Estratégia e criação. Luciano Siani Rio de Janeiro 29 de janeiro de 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estratégia e criação. Luciano Siani Rio de Janeiro 29 de janeiro de 2013"

Transcrição

1 Estratégia e criação de valor Luciano Siani Rio de Janeiro 29 de janeiro de 2013

2 A estratégia e os investimentos da Vale

3 Reduzindo incertezas Enorme avanço no processo de licenciamento ambiental, permitindo expansões de minério de ferro de alta qualidade - Cerca de 100 licenças concedidas em Solução gradual das questões relacionadas à tributação estadual e federal - Suíça, TFRM, ICMS, CFEM, CFC ¹. ¹ Empresas controladas no exterior. 3

4 Disciplina na alocação de capital, maior eficiência e menores custos Foco em minério de ferro. Diversificação somente em ativos de classe mundial vida longa, baixo custo, capacidade de expansão e produção de alta qualidade. Desinvestimento de ativos non-core e joint-ventures. Melhor gestão do capital de giro. Redução da estrutura de custos. 4

5 Orçamento de investimentos e gastos com P&D em 2013: investimentos de capital de US$ 15,2 bilhões e gastos com P&D de US$ 1,1 bilhão Investimentos e gastos com P&D US$ bilhões 18,0 17,5 1,7 1,4 16,3 1,1 10,2 1,1 9,0 2,7 1,0 2,2 6,5 5,8 12,7 1,1 3,3 8,2 4,6 4,8 11,7 11,3 51 5,1 10, E 2013B Projetos Sustentação das operações existentes P&D 5 E = Estimado B = Orçado

6 Portfólio de crescimento orgânico menor e mais focado Capex 2013 Iniciativas as de crescimento US$ milhões Expansão de Carajás¹ Minério de ferro Itabiritos² Minério de ferro Rede de distribuição³ Minério de ferro 758 Moatize / Nacala Carvão Long Harbour Níquel Salobo Cobre 525 Rio Colorado Fertilizantes 611 CSP 4 Aço 439 Projetos VLI Carga geral 335 Principais iniciativas de crescimento Total de projetos do capex ¹ Inclui Adicional 40 Mtpa, Serra Leste, CLN 150 Mtpa, S11D, CLN S11D. CLN S11D a ser aprovado pelo Conselho de Administração. ² Inclui Conceição Itabiritos, Conceição Itabiritos II, Vargem Grande Itabiritos e Cauê Itabiritos. ³ Inclui Teluk Rubiah e navegação. 4 Relativo à participação da Vale no projeto.

7 Crescimento da produção em linha com a expansão esperada da demanda Crescimento da produção agregada 1,2,3 150 Projetos greenfield 139 Unidade ba ase equivalente e de produção de minério de fe erro Projetos brownfield Operações existentes E 2013E 2014E 2015E 2016E 2017E ¹Índice englobando produção de todos os produtos da Vale, traduzido em unidades de minério de ferro através de preços relativos, base 2011 = 100 ² Não incluindo a produção atribuível de empresas não consolidadas. ³ Serra Sul S11D atingirá plena capacidade em 2018.

8 A expansão da produção de minério de ferro Produção de minério de ferro¹ Milhões de toneladas Operações Projetos 8 ¹ A produção de Serra Sul S11D atingirá 90Mt somente em 2018.

9 Mantendo os investimentos na sustentação das operações sob controle Investimento na sustentação das operações/ base de ativos¹ 5.4% 5.1% 51% 5.1% 5.0% Investimento na sustentação das operações em US$ bilhões % 4.5% % ² 2013B ² 2013B 9 ¹ Imobilizado líquido + ativos intangíveis + investimentos em coligadas, em joint ventures e outros investimentos. ² Período dos últimos doze meses findo em 30 de setembro de B = Orçado.

10 A racionalização de despesas com P&D em US$ milhões ¹ 2013B Exploração mineral Estudos de viabilidade² Inovações tecnológicas 10 ¹ Período dos últimos doze meses findo em 30 de setembro de ² Estudos conceituais, de pré-viabilidade e de viabilidade.

11 Carajás S11D mina e usina maior projeto da história da Vale e da indústria de minério de ferro Capacidade nominal: 90 Mtpa. Start-up: 2S16. Progresso físico¹: 37%. Capex total: US$ 8,04 bilhões. Pátio de estocagem de equipamentos dos módulos Capex em 2013: US$ 658 milhões. Relação estéril/minério: Recuperação de massa: 100%. Mineração truckless, processamento à seco, sem necessidade de barragens de rejeito e redução de 50% na emissão de gases do efeito estufa. 11 Usinas de processamento em design 3D 1 Em 30 de setembro de Baixo custo, 4,2 bilhões de toneladas métricas de reservas provadas e 66,7% Fe.

12 12 Carajás S11D

13 CLN S11D 1 logística para apoiar o S11D Ampliação da infraestrutura logística existente. Start-ups: de 1S15 a 2S18. Capex estimado de US$ 11,4 bilhões. Cinco subprojetos: ramal ferroviário de 101 km, novos trechos ferroviários com trilho duplo, terminal ferroviário e investimentos onshore e offshore. Aumento da capacidade logística do Sistema Norte para 230 Mtpa Este projeto está sujeito à aprovação pelo Conselho de Administração.

14 Expansão logística Expansão do corredor logístico Norte CLN 150 Mtpa Expansão do corredor logístico Norte CLN S11D Serra Norte Serra Leste PA EFC 11 trechos da ferrovia duplicados 42 trechos da ferrovia duplicados São Luís Terminal marítimo Ponta da Madeira 2 VVs 2 pátios 2 VVs 2 Rec 4 pátios 1 Empilhadiera 2 Rec Píer IV - BS 1 Empilhadeira 2 ERs Píer IV - BN MA Carajás Parauapebas S11D 14 TO VV: virador de vagões Rec: recuperadora ER: empilhadeira recuperadora BS: berço Sul BB: berço Norte PI

15 PDM offshore: berços Norte e Sul Visão 3D 15

16 Carajás Adicional 40 Mtpa CLN 150 Mtpa Start-ups: de 1S13 a 2S14. Progresso físico¹: 81% Capex total: US$ 4,114 bilhões. Capex em 2013: US$ 498 milhões. Carajás Adicional 40 Mtpa Start-up: 2S13. Progresso físico¹:76% Capex total: US$ bilhões. Capex em 2013: US$ 548 milhões Em 30 de setembro de 2012.

