TTodos sabemos que os verd a d e i ros sucessos empresariais são fruto de apostas de longo prazo. O trabalho de fundo que é necessário para se SER

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TTodos sabemos que os verd a d e i ros sucessos empresariais são fruto de apostas de longo prazo. O trabalho de fundo que é necessário para se SER"

Transcrição

1 Janeiro

2 3 TTodos sabemos que os verd a d e i ros sucessos empresariais são fruto de apostas de longo prazo. O trabalho de fundo que é necessário para se SER uma empresa de sucesso, nada tem a ver com técnicas, por vezes usadas, apenas para PARECER uma excelente empresa. Nada substitui o verd a d e i ro valor de quem laboriosamente vai criando, conceito após conceito, sucesso após sucesso, uma verdadeira relação de confiança com o m e rcado: com os clientes que recebem o benefício directo das soluções para o seu negócio, com os accionistas que vêem aumentado o seu património, com os c o l a b o r a d o res que conhecem uma valorização para a respectiva carre i r a. PARECER é curto prazo, SER é longo; PARECER é circunstância, SER é substância; PARECER é imagem, SER é conteúdo. Não sub-valorizemos a força do PARECER na sociedade de imagem em que vivemos. Mas vejamo- -la como um complemento imprescindível é certo mas apenas como um complemento do SER. A Novabase sempre teve esta atitude: pre p a r a r, constru i r, satisfazer, divulgar. Por esta ord e m e com rigor. Fomos pioneiros no desenvolvimento rápido, sofisticado e à medida de grandes sistemas de i n f o rmação. Fomos os primeiros em Portugal a certificar um processo produtivo desse tipo de sistemas. Fomos pioneiros em Portugal na construção de soluções modernas de Suporte à Decisão, Qualidade de Dados, Sistemas de Informação Hospitalares, Telemedicina, CRM, e de tantas outras áreas. Juntámos na mesma equipa os colegas da Octal, pioneiros mundiais em infra- - e s t ruturas para TV Interactiva. Realizámos a nossa bem sucedida operação de entrada em Bolsa. Estamos a cumprir os objectivos que prometemos aos nossos accionistas a propósito dessa operação. Ganhámos o primeiro concurso para fornecimento de set-top-boxes. No final do terc e i ro trimestre, já tínhamos aumentado o rganicamente o nosso volume de negócios em mais de 45% face aos n ú m e ros homólogos do ano anterior; contando com aquisições, aumentámo-lo mais de 100%. E tudo isto num ano em que alguns analistas p revêem que o mercado cresça entre 0 e 5%. Continuamos a juntar mais valências ao nosso projecto empre s a r i a l. Recentemente passámos a ter connosco a Praetor. Depois da parc e r i a com a José de Mello Saúde e da entrada da PT Multimedia e PTM.com no capital da Octal TV, temos uma nova joint-venture, desta vez no domínio do CRM, com a Telecel. Criámos com a PTM.com o Supere m p rego.pt. Fomos ao Brasil onde já temos os primeiros clientes e onde criámos a Novabase do Brasil. Lançámos o nosso ASP (Application S e rvice Provider) de aplicações sofisticadas: mais um negócio em que somos pioneiro s. Divulgamos as nossas realizações com orgulho, com rigor e no re s p e i t o pelos nossos deveres para com o mercado de capitais. Criámos mais e m e l h o res meios para satisfazer os i n t e resses, necessidades e ambições dos nossos colaboradores: stock options, estudos de clima e valores organizacionais, employee care, apresentações internas, jornal intern Escutamos atentamente as opiniões dos nossos clientes. Criámos/ modernizámos os nossos meios de divulgação: site web, re v i s t a e x t e rna e-motion. Divulgamos a nossa actividade técnica e as novas tendências do nosso mercado através de uma série de eventos técnicos. A p e rfeiçoamos continuamente o nosso modelo de organização e de gestão. Celebramos continuamente novas parcerias de capital em novos negócios com os pro m o t o res do desenvolvimento dos mesmos. Mais do que PARECER, queremos, acima de tudo, SER. Rogério Carapuça, Presidente, Novabase SGPS r o g e r i o. c a r a p u c n o v a b a s e. p t L O G I N

3 4 e-motion, edição nº 2. J a n e i ro de Publicação da Unidade de Marketing & Communication da Novabase SGPS. Di rector: Manuel Beja. E d i t o r a : Algébrica). Agradecemos a todos os que colaboraram nesta edição da e-motion: António José Caroço, António Mendes, Carlos Parreira, David Sovie, Rocha, Mário Gaspar, Marta Canário, Miguel Rolo, Paula Lopes, Paulo Trigo, Pedro Tropa, Raul Junqueiro, Rui Almeida, Sérgio Baptista, To rre 1-9º Lisboa. Tel Fax Janeiro 2001

4 6, 7 Novi d a de s C e l focus e Praetor A Celfocus é uma nova empresa dedicada ao sector das telecomunicações, com uma oferta de soluções de CRM. A Praetor foi adquirida pela Novabase Suporte à Decisão, re f o r ç a n d o a oferta da Novabase, por exemplo, em soluções e orçamentação de análise financeira para o mercado de Investment Banking Novabase ASP R evela objectivos de negócio Miguel Rolo, Administrador Executivo da Novabase ASP, explica o negócio desta nova empresa, criada há um ano com o objectivo de constituir uma oferta de ASP para as PMEs e dot.coms. 16 E lei ç õ e s Regionais nos A ç o re s A Novabase Desenvolvimento à Medida apoiou, uma vez mais, as eleições regionais dos Açores garantindo o sucesso da cadeia de inform a ç ã o estabelecida para as mesmas. O acompanhamento do processo eleitoral foi feito desde a sua concepção até à última contagem, assegurando ainda a divulgação de inform a ç ã o. Novabase A S P O pri m e i ro Quality of Service A S P Os ASPs re p resentam a nova geração de empresas de serviços associados à internet e estão a revolucionar a forma como as organizações compram e acedem a aplicações e serviços informáticos. Conheça o Novabase ASP. 13,18,19 ASPs e Econom i a D igita l Em três opiniões P e d ro Tropa, Enterprise Server Solution Manager da IBM, analisa, na pág. 13, os desafios do mercado ASP. Na pág. 18, David Sovie e John Hanson, Vice Presidentes no Grupo CIE da M e rc e r, falam sobre as verd a d e i r a s á reas de lucro dos ASPs e na pág. 19, Ra ul J unq ue iro, Pre s i d e n t e da APDC, apresenta os desafios da Economia Digital. 10 in Forre s ter Re s e a rch O conceito de A S P Este artigo apresenta uma análise s o b re o conceito ASP feita pela M e n t o r.it com o recurso a estudos da Forrester Research que abord a m o mercado de ASPs e a evolução dos modelos de negócio e de actividade. 20 Novabase A S P e SAP em parceri a Em Portugal dão-se os primeiro s passos no mercado de ASPs. Esta p a rceria coloca as duas empre s a s em destaque na oferta de soluções S A P, através de um novo canal que vai dar grandes mais valias às PMEs. Esta é a convicção de Joaquim Santos, Dire c t o r-geral Adjunto da SAP. Sofia Moreira. Redacção: Cândida Luzia ( G rupo Algébrica) Design: Céu Dias e Emanuel Rosa ( G rupo Algébrica). Produção: Carlos Rebelo ( G ru p o Duarte Sousa, Isabel Roquette, João Machado Costa, João Pedro Silva, Joaquim Santos, John Hanson, Luís Paulo Bacalhau, Marc e l o Sérgio Sousa, Sofia Esteves, Susana Martins. Publicação gratuita. Tiragem: 4000 exemplare s. Contactos: Av. Engº Duarte Pacheco, Amore i r a s, H O M E P A G E

5 6 C e l focus ofe rece CRM para Te l e c o mu n i c a ç õ e s A Cfocus, empresa Novabase, e a Telecel, constituíram a Celfocus, uma e m p resa que tem como objectivo o desenvolvimento e comerc i a l i z a ç ã o de soluções de Customer Relationship Management (CRM) destinadas ao Sector das Telecomunicações, a nível nacional e i n t e rn a c i o n a l. Constituída a 20 de Outubro deste ano, a Celfocus, cujo capital é detido, aproximadamente, em 55% pela Cfocus e em 45% pela Telecel, tem já assegurado um contrato inicial de prestação de serviços à Telecel avaliado em 3,74 milhões de euros. O contrato, que inclui serviços de análise, desenvolvimento, implementação e suporte de aplicações e soluções CRM e de Middleware, poderá vir a incluir outros operadores do grupo Vodafone, ao qual p e rtence a Telecel. A criação da Celfocus reveste-se de extrema import â n c i a uma vez que surge numa altura em que o mercado apresenta uma concorrência extremamente agressiva, motivada pelo surgimento de novos operadores e para os quais o cliente tem um lugar de destaque. Além disso, a Intern e t influencia a forma como os operadores têm de se relacionar com os seus clientes, tornando-se num canal que permite efectuar Venda e Serviço, em complemento ao tradicional Call-Center e ao processo de venda dire c t a com agentes ou vendedores. Neste enquadramento, refira-se que os operadores têm ainda que acompanhar o surgimento de novas tecnologias como o UMTS, responsáveis por alterações de fundo no m e rcado das Telecomunicações, o que os leva consecutivamente a esforços acrescidos para implementare m essas tecnologias e conceberem novas ofertas de serviço. Face a esta dinâmica de mercado, torna-se essencial disponibilizar plataformas abrangentes que permitam gerir o ciclo de Vendas, Serv i- ço e Marketing e que A Celfocus é especialista na análise, d e s e n v o l - mento do negócio. sustentem o desenvolvi- Segundo os analistas da vimento e implementação de plataformas CRM dados da AMR Researc h, M e n t o r. I T, baseados em Inc., o mercado mundial no mercado vertical de de CRM nas Te l e c o m u- Te l e c o m u n i c a ç õ e s nicações é estimado em milhões de euro s em 2001 e em milhões de euros em As estimativas para o merc a d o e u ropeu para os anos de 2001 e 2003 são, re s p e c t i v a m e n t e, de 850 milhões de euros e milhões de euro s. Por tudo isto, o objectivo da Celfocus é ser uma empre s a altamente especializada na análise, desenvolvimento e implementação de plataformas CRM no mercado vert i c a l de Telecomunicações, contando com uma equipa com p rofundos conhecimentos no sector e com o domínio da tecnologia CRM. Paulo Trigo - B R E w w w. fa rm a c i a e m p o rt u g u e s. o rg Pa r c e ria entre a Brisa e a Novab a s e Ford escolhe solução da A m b e o A Novabase Saúde e a Ordem dos Farmacêuticos estabeleceram uma parceria para operacionalizar a iniciativa Farmácia em Port u g u ê s (w w w. f a rm a c i a e m p o rt u g u e s. o rg ), um portal que será um canal de informação para os profissionais de saúde da Comunidade de Países de Língua P o rt u g u e s a. A Octal, participada da Novabase, e a Briser, participada da Brisa, assinaram uma parceria para pro m o- ver o uso da tecnologia da Vi a Ve rde em soluções para parques de e s t a c i o n a m e n t o. A Ford Motor Company vai utilizar o (i)onwhy eservice da Ambeo para optimizar o ambiente Teradata com que trabalha e medir a perf o rmance e analisar as iniciativas críticas de CRM que desenvolvem. O (i)onwhy faz análise em tempo real da perf o rm a n- ce das aplicações e apresenta re - latórios, entre outras funções. Janeiro 2001

