TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Formulário de Telecom

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Formulário de Telecom"

Transcrição

1 1. IDENTIFICAÇÃO TC n : Órgão concedente: Objeto da outorga: Local: 2. LEGISLAÇÃO APLICÁVEL a Constituição Federal, art. 21, XI; b - Lei n.º 9.472/97; c - Resolução ANATEL n.º 65/98 e 73/98; d - Lei n.º 8.977/95, 8.666/93 e 9.295/96; (Observar disposições do art. 210 da LGT. O entendimento da SEFID é pela aplicação subsidiária da Lei n.º 8.666/93, nos aspectos da licitação não regulados pela Anatel). e - Decreto n.º 2.206/96; f - IN-TCU n.º 27/ Observações 3. CUMPRIMENTO DA IN-TCU n.º 27/ Primeiro Estágio da viabilidade técnica e econômica Objetivo: Verificar se foram adotados os procedimentos exigidos pelo art. 7º da IN no tocante ao estudo de viabilidade técnica e econômica do empreendimento: Documentação exigida: VERIFICAR SE ENCONTRAM RELACIONADOS NO PROCESSO OS Fls. SEGUINTES ELEMENTOS (art. 7º, inciso II, 2 - IN a) relatório sintético sobre os estudos de viabilidade técnica e econômica do empreendimento, com informações sobre: - o seu objeto... - área... - prazo da outorga orçamento das obras realizadas e a realizar... - data de referência dos orçamentos... - custo estimado de prestação dos serviços... - fontes de receitas alternativas, complementares, acessórias e as provenientes de 71

2 projetos associados... b) relatório dos estudos, investigações, levantamentos, projetos, obras e despesas ou investimentos já efetuados, vinculados à outorga, de utilidade para a licitação, realizados ou autorizados pelo órgão ou pela entidade federal concedente, quando houver... c) relatório sintético sobre os estudos de impactos ambientais, indicando a situação do licenciamento ambiental, quando necessários... N/A- Não se aplica DOS PRAZOS (inciso I do art. 8º) O prazo a que se refere o art. 8º da IN-TCU n.º 27/98, para envio da documentação correspondente ao primeiro estágio, 30 (trinta) dias, no mínimo, antes da publicação do edital de licitação, deverá ser observado quando do exame referente ao segundo estágio, oportunidade na qual será enviado o referido edital, entre outros documentos INFORMAÇÕES SOBRE O EMPREENDIMENTO VERIFICAR SE FORAM FORNECIDAS AS SEGUINTES INFORMAÇÕES SOBRE O EMPREENDIMENTO Fls. 72

3 a) natureza jurídica da outorga... b) objeto, área e prazo da outorga... c) justificativa da conveniência da prestação do serviço, uso da radiofreqüência ou exploração de satélite... d) dimensionamento físico do projeto... e) valor previsto de investimento... f) previsão de faturamento e despesas, assim como de outras possíveis fontes de receitas, se for o caso... g) prazo para amortização do investimento... h) custo estimado de prestação dos serviços... i) previsão do valor a ser arrecadado ao Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (FISTEL) CONCLUSÃO ( ) Diante do exposto, considerando, submetemos os autos à consideração superior, propondo a realização de diligência, objetivando ( ) Diante do exposto, considerando que foi apresentada a documentação exigida na IN n.º 27/98 e que foi comprovada a viabilidade do empreendimento, submetemos os autos à consideração superior, propondo que sejam aprovados os procedimentos relativos ao primeiro estágio, devendo o mesmo permanecer nesta unidade técnica para juntada aos documentos correspondentes aos estágios posteriores e conseqüente análise. ( ) Diante do exposto, considerando que foi apresentada a documentação exigida na IN- TCU n.º 27/98 e que foi observada a legislação aplicável à matéria, mas que foram detectadas as falhas apontadas no item XXX deste relatório, que não ensejam irregularidade, submetemos os autos à consideração superior, propondo que sejam aprovados, com ressalvas, os procedimentos 73

4 relativos ao XXX estágio, devendo os autos serem remetidos à consideração do Relator, Exmo. Sr. ( ) Diante do exposto, submetemos os autos à consideração superior, propondo que os mesmos sejam submetidos ao Relator, nos termos da art. 17 da IN n.º 27/98 - TCU, em face das seguintes falhas ou irregularidades:, para adoção das seguintes medidas DATA/LOCAL AFCE/MATRICULA/ASSINATURA De acordo. DIRETOR/CARIMBO/ASSINATURA ( ) De acordo. Promova-se a diligência proposta. SECRETÁRIO/CARIMBO/ASSINATURA ( ) De acordo. Os autos deverão permanecer nesta Unidade para juntada aos documentos referentes aos estágios subseqüentes. ( ) De acordo. Encaminhem-se os presentes autos à consideração do Relator. 6- LEGISLAÇÃO: 74

5 Tribunal de Contas da União SEGUNDO ESTÁGIO 1 - IDENTIFICAÇÃO TC N : ORGÃO CONCEDENTE: OBJETO DA OUTORGA: LOCAL: 2 - CUMPRIMENTO DA IN n.º 27/98 - TCU PRIMEIRO ESTÁGIO O exame relativo ao primeiro estágio - estudo de viabilidade técnica e econômica - consta do volume..., às fls PRAZOS: CUPRIMENTO DE PRAZO Verificar o cumprimento do prazo de encaminhamento dos documentos relativos ao primeiro estágio (30 dias, no mínimo, antes da publicação do edital de licitação - art. 8º da IN-TCU n.º 27/98). Fls SEGUNDO ESTÁGIO - DA PRÉ-QUALIFICAÇÃO E DO EDITAL OBJETIVO: O objetivo da pré-qualificação é selecionar empresas ou consórcios de empresas que poderão participar da concorrência (ou leilão) para explorar o empreendimento DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA: VERIFICAR SE CONSTAM DO PROCESSO OS ELEMENTOS Fls. EXIGIDOS PELO ART. 7º (Quando couber): a) edital de pré-qualificação;... b) atas de abertura e de encerramento da pré-qualificação;... c) relatório de julgamento da pré-qualificação;... d) recursos eventualmente interpostos e decisões proferidas referentes à préqualificação; edital de licitação;... e) minuta de contrato;... f) todas as comunicações e esclarecimentos porventura encaminhados às em- 75

6 presas participantes da licitação, bem como as impugnações ao edital, a- companhadas das respectivas respostas PRAZOS ART. 8º IN N.º 027/98 - TCU: VERIFICAR SE FORAM OBSERVADOS OS PRAZOS NO ENVIO DA DOCUMENTAÇÃO REFERENTE AO SEGUNDO ESTÁGIO - 5 (cinco) dias, no máximo, após: a) a sua publicação, para o edital de pré-qualificação;... b) resultado final do julgamento, para os documentos relacionados nas alíneas b a d deste estágio;... c) a sua publicação, para o edital de licitação, acompanhado da minuta do contrato;... d) esgotado o prazo de impugnação ao edital, para os documentos relacionados na alínea g deste estágio.... SIM NÃO EXAME DA PRÉ-QUALIFICAÇÃO VERIFICAR SE NO PROCEDIMENTO DE PRÉ- SIM NÃO 76

7 QUALIFICAÇÃO: a) houve, em algum momento, contrariedade ao princípio constitucional da isonomia... b) o julgamento ocorreu de forma a garantir a observância aos princípios básicos de legalidade, celeridade, finalidade, razoabilidade, proporcionalidade, impessoalidade, imparcialidade, eficiência, igualdade, devido processo legal, publicidade, moralidade, probidade administrativa, vinculação ao instrumento convocatório, competitividade, justo preço e seleção e comparação objetiva de licitantes e propostas... c) foi garantida a igualdade de oportunidades aos interessados EXAME DO EDITAL PRINCÍPIOS GERAIS: VERIFICAR SE AS DISPOSIÇÕES CONSTANTES DO EDITAL: SIM NÃO a) ferem, em algum item, o princípio constitucional da isonomia... b) possibilitam a seleção da proposta mais vantajosa para a Administração e para o usuário... c) fixam critérios de julgamento que garantem observância aos princípios básicos de legalidade, celeridade, finalidade, razoabilidade, proporcionalidade, impessoalidade, imparcialidade, eficiência, igualdade, devido processo legal, publicidade, moralidade, probidade administrativa, vinculação ao instrumento convocatório, competitividade, justo preço e seleção e comparação objetiva de licitantes e propostas... d) garantem a igualdade de oportunidades aos interessados... 77