17 17 Carajás Adicional 40 Mtpa

18 Projetos Itabiritos: uso da tecnologia para vencer os desafios dos recursos minerais (1/2) Conceição Itabiritos Capacidade nominal adicional de 12 Mtpa. Start-up: 2S13. Progresso físico¹: 93%. Capex total: US$ 1,174 bilhão. Capex em 2013: US$ 208 milhões. Conceição Itabiritos II Capacidade nominal de 19 Mtpa, sem adição de capacidade. Start-up: 2S14. Progresso físico¹: 50%. Capex total: US$ 1,189 bilhão. Capex em 2013: US$ 197 milhões Em 30 de setembro de 2012.

19 Projetos Itabiritos: uso da tecnologia para vencer os desafios dos recursos minerais (2/2) Vargem Grande Itabiritos Capacidade nominal adicional de 10 Mtpa. Start-up: 1S14. Progresso físico¹: 68%. Capex total: US$ 1,645 bilhão. Capex em 2013: US$ 518 milhões. Cauê Itabiritos Capacidade nominal de 24 Mtpa, com capacidade adicional líquida de 4 Mpta em Start-up: 2S15. Progresso físico¹: 12%. Capex total: US$ 1,504 bilhão. Capex em 2013: US$ 206 milhões As of September 30, 2012.

20 Melhoria significativa na qualidade a partir de Teor de Fe % Teor de sílica % Teor de SiO2 médio australiano = 4,5% Teor de Fe médio australiano = 62%

21 Moatize ativo de classe mundial, o maior projeto integrado de carvão do mundo Moatize I está em ramp-up. p Moatize II Start-up: 2S14. Progresso físico¹: 21%. Capex total: US$ 2,068 bilhões. Capex em 2013: US$ 344 milhões. Capacidade total: 22 Mtpa. Carvão metalúrgico de alta qualidade: 70% Chipanga premium Hcc e 30% HCC típico 21 1 Em 30 de setembro de 2012.

22 Corredor Nacala ferrovia e terminal marítimo para Moatize Expandir a logística para o transporte de carvão de Moatize pelo terminal marítimo Nacala-à-Velha. Construção de 230 km de ferrovia greenfield ereabilitação de 682 km da ferrovia existente. Acordo de concessão de 30 anos com os governos de Moçambique e Malaui. Start-up: 2S14 e progresso físico de 8% (em 30 de setembro de 2012). Capex total: US$ 4, bilhões. Capex em 2013: US$ 1,079 bilhão. Trecho 2 Greenfield 62,5km 2 1 Mina Mz MALAUI 5 Trecho 6 Brownfield Mz 79,1 km 6 MOÇAMBIQUE 3 Trecho 5 Trecho 7 Brownfield Mw 98,6 km Trecho 3 Greenfield Mw 138,5 km Brownfield Mz 504,2 km 7 Trecho 8 Greenfield Mz 29,3 km 8 9 Porto Nacala - à-velha 22 Trechos ferroviários do Corredor Nacala

23 23 Porto Nacala-à-Velha Corredor Nacala

24 Estratégia para maximizar valor e assegurar a sustentabilidade a longo prazo do negócio de metais básicos Viver com os próprios recursos Ramp-ups. Redução de custos. Maior produtividade. Maximizar valor ao invés de volume Mudança de paradigmas: Alimentar smelters apenas com feed de alto teor através de um plano de mina revisado e otimizado. i Aumento da produção de matte na Indonésia vinculado ao fluxo de produção no Canadá, garantindo refinarias operando à plena capacidade. Níquel permanece como core business, non-core para expansões greenfield de curto prazo. Desinvestimentos de ativos non-core e simplificação do fluxo de produção. Operações integradas em VNC foram retomadas em outubro viabilidade será avaliada no final do 1T13. Reconstrução de um forno de Onça Puma e ramp-up previsto para 2S13. 24

25 Long Harbour inovação e eficiência em metais básicos Fluxo de produção hidrometalúrgico totalmente integrado tpa de catodo de níquel de alta pureza e valor, tpa de catodo de cobre com teor da LME e tpa de cobalto de pureza elevada. Capacidade adicional de processamento de concentrado de níquel e matte, reduzindo custo de investimento em manutenção. Garante o acesso aos depósitos ricos de Voisey s Bay. Benefícios : Processo de smelting e refino integrado com menores custos operacionais. i Eliminação das emissões de SO2 e partículas. Aumento na recuperação de metais. Maior eficiência e menor consumo de energia. 25

26 CORe: inovação para melhoria de desempenho de Sudbury Fluxo de produção projetado para melhorar a recuperação de níquel em 4%, semelhante à mineração de uma pequena mina de níquel. Redução do custo operacional. Enriquecimento da qualidade do concentrado e redução da variabilidade para o smelter. Inicio de operação no 4T12. 26

27 Lubambe: nosso primeiro projeto no cinturão de cobre africano entregue no orçamento e prazo previsto Mina subterrânea, planta e infraestrutura relacionada na Zâmbia. Lubambe produziu o primeiro concentrado de cobre em outubro de Capacidade nominal de tpa de cobre em concentrado. Capex total de US$ 235 milhões. ¹ 27 ¹ Capex relativo à participação da Vale no projeto. A Vale detém 50% da JV que controla o projeto.

28 Salobo: aumentando a exposição ao cobre e ouro Salobo I Salobo I obteve licença de operação em novembro de 2012, está em ramp-up, p, atualmente ao ritmo de 50% da capacidade. Salobo II está em execução, start-up previsto para 1S14. Salobo II Capex total Salobo I&II II US$ 4,214 bilhões. Capacidade nominal de tpa de cobre em concentrado e ¹ ozpa de ouro. 1,112 bilhão de toneladas de reservas provadas e prováveis, com teor médio de 0,69% de cobre e 0,43 gramas de ouro por tonelada. 28 ¹ Produção máxima prevista, 2016.

29 Os preços da ações da Vale

30 Preço das ações da Vale versus Platts IODEX 62% Índice Vale IODEX Fonte: Bloomberg 30

31 Preço das ações da Vale versus Rio Tinto Índice¹ Vl Vale Rio Tinto 95 set-12 out-12 nov-12 dez-12 jan ¹6 de setembro de 2012 = 100 (quando o Platts IODEX atingiu o mínimo de US$ 88,50/t) Fonte: Bloomberg

32 Reservas e preços das ações EV¹ / reservas de minério de ferro Reservas de minério de ferro / ação 70 Vale Rio Tinto 3.5 Vale Rio Tinto ,0 US$ por ton ,8 Ton por ação , , ¹EV: Valor de mercado+ dívida líquida Fontes: Vale e Rio Tinto 32

33 Evolução das recomendações dos analistas¹ Vale x BHP Billiton Vale x Rio Tinto Criando valor no longo prazo ¹ Valores superiores a 1.0 significam que a Vale tem mais recomendações de compra do que o peer e vice-versa.

