Codificação Clínica nos hospitais: Estudos/Indicadores que alimenta

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Codificação Clínica nos hospitais: Estudos/Indicadores que alimenta"

Transcrição

1 7º CONGRESSO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO DOS MÉDICOS AUDITORES E CODIFICADORES CLÍNICOS (AMACC) INOVAÇÃO E CIÊNCIA NA CODIFICAÇÃO CLÍNICA Codificação Clínica nos hospitais: Maria do Céu Valente Centro Hospitalar Lisboa Norte, EPE Braga, 27 de fevereiro de 2015

2 1. Introdução 2. Contrato-programa ACSS Benchmarking hospitalar 4. SINAS - Entidade Reguladora de Saúde 5. Benchmarking hospitalar IAmetrics (IASIST) 6. Estudos de morbilidade - DGS 7. Conclusões

3 1. Introdução Medição da atividade Identificação de problemas de qualidade Planeamento Apuramento de custos de episódios e procedimentos Definição da carteira de serviços Medição do desempenho para disponibilização a cidadãos, utentes do SNS, profissionais de saúde, decisores políticos e académicos: acompanhamento das instituições e benchmarking

4 2. Contrato-programa 2015 Atividade realizada em internamento (fase aguda) e ambulatório (médico e cirúrgico) Indicadores associados à atribuição de incentivos institucionais (melhoria da qualidade e da eficiência das instituições - 5% do CP 2015) Pagamento da atividade exclusivamente considerada na carteira de serviços Implementação do sistema de codificação clinica ICD-10-CM/PCS e do agrupador em GDH All Patient Refined DRG (mesmas GCD, 4 subclasses em cada GDH - severidade da doença e risco de mortalidade

5 2. Contrato-programa 2015 Percentagem de reinternamentos em 30 dias

6 2. Contrato-programa 2015 Percentagem de doentes saídos (DS) com duração de internamento acima do limiar máximo

7 2. Contrato-programa 2015 Percentagem de Fraturas da Anca com Cirurgia efetuada nas primeiras 48h

8 2. Contrato-programa 2015 Percentagem de cirurgias realizadas em ambulatório no total de cirurgias programadas (GDH) - para procedimentos ambulatorizáveis

9 3. ACSS Monitorização hospitalar Informação mensal a cidadãos, utentes do SNS, profissionais de saúde, decisores políticos e académicos sobre: acesso, eficiência, efetividade, produção e satisfação Em informação disponível na Base de Dados Central de GDH para a área da saúde mental, segurança do doente, codificação clinica, mortalidade, obstetrícia/ginecologia ou outros Indicadores de qualidade assistencial obstétrica de cada hospital do SNS para informar os cidadãos sobre as práticas existentes relacionadas com o trabalho de parto: Número de partos; Taxa de cesarianas; Taxa de partos instrumentados; Taxa de analgesia epidural; Taxa de partos induzidos; Taxa de partos vaginais após cesariana; Taxa de episiotomias em partos vaginais; Taxas de lacerações perineais graves (3º e 4º graus); Taxa de complicações nos recém-nascidos relacionadas com baixa oxigenação; Taxa de partos vaginais após versão cefálica externa

10 Fonte: ACSS Monitorização do Serviço Nacional de Saúde

11 4. SINAS - Entidade Reguladora de Saúde Modelo de Avaliação das instituições hospitalares ao nível de diferentes dimensões da qualidade Segurança do Doente Avaliação da Segurança do Doente: (i) avaliação de procedimentos de segurança (indicadores de estrutura) e (ii) avaliação de eventos adversos (indicadores de resultados) Eventos Adversos: Dados fornecidos pela Administração Central dos Sistemas de Saúde ACSS, constantes da Base de Dados de Grupos de Diagnósticos Homogéneos Fonte: Entidade Reguladora de Saúde - SINAS

12 4. SINAS - Entidade Reguladora de Saúde Indicadores de eventos adversos selecionados: Mortalidade em GDH de baixa mortalidade Úlcera de pressão de estádio III e IV Infeção nosocomial (infeção associada à colocação de cateter central) Fratura da anca no pós-operatório Hemorragia ou hematoma no pós-operatório com necessidade de re-exploração Infeção nosocomial (sépsis no pós-operatório) Deiscência de sutura Perfuração ou laceração acidental Fonte: Entidade Reguladora de Saúde - SINAS

13 5. Benchmarking hospitalar IAmetrics (IASIST) Perspectivas de análise: Comparativa: Como se comporta o hospital em comparação com hospitais similares? Temporal: Qual a evolução dos resultados ao longo do tempo? Descritiva: Que resultados obtém o hospital ou serviço clínico? Cada utilizador selecciona o grupo de comparação (Peer Group ou Benchmark) e o período de análise Níveis de análise: Hospital Serviço Doente Procedimento

14 5. Benchmarking hospitalar IAmetrics (IASIST) Dimensões: Qualidade de dados Casuística Complexidade Gestão das DM DM pré-operatórias Ambulatorização Mortalidade Complicações Readmissões

15 5. Benchmarking hospitalar IAmetrics (IASIST) Dimensões: Qualidade dos dados Casuística % GDH problemáticos Diagnósticos por alta Altas sem diagnóstico Resumo da atividade hospitalar Lista dos GDH

16 Fonte: IAmetrics - IASIST

17 5. Benchmarking hospitalar IAmetrics (IASIST) Dimensões: Complexidade Peso Médio (GDH) Processos (GDH) que aumentam / diminuem a complexidade

18 Fonte: IAmetrics - IASIST

19 5. Benchmarking hospitalar IAmetrics (IASIST) Dimensões: Gestão das DM DM pré-operatórias Demora Média observada Demora Média esperada Demora Média observada Demora Média esperada

20 Fonte: IAmetrics - IASIST

21 5. Benchmarking hospitalar IAmetrics (IASIST) Dimensões: Ambulatorização Mortalidade % cirurgias sem pernoita observadas % cirurgias sem pernoita esperadas Mortalidade observada Mortalidade esperada

