RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO"

Transcrição

1 PT PT PT

2 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, COM(2011) 113 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO Qualidade da gasolina e do combustível para motores diesel utilizados no transporte rodoviário na União Europeia: Sexto relatório anual (ano de 2007) PT PT

3 RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO Qualidade da gasolina e do combustível para motores diesel utilizados no transporte rodoviário na União Europeia: Sexto relatório anual (ano de 2007) RESUMO A Directiva 98/70/CE 1 estabelece especificações mínimas, com base em considerações sanitárias e ambientais, para os combustíveis a utilizar em veículos equipados com motores de ignição comandada e de ignição por compressão. A qualidade dos combustíveis é importante do ponto de vista ambiental, na medida em que afecta as emissões poluentes dos motores e, consequentemente, a qualidade do ar. Por outro lado, determina a facilidade e o custo a que os fabricantes podem alcançar os limites desejados de emissão de poluentes e gases com efeito de estufa. A Directiva 2003/17/CE 2, que altera a Directiva 98/70/CE, impõe uma redução suplementar do teor de enxofre da gasolina e do combustível para motores diesel. O incumprimento das especificações dos combustíveis pode ocasionar um aumento das emissões (por exemplo, o excesso de compostos oxigenados pode aumentar as emissões de NO x ) e danificar os motores e os sistemas de pós-tratamento dos gases de escape (por exemplo, um excesso de enxofre danifica os catalisadores), provocando um acréscimo das emissões de poluentes atmosféricos. Para assegurar o cumprimento das normas de qualidade dos combustíveis previstas na directiva, os Estados-Membros devem instituir sistemas de controlo da qualidade dos combustíveis. O artigo 8.º da Directiva 98/70/CE prevê que a Comissão publique, anualmente, um relatório sobre a qualidade dos combustíveis nos Estados-Membros. Este sexto relatório da Comissão resume os dados apresentados pelos Estados-Membros sobre a qualidade da gasolina e do combustível para motores diesel e sobre os volumes vendidos em Todos os Estados- Membros, com excepção do Luxemburgo, apresentaram os respectivos relatórios nacionais relativos a A qualidade do sistema de controlo dos Estados-Membros, o nível de cumprimento dos valores-limite e as informações prestadas nos relatórios são ainda imperfeitos. A Comissão continuará a controlar o cumprimento das especificações da directiva e proporá medidas adequadas e proporcionadas sempre que necessário. Tal como foi assinalado em relação a 2006, os combustíveis sem enxofre 3, se bem que constituam uma percentagem crescente dos tipos e das vendas de combustível nos Estados- Membros, nem sempre são rotulados na bomba. A entrega atempada dos relatórios de alguns Directiva 98/70/CE relativa à qualidade da gasolina e do combustível para motores diesel e que altera a Directiva 93/12/CEE do Conselho, JO L 350 de , p. 58. Directiva 2003/17/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 3 de Março de 2003, que altera a Directiva 98/70/CE relativa à qualidade da gasolina e do combustível para motores diesel, JO L 76 de , p. 10. A expressão «sem enxofre» corresponde a um teor de enxofre inferior a 10 ppm. PT 2 PT

4 Estados-Membros continua a suscitar problemas consideráveis. Na verdade, a comparar com o ano passado, a situação piorou em relação aos últimos relatórios. Irlanda, Itália e Países Baixos apresentaram os seus relatórios com mais de 3 meses de atraso, e o Reino Unido e Malta com mais de 7. O Luxemburgo não apresentou relatório em O controlo da qualidade dos combustíveis em 2007 revelou que as especificações da gasolina e do combustível para motores diesel previstas na Directiva 98/70/CE são, geralmente, respeitadas, tendo sido mais uma vez identificados poucos casos de superação dos valores estabelecidos. No que respeita à gasolina, os principais parâmetros com valores acima do prescrito foram o índice RON/MON (Research/Motor Octane Number) 4, a pressão de vapor no período de Verão 5 e a destilação/evaporação a 100 o C/150 o C 6. No caso do combustível para motores diesel, os principais parâmetros cujos valores foram excedidos foram o teor de enxofre e o ponto de 95% de destilação. Como os casos de superação dos valores estabelecidos são relativamente raros e os Estados- Membros, na sua maioria, tomam medidas para retirar do circuito comercial o combustível não conforme, a Comissão não tem conhecimento de quaisquer repercussões negativas para as emissões dos veículos ou para o funcionamento dos motores devido a essas superações. No entanto, a Comissão insta os Estados-Membros a continuarem a tomar medidas para assegurar o cumprimento integral, a fim de que tais problemas não surjam no futuro. No relatório completo de 2007, os capítulos correspondentes aos países que forneceram tais dados contêm elementos pormenorizados sobre as medidas tomadas pelos Estados-Membros 7. A Comissão continuará a controlar o cumprimento das especificações de qualidade dos combustíveis previstas na directiva. Um teor inferior de enxofre ajuda a reduzir a poluição atmosférica e a introduzir novas tecnologias de motor. Conforme mostra o quadro 1, o teor médio de enxofre em 2007 é substancialmente inferior ao de 2004, mas não diminuiu muito desde A parte dos combustíveis sem enxofre e com baixo teor de enxofre 8 aumentou entre 2001 e 2005, quando se tornou obrigatório que todo o combustível tivesse baixo teor de enxofre e que os combustíveis sem enxofre fossem introduzidos em todos os Estados-Membros O índice RON (Research Octane Number) é uma medida quantitativa da taxa de compressão máxima a que a gasolina pode ser usada num motor, sem que no interior deste se verifique autocombustão de uma parte da mistura. A autocombustão provoca um consumo excessivo de combustível e um aumento das emissões de compostos orgânicos voláteis e de monóxido de carbono. A pressão de vapor mede a tendência do combustível para se evaporar. É regulamentada no Verão, porque as temperaturas nesse período do ano podem provocar emissões elevadas de compostos orgânicos voláteis, precursores do ozono troposférico. As emissões de compostos orgânicos voláteis aumentam quando são excedidos os valores regulamentados. O parâmetro «destilação» estabelece a percentagem do combustível que se evapora a 100 C e a 150 C. Limita a gama de componentes mais leves que podem ser misturados na gasolina. A superação dos valores estabelecidos poderia provocar obstruções de fluxo por acumulação de vapores e problemas de condução. https://circabc.europa.eu/w/browse/5e89b837-2bec-4284-b9fe-c f7 O termo «com baixo teor de enxofre» corresponde a um teor de enxofre inferior a 50 ppm. PT 3 PT

5 Quadro 1: Tendência anual do teor médio de enxofre da gasolina e do combustível para motores diesel UE Teor médio de enxofre, ppm UE-15 UE-12 Combustível/Ano * 2004* 2005* 2006** 2007*** 2007*** 2007 Gasolina Combustível para motores diesel *Não inclui a França, que não apresentou relatórios de 2003 a Os novos UE-10 foram acrescentados a partir de ** Não inclui Malta, que não apresentou relatório em *** Não inclui o Luxemburgo, que não apresentou relatório em Os sistemas nacionais de controlo da qualidade dos combustíveis continuam a revelar diferenças consideráveis. Prevê-se, todavia, que as disposições da directiva promovam uma maior homogeneidade e melhorem a qualidade dos relatórios. 2. INTRODUÇÃO As especificações da gasolina e do combustível para motores diesel vendidos na União Europeia constam dos anexos da Directiva 98/70/CE. A partir de 1 de Janeiro de 2005, foi aplicada apenas uma série de especificações. A directiva prevê que os Estados-Membros transmitam relatórios com um resumo da qualidade dos combustíveis vendidos nos respectivos territórios. A partir de 2004, os Estados-Membros devem apresentar relatórios sobre os controlos efectuados de acordo com a norma europeia EN ou com sistemas que ofereçam garantias equivalentes. O artigo 8.º da Directiva 98/70/CE, com a redacção que lhe foi dada pelo artigo 1.º, n.º 5, da Directiva 2003/17/CE, exige que a Comissão disponibilize os resultados extraídos dos relatórios dos Estados-Membros sobre a qualidade dos combustíveis. Em cumprimento dessa obrigação, o presente sexto relatório da Comissão contém um resumo da qualidade da gasolina e do combustível para motores diesel e dos volumes vendidos na União Europeia em Os relatórios dos anos anteriores podem ser consultados nas páginas Internet da Comissão SISTEMAS NACIONAIS DE CONTROLO As revisões do formulário especificado na Decisão 2002/159/CE da Comissão e na norma europeia EN 14274:2003 e que constam do modelo de relatório em formato Excel reforçaram a utilidade das informações e facilitaram a análise das tendências na UE. Na maior parte dos casos, a qualidade dos sistemas de controlo, o cumprimento dos valores-limite e as informações prestadas nos relatórios continuam a melhorar. Subsistem, no entanto, imperfeições em alguns domínios importantes, que a seguir se sintetizam: 9 10 EN 14274:2003 Automotive fuels Assessment of petrol and diesel quality Fuel Quality Monitoring System (FQMS) https://circabc.europa.eu/w/browse/5e89b837-2bec-4284-b9fe-c f7 PT 4 PT