Gestão de capital e criação de valor. APIMEC Rio 27 de janeiro de 2012

Gestão de capital e criação de valor. APIMEC Rio 27 de janeiro de 2012 Gestão de capital e criação de valor 1 APIMEC Rio 27 de janeiro de 2012 Gestão do capital orientada para a criação de valor: foco em disciplina na alocação do capital e transparência Excelência na execução

Leia mais

Desempenho em 2012/4T12 28 de fevereiro de 2013

Desempenho em 2012/4T12 28 de fevereiro de 2013 Os primeiros resultados de uma nova era Desempenho em 2012/4T12 p 28 de fevereiro de 2013 Disclaimer 2 Esse comunicado pode incluir declarações que apresentem expectativas da Vale sobre eventos ou resultados

Leia mais

Relatório de Produção 1T15

Relatório de Produção 1T15 Destaques da Produção Rio de Janeiro, 22 de abril de 2015 A produção da Vale S.A. (Vale) no 1T15 foi marcada pela forte performance operacional do minério de ferro de 74,5 Mt excluindo o minério de ferro

Leia mais

GERANDO FORTE FLUXO DE CAIXA LIVRE DESEMPENHO DA VALE NO 2T14. Gerando fluxos de caixa consistentes nos metais básicos

GERANDO FORTE FLUXO DE CAIXA LIVRE DESEMPENHO DA VALE NO 2T14. Gerando fluxos de caixa consistentes nos metais básicos GERANDO FORTE FLUXO DE CAIXA LIVRE DESEMPENHO DA VALE NO 2T14 BM&F BOVESPA: VALE3, VALE5 NYSE: VALE, VALE.P HKEx: 6210, 6230 EURONEXT PARIS: VALE3, VALE5 LATIBEX: XVALO, XVALP Rio de Janeiro, 31 de julho

Leia mais

IFRS em R$ 1T14 DESEMPENHO DA VALE NO 1T14

IFRS em R$ 1T14 DESEMPENHO DA VALE NO 1T14 DESEMPENHO DA VALE NO 1T14 BM&F BOVESPA: VALE3, VALE5 NYSE: VALE, VALE.P HKEx: 6210, 6230 EURONEXT PARIS: VALE3, VALE5 LATIBEX: XVALO, XVALP Rio de Janeiro, 30 de abril de 2014 A Vale S.A. (Vale) apresentou

Leia mais

IFRS 4T13 DESEMPENHO DA VALE EM 2013

IFRS 4T13 DESEMPENHO DA VALE EM 2013 DESEMPENHO DA VALE EM 2013 BM&F BOVESPA: VALE3, VALE5 NYSE: VALE, VALE.P HKEx: 6210, 6230 EURONEXT PARIS: VALE3, VALE5 LATIBEX: XVALO, XVALP Rio de Janeiro, 26 de fevereiro de 2014 A Vale S.A. (Vale) apresentou

Leia mais

Atualização sobre o projeto S11D

Atualização sobre o projeto S11D Atualização sobre o projeto S11D Analyst Tour Pará, Novembro 2015 Esse comunicado pode incluir declarações que apresentem expectativas da Vale sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações,

Leia mais

Companhia Vale do Rio Doce Em busca do crescimento de longo prazo

Companhia Vale do Rio Doce Em busca do crescimento de longo prazo Companhia Vale do Rio Doce Em busca do crescimento de longo prazo 1 São Paulo 31 de Maio de 2007 Disclaimer 2 Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da

Leia mais

PRODUÇÃO DA VALE NO 3T15

PRODUÇÃO DA VALE NO 3T15 PRODUÇÃO DA VALE NO 3T15 www.vale.com rio@vale.com Tel.: (55 21) 3814-4540 Departamento de Relações com Investidores Rogério T. Nogueira André Figueiredo Carla Albano Miller Fernando Mascarenhas Andrea

Leia mais

DESEMPENHO DA VALE NO 3T15

DESEMPENHO DA VALE NO 3T15 DESEMPENHO DA VALE NO 3T15 www.vale.com rio@vale.com Tel.: (55 21) 3814-4540 Departamento de Relações com Investidores Rogério T. Nogueira André Figueiredo Carla Albano Miller Fernando Mascarenhas Andrea

Leia mais

Relatório de Produção de 2013 e 4T13. Destaques da Produção

Relatório de Produção de 2013 e 4T13. Destaques da Produção Relatório de Produção de 2013 e 4T13 Destaques da Produção Rio de Janeiro, 26 de fevereiro de 2014 A Vale S.A. (Vale) registrou um novo recorde trimestral de produção em Carajás no 4T13 de 31,6 Mt. O trimestre

Leia mais

As perspectivas da. Murilo Ferreira Diretor-presidente Belo Horizonte, 24 de setembro de 2013

As perspectivas da. Murilo Ferreira Diretor-presidente Belo Horizonte, 24 de setembro de 2013 As perspectivas da mineração no Brasil Murilo Ferreira Diretor-presidente Belo Horizonte, 24 de setembro de 2013 Agenda Carajás, Brazil 1 A mineração no Brasil 2 A d d l b l minérios e metais A demanda

Leia mais

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral Vale no Maranhão AGENDA A Vale O Maior Projeto de Logística da America Latina - Exportação de Minério - Logística da Vale de Carga Geral A Vale no Mundo A Vale tem operações mineradoras, laboratórios de

Leia mais

A Vale no Maranhão. A Vale no Maranhão

A Vale no Maranhão. A Vale no Maranhão A Vale no Maranhão A Vale no Maranhão Estamos presentes em mais de 38 países Geramos mais de 174 mil empregos no mundo Além de minérios, atuamos na área de fertilizantes e nos segmentos de logística, energia

Leia mais

Na trilha da criação de valor. 9ª Conferência Anual Santander Agosto, 2008 1

Na trilha da criação de valor. 9ª Conferência Anual Santander Agosto, 2008 1 Na trilha da criação de valor 9ª Conferência Anual Santander Agosto, 2008 1 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Vale sobre eventos ou resultados