22 Fonte: IAmetrics - IASIST

23 5. Benchmarking hospitalar IAmetrics (IASIST) Dimensões: Complicações Readmissões % de altas com complicações observadas % de altas com complicações esperadas Readmissões urgentes observadas Readmissões urgentes esperadas

24 Fonte: IAmetrics - IASIST

25 6. Estudos de morbilidade - DGS Grandes grupos da CID 9 MC da Organização Mundial de Saúde e as Grandes Categorias de Diagnóstico do agrupador AP-DRG, versão 27.0 Grupos etários Composição do universo dos hospitais Dados Demográficos Dados de Produção Perfil da morbilidade dos utentes Algumas patologias discriminadas Procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos

26 7. Conclusões Ampla utilização dos dados resultantes da codificação clínica e da classificação em GDH Atualização do agrupador em GDH/estabilidade na sua utilização Impacto das diferentes modalidades de financiamento (ato, episódio de tratamento e patologia) Utilização da carteira de serviços das instituições Processo de Planeamento, Controlo de Gestão e Avaliação do Desempenho (entidade prestadora de cuidados/entidade contratadora): i) consensualização dos objetivos? ii) plano de ação para correção de desvios? iii) aumento de produtividade?

27 Obrigada pela vossa atenção!

CODIFICAÇÃO CLÍNICA E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO. Sandra Rodrigues Gil, Administradora Hospitalar

CODIFICAÇÃO CLÍNICA E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO. Sandra Rodrigues Gil, Administradora Hospitalar CODIFICAÇÃO CLÍNICA E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO Sandra Rodrigues Gil, Administradora Hospitalar ÌNDICE Externalidades da implementação dos GDH ao nível do SIH Impacto ao nível da avaliação do desempenho

Leia mais

Avaliação do Desempenho dos Hospitais: Uma ferramenta de Benchmarking

Avaliação do Desempenho dos Hospitais: Uma ferramenta de Benchmarking Avaliação do Desempenho dos Hospitais: Uma ferramenta de Benchmarking Manuel Delgado 11 ou 12 de Novembro de 2010 (Consoante data da s/ intervenção) Nome da Apresentação (insira os dados no master/modelo

Leia mais

Orçamento da saúde 2012 para onde vai o seu dinheiro?

Orçamento da saúde 2012 para onde vai o seu dinheiro? Orçamento da saúde 2012 para onde vai o seu dinheiro? José Carlos Caiado 26 de Outubro de 2011 Introdução Elaboração do orçamento da saúde Monitorização e divulgação de informação Melhoria do desempenho

Leia mais

Perguntas & Respostas. Ferramenta de Benchmarking hospitais EPE e PPP

Perguntas & Respostas. Ferramenta de Benchmarking hospitais EPE e PPP Ferramenta de Primeiro Semestre de 2013 Desde setembro de 2011, o processo de contínua disponibilização de informação tem permitido um maior conhecimento do desempenho das instituições hospitalares do

Leia mais

Monitorização da Qualidade em Serviços de Saúde

Monitorização da Qualidade em Serviços de Saúde Infecções e Cuidados de Saúde Hospital Magalhães Lemos 12 Dezembro.2008 Monitorização da Qualidade em Serviços de Saúde Porto,12 de Dezembro 2008 Enquadramento do Processo Negocial com os Serviços de Saúde

Leia mais

CONTRATO-PROGRAMA 2013 DPS

CONTRATO-PROGRAMA 2013 DPS CONTRATO-PROGRAMA 2013 DPS Metodologia para definição de preços e fixação de objetivos Lisboa, Novembro de 2012 1 ÍNDICE ÍNDICE... 2 0. Enquadramento... 3 1. Introdução... 4 2. Indicações... 7 3. Alocação

Leia mais

Insuficiência Renal e Codificação Clínica. Teresa Matias

Insuficiência Renal e Codificação Clínica. Teresa Matias Insuficiência Renal e Codificação Clínica Insuficiência Failure Insufficiency Falência Failure Insufficiency Falência Insufficiency Insuficiência Falência Insuficiência Falência Failure Insufficiency Insuficiência

Leia mais

ACORDO MODIFICATIVO 2015 DO CONTRATO-PROGRAMA 2013-2015

ACORDO MODIFICATIVO 2015 DO CONTRATO-PROGRAMA 2013-2015 ACORDO MODIFICATIVO 2015 DO CONTRATO-PROGRAMA 2013-2015 Entre: A ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DE LISBOA E VALE DO TEJO, I.P., como primeiro outorgante, representada pelo seu Presidente Dr. Luís Manuel

Leia mais

RELATÓRIO DE QUALIDADE CLÍNICA 2013

RELATÓRIO DE QUALIDADE CLÍNICA 2013 RELATÓRIO DE QUALIDADE CLÍNICA 2013 ÍNDICE 1. Estratégia da Qualidade 3 Visão, Missão e Valores 4 Política da Qualidade 6 2. Estrutura 8 3. Qualidade Clínica 10 Avaliação da Qualidade Clínica 11 Segurança

Leia mais

Seleção das recomendações de Integração e Continuidade de Cuidados

Seleção das recomendações de Integração e Continuidade de Cuidados ANEXO AO ROTEIRO DE INTERVENÇÃO EM ARTICULAÇÃO E CONTINUIDADE DE CUIDADOS ANEXO II Seleção das recomendações de Integração e Continuidade de Cuidados Autores: Ana Dias (doutoranda da Universidade de Aveiro

Leia mais

CHKS Portugal Fórum 2015 SINAS. Novos Desenvolvimentos e Perspetivas de Futuro

CHKS Portugal Fórum 2015 SINAS. Novos Desenvolvimentos e Perspetivas de Futuro CHKS Portugal Fórum 2015 SINAS Novos Desenvolvimentos e Perspetivas de Futuro Braga, 3 de Novembro de 2015 Programas de melhoria da qualidade e segurança Experiência internacional Reino Unido: Monitor