6 Alguns Estados-Membros enviaram os seus relatórios tardiamente: Reino Unido e Malta com mais de 7 meses de atraso; Irlanda, Itália e Países Baixos com mais de 3. São instados a respeitar os prazos, para não prejudicar o esforço dos outros. Diversos Estados-Membros não colhem amostras em número suficiente em relação a todos os combustíveis ou em relação às estações de reabastecimento (visto que algumas amostras provêm de depósitos ou refinarias). O gráfico 2 resume as taxas de amostragem na UE em Quando os Estados-Membros utilizam os seus próprios sistemas nacionais, estes devem ser exaustivamente descritos. A descrição deve demonstrar a conformidade do sistema de controlo com a norma EN 14274:2003, em termos de fiabilidade estatística. Na maioria dos casos, esta obrigação não foi ainda cumprida no que toca ao período , devendo sêlo no futuro. Quando utilizam o Modelo Estatístico C constante da norma EN 14274, os Estados-Membros devem justificá-lo claramente. Verifica-se que diversos Estados-Membros têm boas razões para utilizarem antes os modelos A ou B. Os combustíveis sem enxofre deveriam ser rotulados claramente, para garantir aos consumidores a possibilidade de escolha. Em alguns Estados-Membros, o teor de enxofre não é indicado claramente na bomba. A apresentação de relatórios sobre a rotulagem poderia contribuir para que o sector automóvel adquirisse confiança na disponibilidade de combustíveis sem enxofre, permitindo uma introdução mais generalizada de veículos que beneficiam plenamente da utilização destes combustíveis. Seria também vantajoso que os Estados-Membros que ainda não o fazem comunicassem os resultados das análises do teor de enxofre separadamente em relação aos combustíveis com baixo teor de enxofre e aos combustíveis sem enxofre, para melhor confirmar a qualidade dos combustíveis sem enxofre. 4. RELATÓRIOS DE Volumes por tipo de combustível Na sua totalidade, as vendas de gasolina e de combustível para motores diesel na UE são actualmente constituídas por combustíveis com baixo teor de enxofre ou sem enxofre. De toda a gasolina vendida, 53% corresponderam a gasolina com baixo teor de enxofre e 47% a gasolina sem enxofre. De todo o combustível para motores diesel vendido, as correspondentes percentagens foram de 58% e 42%. A variedade de índices RON e de teores de enxofre em toda a UE diminuiu em 2005, com o novo limite obrigatório de <50 ppm para o enxofre. As vendas de gasolina em 2007 compreenderam, na sua maioria, RON 95 (85%, com 50% de baixo teor de enxofre e 35% sem enxofre) ver gráfico 1 e o quadro do anexo, para uma informação completa por Estado-Membro. PT 5 PT

7 Gráfico 1: Vendas de combustíveis na UE em 2007, por tipo de combustível (%) Vendas de gasolina 2007 Vendas de combustível para motores diesel 2007 Tipo 1 Gasolina sem chumbo, RON mín.=91 0.0% 13 Combustível para motores diesel 0.0% 2 Gasolina sem chumbo, RON mín.=91 (<50 ppm 0.2% enxofre) 14 Combustível para motores diesel (<50 ppm enxofre) 57.9% Gasolina sem chumbo, RON mín.=91 (<10 ppm 3 6.3% 15 Combustível para motores diesel (<10 ppm enxofre) 42.1% enxofre) 4 Gasolina sem chumbo, RON mín.=95 0.0% 5 Gasolina sem chumbo, RON mín.=95 (<50 ppm 49.7% enxofre) Gasolina sem chumbo, RON mín.=95 (<10 ppm % enxofre) 7 Gasolina sem chumbo 95=<RON<98 0.0% 8 Gasolina sem chumbo 95=<RON<98 (<50 ppm 3.0% enxofre) Gasolina sem chumbo 95=<RON<98 (<10 ppm % enxofre) 10 Gasolina sem chumbo, RON>=98 0.0% 11 Gasolina sem chumbo, RON>=98 (<50 ppm enxofre) 0.1% 12 Gasolina sem chumbo, RON>=98 (<10 ppm enxofre) 5.3% Tal como em , as maiores vendas de combustíveis em 2007 registaram-se em França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido (gráfico 3). As vendas de combustível para motores diesel são preponderantes em quase todos os Estados-Membros. No entanto, as percentagens relativas de gasolina e combustível para motores diesel variam consideravelmente. As vendas nos Estados-Membros da UE-12 constituíram 12,4% e 12,6% das vendas totais de, respectivamente, gasolina e combustível para motores diesel na UE (a comparar com 10,1% e 9,9%, respectivamente, para a UE-10 em 2006). As percentagens de gasolina e de combustível para motores diesel sem enxofre vendidas na UE-10 (49% em ambos os casos) foram significativamente superiores às da UE-15 (46% e 41%, respectivamente). Desde 2001 que se verifica uma homogeneidade crescente no número de tipos de combustível declarados disponíveis na UE (figura 4). Em 2007, há em geral 2 ou 3 tipos de gasolina disponíveis em cada Estado-Membro, o que resulta sobretudo de diferentes níveis de octano (índice RON). No entanto, em alguns casos, estão a surgir outros tipos de gasolina sem enxofre. Tipo PT 6 PT

8 Os Estados-Membros não são obrigados a passar exclusivamente aos combustíveis sem enxofre até Contudo, Dinamarca, Finlândia, Alemanha, Hungria, Países Baixos e Suécia tinham já adoptado integralmente gasolina e combustível para motores diesel sem enxofre em Áustria e Estónia também adoptaram integralmente gasolina sem enxofre (cf. gráficos 5 e 6). Na Suécia, a quase totalidade do combustível para motores diesel é, desde 1999, sem enxofre e, na Alemanha, este encontra-se disponível desde Vários Estados-Membros irão ainda introduzir combustíveis sem enxofre comercializados (e rotulados) separadamente. Conforme indica o gráfico 7, verificou-se que o teor médio de enxofre de alguns tipos de combustível era inferior a 10 ppm quando o combustível era comercializado como de baixo teor de enxofre (<50 ppm). Portanto, nestes países, os combustíveis vendidos poderão ser sem enxofre, embora não rotulados como tal. Por outro lado, alguns Estados-Membros não forneceram informações suficientes para se avaliar se há disponibilidade de combustíveis sem enxofre «numa base geográfica devidamente equilibrada», conforme exige a directiva. PT 7 PT

9 Gráfico 2: Taxa de amostragem no controlo da qualidade dos combustíveis na UE em 2007 (número médio de amostras por tipo de combustível) Número médio de amostras / Tipo de combustível Gasolina Combustível para motores diesel Gráfico 3: Vendas nacionais de combustíveis em 2007, por tipo de combustível, na UE (milhões de litros) Vendas de combustíveis, milhões de litros 35,000 30,000 25,000 20,000 15,000 10,000 5,000 0 AT BE BG CY CZ DK EE FI FR DE EL HU IE IT LV LT LU MT NL PL PT RO SK SI ES SE UK Total de gasolina Total de combustível para motores diesel Notas: Não inclui o Luxemburgo, que não apresentou relatório em PT 8 PT

10 Gráfico 4: Número de tipos de combustível disponíveis a nível nacional, por tipo de combustível, na UE, em 2007 Número de tipos de combustível disponíveis AT BE BG CY CZ DK EE FI FR DE EL HU IE IT LV LT LU MT NL PL PT RO SK SI ES SE UK 100% Número de tipos de gasolina Número de tipos de combustível para motores diesel Gráfico 5: Vendas nacionais de tipos de gasolina com baixo teor de enxofre na UE (%), em 2007 % Vendas nacionais de gasolina 80% 60% 40% 20% 0% AT BE BG CY CZ DK EE FI FR DE EL HU IE IT LV LT LU MT NL PL PT RO SK SI ES SE UK Gasolina (normal) Gasolina (<50 ppm enxofre) Gasolina (<10 ppm enxofre) Notas: Não inclui o Luxemburgo, que não apresentou relatório em PT 9 PT

