Conectividade Social. Massificação MAIO 2011

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conectividade Social. Massificação MAIO 2011"

Transcrição

1 Conectividade Social Massificação MAIO 2011

2 Canal de relacionamento eletrônico, para troca de informações entre a CAIXA e os entes que se relacionam com o FGTS e/ou outros produtos e serviços nele disponíveis. Aplicativo Cliente Aplicativo Internet Plataforma Atual Intel (AR). Envia arquivo. Mensagens. Caixa postal Transporte de Arquivos e Mensagens - CNS Portal de Relacionamento Eletrônico Empregador - CSE. Altera dados. Consulta saldo. Rescisão Contrato CERTIFICAÇÃO ELETRÔNICA PROPRIETÁRIA IMPORTANTE: 1) A chave de acesso é a mesma para as duas plataformas de serviços. 2) A Circular CAIXA 436/2008 estendeu a validade de todas as certificações proprietários até 31/12/2011.

3 SOBRE O CONECTIVIDADE SOCIAL 7,0 milhões de transações eletrônicas/mês; 6,2 milhões de certificados digitais emitidos; 45 mil certificados novos ou renovados/mês; 3,5 milhões de empresas usuárias; 1,3 milhão de extratos emitidos por mês; 1,7 milhão de afastamentos informados/mês; 118 bancos/agentes financeiros no canal.

4 OUTROS PRODUTOS Bolsa Família; Seguro Desemprego; CAIXA PIS Empresa; Outros serviços.

5 Transição para o novo modelo Conectividade Social ICP

6 OBJETIVO Adequar o Conectividade Social à MP 2200/01 substituição da certificação proprietária do Conectividade Social pela emitida no padrão ICP. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Promover adequações estruturais de modo a torná-lo mais dinâmico, seguro, de fácil utilização, desburocratizado e eficaz, com a conversão de sua plataforma de cliente-servidor para acesso web; Simplificar os procedimentos operacionais dos empregadores, ensejar a economia de recursos financeiros e materiais a todos os entes envolvidos, além de aumentar a governança do FGTS.

7 Conclusão do Piloto em 29 ABR empresas participantes Publicação da Circular CAIXA nº 547 em 20 ABR 2011 Massificação do uso: 02 MAI 2011 Concomitância dos modelos até 31 DEZ 2011

8 Cronograma de Certificações EMPRESAS (detendores de CNPJ ou CEI) com mais de 500 empregados com 20 a 500 empregados com 5 a 20 empregados PRAZO de 02/05/2011 até 13/05/2011 de 16/05/2011 até 03/06/2011 de 06/06/2011 até 01/07/2011 1º algarismo do CNPJ ou CEI igual a 9 de 04/07/2011 até 12/07/2011 1º algarismo do CNPJ ou CEI igual a 8 de 13/07/2011 até 22/07/2011 1º algarismo do CNPJ ou CEI igual a 7 de 25/07/2011 até 03/08/2011 1º algarismo do CNPJ ou CEI igual a 6 de 04/08/2011 até 12/08/2011 com até 5 empregados 1º algarismo do CNPJ ou CEI igual a 5 de 15/08/2011 até 31/08/2011 1º algarismo do CNPJ ou CEI igual a 4 de 01/09/2011 até 09/09/2011 1º algarismo do CNPJ ou CEI igual a 3 de 12/09/2011 até 21/09/2011 1º algarismo do CNPJ ou CEI igual a 2 de 22/09/2011 até 05/10/2011 1º algarismo do CNPJ ou CEI igual a 1 de 06/10/2011 até 28/10/2011 1º algarismo do CNPJ ou CEI igual a 0 de 31/10/2011 até 23/12/2011 Fonte: Circular CAIXA 547/2011

9 PONTOS RELEVANTES O cronograma é indicativo, com o atendimento assegurado a qualquer tempo; Necessidade de o PIS/PASEP ser inserido no certificado digital de PF; Material eletrônico de divulgação do Conectividade Social ICP nos sites das Autoridades Certificadoras; Necessidade de o CEI ser inserido no certificado digital de PF ou PJ, se for o caso.

10 PRINCIPAIS MUDANÇAS CONECTIVIDADE SOCIAL - ICP Canal 100% WEB Desnecessária instalação de aplicativos para uso Inclusão de novos serviços diretamente no Portal Mensagens personalizadas por empresa Certificado digital padrão ICP Maior segurança nas transações Verificação do certificado diretamente no chip Rastreamento do certificado Impossibilidade de duplicar certificação Novo modelo de Procuração Eletrônica

11 CERTIFICADO DIGITAL

12 CERTIFICADO DIGITAL É o instrumento virtual que garante a identificação das partes envolvidas numa comunicação e o transporte seguro das mensagens por meio eletrônico. Autenticidade do emissor e receptor Integridade dos dados transmitidos Sigilo das informações Irretratabilidade das transações efetuadas

13 INFORMAÇÕES SOBRE O CERTIFICADO DIGITAL Padrão de Segurança: - A1 - A3 Mídias Utilizáveis: - A1: Smartcard, Token, Pendrive, Disquete, HD, etc; - A3: Smartcard e Token Durabilidade: - A1: Um ano, renovável por mais um ano (dois anos); - A3: Três anos, renovável por mais três anos (seis anos).

14 CERTIFICADO DIGITAL Como fazer a certificação:

15 EMISSÃO CERTIFICAÇÃO DIGITAL ICP-BRASIL Onde fazer:

16 CONECTIVIDADE SOCIAL ICP Acesso pelo endereço:

17 FLUXO OPERACIONAL Empregador obtém Certificado PJ padrão ICP Usuário a ser Outorgado obtém Certificado PJ/PF padrão ICP junto Autoridade Certificadora Acessa função de empresa outorgante Acessa o Conectividade Social ICP e se registra no novo canal Acessa o Conectividade Social ICP e se registra no novo canal Acessa conjunto de serviços outorgados Se for o caso, acessa função Procuração e outorga poderes Acessa conjunto de serviços disponíveis no canal Se for o caso, acessa função Procuração e revoga poderes

18 PONTOS DE ATENÇÃO Empresários (certificados pessoa jurídica) poderão optar por outorgar poderes; Pessoas físicas a serem outorgadas também necessitarão obter certificados; Somente usuários registrados no canal poderão receber poderes de terceiros.

19 PONTOS DE ATENÇÃO Validade do registro e das procurações eletrônicas desvinculada da validade do certificado digital; Acesso ao canal pode não ocorrer mesmo com certificado ainda válido; O certificado de qualquer CNPJ completo poderá acessar informações de suas filiais.

20 REGISTRO No primeiro acesso à página do Conectividade Social ICP, será necessário o registro do certificado para que o sistema defina o PERFIL de acesso às funcionalidades.