Leia mais

Seminário Financiar, pagar, contratualizar em saúde. Das actividades aos resultados Principais Conclusões

Seminário Financiar, pagar, contratualizar em saúde. Das actividades aos resultados Principais Conclusões Seminário Financiar, pagar, contratualizar em saúde. Das actividades aos resultados Principais Conclusões Financiar Pagar Contratualizar Cidadão Actividades Resultados ÍNDICE MODELO DE FINANCIAMENTO HOSPITALAR

Leia mais

Resumo da monitorização mensal da atividade assistencial no SNS abril 2015. www.acss.min-saude.pt

Resumo da monitorização mensal da atividade assistencial no SNS abril 2015. www.acss.min-saude.pt Resumo da monitorização mensal da atividade assistencial no SNS abril 2015 www.acss.min-saude.pt Monitorização do Serviço Nacional de Saúde http://benchmarking.acss.min-saude.pt/benchmarking.aspx 2 Monitorização

Leia mais

Formas e estratégias de remuneração dos profissionais da APS em PORTUGAL

Formas e estratégias de remuneração dos profissionais da APS em PORTUGAL SEMINÁRIO INTERNACIONAL A formação e a remuneração dos profissionais responsáveis pela atenção primária em saúde Formas e estratégias de remuneração dos profissionais da APS em PORTUGAL Henrique Botelho

Leia mais

Adenda ao Acordo Modificativo 2009

Adenda ao Acordo Modificativo 2009 Adenda ao Acordo Modificativo 2009 Programa Específico para Melhoria do Acesso ao Diagnóstico e Tratamento da Infertilidade CENTRO HOSPITALAR VILA NOVA DE GAIA/ESPINHO, EPE A infertilidade, reconhecida

Leia mais

ISSN: 2183-0673. Portugal. em números 2013. Programa Nacional para as. Doenças Respiratórias. www.dgs.pt

ISSN: 2183-0673. Portugal. em números 2013. Programa Nacional para as. Doenças Respiratórias. www.dgs.pt ISSN: 2183-0673 Portugal em números 2013 Programa Nacional para as www.dgs.pt Portugal. Direcção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de Informação e Análise Portugal em números 2013 ISSN: 2183-0673 Periodicidade:

Leia mais

Unidades prestadores de cuidados de saúde do SNS. Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs.pt)

Unidades prestadores de cuidados de saúde do SNS. Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs.pt) NÚMERO: 006/2015 DATA: 08/04/2015 ASSUNTO: Gestão Integrada da Obesidade Requisitos para Centros de Tratamento Cirúrgico de Obesidade PALAVRAS-CHAVE: Tratamento Cirúrgico de Obesidade, Obesidade PARA:

Leia mais

Identificação da empresa

Identificação da empresa Identificação da empresa Missão e Objectivos O Centro Hospitalar Lisboa Norte, E.P.E., estabelecimento de referência do Serviço Nacional de Saúde (SNS), desempenha funções diferenciadas na prestação de

Leia mais

Desempenho clínico dos Hospitais do SNS em 2008 e 2014. Relatório Final

Desempenho clínico dos Hospitais do SNS em 2008 e 2014. Relatório Final Desempenho clínico dos Hospitais do SNS em 2008 e 2014 Relatório Final Outubro de 2015 ÍNDICE Introdução... 5 Objetivos... 6 Metodologia... 7 Resultados... 12 CONTEXTO... 12 ATIVIDADE... 14 PROCESSOS...

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 2000

MINISTÉRIO DA SAÚDE. GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 2000 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 20 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 569/GM, de 1º de junho

Leia mais

Relatório. Grupo de Trabalho para a Avaliação da Situação da Prestação de Cuidados de Saúde Mental e das Necessidades na Área da Saúde Mental

Relatório. Grupo de Trabalho para a Avaliação da Situação da Prestação de Cuidados de Saúde Mental e das Necessidades na Área da Saúde Mental Relatório Relatório Grupo de de Trabalho para a Avaliação da da Situação da da Prestação de de Cuidados de de Saúde Mental e das Necessidades na na Área da da Saúde Mental Grupo de Trabalho para a Avaliação

Leia mais

Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP

Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP 2 ª Reunião do GT de Indicadores Hospitalares 09/04/2012 GERPS/GGISE/DIDES/ANS Agenda Comparação

Leia mais

Informação de Custos dos Cuidados de Saúde. Serviço Nacional de Saúde

Informação de Custos dos Cuidados de Saúde. Serviço Nacional de Saúde Informação de Custos dos Cuidados de Saúde Serviço Nacional de Saúde A Informação de custos dos Cuidados de Saúde é uma iniciativa que se pretende que venha a ter abrangência nacional, enquadrada no Programa

Leia mais

CH Setúbal, EPE - Hospital de S. Bernardo

CH Setúbal, EPE - Hospital de S. Bernardo Histórico do rating CH Setúbal, EPE - Hospital de S. Bernardo Dimensão Excelência Clínica Área de Ortopedia Artroplastias da Anca e Joelho e Fraturas proximais do fémur Alteração de apresentação da área

Leia mais

O Impacto da Gestão do Risco na Melhoria do Controlo de Gestão e da Performance

O Impacto da Gestão do Risco na Melhoria do Controlo de Gestão e da Performance O Impacto da Gestão do Risco na Melhoria do Controlo de Gestão e da Performance II Forum de Auditoria Interna na Saúde Data: 30 de maio de 2012 Local: Coimbra Índice 1. O ciclo de gestão da performance

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diário da República, 1.ª série N.º 119 21 de junho de 2012 3079

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diário da República, 1.ª série N.º 119 21 de junho de 2012 3079 Diário da República, 1.ª série N.º 119 21 de junho de 2012 3079 lativo previsto no n.º 4 do artigo 26.º da Lei n.º 64 -B/2011, de 30 de dezembro. 6 Para efeitos do disposto no artigo 16.º da LCPA, acrescem

Leia mais

COLINA DE SANTANA. Hospitais Civis de Lisboa Acesso da população ao SNS Assembleia Municipal de Lisboa Janeiro 2014 Pilar Vicente

COLINA DE SANTANA. Hospitais Civis de Lisboa Acesso da população ao SNS Assembleia Municipal de Lisboa Janeiro 2014 Pilar Vicente Hospitais Civis de Lisboa Acesso da população ao SNS Assembleia Municipal de Lisboa Janeiro 2014 Pilar Vicente População de Lisboa e Acesso ao S.N.S: Nº de utentes Caracterização da População Necessidades

Leia mais

Implementar programas de qualidade e de segurança do doente: que ganhos podemos esperar?

