Procriação medicamente assistida - evolução histórica e implicações clínicas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Procriação medicamente assistida - evolução histórica e implicações clínicas"

Transcrição

1 PMA: Presente e Futuro QUESTÕES EMERGENTES NOS CONTEXTOS CIENTÍFICO, ÉTICO, SOCIAL E LEGAL Procriação medicamente assistida - evolução histórica e implicações clínicas Carlos Calhaz Jorge Fundação Calouste Gulbenkian Janeiro 2012

2 Definição e enumeração breve das técnicas Procriação medicamente assistida: Todos os tratamentos ou procedimentos que incluem a manipulação in vitro de gâmetas (espermatozóides ou ovócitos) humanos ou embriões com a finalidade de se conseguir uma gravidez. The ICMART and WHO Revised Glossary on ART Terminology, Zegers-Hochschild F et al. Fertil Steril, 2009; 92:1520 e Hum Reprod, 2009; 24: 2683 PMA: Presente e Futuro Lisboa, Janeiro 2012

3 Definição e enumeração breve das técnicas Lei 32/2006 PMA: Presente e Futuro Lisboa, Janeiro 2012

4 Definição e enumeração breve das técnicas - Inseminação artificial - Etapas da técnica Estimulação ovárica controlada Procedimentos laboratoriais Execução PMA: Presente e Futuro Lisboa, Janeiro 2012

5 Fertilização in vitro / Microinjecção intra-citoplasmática de espermatozóides Etapas da técnica Hiperestimulação ovárica controlada Punção aspirativa dos ovários Procedimentos laboratoriais Transferência de embriões PMA: Presente e Futuro Lisboa, Janeiro 2012

6 Fertilização in vitro / Microinjecção intra-citoplasmática de espermatozóides Etapas da técnica Hiperestimulação ovárica controlada Punção aspirativa dos ovários Procedimentos laboratoriais Transferência de embriões PMA: Presente e Futuro Lisboa, Janeiro 2012

7 Transferência de embriões criopreservados Etapas da técnica Preparação farmacológica do endométrio Procedimentos laboratoriais Transferência de embriões PMA: Presente e Futuro Lisboa, Janeiro 2012

8 Definição e enumeração breve das técnicas O objectivo! PMA: Presente e Futuro Lisboa, Janeiro 2012

9 Marcos históricos Inseminação artificial Ovos de peixe fecundados com sucesso, por cientistas holandeses Inseminação com sucesso do 1º mamífero (cadela), por cientistas italianos Final do séc. XVIII e séc. XIX - Utilização crescente em humanos Primeira gravidez resultante de IIU e esperma congelado

10 Marcos históricos Fertilização in vitro Antes do uso em humanos 1890s - Walter Heape relatou o primeiro exemplo conhecido de transplante de embriões entre coelhos Gregory Pincus publicou as suas 1as experiências com IVF em coelhos

11 Marcos históricos 1937 Conception in a watch glass The Brave New World of Aldous Huxley may be nearer realization. Pincus and Enzmann have started one step earlier with the rabbit, isolating an ovum, fertilizing it in a watch glass and reimplanting it in a doe other than the one which furnished the oocyte and have thus successfully inaugurated pregnancy in the unmated animal. If such an accomplishment with rabbits were to be duplicated in the human being, we should in the words of flaming youth be going places. Editorial The New England Journal of Medicine, 21 Oct 1937

12 Marcos históricos Fertilização in vitro Antes do uso em humanos 1890s - Walter Heape relatou o primeiro exemplo conhecido de transplante de embriões entre coelhos Gregory Pincus publicou as suas 1as experiências com IVF em coelhos M. C. Chang publicou na revista Nature o nascimento do 1º mamífero (coelho) resultante de fertilização de um ovócito no laboratório e subsequente transferência de embrião para o útero de outra coelha

13 Marcos históricos no mundo Parto de Louise Brown 1º 1º parto após de doação embriões de criopreservados ovócitos Hiperestimulação ovárica

14 Marcos históricos no mundo Parto de Louise Brown 1º 1º parto 1º parto após de após doação maternidade embriões de de criopreservados ovócitos substituição Hiperestimulação Agonista 1ª Gravidez ovárica de pós GIFT GnRH

15 Marcos históricos no mundo Parto de Louise Brown 1º 1º 1º parto 1ª parto gravidez após após após doação maternidade embriões aspiração de de espz criopreservados ovócitos substituição epididimo Hiperestimulação Agonista Punção ovárica 1ª Gravidez ovárica trans-vaginal de pós GIFT GnRH