21

22

23

24

25

26 REGISTRO

27 PERFIL CERTIFICADO PF AMPLO é um empregado de uma PJ que fará as transações em nome desta no Conectividade Social ICP, mediante procuração eletrônica. Para se registrar neste perfil, o usuário PF deverá acessar o site do Conectividade Social ICP e selecionar na janela Perfil a opção Pessoa Física. Ele somente conseguirá acessar dados do FGTS se, para o seu CPF, existir uma procuração eletrônica de uma PJ.

28 PERFIL CERTIFICADO PF RESTRITO não empregado de uma PJ. Atualmente, esse perfil está disponível somente aos magistrados da Justiça do Trabalho que deverá selecionar na janela Perfil a opção Magistrado. Neste caso, o usuário receberá uma mensagem com orientações para apresentação de documentos complementares, em qualquer agência da CAIXA, que comprove sua condição de magistrado.

29 CERTIFICADO PJ Certificado gerado pela AC emissora como sendo do tipo PJ, ou seja, que tenha em seu registro um CNPJ ou expedido certificado PF com a informação do CEI.

30 PERFIL CERTIFICADO PJ AMPLO Empresas em geral e Escritórios de Contabilidade. Deverão fazer o seu registro no site marcando no campo Perfil a opção EMPRESA. Permite acesso a uma cesta de serviços associados a esse perfil que é informada ao usuário no momento do seu registro. Neste perfil, não será necessária comprovação complementar.

31 PERFIL CERTIFICADO PJ RESTRITO Usuário detentor de CNPJ ou CEI que, além das atribuições regulares de um empregador junto ao FGTS tem também atribuições específicas vinculadas à sua natureza jurídica. Usuários de Perfil Restrito admitidos: Instituições Financeiras, COHAB, Sindicatos e SRTE Além das funcionalidades existentes no Perfil AMPLO, terão acesso a outras funcionalidades específicas a sua natureza. Neste perfil, o usuário deverá efetuar comprovação complementar de sua natureza jurídica junto à CAIXA.

32 VALIDADE DO REGISTRO O Registro somente perderá sua validade quando for revogado ou suspenso. REVOGADO o usuário deverá fazer novo registro marcando o perfil correto. SUSPENSO procurar uma de nossas Agências para obter informações sobre o motivo e que ações são necessárias para a normalização do Registro. Enquanto o Registro estiver numa das situações acima, nenhuma funcionalidade será liberada ao usuário.

33 VALIDADE DO REGISTRO

34 BLOQUEIO DE REGISTRO Ocorrerá quando: Identificado qualquer indício de irregularidade no uso do canal, por parte de um usuário PF/PJ. Potencial risco ao trabalhador, usuário, FGTS, CAIXA, Poder Público ou qualquer outra entidade pública ou privada.

35 BLOQUEIO DE REGISTRO Quando um registro de PJ (CNPJ ou CEI) for bloqueado, o acesso a TODAS as funcionalidades estarão interrompidos enquanto perdurar o bloqueio. Quando um registro de PF for bloqueado, TODOS os certificados PJ cujo responsável é o CPF bloqueado, estarão impedidos de utilizar o Conectividade Social até sua regularização. Para regularização, procurar uma unidade da CAIXA para obter informações do motivo do bloqueio e a forma de regularizar o registro.

36 PROCURAÇÃO ELETRÔNICA É a autorização que o usuário do Conectividade Social ICP pode conceder a outro usuário do canal para que este possa transacionar em seu nome. As procurações eletrônicas tem validade de 1 ano, podendo ser renováveis, por igual período, sem limite de vezes.

37 PROCURAÇÃO ELETRÔNICA As procurações outorgadas no Conectividade Social CSE serão migradas para o Conectividade Social ICP. As procurações migradas terão validade até 30/06/2011. Não será possível: - Aditá-las; - Renová-las; - Repassá-las (substabelecimento).

38 OUTORGA DE PROCURAÇÃO Essa funcionalidade permite a concessão de procuração eletrônica a outro usuário do canal, contendo poderes que são do próprio concessor. Quem pode usar: PJ Amplo e Restrito e PF Restrito.

39

40

41

42

43

44 OUTORGA DE PROCURAÇÃO PJ PARA PF PJ pode outorgar quantas procurações desejar para um PF desde que o último tenha vínculo empregatício ativo com o outorgante. Considera-se como conta vinculada com VÍNCULO EMPREGATÍCIO ATIVO: - Ser do tipo OPTANTE; - Ser da categoria EMPREGADO; - Cadastro consistido; e - Não possuir informação de afastamento.

45 OUTORGA DE PROCURAÇÃO PJ PARA PF Se o certificado do outorgado não possuir PIS (chave de localização de vínculo empregatício), o sistema irá buscar a informação do PIS baseado no CPF informado. Caso não localize o PIS na base, o usuário PF deverá solicitar na CAIXA a atualização de seu cadastro no sistema do FGTS (base de endereços).

46

47 SUBSTABELECIMENTO DE PROCURAÇÃO Repasse de uma procuração recebida de outro usuário, desde que recebida com a cláusula de SUBSTABELECIMENTO.

48

49 PJ PJ 1 PF PJ PJ PF PF PJ PF PJ 2 PF PF PJ PF PF PJ PJ PF 3 PF PF PF PF PJ 4 PF PF PF 5 PF PF PF Seta inclinada: Outorga Seta vertical: substabelecimento 6 PF

50 RENOVAÇÃO DE PROCURAÇÃO Até a data de expiração, o concessor poderá renovar a procuração, desde que esta não tenha sido revogada. Lembrando: a procuração tem validade de 1 ano e pode ser renovada quantas vezes o usuário desejar.

51 REVOGAÇÃO DE PROCURAÇÃO Pelo concessor o usuário que recebeu a procuração não pode revogá-la. Pelo sistema quebra de vínculo empregatício, revogação ou bloqueio do registro/inscrição do usuário, revogação automática em cadeia.

52 PROCURAÇÃO Existem ainda outras funcionalidades relativas à procuração, como: - Aditamento de procuração; - Consulta de Procurações outorgadas; - Consulta de Procurações Substabelecidas; - Consulta de Procurações recebidas em outorga e por substabelecimento.

53

54 CAIXA POSTAL Todo usuário PJ, a partir do seu registro, passa a ter uma Caixa Postal para recebimento e envio de mensagens e arquivos no Conectividade Social.

55

56

57

58

59

60

61

62

63

64 SEFIP e GRRF SEFIP: Versões 5.4 e 8.4. Não há necessidade de instalar nova versão. GRRF: Instalação de versão ICP, cuja transmissão não ocorre com o fechamento, tal como na versão AR. Após finalizado o arquivo, é necessário seu envio pelo Conectividade Social Versão ICP, similar ao SEFIP.