6 7 N ovabase Suporte à Decisão adquire Praetor Sintonia de valores Praetor Com a aquisição da Praetor, a Novabase Suporte à Decisão complementa a sua oferta com um crescimento de pessoas e competências que visam aumentar a massa crítica e o k n o w - h o w, essenciais à criação de soluções inovadoras e únicas, de alto valor acrescentado para os seus clientes. A oferta sai reforçada em conceitos de custeio ABC/ABM, em controlo de orçamentação, em metodologia Balanced S c o re c a rd e em soluções e orçamentação de análise financeira para o mercado de Investment Banking. Assim, a Novabase Suporte à Decisão, empresa líder neste sector do mercado das TIs (Tecnologias de Inform a ç ã o ) em Portugal, passa a contar com novos clientes, oriundos da P r a e t o r, nomeadamente a Companhia de Seguros Império (cliente Praetor há 5 anos, relação que pro p o rcionou a criação do 1º Balanced Score c a rd automatizado em Port u g a l ), os CTT (com 6 anos de parceria), a CMVM (com um sistema de análise de fundos disponibilizado aos utentes via We b ), o Ministério da Administração Interna (com um sistema de c o n t rolo orçamental, suportando múltiplos orçamentos), a Singer (com um sistema de informação comercial e de resultados operacionais), o DBI (Deustche Bank of Investment de Portugal), a NAV, Navegação Aérea de Port u g a l (com um sistema de informação de gestão integrado), a C o rticeira Amorim (com um Activity Based Costing) e o BES I n v e s t i m e n t o. A experiência dos profissionais da Praetor foi um factor de mais valia na concretização desta operação de fusão. Estes p rofissionais são possuidores de grandes conhecimentos nas diversas áreas de competência da empresa, todas elas c o m p l e m e n t a res às ofertas da Novabase. Esta aquisição não é mais do que o resultado natural de uma grande sintonia de valores e objectivos empresariais. Quer a Novabase quer a Praetor têm visões e posturas semelhantes face ao cliente, e este comportamento tem sido um factor positivo e dif e re n c i a d o r. A posição das duas empresas face aos re c u r s o s humanos também é idêntica. Para ambas, as pessoas são fundamentais para o sucesso de qualquer projecto de futuro, e este sentimento reflecte-se num esforço comum de pro p o r- cionar a todos os seus colaboradores a motivação e o bem estar necessários à garantia de qualidade do seu trabalho. A integração da Praetor vai reforçar o prestígio da marc a Novabase, aumentando a confiança dos clientes. J o ã o Rafael Silva - Soluções Praetor: Balanced Score c a rd Perf o rmance Management Activity Based Costing Costumer Relationship Analytics Soluções Financeiras para a Gestão de Activos e Passivos Consolidação Financeira Orçamentação Análise de Rentabilidade Database Marketing Análise de Perf o rm a n c e Competitive Inteligence Benchmarking Reporting Financeiro Gestão de Activos Financeiro s Segmentação Análise de Churn / A t r i ç ã o Marketing Automation V E S S i ebel Systems fo rnece ap l i c a ç õ e s para A S P Ixos fo rnece Exch a n g e A r ch i ve à Micro s o f t Hummingbird anuncia solução para advo g a d o s A Siebel Systems, fornecedor de aplicações de ebusiness, anunciou que a Mannesmann Ipulsys, o ASP da Mannesmann Ipulsys, escolheu aplicações Siebel como suporte para as suas vendas online, marketing e funcionamento, permitindo-lhe acelerar o tempo de entrega, aumentar os clientes e a qualidade do serv i ç o. A Ixos lançou uma nova versão do Ixos-Exchange Archive já concebido para Microsoft Exchange De acordo com a Ixos, esta nova versão incorpora um sistema de Arquivo Documental automático para todo o tipo de conteúdos, incluindo os provenientes da Web. A Hummingbird, empresa de soluções de Gestão Documental para empresas, em p a rceria com a Rowe & Maw, uma firm a de advogados inglesa, e a integradora Tikit, desenvolveu a solução KnowMaw. Esta faz a gestão de conteúdos documentais legais de uma empresa de advocacia, f o rnecendo o acesso através de um ponto único sob a filosofia de um P o rtal. U P D A T E

7 8 N ovabase vence Prémio Negócios 2000 A Novabase teve este ano grande destaque nos Prémios de Negócios 2000, atribuídos pelo jornal de Negócios, sendo eleita como a Sociedade Cotada do Ano. Rogério Carapuça, presidente da Novabase, foi também g a l a rdoado como vencedor da categoria Empreendedor do Ano. Nesta categoria, os restantes nomeados foram António Sousa Gomes (Cimpor), Francisco Murteira Nabo (PT), Jard i m Gonçalves (BCP), Paulo Azevedo (Sonae.com) e Pedro Queiro z P e reira (Semapa). A Novabase ficou à frente de empresas como o BCP, Brisa, Cimpor, Cisco e Portugal Te l e c o m. A Novabase descobre o Brasil A Novabase oficializou a sua pre - sença no Brasil com um evento realizado na Câmara do Comércio Luso-Brasileiro (São Paulo), no passado mês de Outubro, onde Rogério Carapuça (pre s i d e n- te da Novabase SGPS) e António Mendes (Dire c t o r-geral da Novabase no Brasil) foram os oradores de uma conferência sobre e-valor na Nova Economia, à qual assistiram diversos jornalistas e empre s á r i o s. Neste almoço-conferência estiveram presentes o Presidente da Casa de Portugal - Comendador António dos Ramos, o Cônsul Geral Português - Domingos Fezes Vital, e o Presidente da Câmara Portuguesa do Comércio no Brasil - Fernando Prado Ferreira. A Novabase Brasil já conta com clientes como a Telesp Celular (Grupo Portugal Telecom) e a Sonae Imobiliária (Grupo Sonae) e pretende continuar a expandir a sua actividade. Numa primeira fase, a Novabase Brasil vai apostar essencialmente na oferta de soluções de Business Intelligence, CRM (Customer Relationship Management), gestão empresarial (ERP) e e-business (nomeadamente, construção de portais). Ve rtical Market Research para a indústria da saúde A Mentor.IT e a Novabase Saúde acabam de lançar o Ve rtical Market Research(VMR), um s e rviço de análise sobre o desenvolvimento da indústria da saúde online. O VMR permite às empresas identificare m novas oportunidades de negócio online e d e f i n i rem o seu posicionamento face a essas o p o rtunidades. Além disso, possibilita-lhes a definição de cenários possíveis da sua evolução nesse merc a d o. Os estudos do VMR incluem duas secções principais: a análise do mercado da saúde online, onde são avaliadas as tendências em termos da utilização da Internet pelos diferentes players do mercado da saúde em geral e das farm a- cêuticas em part i c u l a r ; a monitorização da concorrência (secção configurável do VMR), onde são feitas análises do tipo de conteúdos disponibilizados na Internet e da forma como estão a ser exploradas todas as potencialidades d a I n t e rnet pelas empresas do sector, c o m- parando a sua presença com a da sua c o n c o rrência. Janeiro 2001

8 9 Resultados do terceiro tri m e s t re Novabase em crescimento constante O volume de negócios consolidado da Novabase SGPS no terc e i ro t r i m e s t re de 2000 foi de milhões de euros, apre s e n t a n d o um crescimento de 107% face ao período homólogo do ano a n t e r i o r. Os resultados líquidos consolidados atingiram milhões de euros, um incremento de 508% relativamente ao penúltimo trimestre de A margem de resultados antes de impostos, juros, amortizações e provisões foi de milhões de e u ros, tendo aumentado 73% em relação ao período homólogo do ano anterior. Estes resultados superam as estimativas re a l i z a d a s para este período. Tendo em conta a facturação de 1999 das e m p resas que em 2000 aderiram à Novabase, o crescimento do volume de negócios foi de 45%, em linha com o cre s c i m e n t o anual registado nos últimos oito anos. Novo portal www. s u p e r e m p r e g o. p t S u p e re m p rego, S. A. é o nome da joint-venture recentemente constituída pela Novabase, PTM.com e Talent Man a g e r, para a criação de uma plataforma de s e rviços de re c ru t a- mento electrónico em P o rtugal. O primeiro p rojecto resultante desta parceria é um port a l dedicado ao e-re c rutamento de recursos humanos, que pode ser acedido sob o domínio www. s u p e re m p rego.pt. Este port a l p e rmitirá a quem procura emprego registar vários Curr i c u l u m Vitae (CVs) e cartas de apresentação com fotografias e conteúdos vídeo. Os candidatos terão acesso a todas as oportunidades de emprego divulgadas através da rede da Ta l e n t Manager (Itália, Espanha, França e Reino Unido). Quanto às empresas, que utilizem este serviço para publicar as suas ofertas de emprego, vão ter à disposição engenhos de pesquisa para seleccionar, listar e gerir CVs através de um sistema automático apropriado, o que lhes permitirá reduzir o tempo e os custos do processo de re c ru t a m e n t o. Oversite gere conteúdos a colocar na Internet Dada a necessidade de actualização constante de sites e port a i s, a Novabase P o r- to lançou o O v e r- site, uma aplicação de fácil manuseamento, que permite colocar na web a estratégia de comunicação da empresa, em várias l í n g u a s. O Oversite pode ser adaptado aos mais diversos ambientes e p e rmite as seguintes funcionalidades: distribuir re s p o n s a b i l i d a - de pelo conteúdo do portal às divisões da organização que detêm esse conteúdo; centralizar o processo através de uma actualização automática e continuada de novos conteúdos; gerir e automatizar o site de modo a assegurar e auditar o cumprimento das regras impostas. E ainda, dirigir os conteúdos a várias pessoas na organização para que c o l a b o rem no seu desenvolvimento e aprovação. C o m p l e m e n t a rmente, são ofere c i- das diversas funcionalidades como a possibilidade de intro d u z i r um serviço de pesquisa textual em todos os conteúdos do site, criar mailling-lists e criar zonas de publicidade (que podem dar acesso a links internos ou externos). O Oversite oferece também segurança em todas as operações. Apesar do Oversite ser uma aplicação simples de utilizar, a Novabase Porto disponibiliza serv i ç o s c o m p l e m e n t a res de apoio ao cliente como consultadoria, alojamento do site, formação e desenvolvimento à medida dentro da e s t rutura do produto e manutenção. Rui Almeida - U P D A T E

9 10 Há dias, em conversa com um amigo, ele contava-me a história de um cliente que de cada vez que colocava um anúncio de emprego num jorn a l recebia centenas de curr í c u l o s. Como não dispunha de tempo para os analisar a todos, pegava no excedente e deitava fora sem ler, justificando-se que não necessitava de candidatos sem sort e. A s s e g u rei-me imediatamente que este cliente não operava no sector das tecnologias de informação, porque neste sector esta história não faz nenhum sentido. A escassez de recursos qualificados é muito grande e a tendência aponta para um agravamento substancial desta situação. Esta história ajudou-me a perceber que ao contrário do que a f i rmam alguns, o conceito de ASP não é uma re v i s i t a ç ã o do conceito de Outsourcing global, tal qual nos era apresentado nas décadas de 80 e princípios de 90, mas agora t o rnado possível pelas novas tecnologias. O modelo ASP é uma inevitabilidade. A questão da escassez de re c u r s o s, aliada às exigências que as novas aplicações de ecommerc e suscitam (e que lhes encarece o custo de operação) e à flexibilidade que é exigida aos novos negócios das empre s a s, t o rnaram obrigatório o aparecimento de um novo modelo de negócios em que o velho paradigma de que é necessário ser dono de tecnologia para se usar tecnologia é substituído por outro mais flexível que expande o espectro de altern a t i v a s. Apesar de tudo, estes dois modelos assemelham-se na form a embora divergindo no conteúdo. O outsourcing global tradicional focava-se numa ideia fundamental: a re s p o n s a b i l i d a d e. A proposta de valor do o u t s o u rcer era: Os seus problemas de IT acabaram porq u e nós geriremos o seu sistema. Na realidade os sistemas eram os mesmos, as máquinas as mesmas, os skills eram os mesmos, e subjacente à ideia não se encontrava nenhuma s i n e rgia pelo facto de uma mesma empresa poder efectuar o outsourcing de um conjunto de organizações. O que AS P Janeiro 2001

10 11 t o rnava a ideia apetitosa era o facto de os fatídicos p roblemas da informática terem agora um responsável, o o u t s o u rc e r. Para este, o cash flow positivo desde o dia 1 do acordo, era recompensa bastante pela re s p o n s a b i l i- dade adquirida. A base do acordo estava minada por esta p remissa negativa e por isso as experiências Flexibilidade As empresas virtuais que sempre foram o sonho de alguns empresários, montadas para fins específicos e por períodos de tempos que perm i t i s s e m cumprir os seus objectivos, sempre foram miragens devido ao custo da tecnologia. Os ASPs permitem alugar a tecnologia, sem investimentos financeiro s avultados. Por outro lado a flexibilidade de que conhecemos acabaram por deixar As empresas espera m mudar de tecnologia, ou de subir um pata- um certo sabor a fracasso. mar em termos de serviço é bastante maior de um ASP o serv i ç o Os ASPs de hoje aparecem tendo por base se não existirem barreiras tecnológicas como p remissas positivas, de criação de re l a ç õ e s c o m p l e t o, desde a hoje em dia. em que ambos os intervenientes ganham e Conectividade - Poder aceder via um implementação até assentes nos seguintes drivers principais: b rowser de qualquer parte do mundo, e a Velocidade Time to market Enquanto ao desenvolvimento qualquer hora aos sistemas corporativos é na velha economia os processos de transição poderiam demorar meses a gizar e para os seus clientes. uma vantagem quer para as empresas quer à medida i m p l e m e n t a r, hoje em dia trabalha-se à velocidade da Internet - se não se coloca a estratégia na rua rapidamente, alguém o faz antes de nós. O roll-out dos processos tem de ser feito em semanas. Foco Li b e rtar os elementos mais valiosos da empre s a para tarefas de maior valor acrescentado e focá-las no desenvolvimento do negócio e não nas tecnologias. Por o u t ro lado, os escassos recursos de IT passam de mero s i n t é r p retes a orq u e s t r a d o re s. Escalabilidade Os ASPs vêm colocar no mercado a possibilidade de usar o último grito da tecnologia mesmo às empresas que tipicamente estão relegadas para estruturas tecnológicas de segunda escolha. A SAP com iniciativas como o MySap.com e a Oracle com o Business on line, colocaram às PME o desafio de competire m com as grandes empresas em termos de estru t u r a t e c n o l ó g i c a. R E P O R T