11 Gráfico 6: Vendas nacionais de tipos de combustível para motores diesel com baixo teor de enxofre na UE (%), em 2007 % Vendas nacionais de combustível para motores diesel 100% 80% 60% 40% 20% 0% AT BE BG CY CZ DK EE FI FR DE EL HU IE IT LV LT LU MT NL PL PT RO SK SI ES SE UK Combustível para motores diesel (normal) Combustível para motores diesel (<50 ppm enxofre) Combustível para motores diesel (<10 ppm enxofre) Gráfico 7: Teor médio de enxofre da gasolina e do combustível para motores diesel na UE (%), em 2007 Teor médio de enxofre do combustível (ppm) limits 2009 limits AT BE CY CZ DK EE FI FR DE EL HU IE IT LV LT LU MT NL PL PT SK SI ES SE UK Gasolina Combustível para motores diesel Notas: Não inclui o Luxemburgo, que não apresentou relatório em PT 10 PT

12 4.2 Cumprimento da Directiva 98/70/CE em 2007 O quadro 2 resume o grau de cumprimento da Directiva 98/70/CE pelos Estados-Membros em Compara os resultados das análises das amostras com os valores-limite e indica o cumprimento do modelo e do conteúdo dos relatórios. Tal como em , alguns Estados-Membros forneceram informações incompletas e/ou tardias, o que afectou a qualidade da avaliação do cumprimento. A Comissão vai, portanto, colaborar com os Estados- Membros com vista ao melhoramento dos relatórios, quando necessário. Nos termos do artigo 9.º-A, os Estados-Membros devem determinar as sanções aplicáveis por infracção da directiva. No capítulo correspondente a cada país do relatório completo de 2007 figuram, quando comunicados, elementos pormenorizados sobre as medidas tomadas pelos Estados-Membros nos casos de não-conformidade com os valores-limite Estados-Membros cumprem integralmente os valores-limite quer da gasolina quer do combustível para motores diesel (a comparar com 8 em 2006). 19 Estados-Membros também forneceram relatórios completos sobre todos os parâmetros de controlo que a directiva especifica. Em resultado dos sistemas de controlo instituídos, a Bélgica procede a mais amostragens do que os outros Estados-Membros. Por conseguinte, se estes valores fossem simplesmente agregados com os resultados dos controlos de outros Estados-Membros os resultados seriam deformados e ocultariam as tendências no conjunto da UE. Nesta conformidade, as superações e amostras belgas são excluídas da análise das superações abaixo indicada 12. Em relação à gasolina, 17 Estados-Membros (8 da UE-15) assinalaram pelo menos uma amostra não conforme com a Directiva 98/70/CE, a comparar com 16 em 2006 (8 da UE-15). Os principais parâmetros anómalos nestes casos foram, uma vez mais, o índice RON/MON (68 amostras), a pressão de vapor no período de Verão ou DVPE (43 amostras) e a destilação/evaporação a 100 o C/150 o C (14 amostras). Houve, pois, um acréscimo tanto no número como na percentagem de amostras de gasolina não conformes nos Estados-Membros da UE-15 e da UE-12. Nos Estados-Membros da UE- 15, a percentagem de amostras acima dos valores-limite quase duplicou, de cerca de 0,55% em 2006 para 1,0% em Este aumento é principalmente atribuível a haver mais amostras que ultrapassam os valores-limite relativos aos «outros» parâmetros 13. Nos Estados-Membros da UE-12, a percentagem de amostras acima dos valores-limite aumentou de cerca de 2% em 2006 para 3,5% em 2007, sobretudo devido a amostras que excederam os valores-limite para o parâmetro RON/MON. Em relação ao combustível para motores diesel, 12 Estados-Membros (4 da UE-15) comunicaram pelo menos uma amostra não conforme com a Directiva 98/70/CE, a comparar com 10 em 2006 (3 da UE-15). Destes, os principais parâmetros anómalos foram o teor de enxofre (28 amostras) e o ponto de destilação de 95% (11 amostras) https://circabc.europa.eu/w/browse/5e89b837-2bec-4284-b9fe-c f7 O relatório completo de 2007 contém vários erros quanto à forma como este ajustamento foi efectuado. Consequentemente, a percentagem de amostras que ultrapassaram os valores-limite fora mal calculada, quer nesse relatório quer nos dos anos anteriores. As taxas de superação infra foram corrigidas em relação às do relatório completo e o erro será corrigido a partir da versão de 2008 do relatório completo. A categoria «outros» parâmetros representa o teor de aromáticos, compostos oxigenados e chumbo. PT 11 PT

13 As superações dos valores-limite no combustível para motores diesel aumentaram em 2007 nos Estados-Membros da UE-15. Contudo, a percentagem de amostras que excedem os valores-limite é ainda inferior à registada antes de Em 2005, os Estados-Membros da UE-10 tiveram um problema especial com o teor de enxofre devido ao nível obrigatório (<50 ppm) adoptado no início desse ano. Este problema parece ter sido resolvido, visto que os os Estados-Membros da UE-12 mantiveram o nível inferior de superações observado em Quadro 2: Resumo do cumprimento da Directiva 98/70/CE pelos Estados-Membros, em 2007 Estado- Membro Inobservância de valoreslimite (1) (limites de confiança de 95%) (Amostras não conformes / Total de amostras) Gasolina Combustível para motores diesel Relatórios incompletos (Número de parâmetros não avaliados / Total) Gasolina Combustível para motores diesel Relatório tardio (datalimite ) (2) Observações Áustria 2 / 100 <1 mês (1) Bélgica 39 / / / 18 1 / 4 < 2 meses (2) (3) Bulgária 8 / 34 2 / 38 5 / 18 2 / 5 (20) (21) Chipre 2 / / / 17 < 4 meses (10) (11) República Checa 43 / / 545 Dinamarca <1 mês Estónia 17 / 350 (12) (13) Finlândia 1 / 184 (4) França 44 / 744 (4) Alemanha < 3 meses Grécia <1 mês (4) Hungria 2 / 121 Irlanda 5 / 116 < 4 meses (5) Itália 9 / / / 13 < 4 meses (6) (4) Letónia 2 / / 888 <1 mês (14) (15) Lituânia Luxemburgo (24) Malta 3 / 28 3 / 17 < 12 meses (16) (17) Países Baixos 5 / / 17 < 4 meses (4) Polónia 30 / / 322 (18) Portugal 3 / 15 <1 mês Roménia 5 / / 105 (22) (23) Eslováquia 17 / 174 (19) Eslovénia 5 / / 154 <1 mês Espanha Suécia 7 / 11 (7) (8) Reino Unido 1 / 2046 < 12 meses (9) N.º de países Para elementos de pormenor sobre este quadro, consultar o relatório completo de 2007 (p. 197). PT 12 PT