65 EMPREGADOR Mesmas funcionalidades que hoje existem no Conectividade Social Conexão Segura: - Acessar empresa outorgante; - Alterar endereço do trabalhador; - Comunicar movimentação; - Consultar extrato Créditos Complementares LC 110/2001; - RDT Retificação e Visualização das retificações efetuadas; - Simular GRRF; - Extrato/ extrato para fins rescisórios; - IS Informação de Saldo; - Relatório de inconsistências cadastrais; - Visualizar/ Download/ Reimpressão de GRRF.

66 Para voltar à tela anterior

67 HELP DESK: Opção: Junho/2011

Conectividade Social

Conectividade Social Conectividade Social Conectividade Social - ICP Disseminar o uso do novo Portal de Relacionamento Conectividade Social no padrão ICP-Brasil. Certificado digital O que é? É o instrumento virtual que garante

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DIGITAL E CONECTIVIDADE SOCIAL

CERTIFICAÇÃO DIGITAL E CONECTIVIDADE SOCIAL CERTIFICAÇÃO DIGITAL E CONECTIVIDADE SOCIAL Palestrante: Rosalina Camilot Alves de Lima GIFUG/SP Gerência de Filial do FGTS de São Paulo 14/07/2011 Assuntos abordados nesta apresentação Circular CAIXA

Leia mais

Conectividade Social

Conectividade Social Conectividade Social O que é Certificação Digital? É uma espécie de cédula de identidade virtual. Quais as finalidades da Certificação Digital? Identificação segura do autor de uma transação em rede de

Leia mais

Conectividade Social ICP GERÊNCIA DE FILIAL DO FUNDO DE GARANTIA GIFUG/BH 2012

Conectividade Social ICP GERÊNCIA DE FILIAL DO FUNDO DE GARANTIA GIFUG/BH 2012 Conectividade Social ICP GERÊNCIA DE FILIAL DO FUNDO DE GARANTIA GIFUG/BH 2012 Objetivo: Conectividade Social ICP Alteração cadastral no FGTS Acesso do Trabalhador ao FGTS Novo TRCT Quase 3 milhões de

Leia mais

CONECTIVIDADE SOCIAL CONECTIVIDADE SOCIAL :: DEFINIÇÃO : É um Canal Eletrônico de Relacionamento desenvolvido pela Caixa Econômica Federal e disponibilizado às empresas. : Utiliza certificado digital próprio.

Leia mais

Utilizava uma certificação digital proprietária, exclusiva para o. acessar o Conectividade Social ICP? Adequação às normas do ITI.

Utilizava uma certificação digital proprietária, exclusiva para o. acessar o Conectividade Social ICP? Adequação às normas do ITI. O que é Certificação Digital? Certificação Digital É uma espécie de cédula de identidade virtual. Quais as finalidades da Certificação Digital? Identificação segura do autor e do receptor de uma transação

Leia mais

Conectividade Social ICP GERÊNCIA DE FILIAL DO FUNDO DE GARANTIA GIFUG/BH 2012

Conectividade Social ICP GERÊNCIA DE FILIAL DO FUNDO DE GARANTIA GIFUG/BH 2012 Conectividade Social ICP GERÊNCIA DE FILIAL DO FUNDO DE GARANTIA GIFUG/BH 2012 Objetivo: Conectividade Social ICP Alteração cadastral no FGTS Acesso do Trabalhador ao FGTS Novo TRCT Certificado Digital

Leia mais

Conectividade Social

Conectividade Social Conectividade Social terça-feira, 21 de junho de 2011 Principais mudanças Conectividade Social - ICP Canal 100% WEB Desnecessária instalação de aplicativos para uso Inclusão de novos serviços diretamente

Leia mais

Nunca foi tão fácil utilizar

Nunca foi tão fácil utilizar Nunca foi tão fácil utilizar o Conectividade Social da CAIXA O que antes era feito com a autenticação de disquetes e precisava do antigo programa CNS para o relacionamento com a CAIXA e prestação de informações

Leia mais

BEM-VINDO AO NOVO CONECTIVIDADE SOCIAL ICP

BEM-VINDO AO NOVO CONECTIVIDADE SOCIAL ICP CONECTIVIDADE SOCIAL - Guia de Orientações ao Usuário - V.1.4 novembro 2011 BEM-VINDO AO NOVO CONECTIVIDADE SOCIAL ICP O Conectividade Social ICP é a evolução do Conectividade Social que você já conhece

Leia mais

BEM-VINDO AO NOVO CONECTIVIDADE SOCIAL ICP

BEM-VINDO AO NOVO CONECTIVIDADE SOCIAL ICP CONECTIVIDADE SOCIAL - Guia de Orientações ao Usuário V.1.6 Outubro 2015 BEM-VINDO AO NOVO CONECTIVIDADE SOCIAL ICP O Conectividade Social ICP é a evolução do Conectividade Social que você já conhece e

Leia mais

o que é 2 público-alvo 3 demanda 4 prazos 5 tipos de certificados 6 como funciona 7 estratégias comerciais 8 materiais de apoio

o que é 2 público-alvo 3 demanda 4 prazos 5 tipos de certificados 6 como funciona 7 estratégias comerciais 8 materiais de apoio Conectividade Social ICP agenda do dia 1 o que é 2 público-alvo 3 demanda 4 prazos 5 tipos de certificados 6 como funciona 7 estratégias comerciais 8 materiais de apoio 1 o que é Canal de relacionamento

Leia mais

o que é 2 público-alvo 3 demanda 4 prazos 5 tipos de certificados 6 como funciona 7 estratégias comerciais 8 materiais de apoio

o que é 2 público-alvo 3 demanda 4 prazos 5 tipos de certificados 6 como funciona 7 estratégias comerciais 8 materiais de apoio Conectividade Social ICP agenda do dia 1 o que é 2 público-alvo 3 demanda 4 prazos 5 tipos de certificados 6 como funciona 7 estratégias comerciais 8 materiais de apoio 1 o que é Canal de relacionamento

Leia mais

CONECTIVIDADE SOCIAL ICP

CONECTIVIDADE SOCIAL ICP CONECTIVIDADE T SOCIAL ICP - Dicas de utilização ABRIL 2012 Prezado Usuário O novo Conectividade Social trouxe a segurança da certificação digital no padrão ICP Brasil para o dia a dia das empresas, aliado

Leia mais

Conectividade Social ICP

Conectividade Social ICP Conectividade Social ICP Com o novo Conectividade Social ICP a partir de 30/06/2012 será obrigatório a utilização do certificado digital, sendo realizado 100% via WEB, dessa forma todo processo relacionado

Leia mais

BEM-VINDO AO NOVO CONECTIVIDADE SOCIAL ICP

BEM-VINDO AO NOVO CONECTIVIDADE SOCIAL ICP CONECTIVIDADE SOCIAL - Guia de Orientações ao Usuário - V.1.3 Maio 2011 BEM-VINDO AO NOVO CONECTIVIDADE SOCIAL ICP O Conectividade Social ICP é a evolução do Conectividade Social que você já conhece e

Leia mais

R: Portal Eletrônico de relacionamento desenvolvido em plataforma 100% WEB que viabiliza a troca de informações entre o usuário e a CAIXA.