11 12 P reço Last but not least - O derr a d e i ro argumento: evitar o investimento inicial em licenças, máquinas etc. e pagar tudo em suaves prestações mensais à medida que se vai u s a n d o. Executive visibility in to the firm is limited to financial, backward-looking data, which blocks out forw a rd - l o o k i n g operational and external data F i n a n c i a l m e a s u re m e n t s S u p p l y D e m a n d C u s t o m e r S a t i s f a c t i o n Se olharmos para o gráfico anterior, que reflecte a opinião que as empresas têm do ASP, percebemos que os principais motivos pelos quais este serviço é perc e p c i o n a d o positivamente têm a ver precisamente com essa vocação e capacidade Eles conseguem fazê-lo e nós não. E são as garantias de nível de serviço que determinam o uso de ASP conectividade, experiência, segurança, etc. Mas afinal, o que esperam as empresas de um ASP? De a c o rdo com a Forrester Research, esperam o serv i ç o completo. Desde a implementação, à migração dos dados, gestão das aplicações e redes, até ao desenvolvimento à medida de funcionalidades específicas. Executive line of sight What services do you expect from an ASP? Fonte: Forrester Research (re p resentada pela Mentor. I T, empresa novabase) I m p l e m e n t a c i o n R e p o rt p ro c e s s i n g 8 0 % 8 0 % A revisão destes drivers obriga a uma reflexão: para além das métricas puramente financeiras, outras mais adequadas a avaliarem a opção por um ASP, como melhorias na cadeia de fornecimento, melhorias no serviço a clientes deverão ser equacionadas. Então eu vou colocar aquilo que mais tenho de pre c i o s o que são os dados sobre a minha facturação e os meus clientes nas mãos de terc e i ro s? É a pergunta clássica e inevitável de cada vez que se fala em outsourcing de aplicações. A resposta clássica e mais ou menos inevitável, envolve fazer a analogia com um banco, onde depositamos aquilo que ainda nos é mais precioso o nosso dinheiro. P a rece-me uma resposta menos boa porque não assenta em nenhum critério de valor objectivo. Trata-se de estender um hábito, sem nos interro g a rmos se esse hábito está c o rre c t o. Na minha opinião a resposta correcta é que o ASP tem vocação e capacidade para prestar a este nível um serv i ç o bem mais completo que aquele que as org a n i z a ç õ e s sozinhas conseguem pre s t a r. What motivated you to use a third - p a rty hoster? n = C o n n e c t i v i t y 26 E x p e rt i s e 21 S e c u r i t y 24 B a c k u p 18 C o s t 25 M a n a g e m e n t 19 Low motivation High motivation Fonte: Forrester Researc h M i g r a t i o n 78 % Backups and re s t o re s 78 % Load balancing 77 % C u s t o m i z a t i o n 75 % Networking management 75 % Ta i l o r i n g 75 % P e rcent of 60 companies interviewed (multiple responses accepted) Fonte: Forrester Researc h E esperam uma proposta de valor consistente adequado à dimensão do mercado alvo a que se destina o serviço. Um relatório recente da Forrester citava um executivo de uma grande empresa de tecnologia que, virando-se para um potencial cliente, lhe perguntou O que podemos fazer para tornar a nossa oferta de ASP atractiva para si? Ao que ele respondeu que deveriam dar-lhe um preço pelo s e rviço inferior ao custo actual da sua solução. O executivo p e rguntou então qual era essa solução uma folha de excel instalada em 3 PC s. Hoje esta empresa focou o seu serviço ASP nas grandes e m p re s a s. Criou-se o mito de que o Hosting de aplicações é um s e rviço destinado às PME. De facto estas terão tudo a ganhar com este modelo, mas as grandes empresas que apenas começarão a equacionar este modelo à medida da obsolescência dos seus sistemas, começam hoje a autonomizar os seus novos negócios e vêem vantagem em comprar/alugar feito face a passar por processos mais ou menos dolorosos de implementações de software que podem demorar meses, e que ocupam o top management a 100%. Finalmente, como será a paisagem ASP nos próximos anos? Esta pergunta lembra um conto do mestre Arthur C. Janeiro 2001

12 Clark. Neste conto, algures no século XXV, uma nave espacial dá de caras com um planeta onde habita uma estranha criatura, que de cada vez que morre renasce das cinzas num estádio evolucionário superior. No último estádio que nos é descrito, esta criatura adquire v e rosimilhança com o Homem e no jogo do matar e morre r é abatida por um dos tripulantes da nave. O conto term i n a com o último sobrevivente a assomar-se à janela para ver qual o estádio evolutivo seguinte. Para perceber qual será este estádio no que respeita aos ASPs, re c o rro novamente à Forrester Research que pre v ê três alterações críticas na actividade dos ASPs até 2005: 1. Automatização de actividade Business to B u s i n e s s. As transacções controladas por máquinas ultrapassarão em número e em qualidade as transacções c o n t roladas por Homens. As razões são mais ou menos consensuais: maior capacidade, flexibilidade e re l a c i o n a- mentos instantâneos. Os ASPs serão confrontados com a capacidade de pro p o rcionar este tipo de automatização aos seus clientes. Não chegará apenas a hospedagem de aplicações mas deverão ser hospedados os mecanismos que permitam que estes clientes comuniquem e transaccionem entre si. 2. Serviços multiplataforma serão disponibilizados para os utilizadore s. Enquanto os Estados Unidos adoptaram os PCs, a E u ropa adoptou os meios móveis como telefones WAP e vai rapidamente a caminho da televisão interactiva. Será a Europa a primeira a Até ao ano 2005 a cons u l t o ra Forrester Research exigir funcionalidade em p l a t a f o rmas móveis aos seus ASPs. Estes deverão p revê que na actividade criar serviços de valor a c rescentado que permitam integrar as forças dos ASPs ocorram algumas alterações críticas de trabalho móveis e disponibilizem a determ i n a - dos perfis de re s p o n s a- bilidade informação crítica no telemóvel, PDA, etc. 3. Novos modelos de negócio serão criados. A s novas ferramentas, ditas colaborativas, e os mecanismos transaccionais online, criarão nas empresas a apetência por reinventar os seus processos de negócio melhorando a sua eficiência em emarketplaces, eliminando custos, e criando mecanismos rápidos de colocação de novos p rodutos nas mãos do mercado. Surgirão novos intermediários que os ajudarão a servir os seus clientes. S é rgio Baptista, Director de Consultoria Mentor.IT - serg i o. b a p t i s t n o v a b a s e. p t Análise Mentor. I T / F o rrester Researc h Ed i t Os desafios do mercado A S P 13 O modelo de ASP (Application Service Provider) está a alterar a fo rm a como todos os clientes na Europa consideram a compra de softwa re ap l i c a c i o n a l. Os clientes estão cada vez mais interessados em inve s t i r nesta via altern at i va e nesta nova ab o r d agem do pro bl e m a.na re a l i- d a d e, as últimas pesquisas de mercado indicam que a maioria dos clientes Europeus terão pelo menos uma aplicação fo rnecida por um ASP no final de A razão pela qual este mercado está tão activo em toda a Europa é porque o modelo empre s a rial ASP cobre e trata de tantos dos problemas empre s a riais corre n t e s : - o desafio de reter e re c rutar competência em Tecnologias da I n fo rm a ç ã o, especialmente na área do e-business; - a necessidade de uma rápida implementação de novas ap l i c a ç õ e s críticas para o negócio; - a necessidade de custos de Tecnologias da Info rmação mais prev i s í ve i s, relacionados com a utilização e com os benefícios; - as muitas áreas críticas de negócio, fora das T I s, que re q u e re m e s forços de investimento cada vez maiore s. No entanto, a entrega de aplicações at r avés do modelo ASP requer um conjunto alargado e profundo de competências por parte do fo rn e c e- dor A S P. Escolher um fo rnecedor ASP em quem se possa confi a r, q u e p rovidenciará um conjunto de aplicações e serviços corre l a c i o n a d o s de alta qualidade, at r avés de um SLA (Service Level A g re e m e n t ), requer o maior cuidado. A passagem de uma empresa individual com múltiplos utilizadore s para empresas múltiplas com múltiplos utilizadores (modelo paradigmático dos ASPs) ap resenta novos desafi o s. Em part i c u l a r, t r ê s deles evidenciam-se como os mais críticos. 1) Garantia de Qualidade de Serviço (QoS) Os fo rn e c e d o res de serviços ASP têm de investir numa infra-estru t u- ra capaz de lidar com soluções high-end providenciando uma grande disponibilidade e um acesso seguro aos serv i ç o s. Os ASPs necessitarão de convencer os CIOs a passarem funções críticas de TI para fora dos mu ros da empre s a. Para isso, necessitam necessariamente de ofe re c e r um SLA que englobe todos os aspectos re l evantes da qualidade de s e rviço (e. g.,d i s p o n i b i l i d a d e, d e s e m p e n h o, segurança da solução). 2) Estabelecimento de Standar d s Um dos desafios mais interessantes com que os ASPs se defrontam é o da integração de múltiplas ap l i c a ç õ e s,f requentemente assentes em p l at a fo rmas dife re n t e s. Neste contexto, o ASP tem de surgir como um autêntico Integrador Web, quer dizer, os ASPs têm de prov i d e n c i a r o fe rtas que operem conjuntamente de uma fo rma harmoniosa quando na realidade essas ofe rtas são o resultado da combinação de vári o s componentes aplicacionais tanto p a ck ag e d como l e g a c y. A complexidade desta tare fa de integração só ficará garantida quando os ASPs estab e l e c e rem standards entre si e com os restantes parceiros do negócio (e. g.,i S V s,fo rn e c e d o res de infraestru t u r a ). 3) Oferta de Serviços Customizados Em mat é ria de ASPs one size does not fit all. Apesar da import â n- cia de serem criados standards, os clientes dos ASPs continuarão a exigir elevados níveis de customização para as suas soluções ap l i c a- c i o n a i s. I n ev i t ave l m e n t e, soluções de customização do estilo M y X X X, p a recidas com as já ofe recidas por muitos web sites surgirão também no espaço A S P. C o n t u d o, no fi n a l, a customização a o fe recer terá de terminar onde o modelo one to many, base de toda a proposição de valor A S P, começar a ser colocado em ri s c o. R E P O R T

13 O Novabase A S P e-motion: Qual a razão porque a Novabase decidiu entrar no m e rcado ASP (Application Service Pro v i d e r )? M R : O negócio ASP é uma extensão natural da oferta que a Novabase tem vindo a realizar durante os últimos 10 anos. Na v e rdade, a oferta ASP permite à Novabase servir um conjunto de clientes que até agora não dispunham de condições para aceder às ofertas de um consultor em TI (Tecnologias de Informação). e-motion: Qual é então o mercado-alvo para a oferta ASP da N o v a b a s e? M R : O Novabase ASP irá focalizar-se inicialmente em PMEs e dot.coms enquanto que a oferta de consultoria em TI da Novabase se tem focalizado normalmente em grandes empre s a s. e-motion: Em sua opinião, quais são os benefícios de uma o f e rta ASP para os potenciais clientes? M R : O Novabase ASP permite aos seus clientes aceder a aplicações corporativas líderes a custos aceitáveis, melhorar níveis de serviço, aceder a recursos de TI especializados numa altura em que o re c rutamento/manutenção de bons pro f i s s i o n a i s nesta área se está a revelar cada vez mais problemático e libert a r mais tempo para as empresas se focalizarem nos seus core businesses. e-motion: Nos últimos meses têm vindo a ser anunciados múltiplos ASPs na comunicação social. O que distingue o ASP da Novabase dos outros? M R : O Novabase ASP utiliza um modelo de negócio que n o rmalmente se designa por Quality of Service ASP, isto é, vai ser um ASP que se focaliza em oferecer um nível de serv i ç o superior aos seus clientes e um conjunto de aplicações corporativas complexas (ex., ERP, CRM...) lídere s. Por exemplo, os ASPs promovidos por operadores de telecomunicações utilizam dois modelos de ASP distintos do nosso. Por um lado, posicionam-se como ASPs dos ASPs forn e c e n d o a infra-estrutura (i.e. data centers, conectividade) a ASPs como o da Novabase, no que normalmente se designa de AIP 14 Ao longo do último ano, a Novabase tem vindo a pre p a r a r cuidadosamente o arranque das operações do Novabase ASP. Agora que o Novabase ASP iniciou as suas actividades, pare c e ser o momento ideal para uma conversa com o Administrador Executivo do Novabase ASP, Miguel Rolo. Miguel Rolo, Administrador Executivo da Novabase ASP Janeiro 2001