Leia mais

Roadshow da 9ª Emissão de Debêntures Simples Agosto, 2015

Roadshow da 9ª Emissão de Debêntures Simples Agosto, 2015 0 Roadshow da 9ª Emissão de Debêntures Simples Agosto, 2015 ICVM 400 / Volume da emissão R$ 1 bi / artigo 2º da Lei 12.431 Rating: Aaa.br (Moody s) / braaa (S&P) / AAA (bra) (Fitch) Coordenador Líder 1

Leia mais

DESEMPENHO DA VALE NO 1T16

DESEMPENHO DA VALE NO 1T16 DESEMPENHO DA VALE NO 1T16 1 www.vale.com rio@vale.com Tel.: (55 21) 3485-3900 Departamento de Relações com Investidores Rogério T. Nogueira André Figueiredo Carla Albano Miller Fernando Mascarenhas Andrea

Leia mais

Vale S.A. 2T12 Conference call 26/07/2012 12:00 Transcrição Inglês

Vale S.A. 2T12 Conference call 26/07/2012 12:00 Transcrição Inglês Vale S.A. 2T12 Conference call 26/07/2012 12:00 Transcrição Inglês INTRODUÇÃO Bom dia, senhoras e senhores, e bem-vindos à conference call da Vale para discutir os resultados do 2T12. Se você não tiver

Leia mais

DESEMPENHO DA VALE NO 3T15

DESEMPENHO DA VALE NO 3T15 DESEMPENHO DA VALE NO 3T15 1 www.vale.com rio@vale.com Tel.: (55 21) 3814-4540 Departamento de Relações com Investidores Rogério T. Nogueira André Figueiredo Carla Albano Miller Fernando Mascarenhas Andrea

Leia mais

REVISÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS DA MMX

REVISÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS DA MMX REVISÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS DA MMX Histórico Recente O primeiro semestre de 2008 foi marcado por novas aquisições e eventos societários recentes que modificaram significativamente o conjunto de ativos

Leia mais

A governança corporativa na Vale. Roger Agnelli São Paulo 16 de novembro de 2009

A governança corporativa na Vale. Roger Agnelli São Paulo 16 de novembro de 2009 A governança corporativa na Vale Roger Agnelli São Paulo 16 de novembro de 2009 1 A partir de 2001 a Vale sofreu intenso processo de transformação determinado por duas mudanças estruturais Modelo de governança

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2013 - VALE S.A. Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2013 - VALE S.A. Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

AFIRMAÇÕES SOBRE O FUTURO

AFIRMAÇÕES SOBRE O FUTURO AFIRMAÇÕES SOBRE O FUTURO COMPANHIA SIDERÚRGICA NACIONAL A TRAJETÓRIA 2003 Aquisição da Lusosider em Portugal 2002 2005 Início da expansão da Mina Casa de Pedra e do terminal de carvão em Itaguaí Usina

Leia mais

Situação e Perspectivas Mercado de Minério de ferro

Situação e Perspectivas Mercado de Minério de ferro São Paulo, Brasil 12-14 de julho, 2015 Situação e Perspectivas Mercado de Minério de ferro Congresso Brasileiro do Aço, 26ª edição Peter Poppinga Diretor Executivo de Ferrosos isclaimer Esse comunicado

Leia mais

. 3. Indicadores de Execução do Plano de Negócios

. 3. Indicadores de Execução do Plano de Negócios APIMEC MPX 2011 Aviso Legal Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas da Companhia e de sua administração

Leia mais

PORTO MEARIM AESA UM PORTO NÃO É GRANDE APENAS POR SEU CAIS, SUA INFRAESTRUTURA OU CAPACIDADE LOGÍSTICA

PORTO MEARIM AESA UM PORTO NÃO É GRANDE APENAS POR SEU CAIS, SUA INFRAESTRUTURA OU CAPACIDADE LOGÍSTICA v UM PORTO NÃO É GRANDE APENAS POR SEU CAIS, SUA INFRAESTRUTURA OU CAPACIDADE LOGÍSTICA UM PORTO É UM GRANDE PORTO QUANDO ELE OFERECE OPORTUNIDADES No litoral Maranhense, na margem leste da Baía de São

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE DEBÊNTURES PARTICIPATIVAS. Segundo semestre de 2014 (2S14)

RELATÓRIO SOBRE DEBÊNTURES PARTICIPATIVAS. Segundo semestre de 2014 (2S14) RELATÓRIO SOBRE DEBÊNTURES PARTICIPATIVAS Segundo semestre de 2014 () Códigos de negociação: CVRDA6, CVRDB6, CVRDC6, CVRDD6 Rio de Janeiro, 23 de março de 2015 A Vale efetuará em 31 de março de 2015, o

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE DEBÊNTURES PARTICIPATIVAS. Primeiro semestre de 2015 (1S15)

RELATÓRIO SOBRE DEBÊNTURES PARTICIPATIVAS. Primeiro semestre de 2015 (1S15) RELATÓRIO SOBRE DEBÊNTURES PARTICIPATIVAS Primeiro semestre de 205 () Códigos de negociação: CVRDA6, CVRDB6, CVRDC6, CVRDD6 Rio de Janeiro, 29 de setembro de 205 A Vale efetuará em 30 de setembro de 205,

Leia mais

VALE Teleconferência e webcast Resultados do 4 o trimestre 2013 27 de fevereiro

VALE Teleconferência e webcast Resultados do 4 o trimestre 2013 27 de fevereiro VALE Teleconferência e webcast Resultados do 4 o trimestre 2013 27 de fevereiro Operadora: Bom dia senhoras e senhores. Sejam bem vindos à teleconferência da Vale, onde serão discutidos os resultados do

Leia mais

INTRODUÇÃO Luciano Siani:

INTRODUÇÃO Luciano Siani: INTRODUÇÃO Bom dia, senhoras e senhores, e bem-vindos à conference call da Vale para discutir os resultados do 3T12. Se você não tiver em mãos uma cópia dos press release relevante, o mesmo está disponível

Leia mais

Vale: sistema maximiza embarque de minério de ferro

Vale: sistema maximiza embarque de minério de ferro Divulgação - Vale Vale: sistema maximiza embarque de minério de ferro Para otimizar as operações de exportação de minério de ferro, a Vale investe no desenvolvimento de sistema que integra as informações

Leia mais

Apresentação Corporativa Novembro de 2008. Plano de Negócios Follow Up

Apresentação Corporativa Novembro de 2008. Plano de Negócios Follow Up Apresentação Corporativa Novembro de 2008 Plano de Negócios Follow Up Disclaimer Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão

Leia mais

EQUITY FLASH. Rodrigo Ferraz, CNPI. Destaques dos Resultados do 4T10 25 de fevereiro de 2011. 55 21 3231-3171 rferraz@bancobrascan.com.

