Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Refer ncia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Refer ncia"

Transcrição

1 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Refer ncia Red Hat Network Satellite Edição 4 Red Hat Equipe de Documentação

2 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Refer ncia Red Hat Network Satellite Edição 4 Red Hat Equipe de Do cumentação

3 Legal Copyright 2010 Red Hat, Inc. T his document is licensed by Red Hat under the Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 Unported License. If you distribute this document, or a modified version of it, you must provide attribution to Red Hat, Inc. and provide a link to the original. If the document is modified, all Red Hat trademarks must be removed. Red Hat, as the licensor of this document, waives the right to enforce, and agrees not to assert, Section 4d of CC-BY-SA to the fullest extent permitted by applicable law. Red Hat, Red Hat Enterprise Linux, the Shadowman logo, JBoss, MetaMatrix, Fedora, the Infinity Logo, and RHCE are trademarks of Red Hat, Inc., registered in the United States and other countries. Linux is the registered trademark of Linus Torvalds in the United States and other countries. Java is a registered trademark of Oracle and/or its affiliates. XFS is a trademark of Silicon Graphics International Corp. or its subsidiaries in the United States and/or other countries. MySQL is a registered trademark of MySQL AB in the United States, the European Union and other countries. Node.js is an official trademark of Joyent. Red Hat Software Collections is not formally related to or endorsed by the official Joyent Node.js open source or commercial project. T he OpenStack Word Mark and OpenStack Logo are either registered trademarks/service marks or trademarks/service marks of the OpenStack Foundation, in the United States and other countries and are used with the OpenStack Foundation's permission. We are not affiliated with, endorsed or sponsored by the OpenStack Foundation, or the OpenStack community. All other trademarks are the property of their respective owners. Resumo Bem vindo(a) ao Guia de Referência do RHN Satellite

4 Índice Índice. Introdução ao... Guia Mais por vir Envie-nos seu Feedback 12. Capítulo Visão Geral do... Red.... Hat..... Network O módulo Update O Módulo Management O módulo Provisioning O módulo Monitoring Notificações de Erratas e Instalações de Pacote Agendadas Segurança, Controle de Qualidade e o Red Hat Network 14. Capítulo O... cliente rhn_register Usando o rhn_register Versão da linha de comando do rhn_register 17. Capítulo Atualizador de... Pacote (Package Updater) Usando o Atualizador de Pacotes O Applet do Atualizador de Pacotes Atualização de Pacotes usando a Linha de Comando com yum Comandos yum 20. Capítulo The..... Red..... Hat.... Network Website Navegação Categorias e Páginas Ícones dos Alertas de Erratas Busca Rápida Sistemas Selecionados Listas Autenticação no Site do RHN A página de Visão Geral do RHN A página "Sua Conta" Endereços Alterar Desativação de Conta (Account Deactivation) A página "Suas Preferências" Preferências de Localidade (Locale Preferences) Gerenciamento de Subscrições (Subscription Management) Direitos de Sistema (System Entitlements) Direitos à Virtualização (Virtualization Entitlements) Direitos à Canais de Software (Software Channel Entitlements) T rusts de Organizações (Organization T rusts) Sistemas Visão Geral A página "Sistemas" A página "T odos" A página "Sistemas Virtuais" A página "Desatualizado" A página "Sem T ítulo" A página "Desagrupado" A página "Inativo" Registrado Recentemente Proxy 27 1

5 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Sistemas Duplicados (Duplicate Systems) Detalhes do Sistema (System Details) Detalhes do Sistema (System Details) Detalhes (Details) Detalhes de Sistema Detalhes Visão Geral (Overview) Detalhes de Sistema Detalhes Propriedades Detalhes de Sistema Detalhes s Detalhes de Sistema Detalhes Satellite Detalhes de Sistema Detalhes Hardware Detalhes de Sistema Detalhes s Detalhes de Sistema Detalhes Proxy Detalhes de Sistema Detalhes Proxy Detalhes de Sistema Detalhes Satellite Detalhes do Sistema (System Details) Software Detalhes de Sistema Software Errata Detalhes de Sistema Software Pacotes Detalhes de Sistema Software Canais de Software Detalhes de Sistema Configuração Sandbox Detalhes de Sistema Configuração Visão Geral Detalhes de Sistema Configuração Arquivos Gerenciados Detalhes de Sistema Configuração Comparar Arquivos Detalhes de Sistema Configuração Gerenciar Canais de Configuração Detalhes de Sistema Configuração Sobrescrição Local Detalhes de Sistema Configuração Sandbox Detalhes do Sistema (System Details) Provisioning Detalhes de Sistema Provisioning Kickstart Detalhes de Sistema Provisioning Snapshots Detalhes de Sistema Provisioning Marcações de Snapshots Detalhes de Sistema Virtualização Detalhes de Sistema Virtualização Detalhes Detalhes de Sistema Monitoring Detalhes de Sistema Eventos Detalhes de Sistema Grupos Lista/Deixar Detalhes de Sistema Eventos Pendente Detalhes do Sistema (System Details) Eventos Detalhes de Sistema Eventos Pendente Detalhes de Sistema Eventos Histórico Grupos de Sistemas Criando Grupos (Creating Groups) Adicionar e Remover Sistemas de Grupos (Adding and Removing Systems in Groups) Detalhes do Grupo de Sistemas Detalhes do Grupo de Sistema Detalhes (Details) Detalhes do Grupo de Sistema Sistemas Detalhes do Grupo de Sistema Sistemas Alvo Detalhes do Grupo de Sistema Errata Detalhes do Grupo de Sistema Admins Detalhes do Grupo de Sistema Probes Gerenciador do Conjunto de Sistemas Gerenciador de Conjunto de Sistemas Visão Geral Gerenciador de Conjunto de Sistemas Sistemas Gerenciador de Conjunto de Sistemas Errata Gerenciador de Conjunto de Sistemas Pacotes Gerenciador de Conjunto de Sistemas Pacotes Upgrade Gerenciador de Conjunto de Sistemas Pacotes Instalar Gerenciador de Conjunto de Sistemas Pacotes Remover Gerenciador de Conjunto de Sistemas Verificar

6 Índice Gerenciador de Conjunto de Sistemas Reparos Gerenciador de Conjunto de Sistemas Reparar Clusters Gerenciador de Conjunto de Sistemas Grupos Gerenciador de Conjunto de Sistemas Canais Gerenciador de Conjunto de Sistemas Canais Subscrições de Canais Gerenciador de Conjunto de Sistemas Configuração Gerenciador de Conjunto de Sistemas Configuração Implementar Arquivos Gerenciador de Conjunto de Sistemas Configuração Comparar Arquivos Gerenciador de Conjunto de Sistemas Configuração Subscrever a Canais Gerenciador de Conjunto de Sistemas Configuração cancelar subscrição dos Canais Gerenciador de Conjunto de Sistemas Configuração Ativar Configuração Gerenciador de Conjunto de Sistemas Provisioning Gerenciador de Conjunto de Sistema Provisioning Kickstart Gerenciador de Conjunto de Sistema Provisioning Marcar Sistemas Gerenciador de Conjunto de Sistema Provisioning Rollback Gerenciador de Conjunto de Sistema Provisioning Comando Remoto Gerenciador de Conjunto de Sistemas Misc Gerenciador de Conjunto de Sistema Misc Atualizações de Perfil de Sistema Gerenciador de Conjunto de Sistema Misc Informações de Sistema Padronizado Gerenciador de Conjunto de Sistema Provisioning Reinicializar Sistemas Gerenciador de Conjunto de Sistema Misc Bloquear Sistemas Gerenciador de Conjunto de Sistema Misc Remover Sistemas Gerenciador de Conjunto de Sistemas Misc Adicionar ou Remover Direitos de Serviços Adicionais Gerenciador de Conjunto de Sistema Misc Preferências de Sistema Busca Avançada Chaves de Ativação Administrando Chaves de Ativação Utilizando Chaves de Ativação Múltiplas de uma só vez Perfis Armazenados Informações Personalizadas de Sistema rhn-custom-info Arquivo Kickstart Introdução a Kickstarts O Kickstart Explicado Pré-requisitos do Kickstart Preparando ISOs de Kickstart Inicializáveis Integrando o Kickstart com o PXE Perfis de Kickstart Criar um Novo Perfil Kickstart Detalhes do Kickstart Variantes Detalhes do Kickstart Sistema Operacional Detalhes do Kickstart Variantes Detalhes do Kickstart Opções Avançadas Detalhes do Kickstart Kickstart Bare Metal Detalhes do Sistema (System Details) Detalhes (Details) Detalhes de Sistema Idioma Detalhes de Sistema Partitioning Detalhes de Sistema Preservação do Arquivo Detalhes do Sistema (System Details) GPG e SSL Detalhes de Sistema T roubleshooting Software Grupos de Pacotes

7 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Software Perfis de Pacotes Chave de Ativação Scripts Arquivo de Kickstart Kickstart Bare Metal Kickstart GPG e Chaves SSL Kickstart Distribuições Kickstart Distribuições Variantes Kickstart Preservação do Arquivo 4.5. Errata Erratas Relevantes T odas Erratas Aplicar Atualizações de Errata Detalhes da Errata Errata Details Details Detalhes da Errata Pacotes Detalhes da Errata Sistemas Afetados Busca Avançada 4.6. Canais Canais de Software Canais Base Extended Update Support (Suporte de Atualização Estendido - EUS) canais filhos T odos os Canais Canais da Red Hat Canais Populares Meus Canais Canais Compartilhados Canais Aposentados Detalhes Canais de Software Detalhes de Canal de Software Detalhes Detalhes de Canal de Software Errata Detalhes de Canal de Software Pacotes Detalhes de Canal de Software Sistemas Subscritos Detalhes de Canal de Software Sistemas Alvo Busca de Pacotes Administrar Canais de Software Gerenciar Canais de Software Detalhes de Canais Gerenciar Canais de Software Detalhes do Canal Detalhes de Canal Gerenciar Canais de Software Detalhes de Canal Gerenciadores Gerenciar Canais de Software Detalhes de Canal Errata Gerenciar Canais de Software Detalhes de Canal Pacotes Gerenciar Canais de Software Gerenciar Pacotes de Software Gerenciar Canais de Software Gerenciar Repositórios 4.7. Configuração Preparando Sistemas para Gerenciamento de Configuração Visão Geral Canais de Configuração Configuração Canais de Configuração Detalhes de Canal de Configuração Arquivos de Configuração Arquivos Gerenciados Centralmente Arquivos Gerenciados Localmente Incluindo Macros em seus Arquivos de Configuração Sistemas Sistemas Gerenciados

8 Índice Sistemas Alvos 4.8. Agendamento (Schedule) Ações Pendentes Ações com Falhas Ações Completas Ações Arquivadas Lista de Ações Detalhes da Ação Action Details Details Action Details Completed Systems Action Details In Progress Systems Action Details Failed Systems 4.9. Usuários User List Ativo Lista de Usuário Ativo Detalhes de Usuário Lista de Usuário Ativo Detalhes de Usuário Detalhes Lista de Usuário Ativo Detalhes de Usuário Grupos de Sistema Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Sistemas Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Canal de Permissões Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Permissão de Canal Subscrição Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Permissão de Canal Gerenciamento Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Preferências Lista de Usuários Ativos Detalhes de Usuário Endereços Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Métodos de Notificação User List Desativado Lista de Usuário T odos Monitoring Estado de detecção Status do Probe Critico Status do Probe Warning Status do Probe Desconhecido Status do Probe Pendente Status do Probe OK Status do Probe Todos Estado Atual Notificação Notificação Filtros Notification Notification Filters Active Filters Notificatção Filtros de Notificação Filtros Expirados Conjuntos de Probes Forçar Agente de Configuração Config Geral A página "Admin" Organzations do Admin Admin Satellite Configuration General Admin Satellite Configuration General Satellite T ools Satellite Configuration Monitoring Admin Satellite Configuration Certificate Admin Satellite Configuration Bootstrap Script Admin Satellite Configuration Organizations Admin Satellite Configuration Restart A página "Help" Guia de Referência Guia de Instalação do Satellite

9 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Guia de Instalação do Satellite Guia do Proxy Guia de Configuração do Cliente Guia de Administração de Canais Release Notes (s de Lançamento) API Busca (Search) Capítulo Monitoramento (Monitoring) Pré-requisitos Red Hat Network Monitoring Daemon (rhnmd) Probes que requerem o daemon Instalando o Red Hat Network Monitoring Daemon Configurando o SSH Instalando a chave SSH mysql pacote Notificações Criando Métodos de Notificação Recebendo Notificações Redirecionando Notificações Filtrando Notificações Apagando Métodos de Notificação Probes (detecções) Administrando probes Estabelecendo Limites Monitorando o Servidor RHN Resolução de Problemas (T roubleshooting) Examinando Probes com rhn-catalog Visualizando o output de rhn-runprobe 70. Capítulo Multiple Organizations (Múltiplas Organizações) Modelando seu Satellite para o uso do Multi-Organization Satellite Gerenciado Centralmente para uma Organização de Departamento Múltiplo Gerenciamento Descentralizado de Organizações Múltiplas de T erceiros Dicas Gerais para Uso de Multi-Org O Certificado Possui Menos Direitos (Entitlements) do que Estou Utilizando O Certificado Possui Mais Direitos do Que Estou Utilizando Admin Organizações Admin Organizations Detalhes Criando uma Organização Gerenciando Direitos Admin Subscriptions Direitos de Canal de Software Admin Subscriptions Direitos de Sistema Configurando Sistemas em uma Organização T rusts Organizacionais Estabelecendo uma Organizational T rust Compartilhando Canais de Conteúdo entre as Organizações no T rust Migrando Sistemas a partir de Uma Organização em T rust para Outra Usando migrate-system-profile Admin Usuários Admin Organizações Detalhes Usuários 76. Capítulo RHN..... Satellite and..... Virtualized Client Systems Configurando o Sistema Host para seus Sistemas Virtuais Criar um Perfil Kickstart para os Sistemas de hóspedes Realize o Kickstart do seu Sistema Host Seu Sistema Host não possui o Red Hat Enterprise Linux instalado 78 6

10 Índice Seu Sistema Host já possui um Red Hat Enterprise Linux 6 Instalado Seu Sistema Host já possui um Red Hat Enterprise Linux 5 Instalado 7.2. Configurando Seus Sistemas Virtuais Crie o Perfil do Kickstart para os Sistemas Convidados Provisionar seus Sistemas Convidado Gerenciando seus Direitos a Hóspedes Virtuais 7.3. T rabalhando com seus Sistemas Virtuais Autenticando nos Sistemas Virtuais Diretamente através do SSH Obtendo Acesso de Console Através do Host Instalando o Software Através da Interface da Web do Satellite Instalando o Software Através do Yum a partir do Sistema Virtual Reiniciando Hóspedes nas Reinicializações do Host Removendo os Sistemas Virtuais Capítulo Cobbler Requerimentos do Cobbler Configurando Cobbler com o /etc/cobbler/settings Serviços Requeridos para o Cobbler Configurando o Cobbler com o DHCP Configurando um Servidor DHCP Existente Configurando o Xinetd e TFTP para o Cobbler Configurando o SELinux e o IPT ables para o Suporte Cobbler Configuração do SELinux Configuração de IPT ables Sincronizando e Iniciando o Serviço Cobbler Adicionando uma Distribuição ao Cobbler Adicionando um Perfil ao Cobbler Adicionando um Sistema ao Cobbler Modelos do Cobbler Usando Modelos (T emplates) Kickstart Snippets Usando o Koan Usando o Koan para Prover Sistemas Virtuais Usando o Koan para Reinstalar os Sistemas de Execução 87. Capítulo Guia de... Suporte ao... UNIX Introdução Variantes do UNIX Suportadas Pré-requisitos Funcionalidades Inclusas Diferenças nas Funcionalidades Funcionalidades Excluídas Preparação/Configuração do Servidor Satellite Preparação de Sistema Cliente Unix Baixando e Instalando os Pacotes Adicionais Instale Pacotes de T erceiros Configurando o Caminho de Busca de Biblioteca Baixando os Pacotes Cliente RHN Instalando os Pacotes RHN Incluindo os Pacotes RHN no PATH Implementando os Certificados SSL Cliente Configurando clientes Registro e Atualizações de Clientes da Unix Registrando Sistemas Unix Obtendo Atualizações Carregando Pacotes no Satellite 92 7

11 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência solaris2mpm rhnpush com arquivos.mpm Atualizando Através do Site rhnsd Atualizando pela Linha de Comando 9.5. Comandos Remotos Habilitando Comandos Invocando Comandos RHN.... Registration Client A.1. Configurando o RHN Registration Client 95 A.2. Iniciando o RHN Registration Client 95 A.3. Registrando uma Conta de Usuário 96 A.4. Registrando um Perfil de Sistema (System Profile) 97 A.4.1. Perfil de Hardware do Sistema 97 A.4.2. Perfil de Software do Sistema 98 A Coletando Informações do Banco de Dados RPM 98 A Escolhendo os Pacotes RPM a Excluir do Perfil de Sistema 98 A.5. Finalizando o Registro 99 A.6. Apontando Direitos a Seu Sistema 100 A.7. Cliente de Registro do RHN em Modo Texto 100. Ferramentas de... Administração de... Configuração na... Linha de... Comandos B.1. Red Hat Network Actions Control 101 B.1.1. Opções gerais da linha de comandos 101 B.2. Red Hat Network Cliente de Configuração (Red Hat Network Configuration Client) 101 B.2.1. Listando Arquivos de Configuração 101 B.2.2. Obtendo um Arquivo de Configuração 101 B.2.3. Visualizando Canais de Configuração 102 B.2.4. Diferenciando entre arquivos de configuração 102 B.2.5. Verificando arquivos de configuração 102 B.3. Red Hat Network Configuration Manager 102 B.3.1. Criando um Canal de Configuração 103 B.3.2. Adicionando Arquivos a um Canal de Configuração 103 B.3.3. Diferenciando entre os Arquivos de Configuração mais Recentes 103 B.3.4. Diferenciando entre Versões Diversas 103 B.3.5. Fazendo o Download de T odos Arquivos de um Canal 104 B.3.6. Obtendo o Conteúdo de um Arquivo 104 B.3.7. Listando T odos Arquivos de um Canal 104 B.3.8. Listando T odos Canais de Configuração 104 B.3.9. Removendo um Arquivo de um Canal 104 B Apagando um Arquivo de Configuração 104 B Determinando o Número de Revisões do Arquivo 105 B Atualizando um Arquivo de um Canal 105 B Upload de Arquivos Múltiplos 105. Acesso ao... RHN..... API C.1. Usando a Classe auth e Obtendo a Sessão 106 C.2. Obtendo o system_id (ID do sistema) 106 C.3. Determinando o sid (ID do servidor) 106 C.4. Visualizando o cid (ID do canal) 106 C.5. Obtendo o sgid (ID do grupo de sistemas) 106 C.6. Rótulos de Canais 106 C.7. Amostra de Script API 106. Probes

12 Índice D.1. Diretrizes das Probes D.2. Apache 1.3.x e 2.0.x D.2.1. Apache::Processos D.2.2. Apache::T raffic D.2.3. Apache::Uptime D.3. BEA WebLogic 6.x e mais recente D.3.1. BEA WebLogic::Execute Queue D.3.2. BEA WebLogic::Heap Free D.3.3. BEA WebLogic::JDBC Connection Pool D.3.4. BEA WebLogic::Server State D.3.5. BEA WebLogic::Servlet D.4. Geral D.4.1. General::Remote Program (Geral::Programa Remoto) D.4.2. General::Remote Program with Data (Geral::Programa Remoto com Dados) D.4.3. General::SNMP Check D.4.4. General::T CP Check D.4.5. General::UDP Check D.4.6. General::Uptime (SNMP) D.5. Linux D.5.1. Linux::CPU Usage (Linux::Utilização do CPU) D.5.2. Linux::Disk IO T hroughput (Linux::Produção de E/S do Disco ) D.5.3. Linux::Disk Usage (Linux::Uso do Disco ) D.5.4. Linux::Inodes D.5.5. Linux::Interface T raffic (Linux::T ráfego da Interface) D.5.6. Linux:Load (Linux::Carga) D.5.7. Linux::Memory Usage (Linux::Uso da Memória) D.5.8. Linux::Process Counts by State (Linux::Contagem de Processos por Estado) D.5.9. Linux::Process Count T otal (Linux::Contagem T otal de Processos) D Linux::Process Health (Linux::Saúde dos Processos) D Linux::Process Running (Linux::Processo em Andamento) D Linux::Swap Usage (Linux::Uso de Swap) D Linux::T CP Connections by State (Linux::Conexões T CP por Estado) D Linux::Users (Linux::Usuários) D Linux::Virtual Memory (Linux::Memória Virtual) D.6. LogAgent D.6.1. LogAgent::Log Pattern Match (LogAgent::Correspondência de Padrões em Registros) D.6.2. LogAgent::Log Size (LogAgent::T amanho do Registro) D.7. MySQL D.7.1. MySQL::Database Accessibility D.7.2. MySQL::Opened T ables D.7.3. MySQL::Open T ables D.7.4. MySQL::Query Rate D.7.5. MySQL::T hreads Running D.8. Network Services D.8.1. Network Services::DNS Lookup D.8.2. Network Services::FT P D.8.3. Network Services::IMAP Mail D.8.4. Network Services::Mail T ransfer (SMT P) D.8.5. Network Services::Ping D.8.6. Network Services::POP Mail D.8.7. Network Services::Remote Ping (Serviços de Rede::Ping Remoto) D.8.8. Network Services::RPCService D.8.9. Network Services::Secure Web Server (HT T PS) D Network Services::SSH D Network Services::Web Server (HT T P)

13 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência D.9. Oracle 8i, 9i, 10g, and 11g D.9.1. Oracle::Active Sessions D.9.2. Oracle::Availability D.9.3. Oracle::Blocking Sessions D.9.4. Oracle::Buffer Cache D.9.5. Oracle::Client Connectivity (Oracle::Conectividade do Cliente) D.9.6. Oracle::Data Dictionary Cache D.9.7. Oracle::Disk Sort Ratio D.9.8. Oracle::Idle Sessions D.9.9. Oracle::Index Extents D Oracle::Library Cache D Oracle::Locks D Oracle::Redo Log D Oracle::T able Extents D Oracle::T ablespace Usage D Oracle::T NS Ping D.10. RHN Satellite D RHN Satellite ::Disk Space D RHN Satellite ::Execution T ime D RHN Satellite ::Interface T raffic D RHN Satellite ::Latency D RHN Satellite ::Load D RHN Satellite ::Probe Count D RHN Satellite ::Process Counts D RHN Satellite ::Processes D RHN Satellite ::Process Health D RHN Satellite ::Process Running D RHN Satellite ::Swap D RHN Satellite ::Users Histórico de... Revisões Índice Remissivo A 128 B 129 C 129 D 130 E 130 F 130 G 130 I 131 K 131 L 131 M 132 N 133 O 133 P 133 R 134 S 135 U 136 V 136 W

14 Índice 11

15 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Introdução ao Guia Bem-vindo ao Guia de Referência do Red Hat Network Satellite 5.5. O Guia de Referência do RHN o guiará através do processo de registro de sistemas junto ao Red Hat Network e no uso de suas diversas funcionalidades. Como o Red Hat Network oferece diversos níveis de serviços, do módulo de Atualização (Update) mais básico ao pacote Monitoramento (Monitoring) mais avançado, algumas partes deste guia talvez não sejam aplicáveis à você. Especialmente no site do RHN, o qual apresenta categorias, páginas e abas selecionadas, que dependem do nível de direitos de cada conta. Consulte o Capítulo 4, The Red Hat Network Website para saber o que está à sua disposição. Dependendo da versão do Red Hat Enterprise Linux instalada e da adição de novos recursos, o Red Hat Network Registration Client e o Red Hat Update Agent podem diferir das descrições neste manual. Use o Red Hat Network para atualizar estas aplicações antes de consultar a última versão deste manual. Todas as versões deste manual estão disponíveis nos formatos HTML e PDF no site Para obter uma visão geral do que o RHN Satellite oferece, por favor, reveja as descrições nos sites https://www.redhat.com/systems_management/ and 1. Mais por vir O Guia de Referência do Red Hat Network está em constante crescimento, conforme o lançamento de novos recursos e planos de serviços do Red Hat Network. As versões HTML e PDF deste e de outros manuais estão disponíveis na seção Ajuda do site do RHN Satellite e em Apesar deste manual refletir as informações mais atualizadas, leia as s de Lançamento do RHN para informações que não estavam disponíveis antes de finalizarmos nossa documentação. As notas podem ser encontradas no site do RHN e em A seguinte documentação do RHN foi traduzida para esta versão do RHN Satellite : Guia de Referência do RHN Satellite, Guia de Instalação do RHN Satellite, Guia de Configuração do RHN Client, Guia de Gerenciamento de Canal do RHN e s da Versão do RHN Satellite. A documentação traduzida está disponível no site sob Red Hat Network Satellite Envie-nos seu Feedback Se você deseja fazer alguma sugestão sobre o Guia de Referência do Red Hat Network, por favor submeta um erro no Bugzilla: (http://bugzilla.redhat.com/bugzilla/) no componente Documentation_Reference_Guide (Produto: Red Hat Network Satellite, Versão: 520). 12

16 Capítulo 1. Visão Geral do Red Hat Network Capítulo 1. Visão Geral do Red Hat Network O Red Hat Network é uma solução para administrar um sistema Red Hat Enterprise Linux ou uma rede de sistemas Red Hat Enterprise Linux. Todos os Alertas de Segurança, Alertas de Correções de Bugs e Alertas de Melhorias (coletivamente conhecidos como Alertas de Errata) ou então sua própria seleção personalizada pode ser baixada diretamente da Red Hat. Você pode até mesmo agendar atualizações para serem imediatamente entregues ao seu sistema assim que forem lançadas. Estes são os principais componentes do Red Hat Network: O Red Hat Update Agent (Agente de Atualização Red Hat) o website do Red Hat Network, se estiver em acomodado pelos Servidores RHN centrais, um RHN Satellite ou alimentado através de um RHN Proxy Server. o Red Hat Network Daemon O Red Hat Update Agent (up2date) fornece sua conexão inicial ao Red Hat Network. O Red Hat Enterprise Linux 3 e sistemas operacionais mais novos usam o Red Hat Update Agent para registrar no RHN. O registro envolve criar um nome de usuário e senha únicos no RHN, detectar o hardware do seu sistema para criar um Perfil de Hardware (Hardware Profile) e detectar os pacotes de software instalados no seu sistema, a fim de criar um Perfil de Pacote (Package Profile). Estas informações são enviadas ao RHN, que retorna um System ID único para seu sistema. Após registrá-lo, o Red Hat Update Agent possibilita o registro no canal, instalações de pacotes e administração de Perfis de Sistemas. O Red Hat Update Agent, como componente básico do RHN, é desenvolvido para administrar um único sistema. Permite ao super-usuário do sistema visualizar e aplicar as Erratas ao sistema. A interface web do RHN facilita o gerenciamento (management), o monitoramento e o provisionamento (provisioning) de uma grande escala de sistemas, incluindo a configuração do Red Hat Update Agent para cada sistema. O Red Hat Network Daemon (rhnsd) roda em segundo plano como um serviço e busca notificações e atualizações no Red Hat Network em intervalos de tempo determinados. Este daemon é necessário para agendar atualizações ou outras ações através do site. Red Hat Enterprise Linux 5 usa o aplicativo rhn_register documentado no Capítulo 2, O cliente rhn_register, enquanto Red Hat Enterprise Linux 3 e 4 possuem funcionalidade de registro embutido no Red Hat Update Agent. O Red Hat Network permite que você escolha entre três módulos para determinar seu nível de serviço: Update Management Provisioning Dica Para visualizar uma comparação dos níveis de serviço do RHN, consulte O módulo Update O serviço Update do RHN é ideal para um usuário com um sistema Red Hat Enterprise Linux ou um número pequeno de sistemas Red Hat Enterprise Linux. A Subscrição Atualizada (Updated Subscription) do Update pode ser adquirida no site https://www.redhat.com/apps/store/systems/. Você recebe os seguintes serviços com cada subscrição do Update: Downloads de Software Para clientes que adquiriram subscrições do Red Hat Network, imagens ISO estão disponíveis para download imediato. Acesso Prioritário durante períodos de tráfego intenso Quando a Red Hat lança uma errata grande, os usuários com Acesso Prioritário (Priority Access) têm a garantia de poder acessar os pacotes atualizados imediatamente. Acesso ao Suporte do RHN Todos os clientes ativos da Red Hat Network recebem suporte via Internet para as questões relacionadas ao RHN. Notificação de Erratas, Sistemas Múltiplos Subscrições para sistemas múltiplos significa receber notificações de Erratas para todos estes sistemas. Note que apenas um é enviado por Errata, independente do número de sistemas afetados. Atualizações de Erratas, Sistemas Múltiplos Obtenha atualizações rápidas para sistemas múltiplos com um simples clique para cada sistema O Módulo Management Além das funcionalidades oferecidas no nível de subscrição RHN Update, o serviço RHN Management permite a você administrar sua rede de sistemas Red Hat Enterprise Linux, usuários e grupos de sistemas através da interface de Gerenciador de Conjunto de Sistemas (System Set Manager). O RHN Management é baseado no conceito de uma organização. Cada cliente da Red Hat com o nível Management tem a habilidade para estabelecer usuários com privilégios administrativos a grupos de sistemas. Um Administrador de Organização tem controle total sobre cada organização no Red Hat Network com a habilidade de adicionar e remover sistemas e usuários. Quando usuários que não sejam Administradores do Satellite (Satellite Administrator) se autenticam no website do Red Hat Network, eles somente vêem os sistemas em que eles estão habilitados a administrar. Para criar uma conta que pode ser usada para indicar sistemas ao RHN Management, visite https://rhn.redhat.com/ e clique no link Criar Login (Create Login) sob os campos Entrar (Sign in). Na página Criar um login Red Hat (Create a Red Hat Login), clique em Criar um novo login de empresa (Create a new Corporate Login). Após criar uma conta corporativa, você pode adicionar usuários da sua organização à esta. As funcionalidades do Red Hat Network disponíveis a você dependem do nível de subscrição de cada sistema Red Hat Enterprise Linux. Com cada subscrição Management, você recebe a funcionalidade oferecida aos usuários do Update mais: Comparação de Perfil de Pacote (Package Profile Comparison) Compare o conjunto de pacotes de um sistema aos conjuntos de sistemas similares, com apenas um clique. Busca de Sistemas (Search Systems) Faça uma busca nos sistemas, baseada em diversos critérios: pacotes, informações de rede e até mesmo em rótulos de hardware. Agrupamento de Sistemas (System Grouping) Servidores web, servidores de banco de dados, estações de trabalho e outros sistemas podem ser agrupados de modo a serem administrados de maneira comum. Administradores Múltiplos (Multiple Administrators) Os administradores podem receber direitos para determinados grupos de sistemas, aliviando o peso da administração de sistemas em grandes organizações. Gerenciador de Conjunto de Sistemas (System Set Manager) Agora você pode aplicar ações a um conjunto de sistemas pré-definido ou trabalhar com um conjunto criado na hora, ao invés de sistemas separadamente. Instale um único pacote de software em cada um, registre sistemas num canal novo ou aplique todas as Erratas a estes numa única ação. Processamento em Massa (Batch Processing) Compilar uma lista de pacotes desatualizados de mil sistemas levaria dias para um administrador de sistemas dedicado. O Red Hat Network Management pode fazer isso por você em segundos. 13

17 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência 1.3. O módulo Provisioning Sendo o nível de serviço de administração mais alto, o RHN Provisioning possui todas as funcionalidades oferecidas pelos níveis de subscrição RHN Update e Management. Ele é desenvolvido para permitir que você administre sua rede de sistemas, usuários e grupos de sistemas Red Hat Enterprise Linux. Assim como o Management, o Provisioning é baseado na estrutura de uma organização. Ele leva este conceito um passo adiante ao habilitar aos clientes de Provisioning os direitos à kickstart, reconfiguração, track (registro) e reversão de sistemas em tempo real (revert systems on the fly). Além de todas as funcionalidades mencionadas em níveis de serviço inferiores, o Provisioning oferece: Kickstarting Systems com direitos de serviço Provisioning podem ser reinstalados através do RHN com opções estabelecidas nos perfis kickstart. Os perfis Kickstart podem definir o tipo de carregador de inicilaização; o fuso horário; os pacotes a serem incluídos ou excluídos; o endereço IP permitido; e até mesmo as chaves SSL ou GPG aceitáveis. Configuração do Cliente (Client Configuration) Clientes RHN Satellite podem usar o RHN para administrar os arquivos de configuração em sistemas com direitos à Provisionamento. Os usuários podem fazer upload de arquivos para os canais de configuração personalizados no Satellite, comparar arquivos de configuração locais àqueles armazenados no Satellite e empregar arquivos pelo Satellite. Reversões (Snapshot Rollbacks) Os usuários com direitos à Provisionamento têm a habilidade de reverter o perfil de pacotes e a configuração de sistemas do RHN. Os clientes RHN Satellite também podem reverter arquivos de configuração local. Isso é possível porque são tirados snapshots sempre que uma ação é efetuada num sistema. Estes snapshots identificam grupos, canais, pacotes e arquivos de configuração. A Snapshot Roll Back suporta a habilidade de reverter certas mudanças no sistema, mas não em todo cenário. Por exemplo, você pode trazer de volta um conjunto de pacotes RPM, mas trazer de volta múltiplos níveis de atualização não é suportado. As Informações de Sistemas Padronizadas Os clientes Provisioning podem identificar qualquer tipo de informação que eles queiram escolher sobre seus sistemas registrados; desenvolver chaves específicas de escolha de administrador; e atribuir valores que possam ser encontrados para esta chave para cada sistema com serviço Provisioning. Por exemplo, este recurso permite que os administradores identifiquem o cubículo no qual cada sistema está localizado e procurar em todos os sistemas de acordo com seus cubículos O módulo Monitoring Serviços Monitoring estão disponíveis nos clientes do RHN Satellite com os sistemas Red Hat Enterprise Linux. O Monitoramento permite que uma organização instale probes (detecções) que podem avistar falhas imediatamente e identificar a queda do desempenho antes de tornar-se crítico. Se usado apropriadamente, o direito à Monitoring pode trazer dicas sobre as aplicações, serviços e dispositivos de cada sistema. O Monitoramento oferece: Detecções Detecções Multiplas que vão desde uma simples verificação de ping até programas padronizados remotos criados para retornar dados específicos, podem ser executados no sistema. Notificação Alertas podem ser enviados a endereços de e pagers quando o estado de uma probe se alterar, com os métodos de contato identificados por você. Cada notificação de detecção pode ser enviada a um método ou endereço diferente. Estado Central (Central Status) Os resultados de todas as probes (detecções) são resumidos numa única página Probe Status, com os sistemas afetados separados por estado. Relatório (Reporting) Ao selecionar uma detecção e identificar a medida e intervalo de tempo específicos, você pode gerar gráficos e registros de eventos, descrevendo precisamente como a detecção foi executada. Isto pode ser instrumental em prever e evitar falhas custosas de sistemas. Conjuntos de Detecções Grupos de detecções podem ser atribuídos ao sistema ou a um grupo de sistemas. Como um resultado, sistemas semelhantes podem ser monitorados consistentemente e configurados como um grupo ao invés de serem configurados individualmente. Filtros de Notificação (Notification Filters) As notificações das probes (detecções) podem ser redirecionadas a outro destinatário, paradas ou então enviadas a um destinatário adicional por um período específico, baseado nos critérios da probe, método de notificação, agente ou organização Notificações de Erratas e Instalações de Pacote Agendadas Você pode configurar o Red Hat Network para enviar notificações por avisando sobre novos e atualizados pacotes de software assim que estiverem disponibilizados pelo RHN. Você recebe um e- mail por Errata, independente do número de sistemas afetados. Também é possível agendar instalações ou atualizações de pacotes. Os benefícios incluem: Tempo e esforços reduzidos, necessários por administradores de sistemas para manterem-se informados sobre a lista de Erratas da Red Hat. Vulnerabilidades de segurança minimizadas em sua rede através da aplicação das atualizações assim que a Red Hat as lança Lista filtrada de atualizações de pacotes (os pacotes não relevantes à sua rede não são inclusos) Método confiável de administração de múltiplos sistemas com configurações similares 1.6. Segurança, Controle de Qualidade e o Red Hat Network Todas as transações feitas entre sistemas e o Red Hat Network são criptografados e todos os pacotes RPM são assinados com a assinatura Red Hat's GNU Privacy Guard (GPG) para assegurar a autenticidade. O Red Hat Network incorpora as seguintes medidas de segurança: Seu Perfil de Sistema (System Profile) no site é acessível somente com um nome de usuário e senha verificados pelo RHN. Um Certificado Digital é gravado no sistema cliente após o registro e é usado para autenticar o sistema durante cada transação entre o cliente e o Red Hat Network. O arquivo é acessível somente pelo usuário root no sistema cliente. ARed Hat assina todas as comunicações eletronicamente usando GPG. O RPM pode ser usado para verificar a autenticidade do pacote antes de instalá-lo. A Red Hat criptografa todas as transações usando uma conexão Secure Sockets Layer (SSL). A Equipe de Controle de Qualidade da Red Hat testa e verifica todos os pacotes antes de adicionálos à lista de Erratas da Red Hat e ao Red Hat Network. 14

18 Capítulo 2. O cliente rhn_register Capítulo 2. O cliente rhn_register O Red Hat Enterprise Linux apresenta um aplicativo chamado rhn_register. Este aplicativo funciona com o yum-based RHN Hosted e RHN Satellite client chamado Package Updater (ou pup) o qual substitui o up2date. Para mais informações sobre o pup, consulte o Capítulo 3, Atualizador de Pacote (Package Updater). O aplicativo rhn_register geralmente roda como parte de um processo de configuração do firstboot logo após a instalação. A primeira vez que um sistema recém instalado do Red Hat Enterprise Linux 5 é iniciado, firstboot usa rhn_register para registrar seu sistema com o RHN Usando o rhn_register Existem três situações onde o rhn_registerprecisa ser executado fora do processo firstboot: O processo de registro foi pulado durante a firstboot O sistema está sendo reinstalado O sistema será movido para uma nova conta O rhn_register pode ser utilizado dependendo da situação descrita: Se você nunca se registrou, você pode começar com rhn_register selecionando o Applications ( o menu principal no painel) System Tools Package Updater. (Você precisará inserir a senha do usuário root). O Updater Package, ao executar em um sistema que não tenha sido registrado ainda, inicia o rhn_register e caso não haja um arquivo /etc/sysconfig/rhn/systemid no sistema. Como forma alternativa, você também pode executar o comando rhn_register como root na linha de comando. Se você já registrou e o arquivo /etc/sysconfig/rhn/systemid já existir no sistema, use o rhnreg_ks assim como as chaves de ativação para registrar novamente o sistema sem criar uma entrada duplicada no RHN Satellite. Consulte o Seção , Detalhes de Sistema Detalhes Satellite para obter mais informações. A Figura 2.1 é um aviso que aparece quando você executa o rhn_register e já tenha sido registrado. Figura 2.1. Verificando Registro Clique em Sim, Continuar comente se você tem certeza de que deseja registrar novamente com a possibilidade de duplicar o sistema no Red Hat Network. Caso contrário, utilize o rhnreg_ks e as chaves de ativação. Figura 2.2. Registro para Atualizações de Software A página Registro para Atualizações de Software (Registering for Software Updates) resume os passos envolvidos no processo de registro. Para aprender mais sobre os benefícios do Hosted e Satellite, pressione o botão Porque eu Deveria Conectar à RHN (Why Should I Connect to RHN). Caso contrário, pressione o botão Avançar (Forward) para continuar. 15

19 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Figura 2.3. Escolha um local de Atualização A página Escolha um Local para a Atualização (Choose an Update Location), permite que você selecione a fonte de suas atualizações do software, seja ela no RHN Hosted ou a partir do RHN Satellite Server ou Proxy Server. Para o Satellite ou Proxy, pressione o botão de opção associado e insira a URL do seu Satellite ou Proxy no campo Red Hat Network Location. Se você se conectar à internet através de um HTTP Proxy, pressione o botão Configuração Avançada de Rede (Advanced Network Configuration). Na janela subsequente, use os campos apropriados para seu HTTP proxy, se seu proxy precisar de autenticação, insira o username e senha aqui. Depois de finalizado, pressione o botão Fechar para continuar. Você voltou à página Escolha um Local de Atualização (Choose an Update Location). Pressione Avançar (Forward) para continuar. Figura 2.4. Insira as Informações de sua Conta A página Insira Informações de Conta requer que você insira suas informações de login do RHN se você já tiver uma conta. Caso ainda não possua uma conta e sua empresa possua uma, peça ao Administrador de Empresa para criar uma conta para você. Caso Contrário, você pode não ser associado à sua empresa ou aos recursos que ela oferece. Figura 2.5. Crie seu Perfil de Sistema 16

20 Capítulo 2. O cliente rhn_register A página Crie seu Perfil de Sistema (Create Your System Profile) permite que você selecione um nome de perfil para o sistema que você esteja se registrando. O nome padrão para qualquer sistema é o hostname do sistema, mas pode ser modificado como desejar. Você também pode escolher entre reportar as informações de hardware e pacotes para o RHN ou não. Recomendamos que você escolha reportar estas informações, pois ao fazer isto permitirá que o RHN subscreva os canais base e filho mais apropriados ao seu sistema, automaticamente. Se desejar, poderá pressionar o botão Ver Perfil de Hardware (View Hardware Profile) ou Ver Perfil de Pacote (View Package Profile) para visualizar as informações que o rhn_register carrega no RHN ou Satellite neste passo. Este registro automático não subscreve seu sistema em canais filhos opcionais automaticamente, tais como canais de Ferramenta do RHN. Se desejar registrar seu sistema em um conjunto de canais de sua escolha automaticamente, use o perfil do kickstart ou rhnreg_ks e chaves de ativação. Figura 2.6. Reveja os Detalhes da Subscrição de Sistemas A página Reveja os Detalhes da Subscrição do Sistema (Review System Subscription Details) exibe as informações do canal filho e base para os quais seu sistema foram subscritos. Reveja com calma os canais e depois pressione Avançar (Forward) para continuar. Figura 2.7. Concluir a Instalação de Atualizações do Software A página Concluir a Instalação de Atualizações do Software (Finish Setting Up Software Updates) indica que você registrou um sistema Red Hat Enterprise Linux 5 com o RHN com êxito. A partir deste ponto, você não precisa fazer mais nada para receber as atualizações do software. Um icone de pacote aparecerá no canto direito do seu desktop quando houver atualizações disponíveis. Clique no ícone para aplicar as atualizações disponíveis. Clique em Concluir (Finish) para sair do wizard. Se você não possuir nenhum direito disponível para este sistema, esta página final indica que o registro falhou. Isto não significa que o perfil do sistema não foi armazenado com o RHN, somente que você não receberá atualizações automáticas sem a intervenção manual. Você pode fazer o login na interface do RHN ou Satellite Web e tanto comprar direitos adicionais ou obter um direito do seu administrador do Satellite. Clique em Sair da Instalação da Atualização do software (Exit software update setup) para sair do assitente Versão da linha de comando do rhn_register Também existe uma versão de linha de comando do rhn_register que permite que você registre seu sistema para acessar o RHN ou Satellite sem um ambiente gráfico. Digite rhn_register na janela de comando. Se você estiver em uma janela de terminal e quiser rodar uma versão não gráfica, digite rhn_register --nox para evitar que abra em cliente gráfico. 17

21 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Figura 2.8. Versão de Linha de Comando do rhn_register A interface da versão da linha de comando do rhn_register possui as mesmas telas de configuração que a versão do desktop gráfico. No entanto, para navegar na tela, use as chaves direcionais no teclado para mover para esquerda ou direita e destacar as seleções. Pressione a Barra de Espaço para selecionar uma ação. Pressione Tab para mover em elementos navegacionais diferentes como a caixa de textos, caixa de seleções (as quais são marcadas com um x quando selecionadas) e os botões de opções (os quais serão marcados com um asterisco quando selecionados). 18

22 Capítulo 3. Atualizador de Pacote (Package Updater) Capítulo 3. Atualizador de Pacote (Package Updater) Dependendo da versão do Red Hat Enterprise Linux, os sistemas registrados em um Satellite pode atualizar sistemas cliente diretamente utilizando ferramentas diversas e aplicativos instalados no sistema. O Red Hat Enterprise Linux fornece PackageKit para visualizar, gerenciar, atualizar e instalar pacotes. O aplicativo é discutido em detalhes no Capítulo 6 do Red Hat Enterprise Linux 6 Deployment Guide. Para o Red Hat Enterprise Linux 5, use o Package Updater (ou pup) para manter os sistemas atualizados. O aplicativo Atualizador de Pacote (pup) é o aplicativo de atualização do desktop para o Red Hat Enterprise Linux 5 e 6. Usando esta ferramenta, você poderá atualizar pacotes e ler detalhes nos pacotes atualizados, tais como informações de reparos de erros, alarme de segurança, melhorias e muito mais Usando o Atualizador de Pacotes Para iniciar o Atualizador de Pacotes a partir do desktop, abra o Aplicativos (Applications) (o menu principal do painel) Ferramentas de Sistemas (System Tools) Atualizador de Pacotes (Package Updater). Para iniciar o Package Updater a partir da interface da linha de comando (CLI), digite pup para abrí-lo. Figura 3.1. Interface de Atualizador de Pacotes Caso haja atualizações de pacotes múltiplos, estas serão listadas com um X próximo à elas para que possamos escolher quais arquivos atualizar. Alguns pacotes (por exemplo, pacotes do kernel) podem ter uma seta circular próxima à eles, indicando que você precisa reiniciar seu sistema após atualizar o pacote. Para visualizar os detalhes de atualizações, realce o pacote e clique na seta próxima ao Detalhes de Atualização. Depois que você estiver pronto para atualizar os pacotes, clique em Aplicar atualizações (Apply Updates). O Atualizador irá solucionar quaisquer dependências e notificá-lo quando um pacote deve ser instalado para atender à dependência para um pacote atualizado. Figura 3.2. Dependência de Pacote Clique em Continuar para aceitar a dependência e retomar a atualização Se esta for a primeira vez que você está usando o Atualizador de Pacote, o programa irá solicitar que você insira a chave de segurança GPG do Red Hat que verifica se um pacote foi assinado e se ele é certificado para o Red Hat Enterprise Linux. Figura 3.3. Importar a chave GPG Clique em Importar Chave (Import Key) para aceitar a Chave e continuar com a atualização. Quando a atualização for concluída, você pode precisar reiniciar seu sistema para que as mudanças sejam efetivadas. 19

23 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Figura 3.4. Reinicializar Janela Você pode escolher reinicializar agora ou mais tarde, porém recomendamos clicar em Reinicializar Agora (Reboot Now) para começar a usar os pacotes atualizados O Applet do Atualizador de Pacotes O Red Hat Enterprise Linux 5 também apresenta um programa em execução no painel de desktop gráfico, o qual verifica periodicamente as atualizações disponíveis no servidor RHN ou Satellite e envia um alerta aos usuários quando houver uma. Figura 3.5. Applet de Atualizador de Pacotes O Applet doatualizador de Pacotes se encontra na bandeja de notificações do painel do desktop e verifica se existe alguma atualização periodicamente. O applet também permite que você realize algumas tarefas de manutenção de pacote, clicando no icone de notificação e escolhendo uma das seguintes ações: Atualizar (Refresh) Verificar se há alguma atualização nova no RHN ou Satellite Visualizar Atualizações (View Updates) lança o aplicativo Atualizador de Pacotes (Package Updater) para que você possa ver se há alguma atualização disponível mais detalhadamente e configurar as atualizações de acordo com suas especificações. Aplicar Atualizações (Apply Update) Faça o download e instale todos os pacotes atualizados. Sair (Quit) feche o applet 3.3. Atualização de Pacotes usando a Linha de Comando com yum A base do Atualizador de Pacotes é o gerenciador de pacotes Yum, desenvolvido pela Duke University para aprimorar a instalação de RPMs. O yum busca repositórios suportados para pacotes e suas dependências, portanto devem ser instalados juntos para resolver problemas de dependência. O Red Hat Enterprise Linux 5 usa o yum para buscar e instalar pacotes. O up2date não está disponível no Red Hat Enterprise Linux 5, o qual usa o Yum (Yellowdog Updater Modified). O número todo de ferramentas que instala e atualiza softwares no Red Hat Enterprise Linux 5 se baseia agora no Yum. Isto inclui tudo desde a instalação inicial através do programa de instalação Anaconda até ferramentas de gerenciamento de software como o pirut Comandos yum Os comandos do yum são geralmente digitados da seguinte forma: yum command [package_name] Por padrão, o Yum tentará automaticamente verificar todos os repositórios configurados para resolver todas as dependências de pacotes durante uma instalação ou atualização. Segue uma lista com os comandos do yum mais utilizados. Para uma lista completa dos comandos do yum, consulte o man yum. instalar yumpackage_name Usado para instalar a versão mais recente de um pacote ou grupo de pacotes. Caso nenhum pacote coincida com o(s) nome(s) do(s) pacote(s) especificado(s), eles são considerados um coringa e todos os qualquer coincidencia são instaladas. yum update package_name Usado para atualizar os pacotes específicos para a versão mais recente disponível. Caso não haja pacotes especificados, o yum tentará atualizar todos os pacotes instalados. Se a opção --obsoletes for usada (ou seja, yum --obsoletes package_name), o yum irá processar os pacotes obsoletos. Como tal, os pacotes que estiverem obsoletos nas atualizações serão removidos e substituídos adequadamente. yum check-update Este comando permite que você determine se quaisquer atualizações estão disponíveis para seus pacotes instalados. O yum retorna uma lista de todas as atualizações de pacote a partir de todos os repositórios caso algum esteja disponível. yum remove package_name Usado para remover os pacotes especificados junto com qualquer outro pacote dependente dos pacotes que estão sendo removidos. yum provides package_name Usado para determinar quais pacotes fornecem um arquivo específico ou recurso. yum search keyword Este comando é usado para encontrar qualquer pacote que contenha a palavra chave específica na descrição, sumário, empacotador e campos de nome de pacotes dos RPMs em todos os repositórios suportados. yum localinstall caminho absoluto para o nome de arquivo Usado quando estiver usando o yum para instalar um pacote localizado localmente na máquina. 20

24 Capítulo 4. The Red Hat Network Website Capítulo 4. The Red Hat Network Website Você pode usar o Website do Red Hat Network para administrar múltiplos sistemas Red Hat Enterprise Linux simultaneamente, incluindo a visualização dos Alertas de Errata, a aplicação das Atualizações de Errata e a instalação de pacotes. Este capítulo procura identificar todas as categorias, páginas e abas do site e explicar como usá-las Navegação A Barra de Navegação Superior (Top Navigation Bar) é dividida em abas. Os Administradores do Satellite visualizam a seguinte Top Navigation Bar. Note que somente os clientes RHN Satellite visualizam as abas Monitoramento (Monitoring) e Admin. Figura 4.1. Barra de Navegação do Topo RHN Satellite A Barra de Navegação Esquerda (Left Navigation Bar) é dividida em páginas. Os links são sensíveis a maiúsculas e minúsculas e podem variar ligeiramente entre as interfaces web de clientes RHN Satellite e não-satellite. Veja a seguir um exemplo da Barra de Navegação Esquerda da aba Usuários (Users). Figura 4.2. Barra de Navegação Esquerda Usuários Algumas páginas têm sub-abas. Estas seções oferecem uma camada adicional de granularidade no desempenho de tarefas para sistemas ou usuários. Veja abaixo uma barra de ferramentas de todas as sub-abas de System Details (Detalhes do Sistema). Este sistema tem direitos à Gerenciamento (Management) e Provisionamento (Provisioning), mas não Monitoramento (Monitoring): Figura 4.3. Sub-Abas Detalhes do Sistema Categorias e Páginas Esta seção resume todas as categorias e páginas primárias (aquelas ligadas pelas barras de navegação superior e esquerda) do site do RHN. Não lista as diversas sub-páginas, abas e subseções acessíveis pela barra de navegação esquerda e páginas individuais. Cada área do site é abordada em detalhes mais adiante neste capítulo. Overview (Visão Geral) Visualize e gerencie as informações da sua conta primária e obtenha ajuda. Overview (Visão Geral) Obtenha uma breve visão geral de sua conta. Avisa se seus sistemas precisam de cuidados, oferece um link rápido para acessá-los diretamente e apresenta os Alertas de Errata mais recentes para sua conta. Your Account (Sua Conta) Atualize seu perfil e endereços pessoais. Your Preferences (Suas Preferências) Indique se você deseja receber notificações por e- mail sobre os Alertas de Erratas para seus sistemas, determine como muitos ítens são exibidos de uma vez para listas como as de sistemas e grupos de sistemas, determine seu fuso-horário e identifique suas opções de contato. Locale Preferences (Preferências Locais) Configure idiomas, fuso horário e outras padronizações para seu local específico. Gerenciamento de Subscrição (Subscription Management) Gerencie direitos base e adicionados, tais como Gerenciamento (Management), Provisionamento (Provisioning) e Virtualização. Systems (Sistemas) Administre aqui todos os seus sistemas (incluindo sistemas convidados virtuais). Visa (Management or Provisioning entitlement required) View a summary of your systems or system groups showing how many Errata Alerts each system has and which systems are entitled. Systems (Sistemas) Selecione e visualize sub-conjuntos de seus sistemas classificados por critérios específicos, como Virtual Systems (Sistemas Virtuais), Unentitled (Sem Direitos), Recently Registered (Registrados Recentemente), Proxy e Inactive (Inativo). System Groups (Management or Provisioning entitlement required) List your system groups. Create additional groups. System Set Manager (São Necessários os direitos a serviço Management ou Provisioning) Realiza várias ações em conjuntos coletivos de sistemas, incluindo agendamento de atualizações de errata, gerenciamento de pacote, listagem e criação de novos grupos e gerenciamento de direitos de canais. Advanced Search (São Necessários os direitos a serviço Management ou Provisioning) Procura rapidamente em todo o seu sistema por criterios específicos, tal como nome, hardware, dispositivos, info de sistema, networking, pacotes e local. Activation Keys (Chaves de Ativação) (É necessário possuir os direitos de serviços Gerenciamento ou Provisionamento) Geração de uma chave de ativação para um sistema registrado junto ao RHN. Esta chave de ativação pode ser usada para atribuir um nível de direito ou grupos (group membership) específicos a um sistema recém-registrado, com o comando rhnreg_ks. Stored Profiles (É necessário possuir os direito de serviço Provisionamento) Visualiza perfis de sistema utilizados para sistemas de provisão. Custom System Info (Direito a Serviço Provisioning requerido) Cria e editachaves de informação de sistema contendo valores padronizáveis que podem ser atribuídos enquanto provisionam sistemas. Kickstart (Direito a Serviço Provisioning requerido) Exibe e modifica diversos aspectos dos perfis do kickstart usados no provisionamento de sistemas. Errata Visualize e gerencie erratas aqui. Errata Liste alertas de erratas e baixe os RPMs relevantes. Advanced Search (Busca Avançada) Procure por alertas de erratas baseado em critérios específicos, tais como sinopse, tipo de relatório e nome do pacote. Manage Errata Gerencie a errata para os canais das organizações. Clone Errata Faça um clone da errata para uma organização para facilitar a replicação e distribuição dentro da empresa. Channels (Canais) Veja e administre os canais disponíveis do RHN e os arquivos que contêm. Software Channels (Canais de Software) Veja uma lista de todos os canais de software e 21