14 15 ( Application Infrastru c t u re Provider ). Por outro lado, no que se poderia chamar um modelo de Application Resellers, oferecem aplicações simples (ex., , aplicações de p roductividade individual, como o MS Office) a clientes finais mas com níves de serviço e costumização inferiores àqueles que o Novabase ASP vai ofere c e r. O termo ASP tem vindo a ser utilizado com imprecisão (e indistintamente) para qualificar uma variedade grande de modelos de negócio substancialmente diferentes. Nós, e outras entidades, consideramos existirem pelo menos 9 modelos fundamentalmente distintos de ASP. O Quality of S e rvice ASP é um deles. e-motion: Já que mencionou o exemplo dos operadores de telecomunicações, vários dos ASPs que têm vindo a ser anunciados são promovidos por empresas de telecomunicações. Eles também vão oferecer algumas aplicações corporativas (ex., ERP, e-business). Como é que o Novabase ASP vai competir com essas ofert a s? M R : O Novabase ASP tem como prioridade máxima a satisfação dos seus clientes. Por isso investimos bastante na c o m p reensão do que os clientes desejam de um ASP. Uma das conclusões principais do estudo de mercado que realizámos, confirmada nas reuniões que temos mantido Para cada uma destas ofertas, o Novabase ASP estabeleceu com clientes, é a de que os clientes esperam que o ASP p a rcerias com forn e c e d o res de aplicações líderes mundiais lhes possa oferecer níveis de serviço elevados, quer pela como são os casos da SAP e da Micro s o f t. o f e rta de aplicações líderes de mercado, quer pela Numa segunda fase irão ser oferecidas outras aplicações qualidade dos serviços de implementação das soluções e da packaged, por exemplo na área B2B e de SCM (Supply gestão de aplicações ao longo do tempo. Chain Management), bem como aplicações próprias da Os ASPs dos operadores de telecomunicações que tentem N o v a b a s e. replicar a oferta do Novabase ASP vão encontrar pro b l e m a s e-motion: Como é que o Novabase ASP vai assegurar os em prestar um nível de serviço elevado já que não possuem s e rviços aplicacionais e de infra-estrutura que são competências em serviços de TI. Para um cliente que se necessários à oferta de um Quality of Service ASP que encontra interessado numa aplicação corporativa em modelo m e n c i o n o u? A S P, e se encontre indeciso entre escolher o ASP de um M R : Os serviços de implementação e de gestão de aplicações serão assegurados pela própria Novabase, poten- operador de telecomunicações ou um promovido por uma e m p resa de serviços de TI, a pergunta que ciando a experiência acumulada durante mais tem de se colocar é: Com que entidade é que eu me sinto mais c o n f o rtável a cuidar das minhas aplicações ou dos meus sistemas de informação? Com a companhia dos telefones ou com um especialista em TI? e-motion: Quais as aplicações que o Novabase ASP vai f o rnecer inicialmente? M R : O Novabase ASP vai iniciar a sua actividade ofere c e n d o aplicações em três áreas: Enterprise Resource Planning (ERP) para automatização de processos internos da emp resa, Customer Relationship Management (CRM) para automatização de processos relacionados com clientes e e-business para alavancar a internet de modo a torn a r todos os processos de negócio da empresa mais eficazes e e f i c i e n t e s. Nem todos os A S P s de 10 anos de contacto com o merc a d o. Quanto aos serviços de infra-estrutura, eles são criados iguais serão garantidos integralmente por outra e m p resa líder no mercado, a IBM. e-motion: Ao longo da nossa conversa tem mencionado múltiplas vezes a focalização nos clientes. É essa a pedra- -de-toque do Novabase ASP? M R : Absolutamente. O Novabase ASP vai estar totalmente focalizado no cliente. A sua tarefa é compreender as necessidades dos seus clientes e pro p o rcionar uma ofert a ASP que corresponda às expectativas desses clientes. e-motion: Para term i n a r, gostaria de saber quais são os objectivos do Novabase ASP? M R : O nosso objectivo é sermos líderes no mercado serv i d o por Quality of Service ASPs. R E P L Y

15 16 Desde 1992 que a Novabase tem vindo a colaborar nos actos eleitorais sobre a responsabilidade da Direcção Regional de O rganização e Administração Pública. Esta colaboração iniciou- -se na preparação do acto eleitoral, envolvendo um vasto leque de acções desde a concepção e implementação da arq u i t e c t u r a técnica e aplicacional até ao acompanhamento e monitorização de todo o sistema até ao final do acto eleitoral. A preparação para o último acto eleitoral teve início em Maio, culminando com vários ensaios efectuados durante o mês de S e t e m b ro. Todo este trabalho teve o seu ponto alto em 15 de O u t u b ro deste ano, terminando poucos minutos depois das z e ro horas do dia 16 com o escrutínio eleitoral completo. A solução implementada compreendeu diversos pólos: Sistema central de contagem centralizado em Angra do H e roísmo (Te rc e i r a ); Gabinetes de Apoio à Comunicação Social localizados em Ponta Delgada (S. Miguel), Angra do Heroísmo (Te rceira) e H o rta (Faial); Presidência do Governo Regional localizado em Ponta Delgada (S. Miguel); RTP- Açores localizada em Ponta Delgada (S. Miguel). Foi ainda produzida toda a informação a disponibilizar aos ó rgãos de comunicação social e a outras entidades como, por exemplo, a RT P, a CNE e STAP Secretariado Técnico de Apoio ao Processo Eleitoral. A arquitectura aplicacional implementada constituía-se por vários subsistemas com diferentes objectivos. Nomeadamente: Subsistema de configuração do acto eleitoral, que perm i t e configurar a estrutura conhecida do acto eleitoral, perm i t i n d o assim efectuar vários testes de forma a evitar a ocorrência de e rros durante o registo dos resultados pro v i s ó r i o s ; A Novabase Desenvolvimento à Medida, apoiou mais uma vez as eleições regionais na Região Autónoma dos Açores em estre i t a colaboração com a Dire c ç ã o Regional de Organização e Administração P ú b l i c a. ERegionais l e i ç õ e s nos A ç o re s Janeiro 2001

16 17 Subsistema de registo de resultados provisórios. Este módulo permite efectuar a inserção e validação dos re s u l t a d o s por freguesia à medida em que estes vão sendo conhecidos, efectuando a atribuição de mandatos. Como exemplo das validações efectuadas temos a obrigatoriedade de dupla digitação dos resultados com valore s c o i n c i d e n t e s. A atribuição de mandatos é efectuada em duas fases. Na primeira fase os mandatos são atribuídos com base no n ú m e ro mínimo de votos que garante um mandato (proporção entre o total de inscritos/ votantes e o número de mandatos por Círculo Eleitoral), desta forma é possível atribuir mandatos antes do apuramento completo do Círculo Eleitoral. Na segunda fase, só possível após o apuramento total de um Círculo Eleitoral, é aplicado o método de Hondt. Subsistema de disponibilização da informação. Permite a disponibilização dos resultados provisórios nos Gabinetes de Apoio à Comunicação Social (GACS). Das funcionalidades contempladas podem-se salientar as seguintes: - Lista de freguesias apuradas contendo informação sobre as f reguesias apuradas e data e hora de apuramento. - Lista de Mandatos contendo informação sobre os mandatos atribuídos em cada momento, permitindo visualizar o círc u l o eleitoral, o partido, o candidato, e a data e a hora de a p u r a m e n t o. - Resultados apresentados em quatro níveis: Região, Círc u l o Eleitoral, Concelho e Fre g u e s i a. - Comparações de resultados efectuada entre a eleição a d e c o rrer e a anterior (neste caso as eleições de 1996), de f o rma semelhante aos resultados, as comparações são a p resentadas em quatro níveis: Região, Círculo Eleitoral, Concelho e Fre g u e s i a. - Resumo, que permite verificar o estado geral do acto eleitoral, apresentando por Círculo Eleitoral o número total de f reguesias e o número de freguesias apuradas. Neste écran é possível visualizar quais as freguesias apuradas/por apurar e os mandatos atribuídos por partido para cada Círc u l o Eleitoral. Toda a concepção do sistema teve sempre pre s e n t e a fiabilidade e a garantia de disponibilidade do mesmo. Com o objectivo de garantir segurança, em caso de falha de h a rd w a re ou de comunicações, foram instalados três s e rv i d o res Unix (dois em Angra do Heroísmo e um em Ponta Delgada) sendo a informação replicada por todos os s e rv i d o res com ligações entre si por RDIS e linhas dedicadas. Ao nível dos Gabinetes de Apoio à Comunicação Social a consulta da informação podia ser efectuada em qualquer dos serv i d o res. Em caso de problemas no serv i d o r dedicado à introdução de dados, esta podia ser efectuada através de qualquer um dos serv i d o res instalados. Carlos Parreira - carlos.parre i r n o v a b a s e. p t T O O L B O X P R 0 B L E M A A necessidade de garantir o sucesso da cadeia de informação estabelecida para as eleições regionais na R e g i ã o Autónoma dos Açores era tarefa que exigia um suport e tecnológico que permitisse organizar e acompanhar o evento. S O L U Ç Ã O A Novabase Desenvolvimento à Medida executou todo o trabalho de apoio a este acto eleitoral, desde a pre p a r a ç ã o do mesmo, com a concepção e implementação da a rquitectura técnica e aplicacional, passando pela contagem e monitorização de todo o sistema com o registo dos resultados em todas as fases da contagem. A Novabase a s s e g u rou ainda a produção e disponibilização de inf o rmação junto dos Gabinetes de Apoio à Comunicação Social e de outras entidades, por exemplo, RT P, CNE e S e c retariado Técnico de Apoio ao Processo Eleitoral. R E S U LTA D O O objectivo de segurança do sistema foi cumprido, dado que a Novabase Desenvolvimento à Medida teve instalados três serv i d o res Unix, aptos a funcionar em caso de falhas de hard w a re ou de comunicações. As comparações de resultados desta eleição com a anterior foram facilmente f o rnecidas em quatro níveis: região, círculo eleitoral, fre g u e s i a e Gabinetes de Apoio à Comunicação Social. Estes tiveram acesso à consulta de informação a partir de qualquer um dos serv i d o res instalados. P R O J E C T S