8 EXAME ESPECÍFICO (Art. 14 do Regulamento p/ Licitações de Outorgas - Resolução ANATEL n.º 65/98): VERIFICAR SE CONSTAM DO EDITAL AS CLÁUSULAS ESSENCIAIS A QUE SE REFERE O ART. 14 DO REGULAMENTO P/ LICITAÇÕES DE OUTORGAS - RESOLUÇÃO ANATEL N.º 65/98 a) identificação do serviço ou da radiofreqüência e a descrição de sua prestação ou uso... b) local para onde deverão ser encaminhados os pedidos de esclarecimentos sobre o instrumento convocatório... c) forma de divulgação dos esclarecimentos solicitados pelos licitantes no prazo definido no instrumento convocatório... d) local, dias e horários em que serão recebidos os documentos e propostas... e) obrigações, compromissos e contrapartidas de interesse dos usuários de serviço de telecomunicações, proporcionais à vantagem econômica decorrente da concessão, permissão ou autorização, que deverão ser assumidos pela concessionária, permissionária ou autorizada... f) preço público a ser pago pela concessão, permissão ou autorização e sua forma de pagamento ou previsão de que essas condições serão ofertadas pelos licitantes, podendo o instrumento convocatório, nesta hipótese, fixar limites de valores e prazo de pagamento... g) tarifas ou preços máximos dos serviços para os usuários, quando for o caso... h) prazo de validade das propostas, que não será superior a noventa dias, facultando-se sua prorrogação, a critério do licitante... i) fatores e critérios para aceitação e julgamento das propostas... j) exigências de habilitação dos interessados, inclusive com indicação, quando houver, das restrições, limites ou condições impostos à participação de empresas ou grupos empresariais, bem como do limite de participação estrangeira no capital da prestadora... k) possíveis fontes de receita da prestadora, se for o caso... l) sanções aplicáveis pelo atraso no pagamento do preço público devido pela concessão, permissão ou autorização e pela inobservância dos compromissos e contrapartidas assumidos pela prestadora... m) garantias de manutenção da proposta, de pagamento do preço público devido Fls. 78

9 pela concessão, permissão ou autorização e dos encargos decorrentes da mora, bem como as garantias de cumprimento dos compromissos e contrapartidas assumidas, quando exigidas... n) condições que deverão ser mantidas durante a prestação do serviço ou uso de radiofreqüência OUTORGAS DE CONCESSÃO EM OUTORGAS DE CONCESSÃO, VERIFICAR SE CONSTAM DO EDITAL, ADICIONALMENTE: a) regras, critérios, indicadores, fórmulas e parâmetros definidores da implantação, expansão, alteração e modernização do serviço, bem como de sua qualidade... b) deveres do concessionário relativos à universalização e à continuidade do serviço... c) os valores das tarifas a serem cobradas dos usuários ou, quando admitida sua oferta pelo licitante, os limites máximos que deverão ser observados... d) os critérios para reajuste e revisão das tarifas... e) os bens reversíveis, se houver, e as condições em que serão postos à disposição da Anatel, quando extinta a concessão... f) a expressa indicação do responsável pelo ônus das desapropriações necessárias à exploração do serviço, ou para instituição de servidão administrativa... g) os direitos, as garantias e as obrigações dos usuários, da Anatel e do concessionário... h) as sanções pelo descumprimento das obrigações... i) a minuta do contrato de concessão... Fls OUTORGAS DE PERMISSÃO EM OUTORGAS DE PERMISSÃO, VERIFICAR SE CONSTAM DO EDITAL, ADICIONALMENTE: a) regras, critérios, indicadores, fórmulas e parâmetros definidores da implanta- Fls. 79

10 ção, expansão, alteração e modernização do serviço, bem como de sua qualidade... b) deveres do permissionário relativos à universalização e à continuidade do serviço... c) prazos máximos e mínimos de vigência estimados... d) os valores das tarifas a serem cobradas dos usuários ou, quando admitida sua oferta pelo licitante, os limites máximos que deverão ser observados... e) os critérios para reajuste e revisão das tarifas... f) os bens reversíveis, se houver, e as condições em que serão postos à disposição da Anatel, quando extinta a permissão... g) a expressa indicação do responsável pelo ônus das desapropriações necessárias à exploração do serviço, ou para instituição de servidão administrativa... h) os direitos, as garantias e as obrigações dos usuários, da Anatel e do permissionário... i) as sanções pelo descumprimento das obrigações... j) a minuta do termo de permissão OUTORGAS DE SERVIÇO DE TV A CABO PARA OS SERVIÇOS DE TV A CABO, VERIFICAR SE O EDITAL ATENDE O DISPOSTO NO ART. 19 DO REGULAMENTO DO SERVIÇO DE TV A CABO (DECRETO 2.206/97) a) objeto e prazo da concessão... b) área de prestação do serviço... c) características técnicas do serviço... d) referência à regulamentação a ser obedecida pela entidade exploradora do serviço... e) descrição das condições necessárias à prestação adequada do serviço... f) valor mínimo e condições de pagamento pelo direito de exploração do serviço... g) prazos para recebimento das propostas, julgamento da licitação e assinatura do contrato... h) relação de documentos exigidos para a aferição da qualificação técnica, da Fls. 80

11 qualificação econômico-financeira, da habilitação jurídica e da regularidade fiscal... i) direitos e obrigações do poder concedente e da concessionária em relação a alterações e expansões a serem realizadas no futuro, para garantir a continuidade da prestação do serviço... j) critérios, indicadores, fórmulas e parâmetros a serem utilizados no julgamento técnico e econômico-financeiro da proposta... k) condições de liderança da empresa responsável, no caso de participação de empresas em consórcio... l) prazos e condições para interposição de recursos... m) minuta do respectivo contrato de concessão, contendo suas cláusulas essenciais EXAME DA MINUNTA DO CONTRATO DE CONCESSÃO OU DOS TERMOS DE PERMISSÃO OU AUTORIZAÇÃO EM CONTRATO DE CONCESSÃO, VERIFICAR A CONFORMIDADE COM O DISPOTO NA LEI N.º 8.666/93 E NO ART. 67 DO REGULAMENTO DE LICITAÇÕES DE OUTORGAS (RESOLUÇÃO ANATEL N.º 65/98) a) objeto, área e prazo da concessão... b) modo, forma e condições da prestação do serviço... c) regras, critérios, indicadores, fórmulas e parâmetros definidores da implantação, expansão, alteração e modernização do serviço, bem como de sua qualidade... d) deveres relativos à universalização e à continuidade do serviço... e) valor devido pela outorga, a forma e as condições de pagamento... f) as garantias de manutenção da proposta, de pagamento do preço público devido pela outorga e dos encargos decorrentes da mora, bem como as garantias de cumprimento dos compromissos e contrapartidas assumidas, quando exigigi- Fls. 81

12 das... g) as condições de prorrogação, incluindo os critérios para fixação do valor... h) as tarifas a serem cobradas dos usuários e os critérios para seu reajuste e revisão... i) as possíveis receitas alternativas, complementares ou acessórias, bem como as provenientes de projetos associados... j) os direitos, as garantias e as obrigações dos usuários, da Agência e da concessionária... k) a forma da prestação de contas e da fiscalização... l) os bens reversíveis, se houver... m) as condições gerais para interconexão, quando for o caso... n) a obrigação de manter, durante a execução do contrato, todas as condições de habilitação exigidas na licitação... o) as sanções... p) as hipóteses de extinção da concessão... q) a vinculação ao edital de licitação e à proposta do licitante vencedor... r) a legislação aplicável à execução do contrato e especialmente aos casos omissos... s) foro e o modo para solução extrajudicial das divergências contratuais... EM TERMO DE PERMISSÃO, VERIFICAR A CONFORMIDADE COM O DISPOTO NA LEI N.º 8.666/93 E NO ART. 77 DO REGULAMENTO DE LICITAÇÕES DE OUTORGAS (RESOLUÇÃO ANATEL N.º 65/98) a) objeto e área da permissão, bem como os prazos mínimo e máximo de vigência estimados... b) modo, forma e condições da prestação do serviço... c) valor devido pela outorga, a forma e as condições de pagamento... d) as garantias de manutenção da proposta, de pagamento do preço público devido pela outorga e dos encargos decorrentes da mora, bem como as garantias de cumprimento dos compromissos e contrapartidas assumidas, quando exigidas... Fls. e) as tarifas a serem cobradas dos usuários, critérios para seu reajuste e revisão e as possíveis fontes de receitas alternativas... f) os direitos, as garantias e as obrigações dos usuários, do permitente e do permissionário... g) condições gerais de interconexão... h) forma de prestação de contas e da fiscalização... i) bens entregues pelo permitente à administração do permissionário... j) sanções... k) as hipóteses de extinção da concessão... l) a vinculação ao edital de licitação e à proposta do licitante vencedor... 82