R: Portal Eletrônico de relacionamento desenvolvido em plataforma 100% WEB que viabiliza a troca de informações entre o usuário e a CAIXA. CONECTIVIDADE SOCIAL ICP 1 - O que é? R: Portal Eletrônico de relacionamento desenvolvido em plataforma 100% WEB que viabiliza a troca de informações entre o usuário e a CAIXA. 2 - A quem se destina o

Leia mais

Conectividade Social ICP Certificação Digital ICP-Brasil

Conectividade Social ICP Certificação Digital ICP-Brasil O que é Certificação Digital É uma espécie de cédula de O certificado é um documento identidade virtual. eletrônico que por meio de procedimentos lógicos e matemáticos assegura a integridade das informações

Leia mais

FGTS para as empresas. Fórum Trabalhista - 24/01/2013 Realização Sescon-RJ

FGTS para as empresas. Fórum Trabalhista - 24/01/2013 Realização Sescon-RJ FGTS para as empresas Fórum Trabalhista - 24/01/2013 Realização Sescon-RJ Roteiro Conectividade Social Regularizações Individualização Cadastral Parcelamento CRF Novo Modelo de TRCT Legislação do FGTS

Leia mais

BEM-VINDO AO CONECTIVIDADE SOCIAL ICP

BEM-VINDO AO CONECTIVIDADE SOCIAL ICP CONECTIVIDADE SOCIAL ICP Guia de Orientações ao Magistrado e Servidores da Justiça do Trabalho Março 2014 BEM-VINDO AO CONECTIVIDADE SOCIAL ICP O Conectividade Social ICP é o canal de relacionamento eletrônico,

Leia mais

3) Empregador doméstico terá que ter certificado e-cpf? Resposta - Se recolher FGTS, sim. e-cpf contendo o CEI de Empregador Doméstico.

3) Empregador doméstico terá que ter certificado e-cpf? Resposta - Se recolher FGTS, sim. e-cpf contendo o CEI de Empregador Doméstico. 1) Empresas construtoras que possuem várias obras (CEI), precisam de um certificado para cada obra? Resposta - Não, só será necessário um certificado para o CNPJ da construtora, as obras com CEI continuam

Leia mais

GIFUG/RJ Gerência de Filial Administrar FGTS RJ/ES

GIFUG/RJ Gerência de Filial Administrar FGTS RJ/ES GIFUG/RJ Gerência de Filial Administrar FGTS RJ/ES Palestra: O Empregador e o FGTS Realizada em 16 de fevereiro de 2009, no Auditório da CAIXA, Centro/RJ Nossa Missão Operar o FGTS com efetividade, viabilizando

Leia mais

Prezado Usuário. Cordialmente, CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Prezado Usuário. Cordialmente, CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONECTIVIDADE SOCIAL ICP - Dicas de utilização JUNHO / 2013 Prezado Usuário O novo Conectividade Social ICP trouxe a segurança da certificação digital no padrão ICP Brasil para o dia-a-dia das empresas.

Leia mais

CONECTIVIDADE SOCIAL APLICATIVO WEB - INTERNET

CONECTIVIDADE SOCIAL APLICATIVO WEB - INTERNET CONECTIVIDADE SOCIAL APLICATIVO WEB - INTERNET Apresentação 1. Introdução O que é? O que é Portal Eletrônico de Relacionamento? Qual a finalidade? Por que utilizar? Quem utiliza? Participantes do processo

Leia mais

Prof. Paulo Barbosa duvidas@paulobarbosa.com.br

Prof. Paulo Barbosa duvidas@paulobarbosa.com.br Prof. Paulo Barbosa duvidas@paulobarbosa.com.br Esse material pode ser denominado Notas de Aulas. Ele não é autodidático, não o utilize como fonte única de consulta para estudos para préconcurso. Use-o

Leia mais

Definição. Certificado. Digital. 1 tido ou dado como certo. 2 Diacronismo: antigo. que se fez ciente de

Definição. Certificado. Digital. 1 tido ou dado como certo. 2 Diacronismo: antigo. que se fez ciente de Certificado Digital Definição Certificado 1 tido ou dado como certo 2 Diacronismo: antigo. que se fez ciente de 3 documento no qual se atesta a existência de certo fato e dele se dá ciência - Autenticar;

Leia mais

Gerência de Filial do FGTS/ RJ

Gerência de Filial do FGTS/ RJ Gerência de Filial do FGTS/ RJ Objetivos Esclarecer e dirimir dúvidas sobre rescisão de contrato de trabalho. Assuntos a serem abordados Preenchimento do TRCT Códigos de Saque Homologação Comunicação da

Leia mais

Número do Contrato: 001407781 Data de Assinatura: 13/06/2012 Certificado Solicitante: 8602E621312D04AACD41BA47E6BF0DCC5EA3BA85

Número do Contrato: 001407781 Data de Assinatura: 13/06/2012 Certificado Solicitante: 8602E621312D04AACD41BA47E6BF0DCC5EA3BA85 Número do Contrato: 001407781 Data de Assinatura: 13/06/2012 Certificado Solicitante: 8602E621312D04AACD41BA47E6BF0DCC5EA3BA85 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS - CONECTIVIDADE SOCIAL CAIXA X CLIENTE PESSOA

Leia mais

Manual de Instruções. Programa para Baixar e Transmitir Arquivos XML XML CONQUER MÓDULO TRANSMISSOR

Manual de Instruções. Programa para Baixar e Transmitir Arquivos XML XML CONQUER MÓDULO TRANSMISSOR 1 Manual de Instruções Programa para Baixar e Transmitir Arquivos XML XML CONQUER MÓDULO TRANSMISSOR Sumário Apresentação... 2 Instalação... 3 Utilização... 4 Menu Cadastro... 5 XML NFE Notas Emitidas

Leia mais

SICAP - MÓDULO CARDUG. CAPÍTULO CARDUG Cadastro de Responsáveis das Unidades Gestoras