17 18 Um futuro não anu n c i a d o Raul Junqueiro P residente da Associação P o rtuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações O ano de 1993 nunca foi anunciado como marco de um f u t u ro mais ou menos possível. Exemplos conhecidos dessas datas famosas avant la lettre são 1984, de Orwell, ou 2001, de Clarke, pelas razões que sabemos. Mas 1993 virá a ser certamente re c o rdado pela import â n c i a de uma pequena invenção conhecida como Web bro w s e r. Ou, antes desse, o ano de 1990, o ano da World Wide We b. Não que a World Wide Web ou os browsers tenham sido revolucionários em si. Eles apenas culminaram uma série de desenvolvimentos tecnológicos que conferiram à Humanidade uma capacidade sem precedentes para produzir e utilizar informação útil. Com eles, a Internet e o protocolo IP passaram para o centro da autêntica revolução económica em curso, pela massificação de uma acesso global a instrumentos e meios que, anteriormente, eram apenas acessíveis às maiores org a n i z a ç õ e s. Com a massificação da Internet foram criados novos sectores económicos e também novas oport u- nidades, e desafios, aos operadores dos sectores ditos tradicionais. Os consumidores passaram a ter acesso a informação e a produtos comercializados no seu ecrã de computador, mas do outro lado do mundo. Ao valor intrínseco da flexibilidade do IP, que permite actualmente a transmissão, para mais barata, de mensagens em virtualmente qualquer formato, inclusive voz e vídeo em tempo real, de e para praticamente qualquer local do mundo, junta-se um outro valor, que decorre das externalidades de re d e. Tal como vão sendo adicionadas, quase diariamente, novas capacidades às redes de telecomunicações e às aplicações que correm sobre elas, também o número de utilizadores e de entidades na Web cre s c e continuamente, pelo que o valor económico e social da Internet cre s- ce quase ao segundo. Num ambiente económico É assim que, através deste novo média, se vão apurando, pela facilidade acrescida de comparação, os mecanismos de mercado e o c o n c o r rencial são os mercados que comandam nível concorrencial existente, o que, por sua vez, constitui um verd a d e i ro catalisador da adopção, pelas empresas e organizações, das inovações tecnológicas com valor social e económico. P o rque, num ambiente económico crescentemente concorrencial, para mais a uma escala global, são os mercados que comandam. E estes têm vindo a crescer em exigência. Daí que a própria massificação do acesso aos recursos de mercado globais pressione crescentemente no sentido do aumento de produtividade das empresas e organizações. E aí voltamos ao início, fechamos o ciclo: os aumentos de produtividade nas sociedades actuais são potenciados pela tecnologia, ou seja, pela capacidade acre s c i d a com que ela permite o armazenamento, processamento e comunicação de informação útil, que é, também ela, em quantidade cre s c e n t e. A tecnologia encerra, pois, um potencial tremendo. Mas a actualização deste encontra-se nos indivíduos e na forma como estes se relacionam entre si e com as tecnologias, no seio das organizações, bem como na forma como as diferentes organizações trabalham para a obtenção de sinergias benéficas. A compreensão deste facto é de importância capital. Não só as nações têm no conhecimento e no capital humano um novo recurso escasso, como necessitam ainda de criar um ambiente institucional que p romova a sua melhor org a n i z a ç ã o. Os Estados e as respectivas Administrações têm, neste âmbito, um papel de facilitadores e de exemplo, mas cabe a cada um de nós, como indivíduos e como decisores económicos, aceitar os desafios e a p roveitar as oportunidades que nos são oferecidas por uma economia cada vez mais digital. Já não basta às empresas serem visíveis na Web, até porque esta visibilidade constitui apenas o topo de um verd a d e i ro iceberg empresarial constituído, na sua maior parte, por organizações que terão de privilegiar crescentemente sistemas de informação e decisores flexíveis, num ambiente de merc a d o f o rtemente cambiante, bem como todos os instrumentos que permitam tornar mais eficazes os intercâmbios com o ambiente, quer a montante, quer a jusante, quer ainda no próprio interior das re s p e c t i- vas actividades. E aí temos de novo as tecnologias, mas sobretudo as pessoas para as implementar correctamente. E o mercado, que há que servir bem e cada vez melhor. Janeiro 2001

18 19 A S P s : Onde é que se encontram as verdadeiras áreas de lucro? Neste momento estamos no que se pode chamar a manhã seguinte ao boom das iniciativas dot.coms B2C. Agora os executivos e os investidores em comunicações, software e i n f o rmática estão de olhos postos no grande negócio que se segue: os ASPs (Application Service Providers). Os analistas p revêem um crescimento explosivo para este espaço, estimando- -se que o mercado global ASP atinja os 20 mil milhões de dólare s em 2003, a partir quase do zero em Wall Street espera que muitos negócios dos ASPs aumentarão o seu valor 50 ou 100 vezes e os investidores estão a apostar forte no sector. Nos EUA já apareceram mais de 500 ASPs para re c l a m a rem o seu quinhão nesta corr i d a. No entanto, no meio de toda esta agitação muitos ASPs têm prestado pouca atenção à estratégia e à concepção do seu negócio. Assim, a designação ASP é hoje perigosamente pouco pre c i s a, amontoando uma variedade de negócios diferentes, que vão desde empresas sólidas até empre s a s criadas apressadamente. Acotovelando-se para obterem uma posição neste novo mercado encontram-se operadore s tradicionais e alternativos de telecomunicações, web hosters que oferecem a infra-estru t u r a aplicacional, start-ups que oferecem as suas soluções de aplicações pontuais concebidas desde o início para o ambiente A S P, forn e c e d o res tradicionais de SW que redesenham agora as Actualmente os ex e c u t i v o s suas ofertas para distribuição remota e integradores de sistemas e os investidores em comun i c a ç õ e s, s o f t wa re e in- que assim expandem os seus serviços. No meio deste gru p o variado de forn e c e d o res encontra-se também uma gama variada de conceitos de empresas, cada uma delas baseada numa f o rmática estão de olhos perspectiva diferente das oportunidades no mercado. Até aqui os desenhos de negócio ASP têm sido delineados mais à postos no grande negócio imagem das raízes tecnológicas da empresa que os promove do que se segue: os ASPs (Application Service Prov i d e r s ) que a qualquer compreensão profunda das prioridades dos clientes. Esta situação, do mesmo modo que o fervor dot-com, acabará inevitavelmente por se tornar insustentável e assistire m o s a um processo de selecção natural com a maioria do valor a migrar para aquelas empresas que compreendam que o seu sucesso ou insucesso depende do valor que a oferta tem para o cliente final e não de aspectos tecnológicos de per si. A melhor ou pior resposta a um conjunto de questões fundamentais definirá o sucesso ou insucesso dos ASPs: Quais são as prioridades emergentes dos clientes? Qual a proposta de valor que melhor satisfaz esses requisitos? Quais os desenhos de negócio que têm um maior potencial para o contro l o estratégico e portanto para uma rentabilidade sustentável? A nossa pesquisa sugere que existe uma gama de desenhos de negócio diferentes com potencial para s a í rem vencedores neste espaço mas os ASPs que não compre e n d e rem as prioridades dos clientes e que tentem ser tudo para todos sairão inevitavelmente como perd e d o res. David Sovie Vice presidente da Merc e r em Nova Iorq u e John Hanson Vice presidente da Mercer em Boston Este é um excerto de um Comentário da Mercer Management Consulting e foi preparado por David Sovie e John Hanson, vice presidentes no Grupo Communications, Information and Entertainment da M e rc e r. David Sovie (d a v e. s o v i m e rc e rm c. c o m ) p e rtence ao escritório de Nova Iorque e John Hanson (j o h n. h a n s o m e rc e rm c. c o m ) ao de Boston. Nota: A Mercer prestou assistência à Novabase no desenvolvimento do plano empresarial para o seu ASP. F O R W A R D

19 Joaquim Santos D i re c t o r-geral Adjunto da SAP No v a b a s e A S P e SAP em parceri a 20 Em Portugal dão-se os primeiros passos no mercado dos ASPs (Application Service Provider). A parceria entre o Novabase ASP e a SAP coloca as duas empresas em destaque na ofert a de soluções SAP, através de um novo canal que vai dar grandes mais valias às pequenas e médias empresas. A parceria Novabase/SAP visa fortalecer o mercado das PMEs com a oferta de soluções SAP que se enquadram no âmbito ASP. Segundo Joaquim Santos, o conceito ASP pressupõe que um cliente possa aceder a aplicações na área da gestão integrada de e - c o m m e rce e CRM de uma forma muito rápida e aceitando as pré-parametrizações que foram realizadas pela empresa que está a fornecer esse serviço ao mercado. E acrescenta: A grande diferença entre o modelo ASP e o modelo de outsourc i n g é que a mesma pré-parametrização (a mesma solução) poderá ser partilhada por várias empresas e isto, obviamente, traz uma economia de escala aos custos associados à adesão a uma solução integrada de gestão. O próprio produto SAP, em termos de solução, permite a sua exploração em modelo ASP. Explica Joaquim Santos que, em t e rmos de SAP, neste momento a solução já está disponível na Web. Poderá portanto ser acedida via Internet. A única coisa que os clientes terão que ter é um mínimo de infra-estru t u r a tecnológica dentro da sua empresa, para poderem, via Intern e t, aceder aos sistemas centrais onde estão instaladas as soluções S A P, e por esse meio fazer a exploração do seu sistema. É claro que isto traz grandes mais valias para o cliente, pois a exploração do sistema não está dentro da sua casa mas numa empresa, o Novabase ASP, que estará equipada com os profissionais e conhecimentos necessários para poder fazer da melhor form a essa exploração ao cliente, acrescenta. Virão daí grandes facilidades, pois o cliente deixará de se pre o c u p a r, nomeadamente, com a manutenção tecnológica do produto ou com os Janeiro 2001

20 upgrades que estão sempre associados a este género de soluções. Este tipo de oferta permite ao cliente focar-se exclusivamente no seu negócio, deixando a exploração dos sistemas informáticos em empresas competentes para o efeito, explica. A Novabase e a SAP estão juntas já há algum tempo, com uma parceria forte no mercado, em que a Novabase funciona como um parc e i ro de implementação de soluções SAP. O Novabase ASP vem reforçar esta parceria, abrindo a possibilidade de actuação numa área de mercado através de um canal novo. Sentimos que as empresas tradicionais começam também a ver com bons olhos a colocação e a exploração das suas aplicações num modelo ASP. Tanto a SAP como a Novabase são empresas que estão atentas ao mercado e que têm que estar preparadas para poderem re s - ponder a estas novas solicitações. Quem não estiver pre p a- rado, no futuro, para responder a estes novos desafios, pro - vavelmente poderá estar, de alguma forma, a hipotecar a sua posição no mercado. Entendemos que esta é uma parceria que posiciona a Novabase e a SAP na vanguarda do novo tipo de ofertas que existem hoje em dia no mercado e que começam a estar cimentadas a nível intern a c i o n a l, re f e re Joaquim Santos. A SAP tem todo o seu modelo fortemente baseado em p a rcerias, ou seja, faz Os clientes podem ra p i d a- o desenvolvimento dos p rodutos, deixando para os parc e i ros a i m p l e - mente começar a tra b a - lhar porque a solução já mentação e exploração das soluções que são está pré-parametrizada para as suas necessidades Este conceito dos ASPs vendidas aos clientes. e esta nova forma de estar no mercado nacional é algo que já acontece nos EUA há cerca de dois anos. As maiores parcerias da SAP estão no mercado nort e - -americano, mas a empresa tem também algumas parc e r i a s a nível europeu, o que lhe permite uma boa pre p a r a ç ã o para responder agora ao mercado português. No início houve uma grande expectativa face a este tipo de soluções, chegando-se ao extremo de pensar que no futuro todas as soluções iriam passar por fornecimentos do tipo ASP. Hoje em dia o mercado está mais maduro, entende-se que o ASP vai ser mais um canal no mercado e não irá substituir totalmente todos os outros canais de venda que já existem. É isso que temos sentido nos EUA. Houve no início ofert a s muito agressivas. Houve algumas que se afirmaram e outras que não. Estamos neste momento em condições de dizer que o canal da ASP é já uma realidade. Vai necessitar, no entanto, de uma adesão forte por parte do mercado, que só vai ser conseguida se as empresas que forn e c e rem os s e rviços de ASP atingirem níveis fundamentais que satisfaçam fortemente os clientes. 21 B R E V E S Ultimus Workflow Suite Client no Outlook da Micro s o f t A Ultimus, Inc. (empresa líder em softw a re de automatização de workflow web-based ), integrou o Ultimus Workflow Suite Client com o Microsoft Exchange Outlook Client. Com esta integração, a aplicação Ultimus pode ser facilmente acedida num ambiente intuitivo e familiar aos u t i l i z a d o res habituais de , permitindo-lhes a criação de p rocessos automáticos de workflow através do Outlook. O Workflow Suite Client aproveita as potencialidades das aplicações da Microsoft, principalmente, o Exchange/Outlook e COM+/DNA, para a execução de diversos p rocessos, tais como folhas de horas, ordens de compra, ECOs, revisões de documentos e ordens de entrada. Este s o f t w a re da Ultimus fornece soluções que estavam tradicionalmente confinadas ao universo das empresas que integrassem fortes equipas de desenvolvimento de software. e B u s i n e s s TechRankings ajudar a escolher as melhores aplicações de ebusiness A Forrester Research Inc., e m p resa global líder em Research & Advisory em Int e rnet e tecnologias emerg e n t e s ( re p resentada em Portugal pela Mentor. I T, empresa Novabase), l a n ç o u um novo serviço - ebusiness TechRankings, uma f e rr a m e n t a interactiva de análise, cujo objectivo é ajudar as empresas a selecc i o n a rem forn e c e d o res de plat a f o rmas ebusiness, de forma a obterem as melhores soluções tecnológicas. Este serviço combina a a n á l i - s e e s t r a t é g i c a e objectiva da Forrester com rigorosos testes dos produtos em laboratório. É fornecido via Web e está disponível em quatro c a t e g o r i a s de produtos: plat a f o rmas de Comércio Electrónico, Gestão de Conteúdos, Application Servers e Customer Service Applications. M i c rostrategy 7 ou a nova geração de plataformas inteligentes O MicroStrategy 7 foi desenhado para aplicações emergentes de e-business tais como narrowcast networks e e-crm. Esta plataform a constitui uma solução aberta, de alta perf o rmance e escalável, que visa fornecer uma visão inovadora em qualquer operação comercial, dando às empresas a possibilidade de constru í rem relações duradouras e lucrativas com os seus clientes. A MicroStrategy 7 pretende fornecer as capacidades de crítica e análise de CRM, necessárias para uma melhor compreensão do negócio, permitindo assim elaborar a arquitectura óptima para servir os clientes de f o rma mais eficiente. A MicroSrategy 7 afirma-se, assim, no m e rcado como a nova plataforma para a nova economia. G U E S T

