e ISEL População média desempregada e Taxa de desemprego (%), por Grupo etário e Nível de escolaridade mais elevado completo, Junho de 2011 e

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "e ISEL População média desempregada e Taxa de desemprego (%), por Grupo etário e Nível de escolaridade mais elevado completo, Junho de 2011 e"

Transcrição

1 Índice Índice Folha Conteúdo Todos cursos empregabilidade por curso, por semestre, nos cursos de Bolonha Diurno empregabilidade por curso diurno, por semestre, nos cursos de Bolonha Jun-11 Desempregados por curso (Junho de 2011), diplomados de a e taxa de empregabilidade Dez-10 Desempregados por curso (Dezembro de 2010), diplomados de a e taxa de empregabilidade Jun-10 Desempregados por curso (Junho de 2010), diplomados de a e taxa de empregabilidade Dez-09 Desempregados por curso (Dezembro de 2009), diplomados de a e taxa de empregabilidade Jun-09 Desempregados por curso (Junho de 2009), diplomados de e e taxa de empregabilidade Dez-08 Desempregados por curso (Dezembro de 2008), diplomados de e e taxa de empregabilidade Jun-08 Desempregados por curso (Junho de 2008), diplomados de e taxa de empregabilidade Tempo Espera Desempregados por curso, situação de procura de emprego e tempo de inscrição, Junho de 2011 e Dezembro de 2010 Desempregados, por subsistema de ensino, Junho de 2011 e Junho de 2010 (Continente), diplomados nos últimos 10 anos lectivos, taxa de desemprego Subsistema Ensino e ISEL População média desempregada e desemprego (), por Grupo etário e Nível de escolaridade mais elevado completo, Junho de 2011 e Nacional Dezembro de 2010 DESEMPREGO DE DIPLOMADOS Informação estatística semestral Introdução Os dados aqui apresentados podem ser consultados, de uma forma mais completa, no ficheiro de Excel disponível em A. Âmbito da informação Os residentes no Continente inscritos como desempregados nos Centros do Instituto do Emprego e Formação Profissional em 30 de Junho de 2011 que declararam ser titulares de uma habilitação superior nacional ou estrangeira a que foi concedida equivalência a um curso português. B. Fontes Os dados sobre desempregados constantes dos quadros (Continente) têm como fonte o Sistema de Gestão e Informação da Área do Emprego (SIGAE) do Instituto do Emprego e Formação Profissional. Os dados sobre diplomados têm como fonte o inquérito estatístico anual realizado pelo Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Educação e Ciência, disponíveis em: C. Conceitos básicos Desempregado: A pessoa inscrita num Centro, que não tem trabalho, procura um emprego como trabalhador por conta de outrem, está imediatamente disponível e tem capacidade para o trabalho. Situação de procura de emprego: Desempregado à procura de primeiro emprego: O desempregado que nunca teve emprego. Desempregado à procura de novo emprego: O desempregado que já teve um emprego. Inclui os que, tendo-se retirado da vida activa, qualquer que tenha sido o motivo e duração da interrupção, desejem reingressar. Inclui igualmente os que tenham trabalhado como familiares não remunerados e os que trabalharam por conta própria. 1 Desempregado com habilitação superior: O desempregado titular de um grau académico de bacharelato, licenciatura, mestrado ou doutoramento. 1 Os três conceitos supra têm como fonte o Instituto do Emprego e Formação Profissional, em Página 1 de 13

2 Todos cursos Tabela 1 - empregabilidade por curso, por semestre, nos cursos de Bolonha Jun-08 Dez-08 Jun-09 Dez-09 Jun-10 Dez-10 Jun (regime pós-laboral) 9089 Eng. Civil Eng. Electrotécnica Eng. Informática e de Eng. Mecânica Eng. Química e Biológica Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia (3) Eng. Civil (pós-laboral) 9883 Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia (pós-laboral) (3) 9884 Eng. Electrotécnica (pós-laboral) Eng. Mecânica (pós-laboral) Eng. Química e Biológica (pós-laboral) (3) M406 Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia 6357 Eng. de Electrónica e Telecomunicações Eng. Electrotécnica 6361 Eng. Mecânica 6362 Eng. Química Eng. Informática e de 9569 Eng. Civil Empregabilidade do ISEL = Não se concluiu um ciclo de estudos completo (3) sem diplomados até este período Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL. Página 2 de 13