SICAP - MÓDULO CARDUG. CAPÍTULO CARDUG Cadastro de Responsáveis das Unidades Gestoras SICAP - MÓDULO CARDUG CAPÍTULO CARDUG Cadastro de Responsáveis das Unidades Gestoras Apresentação Caro Aluno, Confeccionamos este capítulo para servir de apoio a você, aos gestores e responsáveis das unidades

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Tópicos Avançados II 5º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 3: Políticas e Declaração de

Leia mais

RECOLHIMENTO DO FGTS E INDIVIDUALIZAÇÃO DE VALORES 25/06/2014 GIFUG/SP

RECOLHIMENTO DO FGTS E INDIVIDUALIZAÇÃO DE VALORES 25/06/2014 GIFUG/SP RECOLHIMENTO DO FGTS E INDIVIDUALIZAÇÃO DE VALORES 25/06/2014 1 Assuntos abordados nesta apresentação RECOLHIMENTO DO FGTS LEGISLAÇÃO DIRIGENTE SINDICAL, MENOR APRENDIZ, EMPREGADA DOMÉSTICA E DIRETOR NÃO

Leia mais

Manual do Usuário Certificado Digital AC PRODERJ

Manual do Usuário Certificado Digital AC PRODERJ Manual do Usuário Certificado Digital AC PRODERJ Guia CD-18 Público Índice 1. Emissão dos Certificados Digitais PRODERJ... 3 2. Documentos Necessários para Emissão dos Certificados... 3 3. Responsabilidades...

Leia mais

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Versão 2.1 12/11/2015 Alterações em relação à versão anterior Alterado: itens 23, 25, 30, 31, 34, 35, 37, 46, 47 e 48 Incluído: itens 14, 40, 41 e

Leia mais

INDIVIDUALIZAÇÃO DE VALORES COM O REMAG 4.2.2

INDIVIDUALIZAÇÃO DE VALORES COM O REMAG 4.2.2 INDIVIDUALIZAÇÃO DE VALORES COM O REMAG 4.2.2 ATENÇÃO: Para sistema operacional Windows XP, é recomendado a instalação prévia do SEFIP 5.4, pois esse procedimento realiza as configurações que o REMAG também

Leia mais

Nosso trabalho é fortalecer seu Agronegócio

Nosso trabalho é fortalecer seu Agronegócio ART 08/11/2011 COTAÇÕES Brasil** (R$/kg) Argentina ($/kg) Uruguai (US$/kg) Atual 01 ano Atual 01 ano Atual 01 ano Novilho Gordo* 3,10 2,90 8,78 8,31 2,00 1,60 Vaca Gorda* 2,80 2,65 6,75 6,19 1,75 1,41

Leia mais

CONECTIVIDADE SOCIAL ICP BRASIL - ACESSO PELO E-CNPJ

CONECTIVIDADE SOCIAL ICP BRASIL - ACESSO PELO E-CNPJ CONECTIVIDADE SOCIAL ICP BRASIL - ACESSO PELO E-CNPJ A Caixa Econômica Federal substituiu o Certificado digital da Conectividade Social em Disquete pelo E-CNPJ (Certificado Digital). QUEM ESTA OBRIGADO

Leia mais

Apresentação. 1. Introdução. 2. Como acessar. 3. Localização da conta vinculada do trabalhador. 4. Algumas observações importantes sobre o aplicativo

Apresentação. 1. Introdução. 2. Como acessar. 3. Localização da conta vinculada do trabalhador. 4. Algumas observações importantes sobre o aplicativo Apresentação 1. Introdução O que é? O que é Portal Eletrônico de Relacionamento? Qual a finalidade? Por que utilizar? Quem utiliza? Participantes do processo Benefícios ( para as empresas, para os trabalhadores,

Leia mais

INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO

INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO CERTIFICADO DIGITAL O certificado digital é um arquivo eletrônico que contém dados de uma pessoa ou instituição, utilizados para comprovar sua identidade. Este arquivo pode

Leia mais

Renovação do certificado A1

Renovação do certificado A1 Renovação do certificado A1 Requisitos: Os passos descritos neste procedimento foram testados no Windows 7 sem apresentar erros. Atente que algumas divergências poderão ser observadas caso a versão do

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DGTEC- Diretoria Geral de Tecnologia da Informação DERUS- Departamento de Relacionamento com o

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DGTEC- Diretoria Geral de Tecnologia da Informação DERUS- Departamento de Relacionamento com o DERUS- Departamento de Relacionamento com o Usuário DERUS- Departamento de Relacionamento com o Usuário Sumário: Gerando um arquivo PDF 3 Como assinar digitalmente um documento PDF 17 O Assinador Livre

Leia mais

ENTENDENDO A CERTIFICAÇÃO DIGITAL NO TST

ENTENDENDO A CERTIFICAÇÃO DIGITAL NO TST 1 ÍNDICE 1. O que é certificado digital? 2. Para que serve o certificado digital? 3. Para que serve o certificado digital no âmbito do TST? 4. Qual a legislação que envolve a certificação digital? 5. O

Leia mais

Clique aqui para começar. Cartilha do Empregador Doméstico para emissão da GRF Guia de Recolhimento do FGTS

Clique aqui para começar. Cartilha do Empregador Doméstico para emissão da GRF Guia de Recolhimento do FGTS Clique aqui para começar Cartilha do Empregador Doméstico para emissão da GRF Guia de Recolhimento do FGTS Informações adicionais Você poderá navegar livremente na cartilha utilizando os botões localizados

Leia mais

RETIFICAÇÃO DE DADOS FGTS

RETIFICAÇÃO DE DADOS FGTS RETIFICAÇÃO DE DADOS FGTS Visualização na Internet: CONTA LOCALIZADA NÃO ATENDE AOS CRITÉRIOS ESTABELECIDOS PARA ACESSO VIA INTERNET Esta mensagem indica que a conta possui algum impeditivo de localização,

Leia mais

ABC DA PORTARIA CAT 153/2011

ABC DA PORTARIA CAT 153/2011 ABC DA PORTARIA CAT 153/2011 1. O que é o Sistema e-credrural? - É um sistema informatizado instituído por meio da Portaria CAT 153/2011, disponibilizado no endereço eletrônico www.fazenda.sp.gov.br, para

Leia mais

Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 8

Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 8 Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 O QUE É GISSONLINE?... 6 FILOSOFIA DA GISSONLINE... 6 BENEFÍCIOS QUE A GISSONLINE OFERECE... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Portal de Aprendizado Tutorial do Aluno

Portal de Aprendizado Tutorial do Aluno Portal de Aprendizado Tutorial do Aluno Índice 1 Acessando o Portal... 2 1.1 Verificação do Browser... 2 1.2 Entre em contato... 3 1.3 Portal Autenticado... 5 2 Meus Cursos... 6 2.1 Matriculando-se em