Implementar programas de qualidade e de segurança do doente: que ganhos podemos esperar? Implementar programas de qualidade e de segurança do doente: que ganhos podemos esperar? Maria João Lage, Paulo Sousa A centralidade que as questões da Qualidade têm na área da saúde é um fenómeno relativamente

Leia mais

O centro em notícias NOVO SERVIÇO DE AUDITORIA INTERNA URGÊNCIA DO MONTIJO ADOTA TRIAGEM DE MANCHESTER

O centro em notícias NOVO SERVIÇO DE AUDITORIA INTERNA URGÊNCIA DO MONTIJO ADOTA TRIAGEM DE MANCHESTER O centro em notícias n.º 53 fevereiro 2014 NOVO SERVIÇO DE AUDITORIA INTERNA O Centro Hospitalar Barreiro Montijo criou, no início deste ano, o Serviço de Auditoria URGÊNCIA DO MONTIJO ADOTA TRIAGEM DE

Leia mais

Contratualização em contexto hospitalar

Contratualização em contexto hospitalar Contratualização em contexto hospitalar MARIA DO CÉU VALENTE Acompanhando a tendência europeia para atribuir maior autonomia e responsabilização aos hospitais, incentivando uma gestão empresarial e a inovação

Leia mais

PARECER N.º 2 / 2012

PARECER N.º 2 / 2012 PARECER N.º 2 / 2012 DOTAÇÃO DE PESSOAL NO SERVIÇO DE PEDIATRIA ONCOLÓGICA 1. A questão colocada Solicitar o parecer da Ordem acerca da dotação de pessoal no serviço de Pediatria Oncológica, dado que não

Leia mais

Índice de Saúde Sustentável. Conferência TSF 8 de Março de 2016

Índice de Saúde Sustentável. Conferência TSF 8 de Março de 2016 Índice de Saúde Sustentável Conferência TSF 8 de Março de 2016 1 Índice 1. Enquadramento Projeto Saúde Sustentável - Passado, Presente e Futuro 2. Metodologia e Resultados do Estudo 2016 - Notas Metodológicas

Leia mais

Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE

Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE Histórico do rating Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE Dimensão Excelência Clínica Set 2010 Jan Jul Ago Abr 2015 22/02/2016 01/08/2016 Área de Ortopedia Artroplastias da Anca e Joelho e Fraturas

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde - SP. Estado de São Paulo. planejamento e mecanismos de acompanhamento, controle e avaliação

Secretaria de Estado da Saúde - SP. Estado de São Paulo. planejamento e mecanismos de acompanhamento, controle e avaliação Secretaria de Estado da Saúde - SP As Organizações Sociais de Saúde no Estado de São Paulo A experiência da Secretaria da Saúde planejamento e mecanismos de acompanhamento, controle e avaliação Organização

Leia mais

I. A JOSÉ DE MELLO SAÚDE

I. A JOSÉ DE MELLO SAÚDE QUALIDADE CLÍNICA 2012 I. A JOSÉ DE MELLO SAÚDE A José de Mello Saúde está presente na prestação privada de cuidados de saúde desde 1945, com o hospitalcuf infante santo, uma referência de qualidade humana

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL Doenças Respiratórias

PROGRAMA NACIONAL Doenças Respiratórias PROGRAMA NACIONAL Doenças Respiratórias para as REGRAS DE PRESCRIÇÃO DE CUIDADOS RESPIRATÓRIOS DOMICILIÁRIOS Programa Nacional para as Doenças Respiratórias (PNDR) Autoria Elsa Soares Jara Cristina Bárbara

Leia mais

RELATÓRIO ANALITICO DE DESEMPENHO ECONÓMICO- FINANCEIRO. novembro de 2014. RELATÓRIO ANALITICO DE DESEMPENHO ECONÓMICO-FINANCEIRO novembro 2014

RELATÓRIO ANALITICO DE DESEMPENHO ECONÓMICO- FINANCEIRO. novembro de 2014. RELATÓRIO ANALITICO DE DESEMPENHO ECONÓMICO-FINANCEIRO novembro 2014 RELATÓRIO ANALITICO DE DESEMPENHO ECONÓMICO- FINANCEIRO novembro de 2014 1 Índice Introdução... 3 1 Execução Orçamental... 4 1.1 Orçamento Económico - Proveitos e Ganhos... 4 1.1.1 Proveitos Operacionais...

Leia mais

METODOLOGIA DE CONTRATUALIZAÇÃO

METODOLOGIA DE CONTRATUALIZAÇÃO UNIDADES DE SAÚDE FAMILIAR E UNIDADES DE CUIDADOS DE SAÚDE PERSONALIZADOS METODOLOGIA DE CONTRATUALIZAÇÃO Versão revista a 24 de Fevereiro de 2010 08 de Janeiro de 2010 1 Conteúdo Siglas utilizadas...