25 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência aqueles aplicáveis a seus sistemas. Package Search (Busca de Pacotes) Procure um pacote usando parte ou seu nome inteiro, descrição ou sumário, com suporte para limitar pesquisas de plataformas suportadas. Manage Software Channels (Direito a Serviço Provisioning requerido) Cria e edita canais usados para implementar arquivos de configuração. Configuration (Configuração) Acompanhe e gerencie canais de configuração, ações e arquivos de configuração individuais. Overview (Visão Geral) Uma visão geral do painel que exibe um sumário da configuração. Configuration Channels (Canais de Configuração) Liste e crie canais de configuração do qual qualquer sistema registrado pode receber arquivos de configuração. Configuration Files (Arquivos de Configuração) Lista e cria arquivos dos quais os sitemas recebem entradas de configuração. Systems (Sistemas) Liste os sistemas que possuem os arquivos de configuração do RHN gerenciado. Schedule (Agendar) Acompanhe suas ações agendadas. Pending Actions (Ações Pendentes) Lista ações agendadas que ainda não foram completadas. Failed Actions (Ações com Falha) Liste ações agendadas cuja execução tenha falhado. Completed Actions (Ações Concluídas) Liste ações agendadas que estão completas. Ações concluídas podem ser arquivadas a qualquer momento. Archived Actions (Ações Arquivadas) Liste ações concluídas que tenham sido selecionadas para serem arquivadas. Usuários (Direito a Serviço Provisioning requerido) Visualiza e gerencia usuários para sua empresa. Lista de Usuários (Direito a Serviço Provisioning requerido) Lista usuários para sua empresa. Custom System Info (Direito a Serviço Monitoring requerido) Executa detecções e recebe notificações de sistemas. Status (Direito a Serviço Monitoring requerido) Visualiza detecções por estado. Notifications (Direito a Serviço Monitoring requerido) Visualiza métodos de contado estabelecidos para sua empresa. Conjuntos de Detecções (Direito a Serviço Monitoring requerido) Gerencia sua infraestrutura do monitoring utilizando conjuntos de detecção de monitoring que se aplicam a um ou mais sistemas atribuídos. Scout Config Push (Direito a Serviço Monitoring requerido) Exibe o status de sua infraestrutura de monitoring. Admin (visível somente aos administradores do Satellite) Lista, cria e gerencia uma ou mais organizações do Satellite, do qual o administrador do Satellite poderá atribuir direitos à canais, criar e escolher administradores de cada organização entre outras tarefas. Organizations (Organizações) Lista e cria novas organizações Subscriptions (Subscrições) Lista e gerencia o software e direitos à sistemas para toda a organização no Satellite. Users Lista todos os usuários no Satellite, em toda a empresa. Clique em nomes de usuários individuais para mudar privilégios administrativos para o usuário. Os usuários criados para a administração da organização podem ser configurados somente pelo próprio administrador da empresa e não pelo administrador do Satellite. Satellite Configuration (Configuração do Satellite) Faça mudanças gerais de configuração do Satellite, incluindo configurações de Proxy, Certificado, Bootstrap Script, mudanças de Organização e Reiniciar o Servidor Satellite. Task Engine Status(Estado do Mecanismo de Tarefas) configura o daemon que roda no próprio servidor Satellite e realiza operações de rotina, tais como limpeza de banco de dados, mailings de Erratas, entre outras tarefas que são realizadas em segundo plano Ícones dos Alertas de Erratas Através do Red Hat Network você verá três ícones de alertas de erratas. representa um alerta de segurança. representa um alerta para correção de bugs. representa um alerta de melhorias. Na página Overview (Visão Geral), clique no relatório de Errata para ver os detalhes sobre as Erratas ou clique no nome dos sistemas afetados para ver quais são atingidos pelo Alerta da Errata. Os dois links trazem abas da página Errata Details (Detalhes da Errata). Consulte a Seção , Detalhes da Errata para mais informações Busca Rápida Além da funcionalidade da Busca Avançada (Advanced Search) para Pacotes, Erratas e Sistemas, oferecido em algumas categorias, o RHN Satellite também oferece uma ferramenta de Busca Rápida (Quick Search) próxima ao topo de cada página. Para usá-la, selecione o tipo de item, (escolha entre Systems, Packages, Documentation, e Errata) e digite uma palavra-chave para procurar um nome coincidente e depois clique no botão Buscar (Search). Seus resultados aparecerão no rodapé da página. Caso você tenha feito um erro de digitação de uma palavra durante sua busca, o mecanismo da busca do Satellite apresenta uma sequencia aproximada (ou fuzzy string) que corresponda, fornecendo resultados que podem ser semelhantes ao que foi escrito na pesquisa. Por exemplo, se você quiser pesquisar um sistema de desenvolvimento chamado test- 1.example.com que é registrado no Satellite, mas você escreveu tset errado em sua pesquisa, o sistema test-1.example.com ainda aparecerá em seu resultado de buscas. Se você adicionar uma distribuição ou registrar um sistema em um Satellite, ele pode levar um bom tempo para que seja indexado e apareça nos resultados de busca. Para Buscas Avançadas de Sistema, consulte a Seção 4.4.5, Busca Avançada. Para Buscas Avançadas de Erratas, consulte a Seção 4.5.3, Busca Avançada. Para Buscas Avançadas de Pacotes, consulte a Seção 4.6.2, Busca de Pacotes. Para Buscas Avançadas de Documentação, consulte a Seção , Busca (Search) Sistemas Selecionados Também próxima ao topo da página se encontra uma ferramenta para rastrear os sistemas que você selecionou para usar no Gerenciador de Conjunto de Sistemas (System Set Manager). Esta identifica o número de sistemas selecionados todas as vezes e oferece os meios para trabalhar com estes. Clicar no botão Clear (Limpar) desmarca todos os sistemas, enquanto clicar no botão Manage (Gerenciar) inicia o System Set Manager com seus sistemas selecionados alocados. Estes sistemas podem ser selecionados de diversas maneiras. Somente os sistemas com pelo menos 22

26 Capítulo 4. The Red Hat Network Website um direito a Gerenciamento (Management) têm o direito de seleção. Em todos os sistemas e listas de grupos de sistema, há uma coluna Select (Selecionar) para este propósito. Selecione as caixas de verificação próximas aos sistemas ou aos grupos e clique no botão Update List (Atualizar Lista) abaixo da coluna. Cada vez, a ferramenta de Sistemas Selecionados no topo das páginas muda para refletir o novo número de sistemas prontos para uso no System Set Manager (Gerenciador de Ajustes de Sistemas). Consulte a Seção 4.4.4, Gerenciador do Conjunto de Sistemas para detalhes Listas As informações dentro da maioria das categorias é apresentada no formato de listas. Estas listas têm algumas características de navegação em comum. Por exemplo: você pode navegar através de praticamente todas as listas clicando nos botões back (voltar) e next (próximo) acima e abaixo do lado direito da tabela. Algumas listas também oferecem a habilidade de obter ítens alfabeticamente, clicando nas letras acima da tabela Autenticação no Site do RHN Em um navegador, digite O RHN exibe a página mostrada abaixo, a não ser que um dos dois casos seguintes tenha acontecido: Você autenticou-se recentemente em uma conta em Você recentemente autenticou-se no RHN ou visitou a página de verificação de novas contas. Se você recentemente autenticou-se no ou você será automaticamente redirecionado para a página Overview(Visão Geral). Figura 4.4. Site do RHN Se você ainda não registrou um sistema ou não tem uma conta redhat.com, crie uma nova clicando no link Saiba mais e selecione Sobre, depois selecione Criar Login na página seguinte. Após criar uma nova conta de usuário, você deve registrar um sistema antes de usar o RHN. Após registrar seu sistema no Red Hat Network, volte para e complete os campos username (usuário) e password (senha) com as mesmas informações definidas durante o registro. Após completar, clique no botão Log In para continuar. Dica Você pode clicar na aba Sign In na parte superior da tela para exibir os campos, caso os mesmo não estejam visíveis. Se você não aceitou os Termos do Site do RHN e o acordo T7 anteriomente, você terá que fazê-lo agora, antes de continuar. Para ler o conteúdo de um ou de outro, clique no respectivo título, o que abrirá uma nova janela. Quando você estiver pronto para prosseguir, selecione a caixa de verificação indicando que você aceita os termos do acordo e pressione o botão Continue (Continuar). Você deve aceitar tanto os Termos do Site quanto o acordo T7 para poder usar o RHN. Uma vez que você tenha aceitado os acordos e pressionado o botão Continue, o RHN exibe a página Overview (Visão Geral) A página de Visão Geral do RHN Após a autenticação no site do Red Hat Network, a primeira página a aparecer é Visão Geral (Overview). Esta página contém informações importantes sobre seus sistemas, incluindo sumários dos estados dos sistemas, ações e Alertas de Erratas. Dica Se o site do RHN é novo para você, recomendamos ler a Seção 4.1, Navegação para se familiarizar com o layout e símbolos usados ao longo do site. 23

27 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Figura 4.5. Visão Geral Esta página é dividida em áreas funcionais, com as áreas de maior relevância aparecendo primeiro. Usuários podem controlar quais das seguintes áreas são exibidas através de seleções na página Visão Geral (Overview) Suas Preferências (Your Preferences). Consulte a Seção 4.3.2, A página "Suas Preferências" para maiores informações. A área Tarefas (Tasks) lista as tarefas mais comuns que um administrador executa através da web. Clique em qualquer um dos links para ser levado até a página do RHN que permite que você realize aquela tarefa. À direita encontra-se uma listagem intitulada Sistema Inativo (Inactive System). Aqui são listados quaisquer sistemas que não tenham sidos autenticados no RHN. Destacando-os desta maneira, é possível que um administrador acesse tais sistemas prontamente para solucionar quaisquer problemas. (Direito do serviço Monitoring requerido. Clientes com o serviço Monitoring ativado em seus Satellite podem escolher incluir uma lista de todas as análises no estado Warning. (Direito à serviço Monitoring requerido). Clientes com o Monitoring ativado em seus Satellite podem também escolher incluir uma lista com todas as análises no estado Crítico. A seção Sistemas Críticos (Critical Systems) lista os sistemas mais críticos dentro da sua empresa. Esta seção oferece um link para acessar estes sistemas direta e rapidamente e exibe um resumo das atualizações de errata que ainda não tenham sido aplicadas a estes sistemas. Clique no nome do sistema para ser levado até a página Detalhes do Sistema (System Details) do mesmo e aplicar as atualizações de errata. Abaixo da lista encontra-se um link para a página de sistemas Desatualizados (Out of Date). A seção Ações Agendadas Recentemente (Recently Scheduled Actions) permite que você veja todas as ações e seus respectivos estados ou seja, se as mesmas falharam, concluiram ou ainda estão pendentes. Ações com menos de trinta dias são consideradas recentes. Clique na etiqueta de uma ação para visualizar a página de detalhes da mesma. Abaixo da lista encontra-se um link para a página Ações Pendentes (Pending Actions), a qual lista todas as ações que ainda não tenham sido coletadas pelos seus sistemas clientes. A seção Erratas de Seguridades Relevantes (Relevant Security Errata) lista as erratas de segurança que estejam disponíveis e ainda tenham que ser aplicadas a alguns ou todos os seus sistemas clientes. A aplicação destas erratas de segurança é de crítica importância para que seus sistemas continuem seguros. Abaixo desta seção encontram-se links para todas as erratas e para todas as erratas que sejam relevantes para o seu sistema. A seção Grupos de Sistema (System Groups) lista os grupos (caso haja algum) e indica se os sistemas nestes grupos estão totalmente atualizados. Clique no link abaixo desta seção para ser levado até a página Grupos de Sistemas, a partir da qual você pode escolher System Groups a serem usados com o Gerenciador de Conjunto de Sistema (System Set Manager). A seção Sistemas Registrados Recentemente (Recently Registered Systems) lista os sistemas que foram adicionados ao Satellite nos últimos 30 dias. Clique no nome do sistema para ser levado à página Detalhes de Sistema (System Details) para este sistema específico. Você pode retornar a esta página clicando em Overview (Visão Geral) na barra de navegação esquerda A página "Sua Conta" A página Your Account (Sua Conta) permite a você modificar suas informações pessoais, como nome, senha e cargo. Para modificar alguma destas informações, efetue as alterações nos campos de texto apropriados e clique no botão Update (Atualizar) no canto inferior direito. Lembre-se: se você alterar sua senha no Red Hat Network (aquela usada para se autenticar no RHN e redhat.com), você não verá a nova ao digitá-la por motivos de segurança. Também por motivos de segurança, sua senha é representada por 12 asteriscos, independente de quantos caracteres conter. Substitua os asteriscos nos campos Password (Senha) e Password Confirmation (Confirmar Senha) pela sua senha nova Endereços A página Addresses (Endereços) permite a você administrar seus endereços de correspondência (mailing), para conta (billing) e de envio (shipping), assim como os números de telefone associados. Simplesmente clique em Edit this address (Editar este Endereço) abaixo do endereço a modificar, faça as alterações e clique em Update (Atualizar) Alterar O endereço de listado na página Your Account (Sua Conta) é o endereço para o qual o Red Hat Network envia as notificações de , se você escolher receber os Alertas de Erratas ou sumários diários de seus sistemas na página Your Preferences (Suas Preferências). Para alterar seu endereço de preferido, clique em Change (Alterar ) na barra de navegação esquerda. Em seguida, você é questionado pelo novo endereço de . Indique-o e clique no botão Update (Atualizar). Um de confirmação é enviado ao novo endereço; ao respondê-lo, você validará o novo endereço de . Note que endereços de falsos, como aqueles terminando com são filtrados e rejeitados Desativação de Conta (Account Deactivation) A página Desativação de Conta (Account Deactivation) provê um meio para cancelar seu serviço junto ao Red Hat Network. Clique no botão Desativar Conta (Deactivate Account) para desabilitar sua conta. A interface web retorna à tela de autenticação (login). Se você tentar se autenticar novamente, uma mensagem de erro sugere que você contacte o seu Satellite Administrator. Note que se você é o único Satellite Administrator da sua organização, você não pode desativar sua conta A página "Suas Preferências" 24

28 Capítulo 4. The Red Hat Network Website A página Your Preferences (Suas Preferências) permite a você configurar as opções do Red Hat Network, incluindo: Notifications (Notificações por ) Determine se você deseja receber s sempre que um Alerta de Errata for aplicável a um ou mais sistemas de sua conta no RHN. Importante Esta configuração também possibilita que clientes Management e Provisioning recebam resumos diários de eventos dos sistemas. Estes incluem ações afetando pacotes, como atualizações de erratas agendadas, reinicializações de sistema ou falhas no check-in. Além de selecionar esta caixa de verificação, você deve identificar cada sistema a ser incluso neste de resumo. ( por padrão, todos os sistemas Management e Provisioning estão incluídos neste resumo). Isto pode ser feito individualmente através da página Detalhes do Sistema ou para vários sistemas de uma vez só através da interface Gerenciador de Conjunto de Sistemas (System Set Manager). Note que o RHN envia estes resumos apenas à endereços de verificados. Para desabilitar todas as mensagens, simplesmente desselecione esta caixa de verificação. RHN List Page Size (Tamanho da Página da Lista do RHN) Número máximo de itens que aparecem numa lista, numa única página. Se houver mais itens na lista, clicar no botão Next (Próximo) apresenta o próximo grupo de itens. Esta preferência aplica-se a listas de sistemas, listas de Erratas, listas de pacotes e assim por diante. Página Inicial do "Visão Geral" selecione as áreas de informação que aparecem na página inicial da Visão Geral. Marque a caixa de verificação à esquerda das áreas de informação que você gostaria de incluir. Após efetuar as alterações a quaisquer destas opções, clique no botão Save Preferences (Salvar Preferências) no canto inferior direito Preferências de Localidade (Locale Preferences) A página Visão Geral (Overview) Preferências de Localidade (Local Preferences) permite que cada usuário personalize a sua interface do RHN para o horário local e idioma preferido. Selecione o fuso-horário apropriado na caixa suspensa Fuso Horário (Time Zone) e então clique no botão Salvar Preferências (Save Preferences) para aplicar a seleção. Quando a preferência de idioma estiver configurada para Usar Configuração do Browser (Use Browser Settings), o RHN usa a configuração de preferência de idioma do browser do usuário (por exemplo, o Firefox) para determinar qual idioma deve ser usado para a interface Web. Quando um dos idiomas listados é selecionado, o usuário vê a interface Web naquele idioma cada vez que for autenticado, independentemente da configuração do seu browser. A escolha de um idioma preferido pode ser útil para usuários em viagem no exterior. Para selecionar um idioma padrão, clique no botão de opção à esquerda do idioma em questão e clique no botão Salvar Preferências (Save Preferences) para aplicar a mudança Gerenciamento de Subscrições (Subscription Management) Para usar toda a funcionalidade do RHN, os seus sistemas precisam ter direitos (entitlements) subscritos a um nível de serviço do RHN. Use a página Direitos do Sistema (System Entitlements) para configurar quais sistemas possuem o direito de receber quais serviços. Existem seis níveis de direitos: Update (Atualização) gerencia um único sistema Red Hat Enterprise Linux. Inclui alertas de erratas, atualizações de errata agendadas, instalação de pacotes e o Red Hat Update Agent (Agente de Atualização Red Hat). Management (Gerenciamento) gerencia múltiplos sistemas com múltiplos administradores. Além da funcionalidade do Update, o Management inclui gerenciamento de grupo de sistemas, gerenciamento de usuários e a interface System Set Manager (Gerenciador de Conjunto de Sistemas) para executar tarefas de maneira rápida e eficiente em múltiplos sistemas. Provisioning (Provisionamento) oferece o nível mais alto de funcionalidade. Deve ser usado para gerenciar múltiplos sistemas que precisarão ser reinstalados e reconfigurados regularmente. O Provisioning oferece ferramentas para o kickstart de máquinas, gerenciamento de arquivos, execução de reversão de cenários (snapshot rollbacks) e entrada de informações personalizadas do sistema que podem ser posteriormente pesquisadas. Além disso, o Provisioning também inclui todas as funcionalidades do nível de serviço Management. Monitoring (Monitoramento) monitora a saúde de múltiplos sistemas. O Monitoring oferece atividades de probes (detecções) que acompanham a performance dos sistemas e notificam os administradores quando mudanças ocorrerem. Tais notificações alertam administradores à degradação no desempenho de sistemas antes que a situação se torne crítica. Virtualization (Virtualização) se aplica aos sistemas host Virtuais. As máquinas virtuais com este direito podem registrar até quatro sistemas de convidados sem violar o Acordo de Nível de Serviço da RHN. Os sistemas de convidados podem ser registrados em qualquer canal com o a etiqueta de grupo de canal virtualization-free sem consumir os direitos de canal. Registros de convidados a qualquer canal que não pertença ao virtualization-free, tal como o Servidor de Diretório ou canal Satellite do RHN, irá consumir um seviço de canal adicional. Virtualization Platform (Plataforma de Virtualização) também se aplica aos sistemas host virtuais. Os sistemas host para o qual o direito se aplica, pode registrar um número ilimitado de convidados virtuais, sem invalidar seu Acordo de Nível de Serviço. Os convidados de uma máquina com este direito podem se registrar em qualquer canal que tenha a etiqueta de grupo de conteúdo virtualization-platform-free sem consumir qualquer direito a um canal. No entanto, ao registrar um convidado a qualquer canal que não pertença ao virtualization-platform-free tal como um Servidor de Diretório ou um canal Satellite RHN, irá consumir um direito de canal extra. Dica Os dois direitos de virtualização se aplicam especialmente aos sistemas host. Os sistemas convidado que existirem em hosts sem subscrição são tratados da mesma forma que qualquer sistema físico cada convidado consome um canal e um direito de sistema Direitos de Sistema (System Entitlements) A página Direitos do Sistema permite que você visualize, adicione e remova os direitos aos seus sistemas registrados. O Red Hat Network Satellite permite que você aplique e remova direitos quando quiser, permitindo que você ajuste a infra-estrutura do Red Hat Network à medida que a sua organização cresce e muda. Para habilitar um direito base, selecione a caixa de verificação à esquerda do nome do sistema e clique no botão Configurar para Direitos à Gerenciamento. Para adicionar direitos, selecione a caixa de seleção do sistema, seguido pelo serviço desejado na caixa suspensa e finalmente clique no link Adicionar Direitos (Add Entitlement). Se clicar em um direito não resulta na atualização da informação na tabela, talvez você precise adquirir direitos adicionais. Verifique o número de subscrições disponíveis, em negrito abaixo da tabela. Clientes que não sejam clientes do RHN Satellite podem adquirir mais direitos. Clique no link Comprar Agora (Buy Now) à esquerda da página para fazê-lo. Quando um direito expira, o último sistema a ter sido dado o direito àquele nível de serviço (por exemplo, Management) terá o seu direito removido. Por exemplo, se você tiver 10 sistemas do Red Hat 25

29 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Enterprise Linux AS com direitos Management e um dos direitos do RHN ou uma das subscrições de sistema operacional vencerem, o último sistema subscrito ou recebido o direito terá sua subscrição ou direito removidos Direitos à Virtualização (Virtualization Entitlements) Esta página aparece somente se você tiver solicitado os direitos à Plataforma de Virtualização ou o componente de Virtualização. Aqui você pode checar com rapidez, se você utilizou estes direitos de maneira efetiva. A primeira aba nesta página, exibe quaisquer máquinas com o direitos de Virtualização que tenham mais sistemas hóspedes do que o permitido pelo acordo de nível de serviço do Red Hat Network. Caso você queira atualizar estes sistemas para quaisquer direitos à Plataforma de Virtualização disponíveis, clique no nome do perfil daquele sistema. Será exibida a página Detalhes do Sistema (System Details) para o sistema. Clique no link Editar Propriedades (Edit Properties) na página para editar os direitos adicionados do sistema. A segunda aba mostra quaisquer máquinas com direitos de Plataforma de Virtualização que tenham menos que quatro convidados. Recomenda-se fazer um downgrade destes direitos de sistemas para o direito de Virtualização. Para fazer isto, edite os direitos adicionais a partir da página resultante Detalhes do Sistema (System Details). A terceira aba exibe os sistemas visitantes que não são associados com um direito de sistema de host virtual no Satellite (nem Virtualização ou Plataforma de Virtualização). Estes sistemas estão consumindo o mesmo software e direitos a sistemas como um sistema físico padrão. Você pode converter estes sistemas para um com direitos de Flex Guest adicionando um direito de Virtualização ou Plataforma de Virtualização no sistema host registrado ao Satellite. A quarta aba lista os Consumidores com direitos Flex Guest (Flex Guest Entitlement Consumers) ou hóspedes associados com um host que é tanto registrado ao Satellite e possui direitos a uma virtualização ou Plataforma de Virtualização. A quarta aba lista Hóspedes Consumindo Direitos Regulares ou sistemas em legacia registrados em versões antigas do Satellite que consumem direitos padrões ao invés de direitos Flex Guest Direitos à Canais de Software (Software Channel Entitlements) Os canais de software listados nesta página são os canais por subscrição pelos quais a sua organização tenha comprado para ter acesso. A tabela lista cada um dos sistemas operacionais suportados que possam ser gerenciados através do RHN, o número de tais sistemas que você tenha registrado com o RHN e finalmente o número restante de direitos disponíveis à um sistema operacional. Ao clicar no nome do canal, uma página é aberta exibindo informações sobre os canais associados com o direito de uso daquele canal. Ao clicar no número de sistemas com direitos, uma lista de tais sistemas é exibida Trusts de Organizações (Organization Trusts) A página Organization Trusts exibe os trusts estabelecidos com a organização com o qual o usuário registrado está associado. Ela também lista todos os Canais Compartilhados (Channels Shared): ou seja, os canais disponíveis em sua empresa através de outras trusts estabelecidas. Você pode filtrar sua lista de trusts por palavra chave usando a caixa de texto do Filtro por Empresa (Filter by Organization) e clicando em Ir (Go). Para mais informações sobre o Trusts Organizacionais, consulte a Seção 6.6, Trusts Organizacionais Sistemas Se você clicar na aba Sistemas (Systems) na barra de navegação superior, a categoria e os links de Sistemas aparecem. As páginas da categoria Sistemas permitem a você selecionar os sistemas nos quais efetuará ações e criar os Perfis de Sistema Visão Geral A página Visão geral (Overview) oferece um sumário de seus sistemas, incluindo seus estados, número de Erratas e pacotes associados e níveis de direito. Ao clicar no nome de um sistema, você é levado à sua página Detalhes do Sistema (System Details) Consulte a Seção , Detalhes do Sistema (System Details) para mais informações. Ao clicar no link Ver Grupos de Sistemas (View System Groups) no topo da página Visão Geral (Overview) um resumo semelhante de seus grupos de sistemas aparece. Este resumo identifica o estado de um grupo e exibe o número de sistemas nele contidos. Ao clicar no número de sistemas, você é levado à aba Sistemas (Systems) da página Detalhes do Grupo de Sistemas (System Group Details), enquanto ao clicar no nome do sistema, leva à aba Detalhes (Details). Consulte a Seção , Detalhes do Grupo de Sistemas para mais informações. Você também pode clicar no botão Usar Grupo (Use Group) na seção Grupos de Sistemas (System Groups) da página Visão Geral (Overview) para ir direto ao Gerenciador de Conjunto de Sistemas (System Set Manager). Consulte a Seção 4.4.4, Gerenciador do Conjunto de Sistemas para mais informações A página "Sistemas" A página Sistemas (Systems) apresenta uma lista de todos os seus sistemas registrados. A lista Sistemas contém diversas colunas de informações para cada sistema: Select (Selecionar) Sistemas com o serviço Update ou sem direitos não podem ser selecionados. Para selecionar sistemas, marque as caixas de verificação correspondentes. Sistemas selecionados são adicionados ao System Set Manager. Após adicionar sistemas ao System Set Manager, você pode usar o mesmo para executar ações simultâneas nestes sistemas. Consulte a Seção 4.4.4, Gerenciador do Conjunto de Sistemas para mais detalhes. Estado (Status) Exibe o tipo de Alertas de Errata aplicáveis ao sistema ou confirma que está atualizado. Alguns ícones são ligados a páginas que provêm soluções. Por exemplo: o ícone padrão de Updates (Atualizações) está ligado à sub-seção Upgrade da lista de pacotes, enquanto o ícone de Critical Updates (Atualizações Críticas) vai direto para a página Update Confirmation (Confirmação de Atualização). Além destes, o ícone Not Checking In está ligado às instruções para a resolução desta questão. O sistema está atualizado Errata Crítica disponível, atualização altamente recomendada. Atualizações disponíveis e recomendados O sistema está bloqueado; Ações proibidas O sistema está tendo um kickstart Atualizações foram agendadas O sistema não está verificando propriamente (por 24hrs ou mais) O sistema não tem direitos a qualquer direitos de atualização Errata O número total de Alertas de Errata aplicáveis ao sistema. Pacotes (Packages) O número total de atualizações de pacotes para o sistema. Inclui pacotes de alertas de errata, além de pacotes mais novos, que não sejam relacionados aos alertas de errata. Por exemplo: imagine um sistema cliente com uma versão antiga de um pacote instalado. Se 26

30 Capítulo 4. The Red Hat Network Website este cliente for registrado no canal base apropriado do RHN (por exemplo, Red Hat Enterprise Linux 5), este canal pode conter uma versão atualizada do pacote em questão. Neste caso, o pacote aparece na lista de atualizações de pacotes disponíveis. Sistema (System) O nome do sistema, conforme configurado ao registrá-lo. O nome default é o nome da máquina (hostname) do sistema. Clicar no nome de um sistema, te leva à sua página Detalhes do Sistema (System Details). Consulte a Seção , Detalhes do Sistema (System Details) para mais informações. Canal Base (Base Channel) O principal canal do sistema, baseado na versão de seu sistema operacional. Consulte a Seção 4.6.1, Canais de Software para mais informações. Direitos (Entitlement) Se o sistema possui ou não direitos e a quais níveis de serviço está registrado. Os links na barra de navegação esquerda, abaixo de Sistemas, possibilitam a você selecionar e visualizar conjuntos pré-definidos de seus sistemas. Todas as opções descritas acima podem ser aplicadas nestas páginas A página "Todos" A página Todos contém o conjunto padrão de seus sistemas. Apresenta todos os sistemas para os quais você tem permissão de administração. Um usuário tem permissão para administrar um sistema, se for o único usuário em sua empresa, se for um Satellite Administrator ou se o sistema for membro de um grupo para o qual ele tem direitos de administrador A página "Sistemas Virtuais" Para acessar esta página, selecione a aba Sistemas, seguida da sub-aba Sistemas da barra de navegação da esquerda e finalmente selecione Sistemas Virtuais da barra de navegação da esquerda. Esta página lista cada máquina virtual, da qual o RHN Satellite está a par e os sistemas de convidados naquelas máquinas. Sistema (System) Esta coluna apresenta o nome de cada sistema de convidado. Atualizações (Update) Esta coluna indica se os sistemas de convidado possuem qualquer errata que ainda não foram aplicadas à eles. Estado (Status) Esta coluna indica se um convidado está rodando, pausado ou parado. Canal Base (Base Channel) Esta coluna indica o canal de base, no qual o convidado faz parte no momento. Somente aqueles convidados registrados no RHN são apresentados neste texto azul. Selecionar o nome da máquina do sistema de convidado, apresentará a página de Detalhes de Sistema daquele sistema A página "Desatualizado" A página Desatualizados apresenta os sistemas os sistemas que possuem Alertas de Errata aplicáveis, que não foram aplicadas A página "Sem Título" (São necessários o direito de Gerenciamento ou Provisionamento) A página Unentitled exibe os sistemas que não possuem ainda direitos de serviços para o serviço Red Hat Network A página "Desagrupado" A página Desagrupados apresenta os sistemas que ainda não foram inclusos a um grupo de sistemas especifico A página "Inativo" A página Inativos apresenta os sistemas que não foram conectados ao RHN durante 24 horas ou mais. Quando o Red Hat Update Agent conecta ao RHN para verificar se há atualizações disponíveis ou ações agendadas, isto é considerado um checkin. Se você vê uma mensagem indicando que os checkins não estão ocorrendo, o cliente do RHN em seu sistema não está conectando ao Red Hat Network devidamente. Isto indica que: O sistema não tem direitos a qualquer serviço RHN. Os Perfis de Sistema que permanecem sem direitos (unentitled) por 180 dias são removidos. O sistema é entitulado, mas o Daemon do Red Hat Network foi desabilitado no sistema. O sistema está atrás de um firewall que não permite conexões através do https (porta 443). O sistema está atrás de um servidor proxy HTTP que não foi configurado apropriadamente. O sistema está conectado a um RHN Proxy Server ou RHN Satellite que não foi configurado apropriadamente. O próprio sistema não foi configurado apropriadamente; talvez esteja apontando para o Servidor RHN errado. O sistema não está conectado à rede. Há algumas outras barreiras entre o sistema e os Servidores RHN Registrado Recentemente A página Registrados Recentemente apresenta quaisquer sistemas novos que tenham sido registrados dentro de um certo período. Use o menu suspenso para especificar novos sistemas registrados nos últimos dias, semanas, de 30 à 180 dias e no último ano Proxy A página Proxy exibe os sistemas RHN Proxy Server registrados na sua conta RHN Sistemas Duplicados (Duplicate Systems) A página Sistemas Duplicados lista sistemas atuais e quaisquer direitos inativos e ativos associados a eles. Os direitos ativos estão em cinza enquanto os direitos inativos são destacados em amarelo e suas opções marcadas por padrão para você deletar conforme a necessidade clicando no botão Deletar Selecionados (Delete Selected) inativos são direitos que não foram verificados no Satellite num período específico pelo Um perfil de sistema está inativo se seu sistema não foi verificado. Você pode filtrar direitos duplicados pelo Endereço de IP, Nome de Host ou Endereço MAC clicando no respectivo sub-título. Você pode filtrar mais digitando o nome de host do sistema, endereço de IP ou endereço MAC na caixa de texto correspondente Filtrar por:. Para comparar até 3 direitos duplicados por vez, clique no link Comparar Sistemas (Compare Systems) na coluna Últimas entradas (Last Checked In). Componentes inativos de sistemas são destacados em amarelo. Você pode então determinar quais sistemas são inativos ou duplicados e deleta-los clicando no botão Deletar Perfil de Sistema (Delete System Profile). Então clique no botão Confirmar Eliminação (Confirm Deletion) que aparecerá para confirmar sua escolha. 27

31 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Detalhes do Sistema (System Details) Clique no nome de um sistema em qualquer página e o RHN irá exibir a página Detalhes do Sistema para aquele cliente. A partir daqui, você pode modificar a informação exibida ou removê-la do sistema clicando no link Remover Sistema (Delete System) no canto superior da direita. O link Remover Sistema no canto superior direito desta tela se refere somente ao perfil do sistema. A remoção do perfil do sistema host não irá destruir ou remover o registro de sistemas visitantes. A remoção de um perfil de sistema visitante não irá removê-lo da lista de convidados de seu host, nem irá interromper ou pausar o convidado. Ele no entanto, irá remover sua habilidade de gerenciá-lo através do RHN. Se você removeu um perfil de sistema por engano do RHN, você poderá registrá-lo novamente. A página Detalhes de Sistema é dividida mais tarde nas seguintes abas: Detalhes Software Configuração Provisionamento Monitoramento Grupos Eventos As seções a seguir discutem estas abas e suas sub-abas em detalhes Detalhes do Sistema (System Details) Detalhes (Details) Esta página não é acessível de qualquer barra de navegação padrão. No entanto, ao clicar no nome de um sistema em qualquer lugar na interface da Web, o encaminhará para esta página. A aba padrão exibida nesta página é a sub-aba Detalhes (Detalhes) Visão Geral (Overview). Outras abas estão disponíveis, dependendo do nível de direito atual do sistema Detalhes de Sistema Detalhes Visão Geral (Overview) Esta página de sumário do sistema exibe a mensagem do status do sistema e a seguinte informação chave sobre o sistema: Informações do Sistema (System Info) Mensagem de Estado do Sistema (System Status Message) Esta mensagem indica o estado atual de seu sistema em relação ao RHN. Se as atualizações estiverem disponíveis para qualquer sistema com direitos, aparecerá a mensagem Atualizações críticas disponíveis (Critical updates available). Para aplicar estas atualizações, clique no link Atualizar Agora (Update Now). ID do sistema (System ID) Um identificador único gerado a cada vez que um sistema se registra no RHN. O ID do sistema pode ser usado para eliminar perfis duplicados a partir do RHN. Compare o ID do sistema listado nesta página com a informação armazenada no sistema cliente no arquivo /etc/sysconfig/rhn/systemid. Neste arquivo, o ID atual do sistema está listado sob o "system_id". O valor inicia após os caractéres "ID-". Caso o valor armazenado no arquivo não seja compatível com o valor listado no perfil, significa que o perfil não é o mais recente e poderá ser removido. Hostname O nome da máquina como definido pelo sistema cliente. Esta informação é geralmente encontrada no /etc/hostname para os sistemas Red Hat Enterprise Linux Endereço de IP O endereço IP do cliente. Kernel O kernel que está instalado e operando no sistema cliente. Registrado A data e horário no qual o sistema foi registrado com o RHN e criou este perfil. Checados A data e horário em que foi realizado o check-in do sistema com o RHN. Última vez inicializado A data e horário em que o sistema foi iniciado e reiniciado pela última vez. Sistemas com o direito Gerenciamento (Management) podem ser reinicializados a partir desta tela. Selecione Agendar a reinicialização do sistema (Schedule System Reboot) Forneça a data e horário da última reinicialização. Clique em Agendar Reinicialização (Schedule Reboot) na parte inferior da direita. Quando o cliente passar do horário de inicialização pré-agendado para fazer o check-in, o RHN irá instruir o sistema para se auto reinicializar. Bloqueado (Locked) Indica se um sistema foi bloqueado. As ações não podem ser agendadas para sistemas bloqueados através da interface da Web 28

32 Capítulo 4. The Red Hat Network Website até que o bloqueio seja removido manualmente. Isto não inclui as atualizações de auto-errata de prevenção agendadas através da interface da Web. Para proteger o aplicativo de atualizações de auto-erratas, desselecione a Atualização Automática de Errata do Detalhes do Sistema Detalhes Propriedades. Bloquear um sistema pode ajudar a evitar que você faça qualquer modificação por engano em um sistema, até que você esteja preparado para tal. Por exemplo, o sistema pode ser um sistema de produção que você não deseja receber atualizações ou novos pacotes até que você decida desbloqueá-lo. Importante Bloquear um sistema em uma interface da Web não evitará qualquer ação originada do sistema cliente. Por exemplo, se um usuário se autenticar no cliente diretamente e executar o up2date, este irá instalar as erratas disponíveis, esteja o sistema bloqueado na interface da Web ou não. Além disso, o bloqueio de um sistema não restringe o número de usuários que podem acessar o sistema através da interface da Web. Se você desejar restringir acesso ao sistema, associe este sistema a um Grupo de Sistema e atribua-o a um Administrador de Grupo de Sistema. Consulte a Seção 4.4.3, Grupos de Sistemas para maiores informações sobre os Grupos de Sistema. Também é possível bloquear sistemas múltiplos através do Gerenciador de Conjunto de Sistemas (System Set Manager). Consulte a Seção , Gerenciador de Conjunto de Sistema Misc Bloquear Sistemas para saber mais sobre como fazer isto. (São necessários o direito de Provisionamento) O status OSA é também exibido para sistemas clientes registrados em um Satellite que possua um direito ao serviço Provisioning e tenham o OSA ativado.. O Push permite que os clientes do Satellite iniciem imediatamente as tarefas no sistema, com direito à Provisioning, ao invés de esperar que estes sistemas realizem o check-in com o RHN. Agendar as ações através do push é idêntico ao processo de agendamento de qualquer outra ação, exceto pelo fato de que a tarefa inicia imediatamente ao invés de aguardar os intervalos predefinidos. Além da configuração do Satellite, cada sistema cliente, prestes a receber ações em push, devem ter os pacotes osad instalados e seu serviço inicializado. Consulte a seção Habilitando o Push para Clientes do Guia de Instalação RHN Satellite Server para mais detalhes. Canais Subscritos Canal Base A primeira linha indica o canal base ao qual este cliente está registrado. O canal base deve ser compatível ao sistema operacional do sistema. Canais Filhos As linhas subsequentes do texto, que dependem do canal base, são canais filhos. Alguns exemplos são os canais Red Hat Network Tools e o canal RHEL AS Extras. O último link sob Canais Subscritos é o link Alterar Subscrições de Canal. Clique neste link para selecionar a partir dos canais base e filhos disponíveis para este sistema. Ao concluir estas seleções, clique no botão Modificar Subscrições para confirmar as mudanças. Propriedades do Sistema Nome do Perfil Este nome editável para o perfil de sistema é ajustado para o nome host do sistema por padrão. Isto serve para distinguir este perfil de sistema entre outros. Direitos O direito base atual aplicado à este sistema. Notificações Indica as opções de notificação para este sistema. Você pode escolher se você quer ou não receber uma notificação de de atualizações de erratas disponíveis para este sistema. Além disso, você pode escolher incluir os sistemas com direito Management no de resumo diário. Auto Atualização de Errata Indica se este sistema é configurado para aceitar atualizações automaticamente. Descrição Esta informação é automaticamente gerada no registro. Você pode editá-la para incluir qualquer informação que você desejar. Locação Se inserido, este campo exibe o endereço físico do sistema. O último link na página é Editar estas propriedades. Ao clicar neste link, a sub-aba Detalhes de Sistema Propriedades é exibida. Nesta página, edite qualquer texto de sua escolha e clique no botão Atualizar Propriedades para confirmar Detalhes de Sistema Detalhes Propriedades Esta sub-aba permite que você altere as seguintes propriedades básicas de seu sistema: Nome de Perfil Por padrão, este é o nome do host do sistema. Você pode, no entanto, alterar o nome do perfil para qualquer outro que o permita distinguir este perfil entre outros. Direito Base Selecione um canal base para o sistema a partir dos direitos base disponíveis. Adicionar Direitos Caso estejam disponíveis, aplique um direito de serviço de Monitoramento ou a Provisionamento, Virtualização ou Plataforma de Virtualização ao sistema. 29

33 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Notificações Alternar, seja a notificação sobre este sistema enviada ou este sistema já esteja incluído no resumo diário. (Por padrão, todos os sistemas Management e Provisioning estão inclusos neste sumário). Esta configuração o mantém a par de todos os avisos relativos ao sistema. Todas as vezes que uma atualização é produzida e lançada para este sistema, uma notificação é enviada por . Os resumo diário relata os eventos de sistema que afetam os pacotes, tais como Atualizações de Errata agendadas, reinicializações de sistema ou falhas ao realizar o check-in. Além disso, para incluir o sistema aqui, você deve escolher receber de notificação de na página Suas Preferências da categoria Visão Geral. Atualização de Auto Errata Se este ítem está selecionado, as erratas disponíveis são automaticamente aplicadas ao sistema quando ele faz o check-in. Isto acontece sem a intervenção do usuário. Os clientes precisam estar cientes de que a Red Hat não recomenda o uso de recursos de atualização automática para sistemas de produção, por causa de conflitos entre os pacotes e ambientes que podem causar falhas de sistema. O Red Hat Network Daemon deve estar habilitado no sistema para que este recurso funcione. Descrição Por padrão, esta caixa de textos grava o sistema operacional, lançamentos e arquitetura de sistema quando se registra pelo primeira vez. Você pode editá-lo para incluir o que desejar. Os campos restantes gravam o endereço físico no qual o sistema está armazenado. Para confirmar quaisquer modificações nestes campos, clique no botão Atualizar Propriedades. Muitas destas propriedades podem ser configuradas para múltiplos sistemas de uma só vez através da interface do Gerenciador de Conjuntos de Sistemas (System Set Manager). Consulte a Seção 4.4.4, Gerenciador do Conjunto de Sistemas para maiores detalhes Detalhes de Sistema Detalhes s (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning)Esta subaba permite que você execute um comando remoto em um sistema se o sistema possuir um direito ao serviço Provisioning. Antes de fazer isto, configure o sistema para aceitar tais comandos. Primeiro, registre o sistema no canal Ferramentas do RHN (RHN Tools channel) e useup2date para instalar o rhncfg, rhncfg-client e pacotes rhncfg-actions. yum update rhncfg rhncfg-client rhncfg-actions Autentique o sistema como usuário root e adicione o seguinte arquivo no diretório de configuração do RHN local: allowed-actions/scripts/run. Crie o diretório necessário no sistema alvo: mkdir -p /etc/sysconfig/rhn/allowed-actions/script Crie um arquivo run vazio neste diretório para agir como um sinalizador para as permissões de sinalização do RHN para permitir os comandos remotos: touch /etc/sysconfig/rhn/allowed-actions/script/run Depois que a instalação for concluída, atualize a página para visualizar os campos de texto para os comandos remotos. Você pode identificar um usuário específico, grupo e período expiração, assim como o próprio script nesta página. Selecione uma data e horário para começar tente o comando e clique em Agendar Comando Remoto (Schedule Remote Command) Detalhes de Sistema Detalhes Satellite Uma chave de ativação específica para este Perfil de Sistema. As chaves de reativação, disponíveis somente para sistemas que possuem o direito a Provisionamento (Provisioning), incluem este ID de sistema, histórico, grupos e canais. Esta chave pode então ser usada somente uma vez com o utilitário da linha de comando rhnreg_ks para registrar novamente este sistema e reaver todas as configurações do Red Hat Network. Ao contrário de chaves de ativação típicas, que não são associadas ao ID de sistema específico, as chaves criadas aqui não aparecem dentro da página Chaves de Ativação (Activation Keys). O reativamento das chaves pode ser combinado com a ativação das chaves para agregar as configurações de chaves múltiplas para um perfil de sistema único. Por exemplo: rhnreg_ks --server=<server-url> --activationkey=<reactivation-key>,<activationkey> --force Aviso Ao fazer o kickstart de um sitema com seu perfil do RHN, o perfil do kickstart usa a chave de ativação do sistema específico, criada aqui para registrar novamente o sistema e retornar suas outras configurações RHN. Por esta razão, você não deve gerar, remover ou usar esta chave (com o comando rhnreg_ks) enquanto um kickstart baseado em perfil estiver em progresso. Se você fizer isto, o kickstart pode falhar Detalhes de Sistema Detalhes Hardware Esta sub-aba fornece informação detalhada sobre o sistema, incluindo networking, BIOS, armazenamento e outros dispositivos. Isto aparece somente se você selecionar incluir o perfil de hardware para esta máquina durante o registro. Se o perfil de hardware parecer incompleto ou ultrapassado, clique em Agendar a Atualização do Hardware (Schedule Hardware Refresh) para agendar uma atualização de Perfil de Hardware. Da próxima vez que o RHN Daemon se conectar ao RHN, ele irá atualizar seu Perfil de Sistema com a lista mais recente de hardware Detalhes de Sistema Detalhes s Esta sub-aba oferece um local para criar notas sobre o sistema. Para adicionar uma nova nota, clique no link criar nova nota (create new note), digite um assunto e detalhes e clique no botão Criar (Create). Para modificar uma nota, clique em seu assunto na lista de notas, faça suas modificações e clique no botão Atualizar (Update). Para remover uma nota, clique em seu assunto na lista de notas e depois clique no link deletar nota (deletar nota) Detalhes de Sistema Detalhes Proxy Esta sub-aba, disponível para sistemas com direitos a Provisionamento (Provisioning), fornece informação completamente personalizável sobre o sistema. Ao contrário das s, a Informação Personalizada é estruturada, formalizada e pode ser encontrada. Antes que você possa fornecer informação personalizada sobre um sistema, você deve primeiro ter Chaves de Informação Personalizada. Isto é feito através da página Informação de Sistema Personalizado, 30

34 Capítulo 4. The Red Hat Network Website disponível a partir da barra de navegação à esquerda. Consulte a Seção 4.4.8, Informações Personalizadas de Sistema para maiores instruções. Depois que você tiver criado uma ou mais Chaves, você pode atribuir um valor para este sistema, selecionando o link criar novo valor. Clique no nome da chave na lista resultante e insira um valor para ele no campo Descrição, depois clique no botão Chave de Atualização (Update Key) Detalhes de Sistema Detalhes Proxy Ativa um RHN Proxy Server. Esta aba só está disponível para os sistemas com direito à Provisioning. Selecione uma versão do RHN Proxy Server e clique em Ativar Proxy, consulte o Guia RHN Proxy Server e o Guia de Configuração do Cliente Detalhes de Sistema Detalhes Satellite Exibe o certificado de um Red Hat Network ativo. Você pode desativar um certificado antigo aqui e carregar um novo se necessário. Esta aba requer um direito à Provisioning. Para informações mais detalhadas sobre ativação de um Satellite, consulte o Guia de Instalação RHN Satellite Detalhes do Sistema (System Details) Software Esta aba e suas sub-abas permitem que você gerencie o software do sistema: errata, pacotes e perfis de pacotes e inscrição de canal de software Detalhes de Sistema Software Errata Esta sub-aba contém um lista de Avisos de Errata aplicáveis ao sistema. Consulte a Seção 4.1.2, Ícones dos Alertas de Erratas para acessar o significado de íncones nesta aba. Para aplicar estas atualizações, selecione-os e clique em Aplicar Errata (Apply Errata). Verifique novamente as atualizações a serem aplicadas na página de confirmação, depois clique em Confirmar. Depois de confirmar, a ação é adicionada à lista de Ações Pendentes sob Agendar. A Errata que foi agendada não pode ser selecionada para atualizações. Ao invés de uma caixa de seleção, existem um ícone de relógio que, quando selecionado, o encaminha para a página Detalhes da Ação (Action Details). Para ajudar usuários a determinar se uma atualização foi agendada, uma coluna de Estado existe dentro da tabela Errata. Alguns valores possíveis são: Nenhum, Pendente, Tomado, Concluído e Falho. Esta coluna identifica somente a ação mais recente relacionada à uma Errata. Por exemplo, se uma ação falha e você a reagenda, esta coluna mostrará o status da Errata como Pendente somente (sem mencionar da falha anterior). Ao clicar na página Detalhes de Ação. esta coluna corresponde à uma das abas dos Sistemas Afetados da página Detalhes da Errata Detalhes de Sistema Software Pacotes Esta sub-aba permite que você gerencie os pacotes nos sistema. (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Ao selecionar pacotes para instalar, atualizar ou remover, Clientes com o direito à serviços Provisioning, você tem a opção de executar um comando remoto automaticamente antes ou depois da instalação do pacote. Consulte o Seção , Detalhes de Sistema Detalhes s para obter mais informações. Pacotes A exibição padrão da aba Pacotes descreve as opções disponíveis para você e oferecem meios de atualizar sua lista de pacotes. Para atualizar ou concluir uma lista desatualizada, que irá provavelmente expirar na instalação manual de pacotes, clique em Atualizar Lista de Pacotes no canto direito inferior desta página. Da próxima vez que o Daemon RHN se conectar ao RHN, ele irá atualizar seu Perfil de Sistema com a lista mais recente dos pacotes instalados. Listar/Remover Lista pacotes instalados e lhes permite remove-los. Vizualizar e classificar pacotes por nome, arquitetura e a data que foi instalado no sistema. Busque pelos pacotes desejados digitando na caixa de texto Filtrar por Nome de Pacote ou clicar na letra ou número correspondente do primeiro caráctere do nome do pacote. Clique em um nome de pacote para vizualizar sua página Detalhes do Pacote. Para deletar pacotes do sistema, selecione as caixas de marcação e clique no botão Remover Pacotes no canto inferior direito da página. A página de confirmação aparecerá com os pacotes listados. Clique no botão Confirmar para remover os pacotes. Atualizar Exibe uma lista de pacotes que possuem uma nova versão disponível baseada nas versões de pacotes nos canais para o sistema. Clique no nome dos pacotes mais recentes para visualizar sua página Detalhes de Pacote. Para atualizar os pacotes imediatamente, selecione-os e clique em Atualizar Pacotes (Update Packages). Para baixar os pacotes como arquivo.tar, selecione-os e clique em Baixar Pacotes (Download Packages). Instalar Permite que você instale novos pacotes no sistema a partir de canais disponíveis. Clique no nome do pacote para visualizar sua página Detalhes do Pacote. Para instalar pacotes, selecione-os e clique em Instalar Pacotes Selecionados (Install Selected Packages). Verificar Valida os pacotes instalados no sistema em seu banco de dados RPM. Isto é equivalente a executar um comando rpm -V. Esta aba permite que você compare os metadados dos pacotes de sistema com a informação do banco de dados, tal como o total de MD5, tamanho de arquivo, permissões, proprietário, grupo e tipo. Para verificar o pacote ou pacotes, selecioneos, clique em Verificar os Pacotes Selecionados (Verify Selected Packages) e confirme esta ação. Quando finalizado, você poderá visualizar os resultados selecionando esta ação dentro da sub-aba Histórico sob Eventos. Perfis Ele irá habilitá-lo para comparar pacotes neste sistema com os pacotes de perfis armazenados em outros sistemas Management e Provisioning. Para fazer a comparação com o perfil armazenado, selecione o perfil a partir do menu suspenso e clique em Comparar. Para fazer comparações com outro sistema, selecione-o a partir do menu suspenso associado e clique em Comparar. Para criar um perfil armazenado baseado em um sistema existente, clique em Criar um Perfil de Sistema insira qualquer informação adicional que desejar e clique no botão Criar Perfil. Estes perfis são mantidos dentro do link da página Stored Profiles na barra de navegação da esquerda. (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Depois que os perfis dos pacotes tiverem sido comparados, os clientes de Provisionamento poderão sincronizar os pacotes do sistema selecionado com o manifesto do pacote do perfil comparado. Observe que esta ação pode remover os pacotes do sistema e não do perfil, assim como instalar pacotes do perfil. Para instalar pacotes específicos, selecione os pacotes do perfil. Para remover pacotes específicos já instalados no próprio sistema, selecione os pacotes que mostram a diferença de Somente este sistema.. Para sincronizar totalmente os pacotes de sistema com o perfil comparado, selecione os ítens master no topo da coluna. Depois, clique em Sincronizar Pacotes com. Na tela de confirmação, reveja as modificações, selecione uma estrutura de horário para a ação e clique em Agendar Sincronização. 31

35 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Detalhes de Sistema Software Canais de Software Canais de Software oferecem um método bem definido para determinar quais pacotes que devem ser disponibilizados para um sistema para uma instalação ou atualização baseada em seus sistemas operacionais, pacotes e funcionalidade. Clique em um nome de canal para visualizar sua página de Detalhes de Canal. Para modificar os canais filhos associados à este sistema, use os ítens de seleção próximos dos canais e clique em Mudar Subscrições (Change Subscriptions). Você receberá uma mensagem de êxito ou será notificado sobre quaisquer erros. Para modificar o canal base do sistema, selecione o novo a partir do menu suspenso e clique em Modificar o Canal Base (Modify Base Channel). Consulte a Seção 4.6.1, Canais de Software para maiores informações Detalhes de Sistema Configuração Sandbox (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning.) Esta aba e suas sub-abas, que não aparecem sem um direito à Provisioning, assistem no gerenciamento dos arquivos de configuração com o sistema. Estes arquivos de configuração podem ser gerenciados simplesmente a partir do sistema atual ou podem ser distribuídos amplamente através de um Canal de Configuração. A seção seguinte descreve estes e outras opções disponíveis nas sub-abas Detalhes de Sistema Configuração. Para gerenciar a configuração de um sistema, você deve ter os pacotes rhncfg* mais recentes instalados. Consulte a Seção 4.7.1, Preparando Sistemas para Gerenciamento de Configuração para instruções sobre como habilitar ou desabilitar ações agendadas para um sistema. Esta seção está disponível para usuários normais com acesso à sistemas que possuem gerenciamento de configuração habilitado. Assim como canais de software, os canais de configuração armazenam arquivos a serem instalados em sistemas. Embora atualizações de software sejam oferecidas pelo RHN, os arquivos de configuração são gerenciados somente por você. Da mesma forma, ao contrário de pacotes de software, diversas versões de arquivos de configuração podem prover serem úteis para um sistema a qualquer hora. Lembre-se que somente a versão mais recente pode ser implementada Detalhes de Sistema Configuração Visão Geral Esta sub-aba oferece acesso às estatísticas de configuração de seu sistema e para as tarefas mais comuns usadas para gerenciar arquivos de configuração. Você pode mudar as configurações listadas sob o Status de Configuração, clicando no texto azul para esta configuração. Como forma alternativa você pode realizar quaisquer tarefas de gerenciamento de configuração comum listadas ao lado direito da tela, clicando em um destes links Detalhes de Sistema Configuração Arquivos Gerenciados Esta sub-aba lista todos os arquivos de configuração atualmente associados ao sistema. Nome do Arquivo Esta coluna mostra ambos os nome e caminho de implementação para este arquivo. Revisão Esta coluna incrementa a qualquer momento que você realizar modificações neste arquivo gerenciado. Do Canal Config Esta coluna indica o nome do canal que contém o arquivo ou exibe (sobrescrição de sistema) para aqueles arquivos disponíveis somente para este sistema. Sobrescrições (Overrides) Se este arquivo de configuração sobrescrever outro, o arquivo sobrescrito é listado nesta coluna junto com seu canal host. Se você desejar implementar quaisquer destes arquivos para o sistema cliente, sobrescrevendo quaisquer mudanças que tenham sido realizadas localmente, selecione o ítem à esquerda do arquivo e clique em Implementar Configuração (Deploy Configuration). Na tela seguinte, escolha um horário de implementação e clique em Agendar Implementação (Schedule Deploy) para confirmar. Se você clicar no Nome do Arquivo de um arquivo (sobrescrição de sistema), você pode editar seus conteúdos. A coluna Sobreposições (Overrides) identifica o arquivo config, dependendo do canal que for escolhido, caso seja cancelada a subscrição do sistema no canal config que fornece o arquivo no momento. Por exemplo, se um sistema tiver o '/etc/foo' do canal 'bar' e um '/etc/foo' do canal 'baz' estiver na coluna de sobrescrição, então cancelar a subscrição do canal 'bar' significa que o arquivo do canal 'baz' será aplicável. Também, se não existir nada na coluna 'Sobrescrição' (Overrides) para um dado caminho de arquivo, então o cancelamento da subscrição de canal que estiver fornecendo o arquivo deixará o mesmo sem gerenciamento (embora ele não remova o arquivo do sistema) Detalhes de Sistema Configuração Comparar Arquivos Esta sub-aba compara um arquivo de configuração armazenado em um Satellite com o arquivo existente no cliente. (Ele não compara, por exemplo, versões do mesmo arquivo armazenado em canais diferentes). Selecione os arquivos a serem diferenciados, clique em Comparar Arquivos, selecione um horário para realizar a comparação e clique no botão Agendar Comparação para confirmar. Depois de realizar o diff, você poderá retornar à esta página para visualizar resultados Detalhes de Sistema Configuração Gerenciar Canais de Configuração Esta sub-aba permite que você se registre e classifique o canal de configuração que pode estar associado ao sistema, iniciando do mais baixo. A sub-aba Listar/Desregistrar de Canais (List/Unsubscribe from Channels) contém uma lista das subscrições de canais de configuração do sistema. Selecione a caixa próxima ao Canal e clique em Desregistrar (Unsubscribe) para remover os registros dos canais. A sub-aba Subscrever a Canais (Subscribe to Channels) lista todos os canais de configuração disponíveis. Para se registrar em um canal, selecione a caixa próxima ao canal ao qual você deseja se registrar e clique em Continue. Para se registrar em todos os canais de configuração, clique em Selecionar Todos (Select All) seguido de Continue. A página Ver/Modificar Classificações (View/Modify Rankings) será carregada automaticamente. A sub-aba Ver/Modificar Classificações (View/Modify Rankings) permite que os usuários classifiquem a prioridade nos quais os arquivos de um canal de configuração específica são pesados. Quanto mais próximo do topo da lista estiver o canal, significa que mais de seus arquivos precederão os arquivos dos canais de classificações mais baixas (por exemplo, o canal de maior classificação pode ter um arquivo httpd.conf que irá preceder o arquivo no canal de classificação mais baixa). 32