EQUITY FLASH. Rodrigo Ferraz, CNPI. Destaques dos Resultados do 4T10 25 de fevereiro de 2011. 55 21 3231-3171 rferraz@bancobrascan.com. EQUITY FLASH VALE (VALE5) OUTPERFORM Cotação R$ 49,25 Preço-Alvo R$ 67,79 Upside 37,6% Destaques dos Resultados do 4T10 25 de fevereiro de 2011 Cotação de fechamento (R$) 49,25 Máxima 52 sem. (R$) 53,65

Leia mais

1º 107 6 2011: 45% EBITDA 1º

1º 107 6 2011: 45% EBITDA 1º QUEM SOMOS Uma das maiores empresas de mineração do mundo. Cerca de 107 mil empregados diretos. Líderes globais na produção de platina e diamante e participação significativa em cobre, níquel, minério

Leia mais

Logística e Infra-estrutura

Logística e Infra-estrutura Siderurgia Mineração Cimento Logística e Infra-estrutura CSN apresenta Plataforma Logística CSN em Itaguaí Plataforma Logística CSN em Itaguaí Um projeto alinhado às necessidades do Brasil Plataforma Logística

Leia mais

Apresentação para Investidores. Novembro de 2014

Apresentação para Investidores. Novembro de 2014 Apresentação para Investidores Novembro de 2014 1 Agenda Diferenciais Gerdau Estratégia Destaques Operacionais e Financeiros Perspectivas Diferenciais Gerdau Mais de 110 anos de atuação no mercado do aço

Leia mais

VALE Conference call e apresentação webcast Divulgação de Resultados 1T14

VALE Conference call e apresentação webcast Divulgação de Resultados 1T14 VALE Conference call e apresentação webcast Divulgação de Resultados 1T14 30 de abril, 15:00 (horário do RJ) / 14:00 (horário de NY) / 19:00 (horário de Londres) Operador: Boa tarde senhoras e senhores.

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços

Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços Sumário Rio de Janeiro em números Energia Petróleo Carteira de Investimentos Rio de Janeiro em números Comércio Exterior Rio bate

Leia mais

RETOMANDO O CRESCIMENTO

RETOMANDO O CRESCIMENTO RETOMANDO O CRESCIMENTO Desempenho da Vale no BOVESPA: VALE3, VALE5 NYSE: VALE, VALE.P EURONEXT PARIS: VALE3, VALE5 LATIBEX: XVALO, XVALP Rio de Janeiro, 28 de outubro de 2009 A Vale S.A. (Vale) apresentou

Leia mais

AGOSTO GOSTO,, 2011, 2011 Aviso Legal Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas da Companhia e de sua

Leia mais

Apresentação Corporativa Novembro de 2008. Plano de Negócios Follow Up

Apresentação Corporativa Novembro de 2008. Plano de Negócios Follow Up Apresentação Corporativa Novembro de 2008 Plano de Negócios Follow Up Disclaimer Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão

Leia mais

Investimento da Vale em logística nos últimos 6 anos é de US$ 9 bi

Investimento da Vale em logística nos últimos 6 anos é de US$ 9 bi ESPECIAL LOGÍSTICA Fevereiro 2011 Investimento da Vale em logística nos últimos 6 anos é de US$ 9 bi Em 2011, serão mais US$ 5 bi para atingir meta de 522 milhões de toneladas em 2015 Ampliação do Terminal

Leia mais

Inovações que viabilizaram as dimensões econômicas, ambientais e sociais da construção do maior projeto de extração de minério de ferro no mundo

Inovações que viabilizaram as dimensões econômicas, ambientais e sociais da construção do maior projeto de extração de minério de ferro no mundo vale 20 INOVAR É FAZER. 22 CASOS EMPRESARIAIS DE INOVAÇÃO DE PEQUENAS, MÉDIAS E GRANDES EMPRESAS Inovações que viabilizaram as dimensões econômicas, ambientais e sociais da construção do maior projeto

Leia mais

INDÚSTRIA NACIONAL DE MATÉRIAS-PRIMAS PARA FERTILIZANTES. Investimentos : 2012-2017 2012-2017

INDÚSTRIA NACIONAL DE MATÉRIAS-PRIMAS PARA FERTILIZANTES. Investimentos : 2012-2017 2012-2017 INDÚSTRIA NACIONAL DE MATÉRIAS-PRIMAS PARA FERTILIZANTES Investimentos : 2012-2017 2012-2017 27/agosto/2012 Apresentação Luiz Antonio Veiga Mesquita José Emilio Nico Paulo Virgínio Teixeira de Lucena Nelson

Leia mais

Projetos de Inovação e Melhores Práticas de Competitividade e Eficiência. Gleuza Jesué

Projetos de Inovação e Melhores Práticas de Competitividade e Eficiência. Gleuza Jesué Projetos de Inovação e Melhores Práticas de Competitividade e Eficiência Gleuza Jesué Nossa agenda 1 2 3 4 Pilares estratégicos e ações estruturantes Metodologia da gestão da licença para operar Case:

Leia mais

Apresentação Corporativa. Dezembro 2014

Apresentação Corporativa. Dezembro 2014 Apresentação Corporativa Dezembro 2014 O Açu é uma solução estruturante para diversas indústrias Exemplo: evolução da indústria do petróleo nos próximos anos Crescimento esperado de 13% ao ano Crescimento

Leia mais

IFRS em R$ 1T15 DESEMPENHO DA VALE NO 1T15

IFRS em R$ 1T15 DESEMPENHO DA VALE NO 1T15 DESEMPENHO DA VALE NO ENDIVIDAMENTO ESTÁVEL BASEADO EM MENORES CUSTOS E DISCIPLINA NA GESTÃO DO CAPITAL E PORTFÓLIO BM&F BOVESPA: VALE3, VALE5 NYSE: VALE, VALE.P HKEx: 6210, 6230 EURONEXT PARIS: VALE3,

Leia mais

Relatório de Produção

Relatório de Produção CVRD Relatório de Produção do 3T07 VENCENDO DESAFIOS Rio de Janeiro, 25 de outubro de 2007 A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) registrou no terceiro trimestre de 2007 (3T07) um dos melhores desempenhos