14 5. CONCLUSÕES A qualidade dos combustíveis é importante do ponto de vista ambiental, na medida em que afecta as emissões poluentes dos motores e, por conseguinte, a qualidade do ar, bem como a facilidade e o custo a que os fabricantes podem cumprir os limites de emissão de poluentes e gases com efeito de estufa. O controlo da qualidade dos combustíveis em 2007 mostra que as especificações da gasolina e do combustível para motores diesel, definidas na Directiva 98/70/CE, são geralmente respeitadas, tendo sido identificados muito poucos casos de superação dos valores estabelecidos. Como os casos de superação dos valores estabelecidos são relativamente raros e os Estados-Membros, na sua maioria, tomam medidas para retirar do circuito comercial o combustível não conforme, a Comissão não tem conhecimento de quaisquer repercussões negativas para as emissões dos veículos ou para o funcionamento dos motores devido a essas superações. No entanto, a Comissão insta os Estados-Membros a continuarem a tomar medidas para assegurar o cumprimento integral, a fim de que tais problemas não surjam no futuro. A Comissão continuará a controlar o cumprimento das especificações da directiva em matéria de qualidade dos combustíveis e proporá medidas adequadas e proporcionadas sempre que necessário. A parte dos combustíveis sem enxofre e com baixo teor de enxofre aumentou entre 2001 e O teor médio de enxofre dos combustíveis estabilizou-se desde 2005, quando os combustíveis com baixo teor de enxofre se tornaram obrigatórios e os combustíveis sem enxofre foram introduzidos em toda a UE. Todavia, em alguns Estados-Membros, continuam a nem sempre ser devidamente rotulados na bomba. Sem rotulagem, os consumidores não podem escolher combustíveis sem enxofre e tendem menos a utilizar tecnologia que os exige. Esta situação prejudica consideravelmente a utilidade de se dispor de combustíveis que cumprem o critério em causa. Portanto, a ausência de rotulagem poderá atrasar a introdução de veículos com tecnologia que exige combustível sem enxofre. Deste modo, o potencial de redução das emissões de CO 2 resultantes do sector do transporte rodoviário poderá não ser totalmente concretizado. A apresentação de relatórios sobre a rotulagem poderia contribuir para que o sector automóvel adquirisse confiança na disponibilidade de combustíveis, permitindo uma introdução mais generalizada de veículos que aproveitam plenamente os combustíveis sem enxofre e conduzindo a menos emissões de poluentes e de gases com efeito de estufa. Os Estados- Membros prestaram informações muito limitadas sobre a disponibilidade geográfica de combustíveis sem enxofre; na sua maioria, declararam apenas que estes se encontravam disponíveis em larga escala, mas não forneceram dados complementares que permitissem quantificar a disponibilidade geográfica. Os sistemas de controlo da qualidade dos combustíveis estabelecidos a nível nacional diferem consideravelmente, sendo necessária uma maior uniformidade para que os resultados obtidos sejam transparentes e comparáveis. A aplicação da Directiva 2003/17/CE veio melhorar a qualidade dos relatórios de controlo, já que os Estados-Membros passaram a ter de os elaborar de acordo com a nova norma europeia EN ou com sistemas que oferecem garantias equivalentes. Os Estados-Membros cujos relatórios não obedecem ao modelo da EN devem justificá-lo. PT 13 PT

15 ANEXO: Vendas de combustíveis na UE em 2007, por tipo de combustível (milhões de litros) ID Milhões de litros Áustria Bélgica Dinamarca Finlândia França Alemanha Grécia Irlanda Itália Luxemburgo Países Baixos Portugal Espanha Suécia Reino Unido UE-15 UE-15 Tipo de combustível AT BE DK FI FR DE EL IE IT LU NL PT ES SE UK UE-15 % 1 Gasolina sem chumbo, RON mín.= ,0% 2 Gasolina sem chumbo, RON mín.=91 (<50 ppm enxofre) ,0% 3 Gasolina sem chumbo, RON mín.=91 (<10 ppm enxofre) ,2% 4 Gasolina sem chumbo, RON mín.= ,0% 5 Gasolina sem chumbo, RON mín.=95 (<50 ppm enxofre) ,6% 6 Gasolina sem chumbo, RON mín.=95 (<10 ppm enxofre) ,4% 7 Gasolina sem chumbo 95=<RON< ,0% 8 Gasolina sem chumbo 95=<RON<98 (<50 ppm enxofre) ,8% 9 Gasolina sem chumbo 95=<RON<98 (<10 ppm enxofre) ,1% 10 Gasolina sem chumbo, RON>= ,0% 11 Gasolina sem chumbo, RON>=98 (<50 ppm enxofre) ,0% 12 Gasolina sem chumbo, RON>=98 (<10 ppm enxofre) ,9% Gasolina (normal) ,0% Gasolina (<50 ppm enxofre) ,4% Gasolina (<10 ppm enxofre) ,6% Total de gasolina % 13 Combustível para motores diesel ,0% 14 Combustível para motores diesel (<50 ppm enxofre) ,9% 15 Combustível para motores diesel (<10 ppm enxofre) ,1% Total de combustível para motores diesel % ID Milhões de litros Chipre República Checa Estónia Hungria Letónia Lituânia Malta Polónia Eslováquia Eslovénia Bulgária Roménia UE-12 UE-12 UE UE Tipo de combustível CY CZ EE HU LV LT MT PL SK SI BG RO UE-12 % EU % 1 Gasolina sem chumbo, RON mín.= % 0 0,0% 2 Gasolina sem chumbo, RON mín.=91 (<50 ppm enxofre) % 272 0,2% 3 Gasolina sem chumbo, RON mín.=91 (<10 ppm enxofre) % ,3% 4 Gasolina sem chumbo, RON mín.= % 0 0,0% 5 Gasolina sem chumbo, RON mín.=95 (<50 ppm enxofre) 427 2, ,070 7, % 68,737 49,7% 6 Gasolina sem chumbo, RON mín.=95 (<10 ppm enxofre) , % ,2% 7 Gasolina sem chumbo 95=<RON< % 0 0,0% 8 Gasolina sem chumbo 95=<RON<98 (<50 ppm enxofre) % ,0% 9 Gasolina sem chumbo 95=<RON<98 (<10 ppm enxofre) % 92 0,1% 10 Gasolina sem chumbo, RON>= % 0 0,0% 11 Gasolina sem chumbo, RON>=98 (<50 ppm enxofre) % 185 0,1% 12 Gasolina sem chumbo, RON>=98 (<10 ppm enxofre) % ,3% Gasolina (normal) % 0 0,0% Gasolina (<50 ppm enxofre) % ,1% PT 14 PT

16 Gasolina (<10 ppm enxofre) % ,9% Total de gasolina % % 13 Combustível para motores diesel % 0 0,0% 14 Combustível para motores diesel (<50 ppm enxofre) % ,9% 15 Combustível para motores diesel (<10 ppm enxofre) % ,1% Total de combustível para motores diesel % % PT 15 PT

Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD)

Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD) MEMO/11/406 Bruxelas, 16 de Junho de 2011 Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD) Em férias nunca se sabe! Está a pensar viajar na UE ou na Islândia,

Leia mais

Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir

Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir IP/08/1831 Bruxelas, 28 de Novembro de 2008 Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir De acordo com um relatório publicado hoje pela Comissão Europeia,

Leia mais

Internet de banda larga para todos os europeus: Comissão lança debate sobre o futuro do serviço universal

Internet de banda larga para todos os europeus: Comissão lança debate sobre o futuro do serviço universal IP/08/1397 Bruxelas, 25 de Setembro de 2008 Internet de banda larga para todos os europeus: Comissão lança debate sobre o futuro do serviço universal Como é que a UE vai conseguir que todos os europeus

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU PT PT PT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 29.7.2009 COM(2009) 409 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU Relatório relativo à aplicação da Directiva 2002/73/CE do Parlamento

Leia mais

Avaliação do Painel de Consulta das Empresas Europeias (EBTP)

Avaliação do Painel de Consulta das Empresas Europeias (EBTP) Avaliação do Painel de Consulta das Empresas Europeias (EBTP) 23/06/2008-14/08/2008 Existem 457 respostas em 457 que correspondem aos seus critérios A. Participação País DE - Alemanha 84 (18.4%) PL - Polónia

Leia mais

Comunicado de imprensa

Comunicado de imprensa Comunicado de imprensa A educação para a cidadania nas escolas da Europa Em toda a Europa, o reforço da coesão social e a participação activa dos cidadãos na vida social estão no centro das preocupações

Leia mais

(Apenas fazem fé os textos nas línguas alemã, dinamarquesa, espanhola, grega, inglesa, italiana, letã, neerlandesa, portuguesa, romena e sueca)

(Apenas fazem fé os textos nas línguas alemã, dinamarquesa, espanhola, grega, inglesa, italiana, letã, neerlandesa, portuguesa, romena e sueca) L 336/42 Jornal Oficial da União Europeia 18.12.2009 DECISÃO DA COMISSÃO de 16 de Dezembro de 2009 relativa a uma contribuição financeira comunitária, para 2009, para as despesas efectuadas pelos Estados-Membros

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 13.6.2014 COM(2014) 354 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO Evolução da situação do mercado do leite e dos produtos lácteos e da aplicação das disposições

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 11.4.2007 COM(2007) 178 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO Relatório final da Comissão Europeia sobre a continuação da adequação

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 31.3.2015 COM(2015) 145 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO Relatório sobre a aplicação do Regulamento (UE) n.º 211/2011 sobre a iniciativa de cidadania