36 Capítulo 4. The Red Hat Network Website Detalhes de Sistema Configuração Sobrescrição Local Esta sub-aba exibe os arquivos de configuração padrão para o sistema e permite que você os gerencie. Se não existir arquivos, você poderá usar o links adicionar arquivos, atualizar arquivos e adicionar diretórios dentro da descrição da página para associar arquivos à este sistema. Estas abas correspondem àqueles dentro da página Detalhes de Canal de Configuração, afetando sua empresa toda e disponível somente aos Administradores de Configuração. Consulte a Seção , Configuração Canais de Configuração Detalhes de Canal de Configuração para maiores informações. Se um arquivo existir, clique em seu nome para ser encaminhado para a página Detalhes de Arquivo de Configuração. Consulte a Seção 4.7.4, Arquivos de Configuração para instruções. Para replicar o arquivo dentro do canal de configuração, selecione-o e clique em Copiar para Canal de Configuração e selecione o canal de destino. Para remover um arquivo, selecione-o e clique em Remover Arquivos Selecionados Detalhes de Sistema Configuração Sandbox Esta sub-aba permite que você manipule os arquivos de configuração sem implementá-los. Este modo seguro lhe oferece uma área para testar arquivos sem afetar seus sistemas. Para adicionar arquivos, clique no link importar novos arquivos (import new files), insira o caminho ao arquivo em seu sistema local e clique em Adicionar (Add). Selecione Importar Arquivos (Import Files) para confirmar Detalhes do Sistema (System Details) Provisioning Esta aba e suas sub-abas permitem que você agende e monitore kickstarts e retorne seu sistema para um estado anterior. O Kickstart é um utilitário da Red Hat que permite que você automatize a reinstalação de um sistema. O snapshot rollback fornece a habilidade de reverter certas mudanças ao sistema. Por exemplo, você pode trazer de volta um conjunto de pacotes RPM, mas reverter por múltiplos níveis de atualização não é suportado. Ambos recursos estão descritos nas seções a seguir Detalhes de Sistema Provisioning Kickstart Esta sub-aba é dividida mais ainda em Status de Sessão (Session Status), que rastreia o progresso de kickstarts agendados anteriormente e Agendar (Schedule), que permite que você configure e agende um kickstart para este sistema. A sub-aba do Agendar (Schedule) permite que você agende o sistema selecionado para o kickstart. Escolha a partir de uma lista de perfis de kickstart disponíveis, selecione um horário para o início do kickstart e clique em Agendar o Kickstart e Finalizar (Schedule Kickstart and Finish). Você deve primeiro alterar a configuração do kickstart clicando em Configuração Avançada (Advanced Configuration). Você deve criar primeiro um perfil de kickstart antes que ele apareça nesta sub-aba. Se você não tiver criado nenhum perfil, consulte a Seção , Criar um Novo Perfil Kickstart antes de agendar um kickstart para um sistema. A sub-aba Variáveis (Variables) pode ser usada para criar as variáveis do Kickstart, a qual substitui valores nos arquivos kickstart. Para definir uma variável, crie um par de nome-valor (name/value pair) na caixa texto. Por exemplo, se você quiser que um sistema kickstart se conecte à rede para um departamento específico (por exemplo a organização Engineering) você pode criar uma variante do perfil para configurar o endereço IP e o endereço do servidor gateway para uma variante que qualquer sistema que utilize este perfil. Adicione a seguinte linha à caixa de texto Variáveis (Variables). IPADDR= GATEWAY= Para usar a variante de sistema, você pode usar o nome da variante dentro do perfil para substituir no valor. Por exemplo, a porção network de um arquivo kickstart poderia se parecer com o seguinte: network --bootproto=static --device=eth0 --onboot=on --ip=$ipaddr --gateway=$gateway O $IPADDR será e o $GATEWAY será Existe uma hierarquia ao criar e usar as variantes nos arquivos do kickstart. As variantes do kickstart do sistema antecedem as variantes do Perfil, as quais antecedem as variantes da Distribuição. Entender esta hierarquia, resolve a confusão ao usar variantes no kickstart. O uso das variantes são somente uma parte da grande infraestrutura do Cobbler para criar modelos que possam ser compartilhados entre perfis múltiplos e sistemas. Para mais informações sobre o Cobbler e os modelos do kickstart, consulte o Capítulo 8, Cobbler Detalhes de Sistema Provisioning Snapshots (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning.) Snapshots permitirão que você retorne para o perfil do pacote de sistema, arquivo de configuração e as configurações de RHN. Os instantâneos são capturados quando uma ação acontece em um sistema com direito à Provisioning. A sub-aba Snapshots lista todos os instantâneos para o sistema, incluindo a razão para realizar o instantâneo. Para reverter a configuração anterior, clique em Razão (Reason) do snapshot tirado e reveja as mudanças em potencial das sub-abas fornecidas, iniciando com Reverter (Rollback). O snapshot roll back suporta a habilidade de reverter certas mudanças para o sistema, mas não em todos os cenários. Por exemplo, você pode trazer de volta um conjunto de pacotes RPM, mas trazer de volta múltiplos níveis de atualização não é suportado. Cada sub-aba fornece as mudanças específicas que serão feitas no sistema durante o retorno: inscrições de grupo (group memberships) subscrições de canais (channel subscriptions) pacotes instalados (installed packages) subscrições de canal de configuração (configuration channel subscriptions) arquivos de configuração (configuration files) etiquetas snapshots (snapshot tags) Quando estiver satisfeito com a reversão, retorne à sub-aba Reverter e clique em Reverter para Snapshot. Para ver esta lista novamente, clique em Retornar à lista do snapshot (Return to snapshot list). 33

37 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Detalhes de Sistema Provisioning Marcações de Snapshots Fornece um meio de adicionar descrições significativas ao seu snapshot de sistema mais recente. Isto pode ser usado para indicar fatos, tais como uma configuração funcionando conhecida ou uma atualização bem sucedida. Para rotular o snapshot mais recente, clique em criar novo rótulo de sistema (create new system tag), insira um termo descritivo no campo Rotular nome (Tag name) e clique em Rotular Snapshot Atual (Tag Current Snapshot). Você pode então reverter usando este rótulo diretamente clicando em seu nome na lista de Rótulos Snapshot. Para remover tais rótulos, selecione-as e clique em Remover Rótulos (Remove Tags) e confirme as ações Detalhes de Sistema Virtualização Esta aba permite que você crie um convidado virtual novo em um sistema host ou permite que você mude o estado de convidados virtuais. A aba Virtualização possui duas sub-abas, Detalhes e Kickstart. Estas abas aparecem iguais para ambos os hosts virtuais e convidados, mas a funcionalidade somente faz sentido para hosts virtuais. Não é possível criar um sistema convidado que rode em outro sistema convidado Detalhes de Sistema Virtualização Detalhes Detalhes é a aba padrão. Para sistemas host, ele apresenta uma tabela dos convidados virtuais de sistema host. Para cada sistema convidado, é fornecida a informação a seguir: Estado Este campo indica se um sistema virtual está rodando, pausado, interrompido ou travado. Atualizações Esta campo indica se uma errata, aplicável ao convidado, ainda deve ser aplicada. Canal Base de Software Este campo indica o Canal Base ao qual o convidado é registrado. Dica Se um sistema convidado não registrou no Satellite, esta informação aparecerá como texto simples na tabela. Se você tiver responsabilidades Administrador do Grupo de Sistemas (System Group Administrator) atribuídas ao seus sistemas convidados, é possível que um usuário possa ver a mensagem Você não tem permissão para acessar este sistema (You do not have permission to access this system) dentro da tabela. Isto acontece pois é possível atribuir convidados virtuais em um único host para múltiplos Administradores do Grupo de Sistemas. Somente os usuários que possuem estes privilégios no sistema host, podem criar novos convidados virtuais Detalhes de Sistema Monitoring Esta aba é somente visível para sistemas registrados à um RHN Satellite com Monitoramento habilitado e que tenham direitos a Monitoramento. Ela exibe todas as probes (detecções) monitorando o sistema. A coluna Estado mostra os ícones representando o status de cada detecção. Consulte a Seção 4.10, Monitoring para descrições destes estados. Clicar em Descrição da Probe (Probe Description) o encaminhará à sua página Estado Atual (Current State). A coluna Sequencia de Estado (Status String) exibe a última mensagem recebida da probe. Para adicionar uma probe ao sistema, clique no link criar nova probe no canto superior da direita da página e conclua os campos nas seguintes páginas. Consulte a Seção 5.5.1, Administrando probes para instruções mais detalhadas. Depois de adicionada a probe, você deve reconfigurar a infraestrutura do seu Monitoramento para reconhecê-la. Consulte a Seção , Forçar Agente de Configuração para maiores detalhes. Depois de executar a probe (detecção), seu resultado torna-se disponível na página Estado Atual (Current State). Consulte a Seção , Estado Atual para maiores detalhes. Para remover uma probe de um sistema, clique no nome de uma detecção, depois clique no link remover detecção no canto superior da direita. Finalmente, clique em Remover Probe para concluir o processo Detalhes de Sistema Eventos (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Esta aba e suas subabas permite que você gerencie associações de grupo de sistema Detalhes de Sistema Grupos Lista/Deixar (Para visualizar esta aba é necessário o direito Management) Esta subaba lista grupos ao qual o sistema pertence e habilita -o a cancelar estas associações. Somente os Administradores de Grupos de Sistema e Administradores do Satellite podem remover o sistema dos grupos. Os não administradores visualizam a página Reveja esta inscrição de grupo de sistema. Para adicionar o sistema aos grupos, selecione os ítens de grupos de clique em Entrar nos Grupos Selecionados. Clique em um nome de grupo para ir para sua página de System Group Details. Consulte o Seção , Detalhes do Grupo de Sistemas para obter mais informações Detalhes de Sistema Eventos Pendente Lista grupos que o sistema pode ser registrado. Somente os Administradores de Grupos de Sistema e Administradores do Satellite podem adicionar o sistema aos grupos. Os não administradores visualizam a página Reveja esta inscrição de grupo de sistema. Para adicionar o sistema aos grupos, selecione os ítens de grupos de clique em Entrar nos Grupos Selecionados Detalhes do Sistema (System Details) Eventos Exibe as ações anteriores, atuais e agendadas no sistema. Você pode cancelar os eventos pendentes aqui. As seções seguintes descrevem as sub-abas Eventos e os recursos que oferecem Detalhes de Sistema Eventos Pendente Lista eventos que são agendados mas não foram ainda iniciados. Um pré-requisito dessa ação deve ser concluído com sucesso antes da tentativa de uma ação. Se uma ação tiver um pré-requisito, não haverá caixa de seleção disponível para cancelar esta ação. Ao invés disso, aparecerá uma caixa de seleção próxima à ação de pré-requisito, cancelar a ação de pré-requisito irá fazer com que uma ação em questão falhe. Ações podem ser encadeadas desta maneira para que ações 'a' requeiram ações 'b' que requeira ações 'c'. A ação 'c' é a primeira a tentar e possui uma caixa de seleção próxima à ela até que seja concluída com sucesso, se alguma ação na cadeia falhar, as ações restantes também falharão. Para desagendar um evento pendente, selecione o evento e clique em Cancelar Eventos na parte inferior da página. Os seguintes ícones indicam o tipo de eventos listados aqui: Evento de Pacote Evento de Errata 34

38 Capítulo 4. The Red Hat Network Website Eventos de Preferência Evento de Sistema Detalhes de Sistema Eventos Histórico A exibição padrão da aba Eventos lista o tipo e estado de eventos que falharam, aconteceram ou estão acontecendo. Para visualizar detalhes de um evento, clique em seu sumário na lista Histórico do Sistema. Para visualizar novamente a tabela, clique em Retornar à lista de Histórico na parte inferior da página Grupos de Sistemas (Para visualizar esta página é necessário obter direitos de serviços de Gerenciamento). A página System Groups permite que todos os usuários do RHN Gerenciamento e Provisioning visualizem a lista do System Groups. Somente Administradores de Grupos de Sistema e o Satellite Administrator pode realizar as seguintes tarefas adicionais: 1. Criar Grupos de Sistema. (Consulte a Seção , Criando Grupos (Creating Groups).) 2. Adicionar sistemas a grupos de sistemas. (Consulte a Seção , Adicionar e Remover Sistemas de Grupos (Adding and Removing Systems in Groups).) 3. Remover sistemas de grupos de sistema. (Consulte a Seção , Detalhes do Sistema (System Details).) 4. Atribuir permissões de grupos de sistemas a usuários. (Consulte a Seção 4.9, Usuários.) A lista Grupos de Sistema exibe todos os seus grupos de sistema: A lista Grupos de Sistema contém diversas colunas para cada grupo: Selecionar (Select) Estas caixas de verificação permitem adicionar sistemas em grupos para o Gerenciador de Conjuntos de Sistemas( System Set Manager). Para selecionar grupos, marque as caixas apropriadas e clique no botão Atualizar (Update) abaixo da coluna. Todos os sistemas dos grupos selecionados são adicionados ao Gerenciador de Conjuntos de Sistemas. Então, você pode usar o Gerenciador de Conjuntos de Sistemas para efetuar ações simultâneas nestes. É possível selecionar somente os sistemas membros de todos os grupos selecionados. Para tanto, selecione-os e clique no botão Trabalhar com Intersecção (Work with Intersection). Para adicionar todos os sistemas de todos os grupos selecionados, selecione-os e clique no botão Trabalhar com União (Work with Union). Cada sistema será exibido uma vez, independente do número de grupos ao qual pertence. Consulte a Seção 4.4.4, Gerenciador do Conjunto de Sistemas para obter detalhes. Atualizações (Updates) Apresenta os tipos de Alertas de Erratas aplicáveis ao grupo ou confirma que está atualizado. Clicar no ícone de estado de um grupo te leva à aba Errata de sua página Detalhes do Grupo de Sistemas (System Group Details). Consulte a Seção , Detalhes do Grupo de Sistemas para mais informações. Os ícones de estado alertam para diferentes graus de atenção: Todos os sistemas dentro do grupo estão atualizados Errata Crítica disponível, atualização altamente recomendada. Atualizações disponíveis e recomendados Nome do Grupo O nome do grupo, conforme configurado durante sua criação. O nome deve ser descritivo o suficiente para diferenciá-lo de outros grupos. Clicar no nome de um grupo te leva à aba Detalhes de sua página Detalhes de Grupo de Sistema. Consulte a Seção , Detalhes do Grupo de Sistemas para mais informações. Sistemas O número total de sistemas contidos no grupo. Clicar no número te leva à aba Sistemas da página Detalhes do Grupo de Sistemas do grupo. Consulte a Seção , Detalhes do Grupo de Sistemas para mais informações. Usar na SSM Clicar no botão Usar Grupo nesta coluna carrega o grupo desta fileira e inicia a System Set Manager imediatamente. Consulte a Seção 4.4.4, Gerenciador do Conjunto de Sistemas para mais informações Criando Grupos (Creating Groups) Para adicionar um novo grupo de sistemas, clique no botão criar novo grupo no canto superior direito da página. Digite um nome e descrição e então clique no botão Criar Grupo Certifique-se de usar um nome que o diferencie dos outros grupos. O grupo novo aparecerá na lista Grupos de Sistemas Adicionar e Remover Sistemas de Grupos (Adding and Removing Systems in Groups) Os sistemas podem ser adicionados e removidos de grupos em dois lugares: na aba Sistemas Alvo da página Detalhes do Grupo de Sistemas e na aba Grupos da página Detalhes do Sistema. O processo é similar nos dois casos. Selecione os sistemas a serem adicionados ou removidos e clique no botão Adicionar Sistemas ou Remover Sistemas Detalhes do Grupo de Sistemas No topo de cada página Detalhes do Grupo de Sistema há dois links: trabalhar com grupo e apagar grupo Clicar em apagar grupo remove o Grupo de Sistemas e deve ser usado com cuidado. Clicar em Trabalhar com Grupo funciona de maneira semelhante ao botão Usar Grupo da lista Grupos de Sistemas, carregando os sistemas do grupo e iniciando o Gerenciador de Conjuntos de Sistemas (System Set Manager) imediatamente. Consulte a Seção 4.4.4, Gerenciador do Conjunto de Sistemas para mais informações. A página Detalhes do Grupo de Sistemas é dividida nas abas: Detalhes do Grupo de Sistema Detalhes (Details) Oferece o nome e descrição do grupo. Para alterar estas informações, clique em Editar Propriedades do Grupo faça suas alterações nos devidos campos e clique no botão Modificar Detalhes Detalhes do Grupo de Sistema Sistemas Lista os sistemas membros do grupo. Clicar nos links da tabela leva às abas correspondentes na página Detalhes do Sistema do sistema associado. Para remover sistemas do grupo, selecione as caixas de verificação apropriadas e clique no botão Remover do grupo no rodapé da página. Clicar neste botão não elimina os sistemas inteiramente do RHN. Isso é feito nas páginas Gerenciador do Conjunto de Sistemas (System Set Manager) ou Detalhes do Sistema (System Details). Consulte a Seção 4.4.4, Gerenciador do Conjunto de Sistemas ou Seção , Detalhes do Sistema (System Details), respectivamente Detalhes do Grupo de Sistema Sistemas Alvo (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de Serviços de Gerenciamento) Sistemas Alvo Lista todos os sistemas de sua empresa. Esta aba possibilita adicionar sistemas ao grupo de sistemas específico. Selecione os sistemas usando as caixas de verificação à esquerda e clique no botão Adicionar Sistemas no canto inferior direito da página Detalhes do Grupo de Sistema Errata (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Lista as Erratas relevantes para os sistemas do grupo. Clicar no Advisory (Relatório) te leva à aba Detalhes da página Detalhes da Errata. (Consulte a Seção , Detalhes da Errata para mais informações.) Clicar no número de Sistemas Afetados lista todos os sistemas atingidos pela Errata. Para aplicar as 35

39 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Atualizações da Errata nesta lista, selecione os sistemas e clique no botão Aplicar Errata Detalhes do Grupo de Sistema Admins (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Lista de todos os usuários da empresa com permissões para administrar o grupo de sistemas. Os Administradores do Satellite são claramente identificados. Os Administradores de Grupo de Sistemas são marcados com um asterisco (*). Para alterar os usuários do grupo de sistemas, selecione e desselecione as caixas de verificação apropriadas e clique no botão Atualizar Detalhes do Grupo de Sistema Probes (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Lista todas as probes atribuídas aos sistemas nos grupo de sistema. O Estado mostra o estado da probe. Clique no Sistema individual para detalhes sobre probe e para realizar mudanças na configuração de probe. Clique em Probe para gerar um formulário padronizável no monitoramento Gerenciador do Conjunto de Sistemas (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Muitas ações realizadas para sistemas individuais através da página de Detalhes de Sistema podem ser realizadas para sistemas múltiplos via Gerenciador de Conjunto de Sistemas, incluindo: Aplicar atualizações de Errata Atualizar pacotes para as versões disponíveis mais recentes Adicionar/remover sistemas a/de grupos de sistemas Registrar/desregistrar sistemas em/de canais Atualizar perfis de sistemas Modificar as preferências do sistema, como o download e instalação de pacotes agendados Kickstart em diversos sistemas com direito a Provisioning de uma só vez Determinar a subscrição e classificar os canais de configuração para sistemas com direitos a Provisioning Etiquetar as snapshots mais recentes de seus sistemas com direitos a Provisioning Reverter sistemas com direitos a Provisioning para snapshots anteriores Executar comandos remotos em sistemas com direitos a Provisioning Antes de executar ações em sistemas múltiplos, você deve selecionar os sistemas que deseja modificar. Para tanto, clique no link Listar os Sistemas, marque as caixas à esquerda dos sistemas que deseja selecionar e clique no botão Atualizar Lista. Você pode acessar o System Set Manager de três maneiras: 1. Clique no link Gerenciador de Conjunto de Sistemas (System Set Manager) na área de navegação cinza esquerda. 2. Clique no botão Usar Grupo (Use Group) na lista Grupos de Sistema (System Groups). 3. Selecione o link Trabalhar com Grupo (Work with Group) na página Detalhes de Grupo de Sistema (System Group Details) Gerenciador de Conjunto de Sistemas Visão Geral (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Descrição de diversas opções disponíveis para você nas abas restantes Gerenciador de Conjunto de Sistemas Sistemas (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Lista dos sistemas selecionados no momento. Para remover sistemas deste conjunto, selecione-os e clique no botão Remover Gerenciador de Conjunto de Sistemas Errata (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Lista das Atualizações de Errata aplicáveis ao conjunto de sistemas atual. Clique no número da coluna Sistemas para ver a quais sistemas do Gerenciador de Conjunto de Sistemas (System Set Manager) as Erratas são aplicáveis. Para aplicar as atualizações, selecione a Errata e clique no botão Aplicar Errata Gerenciador de Conjunto de Sistemas Pacotes (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) As opções para modificar pacotes no sistema dentro das sub-seções seguintes (Clique no número da coluna Sistemas para ver a quais sistemas da System Set Manager um determinado pacote se aplica): Ao selecionar pacotes para instalar, atualizar ou remover, Clientes com o direito à serviços Provisioning, você tem a opção de executar um comando remoto automaticamente antes ou depois da instalação do pacote. Consulte o Seção , Detalhes de Sistema Detalhes s para obter mais informações Gerenciador de Conjunto de Sistemas Pacotes Upgrade (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Uma lista de todos os pacotes que podem ser atualizados nos sistemas selecionados. Os sistemas devem estar registrados em um canal provendo o pacote, para poderem atualizá-lo. Se forem exibidas múltiplas versões do pacote, note que somente a versão mais recente disponível a cada sistema é atualizada naquele sistema. Selecione os pacotes a serem atualizados e então clique no botão Atualizar Pacotes Gerenciador de Conjunto de Sistemas Pacotes Instalar (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Uma lista dos canais a partir dos quais você pode obter pacotes. Esta lista abrange todos os canais aos quais os sistemas do conjunto estão registrados; um pacote é instalado num sistema somente se este estiver registrado ao canal que origina o referido pacote. Clique no nome do canal e selecione os pacotes da lista. Em seguida, clique no botão Instalar Pacotes Gerenciador de Conjunto de Sistemas Pacotes Remover (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento)Uma lista de todos os pacotes que podem ser removidos dos sistemas selecionados. Aparecem versões múltiplas se os sistemas do System Set Manager têm mais de uma versão instalada. Selecione os pacotes a serem apagados e então clique no botão Remover Pacotes Gerenciador de Conjunto de Sistemas Verificar (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Uma lista de todos os pacotes instalados, cujos conteúdo, MD5 sum e outros detalhes podem ser verificados. No próximo checkin, o evento de verificação invoca o comando rpm --verify no pacote especificado. Se houver quaisquer discrepâncias, são exibidas na página Detalhes do Sistema de cada sistema. Selecione a caixa de verificação próxima a todos os pacotes e então clique no botão Verificar Pacotes. Na página seguinte, selecione Agendar ações assim que possível ou escolha a data e a hora para a verificação e então clique no botão Agendar Verificações Gerenciador de Conjunto de Sistemas Reparos (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Ferramentas para gerenciar reparos nos clientes Solaris. Reparos podem ser instalados ou removidos via sub-abas. 36

40 Capítulo 4. The Red Hat Network Website Gerenciador de Conjunto de Sistemas Reparar Clusters (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Ferramentas para gerenciar reparos de clusters para clientes Solaris. Reparos podem ser instalados ou removidos via sub-abas Gerenciador de Conjunto de Sistemas Grupos (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Ferramentas para criar grupos e administrar seus membros. Estas funções são limitadas a Satellite Administrators e System Group Administrators. Para adicionar um grupo novo, clique em criar novo grupo no canto superior direito. Na página resultante, digite seu nome e descrição nos campos identificados e clique no botão Criar Grupo. Para adicionar ou remover os sistemas selecionados a ou dos grupos, selecione os botões apropriados e clique em Alter Membership Gerenciador de Conjunto de Sistemas Canais (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Opções para gerenciar associações de canal através das seguintes sub-abas: Gerenciador de Conjunto de Sistemas Canais Subscrições de Canais (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Para registrar ou remover registro dos sistemas selecionados a ou de qualquer um dos canais, selecione os botões apropriados e clique em Alterar Subscrições. Tenha em mente que registrar a canais consome os direitos do canal para cada sistema. Se houver poucos direitos disponíveis, o registro de alguns sistemas falharão. Os sistemas devem ser registrados num canal base antes de fazê-lo num canal filho Gerenciador de Conjunto de Sistemas Configuração (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning)Assim como as opções da aba Detalhes do Sistema Canais Configuração, estas sub-seções podem ser usadas para registrar os sistemas selecionados a canais de configuração, empregá-los e depois comparar os arquivos de configuração nos sistemas. Os canais são criados na interface Administrar Canais de Configuração na categoria Canais. Consulte a Seção 4.7.2, Visão Geral para obter instruções sobre a criação de canais. Para administrar a configuração de um sistema, instale os pacotes rhncfg* mais recentes. Consulte a Seção 4.7.1, Preparando Sistemas para Gerenciamento de Configuração para instruções sobre a ativação e desativação de ações agendadas num sistema Gerenciador de Conjunto de Sistemas Configuração Implementar Arquivos (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning)Use esta subseção para distribuir arquivos de configuração a partir de seu repositório central no RHN a cada um dos sistemas selecionados. A tabela lista os arquivos de configuração associados a qualquer um dos sistemas selecionados. Clicar em seu número de sistemas traz os sistemas já registrados ao arquivo. Para registrar os sistemas selecionados aos arquivos de configuração disponíveis, selecione a caixa de verificação de cada arquivo desejado. Quando terminar, clique em Implementar Configuração (Deploy Configuration) e agende a ação. Note que os arquivos empregados têm a versão mais recente na hora do agendamento e não incluem versões que podem surgir antes da ação ocorrer Gerenciador de Conjunto de Sistemas Configuração Comparar Arquivos (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning.) Use esta subseção para validar os arquivos de configuração dos sistemas selecionados contra as cópias em seu repositório central do RHN. Esta tabela lista os arquivos de configuração associados a quaisquer dos sistemas selecionados. Clicar em seu número de sistemas traz os sistemas já registrados ao arquivo. Para comparar os arquivos de configuração empregados nos sistemas àqueles do RHN, selecione a caixa de verificação de cada arquivo a ser validado. Então, clique em Analisar Diferenças e agende a ação. Note que os arquivos comparados têm a última versão de acordo com a hora de agendamento e não contam com as versões que podem surgir antes da ação ocorrer. Encontre os resultados na categoria Agendar principal ou na aba Detalhes do Sistema Eventos Gerenciador de Conjunto de Sistemas Configuração Subscrever a Canais (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Registre os sistemas nos canais de configuração de acordo com a ordem de preferência. Esta aba é disponibilizada somente o Satellite Administrator e a Configuration Administrators. Indique um número na coluna Classificar (Rank) para registrar num canal. Os canais são acessados na ordem da classificação, começando pelo número 1. Os canais que não tiverem um valor numérico atribuído, não são associados aos sistemas selecionados. Seu canal de configuração local sempre sobrescreve todos os outros canais. Após estabelecer a classificação dos canais de configuração, você deve decidir como aplicá-los aos sistemas selecionados. Os três botões abaixo dos canais refletem suas opções. Clicar em Subscrever com a Prioridade mais Alta (Subscribe with Highest Priority) coloca todos os canais do rank antes de qualquer canal ao qual os sistemas já estão registrados. Clicar em Subscrever com a Classificação Mais Baixa coloca os canais da classificação após os canais aos quais os sistemas já estão registrados. Clicar em Substituir Canais de Subscrição remove todas as associações existentes e inicia de forma limpa os canais da classificação, deixando todos os sistemas com os mesmos canais de configuração na mesma ordem. Nos dois primeiros casos, se qualquer canal recentemente inserido na classificação já está na lista de canais de configuração de um sistema, o canal duplicado é removido e reinserido de acordo com a classificação nova, efetivamente reordenando os canais existentes do sistema. Quando existe um conflito como este, é apresentada uma página de confirmação para garantir que a ação pretendida é correta. Quando a alteração ocorrer, aparece uma mensagem no topo da página indicando que a atualização foi bem-sucedida Gerenciador de Conjunto de Sistemas Configuração cancelar subscrição dos Canais (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Os Administradores podem remover o registro dos canais de configuração, clicando na caixa de seleção pelo nome do canal e clicando no botão Cancelar registro de Sistemas Gerenciador de Conjunto de Sistemas Configuração Ativar Configuração (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Os Administradores podem ativar o gerenciamento do canal de configuração, clicando na caixa de seleção pelo nome do canal e clicando em Habilitar Gerenciamento de Configuração RHN. Você também pode agendar a ação, clicando no botão Agendar instalações de pacotes para depois de e usando os menus suspensos para configurar data e horário, depois clicando em Habilitar Gerenciamento de Configuração RHN Gerenciador de Conjunto de Sistemas Provisioning (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Opções para os sistemas de provisionamento através das seguintes sub-abas: Gerenciador de Conjunto de Sistema Provisioning Kickstart (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Use esta sub-aba para reinstalar o Red Hat Enterprise Linux nos sistemas com Provisioning selecionados. Para agendar kickstarts para estes sistemas, selecione uma distribuição, identifique o tipo (endereço IP ou manual) e clique em Continuar. Finalize a escolha das opções na tela subseqüente. Se alguns dos sistemas 37

41 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência conecta ao RHN através de um RHN Proxy Server, selecione a opção Preservar Configuração Existente ou a opção Usar Proxy do RHN. Se você optar pelo kickstart através de um RHN Proxy Server, selecione-o na caixa suspensa ao lado do botão Usar Proxy do RHN. Todos os sistemas selecionados farão kickstart através do Proxy selecionado. Clique no botão Agendar Kickstart para confirmar suas opções. Quando os kickstarts dos sistemas selecionados são agendados com sucesso, a interface web retorna para a página do Gerenciador de Conjunto de Sistemas (System Set Manager) Gerenciador de Conjunto de Sistema Provisioning Marcar Sistemas (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Use esta subseção para adicionar descrições significativas aos snapshots mais recentes de seus sistemas selecionados. Para rotular os snapshots mais recentes de um sistema, insira um termo descritivo no campo Nome de Rótulo e clique no botão Rotular Snapshots Corrente Gerenciador de Conjunto de Sistema Provisioning Rollback (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Use esta sub-aba para retornar sistemas com direitos a Provisioning selecionados aos seus snapshots anteriores marcados com um rótulo. Clique no nome do rótulo, verifique os sistemas a serem revertidos e clique no botão Reverter Sistema (Rollback Systems) Gerenciador de Conjunto de Sistema Provisioning Comando Remoto (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Use esta subseção para invocar comandos remotos em sistemas selecionados com direitos a Provisioning. Primeiro, crie um arquivo run nos sistemas cliente para permitir a operação desta funcionalidade. Consulte a descrição da sub-seção Configuração na aba Canais para instruções. Em seguida, você pode identificar um usuário, grupo ou tempo limite específicos, assim como o próprio script nesta página. Selecione a data e a hora para executar o comando e clique em Agendar Comando Remoto Gerenciador de Conjunto de Sistemas Misc (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento)Misc Atualize os Perfis de Sistema e preferências do conjunto de sistemas através destes links: Gerenciador de Conjunto de Sistema Misc Atualizações de Perfil de Sistema (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Clique em Atualizar Perfil de Hardware e então no botão Confirmar Recarregamento para agendar uma atualização do perfil de hardware. Clicar em Atualizar Perfil de Pacotes e depois no botão Confirmar Recarregamento agendará uma atualização do perfil de pacotes Gerenciador de Conjunto de Sistema Misc Informações de Sistema Padronizado (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Clique em Definir um valor personalizado para sistemas selecionados e então no nome de uma chave para permitir que você forneça valores para todos os sistemas selecionados. Indique as informações e clique no botão Determinar es. Clique em Remover um valor personalizado e então no nome de uma chave para poder remover os valores de todos os sistemas selecionados. Clique no botão Remover es para finalizar a remoção Gerenciador de Conjunto de Sistema Provisioning Reinicializar Sistemas (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Selecione os sistemas apropriados e então clique no link Reinicializar Sistemas para que estes sistemas sejam reinicializados. Para cancelar esta ação imediatamente, clique no link lista de sistemas que aparece na mensagem de confirmação no topo da página, selecione os sistemas e então clique em Desagendar Ação Gerenciador de Conjunto de Sistema Misc Bloquear Sistemas (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Selecione os sistemas apropriados e então clique no link Bloquear Sistemas para evitar o agendamento de qualquer ação através do RHN que afetaria os sistemas selecionados. Isto pode ser revertido clicando no link Desbloquear Sistemas Gerenciador de Conjunto de Sistema Misc Remover Sistemas (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Clique em Remover Perfis de Sistemas e então no botão Confirmar Remoções para remover os perfis de sistema selecionados permanentemente Gerenciador de Conjunto de Sistemas Misc Adicionar ou Remover Direitos de Serviços Adicionais (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Selecione através do botão se deseja Adicionar, Remover ou não efetuar Nenhuma Alteração nos direitos aos sistemas selecionados. Clique no botão Alterar Direitos para confirmar sua seleção Gerenciador de Conjunto de Sistema Misc Preferências de Sistema (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Selecione entre Sim ou Não e então clique no botão Alterar Preferências para modificar suas preferências de notificação para os sistemas selecionados. Você pode aplicar estas preferências a sistemas separadamente através da sub-seção Propriedades na página Detalhes do Sistema. Consulte a Seção , Detalhes de Sistema Detalhes Propriedades para instruções. Receba Notificações de Atualizações/Erratas Esta configuração mantém você informado sobre todos relatórios pertinentes a seus sistemas. Toda vez que uma atualização para um sistema sob sua supervisão é produzida e lançada, uma notificação por é enviada. Incluir Sistema no Resumo Diário Esta configuração inclui os sistemas selecionados num resumo diário de eventos ocorridos nos sistemas. De acordo com a configuração padrão, todos os sistemas Management e Provisioning são inclusos no resumo. Estes eventos de sistemas são ações afetando pacotes, como atualizações de erratas agendadas, reinicializações dos sistemas ou falhas de checkin. Além de incluir os sistemas aqui, você deve escolher receber as notificações por na página Suas Preferências (Your Preferences) do Seu RHN (Your RHN). Consulte a Seção 4.3.2, A página "Suas Preferências" para instruções. Note que o RHN envia estes resumos somente a endereços de verificados. Aplicação automática de Erratas relevantes Esta configuração permite ter todas as Atualizações de Erratas aplicadas automaticamente aos sistemas selecionados. Isto significa que os pacotes associados às Erratas são atualizados sem nenhuma intervenção do usuário. Os clientes devem notar que a Red Hat não recomenda o uso da funcionalidade auto-update para sistemas de produção porque os conflitos entre pacotes e ambientes podem causar falhas de sistema Busca Avançada (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) A página Busca de Sistemas permite que você faça uma busca em seus sistema de acordo com o critério específico. Estes critérios incluem informações de sistema padronizados, detalhes de sistemas, hardware, dispositivos, interface, rede, pacotes e local. As buscas podem ser redefinidas usando o menu suspenso s a Buscar (Advanced Search), o qual é ajustado para Nome/Descrição por padrão. A lista a seguir detalha o menu suspenso s de Busca. 38

42 Capítulo 4. The Red Hat Network Website DMI Info A Desktop Management Interface (DMI) é o padrão para gerenciamento de componentes em sistema de computação. Você pode fazer uma busca por sistemas RHN Satellite usando os seguintes métodos de recuperação do DMI: Sistemas Nomes de Produtos ou números, Nomes de Fabricantes, Números em série e outras informações que podem ser únicas para um sistema. BIOS informações de suporte do BIOS tais como nome do fabricante do BIOS e versão, suporte de hardware ativado no BIOS, entre outros. Aba de Ativos (Asset) Um identificador único atribuído por um departamento de TI (ou fabricante) à um sistema para um melhor rastreamento, gerenciamento e inventário. Localização O local físico de um sistema que inclui o seguinte: Endereço O endereço do sistema ou conjunto de sistema Construção A construção ou local de um endereço Espaço O espaço do servidor ou sistema dentro de uma construção Rack O local designado dentro de uma sala de servidor onde um sistema está localizado. Detalhes Os únicos identificadores atribuídos à um sistema por administradores de sistema e especialmente Satellite Administrators incluindo o seguinte: Nome/Descrição O nome atribuído à um sistema por um Satellite Administrator ao adicioná-lo ao servidor RHN Satellite. ID Um identificador que é único ao sistema ou conjunto de sistemas. Informações Padronizadas Informações sobre o sistema, únicas somente àquele sistema. Aba de Snapshot O nome atribuído à um snapshot de sistema novo ou anterior Kernel em execução O kernel atualmente em execução em um sistema registrado no Satellite Hardware Sistemas podem ser pesquisados por componentes específicos no sistema, incluindo o seguinte: Modelo de CPU O nome do modelo de CPU (tal como Pentium ou Athlon MHz de CPU Menor do que Sistemas de busca com um processador menor do que a velocidade designada à usuários em Megahertz. CPU MHz Maior do que Sistemas de Busca com um processador maior do que a velocidade designada à usuários em Megahertz. Número de CPUs Menor do que Sistemas de busca com uma quantidade de processadores menor do que a quantidade designada à usuários. Número de CPUS Maior do que Sistemas de busca com uma quantia de processadores maiores do que a quantidade designada à usuários. RAM Menor do que Sistemas de busca com uma quantia de memória menor do que a quantidade designada à usuários em megabytes.. RAM Maior do que Sistemas de busca com uma quantia de memória maiores do que a quantidade designada à usuários em megabytes. Pacotes Sistemas podem ser pesquisados por pacotes instalados (e ainda não instalados) no sistema. Pacotes Instalados Sistemas de Filtro baseados em pacotes especialmente instalados Pacotes Necessários Sistemas de Filtro baseados em pacotes especiais que ainda não foram instalados. Atividade Sistemas podem ser pesquisados pela quantia de tempo desde a primeira ou última verificação dentro do RHN Satellite. Dias Desde a Última checagem O período de tempo (em dias) que os sistemas foram checados pela última vez no RHN Satellite. Dias Desde a Primeira checagem O período de tempo (em dias) que os sistemas foram checados pela primeira vez no RHN Satellite. Network Info Sistemas podem ser pesquisados com base nos detalhes da rede específica tal como endereço IP. Hostname O nome associado com um sistema registrado ao RHN Satellite Endereço IP O endereço de rede do sistema registrado no RHN Satellite Dispositivos de Hardware Sistemas podem ser pesquisados por detalhes de hardware específicos como nomes de driver e Dispositivos ou ID de Fabricantes. Descrição Informação do resumo do Dispositivo, tal como marca ou nome do modelo/número (tal como Intel 82801HBM/HEM) Driver O driver do kernel ou nome do módulo ( tal como tulip.o ou iwl3945) ID do Dispositivo ID O número hexadecimal correspondente ao dispositivo instalado no sistema. ID do Fabricante ID O número hexadecimal correspondente ao fabricante do dispositivo instalado no sistema. As seleções de atividade (Dias Desde o Último Checkin,, por exemplo) podem ser especificamente úteis para encontrar e remover Perfis de Sistemas desatualizados. Digite a palavrachave, selecione os critérios da busca, use os botões para identificar se a busca abrange todos os sistemas ou somente aqueles carregados no Gerenciador de Conjunto de Sistemas e clique no botão Procurar (Search). Você também pode selecionar a caixa Inverter Resultado (Invert Results) para listar os sistemas que não atendem aos critérios selecionados. Os resultados aparecem no rodapé da página. Para obter detalhes sobre o uso da lista de sistemas resultante, consulte a Seção 4.4.2, A página "Sistemas" Chaves de Ativação (Para visualizar esta aba é necessário obter direitos à serviços de Gerenciamento) Os clientes RHN Management e Provisioning com a função de Administrador de Chave de Ativação (incluindo Satellite Administrators) podem gerar chaves de ativação através do site da RHN. Estas chaves podem ser usadas para registrar um Red Hat Enterprise Linux, pode dar direito de serviços ao sistema para um nível de serviço RHN e subscrever o sistema em canais específicos e grupos de sistemas através do utilitário da linha de comando rhnreg_ks As chaves de ativação específicas de sistemas, criadas através da sub-seção Reativação (Reactivation) da página System Details (Detalhes do Sistema), não integram esta lista porque não são reutilizáveis em todos os sistemas Administrando Chaves de Ativação Para gerar uma chave de ativação: 1. Selecione Sistemas => Chaves de Ativação nas barras de navegação superior e esquerda. 2. Clique no link criar nova chave (create new key) no canto superior direito. 39

43 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Aviso Além dos campos listados abaixo, os clientes RHN Satellite também podem preencher o próprio campo Key (Chave). Este string de caracteres definido pelo usuário pode, então, ser suprido com o rhnreg_ks para registrar sistemas cliente no Satellite. Não inclua vírgulas na chave. Todos os outros caracteres são aceitos. As vírgulas são problemáticas, já que representam o separador usado para incluir duas ou mais chaves de ativação de uma vez. Consulte a Seção , Utilizando Chaves de Ativação Múltiplas de uma só vez para obter detalhes. 3. Indique as seguintes informações: Description (Descrição) Descrição definida pelo usuário para identificar a chave de ativação gerada. Limite de Uso (Usage Limit) O número máximo de sistemas que podem ser registrados à chave de ativação de uma só vez. Deixe em branco para uso ilimitado. Apagar o perfil de um sistema reduz um na contagem de uso e o registro do perfil de um sistema aumenta a contagem em um. Canal Base (Base Channel) O canal principal da chave. Não selecionar nada possibilita que você selecione todos os canais filho, porém os sistemas podem ser registrados somente naqueles que são aplicáveis. Direitos Adicionais (Add-on Entitlements) Os direitos suplementares para a chave, os quais incluem o Monitoring, Provisioning, Virtualização e Plataforma de Virtualização. Todos os sistemas receberão estes direitos com suas chaves. Padrão Universal (Universal default) Se esta chave deve ou não ser considerada a chave principal da sua empresa. Clique em Criar Chave (Create Key). Figura 4.6. Chaves de Ativação Após criar a chave única, esta aparece na lista de chaves de ativação juntamente ao número de vezes que foi usada. Note que somente os Administradores de Chave de Ativação podem visualizar esta lista. Neste ponto, você pode associar canais filhos e grupos à chave para que os sistemas registrados com esta sejam automaticamente registrados nestes canais e grupos. Para alterar as informações de uma chave, como os canais ou os grupos, clique na sua descrição na lista de chaves, faça suas modificações na aba apropriada e clique no botão Update Key (Atualizar Chave). Para desassociar os canais e grupos de uma chave, desselecione-os em seus menus respectivos, clicando e pressionando Ctrl em seus nomes destacados. Para remover uma chave inteiramente, clique no link delete key (apagar chave) no canto superior direito da página edit. Um sistema pode ser configurado para integrar um canal base durante o registro com uma chave de ativação. No entanto, se a chave de ativação especifica um canal base não compatível com o sistema operacional dos sistemas, o registro falha. Por exemplo: um sistema Red Hat Enterprise Linux AS v.4 para x86 não pode ser registrado com uma Chave de Ativação que especifica um canal base do Red Hat Enterprise Linux ES v.4 para x86. Um sistema pode sempre ser registrado num canal base personalizado. Para desativar as ativações de sistema com uma chave, desselecione a a caixa de verificação correspondente sob a coluna Enabled (Ativado) na lista de chaves. A chave pode ser reativada ao selecionar a caixa novamente. Após efetuar estas alterações, clique no botão Update Keys (Atualizar Chaves) no canto inferior direito da página Utilizando Chaves de Ativação Múltiplas de uma só vez (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Os clientes Provisioning devem notar que as chaves múltiplas de ativação podem ser inclusas na linha de comando ou num único perfil do kickstart. Isto permite agregar os aspectos de várias chaves sem precisar recriar uma nova chave específica para os sistemas desejados, simplificando os processos de registro e kickstart e desacelerando o crescimento da sua lista de chaves. Sem esta habilidade de agregar, sua empresa precisaria de, no mínimo, seis chaves de ativação para administrar quatro grupos de servidores e registrar um servidor a dois grupos quaisquer. Multiplique por duas versões do sistema operacional, como Red Hat Enterprise Linux 4 e 5 e você precisaria do dobro de chaves de ativação. Uma empresa maior precisaria de dúzias e mais dúzias de chaves. Registrando com múltiplas chaves de ativação requer certos cuidados; os conflitos de alguns valores podem causar a falha do registro. Os conflitos dos seguintes valores não causam esta falha; uma combinação de valores é aplicada: pacotes de software, canais filho de software e canais de configuração. Os conflitos nas propriedades restantes são resolvidos da seguinte maneira: canais base de software registro falha direitos registro falha ativar bandeira config administração da configuração é determinada Não use chaves de ativação específicas a um sistema junto com a outras chaves de ativação, pois o registro falha nestes casos. 4 0

44 Capítulo 4. The Red Hat Network Website Agora você está pronto para usar múltiplas chaves de ativação de uma só vez. Isso é feito através da separação por vírgulas na linha de comando com rhnreg_ks ou num perfil do kickstart na aba Post (Pós) da página Kickstart Details (Detalhes do Kickstart). Consulte a Seção , Criar um Novo Perfil Kickstart, respectivamente, para instruções Perfis Armazenados (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Os clientes Provisioning do RHN podem criar perfis de pacotes através da sub-seção Profiles (Perfis) da aba Packages (Pacotes) na página System Details (Detalhes do Sistema). Estes perfis aparecem aqui, na página Stored Profiles (Perfis Armazenados), onde podem ser editados e até mesmo removidos. Para editar um perfil, clique em seu nome na lista, altere seu nome e descrição e então clique no botão Update Profile (Atualizar Perfil). Para visualizar o software associado ao perfil, clique na sub-seção Packages (Pacotes). Para remover o perfil inteiramente, clique em delete stored profile (apagar perfil armazenado) no canto superior direito da página Informações Personalizadas de Sistema (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Os clientes Provisioning do RHN podem incluir informações totalmente personalizáveis sobre seus sistemas. Ao contrário das notas, as informações daqui são mais formais e podem ser usadas nas buscas. Por exemplo: você pode decidir definir uma etiqueta para cada sistema. Para fazer isso, crie uma chave asset na página Custom System Info (Informações Personalizadas do Sistema). Clique em create new key (criar chave nova) no canto superior direito da página. Insira uma etiqueta descritiva e uma descrição, tal como Recurso e localidade precisa de cada sistema e clique em Create Key (Criar Chave). A chave então aparecerá na lista de chaves das informações personalizadas. Uma vez criada a chave, você pode atribuir um valor a esta através da aba Custom Info (informações Personalizadas) da página System Details (Detalhes do Sistema). Consulte a Seção , Detalhes de Sistema Detalhes Proxy para mais instruções rhn-custom-info Além da interface da web do Satellite para criar e listar chaves de informações padronizadas, existe uma ferramenta de linha de comando chamada rhn-custom-info que realiza as mesmas ações em uma janela de comando, para administradores que podem não ter acesso à interface da web. O uso do rhn-custom-info segue abaixo: rhn-custom-info options key1 value1 Por exemplo: rhn-custom-info --username=admin --password=f00b4rb4z --serverurl=satellite.example.com --list-values O comando lista as chaves padrões e seus valores para o servidor do Satellite satellite.example.com Para mais informações, consulte o arquivo de ajuda digitando rhn-custom-info -h Arquivo Kickstart (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Os arquivos de configuração do Kickstart permitem que administradores criem um ambiente para automatizar horas extras com instalações de sistema, tais como servidores múltiplos ou estações de trabalho. Os arquivos do kickstart podem ser criados, modificados, gerenciados e padronizados utilizando a interface baseada em Web do Satellite. O RHN Satellite também apresenta o servidor de instalação Cobbler que permite que os administradores realizem instalações sem assistência, usando um servidor de Ambiente de Pré- Execução (PXE - Pre execution environment), instalação e configuração de sistemas convidados totalmente ou parcialmente virtualizados e re-instalações de sistemas em execução. Para mais informações sobre como configurar o Cobbler e seu programa Koan auxiliares associado, consulte o Capítulo 8, Cobbler. Para satisfazer as necessidades de provisionamento dos usuários, o RHN Satellite oferece esta interface para o desenvolvimento de perfis de kickstart que podem ser usados para instalar o Red Hat Enterprise Linux em sistemas novos ou já registrados. Isto possibilita a instalação automatizada de sistemas de acordo com especificações específicas. Importante Se os seus sistemas estiverem conectados aos servidores centrais do RHN, você precisará de uma árvore de instalação externa para cada distribuição à qual o kickstart será aplicado. Esta árvore pode estar hospedada em qualquer lugar que seja acessível ao sistema alvo através de HTTP. Se os sistemas estiverem conectados através de um RHN Proxy Server, você pode colocar a árvore de instalação em /var/www/html/pub/ no proxy. RHN Satellite s já possuem uma árvore para cada distribuição Red Hat e portanto não requerem árvores separadas. Mesmo que o sistema se conecte através de um RHN Proxy Server para chegar até o Satellite, estas árvores estarão disponíveis para a kickstarts. Consulte a Seção , Kickstart Distribuições para instruções sobre como configurar árvores de instalação. A Red Hat foca em fornecer as árvores de kickstart para cada lançamento de Red Hat Enterprise Linux (RHEL) próximos à sua data de Disponibilidade Geral (GA - General Availability). O processo de gerar, testar e validar as árvores antes de publica-las para os clientes podem causar atrasos após a data GA da versão do RHEL. 4 1

45 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Figura 4.7. Visão Geral de Kickstarts Esta página de visão geral exibe o status de kickstarts em seus sistemas clientes: os tipos e número de perfis que você tenha criado e o progresso de sistemas que tenham um kickstart agendado. Na parte superior direita encontra-se a seção Kickstart Actions (Ações de Kickstart), a qual contém uma série de links para ações de gerenciamento dos seus perfis de kickstart. Antes de explicar as várias opções do kickstart disponíveis nesta página, veja na próxima seção, uma breve introdução ao tópico kickstarts Introdução a Kickstarts Vários administradores de sistemas prefeririam usar um método de instalação automatizado para instalar o Red Hat Enterprise Linux em suas máquinas. Para responder à esta necessidade, a Red Hat criou o método de instalação através de kickstarts. Usando kickstarts, um administrador de sistemas pode criar um único arquivo contendo as respostas a todas as perguntas que seriam normalmente encontradas durante uma instalação típica. Arquivos de kickstart podem ser mantidos em um único servidor e lidos por computadores individuais durante a instalação. Este método de instalação pode suportar a utilização de um único arquivo de kickstart para instalar o Red Hat Enterprise Linux em várias máquinas, representando assim uma alternativa ideal para administradores de redes e sistemas. Imagens base, arquivos de kickstart e outros conteúdos podem ser acessados usando HTTP através da URL do servidor Satellite. Por exemplo, para acessar os arquivos de kickstart para o Red Hat Enterprise Linux ES 4 Update 5 para 32bits no servidor Satellite, a URL base seria seguida pelo nome do pacote que você deseja baixar, tais como: O Guia de Administração de Sistemas Red Hat Enterprise Linux contém um discussão a fundo sobre kickstarts e está disponível aqui: O Kickstart Explicado Antes que uma máquina possa receber um kickstart através da rede, os seguintes eventos devem ocorrer, nesta ordem: 1. Depois que estiver na rede e ligada, a lógica PXE da máquina difunde o seu endereço MAC junto com um pedido para que seja encontrada. 2. Se um endereço de IP estático não está sendo usado, o servidor DHCP reconhece o pedido de descoberta e apresenta informações de rede necessárias para que a nova máquina seja inicializada. Isto inclui um endereço de IP, o gateway padrão a ser usada, máscara de rede da rede, o endereço IP do servidor TFTP ou HTTP contendo o programa do carregador de inicialização e o caminho completo e nome do arquivo do mesmo (relativo ao diretório raiz do servidor). 3. A máquina aplica a informação de rede e inicia uma sessão com o servidor para requisitar o programa do carregador de inicialização. 4. O carregador de inicialização, uma vez carregado, procura pelo seu arquivo de configuração no seu servidor de origem. Este arquivo especifica qual kernel e opções de kernel, como por exemplo a imagem do disco RAM (initrd) inicial, deve ser executado na máquina sendo inicializada. Supondo que o programa do carregador de inicialização seja o SYSLINUX, o arquivo em questão localiza-se no diretório pxelinux.cfg do servidor e tem como nome o formato hexadecimal equivalente ao endereço IP da nova máquina. Por exemplo, um arquivo de configuração do carregador de inicialização para o Red Hat Enterprise Linux AS 2.1 deve conter: port 0 prompt 0 timeout 1 default My_Label label My_Label kernel vmlinuz append ks=http://myrhnsatellite/ initrd=initrd.img network apic 5. A máquina aceita e descompacta a imagem de inicialização e o kernel, inicializa o kernel e inicia uma instalação kickstart usando as opções fornecidas pelo arquivo de configuração do carregador de inicialização, incluindo o servidor contendo o arquivo de configuração do kickstart. 6. Este arquivo de configuração de kickstart por sua vez direciona a máquina à localização dos arquivos de instalação. 7. A nova máquina é contruída baseada nos parâmetros estabelecidos no arquivo de configuração do kickstart Pré-requisitos do Kickstart Embora o Red Hat Network tenha tentado facilitar ao máximo o provisionamento de sistemas, algumas providências devem ser tomadas para que a sua infra-estrutura possa lidar com kickstarts. Por exemplo, antes de criar perfis de kickstart, você deve levar em consideração o seguinte: O servidor DHCP. Ele não é requerido para realizar o kickstart, mas o servidor DNCP facilitará a necessidade de configurar redes em arquivos do kickstart. Você também pode inicializar a partir da rede. Se você não poussui um servidor do DHCP e estiver utilizando um endereço IP estátivo, você precisa selecionar um IP enquanto estiver desenvolvendo seu perfil kickstart. Um servidor de FTP pode ser usado ao invés de hospedar as árvores de distribuição do kickstart através de HTTP. 4 2