13 m) a legislação aplicável à execução do contrato e especialmente aos casos omissos... n) bens reversíveis, se houver... o) foro e modo para solução extrajudicial das divergências... EM TERMO DE AUTORIZAÇÃO, VERIFICAR A CONFORMIDADE COM O DISPOTO NA LEI N.º 8.666/93 E NO ART. 90 DO REGULAMENTO DE LICITAÇÕES DE OUTORGAS (RESOLUÇÃO ANATEL N.º 65/98) a) objeto, área e prazo da autorização... b) modo, forma e condições de prestação do serviço... c) valor devido pela outorga, a forma e as condições de pagamento... d) a vinculação da autorização ao cumprimento dos compromissos e contrapartidas assumidos pela autorizada, em conformidade com sua proposta e com o instrumento convocatório... e) os direitos, as garantias e as obrigações dos usuários, da Agência e da autorizada... f) a forma de prestação de contas e da fiscalização... g) as condições para interconexão, se houver... h) preço máximo dos serviços que serão praticados junto aos usuários, quando for o caso, e os critérios de reajuste e revisão... i) a obrigação de a autorizada manter suas condições subjetivas, aferidas pela ANATEL, durante todo o período de exploração do serviço... j) a obrigação de a autorizada prestar os serviços em conformidade com o plano de execução por ela apresentado... k) as garantias de pagamento do preço público devido pela autorização e de cumprimento dos compromissos e contrapartidas... l) as sanções... m) as hipóteses de extinção da concessão... n) a vinculação ao edital de licitação e à proposta do licitante vencedor... o) a legislação aplicável à execução do contrato e especialmente aos casos omissos... p) o foro e o modo para solução extrajudicial das divergências... Fls. 83

14 3 - CONCLUSÃO ( ) Diante do exposto, considerando, submetemos os autos à consideração superior, propondo a realização de diligência, objetivando ( ) Diante do exposto, considerando que foi apresentada a documentação exigida na IN n.º 27/98 e que foram observadas as formalidades previstas na legislação aplicável, submetemos os autos à consideração superior, propondo que sejam aprovados os procedimentos relativos ao segundo estágio, devendo os autos permanecerem nesta Unidade Técnica para juntada aos documentos correspondentes aos estágios posteriores e conseqüente análise. ( ) Diante do exposto, submetemos os autos à consideração superior, propondo que os mesmos sejam submetidos ao Relator, nos termos da art. 17 da IN n.º 27/98 TCU, em face das seguintes falhas ou irregularidades:, para adoção das seguintes medidas DATA/LOCAL AFCE/MATRICULA/ASSINATURA De acordo. DIRETOR/CARIMBO/ASSINATURA ( ) De acordo. Promova-se a diligência proposta. SECRETÁRIO/CARIMBO/ASSINATURA ( )De acordo. Os autos deverão permanecer nesta Unidade para juntada aos documentos referentes aos estágios posteriores e conseqüente análise. ( ) De acordo. Encaminhem-se os presentes autos à consideração do Relator. 5 - LEGISLAÇÃO: a - Lei n.º 9.472/97; b Resolução ANATEL n.º 65/98; c Lei n.º 8.977/95; d - Decreto n.º 2.206/96; 84

15 e IN-TCU n.º 27/98. 85

16 Tribunal de Contas da União TERCEIRO ESTÁGIO 1 - DADOS TC N : ORGÃO CONCEDENTE: OBJETO DA OUTORGA: LOCAL: 2 - PRIMEIRO E SEGUNDO ESTÁGIOS 2.1. Os exames relativos ao primeiro e segundo estágios - estudo de viabilidade técnica e econômica, da pré-qualificação e do edital - constam dos volumes..., às fls TERCEIRO ESTÁGIO -EXAME DO JULGAMENTO DA HABILITAÇÃO E DAS PROPOSTAS 3.1. OBJETIVO: Verificar se os procedimentos adotados pela Comissão de Licitação relativos às exigências para habilitação das licitantes e ao julgamento das propostas foram compatíveis com as prescrições legais e não comprometeram o caráter competitivo do certame DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA: VERIFICAR SE CONSTAM DO PROCESSO OS ELEMENTOS EXIGIDOS PELO ART. 7º - IN-TCU N.º 27/98: a) atas de abertura e de encerramento da habilitação;... b) relatório de julgamento da habilitação;... c) questionamentos das licitantes sobre a fase de habilitação, eventuais recursos interpostos, acompanhados das respostas e decisões respectivas;... d) atas de abertura e de encerramento da fase do julgamento das propostas;... e) relatórios de julgamentos e outros que venham a ser produzidos;... f) recursos eventualmente interpostos e decisões proferidas referentes à fase do julgamento das propostas.... Fls. 86

17 3.3. PRAZOS (ART. 8º IN TCU N.º 27/98): VERIFICAR SE FORAM OBSERVADOS OS PRAZOS NO ENVIO DA DOCUMENTAÇÃO REFERENTE AO TERCEIRO ESTÁGIO - 5 (CINCO) DIAS, NO MÁXIMO, APÓS: a) esgotado o prazo para a interposição de recursos ao resultado do julgamento da fase de habilitação para os documentos relacionados nas alíneas a e b deste estágio;... b) as decisões proferidas sobre eventuais recursos interpostos para os documentos relacionados na alínea c ;... c) a homologação do resultado do julgamento das propostas para os demais documentos deste estágio.... SIM NÃO 3.4. ANÁLISE DO JULGAMENTO E DA HABILITAÇÃO VERIFICAR SE O JULGAMENTO DAS PROPOSTAS E DA HABILITAÇÃO CONTRARIAM OS PRINCÍPIOS GERAIS DA LICITAÇÃO E, EM ESPECIAL, SE: a) julgamento das propostas atendeu aos princípios de vinculação ao instrumento convocatório e comparação objetiva... b) as propostas foram classificadas de acordo com os fatores previstos no edital, utilizando-se, para tanto, exclusivamente os critérios nele indicados... c) no julgamento das propostas, não foi utilizado elemento, critério ou fator sigiloso, secreto, subjetivo ou reservado que, ainda que indiretamente, elidiu o princípio da igualdade entre os licitantes... d) os critérios de avaliação constantes do edital não contrariam normas ou princípios estabelecidos em lei... SIM NÃO 87

18 e) a Comissão fundamentou a desclassificação de propostas com a indicação precisa e objetiva de dispositivos de lei, regulamento ou instrumento convocatório que amparem a decisão... f) não foram classificadas propostas que não atendiam às exigências do ato convocatório da licitação... g) a Comissão de Licitação deu oportunidade para que os licitantes presentes à sessão de abertura dos envelopes se manifestassem sobre as propostas... h) no caso de a Comissão ter utilizado de pareceres ou estudos de especialistas para fundamentar sua decisão, os mesmos constam do processo i) foi analisada a documentação relativa à habilitação de todos os licitantes para verificação do cumprimento, pelo proponente que apresentou a melhor oferta, das condições restritivas fixadas no edital e, em especial, nos arts. 49, 53, 2º, inciso II e 56 1º do Regulamento para licitações de outorgas (Resolução ANATEL n.º 65/98)... j) a Comissão fundamentou a inabilitação de licitante com a indicação precisa e detalhada dos fatos e das razões de direito que ensejaram a decisão, não se tendo limitado à mera indicação de dispositivos de lei, regulamento ou instrumento convocatório... k) foram respeitadas as disposições constantes dos arts. 29 a 31 do Regulamento para licitações de outorgas (Resolução ANATEL n.º 65/98) para recebimento e análise de recursos... l) consta análise da Procuradoria da Agência Reguladora quanto à legalidade do procedimento licitatório, nos termos do art. 32 do Regulamento para licitações de outorgas (Resolução ANATEL n.º 65/98) CONCLUSÃO ( ) Diante do exposto, considerando, submetemos os autos à consideração superior, propondo a realização de diligência, objetivando 88

19 ( ) Diante do exposto, considerando que foi apresentada a documentação exigida na IN n.º 27/98 e que foi observada a legislação aplicável à matéria, submetemos os autos à consideração superior, propondo que sejam aprovados os procedimentos relativos ao terceiro estágio, devendo os autos serem encaminhados à consideração do Relator. ( ) Diante do exposto, considerando que foi apresentada a documentação exigida na IN- TCU n.º 27/98 e que foi observada a legislação aplicável à matéria, mas que foram detectadas as falhas apontadas no item XXX deste relatório, que não ensejam irregularidade, submetemos os autos à consideração superior, propondo que sejam aprovados, com ressalvas, os procedimentos relativos ao XXX estágio, devendo os autos serem remetidos à consideração do Relator, Exmo. Sr. ( ) Diante do exposto, submetemos os autos à consideração superior, propondo que os mesmos sejam submetidos ao Relator, nos termos da art. 17 da IN n.º 27/98 - TCU, em face das seguintes falhas ou irregularidades:..., para adoção das medidas... DATA/LOCAL AFCE/MATRICULA/ASSINATURA De acordo. DIRETOR/CARIMBO/ASSINATURA ( ) De acordo. Promova-se a diligência proposta. SECRETÁRIO/CARIMBO/ASSINATURA ( ) De acordo. Encaminhem-se os presentes autos à consideração do Relator. 5 - LEGISLAÇÃO: a - Lei n.º 9.472/97; b Resolução ANATEL n.º 65/98; c Lei n.º 8.977/95; d - Decreto n.º 2.206/96; e IN-TCU n.º 27/98. 89