16 Marcos históricos no mundo Parto de Louise Brown 1º 1º 1º parto 1ª parto gravidez após 1ª após gravidez após doação maternidade embriões aspiração de resultante de espz de criopreservados ovócitos substituição ovócitos epididimo congelados ICSI 1ª gravidez após cultura prolongada e transferência de blastocistos Hiperestimulação Agonista Punção ovárica 1ª publicação de 1ª Gravidez ovárica trans-vaginal de biópsia pré-implantação pós GIFT GnRH de embrião humano

17 Marcos históricos no mundo Parto de Louise Brown 1º 1º 1º parto 1ª parto gravidez após 1ª após gravidez após doação maternidade embriões aspiração de resultante de espz de criopreservados ovócitos substituição ovócitos epididimo congelados ICSI 1ª gravidez após 1º parto após cultura prolongada transplante e de transferência de tecido ovárico blastocistos criopreservado Hiperestimulação Agonista Punção ovárica 1ª publicação de 1ª Gravidez ovárica trans-vaginal de biópsia pré-implantação pós GIFT GnRH de embrião humano

18 Marcos históricos em Portugal Parto do Carlos Miguel Crio-Preservação de embriões GIFT Introdução de FIV e IIU

19 Marcos históricos em Portugal Parto do Carlos Miguel Crio-Preservação Punção ovárica de embriões trans-vaginal GIFT Hiperestimulação ovárica ICSI PGD

20 Aplicações clínicas como alternativa terapêutica de infertilidade e como método de resolução de outros aspectos ligados à reprodução Indicações Técnicas terapêuticas de infertilidade conjugal critérios técnicos para a colocação da indicação alternativa final após insucesso de metodologias terapêuticas menos complexas Contributo para evitar doenças genéticas

21 Nº ideal de ciclos/milhão de habitantes para satisfazer as necessidades de uma população: 1500 (Soc. Europeia de Medicina da Reprodução ) Nº de ciclos por milhão de habitantes (2006) De Mouzon, J et al. Hum Reprod 2010; 25:

22 Aplicações clínicas como alternativa terapêutica de infertilidade Taxa de gravidez clínica/transferência de embriões ao longo dos anos - Registo português % FIV ICSI TEC PMA: Presente e Futuro Lisboa, Janeiro 2012

23 Registo europeu Registo nacional Aplicações clínicas como alternativa terapêutica de infertilidade Taxa de gravidez clínica/transferência de embriões ao longo dos anos - Registo nacional vs Registo europeu FIV ICSI TEC 25 % FIV ICSI TEC

PROGRAMA ESPECÍFICO PARA MELHORIA DO ACESSO AO DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA INFERTILIDADE Documento de Suporte à Contratualização

PROGRAMA ESPECÍFICO PARA MELHORIA DO ACESSO AO DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA INFERTILIDADE Documento de Suporte à Contratualização 2009 Documento de Suporte à Contratualização do Programa Específico para melhoria do ACSS DGS PROGRAMA ESPECÍFICO PARA MELHORIA DO ACESSO AO DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA INFERTILIDADE Documento de Suporte

Leia mais

BIOLOGIA 12º ANO. Prof. Ângela Morais UNIDADE 1 REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE

BIOLOGIA 12º ANO. Prof. Ângela Morais UNIDADE 1 REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE Escola B+S Bispo D. Manuel Ferreira Cabral Ano Letivo 2011/2012 BIOLOGIA 12º ANO Prof. Ângela Morais UNIDADE 1 REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE 2. Manipulação da Fertilidade 2.2 Infertilidade Humana

Leia mais

Sistema Reprodutor. Carlos Plancha 6/12/06

Sistema Reprodutor. Carlos Plancha 6/12/06 Sistema Reprodutor Carlos Plancha 6/12/06 Aparelho Reprodutor Masculino Estrutura do testículo Compartimento tubular: Células da linhagem germinal Células de Sertoli Compartimento inter-tubular: Células

Leia mais

HOSPITAL DIVINO ESPÍRITO SANTO DE PONTA DELGADA, E.P.E. Convenção n.º 15/2015 de 29 de Abril de 2015

HOSPITAL DIVINO ESPÍRITO SANTO DE PONTA DELGADA, E.P.E. Convenção n.º 15/2015 de 29 de Abril de 2015 HOSPITAL DIVINO ESPÍRITO SANTO DE PONTA DELGADA, E.P.E. Convenção n.º 15/2015 de 29 de Abril de 2015 CONVENÇÃO PARA A PRESTAÇÃO DE CUIDADOS DE SAÚDE NA ÁREA DA PROCRIAÇÃO MEDICAMENTE ASSISTIDA Cláusula