3 Diurno Tabela 2 - empregabilidade por curso diurno, por semestre, nos cursos de Bolonha Jun-08 Dez-08 Jun-09 Dez-09 Jun-10 Dez-10 Jun-11 Eng. Civil Eng. Informática e de Eng. Electrotécnica Eng. Mecânica Eng. Química e Biológica Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia (3) Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia Eng. de Electrónica e Telecomunicações Eng. Electrotécnica Eng. Mecânica Eng. Química Eng. Informática e de Eng. Civil Não se concluiu um ciclo de estudos completo (3) sem diplomados até este período Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL. Página 3 de 13

4 Jun Tabela 3 - Empregabilidade Desempregados por curso (Junho de 2011), diplomados de a e taxa de empregabilidade (regime pós-laboral) Diplomados de a teve inicio no ano lectivo em 2009/ Eng. Civil Eng. Electrotécnica Eng. Informática e de Eng. Mecânica Eng. Química e Biológica Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia Eng. Civil (pós-laboral) Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia (pós-laboral) Eng. Electrotécnica (pós-laboral) Eng. Mecânica (pós-laboral) Eng. Química e Biológica (pós-laboral) 0 0 M406 Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia teve inicio no ano lectivo em 2010/ Eng. de Electrónica e Telecomunicações Eng. Electrotécnica Eng. Mecânica Eng. Química Eng. Informática e de Eng. Civil Total = sem diplomados até este período Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL. Página 4 de 13

5 Dez Diplomados de a M406 Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia teve inicio no ano lectivo em 2010/ Eng. de Electrónica e Telecomunicações Tabela 4 - Empregabilidade Desempregados por curso (Dezembro de 2010), diplomados de a e taxa de empregabilidade (regime pós-laboral) Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia (pós-laboral) teve inicio no ano lectivo em 2009/ Eng. Civil Eng. Electrotécnica Eng. Informática e de Eng. Mecânica Eng. Química e Biológica Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia Eng. Civil (pós-laboral) Eng. Electrotécnica (pós-laboral) Eng. Mecânica (pós-laboral) 1 0 (3) 9887 Eng. Química e Biológica (pós-laboral) 0 0 Eng. Electrotécnica 0 12 Eng. Mecânica Eng. Química Eng. Informática e de Eng. Civil Total = sem diplomados até este período (3) teve o registo de uma inscrição de um diplomado no IEFP não tendo havido qualquer diplomado deste curso até 31 de Dezembro de 2010 Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL. Página 5 de 13

6 Jun Tabela 5 - Empregabilidade Desempregados por curso (Junho de 2010), diplomados de a e taxa de empregabilidade (regime pós-laboral) 9089 Eng. Civil 24 Diplomados de a teve inicio no ano lectivo em 2009/ Eng. Electrotécnica Eng. Informática e de Eng. Mecânica Eng. Química e Biológica Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia 0 0 (3) 9881 Eng. Civil (pós-laboral) Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia (pós-laboral) Eng. Electrotécnica (pós-laboral) Eng. Mecânica (pós-laboral) Eng. Química e Biológica (pós-laboral) 0 0 M406 Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia teve inicio no ano lectivo em 2010/ Eng. de Electrónica e Telecomunicações Eng. Electrotécnica Eng. Mecânica Eng. Química Eng. Informática e de Eng. Civil Total = teve inicio no ano lectivo em 2007/2008 e não se concluiu um ciclo de estudos completo até 31 de Dezembro de 2009 (3) sem diplomados até este período Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL. Página 6 de 13