Leia mais

CRESCIMENTO E EMPREGO: PRÓXIMOS PASSOS

CRESCIMENTO E EMPREGO: PRÓXIMOS PASSOS CRESCIMENTO E EMPREGO: PRÓXIMOS PASSOS Apresentação de J.M. Durão Barroso, Presidente da Comissão Europeia, ao Conselho Europeu informal de 30 de janeiro de 2012 Quebrar os «círculos viciosos» que afetam

Leia mais

Idade média das mulheres ao nascimento dos filhos e envelhecimento da população feminina em idade fértil,

Idade média das mulheres ao nascimento dos filhos e envelhecimento da população feminina em idade fértil, «Idade média das mulheres ao nascimento dos filhos e envelhecimento da população feminina em idade fértil, Departamento de Estatísticas Demográficas e Sociais Serviço de Estatísticas Demográficas 07/10/2016

Leia mais

sobre o relatório do mecanismo de alerta 2013,

sobre o relatório do mecanismo de alerta 2013, COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 28.11.2012 COM(2012) 751 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO BANCO CENTRAL EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU, AO COMITÉ DAS REGIÕES

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO PROGRESSOS NA REALIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DE QUIOTO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO PROGRESSOS NA REALIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DE QUIOTO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 27.11.2007 COM(2007) 757 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO PROGRESSOS NA REALIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DE QUIOTO (nos termos da Decisão n.º 280/2004/CE do Parlamento

Leia mais

Direcção-Geral da Comunicação Direcção C - Relações com os Cidadãos UNIDADE DE ACOMPANHAMENTO DA OPINIÃO PÚBLICA EB71.3 ELEIÇÕES EUROPEIAS 2009

Direcção-Geral da Comunicação Direcção C - Relações com os Cidadãos UNIDADE DE ACOMPANHAMENTO DA OPINIÃO PÚBLICA EB71.3 ELEIÇÕES EUROPEIAS 2009 Direcção-Geral da Comunicação Direcção C - Relações com os Cidadãos UNIDADE DE ACOMPANHAMENTO DA OPINIÃO PÚBLICA 16/12/2009 EB71.3 ELEIÇÕES EUROPEIAS 2009 Sondagem pós-eleitoral Primeiros resultados: análise

Leia mais

PESQUISA DOCUMENTAL SOBRE AS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2009 Abstenção e comportamentos eleitorais nas eleições europeias de 2009

PESQUISA DOCUMENTAL SOBRE AS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2009 Abstenção e comportamentos eleitorais nas eleições europeias de 2009 Direção-Geral da Comunicação Unidade do Acompanhamento da Opinião Pública Bruxelas, 13 de novembro de 2012 PESQUISA DOCUMENTAL SOBRE AS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2009 Abstenção e comportamentos eleitorais

Leia mais

Impostos sobre os veículos automóveis ligeiros de passageiros *

Impostos sobre os veículos automóveis ligeiros de passageiros * P6_TA(2006)0334 Impostos sobre os veículos automóveis ligeiros de passageiros * Resolução legislativa do Parlamento Europeu sobre uma proposta de directiva do Conselho relativa à tributação aplicável aos

Leia mais

Conferência. Reforma da Fiscalidade Automóvel. Lisboa, 6 de Junho de 2007

Conferência. Reforma da Fiscalidade Automóvel. Lisboa, 6 de Junho de 2007 Conferência Reforma da Fiscalidade Automóvel 1 Lisboa, 6 de Junho de 2007 2 Proposta de Directiva da União Europeia Aponta para a transferência global da carga fiscal, nos automóveis, do momento da compra

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO. sobre o Mecanismo de Alerta

RELATÓRIO DA COMISSÃO. sobre o Mecanismo de Alerta COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 14.2.2012 COM(2012) 68 final RELATÓRIO DA COMISSÃO sobre o Mecanismo de Alerta elaborado em conformidade com os artigos 3.º e 4.º do Regulamento relativo à prevenção e correção

Leia mais

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES PT PT PT COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 6.1.2010 COM(2009)708 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES sobre a aplicação

Leia mais

Educação de Sobredotados na Europa

Educação de Sobredotados na Europa Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação Ministério da Educação Educação de Sobredotados na Europa EURYDICE EURYDICE A Educação de Sobredotados na Europa EURYDICE A Rede de Informação sobre Educação

Leia mais

Copyright Biostrument, S.A.

Copyright Biostrument, S.A. Produção primária Legislação Consolidada Data de actualização: 22/04/2008 Texto consolidado produzido pelo sistema CONSLEG do serviço das publicações oficiais das comunidades Europeias. Este documento

Leia mais

Comissão reconhece a necessidade de um melhor acesso de elevado débito à Internet para revitalizar as zonas rurais na Europa

Comissão reconhece a necessidade de um melhor acesso de elevado débito à Internet para revitalizar as zonas rurais na Europa IP/09/343 Bruxelas, 3 de Março de 2009 Comissão reconhece a necessidade de um melhor acesso de elevado débito à Internet para revitalizar as zonas rurais na Europa A Comissão declarou hoje considerar prioritária

Leia mais

A Comissão Europeia pretende reduzir significativamente as disparidades salariais entre homens e mulheres

A Comissão Europeia pretende reduzir significativamente as disparidades salariais entre homens e mulheres IP/10/236 Bruxelas, 5 de Março de 2010 A Comissão Europeia pretende reduzir significativamente as disparidades salariais entre homens e mulheres A Comissão Europeia tenciona lançar uma série de medidas

Leia mais

18.12.2009 Jornal Oficial da União Europeia L 336/31

18.12.2009 Jornal Oficial da União Europeia L 336/31 18.12.2009 Jornal Oficial da União Europeia L 336/31 DECISÃO DA COMISSÃO de 14 de Dezembro de 2009 que altera a Decisão 2009/177/CE no que diz respeito aos programas de erradicação e ao estatuto de indemnidade

Leia mais

O EMPREGO NA EUROPA 2005 TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS. Síntese

O EMPREGO NA EUROPA 2005 TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS. Síntese Comissão Europeia, Employment in Europe 2005 Recent Trends and Prospects, Office for Official Publications of the European Communities, Luxemburgo, 2005, 301 pp.. O EMPREGO NA EUROPA 2005 TENDÊNCIAS RECENTES

Leia mais

ndicadores sobre a pobreza

ndicadores sobre a pobreza ndicadores sobre a pobreza Dados Europeus e Nacionais Atualização em Julho de 2011 EAPN Portugal /Rede Europeia Anti-Pobreza Rua de Costa Cabral, 2368 4200-218 Porto Telefone: 225 420 800 Fax: 225 403

Leia mais

Inquérito mede o pulso à saúde em linha na Europa e receita uma maior utilização das TIC pela classe médica

Inquérito mede o pulso à saúde em linha na Europa e receita uma maior utilização das TIC pela classe médica IP/08/641 Bruxelas, 25 de Abril de 2008 Inquérito mede o pulso à saúde em linha na Europa e receita uma maior utilização das TIC pela classe médica A Comissão Europeia publicou hoje as conclusões de um

Leia mais

Regulação e Concorrência no Mercado de Banda Larga

Regulação e Concorrência no Mercado de Banda Larga Regulação e Concorrência no Mercado de Banda Larga Pedro Duarte Neves Preparado para o painel "A Sociedade da Informação em Portugal: Situação e Perspectivas de Evolução" Fórum para a Sociedade da Informação

Leia mais

Serviços na Balança de Pagamentos Portuguesa

Serviços na Balança de Pagamentos Portuguesa Serviços na Balança de Pagamentos Portuguesa Margarida Brites Coordenadora da Área da Balança de Pagamentos e da Posição de Investimento Internacional 1 dezembro 2014 Lisboa Balança de Pagamentos Transações

Leia mais

A PAC pós 2013 - O Debate Europeu e os Desafios para Portugal

A PAC pós 2013 - O Debate Europeu e os Desafios para Portugal A PAC pós 2013 - O Debate Europeu e os Desafios para Portugal Francisco Cordovil (Director do GPP) 30 de Abril de 2010 1 I. A agricultura perante a sociedade: compreender os desafios e agir positivamente

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL E AO COMITÉ DAS REGIÕES

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL E AO COMITÉ DAS REGIÕES COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 22.12.2008 COM(2008) 882 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL E AO COMITÉ DAS REGIÕES Implementação