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 755/XII/4.ª GARANTE O ACESSO DE TODAS AS MULHERES À PROCRIAÇÃO MEDICAMENTE ASSISTIDA (PMA)

PROJETO DE LEI N.º 755/XII/4.ª GARANTE O ACESSO DE TODAS AS MULHERES À PROCRIAÇÃO MEDICAMENTE ASSISTIDA (PMA) Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 755/XII/4.ª GARANTE O ACESSO DE TODAS AS MULHERES À PROCRIAÇÃO MEDICAMENTE ASSISTIDA (PMA) PROCEDENDO À SEGUNDA ALTERAÇÃO À LEI N.º 32/2006, DE 26 DE JULHO, ALTERADA

Leia mais

PRÊMIO NOBEL DE MEDICINA FERTILIZAÇÃO IN VITRO: MAIS DE 4 MILHÕES DE CRIANÇAS NASCIDAS E UM PRÊMIO NOBEL

PRÊMIO NOBEL DE MEDICINA FERTILIZAÇÃO IN VITRO: MAIS DE 4 MILHÕES DE CRIANÇAS NASCIDAS E UM PRÊMIO NOBEL PRÊMIO NOBEL DE MEDICINA FERTILIZAÇÃO IN VITRO: MAIS DE 4 MILHÕES DE CRIANÇAS NASCIDAS E UM PRÊMIO NOBEL IN VITRO FERTILIZATION: MORE THAN 4 MILLION CHILDREN BORN AND A NOBEL PRIZE RESUMO Helena von Eye

Leia mais

Procriação Medicamente Assistida

Procriação Medicamente Assistida 44/CNECV/04 PARECER Nº 44 DO CONSELHO NACIONAL DE ÉTICA PARA AS CIÊNCIAS DA VIDA Procriação Medicamente Assistida (Julho de 2004) Introdução A presente reflexão do Conselho Nacional de Ética para as Ciências

Leia mais

Doação de gâmetas. Faculdade de Medicina Universidade de Lisboa Ética e Deontologia Médicas Prof. Doutor Miguel Oliveira e Silva Maio 2010

Doação de gâmetas. Faculdade de Medicina Universidade de Lisboa Ética e Deontologia Médicas Prof. Doutor Miguel Oliveira e Silva Maio 2010 Faculdade de Medicina Universidade de Lisboa Ética e Deontologia Médicas Prof. Doutor Miguel Oliveira e Silva Maio 2010 Doação de gâmetas Trabalho realizado por: Ana Catarina Henriques Anabela Aires Maria

Leia mais

BIOLOGIA 12º ANO. Prof. Ângela Morais UNIDADE 1 REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE

BIOLOGIA 12º ANO. Prof. Ângela Morais UNIDADE 1 REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE Escola B+S Bispo D. Manuel Ferreira Cabral Ano Letivo 2011/2012 BIOLOGIA 12º ANO Prof. Ângela Morais UNIDADE 1 REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE 2. Manipulação da Fertilidade 2.2 Infertilidade Humana

Leia mais

Procriação Medicamente Assistida: Presente e Futuro Questões emergentes nos contextos científico, ético, social e legal

Procriação Medicamente Assistida: Presente e Futuro Questões emergentes nos contextos científico, ético, social e legal Procriação Medicamente Assistida: Presente e Futuro Questões emergentes nos contextos científico, ético, social e legal Senhor Secretário de Estado da Saúde, Dr. Leal da Costa, Senhora Secretária de Estado

Leia mais

Perfil de Competências dos Especialistas

Perfil de Competências dos Especialistas Perfil de Competências dos Especialistas Os Especialistas em Saúde do Colégio de Biologia Humana e Saúde apresentam, de um modo global, as seguintes competências: Perfil de Competências do Especialista

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS TÍTULO: CRIOPRESERVAÇÃO EM REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

Leia mais

Ana$Catarina$Correia$da$Silva$Costa$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$ Curriculum)Vitae $

Ana$Catarina$Correia$da$Silva$Costa$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$ Curriculum)Vitae $ 1 DADOSBIOGRÁFICOS NOME:AnaCatarinaCorreiadaSilvaCosta DATADENASCIMENTO:10deMaiode1975 NATURALIDADE:FreguesiadeSéNova Coimbra ESTADOCIVIL:Casada MORADA:RuaHenriqueMesquita,PereiraL3220O232MirandadoCorvo