21 22 António Mendes D i rector Geral Novabase Brasil António José Caro ç o Director da Novabase Sistemas de Informaçăo José Barre i ro s Director da Novabase Sistemas de Informaçăo António Mendes é o novo Dire c t o r Geral da Novabase Brasil. Com licenciatura e mestrado em Engenharia Informática da FCT/UNL e um MBA da UNL, este re s p o n- sável desempenhava anteriorm e n t e funções de Sénior Manager na A. T. Kearn e y. Refira-se que a Novabase Brasil re p resenta o esforço de i n t e rnacionalização neste pro m i s s o r m e rc a d o. José Barre i ros, licenciado em Gestão pela Universidade Lusíada de Lisboa, assumiu a direcção de sistemas de informação na área administrativa e financeira na Unidade de Gestão Empresarial da Novabase Sistemas de Informação. Das suas anteriores funções destacam-se a de Manager Consultant na PriceWa t e r- housecoopers e KPMG na área de SI. António Caroço, licenciado em Economia, ex-assessor da Administração na Papéis Inapa, é o novo director de Logística e Produção da referida unidade. C R M w w w. c rm c o m m u n i t y. c o m w w w. s i e b e l. c o m w w w. c rm a s s i s t. c o m O crm c o m m u n i t y.com é um centro de recursos online para a área de CRM (Customer Relationship Management). Podemos encontrar neste site informação relevante sobre CRM, nomeadamente artigos em destaque e em a rquivo, eventos e novidades, dados s o b re forn e c e d o res de ferr a m e n t a s, links relevantes e White Papers sobre CRM. Adicionalmente, estão disponíveis grupos de discussão e a possibilidade de colocar questões a cons u l t o res especialistas em CRM. Este é um bom site para acompanhar os acontecimentos na área de CRM. O sucesso da implementação de uma política de CRM é directamente prop o rcional à utilização de sistemas de i n f o rmação de suporte que permitam a visão integrada do cliente, suport a n d o diversos canais de contacto e a integração com sistemas de back-off i c e. A Siebel Systems fornece a ferr a m e n t a líder de mercado nesta área, sendo possível obter no seu site inform a ç ã o s o b re as suas aplicações, serviços e cursos de form a ç ã o. A Siebel apresenta soluções funcionais (horizontais), tais como soluções de Call Center ou de Automação de Forças de Vendas, e soluções para indústrias específicas (verticais) como a indústria Automóvel, Farmacêutica ou Financeira, entre outras. Já percebeu o conceito de CRM e agora quer implementá-lo? Quais são os componentes mais import a n t e s? Como implementar um pro j e c t o? O CRMAssist tem um conjunto de recursos que ajudam a obter re s p o s- tas a estas perguntas, disponibilizando artigos com informação re l e v a n t e e referências de software e implem e n t a d o res de sistemas em cada uma das áreas de actuação. Adicionalmente tem indicações para f o rmação, comparações de pacotes de software e análises dos mesmos. Conta ainda com referências bibliográficas para cada uma das áre a s de CRM. Janeiro 2001

Comunicação de Facto Relevante

Comunicação de Facto Relevante Novabase S.G.P.S., SA Sociedade Aberta Sede: Av. Engº Duarte Pacheco, Amoreiras, Torre 1, 9º Piso, Lisboa Capital Social: 14.100.000 Euros Matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob

Leia mais

Tecnologias de Informação

Tecnologias de Informação Sistemas Empresariais Enterprise Resource Planning (ERP): Sistema que armazena, processa e organiza todos os dados e processos da empresa de um forma integrada e automatizada Os ERP tem progressivamente

Leia mais

PALAVRAS CHAVE RESUMO

PALAVRAS CHAVE RESUMO ESIG2001 SPATIAL INTELLIGENCE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA COMO MEIO DE SUPORTE À DECISÃO João Machado Costa, Rui Marques Ferreira Novabase www.novabase.pt joao.machado@novabase.pt PALAVRAS CHAVE Spatial Information

Leia mais

Factor PME. Junho 2011

Factor PME. Junho 2011 Projecto Factor PME Junho 2011 Índice Âmbito e Objectivos 03 Condições de Elegibilidade _Entidade beneficiária 04 _Projecto 05 Investimentos Elegíveis _Componentes de financiamento 06 _Despesas elegíveis

Leia mais

Premier. Quando os últimos são os Primeiros

Premier. Quando os últimos são os Primeiros Premier Quando os últimos são os Primeiros Fundada em 1997 Especializada no desenvolvimento de soluções informáticas de apoio à Gestão e consultoria em Tecnologias de Informação. C3im tem como principais

Leia mais

Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000

Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000 Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000 Outras conclusões: Recrutamento na área de Marketing Digital registou crescimento de 15%. Área de E- commerce cresceu 6% Remuneração dos profissionais

Leia mais

Secção I. ƒ Sistemas empresariais cruzados

Secção I. ƒ Sistemas empresariais cruzados 1 Secção I ƒ Sistemas empresariais cruzados Aplicações empresariais cruzadas 2 ƒ Combinações integradas de subsistemas de informação, que partilham recursos informativos e apoiam processos de negócio de

Leia mais

CUSTO TOTAL DE PROPRIEDADE DO PANDA MANAGED OFFICE PROTECTION. 1. Resumo Executivo

CUSTO TOTAL DE PROPRIEDADE DO PANDA MANAGED OFFICE PROTECTION. 1. Resumo Executivo 1. Resumo Executivo As empresas de todas as dimensões estão cada vez mais dependentes dos seus sistemas de TI para fazerem o seu trabalho. Consequentemente, são também mais sensíveis às vulnerabilidades

Leia mais

A Internet nas nossas vidas

A Internet nas nossas vidas Economia Digital A Internet nas nossas vidas Nos últimos anos a internet revolucionou a forma como trabalhamos, comunicamos e até escolhemos produtos e serviços Economia Digital Consumidores e a Internet

Leia mais

Consortia e-market da Fileira Moda. para o Mercado Externo

Consortia e-market da Fileira Moda. para o Mercado Externo Consortia e-market da Fileira Moda para o Mercado Externo O que é? Consórcio entre empresas da Fileira Moda e a Exponor Digital destinado a criar e explorar uma ou mais lojas online, orientada(s) para

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projectos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projectos em que estão envolvidos, interagindo na optimização

Leia mais

Planeam/ Estratégico de SI

Planeam/ Estratégico de SI Planeam/ Estratégico de SI Curso de Engenharia de Sistemas e Informática - 4º ANO Frequência de Planeamento Estratégico de Sistemas de Informação (Teórica) 2002 / 2003 - Data: 2003/07/05 Duração 60 Minutos

Leia mais

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA Introdução Nesta edição do Catálogo de Serviços apresentamos os vários tipos de serviços que compõe a actual oferta da Primavera na área dos serviços de consultoria.

Leia mais

Versão Pública. DECISÃO DE INAPLICABILIDADE DO CONSELHO DA AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA Ccent.22/2007 Dendrite / Cegedim

Versão Pública. DECISÃO DE INAPLICABILIDADE DO CONSELHO DA AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA Ccent.22/2007 Dendrite / Cegedim DECISÃO DE INAPLICABILIDADE DO CONSELHO DA AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA Ccent.22/2007 Dendrite / Cegedim I. INTRODUÇÃO 1. Em 19 de Março de 2007, foi notificada à Autoridade da Concorrência, nos termos dos

Leia mais

PHC dteamcontrol Interno

PHC dteamcontrol Interno PHC dteamcontrol Interno A gestão remota de projectos em aberto A solução via Internet que permite acompanhar os projectos em aberto em que o utilizador se encontra envolvido, gerir eficazmente o seu tempo

Leia mais

Visão de Futuro 2010. F3M Information Systems, S.A.

Visão de Futuro 2010. F3M Information Systems, S.A. 1 Reunir várias entidades do sector óptico nacional e discutir o futuro do sector bem como os temas cruciais para os empresários e intervenientes da área foram os objectivos do evento Visão de Futuro 2010,

Leia mais

Esta sessão explora o papel das TIC (parte do problema ou da solução?), debatendo, nomeadamente, as seguintes questões:

Esta sessão explora o papel das TIC (parte do problema ou da solução?), debatendo, nomeadamente, as seguintes questões: CONGRESSO DAS COMUNICAÇÕES 08 - TIC E ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - 11 NOVEMBRO 09H00 10H30 ABERTURA OFICIAL DO CONGRESSO ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E O FUTURO Segundo o Relatório Stern, caso nada seja feito, os

Leia mais

FERRAMENTAS? a alterar, em muitas organizações, um. instrumento tão abrangente como um orçamento

FERRAMENTAS? a alterar, em muitas organizações, um. instrumento tão abrangente como um orçamento O QUE É IMPRESCINDÍVEL NUMA SOLUÇÃO DE ORÇAMENTAÇÃO E PREVISÃO? Flexibilidade para acomodar mudanças rápidas; Usabilidade; Capacidade de integração com as aplicações a montante e a jusante; Garantir acesso

Leia mais

PT Wi-Fi: Internet em Movimento

PT Wi-Fi: Internet em Movimento PT Wi-Fi: Internet em Movimento Clipping de Media (05 a 09 de Dezembro de 2003) Meio: Diário Económico Data: 09 de Dezembro de 2003 Pág.: 6 Meio: Jornal de Negócios Data: 09 de Dezembro de 2003 Pág.: 8

Leia mais

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing Docente (Teóricas): E-mail: vmnf@yahoo.com Web: http://www.vmnf.net/ipam Aula 13 Sumário A Internet: Modelos de Negócio, Publicidade e Meios

Leia mais

Versão Pública DECISÃO DE NÃO OPOSIÇÃO PROCESSO CCENT. Nº 2/ 2005 PORTUGAL TELECOM/WEBLAB I. INTRODUÇÃO II. AS PARTES

Versão Pública DECISÃO DE NÃO OPOSIÇÃO PROCESSO CCENT. Nº 2/ 2005 PORTUGAL TELECOM/WEBLAB I. INTRODUÇÃO II. AS PARTES DECISÃO DE NÃO OPOSIÇÃO PROCESSO CCENT. Nº 2/ 2005 PORTUGAL TELECOM/WEBLAB I. INTRODUÇÃO 1. Em 10 de Janeiro de 2005, foi notificada à Autoridade da Concorrência, nos termos dos artigos 9.º e 31.º da Lei

Leia mais

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) CLF

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) CLF GESTÃO Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) Informação e Decisões Gerir envolve tomar muitas e frequentes decisões Para decidir com eficácia

Leia mais

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação O Business Analytics for Microsoft Business Solutions Navision ajuda-o a ter maior controlo do seu negócio, tomar rapidamente melhores decisões e equipar os seus funcionários para que estes possam contribuir

Leia mais

O SEU STAND. NA INTERNET.

O SEU STAND. NA INTERNET. O SEU STAND. NA INTERNET. Soluções tecnológicas inovadoras para o sector automóvel www.multivector.com CRM Auto Web Sites Dispositivos móveis Redes Sociais Portais de divulgação Evolução 03 A EVOLUÇÃO

Leia mais

Wall Street Institute resolve necessidades complexas de e-mail com solução Microsoft Exchange Online

Wall Street Institute resolve necessidades complexas de e-mail com solução Microsoft Exchange Online Wall Street Institute resolve necessidades complexas de e-mail com solução Microsoft Exchange Online Além da poupança na infra-estrutura física dos servidores e do preço das licenças, há reduções de custos

Leia mais

» apresentação. WORKFLOW que significa?