46 Capítulo 4. The Red Hat Network Website Se você está conduzindo um kickstart desde o início (bare metal) 1. Configure o DHCP para atribuir parâmetros de rede requeridos e um local de programa de carregador de inicialização. 2. Especifique o kernel a ser utilizado e as opções de kernel apropriadas dentro do arquivo de configuração do carregador de inicialização Preparando ISOs de Kickstart Inicializáveis Embora você possa agendar o kickstart de um sistema registrado usando um novo sistema operacional e perfil de pacotes, também é útil poder fazer o kickstart de um sistema que não esteja registrado com o RHN ou que ainda não tenha um sistema operacional instalado. Um método comumente usado para tal atividade é a criação de um CD-ROM inicializável que venha a ser usado posteriormente no sistema alvo. Quando o sistema é reinicializado, o mesmo inicializa a partir do CD-ROM, carrega a configuração de kickstart a partir dos servidores do RHN ou do seu Satellite e prossegue com a instalação do Red Hat Enterprise Linux de acordo com o perfil de kickstart que você tenha criado. Para fazer isto, copie o conteúdo de /isolinux do primeiro CD-ROM da distribuição alvo. A seguir, edite o arquivo isolinux.cfg para que 'ks' represente a opção padrão. Além disso, mude a seção 'ks' para a seguinte template: label ks kernel vmlinuz append text ks={url} initrd=initrd.img lang= devfs=nomount ramdisk_size=16438 \ {ksdevice} URLs de kickstart baseadas em endereços IP se parecerão com o seguinte: A distribuição de kickstart selecionada pelo intervalo de IPs deve coincidir com a distribuição para a qual você esteja preparando, caso contrário, erros ocorrerão. {ksdevice} é opcional, mas se parece com o seguinte: ksdevice=eth0 É possível mudar a distribuição para um perifl de kickstart dentro de uma família, como Red Hat Enterprise Linux AS 4 a Red Hat Enterprise Linux ES 4, especificando a etiqueta da nova distribuição. Note, entretanto, que você não pode mudar entre versões (2.1 to 3) ou entre atualizaçãoes (A1 para A2). A seguir, você pode personalizar o isolinux.cfg ainda mais de acordo com as suas necessidades, como adicionar opções de kickstart múltiplas, mensagens alternativas de inicialização, períodos de tempo limite mais curtos, etc. A seguir, crie a ISO conforme descrito na seção Criando um CD-ROM de Inicialização de Instalação do Guia de Instalação do Red Hat Enterprise Linux 3. Alternativamente, digite o comando: mkisofs -o file.iso -b isolinux.bin -c boot.cat -no-emul-boot -boot-load-size 4 \ -boot-info-table -R -J -v -T isolinux/ Note que isolinux/ é o caminho relativo ao diretório contendo os arquivos isolinux do CD-ROM da distribuição, enquanto file.iso é o arquivo ISO de saída, o qual é colocado no diretório atual. Você pode então gravar a ISO em um CD-ROM. Para usar o disco (supondo que você tenha deixado a etiqueta para o kickstart de inicialização como 'ks'), inicialize o sistema e digite "ks" na linha de comando. O kickstart deverá começar assim que você pressionar Enter Integrando o Kickstart com o PXE Além das instalações baseadas em CD-ROM, o RHN suporta o kickstart através do Ambiente de Execução de Pré-Inicialização (PXE) o qual é menos suscetível a erros do que os CDs, possibilita o kickstarting desde o início e integra com os ambientes PXE/DHCP existentes. Para utilizar este método, tenha certeza de que seus sistemas possuem placas de interface de rede (NIC) que suportem o PXE, instale e configure um servidor PXE, assegure-se que o DHCP está sendo executado e então coloque os arquivos apropriados em um servidor HTTP para ser implementado. Depois que o perfil do kickstart tiver sido criado, use a URL da página Detalhes de Kickstart (Kickstart Details), da mesma forma que foi usado para as instalações baseadas em CD-ROM. Para obter instruções específicas sobre como conduzir os kickstarts PXE, consulte o capítulo Instalações de Rede do PXE do Guia de Administração de Sistemas do Red Hat Enterprise Linux 5. Dica Na execução do Network Booting Tool como descrito no Guia de Administração de Sistemas do Red Hat Enterprise Linux 4, assegure-se de selecionar o "HTTP" como protocolo e inclua o nome do domínio do RHN Satellite no campo do Servidor, caso você pretenda usá-lo para distribuir arquivos de instalação. As seções a seguir descrevem as opções kickstart disponíveis a partir da página Sistemas (Systems) Kickstart Perfis de Kickstart Figura 4.8. Perfis de Kickstart Esta página lista todos os perfis para sua empresa, se estão ativos e a imagem de inicialização do qual este perfil se refere. Você também pode criar um novo perfil de kickstart, clicando no link criar um 4 3

47 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência este perfil se refere. Você também pode criar um novo perfil de kickstart, clicando no link criar um novo perfil de kickstart, atualizar ou colar o conteúdo de um novo kickstart usando o atualizar novo arquivo do kickstart ou edite os perfis existentes, clicando no nome do perfil Criar um Novo Perfil Kickstart Clique no link Criar um Novo Kickstart (Create a New Kickstart Profile) a partir da página Sistemas (Systems) Kickstart para iniciar o assistente que popula os valores necessários para um perfil de kickstart. 1. Na primeira linha, insira um rótulo de perfil kickstart. Este rótulo não pode conter espaços, portanto use hífens (-) ou sublinhado (_) como separadores. 2. Selecione um Canal Base para este perfil, o qual consiste em pacotes baseados em uma arquitetura específica e a versão do Red Hat Enterprise Linux, tal como Red Hat Enterprise Linux (v.5 for 32-bit x86). 3. Selecione uma árvore que possa ser usada para este perfil de kickstart. O menu suspenso contendo os nomes das árvores disponíveis só é populado se uma ou mais distribuições foram criadas para o canal base selecionado. 4. Selecione o Tipo de Virtualização a partir do menu suspenso. Para mais informações sobre virtualização, consulte a Capítulo 7, RHN Satellite and Virtualized Client Systems. Se você não pretende usar um perfil kickstart para criar sistemas de convidados virtuais, deixe o menu suspenso como escolha padrão Hóspede Virtualizado do KVM. 5. Na segunda página, selecione (ou digite) a URL da árvore de kickstart. 6. Na terceira página, selecione uma senha root para o sistema. Siga as recomendações introduzidas na seção Segurança de Senhas do Guia de Segurança Red Hat Enterprise Linux, disponível em Dependendo de seu canal base, seu perfil kickstart criado recentemente pode ser registrado em um canal que esteja não possua pacotes solicitados. Para que o kickstart funcione adequadamente, os pacotes a seguir devem ser apresentados neste canal base do kickstart: pyopenssl, rhnlib, libxml2-python e spacewalk-koan e pacotes associados. Para solucionar este problema, tenha a certeza de que os seguintes itens estão corretos: Tenha a certeza de que o canal de software filho rhn-tools para o canal base do perfil do kickstart esteja disponível em sua empresa. Caso não esteja, você precisa solicitar entitlements para o canal do software rhn-tools a partir do administrador de Satellite. Tenha a certeza de que o canal filho do rhn-tools para este canal base do perfil do kickstart esteja disponível em seu RHN Satellite. Caso não esteja, entre em contato com o administrador do Satellite e solicite um satellite-sync do rhn-tools. Assegure-se de que o rhn-kickstart e pacotes associados correpondente à este kickstart, esteja disponível no canal filho do rhn-tools do kickstart. Caso não esteja, disponibilize-o para este perfil do kickstart para funcionar adequadamente. O estágio final do assistente apresenta a aba Detalhes do Kickstart (Kickstart Details) Detalhes. Nesta aba e nas outras sub-abas, quase todas as opções para o novo perfil kickstart pode ser padronizado. Uma vez criado, você pode acessar o perfil de kickstart baixando-o a partir da página Detalhes do Kick Start (Kickstart Details), clicando na sub aba Arquivo de Kickstart (Kickstart File) e clicando no link Baixar Arquivo Kickstart (Download Kickstart File). Se o arquivo de kickstart não é gerenciado pelo Satellite, você pode acessa-lo pela seguinte URL: No exemplo acima, o ARCH é a arquitetura do arquivo de kickstart, a VARIANT pode ser cliente ou server e VERSION é o lançamento do Red Hat Enterprise Linux associado com o arquivo de kickstart. As seguintes seções descrevem as opções disponíveis em cada sub aba Detalhes do Kickstart Variantes Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning. Figura 4.9. Detalhes do Kickstart A figura abaixo mostra as sub-abas que estão disponíveis a partir da aba Detalhes do Kickstart A partir da sub-aba Detalhes do Kickstart Detalhes você pode: Renomear o perfil Mudar o sistema operacional que ele instala, clicando em (Mudar) Modifique o Tipo de Virtualização Para mudar o Tipo de Virtualização são necessárias algumas mudanças no carregador de cargas do perfil do kickstart e opções de partições, principalmente sobrescrever padronizações de usuários. Consulte a aba Partitioning para verificar quaisquer configurações modificadas ou novas. Mude a quantia do Memória Virtual (em Megabytes de RAM) alocada para convidados virtuais em kickstart com este perfil. Mude o número do CPUs Virtuais para cada convidado virtual. Mude o Caminho de Armazenamento Virtual (Virtual Storage Path) do padrão em /var/lib/xen/ Mude a quantia do Espaço de Disco Virtual (Virtual Disk Space) (em Gigabytes) fornecido para cada convidado virtual. Mude o Virtual Bridge para rede de convidado virtual Desativar o perfil para que não possa ser usado para agendar um kicktart, desselecionando o ítem Ativo Verifique a ativação do registro para scripts %post padronizados para o arquivo /root/kspost.log Verifique a ativação do registro para scripts %pre padronizados para o arquivo /root/kspre.log Verifique se deve preservar o arquivo ks.cfg e todos os fragmentos do %include para o diretório /root/ de todos os sitemas em kickstart com este perfil. Selecionar se o perfil está como padrão para todos os kickstarts de sua empresa, selecionando ou 4 4

48 Capítulo 4. The Red Hat Network Website não o ítem. Adicione quaisquer Opções do Kernel na caixa de texto correspondente. Adicione quaisquer Opções de Pós Kernel na caixa de texto correspondente. Inserir comentários que sejam úteis para você distinguir este perfil dos outros Detalhes do Kickstart Sistema Operacional (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) A partir desta página, você pode fazer as seguintes mudanças ao sistema operacional que o perfil do kickstart instala: Mudar o canal base Selecionar a partir dos canais base disponíveis, tais como Red Hat Enterprise Linux v.5 for 32-bit x86. Os administradores do Satellite têm acesso a uma lista de todos os canais base que estão sincronizados com seu Satellite atualmente. Canais Filhos Subscreva-se em quaisquer canais filhos do canal base, tais como o canal rhn-tools*. Árvores disponíveis Use o menu suspenso para escolher as árvores disponíveis associaas ao canal base. Local do Arquivo O local exato de onde a árvore do kickstart é montada. Este valor é determinado quando o perfil é criado. Você pode visualizar esta página mas não pode modificá-la Detalhes do Kickstart Variantes As variantes do kickstart podem ser usadas para substituir valores em perfil kickstart. Para definir uma variante, crie um par de nome de valores (name/value) na caixa texto. Por exemplo, se você quisesse realizar um kickstart em um sistema que se una à rede para departamentos especificos (por exemplo a organização Engineering) você pode criar uma variante de perfil para instalar um endereço ip e o endereço do servidor gateway para um variante que qualquer sistema que use este perfil possa usá-lo. Adicione a seguinte linha na caixa de textos Variáveis (Variables). IPADDR= GATEWAY= Para usar a variante do perfil, você pode usar o nome da variante dentro do perfil para substituir no valor. Por exemplo, a porção network de um arquivo do kickstart se parece com este: network --bootproto=static --device=eth0 --onboot=on --ip=$ipaddr -- gateway=$gateway O $IPADDR será e o $GATEWAY será Existe uma hierarquia ao criar e usar as variantes nos arquivos do kickstart. As variantes do kickstart do sistema antecede as variantes do Perfil, as quais por sua vez antecedem as variantes da Distribuição. Se você entender esta hierarquia, evitará confusões usando variantes no kickstart. O uso de variantes é só uma parte da grande infraestrutura do Cobbler para criar modelos que possam ser compartilhados entre perfis múltiplos e sistemas. Para mais informações sobre os modelos do Cobbler e kickstart, consulte a Capítulo 8, Cobbler Detalhes do Kickstart Opções Avançadas (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) A partir desta página, você pode alternar diversas opções de instalação, selecionando ou não os ítens à esquerda da opção. Para a maioria das instalações, as opções padrões estão corretas. O Red Hat Enterprise Linux System Administration Guide discute cada uma destas opções em detalhes Detalhes do Kickstart Kickstart Bare Metal (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Esta sub-aba oferece a informação necessária para os sistemas de kickstart que não são registrados com o RHN. Para usar as instruções na tela, você pode efetuar o kickstart nos sistemas usando a mídia de inicialização (CD-ROM) ou através do endereço IP Detalhes do Sistema (System Details) Detalhes (Details) Figura Detalhes do Sistema (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) A figura abaixo mostra as sub-abas que estão disponíveis a partir da aba Detalhes do Sistema A partir da sub-aba Detalhes do Sistema Detalhes você pode: Selecionar a partir do DHCP e IP estático, dependendo da sua rede. Escolher o nível de SELinux que está configurado em seus sistemas em kickstart. Habilitar o gerenciador de configuração ou a execução de um comando remoto em seus sistemas em kickstart. Mudar a senha root associada a este perfil Detalhes de Sistema Idioma (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) A partir desta subaba, você pode modificar o horário associado aos sistemas em kickstart Detalhes de Sistema Partitioning (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) A partir desta subaba, você pode indicar as partições que você deseja criar durante a instalação. Por exemplo: partition /boot --fstype=ext3 --size=200 partition swap --size=2000 partition pv.01 --size= grow volgroup myvg pv.01 logvol / --vgname=myvg --name=rootvol --size= grow Detalhes de Sistema Preservação do Arquivo Se você criou uma lista de preservação de arquivo anteriormente, você poderá incluir esta lista como parte do kickstart. Isto evitará que arquivos nesta lista sejam sobrescritos durante o processo de 4 5

49 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência instalação. Consulte a Seção , Kickstart Preservação do Arquivo para informações sobre como criar uma lista de preservação de arquivo Detalhes do Sistema (System Details) GPG e SSL (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) A partir desta subaba, selecione as chaves GPG e/ou os certificados SSL para que sejam importados para o sistema com kickstart durante a seção %post do kickstart. Para clientes Satellite, esta lista inclui o Certificado SSL usado durante a instalação do Satellite. Qualquer chave GPG que você deseje importar para o sistema com kickstart deve estar em ASCII ao invés de estar em formato binário Detalhes de Sistema Troubleshooting (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) A partir desta subaba, você pode modificar as informações que possam lhe ajudar com o troubleshooting de problemas de hardware : Carregador de Inicialização Para alguns sistemas sem cabeçalho, recomenda-se selecionar o carregador de inicialização LILO não gráfico. Parâmetros do Kernel Inserir parâmetros kernel aqui que possam ajudar a estreitar a fonte de problemas do hardware Software Grupos de Pacotes Figura Software (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) A figura abaixo mostra as sub-abas que estão disponíveis a partir da aba Software Insira os grupos de pacotes, tais que você deseja instalar no sistema em kickstart na caixa de texto grande nesta página. Se você quiser saber quais grupos de pacotes estão disponíveis e quais pacotes eles possuem, consulte o arquivo RedHat/base/ de sua árvore de kickstart. Os clientes Satellite muito provavelmente irão colocar seus arquivos aqui: /var/www/satellite/rhn/kickstart/<kickstart label>/redhat/base/comps.xml Software Perfis de Pacotes (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Se você criou um Perfil de Pacote anteriormente de um de seus sistemas registrados, você pode usar este perfil como modelo para arquivos a serem instalados em um sistema kickstart. Consulte a Seção , Detalhes de Sistema Software Pacotes para mais informações sobre perfis de pacotes Chave de Ativação Figura Chave de Ativação A aba Chaves de Ativação, que não possui sub-aba, permite que você selecione as Chaves de Ativação como parte do perfil kickstart. Estas chaves, que devem ter sido criadas antes de criar o perfil kickstart, serão usadas ao registrar novamente os sistemas em kickstart Scripts Figura Scripts A aba Scripts, a qual não possui sub-abas, é onde os %pre e %post scripts são criados. Esta página lista qualquer script que tenha sido criado para o perfil kickstart. Para criar um novo script kickstart: 1. Clique em adicionar um novo link de script kickstart do lado direito superior. 2. Insira o caminho para o idioma de script usado para criar o script, tal como /usr/bin/perl 3. Insira um script completo na caixa de texto grande O menu suspenso é para reafirmar a sintáxe do idioma de script escolhido, não para definir o idioma do script 4. Indica se o script será executado na seção %pre or %post do processo do kickstart. 5. Indica se este script deve ser executado fora do ambiente chroot. Consulte a seção Script de Pós-instalação do Guia de Admin de Sistemas Red Hat Enterprise Linux para mais detalhes sobre a opção nochroot. O RHN suporta a inclusão de arquivos separados dentro da seção de Detalhes de Partição do perfil do kickstart. Por exemplo, você pode gerar de forma dinâmica, um arquivo de partição baseado no tipo de máquina e número de discos na hora de efetuar o kickstart. Este arquivo pode ser criado via %pre script e colocado no sistema como /tmp/part-include. Depois disso, você pode chamar por este arquivo, incluindo a seguinte linha dentro do campo de Detalhes de Partição da aba Detalhes do Sistema (System Details) Particionamento (Partitioning): %include /tmp/part-include Arquivo de Kickstart Figura Arquivo de Kickstart 4 6

50 Capítulo 4. The Red Hat Network Website A aba Arquivo do Kickstart, a qual não possui sub-abas, permite que você visualize ou faça o download do perfil de kickstart que tenha sido gerado a partir das opções selecionadas nas abas anteriores Kickstart Bare Metal (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Lista os endereços IP que foram associados com os perfis de kickstart criados pela sua empresa. Clique na lista ou no nome do perfil para obter acesso à abas diferentes da página Detalhes do Kickstart Kickstart GPG e Chaves SSL (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Lista as chaves e certificados disponíveis para a inclusão nos perfis do kickstart e oferece um meio de criar novos. Isto é muito importante para os cliente de RHN Satellite e RHN Proxy Server, pois os sistemas com kickstart efetuados por eles, devem ter uma chave de servidor importada para o RHN e associada com os perfis de kickstart relevantes. Importe-o criando uma nova chave aqui e depois faça a associação de perfil na sub-aba Chaves GPG e SSL da página Detalhes de Kickstart. Ao utilizar os RPMs padronizados e canais, crie uma chave GPG padronizadas para estes pacotes. Consulte o Client Configuration Guide para obter mais detalhes sobre como importar chaves padronizadas GPG se necessário. O local da chave GPG também precisa ser adicionado ao perfil do Kickstart. A chave GPG padronizada precisa ser adicionada aos sistemas clientes ou a instalação do Kicskstart pode falhar. Para desenvolver uma nova chave/certificado, clique no link criar uma nova chave/certificado armazenada no canto direito superior da página. Insira uma descrição, selecione o tipo, carregue o arquivo e clique no botão Criar Chave. Note que requer-se uma descrição única. Importante A chave GPG que você carregou no RHN deve estar em formato ASCII. O uso da chave GPG em formato binário causa uma anaconda, fazendo com que o processo kickstart falhe Kickstart Distribuições (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) A página Distribuições (Distributions) permite que você encontre e crie árvores de instalação padronizadas que possam ser usadas para o kickstart. A página Distribuições (Distributions) não exibe as distribuições do Red Hat que já foram fornecidas antes. Elas podem ser encontradas dentro do menu suspenso do Distribuições da página Detalhes do Kickstart.) Antes de criar uma distribuição, você deve disponibilizar uma árvore de instalação, como descrito no capítulo Instalações do Kickstart no Guia de Administração de Sistemas do Red Hat Enterprise Linux. Esta árvore deve estar localizada em um diretório público em um servidor HTTP ou FTP. Importante Os usuários RHN Satellite devem observar que os canais importados com o satellite-sync são disponibilizados automaticamente e não requerem a criação de uma árvore de instalação em separado. Estas árvores estão disponíveis para os sistemas de clientes que efetuaram o kickstart no Satellite. Embora você possa acessar os arquivos a partir de um cliente sem kickstart, esta função não é suportada e pode ser removida a qualquer momento. Para criar uma nova distribuição, insira o rótulo sem espaços no campo Distribution Label, tal como o my-orgs-rhel-as-5. No campo Tree Path, insira o caminho do disco local em seu servidor do RHN Satellite. O caminho deve conter todo a árvore do kickstart para uma distribuição incluindo o kernel, initrd e informações de repositório, mas excluindo qualquer RPMs. Selecione a distribuição combinando a partir dos menus suspensos Canal Base e Geração do Instalador, tais como Red Hat Enterprise Linux (v.5 para x86)e Red Hat Enterprise Linux 5, respectivamente. Depois de concluído, clique no botão Criar Distribuição do Kickstart Kickstart Distribuições Variantes As variantes do kickstart podem ser usadas para substituir valores em perfil kickstart. Para definir uma variante, crie um par de nome de valores (name/value) na caixa texto. Por exemplo, se você quisesse realizar um kickstart em um sistema que se una à rede para departamentos especificos (por exemplo a organização Engineering) você pode criar uma variante de perfil para instalar um endereço ip e o endereço do servidor gateway para um variante que qualquer sistema que use este perfil possa usá-lo. Adicione a seguinte linha na caixa de textos Variáveis (Variables). IPADDR= GATEWAY= Para usar a variante de distribuição, você pode usar o nome da variante dentro do perfil para substituir no valor. Por exemplo, a porção network de um arquivo de kickstart se parece com esta: network --bootproto=static --device=eth0 --onboot=on --ip=$ipaddr -- gateway=$gateway O $IPADDR será e o $GATEWAY será Existe uma hierarquia ao criar e usar as variantes nos arquivos do kickstart. As variantes do kickstart do sistema antecede as variantes do Perfil, as quais por sua vez antecedem as variantes da Distribuição. Se você entender esta hierarquia, evitará confusões usando variantes no kickstart. O uso de variantes é só uma parte da grande infraestrutura do Cobbler para criar modelos que possam ser compartilhados entre perfis múltiplos e sistemas. Para mais informações sobre os modelos do Cobbler e kickstart, consulte a Capítulo 8, Cobbler Kickstart Preservação do Arquivo 4 7

51 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Provisioning) Coleta listas de arquivos a serem protegidos e re-implementados em sistemas durante o kickstart. Por exemplo, se você tiver muitos arquivos de configuração padronizados localizados em um sistema a ser efetuado o kickstart, insira-os aqui como uma lista e associe esta lista com o perfil de kickstart a ser usado. Para usar este recurso, clique no link criar nova lista de preservação de arquivo no topo e insira uma etiqueta relevante e todos os diretórios e arquivos a serem preservados na página final. Insira caminhos absolutos a todos os arquivos e diretórios. Depois disso, clique em Criar Lista. Importante Embora a preservação de arquivo seja útil, ela não tem limitações. Primeiro, cada lista é limitada a um tamanho total de 1 MB. Depois, dispositivos especiais, como o /dev/hda1 e /dev/sda1 não são suportados. Por último, somente nomes de arquivos e diretórios devem ser inseridos. Nenhum coringa de expressão pode ser incluído. Depois de concluído, você pode incluir a lista de preservação de arquivo no perfil kickstart para ser usado em sistemas que contenham estes arquivos. Consulte a Seção , Criar um Novo Perfil Kickstart para passos mais precisos Errata Selecione a aba Erratas na barra de navegação superior para verificar a disponibilidade e relevância de erratas aos sistemas gerenciados por você. A primeira página a aparecer aqui é a Visão Geral de Erratas. Esta página exibe erratas relevantes ou seja, aquelas que sejam aplicáveis a pelo menos um sistema ao qual você tenha acesso administrativo e que ainda não tenham sido aplicadas. Dica Para receber um quando atualizações de erratas forem lançadas para o seu sistema, vá para Visão Geral Suas Preferências e selecione Receber notificações por e- mail. A Red Hat lança atualizações de erratas em três categorias ou tipos: Atualizações de Segurança (Security), Atualizações de Conserto de Erros (Bug Fix) e Atualizações de Melhorias (Enhancement). Cada Alerta de Errata é composto de um resumo do problema e da solução, incluindo os pacotes RPM necessários para consertar o problema. Os ícones são usados para identificar os três tipos de Atualizações de Erratas: Atualizações de Segurança disponíveis, atualização altamente recomendadas. Correções de bugs disponíveis e recomendadas. Atualizações de Aprimoramento disponíveis. Uma listagem fornece o resumo de cada errata. Esta listagem oferece informação instantânea sobre o tipo, severidade (para atualizações de segurança) e assunto da errata, assim como o número de sistemas afetados. Além das páginas descritas neste capítulo, você pode visualizar as Erratas por linha de produto, na seguinte url: https://rhn.redhat.com/errata Erratas Relevantes Conforme a Figura 4.15, Lista de Erratas, a página Relevant Errata (Erratas Relevantes) exibe uma lista personalizada das atualizações de erratas que se aplicam a seus sistemas registrados. A lista oferece um sumário de cada atualização de errata, incluindo seu tipo, severidade, sinopse, sistemas afetados e data de atualização. Figura Lista de Erratas Clicar no Advisory te leva à aba Details (Detalhes) da página Errata Details (Detalhes da Errata). Clicar no número dos sistemas associados te leva à aba Affected Systems (Sistemas Afetados) da página Errata Details (Detalhes da Errata). Consulte a Seção , Detalhes da Errata para mais informações Todas Erratas A página All Errata (Todas Erratas) traz uma lista de todos as atualizações de erratas lançadas pela Red Hat. Esta página funciona de maneira semelhante à página Relevant Errata (Erratas Relevantes). Clicar no resumo ou no número de sistemas afetados o leva às abas relacionadas da página Errata Details (Detalhes da Errata). Consulte a Seção , Detalhes da Errata para mais informações. 4 8

52 Capítulo 4. The Red Hat Network Website Aplicar Atualizações de Errata Atualizações de erratas incluem uma lista de pacotes atualizados necessários para aplicar a atualização de errata. Para aplicar atualizações de erratas a um sistema, o mesmo deve possuir direitos a serviços. Você pode aplicar todas as atualizações de erratas num sistema clicando em Sistemas Sistemas nas barras de navegação superior e esquerda. Clique no nome de um sistema com direitos e então na aba Erratas da página Detalhes do Sistema resultante. Quando a lista de erratas relevantes aparecer, clique em Selecionar Todas e então no botão Aplicar Errata no canto inferior direito da página. São listadas somente as Erratas que não foram agendadas ou que estavam agendadas e falharam ou foram canceladas. Atualizações já pendentes são excluídas da lista. Além disso, os usuários do Gerenciamento (Management) podem aplicar Atualizações de Erratas usando outros dois métodos: Para aplicar uma Atualização de Errata específica a um ou mais sistemas, encontre a atualização nas listas de Erratas. Na tabela, clique no número de sistemas afetados e será encaminhado à aba Affected Systems da página Errata Details (Detalhes da Errata). Selecione os sistemas a serem atualizados e clique no botão Apply Errata (Aplicar Errata). Verifique novamente os sistemas a serem atualizados na página de confirmação e então clique no botão Confirm. Para aplicar mais de uma Atualização de Errata a um ou mais sistemas, selecione os sistemas numa lista Systems e clique no botão Update List (Atualizar Lista). Clique no link System Set Manager (Gerenciador de Conjunto de Sistemas) na barra de navegação esquerda e então clique na aba Systems (Sistemas). Após garantir que os sistemas apropriados estão selecionados, clique na aba Errata, selecione as Atualizações de Errata a aplicar e clique no botão Apply Errata (Aplicar Erratas). Você pode selecionar aplicar as Erratas assim que possível (na próxima vez que o Red hat Network Daemon dos sistemas cliente se conectar ao RHN) ou agendar uma data e hora para a ocorrência das Atualizações de Erratas. Em seguida, clique no botão Schedule Updates (Agendar Atualizações). Você pode acompanhar o progresso das Atualizações de Erratas através da lista Pending Actions (Ações Pendentes). Consulte a Seção 4.8, Agendamento (Schedule) para mais detalhes. Importante Se você utilizar instalações de pacotes agendados, os pacotes serão instalados via RHN Daemon. Você precisará ativar o RHN Daemon em seus sistemas As seguintes regras se aplicam às Atualizações de Erratas: Cada pacote é membro de um ou mais canais. Se um sistema selecionado não está registrado num canal contendo o pacote, este pacote não será instalado neste sistema. Se já houver uma versão mais nova do pacote no sistema, o pacote não será instalado neste sistema. Se houver uma versão mais antiga no sistema, o pacote será atualizado Detalhes da Errata Se você clicar no resumo de uma atualização de errata nas páginas Relevante ou Todas, a página Detalhes da Errata daquela errata aparece. Esta página é dividida nas seguintes abas: Errata Details Details Esta sub-aba exibe o relatório da errata emitido pela Red Hat. uma sinopse da errata, incluindo a severidade (para atualizações de segurança), data de emissão e quaisquer datas de atualização. Estas informações são seguidas de descrições resumidas e detalhadas da errata e pelos passos necessários para resolver a questão. Abaixo da etiqueta Affected Channels (Canais Afetados), todos os canais que contenham o pacote afetado são listados. Clicando no nome de um canal exibe a sub-aba Packages (Pacotes) da página Channel Details (Detalhes do Canal) para aquele canal. Consulte a Seção , Detalhes Canais de Software para maiores informações. Os registros erros (bugs) específicos do Bugzilla resolvidos por esta errata são listados abaixo de Consertos (Fixes). Clicando no texto de qualquer resumo abre o registro correspondente no Bugzilla em Note que você deve ter uma conta no Bugzilla para ver o registro. Atualizações de segurança apontam a vulnerabilidade específica conforme a listagem do site Esta informação aparece abaixo da etiqueta CVEs. A Red Hat oferece atualizações de segurança em formato OVAL, uma linguagem aberta de vulnerabilidade e avaliação promovida pela Mitre (http://oval.mitre.org). Clicando no link abaixo da etiqueta Oval faz com que esta informação seja baixada para o seu sistema Detalhes da Errata Pacotes Provê links para cada um dos RPMs atualizados, divididos por canal. Clicar no nome de um pacote traz sua página Package Details (Detalhes do Pacote) Detalhes da Errata Sistemas Afetados Lista os sistemas afetados pela atualização de errata. Você pode aplicar as atualizações aqui (veja a Seção , Aplicar Atualizações de Errata.) Clique no nome de um sistema para ser levado à página System Details (Detalhes do Sistema) do mesmo. Consulte a Seção , Detalhes do Sistema (System Details) para mais informações. Para ajudar os usuários a determinar se uma atualização foi agendada, há uma coluna Status (Estado) na tabela de sistemas afetados. Os valores possíveis são: None (Nenhum), Pending (Pendente), Picked Up (Toamdo), Completed (Completo) e Failed (Falho). Esta coluna identifica somente a última ação relacionada a uma Errata. Por exemplo: se uma ação falhar e você reagendá-la, esta coluna exibirá o estado da Errata como Pendente somente (sem mencionar a falha anterior). Clicar num estado que não seja Nenhum te leva à página Action Details (Detalhes da Ação). Esta coluna corresponde a um na aba Errata da página System Details (Detalhes do Sistema) Busca Avançada A página Erratum Search (Busca de Errata) permite que você pesquise em Erratas de acordo com critérios específicos: 4 9

53 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Figura Busca de Erratas All Fields (Todos os s) Errata de busca por sinopse, descrição, tópico ou solução. Erratum Advisory A forma que a Equipe de Resposta à Seguridade (Security Response Team) da Red Hat codifica Advisories, tais como: RHBA-2007:0530 As pesquisas podem ser realizadas por ano (tal como 2007), por tipo de Advisory (RHBA para reparos de erros, RHEA para Melhorias e RHSA para advisories de Segurança) ou nome completo do Advisory, tal como o exemplo acima. Package Name (Nome de Pacote) Usuários preocupados com os pacotes específicos, podem pesquisar por nome de pacote, tal como: kernel A busca por Pacote pode ser benéfica devido aos resultados da pesquisa serem agrupados por advisory. Por exemplo, pequisando por erros relacionados ao kernel, retornam resultados onde todos os pacotes com o termo kernel aparecem agrupados pelo advisory para o qual o erro está relacionado. CVE Name O nome atribuído ao Security Advisory (RHSA) pelo Common Vulnerabilities e Exposures project emhttp://cve.mitre.org. Por exemplo: CVE Você também poderá filtrar os resultados de pesquisa da errata por tipo de errata emitida. Selecione ou desselecione as caixas perto do tipo de advisory para busca. Bug Fix Advisory Errata que contém reparos para os problemas reportados por usuários ou descobertos durante o desenvolvimento ou testes. Security Advisory Errata que repara um problema de segurança encontrado durante o desenvolvimento, testes ou reportados por usuários ou um local de limpeza de segurança de software. Um advisory de segurança geralmente possui mais de um nome CVE associado à cada vulnerabilidade encontrada em cada errata. Product Enhancement Advisory Errata que contém novos recursos, funcionalidade aprimorada ou desempenho melhorado nos softwares de pacotes Canais Se você clicar na aba Canais na barra de navegação superior, aparecem a categoria e os links de Canais. As páginas da categoria Canais possibilitam que você visualize e administre os canais e pacotes associados a seus sistemas. Além disso, você pode obter as imagens ISO aqui Canais de Software A página Software Channels (Canais de Software) é a primeira a aparecer na categoria Channels (Canais). Um canal de software é uma lista dos pacotes do Red Hat Enterprise Linux agrupados por uso. Os canais são usados para selecionar os pacotes a instalar num sistema. Existem dois tipos de canais de softwares: canais base e canais filhos Canais Base Um canal base consiste de uma lista de pacotes baseados em uma arquitetura específica e versão Red Hat Enterprise Linux. Por exemplo, todos os pacotes em Red Hat Enterprise Linux 5 para a arquitetura x86 constrói um canal base. A lista dos pacotes em Red Hat Enterprise Linux 5 para a arquitetura Itanium constrói um canal base diferente. Um sistema deve ser registrado a somente um canal base. Este canal base é atribuído automaticamente durante o registro, conforme a versão do Red Hat Enterprise Linux e arquiteturas de sistema selecionados. No caso dos canais públicos gratuitos (public free channels), a ação será bemsucedida. No caso de canais base pagos (paid base channels), esta ação falhará se não houver um direito associado Extended Update Support (Suporte de Atualização Estendido - EUS) Além dos canais base para principais versões do Red Hat Enterprise Linux, existem canais para versões atualizadas do Red Hat Enterprise Linux que também são separadas por arquitetura e que possui canais filhos. Estes canais Extended Update Support (EUS) são designados para administradores que desejam ficar com uma versão principal ou atualizada do Red Hat Enterprise Linux e padronizar suas atualizações de pacotes para suas versões específicas, ao invés de fazer um upgrade de seus sistemas para uma nova versão atualizada que instale novos softwares, hardware, drivers e recursos em sistemas de produto. Por exemplo, os administradores podem padronizar seus sistemas de desktop do Red Hat Enterprise Linux 5.1 para x86, enquanto gerenciam servidores no Red Hat Enterprise Linux 4.5 para AMD64 e EM64T. Os administradores podem manter suas versões durante o tempo de suporte do EUS, certos do comportamento de suas versões de software. Além disso, os administradores podem instalar atualizações de software crítico sem introduzir erros de novos recursos ou softwares não testados canais filhos Um canal filho é um canal associado com um canal base que contém pacotes extras. Por exemplo, uma 50

54 Capítulo 4. The Red Hat Network Website organização pode criar um canal filho associado ao Red Hat Enterprise Linux 5 para a arquitetura x86 que contém pacotes extras necessários somente para a empresa, tal como um aplicativo de engenharia padronizado. Um sistema pode ser registrado a diversos canais filhos de seu canal base. Somente os pacotes inclusos nos canais registrados de um sistema podem ser instalados ou atualizados neste sistema. Além disso, os clientes RHN Satellite e RHN Proxy Server têm autoridade para administrar canais. Esta autoridade oferece a possibilidade de criar e administrar seus próprios canais personalizados. Consulte o RHN Channel Management Guide (Guia de Administração de Canais do RHN) para mais detalhes. Certifique-se de não criar canais filhos disponíveis a sistemas clientes que contêm pacotes que não são compatíveis com o sistema. Além disso, seus canais filhos não devem conter cópias de conteúdo dos canais rhn-tools ou rhel-virtualization porque os pacotes destes canais são usados para identificar este canal quando se auto subscrevem em sistemas usando a interface de usuário web. Os pacotes especificos são rhncfg (usados para identificar o canal rhn-tools) e libvirt (usado para identificar o canal rhel-vt). Os canais podem ser divididos de acordo com a relevância para seus sistemas, incluindo Todos os Canais, Canais da Red Hat, Canais Populares, Meus Canais, Canais Compartilhados e Canais Aposentados Todos os Canais Conforme a Figura 4.17, Todos os Canais, a página All Channels (Todos os Canais) é exibida por padrão ao clicar em Software Channels (Canais de Software) na barra de navegação. Esta página apresenta uma lista de todos os canais disponíveis à sua empresa. Os links desta lista são direcionados a abas diferentes da página Software Channel Details (Detalhes do Canal de Software). Clicar no nome de um canal te leva à página Detalhes. Clicar no número de pacotes te leva à aba Pacotes. Clicar no número de sistemas te leva à aba Subscribed Systems (Sistemas Subscritos). Consulte a Seção , Detalhes Canais de Software para mais detalhes. Figura Todos os Canais Canais da Red Hat A página Canais Red Hat exibe os canais da Red Hat e seus canais filhos disponíveis. As versões do Red Hat Enterprise Linux sincronizada diretamente do RHN Hosted, por exemplo, estão listadas neste canal Canais Populares A página Canais Populares exibe os canais de software mais subscritos pelos sistemas registrados em sua empresa. Você pode filtrar a busca usando o menu suspenso para listar somente os canais com ao menos um certo número de sistemas subscritos Meus Canais A página Meus Canais exibe todos os canais de software que pertencem à sua empresa, o qual inclui a os canais da Red Hat e os canais padronizados. Você pode filtrar a pesquisa usando a caixa de texto para filtrar pelo nome do canal Canais Compartilhados A página Canais Compartilhados exibe os canais em sua empresa que você tenha compartilhado com outros em seu trust organizacional. Para mais informações sobre um trust organizacional e compartilhamento de canais, consulte Seção 6.6.2, Compartilhando Canais de Conteúdo entre as Organizações no Trust Canais Aposentados A página Retired Channels (Canais Aposentados) apresenta os canais disponíveis à sua empresa que atingiram suas datas finais. Estes canais não recebem atualizações Detalhes Canais de Software Se você clicar no nome de um canal, aparece a página Detalhes de Canal de Software. Esta página é dividida nas seguintes abas: Detalhes de Canal de Software Detalhes Informações gerais sobre o canal e seu canal pai, se for um canal filho. Esta é a primeira aba exibida ao clicar num canal. Apresenta informações essenciais sobre o canal, como sumário, descrição e arquitetura. (É necessário possuir o direito ao serviço Gerenciamento para visualizar esta caixa de seleção). Além disso, uma caixa de verificação Globally Subscribable (Registrável Globalmente) pode ser vista somente pelos Administradores do Satellite e Administradores de Canal. Isto significa que o comportamento padrão de todo canal é permitir a qualquer usuário registrar sistemas nele. Dessmarcar esta caixa e clicar em Update (Atualizar) traz a aba Subscritores, que pode ser usada para atribuir permissões de registro no canal a determinados usuários. Os Administradores do Satellite e Administradores de Canais sempre podem registrar sistemas em qualquer canal. 51

55 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência (É necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Somente clientes com canais base padronizados, podem modificar seus atributos de canal base de sistema. Eles podem fazê-lo através do Website de duas formas: Os clientes com um canal base personalizado podem atribuir o sistema neste canal base. Os clientes devem reverter as subscrições de um canal base personalizado ao canal base da distribuição apropriada. A variação da distribuição do canal base do sistema deve coincidir com a variação instalada no sistema. Por exemplo: um sistema com Red Hat Enterprise Linux AS v.4 para x86 não pode ser registrado num canal base do Red Hat Enterprise Linux ES v.4 para x Detalhes de Canal de Software Errata Lista das Erratas afetando o canal. A lista apresenta os tipos, nomes, sumários e datas de emissão do relatório. Clicar no nome de um relatório te leva à sua página Errata Details (Detalhes da Errata). Consulte a Seção , Detalhes da Errata para mais informações Detalhes de Canal de Software Pacotes Lista dos pacotes no canal. Para baixar os pacotes como um arquivo.tar, selecione-os e clique no botão Baixar Pacotes no canto inferior esquerdo da página. Clicar no nome de um pacote te leva à página Detalhes do Pacote. Esta página apresenta um conjunto de abas com informações sobre o pacote, incluindo em quais arquiteturas ele roda, seu tamanho, data de criação, dependências de outros pacotes, registro de alterações, lista de arquivos que contém, versões mais novas e quais sistemas têm o pacote instalado. Daqui é possível fazer o download dos pacotes como RPMs ou SRPMs. Para procurar um pacote ou sub-conjunto específico de pacotes, pode usar o filtro de pacotes no topo da lista. Indique um conjunto de caracteres para a busca na lista dos nomes de pacotes. Por exemplo: digitar ks no filtro pode retornar todos os pacotes ksconfig, krb5-workstation e links. O filtro é sensível a maiúsculas e minúsculas Detalhes de Canal de Software Sistemas Subscritos Lista os sistemas com direitos atribuídos registrados no canal. A lista apresenta os nomes dos sistemas, seus canais base e seus níveis de direitos. Clicar no nome de um sistema te leva à sua página System Details (Detalhes do Sistema). Consulte a Seção , Detalhes do Sistema (System Details) para mais informações. (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de Serviços de Gerenciamento) Caso seja um canal filho, você também tem a opção de cancelar o registro de sistemas do canal. Use as caixas de seleção para selecionar os sistemas, depois clique no botão Cancelar Subscrição no canto inferior direito da página Detalhes de Canal de Software Sistemas Alvo Lista os sistemas com direitos, qualificados para serem subscritos no canal. Esta aba aparece somente para canais filhos. Use as caixas de verificação para selecionar os sistemas e então clique no botão Subscribe (Subscrever) no canto inferior direito. Você receberá uma mensagem de confirmação ou será notificado de quaisquer erros. Isto também pode ser feito através da aba Channels (Canais) da página System Details (Detalhes do Sistema). Consulte a Seção , Detalhes do Sistema (System Details) para mais informações Busca de Pacotes Figura Busca de Pacotes A página do Busca de Pacotes permite que você pesquise pacotes usando diversos critérios: Formulário Livre (Free Form) uma pesquisa geral de palavra chave para usuários que não estão certos dos detalhes de pacotes específicos e seus conteúdos. Nome Somente (Name Only) Pesquisa Específica para usuários que precisam encontrar um pacote específico e não desejam passar por resultados de pesquisas mais generalizadas. Nome e Descrição (Name and Description) Pesquisas específicas para um certo nome de pacote ou programa que, caso não esteja no nome do pacote, pode estar na descrição de uma linha do pacote (por exemplo, pesquisando pelo Servidor Apache HTTP quando o nome do pacote do Red Hat Enterprise Linux é na verdade httpd. Nome e Resumo (Name and Summary) Semelhante à pesquisa Nome e Descrição, este critério de pesquisa procura por nomes de pacotes e os Sumários mais longos para o pacote. Portanto, a pesquisa por "web browser" poderia resultar em diversos resultados que incluem ambos navegadores baseados em gráfico e texto. O campo Formulário Livre permite que você faça uma busca usando os nomes de campo que você acrescente ao começo para procurar e filtrar resultados por aquela palavra chave do campo. Por exemplo, se você quisesse pesquisar todos os pacotes do Red Hat Enterprise Linux v.5 para a palavra java na descrição e resumo, digite o seguinte usando o campo Formulário Livre: summary:java and description:java Outros nomes de campo suportados para a busca de Documentação, incluem: 52

56 Capítulo 4. The Red Hat Network Website nome Busca nomes de pacotes para uma palavra chave específica versão Busca por uma versão de pacote específica nome de arquivo Busca os nomes de arquivos de pacotes para uma palavra chave específica descrição Busca o campo de descrição detalhado do pacote para uma palavra chave específica resumo Busca o sumário dos pacotes para uma palavra chave específica arch Busca pacotes por sua arquitetura (tal como x86, x86_64 ou s390) Juntamente com o critério de pesquisa, você também pode limitar pesquisas à Canais relevantes ao seus sistema, selecionando a opção. Além disso, você pode restringir sua pesquisa por plataforma ou arquitetura. Escolhas incluem IA-32, IA-64, s390, IBM System z,x86_64, PPC, Sparc Solaris e i386 Solaris Administrar Canais de Software Esta aba permite aos Administradores criar, clonar e remover canais personalizados. Estes podem incluir versões alteradas de canais baseados em distribuições ou pacotes personalizados Gerenciar Canais de Software Detalhes de Canais A tela padrão da aba Manage Software Channels (Administrar Canais de Software) é uma lista de todos os canais disponíveis. Estes incluem os canais personalizados, os baseados na distribuição e os canais filhos. Para clonar um canal existente, clique no link clonar canais no canto superior direito da tela, selecione o canal a clonar no menu suspenso e clique no botão Criar Canal. A próxima tela apresenta várias opções para o canal novo, incluindo arquitetura base e opções de GPG. Faça sua seleção e clique no botão Criar Canal para completar o processo. Para criar um canal novo, clique no link criar um novo canal no canto superior direito da tela. Selecione as diversas opções para seu canal novo, incluindo arquitetura base e opções de GPG. Faça sua seleção e clique no botão Criar Canal. Note que o canal criado desta maneira está vazio, sem nenhum pacote. Você deve fazer o upload de canais de software ou adicioná-los de outros canais. Você também pode optar por incluir Atualizações de Errata em seu canal personalizado Gerenciar Canais de Software Detalhes do Canal Detalhes de Canal Esta tela lista as seleções feitas durante o processo de criação do canal. Esta página inclui a caixa de verificação Globally Subscribable (Registrável Globalmente), que permite a todos usuários registrar no canal Gerenciar Canais de Software Detalhes de Canal Gerenciadores Esta sub-seção permite a você selecionar quais usuários podem alterar ou remover este canal. Os Administradores do Satellite e Administradores do Canal podem alterar ou apagar qualquer canal. Para permitir a um usuário alterar o canal, selecione a caixa de verificação próxima ao nome do usuário e clique no botão Atualizar. Para permitir a todos os usuários administrar o canal, clique no botão Selecionar Todos no fim da lista, abaixo do botão Atualizar. Para remover a habilidade de administração de um usuário, desselecione a caixa próxima a seu nome e clique no botão Atualizar Gerenciar Canais de Software Detalhes de Canal Errata Esta sub-seção permite aos administradores do canal listar, remover, clonar e adicionar Erratas ao seu canal personalizado. Os canais personalizados não clonados de uma distribuição não podem adicionar Erratas até que haja pacotes no canal. É possível adicionar somente as Erratas pertinentes a arquitetura base do canal e que se aplicam a um pacote neste canal. Finalmente, somente as Erratas clonadas ou personalizadas podem ser adicionadas aos canais personalizados. As Erratas podem ser inclusas num canal clonado se forem selecionadas durante a criação do canal Gerenciar Canais de Software Detalhes de Canal Pacotes Esta sub-seção é similar à sub-seção Errata. Permite aos Administradores da Empresa e do Canal listar, remover, comparar e adicionar pacotes ao canal personalizado. Para listar todos os pacotes do canal, clique no link Listar / Remover Pacotes. Selecione a caixa à esquerda dos pacotes a remover e então clique no botão Remover Pacotes no canto inferior direito da página. Para adicionar pacotes, clique no link Adicionar Pacotes. Escolha o canal a partir do qual pretende selecionar os pacotes no menu suspenso e clique no botão Vizualizar para continuar. Selecione a caixa à esquerda de quaisquer pacotes que deseja adicionar e então clique no botão Adicionar Pacotes no canto inferior direito da tela. Para comparar pacotes do canal corrente àqueles de outro canal, selecione o outro canal no menu suspenso e clique no botão Comparar. Todos os pacotes apresentados nos dois canais são comparados e os resultados exibidos na tela seguinte. Estas informações incluem a arquitetura e versão de cada pacote. Para tornar os dois canais idênticos, clique no botão Merge Differences (Fundir Diferenças) no canto direito inferior. A tela seguinte permite selecionar como os conflitos são resolvidos. Clique no botão Preview Merge (Previsão da Fusão) para ver os resultados da fusão sem efetuar nenhuma alteração nos canais. Finalmente, selecione aqueles pacotes que deseja fundir e clique no botão Merge Packages (Fundir Pacotes) seguido do botão Confirmar para executar a fusão Gerenciar Canais de Software Gerenciar Pacotes de Software Esta aba permite administrar os pacotes de software personalizados pertencentes à sua empresa. Você pode visualizar uma lista de todos os canais de software personalizados ou somente aqueles de um canal personalizado. Para tanto, selecione o canal, que contém os canais personalizados a visualizar, no menu suspenso e clique no botão Vizualizar Gerenciar Canais de Software Gerenciar Repositórios Esta aba permite você adicionar e gerenciar pacotes de repositórios personalizados existentes e de terceiros tanto e também ligar os repositórios a um canal existente. O recurso de Repositórios atualmente suporta repositórios yum. Para criar um novo repositório clique no link Criar Novo Repositório no canto superior direito da página Gerenciar Repositórios A tela Criar Repositório lhe permite digitar o Rótulo de Repositório (tal como fedora-13-i386) também como uma URL de Repositório (como Você pode também entrar URLs apontando para as listas espelhos também como URLs diretas de download. Ao completar, clique no botão Criar Repositório. Para apontar (link) o repositório recém criado a um canal de software existente, clique no link Gerenciar Canais de Software no menu esquerdo, então clique no canal que você quer criar o link. Da página de detalhes do canal, clique na sub aba Repositórios, então cheque a caixa correspondente ao repositório que você quer criar o link e clique Atualizar Repositórios. Para sincronizar pacotes de um repositório personalizado ao seu canal, clique no link Sync da sub aba do canal Repositórios e confirme clicando no botão Sync. Você pode também realizar um sync via linha de comando usando o comando spacewalk-reposync. Por exemplo: 53

57 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência spacewalk-repo-sync --channel=<channel_name> --url=<http://fqdn> Por exemplo, para sincronizar com o repositório do Fedora 13 para arquitetura i386, digite o seguinte: spacewalk-repo-sync --channel=fedora-13-i url=https://mirrors.fedoraproject.org/metalink?repo=updates-released-f13&arch=i Configuração Esta aba é a porta para gerenciar seu canal de configuração e arquivos, sejam eles gerenciados centralmente ou limitados a um só sistema. É necessário um Administrador de Configuração ou de um Satellite Administrator para visualizar a aba Configuration. Além disso, você precisa de ao menos um direito à Provisionamento (Provisioning), para que a aba seja exibida. Arquivos gerenciados centralmente são aqueles que estão disponíveis para múltiplos sistemas, mudanças para somente um arquivo em um canal de configuração central pode afetar muitos sistemas. Além disso, existem canais de configuração locais. Cada sistema com um direito à Provisioning possui um canal de configuração local (também referido como um canal sobrescrito) e um canal de Modo de Segurança (Sandbox). Ambos os gerenciamentos central ou local são discutidos detalhadamente mais tarde neste capítulo Preparando Sistemas para Gerenciamento de Configuração Para que a configuração de um sistema seja gerenciada pelo RHN, é necessário que tenha as ferramentas adequadas e o arquivo config-enable devidamente instalado. Estas ferramentas podem já existir em seu sistem, especialmente se você já fez o kickstart de seu sistema com a funcionalidade de gerenciamento de configuração. Caso contrário, tais ferramentas podem ser encontradas dentro do canal filho de Ferramentas do RHN do seu distribuidor. Faça o download e instale os pacotes rhncfg* mais recentes. São eles: rhncfg As bibliotecas base e funções necessárias em todos os pacotes rhncfg-*. rhncfg-actions O código requerido para executar as ações de configuração agendadas através do Website do RHN. rhncfg-client Uma interface de linha de comando para os recursos do cliente do sistema de Gerenciamento de Configuração do RHN. rhncfg-management Uma interface de linha de comando usada para gerenciar a configuração do RHN. Depois disso, você deve habilitar seu sistema para agendar as ações de configuração. Isto é feito usando o comando rhn-actions-control no sistema cliente. Este comando está incluso no RPM de rhncfg-actions. O Controle de Ações do RHN (rhn-actions-control) ativa ou desativa modos específicos de ações permitidas. Consulte a Seção B.1, Red Hat Network Actions Control para instruções Visão Geral A página Visão Geral de Configuração permite que você acesse rapidamente o estado de seus arquivos de configuração e sistemas que os utilize. Sumário de Configuração Este painel fornece informação de referência rápida sobre seus arquivos de configuração. Ao clicar em qualquer texto azul à direita, será exibida uma lista de sistemas relevantes, detalhes de canais ou arquivos de configuração. Ações de Configuração Este painel oferece direito de acesso à maioria das tarefas de gerenciamento de configuração. Você pode visualizar ou criar arquivos ou canais ou habilitar o gerenciamento de configuração em seus sistemas. Arquivos de Configuração Modificada Recentemente A lista exibida aqui indica quais arquivos foram modificados, a qual canal eles pertencem e quando eles foram modificados. Se nenhum arquivo tiver sido modificado recentemente, não aparecerá nenhuma lista. Clique no nome do arquivo a ser levado para a página de Detalhes daquele arquivo. Clique no nome do canal a ser levado para a página Detalhes do Canal para aquele canal. Implementações de Configuração Agendadas Recentemente Cada ação que tenha sido agendada, está listada aqui junto ao estado da ação. Qualquer tarefa de configuração agendada, é exibida aqui, desde habilitar o gerenciamento de configuração em um sistema até implementar um arquivo de configuração específico. Isto permite que você avalie rapidamente se suas tarefas foram bem sucedidas e corrigir qualquer problema. Ao clicar em qualquer texto azul, será exibida a página Detalhes do Sistema Agendar para o sistema especificado Canais de Configuração Como já mencionado acima, o RHN gerencia ambos os canais e arquivos de configuração central e local. O gerenciamento de configuração central, permite que você implemente os arquivos de configuração em diversos sistemas. O gerenciamento de configuração local permite que você especifique sobrescrições ou arquivos de configuração que não sejam modificados ao registrar o sistema em um canal central. Os canais de configuração central devem ser criados através do link nesta página. Os canais de configuração local, não são criados aqui; eles existem automaticamente para cada sistema para qual um direito à Provisioning tiver sido aplicado. Clique no nome do canal de configuração a ser encaminhado para a página de detalhes para aquele canal. Se você clicar no número de arquivos no canal, você será encaminhado à página Listar/Remover Arquivos deste canal. Se você clicar no número de sistemas registrados no canal de configuração, você será encaminhado para a página Sistemas Sistemas Registrados daquele canal. Para criar um novo canal de configuração central: 1. Clique no link criar um novo canal de configuração no lado direito superior desta tela. 2. Insira um nome para o canal. 3. Insira uma etiqueta para o canal. Este campo deve conter somente caracteres alfanuméricos "-", "_", e "." 4. Insira uma descrição para o canal. Você deve inserir uma descrição, embora não haja restrição de caracteres. Este campo pode conter qualquer informação sucinta que permita que você distingua este canal de outros. 5. Pressione o botão Create Config Channel (Criar Canal de Configuração) para criar um novo canal. A página a seguir é um sub-conjunto da página Detalhes de Canal e possui três sub-abas: Visão Geral, Adicionar Arquivos e Sistemas. A página Detalhes de Canal, será discutida na Seção B.1, Red Hat Network Actions Control. 54