Leia mais

Soraia Pinto Jornadas de Enfermagem em Urologia - 8 Março de 2014

Soraia Pinto Jornadas de Enfermagem em Urologia - 8 Março de 2014 Soraia Pinto Jornadas de Enfermagem em Urologia - 8 Março de 2014 Aumento n.º de doentes oncológicos Conhecimento da infertilidade associada a algumas patologias Diagnóstico precoce Terapêuticas mais eficazes

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS I. O domínio das Ciências Sociais Características dos factos sociais no conjunto da acção humana Determinação de factos sociais II. Conhecimento e explicação nas

Leia mais

Adenda ao Acordo Modificativo 2009

Adenda ao Acordo Modificativo 2009 Adenda ao Acordo Modificativo 2009 Programa Específico para Melhoria do Acesso ao Diagnóstico e Tratamento da Infertilidade CENTRO HOSPITALAR VILA NOVA DE GAIA/ESPINHO, EPE A infertilidade, reconhecida

Leia mais

I N S T I T U T O N A C I O N A L D E S A Ú D E D O U T O R R I C A R D O J O R G E MÉDICOS-SENTINELA. O que se fez em 1999

I N S T I T U T O N A C I O N A L D E S A Ú D E D O U T O R R I C A R D O J O R G E MÉDICOS-SENTINELA. O que se fez em 1999 I N S T I T U T O N A C I O N A L D E S A Ú D E D O U T O R R I C A R D O J O R G E MÉDICOS-SENTINELA O que se fez em 1999 13 Lisboa Setembro de 2014 D e p a r t a m e n t o d e E p i d e m i o l o g i

Leia mais

TÍTULO: FILHOS DA REPRODUÇÃO ASSISTIDA: REVELAR OU NÃO REVELAR, EIS A QUESTÃO INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

TÍTULO: FILHOS DA REPRODUÇÃO ASSISTIDA: REVELAR OU NÃO REVELAR, EIS A QUESTÃO INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS TÍTULO: FILHOS DA REPRODUÇÃO ASSISTIDA: REVELAR OU NÃO REVELAR, EIS A QUESTÃO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES

Leia mais

ANEXO I - RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO (Artigo 4º-A da Directiva 65/65/CEE na sua última redacção)

ANEXO I - RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO (Artigo 4º-A da Directiva 65/65/CEE na sua última redacção) ANEXO I - RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO (Artigo 4º-A da Directiva 65/65/CEE na sua última redacção) RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. DENOMINAÇÃO DA ESPECIALIDADE FARMACÊUTICA GONAL-F

Leia mais

www.ivi.net.br IVI Brasil Press kit onde a vida nasce

www.ivi.net.br IVI Brasil Press kit onde a vida nasce www.ivi.net.br IVI Brasil Press kit onde a vida nasce Instituto Valenciano de Infertilidade O Instituto Valenciano de Infertilidade nasceu em 1990 como a primeira instituição médica na Espanha especializada

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular SISTEMAS INFORMAÇÃO EM GESTÃO Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular SISTEMAS INFORMAÇÃO EM GESTÃO Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular SISTEMAS INFORMAÇÃO EM GESTÃO Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Gestão 3. Ciclo de Estudos 2º 4.

Leia mais

Reprodução Medicamente Assistida. Grupo: Ana Sofia Ramalhete Nº3 Bárbara Mello Nº23 Beatriz Luz Nº7 Bruno Alberto Nº31 Carina Fernandes Nº8

Reprodução Medicamente Assistida. Grupo: Ana Sofia Ramalhete Nº3 Bárbara Mello Nº23 Beatriz Luz Nº7 Bruno Alberto Nº31 Carina Fernandes Nº8 Reprodução Medicamente Assistida Grupo: Ana Sofia Ramalhete Nº3 Bárbara Mello Nº23 Beatriz Luz Nº7 Bruno Alberto Nº31 Carina Fernandes Nº8 Introdução A reprodução medicamente assistida é um tipo de reprodução

Leia mais

PROGRAMAS DE PREVENÇÃO DE RESÍDUOS. Susana Xará

PROGRAMAS DE PREVENÇÃO DE RESÍDUOS. Susana Xará PROGRAMAS DE PREVENÇÃO DE RESÍDUOS Susana Xará Referência Registo Público dos Documentos do Conselho http://register.consilium.europa.eu/ historial da proposta dossier interinstitucional: 2005/0281 permite