7 Dez09 Tabela 6 - Empregabilidade Desempregados por curso (Dezembro de 2009), diplomados de a e taxa de empregabilidade 9089 Eng. Civil 11 Diplomados de a Eng. Electrotécnica Eng. Informática e de Eng. Mecânica Eng. Química e Biológica Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia 0 0 (3) 9881 Eng. Civil (pós-laboral) Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia (pós-laboral) Eng. Electrotécnica (pós-laboral) Eng. Mecânica (pós-laboral) Eng. Química e Biológica (pós-laboral) 0 0 M406 Eng. de Redes de Comunicação e Multimédia teve inicio no ano lectivo em 2010/ Eng. de Electrónica e Telecomunicações Eng. Electrotécnica Eng. Mecânica Eng. Química Eng. Informática e de Eng. Civil Total = teve inicio no ano lectivo em 2007/2008 e não se concluiu um ciclo de estudos completo até 31 de Dezembro de 2009 (3) sem diplomados até este período Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL. Página 7 de 13

8 Jun09 Desempregados por curso (Junho de 2009), diplomados de e e taxa de empregabilidade Diplomados em e Eng. Civil Tabela 7 - Empregabilidade Eng. Electrotécnica Eng. Informática e de Eng. Mecânica Eng. Química e Biológica Total = Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL. Página 8 de 13

9 Dez08 Desempregados por curso (Dezembro de 2008), diplomados de e e taxa de empregabilidade Diplomados em e Eng. Civil Tabela 8 - Empregabilidade Eng. Electrotécnica Eng. Informática e de Eng. Mecânica Eng. Química e Biológica Total = Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL. Página 9 de 13

10 Jun08 Tabela 9 - Empregabilidade Desempregados por curso (Junho de 2008), diplomados de e taxa de empregabilidade Diplomados em 9089 Eng. Civil Eng. Electrotécnica Eng. Informática e de Eng. Mecânica Eng. Química e Biológica Total = Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL. Página 10 de 13

11 Tempo Espera Tabela 10 - Desempregados por curso, situação de procura de emprego e tempo de inscrição nos cursos de Bolonha, Junho de 2011 curso de Registos 1.º emprego Novo emprego < 12 meses 12 meses < 12 meses 12 meses 9089 Eng. Civil Eng. Electrotécnica Eng. Informática e de Total 9123 Eng. Mecânica Eng. Química e Biológica Eng. de Electrónica e Telecomunicações Eng. Mecânica Eng. Química Eng. Civil TOTAL = Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL Tabela 11 - Desempregados por curso, situação de procura de emprego e tempo de inscrição nos cursos de Bolonha, Dezembro de 2010 curso de Registos 1.º emprego Novo emprego < 12 meses 12 meses < 12 meses 12 meses 9089 Eng. Civil Eng. Electrotécnica Eng. Informática e de Eng. Mecânica Total 9126 Eng. Química e Biológica Eng. Mecânica (pós-laboral) Eng. de Electrónica e Telecomunicações Eng. Química Eng. Civil TOTAL = Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL Página 11 de 13

12 Subsistema Ensino Tabela 12 - Desempregados, por subsistema de ensino, Junho de 2011 (Continente), diplomados de a , taxa de desemprego e ISEL Ensino Público Ensino Privado TOTAL Desempregados Diplomados Taxa Desemprego Universitário Politécnico Total Universitário Politécnico Total (1) Diplomados de a ISEL 125 0,3 (1) ,3 5 Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL Tabela 13 - Desempregados, por subsistema de ensino, Junho de 2010 (Continente), diplomados de a , taxa de desemprego e ISEL Ensino Público Ensino Privado Desempregados Diplomados Taxa Desemprego Universitário Politécnico Total Universitário Politécnico Total TOTAL Diplomados de a ISEL 101 0, ,2 6 Fontes: Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social; Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL Página 12 de 13