58 Capítulo 4. The Red Hat Network Website Configuração Canais de Configuração Detalhes de Canal de Configuração Visão Geral Esta sub-aba é muito semelhante à página Visão Geral de Configuração. O painel Informação de Canal fornece informação sobre o estado para o conteúdo do canal. O painel Ações de Configuração fornece acesso à maioria das tarefas de configurações comuns. A diferença maior está no painel Propriedades do Canal. Clique no link Editar Propriedades e você poderá editar o nome, etiqueta e descrição do canal. Listar/Remover Arquivos Esta aba, que somente aparece se existir arquivos no canal de configuração, lista os arquivos que este canal de configuração contém. Você pode remover um arquivo ou arquivos ou copiar a última versão para um conjunto de sobrescrições locais ou para outros canais de configuração central. Selecione o ítem próximo a qualquer arquivo que você deseje manipular e pressione um dos botões na tela de botões. Adicionar Arquivos A sub-aba Adicionar Arquivos possui três sub-abas próprias, o que permite que você Carregue, Importe ou Crie arquivos de configuração a serem incluídos no canal. Carregar Arquivos Para carregar um arquivo no canal de configuração, navegue pelo arquivo em seu sistema local, popule todos os campo e clique no botão Carregar Arquivo de Configuração. O campo Nome do Arquivo/Caminho é um caminho absoluto onde o arquivo será implementado. Você pode também indicar quem possui a Propriedade (o nome de usuário e nome do grupo) tão bem quanto as Permissões a serem anexadas ao arquivo quando ele é implementado. Se o cliente possui o SELinux habilitado, você pode configurar contextos de SELinux para habilitar os atributos de arquivo requeridos (tais como usuário, função e tipo de arquivo) que o permite ser usado no sistema. Para mais informações sobre configuração do contexto de arquivo de SELinux, consulte o Red Hat Enterprise Linux Security-Enhanced Linux User Guide. Finalmente, se o arquivo de configuração inclui uma macro, digite o símbolo que marca o início e final da macro. Importar Arquivos Desta página você pode importar arquivos dos canais de configuração, incluindo qualquer canal gerenciado localmente. Selecione o ítem à esquerda de qualquer arquivo que você deseja importar e pressione o botão Import Configuration File(s) (Importar Arquivos de Configuração). Um ícone de modo seguro indica que o arquivo listado está localizado em um canal de modo seguro local. Os arquivos em um canal de modo seguro do sistema são considerados experimentais e podem ser instáveis. Tenha cautela ao selecioná-los para um canal de configuração central. Criar Arquivo Desta página você pode criar um arquivo de configuração, diretório ou link simbólico a partir do zero para ser incluído no canal de configuração. Primeiramente, escolha se você quer criar um arquivo de texto, diretório ou link simbólico (symlink) na seção Tipo de Arquivo. Indique o caminho absoluto no qual o arquivo deveria ser implementado na caixa de texto Filename/Path (Nome de arquivo/caminho). Se você estiver criando um symlink, indique o arquivo alvo e o caminho na caixa de texto Nome de Arquivo Simbólico Alvo/Caminho. Digite o Nome de Usuário e Nome do Grupo para o arquivo na seção Ownership (Propriedade), tanto como as Permissões de Arquivo para o arquivo. Se o cliente possui o SELinux habilitado, você pode configurar contextos de SELinux para habilitar os atributos de arquivo requeridos (tais como usuário, função e tipo de arquivo) que o permite ser usado no sistema. Para mais informações sobre configuração do contexto de arquivo de SELinux, consulte o Red Hat Enterprise Linux Security-Enhanced Linux User Guide. Se o arquivo de configuração inclui uma macro, digite o símbolo que marca o início e fim da macro. Então, digite o conteúdo do arquivo de configuração no campo File Contents (Conteúdo do Arquivo), usando o menu suspenso para escolher o línguagem de script adequada. Por último, pressione o botão Create Configuration File (Criar Arquivo de Configuração) para criar um novo arquivo. Implementar Arquivos Esta sub-aba somente aparece quando existirem arquivos no canal. Você pode implementar todos os arquivos pressionando o botão Deploy All Files (Implementar Todos os Arquivos) ou então você pode verificar os arquivos selecionados e pressionar o botão Deploy Selected Files (Implementar Arquivos Selecionados). Você será requisitado a selecionar em quais sistemas o arquivo deve ser aplicado. Os sistemas listados são aqueles que estão registrados neste canal. Caso você queira aplicar o arquivo a um sistema que não esteja listado aqui, primeiro registre o sistema ao canal. Depois disso, pressione o botão Confirm and Deploy to Selected Systems (Confirmar e Implementar nos Sistemas Selecionados) para implementar os arquivos. Sistemas Esta aba, que consiste em duas sub-abas, permite que você gerencie os sistemas que estão registrados no canal de configuração. Sistemas Registrados Esta sub-aba mostra uma lista de todos os sistemas que estão registrados no canal atual. Ao clicar no nome do sistema, você será encaminhado para a página Detalhes do Sistema daquele sistema. Sistemas Alvos Esta sub-aba mostra uma lista de sistemas que foram habilitados para o gerenciamento de configuração e que não são registrados ainda no canal. Para adicionar um sistema a um canal de configuração, selecione o ítem à esquerda do nome do sistema e pressione o botão Subscribe System (Registrar Sistema). 55

59 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Arquivos de Configuração Esta aba permite que você gerencie seus arquivos de configuração de forma independente. Ambos os arquivos gerenciados centralmente ou localmente, podem ser adquiridos nestas sub-abas. Por padrão, o tamanho máximo de arquivo para arquivos de configuração é 128KB. Se você precisar modificar este valor, encontre ou crie a seguinte linha no arquivo /etc/rhn/default/rhn_web.conf: web.maximum_config_file_size=128 Você precisa encontrar e modificar a seguinte linha no arquivo /etc/rhn/default/rhn_server.conf para o mesmo valor: maximum_config_file_size= Modifique o valor em ambos os arquivos de para o valor desejado em bytes Arquivos Gerenciados Centralmente Os arquivos gerenciados Centralmente são aqueles que estão disponíveis para sistemas múltiplos. A troca do arquivo de um canal gerenciado centralmente, pode resultar em mudanças em diversos sistemas. Esta página lista todos os arquivos que estão armazenados em seus canais de configuração central. Clique em Path (Caminho) de um arquivo para ser encaminhado para a página Configuration File Details (Detalhes do Arquivo de Configuração) daquele arquivo. Selecione o nome do canal de configuração a ser encaminhado para a página Channel Details (Detalhes do Canal) do canal que contém o arquivo. Clicar no número de sistemas, irá encaminhá-lo para a lista de sistemas atualmente registrados no canal que contém aquele arquivo. Por último, clicar no número de sistemas sobrescritos, exibirá uma lista de sistemas que possue uma versão local (ou sobrescrita) dos arquivos de configuração (ou seja, que o arquivo gerenciado centralmente não será implementado naqueles sistemas) Arquivos Gerenciados Localmente Os arquivos de configuração gerenciados localmente são aqueles arquivos que se aplicam a somente um sistema. Eles podem ser arquivos no modo seguro do sistema ou podem ser arquivos que podem ser implementados ao sistema a qualquer momento. Arquivos locais possuem uma prioridade mais alta do que os arquivos gerenciados centralmente ou seja, se um sistema for registrado em um canal de configuração com um dado arquivo e também possuir uma versão gerenciada localmente daquele mesmo arquivo, a versão gerenciada localmente é a que será implementada. Esta página lista todos os arquivos de configuração locais (sobrescritos) para seus sistemas. Isto inclui os canais de configuração local e o canal de modo seguro para cada sistema com direito à Provisioning. Clique em Path (Caminho) do arquivo a ser encaminhado para a página Config File Details (Detalhes de Arquivo de Config) para o arquivo. Clique no nome do sistema ao qual ele pertence para encaminhá-lo à páginasystem Details (Detalhes do Sistema) Configuration Configuration Visão Geral para o sistema Incluindo Macros em seus Arquivos de Configuração No gerenciamento de arquivo tradicional, você teria que carregar e distribuir cada arquivo separadamente, até mesmo se a distinção for nominal e o número de variantes forem de três decimais ou quatro. O RHN permite a inclusão de macros ou variáveis, dentro dos arquivos de configuração que ele gerencia para os sistemas com direitos à Provisioning. Além das variáveis para informação de sistema padronizado, os macros padrão a seguir são suportados: rhn.system.sid rhn.system.profile_name rhn.system.description rhn.system.hostname rhn.system.ip_address rhn.system.custom_info(key_name) rhn.system.net_interface.ip_address(eth_device) rhn.system.net_interface.netmask(eth_device) rhn.system.net_interface.broadcast(eth_device) rhn.system.net_interface.hardware_address(eth_device) rhn.system.net_interface.driver_module(eth_device) Para usar este recurso potente, carregue ou crie um arquivo de configuração através da página Configuration Channel Details (Detalhes de Canal de Configuração). Depois, abra a página de Configuration File Details (Detalhes de Arquivo de Configuração) e inclua os macros suportados de sua escolha. Assegure-se de que os delimitadores usados para o deslocamento de suas variáveis combina com os conjuntos nos campos Macro Start Delimiter (Delimitador de Inicialização de Macro) e Macro End Delimiter (Delimitador de Finalização de Macro) e que eles não conflitam com outros caracteres no arquivo. Os delimitadores devem conter dois caracteres e não podem conter o símbolo de porcentagem (%). Como por exemplo, você pode ter um arquivo aplicável em todos os seus servidores que diferem somente no endereço IP e nome da máquina. Ao invéz de gerenciar um arquivo de configuração em separado para cada servidor, você pode criar um arquivo único, tal como o server.conf, com o endereço IP e macros do nome da máquina incluídos, como a seguir: hostname={ rhn.system.hostname } ip_address={ rhn.system.net_interface.ip_address(eth0) } Na entrega do arquivo para sistemas individuais, seja isto realizado através de uma ação agendada no website do RHN ou em uma linha de comando com o Red Hat Network Configuration Client (rhncfg-client), as variáveis serão substituídas pelo nome da máquina e endereço IP do sistema, como gravado no Perfil de Sistema do RHN. No arquivo de configuração acima, por exemplo, a versão implementada se assemelha com o seguinte: hostname=test.example.domain.com ip_address= Para obter informações de sistema personalizado, insira a etiqueta chave na macro de informação personalizado (rhn.system.custom_info). Por exemplo, se você desenvolveu uma chave rotulada "asset", você pode adicioná-la à macro de informação personalizada em um arquivo de configuração para ter os valores substituídos em qualquer sistema que o contenha. A macro se pareceria com o seguinte: 56

60 Capítulo 4. The Red Hat Network Website No desenvolvimento do arquivo para um sistema que contenha um valor para esta chave, a macro é traduzida, resultando em uma faixa semelhante a esta a seguir: asset=example#456 Para incluir o valor padrão, por exemplo, caso seja solicitado para evitar erros, você pode adicioná-lo à macro de informação personalizada, como esta a seguir: rhn.system.custom_info(asset) = 'Asset Este padrão é sobrescrito pelo valor em qualquer sistema que o contenha. O uso do Gerenciador de Configuração de Rede da Red Hat (rhncfg-manager) não irá traduzir ou alterar arquivos, pois esta ferramenta não é conhecida pelo sistema. rhncfg-manager não depende das configurações de sistema. Os arquivos binários não podem ser interpolados Sistemas Esta página exibe informações do estado sobre seu sistema em relação à configuração. Existem duas sub-abas: Managed Systems (Sistemas Gerenciados) e Target Systems (Sistemas Alvo) Sistemas Gerenciados Esta é a página de exibição padrão para a página Configuração Sistemas. Os sistemas exibidos aqui foram totalmente preparados para implementação do arquivo de configuração. O número de arquivos locais e gerenciados centralmente é exibido. Clicando no nome dos sistemas lhe leva à página Detalhes do Sistema Configuração Visão Geral para o respectivo sistema. Clicando no número dos arquivos locais lhe leva à página Detalhes do Sistema Configuração Ver/Modificar Arquivos Arquivos Localmente Gerenciados, que lhe permite gerenciar quais arquivos locais (sobrepor) aplicar ao sistema. Clicando no número dos arquivos localmente gerenciados lhe leva à página Detalhes do Sistema Configuração Gerenciar Canais de Configuração Listar/Descadastrar de Canais. Isto lhe permite descadastrar de qualquer canal que você quiser Sistemas Alvos Esta página exibe os sistemas que não preparados para implementação de arquivo de configuração ou que não foram registrados ainda em um canal de configuração. Esta tabela possui três colunas que identificam o nome do sistema, se eles estiverem preparados para a implementação de arquivo de configuração e uma lista de passos que ainda precisam ser concluídos antes que o sistema seja preparado. Ao selecionar o ítem à esquerda do nome do perfil e pressionar o botão Enable RHN Configuration Management, todos os passos preparatórios que podem ser realizados automaticamente são agendados pelo RHN. Você ainda terá que realizar alguns passos manualmente para habilitar a implementação de arquivo de configuração, mas as instruções na tela são fornecidas para assistí-lo nestes passos Agendamento (Schedule) Se você clicar na aba Agendamento (Schedule) na barra de navegação superior, a categoria e os links de Schedule aparecem. Estas páginas permitem a você manter o registro das ações norteando seus sistemas. Uma ação é uma tarefa agendada no RHN a ser executada em um ou mais sistemas cliente. Por exemplo: uma ação pode ser agendada para aplicar todas as Atualizações de Errata (Errata Updates) a um sistema. O Red Hat Network mantém o registro dos seguintes tipos de ação: 1. Alteração de Pacotes (instalação, atualização e remoção) 2. Ações de Rollback de Pacote 3. Reinicializações do Sistema 4. Atualizações de Errata 5. Alteração do Arquivo de Configuração (deploy, upload e diff) 6. Atualizações do Perfil de Hardware 7. Atualizações do Perfil da Lista de Pacotes 8. Iniciação do Kickstart 9. Comandos Remotos Cada página da categoria Schedule representa o estado de uma ação Ações Pendentes Conforme a Figura 4.19, Agenda - Ações Pendentes, a página Pending Actions (Ações Pendentes) é exibida por padrão quando você clica em Schedule (Agendamento) na barra de navegação superior. Apresenta as ações que ainda não iniciaram ou que estão em progresso. Figura Agenda - Ações Pendentes 57

61 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Ações com Falhas Ações não completas. Se a ação retornar um erro, é apresentada aqui Ações Completas Ações bem sucedidas Ações Arquivadas Ações que você escolheu armazenar para revisão Lista de Ações Em cada página, cada coluna da lista representa um único evento ou ação agendada, que pode afetar sistemas múltiplos e envolver vários pacotes. A lista contém diversas colunas de informações: Select (Selecionar) Use as caixas de verificação desta coluna para selecionar ações. Após selecioná-las, você pode adicioná-las à sua lista de seleção ou movê-las para a lista Archived Actions. Se você arquivar uma ação pendente, esta não é cancelada. O item da ação somente é movido da lista Pending Actions (ações pendentes) à lista Archived Actions (ações arquivadas). Action (Ação) O tipo de ação a ser executada, como Errata Update (atualização de errata) ou Package Install (instalação de pacote). Clicar no nome de uma ação, traz a página Action Details (detalhes da ação). Consulte a Seção , Detalhes da Ação para mais informações. Earliest (Mais cedo) O primeiro dia e hora em que a ação será executada. Succeeded (Sucedidos) Número de sistemas nos quais esta ação foi bem sucedida. Failed (Falhados) Número de sistemas nos quais esta ação foi tentada, mas falhou. In Progress (Em Progresso) Número de sistemas nos quais esta ação está ocorrendo. Total Número total de sistemas nos quais esta ação foi agendada Detalhes da Ação Se você clicar no nome de uma ação, aparece a página Action Details. esta página é dividida nas seguintes abas: Action Details Details Informações gerais da ação. Esta é a primeira aba a visualizar quando clicamos numa ação. Apresenta o tipo, o administrador do agendamento, a execução mais cedo (earliest) e as notas da ação em questão. Clicando na Errata Advisory, somos levados à página Errata Details. A Errata Advisory aparece somente se a ação é uma Errata Update. Consulte a Seção , Detalhes da Errata para mais informações Action Details Completed Systems Lista os sistemas nos quais a ação foi bem sucedida. Quando clicamos no nome do sistema, somos levados à sua página System Details (Detalhes do Sistema). Consulte a Seção , Detalhes do Sistema (System Details) para mais informações Action Details In Progress Systems Lista dos sistemas nos quais a ação está sendo executada agora. Para cancelar uma ação, selecione o sistema usando a caixa de verificação apropriada e clique no botão Unschedule Action (Desagendar Ação). Clicar no nome de um sistema leva à sua página System Details (Detalhes do Sistema). Consulte a Seção , Detalhes do Sistema (System Details) para mais informações Action Details Failed Systems Lista dos sistemas nos quais a ação foi tentada e falhou. As ações podem ser reagendadas aqui. Clicar no nome de um sistema leva à sua página System Details (Detalhes do Sistema). Consulte a Seção , Detalhes do Sistema (System Details) para mais informações Usuários (Para visualizar esta aba é necessário o direito Management) Somente os Administradores de Satellite podem visualizar a aba Usuários (Users) na barra de navegação superior. Se você clicar na aba Usuários, a categoria Users e links são exibidos. Estas páginas possibilitam atribuir e editar as permissões daqueles que administram seus grupos de sistemas. Clique na User List (Lista de Usuários) para modificar os usuários da sua empresa. Para adicionar novos usuários à sua organização, clique no link criar novo usuário no canto direito da página. A página seguinte é a Criar Usuário. Preencha todos os campos obrigatórios para o novo usuário. Uma vez que todos os campos estiverem completos, selecione o botão Create Login (Criar Login). O RHN então manda um para o endereço especificado e redireciona você para a página Users Lista de Usuários. Se você quiser selecionar permissões e opções para o usuário recém criado, selecione o nome de usuário correspondente na lista. Ao fazer isto, a página Detalhes do Usuário para o usuário em questão é exibida, oferecendo várias sub-abas de opções. Consulte a Seção , Lista de Usuário Ativo Detalhes de Usuário para um descrição detalhada de cada sub-aba User List Ativo (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Esta aba lista todos os usuários ativos da sua conta no RHN. Exibe as seguintes informações básicas de cada usuário: seu nome de usuário, nome real, funções e data de sua última autenticação. Conforme a Figura 4.20, Lista de Usuários, cada linha da User List (Lista de Usuários) representa um usuário da sua empresa. Há quatro colunas de informações para cada usuário: Username (Nome do usuário) O nome de login do usuário. Se você clicar num nome de usuário, a página User Details (Detalhes do Usuário) é exibida. Consulte a Seção , Lista de Usuário Ativo Detalhes de Usuário para mais informações. Real Name (Nome Real) O nome completo do usuário (com o sobrenome primeiro). Roles (Funções) Lista os privilégios do usuário, tais como Organization Administrator (Administrador da Empresa), Channel Administrator (Administrador do Canal) e normal user (usuário normal). Os usuários podem ter múltiplas funções. Last Sign In (Última Autenticação) Exibe quando o usuário de autenticou pela última vez no RHN. 58

62 Capítulo 4. The Red Hat Network Website Figura Lista de Usuários Lista de Usuário Ativo Detalhes de Usuário (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) A página Detalhes do Usuário permite que o Satellite Administrators gerenciem as permissões e atividades de todos os usuários. Na página Detalhes do Usuário também é possível apagar ou desabilitar usuários. Agora, os usuários podem ser desabilitados diretamente pela interface web do RHN. Os clientes do RHN Satellite podem desabilitar ou apagar usuários de seus sistemas, porém clientes sem o Satellite devem contatar o Atendimento ao Cliente para apagar um usuário. Os usuários podem ser desabilitados ou apagados pelos Satellite Administrator ou então podem desabilitar suas próprias contas. Usuários desabilitados não podem autenticar-se na interface web do RHN, nem agendar quaisquer ações. Os Satellite Administrators não podem ser desabilitados até que esta função seja removida de sua conta. Ações agendadas por um usuário antes de sua desabilitação continuam na fila de ações. Para maior flexibilidade, os usuários desabilitados podem ser reabilitados pelos Satellite Administrators. A remoção de usuários da interface web é disponível exclusivamente a clientes do RHN Satellite. A função Satellite Administrator deve ser removida de um usuário antes deste ser removido. Aviso A remoção de usuários é irreversível; execute-a com cautela. Considere desabilitar o usuário primeiro para poder avaliar o efeito que a remoção terá em sua infra-estrutura. Para desabilitar um usuário: 1. Navegue para a aba Detalhes do Usuário (User Details) do referido usuário. 2. Verifique se o usuário não é um Satellite Administrator. Se for, desselecione a caixa à esquerda desta função e clique no botão Enviar (Submit) no canto inferior direito da tela. 3. Clique no link desativar usuário (deactivate user) no canto superior direito da tela. 4. Clique no botão Desabilitar Usuário no canto inferior direito para confirmar. Para remover um usuário: 1. Navegue para a aba Detalhes do Usuário (User Details) do referido usuário. 2. Verifique se o usuário não é um Satellite Administrator e remova esta função, se necessário. 3. Clique no link deletar usuário (delete user) no canto superior direito. 4. Clique no botão Deletar Usuário (Delete User) para remover o usuário permanentemente. Para instruções sobre desativar sua próprio conta, consulte a Seção , Desativação de Conta (Account Deactivation) Lista de Usuário Ativo Detalhes de Usuário Detalhes Esta é a aba padrão de Detalhes de Usuário, exibindo o nome de usuário, primeiro nome, sobrenome, endereço de e funções do usuário. Todas estas informações são modificáveis. Para tanto, faça suas alterações e clique no botão Update (Atualizar). Lembre-se: ao alterar a senha de um usuário, você verá somente asteriscos enquanto digitá-la. Para delegar responsabilidades dentro da sua organização, o Red Hat Network oferece diversas funções com níveis diversos de responsabilidades e acesso. Essa lista descreve as permissões de cada função e as diferenças entre elas: User (Usuário) Também conhecido como um System Group User (Usuário do Grupo de Sistema), esta é a função padrão associada ao usuário recém-criado. Essa pessoa pode receber acesso para administrar grupos de sistemas e canais de software. Os sistemas devem estar em grupos aos quais o usuário tem permissões, para que sejam administráveis ou até visíveis. Lembre-se, no entanto, que todos os canais globalmente registráveis podem ser usados por qualquer um. Activation Key Administrator (Administrador de Chave de Ativação) Esta função é desenvolvida para administrar o conjunto de chaves de ativação da sua empresa. Esta pessoa pode criar, modificar e apagar quaisquer chaves em sua conta. Channel Administrator (Administrador de Canal) Esta função tem acesso completo aos canais de software e associações relacionadas dentro de sua empresa, e requer RHN Satellite ou RHN Proxy Server. Esta pessoa pode alterar os canais base dos sistemas, tornar canais globalmente registráveis e criar canais totalmente novos. Configuration Administrator (Administrador de Configuração) Esta função possibilita ao usuário final administrar a configuração de sistemas da empresa, usando a interface baseada na Web do RHN Satellite ou o Gerenciador de Configuração da Rede Red Hat (Red Hat Network Configuration Manager). Monitoring Administrator (Admnistrador de Monitoramento) Esta função permite o agendamento de probes e a supervisão de outras partes da infra-estrutura Monitoring. Esta função está disponível somente no RHN Satellite versão 3.6 ou mais recente com Monitoring ativado. 59

63 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Satellite Administrator (Administrador do Satellite) Esta função pode executar qualquer ação no Red Hat Network. Com a conta mestre de sua empresa, a pessoa com esta função pode alterar os privilégios de todas as outras contas, assim como conduzir quaisquer atividades disponíveis às outras funções. Como nas outras funções, pode haver múltiplos Satellite Administrators. System Group Administrator (Administrador de Grupo de Sistema) Esta função está logo abaixo do Satellite Administrator, pois tem autoridade completa sobre os sistemas e grupos de sistemas aos quais têm acesso. Esta pessoa pode criar novos grupos de sistemas, apagar qualquer grupo de sistemas anteriormente atribuído, adicionar sistemas a grupos e administrar o acesso de usuários aos grupos. Enquanto é possível para um administrador do Satellite remover direitos de administrador do Satellite de uma outra conta de usuário, é impossível remover direitos de administrador do Satellite de um único restante Administrador do Satellite. É possível para um administrador do Satellite remover seus próprios previlégios de administrador do Satellite, desde que não seja o único administrador do Satellite restante. Para atribuir uma nova função a um usuário, selecione a caixa de verificação apropriada. Lembre-se que os Satellite Administrators recebem automaticamente o acesso de administração a todas as outras funções, simbolizado pelas caixas de verificação acinzentadas. Para atribuir a habilidade de administrar a configuração de sistemas a um usuário, selecione a caixa de verificação Configuration Administrator (Administrador de Configuração). Quando finalizar suas alterações, clique em Update (Atualizar) Lista de Usuário Ativo Detalhes de Usuário Grupos de Sistema Esta aba exibe uma lista dos grupos de sistemas que o usuário pode administrar. Os Satellite Administrator podem usar as caixas de verificação para determinar as permissões de acesso do usuário a cada grupo de sistemas. Selecione ou desselecione a caixa de verificação à esquerda do grupo de sistemas e clique no botão Update Permissions (Atualizar Permissões) para salvar as alterações. Os Satellite Administrators podem selecionar um ou mais grupos de sistemas padrão para este usuário. Quando o usuário registra um sistema, este é atribuído ao grupo ou grupos selecionados. Isto permite ao usuário acesso imediato ao sistema recém-registrados, caso tenha permissões para um ou mais dos grupos ao quais o sistema pertence. Os Grupos de Sistemas aos quais este usuário tem acesso são precedidos por um (*) Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Sistemas Esta aba lista todos os sistemas que o usuário pode acessar. Estes sistemas pertencem aos grupos de sistemas atribuídos ao usuário na aba anterior. Você pode escolher um conjunto de sistemas para trabalhar selecionando as caixas de verificação à esquerda dos sistemas e depois clicando no botão Atualizar Lista. Use a página Gerenciador de Conjunto de Sistemas (System Set Manager) para executar ações nestes sistemas. Clicar no nome de um sistema te leva à sua página System Details (Detalhes do Sistema). Consulte a Seção , Detalhes do Sistema (System Details) para mais informações Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Canal de Permissões Esta aba lista todos os canais disponíveis à sua organização. Você pode atribuir a permissão explícita à subscrição a canais a este usuário para cada canal listado. Para fazê-lo, marque a caixa de verificação à esquerda do nome do canal e clique no botão Atualizar Permissões. Permissões atribuídas através das funções do Satellite Administrator e Channel Administrator ou devido ao fato do canal ser de subscrição global, não possuem caixa de verificação, mas exibem um ícone no lugar da caixa de verificação Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Permissão de Canal Subscrição Identifica os canais nos quais o usuário pode registrar sistemas. Para alterá-los, selecione ou desselecione as caixas de verificação apropriadas e clique no botão Update Permissions (Atualizar Permissões). Note que os canais registráveis através da função admin do usuário ou da configuração global do canal não podem ser alterados. Estes são identificados por um ícone de verificação Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Permissão de Canal Gerenciamento Identifica os canais que o usuário pode administrar. Para alterá-los, selecione ou desselecione as caixas de verificação apropriadas e clique no botão Update Permissions (Atualizar Permissões). Este estado não possibilita ao usuário criar novos canais. Note que os canais automaticamente administráveis através do estado admin do usuário não podem ser alterados. Estes são identificados por um ícone de verificação. Lembre que os Satellite Administrators e do Canal podem registrar sistemas em ou administrar quaisquer canais Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Preferências Esta página permite configurar se o usuário recebe notificações de , o número de entradas exibidas por página da lista e o fuso horário do usuário. Faça suas seleções e clique no botão Salvar Preferencias (Save Preferences) para atualizar. Notification (Notificação por ) Determine se este usuário deve receber s sempre que um Alerta de Errata for aplicável a um ou mais sistemas de sua conta no RHN, assim como sumários diários dos eventos de sistemas. RHN List Page Size (Tamanho da Página da Lista do RHN) Número máximo de ítens que aparecem numa única página de uma lista. Se houver mais ítens na lista, clicar no botão Next (Próximo) apresenta o próximo grupo de ítens. Esta preferência se aplica à visualização do usuário das listas de sistemas, listas de Erratas, listas de pacotes e assim por diante. Time Zone (Fuso Horário) Determine o fuso horário deste usuário para que as ações agendadas sejam organizadas de acordo com a hora no fuso horário relevante. Red Hat Contact Options (Opções de Contato para Red Hat) Identifique os meios ( , telefone, fax ou correspondência) através dos quais a Red Hat pode contatar o usuário. Para modificar qualquer uma destas opções, efetue suas alterações e clique no botão Save Preferences (Salvar Preferências) Lista de Usuários Ativos Detalhes de Usuário Endereços Esta aba lista os endereços associados à conta do usuário. Para atualizar estas informações, clique no link Edit this address (Editar este endereço) correspondente, indique as informações relevantes e depois clique no botão Update (Atualizar) Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Métodos de Notificação Esta aba lista os endereços de e pager designados a receber alertas das probes do Monitoramento (Monitoring). Para criar um método, clique em create new method (criar novo método) e complete os campos. Se você receberá estes alertas via pager, selecione a caixa de verificação associada para ter mensagens enviadas num formato mais curto. Ao terminar, clique em Create Method (Criar Método). O método é exibido na lista Methods (Métodos), a partir da qual pode ser editado e apagado. Você também pode apagar métodos de notificação aqui. Se o método possui probes associadas, você vê uma lista delas. Note que se você é um Monitoring Administrator e não pode administrar o sistema em questão, as páginas System Details (Detalhes do Sistema) e Current State (Estado Atual) da probe não estão acessíveis através nos links de seus nomes. Como sempre, o Satellite Administrator tem acesso completo a todos os aspectos de sua conta no RHN. 60

64 Capítulo 4. The Red Hat Network Website User List Desativado (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) Esta página lista todos os usuários desabilitados. Para reabilitar qualquer um dos usuários listados aqui, clique na caixa de verificação à esquerda de seu nome e então clique no botão Reabilitar, seguido do botão Confirmar. Usuários reabilitados mantêm as permissões e associações aos grupos de sistemas conforme anteriormente, quando estavam desabilitados. Clicar no nome de usuário de um indivíduo exibe sua página Detalhes do Usuário Lista de Usuário Todos A página Todos lista todos os usuários que pertencem à sua organização. Além dos campos listados nas duas telas anteriores, a tabela de usuários inclui um campo de Status. Este campo indica se o usuário está Ativo ou Desabilitado. Nomes de usuários desabilitados aparecem em cinza para refletir seu status. Clique no nome de usuário, para ir para sua página Detalhes do Usuário Monitoring Se você clicar na aba Monitoring na barra de navegação superior, aparecem a categoria e os links de Monitoring. Estas páginas, que requerem o direito à Monitoring, possibilitam que você veja os resultados das probes que determinou nos sistemas com o direito à Monitoring e administre a configuração da sua infra-estrutura de monitoramento. Inicie o monitoramento de um sistema através da aba Probes (Detecções), na página System Details (Detalhes do Sistema). Consulte a Seção , Detalhes do Sistema (System Details) para uma descrição da aba. Veja o Apêndice D, Probes para uma lista completa de probes disponíveis Estado de detecção (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Gerenciamento) A página de Probe Status exibe por padrão quando você clica no Monitoring na barra de navegação superior. A página Probe Status (Estado da Probe) apresenta a contagem resumida das probes em vários estados e oferece uma interface simples para localizar rapidamente as probes problemáticas. Por favor note que os totais da detecção nas abas do topo da página talvez não coincidam com os números de probes exibidas nas tabelas abaixo. A contagem do topo inclui as probes de todos os sistemas de sua empresa, enquanto as tabelas exibem as probes somente dos sistemas aos quais você tem acesso, através da função System Group Administrator. Além disso, a contagem das probes exibidas aqui podem estar fora de sincronia por aproximadamente um minuto de diferença. A lista seguinte descreve cada estado e identifica os ícones associados: Crítico (Critical) - A probe ultrapassou o límite crítico. Aviso (Warning) - A proble ultrapassou o límite de Atenção. Desconhecido (Unknown) - A probe não é capaz de reportar com precisão dados métricos ou estados. Pendente (Pending) - A probe foi agendada mas não foi ainda executada ou está incapaz de rodar. OK - A probe está sendo executado com sucesso. A página Probe Status (Estado da Detecção) contém abas para cada um dos estados possíveis, além de uma aba que lista todas as probes. Cada tabela contém colunas indicando o estado da detecção, o sistema monitorado, as detecções usadas e a data e hora em que o estado foi atualizado pela última vez. Clicar no nome do sistema nestas tabelas, te leva à aba Probes (Detecções) da página System Details (Detalhes do Sistema). Clicar no nome da detecção te leva à sua página Current State (Estado Atual). A partir dali, você pode editar a detecção, apagá-la e gerar relatórios baseados em seus resultados. Dados e informações de estado de detecção do Monitoring que antes era disponível apenas através da interface Web pode agora ser exportado como um arquivo CSV. Clique nos links Baixar CSV encontrados nas páginas do Monitoring para baixar os arquivos CSV contendo informações relevantes. Os dados exportados podem incluir, mas não estão limitados à: Estado do Probe Todas as probes em um certo estado (OK, WARN, UNKNOWN, CRITICAL, PENDING) Um histórico de eventos de detecção Status do Probe Critico As probes (detecções) que ultrapassaram seus limites CRITICAL (crítico) ou atingiram um estado crítico por outros meios. Por exemplo: algumas probes tornam-se críticas (ao invés de desconhecidas, unknown) quando excedem seu tempo limite Status do Probe Warning As probes que ultrapassaram seus limites WARNING (aviso) Status do Probe Desconhecido As probes incapazes de coletar as medidas necessárias para determinar seu estado. A maioria, mas não todas, das probes entram num estado desconhecido quando excedem seu tempo limite. Isto pode significar que o tempo limite deve ser extendido ou que a conexão ao sistema monitorado não pode ser estabelecida. Também é possível que os parâmetros de configuração da detecção não estejam corretos e seus dados não possam ser encontrados. Finalmente, este estado pode indicar a ocorrência de um erro no software Status do Probe Pendente As probes cujos dados não foram recebidos pelo RHN. Este estado é esperado de uma detecção que foi recentemente agendada, mas ainda não foi executada. Se todas as probes recaem num estado pendente, sua infra-estrutura de monitoramento pode estar falhando Status do Probe OK (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Monitoring) Os probes que executaram com sucesso, sem excessão. Este é um estado desejado por todos os probes Status do Probe Todos (Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Monitoring) Os probes agendados nos sistemas em sua conta, listados em ordem alfabética por nome do sistema Estado Atual Identifica o estado da detecção selecionada e quando esta foi executada pela última vez, além de oferecer a capacidade de gerar um relatório sobre a detecção. Apesar desta página ser parte integrante do monitoramento, é acessada sob a aba Probes (Detecções), na página System Details (Detalhes do Sistema), já que sua configuração é específica ao sistema sendo monitorado. Para ver um relatório dos resultados da detecção, escolha uma duração relevante usando os campos date (data) e decida se você deseja visualizar os dados das medidas (metric data), o histórico de alteração do estado (state change history) ou ambos. Para obter os dados das medidas, selecione a(s) 61

65 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência medida(s) que você deseja ver reportadas e decida (usando as caixas de verificação) se os resultados devem ser exibidos num gráfico, registro de erros (error log) ou ambos. Em seguida, clique em Generate report (Gerar Relatório) no rodapé da página. Se não houver dados para as medidas da detecção, você verá a seguinte mensagem NO DATA SELECTED TIME PERIOD AND METRIC (nenhum dado encontrado para o período de tempo e medidas) Notificação Identifica os métodos de contato estabelecidos para sua empresa. Estes métodos incluem endereços de ou de pager, designados a receber alertas das probes. Há vários métodos de notificação disponíveis à sua empresa, listados na tela Notificação padrão. Os métodos estão listados de acordo com os usuários para os quais se aplicam. Para criar um novo método de notificação, clique no nome do usuário ao qual a notificação será aplicada. Aparece, então, a página User Details Notification Methods do usuário. Consulte a Seção , Lista de Usuários Ativo Detalhes de Usuários Métodos de Notificação para mais informações. Clique no título do método de notificação para editar suas propriedades Notificação Filtros Os filtros da notificação permitem criar regras de longo prazo que suspendem, redirecionam ou automaticamente reconhecem notificações padrão ou enviam notificações suplementares. Isto pode ser útil na administração da comunicação de probes detalhadas ou freqüentes Notification Notification Filters Active Filters Esta é a tela dpadrão da aba Notification Filters (Filtros da Notificação). Lista todos os filtros ativos disponíveis à sua empresa. Clique no nome do filtro para editar suas propriedades. Para criar um filtro da notificação, clique no link create new notification filter (criar novo filtro de notificação) no canto superior direito da tela. Configure cada opção listada abaixo e clique no botão Save Filter (Salvar Filtro) para criá-lo. 1. Description (Descrição): Indique um valor que distingua este filtro dos outros. 2. Type (Tipo): Determine a ação do filtro: redirecionar, reconhecer (acknowledge), suspender ou suplementar a notificação recebida. 3. Send to (Enviar para): As opções Redirect Notification e Supplemental Notification no passo dois requerem um endereço de para o qual enviar as notificações. As opções restantes não requerem um endereço de Scope (Alcance): Determine quais componentes do monitoramento estão sujeitos ao filtro. 5. Organization/Scout/Probe: Esta opção permite selecionar a empresa, agente(s) ou detecçã(ões) aos quais este filtro se aplica. Para selecionar itens múltiplos da lista, segure a tecla Ctrl enquanto clicar nos nomes do itens. Para selecionar uma gama de itens, segure a tecla Shift enquanto clicar no primeiro e último itens da gama. 6. Probes in State (Probes em Estado): Selecione qual(is) estado(s) da detecção se relacionam ao filtro. Por exemplo: você pode optar por criar uma notificação suplementar somente para probes críticas. Desmarque a caixa à esquerda dos estados que o filtro deve ignorar. 7. Notifications sent to (Notificações enviadas para): Este é o método de envio da notificação, caso não houver nenhum filtro. Você pode, por exemplo, redirecionar a outras pessoas as notificações que normalmente são enviadas a um usuário que saiu de férias, deixando todas as outras notificações da detecção inalteradas. 8. Match Output (Resultado de Correspondencia): Selecione os resultados precisos da notificação indicando uma expressão regular aqui. Se o resultado da "Mensagem:" da notificação não coincidir com a expressão regular, o filtro não é aplicado. 9. Recurring (Recorrente): Selecione se o filtro deve rodar continuamente ou de maneira recorrente. Um filtro recorrente roda múltiplas vezes durante um período mais curto que a duração do filtro. Por exemplo: um filtro recorrente pode rodar 10 minutos por hora entre o horário de início e de fim do filtro. Um filtro não-recorrente roda continuamente entre o horário de início e de fim do filtro. 10. Beginning (Início): Indique uma data e hora para o início da operação do filtro. 11. Ending (Fim): Indique uma data e hora para o fim da operação do filtro. 12. Recurring Duration (Duração Recorrente): Por quanto tempo uma instância recorrente do filtro está ativa. Este campo, aplicável somente a filtros recorrentes, inicia na hora Beginning(Início) indicada acima. Todas as notificações geradas fora da duração especificada não são filtradas. 13. Recurring Frequency (Frequencia de Recorrencia): A freqüência da ativação do filtro. Os filtros de notificação não podem ser apagados. No entanto, um filtro pode ser cancelado ao configurar a data final no passado. (Note que a data final deve ser igual ou posterior à data inicial, caso contrário a alteração falha.) Um outro método é selecionar um conjunto de filtros na página Active (Ativos) e clicar no botão Expire Notification Filters (Filtros de Notificação de Validade) no canto inferior direito. Estes filtros então são cancelados e aparecem na aba Expired Filters (Filtros Expirados) Notificatção Filtros de Notificação Filtros Expirados Esta aba lista todos os filtros da notificação com data final expirada. Os filtros expirados são armazenados indefinidamente; isto permite à empresa reciclar filtros úteis conforme necessário e oferece um registro histórico para a resolução de problemas Conjuntos de Probes Os Conjuntos de Detecções (Probe Suites) permitem configurar e aplicar uma ou mais probes a um sistema ou a um grupo de sistemas. Os Conjuntos de Probes podem ser configurados uma vez e aplicados a diversos de sistemas de uma só vez. Isto resulta em economia de tempo e consistência para clientes com direito à Monitoramento. Para criar e aplicar um Conjunto de Probes, primeiro crie um conjunto vazio e então configure as probes membros. Por fim, aplique o Conjunto aos sistemas selecionados. 1. Na página Monitoramento Conjunto de Probes, selecione o link create probe suite (criar conjunto de probes). Indique um nome distinguível para o Conjunto de Probes. Você também pode escolher adicionar uma breve descrição deste conjunto. Clique no botão Create Probe Suite (criar conjunto de probes) para continuar. 2. Adicione e configure as probes que compõem este Conjunto. Clique no link create new probe (criar nova probe) no canto superior direito. 3. Conforme descrito na Seção , Detalhes de Sistema Monitoring,, configure a detecção e clique no botão Criar Probe no canto inferior direito. Repita este processo até adicionar todas as probes (detecções) desejadas. O Sendmail deve ser configurado corretamente no seu RHN Satellite e cada sistema cliente no qual o conjunto de probes é aplicado deve ter o daemon rhnmd instalado e ativo. Consulte o Guia de Instalação do RHN Satellite Server para informações adicionais. 4. Adicione os sistemas aos quais o Conjunto de Probes se aplica. Clique no link add systems to probe suite no canto superior direito da tela para continuar. 5. A página seguinte exibe uma lista de todos os sistemas com serviços de Monitoramento. Selecione a caixa à esquerda do(s) sistema(s) ao(s) qual(is) deseja aplicar o Conjunto de Probes, selecione o agente de monitoramento (monitoring scout) e clique no botão Add systems to probe suite para completar a criação do Conjunto de Probes. 62

66 Capítulo 4. The Red Hat Network Website Você pode apagar ou retirar probes do conjunto. Retirar uma detecção desassocia as probes do conjunto e converte-as em probes específicas dos sistemas. Isto significa que as alterações nas probes retiradas afetam somente aquele sistema. Apagar uma detecção remove-a do Conjunto para todos os sistemas. Para remover probes do Conjunto: 1. Na página Monitoramento Conjunto de Probes, clique no título do Conjunto de Probes que deseja alterar. 2. Selecione a sub-seção Probes. 3. Selecione a caixa próxima à detecção que deseja remover. 4. Clique no botão Delete probes from Probe Suites (Apagar probes do Conjunto de Probes). Você também pode remover um sistema do Probe Suite (Conjunto de Probes). Há duas maneiras de fazê-lo. O primeiro método é desassociar o sistema do Conjunto de Probes. Neste caso, o sistema ainda tem as mesmas probes atribuídas. No entanto, agora você tem a habilidade para configurar estas probes separadamente sem afetar nenhum outro sistema. Para mais informações sobre a remoção de probes num sistema separado, consulte a Seção , Detalhes de Sistema Monitoring. Para desassociar um sistema do conjunto: 1. Na página Monitoramento Conjunto de Probes, clique no título do Conjunto de Probes que deseja alterar. 2. Selecione a sub-seção Sistemas. 3. Selecione a caixa próxima ao(s) sistema(s) que deseja remover do Conjunto de Probes. 4. Clique no botão Detach System(s) from Probe Suite (Retirar o(s) Sistema(s) do Conjunto de Detecções) O segundo método é remover o sistema do conjunto. Neste método, o sistema é removido do conjunto e todas as probes ativas são apagadas do sistema. Esta ação apaga todas as probes do sistema no Conjunto de Probes, assim como todos os dados históricos Time Series e Event Log. Esta ação é irreversível. Para remover um sistema do Conjunto de Probes e apagar todas as probes associadas ao sistema: 1. Na página Monitoramento Conjunto de Probes, clique no título do Conjunto de Probes que deseja alterar. 2. Selecione a sub-seção Sistemas. 3. Selecione a caixa próxima ao(s) sistema(s) que deseja remover do Conjunto de Probes. 4. Clique no botão Remove System(s) from Probe Suite (Remover Sistema(s) do Conjunto de Probes). Finalmente, assim como é o caso com probes individuais, você também pode baixar um arquivo CSV contendo informação a respeito de conjuntos de probes. Clique no link Baixar CSV na parte inferior da página Monitoring Conjuntos de Probes para baixar o arquivo Forçar Agente de Configuração Exibe o estado da sua infra-estrutura de monitoramento. Cada vez que você efetuar uma alteração na sua configuração de monitoramento, tal como adicionar uma detecção a um sistema ou editar os limites de uma detecção, você deve reconfigurar sua infra-estrutura de monitoramento. Faça isso selecionando a caixa de verificação do Servidor do RHN e clicando em Push Scout Configs. A tabela desta página identifica a data e hora de 'pushes' requisitados e completos. Clicar no nome de um servidor abre sua Chave Pública SSH do Red Hat Network Monitoring Daemon. Isto permite a você copiar e colar a chave SSH nos sistemas monitorados pelo agente (scout). Isto é preciso para que o daemon Red Hat Network Monitoring Daemon se conecte ao Satellite Config Geral (Para visualizar esta aba é necessário possuir o direito ao Monitoring.) Coleta informações universalmente aplicáveis à sua infra-estrutura de Monitoring. Modificar qualquer coisa nesta página causa a reinicialização dos serviços de Monitoring no RHN Satellite, assim como agenda eventos para a reinicialização dos serviços Monitoring em todos os RHN Proxy Servers com Monitoring que conectam a este Satellite. Isto é feito para que os serviços Monitoring nestes servidores recarreguem sua configuração imediatamente. Normalmente, os defaults providos nos outros campos são aceitáveis, já que derivam da instalação de seu Satellite. No entanto, você pode usar os campos desta página para alterar a configuração de seu Monitoring. Por exemplo: você pode alterar seu servidor de aqui. Esta página também permite a você mudar o destino de todos os s administrativos do Satellite. Quando terminar, clique em Update Config (Atualizar Configuração) A página "Admin" A página Admin permite que os clientes do RHN Satellite administrem a configuração básica de seu Satellite, assim como criar e gerenciar os recursos da Organização do RHN Satellite. Somente o Satellite Administrator pode ter acesso à página Admin Organzations do Admin O recurso múltiplas organizações permite que os administradores criem e gerenciem múltiplas organizações no Satellite. O recurso Organizations permite que os administradores se apropriem do software e dos direitos de sistema em diversas organizações, assim como controlar o acesso da organização às tarefas de gerenciamento de sistemas. Para mais informações sobre como usar o recurso multiple organizations, consulte o Capítulo 6, Multiple Organizations (Múltiplas Organizações) Admin Satellite Configuration General Esta aba é dividida em sub-abas que permitem que você configure a maioria das características do RHN Satellite. Uma vez que mudanças tenham sido feitas, é importante reiniciar o Satellite, o que pode ser feito na última aba Admin Satellite Configuration General A página Configuração do Satellite Configuração Geral permite que você altere as configurações mais básicas do Satellite, como o do administrador e o estado de ativação do Monitoring Satellite Tools Satellite Configuration Monitoring A página RHN Satellite Configuration Monitoring permite que você configure características de monitoramento deste Satellite. O servidor de mensagens e o domínio principal locais são usados para enviar mensagens de notificações de Monitoring para o administrador. Isto é necessário apenas se você espera receber mensagens de notificações de alerta geradas por eventos de detecção. Neste caso, forneça o servidor de (exchanger) e domínio a ser usado. Note que o sendmail deve estar configurado para lidar com o redirecionamento de notificações por . Quando terminar, clique em Update Config (Atualizar Configuração). 63

67 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Admin Satellite Configuration Certificate A página RHN Satellite Configuration Certificate permite que você carregue um novo certificado Satellite. Para identificar o caminho do certificado, clique em Browse (Procurar), navegue até o arquivo e selecione-o. Para adicionar a seu conteúdo, abra o seu certificado em um editor de texto, copie todas as linhas e cole-as diretamente no campo de texto grande na parte inferior. Clique em Update para continuar. Se você receber erros de DNS, certifique-se de que o seu Satellite está configurado corretamente Admin Satellite Configuration Bootstrap Script A página RHN Satellite Configuration Bootstrap permite que você gere um script de rotina de inicialização (bootstrap) para redirecionar sistemas clientes de servidores centrais do RHN para o Satellite. Este script, a ser colocado no diretório /var/www/html/pub/bootstrap/ do Satellite, reduz consideravelmente o esforço necessário para reconfigurar todos os sistemas, o que de acordo com a configuração padrão obtém pacotes a partir dos servidores centrais do RHN. Os campos requisitados são povoados com dados tirados de passos do processo de instalação executados anteriormente. Certifique-se de que estes dados estão corretos. Caixas de verificação oferecem opções para a inclusão de funcionalidades de segurança integradas SSL e GNU Privacy Guard (GPG), ambas recomendadas. Além disso, você pode ativar a aceitação de comandos remotos e a administração da configuração remota para sistemas a serem inicializados. Ambas funcionalidades são úteis para completar a configuração de clientes. Finalmente. se você estiver usando um servidor de HTTP proxy, complete as campos relevantes. Quando terminar, clique em Generate Bootstrap Script (Gerar Script Bootstrap) Admin Satellite Configuration Organizations A página RHN Satellite Configuration Organizations contém detalhes sobre os recursos do Organizações do RHN Satellite, assim como links para iniciar rapidamente criando e configurando organizações. Para mais informações sobre como configurar Organizações, consulte o Seção , Organzations do Admin Admin Satellite Configuration Restart A página RHN Satellite Configuration Restart contém os passos finais da configuração do Satellite. Clique no botão Restart para reiniciar o Satellite para incorporar todas opções de as configuração adicionadoas nas telas anteriores. Note que a reinicialização levará de 4 a 5 minutos para completar A página "Help" As páginas de Ajuda oferecem acesso ao conjunto completo de documentação e suporte disponíveis aos usuários do RHN. Clique em Ajuda na categoria Visão Geral para ver uma lista das opções disponíveis Guia de Referência A página Reference Guide (Guia de Referência) traz este mesmo documento, com as instruções mais detalhadas sobre o uso do Red Hat Network. Note que os links a outros guias técnicos talvez apareçam na barra de navegação esquerda, dependendo do nível de direito e oferta de produto da conta com a qual você se autenticou Guia de Instalação do Satellite A implementação de um RHN Satellite totalmente funcional requer mais do que a instalação de um software e um banco de dados. Os sistemas Cliente devem ser configurados para usar o Satellite. Os pacotes Cliente e canais devem ser criados para uso otimizado. Como estas tarefas vão além de uma instalação básica, serão explanadas em mais detalhes em outros guias, assim como este RHN Satellite Installation Guide. Informações detalhadas sobre o servidor Satellite do RHN e sua instalação e configurações iniciais Guia do Proxy O RHN Proxy Server é um mecanismo de pacote-caching que reduz os requerimentos da largura de banda para os servidores do RHN e Satellite e ativa a implementação do pacote padronizado. Os usuários do Proxy fazem cache dos RPMs, tais como Atualizações de Errata da Red Hat ou padronizam os RPMs, gerados por sua empresa, em um servidor interno e centralizado. Os sistemas Cliente recebem então estas atualizações de um Proxy ao invés de acessar a Internet individualmente. O RHN Proxy Server Installation Guide (Guia de Instalação do RHN Proxy Server) fornece informações detalhadas sobre a instalação do servidor RHN Proxy e uma configuração inicial Guia de Configuração do Cliente Por padrão, todos os aplicativos do cliente Red Hat Network, são configurados para comunicar com os Servidores Red Hat Network central. Ao conectar os clientes ao RHN Satellite ou RHN Proxy Server, muitas destas configurações devem ser alteradas. Alterar as configurações do cliente para um ou dois sistemas pode ser relativamente simples. Porém, para uma empresa grande, com vários sistemas, os passos da reconfiguração em massa descritos aqui serão de grande utilidade. O Client Configuration Guide é um manual prático para ajudar os usuários do RHN Satellite e RHN Proxy Server a configurar seus sistemas cliente de forma eficiente Guia de Administração de Canais O canal de software é uma coleção de pacotes de software dentro do Red Hat Network e RHN Satellite. Os canais podem também ser referidos como repositórios. Os canais ajudam a segregar pacotes através de regras sensíveis. Por exemplo: Um canal pode conter pacotes de uma versão do Red Hat Enterprise Linux específico. Um canal pode conter pacotes para um aplicativo ou família de aplicativos; Os usuários podem também definir canais para suas próprias necessidades, tal como um canal que contenha pacotes para todos os laptops de empresas. O Channel Management Guide documenta a criação e manutenção de canais personalizados através do RHN Satellite Release Notes (s de Lançamento) A página Release Notes lista as notas que acompanham todas as versões recentes do Red Hat Network. Estas notas descrevem todas as mudanças significativas feitas numa determinada versão, de grandes melhorias à interface do usuário a pequenas alterações na documentação relacionada API A documentação para usar a Interface de Programação do Aplicativo (API) do Red Hat Network para criar ferramentas e programas para automatizar tarefas comuns via Red Hat Network. A página API contém uma visão geral do API, com links para descrições detalhadas de diversas chamadas de API disponíveis para administradores e desenvolvedores. Existe também uma página FAQ para respostas à frequentes perguntas sobre o API do Red Hat Network. Por fim, existe uma página Sample Scripts que mostra códigos de exemplos de usuários usando chamadas de API Busca (Search) A página Documentation Search (Busca de Documentação) apresenta uma busca avançada que indexa e procura documentações do RHN Satellite e RHN Proxy Server. 64