Leia mais

Regras de Atribuição de DNS. 21 de Abril de 2005 Luisa Lopes Gueifão CRSC 2005

Regras de Atribuição de DNS. 21 de Abril de 2005 Luisa Lopes Gueifão CRSC 2005 Regras de Atribuição de DNS 21 de Abril de 2005 Luisa Lopes Gueifão CRSC 2005 O DNS em Portugal O nome de domínio.pt Como registar um nome de domínio em.pt As regras As novas possibilidades de registo

Leia mais

Debates sobre a Estratégia de Lisboa

Debates sobre a Estratégia de Lisboa Debates sobre a Estratégia de Lisboa Crescimento e Emprego Juntos a trabalhar pela Europa do futuro 2006-2008 Data de actualização: 19 de Dezembro de 2007 Em parceria: Alto Patrocínio: Debates sobre a

Leia mais

Newsletter Informação Mensal - MARÇO 2016

Newsletter Informação Mensal - MARÇO 2016 PREÇOS DO LEITE À PRODUÇÃO - Preços Médios Mensais PRODUTO (Leite de vaca cru com teores reais de matérias gordas e proteínas) Newsletter Informação Mensal - MARÇO dezembro As Newsletter do SIMA podem

Leia mais

Economia Portuguesa. GPEARI - Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (MFAP)

Economia Portuguesa. GPEARI - Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (MFAP) Economia Portuguesa 2009 GPEARI - Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (MFAP) MFAP GPEARI Unidade de Política Económica i i Ficha Técnica Título Economia Portuguesa

Leia mais

Desigualdade Económica em Portugal

Desigualdade Económica em Portugal Desigualdade Económica em Portugal A publicação anual pelo Eurostat e pelo INE de indicadores de desigualdade na distribuição pessoal do rendimento em Portugal, e a sua comparação com os dos restantes

Leia mais

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores Margarida Brites Coordenadora da Área das Estatísticas da Balança de Pagamentos e da Posição de Investimento

Leia mais

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 20 - Biomassa. Sorocaba, Maio de 2015.

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 20 - Biomassa. Sorocaba, Maio de 2015. Campus Experimental de Sorocaba Recursos Energéticos e Meio Ambiente Professor Sandro Donnini Mancini 20 - Biomassa Sorocaba, Maio de 2015. ATLAS de Energia Elétrica do Brasil. Agência Nacional de Elétrica

Leia mais

Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE

Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA UNIÃO EUROPEIA ESTADOS-MEMBROS Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE Fevereiro de 2011 FICHA TÉCNICA Título Informação Estatística União Europeia/Estados-membros,

Leia mais

***I PROJECTO DE RELATÓRIO

***I PROJECTO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 1999 2004 Comissão das Liberdades e dos Direitos dos Cidadãos, da Justiça e dos Assuntos Internos 23 de Maio de 2001 PRELIMINAR 2000/0189(COD) ***I PROJECTO DE RELATÓRIO sobre a proposta

Leia mais

Pedi asilo na UE Que país vai processar o meu pedido?

Pedi asilo na UE Que país vai processar o meu pedido? PT Pedi asilo na UE Que país vai processar o meu pedido? A Informações sobre o Regulamento de Dublim destinadas aos requerentes de proteção internacional, em conformidade com o artigo 4.º do Regulamento

Leia mais

Agenda Digital: investimento na economia digital é chave para futura prosperidade da Europa, afirma relatório da Comissão

Agenda Digital: investimento na economia digital é chave para futura prosperidade da Europa, afirma relatório da Comissão IP/10/571 Bruxelas, 17 de Maio de 2010 Agenda Digital: investimento na economia digital é chave para futura prosperidade da Europa, afirma relatório da Comissão De acordo com o relatório da Comissão Europeia

Leia mais

Portugal 2020: O foco na Competitividade e Internacionalização

Portugal 2020: O foco na Competitividade e Internacionalização Portugal 2020: O foco na Competitividade e Internacionalização Duarte Rodrigues Vogal da Agência para o Desenvolvimento e Coesão AIP, 5 de março de 2015 Prioridades Europa 2020 Objetivos Europa 2020/ PNR

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO. que acompanha o documento. Proposta de

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO. que acompanha o documento. Proposta de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 27.3.2014 SWD(2014) 119 final DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO que acompanha o documento Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU

Leia mais

Comissão efectua consultas sobre a melhor forma de conseguir que a Europa lidere a transição para a Web 3.0

Comissão efectua consultas sobre a melhor forma de conseguir que a Europa lidere a transição para a Web 3.0 IP/08/1422 Bruxelas, 29 de Setembro de 2008 Comissão efectua consultas sobre a melhor forma de conseguir que a Europa lidere a transição para a Web 3.0 A Europa pode liderar a Internet da próxima geração.

Leia mais

Notas sobre o formulário Acto de Oposição

Notas sobre o formulário Acto de Oposição INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (IHMI) Marcas, Desenhos e Modelos Notas sobre o formulário Acto de Oposição 1. Observações gerais 1.1 Utilização do formulário O formulário pode ser obtido

Leia mais

L 343/10 Jornal Oficial da União Europeia 29.12.2010

L 343/10 Jornal Oficial da União Europeia 29.12.2010 L 343/10 Jornal Oficial da União Europeia 29.12.2010 REGULAMENTO (UE) N. o 1259/2010 DO CONSELHO de 20 de Dezembro de 2010 que cria uma cooperação reforçada no domínio da lei aplicável em matéria de divórcio

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de 4.5.2015

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de 4.5.2015 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 4.5.2015 C(2015) 2806 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 4.5.2015 que aprova a decisão de Portugal de utilizar mais de 13 do limite máximo nacional anual fixado no anexo

Leia mais

Inquérito ao Trabalho Voluntário 2012 «

Inquérito ao Trabalho Voluntário 2012 « Escola de Voluntariado Fundação Eugénio de Almeida Inquérito ao Trabalho Voluntário 2012 Departamento de Contas Nacionais Serviço de Contas Satélite e Avaliação de Qualidade das Contas Nacionais Ana Cristina

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RECOMENDAÇÃO DA COMISSÃO. sobre a oferta de linhas alugadas na União Europeia

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RECOMENDAÇÃO DA COMISSÃO. sobre a oferta de linhas alugadas na União Europeia PT PT PT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 21.1.2005 C(2005) 103/2 RECOMENDAÇÃO DA COMISSÃO sobre a oferta de linhas alugadas na União Europeia Parte 1 Principais condições de oferta grossista

Leia mais

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada por "a Comunidade"), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA,

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada por a Comunidade), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA, ACORDO DE COOPERAÇÃO RELATIVO A UM SISTEMA MUNDIAL DE NAVEGAÇÃO POR SATÉLITE (GNSS) PARA UTILIZAÇÃO CIVIL ENTRE A COMUNIDADE EUROPEIA E OS SEUS ESTADOS-MEMBROS, POR UM LADO, E O REINO DE MARROCOS, POR

Leia mais

Destinação Final x Disposição Final

Destinação Final x Disposição Final Campus Experimental de Sorocaba Disciplina: Tratamento de Resíduos Sólidos e Efluentes Gasosos Graduação em Engenharia Ambiental 7 Destinação e Disposição Final Professor: Sandro Donnini Mancini Sorocaba,

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar ***I PROJECTO DE RELATÓRIO

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar ***I PROJECTO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2004 ««««««««««««2009 Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar PROVISÓRIO 2004/0036(COD) 11.1.2005 ***I PROJECTO DE RELATÓRIO sobre a proposta de directiva do

Leia mais

PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO HORIZON 2020 (2014-2020) 2020)

PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO HORIZON 2020 (2014-2020) 2020) PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO HORIZON 2020 (2014-2020) 2020) Maria da Graça a Carvalho Universidade de Évora 5 Janeiro 2012 Índice Mundo Multipolar na investigação e inovação Europa

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 3.8.2007 COM(2007) 392 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO E AO PARLAMENTO EUROPEU Melhorar a Qualidade da Formação académica e profissional dos Docentes

Leia mais

Ficha Técnica de Fiscalização

Ficha Técnica de Fiscalização FTF: 68//07 IDENTIFICAÇÃO DO AGENTE ECONÓMICO Nome/Designação Social: Morada: IDENTIFICAÇÃO DA BRIGADA Brigada: Direcção Regional: Data de Controlo: / / Hora: h m LEGISLAÇÃO APLICÁVEL: Condições técnico-funcionais

Leia mais

A UE volta a divulgar o número de emergência europeu 112 antes das férias de Verão