Leia mais

IV Brasil nos Trilhos

IV Brasil nos Trilhos IV Brasil nos Trilhos Crescimento do Setor Ferroviá Bruno Batista Diretor Executivo CNT Brasília, 11 de agosto de 2010. Objetivos da Pesquisa Identificar as alterações ocorridas no setor nos últimos anos

Leia mais

Vale Programa Inove. ABINEE São Paulo 29 de Setembro de 2009

Vale Programa Inove. ABINEE São Paulo 29 de Setembro de 2009 Vale Programa Inove ABINEE São Paulo 29 de Setembro de 2009 Agenda 1 Vale 2 Programa Inove 1 Vale: Missão, Visão e Valores Missão: Transformar os recursos minerais em riqueza e desenvolvimento sustentável

Leia mais

Press Release 2T02 US GAAP O DESEMPENHO DA COMPANHIA VALE DO RIO DOCE NO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2002

Press Release 2T02 US GAAP O DESEMPENHO DA COMPANHIA VALE DO RIO DOCE NO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2002 US GAAP Press Release 2T02 BOVESPA:VALE3, VALE5 NYSE: RIO, RIOPR LATIBEX: XVALO, XVALP O DESEMPENHO DA COMPANHIA VALE DO RIO DOCE NO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2002 As informações operacionais e financeiras

Leia mais

Excelência em soluções de engenharia e projetos da mina ao porto

Excelência em soluções de engenharia e projetos da mina ao porto Excelência em soluções de engenharia e projetos da mina ao porto 01 Experiência e Excelência em projetos de engenharia também no Brasil 01 Há mais de dez anos, a Ausenco do Brasil tem participado de alguns

Leia mais

2T08 US GAAP. NA TRILHA DA CRIAÇÃO DE VALOR Desempenho da Vale no 2T08

2T08 US GAAP. NA TRILHA DA CRIAÇÃO DE VALOR Desempenho da Vale no 2T08 BOVESPA: VALE3, VALE5 NYSE: RIO, RIOPR EURONEXT PARIS: VALE3, VALE5 LATIBEX: XVALO, XVALP NA TRILHA DA CRIAÇÃO DE VALOR Desempenho da Vale no Rio de Janeiro, 6 de agosto de 2008 A Companhia Vale do Rio

Leia mais

Decisões Certas Inteligência, métodos quantitativos e experiência para construir a melhor decisão dos seus investimentos

Decisões Certas Inteligência, métodos quantitativos e experiência para construir a melhor decisão dos seus investimentos Decisões Certas Inteligência, métodos quantitativos e experiência para construir a melhor decisão dos seus investimentos Tito Livio M. Cardoso tito.livio@decisoescertas.com.br www.decisoescertas.com.br

Leia mais

BR GAAP 1T05 O DESEMPENHO DA COMPANHIA VALE DO RIO DOCE NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2005 SUPERANDO A SAZONALIDADE

BR GAAP 1T05 O DESEMPENHO DA COMPANHIA VALE DO RIO DOCE NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2005 SUPERANDO A SAZONALIDADE BOVESPA: VALE3, VALE5 NYSE: RIO, RIOPR LATIBEX: XVALO, XVALP O DESEMPENHO DA COMPANHIA VALE DO RIO DOCE NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2005 www.cvrd.com.br rio@cvrd.com.br Departamento de Relações com Investidores

Leia mais

Enfrentando novos desafios. ExpoMoney - RJ Novembro, 2008

Enfrentando novos desafios. ExpoMoney - RJ Novembro, 2008 Enfrentando novos desafios ExpoMoney - RJ Novembro, 2008 1 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Vale sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

Agenda. A Vale Logística da Vale. Números Corredores Logísticos. Novos Corredores. FNS Noroeste de MG

Agenda. A Vale Logística da Vale. Números Corredores Logísticos. Novos Corredores. FNS Noroeste de MG Agenda A Vale Logística da Vale Números Corredores Logísticos Novos Corredores FNS Noroeste de MG A Vale Milhares de empregados da Vale participam intensamente do dia-a-dia de mais de 500 comunidades ao

Leia mais

Empresas mineradoras no Brasil

Empresas mineradoras no Brasil Em 211, a Produção Mineral Brasileira (PMB) deverá atingir um novo recorde ao totalizar US$ 5 bilhões (valor estimado), o que configurará um aumento de 28% se comparado ao valor registrado em 21: US$ 39

Leia mais

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG)

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) o Tel. (11) 3895-8590 premiodeexcelencia@revistaminerios.com.br

Leia mais

A ECONOMIA POLÍTICA DA VALE: UMA LEITURA PARA 2012 VALE S POLITICAL ECONOMY: A READING FOR 2012

A ECONOMIA POLÍTICA DA VALE: UMA LEITURA PARA 2012 VALE S POLITICAL ECONOMY: A READING FOR 2012 A ECONOMIA POLÍTICA DA VALE: UMA LEITURA PARA 2012 VALE S POLITICAL ECONOMY: A READING FOR 2012 José Arnaldo dos Santos Ribeiro Junior, Universidade de São Paulo Resumo: Este trabalho busca promover uma

Leia mais

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 A mineração nacional sentiu de forma mais contundente no primeiro semestre de 2012 os efeitos danosos da crise mundial. Diminuição do consumo chinês, estagnação do consumo

Leia mais

CONDOMINIO INDUSTRIAL MARITIMO

CONDOMINIO INDUSTRIAL MARITIMO PORTO CENTRAL CONDOMINIO INDUSTRIAL MARITIMO VITORIA, 01/8/2012 Jose Maria Novaes 3-8-2012 Copyright - PORTO CENTRAL - 2012 1 Porto Central Visão Ser um complexo portuário indústrial de águas profundas

Leia mais

APRESENTAÇÃO SAMARCO REUNIÃO CRI-MG/FDC 26/05/2011

APRESENTAÇÃO SAMARCO REUNIÃO CRI-MG/FDC 26/05/2011 APRESENTAÇÃO SAMARCO REUNIÃO CRI-MG/FDC 26/05/2011 TÓPICOS - A Samarco - Estratégia - Desenvolvimento tecnológico - Principais Desafios QUEM SOMOS Somos a Samarco. Uma empresa brasileira, fornecedora de

Leia mais

Mapa de Riscos Jurídicos Ambientais

Mapa de Riscos Jurídicos Ambientais Mapa de Riscos Jurídicos Ambientais Atividades Minerárias Seminário Internacional de Direito Ambiental Empresarial Rio de Janeiro 31/05/2012 1 Grupo Votorantim 94 ANOS de historia Multinacional brasileira