20 Tribunal de Contas da União QUARTO ESTÁGIO 1. DADOS TC N : ORGÃO CONCEDENTE: OBJETO DA OUTORGA: LOCAL: 2 - PRIMEIRO AO TERCEIRO ESTÁGIOS 2.1. Os exames relativos ao primeiro, segundo e terceiro estágios estudos de viabilidade técnica e econômica, da pré-qualificação e do edital, bem como do julgamento das habilitações e das propostas constam dos volumes..., às fls QUARTO ESTÁGIO - EXAME DA OUTORGA E DO CONTRATO 3.1. OBJETIVO: Verificar se o ato de outorga e o contrato de concessão ou permissão assinados contêm algum vício ou disposições estranhas ao edital e à minuta de contrato previamente aprovada DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA: VERIFICAR SE CONSTAM DO PROCESSO OS ELEMENTOS EXIGIDOS PELO ART. 7º - IN N.º 027/98 TCU a) ato de outorga;... b) contrato de concessão ou de permissão.... Fls. 90

21 3.3. PRAZOS ART. 8º IN N.º 027/98 - TCU: Verificar se foram observados os prazos no envio da documentação referente ao Quarto Estágio - 5 (Cinco) dias, no máximo, após a assinatura do termo contratual:... SIM NÃO 3.4. PRAZOS (Parágrafo único do art. 9º da IN TCU n.º 27/98) : VERIFICAR SE FORAM OBSERVADOS OS PRAZOS ENTRE A HOMOLOGAÇÃO DO RESULTADO DO JULGAMENTO DAS PROPOSTAS E A ASSINATURA DO TERMO CONTRATUAL mínimo de 45 (quarenta e cinco) dias. Sim Não 91

22 4 - EXAME DO CONTRATO DE CONCESSÃO OU DO TERMO DE PERMISSÃO OU AUTORIZAÇÃO Creio que a análise proposta abaixo foi prevista (ou deveria ter sido) na análise do segundo estágio, sendo desnecessária nesse momento. No quarto estágio, o analista deve verificar se a minuta de contrato anexa ao edital da licitação foi respeitada em todos os seus itens e cláusulas. Não há análise de fato, mas simples conferência de itens e cláusulas (tudo tem de ser igual). EM CONTRATO DE CONCESSÃO, VERIFICAR A CONFORMIDADE DO CONTRATO ASSINADO COM A MINUTA APROVADA NO 2º ESTÁGIO, DE ACORDO A CONFORMIDADE COM O DISPOSTO NA LEI N.º 8.666/93 E NO ART. 67 DO REGULAMENTO DE LICITAÇÕES DE OUTORGAS (RESOLUÇÃO ANATEL N.º 65/98) a) objeto, área e prazo da concessão... b) modo, forma e condições da prestação do serviço... c) regras, critérios, indicadores, fórmulas e parâmetros definidores da implantação, expansão, alteração e modernização do serviço, bem como de sua qualidade... d) deveres relativos à universalização e à continuidade do serviço... e) valor devido pela outorga, a forma e as condições de pagamento... f) as garantias de manutenção da proposta, de pagamento do preço público devido pela outorga e dos encargos decorrentes da mora, bem como as garantias de cumprimento dos compromissos e contrapartidas assumidas, quando exigidas... g) as condições de prorrogação, incluindo os critérios para fixação do valor... h) as tarifas a serem cobradas dos usuários e os critérios para seu reajuste e revisão... i) as possíveis receitas alternativas, complementares ou acessórias, bem como as provenientes de projetos associados... j) os direitos, as garantias e as obrigações dos usuários, da Agência e da concessionária... k) a forma da prestação de contas e da fiscalização... l) os bens reversíveis, se houver... m) as condições gerais para interconexão, quando for o caso... n) a obrigação de manter, durante a execução do contrato, todas as condições de habilitação exigidas na licitação... o) as sanções... p) as hipóteses de extinção da concessão... q) a vinculação ao edital de licitação e à proposta do licitante vencedor... r) a legislação aplicável à execução do contrato e especialmente aos casos omissos... s) foro e o modo para solução extrajudicial das divergências contratuais... SIM NÃO 92

23 EM TERMO DE PERMISSÃO, VERIFICAR A CONFORMIDADE COM O DISPOSTO NA LEI N.º 8.666/93 E NO ART. 77 DO REGULAMENTO DE LICITAÇÕES DE OUTORGAS (RESOLUÇÃO ANATEL N.º 65/98) a) objeto e área da permissão, bem como os prazos mínimo e máximo de vigência estimados... b) modo, forma e condições da prestação do serviço... c) valor devido pela outorga, a forma e as condições de pagamento... d) as garantias de manutenção da proposta, de pagamento do preço público devido pela outorga e dos encargos decorrentes da mora, bem como as garantias de cumprimento dos compromissos e contrapartidas assumidas, quando exigidas... e) as tarifas a serem cobradas dos usuários, critérios para seu reajuste e revisão e as possíveis fontes de receitas alternativas... f) os direitos, as garantias e as obrigações dos usuários, do permitente e do permissionário... g) condições gerais de interconexão... h) forma de prestação de contas e da fiscalização... i) bens entregues pelo permitente à administração do permissionário... j) sanções... k) as hipóteses de extinção da concessão... l) a vinculação ao edital de licitação e à proposta do licitante vencedor... m) a legislação aplicável à execução do contrato e especialmente aos casos omissos... n) bens reversíveis, se houver... o) foro e modo para solução extrajudicial das divergências... EM TERMO DE AUTORIZAÇÃO, VERIFICAR A CONFORMIDADE COM O DISPOSTO NA LEI N.º 8.666/93 E NO ART. 90 DO REGULAMENTO DE LICITAÇÕES DE OUTORGAS (RESOLUÇÃO ANATEL N.º 65/98) a) objeto e área da autorização... b) modo, forma e condições de prestação do serviço... c) valor devido pela outorga, a forma e as condições de pagamento... d) a vinculação da autorização ao cumprimento dos compromissos e contrapartidas assumidos pela autorizada, em conformidade com sua proposta e com o instrumento convocatório... e) os direitos, as garantias e as obrigações dos usuários, da Agência e da autorizada... f) a forma de prestação de contas e da fiscalização... g) as condições para interconexão, se houver... h) preço máximo dos serviços que serão praticados junto aos usuários, quan- SIM SIM NÃO NÃO 93

Interessados: Interessado: Ministério das Comunicações, Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Interessados: Interessado: Ministério das Comunicações, Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL Tribunal de Contas da União Número do documento: DC-0483-30/01-P Identidade do documento: Decisão 483/2001 - Plenário Ementa: Acompanhamento. ANATEL. Licitação. Outorga de direito de concessão para a exploração

Leia mais

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015.

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. EMENTA: Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP previsto no art. 15 da Lei nº 8.666/93, no âmbito do Município de Central Bahia. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993.

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. DECRETO N.º 7.892, DE 23 DE JANEIRO DE 2013. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que

Leia mais

EXCELENTÍSSIMA SENHORA PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. Objeto: Prestação de Serviço de Manutenção Predial

EXCELENTÍSSIMA SENHORA PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. Objeto: Prestação de Serviço de Manutenção Predial EXCELENTÍSSIMA SENHORA PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO Pregão Presencial nº. 003/2008 Objeto: Prestação de Serviço de Manutenção Predial EMENTA: AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Conceitos Verificações 1 VISÃO GERAL... 112 1.1 O QUE É O ARRENDAMENTO PORTUÁRIO?... 112 2 VERIFICAÇÕES INICIAIS... 113 3 ANÁLISE DOS ESTUDOS DE VIABILIDADE... 114 4 ANÁLISE DO FLUXO DE CAIXA... 117 5

Leia mais

DECRETO Nº 7.921, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013

DECRETO Nº 7.921, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 DECRETO Nº 7.921, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 Fonte: Diário Oficial da União Seção I Pág. 2 e 3 18.02.2013 Regulamenta a aplicação do Regime Especial de Tributação do Programa Nacional de Banda Larga para

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES PROCESSO Nº: UNIDADE GESTORA: RESPONSÁVEIS: INTERESSADO: ASSUNTO: RELATÓRIO REINSTRUÇÃO: DE ELC-14/00549369

Leia mais

RESPOSTA A RECURSO ADMINISTRATIVO CONCORRÊNCIA N 006/2009

RESPOSTA A RECURSO ADMINISTRATIVO CONCORRÊNCIA N 006/2009 RESPOSTA A RECURSO ADMINISTRATIVO CONCORRÊNCIA N 006/2009 Trata-se de procedimento licitatório, modalidade Concorrência, cujo objeto é a contratação de empresa do ramo da construção civil para execução

Leia mais

ATUAÇÃO DO TCU CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE INFRA ESTRUTURA

ATUAÇÃO DO TCU CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE INFRA ESTRUTURA SEMINÁRIO INTERNACIONAL CONCESSÃO DE AEROPORTOS ATUAÇÃO DO TCU NO ACOMPANHAMENTO DE CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE INFRA ESTRUTURA Francisco Giusepe Donato Martins Secretaria de Fiscalização de Desestatização

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 3.931, DE 19 DE SETEMBRO DE 2001. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21

Leia mais

PORTARIA CAU/SP Nº 063, DE 31 DE AGOSTO DE 2015.