Leia mais

REVERSÃO DE VASECTOMIA OU ICSI

REVERSÃO DE VASECTOMIA OU ICSI REVERSÃO DE VASECTOMIA OU ICSI Na nossa realidade social, é comum a ocorrência de casais com dois ou três filhos, em que o homem opta pela vasectomia como método contraceptivo. Isto tem ocorrido sob a

Leia mais

AO-069: IMPACTO CLÍNICO DA NOVA LEI BRASILEIRA DE REPRODUÇÃO ASSISTIDA NOS CASOS DE FATOR MASCULINO GRAVE

AO-069: IMPACTO CLÍNICO DA NOVA LEI BRASILEIRA DE REPRODUÇÃO ASSISTIDA NOS CASOS DE FATOR MASCULINO GRAVE AO-069: IMPACTO CLÍNICO DA NOVA LEI BRASILEIRA DE REPRODUÇÃO ASSISTIDA NOS CASOS DE FATOR MASCULINO GRAVE Danielle T. Schneider & Sandro C. Esteves ANDROFERT Centro de Referência para Reprodução Masculina

Leia mais

Milagre do Nascimento

Milagre do Nascimento Milagre do Nascimento A ciência colabora com o sonho de casais que não poderiam ter filhos por métodos tradicionais. Por Viviane Bittencourt A inseminação artificial é um dos métodos da reprodução assistida

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ECONOMIA MUNDIAL E COMÉRCIO EXTERNO Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ECONOMIA MUNDIAL E COMÉRCIO EXTERNO Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular ECONOMIA MUNDIAL E COMÉRCIO EXTERNO Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Relações Internacionais 3. Ciclo de Estudos 1º

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA Diploma: CIVA Artigo: Assunto: 9º. FICHA DOUTRINÁRIA Enquadramento sujeição a IVA - Operações realizadas por um banco de células privado, quando factura esperma e ovócitos humanos a um cliente - quer seja

Leia mais

O contributo das ciências sociais e médicas para o estudo da infertilidade

O contributo das ciências sociais e médicas para o estudo da infertilidade O contributo das ciências sociais e médicas para o estudo da infertilidade Paula Cristina A. Remoaldo (Departamento de Geografia) Helena Cristina F. Machado (Departamento de Sociologia) Universidade do

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA º 2 MÓDULO 2. Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Saúde Infantil

TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA º 2 MÓDULO 2. Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Saúde Infantil TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA º 2 MÓDULO 2 Curso Profissional de Técnico de Apoio à Infância/Ensino Secundário Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Saúde Infantil Turma [I] do 10º Ano de Escolaridade

Leia mais

Estado da arte da regulação sanitária das terapias celulares

Estado da arte da regulação sanitária das terapias celulares Estado da arte da regulação sanitária das terapias celulares Daniel R. Coradi de Freitas Gerente-Geral da GGSTO/Anvisa Competência da Anvisa Lei 9.782/1999 Criação da Anvisa 1º Consideram-se bens e produtos

Leia mais

Unidade 1 - REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE

Unidade 1 - REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE Que modificações ocorrem no organismo feminino após a nidação? A nidação e as primeiras fases de gestação encontram-se sob estreito controlo hormonal. A hormona hcg estimula o corpo lúteo a produzir hormonas,

Leia mais

SIMPÓSIO. Aspectos gerais da reprodução assistida INTRODUÇÃO

SIMPÓSIO. Aspectos gerais da reprodução assistida INTRODUÇÃO SIMPÓSIO Aspectos gerais da reprodução assistida Roger Abdelmassih A esterilidade atinge aproximadamente 20% dos casais e nos últimos anos houve intenso desenvolvimento de tecnologias, drogas e condições

Leia mais

Técnicas de Reprodução Assistida

Técnicas de Reprodução Assistida Manipulação da Fertilidade Técnicas de Reprodução Assistida Juliana, nº19 Elisa, nº20 Tânia, nº26 12ºA Técnicas complementares 1. Indução da ovulação Geralmente, antes de realizar qualquer processo de

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º./XII/1.ª

PROJECTO DE LEI N.º./XII/1.ª Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º./XII/1.ª GARANTE O ACESSO DE TODAS AS MULHERES À PROCRIAÇÃO MEDICAMENTE ASSISTIDA (PMA) E REGULA O RECURSO À MATERNIDADE DE SUBSTITUIÇÃO, PROCEDENDO À SEGUNDA ALTERAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM nº 1.957/10