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 529, DE 23 DE MAIO DE 2016 Documento nº 00000.029651/2016-57

RESOLUÇÃO Nº 529, DE 23 DE MAIO DE 2016 Documento nº 00000.029651/2016-57 RESOLUÇÃO Nº 529, DE 23 DE MAIO DE 2016 Documento nº 00000.029651/2016-57 Dispõe sobre o uso de Certificado Digital no âmbito da Agência Nacional de Águas ANA. O DIRETOR-PRESIDENTE DA AGÊNCIA DE ÁGUAS-ANA,

Leia mais

PEI Peticionamento eletrônico de importação

PEI Peticionamento eletrônico de importação PEI Peticionamento eletrônico de importação MÔNICA FIGUEIREDO P VPA F J O I NVILLE RESOLUÇÃO - RDC Nº 74, DE 2 DE MAIO DE 2016 Os processos protocolados eletronicamente deverão conter a documentação prevista

Leia mais

GP Gestão de Pessoal. Vale Transporte

GP Gestão de Pessoal. Vale Transporte GP Gestão de Pessoal Vale Transporte SUMÁRIO 1. Módulo Vale Transporte... 3 1.1. Tabelas... 3 1.1.1. Empresa... 3 1.2. Linha... 5 1.3. Meio Transporte... 6 1.4. Período de Vale Transporte... 6 1.5. Tarifa...

Leia mais

FGTS Manual de Orientações Recolhimentos Mensais e Rescisórios ao FGTS e das Contribuições Sociais

FGTS Manual de Orientações Recolhimentos Mensais e Rescisórios ao FGTS e das Contribuições Sociais FGTS Manual de Orientações Recolhimentos Mensais e Rescisórios ao FGTS e das Contribuições Sociais SUMÁRIO DA NORMA 1 CAPITULO I - FGTS RECOLHIMENTO MENSAL E RESCISÓRIO,5 1.1 FGTS - RECOLHIMENTO MENSAL,5

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DIGITAL COMO OBTER. Zilmara Alencar Consultoria

CERTIFICAÇÃO DIGITAL COMO OBTER. Zilmara Alencar Consultoria CERTIFICAÇÃO DIGITAL COMO OBTER COMO OBTER 1 - Escolher uma Autoridade Certificadora (AC) da ICP-Brasil; 2 - Solicitar no próprio portal da internet da AC escolhida a emissão de certificado digital de

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e - NOTA CARIOCA

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e - NOTA CARIOCA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e - NOTA CARIOCA Acesso ao Sistema - Pessoa Jurídica Página 2 de 125 Índice ÍNDICE... 2 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 6 1.1. DEFINIÇÃO... 6 2. REGRAS PARA CADASTRAMENTO...

Leia mais

Certificado Digital A1. Cópia de segurança (exportação e importação)

Certificado Digital A1. Cópia de segurança (exportação e importação) A1 Cópia de segurança (exportação e importação) Todos os direitos reservados. Imprensa Oficial do Estado S.A. 2010 Pré Requisitos para a instalação Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo

Leia mais

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo CeC Cadastro eletrônico de Contribuintes Usuário Anônimo Versão 1.2 13/10/2010 Sumário Apresentação... 3 Objetivo... 3 1. Solicitação de CeC... 4 1.1. Cadastro de Pessoas Físicas... 6 1.1.1 Cadastro de

Leia mais

Manual do Usuário - Cliente Externo

Manual do Usuário - Cliente Externo Versão 3.0 SGCL - Sistema de Gestão de Conteúdo Local SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 1.1. Referências... 4 2. COMO ESTÁ ORGANIZADO O MANUAL... 4 3. FUNCIONALIDADES GERAIS DO SISTEMA... 5 3.1. Acessar a Central

Leia mais

Certificado Digital Usos e Aplicações

Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital: Onde usar? O certificado digital é um documento eletrônico que proporciona agilidade em muitas das atividades realizadas atualmente por seu titular.

Leia mais

CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES E INVESTIDORES 1. Aspectos gerais 1.1 Apresentação de documentos

CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES E INVESTIDORES 1. Aspectos gerais 1.1 Apresentação de documentos PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DE ATIVOS (CBLC) CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES

Leia mais

CERTIFICAÇÃO FGTS / CAIXA ECONOMICA CONECTIVIDADE

CERTIFICAÇÃO FGTS / CAIXA ECONOMICA CONECTIVIDADE 1. Introdução CERTIFICAÇÃO FGTS / CAIXA ECONOMICA CONECTIVIDADE Conectividade Social é um canal eletrônico de relacionamento, utilizado para troca de informações entre a CAIXA e as empresas, escritórios

Leia mais

AJUDA IMPORTAÇÃO NFe GERENCIADOR e PORTAL NFe PREMIUM CONTABILIDADE

AJUDA IMPORTAÇÃO NFe GERENCIADOR e PORTAL NFe PREMIUM CONTABILIDADE AJUDA IMPORTAÇÃO NFe GERENCIADOR e PORTAL NFe PREMIUM CONTABILIDADE 1º - Acesse o programa NF-e Prosoft Gerenciador, através de um duplo clique com o mouse, que esta na tela de seu computador, ícone igual

Leia mais

Manual do Usuário. Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de Alíquota e Antecipação - DeSTDA

Manual do Usuário. Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de Alíquota e Antecipação - DeSTDA Livro Super Simples Manual do Usuário Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de Alíquota e Antecipação - DeSTDA Secretarias de Fazenda Estaduais, do Distrito Federal e Comitê Gestor do Simples

Leia mais

Manual do Registro de Saída da Nota Fiscal Eletrônica. Procedimentos e Especificações Técnicas

Manual do Registro de Saída da Nota Fiscal Eletrônica. Procedimentos e Especificações Técnicas Manual do Registro de Saída da Nota Fiscal Eletrônica Procedimentos e Especificações Técnicas Versão 1.01 Maio 2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO GERAL... 3 MODELO OPERACIONAL... 4 REGISTRO DE SAÍDA - SITUAÇÃO NORMAL...