Leia mais

Seminário Regional 2010. São Paulo, Brasil

Seminário Regional 2010. São Paulo, Brasil Seminário Regional 2010 São Paulo, Brasil Date : 27 e 28/10/2010 Presentation Title : O Cenário Industrial de Negócios da CSN em expansão, utilizando ferramentas da OSIsoft Speaker Name : Resilene Mansur,

Leia mais

US GAAP O DESEMPENHO DA COMPANHIA VALE DO RIO DOCE NO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2003 2T 03

US GAAP O DESEMPENHO DA COMPANHIA VALE DO RIO DOCE NO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2003 2T 03 BOVESPA: VALE3, VALE5 NYSE: RIO, RIOPR LATIBEX: XVALO, XVALP O DESEMPENHO DA COMPANHIA VALE DO RIO DOCE NO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2003 As informações operacionais e financeiras contidas neste press release,

Leia mais

Negócios. Gerdau aprimora gestão para ampliar resultados operacionais. 18,5 milhões de toneladas

Negócios. Gerdau aprimora gestão para ampliar resultados operacionais. 18,5 milhões de toneladas Negócios Gerdau inicia produção própria de bobinas a quente na usina Ouro Branco (MG). DESEMPENHO DAS OPERAÇÕES Gerdau aprimora gestão para ampliar resultados operacionais Ao longo de 2013, as vendas físicas

Leia mais

Fábrica de. Imperatriz

Fábrica de. Imperatriz Fábrica de Industrial Por que Maranhão? Logística Florestal Fábrica de Por que Maranhão? COMPETITIVIDADE FLORESTAL Nova Fronteira para produção de celulose PA MA PI TO BA FLORESTAL 25 anos de pesquisa

Leia mais

Brasil-China no Século XXI

Brasil-China no Século XXI Brasil-China no Século XXI Pespectivas para uma Parceria de Sucesso Gabriel Stoliar Diretor Executivo de Planejamento e Gestão Abril 2004 1 A progressão da economia chinesa é um dos fenômenos deste início

Leia mais

Serra do Itatiaiuçu - O futuro do minério no Quadrilátero Ferrífero Panorama e desafios após aquisições

Serra do Itatiaiuçu - O futuro do minério no Quadrilátero Ferrífero Panorama e desafios após aquisições Serra do Itatiaiuçu - O futuro do minério no Quadrilátero Ferrífero Panorama e desafios após aquisições XIII Congresso Brasileiro de Mineração, setembro / 2009 José Francisco M. de Viveiros Desafio para

Leia mais

CAMINHO PARA O CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL

CAMINHO PARA O CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL CAMINHO PARA O CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL QUEM SOMOS PERFIL UMA DAS MAIORES EMPRESAS DE MINERAÇÃO DO BRASIL ENTRE OS MAIS COMPETITIVOS PRODUTORES DE ALUMÍNIO, NÍQUEL E ZINCO QUEM SOMOS NOSSA ENERGIA 33

Leia mais

4278866 - O ESTADO DE S. PAULO - NOTAS E INFORMAÇÕES - SÃO PAULO - SP - 16/04/2014 - Pág A3

4278866 - O ESTADO DE S. PAULO - NOTAS E INFORMAÇÕES - SÃO PAULO - SP - 16/04/2014 - Pág A3 Investimentos em queda 4278866 - O ESTADO DE S. PAULO - NOTAS E INFORMAÇÕES - SÃO PAULO - SP - 16/04/2014 - Pág A3 As mudanças de atitude do governo em relação ao novo Código de Mineração tornaram mais

Leia mais

1S08. RELATÓRIO SOBRE DEBÊNTURES PARTICIPATIVAS Primeiro semestre de 2008 (1S08)

1S08. RELATÓRIO SOBRE DEBÊNTURES PARTICIPATIVAS Primeiro semestre de 2008 (1S08) Códigos de negociação: CVRDA6, CVRDB6, CVRDC6, CVRDD6 RELATÓRIO SOBRE DEBÊNTURES RTICITIVAS Primeiro semestre de 2008 () Rio de Janeiro, 30 de setembro de 2008 A Vale efetuará em 30 de setembro de 2008

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO TERMINAL DE TUBARÃO

MEMORIAL DESCRITIVO DO TERMINAL DE TUBARÃO ÍNDICE ITEM DESCRIÇÃO PÁGINA 1 INFORMAÇÕES DOS TERMINAIS PORTUÁRIOS 3 2 TERMINAIS PORTUÁRIOS DO COMPLEXO DE TUBARÃO 3 3 4 3.1 TERMINAL PORTUÁRIO DE MINÉRIO DE FERRO DE TUBARÃO - TU 4 3.1.1. PÍER 1 - NORTE

Leia mais

Apresentação para Investidores. Março, 2009

Apresentação para Investidores. Março, 2009 Apresentação para Investidores Março, 2009 1 Filosofia Gerdau VISÃO Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que

Leia mais

VALE Conference Call - Resultado 2T13. 08 de agosto 12:00 pm (hora RJ) / 11:00 am (hora NY) / 4:00 pm (hora Londres)

VALE Conference Call - Resultado 2T13. 08 de agosto 12:00 pm (hora RJ) / 11:00 am (hora NY) / 4:00 pm (hora Londres) VALE Conference Call - Resultado 2T13 08 de agosto 12:00 pm (hora RJ) / 11:00 am (hora NY) / 4:00 pm (hora Londres) Operador: Bom dia, senhoras e senhores, obrigado por aguardarem e bem-vindos à conference

Leia mais

Estratégia da Vale na área de mineração. Luciano Siani CFO 16 de abril de 2015

Estratégia da Vale na área de mineração. Luciano Siani CFO 16 de abril de 2015 1 Estratégia da Vale na área de mineração Luciano Siani CFO 16 de abril de 2015 2 DISCLAIMER Esse comunicado pode incluir declarações que apresentem expectativas da Vale sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

APIMEC São Paulo Rômel Erwin de Souza CEO. Apresentação Usiminas 2T11 - APIMEC. 12 de novembro de 2015 Classificação da Informação: Pública

APIMEC São Paulo Rômel Erwin de Souza CEO. Apresentação Usiminas 2T11 - APIMEC. 12 de novembro de 2015 Classificação da Informação: Pública APIMEC São Paulo Rômel Erwin de Souza CEO Apresentação Usiminas 2T11 - APIMEC 12 de novembro de 2015 Classificação da Informação: Pública Agenda Usiminas em linhas gerais Informações de Mercado Usiminas