RESOLUÇÃO CFM nº 1.957/10 RESOLUÇÃO CFM nº 1.957/10 A Resolução CFM nº 1.358/92, após 18 anos de vigência, recebeu modificações relativas à reprodução assistida, o que gerou a presente resolução, que a substitui in totum. O CONSELHO

Leia mais

BIOLOGIA PROVA DE EXAME FINAL DE ÂMBITO NACIONAL DE 1. INTRODUÇÃO. Data: 31.05.05 Número do Processo: SE.03.03(II)/2005. 12.º Ano de Escolaridade

BIOLOGIA PROVA DE EXAME FINAL DE ÂMBITO NACIONAL DE 1. INTRODUÇÃO. Data: 31.05.05 Número do Processo: SE.03.03(II)/2005. 12.º Ano de Escolaridade INFORMAÇÃO N.º 03(II)/05 Data: 31.05.05 Número do Processo: SE.03.03(II)/2005 Para: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular Inspecção Geral de Educação Direcções Regionais de Educação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MARINA AUGUSTO HEUSCHKEL ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DA REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA NO BRASIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MARINA AUGUSTO HEUSCHKEL ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DA REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA NO BRASIL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MARINA AUGUSTO HEUSCHKEL ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DA REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA NO BRASIL CURITIBA 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MARINA AUGUSTO HEUSCHKEL ASPECTOS

Leia mais

Sistema Reprodutor e Tecnologia da Reprodução Medicamente Assistida

Sistema Reprodutor e Tecnologia da Reprodução Medicamente Assistida MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA BIOMÉDICA DISCIPLINA DE ANATOMIA E HISTOLOGIA Sistema Reprodutor e Tecnologia da Reprodução Medicamente Assistida Carlos Plancha Instituto de Histologia e Biologia do Desenvolvimento

Leia mais

Referência. A prevenção na nova DQ. Conteúdo. PREVENÇÃO de resíduos. PREVENÇÃO - definição. Registo Público dos Documentos do Conselho

Referência. A prevenção na nova DQ. Conteúdo. PREVENÇÃO de resíduos. PREVENÇÃO - definição. Registo Público dos Documentos do Conselho Referência Registo Público dos Documentos do Conselho http://register.consilium.europa.eu/ PROGRAMAS DE PREVENÇÃO DE RESÍDUOS Susana Xará historial da proposta dossier interinstitucional: 2005/0281 permite

Leia mais

Reprodução humana assistida

Reprodução humana assistida UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ARTES, CIÊNCIAS E HUMANIDADES Reprodução humana assistida Disciplina Temas aplicados às Tecnologias Reprodutivas ACH 5024 Profa. Flora Maria B. Silva Sempre se pensou

Leia mais

Estratégias de preservação da fertilidade em pacientes com câncer. Iúri Donati Telles de Souza Especialista em Reprodução Humana USP Ribeirão Preto

Estratégias de preservação da fertilidade em pacientes com câncer. Iúri Donati Telles de Souza Especialista em Reprodução Humana USP Ribeirão Preto Estratégias de preservação da fertilidade em pacientes com câncer de mama Iúri Donati Telles de Souza Especialista em Reprodução Humana USP Ribeirão Preto Câncer de mama e fertilidade Por que? Como o tratamento

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA Programa da Unidade Curricular MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO E INTERVENÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS E Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Serviço Social (1º Ciclo) 2. Curso Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MERCADOS FINANCEIROS Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MERCADOS FINANCEIROS Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular MERCADOS FINANCEIROS Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Economia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ARQUITECTURA I Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ARQUITECTURA I Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular ARQUITECTURA I Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Arquitectura 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular ARQUITECTURA I

Leia mais

PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano

PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) Ano lectivo 2014-2015 Introdução PROGRAMA DIREITO DA ECONOMIA 3.º Ano Professor Doutor Nuno Cunha Rodrigues DIREITO DA ECONOMIA PROGRAMA Setembro 2014

Leia mais

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CONCURSO PÚBLICO N.º 3.09 CADERNO DE ENCARGOS

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CONCURSO PÚBLICO N.º 3.09 CADERNO DE ENCARGOS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CONCURSO PÚBLICO N.º 3.09 CADERNO DE ENCARGOS (Conforme art.42º do Decreto Leinº18/2008 de 29 de Janeiro de 2008) Cláusula 1.ª Objecto 1. O presente

Leia mais

Conduta no endometrioma na mulher que quer engravidar. Dr. Iúri Telles

Conduta no endometrioma na mulher que quer engravidar. Dr. Iúri Telles Conduta no endometrioma na mulher que quer engravidar Endometrioma em pacientes com prole definida Se dor: Laparoscopia com excisão completa da cápsula Se não tem dor: conduta expectante ativa USTV e CA125

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Formação Profissional Ficha Técnica Título Programa de Metodologia do Ensino de Matemática

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA ARQUITECTURA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA ARQUITECTURA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA ARQUITECTURA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Arquitectura 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular HISTÓRIA

Leia mais

DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO E ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE EMPREGO DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE ORIENTAÇÃO E COLOCAÇÃO DIREÇÃO, I.P.

DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO E ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE EMPREGO DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE ORIENTAÇÃO E COLOCAÇÃO DIREÇÃO, I.P. DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO E ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE EMPREGO DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE ORIENTAÇÃO E COLOCAÇÃO DIREÇÃO, I.P. Técnico Superior (m/f) Licenciatura na área das ciências

Leia mais

Estimulação Ovariana. Dr. João Pedro Junqueira

Estimulação Ovariana. Dr. João Pedro Junqueira Estimulação Ovariana Dr. João Pedro Junqueira Abordagem da Paciente com Baixa Resposta Prof Dimitris Loutradis,, (GRC) Abordagem da Paciente com Baixa Resposta Definição 1) < 3 53 5 folículos dominantes

Leia mais

HORÁRIOS PROVISÓRIOS 2016 ENSINO FUNDAMENTAL 2 6º ANO MANHÃ HORÁRIO AULA SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 7:20 ÀS 8:10

HORÁRIOS PROVISÓRIOS 2016 ENSINO FUNDAMENTAL 2 6º ANO MANHÃ HORÁRIO AULA SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 7:20 ÀS 8:10 6º ANO MANHÃ ÀS ÀS 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª GEOMÉTRICO/ / Ruth 7º ANO MANHÃ TURMA 01 1ª 2ª ÀS ÀS 3ª 4ª 5ª GEOMÉTRICO/ / Ruth 7º ANO MANHÃ TURMA 02 1ª ÀS ÀS 2ª 3ª 4ª 5ª / Ruth 8º ANO MANHÃ 1ª 2ª ÀS ÀS ÀS 12:50 3ª

Leia mais

Uso de Citrato de Clomifeno: existe abuso?

Uso de Citrato de Clomifeno: existe abuso? Hospital Regional da Asa Sul (HRAS) Setor de Reprodução 46 o Congresso Humancopia de Ginecológica Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal Uso de Citrato de Clomifeno: existe abuso? Natalia I. Zavattiero

Leia mais

Dialogando com um Centro de Reprodução: A preservação de gametas hoje. Rita Figueira, PhD, TS(ABB)

Dialogando com um Centro de Reprodução: A preservação de gametas hoje. Rita Figueira, PhD, TS(ABB) Dialogando com um Centro de Reprodução: A preservação de gametas hoje. Rita Figueira, PhD, TS(ABB) Conceito e Objetivo: Conceito Criopreservação é um processo onde células ou tecidos biológicos são preservados

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO PREPARATÓRIO 2016 / PROGRAMA DA DISCIPLINA DE BIOLOGIA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE ANGOLA INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO PREPARATÓRIO 2016 / PROGRAMA DA DISCIPLINA DE BIOLOGIA OBJECTIVOS ESPECÍFICOS: 1. CONHECER: a) Conceitos fundamentais utilizados em Biologia; b) Os níveis de organização da matéria viva; c) A célula como a unidade morfo-funcional de todos seres vivos; d) Os

Leia mais

A PMA E AS TRANSFORMAÇÕES NA FAMÍLIA

A PMA E AS TRANSFORMAÇÕES NA FAMÍLIA PMA: Presente e Futuro. Questões Emergentes nos contextos Científico, Ético, Social e Legal A PMA E AS TRANSFORMAÇÕES NA FAMÍLIA Anália Cardoso Torres Professora Catedrática do ISCSP Instituto Superior

Leia mais

adota a seguinte Consulta Pública e eu, Diretor-Presidente Substituto, determino a sua publicação:

adota a seguinte Consulta Pública e eu, Diretor-Presidente Substituto, determino a sua publicação: Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública nº 41, de 26 de julho de 2006. D.O.U de 28/07/2006 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

Oficina EVIPNet Brasil: Política informada por evidências

Oficina EVIPNet Brasil: Política informada por evidências Oficina EVIPNet Brasil: Política informada por evidências II Congresso Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde EVIPNet Global, Américas e Brasil Belo Horizonte, outubro 2013 Fundamentos

Leia mais

Congelamento de Todos os Embriões? (Freeze-all?) Aba Maheshwari

Congelamento de Todos os Embriões? (Freeze-all?) Aba Maheshwari Congelamento de Todos os Embriões? (Freeze-all?) Aba Maheshwari Você acha que é o momento de modificar a FIV, adotandose o congelamento de todos os embriões e transferência em um ciclo de descongelamento?