68 Capítulo 4. The Red Hat Network Website Figura Busca de Documentação Os usuários podem procurar a documentação online disponível e filtrá-las de acordo com as seguintes escolhas no menu suspenso What to Search: Content & Title (Conteúdo e Título) Busca o cabeçalho do título ou conteúdo dos documentos disponíveis. Free Form (Formulário Livre) Busca documentos e índices para qualquer palavra chave coincidente, o qual amplia o resultado de busca. Content (Conteúdo) Busca somente o conteúdo da documentação para mais coincidências específicas. Title (Título) Busca somente cabeçalhos dos títulos da documentação para resultados de busca específica em alvo. O campo Free Form (Formulário Livre) permite adicionalmente que você faça uma busca usando os nomes de campo que você adicione ao início para consultas de busca e resultados de filtros neste campo. Por exemplo, se você quiser procurar a palavra Virtualization em todos os manuais do Satellite, quanto ao título e kickstart quanto ao conteúdo, digite o seguinte no campo Free Form: title:virtualization and content:kickstart Outros nomes de campos suportados para a busca de Documentação incluem: url Busca a URL que contenha uma palavra chave em específico title Busca títulos que contenham uma palavra chave em específico content Faz uma busca do conteúdo da documentação que contenha uma palavra chave em específico Caso houverem diversas páginas de resultado de busca, você pode limitar a quantidade de resultados visíveis exibidos em uma página ao clicar no menu suspenso Exibir Quantidade itens por página, o qual fornece entre 10 e 500 resultados por página. Para mover entre as páginas, clique nos colchetes da direita ou da esquerda (> para avançar ou < para voltar) 65

69 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Capítulo 5. Monitoramento (Monitoring) O direito ao Monitoring da Red Hat Network permite a você executar diversas ações desenvolvidas para manter seus sistemas rodando apropriada e eficientemente. Através deste, você pode monitorar os recursos do sistema, serviços de rede, bancos de dados e também aplicações padrões e personalizadas. O Monitoramento oferece informações em tempo real e a história de alterações do estado, assim como dados métricos específicos. Você é notificado imediatamente sobre falhas e avisado sobre a degradação do desempenho antes de tornar-se crítica, além de receber as informações necessárias para conduzir o planejamento de capacidade e a correlação de eventos. Por exemplo: os resultados de uma detecção registrando o uso da CPU entre sistemas não teriam valor nenhum ao balancear as cargas nestes sistemas. Existem dois componentes para monitoramento do sistema: o próprio monitoramento de sistema e o monitoramento scout. O sistema de monitoramento realiza funções em segundo plano, como armazenar dados de monitoramento e ações, ele roda somente no Satellite. O monitoramento scout executa todas as probes e coleta dados de monitoramento. O monitoramento scout no RHN Proxy lhe permite trabalhar sem carga no Servidor Satellite, fornecendo escalabilidade para as probes. O Monitoramento permite estabelecer os métodos de conexão, instalar probes em sistemas, rever periodicamente os estados de todas as probes e gerar relatórios com dados históricos de um sistema ou serviço. Este capítulo procura identificar tarefas comuns associadas ao direito de Monitoramento. Lembre-se: praticamente todas as alterações que afetam sua infra-estrutura Monitoring devem ser finalizadas ao atualizar sua configuração através da página Scout Config Push Pré-requisitos Antes de tentar implementar o serviço de Monitoramento do RHN em sua infra-estrutura, assegure-se que você tenha todas as ferramentas necessárias. No mínimo, você precisa: Direitos ao Monitoramento Estes direitos são necessários para todos os sistemas a serem monitorados. O Monitoramento é suportado somente em sistemas Red Hat Enterprise Linux. RHN Satellite com Monitoramento Sistemas com Monitoring devem ser conectados a um Satellite com um sistema operacional base do Red Hat Enterprise Linux AS 4 Red Hat Enterprise Linux 5 ou mais recente. Consulte o Guia de Instalação do RHN Satellite, em Help para obter instruções de instalação. Administrador de Monitoramento Esta função (role) deve ser agregada a usuários que instalem detecções (probes), criem métodos de notificação ou alterem a infra-estrutura de monitoramento de qualquer forma. Lembre-se, o Satellite Administrator automaticamente herda todas as funções dentro de uma organização e pode portanto conduzir estas tarefas. Agregue esta função através da página User Details (Detalhes do Usuário) do usuário em questão. Red Hat Network monitoring daemon Este daemon é necessário, juntamente à chave SSH, para o agente (scout) em sistemas monitorados para executar os processos internos. Você pode, no entanto, rodar estas probes usando o daemon SSH (sshd) do sistema. Consulte a Seção 5.2, Red Hat Network Monitoring Daemon (rhnmd) para obter instruções de instalação e uma lista rápida das probes que requerem esta conexão segura. Consulte o Apêndice D, Probes para uma lista completa das probes disponíveis. Habilitar Monitoramento O Monitoramento é desativado por padrão e precisa ser ativado antes que possa ser usado. 1. Efetue o login como um usuário com previlégios de Administrador do Satellite e vá até Admin Configuração do RHN Satellite Habilitar Monitoramento. Clique em Atualizar para salvar. 2. Reinicie os serviços para captar as mudanças. Vá para a aba reiniciar para reiniciar o Satellite. Isto fará que o Satellite fique off line por alguns minutos. 3. Confirme que o monitoramento está ativado, checando que você possui a aba Monitoramento disponível sob a Configuração do RHN Satellite. 4. Para habilitar o monitoramento scout, navegue até Admin Configuração do RHN Satellite Monitoramento+Habilitar Monitoramento Scout. Clique em Atualizar Config para salvar. É recomendado que você deixe os valores de configuração como valores padrões. Por favor revise a seção Sendmail Configuration do Guia de Instalação do Red Hat Network RHN Satellite para maiores informações sobre usar notificações Red Hat Network Monitoring Daemon (rhnmd) Para usufruir de seus direitos a Monitoramento ao máximo, a Red Hat sugere instalar o Red Hat Network monitoring daemon em seus sistemas clientes. Baseado no OpenSSH, o rhnmd possibilita ao RHN Satellite comunicar-se seguramente com o sistema cliente para acessar processos internos e recuperar o estado da detecção. Por favor note que o Red Hat Network monitoring daemon requer que os sistemas monitorados permitam conexões na porta Ao invés disso, você pode evitar abrir esta porta e instalar o daemon de uma só vez, usando o sshd. Consulte o Seção 5.2.3, Configurando o SSH para mais detalhes Probes que requerem o daemon É necessária uma conexão criptografada, através do Red Hat Network monitoring daemon ou do sshd, nos sistemas cliente, para rodar as seguintes probes: Linux::CPU Usage (Linux::Utilização do CPU) Linux::Disk IO Throughput (Linux::Produção de E/S do Disco ) Linux::Disk Usage (Linux::Uso do Disco ) Linux::Inodes Linux::Interface Traffic (Linux::Tráfego da Interface) Linux:Load (Linux::Carga) Linux::Memory Usage (Linux::Uso da Memória) Linux::Process Counts by State (Linux::Contagem de Processos por Estado) Linux::Process Count Total (Linux::Contagem Total de Processos) Linux::Process Health (Linux::Saúde dos Processos) Linux::Process Running (Linux::Processo em Andamento) Linux::Swap Usage (Linux::Uso de Swap) Linux::TCP Connections by State (Linux::Conexões TCP por Estado) Linux::Users (Linux::Usuários) Linux::Virtual Memory (Linux::Memória Virtual) LogAgent::Log Pattern Match (LogAgent::Correspondência de Padrões em Registros) LogAgent::Log Size (LogAgent::Tamanho do Registro) Network Services::Remote Ping (Serviços de Rede::Ping Remoto) Oracle::Client Connectivity (Oracle::Conectividade do Cliente) General::Remote Program (Geral::Programa Remoto) 66

70 Capítulo 5. Monitoramento (Monitoring) General::Remote Program with Data (Geral::Programa Remoto com Dados) Note que todas as probes no grupo Linux têm este requisito Instalando o Red Hat Network Monitoring Daemon Instale o Red Hat Network monitoring daemon a fim de preparar os sistemas para o monitoramento usando as probes identificadas na Seção 5.2.1, Probes que requerem o daemon. Note que os passos desta seção são opcionais se você pretende usar sshd para permitir conexões seguras entre a infraestrutura de monitoramento do RHN e os sistemas monitorados. Consulte a Seção 5.2.3, Configurando o SSH para mais instruções. O pacote rhnmd pode ser encontrado no canal RHN Tools para todas as versões do Red Hat Enterprise Linux. Para instalá-lo: 1. Registre os sistemas a serem monitorados no canal RHN Tools associado ao sistema. Isto pode ser feito separadamente para cada sistema através da aba System Details Channels Software ou para sistemas múltiplos de uma só vez, através da aba Channel Details Target Systems. 2. Após registrados, abra a aba Channel Details Packages e localize o pacote rhnmd (sob 'R'). 3. Clique no nome do pacote para abrir a página Package Details. Clique na aba Target Systems, selecione os sistemas desejados e clique em Install Packages. 4. Instale a chave pública SSH em todos os sistemas cliente a serem monitorados, conforme descrito na Seção 5.2.4, Instalando a chave SSH. 5. Inicie o Red Hat Network monitoring daemon em todos os sistemas cliente, usando o comando: service rhnmd start 6. Ao adicionar probes que requeiram o daemon, aceite os valores default de RHNMD User e RHNMD Port: nocpulse e 4545, respectivamente Configurando o SSH Se você deseja evitar instalar o Red Hat Network monitoring daemone abrir a porta 4545 nos sistemas cliente, pode configurar o sshd para oferecer uma conexão criptografada, necessária entre os sistemas e o RHN. Isto é especialmente recomendado se você já está com o sshd rodando. Para configurar o daemon para uso do monitoramento: 1. Certifique-se de que o pacote SSH esteja instalado nos sistemas a serem monitorados: rpm -qi openssh-server 2. Identifique o usuário a ser associado com o daemon. Pode ser qualquer usuário disponível no sistema, desde que a chave SSH necessária possa ser inserida no arquivo ~/.ssh/authorized_keys do usuário. 3. Identifique a porta usada pelo daemon, de acordo com o arquivo de configuração /etc/ssh/sshd_config. A porta default é a Instale a chave pública SSH em todos os sistemas cliente a serem monitorados, conforme descrito na Seção 5.2.4, Instalando a chave SSH. 5. Inicie o sshd em todos os sistemas cliente, usando o comando: service sshd start 6. Ao adicionar probes que requeiram o daemon, insira os valores derivados dos passos 2 e 3 nos campos RHNMD User e RHNMD Port Instalando a chave SSH Independentemente de usar o rhnmd ou o sshd, você deve instalar a chave pública SSH do Red Hat Network monitoring daemon nos sistemas a serem monitorados para completar a conexão segura. Para instalá-la: 1. Navegue para a página Monitoramento Scout Config Push do site do RHN e clique no nome do Servidor RHN que monitorará o sistema cliente. A chave SSH id_dsa.pub está visível na página resultante. 2. Copie o string de caracteres (começando em ssh-dss e terminando com o nome da máquina do Servidor RHN). 3. Selecione quais sistemas que você quer enviar a chave. Selecione Sistemas do menu esquerdo e clique nas caixas de marcação próximas aos sistemas para os quais você quer enviar a chave SSH. Clique no botão Gerenciar no topo para terminar. 4. A partir do Gerenciador de Conjuntos do Sistema (System Set Manager), clique em Executar comandos remotos e então na caixa de texto Script, digite a seguinte linha: #!/bin/sh cat <<EOF >> ~nocpulse/.ssh/authorized_keys Então, pressione Enter e cole a chave SSH. O resultado deve ser parecido com o seguinte: #!/bin/sh cat <<EOF>> ~nocpulse/.ssh/authorized_keys ssh-dss AABBAB3NzaC3kc3MABCCBAJ4cmyf5jt/ihdtFbNE1YHsT0np0SYJz7xk hzokuuwnzmouqj7exotbgeczjzlppozgzaepw1vuhxfa/l9xixvsv8k5qmcu70h0 1gohBIder/1I1QbHMCgfDVFPtfV5eedau4AAACAc99dHbWhk/dMPiWXgHxdI0vT2 SnuozIox2klmfbTeO4Ajn/Ecfxqgs5diat/NIaeoItuGUYepXFoVv8DVL3wpp45E 02hjmp4j2MYNpc6Pc3nPOVntu6YBv+whB0VrsVzeqX89u23FFjTLGbfYrmMQflNi j8yyngrepimfhi= EOF 5. Ajuste a data e hora que você quer para a ação acontecer, então clique em Agendar Comando Remoto. Após inserir a chave e estar acessível, todas as probes (detecções) que a requerem devem permitir as conexões ssh entre a infra-estrutura de Monitoramento e o sistema monitorado. Então, você pode agendar probes requisitando o daemon de monitoramento para rodar nos sistemas recémconfigurados mysql pacote Se seu RHN Satellite servirá sistemas cliente com o direito à Monitoramento (Monitoring) nos quais você deseja rodar probes MySQL, você deve configurar o pacote mysql no RHN Satellite. Consulte o Apêndice D, Probes para ver a lista de todas as probes disponíveis. Registre o Satellite no canal base do Red Hat Enterprise Linux e instale o pacote mysql utilizando up2date, yum ou RHN Hosted. Depois de finalizado, seu Satellite pode ser usado para organizar as probes de MySQL Notificações Além de visualizar o estado das probes na interface do RHN, você pode ser notificado sempre que uma detecção tiver seu estado alterado. Isso é especialmente importante ao monitorar sistemas de produção 67

71 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência de missão crítica. Por este motivo, a Red Hat recomenda a utilização desta funcionalidade. Para ativar as notificações de probes no RHN, você deve ter identificado um servidor de troca de correspondência e um domínio durante a instalação de seu RHN Satellite e ter configurado o sendmail para receber s apropriadamente. Consulte o capítulo Instalação do Guia de Instalação do RHN Satellite para mais detalhes Criando Métodos de Notificação As notificações são enviadas através de um método de notificação ou seja, um endereço de ou pager associado a um usuário específico do RHN. Apesar do endereço ser ligado a uma conta de usuário específica, pode servir a diversos administradores através de um codenome (alias) ou lista de s. Além disso, cada conta de usuário pode conter múltiplos métodos de notificação. Para criar um método de notificação: 1. Autentique-se (login) no site do RHN como o Satellite Administrator ou Administrador de Monitoramento. 2. Navegue para a aba User Details Notification Methods e clique em create new method. 3. Indique uma etiqueta intuitiva e descritiva para o nome do método, como diário para DBA e forneça o endereço correto do ou pager. Lembre-se: as etiquetas de todos os métodos de notificação estão disponíveis numa lista durante a criação da detecção, portanto devem ser únicas dentro de sua empresa. 4. Selecione a caixa de verificação, se você quiser que mensagens abreviadas sejam enviadas ao pager. Ester formato mais curto contém somente o estado da detecção, nome do sistema, nome da detecção, hora da mensagem e ID do envio. O formato padrão, mais longo, exibe dados adicionais no cabeçalho da mensagem, detalhes da detecção e do sistema e instruções para a resposta. 5. Ao terminar, clique em Criar Método (Create Method). O novo método é apresentado na aba Detalhes de Usuário Métodos de Notificação e a página Notificação sob a categoria Monitoramento. Clique em seu nome para editá-lo ou apagá-lo. 6. Ao adicionar probes, selecione a caixa Probe Notifications e então selecione o novo método de notificação no menu suspenso. Os métodos de notificação atribuídos às probes não podem ser apagados até que sejam desassociados da detecção Recebendo Notificações Se você criar métodos de notificação e associá-los a probes, deve estar preparado para recebê-las. Estas notificações chegam na forma de breves mensagens de texto enviadas para endereços de ou pager. Aqui está um exemplo de uma notificação por Subject: CRITICAL: [hostname]: Satellite: Users at 1 From: "Monitoring Satellite Notification" Date: Mon, 6 Dec :42: To: This is RHN Monitoring Satellite notification 01dc8hqw. Time: Mon Dec 06, 21:42:25 PST State: CRITICAL System: [hostname] ([IP address]) Probe: Satellite: Users Message: Users 6 (above critical threshold of 2) Notification #116 for Users Run from: RHN Monitoring Satellite Como você pode ver, as notificações por mais longas contêm praticamente tudo o que você precisará saber sobre a detecção associada. Além do comando da detecção, da hora de execução, do sistema monitorado e do estado, a mensagem contém o Send ID (ID de envio), um string único de caracteres representando a mensagem e detecção específicas. Na mensagem acima, o ID de envio é 01dc8hqw. As notificações por pagers, por necessidade, contêm somente detalhes importantes, como assunto da mensagem (contendo estado, sistema, detecção e hora) e o ID de envio. Aqui está um exemplo de notificação por pager: CRITICAL: [hostname]: Satellite: Users at 21:42 PST, notification 01dc8hqw Redirecionando Notificações Ao receber uma notificação, você pode redirecioná-la incluindo regras avançadas de notificação num e- mail de reconhecimento. Ative o redirecionamento de resposta de abrindo /etc/aliases e adicione a seguinte linha: rogerthat01: " /etc/smrsh/ack_enqueuer.pl" Uma vez que o parâmetro tiver sido configurado. Apenas responda à notificação e inclua a opção desejada. Estas são as opções de redirecionamento ou tipos de filtro possíveis: ACK METOO Envia a notificação ao(s) destino(s) de redirecionamento, além do destino default. ACK SUSPEND Suspende a notificação por um determinado período. ACK AUTOACK Não altera o destino da notificação, mas automaticamente reconhece os alertas coincidentes assim que são enviados. ACK REDIR Envia a notificação ao(s) destino(s) de redirecionamento ao invés do destino default. O formato da regra deve ser tipo_filtro tipo_probe duração endereço_ , onde o tipo_filtro indica um dos comandos avançados anteriores, o tipo_detecção indica a detecção ou sistema, a duração indica o tempo de redirecionamento e o endereço_ é o recipiente pretendido. Por exemplo: ACK METOO host 1h As maiúsculas não são necessárias. A duração pode ser expressa em minutos (m), horas (h) ou dias (d). Os endereços de são necessários somente para notificações de redirecionamento (REDIR) e suplementares (METOO). A descrição da ação contida no resultante tem como default o comando indicado pelo usuário. A razão listada é um resumo da ação, como ack redirect by onde user é o remetente do . Você pode interromper (halt) ou redirecionar quase todas as notificações de detecção, respondendo aos s de notificação com uma variação do comando ack suspend host. No entanto, não é possível interromper (halt) as notificações das probes do Satellite ao responder a uma detecção com ack suspend host ou com outra resposta de redirecionamento. Estas probes requerem que você altere as notificações na interface web do Satellite Filtrando Notificações 68

72 Capítulo 5. Monitoramento (Monitoring) Como as notificações podem ser geradas sempre que uma probe (detecção) tem seu estado alterado, simples alterações em sua rede podem resultar no recebimento de muitas notificações. A criação, o cancelamento e a aplicação de filtros de Notificação são abordados detalhadamente na Seção , Notificação Filtros Apagando Métodos de Notificação Teoricamente, remover métodos de notificação deve ser tão fácil quanto criá-los, já que você não precisa preencher nenhum campo para conduzir a remoção e há um botão para este propósito específico. No entanto, algumas relações entre métodos e probes podem complicar este processo. Aqui estão os passos a seguir para remover um método de notificação: 1. Autentique-se (login) no site do RHN como o Satellite Administrator ou Administrador de Monitoramento. 2. Navegue para a página Monitoramento Notificações e clique no nome do método a ser removido. 3. Na aba User Details Notification Methods, clique em delete method. Se o método não estiver associado a nenhuma detecção, você verá uma página de confirmação. Clique em Confirm Deletion. O método de notificação é removido. Dica Já que ambos o nome do método de notificação e o endereço, podem ser editados, considere atualizar o método ao invés de removê-lo. Isso redireciona as notificações de todas as probes usando o método, sem precisar editar cada detecção e criar um novo método de notificação. 4. Se o método é associado a uma ou mais probes, é exibida uma lista de probes usando o método e os sistemas aos quais as probes estão ligadas, ao invés de uma página de confirmação. Clique no nome da detecção para ir direto à aba System Details Probes. 5. Na aba System Details Probes, selecione outro método de notificação e clique em Update Probe. 6. Agora você pode retornar à página Monitoramento Notificações e apagar o método de notificação Probes (detecções) Agora que o Red Hat Network monitoring daemon foi instalado e os métodos de detecção criados, você pode começar a instalar probes em seus sistemas com direitos a Monitoramento. Se um sistema tem direitos a Monitoramento, aparecerá uma aba Probes em sua página Detalhes do Sistema. É aqui que você efetuará a maior parte do trabalho relacionado às funções de probes(detecção) Administrando probes Para adicionar uma probe a um sistema, este deve ter direitos a Monitoramento. Além disso, você precisará de acesso ao próprio sistema, seja como usuário root do sistema, através da função Administrador de Grupos de Sistemas ou como o Satellite Administrator. Então: 1. Autentique-se no site do RHN como wo Satellite Administrator ou Administrador de Grupos de Sistemas(System Group Administrator). 2. Navegue para a aba System Details Probes e clique em create new probe. 3. Na página Criação de Probe de Sistema (System Probe Creation), complete todos os campos necessários. Primeiro, selecione o Grupo de Comando de Probe (Probe Command Group). Isto altera a lista de probes, de outros campos e requisitos disponíveis. Consulte o Apêndice D, Probes para obter uma lista completa das probes por grupo de comando. Lembre que algumas probes requerem a instalação do Red Hat Network monitoring daemon no sistema cliente. 4. Selecione o Probe Command (comando de probe) e o Monitoring Scout (agente de monitoramento) desejados, geralmente RHN Monitoring Satellite, mas possivelmente um RHN Proxy Server. Indique uma descrição breve e única para a probe. 5. Selecione a caixa de verificação Notificação de Probes (Probe Notifications) para receber notificações quando a detecção tiver seu estado alterado. Use o menu suspenso Intervalo de Checagem de Probe (Probe Check Interval) para determinar a freqüência de envio das notificações. Selecionando 1 minute (e a caixa de verificação Probe Notification), você receberá notificações a cada minuto que a probe ultrapassar os limites CRITICAL (crítico) ou WARNING (aviso). Consulte a Seção 5.4, Notificações para saber como criar métodos de notificação e reconhecer suas mensagens. 6. Use os campos RHNMD User e RHNMD Port, se aparecerem, para forçar a detecção a comunicar-se através do sshd, ao invés do Red Hat Network Monitoring Daemon. Consulte a Seção 5.2.3, Configurando o SSH para mais detalhes. Caso contrário, aceite os valores default nocpulse e 4545, respectivamente. 7. Se o campo Timeout (Tempo limite) aparecer, reveja o valor default e ajuste-o conforme suas necessidades. A maioria dos (mas não todos) timeout resulta num estado UNKNOWN (desconhecido). Se as medidas da detecção são baseadas em tempo, garanta que o timeout não seja menor que o tempo alocado para os limites. Caso contrário, as medidas não terão propósito, já que a detecção terá seu tempo limite antes que os limites de estado sejam cruzados. 8. Use os campos restantes para estabelecer os limites de alerta da detecção, se for o caso. Os valores de CRITICAL e WARNING determinam em que ponto a detecção tem seu estado alterado. Consulte a Seção 5.5.2, Estabelecendo Limites para saber as recomendações relativas a estes limites. 9. Ao terminar, clique em Criar Probe (Create Probe). Lembre-se: você deve submeter a alteração de configuração de seu Monitoramento na página Scout Config Push para isso ter efeito. Para apagar uma detecção, navegue para sua página Current State (estado atual) clicando no nome da detecção na aba System Details Probes e depois clique em delete probe. Por fim, confirme a remoção Estabelecendo Limites Muitas das probes oferecidas pelo RHN contêm limites de alerta que, quando ultrapassados, indicam uma mudança de estado da detecção. Por exemplo: a detecção Linux::CPU Usage (uso da CPU) permite que você defina os limites de CRITICAL e WARNING em relação à porcentagem de CPU usada. Se o sistema monitorado reportar 75 por cento de sua CPU usada e o limite WARNING estiver definido para 70 por cento, a detecção irá para o estado WARNING. Algumas probes oferecem diversos limites como este. Para tirar o máximo proveito de seu direitos a Monitoramento e evitar notificações falsas, a Red Hat recomenda executar suas probes sem notificações durante um tempo para estabelecer um desempenho base a cada um de seus sistemas. Apesar dos valores padrões oferecidos talvez servirem a você, cada empresa possui um ambiente diferente, que pode precisar de alterações dos limites Monitorando o Servidor RHN Além de monitorar todos seus sistemas cliente, você também pode usar o RHN para monitorar seu próprio Servidor RHN, seja um RHN Satellite ou um RHN Proxy Server. Para monitorar seu Servidor RHN, encontre um sistema monitorado pelo servidor e clique na aba Detalhes do Sistema Probes deste sistema. 69

73 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Clique em create new probe (criar nova detecção) e selecione o Probe Command Group (Grupo de Comando de Detecção) Satellite. Então, complete os campos restantes como você faria para qualquer outra detecção. Consulte a Seção 5.5.1, Administrando probes para mais instruções. Apesar do Servidor RHN parecer ser monitorado pelo sistema cliente, na verdade a detecção é executada pelo servidor nele mesmo. Os limites e notificações funcionam normalmente. Todas as probes que requerem conexões ao Red Hat Network monitoring daemon não podem ser usadas num RHN Satellite ou num RHN Proxy Server no qual o software de Monitoramento está rodando. Isto inclui a maioria das probes no grupo de comando Linux, assim como as probes (detecções) do Agente de Registros e do Programa Remoto. Use as probes do grupo de comando Satellite para monitorar RHN Satellite s e RHN Proxy Servers. No caso de agentes do Proxy, as probes (detecções) são listadas sob o sistema para o qual estão reportando dados Resolução de Problemas (Troubleshooting) Apesar de todas as atividades relacionadas ao Monitoring serem conduzidas através do site do RHN, a Red Hat oferece algumas ferramentas de diagnóstico na linha de comandos que podem ajudá-lo a determinar a causa de erros e problemas. Para usar estas ferramentas, você deve tornar-se o usuário nocpulse no Servidor RHN conduzindo a monitoramento. Primeiro, autentique-se no Servidor RHN como root. Então, alterne para o usuário nocpulse com o seguinte comando: su - nocpulse Agora você pode usar as ferramentas de diagnóstico descritas no resto desta seção Examinando Probes com rhn-catalog Para resolver completamente os problemas de uma detecção, primeiramente você deve obter seu ID. Você pode obter esta informação rodando rhn-catalog no Servidor RHN como o usuário nocpulse. O output será similar a: 2 ServiceProbe on example1.redhat.com ( ): test 2 3 ServiceProbe on example2.redhat.com ( ): rhel2.1 test 4 ServiceProbe on example3.redhat.com ( ): SSH 5 ServiceProbe on example4.redhat.com ( ): HTTP O ID da detecção é o primeiro número, enquanto o nome da detecção (conforme indicado no site do RHN) é a última informação da linha. No exemplo acima, o ID de detecção 5 corresponde à detecção chamada HTTP. Futuramente, você pode passar as opções --commandline (-c) e --dump (-d) junto a um ID de detecção para que rhn-catalog obtenha mais detalhes sobre a detecção, como neste exemplo: rhn-catalog --commandline --dump 5 A opção --commandline submete os parâmetros de comando definidos para a detecção, enquanto - -dump recupera todo o resto, incluindo limites de alerta e intervalos e métodos de notificação. O comando acima resultará num output similar a: 5 ServiceProbe on example4.redhat.com ( ): linux:cpu usage Run as: Unix::CPU.pm --critical=90 --sshhost= warn=70 --timeout=15 --sshuser=nocpulse --shell=sshremotecommandshell --sshport=4545 Agora que você tem o ID, pode usá-lo com rhn-rhnprobe para examinar o output da probe. Consulte a Seção 5.6.2, Visualizando o output de rhn-runprobe para instruções Visualizando o output de rhn-runprobe Agora que você obteve o ID da detecção com rhn-catalog, use-o em conjunto com o rhnrunprobe para examinar o output completo da detecção. Note que o rhn-runprobe funciona no modo teste por default ou seja, nenhum resultado é inserido no banco de dados. Aqui estão suas opções: Tabela 5.1. Opções do rhn-runprobe Opção --help --probe=probe_id --prob_arg=parameter --module=perl_module --log=all=level --debug=level --live Descrição Lista as opções disponíveis e fecha. Executa a detecção com este ID. Sobrescreve todos os parâmetros de detecção do banco de dados. Nome do pacote com o código alternativo a executar. Determina o nível de registro de um pacote ou prefixo de pacotes. Determina o nível de depuração numérico. Executa a detecção, além de enfileirar dados e enviar notificações (se necessário). Você deve incluir, no mínimo, as opções e os valores de --probe e de --log. A opção --probe toma o ID da detecção como seu valor e a opção --log toma o valor "all" (para todos os níveis de execução) e um nível de verbosidade numérico como seus valores. Aqui está um exemplo: rhn-runprobe --probe=5 --log=all=4 O comando acima requer o output da detecção do probeid 5, para todos os níveis de execução, com alto nível de verbosidade. Mais especificamente, você pode prover os parâmetros do comando, derivados do rhn-catalog. Exemplo: rhn-runprobe 5 --log=all=4 --sshuser=nocpulse --sshport=4545 Isto trará um output detalhado descrevendo a tentativa de execução da detecção. Os erros são claramente identificados. 70

74 Capítulo 6. Multiple Organizations (Múltiplas Organizações) Capítulo 6. Multiple Organizations (Múltiplas Organizações) O RHN Satellite suporta a criação e gerenciamento do Múltiplas Organizações dentro de uma instalação do Satellite, permitindo divisões de sistemas, conteúdo e subscrições em organizações diferentes ou grupos específicos. Este capítulo guia o usuário em tarefas de instalações básicas e explica o conceito da criação de organização múltipla e gerenciamento dentro do RHN Satellite Modelando seu Satellite para o uso do Multi-Organization Os exemplos a seguir detalham dois cenários possíveis, usando o recurso de múltiplas organizações (ou multi-org). A instalação ou atualização para RHN Satellite 5.1 não requer que você faça uso de recursos do multi-org. Você pode criar organizações adicionais em seu Satellite e começar a usar estas organizações no passo que desejar. É uma boa idéia criar uma organização adicional e usá-la como treinamento para um conjunto limitado de sistemas/usuários para entender totalmente o impacto de uma multi-org Satellite nos processos e políticas de sua organização Satellite Gerenciado Centralmente para uma Organização de Departamento Múltiplo. Neste primeiro cenário, o RHN Satellite é mantido por um grupo central dentro de uma empresa ou outra organização (veja a Figura 6.1, Gerenciamento do Satellite Centralizado para Organizações de Multi- Departamento ). O administrador do Satellite da Organização 1 (a organização administrativa criada durante a configuração do Satellite) lida com a Organização 1 (a Organização do Administrativo) como uma área de testes para o software e subscrição de sistemas e direitos. As responsabilidades do administrador do Satellite incluem a configuração do Satellite (qualquer tarefa disponível sob a área do Admin da interface da web), a criação e remoção de organizações de Satellites adicionais e a alocação e remoção do software e subscrições de sistemas e direitos. As organizações adicionais neste exemplo são mapeadas para departamentos dentro de uma empresa. Uma forma de decidir qual o nível para dividir os diversos departamentos em uma organização é pensar sobre as linhas nos departamentos que adquirirem subscrições e direitos para utilizar com o RHN Satellite. Para manter o controle centralizado sob as organizações no Satellite, crie uma conta de Organization Administrator em cada organização criada subsequentemente para que você tenha acesso àquela organização por qualquer motivo. Figura 6.1. Gerenciamento do Satellite Centralizado para Organizações de Multi- Departamento Gerenciamento Descentralizado de Organizações Múltiplas de Terceiros. Neste exemplo, o Satellite é mantido por um grupo central, mas cada organização é tratada separadamente sem ligação com outras organizações no Satellite. Cada organização pode ser um cliente do grupo que gerencia o próprio aplicativo do Satellite. Embora o Satellite, o qual é formado por sub-organizaçãoes que fazem parte de uma mesma empresa, possa ser um ambiente mais tolerante de sistemas de compartilhamento e conteúdo entre organizações, neste exemplo descentralizado, o compartilhamento é menos tolerável. Os administradores podem alocar direitos em quantias específicas para cada organização. Cada organização terá acesso à todo o conteúdo da Red Hat sincronizado com o Satellite se a organização possuir os serviços de canal de software para o conteúdo. No entanto, se uma organização empurra o conteúdo do cliente para sua organização, ele não estará disponível para outras organizações. Você não pode fornecer o conteúdo do cliente que está disponível para todos ou selecionar as organizações sem re-alocar o conteúdo para cada organização. Neste cenário, os Administradores de Sistemas (Satellite Administrators) querem reservar uma conta em cada organização para ter acesso de registro. Por exemplo, se você estiver usando o Satellite para fornecer serviços gerenciados para terceiros externamente, você poderia reservar uma conta para si, para acessar sistemas nessa organização e empurrar contéudo. 71

75 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Figura 6.2. Gerenciamento do Satellite Descentralizado para Organização de Multi- Departamento Dicas Gerais para Uso de Multi-Org. Independentemente do modelo específico acima que você escollha no gerenciamento de seu Satellite multi-org, as dicas de melhores práticas a seguir podem ajudar. Não recomendamos usar a organização administrativa (organização #1) para registrar sistemas e criar usuários em qualquer situação a não ser que você pretenda usar o Satellite como um Satellite de organização único ou esteja no processo de migrar de um Satellite de organização único para um Satellite de organização múltiplo. Isto deve-se aos seguintes motivos: 1. A organização administrativa é tratada como um caso especial a respeito de serviços. Você pode simplesmente adicionar ou remover direitos à esta organização implicitamente, removendo-os ou adicionando-os de outras organizações no Satellite. 2. A organização administrativa pretende ser uma área de testes para subscrições e direitos. Quando você associar o Satellite com um certificado novo, qualquer novo direito será obtido por esta organização por padrão. Para que seja possível disponibilizar novos direitos à outras organizações no Satellite, você precisará alocar explicitamente estes direitos à outras organizações de uma organização administrativa O Certificado Possui Menos Direitos (Entitlements) do que Estou Utilizando. Se você receber um novo certificado do Satellite e ele contiver menos direitos do que os sistemas na organização no seu Satellite esteja consumindo, você não poderá ativar este novo certificado ao atualizá-lo através da interface da web do Satellite sob Admin Configuração do Satellite Certificado, atualizando-o através do perfil do sistema do Satellite sob a aba Satellite ou então ao executar o comando rhn-satellite-activate. Você obterá um erro explicando que existem direitos insuficientes no certificado. Existem algumas formas de reduzir o uso de direitos do Satellite para ativar seu novo certificado. A Red Hat recomenda avaliar cada uso de direito da organização no Satellite e decidir quais organizações devem abandonar alguns direitos e ainda funcionar adequadamente. Você pode então contactar cada administrador de empresa diretamente e requerer que liberem o direito ou remova os perfis do sistema de qualquer sistema externo em sua organização. Caso você tenha login de acesso à estas organizações, você não poderá reduzir os direitos alocados à uma organização abaixo do número de direitos que a organização se associou ativamente à estes perfis de sistema. Existem algumas situações nas quais você precisa liberar os direitos e você não tem muito tempo para fazer isto e pode não ter acesso à cada organização para que você mesmo faça isso. Existe uma opção no Multi-Org Satellites que permite que o administrador do Satellite reduza a conta de um direito da organização abaixo de seu uso. Este método deve ser realizado depois que se registrar na organização do administrativo. Por exemplo, registrado na organização administrativa, se seu certificado não está seguro com os 5 direitos de gerenciamento de sistema e acredita não conseguir cobrir todos os sistemas registrados em seu Satellite, os 5 sistemas quase recentemente registrados à esta organização terão seus direitos desativados. Este processo está descrito abaixo: 1. No arquivo /etc/rhn/rhn.conf estabelecer a web.force_unentitlement=1 2. Reiniciar o Satellite 3. Reduzir os direitos alocados à organizações desejadas pela aba de Subscrição de cada organização ou por abas de Organizações de direitos individuais. 4. Diversos sistemas na organização devem estar agora em um estado sem direitos. O número de sistemas em estado sem direitos na organização será igual à diferença entre o número total de direitos que você removeu da organização do número de serviços que a organização não aplicou aos sistemas. Por exemplo, se você removeu 10 direitos da organização no passo 3 e a organização possui 4 direitos que não foram usados pelo sistema, os 6 sistemas na organização entrarão no estado sem direitos. Depois que você tiver o número suficiente de direitos requeridos, você deve conseguir ativar seu certificado novo do Satellite. Observe que modificar a variante web.force_unentitlement é necessário somente para reduzir os direitos alocados da organização abaixo do que eles estiverem utilizando. Se uma organização possuir mais direitos do que estejam usando ativamente, você não precisará estabelecer esta variante para removê-los O Certificado Possui Mais Direitos do Que Estou Utilizando Se você receber um certificado novo do Satellite e possuir mais direitos do que eles estejam consumindo em seu Satellite, qualquer direito extra deverá ser atribuído à organização do administrativo. Se você se registrar na interface da web como um administrador do Satellite, você conseguirá alocar estes direitos à outras organizaçãoes. Os direitos alocados previamente à outras organizações não serão afetados Admin Organizações A interface Web Organizações permite que os administradores visualizem, criem e gerenciem organizações múltiplas em todo o Satellite. Os administradores podem alocar os softwares e direitos de sistemas em todas as organizações, assim como controlar o acesso à uma organização para tarefas de gerenciamento de sistemas. Figura 6.3. Admin A página Organizações contém uma lista de organizações em todo o Satellite, com contas de Usuário e Sistemas atribuídas à cada organização. A página Organizações também apresenta uma página de 72

76 Capítulo 6. Multiple Organizations (Múltiplas Organizações) Trusts para quaisquer trusts organizacionais estabelecidos. Consulte o Seção 6.6, Trusts Organizacionais para mais informações sobre como estabelecer trusts organizacionais Admin Organizations Detalhes Ao clicar em uma organização, a página Details (Detalhes) é exibida, onde administradores recebem um sumário de vários aspectos da organização. Usuários Ativos (Active Users) O número de usuários em uma organização Sistemas (Systems) O número de sistemas subscritos em uma organização. Grupos de Sistemas (Systems Groups) O número de grupos susbscritos em uma organização. Chaves e Ativação (Activation Keys) O número de chaves de ativação disponíveis na organização. Perfis do Kickstart (Kickstart Profiles) O número de perfis do kickstart disponíveis em uma organização. Canais de Configuração (Configuration Channels) O número de Canais de Configuração disponíveis em uma organização. A partir desta página, você pode remover uma orgnaização, clicando no link Remover uma Organização A página Details (Detalhes) também contém três sub-abas: Usuários, Subscrições e Trusts Criando uma Organização A página Criar uma Nova Organização na interface da Web do RHN Satellite, pode ser acessada através do Admin Organizações Criar Nova Organização. Os administradores podem criar novas organizações e atribuir direitos, grupos, sistemas e usuários ao grupo para que organizações possam realizar tarefas de administrativo por si sós sem afetar outras organizações. Figura 6.4. Criando uma Nova Organização 1. Insira o Nome da Organização na caixa de texto fornecida. O nome deve conter entre 3 e 128 caracteres. 2. Crie um administrador para a organização: a. Insira um Login desejado para o administrador da organização, o qual deve conter entre 3 e 128 carecteres. b. Crie uma Senha Desejada e Confirme a Senha. c. Digite no para o administrador da organização. d. Insira o Primeiro Nome e Último Nome do administrador da organização. 3. Clique em Criar Organização para concluir o processo. Depois que a nova organização for criada, a página Organizations será exibida com a nova organização listada. Dica Os Satellite Administrators deve considerar a possibilidade de reservar a conta do Organization Administrator administrativo para si para que tenham a opção de se registrarem nesta organizações, por diversos motivos. Se seu Satellite estiver configurado para autenticação do PAM, evite usar as contas do PAM para a conta do administrador da organização administrativa nas novas organizações. Ao invés disso, crie uma conta de Satellite local para os administradores da organização e reserve contas de PAM autenticadas para os logins de Satellite com menos privilégios elevados, para que não motive usuários à se registrarem frequentemente no Satellite com privilégios elevados, pois é comum cometer erros usando estas contas. Além disso, crie um nome de login para a conta do Organization Administrator administrativo que descreva (por exemplo, orgadmin-mktg ou eng-dept-admin), para coincidir nomes de login admin com a organização Gerenciando Direitos Uma tarefa importante após criar uma nova organização é atribuir direitos de gerenciamento à nova organização. Os direitos de gerenciamento de sistemas são um requerimento base para que uma organização funcione no Satellite. O número de direitos de gerenciamento alocados à uma organização é equivalente ao número máximo de sistemas que possam se registrar àquela organização no Satellite, não importando o número de direitos de software disponíveis. Por exemplo, caso haja 100 direitos à Cliente do Red Hat Enterprise Linux, porém somente 50 direitos de gerenciamento de sistemas em uma organização, somente 50 sistemas poderão se registrar à uma organização. Você também deve receber os direitos de canais de software do RHN Tools em cada organização. O canal do RHN Tools (Ferramentas RHN) contém diversos softwares de clientes requeridos para funcionalidade do Satellite extendida, tal como clientes necessários para gerenciamento de configuração e suporte de kickstart e o pacote rhn-virtualization, o qual é necessário para direitos dos hóspedes virtuais do Xen a ser contados corretamente correspondendo ao número de subscrições do Red Hat Enterprise Linux ao qual eles serão associados. Acesse a aba Subscrições clicando em Admin Organizations Details Subscriptions. 73

77 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência A aba Subscrições possui duas sub-abas para gerenciar o canal do software e direitos de sistemas para a organização Admin Subscriptions Direitos de Canal de Software A página Direitos de Canal de Software no Satellite lista todos os direitos no Satellite, em todas as organizações, assim como seu uso. Clique em um Nome de Direito para uma visão mais detalhada. A sub-aba Detalhes para o direito de canal do software contém informações sobre o acesso obtido ao canal do software ao se registrar a um direito. A sub-aba Organizations permite que os administradores do Satellite ajustem o número de canais de software disponíveis para cada organização. Digite no número (dentro da classe listada em es Possíveis) e clique em Atualizar para aquela organização. Os Administradores de Organização que criam um canal padronizado podem usar somente este canal dentro da organização a menos que um Trust Organizational seja instalado entre as organizações que desejam compartilhar o canal. Para mais informações sobre os trusts organizacionais, consulte o Seção 6.6, Trusts Organizacionais. A sub-aba Organizações também contém ampla informação de uso na seção Uso de Direitos de Sistema Amplo, incluindo: Total O número de direitos totais disponíveis para todo o Satellite. Disponível O número de direitos atualmente para alocação. Uso O número de direitos atualmente em uso por todas as organizações (além da organização base), comparada ao número total de direitos alocados. Por exemplo, se a coluna Total é 100 e a coluna Disponível é 70, significa que 30 direitos estão alocados para organizações. A coluna Uso exibe quantos desses 30 direitos alocados estão em uso por organizações além da organização base. Então se a coluna Uso mostra 24 de 30 (80%), significa que 24 direitos a canais estão distribuídos nas organizações do Satellite (além da organização base) de um total de 30 alocados Admin Subscriptions Direitos de Sistema A página Direitos de Sistema no Satellite lista todos os direitos de sistemas neste Satellite, em todas as organizações, assim como seu uso. Clique no nome do direito para mais detalhes sobre ele. Direitos de sistema incluem Gerenciamento (Management), Provisionamento (Provisioning), Monitoramento (Monitoring) e Virtualização (Virtualization). Insira o número de alocações de cada direito de sistemas na caixa do texto, para não exceder o limite indicado no es Possíveis. A sub-aba Detalhes para o direito do sistema contém informações sobre o direito e qual acesso ele recebe. A sub-aba Organizations permite que os administradores do Satellite ajustem o número de alocações de direitos de sistema disponíveis em cada organização. Digite no número (dentro da classe listada em es Possíveis) e clique em Confirmar Mudanças para esta organização. A sub-aba Organizações para o direito de sistemas, também contém informações de amplo uso na seção "Satellite-Wide Entitlement Usage", incluindo: Total Alocado O número de direitos totais disponível para todo o Satellite. Uso de Direitos O número de direitos sendo usados atualmente. Uso da Organização exibe o número de organizações que possuem acesso ao direito Configurando Sistemas em uma Organização. Agora que uma organização já foi criada e os direitos requisitados foram atribuídos à ela, você pode atribuir sistemas para cada organização. Existem duas formas de registrar um sistema em uma organização específica: 1. Registrando-se com o Login e Senha Se você fornecer um login e uma senha criada para uma organização específica, o sistema será registrado àquela organização. Por exemplo, se user- 123 é um membro da organização do Central IT no Satellite, o comando a seguir em qualquer sistema registraria este sistema para a organização do Central IT no seu Satellite: rhnreg_ks --username=user password=foobaz O --orgid (para Red Hat Enterprise Linux 4 e 5) e parâmetros --orgpassword (no RHEL 4) no rhnreg_ksnão estão relacionados ao registro do Satellite ou ao suporte de organizações múltiplas do RHN Satellite. 2. Registrando-se com uma Chave de Ativação Você também pode registrar um sistema em uma organização usando uma chave de ativação de uma organização. A Chave de Ativação irá registrar sistemas em uma organização, na qual uma chave de ativação foi criada. As chaves de ativação são um ótimo método de registro para usar caso você queira permitir usuários a registrarem sistemas em uma organização sem fornecer o login de acesso à mesma. Caso queira mover sistemas entre organizações, automatize a mudança com scripts usando as chaves de ativação. As chaves de ativação possuem um novo formato desde o RHN Satellite 5.1.0, portanto os primeiros caracteres da chave de ativação são usados para indicar qual organização (por número de ID) possui a ativação Trusts Organizacionais As Organizações podem compartilhar seus recursos entre si, estabelecendo um organizational trust (trust organizacional) no Satellite. Um organizational trust é bi-direcional ou seja, depois que o Administrador do Satellite estabelece um trust entre duas ou mais organizações, o Administrador de Organização de cada organização é livre para compartilhar o quanto quiser de seus recursos. Depende do Administrador de Organização determinar quais recursos compartilhar e o quais recursos compartilhados de outras organizações do trust utilizar. 74

78 Capítulo 6. Multiple Organizations (Múltiplas Organizações) Somente os Administradores da Organização podem compartilhar seu conteúdo padronizado. Os Administradores do Satellite simplesmente alocam sistemas e direitos de software para cada organização Estabelecendo uma Organizational Trust Um Satellite Administrator pode criar uma trust entre duas ou mais organizações. Para fazer isto, clique no link Organizações no menu lateral na página principal do Admin. Clique no nome de uma das organizações e dentro da página Detalhes, clique na sub-aba Trusts. Na sub-aba Trusts, existe uma listagem de todas as outras trusts no RHN Satellite. Aqui você pode usar a caixa de texto do Filtrar por Organização para estreitar a lista longa de organizações para um sub-conjunto específico. Figura 6.5. Trusts Organizacionais Clique na caixa de seleção próximo aos nomes das organizações que você quer que esteja no trust organizacional com a organização atual e clique no botão Modify Trusts (Modificar Trusts) Compartilhando Canais de Conteúdo entre as Organizações no Trust Depois que uma trust organizacional foi estabelecida, as organizações podem então compartilhar o contéudo, tal como os canais de software padronizados com outras organizações no trust. Existem também três níveis de compartilhamento de canal que podem ser aplicados à cada canal para um controle de acesso de canal mais granulado. Organizações não podem compartilhar os Canais da Red Hat pois eles estão disponíveis à todas as organizações que possuem os direitos à estes canais. Para compartilhar um canal padrão com outra organização, realize os seguintes passos: 1. Registre-se no Satellite com o nome de usuário do Organization Administrator. 2. Clique na aba Channels (Canais). 3. No menu lateral, clique em Manage Software Channels (Gerenciar Canais de Software). 4. Clique no canal padronizado que você quer compartilhar com outras organizações. 5. A partir da seção do Controle de Acesso de Canais na página Details, existem três opções para compartilhar no Organizational Sharing (Compartilhamento Organizacional). Private (Privado) Torne o canal privado para que ele não consiga ser acessado por qualquer organização exceto o dono do canal. Protected (Protegido) Permita que o canal seja acessado por organizações em trust específicas de sua escolha. Escolher o compartilhamento Protected exibe uma outra página que solicita que você confirme que está obtendo acesso de canal para a organização, clicando em Obter Acesso e Confirmar. Public (Público) Permite que todas as organizações dentro do trust acessem o canal padronizado. Clique no botão próximo de sua seleção e clique em Update Channel (Atualizar Canal). Agora, qualquer outro Administrador de Organização dentro de um trust da a qual você obteve acesso para seu canal padronizado, pode permitir seus sistemas clientes instalarem e atualizarem pacotes do canal compartilhado. Caso você tenha um sistema subscrito em um canal compartilhado e o administrador organizacional do canal compartilhado modifique direitos de acesso ao canal, o sistema irá perder este canal. Se ele modificar um direito de canal base, o sistema não terá canal base na página Sistemas e não receberá atualizações Migrando Sistemas a partir de Uma Organização em Trust para Outra Além de compartilhar canais de software, as organizações em um trust podem migrar sistemas para outras organizações em trust, usando um utilitário chamado migrate-system-profile. O uso do migrate-system-profile é baseado na linha de comando e usa o systemids e orgids como argumentos para especificar o que está sendo transferido e a organização de destino. Para usar o comando migrate-system-profile, você precisa ter o pacote spacewalk-utils instalado. Você não precisa estar registrado no Satellite server para usar o migrate-systemprofile, no entanto, se você não o fizer, precisará especificar o hostname ou endereço de IP do servidor como uma opção de linha de comando. 75

79 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Quando uma organização migra um sistema com o comando migrate-system-profile, o sistema não carrega qualquer direito ou subscrições de canais anteriores de uma organização fonte. No entanto, o histórico do sistema é preservado e pode ser acessado pelo novo Organization Administrator, para simplificar o resto do processo de migração, o qual inclui subscrever à canais base e obter direitos Usando migrate-system-profile Ajustar o ID do sistema a ser migrado, o Id da organização do sistema para onde irá migrar e o hosthame ou o endereço IP do servidor Satellite se você está executando o comando de uma outra máquina. Depois que obtiver estes dados, o uso da linha de comando é este a seguir: migrate-system-profile --satellite {SATELLITE HOSTNAME OR IP} --systemid={system ID} --to-org-id={destination ORGANIZATION ID} Por exemplo, se o departamento Financeiro (criado como uma organização em RHN Satellite com o OrgID 2) quiser migrar uma estação de trabalho (com o SystemID ) a partir do departamento Engineering, mas o Organization Administrator de Finaças não possuir acesso de janela de comandos ao servidor RHN Satellite. O hostname do RHN Satellite será satserver.example.com. O Administrador de Organizações de Finanças digitaria o seguinte a partir da janela de comandos: migrate-system-profile --satellite satserver.example.com --systemid= to-org-id=2 O Administrador de Organização de Finaças, deverá fornecer seu username e senha (a menos que eles especifiquem usando --username= e --password= na linha de comando). O Organization Administrator de Finanças, conseguiria então ver o sistema a partir da página Sistemas ao se registrar na interface da web do RHN Satellite. O Organization Administrator de Finanças pode então finalizar o processo de migração atribuindo um canal base e obtendo direitos para o cliente como o faria com qualquer outro sistema registrado em sua organização, o qual está disponível a partir da página de Histórico do sistema na sub-aba Eventos. Figura 6.6. Histórico de Sistema O Satellite Administrator pode migrar um sistema a partir de uma organização em trust para qualquer outro em trust. No entanto, os Organization Administrators podem migrar um sistema somente a partir de sua própria organização para outra em trust. Satellite Administrators que precisam migrar diversos sistemas de uma só vez podem usar a opção -- csv do migrate-system-profile para automatizar o processo usando uma lista simples separada por vírgulas, do sistema para migrar. Uma linha no arquivo CVS deve conter o ID do sistema a ser migrado, assim como o ID da organização de destino no seguinte formato: systemid,to-org-id o systemid, por exemplo poderia ser , enquanto o to-org-id poderia ser 4. Portanto, um CSV compatível poderia se parecer com o seguinte: , , ,4 Para mais informações sobre como usar o migrate-system-profile consulte a página do manual, digitando man migrate-system-profile ou para uma tela de ajuda básica, digite migratesystem-profile -h Admin Usuários A página Usuários do Satellite contém uma lista de todos os usuários no Satellite, em toda as organizações. Você pode modificar somente os detalhe dos usuários da organização se você estiver registrado como o Organization Administrator. Clicando em Username exibirá a página Detalhes de Usuário. Consulte a Seção 4.9, Usuários para mais informações sobre configurações de usuário Admin Organizações Detalhes Usuários A sub-aba de Users lista os usuários atribuídos à organização, incluindo seus nomes reais, endereço de e uma marca indicando que o usuário é um administrador da organização. 76

80 Capítulo 6. Multiple Organizations (Múltiplas Organizações) Se você é o Administrador de Organização, clique no username para exibir a página Detalhes do Usuário para o usuário. Para instruções sobre gerenciamento de usuário, consulte a Seção , Lista de Usuário Ativo Detalhes de Usuário. Você deve estar registrado como Organization Administrator para editar os detalhes de Usuário para uma organização. O Satellite Administrator não pode editar os detalhes de usuário para usuários da organização. 77