PORTARIA CAU/SP Nº 063, DE 31 DE AGOSTO DE 2015. PORTARIA CAU/SP Nº 063, DE 31 DE AGOSTO DE 2015. Aprova a Instrução Normativa nº 06, de 31 de agosto de 2015, que regulamenta os trâmites administrativos dos Contratos no âmbito do Conselho de Arquitetura

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS ATA DE REGISTRO DE PREÇOS ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº: 003 -TERRACAP PROCESSO Nº: 111.004.762/2013 Pregão Presencial Nº: 29/2013 VALIDADE: 12 meses, a partir da publicação no DODF. Aos dias do mês de

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS Belo Horizonte, 19 de outubro de 2015. ASSUNTO: ENCAMINHAMENTO AO PRESIDENTE: DECISÃO DA PREGOEIRA EM RELAÇÃO AO RECURSO ADMINISTRATIVO APRESENTADO

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004

DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004 DIÁRIO OFICIAL EDIÇÃO Nº 030224 de 30/06/2004 GABINETE DO GOVERNADOR D E C R E T O Nº 1.093, DE 29 DE JUNHO DE 2004 Institui, no âmbito da Administração Pública Estadual, o Sistema de Registro de Preços

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - 3ª Região (SP, MS)

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - 3ª Região (SP, MS) CARTA CONVITE Nº: 008/2013. São Paulo, 04 de junho de 2.013. Processo n.º 042-05/2013 Tipo: MENOR PREÇO Firma: A/C: E-mail: Convidamos a referida empresa a apresentar proposta para atendimento do objeto

Leia mais

4. No item 15 onde se lê: Prazo final para apresentação do cronograma e do orçamento de construção das INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO

4. No item 15 onde se lê: Prazo final para apresentação do cronograma e do orçamento de construção das INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO TEL: 55 (61) 426 5743 Ouvidoria: 0800727 2010 PARA: Fax: ASSUNTO: EDITAL DE LEILÃO N o 002/2004-ANEEL ADENDO N o 03 - ESCLARECIMENTO DE: Rosângela Lago TEL: (61) 426-5743 FAX: (61) 426-5778 FAX N 0 206/2004-CEL/ANEEL

Leia mais

VIVA RIO REGULAMENTO PARA AQUISIÇÃO DE BENS E CONTRATAÇÃO DE OBRAS, SERVIÇOS E LOCAÇÕES

VIVA RIO REGULAMENTO PARA AQUISIÇÃO DE BENS E CONTRATAÇÃO DE OBRAS, SERVIÇOS E LOCAÇÕES VIVA RIO REGULAMENTO PARA AQUISIÇÃO DE BENS E CONTRATAÇÃO DE OBRAS, SERVIÇOS E LOCAÇÕES O PRESIDENTE DA VIVA RIO, no uso de suas atribuições regimentais, torna público o anexo Regulamento para Aquisição

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado (CCT)

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado (CCT) AUDIÊNCIA PÚBLICA Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado (CCT) Assunto INFORMAÇÕES ACERCA DA APROVAÇÃO PELA AGÊNCIA REGULADORA DE LICENÇA PARA A TELEFÔNICA PRESTAR

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 25004.005767/2007-09 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

RAZOES DA SOLICITAÇÃO/IMPUGNAÇÃO

RAZOES DA SOLICITAÇÃO/IMPUGNAÇÃO RAZOES DA SOLICITAÇÃO/IMPUGNAÇÃO As solicitações das Declarações e Especificações Técnicas 01 DO OBJETO (pagina 01 do Edital) Locação de impressoras multifuncionais novas (comprovadamente, com o máximo

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA LEI Nº 2.342, de 28 de dezembro de 2015 EMENTA: Autoriza o Poder Executivo Municipal a conceder à iniciativa privada o serviço público de tratamento e destinação final de resíduos sólidos urbanos do Município

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 355, DE 17 DE MARÇO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 355, DE 17 DE MARÇO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 355, DE 17 DE MARÇO DE 2015. Dispõe sobre os procedimentos e as taxas de desconto dos fluxos de caixa marginais a serem adotados nos processos de Revisão Extraordinária nos Contratos de Concessão

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO OPERACIONAL PARA SERVIÇOS DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO

PROGRAMA DE APOIO OPERACIONAL PARA SERVIÇOS DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO Superintendência de Urbanismo e Produção Habitacional Coordenação de Projetos PROGRAMA DE APOIO OPERACIONAL PARA SERVIÇOS DE ENGENHARIA,

Leia mais

O Diretor Presidente do Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável - CIEDS, no uso de suas atribuições:

O Diretor Presidente do Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável - CIEDS, no uso de suas atribuições: PORTARIA Nº. 001/2009 O Diretor Presidente do Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável - CIEDS, no uso de suas atribuições: Considerando que o CENTRO INTEGRADO DE ESTUDOS

Leia mais

Interessados: Interessado: Ministério das Comunicações, Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Interessados: Interessado: Ministério das Comunicações, Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL Tribunal de Contas da União Número do documento: DC-0182-12/01-P Identidade do documento: Decisão 182/2001 - Plenário Ementa: Acompanhamento. Licitação para outorga de Direito de Exploração de Serviço

Leia mais

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com.

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com. 1 2 CONSÓRCIO FÊNIX PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA - SMMU MANUAL DOS USUÁRIOS DO SISTEMA SIM MODALIDADE POR ÔNIBUS DIREITOS E DEVERES DAS PARTES ENVOLVIDAS

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE O RDC E A LEI 8666/93. Viviane Moura Bezerra

COMPARAÇÃO ENTRE O RDC E A LEI 8666/93. Viviane Moura Bezerra COMPARAÇÃO ENTRE O RDC E A LEI 8666/93 Viviane Moura Bezerra Índice de Apresentação 1.Considerações iniciais 2.Surgimento do RDC 3.Principais Inovações 4.Pontos Comuns 5.Contratação Integrada 6.Remuneração

Leia mais

CONSULTA N. 605/2014 CONSULENTE: UFSC - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EMENTA: 1. PERGUNTA:

CONSULTA N. 605/2014 CONSULENTE: UFSC - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EMENTA: 1. PERGUNTA: CONSULTA N. 605/2014 CONSULENTE: UFSC - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EMENTA: Contrato. Obras e serviços de engenharia. Faturamento em nome de fornecedor/fabricante que não participou da licitação.

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA DECRETO N.º 2356/2013 Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e dá outras providências. Rosane Minetto Selig, Prefeita Municipal de Ouro

Leia mais

ASSUNTO: RESPOSTA À IMPUGNAÇÃO ENCAMINHADA PELA EMPRESA VIVO S/A, CNPJ 02.449.992/0121-70.

ASSUNTO: RESPOSTA À IMPUGNAÇÃO ENCAMINHADA PELA EMPRESA VIVO S/A, CNPJ 02.449.992/0121-70. Panambi, 22 de agosto de 2012. ASSUNTO: RESPOSTA À IMPUGNAÇÃO ENCAMINHADA PELA EMPRESA VIVO S/A, CNPJ 02.449.992/0121-70. Considerando como tempestiva a impugnação interposta pela empresa VIVO S/A o Instituto

Leia mais

SEMINÁRIO RENOVAÇÃO DE CONCESSÕES DO SETOR PÚBLICO DE ENERGIA ELÉTRICA. Porto Alegre 05/10/2009 Luiz Carlos Guimarães ABRADEE

SEMINÁRIO RENOVAÇÃO DE CONCESSÕES DO SETOR PÚBLICO DE ENERGIA ELÉTRICA. Porto Alegre 05/10/2009 Luiz Carlos Guimarães ABRADEE SEMINÁRIO RENOVAÇÃO DE CONCESSÕES DO SETOR PÚBLICO DE ENERGIA ELÉTRICA Porto Alegre 05/10/2009 Luiz Carlos Guimarães ABRADEE Concessões de Distribuição QUANTO AO PRAZO CONTRATUAL AS CONCESSÕES DE DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO 1.1 Contratação de serviço de fornecimento de assinatura de jornais impressos e revistas, assim como acesso às matérias on line dos respectivos jornais e revistas para

Leia mais

RODOVIA DOS TAMOIOS (ESTADO DE SÃO PAULO)

RODOVIA DOS TAMOIOS (ESTADO DE SÃO PAULO) RODOVIA DOS TAMOIOS (ESTADO DE SÃO PAULO) ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 22/12/2014 ETAPA DO PROJETO Intenção Modelagem Iniciada PMI Iniciado Consulta Iniciada Consulta Encerrada Licitação em Andamento Vencedor Declarado

Leia mais

PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PROJETO BÁSICO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ACADÊMICOS NA ÁREA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETO DE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATU SENSO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PARA COMPOR O PROGRAMA DE EFICIÊNCIA

Leia mais

Assunto: Requerimento objetivando o acompanhamento, pelo TCU, de todos os procedimentos relativos à concessão de exploração da Ponte Rio-Niterói.