» apresentação. WORKFLOW que significa? » apresentação WORKFLOW que significa? WORKFLOW não é mais que uma solução que permite sistematizar de forma consistente os processos ou fluxos de trabalho e informação de uma empresa, de forma a torná-los

Leia mais

IDC Portugal aumenta produtividade e reduz custos operacionais com Microsoft Dynamics CRM em modelo hosted

IDC Portugal aumenta produtividade e reduz custos operacionais com Microsoft Dynamics CRM em modelo hosted Microsoft Dynamics CRM Online Customer Solution Case Study IDC Portugal IDC Portugal aumenta produtividade e reduz custos operacionais com Microsoft Dynamics CRM em modelo hosted Sumário País Portugal

Leia mais

E- Marketing - Estratégia e Plano

E- Marketing - Estratégia e Plano E- Marketing - Estratégia e Plano dossier 2 http://negocios.maiadigital.pt Indíce 1 E-MARKETING ESTRATÉGIA E PLANO 2 VANTAGENS DE UM PLANO DE MARKETING 3 FASES DO PLANO DE E-MARKETING 4 ESTRATÉGIAS DE

Leia mais

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft A solução MB DOX oferece uma vantagem competitiva às empresas, com a redução do custo de operação, e dá um impulso à factura

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

Na APCER, o Microsoft Dynamics CRM é central na gestão comercial e na obtenção de indicadores

Na APCER, o Microsoft Dynamics CRM é central na gestão comercial e na obtenção de indicadores Microsoft Dynamics CRM Customer Solution Case Study APCER Na APCER, o Microsoft Dynamics CRM é central na gestão comercial e na obtenção de indicadores Sumário País Portugal Sector Serviços Perfil do Cliente

Leia mais

Aproveitar a janela de oportunidade da Nova Economia

Aproveitar a janela de oportunidade da Nova Economia C a d e r n o s L i n k Entrevista Aproveitar a janela de oportunidade da Nova Economia A emergência da economia digital implicou um outro conceito de empresa que exige uma nova arquitectura dos sistemas

Leia mais

TENDÊNCIAS DE PROJECTOS DE IT EM PORTUGAL

TENDÊNCIAS DE PROJECTOS DE IT EM PORTUGAL TENDÊNCIAS DE PROJECTOS DE IT EM PORTUGAL Estudo Infosistema 4º trimestre de 2014 OBJECTIVO DO ESTUDO Objectivo: Analisar as tendências de projectos de IT em Portugal Período em análise: 4º Trimestre de

Leia mais

A SUA IMOBILIÁRIA. NA INTERNET.

A SUA IMOBILIÁRIA. NA INTERNET. A SUA IMOBILIÁRIA. NA INTERNET. Soluções tecnológicas inovadoras para o sector imobiliário www.multivector.com CRM Imo Web Sites Dispositivos Móveis Redes Sociais Divulgação em Portais A EVOLUÇÃO DA INTERNET

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA

APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA Quem Somos Somos um grupo de empresas de prestação de serviços profissionais nas áreas das Tecnologias de Informação, Comunicação e Gestão. Estamos presente em Portugal,

Leia mais

Quando surgiu este novo modelo de licenciamento [SPLA], ficámos com uma solução ideal, exactamente à medida das nossas necessidades.

Quando surgiu este novo modelo de licenciamento [SPLA], ficámos com uma solução ideal, exactamente à medida das nossas necessidades. Caso de Sucesso Microsoft Sharepoint Server, Dynamics CRM e licenciamento SPLA resolvem problemas da RE/MAX e da MAXFINANCE Sumário País: Portugal Industria: Imobiliário e consultoria financeira Perfil

Leia mais

O nosso desafio é o seu sucesso!

O nosso desafio é o seu sucesso! O nosso desafio é o seu sucesso! Clien tes de Refe rên cia Distribuição Construção Civil Industria Tecnologias Potenciamos o seu negócio A Empre sa. Somos uma empresa especializada na prestação de serviços

Leia mais

PHC dteamcontrol Interno

PHC dteamcontrol Interno O módulo PHC dteamcontrol Interno permite acompanhar a gestão de todos os projectos abertos em que um utilizador se encontra envolvido. PHC dteamcontrol Interno A solução via Internet que permite acompanhar

Leia mais

ANA obtém certificação em quatro áreas críticas com apoio da VP Consulting

ANA obtém certificação em quatro áreas críticas com apoio da VP Consulting ANA obtém certificação em quatro áreas críticas com apoio da VP Consulting Contactos: Isabel Fonseca Marketing VP Consulting Telefone: +351 22 605 37 10 Fax: +351 22 600 07 13 Email: info@vpconsulting.pt

Leia mais

Gestão e tecnologia para PME s

Gestão e tecnologia para PME s www.sage.pt Gestão e tecnologia para PME s Sage Porto Sage Lisboa Sage Portugal A longa experiência que temos vindo a acumular no desenvolvimento de soluções integradas de software de gestão para as pequenas

Leia mais

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 A aposta no apoio à internacionalização tem sido um dos propósitos da AIDA que, ao longo dos anos, tem vindo a realizar diversas acções direccionadas para

Leia mais

Serviços. Conquistar. quando identificou a oportunidade de negócio que constituía a Internet enquanto meio para agilizar

Serviços. Conquistar. quando identificou a oportunidade de negócio que constituía a Internet enquanto meio para agilizar Serviços Conquistar um lugar à mesa nas reservas on-line Até há bem pouco tempo Portugal não contava com um serviço especializado para reservar mesas em restaurantes através da Internet. Este ano ganhou

Leia mais

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos PHC TeamControl CS A gestão de equipas e de departamentos A solução que permite concretizar projectos no tempo previsto e nos valores orçamentados contemplando: planeamento; gestão; coordenação; colaboração

Leia mais

21º Congresso Quantificar o Futuro. Venture Lounge 23 e 24 de Novembro - CCL

21º Congresso Quantificar o Futuro. Venture Lounge 23 e 24 de Novembro - CCL 21º Congresso Quantificar o Futuro Venture Lounge 23 e 24 de Novembro - CCL Programa Data Hora Actividade 23/Nov. 11:30 Inauguração Oficial Innovation Lounge Visita efectuada ao Venture Lounge por Sua

Leia mais

1 Descrição sumária. Varajão, Santana, Cunha e Castro, Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011 1

1 Descrição sumária. Varajão, Santana, Cunha e Castro, Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011 1 Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas João Varajão 1, Daniela Santana 2, Manuela Cunha 3, Sandra Castro 4 1 Escola de Ciências e Tecnologia, Departamento de Engenharias, Universidade

Leia mais

Informática. Conceitos Básicos. Informação e Sistemas de Informação. Aula 3. Introdução aos Sistemas

Informática. Conceitos Básicos. Informação e Sistemas de Informação. Aula 3. Introdução aos Sistemas Informática Aula 3 Conceitos Básicos. Informação e Sistemas de Informação Comunicação Empresarial 2º Ano Ano lectivo 2003-2004 Introdução aos Sistemas A Teoria dos Sistemas proporciona um meio poderoso

Leia mais

Sem o recurso às tecnologias disponibilizadas pela Microsoft, a solução criada seria difícil de obter num tão curto espaço de tempo.

Sem o recurso às tecnologias disponibilizadas pela Microsoft, a solução criada seria difícil de obter num tão curto espaço de tempo. Caso de Sucesso Microsoft Finsolutia cria solução completa de suporte ao negócio com.net Framework 3.5 Sumário País: Portugal Indústria: Banking&Finance Perfil do Cliente A Finsolutia é uma joint venture

Leia mais

28 PME Líder CRITÉRIOS. Bloomberg News

28 PME Líder CRITÉRIOS. Bloomberg News 28 PME Líder CRITÉRIOS Bloomberg News CRITÉ RIOS COMO CHEGAR A PME LÍDER Atingir o Estatuto PME Líder é a ambição de muitas empresas. É este o primeiro passo para chegar a PME Excelência. Saiba o que precisa

Leia mais

A plataforma de software modular ud121 E-Business, oferece uma das mais sofisticadas ferramentas para comunicações integradas multi-canal.

A plataforma de software modular ud121 E-Business, oferece uma das mais sofisticadas ferramentas para comunicações integradas multi-canal. A plataforma de software modular ud121 E-Business, oferece uma das mais sofisticadas ferramentas para comunicações integradas multi-canal. Adoptada por diversas empresas líderes de mercado em vários sectores

Leia mais

Apresentação da empresa

Apresentação da empresa Apresentação da empresa A SOFTIMPULSE é uma nova empresa de tecnologias de informática criada para dar resposta ao desenvolvimento da sua empresa. A SOFTIMPULSE integra soluções revolucionárias e tecnologicamente

Leia mais

A PHC atingiu recentemente os 400 clientes Licença Garantida. No mercado há pouco mais de um ano, a modalidade que permite os clientes PHC renovarem a licença do seu software por três anos já representa

Leia mais

PUB. Interface. Banca &Seguros

PUB. Interface. Banca &Seguros Interface Banca &Seguros PUB DOSSIER Marketing Bancário: focos em tempo de crise RADAR Sistema financeiro no triângulo estratégico DOSSIER Tecnologias de informação e gestão de fraude Tendências Mobilidade

Leia mais

CONSULTORIA É UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA

CONSULTORIA É UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA CONSULTORIA É UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA 1 - Qual o trabalho de uma consultora na área de gestão e contabilidade, como é o caso da Gesbanha? A Consultadoria é uma ferramenta estratégica para uma empresa.

Leia mais

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema PHC Dashboard CS Um novo nível de gestão A gestão da informação empresarial de forma sintética, visual e abrangente, possibilitando uma tomada de decisão mais rápida, correcta e precisa. BUSINESS AT SPEED

Leia mais

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente Grupo Pestana suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O trabalho de consolidação de informação permitiu desde logo abrir novas possibilidades de segmentação, com base num melhor conhecimento

Leia mais

Onde está o dinheiro?

Onde está o dinheiro? Onde está o dinheiro? Potenciar o e-marketing como ferramenta para alcançar a rentabilidade anunciada KEYNOTE SPEAKER: Joaquim Hortinha 3 Maio 2001 - FIL - WebMarketing XXI Onde está o dinheiro? 1.O que

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

Marcos N. Lessa. Global Document Outsourcing Director

Marcos N. Lessa. Global Document Outsourcing Director Marcos N. Lessa Global Document Outsourcing Director Managed Print Services: Serviço de valor acrescentado Managed Print Services (MPS) é um serviço que envolve a gestão de todos os equipamentos de impressão,

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais

O futuro da Banda Larga em Portugal

O futuro da Banda Larga em Portugal O futuro da Banda Larga em Portugal Dr. Miguel Horta e Costa Presidente Executivo da Portugal Telecom Lisboa, 5 de Fevereiro de 2004 Quadro 1 Portugal encontra-se hoje particularmente bem posicionado para

Leia mais

Aumente o seu negócio e faça crescer o seu lucro com o Programa de Parceiros APC

Aumente o seu negócio e faça crescer o seu lucro com o Programa de Parceiros APC Aumente o seu negócio e faça crescer o seu lucro com o Programa de Parceiros APC Desenhado em função do seu negócio e concebido para ajudá-lo a ser competitivo num mercado em transformação De que necessita

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN]

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Frederico Mendes & Associados é uma

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS DO EXERCÍCIO DE 2008

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS DO EXERCÍCIO DE 2008 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS DO EXERCÍCIO DE 28 2 Resultados 28 Os resultados reportados reflectem a integração do Grupo Tecnidata a 1 de Outubro de 28, em seguimento da assinatura do contrato de aquisição

Leia mais

Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC

Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC PHC Mensagens SMS CS DESCRITIVO O módulo PHC Mensagens SMS CS permite o envio de mensagens a múltiplos destinatários em simultâneo, sem ser necessário criar e enviar uma a uma. Comunique com mais sucesso:

Leia mais

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial 2 PRIMAVERA BSS Qpoint Rumo à Excelência Empresarial Numa era em que a competitividade entre as organizações é decisiva para o sucesso empresarial, a aposta na qualidade e na melhoria contínua da performance

Leia mais

OS SISTEMAS GEOGRÁFICA DE INFORMAÇÃO NOS NEGÓCIOS INFRA-ESTRUTURA DE INFORMAÇÃO PARA A TERCEIRA GERAÇÃO DE APLICAÇÕES NO INÍCIO DO TERCEIRO MILÉNIO

OS SISTEMAS GEOGRÁFICA DE INFORMAÇÃO NOS NEGÓCIOS INFRA-ESTRUTURA DE INFORMAÇÃO PARA A TERCEIRA GERAÇÃO DE APLICAÇÕES NO INÍCIO DO TERCEIRO MILÉNIO 22 B&S DOSSIER SIG Por Marco Painho, Professor Associado, Director do Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação da Universidade Nova de Lisboa. OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NOS NEGÓCIOS

Leia mais

A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial.