Leia mais

Manual de Instalação e Utilização VPN

Manual de Instalação e Utilização VPN Manual de Instalação e Utilização VPN Página 1 Descrição: A tecnologia de Certificação Digital na SEFAZ-RJ tem como objetivo oferecer segurança no meio digital. Este documento apresenta os passos para

Leia mais

Composição do Cadastro NIS

Composição do Cadastro NIS Composição do Cadastro NIS SUS PIS PASEP CADUN MTE Contribuinte Individual Quem cadastra? Empregador Trabalhador Cidadão Brasileiro SRTE Ministério da Saúde Ministério da Educação O próprio beneficiário

Leia mais

Para a aquisição do certificado digital são exigidas 2 cópias legíveis e os originais dos seguintes documentos:

Para a aquisição do certificado digital são exigidas 2 cópias legíveis e os originais dos seguintes documentos: CERTIFICADO DIGITAL Certificado digital é um documento eletrônico que identifica pessoas e empresas no mundo digital, provando sua identidade e permitindo acessar serviços on-line com a garantia de autenticidade,

Leia mais

CONECTIVIDADE SOCIAL / EMPREGADOR - INTERNET

CONECTIVIDADE SOCIAL / EMPREGADOR - INTERNET CONECTIVIDADE SOCIAL / EMPREGADOR - INTERNET SUMÁRIO Apresentação 1. Introdução O que é o CS/E? O que é Portal Eletrônico de Relacionamento? Qual a finalidade? Por que utilizar? Quem utiliza? Participantes

Leia mais

MÓDULO DE DECLARAÇÃO DE RENDIMENTOS DECORE MANUAL Versão 2.0

MÓDULO DE DECLARAÇÃO DE RENDIMENTOS DECORE MANUAL Versão 2.0 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE MÓDULO DE DECLARAÇÃO DE RENDIMENTOS DECORE MANUAL Versão 2.0 Spiderware Consultoria em Informática Rua Mayrink Veiga, 11 / 804 Rio de Janeiro RJ CEP 20090-050 Tel. 0 (XX)

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Acesso ao Sistema - Pessoa Física

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Acesso ao Sistema - Pessoa Física Acesso ao Sistema - Pessoa Física Página 2 de 37 Índice ÍNDICE... 2 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 4 1.1. DEFINIÇÃO... 4 1.2. OBRIGATORIEDADE DE EMISSÃO DA NFS-E... 4 1.3. CONTRIBUINTES IMPEDIDOS DA EMISSÃO

Leia mais

APLICATIVO WebSIGOM *Este documento não pode ser impresso ou comercializado.

APLICATIVO WebSIGOM *Este documento não pode ser impresso ou comercializado. APLICATIVO WebSIGOM *Este documento não pode ser impresso ou comercializado. Índice: 1- Acessando o WebSIGOM pág. 03 2- Menu Cadastro pág. 04 2.1- Para inserir um novo usuário pág. 04 2.2- Para consultar

Leia mais

Manual XML Center DESENVOLVENDO SOLUÇÕES. Autora: Laila Maria Doc. Vrs. 01 Revisão: Aprovado em: Outubro de 2015.

Manual XML Center DESENVOLVENDO SOLUÇÕES. Autora: Laila Maria Doc. Vrs. 01 Revisão: Aprovado em: Outubro de 2015. Manual XML Center DESENVOLVENDO SOLUÇÕES Autora: Laila Maria Doc. Vrs. 01 Revisão: Aprovado em: Outubro de 2015. Nota de copyright Copyright 2015 Teorema Informática, Guarapuava. Todos os direitos reservados.

Leia mais

Linguagem. Documento D O C U M E N T O FÍSICO DIGITAL

Linguagem. Documento D O C U M E N T O FÍSICO DIGITAL Paradigma Do papel ao digital Linguagem FÍSICO Documento DIGITAL 01100100 01101111 01100011 01110101 D O C U 01101101 01100101 01101110 01110100 01101111 M E N T O Documento Consideram-se documentos quaisquer

Leia mais

LABORATÓRIO DE CONTABILIDADE

LABORATÓRIO DE CONTABILIDADE LABORATÓRIO DE CONTABILIDADE 2015 PROCESSO DE BAIXA Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte - e-cac) 1 Como visto anteriormente sobre o processo de baixa de empresa, o procedimento inicial diante

Leia mais

SEDIF SN PERGUNTAS E RESPOSTAS

SEDIF SN PERGUNTAS E RESPOSTAS SEDIF SN PERGUNTAS E RESPOSTAS Sumário INTRODUÇÃO... 4 1. SEDIF-SN: QUESTÕES TÉCNICAS... 4 1.1. Como ler o nome identificador da declaração gerada pelo SEDIF_SN? Também como identificar se trata de uma

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Coordenadoria da Administração Tributária Diretoria Executiva da Administração Tributária Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte Manual

Leia mais

Manual. Manifestação Destinatário

Manual. Manifestação Destinatário Manual Manifestação Destinatário Sr.Farmacista Evite fraudes em seu CNPJ 1 Você dono de um estabelecimento sabe que hoje o governo disponibiliza gratuitamente para você um programa onde é possível visualizar

Leia mais

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DE ATIVOS (CBLC) Março 2011 GLOSSÁRIO ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

VERITAE Cursos/RJ/Abril/2012

VERITAE Cursos/RJ/Abril/2012 VERITAE Cursos/RJ/Abril/2012 CURSO CONECTIVIDADE SOCIAL, ICP BRASIL E O MANAD- MANUAL DE ARQUIVOS DIGITAIS ASPECTOS OPERACIONAIS E O LEIOUTE DA FOLHA DE PAGAMENTO Lei nº 10.666/2003; Circulares CEF 547

Leia mais

INSTALAÇAO DA CERTIFICADORA ICP- BRASIL NOS PRINCIPAIS NAVEGADORES

INSTALAÇAO DA CERTIFICADORA ICP- BRASIL NOS PRINCIPAIS NAVEGADORES PRESIDÊNCIA PRE COORDENAÇÃO-GERAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CGTI COORDENAÇÃO DE INFRAESTRUTURA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COINF DIVISÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DE RISCOS - DISEG INSTALAÇAO

Leia mais

CeC. Cadastro Eletrônico de Contribuintes

CeC. Cadastro Eletrônico de Contribuintes CeC Cadastro Eletrônico de Contribuintes Versão 1.0 Usuário Externo Março/2010 Índice 1. Apresentação... 3 2. Objetivos... 3 3. Solicitação de CeC... 4 3.1. Cadastro de pessoas físicas... 5 3.1.1. Cadastro

Leia mais

IPI TABELAS PRÁTICAS ICMS - PA ANO XXI - 2010-4ª SEMANA DE AGOSTO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 35/2010

IPI TABELAS PRÁTICAS ICMS - PA ANO XXI - 2010-4ª SEMANA DE AGOSTO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 35/2010 IPI ANO XXI - 2010-4ª SEMANA DE AGOSTO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 35/2010 DIF PAPEL IMUNE - ANO-BASE 2010 - NOVAS DISPOSIÇÕES Introdução - Obrigatoriedade - Apresentação - Prazos - Retificação - Penalidades

Leia mais

Manual de instalação SafeSign Standard 3.0.87

Manual de instalação SafeSign Standard 3.0.87 Página 2 de 9 Sumário 1. Introdução... 3 2. Pré-requisitos... 3 3. Instalação do... 3 4. Verificando o... 8 Página 3 de 9 1. Introdução O SafeSign Standard é o software responsável por gerenciar hardwares