13 Nacional Tabela 14 - População média desempregada e desemprego (), por Grupo etário e Nível de escolaridade mais elevado completo, Junho de 2011 Grupo etário Total Nenhum Básico 1º Ciclo Básico 2º Ciclo Básico 3º Ciclo Secundário e pós-secundário Superior Total , , , , , , anos 115, o 2,9 3 15, , , , anos 184,1 27 3,8 2 13,1 7 28, , , , anos 157,5 23 7,0 4 20, , , , , anos 216, ,9 6 89, , , , , e mais anos 1,7 0 0 o 0, o - o : Desvio do padrão de qualidade/coeficiente de variação elevado -: Dado nulo ou não aplicável o: Dado inferior a metade do módulo da unidade utilizada Fonte: INE, Inquérito ao Emprego; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL Tabela 15 - População média desempregada e desemprego (), por Grupo etário e Nível de escolaridade mais elevado completo, Dezembro de 2010 Grupo etário Total Nenhum Básico 1º Ciclo Básico 2º Ciclo Básico 3º Ciclo Secundário e pós-secundário Superior Total 602, , , , , , anos 95,4 0,6 1 4,5 5 14, , , , anos 181,3 3,3 2 13,5 7 35, , , , anos 142,8 4,1 3 29, , , ,7 17 9, anos 181,3 11,3 6 82, , , ,8 9 8, e mais anos 1,8 83 1,0 56 0, o o o : Desvio do padrão de qualidade/coeficiente de variação elevado -: Dado nulo ou não aplicável o: Dado inferior a metade do módulo da unidade utilizada Fonte: INE, Inquérito ao Emprego; Gabinete de Avaliação e Qualidade, ISEL Página 13 de 13

Área de educação e formação. Primeiro emprego 6 a <12 meses. < 6 meses

Área de educação e formação. Primeiro emprego 6 a <12 meses. < 6 meses Quadro 8.1.1 - Desempregados registados com habilitação superior e par estabelecimento/curso válido (Continente - junho de 2014) e diplomados nos anos letivos 1983/84 a 2012/13, segundo a situação de procura

Leia mais

A procura de emprego dos Diplomados. com habilitação superior

A procura de emprego dos Diplomados. com habilitação superior RELATÓRIO A procura de emprego dos Diplomados com habilitação superior Dezembro 2007 Fevereiro, 2008 Ficha Técnica Título A procura de emprego dos diplomados com habilitação superior Autor Gabinete de

Leia mais

Índice. Indicadores Escolarização

Índice. Indicadores Escolarização NUT III Península de Índice População com 3º Ciclo do Ensino Básico (%)...3 População com Ensino Superior (%)...4 Taxa de Abandono Escolar...5 Taxa de Analfabetismo...5 Taxa de Retenção e Desistência no

Leia mais

NOTAS SOBRE A PROCURA DE EMPREGO DOS DIPLOMADOS EM SOCIOLOGIA EM PORTUGAL

NOTAS SOBRE A PROCURA DE EMPREGO DOS DIPLOMADOS EM SOCIOLOGIA EM PORTUGAL NOTAS SOBRE A PROCURA DE EMPREGO DOS DIPLOMADOS EM SOCIOLOGIA EM PORTUGAL Os dados disponibilizados pelo Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério da Ciência,

Leia mais

Novembro de 2008 ISBN: 978-972-614-430-4. Desenho gráfico: WM Imagem Impressão: Editorial do Ministério da Educação Tiragem: 5 000 exemplares

Novembro de 2008 ISBN: 978-972-614-430-4. Desenho gráfico: WM Imagem Impressão: Editorial do Ministério da Educação Tiragem: 5 000 exemplares Título: Educação em Números - Portugal 2008 Autoria: Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE)/Ministério da Educação Edição: Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE)/Ministério

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Título Perfil do Docente 2010/2011 Línguas estrangeiras

FICHA TÉCNICA. Título Perfil do Docente 2010/2011 Línguas estrangeiras FICHA TÉCNICA Título Perfil do Docente 2010/2011 Línguas estrangeiras Autoria Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) Direção de Serviços de Estatísticas da Educação (DSEE) Divisão

Leia mais

Documento Metodológico

Documento Metodológico Documento Metodológico Designação da operação estatística: Inquérito aos Alunos com Necessidades Especiais de Educação Sigla da operação estatística: Inq. NEE Código da operação estatística: 418 Código

Leia mais

TRANSIÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS SOCIAIS PARA O CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS (1º CICLO), ADEQUADO A BOLONHA

TRANSIÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS SOCIAIS PARA O CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS (1º CICLO), ADEQUADO A BOLONHA TRANSIÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS SOCIAIS PARA O CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS (1º CICLO), ADEQUADO A BOLONHA O presente de regime de transição entrará em vigor, na Universidade Aberta, no ano

Leia mais

Índice. Indicadores Emprego

Índice. Indicadores Emprego NUT III Península de Índice População Residente Empregada Setor Primário (%)... 3 População Residente Empregada Setor Secundário (%)... 3 População Residente Empregada Setor Terciário (%)... 4 População

Leia mais

Análise da proposta de deliberação das alterações do Preçário da Universidade Aberta

Análise da proposta de deliberação das alterações do Preçário da Universidade Aberta Análise da proposta de deliberação das alterações do Preçário da Universidade Aberta A Associação Académica da Universidade Aberta analisou com atenção a proposta de deliberação da alteração ao Preçário

Leia mais

da Uniiversiidade de Évora

da Uniiversiidade de Évora Universidade de Évora Rellatóriio sobre o Inquériito aos Liicenciiados da Uniiversiidade de Évora Pró-Reitoria para a Avaliação e Política da Qualidade Jacinto Vidigal da Silva Luís Raposo Julho de 2010

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS. 1.ª Edição 2011-2012

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS. 1.ª Edição 2011-2012 INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS 1.ª Edição 2011-2012 Nos termos do disposto no artigo 8.º, n.º 1, a), do Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior, aprovado

Leia mais

João Miguel Silva Presidente da Área Departamental de Engenharia Química, ISEL

João Miguel Silva Presidente da Área Departamental de Engenharia Química, ISEL João Miguel Silva Presidente da Área Departamental de Engenharia Química, ISEL FORMAÇÃO EM ENGª QUÍMICA E BIOLÓGICA: AS PERSPECTIVAS DAS ESCOLAS E DOS EMPREGADORES OE 10/11/2011 Um pouco de história Área

Leia mais

O GABINETE DE SAÍDAS PROFISSIONAIS EM NÚMEROS

O GABINETE DE SAÍDAS PROFISSIONAIS EM NÚMEROS Desde a sua criação, a Universidade da Beira Interior tem vindo a desempenhar a sua missão como centro de criação, transmissão e difusão de cultura, de ciência e de tecnologia, com uma forte ênfase na

Leia mais

ÍNDICE. Que expectativas académicas, que organização do estudo e conciliação entre estudos e emprego? 6

ÍNDICE. Que expectativas académicas, que organização do estudo e conciliação entre estudos e emprego? 6 Relatório Síntese: Perfil do Trabalhador-Estudante do IST Introdução ÍNDICE Qual a proporção de trabalhadores-estudantes no IST nos últimos 5 anos lectivos? 2 Qual a População-alvo deste inquérito? 2 A

Leia mais

Plano de transição e equivalências

Plano de transição e equivalências Adequação a Bolonha Curso: Gestão Plano de transição e equivalências -I- REGRAS DE TRANSIÇÃO: 1. Os alunos inscritos no ano lectivo 2005/06 nos 1º e 2º ano do 1º ciclo do curso actual, transitam obrigatoriamente

Leia mais

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS MARÍTIMAS COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS ANÁLISE ESTATÍSTICA DOS INQUÉRITOS REALIZADOS AOS ALUNOS DO

Leia mais

Doutora Isabel Barros Dias e-mail: isabelbd@univ-ab.pt Doutora Maria do Rosário Lupi Bello e-mail: rosario@univ-ab.pt

Doutora Isabel Barros Dias e-mail: isabelbd@univ-ab.pt Doutora Maria do Rosário Lupi Bello e-mail: rosario@univ-ab.pt TRANSIÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LÍNGUAS E LITERATURAS MODERNAS VARIANTE DE ESTUDOS PORTUGUESES E ALEMÃES PARA O CURSO DE LICENCIATURA EM LÍNGUAS, LITERATURAS E CULTURAS ESTUDOS PORTUGUESES (MAIOR