Leia mais

Olhares sobre a Agenda Regulatória da ANS

Olhares sobre a Agenda Regulatória da ANS Olhares sobre a Agenda Regulatória da ANS Mercado de Saúde Suplementar Tabela 13 - Operadoras em atividade por porte, segundo modalidade (Brasil março/2012) Modalidade da operadora Total Sem beneficiários

Leia mais

Perguntas Frequentes. Portal SNS.gov.pt

Perguntas Frequentes. Portal SNS.gov.pt Perguntas Frequentes Portal SNS.gov.pt Versão 1.0 26-01-2016 Os direitos de autor deste trabalho pertencem à SPMS e a informação nele contida é confidencial. As cópias impressas não assinadas representam

Leia mais

Diagnóstico e Metodologia para o estudo dos efeitos das partículas finas na cidade de Lisboa

Diagnóstico e Metodologia para o estudo dos efeitos das partículas finas na cidade de Lisboa Diagnóstico e Metodologia para o estudo dos efeitos das partículas finas na cidade de Lisboa Equipa Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Nova

Leia mais

S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015

S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015 S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015 A redução de listas de espera cirúrgicas, de consultas e de meios complementares de diagnóstico e terapêutica para tempos de espera clinicamente

Leia mais

Auditoria de Resultados. Hospital Distrital de Santarém, EPE. Relatório n.º 21/06 2ªS Processo nº 32/05-Audit. Tribunal de Contas

Auditoria de Resultados. Hospital Distrital de Santarém, EPE. Relatório n.º 21/06 2ªS Processo nº 32/05-Audit. Tribunal de Contas Auditoria de Resultados Hospital Distrital de Santarém, EPE Relatório n.º 21/06 2ªS Processo nº 32/05-Audit ÍNDICE FICHA TÉCNICA........... 2 GLOSSÁRIO............3 RELAÇÃO DE SIGLAS.........6 I. SUMÁRIO

Leia mais

REGULAMENTO DA ÁREA MÉDICA DOS SERVIÇOS SOCIAIS DA CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA

REGULAMENTO DA ÁREA MÉDICA DOS SERVIÇOS SOCIAIS DA CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA REGULAMENTO DA ÁREA MÉDICA DOS SERVIÇOS SOCIAIS DA CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA Índice Capítulo I Disposições gerais Secção I Noção, âmbito e objectivos Art.º 1 - Noção e âmbito material Art.º 2 - Objectivos

Leia mais

Orçamento de Estado 2015

Orçamento de Estado 2015 Orçamento de Estado 2015 Programa Orçamental da Saúde 03 de novembro de 2014 Orçamento da saúde Evolução do Orçamento do SNS Evolução do Orçamento do SNS Indicador OE 2014 OE 2015 Variação em pp. Despesa

Leia mais

Sustentabilidade da Saúde: uma perspetiva de gestão

Sustentabilidade da Saúde: uma perspetiva de gestão Sustentabilidade da Saúde: uma perspetiva de gestão 4º Congresso Internacional dos Hospitais, Lisboa, 8 Nov 2012 (APDH). A Dias Alves 1 Valor acrescentado pelo sistema saúde? EUA 1950/2000: na Saúde 1

Leia mais

2 Conceitos da qualidade em saúde

2 Conceitos da qualidade em saúde 2 Conceitos da qualidade Qualidade d em Saúde (Portugal) Escola Superior de Saúde do Vale do Sousa Novas realidades na saúde : Organizações muito complexas e sofisticadas Grande aumento das expectativas

Leia mais

Identificação da empresa

Identificação da empresa Identificação da empresa O Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, EPE, criado através do Decreto Lei n.º 326/2007 de 28 de Setembro, com início de actividade a 1 de Outubro de 2007, resultou da fusão de

Leia mais

O FINANCIAMENTO DOS HOSPITAIS NA BÉLGICA. Prof. G. DURANT

O FINANCIAMENTO DOS HOSPITAIS NA BÉLGICA. Prof. G. DURANT O FINANCIAMENTO DOS HOSPITAIS NA BÉLGICA Prof. G. DURANT A Bélgica (11 milhões de habitantes) é um país federal. PIB/capita: 39.860 dolares Gastos totais com saúde- 10,6% du PNB (Produit National Brut)

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE As ano, aleatória entidades um e relatório anualmente, prestadoras circunstanciado pela de Inspeção-geral cuidados sobre de o saúde acesso das Atividades devem aos cuidados publicar Saúde, e que divulgar,

Leia mais

Alteração do mecanismo relativo ao limite máximo para a despesa com medicamentos nos acordos com a indústria farmacêutica;

Alteração do mecanismo relativo ao limite máximo para a despesa com medicamentos nos acordos com a indústria farmacêutica; 168 IV.12. Saúde (P012) IV.12.1. Políticas Os objetivos estratégicos e as prioridades do Ministério da Saúde (MS) para o ano de 2015 encontram-se explicitados em detalhe nas Grandes Opções do Plano para

Leia mais

PROGRAMA ESPECÍFICO PARA MELHORIA DO ACESSO AO DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA INFERTILIDADE Documento de Suporte à Contratualização

PROGRAMA ESPECÍFICO PARA MELHORIA DO ACESSO AO DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA INFERTILIDADE Documento de Suporte à Contratualização 2009 Documento de Suporte à Contratualização do Programa Específico para melhoria do ACSS DGS PROGRAMA ESPECÍFICO PARA MELHORIA DO ACESSO AO DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA INFERTILIDADE Documento de Suporte

Leia mais

Como preparar um orçamento da saúde que o cidadão-contribuinte entenda?

Como preparar um orçamento da saúde que o cidadão-contribuinte entenda? Como preparar um orçamento da saúde que o cidadão-contribuinte entenda? Do Orçamento da Saúde ao Orçamento das Instituições de Saúde Luís Viana Ministério da Saúde - ACSS 12 de Julho de 2011 workshop organizado

Leia mais

UOFC MANUAL DO PROCESSO DE CONTRATUALIZAÇÃO HOSPITAIS E ULS. Manual do Processo de Contratualização. Lisboa, Julho 2011

UOFC MANUAL DO PROCESSO DE CONTRATUALIZAÇÃO HOSPITAIS E ULS. Manual do Processo de Contratualização. Lisboa, Julho 2011 MANUAL DO PROCESSO DE CONTRATUALIZAÇÃO HOSPITAIS E ULS UOFC Manual do Processo de Contratualização Lisboa, Julho 2011 1 ÍNDICE 1 CALENDÁRIO DO PROCESSO DE CONTRATUALIZAÇÃO... 3 2 PROCESSO DE CONTRATUALIZAÇÃO...