Assunto: Requerimento objetivando o acompanhamento, pelo TCU, de todos os procedimentos relativos à concessão de exploração da Ponte Rio-Niterói. Tribunal de Contas da União Dados Materiais: Decisão 141/93 - Plenário - Ata 15/93 Processo nº TC 006.098/93-2 Responsável (eis): Entidade: Departamento Nacional de Estradas de Rodagem - DNER. Relator:

Leia mais

OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO

OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO FECAM Escola de Gestão Pública Municipal OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO Módulo II Chapecó, março/2012 1 Aspectos Legais da Licitação de Obras Denise Regina Struecker Auditora

Leia mais

Mario Luis Coutinho de Araujo Araujo Enviado em: terça-feira, 2 de agosto de 2011 16:38 Para:

Mario Luis Coutinho de Araujo Araujo <araujo.m40@gmail.com> Enviado em: terça-feira, 2 de agosto de 2011 16:38 Para: Marcelino David Bandt Da Costa De: Mario Luis Coutinho de Araujo Araujo Enviado em: terça-feira, 2 de agosto de 2011 16:38 Para: Marcelino David Bandt Da Costa Assunto: Pedido de

Leia mais

Lei do Audiovisual IN 81 de 2008.

Lei do Audiovisual IN 81 de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 81, DE 28 DE OUTUBRO DE 2008. Estabelece procedimentos sobre a apresentação de relatórios de gestão e prestação de contas em Programas Especiais de Fomento. A DIRETORIA COLEGIADA

Leia mais

PEDIDO DE ESCLARECIMENTO Nº 01 PE Nº 03/2013

PEDIDO DE ESCLARECIMENTO Nº 01 PE Nº 03/2013 PEDIDO DE ESCLARECIMENTO Nº 01 PE Nº 03/2013 Considerando o posicionamento enviado pela área técnica desta CGU-PR, segue abaixo a resposta ao Pedido Esclarecimento nº 01 PE nº 03/2013: QUESTIONAMENTO 01:

Leia mais

RESPOSTA A RECURSO ADMINISTRATIVO CONCORRÊNCIA N.º 07/2014 PROCESSO N.º 23368.000296.2014-17

RESPOSTA A RECURSO ADMINISTRATIVO CONCORRÊNCIA N.º 07/2014 PROCESSO N.º 23368.000296.2014-17 RESPOSTA A RECURSO ADMINISTRATIVO CONCORRÊNCIA N.º 07/2014 PROCESSO N.º 23368.000296.2014-17 DO OBJETO Trata-se de procedimento licitatório na modalidade Concorrência, cujo objeto é a contratação de empresa

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO PRIMEIRA CÂMARA SESSÃO DE 11/03/2014 ITEM 57

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO PRIMEIRA CÂMARA SESSÃO DE 11/03/2014 ITEM 57 PRIMEIRA CÂMARA SESSÃO DE 11/03/2014 ITEM 57 TC-039329/026/12 Contratante: Empresa de Transporte Coletivo de Diadema ETCD. Contratada: Ipiranga Produtos de Petróleo S/A. Autoridade Responsável pela Abertura

Leia mais

ESCLARECIMENTOS. Edital 0742/2008-08 Processo 50608.000170/2008-99. Em resposta a pedido de esclarecimentos segue abaixo na respectiva ordem :

ESCLARECIMENTOS. Edital 0742/2008-08 Processo 50608.000170/2008-99. Em resposta a pedido de esclarecimentos segue abaixo na respectiva ordem : ESCLARECIMENTOS Edital 0742/2008-08 Processo 50608.000170/2008-99 Em resposta a pedido de esclarecimentos segue abaixo na respectiva ordem : 1) Da Habilitação: Entendemos que as empresas participantes

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DE DIREITOS HUMANOS E PARTICIPAÇÃO POPULAR VIVA CIDADÃO

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DE DIREITOS HUMANOS E PARTICIPAÇÃO POPULAR VIVA CIDADÃO Folha nº Processo nº Rubrica: Matrícula: Processo n.º 148030/2015 Assunto: Análise do pedido de impugnação do Edital do Pregão nº 13/2015 referente à contratação de empresa especializada na aquisição e

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE HANDEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE HANDEBOL EDITAL DE LICITAÇÃO nº 002/2012 TOMADA DE PREÇOS PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS E PRESTAÇÕES DE CONTAS NA GESTÃO DE PROJETOS A CBHb, de acordo com a Lei 10.264 de 16 de julho de 2001 Lei Agnelo/Piva, regulamentada

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO TOCANTINS RESPOSTA IMPUGNAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO TOCANTINS RESPOSTA IMPUGNAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2014 RESPOSTA IMPUGNAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2014 Impugnante: TELEFONICA BRASIL S/A, CNPJ 02.558.157/0001-62. Assunto: Impugnação do Edital Pregão Presencial nº 04/2014 que trata da contratação de empresa

Leia mais

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras SUMÁRIO O Sistema de Registro de Preços do Governo do Estado

Leia mais

SERVIÇOS DE RESPONSABILIDADE DE PRESTADORAS DE STFC (SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO). INCLUSÃO

SERVIÇOS DE RESPONSABILIDADE DE PRESTADORAS DE STFC (SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO). INCLUSÃO São Paulo, 01 de julho de 2013. Respostas às Impugnações de Edital de Licitação. Interessadas: VIVO S/A e CLARO S/A Referente: Respostas às Impugnações oferecidas ao PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º 031/2013

Leia mais

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO TOCANTINS. PREGÃO PRESENCIAL Edital de Licitação nº 037/2014

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO TOCANTINS. PREGÃO PRESENCIAL Edital de Licitação nº 037/2014 SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO TOCANTINS PREGÃO PRESENCIAL Edital de Licitação nº 037/2014 ASSUNTO: Impugnação ao Edital oferecida pela empresa CLARO/S.A. DECISÃO DA COMISSÃO ESPECIAL

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CDURP COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CDURP COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO ANEXO 2 MODELOS DE CARTAS E DECLARAÇÕES Modelo de Pedido de Esclarecimentos Ref.: Concorrência Pública nº [ ]/2011 Pedido de Esclarecimentos, [qualificação], por seu(s) representante(s) legal(is), apresenta

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO. Modalidade: CONCORRÊNCIA Nº. 01/2013 SEGEM

EDITAL DE LICITAÇÃO. Modalidade: CONCORRÊNCIA Nº. 01/2013 SEGEM EDITAL DE LICITAÇÃO Modalidade: CONCORRÊNCIA Nº. 01/2013 SEGEM Tipo: MELHOR TÉCNICA E MENOR VALOR POR TONELADA A SER PAGO PELO PODER CONCEDENTE PARA A EXECUÇÃO DO OBJETO DO PRESENTE EDITAL Processo nº.

Leia mais

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO TOCANTINS EDITAL PREGÃO PRESENCIAL 008/2015 ASSUNTO:

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO TOCANTINS EDITAL PREGÃO PRESENCIAL 008/2015 ASSUNTO: SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO TOCANTINS EDITAL PREGÃO PRESENCIAL 008/2015 ASSUNTO: Impugnação ao Edital oferecida pela empresa QATIVE TECNOLOGIA E EVENTOS LTDA. DECISÃO DA COMISSÃO PERMANENTE

Leia mais

CONVITE 25/2010. DATA E HORÁRIO PARA RECEBIMENTO E ABERTURA DOS ENVELOPES Dia 17 / 08 / 2010 às 15 horas

CONVITE 25/2010. DATA E HORÁRIO PARA RECEBIMENTO E ABERTURA DOS ENVELOPES Dia 17 / 08 / 2010 às 15 horas CONVITE 25/2010 DATA E HORÁRIO PARA RECEBIMENTO E ABERTURA DOS ENVELOPES Dia 17 / 08 / 2010 às 15 horas 01. DISPOSIÇÕES INICIAIS 1.1 O Senac Departamento Nacional torna público que, na Seção de Material,

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES CONTROLE INTERNO 01/06 1 DOS OBJETIVOS 1.1 Definir normas para elaboração dos contratos de aquisição de materiais, prestação de serviços gerais e prestação de serviços e obras de engenharia. 1.2 Normatizar os procedimentos