Leia mais

Boletim Informativo Energia

Boletim Informativo Energia Boletim Informativo 01 A Rio Tinto é uma empresa líder internacionai envolvida em todos os estágios da produção de metais e minerais. O Grupo é composto pela Rio Tinto plc, cujas ações são negociadas

Leia mais

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Câmara de Comércio Brasil-Argentina Julho de 2015 Guilherme Alvisi Gerente Geral de Negócios Carga Geral GUILHERME ALVISI Gerente Geral

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA

AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA Impactos ambientais, financeiros e sociais do novo Código de Mineração 07 de julho de 2015 O Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) Organização privada,

Leia mais

Competitividade e Desafios da Indústria do Aço

Competitividade e Desafios da Indústria do Aço Competitividade e Desafios da Indústria do Aço Harley Scardoelli 25 de maio de 2014 As economias devem se recuperar de forma gradual ao longo dos próximos anos 6,0 5,0 4,0 3,0 3,2 5,1 3,0 4,7 3,6 4,9 3,9

Leia mais

Vale S.A. - Estrada de Ferro Carajás Relatório dos auditores independentes sobre a aplicação de procedimentos previamente acordados em 30 de setembro

Vale S.A. - Estrada de Ferro Carajás Relatório dos auditores independentes sobre a aplicação de procedimentos previamente acordados em 30 de setembro Vale S.A. - Estrada de Ferro Carajás Relatório dos auditores independentes sobre a aplicação de procedimentos previamente acordados em 30 de setembro de 2013 Relatório dos auditores independentes sobre

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano de Mineração de Baixa Emissão de Carbono (PMBC)

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano de Mineração de Baixa Emissão de Carbono (PMBC) CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano de Mineração de Baixa Emissão de Carbono (PMBC) Rio de Janeiro/RJ 6 de julho de 2012 Processo de Construção do PMBC Grupo

Leia mais

INDÚSTRIA NACIONAL DE MATÉRIAS-PRIMAS PARA FERTILIZANTES. Investimentos : 2013-2018 2012-2017

INDÚSTRIA NACIONAL DE MATÉRIAS-PRIMAS PARA FERTILIZANTES. Investimentos : 2013-2018 2012-2017 INDÚSTRIA NACIONAL DE MATÉRIAS-PRIMAS PARA FERTILIZANTES Investimentos : 2013-2018 2012-2017 26/agosto/2013 Apresentação Rodolfo Galvani Jr. Nelson Canato Junior Paulo Virgínio Teixeira de Lucena Roberto

Leia mais

Relatório dos auditores independentes sobre a aplicação de procedimentos previamente acordados em 30 de junho de 2014

Relatório dos auditores independentes sobre a aplicação de procedimentos previamente acordados em 30 de junho de 2014 Vale S.A. - Estrada de Ferro Carajás Relatório dos auditores independentes sobre a aplicação de procedimentos previamente acordados em 30 de junho de 2014 KPMG Auditores Independentes Setembro de 2014

Leia mais

Nos trilhos do progresso

Nos trilhos do progresso Nos trilhos do progresso brasil: polo internacional de investimentos e negócios. Um gigante. O quinto maior país do mundo em extensão e população e o maior da América Latina, onde se destaca como a economia

Leia mais

JOINT VENTURE MPX / E.ON. Rio de Janeiro Janeiro 2012

JOINT VENTURE MPX / E.ON. Rio de Janeiro Janeiro 2012 JOINT VENTURE MPX / E.ON Rio de Janeiro Janeiro 2012 AVISO LEGAL Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VALE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VALE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Empresarial: uma nova visão. Abril de 2010

Empresarial: uma nova visão. Abril de 2010 A Novelis e a Sustentabilidade t d Empresarial: uma nova visão Abril de 2010 2 Grupo Aditya Birla International Operations 13 Countries JV Sunlife Financial inc. Receita de US$ 28 bilhões Mais de 100.000

Leia mais

TEMA: DESAFIOS LOGÍSTICOS

TEMA: DESAFIOS LOGÍSTICOS Câmara dos Deputados Comissão Especial PL 0037/11 Audiência Pública em 18 de Setembro de 2013 TEMA: DESAFIOS LOGÍSTICOS (Brasília-DF) INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO SUMÁRIO 1) A MINERAÇÃO HOJE 2) MINERAÇÃO

Leia mais

Pesquisa CNT de Ferrovias 2011

Pesquisa CNT de Ferrovias 2011 Cresce o transporte de cargas nas ferrovias brasileiras As ferrovias brasileiras se consolidaram como uma alternativa eficiente e segura para o transporte de cargas. A, que traçou um panorama do transporte

Leia mais

O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira

O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira Mauro Dias Diretor-Presidente 1 Seminário Cabotagem Brasileira Agosto 2009 Mercado de Cabotagem de Contêineres O mercado de contêineres

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T10

Apresentação de Resultados 4T10 Apresentação de Resultados 4T10 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

Plano de Negócios e Gestão 2013-2017

Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 Rio de Janeiro, 15 de março de 2013 Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras comunica que seu Conselho

Leia mais

Vale RA_2014. Relatório de Sustentabilidade 2014

Vale RA_2014. Relatório de Sustentabilidade 2014 Vale RA_2014 Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Sobre este relatório Este é o nosso oitavo relatório anual de sustentabilidade, elaborado de acordo com as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI).

Leia mais

COSAN DAY 2012. Julio Fontana

COSAN DAY 2012. Julio Fontana COSAN DAY 2012 Julio Fontana Disclaimer Esta apresentação contém estimativas e declarações sobre operações futuras a respeito de nossa estratégia e oportunidades de crescimento futuro. Essas informações

Leia mais

Vale Day Londres 2014 Coletiva de Imprensa. Sexta feira, 5 de dezembro de 2014

Vale Day Londres 2014 Coletiva de Imprensa. Sexta feira, 5 de dezembro de 2014 Vale Day Londres 2014 Coletiva de Imprensa Sexta feira, 5 de dezembro de 2014 Murilo Ferreira: Boa tarde a todos. Muito obrigado por terem vindo. Já temos aqui alguns diretores comigo, esperamos responder

Leia mais

Infraestrutura no Brasil

Infraestrutura no Brasil www.pwc.com.br Infraestrutura no Brasil Como agregar valor e gerenciar a complexidade de ativos de capital, programas ou portfólios de médio a grande porte (greenfield ou brownfield). O contexto de infraestrutura

Leia mais