A UE volta a divulgar o número de emergência europeu 112 antes das férias de Verão IP/08/836 Bruxelas, 3 de Junho de 2008 A UE volta a divulgar o número de emergência europeu 112 antes das férias de Verão A Comissão Europeia acelerou hoje os seus esforços para promover a utilização na

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO

RELATÓRIO DA COMISSÃO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 16.6.2014 COM(2014) 363 final RELATÓRIO DA COMISSÃO Relatório de síntese sobre a qualidade da água para consumo humano na UE, que analisa os relatórios dos Estados-Membros para

Leia mais

Educação e Formação Europa 2020 e Cooperação Europeia

Educação e Formação Europa 2020 e Cooperação Europeia Educação e Formação Europa 2020 e Cooperação Europeia Parlamento Europeu Bruxelas, 21 de Março 2011 Margarida Gameiro Chefe de Unidade Igualdade de oportunidades e Equidade Europa 2020: 3 prioridades interligadas

Leia mais

Análise comparativa dos sistemas de avaliação do desempenho docente a nível europeu

Análise comparativa dos sistemas de avaliação do desempenho docente a nível europeu 1 Análise comparativa dos sistemas de avaliação do desempenho docente a nível europeu Jorge Lima (*) Eurydice é a rede de informação sobre a educação na Europa, criada por iniciativa da Comissão Europeia

Leia mais

Energia: prioridades para a Europa Apresentação de J.M. Barroso,

Energia: prioridades para a Europa Apresentação de J.M. Barroso, Energia: prioridades para a Europa Apresentação de J.M. Barroso, Presidente da Comissão Europeia, ao Conselho Europeu de 22 de maio de 2013 Novas realidades do mercado mundial da energia Impacto da crise

Leia mais

Critérios CPE da UE para aquecedores a água

Critérios CPE da UE para aquecedores a água Critérios CPE da UE para aquecedores a água Os critérios CPE da UE têm como objetivo ajudar os organismos públicos na aquisição de produtos, serviços e obras com impacto ambiental reduzido. A utilização

Leia mais

Desemprego e regulação do mercado de trabalho. António Dornelas ISCTE-IUL e CIES-IUL 28 de Outubro de 2011

Desemprego e regulação do mercado de trabalho. António Dornelas ISCTE-IUL e CIES-IUL 28 de Outubro de 2011 Desemprego e regulação do mercado de trabalho António Dornelas ISCTE-IUL e CIES-IUL 28 de Outubro de 2011 Proposições fundamentais 1. O trabalho não pode ser tratado como uma mercadoria sem sérias consequências

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO (UE) 2015/253 DA COMISSÃO

DECISÃO DE EXECUÇÃO (UE) 2015/253 DA COMISSÃO 17.2.2015 L 41/55 DECISÃO DE EXECUÇÃO (UE) 2015/253 DA COMISSÃO de 16 de fevereiro de 2015 que estabelece as regras relativas à recolha de amostras e à apresentação de relatórios, no âmbito da Diretiva

Leia mais

Profissão de advogado na União Européia. Directiva 98/5/CE 08-05-2002

Profissão de advogado na União Européia. Directiva 98/5/CE 08-05-2002 Profissão de advogado na União Européia Directiva 98/5/CE 08-05-2002 tendente a facilitar o exercício permanente da profissão de advogado num Estado-membro diferente daquele em que foi adquirida a qua

Leia mais

LINHAS DE ORIENTAÇÃO RELATIVAS AO EXAME DE MARCAS COMUNITÁRIAS EFETUADO NO INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (MARCAS, DESENHOS E MODELOS)

LINHAS DE ORIENTAÇÃO RELATIVAS AO EXAME DE MARCAS COMUNITÁRIAS EFETUADO NO INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (MARCAS, DESENHOS E MODELOS) LINHAS DE ORIENTAÇÃO RELATIVAS AO EXAME DE MARCAS COMUNITÁRIAS EFETUADO NO INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (MARCAS, DESENHOS E MODELOS) PARTE A DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO 5 REPRESENTAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

O ESPAÇO DE SCHENGEN. Trabalho feito por João Dias nº 8 do 2ºJ

O ESPAÇO DE SCHENGEN. Trabalho feito por João Dias nº 8 do 2ºJ O ESPAÇO DE SCHENGEN Trabalho feito por João Dias nº 8 do 2ºJ O QUE É O ESPAÇO DE SCHENGEN? O espaço e a cooperação Schengen assentam no Acordo Schengen de 1985. O espaço Schengen representa um território

Leia mais

X Congresso Nacional do Milho. no âmbito da nova Política Agrícola Comum

X Congresso Nacional do Milho. no âmbito da nova Política Agrícola Comum X Congresso Nacional do Milho A agricultura de regadio no âmbito da nova Política Agrícola Comum 12 de Fevereiro de 2015 Hotel Altis, Lisboa Eduardo Diniz Diretor-Geral GPP Decisões Nacionais 1º Pilar

Leia mais

Directiva 94/62/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 20 de Dezembro de 1994, relativa a embalagens e resíduos de embalagens

Directiva 94/62/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 20 de Dezembro de 1994, relativa a embalagens e resíduos de embalagens Directiva 94/62/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 20 de Dezembro de 1994, relativa a embalagens e resíduos de embalagens O PARLAMENTO EUROPEU E O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA, Tendo em conta o Tratado

Leia mais

Números-Chave sobre o Ensino das Línguas nas Escolas da Europa 2012

Números-Chave sobre o Ensino das Línguas nas Escolas da Europa 2012 Números-Chave sobre o Ensino das Línguas nas Escolas da Europa 2012 O relatório Números-Chave sobre o Ensino das Línguas nas Escolas da Europa 2012 consiste numa análise abarangente dos sistemas de ensino

Leia mais

REGULAMENTO DELEGADO (UE) /... DA COMISSÃO. de 31.3.2015

REGULAMENTO DELEGADO (UE) /... DA COMISSÃO. de 31.3.2015 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 31.3.2015 C(2015) 2146 final REGULAMENTO DELEGADO (UE) /... DA COMISSÃO de 31.3.2015 que altera os anexos III, V e VII do Regulamento (UE) n.º 211/2011 do Parlamento Europeu

Leia mais

O regresso desigual da Europa ao crescimento do emprego

O regresso desigual da Europa ao crescimento do emprego NOTA INFORMATIVA O regresso desigual da Europa ao crescimento do emprego Previsões até 2025 apontam para diferenças significativas na oferta e procura de competências nos Estados-Membros Boas notícias.

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Cartão Europeu de Seguro de Doença Nº: 20/DSPCS DATA: 18/05/04 Para: Todos os serviços dependentes do Ministério da Saúde Contacto

Leia mais

Inquérito europeu às empresas sobre riscos novos e emergentes Sumário

Inquérito europeu às empresas sobre riscos novos e emergentes Sumário Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho Inquérito europeu às empresas sobre riscos novos e emergentes Sumário Este inquérito, realizado pela EU-OSHA a empresas de toda a Europa, visa contribuir

Leia mais

* PROJECTO DE RELATÓRIO

* PROJECTO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão das Liberdades Cívicas, da Justiça e dos Assuntos Internos 26.10.2009 2009/0101(CNS) * PROJECTO DE RELATÓRIO sobre a proposta de decisão-quadro do Conselho relativa

Leia mais

PEDIDO DE INFORMAÇÕES RELATIVAS AO DIREITO ÀS PRESTAÇÕES FAMILIARES NO ESTADO DE RESIDÊNCIA DOS FAMILIARES

PEDIDO DE INFORMAÇÕES RELATIVAS AO DIREITO ÀS PRESTAÇÕES FAMILIARES NO ESTADO DE RESIDÊNCIA DOS FAMILIARES A COMISSÃO ADMINISTRATIVA PARA A SEGURANÇA SOCIAL DOS TRABALHADORES MIGRANTES Ver «Instruções» na página 4 E 411 ( 1 ) PEDIDO DE INFORMAÇÕES RELATIVAS AO DIREITO ÀS PRESTAÇÕES FAMILIARES NO ESTADO DE RESIDÊNCIA

Leia mais

Compreender a gestão dos riscos psicossociais e a participação dos trabalhadores através do Esener

Compreender a gestão dos riscos psicossociais e a participação dos trabalhadores através do Esener PT A segurança e saúde no trabalho diz respeito a todos. Bom para si. Bom para as empresas. Compreender a gestão dos riscos psicossociais e a participação dos trabalhadores através do Esener Uma síntese