Leia mais

Resposta à Impugnação

Resposta à Impugnação GECOL/SSEAF, 11 de outubro de 2011. Assunto: Contratação de Fábrica de Software Resposta à Impugnação Diante da Impugnação recebida às 16h39 de 10/10/2011, do Edital do Pregão Eletrônico nº 22/2011, esta

Leia mais

OBRIGATORIEDADE DA EXIGÊNCIA DA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS NAS LICITAÇÕES

OBRIGATORIEDADE DA EXIGÊNCIA DA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS NAS LICITAÇÕES OBRIGATORIEDADE DA EXIGÊNCIA DA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS NAS LICITAÇÕES A Lei 8.666/93 foi alterada em 11 de julho de 2011 (artigos 27 e 29), pela Lei 12.440, sendo implementada a exigência

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO RESOLUÇÃO CONJUNTA Nº 001, DE 24 DE NOVEMBRO DE 1999 (*) Vide alterações e inclusões no final do texto

Leia mais

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº, DE 2013

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº, DE 2013 PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº, DE 2013 (Do Sr. CARLOS SOUZA) Susta a aplicação dos artigos 62 e 63 do Regulamento do Serviço Móvel Pessoal SMP, anexo à Resolução nº 477, de 7 de agosto de 2007, da

Leia mais

ESTADO DO ACRE DECRETO Nº 5.966 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010

ESTADO DO ACRE DECRETO Nº 5.966 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010 Regulamenta o tratamento favorecido, diferenciado e simplificado para as microempresas, empresas de pequeno porte e equiparadas nas contratações de bens, prestação de serviços e execução de obras, no âmbito

Leia mais

Art. 2º Este Ato Normativo entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Normativo entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. ATO NORMATIVO Nº 92 13 de agosto de 2007 Aprova o Regulamento do Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e dá outras providências. O Presidente do TRIBUNAL

Leia mais

LEI Nº 14.868, de 16 de dezembro de 2003 Dispõe sobre o Programa Estadual de Parcerias Público-Privadas.

LEI Nº 14.868, de 16 de dezembro de 2003 Dispõe sobre o Programa Estadual de Parcerias Público-Privadas. LEI Nº 14.868, de 16 de dezembro de 2003 Dispõe sobre o Programa Estadual de Parcerias Público-Privadas. O Povo de Minas Gerais, por seus representantes, decretou e eu, em seu nome, sanciono a seguinte

Leia mais

faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N 663 DE 02 DE JULHO DE 1996. Cria o Programa Estadual de Desestatização, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RONDÔNIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL N 07/2011-PR/PB PEDIDO DE ESCLARECIMENTO Nº 3

PREGÃO PRESENCIAL N 07/2011-PR/PB PEDIDO DE ESCLARECIMENTO Nº 3 MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Procuradoria da República na Paraíba PREGÃO PRESENCIAL N 07/2011-PR/PB PEDIDO DE ESCLARECIMENTO Nº 3 Referência: Processo n.º 1.24.000.001591/2011-14. Interessado: OMEGATI COMÉRCIO

Leia mais

ANEXO IV MODELOS DE TERMOS, DECLARAÇÕES E PROCURAÇÕES. ANEXO IV - Item 4.1 e 4.3.11 do Edital Conjunto 1 MODELO nº 1

ANEXO IV MODELOS DE TERMOS, DECLARAÇÕES E PROCURAÇÕES. ANEXO IV - Item 4.1 e 4.3.11 do Edital Conjunto 1 MODELO nº 1 ANEXO IV MODELOS DE TERMOS, DECLARAÇÕES E PROCURAÇÕES ANEXO IV - Item 4.1 e 4.3.11 do Edital Conjunto 1 MODELO nº 1 0XX/200X/SPV - ANATEL, promovida pela Agência Nacional de Telecomunicações, na forma

Leia mais

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*)

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*) INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS IIP Nº 005, de 24 de agosto de 2011 (*) Disciplina no âmbito do IFPR as Orientações acerca da Execução Orçamentária e Financeira, relativas à Concessão de Suprimentos

Leia mais

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC)

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) O texto deste Contrato foi submetido à aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, estando sujeito a

Leia mais

I - LOCAL DE ENTREGA DOS ENVELOPES:

I - LOCAL DE ENTREGA DOS ENVELOPES: EDITAL de LICITAÇÃO MODALIDADE: CARTA CONVITE N.º 17/2013 Data da abertura dos envelopes: Dia: 25/10/2013 Horário: 13:00 horas Data limite para entrega dos envelopes: Dia: 25/10/2013 Horário: 13:00 horas

Leia mais

LEI Nº 8.977, DE 6 DE JANEIRO DE 1995

LEI Nº 8.977, DE 6 DE JANEIRO DE 1995 LEI Nº 8.977, DE 6 DE JANEIRO DE 1995 Dispõe sobre o Serviço de TV a Cabo e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO

Leia mais

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0103/2013.

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0103/2013. INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0103/2013. CONTRATO DE ADMINISTRATIVO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS N. 0103/2013. O, Estado de Santa Catarina, com sede a Rua Rui Barbosa, 347, inscrito no CNPJ/MF Sob o N. 82.854.670/0001-30,

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO Gabinete do Conselheiro Robson Marinho

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO Gabinete do Conselheiro Robson Marinho Segunda Câmara Sessão: 19/2/2013 01 TC-014557/026/10 - INSTRUMENTOS CONTRATUAIS Contratante: Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - SABESP. Contratada: VS Telecom Ltda. Autoridade(s) Responsável(is)

Leia mais

M I N I S T É R I O P Ú B L I C O

M I N I S T É R I O P Ú B L I C O MANIFESTAÇÃO DE RECURSO ADMINISTRATIVO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 075/2012-MP/PA PREGOEIRA: ANDRÉA MARA CICCIO EMPRESA RECORRENTE: PREMIUM SERVICE LTDA CONTRARRAZÕES: TREVO COMERCIO E SERVICO LTDA - ME OBJETO:

Leia mais

DISEG/COSEG/CGL/SPOA/SE/MJ

DISEG/COSEG/CGL/SPOA/SE/MJ Ref.: Processo nº 08008.000216/2014-11 Interessado: DISEG/COSEG/CGL/SPOA/SE/MJ Objeto: Contratação de empresa especializada na prestação de serviços copeiragem. Brasília, 27 de junho de 2014. RESPOSTA

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA PROCURADORIA GERAL DO ESTADO PROCURADORIA DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA PROCURADORIA GERAL DO ESTADO PROCURADORIA DE LICITAÇÕES E CONTRATOS 1 PROCESSO Nº PGE2009084808-0 PARECER Nº PLC-AO-LB-1502/2009 LICITAÇÃO. Prestação de serviço de hospedagem. Serviços não contínuos. Lei federal nº 11.771/08. Necessidade de comprovação de Cadastro no Ministério

Leia mais

NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI

NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI NORMA PARA REGULAMENTAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS AGENTES DE COMPRAS DA UNIFEI Dispõe sobre as atribuições dos agentes de compras

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado da Casa Civil Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado da Casa Civil Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro Processo nº.: E-12/0 Autuação: 29/01 Concessionária: PROLAGOS Assunto: Seguro Garantia - 2014 Sessão Regulatória: 26 de agosto de 2014 RELATÓRIO O presente Processo Regulatório foi iniciado em razão da

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº.../20... PROCESSO Nº 1.00.000.003689/2013-00 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES ATA Nº.../20...

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº.../20... PROCESSO Nº 1.00.000.003689/2013-00 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES ATA Nº.../20... ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO Nº.../20... PROCESSO Nº 1.00.000.003689/2013-00 VALIDADE: 12 (DOZE) MESES ATA Nº.../20... Ao...do dia do mês de... do ano de 20..., na PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA PGR,

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS ABORDAGEM Conceitos relacionados ao tema; Legislação aplicável à execução; Modelo de gestão e processo adotado pela Fundep. O que é o SICONV? CONCEITOS

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO 02/2014 LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA

EDITAL DO LEILÃO 02/2014 LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA EDITAL DO LEILÃO 02/2014 LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA O LEILÃO DE COMPRA e os procedimentos a ele relativos serão regidos pelas disposições deste EDITAL e seus Anexos. ÍNDICE Capítulo 1 Informações

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS SEGURO GARANTIA CIRCULAR SUSEP 232/03. Processo SUSEP nº 10.003.017/01-08

CONDIÇÕES GERAIS SEGURO GARANTIA CIRCULAR SUSEP 232/03. Processo SUSEP nº 10.003.017/01-08 CONDIÇÕES GERAIS SEGURO GARANTIA CIRCULAR SUSEP 232/03 Processo SUSEP nº 10.003.017/01-08 Cláusula 1ª - OBJETO Este seguro garante o fiel cumprimento das obrigações assumidas pelo Tomador no contrato principal,

Leia mais

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO Consultoria-Geral da União Consultoria Jurídica da União em Minas Gerais

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO Consultoria-Geral da União Consultoria Jurídica da União em Minas Gerais ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO Consultoria-Geral da União Consultoria Jurídica da União em Minas Gerais ÍNDICE FORMULÁRIOS DE ACOMPANHAMENTO DOS PROCESSOS 01. Pregão Presencial para Aquisição de Bens... pág.