Leia mais

O DIREITO A IDENTIDADE GENÉTICA NA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL HETERÓLOGA

O DIREITO A IDENTIDADE GENÉTICA NA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL HETERÓLOGA O DIREITO A IDENTIDADE GENÉTICA NA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL HETERÓLOGA MARCELA NEVES MENDONÇA Graduanda em Direito da Unifacs SAMUEL FRÓES CASEMIRO MENDES Graduando em Direito da Unifacs Sumário: Introdução;

Leia mais

SPQ O Sistema Português da Qualidade

SPQ O Sistema Português da Qualidade SPQ O Sistema Português da Qualidade Jorge Marques dos Santos, Nov/2005 IPQ Instituto de direito público, sob tutela do Ministério da Economia e Inovação Dec. Lei nº 140/2004, de 8 de Junho Portaria nº

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 100/XII/1.ª

PROJECTO DE LEI N.º 100/XII/1.ª Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 100/XII/1.ª GARANTE O ACESSO DE TODAS AS MULHERES À PROCRIAÇÃO MEDICAMENTE ASSISTIDA (PMA) E REGULA O RECURSO À MATERNIDADE DE SUBSTITUIÇÃO, PROCEDENDO À SEGUNDA ALTERAÇÃO

Leia mais

Embriões Excedentários O Destino do Excesso

Embriões Excedentários O Destino do Excesso Embriões Excedentários O Destino do Excesso Ana Catarina Guise Estudante de Mestrado Integrado em Engenharia Biomédica, Universidade do Minho RESUMO Com o avanço da ciência, novas técnicas de reprodução

Leia mais

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Nome PEREIRA, LUCÍLIA DOS SANTOS NUNES Morada 301, ORTIGOSA, EDIFÍCIO OÁSIS, 5100-076, LAMEGO, PORTUGAL Telefone 254 688 476 Telemóvel 963 481 872

Leia mais

Departamento de Ciências da Educação Licenciatura em Educação de Infância 3º Ano

Departamento de Ciências da Educação Licenciatura em Educação de Infância 3º Ano Departamento de Ciências da Educação Licenciatura em Educação de Infância 3º Ano Programa da disciplina de Oficina de Materiais Educativos Ano lectivo 2008/2009 3 horas semanais Docente: Prof. Doutor Paulo

Leia mais

ESPERMOGRAMA e BANCO DE SÊMEN BS-HIAE

ESPERMOGRAMA e BANCO DE SÊMEN BS-HIAE ESPERMOGRAMA e BANCO DE SÊMEN BS-HIAE ESPERMOGRAMA! COLETA DO SÊMEN! ANÁLISE MACROSCÓPICA! ANÁLISE MICROSCÓPICA! ANÁLISE DA VITALIDADE! ANÁLISE MORFOLÓGICA! ANÁLISE DAS CÉLULAS REDONDAS! ANÁLISE BIOQUÍMICA!

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE SAÚDE NAS DOENÇAS REUMÁTICAS EM PORTUGAL: PRIMEIROS RESULTADOS DO ESTUDO EPIREUMAPT

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE SAÚDE NAS DOENÇAS REUMÁTICAS EM PORTUGAL: PRIMEIROS RESULTADOS DO ESTUDO EPIREUMAPT UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE SAÚDE NAS DOENÇAS REUMÁTICAS EM PORTUGAL: PRIMEIROS RESULTADOS DO ESTUDO EPIREUMAPT Pedro Laires 1 ; Helena Canhão 2 ; Nélia Gouveia 1 ; Jaime Branco 3 1 Equipa de Investigação

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Gestão de Recursos Humanos 3. Ciclo de Estudos 1º

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Ciências Empresariais Licenciatura Ciências Económicas e Empresariais / Contabilidade Unidade Curricular Introdução à Contabilidade Semestre: 1 Nº ECTS: 6,0 Regente

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PROTOTIPAGEM Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PROTOTIPAGEM Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular PROTOTIPAGEM Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Design 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular PROTOTIPAGEM (L5020) 5.

Leia mais

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Redução de Taxa Contributiva Pré Reforma (2005 v4.03) PROPRIEDADE Instituto da

Leia mais