Leia mais

PERFIL DO ALUNO 2008/2009

PERFIL DO ALUNO 2008/2009 PERFIL DO ALUNO 2008/2009 FICHA TÉCNICA Título Perfil do Aluno 2008/2009 Autoria Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE) Direcção de Serviços de Estatística Edição Gabinete de Estatística

Leia mais

S. R. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR AVISO

S. R. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR AVISO AVISO Considerando o valor da variação do índice médio de preços no consumidor no continente relativo ao ano anterior, excluindo a habitação, publicado pelo Instituto Nacional de Estatística; Ao abrigo

Leia mais

Definições e alguns aspetos da codificação e validação

Definições e alguns aspetos da codificação e validação Definições e alguns aspetos da codificação e validação 1 Número do processo Número associado ao aluno pelo estabelecimento de ensino superior. Preferencialmente, o número do processo do aluno associado

Leia mais

REGULAMENTO DO MESTRADO EM TEATRO, ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO TEATRO E COMUNIDADE

REGULAMENTO DO MESTRADO EM TEATRO, ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO TEATRO E COMUNIDADE REGULAMENTO DO MESTRADO EM TEATRO, ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO TEATRO E COMUNIDADE INTRODUÇÃO O Mestrado em Teatro, área de especialização em Teatro e Comunidade, é um programa de segundo ciclo, constituído

Leia mais

Gráfico de Barras. Página 3 de 21 30/06/2014 11:12:02. A renda total mensal de sua família se situa na faixa: A menos de 01 salário mínimo (R$ 678,00)

Gráfico de Barras. Página 3 de 21 30/06/2014 11:12:02. A renda total mensal de sua família se situa na faixa: A menos de 01 salário mínimo (R$ 678,00) Questão: 1 Qual o nível de instrução do seu pai? Página 1 de 21 30/06/2014 11:11:58 A Sem Escolaridade 421 B Nível fundamental incompleto (1º Grau) 2996 C Nível fundamental completo (1º Grau) 1226 D Nível

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento dá cumprimento ao estabelecido no Regulamento dos Cursos de Pós-Graduação

Leia mais

Figura 1: Processo de implementação da Rede Social. 04

Figura 1: Processo de implementação da Rede Social. 04 Índice de Quadros, Gráficos, Imagens, Figuras e Diagramas Introdução 01 Figura 1: Processo de implementação da Rede Social. 04 Parte I: Enquadramentos da Intervenção Social no Concelho de Bragança 08 Quadro

Leia mais

Regulamento do Prémio de Mérito 2011/2012. Enquadramento

Regulamento do Prémio de Mérito 2011/2012. Enquadramento Enquadramento Lei nº 39/2010, de 2 de Setembro «CAPÍTULO VI Mérito escolar Artigo 51.º -A Prémios de mérito 1 Para efeitos do disposto na alínea h) do artigo 13.º, o regulamento interno pode prever prémios

Leia mais

ÍNDICE DE PRECARIEDADE SOCIAL DA CIDADE DE LISBOA (IPSCL)

ÍNDICE DE PRECARIEDADE SOCIAL DA CIDADE DE LISBOA (IPSCL) ÍNDICE DE PRECARIEDADE SOCIAL DA CIDADE DE LISBOA (IPSCL) IPSCL - Dados IPSCL - Índices dimensões IPSCL - Gráfico Índices dimensões IPSCL - Índice geral IPSCL - Gráfico Índice geral Conceitos Cálculos

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM CIÊNCIAS NUCLEARES APLICADAS NA SAÚDE (edição 2015-2017)

EDITAL MESTRADO EM CIÊNCIAS NUCLEARES APLICADAS NA SAÚDE (edição 2015-2017) EDITAL MESTRADO EM CIÊNCIAS NUCLEARES APLICADAS NA SAÚDE (edição 2015-) Nos termos do Decreto-Lei n.º 42/2005, de 22 de fevereiro, do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de março, com as alterações introduzidas

Leia mais

REGULAMENTO FINANCEIRO 2015/2016. Cursos de Especialização Tecnológica Cursos de 1º e 2º Ciclo