81 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Capítulo 7. RHN Satellite and Virtualized Client Systems Para gerenciar e provisionar seus sistemas clientes, você deve primeiro sincronizar o conteúdo dos servidores centrais do RHN com seu Satellite. O RHN recomenda que você sincronize pelo menos os seguintes canais: Para Red Hat Enterprise Linux 5: Servidor Red Hat Enterprise Linux (v.5 for 32-bit x86) rhel-i386-server-5 (e todos os canais filhos) Ferramentas do Red Hat Network para RHEL Server (v. 5 for 32-bit x86) rhn-tools-rhel-i386- server-5 Virtualização do Servidor Red Hat Enterprise Linux ((v. 5 for 32-bit x86) rhel-i386-server-vt-5 (e todos os canais filhos) Para Red Hat Enterprise Linux 6: Red Hat Enterprise Linux Server (v. 6 for 64-bit x86_64) rhel-x86_64-server-6 (e todos os canais filhos) Ferramentas do Red Hat Network para o Servidor RHEL (v. 5 for 32-bit x86) rhn-tools-rhel-i386- server Configurando o Sistema Host para seus Sistemas Virtuais Antes de criar sistemas visitantes, você deve primeiro preparar seu sistema host. Para fazer isto, crie um perfil kickstart do Servidor Red Hat Enterprise Linux 5, depois use este perfil de kickstart para instalar o sistema operacional em sua máquina. Depois que estes passos forem concluídos, você poderá continuar a provisionar os hóspedes virtuais Criar um Perfil Kickstart para os Sistemas de hóspedes 1. Registre na interface da Web do Satellite. Navegue na tela Visão Geral do Kickstart, clicando no link Gerenciar Kickstarts em Tarefas no Seu RHN ou clique na aba Sistemas seguido da sub-aba Kickstart na barra de navegação da esquerda. 2. Na página Visão Geral do Kickstart clique no link Criar um Novo Perfil de Kickstart na Ações do Kickstart no canto superior da direita. 3. a. Digite uma etiqueta para seu perfil, a qual o permitirá distinguí-lo de outros perfis. Para as instruções restantes, pressupomos que a etiqueta seja host-system-for-virtualguests. b. Para o campo Canal Base selecione Red Hat Enterprise Linux (v.5 for $ARCH) (onde $ARCH é a arquitetura de seu sistema host). Você pode instalar o Red Hat Enterprise Linux 5 de 32 bits em um sistema host com 64 bits. Se você escolher fazer isto, tenha em mente que seus sistemas hóspedes devem também estar rodando com uma versão do Red Hat Enterprise Linux de 32 bits. c. No campo Árvore Kickstart selecione ks-rhel-$arch-server-5 onde $ARCH é a arquitetura do seu sistema de host. d. Por favor, selecione o campo Máquina Para-Virtualizada para o Tipo de Virtualização Se você estiver alterando o Tipo de Virtualização de um perfil kickstart existente, ele também pode modificar o carregador de inicialização e opções de partição, sobrescrevendo qualquer padronização de usuário. Assegure-se de revisar a aba Particionamento para verificar estas configurações ao alterar o Tipo de Virtualização. e. Por último, clique em Próximo no lado direito inferior de sua tela para continuar no passo seguinte. Como no passo anterior, se o local de download padrão estiver faltando, você pode não ter sicronizado o conteúdo do canal de software ao seu Satellite a partir dos servidores da Red Hat. 4. Para o Passo 2 do processo de criação do perfil do kickstart, selecione o local dos arquivos de distribuição para a instalação do seu sistema host. Já deve haver um Local de Download Padrão preenchido e selecionado para você nesta tela. Clique no botão Próximo nesta tela para prosseguir para o Passo 3. Como no passo anterior, se o local de download padrão estiver faltando, você pode não ter sincronizado o conteúdo do canal de software ao seu Satellite a partir do servidor da Red Hat com sucesso. 5. Para o Step 3 do processo de criação do perfil do kickstart, escolha uma senha root para configurar o sistema host que você irá provisionar e clique em Terminar para finalizar a criação do perfil. 6. Isto conclui a criação do perfil kickstart. Após concluir o Passo 3, você será encaminhado ao perfil do kickstart recém criado. Você pode navegar pelas abas do perfil, modificar configurações, mas isto não será necessário pois as configurações padrões funcionam bem para a maioria dos casos. Para conseguir iniciar remotamente e interromper o convidado utilizando ainterface da Web do Satellite, você precisará incluir o pacote acpid Realize o Kickstart do seu Sistema Host Depois disso, faça o kickstart do seu sistema host usando seu perfil kickstart recém criado. Existem três diferentes formas de fazer o kickstart do seu sistema host. Leia estas três formas abaixo e siga as instruções para aquela que mais se adequa à você: Seu Sistema Host não possui o Red Hat Enterprise Linux instalado Primeiro crie um CD de inicialização para iniciar o kickstart em seu sistema host. Você poderá usar o perfil kickstart que criamos nos passos anteriores para provisionar o host. Note que você deve ter um acesso físico à máquina que você pretende utilizar para seguir estes passos: 1. Você encontrará um ISO para criar um CD de inicialização para seu host, usando o comando ssh para se autenticar em seu Satellite. Ele se encontra no seguinte local em seu satellite: 78

82 Capítulo 7. RHN Satellite and Virtualized Client Systems /var/satellite/rhn/kickstart/ks-rhel-i386-server-5/images/boot.iso É possível usar uma chave USB de memória flash para inicializar seu sistema para realizar o kickstart. Consulte o Guia de Administração de Sistema do Red Hat Enterprise Linux (disponível no US/Red_Hat_Enterprise_Linux/index.html) para dicas sobre como fazer isto. Note que seu hardware do sistema host deve suportar inicialização através destes dispositivos. 2. Insira o CD de inicialização e reinicialize o sistema, assegurando-se de que o drive do CD-ROM está ajustado como dispositivo de inicialização primária no BIOS do sistema. 3. Após reiniciar, você deve se encontrar em uma janela de comando de inicialização. Digite o seguinte comando nesta janela para iniciar seu kickstart: linux \ ks=http://your-satellite.example.com/ks/label/the profile label you created earlier Para alguns sistemas, você deve precisar adicionar o ksdevice=eth0 ao comando acima ou desabilitar um de dois ou mais NICs no BIOS do sistema para evitar confusão durante o processo de kickstart. 4. O kickstart do seu sistema host será iniciado. É possível que leve até quinze minutos para concluir esta tarefa. Após a conclusão deste kickstart, você terá provisionado um sistema host do seu convidado virtual e registrado em seu Satellite Seu Sistema Host já possui um Red Hat Enterprise Linux 6 Instalado Registre seu sistema host em seu Satellite e verificar se os pacotes requisitados kvm estão instalados no sistema. Caso não estejam, instale-os usando o Satellite. Em um Red Hat Enterprise Linux 6, a virtualização é suportada somente em máquinas com 64 bits da Intel e AMD. O host de virtualização xennão está suportado no Red Hat Enterprise Linux Primeiro, registre seu sistema host em seu Satellite. Use o comando ssh para conectar ao seu sistema host. Regisre seu sistema host ao seu Satellite, enviando o seguinte comando como root: rhnreg_ks --serverurl=http://your-satellite.example.com/xmlrpc \ --username=username --password=password Se seu sistema host já estiver registrado em um servidor Red Hat Network diferente, adicione a opção --force ao comando acima. 2. Depois disso, abra o perfil do sistema host n interface da Web do Satellite. Autentique-se na interface da Web do seu Satellite no site https://your-satellite.example.com/. Clique na aba Sistemas na barra vermelha de navegação no topo. Você deve ver o sistema host que você acabou de registrar, clique no nome do perfil para acessar sua página de perfil do sistema. 3. Tenha a certeza de que seu sistema possui acesso aos canais de software que ele precisa para acessar o software solicitado para hospedar os hóspedes virtuais. A partir da página de perfil do seu sistema host, clique no link Alterar Subscrições de Canal no lado superior da direita da página do perfil sob o cabeçalho Canais Registrados. Selecione os ítens Virtualização do RHEL e Red Hat Network Ferramentas para o Servidor do RHEL e clique no botão Modificar Subscrições abaixo desta lista de canais. 4. Depois disso, verifique se você possui o software necessário instalado para hospedar o convidado virtual no sistema. No sistema host, digite o seguinte comando como usuário root: rpm -q qemu-kvm rhn-virtualization-host python-virtinst Se o rpm indicar que estes pacotes não estão instalados, você deve instalá-los rodando o seguinte comando como usuário root no sistema: yum install qemu-kvm rhn-virtualization-host python-virtinst 5. Reinicie a máquina para efetivação das alterações, ou use o comando modprobe apropriado para seu processador: modprobe kvm_intel ou: modprobe kvm_amd 6. Você também irá precisar instalar e rodar o pacote osad para que seu sistema host responda aos comandos enviados pelo Satellite, como o iniciar, pausar, resumir e fechar. Para instalar: yum install -y osad após a instalação, você deve iniciar o processo osad: /sbin/service osad restart 7. Seu sistema host deve agora estar pronto para o provisionamento do convidado virtual RHN Seu Sistema Host já possui um Red Hat Enterprise Linux 5 Instalado Você precisa registrar seu sistema host em seu Satellite e verificar se os pacotes requisitados xen ou kvm estão instalados no sistema. Caso não estejam, instale-os usando o Satellite. 1. Primeiro, registre seu sistema host em seu Satellite. Use o comando ssh para conectar ao seu sistema host. Regisre seu sistema host ao seu Satellite, enviando o seguinte comando como root: 79

83 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência rhnreg_ks --serverurl=http://your-satellite.example.com/xmlrpc \ --username=username --password=password Se seu sistema host já estiver registrado em um servidor Red Hat Network diferente, adicione a opção --force ao comando acima. 2. Depois disso, abra o perfil do sistema host n interface da Web do Satellite. Autentique-se na interface da Web do seu Satellite no site https://your-satellite.example.com/. Clique na aba Sistemas na barra vermelha de navegação no topo. Você deve ver o sistema host que você acabou de registrar, clique no nome do perfil para acessar sua página de perfil do sistema. 3. Tenha a certeza de que seu sistema possui acesso aos canais de software que ele precisa para acessar o software solicitado para hospedar os hóspedes virtuais. A partir da página de perfil do seu sistema host, clique no link Alterar Subscrições de Canal no lado superior da direita da página do perfil sob o cabeçalho Canais Registrados. Selecione os ítens Virtualização do RHEL e Red Hat Network Ferramentas para o Servidor do RHEL e clique no botão Modificar Subscrições abaixo desta lista de canais. 4. Depois disso, verifique se você possui o software necessário instalado para hospedar o convidado virtual no sistema. No sistema host, digite o seguinte comando como usuário root: rpm -q xen kernel-xen rhn-virtualization-host Para o kvm, digite o seguinte comando como root: rpm -q kvm kmod-kvm rhn-virtualization-host python-virtinst Se o rpm indicar que estes pacotes não estão instalados, você deve instalá-los rodando o seguinte comando como usuário root no sistema: yum install xen kernel-xen rhn-virtualization-host Para os usuários kvm instale executando o seguinte comando como root: yum install kvm kmod-kvm rhn-virtualization-host python-virtinst Para o Xen, você então precisará editar o arquivo de configuração /etc/grub.conf para inicializar o novo kernel xen por padrão. Para fazer isto, selecione as linhas no grub.conf relativas ao xen kernel desde o início da linha title até o final da linha initrd, copie as linhas, delete-as e cole-as para que sejam a primeira entrada do kernel no grub.conf. Assegure-se também de que a variável padrão no topo do grub.conf está ajustada para o valor '0'. Se você já atualizaou o kernel no sistema host, o kernel padrão será o escolhido durante a reinicialização. Para assegurar que o kernel do Xen é escolhido por padrão, mude o seguinte valor no arquivo /etc/sysconfig/kernel: DEFAULTKERNEL=kernel Mude o valor para kernel-xen: DEFAULTKERNEL=kernel-xen 5. Reinicie a máquina para efetivação das alterações, ou use o comando modprobe apropriado para seu processador: modprobe kvm_intel ou: modprobe kvm_amd 6. Reinicie o sistema, inicie-o no xen kernel. O sistema não deve ser inicializado automaticamente no xen kernel na reinicialização mas se você quiser ter certeza de que ele existe para o propósito de solução de problemas, use o comando uname -r para ver se o kernel que está sendo executado é um xen kernel. Se você não conseguir ver a faixa xen no nome do kernel, significa que você não inicializou no kernel correto. Se o sistema já tiver um xen e um kernel-xen instalado, você não precisará reinicializar após instalar o rhn-virtualization-host. 7. Você também irá precisar instalar e rodar o pacote osad para que seu sistema host responda aos comandos enviados pelo Satellite, como o iniciar, pausar, resumir e fechar. Para instalar: yum install -y osad após instalação, você deve então iniciar o processo osad: /sbin/service osad restart 8. Seu sistema host deve agora estar pronto para o provisionamento do convidado virtual RHN Configurando Seus Sistemas Virtuais. Para que funcione com os sistemas de convidados virtuais, você deve criar um perfil kickstart que permitirá que você provisione os convidados virtuais mais facilmente, depois você deve provisionar os convidados Crie o Perfil do Kickstart para os Sistemas Convidados 1. Auntentique-se na interface da Web do Satellite. Vá para a tela Visão Geral do Kickstart clicando no link Gerenciar os Kickstarts em Tarefas no Visão Geral ou clicando em Sistemas na barra de navegação do topo Kickstart da barra de navegação da esquerda. 2. Na página Visão Geral do Kickstart, clique no link Criar um novo Perfil do Kickstart em Ações do Kickstart 3. A próxima página exibida é o Passo 1 do processo de criação do perfil kickstart: a. Insira uma etiqueta para o perfil para distingui-lo de outros perfis. Uma ótima escolha seria guest-system. b. Para o campo Canal Base, selecione Red Hat Enterprise Linux $PRODUCT (v.5 for $ARCH) onde $ARCH é a arquitetura de seu sistema operacional do sistema host e $PRODUCT é o Servidor ou o Cliente. 80

84 Capítulo 7. RHN Satellite and Virtualized Client Systems Red Hat Enterprise Linux Client 5 ou 6 pode não estar disponível para seleção se você não sincronizou os canais de software Client ao seu Satellite. Por favor note que os rótulos de canais para o Desktop Red Hat Enterprise Linux 5 ou 6 e Red Hat Enterprise Linux 5 ou 6 se refere a 'servidor' e 'cliente' respectivamente. c. Para o campo Kickstartable Tree, você deve selecionar o ks-rhel-$arch- $PRODUCT-5 onde $ARCH é a arquitetura do seu sistema host e $PRODUCT é tanto o 'servidor' quanto o 'cliente', dependendo do produto com o qual você deseja provisionar seu hóspede. d. Selecione Convidado Para-Virtualizado para o campo Tipo de Virtualização. Se você estiver alterando o Tipo de Virtualização de um perfil kickstart existente, ele também pode modificar o carregador de inicialização e opções de partição, sobrescrevendo qualquer padronização de usuário. Assegure-se de revisar a aba Particionamento para verificar estas configurações ao alterar o Tipo de Virtualização. e. Por último, clique em Próximo no lado direito inferior de sua tela para continuar no passo seguinte. 4. Para o Passo 2 do processo de criação do perfil do kickstart, selecione o local de arquivos de distribuição para a instalação de seu sistema convidado. Já deveria haver um Local de Download Padrão preenchido e selecionado para você nesta tela. Clique no botão Next nesta tela para continuar no Passo 3. Como no passo anterior, se o local de download padrão estiver faltando, você pode não ter sicronizado o conteúdo do canal de software ao seu Satellite a partir dos servidores da Red Hat. 5. Para o Passo 3 do processo de criação do perfil do kickstart, escolha uma senha root para o sistema convidado que você está provisionando e clique em Next para finalizar a criação do perfil. Isto completa a criação do perfil do kickstart. Após a complexão do Passo 3, você deve ter sido encaminhado para os detalhes do perfil. Você poderá navegar através das diversas abas do perfil e modificar as configurações, embora talvez não seja necessário pois as configurações padrão devem funcionar bem para a maioria dos casos. Embora a interface permita que você aloque menos, nós recomendamos que você aloque ao menos 2 GB de armazenamento para seu sistema convidado com o perfil kickstart Provisionar seus Sistemas Convidado 1. Registre-se na interface do Web do Satellite. Navegue até o perfil do sistema host clicando na aba Sistemas na barra de navegação no topo e clique no nome do sistema. 2. Para agendar o kickstart para um sistema convidado, vá até a aba Virtualização Provisionamento no perfil do seu sistema host. Para o campo Nome do Convidado, selecione convidado1. Para a Alocação da Memória, CPUs Virtuais e Armazenamento, os valores padrões devem estar corretos. Modifique-os se desejar, levando em consideração a nota para cada campo na interface. Para o campo Perfil do Kickstart, selecione o perfil do sistema convidado que criamos no passo anterior. 3. Por último, clique em Agendar Kickstart e Finalizar no canto inferior da direita de sua tela. Você será encaminhado para a página Estado do Kickstart onde você pode seguir com o progresso do kickstart de convidado. Após dez ou quinze minutos, a tela do status deve indicar que o kickstart foi concluído com sucesso. Para visualizar seu novo convidado, clique na aba Virtualização do perfil do sistema host no Satellite. Para visualizar uma lista de sistemas host virtuais indicando qual sistema convidado está hospedado em cada um, vá até Sistemas Sistemas Sistemas Virtuais. Se você não conseguir visualizar mensagem do convidado Iniciar um kickstart para um Xen na página Status do Kickstart, você não terá o osad em sua máquina. Os sistemas host requerem o pacote osad para que responda aos comandos enviados pelo Satellite, tais como iniciar, pausar, resumir e fechar. Se o osad não estiver instalado e rodando, o sistema host não receberá estes comandos da interface da Web por 2.5 horas ou da próxima vez que o daemon do RHN seja executado. Você poderá checar se o osad está ou não sendo instalado, verificando o campo OSA Status no perfil do sistema host no Satellite. Caso o campo não existir ou indicar falha de que o sistema não contactou o Satellite por vários minutos, você precisará instalar o yum (usando o comando yum install -y osad) antes que você possa provisionar um convidado com sucesso na máquina. Você pode receber a seguinte mensagem da página Status do Kickstart durante o kickstart do convidado: O processo de instalação no sistema convidado não se comunicou com o RHN nos últimos minutos. Isto pode ocorrer devido a um processo de espera de instalação, ou pode ser somente devido à uma demora na instalação por causa de restrições do hardware. Está disponível um registro de processo de instalação, você pode querer revisá-lo para solucionar este problema. Seja paciente, não se preocupe se você não consegue visualizar esta mensagem, a não ser que tenha se passado mais de vinte minutos. Para verificar se o kickstart está continuando, verifique o registro de instalação para assegurar que não existem erros e à medida que você recarregar a página do Status do Kickstart, verifique se o campo Última Solicitação do continua sendo atualizado. 81

85 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência 4. Se você desejar registrar hóspedes adicionais em sua máquina, repita os passos acima. É importante que você se lembre que você só pode provisionar um convidado por vez. Se você tentar agendar um kickstart de convidado junto com um outro, o processo de kickstart de convidado atual será cancelado e o processo de kickstart do convidado será iniciado. 5. Visualize seu sistema de convidado virtual recém criado na interface da Web do Satellite, clicando na aba Virtualização no perfil do sistema host. Depois, clique no nome do perfil de seu sistema virtual. Você será levado ao seu perfil de sistema Satellite Gerenciando seus Direitos a Hóspedes Virtuais O Satellite Server possui o recurso de direitos Flex Guest que permitem a você a atribuir direitos para seus hóspedes virtuais sem consumir um direito padrão reservado para sistemas físicos. Para gerenciar seus direitos de Guest Flex (Hóspedes Flex), clique em Visão Geral -> Gerenciamento de Subscrição -> Direitos a Virtualização -> Consumidores de Direitos Flex Guest Para encontrar e converter quaisquer hóspedes virtuais que consumam direitos padrões, clique na sub aba Hóspedes Consumindo Direitos Regulares Trabalhando com seus Sistemas Virtuais. Depois que você configurar seu sistema virtual, você poderá gerenciar e padronizá-los utilizando de diversos métodos, inclusive conectando via SSH e via interface de gerenciamento do componente de virtualização no sistema host. Esta seção lida primieramente com os hosts xen. No Red Hat Enterprise Linux 6, o xen é suportado e o kvm é o método recomendado de virtualização Autenticando nos Sistemas Virtuais Diretamente através do SSH 1. Você precisará localizar o endereço IP do sistema virtual. Localize-o, navegando na aba Sistemas Sistemas Virtuais e clique no nome do perfil do sistema virtual. 2. Na página do perfil de sistema virtual, você encontrará o endereço IP na coluna informacional da esquerda no campo Endereço IP. 3. Conecte-se ao endereço IP, usando o comando ssh como usuário root, usando a senha que você estabeleceu para o sistema virtual no perfil do kickstart que você criou anteriormente Obtendo Acesso de Console Através do Host. 1. Primeiro, você precisará se conectar ao sistema host e determinar o número ID do convidado que você deseja trabalhar. Conecte-se ao sistema host através do ssh e execute o seguinte comando: xm list Uma lista deverá ser fornecida com todos os hóspedes que você criou em seu Satellite, incluindo seu número ID. Procure pelo convidado, guest1, que você criou anteriormente nesta lista. Se, por exemplo, este convidado foi atribuído com um ID de 2, então: 2. Rode o seguinte comando para acessar o console deste sistema virtual: xm console 2 Você será capaz de visualizar imediatamente uma janela de registro no convidado1. 3. Autentique-se no convidado1 como usuário root, usando a mesma senha que você estabeleceu no perfil do kickstart que você usou para provisionar o sistema. (Podem haver algumas mensagens nesta tela. Neste caso, pressione a tecla Enter de seu teclado para receber uma janela de registro atualizada). 4. Para sair do console de convidado e retornar à janela de comando do sistema host, você deve pressionar as teclas Ctrl e ] de seu teclado simultaneamente Instalando o Software Através da Interface da Web do Satellite 1. Navegue pelo perfil do sistema virtual na sua interface da Web do Satellite, registrando-se e navegando em Sistemas Sistemas Sistemas Virtuais e clicando no nome de seu perfil de sistema virtual. 2. No perfil de sistema virtual, clique em Software Pacotes. 3. Clique em Instalar Novos Pacotes no menu da aba Pacotes. 4. Selecione os pacotes que você deseja instalar e clique no botão Instalar Pacotes Selecionados no canto inferior da direita da tela. 5. Reveja os detalhes da instalação do pacote e clique em Confirmar no canto inferior da direita da tela. 6. Esta instalação de pacote será efetuada da próxima vez que o sistema de convidado iniciar o Satellite. Para forçar que uma instalação seja efetuada imediatamente, você deve executar o comando rhn_check no sistema convidado Instalando o Software Através do Yum a partir do Sistema Virtual Seu sistema virtual foi registrado em seu Satellite como parte do processo de provisionamento do convidado, portanto você pode simplesmente usar o comando yum para instalar e atualizar o software. Por exemplo, para instalar o editor de texto vim, digite o seguinte comando: yum install -y vim-enhanced Reiniciando Hóspedes nas Reinicializações do Host. Por padrão, quando um sistema host reinicia, os visitantes não são reinicializados e devem ser inicializados manualmente pelo administrador. No entanto, o serviço rhn-virtualization-host pode reiniciar hóspedes automaticamente no caso de um reinicialização do sistema host. Para usar este serviço, siga estes passos: 1. Localize o arquivo de configuração do convidado no host em /etc/sysconfig/rhn/virt/. Ele será nomeado pelo UUID, mas o arquivo correto pode ser encontrado usando-se o comando grep para pesquisar nomes de hóspedes dentro dos arquivos UUID. 2. Quando você já tiver encontrado o arquivo UUID correspondente ao seu sistema convidado, crie um link simbólico a partir do arquivo UUID no diretório /etc/sysconfig/rhn/virt/auto/ ln -s /etc/sysconfig/rhn/virt/guest_uuid.xml /etc/sysconfig/rhn/virt/auto/ Removendo os Sistemas Virtuais Remover um sistema virtual é um processo que contém diversos passos. 82

86 Capítulo 7. RHN Satellite and Virtualized Client Systems 1. Primeiro você deve fechar o sistema virtual que você deseja remover. Você pode fazer isto navegando pelo perfil do sistema host na interface da Web do Satellite, clicando na aba virtualização e selecionando os sistemas virtuais que você deseja remover. Finalize, fechando o sistema, clicando em Fechar Sistemas na parte inferior da tela. 2. Depois, remova o sistema virtual do Satellite. Isto será concluído ao selecionar o sistema virtual e ao clicar no botão Remover Sistema na parte inferior da tela. Por favor, aguarde alguns minutos entre o fechamento do sistema virtual e a remoção dele. Caso contrário, o sistema virtual poderá não fechar propriamente e você o removerá enquanto ele estiver rodando. Se você remover um sistema virtual do Satellite enquanto ele estiver rodando, ele reaparecerá no Satellite da próxima vez que você iniciá-lo. Caso isto aconteça, simplesmente feche o sistema, aguarde dois minutos e o remova novamente. 3. Remova a imagem de disco do sistema virtual que você deseja remover. Você encontrará a imagem de disco para convidado1, por exemplo, no local a seguir no sistema host: /var/lib/xen/disk-images/guest1.disk Remova-o com o seguinte comando: rm /var/lib/xen/disk-images/guest1.disk 4. Por último, você deve remover os arquivos de configuração RHN do sistema host. Para localizar o arquivo de configuração do RHN para convidado1, execute o seguinte comando: grep guest1 /etc/sysconfig/rhn/virt/*.xml Depois disso, remova o arquivo indicado. Por exemplo: rm /etc/sysconfig/rhn/virt/14e5cfbf ad74b260c2f6b.xml 5. O sistema convidado foi removido com sucesso de seu sistema host e do Satellite. 83

87 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Capítulo 8. Cobbler RHN Satellite apresenta o servidor Cobbler, o qual permite que os administradores centralizem suas instalações e infraestrutura de provisionamento do sistema. O Cobbler é um servidor de instalação que reúne diversos métodos de instalações de sistemas sem assistência, seja ele um servidor, uma estação de trabalho, ou sistemas convidados em um ambiente totalmente ou parcialmente virtualizado. O Cobbler possui diversas ferramentas que servem de guia na pré-instalação, gerenciamento de arquivo do kickstart, gerenciamento do ambiente de instalação, entre outros. Os recursos do Cobbler incluem: Análise do ambiente de instalação usando o comando cobbler check. Configuração de servidor de instalação multi-site com o cobbler replicate A criação do modelo do kickstart e gerenciamento usando o motor do modelo Cheetah e Kickstart Snippets Automação da instalação da convidado Virtual da máquina com a ferramenta do Cliente koan Requerimentos do Cobbler Para usar o Cobbler como um servidor de inicialização do PXE, você deve verificar as seguintes diretrizes: Se você planejar usar o Cobbler para instalar sistemas usando o PXE, é necessário que o tftpserver esteja instalado e configurado. Se você planeja usar o Cobbler para sistemas de inicialização do PXE para instalação, é necessário que tenha a habilidade de agir como um servidor DHCP para a inicialização do Cobbler PXE ou que acesse seu servidor de rede DHCP /etc/dhcp.conf para modificar o next-server para hostname ou endereço IP de seu servidor Cobbler Configurando Cobbler com o /etc/cobbler/settings A Configuração do Cobbler é realizada principalmente dentro do arquivo /etc/cobbler/settings. O arquivo contém diversas configurações ajustáveis e oferece informações detalhadas sobre como cada configuração afeta a funcionalidade do Cobbler e caso seja recomendado aos usuários que modifiquem suas configurações de seus ambientes. A maioria das configurações podem ser deixadas como padrão e o Cobbler irá executá-las apropriadamente. Para mais informações sobre como configurar Cobbler, consulte o arquivo /etc/cobbler/settings, o qual documenta cada configuração detalhadamente Serviços Requeridos para o Cobbler Existem alguns serviços que o Cobbler necessita. Estes serviços deverão ser habilitados para o Cobbler funcionar corretamente Configurando o Cobbler com o DHCP O Cobbler suporta instalação dos sistemas configurados do kickstart desde o início, para realizar inicializações de rede usando um servidor de inicialização PXE. Para implementar adequadamente um servidor de instalação do Cobbler, administradores precisam ter acesso administrativo ao servidor de rede do DHCP ou implementar o DHCP no próprio servidor Cobbler Configurando um Servidor DHCP Existente Se você tiver um servidor DHCP implementado em outro sistema na rede, você precisará de acesso administrativo ao servidor DHCP para que possa editar o arquivo de configuração do DHCP. Dessa forma ele aponta para o servidor do Cobbler e para a imagem de inicialização do PXE. Como usuário root no servidor do DHCP, edite o arquivo /etc/dhcpd.conf e adicione uma nova classe com opções para realizar a instalação da inicialização do PXE. Por exemplo: allow booting; allow bootp; class "PXE" { match if substring(option vendor-class-identifier, 0, 9) = "PXEClient"; next-server ; filename "pxelinux.0"; } Seguindo passo-a-passo no exemplo acima: 1. O administrador ativa a inicialização de rede com o protocolo do bootp. 2. Depois, o administrador cria uma classe chamada PXE. Um sistema o qual é configurado para obter um PXE primeiro em sua prioridade de inicialização se identificará como PXEClient. 3. Depois o servidor do DHCP direciona o sistema para o servidor Cobbler no Finalmente, o servidor do DHCP busca o arquivo de inicialização pxelinux Configurando o Xinetd e TFTP para o Cobbler O Xinetd é um daemon que gerencia um conjunto de serviços, incluindo TFTP, o servidor FTP usado para transferir a imagem de inicialização para um cliente PXE. Para configurar o TFTP, ative primeiro o serviço através do Xinetd. Para fazer isto, edite o arquivo /etc/xinetd.d/tftp como usuário root e modifique a linha disable = yes para disable = no Antes do TFTP iniciar seus serviços à imagem de inicialização do pxelinux.0, inicie o serviço Xinetd. chkconfig --level 345 xinetd on /sbin/service xinetd start O comando chkconfig ativa o serviço do xinetd para todos os níveis de execução de usuários, enquanto o comando /sbin/service ativa xinetd imediatamente Configurando o SELinux e o IPTables para o Suporte Cobbler. O Red Hat Enterprise Linux é instalado com o suporte do SELinux além de assegurar o firewall ativado por padrão. Para configurar corretamente um servidor Red Hat Enterprise Linux e utilizar o Cobbler, configure primeiro estas seguranças de sistemas e redes para permitir conexões com o Servidor Cobbler Configuração do SELinux Para ativar o SELinux para suporte do Cobbler, ajuste o booleano do SELinux para permitir componentes de serviço da web HTTPD. Execute o seguinte comando como usuário root no servidor Cobbler: setsebool -P httpd_can_network_connect true A opção -P é essencial, pois ele ativa a conexão do HTTPD de forma persistente em todas as reinicializações do sistema Configuração de IPTables Depois que você configurar o SELinux, configure o IPTables para permitir o tráfego de rede de entrada e saída no servidor do Cobbler. Caso possua um conjunto de regras do firewall existente usando IPTables, adicione as seguintes 84

88 Capítulo 8. Cobbler regras para abrir portas relacionadas ao requisito do Cobbler. Segue uma lista de cada uma das regras de requisito com seus serviços associados. Para TFTP: /sbin/iptables -A INPUT -m state --state NEW -m tcp -p tcp --dport 69 -j ACCEPT /sbin/iptables -A INPUT -m state --state NEW -m udp -p udp --dport 69 -j ACCEPT Para HTTPD: /sbin/iptables -A INPUT -m state --state NEW -m tcp -p tcp --dport 80 -j ACCEPT /sbin/iptables -A INPUT -m state --state NEW -m tcp -p tcp --dport 443 -j ACCEPT Para o Cobbler e Koan XMLRPC: /sbin/iptables -A INPUT -m state --state NEW -m tcp -p tcp --dport j ACCEPT Depois que estas regras de firewalls forem inseridas, lembre-se de salvar a configuração do firewall: /sbin/iptables-save 8.2. Sincronizando e Iniciando o Serviço Cobbler Depois que atingir todos os pre-requisitos especificados em cobbler check, você poderá iniciar o Serviço Cobbler. Inicie o servidor Satellite com o seguinte comando: /usr/sbin/rhn-satellite start Aviso Não inicie ou interrompa o serviço cobblerd, independente do serviço do Satellite que possuir, pois poderá acarretar muitos erros entre outros problemas. Sempre use o /usr/sbin/rhn-satellite para iniciar ou interromper o RHN Satellite Adicionando uma Distribuição ao Cobbler Se todos os pré-requisitos do Cobbler forem preenchidos e o Cobbler estiver em execução agora, você poderá então começar a adicionar uma distribuição para o Cobbler, caso você possua o conteúdo do servidor Cobbler. Para informações sobre como criar e configurar distribuições do kickstart a partir da interface do RHN Satellite, consulte a Seção , Kickstart Distribuições. Segue instruções de uso do cobbler para criar uma distribuição a partir da linha de comando: cobbler distro add --name=string --kernel=path --initrd=path A opção --name=string é um rótulo usado para diferenciar uma opção distro de outra ( por exemplo, rhel5server) A opção --kernel=path especifica o caminho para o arquivo de imagem do kernel A opção --initrd=path especifica o caminho para o arquivo de imagem do ramdisk inicial (initrd) Adicionando um Perfil ao Cobbler Depois que você configurar uma distribuição ao Cobbler, adicione os perfis. Os perfis do Cobbler associam uma distribuição à opções adicionais, como arquivos do kickstart. Os perfis são a unidade central do provisionamento e deve haver ao menos um perfil Cobbler para cada distribuição adicionada. Por exemplo, dois perfis devem ser criados por um servidor da web e uma configuração do desktop. Embora ambos perfis usam o mesmo distro, os perfis são para tipos de instalações diferentes. Para informações sobre como criar e configurar perfis do kickstart a partir da interface do RHN Satellite, consulte a Seção , Perfis de Kickstart. Segue abaixo o uso do cobbler para criar perfis a partir da linha de comando: cobbler profile add --name=string --distro=string [--kickstart=url] [--virt-filesize=gigabytes] [--virt-ram=megabytes] A opção --name=faixa é um rótulo único para o perfil, tal como rhel5webserver ou rhel4workstation. A opção --distro=string especifica a distribuição que será usada para este perfil específico. As distribuições são adicionadas na Seção 8.3, Adicionando uma Distribuição ao Cobbler. A opção --kickstart=url especifica o local do arquivo do kickstart (caso esteja disponível). A opção --virt-file-size=gigabytes permite que você ajuste o tamanho da imagem do arquivo do convidado virtual. O padrão é 5 gigabytes caso não seja especificado. A opção --virt-ram=megabytes especifica quantos megabytes de RAM física que um sistema convidado virtual pode consumir. O padrão é 512 megabytes, caso não seja especificado Adicionando um Sistema ao Cobbler Depois que as distribuições e perfis para o Cobbler forem criadas, você pode adicionar sistemas ao Cobbler. A gravação do sistema mapeia uma parte do hardware em um cliente com o perfil cobbler atribuído para executar nele. Se você estiver realizando o provisionamento através dos menus do koan e PXE, não é necessário criar gravações de sistemas, apesar de serem úteis quando o modelo do kickstart de sistema específico é solicitado ou para estabelecer que um sistema específico deve sempre receber um conteúdo específico instalado. Caso planeje uma função específica para um cliente específicado, as gravações de sistemas devem ser criadas para ele. Para informações sobre como criar e configurar kickstarts a partir da interface do RHN Satellite, consulte a Seção , Detalhes do Sistema (System Details) Provisioning. A comando a seguir adiciona um sistema à configuração do Cobbler: 85

89 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência cobbler system add --name=string --profile=string --mac=aa:bb:cc:dd:ee:ff A opção --name=faixa é o rótulo único para o sistema, tal como engineeringserver ou frontofficeworkstation. A opção --profile=string especifica um dos nomes de perfil adicionado em Seção 8.4, Adicionando um Perfil ao Cobbler. A opção --mac=aa:bb:cc:dd:ee:ff permite sistemas com o endereço MAC especificado para serem provisionados automaticamente ao perfil associado com a gravação do sistema, caso eles estejam em kickstart. Para mais opções, tais como configurar hostname ou endereços IP, consulte o manpage do Cobbler, digitando man cobbler na janela de comandos Modelos do Cobbler Dentro da interface da web do RHN Satellite, existem recursos para criar variantes para o uso com distribuições do kickstart e perfis. Por exemplo, para criar uma variante do perfil do kickstart, consulte a Seção , Detalhes do Kickstart Variantes. As variantes do kickstart são parte de uma mudança de infraestrutura no Satellite para suportar o templating nos arquivos do kickstart. No contexto dos arquivos do kickstart, os modelos são arquivos que possuem descrições usadas para construir arquivos atuais do kickstart, ao invés de criar kickstarts específicos. Este modelos são então compartilhados por diversos perfis e sistemas que possuem suas próprias variantes e valores correspondentes. Estas variantes modificam o modelo e software chamado de template engine (motor de modelo), analisa o modelo e dados da variante em um arquivo do kickstart. O Cobbler usa um motor de modelo avançado chamado Cheetah que provê suporte para modelos, variantes e snippets. Vantagens em se usar os modelos incluem: Recursos robustos que permitem que administradores criem e gerenciem uma grande quantidade de perfis ou sistemas sem duplicação ou esforço ou sem criar kickstarts manualmente para todas as situações. Embora modelos possam se tornar complexos e envolver loops, condicionais entre outros recursos aprimorados e sintaxe, eles também podem ser usados simplesmente para criar arquivos de kickstart sem tal complexidade Usando Modelos (Templates) Os modelos do kickstart podem ter valores estáticos para certos ítens comuns tais como nomes de arquivos de imagem PXE, endereços de subrede e caminhos comuns como /etc/sysconfig/network-scripts/. No entanto, os modelos se diferem dos arquivos de kickstart padrão no uso de suas variantes. Por exemplo, um arquivo de kickstart padrão pode ter uma passagem de rede que se assemelhe à esta: network --device=eth0 --bootproto=static --ip= netmask= gateway= nameserver= No entanto, em um arquivo de modelo de kickstart, a passagem de rede pode ser semelhante à esta: network --device=$net_dev --bootproto=static --ip=$ip_addr --netmask= gateway=$my_gateway --nameserver=$my_nameserver Estas variantes serão substituídas com o conjunto de valores em suas variantes de perfil do kickstart ou em suas variantes de detalhes de sistema. Caso as variantes sejam as mesmas definidas em ambos perfil e detalhes de sistema, a variante de sistema tem prioridade. Para mais informações sobre modelos de kickstart, consulte a página de projeto do Cobbler no seguinte endereço eletrônico: https://fedorahosted.org/cobbler/wiki/kickstarttemplating Kickstart Snippets Caso você tenha configurações comuns que sejam as mesmas em todos os modelos do kickstart e perfis, utilize o recurso Snippets do Cobbler para tirar vantagem da reutilização do código. Os snippets do kickstart são seções de código de kickstart que podem ser chamadas por uma função $SNIPPET() que será analisada pelo Cobbler e substituirá a chamada de função com o conteúdo do snippet. Por exemplo, se você tiver uma configuração de partição de disco rígido para todos os servidores, tal como: clearpart --all part /boot --fstype ext3 --size=150 --asprimary part / --fstype ext3 --size= asprimary part swap --recommended part pv.00 --size=1 --grow volgroup vg00 pv.00 logvol /var --name=var vgname=vg00 --fstype ext3 --size=5000 Você pode pegar o snippet, salvá-lo em um arquivo (tal como my_partition e colocar o arquivo em /var/lib/cobbler/snippets/ para que o Cobbler possa acessá-los. Você pode então usar o snippet através da função $SNIPPET() em seus modelos de kickstart. Por exemplo: $SNIPPET('my_partition') Quando você invocar esta função, o analisador do Cheetah irá substituir a função pelo snippet do código contido no arquivo my_partition. Para mais informações sobre os snippets do kickstart, consulte a página do projeto Cobbler na seguinte URL: https://fedorahosted.org/cobbler/wiki/kickstartsnippets 8.7. Usando o Koan Esteja você provisionando convidados em uma máquina virtual ou reinstalando uma nova distribuição em um sistema em execução, o koan funciona em conjunto com o Cobbler para prover sistemas imediatamente Usando o Koan para Prover Sistemas Virtuais Se você criou um perfil de máquina virtual como documentado na Seção 8.4, Adicionando um Perfil ao Cobbler, você poderá usar o koan para iniciar a instalação de um convidado virtual em um sistema. 86

90 Capítulo 8. Cobbler Por exemplo, digamos que você criou um perfil do Cobbler tal como este a seguir: cobbler add profile --name=virtualfileserver --distro=rhel-i386-server-5 --virtfile-size=20 --virt-ram=1000 Este perfil é para um servidor de arquivos executando um Red Hat Enterprise Linux 5 com tamanho de imagem de 20GB e com 1GB de RAM de sistema. Para encontrar o nome de um perfil de sistema convidado virtual, execute o seguinte com koan: koan --server=hostname --list=profiles Este comando lista todos os perfis disponíveis criados com o cobbler profile add. Depois, inicie o processo de criação do arquivo da imagem e iniciação da instalação do sistema do convidado virtual. koan --virt --server=cobbler-server.example.com --profile=virtualfileserver -- virtname=marketingfileserver O comando especifica que um sistema do convidado virtual pode ser criado a partir do servidor do Cobbler (hostname cobbler-server.example.com) usando o perfil virtualfileserver. A opção virtname especifica um rótulo para o convidado virtual, o qual por padrão é rotulado com endereços MAC de sistemas. Depois da instalação do convidado virtual concluída, ele pode ser usado como qualquer outro sistema de convidado virtual Usando o Koan para Reinstalar os Sistemas de Execução É possível que haja instâncias onde você precise reinstalar uma máquina com outro sistema operacional enquanto ele estiver rodando. O koan pode ajudá-lo substituindo de forma destrutiva um sistema em execução por uma nova instalação de perfis do Cobbler disponíveis. Para substituir um sistema em execução e instalar um novo, execute o seguinte comando no próprio sistema: koan --replace-self --server=hostname --profile=name Este comando, quando executado em um sistema a ser modificado, ele irá iniciar o processo do provisionamento e substituir seu próprio sistema usado o perfil em --profile=name no servidor do Cobbler especificado em --server=hostname. 87

91 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Capítulo 9. Guia de Suporte ao UNIX 9.1. Introdução Este capítulo documenta o procedimento de instalação das funcionalidades do Red Hat Network e identifica suas diferenças quando usadas para administrar sistemas clientes baseados no UNIX. O RHN oferece suporte para ajudar seus clientes a migrar do UNIX para o Linux. Devido ao escopo limitado desta tarefa, as funcionalidades oferecidas para administrar clientes UNIX não são tão detalhadas quanto àquelas disponíveis para administrar sistemas Red Hat Enterprise Linux. As seções seguintes especificam as variantes do UNIX suportadas, as funcionalidades do RHN suportadas pelo sistema de administração UNIX, os pré-requisitos para administrar um sistema UNIX pelo RHN, assim como o procedimento de instalação para clientes UNIX Variantes do UNIX Suportadas As seguintes variantes, versões e arquiteturas do UNIX são suportadas pelo RHN Satellite : Tabela 9.1. Versões, Arquiteturas e Solaris Suportados Versão Solaris sun4 m sun4 d sun4 u sun4 v sun4 us x86 Solaris 8 yes no yes n/a no no Solaris 9 yes n/a yes n/a no yes Solaris 10 n/a n/a yes yes no yes Pré-requisitos Estes itens são necessários para obter suporte ao UNIX: RHN Satellite 5.0 ou posteriores Um certificado Satellite com direitos de Administração (management) Direitos de Gerenciamento (Management) para cada cliente UNIX Os pacotes do RHN para UNIX, incluindo python, pyopenssl e os pacotes Cliente do Red Hat Network. Os pacotes Sunfreeware adicionais que trazem bibliotecas de suporte. Alguns destes pacotes são distribuídos através do RHN Satellite. Consulte a Seção 9.3.1, Baixando e Instalando os Pacotes Adicionais. para ver a lista completa Funcionalidades Inclusas As seguintes funcionalidades, partes integrantes do RHN, estão inclusas no nível de serviço suporte ao UNIX: O Daemon de Serviços do Red Hat Network (rhnsd), que ativa o rhn_check, conforme um intervalo configurável O Red Hat Network Configuration Client (rhncfg-client), que executa todas as ações de configuração agendadas pelo Satellite O Red Hat Network Configuration Manager (rhncfg-manager), que permite a administração via linha de comando dos canais de configuração do RHN O programa rhn_check, que faz checkin no Satellite e executa todas as ações agendadas pelo servidor Todas as funcionalidades do nível Gerenciamento (Management), como agrupamento de sistemas, comparação de perfis de pacotes e o uso do Gerenciador de Conjunto de Sistemas (System Set Manager) para administrar sistemas múltiplos de uma só vez Uma funcionalidade de Provisionamento (Provisioning) chamada Comando Remoto (Remote Command), que possibilita a usuários agendar comandos de nível root em qualquer cliente administrado através do site do Satellite, se o cliente permitir esta ação Diferenças nas Funcionalidades As seguintes funcionalidades do RHN funcionam diferentemente num ambiente UNIX: O Red Hat Update Agent para o UNIX oferece uma gama bem menor de opções que seu semelhante do Linux e baseia-se no conjunto de ferramentas nativo do sistema operacional para a instalação de pacotes, ao invés do rpm. Consulte a Seção , Atualizando pela Linha de Comando para uma lista precisa de opções. A aplicação RHN Push foi modificada de maneira similar para fazer o upload de tipos de arquivo UNIX nativos, incluindo pacotes, patches e clusters de patches. Já que os arquivos de pacotes, atualizações (patches) e conjuntos de atualizações do Solaris são diferentes dos arquivos rpm, o mecanismo de upload para canais é ligeiramente diferente. Há dois aplicativos no pacote rhnpush para Solaris: O primeiro, solaris2mpm, é um utilitário do RHN que cria um arquivo MPM para cada arquivo de atualização ou pacote do Solaris. O formato Neutro do arquivo MPM permite que o Satellite possa interpretar e gerenciar os arquivos que sejam carregados. O segundo, rhnpush, foi extendido para poder lidar com arquivos MPM e RPM. Fora isso, este aplicativo funciona de forma idêntica à versão Linux do rhnpush. A categoria Canais do site do RHN foi ampliada para acomodar o armazenamento e instalação de arquivo nativos do UNIX Funcionalidades Excluídas As seguintes funcionalidades do RHN não estão disponíveis no sistema de suporte ao UNIX: Todas as funcionalidades do nível de Provisionamento (Provisioning), como kickstart e reversão de pacotes, com exceção da administração de arquivos de configuração. Todas as opções relativas a Erratas, já que o conceito de Atualizações de Erratas não é compreendido pelo UNIX Arquivos fonte para pacotes Os arquivos answer ainda não são suportados. O suporte para tais arquivos está planejado para versões futuras. Também não existe suporte para IPV6 para os sistemas Solaris Além disso, os arquivos RHAT*.pkg foram relocados enquanto a instalação ainda não é suportada Preparação/Configuração do Servidor Satellite Você deve configurar o Satellite para o suporte a clientes UNIX antes dos arquivos necessários serem disponibilizados para implementação nos sistemas clientes. Isto pode ser feito de duas maneiras, dependendo do fato de você ter instalado seu servidor Satellite ou não: 1. Durante a instalação do Satellite: Habilite o suporte ao UNIX no Satellite selecionando a caixa "Enable Solaris Support" (Habilitar Suporte ao Solaris) durante o processo de instalação; ex.: 88

92 Capítulo 9. Guia de Suporte ao UNIX Figura 9.1. Habilitando o Suporte ao UNIX Durante a Instalação do Satellite 2. Após o Satellite ser instalado: Habilite o suporte ao UNIX configurando o Satellite após a instalação. Para tanto, selecione Ferramentas do Satellite (Satellite Tools) no menu superior e então selecione Configuração do Satellite (Satellite Configuration) na barra de navegação esquerda. Na tela seguinte, marque a caixa Habilitar Suporte ao Solaris (Enable Solaris Support), conforme o exemplo: Figura 9.2. Habilitando o Suporte ao UNIX Após a Instalação do Satellite Clique no botão Atualizar Configuração para confirmar a mudança. 3. Finalmente, você deve criar um canal base ao qual os seus sistemas clientes podem se subscrever. Isto é necessário uma vez que o RHN não oferece conteúdo UNIX. Como conseqüência, você não pode usar o satellite-sync para criar o canal. Para criar um canal Solaris, faça o login na interface Web do Satellite como um Satellite Administrator ou uma Licensa de Certificado (Certificate Authority). Navegue até a aba Canal e então Gerenciar Canais de Software na barra de navegação esquerda. Clique no link criar novo canal na parte superior direita da tela resultante. Forneça um nome e uma etiqueta para o seu novo canal e selecione ou Sparc Solaris ou i386 Solaris como a arquitetura, dependendo da arquitetura do seu cliente Preparação de Sistema Cliente Unix Antes de seus sistemas clientes baseados em UNIX se beneficiarem do Red Hat Network, eles devem ser preparados para conexão: 1. Faça o download e instale o gzip e as bibliotecas necessárias. 2. Faça o download do tarball do aplicativo RHN a partir do Satellite para o cliente e instale o conteúdo. 3. Depois disso, implemente os certificados SSL necessários para uma conexão segura. 4. Configure os aplicativos cliente para se conectar ao RHN Satellite Depois de concluído, seus sistemas estarão prontos para começar a receber as atualizações do RHN. As próximas três seções explicam estes passos em detalhes Baixando e Instalando os Pacotes Adicionais. Esta seção o guiará no processo de instalação e download de aplicativos de terceiros e os aplicativos RHN a partir do Satellite no cliente UNIX. A prioridade é o Red Hat Update Agent for UNIX (up2date), que fornece uma ligação entre seu sistema cliente e o Red Hat Network. A versão específica do UNIX do Red Hat Update Agent é limitada quanto à sua funcionalidade comparado ao Linux, mas ainda assim permite registro de sistema e facilita instalações de pacote e reparos de erros. Consulte a Seção 9.4, Registro e Atualizações de Clientes da Unix para obter uma descrição completa sobre as opções de ferramentas. 89

93 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Pode ser útil inserir o comando bash quando se registrar pela primeira vez no cliente Solaris. Se o shell do BASH estiver disponível, ele fará com que o comportamento do sistema se pareça o máximo possível com o Linux Instale Pacotes de Terceiros Instalação dos aplicativos RHN não pode continuar a não ser que os seguintes utilitários e bibliotecas estejam presentes: gzip libgcc openssl zlib O utilitário gzip é fornecido pelo pacote SUNWgzip e pode ser baixado a partir do link Nas versões recentes do Solaris, as bibliotecas necessárias são fornecidas pelos pacotes instalados nativamente a seguir: SUNWgccruntime SUNWopenssl* SUNWzlib Para versões mais antigas do Solaris, os pacotes a seguir poderão ser baixados a partir do site SMClibgcc ou SMCgcc SMCossl SMCzlib Para verificar se o pacote está instalado no cliente, use o comando pkginfo. Por exemplo, para procurar por um pacote que contenha "zlib" no nome, rode o seguinte comando: # pkginfo grep zlib Os nomes de arquivo do pacote diferem do nome do pacote instalado. Por exemplo, o arquivo do pacote libgcc<version>-sol<solaris-version>-sparc-local.gz se torna SMClibgcc após a instalação Configurando o Caminho de Busca de Biblioteca Para habilitar o cliente Solaris para usar as bibliotecas instaladas no passo anterior, você deve adicionar sua localização ao caminho de busca da biblioteca. Para fazer isto, primeiro verifique o caminho de busca da biblioteca atual": # crle -c /var/ld/ld.config Observe o Caminho da Biblioteca Padrão atual. Depois disso, modifique o caminho para incluir também os componentes demonstrados abaixo. Observe que a opção -l reseta o valor, ao invés de acrescentar, portanto se eles já haviam valores configurados em seu sistema, preceda-os para o parâmetro -l. Em sparc: # crle -c /var/ld/ld.config -l /other/existing/path:/lib:/usr/lib:/usr/local/lib Em x86: # crle -c /var/ld/ld.config -l /other/existing/path:/lib:/usr/lib:/usr/local/lib:/usr/sfw/lib Baixando os Pacotes Cliente RHN Faça o download do tarball apropriado dos pacotes a partir do diretório /var/www/html/pub/ de seu Satellite. Se você estiver apto a usar o navegador da Web, o GUI, como o Mozilla, navegue no diretório /pub do Satellite e salve o tarball correto em seu cliente: Se você precisar fazer o download do tarball a partir da linha de comando, pode ser possível usar ftp para transferir para o arquivo a partir do Satellite para o Cliente. Ao usar o gzip, descomprima o tarball. Você deve ter os seguintes pacotes: RHATpossl RHATrcfg RHATrcfga RHATrcfgc THATrcfgm RHATrhnc RHATrhnl RHATrpush RHATsmart SMClibgcc e SMCosslg também podem estar inclusos no tarball Instalando os Pacotes RHN Mude para o diretório descomprimido e use a ferramenta de instalação nativa da variante UNIX para instalar cada pacote. Por exemplo, no Solaris, use o comando pkgadd. Responda "yes" (Sim) para quaisquer solicitações durante a instalação do pacote. Aqui segue como uma instalação deve geralmente proceder: # pkgadd -d RHATpossl p24.6.pkg all # pkgadd -d RHATpythn rhn.4.sol9.pkg all # pkgadd -d RHATrhnl p23.pkg all... 90

94 Capítulo 9. Guia de Suporte ao UNIX Você pode escolher usar o -n of pkgadd, que roda o comando em um modo não interativo. No entanto, isto pode resultar na falha da instalação de alguns pacotes, silenciosamente, no Solaris 10. Continue até que cada pacote esteja instalado no caminho RHN-específico: /opt/redhat/rhn/solaris/ Incluindo os Pacotes RHN no PATH Para disponibilizar os pacotes RHN em cada registro, você precisa adicioná-los ao seu PATH. Para fazer isto, adicione estes comandos ao seu script de registro: # PATH=$PATH:/opt/redhat/rhn/solaris/bin # PATH=$PATH:/opt/redhat/rhn/solaris/usr/bin # PATH=$PATH:/opt/redhat/rhn/solaris/usr/sbin # export PATH Para habilitar o acesso às páginas man de comando cliente RHN, adicione-os ao seu MANPATH. Para fazer isto, adicione os seguintes comandos ao seu script de registro: # MANPATH=$MANPATH:/opt/redhat/rhn/solaris/man # export MANPATH Como forma alternativa, você também pode acessar as páginas man a partir da linha de comando, com o seguinte comando: # man -M /opt/redhat/rhn/solaris/man <man page> Por último, adicione as Bibliotecas da Red Hat ao seu PATH, assim como você fez comlibgcc, openssl ezlib. crle -c /var/ld/ld.config -l <current library paths>:/opt/redhat/rhn/solaris/lib Implementando os Certificados SSL Cliente Para garantir uma transferência de dados segura, a Red Hat recomenda fortemente que utilize o SSL. O RHN Satellite facilita a implementação do SSL, gerando os certificados necessários durante sua instalação. O certificado do lado do servidor é automaticamente instalado no próprio Satellite, enquanto o certificado do cliente é colocado no diretório /pub/ do servidor da Web do Satellite. Para instalar o certificado, siga estes passos para cada cliente: 1. Faça o download do certificado SSL a partir do diretório /var/www/html/pub/ do RHN Satellite em um sistema cliente. O certificado será nomeado com algo semelhante ao RHN-ORG- TRUSTED-SSL-CERT. É acessível via web no seguinte URL: https://yoursatellite.example.com/pub/rhn-org-trusted-ssl-cert. 2. Mova o certificado SSL cliente para o diretório específico do RHN para sua variante de UNIX. Para Solaris, isto pode ser concluído com um comando similar ao: mv /path/to/rhn-org-trusted-ssl-cert /opt/redhat/rhn/solaris/usr/share/rhn/ Depois de concluído, o novo certificado cliente será instalado no diretório apropriado para seu sistema UNIX. Se você tiver vários sistemas para preparar para gerenciamento do RHN, você pode fazer um script para este processo todo. Agora você deve reconfigurar os aplicativos cliente RHN para se referir aos certificados SSL recentemente instalados. Consulte a Seção 9.3.3, Configurando clientes para instruções Configurando clientes O passo final antes de registrar seus sistemas clientes com o Red Hat Network é reconfigurar seus aplicativos RHN para usar o novo certificado SSL e obter as atualizações a partir do RHN Satellite. Ambas mudanças podem ser feitas editando o arquivo de configuração do Red Hat Update Agent, que fornece registro e atualiza a funcionalidade. Siga estes passos em cada sistema cliente: 1. Como root, mude para o diretório de configuração RHN para o sistema. Para Solaris, o caminho completo é /opt/redhat/rhn/solaris/etc/sysconfig/rhn/. 2. Abra o arquivo de configuração up2date em um editor de texto. 3. Encontre a entrada serverurl e ajuste seu valor para nome de domínio totalmente qualificado (FQDN) de seu RHN Satellite : serverurl[comment]=remote server URL serverurl=https://your-satellite.example.com/xmlrpc 4. Assegure-se de que os aplicativos se referem ao RHN Satellite até quando o SSL estiver desligado, configurando também o valor nosslserverurl para o Satellite: nosslserverurl[comment]=remote server URL without SSL nosslserverurl=http://your-satellite.example.com/xmlrpc 5. Com o arquivo de configuração up2date ainda aberto, encontre a entrada sslcacert e ajuste seu valor para o nome e local do certificado SSL descrito na Red Hat Enterprise Linux 6 Deployment Guide, por exemplo: sslcacert[comment]=the CA cert used to verify the ssl server sslcacert=/opt/redhat/rhn/solaris/usr/share/rhn/rhn-org-trusted-ssl-cert Seus sistemas cliente estão agora prontos para registro com o Red Hat Network e gerenciamento pelo seu Satellite Registro e Atualizações de Clientes da Unix Agora que você instalou os pacotes específicos do RHN, implementou a SSL e reconfigurou seus sistemas clientes para conectar ao RHN Satellite, você está pronto para iniciar o registro dos sistemas e obter atualizações Registrando Sistemas Unix Esta seção descreve o processo de registro dos sistemas UNIX no RHN. Você deve usar o rhnreg_ks para tanto. O uso de chaves de ativação para registrar seus sistemas é opcional. Estas chaves permitem que você pré-determine a configuração no RHN, como canais base e grupos de sistemas e aplicar estas automaticamente aos sistemas durante seu registro. Como a geração e o uso das chaves de ativação é coberto extensivamente em outros capítulos, esta 91