Leia mais

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP Macro estratégias Discussão, pactuação tripartite, e publicação de portaria da Politica Nacional de Atenção Hospitalar/PNHOSP no SUS, estabelecendo as diretrizes

Leia mais

ACREDITAÇÃO DOS HOSPITAIS PADRÕES DE QUALIDADE E ENFERMAGEM

ACREDITAÇÃO DOS HOSPITAIS PADRÕES DE QUALIDADE E ENFERMAGEM ACREDITAÇÃO DOS HOSPITAIS PADRÕES DE QUALIDADE E ENFERMAGEM Óbidos, Novembro 2008 Maria da Saudade de Oliveira Custódio Lopes SUMÁRIO DE APRESENTAÇÃO A Política de Qualidade para as Instituições de Saúde:

Leia mais

CONTRATO-PROGRAMA 2015 DPS. Metodologia para definição de preços e fixação de objetivos

CONTRATO-PROGRAMA 2015 DPS. Metodologia para definição de preços e fixação de objetivos CONTRATO-PROGRAMA 2015 DPS Metodologia para definição de preços e fixação de objetivos julho de 2014 ÍNDICE Nota prévia... 3 Introdução... 4 Especificidades da Adenda de 2015... 10 Alocação de recursos

Leia mais

CENTRO HOSPITALAR LISBOA NORTE, E.P.E

CENTRO HOSPITALAR LISBOA NORTE, E.P.E CENTRO HOSPITALAR LISBOA NORTE, E.P.E 2013 ÍNDICE 1. Identificação da Entidade... 3 2. Caracterização Geral... 4 3 Sistemas de Informação... 5 4. Outros Aspectos de Regulação, Organização e Controlo Interno

Leia mais

ESTATÍSTICAS DA SAÚDE

ESTATÍSTICAS DA SAÚDE ESTATÍSTICAS DA SAÚDE DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2011 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística Catalogação Recomendada da Região Autónoma

Leia mais

21º Semestre de Debates GVsaúde. Adriano Londres Novembro 2015

21º Semestre de Debates GVsaúde. Adriano Londres Novembro 2015 21º Semestre de Debates GVsaúde Adriano Londres Novembro 2015 Qualicorp Categorias profissionais e estudantes Administração de benefícios coletivos por adesão para profissionais e estudantes, em parceria

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS HOSPITAIS PÚBLICOS (INTERNAMENTO) EM PORTUGAL CONTINENTAL 2013

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS HOSPITAIS PÚBLICOS (INTERNAMENTO) EM PORTUGAL CONTINENTAL 2013 Escola Nacional de Saúde Pública Universidade Nova de Lisboa Grupo de Disciplinas de Gestão em Organizações de Saúde AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS HOSPITAIS PÚBLICOS (INTERNAMENTO) EM PORTUGAL CONTINENTAL

Leia mais

O HOSPITAL DO SNS NO FUTURO. Francisco Ramos Presidente do Conselho de Administração do IPOLFG

O HOSPITAL DO SNS NO FUTURO. Francisco Ramos Presidente do Conselho de Administração do IPOLFG O HOSPITAL DO SNS NO FUTURO Francisco Ramos Presidente do Conselho de Administração do IPOLFG 22-06-2016 1. O PASSADO Os problemas A urgência como forma de acesso em primeira linha A combinação público-privado

Leia mais

DELIBERAÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA ENTIDADE REGULADORA DA SAÚDE (VERSÃO NÃO CONFIDENCIAL)

DELIBERAÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA ENTIDADE REGULADORA DA SAÚDE (VERSÃO NÃO CONFIDENCIAL) DELIBERAÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA ENTIDADE REGULADORA DA SAÚDE (VERSÃO NÃO CONFIDENCIAL) Considerando que a Entidade Reguladora da Saúde (ERS), nos termos do n.º 1 do artigo 4.º dos Estatutos

Leia mais

Codificação Clínica e Desempenho Hospitalar

Codificação Clínica e Desempenho Hospitalar Codificação Clínica e Desempenho Hospitalar Chefe de Serviço de Medicina Interna Directora da Área de Medicina do CHLC Mestre de Gestão em Saúde pela FML Auditora da Codificação do CHLC Formadora em Codificação

Leia mais

Quem somos? MUNICÍPIO DO SEIXAL CENSOS 2011. População residente 158.269 hab. População jovem 27% População idosa 15% Mulheres 52% Homens 48%

Quem somos? MUNICÍPIO DO SEIXAL CENSOS 2011. População residente 158.269 hab. População jovem 27% População idosa 15% Mulheres 52% Homens 48% ARPIFF, 21 DE NOVEMBRO DE 2014 Quem somos? MUNICÍPIO DO SEIXAL CENSOS 2011 47.661 30,11% 48.629 30,73% 28886 18,25% 2776 1,75% 13258 8,38% População residente 158.269 hab. População jovem 27% População

Leia mais

MGIC 2011. Volume II Área de Gestão. Unidade Central de Gestão de Inscritos para Cirurgia

MGIC 2011. Volume II Área de Gestão. Unidade Central de Gestão de Inscritos para Cirurgia MGIC 2011 Volume II Área de Gestão Unidade Central de Gestão de Inscritos para Cirurgia [Volume II Área de Gestão] MGIC 2011 Índice 1. Áreas de acção do responsável de serviço... 3 1.1. Organização e funcionamento

Leia mais

Desenvolvimento de indicadores em saúde estado da arte

Desenvolvimento de indicadores em saúde estado da arte Universidade Nova de Lisboa Escola Nacional de Saúde Pública Desenvolvimento de indicadores em saúde estado da arte Carlos Costa Estatística e Qualidade na Saúde 2008 VI Conferência Lisboa, 20 de Novembro

Leia mais

A segurança do paciente como um valor para os hospitais privados: a experiência dos hospitais da ANAHP. Laura Schiesari Diretora Técnica