REGULAMENTO FINANCEIRO 2015/2016. Cursos de Especialização Tecnológica Cursos de 1º e 2º Ciclo REGULAMENTO FINANCEIRO 2015/2016 Cursos de Especialização Tecnológica Cursos de 1º e 2º Ciclo CANDIDATURAS 1. O pagamento da taxa de candidatura (quando aplicável) só se efetua uma única vez, desde que

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS PLANO DE ESTUDOS Componentes de Formação Total de Horas (a) (Ciclo de Formação) Componente de Formação Sociocultural Português

Leia mais

População por Nível de escolaridade mais elevado completo ensino secundário (%)

População por Nível de escolaridade mais elevado completo ensino secundário (%) Educação Taxa bruta de pré-escolarização 87,6% 87,2% 82,0% 74,4% 73,1% 70,1% 69,5% 67,5% 63,1% 53,2% 50,8% População por nível de escolaridade mais elevado completo (3º Ciclo) 23,4% 23,1% 22,9% 22,2% 22,0%

Leia mais

GUIA PRÁTICO PROVA ESCOLAR (Abono de Família para Crianças e Jovens e Bolsa de Estudo)

GUIA PRÁTICO PROVA ESCOLAR (Abono de Família para Crianças e Jovens e Bolsa de Estudo) Manual de GUIA PRÁTICO PROVA ESCOLAR (Abono de Família para Crianças e Jovens e Bolsa de Estudo) INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/20 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático

Leia mais

3 Anos de AD de pelo menos normal 2004 2001 2002 2003 2005 2002 2003 2004 2006 2003 2004 2005

3 Anos de AD de pelo menos normal 2004 2001 2002 2003 2005 2002 2003 2004 2006 2003 2004 2005 ASSUNTO: RECURSOS HUMANOS Concursos de promoção relativos aos anos de 2004, 2005 e 2006 Técnico Superior Assessor Por deliberação do Conselho Diretivo, de 25 de maio de 2015, foi autorizada a abertura

Leia mais

Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000-2001

Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000-2001 Economia dos EUA e Comparação com os períodos de - e - Clara Synek* O actual período de abrandamento da economia dos EUA, iniciado em e previsto acentuar-se no decurso dos anos /9, resulta fundamentalmente

Leia mais

Título - Os CET no Instituto Politécnico de Santarém. Autores:

Título - Os CET no Instituto Politécnico de Santarém. Autores: Título - Os CET no Instituto Politécnico de Santarém Autores: Natália Gaspar Doutora, Serviços Centrais do Instituto Politécnico de Santarém, Directora da Unidade de Formação Pós-Secundária e Formação

Leia mais

Cerca de 13% das famílias endividadas têm encargos com a dívida superiores a 40% do seu rendimento

Cerca de 13% das famílias endividadas têm encargos com a dívida superiores a 40% do seu rendimento Inquérito à Situação Financeira das Famílias 2010 25 de maio de 2012 Cerca de 13% das famílias endividadas têm encargos com a dívida superiores a 40% do seu rendimento O Inquérito à Situação Financeira

Leia mais

EDITAL Nº 012/2014 Retificado em 28/03 às 11h (item 1.8)

EDITAL Nº 012/2014 Retificado em 28/03 às 11h (item 1.8) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE REGISTROS ACADÊMICOS EDITAL Nº 012/2014 Retificado em 28/03 às 11h (item 1.8) A Diretora do Departamento

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE ACESSO A CURSOS DE MESTRADOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA.