95 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência seção concentra-se nas diferenças na implementação destas atividades em variantes do UNIX. Consulte a Seção , Administrando Chaves de Ativação para uma descrição completa deste processo. Para registrar sistemas UNIX com o seu RHN Satellite, execute as seguintes tarefas, nesta ordem: 1. Autentique-se na interface Web do Satellite e clique na aba Sistemas na barra de navegação superior, seguido de Chaves de Ativação na barra de navegação esquerda. Em seguida, clique no link criar nova chave no canto superior direito da página. 2. Na página seguinte, selecione o canal base que você criou no final da Seção 9.2, Preparação/Configuração do Servidor Satellite. 3. Após criar a chave, clique em seu nome na lista Chaves de Ativação (Activation Keys) para aprimorar sua configuração no RHN, associando canais de software e de configuração e grupos de sistemas. 4. Abra um terminal no sistema cliente a ser registrado e alterne o usuário para root. 5. Use o rhnreg_ks com a opção --activationkey para registrar o cliente com o Satellite. A seqüência de caracteres representando a chave pode ser copiada diretamente da lista Chaves de Ativação no website. O comando será parecido com o seguinte: rhnreg_ks --activationkey=b25fef ef bd9f3af 6. Retorne ao site, clique no nome da chave de ativação e verifique se o sistema novo aparece na aba Activated Systems Obtendo Atualizações Atualizações de pacotes no UNIX são efetuadas de maneira bem diferente do Linux. Por exemplo, o Solaris baseia-se em Clusters de Patches para atualizar pacotes múltiplos de uma só vez, enquanto os sistemas operacionais da Red Hat usam atualizações de erratas para associar atualizações a pacotes específicos. Além disso, o Solaris usa arquivos de resposta (answer files) para automatizar as instalações interativas de pacotes, algo que o Linux não compreende. A Red Hat, por sua vez, oferece o conceito de pacotes fontes. Por esta razão, esta seção procura destacar as diferenças no uso das ferramentas do RHN em sistemas UNIX. : o RHN não suporta os arquivos de resposta do Solaris na versão atual, mas tal suporte está planejado para versões posteriores. Apesar das diferenças inerentes, como a falta de Erratas, as interfaces de administração dos canais e pacotes no site do RHN para o Satellite funcionam de maneira semelhante nos sistemas UNIX. Todos os canais de software desenvolvidos para as variantes do UNIX podem ser criados praticamente da mesma forma que os canais personalizados descritos no RHN Channel Management Guide. A diferença mais significativa é a arquitetura. Ao criar um canal de software para UNIX, selecionea arquitetura do canal base apropriada aos sistemas sendo servidos. Divida seus pacotes em canais base e canais filho, dependendo de sua natureza. Por exemplo: no Solaris, os pacotes de instalação devem estar no canal base, enquanto os patches e Clusters de Patches devem estar num canal filho do canal base do Solaris. Os pacotes extras de instalação podem estar num canal filho Extras separado. O RHN trata os patches de maneira similar; são listados e instalados da mesma maneira e com a mesma interface dos pacotes normais. Os patches são 'numerados' pelo Solaris e terão nomes como "patch-solaris ". A versão de um patch do Solaris é extraída dos metadados do Solaris original e o release é sempre 1. Clusters de Patches são conjuntos de patches instalados como uma unidade. O RHN mantém o registro da última vez em que um Cluster de Patches foi instalado com sucesso num sistema. No entanto, os Clusters de Patches não são acompanhados no cliente como entidades instaladas, portanto não aparecem na lista de pacotes ou de pacotes instalados. Os nomes dos Clusters de Patches se assemelham a "patch-cluster-solaris-7_recommended". A versão é um string da data, como " " e o release é sempre 1 e o marco sempre Carregando Pacotes no Satellite O RHN não oferece conteúdo UNIX. Quaisquer arquivos de pacotes, atualizações (patches) e conjuntos de atualizações (patch clusters) do Solaris devem ser carregados no Satellite a partir do sistema cliente em um formato que o Satellite entenda. O pacote pode então ser gerenciado e distribuído para outros sistemas. O RHN criou o solaris2mpm para converter arquivos de pacotes, atualizações e conjuntos de atualizações do Solaris para um formato que o Satellite possa usar solaris2mpm Conforme mencionado brevemente na seção Seção 9.1.4, Diferenças nas Funcionalidades, o solaris2mpm faz parte do RHN Push para Solaris. O conteúdo que é servido em um canal Solaris no Satellite deve primeiro ser convertido para o formato.mpm. Um arquivo.mpm contém uma descrição dos dados do pacote e o pacote ou atualização em si. O comando solaris2mpm deve ser executado no cliente, nunca no Satellite. O solaris2mpm requer que espaço livre igual a três vezes o tamanho de qualquer pacote, atualização ou conjunto de atualizações que esteja sendo convertido. Normalmente, espaço em /tmp/ será usado para esta finalidade. Entretanto, a opção --tempdir permite que você especifique outro diretório se necessário. Múltiplos arquivos podem ser especificados na linha de comando do solaris2mpm. Abaixo encontra-se um exemplo: # solaris2mpm RHATrpush pkg RHATrpush pkg Opening archive, this may take a while Writing out RHATrpush sparc-solaris.mpm Opening archive, this may take a while Writing out RHATrpush sparc-solaris.mpm Uma vez que nenhum outro diretório foi especificado, os arquivos.mpm resultantes foram colocados no diretório /tmp/. Note que o nome dos arquivos.mpm resultantes inclui a arquitetura do cliente no qual o arquivo foi criado ou seja, Sparc Solaris, neste caso. O formato genérico de nomes de arquivos.mpm é: name-version-release.arch.mpm Pacth clusters são "explodidos". arquivos.mpm são gerados para cada patch no cluster, tanto quanto um nível superior "meta", o arquivo.mpm contém informações sobre o cluster como um todo. Segue abaixo as opções do solaris2mpm: 92

96 Capítulo 9. Guia de Suporte ao UNIX Tabela 9.2. opções do solaris2mpm Opção --version -h, --help Descrição Exibe o número da versão do aplicativo e fecha Exibe esta informação e fecha -?, --usage Exibe informação sobre como usar o aplicativo e fecha --tempdir=<tempdir> --select-arch=<arch> Diretório temporário a ser usado Seleciona a arquitetura (i386 ou Sparc) para pacotes de multiarquitetura rhnpush com arquivos.mpm A versão Solaris do rhnpush funciona como o utilitário padrão, mas com a funcionalidade adicional de poder lidar com arquivos.mpm Abaixo está um exemplo de utilização: % rhnpush -v --server testbox.example.com --username myuser -c solaris-8 \ RHATrpush *.mpm Red Hat Network password: Connecting to Uploading package RHATrpush sparc-solaris.mpm Uploading package RHATrpush sparc-solaris.mpm Arquivos.mpm de conjuntos de atualizações devem ser servidos ou ao mesmo tempo ou após nunca antes do que arquivos.mpm para as atualizações contidas naquele conjunto. Use o solaris2mpm em cada um dos pacotes, atualizações ou conjuntos de atualizações que você deseja gerenciar através do Satellite e então use o RHN Push para carregá-los no canal que você criou para eles Atualizando Através do Site Para instalar pacotes ou patches num sistema separado, clique no nome do sistema na categoria Sistemas, selecione os pacotes nas listas (Atualização) Upgrade ou (Instalar) Install da aba Packages (Pacotes) ou Patches e clique em Install/Upgrade Selected Packages (Instalar/Atualizar Pacotes Selecionados). Para rodar um comando remoto enquanto instalar o pacote, clique em Executar Comando Remoto ao invés de Confirmar. Consulte a Seção 9.5, Comandos Remotos para instruções. Para instalar pacotes ou patches em sistemas múltiplos de uma só vez, selecione os sistemas e clique em Gerenciador de Conjunto de Sistemas (System Set Manager) na barra de navegação esquerda. Em seguida, na aba Packages (Pacotes), selecione os pacotes nas listas Upgrade ou Install e clique em Install/Upgrade Packages (Instalar/Atualizar Pacotes). Para completar a ação, agende as atualizações rhnsd Em sistemas Red Hat Enterprise Linux. o daemon rhnsd, o qual faz com que os sistemas clientes autentiquem-se no RHN, inicia automaticamente durante a inicialização do sistema. Em sistemas Solaris, o rhnsd não inicia durante a inicialização do sistema e pode ser iniciado na linha de comandos da seguinte maneira: rhnsd --foreground --interval=240 A localização padrão do rhnsd é /opt/redhat/rhn/solaris/usr/sbin/rhnsd. As opções disponíveis para o rhnsd no Solaris estão listadas abaixo: Tabela 9.3. Opções do rhnsd Opção -f, --foreground -i, --interval=mins -v, --verbose -h, --help -u, --usage -V, --version Descrição Executa em primeiro plano Conecta no Red Hat Network a cada MINS minutos Registra todas as ações no syslog Exibe esta lista de ajuda Exibe esta lista de ajuda Exibe a versão do programa Atualizando pela Linha de Comando Como no site, o uso do Red Hat Update Agent na linha de comando é afetado pelas limitações da administração de pacotes do UNIX. Sendo assim, a maioria das funções centrais ainda podem ser executadas através do comando up2date. A diferença mais significativa é a ausência de todas as opções relacionadas aos arquivos fonte. Consulte a Tabela 9.4, Argumentos da Linha de Comando do Agente de Atualizações para ver uma lista precisa das opções disponíveis nos sistemas UNIX. A versão de linha de comando do Red Hat Update Agent aceita os seguintes argumentos nos sistemas UNIX: Tabela 9.4. Argumentos da Linha de Comando do Agente de Atualizações Argumento --version -h, --help -v, --verbose -l, --list -p, --packages --hardware --showall --show-available --show-orphans --show-channels --installall --channel=channel --get Descrição Exibe as informações da versão do programa. Exibe esta mensagem de ajuda e fecha. Exibe resultado adicional. Lista as versões mais recentes de todos os pacotes instalados. Atualiza os pacotes associados a este Perfil de Sistema. Atualiza o perfil de hardware deste sistema no RHN. Lista todos os pacotes disponíveis para download. Lista todos os pacotes disponíveis não instalados no momento. Lista todos os pacotes instalados, que não fazem parte dos canais aos quais o sistema está registrado. Exibe os nomes dos canais junto aos nomes dos pacotes, quando for apropriado. Instala todos os pacotes disponíveis. Use com --channel. Especifica quais canais devem ser usados para atualizações usando etiquetas de canais. Obtém o pacote especificado sem resolver as dependências. 93

97 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência 9.5. Comandos Remotos Junto ao suporte ao UNIX, o RHN oferece a flexibilidade de invocar comandos remotos em sistemas cliente através do site do RHN do Satellite. Esta funcionalidade permite a você rodar praticamente qualquer aplicação ou script (compatível) em qualquer sistema de seu domínio sem nunca precisar abrir um terminal Habilitando Comandos A flexibilidade desta ferramenta traz um grande risco e a responsabilidade de reduzir tal risco. Para todos os propósitos práticos, esta funcionalidade concede um prompt BASH root para qualquer um com acesso administrativo ao sistema no website. No entanto, isto pode ser controlado através do mesmo mecanismo config-enable usado para determinar quais sistemas podem ter seus arquivos de configuração administrados pelo Red Hat Network. Consulte a Seção , Detalhes de Sistema Configuração Sandbox para mais detalhes. Em suma, você deve criar um diretório e um arquivo no sistema UNIX que informem ao RHN que é aceitável rodar comandos remotos na máquina. O diretório dever ser nomeado como script; o arquivo dever ser nomeado como run e ambos devem estar alocados no diretório /etc/sysconfig/rhn/allowed-actions/ específico de sua variante do UNIX. Por exemplo: no Solaris, invoque este comando para criar o diretório: mkdir -p /opt/redhat/rhn/solaris/etc/sysconfig/rhn/allowed-actions/script Para criar o arquivo requisitado no Solaris, invoque este comando: touch /opt/redhat/rhn/solaris/etc/sysconfig/rhn/allowed-actions/script/run Invocando Comandos Você pode agendar um comando remoto de diversas maneiras: num sistema separado, em sistemas múltiplos de uma só vez e acompanhando uma ação de pacotes. Para rodar um comando remoto num sistema separado, abra a página System Details (Detalhes do Sistema) e clique na sub-aba Remote Command (Comando Remoto). Note que esta sub-aba apenas aparece se o sistema tiver direito à Provisionamento (Provisioning). Nesta página, estabeleça a configuração para o comando. Você pode identificar um usuário, um grupo e um período limite específicos, assim como o próprio script. Selecione uma data e uma hora para iniciar a tentativa do comando e então clique no link Schedule Remote Command (Agendar Comando Remoto). Da mesma forma, você pode invocar um comando remoto em sistemas múltiplos de uma vez através do System Set Manager (Gerenciador de Conjunto de Sistemas). Selecione os sistemas, navegue para o System Set Manager (Gerenciador de Conjunto de Sistemas), clique na aba Misc (Diversos) e role a página até a seção Remote Command (Comando Remoto). Aqui você pode rodar um comando remoto nos sistemas selecionados de uma só vez. Para rodar um comando remoto junto a uma ação de pacotes, agende a ação através da aba Packages (Pacotes) da página System Details (Detalhes do Sistema) e clique em Run Remote Command (Rodar Comando Remoto) enquanto confirma a ação. Use os botões no topo da página para determinar se o comando deve rodar antes ou depois da ação de pacotes, estabeleça a configuração do comando e clique em Schedule Package Install/Upgrade (Agendar Instalação/Atualização de Pacotes). Note que instalar pacotes múltiplos que possuem comandos remotos diferentes requer o agendamento das instalações separadamente ou a combinação dos comandos num único script. 94

98 RHN Registration Client RHN Registration Client Antes de você começar a usar o Red Hat Network, deve criar um nome de usuário, senha e um Perfil do Sistema (System Profile). O RHN Registration Client te guia neste processo. A.1. Configurando o RHN Registration Client Para iniciar a interface gráfica e configurar a aplicação para conectar através de um servidor proxy HTTP, digite o seguinte numa janela de comandos: rhn_register --configure Aparecerá a janela exibida em Figura A.1, Configuração do RHN Registration Client. Figura A.1. Configuração do RHN Registration Client Para iniciar na versão da linha de comandos, invoque: rhn_register --nox --configure Ela possui mais opções de configuração que a versão gráfica. Será apresentada uma lista de opções e seus valores atuais: 0. enableproxyauth No 1. nosslserverurl 2. oeminfofile /etc/sysconfig/rhn/oeminfo 3. enableproxy No 4. networksetup Yes 5. httpproxy 6. proxyuser 7. serverurl https://xmlrpc.rhn.redhat.com/xmlrpc 8. proxypassword 9. debug No Enter number of item to edit <return to exit, q to quit without saving>: Indique o número do item que a modificar e indique um valor novo para a opção. Quando terminar de alterar sua configuração, pressione Enter para salvar suas alterações e sair da aplicação. Pressione q e então Enter para sair sem salvar suas alterações. As opções configuradas mais comuns são enableproxy e httpproxy para ativar um servidor proxy. Para tanto, altere o valor de enableproxy para Yes e o valor de httpproxy para o nome do servidor proxy server e número da porta, no formato Por exemplo: para usar o servidor proxy squid.mysite.org na porta 3128, você deve alterar o valor para squid.mysite.org:3128. Se você precisa de um nome de usuário e senha proxy, defina enableproxyauth para Yes a fim de ativar a autenticação de nome de usuário/senha para o proxy e defina proxyuser e proxypassword para o nome de usuário e senha apropriados para o proxy. Para ignorar o SSL, altere o protocolo da serverurl de https para http no arquivo /etc/sysconfig/rhn/rhn_register. A.2. Iniciando o RHN Registration Client Você deve estar autenticado como root para registrar um sistema ao RHN. Se você iniciar o RHN Registration Client como um usuário comum, lhe será pedida a senha de root antes de proceder. Importante Se o seu nome de usuário é parte de uma conta corporativa maior, seja cuidadoso ao registrar seus sistemas. Por padrão, todos os sistemas registrados com o RHN Registration Client acabam sendo inclusos na seção de sistemas Ungrouped (não-agrupados), visível somente aos Satellite Administrator. Para garantir que você mantenha a administração destes sistemas, a Red Hat recomenda que sua empresa crie uma chave de ativação (activation key) associada a um grupo de sistemas específico e lhe atribua permissões para este grupo. Então, você pode registrar seus sistemas usando aquela chave de ativação e localizar aqueles Perfis de Sistemas (System Profiles) no RHN imediatamente. Para iniciar o RHN Registration Client, use um dos métodos a seguir: 1. No desktop GNOME, vá até Applicações => Programas => Sistema => Red Hat Network 2. No desktop KDE, vá até Aplicações => Sistemas => Red Hat Network 3. Digite o comando rhn_register numa janela de comandos (num XTerm ou Terminal GNOME por exemplo) 4. Se você não está rodando o Sistema X Window, digite o comando rhn_register numa janela de comandos. Consulte a Seção A.7, Cliente de Registro do RHN em Modo Texto para mais detalhes. Cuidado Você deve usar o Python ou mais recente com suporte a Secure Sockets Layer (SSL). Caso contrário, as informações transferidas não são criptografadas. Se você tem uma versão mais recente do Python, verá a mensagem exibida na Figura A.2, Use Python ou mais recente. Para determinar a versão do Python em seu sistema, use o comando rpm -q python. É altamente recomendável usar o Python ou mais recente. 95

99 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência Figura A.2. Use Python ou mais recente Se você já registrou seu sistema e tentar registrá-lo novamente, aparece a caixa de diálogo exibida na Figura A.3, Warning: This System Already Registered. Se você continuar, sobrescreverá seu arquivo de Certificado Digital (Digital Certificate, /etc/sysconfig/rhn/systemid) e criará um Perfil de Sistema (System Profile) diferente. Você não poderá mais usar seu Perfil de Sistema anterior certifique-se de que isso é realmente o que você deseja fazer, antes de selecionar Sim (Yes). Se você sobrescrever um registro de sistema existente, pode apagar o perfil não-usado através do site, em https://rhn.redhat.com. Figura A.3. Warning: This System Already Registered A tela de abertura do RHN Registration Client oferece uma breve visão geral dos serviços disponíveis e dos passos necessários para registrar (veja a Figura A.4, Tela Bem-Vindo para continuar o processo de registro. Se você clicar em Cancelar, o processo de registro é terminado e nenhuma informação é enviada. Figura A.4. Tela Bem-Vindo A Red Hat está comprometida com a proteção de sua privacidade (veja a Figura A.5, Declaração de Privacidade da Red Hat ). As informações coletadas durante o processo de registro do Red Hat Network são usadas para criar um Perfil do Sistema (System Profile). Este perfil é essencial para receber notificações de atualizações para o seu sistema. Figura A.5. Declaração de Privacidade da Red Hat A.3. Registrando uma Conta de Usuário Antes de você criar um Perfil do Sistema, deve criar uma conta de usuário. As únicas informações necessárias para esta seção são um nome de usuário, uma senha e um endereço de válido únicos. Na tela exibida na Figura A.7, Crie um Nome de Usuário e Senha Únicos, você deve indicar um nome 96

100 RHN Registration Client de usuário e senha. Uma vez autenticado no Red Hat Network, você pode modificar suas preferências, visualizar seu Perfil de Sistema (System Profile) existente ou obter os pacotes de software mais recentes da Red Hat. Você deve escolher um nome de usuário único. Se você indicar um nome já em uso, verá uma mensagem de erro (veja a Figura A.6, Error: Username Already Exists ). Tente alguns nomes de usuário diferentes até encontrar um que não tenha sido usado. Figura A.6. Error: Username Already Exists Se você já é membro da redhat.com, pode usar os mesmos nome de usuário e senha. No entanto, é necessário continuar o processo de registro para criar seu Perfil de Sistema (System Profile). Seu nome de usuário tem as seguintes restrições: Não pode conter espaços Não pode conter os caracteres &, +, % ou ' Não é sensível a caixa alta e baixa, portanto elimina a possibilidade de duplicar nomes de usuário diferindo apenas pelas letras maiúsculas. Além disso, as seguintes restrições se aplicam a ambos, nome de usuário e senha: Devem ter, no mínimo, quatro caracteres Não podem conter abas Não podem conter quebras de linha As senhas são sensíveis à caixa alta e baixa por motivos óbvios. Se você já registrou uma máquina e criou um Perfil do Sistema (System Profile), pode adicionar uma máquina nova à sua conta. Execute o RHN Registration Client na máquina nova que deseja adicionar e indique seu nome de usuário e senha existentes do Red Hat Network. A nova máquina é adicionada à conta existente, possibilitando a autenticação no Red Hat Network e a visualização de todos os sistemas simultaneamente. Figura A.7. Crie um Nome de Usuário e Senha Únicos A maioria dos usuários pode deixar a seção Org Info em branco. Se você tem uma conta de organização existente, trabalhe com seu Administrador do Satellite para garantir que seu sistema seja adicionado àquela conta. Para isto, é necessário indicar o ID e senha da empresa nos campos de texto providos. Se os valores forem válidos, o sistema é adicionado à conta da empresa no Red Hat Network. Então, seu Administrador de Organização pode criar sua conta de usuário através da categoria Users (Usuários) no site do RHN. Consulte a Seção 4.9, Usuários para mais instruções. Clique em Next (Proximo) para continuar. A.4. Registrando um Perfil de Sistema (System Profile) Agora que você tem uma conta de usuário, pode criar um Perfil de Sistema (System Profile), que consiste de informações de hardware e software do seu sistema Red Hat Enterprise Linux. As informações do Perfil de Sistema são usadas pelo Red Hat Network para determinar quais notificações de atualização de software você deve receber. A.4.1. Perfil de Hardware do Sistema Após criar um nome de usuário e senha para sua conta no Red Hat Network, o RHN Registration Client detecta as seguintes informações sobre seu sistema: Versão do Red Hat Enterprise Linux nome da Máquina Endereço IP Modelo da CPU Velocidade da CPU Quantidade de RAM Dispositivos PCI Tamanhos de disco Pontos de montagem O próximo passo é escolher um nome de perfil para seu sistema, conforme a Figura A.8, Perfil do Sistema - Hardware. O valor padrão é o nome do host dado ao sistema. Você pode modificá-lo para um nome mais descritivo, como Servidor de da Equipe de Suporte. Opcionalmente, você 97

101 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência pode indicar um número de série ou de identificação do sistema. Se você não deseja incluir as informações de hardware ou de rede no Perfil do Sistema, desmarque a opção Incluir informações sobre hardware e rede (veja a Figura A.8, Perfil do Sistema - Hardware ). Clique em Next (Proximo) para continuar o processo de registro. Figura A.8. Perfil do Sistema - Hardware A.4.2. Perfil de Software do Sistema O perfil do software do sistema consiste de uma lista de pacotes RPM para os quais você deseja receber notificações. O RHN Registration Client exibe uma lista de todos os pacotes do banco de dados RPM em seu sistema e então permite que você personalize a lista desselecionando pacotes. A Coletando Informações do Banco de Dados RPM Somente os pacotes selecionados nesta parte do registro são inclusos em seu Perfil de Sistema e você só recebe notificações sobre os pacotes no seu Perfil de Sistema. Sendo assim, se você usa uma versão antiga de um pacote e o desmarcar da lista, este não será substituído por uma versão nova. Esta lista de RPMs pode ser modificada através do site do Red Hat Network ou através do Red Hat Update Agent. A Figura A.9, Assistente de Registro (Registration Wizard) mostra a barra de progresso exibida enquanto o RHN Registration Client coleta a lista de pacotes RPM instalados em seu sistema. Esta operação pode levar algum tempo, dependendo de seu sistema. Figura A.9. Assistente de Registro (Registration Wizard) Após criar a lista de pacotes RPM, esta aparece conforme a Figura A.10, Informações dos Pacotes RPM. Desmarcando a opção Incluir pacotes RPMs instalados neste sistema em meu Perfil de Sistema (Include RPM Packages installed on this system in my System Profile) omite estas informações de seu System Profile (Perfil de Sistema). Figura A.10. Informações dos Pacotes RPM A Escolhendo os Pacotes RPM a Excluir do Perfil de Sistema Por padrão, todos os pacotes RPM de seu banco de dados RPM são inclusos em seu Perfil de Sistema a ser atualizado pelo Red Hat Network. Para excluir um pacote, desmarque-o da lista clicando na caixa de verificação ao lado de seu nome. Por exemplo: a Figura A.11, Escolha os Pacotes RPM a Excluir do Perfil de Sistema mostra que os pacotes procmail, procps e psgml foram omitidos da lista de pacotes. Escolha os pacotes a excluir, se houver, do Perfil de Sistema e clique em Next (Proximo) para continuar o processo de registro. 98

102 RHN Registration Client Figura A.11. Escolha os Pacotes RPM a Excluir do Perfil de Sistema A.5. Finalizando o Registro Conforme visto na Figura A.12, Coleta de Informações do Perfil de Sistema Finalizada, o último passo do registro é confirmar o envio de seu Perfil de Sistema (System Profile) para o Red Hat Network. Se você selecionar Cancelar neste momento, nenhuma informação é enviada. Clicar em Próximo submete seu Perfil de Sistema ao RHN. Figura A.12. Coleta de Informações do Perfil de Sistema Finalizada A Figura A.13, Enviar Perfil de Sistema ao Red Hat Network (Send System Profile to Red Hat Network) mostra a barra de progresso exibida enquanto seu perfil é enviado. Este processo pode levar algum tempo, dependendo da velocidade de sua conexão. Figura A.13. Enviar Perfil de Sistema ao Red Hat Network (Send System Profile to Red Hat Network) O RHN Registration Client exibe a tela Registration Finished (Registro Finalizado), Figura A.14, Registro Finalizado quando seu Perfil de Sistema é enviado com sucesso. Clique em Terminar para sair do RHN Registration Client. Após completar o registro, você deve apontar seu sistema a um nível de serviço do RHN. Consulte a Seção A.6, Apontando Direitos a Seu Sistema para mais detalhes. Figura A.14. Registro Finalizado 99

103 Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Referência A.6. Apontando Direitos a Seu Sistema Agora que você registrou seu sistema, este deve ter direitos atribuídos antes que possa receber pacotes atualizados. Em outras palavras: você deve subscreve-lo a um nível de serviço disponível. Para atrelar um direito a um sistema, visite e autentique-se com os mesmos nome de usuário e senha que você acabou de usar no RHN Registration Client. Clique em Systems (Sistemas) na barra de navegação superior e então em Systems Entitlements (Direitos do Sistema) na barra de navegação esquerda. A página Direitos do Sistema exibe os seguintes itens: uma lista dos sistemas para os quais o usuário pode escolher nível de direito os direitos atuais atualmente aplicados a cada um destes sistemas botões que permitem que o usuário mude o nível de direito uma visão geral do número e tipos de direitos adquiridos pela organização e que continuem disponíveis Para mudar o nível de direitos de um ou mais sistemas, marque as caixas de verificação à esquerda do nome do sistema e clique no botão apropriado para o nível de direito desejado. Note que você deve aplicar um nível de direito à Gerenciamento (Management) a um sistema antes que você possa adicionar um direito à Provisionamento (Provisioning). Você pode mudar direitos para qualquer nível disponível a qualquer momento. A remoção de um direito necessário (por exemplo, Provisioning) não cancelará uma ação previamente agendada (por exemplo, um kickstart). À medida que você vai mudando os direitos selecionados para os seus sistemas, o número de direitos disponíveis vai sendo atualizado na parte inferior da tela. A.7. Cliente de Registro do RHN em Modo Texto Se você não está rodando o Sistema X Window, o RHN Registration Client é iniciado no modo texto. Você pode forçar o RHN Registration Client a rodar no modo texto com o comando: rhn_register --nox As telas do modo texto do RHN Registration Client são quase idênticas às telas gráficas do RHN Registration Client. Partes do texto na versão do modo texto são mais concisas devido à falta de espaço na interface. Entretanto, há um número igual de telas e campos em ambas versões. Consequentemente, mesmo se você estiver usando a versão em modo texto, pode seguir as instruções a partir da Seção A.2, Iniciando o RHN Registration Client. Figura A.15. Tela Bem-Vindo em Modo Texto sem Formatação 100

Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência

Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência Red Hat Network Satellite Edição 1 Landmann Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência Red Hat Network Satellite Edição 1 Landmann rlandmann@redhat.co

Leia mais

Red Hat Portal do Cliente 1 RHN Gerenciamento de Subscrições

Red Hat Portal do Cliente 1 RHN Gerenciamento de Subscrições Red Hat Portal do Cliente 1 RHN Gerenciamento de Subscrições summary_unavailable Edição 1 Landmann Red Hat Portal do Cliente 1 RHN Gerenciamento de Subscrições summary_unavailable Edição 1 Landmann rlandmann@redhat.co

Leia mais

Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência. Red Hat Network Satellite

Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência. Red Hat Network Satellite Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência Red Hat Network Satellite Guia de Referência Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência Red Hat Network Satellite Edição 1 Copyright 2010 Red Hat,

Leia mais

Red Hat Enterprise Linux 5 Notas de Lan amento para 5.10

Red Hat Enterprise Linux 5 Notas de Lan amento para 5.10 Red Hat Enterprise Linux 5 Notas de Lan amento para 5.10 Notas de Lançamento para Red Hat Enterprise Linux 5.10 Edição 10 Red Hat Serviços de Conteúdo da Engenharia Red Hat Enterprise Linux 5 Notas de

Leia mais

Plataforma do Aplicativo JBoss Enterprise 5.0 JBoss Cache Tutorial. para uso com a Plataforma do Aplicativo JBoss Enterprise 5.0 Edição 2.

Plataforma do Aplicativo JBoss Enterprise 5.0 JBoss Cache Tutorial. para uso com a Plataforma do Aplicativo JBoss Enterprise 5.0 Edição 2. Plataforma do Aplicativo JBoss Enterprise 5.0 JBoss Cache Tutorial para uso com a Plataforma do Aplicativo JBoss Enterprise 5.0 Edição 2.0 Manik Surtani Galder Zamarreño Plataforma do Aplicativo JBoss

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Guia de Inicialização para o Windows

Guia de Inicialização para o Windows Intralinks VIA Versão 2.0 Guia de Inicialização para o Windows Suporte 24/7/365 da Intralinks EUA: +1 212 543 7800 Reino Unido: +44 (0) 20 7623 8500 Consulte a página de logon da Intralinks para obter

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep Secure em um

Leia mais

Online Help StruxureWare Data Center Expert

Online Help StruxureWare Data Center Expert Online Help StruxureWare Data Center Expert Version 7.2.7 Novidades no StruxureWare Data Center Expert 7.2.x Saiba mais sobre os novos recursos disponíveis na versão StruxureWare Data Center Expert 7.2.x.

Leia mais

Online Help StruxureWare Data Center Expert

Online Help StruxureWare Data Center Expert Online Help StruxureWare Data Center Expert Version 7.2.1 Novidades no StruxureWare Data Center Expert 7.2.x Saiba mais sobre os novos recursos disponíveis na versão StruxureWare Data Center Expert 7.2.x.

Leia mais

Fedora 14. Imagens Fedora live. Como utilizar a imagem Fedora live. Paul W. Frields Nelson Strother Nathan Thomas

Fedora 14. Imagens Fedora live. Como utilizar a imagem Fedora live. Paul W. Frields Nelson Strother Nathan Thomas Fedora 14 Imagens Fedora live Como utilizar a imagem Fedora live Paul W. Frields Nelson Strother Nathan Thomas Copyright 2010 Red Hat, Inc. and others. The text of and illustrations in this document are

Leia mais

Seu manual do usuário F-SECURE ONLINE BACKUP http://pt.yourpdfguides.com/dref/2859647

Seu manual do usuário F-SECURE ONLINE BACKUP http://pt.yourpdfguides.com/dref/2859647 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para F-SECURE ONLINE BACKUP. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual

Leia mais

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Índice Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter............... 1 Sobre a Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter................ 1 Requisitos de

Leia mais

BlackBerry Desktop Software. Versão: 7.1. Guia do usuário

BlackBerry Desktop Software. Versão: 7.1. Guia do usuário BlackBerry Desktop Software Versão: 7.1 Guia do usuário Publicado: 2012-06-05 SWD-20120605130141061 Conteúdo Aspectos básicos... 7 Sobre o BlackBerry Desktop Software... 7 Configurar seu smartphone com

Leia mais

Manual de Instalação Linux Comunicações - Servidor. Centro de Computação Científica e Software Livre - C3SL

Manual de Instalação Linux Comunicações - Servidor. Centro de Computação Científica e Software Livre - C3SL Manual de Instalação Linux Comunicações - Servidor Centro de Computação Científica e Software Livre - C3SL Sumário 1 Instalando o Linux Comunicações para Telecentros (servidor) 2 1.1 Experimentar o Linux

Leia mais

Grifon Alerta. Manual do Usuário

Grifon Alerta. Manual do Usuário Grifon Alerta Manual do Usuário Sumário Sobre a Grifon Brasil... 4 Recortes eletrônicos... 4 Grifon Alerta Cliente... 4 Visão Geral... 4 Instalação... 5 Pré-requisitos... 5 Passo a passo para a instalação...

Leia mais

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange Versão: 4.1 Service pack: 4B SWD-313211-0911044452-012 Conteúdo 1 Gerenciando contas de usuários... 7 Adicionar uma conta de usuário... 7 Adicionar

Leia mais

TeamViewer 9 Manual Management Console

TeamViewer 9 Manual Management Console TeamViewer 9 Manual Management Console Rev 9.2-07/2014 TeamViewer GmbH Jahnstraße 30 D-73037 Göppingen www.teamviewer.com Sumário 1 Sobre o TeamViewer Management Console... 4 1.1 Sobre o Management Console...

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Versão 1.5 Histórico de revisões Revisão Data Descrição da alteração 1.0 18/09/2015 Criação deste manual 1.1 22/09/2015 Incluído novas

Leia mais

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de gestão de conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel Software de gerenciamento do sistema Intel do servidor modular Intel Declarações de Caráter Legal AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO SÃO RELACIONADAS AOS PRODUTOS INTEL, PARA FINS DE SUPORTE ÀS PLACAS

Leia mais

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível Versão 1.0 Janeiro de 2011 Xerox Phaser 3635MFP 2011 Xerox Corporation. XEROX e XEROX e Design são marcas da Xerox Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros países. São feitas alterações periodicamente

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.6.0

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.6.0 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.6.0 09 de novembro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações Manual de Instalação de Telecentros Comunitários Ministério das Comunicações As informações contidas no presente documento foram elaboradas pela International Syst. Qualquer dúvida a respeito de seu uso

Leia mais

Ajuda do Active System Console

Ajuda do Active System Console Ajuda do Active System Console Visão geral... 1 Instalação... 2 Como ver as informações do sistema... 4 Limites de monitoração do sistema... 5 Definições de notificação de email... 5 Configurações de notificação

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE OURINHOS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Felipe Luiz Quenca Douglas Henrique Samuel Apolo Ferreira Lourenço Samuel dos Reis Davi

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE OURINHOS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Felipe Luiz Quenca Douglas Henrique Samuel Apolo Ferreira Lourenço Samuel dos Reis Davi FACULDADE DE TECNOLOGIA DE OURINHOS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Felipe Luiz Quenca Douglas Henrique Samuel Apolo Ferreira Lourenço Samuel dos Reis Davi ENDIAN FIREWALL COMMUNITY 2.5.1 OURINHOS-SP 2012 HOW-TO

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Administra o de Canais

Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Administra o de Canais Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Administra o de Canais Red Hat Network Satellite Edição 7 Red Hat Documentation Team Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Administra o de Canais Red Hat Network Satellite

Leia mais

ESET NOD32 Antivirus 4 para Linux Desktop. Guia de Inicialização Rápida

ESET NOD32 Antivirus 4 para Linux Desktop. Guia de Inicialização Rápida ESET NOD32 Antivirus 4 para Linux Desktop Guia de Inicialização Rápida O ESET NOD32 Antivirus 4 fornece proteção de última geração para o seu computador contra código malicioso. Com base no mecanismo de

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Dell Server PRO Management Pack 4.0 para o Microsoft System Center Virtual Machine Manager Guia de instalação

Dell Server PRO Management Pack 4.0 para o Microsoft System Center Virtual Machine Manager Guia de instalação Dell Server PRO Management Pack 4.0 para o Microsoft System Center Virtual Machine Manager Guia de instalação Notas, avisos e advertências NOTA: uma NOTA indica informações importantes que ajudam você

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Software Anti-Spyware Enterprise Module versão 8.0

Software Anti-Spyware Enterprise Module versão 8.0 Software Anti-Spyware Enterprise Module versão 8.0 Guia O que é o Anti-Spyware Enterprise Module? O McAfee Anti-Spyware Enterprise Module complementa o VirusScan Enterprise 8.0i para ampliar sua capacidade

Leia mais

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7) SafeNet Authentication Client 8.2 SP1 (Para MAC OS 10.7) 2/28 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Tokens Homologados... 4 5 Instruções de Instalação...

Leia mais

INICIALIZAÇÃO RÁPIDA. 1 Insira o CD 1 ou DVD do Novell Linux Desktop na unidade e reinicialize o computador para iniciar o programa de instalação.

INICIALIZAÇÃO RÁPIDA. 1 Insira o CD 1 ou DVD do Novell Linux Desktop na unidade e reinicialize o computador para iniciar o programa de instalação. Novell Linux Desktop www.novell.com 27 de setembro de 2004 INICIALIZAÇÃO RÁPIDA Bem-vindo(a) ao Novell Linux Desktop O Novell Linux* Desktop (NLD) oferece um ambiente de trabalho estável e seguro equipado

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 18 de fevereiro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é

Leia mais

Laplink PCmover Express A Maneira Mais Fácil de Migrar para um Novo PC Windows. Guia do Usuário

Laplink PCmover Express A Maneira Mais Fácil de Migrar para um Novo PC Windows. Guia do Usuário Laplink PCmover Express A Maneira Mais Fácil de Migrar para um Novo PC Windows Guia do Usuário Serviço de Atendimento ao Cliente/ Suporte Técnico Site: http://www.laplink.com/index.php/por/contact E-mail:

Leia mais

Asset Inventory Service (AIS)

Asset Inventory Service (AIS) Asset Inventory Service (AIS) Última revisão feita em 02 de Setembro de 2008. Objetivo Neste artigo veremos detalhes sobre o Asset Inventory Service (AIS), um serviço disponível através do System Center

Leia mais

Shavlik Protect. Guia de Atualização

Shavlik Protect. Guia de Atualização Shavlik Protect Guia de Atualização Copyright e Marcas comerciais Copyright Copyright 2009 2014 LANDESK Software, Inc. Todos os direitos reservados. Este produto está protegido por copyright e leis de

Leia mais

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 -

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 - 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de Gestão de Conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.1 ExpressoMG 14/10/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

Kaseya 2. Guia do usuário. Version R8. Português

Kaseya 2. Guia do usuário. Version R8. Português Kaseya 2 vpro Guia do usuário Version R8 Português Outubro 23, 2014 Agreement The purchase and use of all Software and Services is subject to the Agreement as defined in Kaseya s Click-Accept EULATOS as

Leia mais

Qlik Sense Desktop. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Qlik Sense Desktop. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik Sense Desktop Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik, QlikTech,

Leia mais

administração Guia de BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1

administração Guia de BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 Guia de administração Publicado: 16/01/2014 SWD-20140116140606218 Conteúdo 1 Primeiros passos... 6 Disponibilidade de recursos administrativos... 6 Disponibilidade

Leia mais

BlackBerry Enterprise Server

BlackBerry Enterprise Server BlackBerry Enterprise Server Versão: 5.0 Service pack: 3 Guia de monitoramento Publicado: 2011-04-02 SWD-1398426-0402045748-012 Conteúdo 1 Solução de monitoramento do BlackBerry Enterprise Server... 5

Leia mais

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP Obrigado por utilizar os produtos Dimy s. Antes de operar o equipamento, leia atentamente as instruções deste manual para obter um desempenho adequado. Por favor,

Leia mais

LICENCIAMENTO V14 USANDO REPRISE LICENSE MANAGER

LICENCIAMENTO V14 USANDO REPRISE LICENSE MANAGER LICENCIAMENTO V14 USANDO REPRISE LICENSE MANAGER V14 de BricsCAD vem com um novo sistema de licenciamento, com base na tecnologia de licenciamento de Reprise Software. Este novo sistema oferece um ambiente

Leia mais

4.0 SP2 (4.0.2.0) maio 2015 708P90911. Xerox FreeFlow Core Guia de Instalação: Windows 8.1 Update

4.0 SP2 (4.0.2.0) maio 2015 708P90911. Xerox FreeFlow Core Guia de Instalação: Windows 8.1 Update 4.0 SP2 (4.0.2.0) maio 2015 708P90911 2015 Xerox Corporation. Todos os direitos reservados. Xerox, Xerox com a marca figurativa e FreeFlow são marcas da Xerox Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros

Leia mais

GUIA RÁPIDO SUPLEMENTO. Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5013 Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5014 PORTUGUÊS

GUIA RÁPIDO SUPLEMENTO. Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5013 Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5014 PORTUGUÊS GUIA RÁPIDO SUPLEMENTO Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5013 Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5014 PORTUGUÊS Guia Rápido Suplemento da câmera AXIS M5013/M5014 Página 3 AXIS M5013/M5014 Guia Rápido Suplemento

Leia mais

Kaseya 2. Dados de exibição rápida. Version R8. Português

Kaseya 2. Dados de exibição rápida. Version R8. Português Kaseya 2 Software Deployment and Update Dados de exibição rápida Version R8 Português Outubro 23, 2014 Agreement The purchase and use of all Software and Services is subject to the Agreement as defined

Leia mais

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Índice ANTES DE VOCÊ COMEÇAR... 4 PRÉ-REQUISITOS... 4 SCREEN SHOTS... 4 A QUEM SE DESTINA ESTE MANUAL... 4 COMO UTILIZAR ESTE MANUAL... 4 Introdução... 5 INSTALANDO

Leia mais

Symantec Backup Exec 2010. Guia de Instalação Rápida

Symantec Backup Exec 2010. Guia de Instalação Rápida Symantec Backup Exec 2010 Guia de Instalação Rápida 20047221 Instalação do Backup Exec Este documento contém os seguintes tópicos: Requisitos do sistema Antes da instalação Sobre a conta de serviço do

Leia mais

Qlik Sense Cloud. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Qlik Sense Cloud. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik Sense Cloud Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik, QlikTech,

Leia mais

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 SP1

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 SP1 Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 SP1 Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 SP1 CARTÃO DE INICIALIZAÇÃO RÁPIDA NOVELL Use os seguintes procedimentos

Leia mais

para Mac Guia de Inicialização Rápida

para Mac Guia de Inicialização Rápida para Mac Guia de Inicialização Rápida O ESET Cybersecurity fornece proteção de última geração para o seu computador contra código malicioso. Com base no ThreatSense, o primeiro mecanismo de verificação

Leia mais

Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Administração de Canais. Red Hat Network Satellite

Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Administração de Canais. Red Hat Network Satellite Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Administração de Canais Red Hat Network Satellite Guia de Administração de Canais Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Administração de Canais Red Hat Network Satellite

Leia mais

Guia de atualização passo a passo do Windows 8 CONFIDENCIAL 1/53

Guia de atualização passo a passo do Windows 8 CONFIDENCIAL 1/53 Guia de passo a passo do Windows 8 CONFIDENCIAL 1/53 Índice 1. 1. Processo de configuração do Windows 8 2. Requisitos do sistema 3. Preparações 2. 3. usando 4. usando o DVD de 5. usando o DVD de 6. 1.

Leia mais

Online Help StruxureWare Data Center Expert

Online Help StruxureWare Data Center Expert Online Help StruxureWare Data Center Expert Version 7.2.7 Appliance virtual do StruxureWare Data Center Expert O servidor do StruxureWare Data Center Expert 7.2 está agora disponível como um appliance

Leia mais

Guia passo a passo de introdução ao Microsoft Windows Server Update Services

Guia passo a passo de introdução ao Microsoft Windows Server Update Services Guia passo a passo de introdução ao Microsoft Windows Server Update Services Microsoft Corporation Publicação: 14 de março de 2005 Autor: Tim Elhajj Editor: Sean Bentley Resumo Este documento fornece instruções

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gestão de Documentos Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário Os Módulos do Gerenciador de NFe: Informações Básicas Primeiro Acesso: Requisitos Acesso ao Drive Contábil Nasajon

Leia mais

Geração e instalação de Certificado APNS

Geração e instalação de Certificado APNS Geração e instalação de Certificado APNS Manual Rápido para geração e instalação de um Certificado APNS Apple Versão: x.x Manual rápido MobiDM para Certificado APNS Página 1 Índice 1. CERTIFICADO APNS

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento do Jboss do Nimsoft jboss série 1.3 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Snap Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL url_response série 4.1 Avisos legais Copyright 2013, CA. Todos os direitos reservados. Garantia

Leia mais

MozyPro Guia do administrador Publicado: 2013-07-02

MozyPro Guia do administrador Publicado: 2013-07-02 MozyPro Guia do administrador Publicado: 2013-07-02 Sumário Prefácio: Prefácio...vii Capítulo 1: Apresentação do MozyPro...9 Capítulo 2: Noções básicas sobre os Conceitos do MozyPro...11 Noções básicas

Leia mais

Guia de introdução. Para os administradores do programa DreamSpark

Guia de introdução. Para os administradores do programa DreamSpark Guia de introdução Para os administradores do programa DreamSpark Este documento destaca as funções básicas necessárias para configurar e gerenciar seu ELMS na WebStore do DreamSpark. Versão 2.4 05.06.12

Leia mais

Schneider Electric License Manager

Schneider Electric License Manager Schneider Electric License Manager EIO0000001076 11/2012 Schneider Electric License Manager Manual do usuário 12/2012 EIO0000001076.01 www.schneider-electric.com A informação fornecida nestes documentos

Leia mais

Gerenciador de Conteúdo Magellan 2.0

Gerenciador de Conteúdo Magellan 2.0 Gerenciador de Conteúdo Magellan 2.0 Instalando o Gerenciador de Conteúdo Magellan. 1. Baixe o Gerenciador de Conteúdo Magellan de www.magellangps.com. 2. Dê um duplo clique no arquivo CM_Setup que foi

Leia mais

Online Help InfraStruXure Central

Online Help InfraStruXure Central Online Help InfraStruXure Central Version 5.0.0 Sobre a Ajuda A Ajuda está sempre disponível e pode ser exibida e iniciada de várias formas. Os tópicos relevantes podem ser impressos da janela do navegador

Leia mais

Fedora 15. Imagens Fedora live. Como utilizar a imagem Fedora live. Paul W. Frields Nelson Strother Nathan Thomas

Fedora 15. Imagens Fedora live. Como utilizar a imagem Fedora live. Paul W. Frields Nelson Strother Nathan Thomas Fedora 15 Imagens Fedora live Como utilizar a imagem Fedora live Paul W. Frields Nelson Strother Nathan Thomas Copyright 2011 Red Hat, Inc. and others. The text of and illustrations in this document are

Leia mais

Solução de gerenciamento de sistemas Dell KACE K1000 Versão 5.5. Guia de gerenciamento de ativos. Julho de 2013

Solução de gerenciamento de sistemas Dell KACE K1000 Versão 5.5. Guia de gerenciamento de ativos. Julho de 2013 Solução de gerenciamento de sistemas Dell KACE K1000 Versão 5.5 Guia de gerenciamento de ativos Julho de 2013 2004-2013 Dell, Inc. Todos os direitos reservados. Qualquer forma de reprodução deste material

Leia mais

Guia de Instalação. NSi AutoStore TM 6.0

Guia de Instalação. NSi AutoStore TM 6.0 Guia de Instalação NSi AutoStore TM 6.0 SUMÁRIO PREREQUISITES... 3 INSTALLATION: UPGRADING FROM AUTOSTORE 5.0... 4 INSTALLATION: NEW INSTALLATION... 8 LICENSING... 17 GETTING STARTED... 34 2012 Notable

Leia mais

Guia de Inicialização para o Macintosh

Guia de Inicialização para o Macintosh Intralinks VIA Versão 2.0 Guia de Inicialização para o Macintosh Suporte 24/7/365 da Intralinks EUA: +1 212 543 7800 Reino Unido: +44 (0) 20 7623 8500 Consulte a página de logon da Intralinks para obter

Leia mais

Manual do KWallet. George Staikos Lauri Watts Desenvolvedor: George Staikos Tradução: Marcus Gama Tradução: André Marcelo Alvarenga

Manual do KWallet. George Staikos Lauri Watts Desenvolvedor: George Staikos Tradução: Marcus Gama Tradução: André Marcelo Alvarenga George Staikos Lauri Watts Desenvolvedor: George Staikos Tradução: Marcus Gama Tradução: André Marcelo Alvarenga 2 Conteúdo 1 Introdução 5 1.1 Criar uma carteira...................................... 5

Leia mais

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 NOVELL CARTÃO DE INICIALIZAÇÃO RÁPIDA Use os seguintes procedimentos para instalar uma nova versão do SUSE Linux Enterprise 11. Este documento

Leia mais

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Autor: Alexandre F. Ultrago E-mail: ultrago@hotmail.com 1 Infraestrutura da rede Instalação Ativando o usuário root Instalação do Webmin Acessando o Webmin

Leia mais

Solução de acessibilidade. Guia do administrador

Solução de acessibilidade. Guia do administrador Solução de acessibilidade Guia do administrador Julho de 2014 www.lexmark.com Conteúdo 2 Conteúdo Visão geral...3 Configurando o aplicativo...4 Configurando o acesso do usuário...4 Desativando funções

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

Manual do Software. HP SimpleSave. Software de Backup Manual do Usuário. SimpleSave

Manual do Software. HP SimpleSave. Software de Backup Manual do Usuário. SimpleSave HP SimpleSave Software de Backup Manual do Usuário Manual do Software SimpleSave Para obter Ajuda Para mais ajuda com o seu drive, sua instalação e o software, entre em contato com: Suporte Web de Atendimento

Leia mais

Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL...

Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL... Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL...4 Configurações iniciais...5 Arquivo sudoers no Sistema Operacional

Leia mais

Expresso Livre Correio Eletrônico

Expresso Livre Correio Eletrônico Expresso Livre Correio Eletrônico 1. EXPRESSO LIVRE Para fazer uso desta ferramenta de correio eletrônico acesse seu Navegador de Internet e digite o endereço eletrônico expresso.am.gov.br. Figura 1 A

Leia mais

System Handle ou Referência de Conta de Suporte: Identificação de Contrato de Serviço:

System Handle ou Referência de Conta de Suporte: Identificação de Contrato de Serviço: HP 690 East Middlefield Road Mt. View, CA 94043, EUA Resposta de Clientes N.º (650) 960-5040 System Handle ou Referência de Conta de Suporte: Identificação de Contrato de Serviço: IMPORTANTE: Todos os

Leia mais

Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise

Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise Índice Introdução 2 Interface administrativa 2 Status 2 Minha conta 3 Opções 3 Equipes de suporte 4 Jumpoint 5 Jump Clients 6 Bomgar Button 6 Mensagens

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5

Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5 Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5 09 de julho de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação

Leia mais

Instalação do software e das opções para os sistemas Polycom HDX e acessórios

Instalação do software e das opções para os sistemas Polycom HDX e acessórios Instalação do software e das opções para os sistemas Polycom HDX e acessórios Quando você atualiza o software Polycom ou adquire opções adicionais do sistema, sua organização pode continuar a usufruir

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento de virtualização da Red Hat Enterprise rhev série 1.2 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Snap Este sistema de ajuda online (o Sistema

Leia mais

Guia rápido de introdução do McAfee VirusScan Plus

Guia rápido de introdução do McAfee VirusScan Plus Proteção essencial para PC McAfee VirusScan Plus oferece antivírus, antispyware e proteção de mão dupla por firewall para o seu PC. Inclui ainda ferramentas de PC e de rede, além do McAfee SiteAdvisor

Leia mais

A versão SonicOS Standard 3.9 conta com suporte nos seguintes equipamentos do SonicWALL: SonicWALL TZ 180 SonicWALL TZ 180 Wireless

A versão SonicOS Standard 3.9 conta com suporte nos seguintes equipamentos do SonicWALL: SonicWALL TZ 180 SonicWALL TZ 180 Wireless SonicOS Notas de versão do SonicOS Standard 3.9.0.1 para TZ 180/180W Conteúdo Conteúdo... 1 Compatibilidade da plataforma... 1 Como alterar o idioma da interface gráfica do usuário... 2 Aprimoramentos...

Leia mais

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL. url_response série 4.1

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL. url_response série 4.1 CA Nimsoft Monitor Guia do Probe Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL url_response série 4.1 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se

Leia mais

Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7

Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7 Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7 Use esta lista de verificação para ter certeza de que você está aproveitando todas as formas oferecidas pelo Windows para ajudar a manter o seu

Leia mais

Guia do usuário para o serviço IM e Presence no Cisco Unified Communications Manager, Versão 9.0(1)

Guia do usuário para o serviço IM e Presence no Cisco Unified Communications Manager, Versão 9.0(1) Guia do usuário para o serviço IM e Presence no Cisco Unified Communications Manager, Versão 9.0(1) Primeira publicação: May 25, 2012 Americas Headquarters Cisco Systems, Inc. 170 West Tasman Drive San

Leia mais