A segurança do paciente como um valor para os hospitais privados: a experiência dos hospitais da ANAHP. Laura Schiesari Diretora Técnica A segurança do paciente como um valor para os hospitais privados: a experiência dos hospitais da ANAHP Laura Schiesari Diretora Técnica AGENDA I. A ANAHP II. Melhores Práticas Assistenciais III. Monitoramento

Leia mais

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições 1980L0155 PT 31.07.2001 002.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B DIRECTIVA DO CONSELHO de 21 de Janeiro de 1980 que tem por objectivo a coordenação

Leia mais

Qualidade dos Serviços Clínicos

Qualidade dos Serviços Clínicos X Qualidade dos Serviços Clínicos ÍNDICE SECÇÃO I SISTEMAS DE GESTÃO E AVALIAÇÃO DA QUALIDADE...2 1. Sistema de Gestão da Qualidade...2 2. Sistema de Gestão Ambiental...3 3. Monitorização e avaliação dos

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado o Regulamento para Atividades Práticas do Curso de Enfermagem, bacharelado, da Faculdade do Maranhão FACAM.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado o Regulamento para Atividades Práticas do Curso de Enfermagem, bacharelado, da Faculdade do Maranhão FACAM. RESOLUÇÃO CSA N 10/2010 APROVA O REGULAMENTO PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DO CURSO DE ENFERMAGEM, BACHARELADO, DA FACULDADE DO MARANHÃO FACAM. O Presidente do Conselho Superior de Administração CSA, no uso

Leia mais

Proposição de Indicadores do QUALISS Monitoramento e a Classificação dos Indicadores em Domínios Especificados

Proposição de Indicadores do QUALISS Monitoramento e a Classificação dos Indicadores em Domínios Especificados Proposição de Indicadores do QUALISS Monitoramento e a Classificação dos Indicadores em Domínios Especificados Coordenação: Aluísio Gomes da Silva Júnior, MD. PhD Professor do ISC-UFF Produto 2 BR/CNT/1500509.002

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA TEMPERATURAS EXTREMAS ADVERSAS MÓDULO DE INVERNO

PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA TEMPERATURAS EXTREMAS ADVERSAS MÓDULO DE INVERNO PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA TEMPERATURAS EXTREMAS ADVERSAS MÓDULO DE INVERNO Título: Plano de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas - Módulo Inverno Editor: Direção-Geral da Saúde Alameda D.

Leia mais

Agência Nacional de Saúde Suplementar

Agência Nacional de Saúde Suplementar AS Saúde Suplementar e a inclusão de novos procedimentos no Rol da ANS XXXIV CONGRESSO DA SBHCI 21 Junho de 2012 Agência Nacional de Saúde Suplementar É a agência reguladora do Governo Federal, vinculada

Leia mais

Estudo comparativo entre indicadores de desempenho da JCI e do Contrato Programa da Cirurgia Segura

Estudo comparativo entre indicadores de desempenho da JCI e do Contrato Programa da Cirurgia Segura Mestrado em Engenharia e Gestão da Qualidade Estudo comparativo entre indicadores de desempenho da JCI e do Contrato Programa da Cirurgia Segura Marta Fernanda da Silva Correia (Pg: 19410) Orientador -

Leia mais

CONTRATO-PROGRAMA 2012 UOFC

CONTRATO-PROGRAMA 2012 UOFC CONTRATO-PROGRAMA 2012 UOFC Metodologia para definição de preços e fixação de objetivos Lisboa, Janeiro de 2012 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 2 1.1 Objetivos... 4 Hospitais... 4 Unidades Locais de Saúde...

Leia mais

O FUTURO DOS HOSPITAIS E OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

O FUTURO DOS HOSPITAIS E OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO O FUTURO DOS HOSPITAIS E OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manuel Delgado Presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares COIMBRA 04JAN28 by AC S U M Á R I O I. O CONTEXTO! Mercado da Saúde!

Leia mais

Infeções associadas aos cuidados de saúde no contexto do CHCB. Vasco Lino 2015-06-16

Infeções associadas aos cuidados de saúde no contexto do CHCB. Vasco Lino 2015-06-16 Infeções associadas aos cuidados de saúde no contexto do CHCB Vasco Lino 2015-06-16 GCL- PPCIRA Grupo de Coordenação Local do Programa de Prevenção e Controlo das Infeções e de Resistência aos Antimicrobianos

Leia mais

Modelos de remuneração médica Fernando Amorim UNIMED BH

Modelos de remuneração médica Fernando Amorim UNIMED BH Modelos de remuneração médica Fernando Amorim UNIMED BH Cadeia de valor dos serviços de saúde suplementar ESTUDO ECONÔMICO SOBRE OS DESAFIOS DO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR NO BRASIL, 2015 Sistema de Saúde

Leia mais

A Gestão dos Recursos Humanos em Saúde:Situação e Perspectivas (*)

A Gestão dos Recursos Humanos em Saúde:Situação e Perspectivas (*) A Gestão dos Recursos Humanos em Saúde:Situação e Perspectivas (*) Covilhã, 18 de Maio de 2007 (*) Manuel Delgado 1 AGENDA I Breve Caracterização dos Recursos Humanos da Saúde II As Despesas com Pessoal

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE

RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE RELATÓRIO ANUAL SOBRE O ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE As entidades prestadoras de cuidados de saúde devem publicar e divulgar, até 31 de Março de cada ano, um relatório circunstanciado sobre o acesso aos

Leia mais

Diagnóstico de Situação em 2015. Diagnóstico de Situação em 2015 Prioridade II: Reforço da Segurança dos Doentes. Entidade: *

Diagnóstico de Situação em 2015. Diagnóstico de Situação em 2015 Prioridade II: Reforço da Segurança dos Doentes. Entidade: * Página 1 de 6 Entidade: * Centro Hospitalar do Porto, EPE Morada: Código Postal - N.º de camas: ARS: Tipologia: * ACES Hospital/Centro Hospitalar Unidade Local de Saúde PLANO DE ATIVIDADES Preenchimento

