOGADO : RAIMUNDO FREITAS

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR APELAÇÃO Nº: 0284066-04.2012.8.19.0001 APELANTE 1: DEPIL LASER CENTRO AVANÇADO DE DEPILAÇÃO A LASER LTDA. APELANTE 2: PAULA FORTES SANCHES (RECURSO ADESIVO) APELADOS: OS MESMOS RELATORA: DES. SANDRA SANTARÉM

Leia mais

COMISSÃO DO CONCURSO DECISÃO

COMISSÃO DO CONCURSO DECISÃO Processo nº 2014.001296 DECISÃO O Candidato, Dr. PEDRO ALVES DE SOUSA, inscrito no LIII Concurso Público para Outorga de Delegações para as Atividades Notariais e/ou de Registro, na condição de candidato

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Acórdão 1a Turma PODER JUDICIÁRIO FEDERAL RECURSO ORDINÁRIO. CERCEAMENTO DE DEFESA. NULIDADE. Quando o juiz determina a produção de determinada prova, imperativo é que as partes, em seu dever de contribuir

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OITAVA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OITAVA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OITAVA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 0003191-75.2005.8.19.0001 APELANTES : NUMA - NÚCLEO DE CULTURA E MEIO AMBIENTE E MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO APELADOS

Leia mais

DECISÕES ATUAIS CONTRA O EXAME DE SUFICIÊNCIA DO CFC, EM DETERMINADOS CASOS (2013)

DECISÕES ATUAIS CONTRA O EXAME DE SUFICIÊNCIA DO CFC, EM DETERMINADOS CASOS (2013) DECISÕES ATUAIS CONTRA O EXAME DE SUFICIÊNCIA DO CFC, EM DETERMINADOS CASOS (2013) CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO. CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE. REATIVAÇÃO DE REGISTRO. EXAME DE SUFICIÊNCIA. RESOLUÇÃO

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 821.162 RIO DE JANEIRO RELATOR RECTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. LUIZ FUX :MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO :PROCURADOR-GERAL DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOSÉ RICARDO PORTO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOSÉ RICARDO PORTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOSÉ RICARDO PORTO ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 200.2011.020903-4/001 - CAPITAL. Relator :Des. José Ricardo Porto.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 919.527 - SP (2007/0014498-9) RELATOR : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES AGRAVANTE : FAZENDA NACIONAL REPDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS AGRAVADO : TRANS-TERRALHEIRO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO MACHADO CORDEIRO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO MACHADO CORDEIRO ACR 12760 AL (0007902-40.2007.4.05.8000) APTE : JOSEVAL REIS LIMA REPTE : DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : JUÍZO FEDERAL DA 4ª VARA AL (SENTENCIANTE: DR. SÉRGIO DE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.133.986 - RS (2009/0133788-0) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO JORGE MUSSI : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL : WILER DA LUZ DOS REIS : LÉA BRITO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO Apelação Cível nq 200.2010.016054-4/001 Origem : 6 2 Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital Relatora : Juíza de Direito Convocada

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.191.881 - RJ (2010/0080549-7) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES RECORRENTE : RECOMEX REPRESENTAÇÃO E COMÉRCIO EXTERIOR LTDA ADVOGADO : ALBERTO DAUDT DE OLIVEIRA E OUTRO(S)

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO APELAÇÃO CÍVEL Nº 553789/CE (0004204-41.2012.4.05.8100) APTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL APDO : FACULDADE CATÓLICA DE FORTALEZA - FCF E OUTRO ADV/PROC : CARMEN ANDREIA PEIXOTO GURGEL ORIGEM : 4ª VARA

Leia mais

RELATÓRIO. Apelação Cível nº 1250429-5 fl. 2

RELATÓRIO. Apelação Cível nº 1250429-5 fl. 2 APELAÇÃO CÍVEL Nº 1250429-5, DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE LONDRINA 2ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA, FALÊNCIAS E RECUPERAÇÃO JUDICIAL. Apelante 1: MARIA NASCIMENTO DE GOUVEIA E OUTROS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no MANDADO DE SEGURANÇA Nº 14.450 - DF (2009/0121835-8) RELATOR : MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA AGRAVANTE : VERA LÚCIA DE ARAÚJO COSTA ADVOGADO : PEDRO ULISSES COELHO TEIXEIRA AGRAVADO : MINISTRO