Leia mais

Jornal oficial no. L 171 de 07/07/1999 P. 0012-0016. Texto:

Jornal oficial no. L 171 de 07/07/1999 P. 0012-0016. Texto: Directiva 1999/44/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 25 de Maio de 1999, relativa a certos aspectos da venda de bens de consumo e das garantias a ela relativas Jornal oficial no. L 171 de 07/07/1999

Leia mais

O QUE É O SERVIÇO SOLVIT O SOLVIT PODE INTERVIR

O QUE É O SERVIÇO SOLVIT O SOLVIT PODE INTERVIR O QUE É O SERVIÇO SOLVIT Viver, trabalhar ou estudar em qualquer país da UE é um direito básico dos cidadãos europeus. Também as empresas têm o direito de se estabelecer, prestar serviços e fazer negócios

Leia mais

31/10/1992 Jornal Oficial L 316

31/10/1992 Jornal Oficial L 316 DIRECTIVA 92/83/CEE DO CONSELHO de 19 de Outubro de 1992 relativa à harmonização da estrutura dos impostos especiais sobre o consumo de álcool e bebidas alcoólicas CONSELHO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS, Tendo

Leia mais

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO relativa a um procedimento simplificado de tratamento de certas operações de concentração nos termos do Regulamento (CEE) n 4064/89 do Conselho (Texto relevante para efeitos do

Leia mais

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o n. o 1 do seu artigo 95. o,

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o n. o 1 do seu artigo 95. o, L 268/24 REGULAMENTO (CE) N. o 1830/2003 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 22 de Setembro de 2003 relativo à rastreabilidade e rotulagem de organismos geneticamente modificados e à rastreabilidade

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 5.9.2003 COM(2003) 522 final 2003/0205 (COD) Proposta de DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO relativa à aproximação das legislações dos Estados-Membros

Leia mais

O Consumo interno de materiais decresceu 11,7% em 2013

O Consumo interno de materiais decresceu 11,7% em 2013 Conta de Fluxos de Materiais -2013 19 de dezembro de 2014 O Consumo interno de materiais decresceu 11,7% em 2013 O Consumo interno de materiais decresceu 11,7% em 2013. Esta diminuição foi determinada

Leia mais

(JO P 36 de 6.3.1965, p. 533)

(JO P 36 de 6.3.1965, p. 533) 1965R0019 PT 01.05.2004 006.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições BREGULAMENTO N. o 19/65/CEE DO CONSELHO de 2 de Março de 1965 relativo à aplicação

Leia mais

REDE DE ESTABELECIMENTOS POSTAIS RELATIVOS AOS CTT CORREIOS DE PORTUGAL, S.A., NO FINAL DO ANO 2009

REDE DE ESTABELECIMENTOS POSTAIS RELATIVOS AOS CTT CORREIOS DE PORTUGAL, S.A., NO FINAL DO ANO 2009 REDE DE ESTABELECIMENTOS POSTAIS RELATIVOS AOS CTT CORREIOS DE PORTUGAL, S.A., NO FINAL DO ANO 2009 1. SUMÁRIO EXECUTIVO... 1 2. ENQUADRAMENTO... 3 3. EVOLUÇÃO DA REDE DE ESTABELECIMENTOS POSTAIS... 3

Leia mais

CONVENÇÃO COMPLEMENTAR À CONVENÇÃO DE PARIS DE 29 DE JULHO DE 1960 SOBRE A RESPONSABILIDADE CIVIL NO DOMÍNIO DA ENERGIA NUCLEAR.

CONVENÇÃO COMPLEMENTAR À CONVENÇÃO DE PARIS DE 29 DE JULHO DE 1960 SOBRE A RESPONSABILIDADE CIVIL NO DOMÍNIO DA ENERGIA NUCLEAR. Decreto do Governo n.º 24/84 Convenção de 31 de Janeiro de 1963 Complementar da Convenção de Paris de 29 de Julho de 1960 sobre Responsabilidade Civil no Domínio da Energia Nuclear O Governo decreta, nos

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO. que acompanha a. Proposta de

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO. que acompanha a. Proposta de PT PT PT COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, xxx SEC (2010) xxx final DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO que acompanha a Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU

Leia mais

A TRIBUTAÇÃO DAS PME NA UNIÃO EUROPEIA

A TRIBUTAÇÃO DAS PME NA UNIÃO EUROPEIA A TRIBUTAÇÃO DAS PME NA UNIÃO EUROPEIA As actividades e o desenvolvimento das PME são fundamentais para o crescimento económico da União Europeia, daí que se torne primordial saber como são tributadas

Leia mais

85 der Beilagen XXIII. GP - Beschluss NR - 15 Vertragstext portugiesisch - PT (Normativer Teil) 1 von 21

85 der Beilagen XXIII. GP - Beschluss NR - 15 Vertragstext portugiesisch - PT (Normativer Teil) 1 von 21 85 der Beilagen XXIII. GP - Beschluss NR - 15 Vertragstext portugiesisch - PT (Normativer Teil) 1 von 21 ACORDO DE COOPERAÇÃO RELATIVO A UM SISTEMA MUNDIAL CIVIL DE NAVEGAÇÃO POR SATÉLITE (GNSS) ENTRE

Leia mais

Coesão económica social e territorial. Crescimento inteligente sustentável e inclusivo. Estratégia Europa 2020

Coesão económica social e territorial. Crescimento inteligente sustentável e inclusivo. Estratégia Europa 2020 PROGRAMA OPERACIONAL INCLUSÃO SOCIAL E EMPREGO 18 de fevereiro de 2015 1 Coesão económica social e territorial Enquadramento Crescimento inteligente sustentável e inclusivo Estratégia Europa 2020 Agenda

Leia mais

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Sexta Secção) 14 de Dezembro de 2000 *

ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Sexta Secção) 14 de Dezembro de 2000 * COMISSÃO / FRANÇA ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA (Sexta Secção) 14 de Dezembro de 2000 * No processo C-55/99, Comissão das Comunidades Europeias, representada por R. B. Wainwright, consultor jurídico principal,

Leia mais

8 de março de 2012: Dia Internacional da Mulher Desigualdade de género na União Europeia

8 de março de 2012: Dia Internacional da Mulher Desigualdade de género na União Europeia Direção Geral da Comunicação Direção das Relações com os Cidadãos Unidade de Acompanhamento da Opinião Pública Bruxelas, 7 de março de 2012 8 de março de 2012: Dia Internacional da Mulher Desigualdade

Leia mais

9200/16 fmm/hrl/ml 1 DG B 3A - DG G 1A

9200/16 fmm/hrl/ml 1 DG B 3A - DG G 1A Conselho da União Europeia Bruxelas, 13 de junho de 2016 (OR. en) 9200/16 ECOFIN 452 UEM 199 SOC 316 EMPL 212 COMPET 286 ENV 331 EDUC 186 RECH 178 ENER 194 JAI 440 NOTA de: para: n. doc. Com.: Assunto:

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DECISÃO DO CONSELHO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 1.7.2005 COM(2005) 291 final Proposta de DECISÃO DO CONSELHO que altera o anexo II da Directiva 2000/53/CE do Parlamento Europeu e do Conselho relativa aos

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia

Jornal Oficial da União Europeia 6.2.2003 L 31/3 REGULAMENTO (CE) N. o 223/2003 DA COMISSÃO de 5 de Fevereiro de 2003 que diz respeito aos requisitos em matéria de rotulagem relacionados com o modo de produção biológico aplicáveis aos

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS PT PT PT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 27.2.2009 COM(2009) 77 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES

Leia mais

As regiões no Portugal 2020

As regiões no Portugal 2020 As regiões no Portugal 2020 O Acordo de Parceria O Modelo de Governação Agência para o Desenvolvimento e Coesão Fevereiro e março de 2015 Temas O Acordo de Parceria O Modelo de Governação Acordo de Parceria

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 Abril de 2003 8084/03 ADD 1 LIMITE FISC 59

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 Abril de 2003 8084/03 ADD 1 LIMITE FISC 59 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 3 Abril de 2003 8084/03 ADD 1 LIMITE FISC 59 ADENDA À NOTA de: Secretariado-Geral do Conselho para: COREPER de 9 de Abril de 2003 Assunto: Tributação da energia Junto

Leia mais