A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial. POWERING BUSINESS QUEM SOMOS A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial. Desde 1987 que desenvolvemos um trabalho

Leia mais

ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa

ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa Neste artigo clarifica-se os objectivos do ILM (Information Life Cycle Management) e mostra-se como estes estão dependentes da realização e manutenção

Leia mais

Banco Popular, Espanha

Banco Popular, Espanha Banco Popular, Espanha Tecnologia avançada de automação do posto de caixa para melhorar a eficiência e beneficiar a saúde e segurança dos funcionários O recirculador de notas Vertera contribuiu para impulsionar

Leia mais

Seminário de apresentação da Rede Gestus

Seminário de apresentação da Rede Gestus Seminário de apresentação da Rede Gestus Rede Gestus O LOGOTIPO Rede Gestus Internacionalização Zona 4 Gestus Compras Cartão ECOTUR Portal Gestus Cartão Gestus Contact Center CRM Zona 4 O LOGOTIPO Características:

Leia mais

O controlo de gestão nas unidades de saúde: o Balanced Scorecard

O controlo de gestão nas unidades de saúde: o Balanced Scorecard O controlo de gestão nas unidades de saúde: o Balanced Scorecard P o r C a r l o s M a n u e l S o u s a R i b e i r o O Balanced Scorecard apresenta-se como alternativa viável aos tradicionais sistemas

Leia mais

O seu escritório na nuvem - basta usar o browser.

O seu escritório na nuvem - basta usar o browser. 02 O seu escritório na nuvem - basta usar o browser. As soluções tecnológicas que encontra para melhorar a colaboração na sua empresa são muito caras e complexas? Pretende tornar as suas equipas mais ágeis

Leia mais

Business analytics conquista terreno

Business analytics conquista terreno Business analytics conquista terreno Surge como uma evolução natural do business inteliigence e alimenta-se da necessidade de as empresas obterem respostas cada vez mais exactas. O business analytics acaba

Leia mais

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema PHC Dashboard CS Um novo nível de gestão A gestão da informação empresarial de forma sintética, visual e abrangente, possibilitando uma tomada de decisão mais rápida, correcta e precisa. BUSINESS AT SPEED

Leia mais

Helping your business grow faster

Helping your business grow faster Helping your business grow faster Espírito de Inovação TECNOLOGIA E INOVAÇÃO A FAVOR DAS EMPRESAS Fundada em 1995, a NOESIS é uma consultora portuguesa que fornece soluções para aumentar a competitividade,

Leia mais

Modernização dos Sistemas de Informação do Grupo Prosegur

Modernização dos Sistemas de Informação do Grupo Prosegur Modernização dos Sistemas de Informação do Grupo Prosegur Rogério Machado Director Técnico José Monteiro Ferreira Director Informática e Telecomunicações AGENDA 1. A APR 2. APRESENTAÇÃO DO PROJECTO 3.

Leia mais

Portugal Telecom. Zeinal Bava CFO do Grupo Portugal Telecom. Governo das Sociedades e a Transparência das Empresas Cotadas

Portugal Telecom. Zeinal Bava CFO do Grupo Portugal Telecom. Governo das Sociedades e a Transparência das Empresas Cotadas Portugal Telecom Governo das Sociedades e a Transparência das Empresas Cotadas Zeinal Bava CFO do Grupo Portugal Telecom Lisboa, 12 de Dezembro de 2002 Estrutura do Grupo PT Comunicações PT Móveis PT Prime

Leia mais

ACE BUSINESS CLASS PLUS SEGURO DE VIAGEM CORPORATE INTERNACIONAL

ACE BUSINESS CLASS PLUS SEGURO DE VIAGEM CORPORATE INTERNACIONAL ACE BUSINESS CLASS PLUS SEGURO DE VIAGEM CORPORATE INTERNACIONAL Apesar das sequelas da crise financeira global e da ressaca de uma recessão em vários países, os analistas esperam que a procura de viagens

Leia mais

Implemente a sua solução de Gestão de Marketing, Vendas e Serviço de Clientes, em menos de 7 dias.

Implemente a sua solução de Gestão de Marketing, Vendas e Serviço de Clientes, em menos de 7 dias. GoldMine QuickStart Implemente a sua solução de Gestão de Marketing, Vendas e Serviço de Clientes, em menos de 7 dias. O GoldMine é uma ferramenta de gestão da relação com os clientes (CRM-Costumer Relationship

Leia mais

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS FACTOS A Internet mudou profundamente a forma como as pessoas encontram, descobrem, compartilham, compram e se conectam. INTRODUÇÃO Os meios digitais, fazendo hoje parte do quotidiano

Leia mais

novo portal de turismo Instituto de Turismo de Portugal

novo portal de turismo Instituto de Turismo de Portugal o portal de turismo à conquista de mais e melhores turistas novo portal de turismo ú novo portal de turismo ú o projecto enquadramento www.portugalinsite.pt envelhecimento natural, 7 anos depois do seu

Leia mais

Com esta tecnologia Microsoft, a PHC desenvolveu toda a parte de regras de negócio, acesso a dados e manutenção do sistema.

Com esta tecnologia Microsoft, a PHC desenvolveu toda a parte de regras de negócio, acesso a dados e manutenção do sistema. Caso de Sucesso Microsoft Canal de Compras Online da PHC sustenta Aumento de 40% de Utilizadores Registados na Área de Retalho Sumário País: Portugal Industria: Software Perfil do Cliente A PHC Software

Leia mais

Objectivos de aprendizagem

Objectivos de aprendizagem Capítulo 6 1 Telecomunicações e redes 2 Objectivos de aprendizagem ƒ Identificar as principais tendências e os grandes desenvolvimentos nas empresas, nas tecnologias e nas aplicações de negócio, das telecomunicações

Leia mais

Capítulo Descrição Página

Capítulo Descrição Página MANUAL DA QUALIIDADE ÍNDICE Capítulo Descrição Página 1 Apresentação da ILC Instrumentos de Laboratório e Científicos, Lda Dados sobre a ILC, sua história, sua organização e modo de funcionamento 2 Política

Leia mais

Sociedade da Informação coloca novos desafios ao consumidor

Sociedade da Informação coloca novos desafios ao consumidor Sociedade da Informação coloca novos desafios ao consumidor Lisboa, 20 de Junho Comércio electrónico, segurança dos dados pessoais, regulação e mecanismos de protecção foram alguns dos temas discutidos

Leia mais

Tradicionalmente como surgem? Existem ambientes mais propícios para o nascimento de ideias/projectos inovadores?

Tradicionalmente como surgem? Existem ambientes mais propícios para o nascimento de ideias/projectos inovadores? O que é uma start-up? As empresas que criam modelos de negócio altamente escaláveis, a baixos custos e a partir de ideias inovadoras são normalmente consideradas empresas startups. Concebidas para crescerem

Leia mais

Síntese. de Resultados. 1. Sobre a ACEP

Síntese. de Resultados. 1. Sobre a ACEP 1. Sobre a ACEP A ACEP - Associação de Comércio Electrónico em Portugal é uma organização independente sem fins lucrativos, de pessoas individuais e colectivas, visando o estudo e a implementação das diversas

Leia mais

Síntese do estudo sobre A ADESÃO DAS PME NACIONAIS À PRÁTICA DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO

Síntese do estudo sobre A ADESÃO DAS PME NACIONAIS À PRÁTICA DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO Síntese do estudo sobre A ADESÃO DAS PME NACIONAIS À PRÁTICA DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO 1. PRINCIPAIS CONCLUSÕES Há um entendimento razoável das vantagens da prática do comércio electrónico no seio das PME

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 2015 Quem é a 2VG? A Empresa A 2VG Soluções Informáticas SA., é uma empresa tecnológica portuguesa, fundada em 2009, que surgiu para colmatar uma necessidade detetada no mercado

Leia mais

Paulo Alves / CEO. paulo.alves@proside.pt

Paulo Alves / CEO. paulo.alves@proside.pt Paulo Alves / CEO paulo.alves@proside.pt Sistemas Integrados de Atendimento O que fazemos A Empresa Concepção, Arquitectura e Implementação de Sistemas de Informação; Consultoria Tecnológica de Sistemas

Leia mais

1 Serviços de Planeamento e Transformação Empresarial Os Serviços de Planeamento e Transformação Empresarial da SAP incluem:

1 Serviços de Planeamento e Transformação Empresarial Os Serviços de Planeamento e Transformação Empresarial da SAP incluem: Descrição de Serviços Serviços de Planeamento e Empresarial Os Serviços de Planeamento e Empresarial fornecem serviços de consultoria e prototipagem para facilitar a agenda do Licenciado relativa à inovação

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Correio(s) electrónico(s) Miguel Pedro Mendes d Araújo Morada(s) Rua António Gustavo Moreira, n.º 35 Hab. 2.5 4400-660 Vila

Leia mais

Na minha opinião como estão as empresas a atravessar a crise?

Na minha opinião como estão as empresas a atravessar a crise? Na minha opinião como estão as empresas a atravessar a crise? O sector empresarial sente a crise como está a sentir a restante sociedade. A elevada taxa de desemprego de 12,3% traduz bem o drama social

Leia mais

Decisão da Autoridade da Concorrência PROCESSO AC-I-CCENT/28/2003-DENDRITE INTERNATIONAL INC./SYNAVANT INC.

Decisão da Autoridade da Concorrência PROCESSO AC-I-CCENT/28/2003-DENDRITE INTERNATIONAL INC./SYNAVANT INC. Decisão da Autoridade da Concorrência PROCESSO AC-I-CCENT/28/2003-DENDRITE INTERNATIONAL INC./SYNAVANT INC. I INTRODUÇÃO 1. Em de 16 de Junho de 2003, a Autoridade da Concorrência recebeu uma notificação

Leia mais

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 New Standards for Business SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 Quem Somos A SCORE INNOVATION é uma empresa que tem como objecto social a prestação de serviços em consultoria,

Leia mais

Paulo Alves / CEO. paulo.alves@proside.pt

Paulo Alves / CEO. paulo.alves@proside.pt Paulo Alves / CEO paulo.alves@proside.pt Sistemas Integrados de Atendimento O que fazemos A Empresa Concepção, Arquitectura e Implementação de Sistemas de Informação; Consultoria Tecnológica de Sistemas

Leia mais

Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing

Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing Planeamento de Campanha de E-Marketing Cada variável, a nível de marketing tem normas próprias, em função dos meios de comunicação através dos quais se veiculam

Leia mais

QUANTINFOR CONSULTORIA INFORMÁTICA UMA EQUIPA, MÚLTIPLOS SERVIÇOS PARA A SUA EMPRESA

QUANTINFOR CONSULTORIA INFORMÁTICA UMA EQUIPA, MÚLTIPLOS SERVIÇOS PARA A SUA EMPRESA QUANTINFOR CONSULTORIA INFORMÁTICA UMA EQUIPA, MÚLTIPLOS SERVIÇOS PARA A SUA EMPRESA Somos uma empresa de Consultoria Informática que presta serviços na área das Tecnologias de Informação e Comunicação

Leia mais

O reforço da gestão da inovação nas empresas portuguesas CCDR Algarve 6 de Maio de 2009 Isabel Caetano COTEC Portugal

O reforço da gestão da inovação nas empresas portuguesas CCDR Algarve 6 de Maio de 2009 Isabel Caetano COTEC Portugal O reforço da gestão da inovação nas empresas portuguesas CCDR Algarve 6 de Maio de 2009 Isabel Caetano COTEC Portugal COTEC PORTUGAL - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL PARA A INOVAÇÃO A COTEC Portugal - Associação

Leia mais

A vantagem competitiva através do desenvolvimento do e-business

A vantagem competitiva através do desenvolvimento do e-business A vantagem competitiva através do desenvolvimento do e-business Artigo original redigido por: Dien D. Phan Extraído do Information & Management, Vol.40, 2003 (pág.581-590) Introdução * E-business O seu

Leia mais