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão DJe 23/05/2012 Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 6 24/04/2012 SEGUNDA TURMA HABEAS CORPUS 106.942 GOIÁS RELATOR PACTE.(S) IMPTE.(S) COATOR(A/S)(ES) : MIN. JOAQUIM BARBOSA :SUPERIOR

Leia mais

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº 10985/2009 - CLASSE CNJ - 198 - COMARCA DE POXORÉO

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº 10985/2009 - CLASSE CNJ - 198 - COMARCA DE POXORÉO APELANTE: APELADO: FERTIPAR BANDEIRANTES LTDA. OFICIAL DO SERVIÇO DE REGISTRO DE IMÓVEIS, TÍTULOS E DOCUMENTOS DA COMARCA DE POXORÉO Número do Protocolo: 10985/2009 Data de Julgamento: 29-6-2009 EMENTA

Leia mais

Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Des. Amaury Moura Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da

Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Des. Amaury Moura Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Des. Amaury Moura Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da Escola De Magistratura: Des. Osvaldo Cruz Conselho de Magistratura:

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Registro: 2012.0000062539 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo Regimental nº 0294279-14.2011.8.26.0000/50000, da Comarca de São Bernardo do Campo, em que são agravantes IVONICE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.409.688 - SP (2013/0336707-5) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL ADVOGADO : PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL RECORRIDO : EDS ELECTRONIC DATA SYSTEMS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 112.956 - MS (2010/0125033-8) AGRAVANTE : APARECIDA CALVIS AGRAVADO : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF ADVOGADO : CLEONICE JOSÉ DA SILVA HERCULANO E OUTRO(S) SUSCITANTE

Leia mais

ATA DA 9768ª SESSÃO, EM 17 DE DEZEMBRO DE 2013 SESSÃO ORDINÁRIA

ATA DA 9768ª SESSÃO, EM 17 DE DEZEMBRO DE 2013 SESSÃO ORDINÁRIA ATA DA 9768ª SESSÃO, EM 17 DE DEZEMBRO DE 2013 SESSÃO ORDINÁRIA Aos dezessete dias do mês de dezembro de dois mil e treze, reuniu-se às quinze horas e quinze minutos em sessão ordinária, o Tribunal Regional

Leia mais

2. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO

2. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO 2. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO 2. 1 HIPÓTESES DE CABIMENTO - Decisão que rejeitar a denúncia ou queixa - Decisão que concluir pela incompetência do juízo - Decisão que julga procedente alguma das exceções,

Leia mais

B.M. e R.M., devidamente qualificados nos autos acima

B.M. e R.M., devidamente qualificados nos autos acima Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da 3ª Vara Federal Criminal de Foz do Iguaçu/PR Autos n. 5004778-70.2010.404.7002 B.M. e R.M., devidamente qualificados nos autos acima mencionados que lhe

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.468.978 - SC (2014/0174626-0) RELATOR : MINISTRO RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA RECORRENTE : BANCO SEMEAR S/A ADVOGADOS : ANDREA RODRIGUES FLAIDA BEATRIZ NUNES DE CARVALHO E OUTRO(S) VICTOR

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO EMENTA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO EMENTA nteiro Teor (4842046) de 8 03/03/2016 09:31 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL Nº 0009189-59.2013.4.03.6100/SP 2013.61.00.009189-0/SP RELATOR APELANTE ADVOGADO APELADO(A)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO RECURSO ESPECIAL Nº 1.575.381 - ES (2015/0320103-6) : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES : COOPERATIVA DE ECONOMIA DE CREDITO MUTUO DOS SERVIDORES DO DEPARTAMENTO DE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 151.567- RJ(1997/0073248-7) RELATOR : MINISTRO FRANCISCO PEÇANHA MARTINS RECORRENTE : SANTHE INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE MÓVEIS LTDA ADVOGADO : ÁLVARO ALMERIO DE AZEVEDO PESSOA DOS SANTOS

Leia mais

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 467817-05.2014.8.09.0000 (201494678179)

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 467817-05.2014.8.09.0000 (201494678179) MANDADO DE SEGURANÇA Nº 467817-05.2014.8.09.0000 (201494678179) COMARCA DE GOIÂNIA IMPETRANTE: IMPETRADOS: RELATOR: ADRIANO JOSÉ DOS SANTOS SECRETÁRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESTADO DE GOIÁS E OUTRO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.374.048 - RS (2013/0073161-8) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO HUMBERTO MARTINS : FAZENDA NACIONAL : PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL : EMERSON DA SILVA

Leia mais

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des.

Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Presidente : Des. Osvaldo Soares da Cruz Vice-Presidente: Des.ª Judite de Miranda Monte Nunes Corregedor: Des. Cristovam Praxedes Ouvidor Geral: Des. Rafael Godeiro Diretor da Revista: Des.ª Clotilde Madruga

Leia mais

RELATÓRIO O SR. DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO ROBERTO DE OLIVEIRA LIMA (RELATOR):

RELATÓRIO O SR. DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO ROBERTO DE OLIVEIRA LIMA (RELATOR): PROCESSO Nº: 0806690-65.2014.4.05.8400 - APELAÇÃO RELATÓRIO O SR. DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO ROBERTO DE OLIVEIRA LIMA (RELATOR): Trata-se de apelação interposta pelo Conselho Regional de Corretores de

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR-4919-70.2012.5.12.0028. A C Ó R D Ã O (8ª Turma) GMMEA/apm/lf

PROCESSO Nº TST-RR-4919-70.2012.5.12.0028. A C Ó R D Ã O (8ª Turma) GMMEA/apm/lf A C Ó R D Ã O (8ª Turma) GMMEA/apm/lf I - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA. PROCESSO ELETRÔNICO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA. CONTRATAÇÃO DE OUTRO EMPREGADO NAS MESMAS CONDIÇÕES. AUSÊNCIA DE PROVA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 762.072 -RS (2005/0103061-5) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ RECORRENTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 762.072 -RS (2005/0103061-5) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ RECORRENTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 762.072 -RS (2005/0103061-5) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ RECORRENTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RECORRIDO : AIRTON HANDLER ADVOGADO : DANILO KNIJNIK

Leia mais

Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Desª. Célia Smith Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da

Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Desª. Célia Smith Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da Presidente : Des. Rafael Godeiro Vice-Presidente: Desª. Célia Smith Corregedor: Des. João Rebouças Ouvidor Geral: Desª. Judite Nunes Diretor da Escola De Magistratura: Des. Osvaldo Cruz Conselho de Magistratura:

Leia mais

1.0317.10.007297-2/001

1.0317.10.007297-2/001 <CABBCDCAABBAACDAADDAAACDBADABCABACDAADDADAAAD> Acórdãos na Íntegra 146000101548 Tribunal: Tribunal De Justiça Do Estado De Minas Gerais Órgão Julgador: 1ª C.Cív. Tipo do Recurso: AI Nº Processo: 1.0317.10.007297-2/001 Relator(a): Rel. Armando Freire

Leia mais

LINDOMAR FERNANDES DIAS DA SILVA

LINDOMAR FERNANDES DIAS DA SILVA 1 HABEAS CORPUS Nº 252740-03.2015.8.09.0000 (201592527400) COMARCA DE APARECIDA DE GOIÂNIA 1º IMPETRANTE SUZANA BUFAIÇAL NEVES 2º IMPETRANTE ADRIANO AUGUSTO LUIZ DE LIMA 1 PACIENTE LINDOMAR FERNANDES DIAS

Leia mais

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de EMENTA RECURSO ORDINÁRIO, provenientes da CURITIBA - PR, sendo Recorrentes ADVOGADO ASSOCIADO - VÍNCULO DE EMPREGO - NÃO CONFIGURADO - Comprovado que a parte autora firmou "contrato de associação com advogado"

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0005243-32.2014.8.19.0000 5ª Vara de Fazenda Pública da Comarca da Capital Agravante: Fundo Único de

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.536.854 - PR (2015/0134414-8) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN RECORRENTE : PHILIP MORRIS BRASIL S/A ADVOGADOS : MARCELO REINECKEN DE ARAUJO FÁBIO BASSO BARICHELLO RAFAEL DE PAULA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA PRESIDÊNCIA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA PRESIDÊNCIA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA PRESIDÊNCIA RECURSO ESPECIAL N 200.2006.042.358-5/001 RECORRENTE: Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil PREVI. ADVOGADOS: Urbano Vitalino

Leia mais

VIGÉSIMA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL

VIGÉSIMA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL VIGÉSIMA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO REGIMENTAL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0040369-87.2007.8.19.0001 AGRAVANTE: DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DETRAN/RJ AGRAVADA: UNIÃO DAS CLÍNICAS DE TRÂNSITO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 866.249 - SP (2006/0131792-5) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI EMENTA CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. PREJUDICIALIDADE EXTERNA ENTRE AÇÃO POSSESSÓRIA E USUCAPIÃO ESPECIAL URBANO. INEXISTÊNCIA.

Leia mais