Leia mais

GUIA DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO INTELIGENTE

GUIA DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO INTELIGENTE GUIA DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO INTELIGENTE Sumário Orientações Iniciais... 3 1. Conectando e Identificando o cartão inteligente... 4 2. Alterando as senhas PIN e PUK... 5 3. Importando hierarquia de certificação

Leia mais

http://www.certificado.caixa.gov.br

http://www.certificado.caixa.gov.br Exmo. Sr. Magistrado e, Sr. Servidor, Para obter a Identidade Digital através da Autoridade Certificadora CAIXA é necessário: Entrar no Site: http://www.certificado.caixa.gov.br e em Serviços on-line para

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Coordenadoria da Administração Tributária Diretoria Executiva da Administração Tributária Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte Manual

Leia mais

Banco de Tokyo-Mitsubishi UFJ Brasil S/A

Banco de Tokyo-Mitsubishi UFJ Brasil S/A 1. PARTES CONVÊNIO PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA INTERNET BANKING O presente Convênio disciplina o uso do Sistema INTERNET BANKING ( INTERNET BANKING ) disponível na home page (www.br.bk.mufg.jp) de propriedade

Leia mais

SLEA SISTEMA DE LICENCIAMENTO ELETRÔNICO DE ATIVIDADES DA PREFEITURA DE SÃO PAULO

SLEA SISTEMA DE LICENCIAMENTO ELETRÔNICO DE ATIVIDADES DA PREFEITURA DE SÃO PAULO SLEA SISTEMA DE LICENCIAMENTO ELETRÔNICO DE ATIVIDADES DA PREFEITURA DE SÃO PAULO Manual passo-a-passo para obtenção do Auto de Licença de Funcionamento/ Auto de Licença de Funcionamento Condicionado Eletrônico

Leia mais

SEGURO DESEMPREGO ON-LINE.

SEGURO DESEMPREGO ON-LINE. SEGURO DESEMPREGO ON-LINE. GERAÇÃO DO ARQUIVO SEGURO DESEMPREGO NO SGRH: Depois de calcular a rescisão, acesse o menu Relatórios > Demissionais > Requerimento SD, selecione o empregado que será gerado

Leia mais

ROTEIRO PARA EMISSÃO DE CERTIFICADO DIGITAL A1

ROTEIRO PARA EMISSÃO DE CERTIFICADO DIGITAL A1 ROTEIRO PARA EMISSÃO DE CERTIFICADO DIGITAL A1 Informações importantes sobre a emissão do Certificado A1: 1. Todos os certificados do tipo A1 emitidos no computador/usuário são gerados em um único Repositório

Leia mais

Leitora Perto Smart. Guia de Instalação. Leitora Perto Smart Guia de Instalação. Janeiro/2010. Instalação da leitora Perto Smart.

Leitora Perto Smart. Guia de Instalação. Leitora Perto Smart Guia de Instalação. Janeiro/2010. Instalação da leitora Perto Smart. Leitora Perto Smart Guia de Instalação Página 1 de 14 Pré Requisitos para a instalação Dispositivos de Certificação Digital (Leitora Perto) Para que o processo de instalação tenha sucesso, é necessário

Leia mais

Palestra. Atualização Trabalhista e Previdenciária. Junho 2012. Elaborado por: Valéria de Souza Telles

Palestra. Atualização Trabalhista e Previdenciária. Junho 2012. Elaborado por: Valéria de Souza Telles Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO DE JULHO DE 2012

BOLETIM INFORMATIVO DE JULHO DE 2012 BOLETIM INFORMATIVO DE JULHO DE 2012 S U M Á R I O 1 - MATÉRIAS FEDERAIS 1 2 - MATÉRIAS ESTADUAIS 3 3 - MATÉRIAS MUNICIPAIS 3 4 - MATÉRIAS TRABALHISTAS 5 5 - MATÉRIAS DIVERSAS 5 1 - MATÉRIAS FEDERAIS EFD-CONTRIBUIÇÕES:

Leia mais

Soft Trade, desenvolvendo soluções para RH há 26 anos. WORKSHOP esocial. www.esocial.gov.br www.softtrade.com.br 14/02/2014

Soft Trade, desenvolvendo soluções para RH há 26 anos. WORKSHOP esocial. www.esocial.gov.br www.softtrade.com.br 14/02/2014 Soft Trade, desenvolvendo soluções para RH há 26 anos WORKSHOP esocial www.esocial.gov.br www.softtrade.com.br 14/02/2014 E agora, José?? Carlos Drummond de Andrade Solução? Problema? Afinal é bom para

Leia mais

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO?

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO? Índice BlueControl... 3 1 - Efetuando o logon no Windows... 4 2 - Efetuando o login no BlueControl... 5 3 - A grade de horários... 9 3.1 - Trabalhando com o calendário... 9 3.2 - Cancelando uma atividade

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Manual do Usuário

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Manual do Usuário MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Manual do Usuário SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 3 INTRODUÇÃO 4 ACESSO AO SISTEMA 5 CADASTRO 6 1 Identificação da ICT 6 2 Política

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Acesso ao Sistema - Pessoa Física

Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Acesso ao Sistema - Pessoa Física Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Acesso ao Sistema - Pessoa Física Versão 2.6 Nota Fiscal Eletrônica de Serviços NF-e Versão do Manual: 2.6 pág. 2 Manual do Sistema da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços

Leia mais

Indenização adicional a data base da categoria. Neste bip. Você Sabia? Geração do arquivo Homolognet. Edição 58 Junho de 2015

Indenização adicional a data base da categoria. Neste bip. Você Sabia? Geração do arquivo Homolognet. Edição 58 Junho de 2015 Neste bip Indenização Artigo 9º, Lei n.º 7.238/84... 1 Geração do arquivo Homolognet... 1 Escrituração Contábil Digital... 2 Você Sabia? Que no sistema rumo é possível emitir o recibo de devolução e entrega

Leia mais

Licitações CAIXA. Sistema de Compras Eletrônicas. Manual do Licitante

Licitações CAIXA. Sistema de Compras Eletrônicas. Manual do Licitante Licitações CAIXA Sistema de Compras Eletrônicas Manual do Licitante Apresentação Seja bem-vindo ao guia para navegação no Portal LICITAÇÕES CAIXA Sistema de Compras Eletrônicas da Caixa Econômica Federal.

Leia mais

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS Janeiro de 2007 GLOSSÁRIO... 9 CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES E INVESTIDORES... 14 1. ASPECTOS GERAIS... 14 1.1 APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS... 14 2. CADASTRO DE PARTICIPANTES...

Leia mais