Leia mais

Impactos da Crise Econômica na Saúde. DR. ARLINDO DE ALMEIDA Presidente Abramge 16/03/2009

Impactos da Crise Econômica na Saúde. DR. ARLINDO DE ALMEIDA Presidente Abramge 16/03/2009 8º Semestre de Debates GVsaúde Impactos da Crise Econômica na Saúde DR. ARLINDO DE ALMEIDA Presidente Abramge 16/03/2009 Pré-Crise Perspectivas Gerais Economia: estável e em crescimento Investiment Grade

Leia mais

Princípios de Bom Governo

Princípios de Bom Governo Princípios de Bom Governo Regulamentos internos e externos a que a empresa está sujeita O Decreto - Lei 67/2011 de 2 de Junho cria com a natureza de entidade pública empresarial, a Unidade Local de Saúde

Leia mais

Sistema Local de Notificação de Incidentes e os Desafios da Integração com o SNNIEA

Sistema Local de Notificação de Incidentes e os Desafios da Integração com o SNNIEA Sistema Local de Notificação de Incidentes e os Desafios da Integração com o SNNIEA Fernando Barroso, CHS, EPE, - CQSD, GIARC / Departamento da Qualidade na Saúde Enfermeiro Chefe / Consultor DGS Os Sistemas

Leia mais

Promoção da Eficiência Energética no Serviço Nacional de Saúde

Promoção da Eficiência Energética no Serviço Nacional de Saúde Promoção da Eficiência Energética no Serviço Nacional de Saúde Luís Inácio Equipa PEBC e ECO.AP do MS PEBC Plano Estratégico do Baixo Carbono ECO.AP Programa de Eficiência Energética na Administração Pública

Leia mais

Tributos em espécie. Impostos, taxas, contribuições de melhoria, empréstimos compulsórios e contribuições especiais

Tributos em espécie. Impostos, taxas, contribuições de melhoria, empréstimos compulsórios e contribuições especiais Tributos em espécie Impostos, taxas, contribuições de melhoria, empréstimos compulsórios e contribuições especiais 1 Espécies tributárias Impostos Taxas De polícia De serviço Contribuição de melhoria Empréstimo

Leia mais

Serviço Nacional de Saúde

Serviço Nacional de Saúde Informação de Custos dos Cuidados de Saúde Serviço Nacional de Saúde A Informação de custos dos Cuidados de Saúde é uma iniciativa do Ministério da Saúde, de abrangência nacional, enquadrada no Programa

Leia mais

S.R. DA SOLIDARIEDADE SOCIAL, S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 37/2015 de 31 de Março de 2015

S.R. DA SOLIDARIEDADE SOCIAL, S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 37/2015 de 31 de Março de 2015 S.R. DA SOLIDARIEDADE SOCIAL, S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 37/2015 de 31 de Março de 2015 O Decreto Legislativo Regional n.º 16/2008/A, de 12 de junho, que procedeu à criação da Rede de cuidados continuados

Leia mais

Programas de Qualificação dos Prestadores de Serviços - ANS

Programas de Qualificação dos Prestadores de Serviços - ANS Programas de Qualificação dos Prestadores de Serviços - ANS São Paulo - 18 de junho de 2013 GERPS/GGISE/DIDES/ANS Agenda Cenário Atual da Qualidade no Setor. Programas de Qualificação dos Prestadores de

Leia mais

Monitorização da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) 2014 Março 2015

Monitorização da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) 2014 Março 2015 Monitorização da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) 2014 Março 2015 ACSS - Departamento de Gestão da Rede de Serviços e Recursos em Saúde (DRS) Núcleo Funcional da Rede Nacional de

Leia mais

II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico

II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico Fundação São Francisco Xavier Instituída em 1969 pela Usiminas Fundação de Direito Privado, sem fins lucrativos

Leia mais

União Europeia Acesso a cuidados de saúde Prestação de serviços de saúde

União Europeia Acesso a cuidados de saúde Prestação de serviços de saúde União Europeia Acesso a cuidados de saúde Prestação de serviços de saúde Legislação da União Europeia Legislação nacional Jurisprudência TJUE Diretiva 2011/24 Proposta de Lei 206/XII Direitos e deveres

Leia mais

Modelos de Gestão Hospitalar da administração direta dos hospitais públicos (SPA) aos SA, EPE e PPP. Artur Vaz

Modelos de Gestão Hospitalar da administração direta dos hospitais públicos (SPA) aos SA, EPE e PPP. Artur Vaz Modelos de Gestão Hospitalar da administração direta dos hospitais públicos (SPA) aos SA, EPE e PPP Artur Vaz Lisboa, 20 a 22 de Novembro de 2014 Sumário Principais reformas e estratégias do SNS nos últimos

Leia mais

Eficiência na Atenção à Saúde

Eficiência na Atenção à Saúde QualiHosp 2015 Congresso Internacional de Qualidade em Serviços e Sistemas de Saúde Eficiência na Atenção à Saúde Michelle Mello de Souza Rangel Diretora-Adjunta Diretoria de Desenvolvimento Setorial -

Leia mais

Promoção da Saúde e Prevenção da Doença

Promoção da Saúde e Prevenção da Doença Faculdade de Medicina de Lisboa Instituto de Medicina Preventiva Disciplina de Medicina Geral e Familiar (5º Ano) Promoção da Saúde e Prevenção da Doença Medicina Curativa e Medicina Preventiva Saúde versus

Leia mais

Anexo II Sistema concetual Estatísticas da Saúde e Incapacidades

Anexo II Sistema concetual Estatísticas da Saúde e Incapacidades Anexo II Sistema concetual Estatísticas da Saúde e Incapacidades SAÚDE PÚBLICA ESTADO DE SAÚDE ACAMADO ANDAR ANOS DE VIDA SAUDÁVEL ATIVIDADE DE VIDA DIÁRIA ATIVIDADE INSTRUMENTAL DE VIDA DIÁRIA AUTO APRECIAÇÃO

Leia mais