Leia mais

RELATOR - CONSELHEIRO ANTONIO ROQUE CITADINI 34ª SESSÃO ORDINÁRIA DO TRIBUNAL PLENO, DIA 09/12/2009 EXAME PRÉVIO MUNICIPAL VOTO

RELATOR - CONSELHEIRO ANTONIO ROQUE CITADINI 34ª SESSÃO ORDINÁRIA DO TRIBUNAL PLENO, DIA 09/12/2009 EXAME PRÉVIO MUNICIPAL VOTO RELATOR - CONSELHEIRO ANTONIO ROQUE CITADINI 34ª SESSÃO ORDINÁRIA DO TRIBUNAL PLENO, DIA 09/12/2009 EXAME PRÉVIO MUNICIPAL VOTO Processos: TC 34.895/026/09 e TC 35.380/026/09. Representantes: Cheiro Verde

Leia mais

Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema

Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema Licitação: Processo administrativo 073/13 Edital - Convite 002/13 Assunto: Resposta ao recurso apresentado contra o julgamento da habilitação. Senhor Presidente do CISMEPAR, A empresa Carvalho Projetos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Licitações e Compras Convite nº 081/2007 Fls.

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Licitações e Compras Convite nº 081/2007 Fls. Convite nº 081/2007 Fls. 1 CARTA CONVITE Processo nº 11784/05 Convite nº 081/2007 Entrega Envelopes até o dia: 15 de junho de 2007, às 14h00. Abertura Envelopes dia: 15 de junho de 2007, às 14h30. A COMISSÃO

Leia mais

IBRACON NPA nº 08 - Serviços de Auditoria dos Processos de Privatização

IBRACON NPA nº 08 - Serviços de Auditoria dos Processos de Privatização IBRACON NPA nº 08 - Serviços de Auditoria dos Processos de Privatização INTRODUÇÃO 1. O processo de venda de ativos, de modo geral, e de participações societárias, principalmente as majoritárias, em particular,

Leia mais

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda:

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda: 1 DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009 Regulamenta, no âmbito da Administração pública municipal, o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº. 8.666, de 21 de junho de 1993, e

Leia mais

DICAS E SUGESTÕES PARA A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS PÚBLICOS PROVENIENTES DE CONVÊNIOS.

DICAS E SUGESTÕES PARA A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS PÚBLICOS PROVENIENTES DE CONVÊNIOS. DICAS E SUGESTÕES PARA A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS PÚBLICOS PROVENIENTES DE CONVÊNIOS. Procedimentos de contratação. Rigorosa obediência ao Regulamento de Compras e Contratações (Instrução Normativa nº 02/13)

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES INSPETORIA 2 DIVISÃO 5

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES INSPETORIA 2 DIVISÃO 5 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES INSPETORIA 2 DIVISÃO 5 PROCESSO RPL 06/00331939 UNIDADE GESTORA SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA - SEF INTERESSADO

Leia mais

LEI Nº 9.938, DE 18 DE JUNHO DE 2013. Autor: Poder Executivo Consolida a concessão de serviço público de registro

LEI Nº 9.938, DE 18 DE JUNHO DE 2013. Autor: Poder Executivo Consolida a concessão de serviço público de registro Diário Oficial nº : 26067 Data de 18/06/201 publicação: 3 Matéria nº : 586462 LEI Nº 9.938, DE 18 DE JUNHO DE 2013. Autor: Poder Executivo Consolida a concessão de serviço público de registro dos contratos

Leia mais

36 (TRINTA E SEIS) MESES

36 (TRINTA E SEIS) MESES TERMO DE CONTRATO: Nº 03/2013 CONTRATANTE: TRIBUNAL DE CONTAS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO CONTRATADA: IBM BRASIL INDÚSTRIA, MÁQUINAS E SERVIÇOS LTDA. OBJETO DO CONTRATO: PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE SUPORTE

Leia mais

ANEXO II MODELOS DA LICITAÇÃO MODELO N.º 3 DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO

ANEXO II MODELOS DA LICITAÇÃO MODELO N.º 3 DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO ANEXO II MODELOS DA LICITAÇÃO MODELO N.º 1 CARTA CREDENCIAMENTO MODELO N.º 2 PROPOSTA COMERCIAL MODELO N.º 3 DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO MODELO N.º 4 DECLARAÇÃO DE REGULARIDADE

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO Nº 581, DE 29 DE OUTUBRO DE 2002

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO Nº 581, DE 29 DE OUTUBRO DE 2002 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO Nº 581, DE 29 DE OUTUBRO DE 2002 Estabelece os requisitos mínimos aplicáveis ao cumprimento do disposto no "caput" do art. 5º do Regulamento Conjunto

Leia mais

ANEXO 05 - Minutas de Ato Autorizativo para PCH

ANEXO 05 - Minutas de Ato Autorizativo para PCH ANEXO 05 - Minutas de Ato Autorizativo para PCH A) Para Autoprodução PORTARIA Nº, DE DE DE 2005 Autoriza a empresa... a estabelecer-se como Autoprodutor de Energia Elétrica, mediante a implantação e exploração

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Conselho Superior

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Conselho Superior RESOLUÇÃO Nº 046 CONSUPER/2014 Regulamento para participação em atividades esporádicas para professores submetidos ao Regime de Dedicação Exclusiva. O Presidente do do IFC, Professor Francisco José Montório

Leia mais

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0017/2013.

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0017/2013. INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0017/2013. CONTRATO DE ADMINISTRATIVO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS N. 0017/2013. O, Estado de Santa Catarina, com sede a Rua Rui Barbosa, 347, inscrito no CNPJ/MF Sob o N. 82.854.670/0001-30,

Leia mais

MUNICÍPIO DE CÓRREGO DO BOM JESUS ADMINISTRAÇÃO 2013 2016

MUNICÍPIO DE CÓRREGO DO BOM JESUS ADMINISTRAÇÃO 2013 2016 CONTRATO Nº 038/2014 MUNICÍPIO DE CÓRREGO DO BOM JESUS O MUNICÍPIO DE CÓRREGO DO BOM JESUS, Estado de Minas Gerais, pessoa jurídica de direito público, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 18.677.633/0001-02,

Leia mais

ANEXO II MODELOS DAS DECLARAÇÕES E DOS COMPROMISSOS PREVISTOS NO EDITAL

ANEXO II MODELOS DAS DECLARAÇÕES E DOS COMPROMISSOS PREVISTOS NO EDITAL MODELOS DAS DECLARAÇÕES E DOS COMPROMISSOS PREVISTOS NO EDITAL MODELOS DAS DECLARAÇÕES E DOS COMPROMISSOS PREVISTOS NOS EDITAL MODELO 01 CARTA DE CREDENCIAMENTO * Em caso de consórcio, este deverá credenciar

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Contadoria Geral / 1841)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Contadoria Geral / 1841) 1 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Contadoria Geral / 1841) ORIENTAÇÃO TÉCNICO-NORMATIVA N º 01 - PLANEJAMENTO DAS CONTRATAÇÕES 1. Nesta orientação, por questão

Leia mais

DECRETO Nº. 6.204, DE 5 DE SETEMBRO DE 2007 DOU 06.09.2007

DECRETO Nº. 6.204, DE 5 DE SETEMBRO DE 2007 DOU 06.09.2007 DECRETO Nº. 6.204, DE 5 DE SETEMBRO DE 2007 DOU 06.09.2007 Regulamenta o tratamento favorecido, diferenciado e simplificado para as microempresas e empresas de pequeno porte nas contratações públicas de

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Licitação segundo a Lei n. 8.666/93 Leila Lima da Silva* *Acadêmica do 6º período do Curso de Direito das Faculdades Integradas Curitiba - Faculdade de Direito de Curitiba terça-feira,

Leia mais

Luiz Affonso Trevisan Prefeito Municipal

Luiz Affonso Trevisan Prefeito Municipal Projeto de Lei nº 124, de 24 de novembro de 2015. Autoriza o Executivo Municipal a realizar a concessão gratuita de direito real de uso, de 01 (um) lote no Distrito Industrial a Empresa ALDAIR GALLON,

Leia mais

Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2004

Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2004 Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2004 IDENTIFICAÇÃO DA OBRA Caracterização da obra Processo: 4101/2004-4 Ano Orçamento: 2002 UF: RJ Nome do PT: Manutenção de Serviços Administrativos -

Leia mais