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE ACESSO A CURSOS DE MESTRADOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA. INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE ACESSO A CURSOS DE MESTRADOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA Edição 2014-2016 Nos termos do Decreto -Lei n.º 42/2005, de pelo 22 de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS RETIFICAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS RETIFICAÇÃO RETIFICAÇÃO No Edital PROGEPE N 2 de 09 de Janeiro de 2014, publicado no Diário Oficial da União em 10 Janeiro de 2014, Seção 3, página 63: 3. QUADRO DE VAGAS Área: Engenharia Elétrica Subárea: Eletrônica

Leia mais

Relatório de Atividades e Contas 2012

Relatório de Atividades e Contas 2012 ISEL Relatório de Atividades e Contas 2012 Instituto Superior de Engenharia de Lisboa 30-09-2011 Lisboa, abril de 2013 Relatório de Atividades e Contas 2012 1 FICHA TÉCNICA Publicação editada ao abrigo

Leia mais

Educação, crescimento, equidade Não temos espaço para errar

Educação, crescimento, equidade Não temos espaço para errar Educação, crescimento, equidade Não temos espaço para errar Desafios da Educação O PNE Quantidade Qualidade Equidade Diversidade Inovação Quantidade www.observatoriodopne.org.br 1 - Educação Infantil Universalizar,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO BÁSICA

AVALIAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO BÁSICA AVALIAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO BÁSICA Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Educação Básica sobre a ESEC 4 3.2. Opinião

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO. SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO. SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO. SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº DE 05 DE MAIO DE 2008. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Ciências do Desporto

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Ciências do Desporto UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Ciências do Desporto REGULAMENTO DO MESTRADO EM ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO (2º CICLO) Artigo 1.º Criação A Universidade da

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso Página 1 de 10 REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO Preâmbulo A Portaria n.º 401/2007, de 5 de

Leia mais

Agrupamento de escolas de Coruche. CURSO PROFISSIONAL Ano lectivo 2013/2014

Agrupamento de escolas de Coruche. CURSO PROFISSIONAL Ano lectivo 2013/2014 Agrupamento de escolas de Coruche CURSO PROFISSIONAL Ano lectivo 2013/2014 Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Componente de formação: Sócio-cultural: Português Língua estrangeira I, II ou III (b) Área

Leia mais

MARTA GRAÇA, CARLA PATROCÍNIO, MARTA PILE Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) Instituto Superior Técnico (IST)

MARTA GRAÇA, CARLA PATROCÍNIO, MARTA PILE Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) Instituto Superior Técnico (IST) PERFIL DO ALUNO UNIVERSITÁRIO DO MARTA GRAÇA, CARLA PATROCÍNIO, MARTA PILE Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) Instituto Superior Técnico () 1. Introdução Esta comunicação faz uma caracterização do

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO (edição 2012-2014)

EDITAL MESTRADO EM SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO (edição 2012-2014) EDITAL MESTRADO EM SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO (edição 2012-) Nos termos do Decreto-Lei n.º 42/2005, de 22 de fevereiro, do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de março, com as alterações introduzidas pelo

Leia mais

Atribuição de Bolsas de Estudo aos Alunos do Ensino Superior. Preâmbulo

Atribuição de Bolsas de Estudo aos Alunos do Ensino Superior. Preâmbulo Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo aos Alunos do Ensino Superior Preâmbulo O desenvolvimento das sociedades democráticas exige cada vez mais políticas educativas que promovam uma efectiva

Leia mais

""" ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO DOS OBJETIVOS DO ESTUDO 1 2. ABORDAGEM METODOLÓGICA 5 2.1 Correção e reformulação da base de dados 5 2.2 Amostra 6 2.3 Análise estatística 6 PARTE I ANÁLISE DOS INDICADORES DE

Leia mais

REGULAMENTO DO MESTRADO EM TEATRO, ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO ENCENAÇÃO

REGULAMENTO DO MESTRADO EM TEATRO, ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO ENCENAÇÃO REGULAMENTO DO MESTRADO EM TEATRO, ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO ENCENAÇÃO INTRODUÇÃO O Mestrado em Teatro, área de especialização Encenação, é um programa de segundo ciclo, constituído por quatro semestres e

Leia mais

CONFERÊNCIA FINAL ECONewFARMERS. O Projeto de Ensino a Distância da Universidade de Coimbra UC_D

CONFERÊNCIA FINAL ECONewFARMERS. O Projeto de Ensino a Distância da Universidade de Coimbra UC_D CONFERÊNCIA FINAL ECONewFARMERS O Projeto de Ensino a Sílvia Nolan 1 Factos e Números Fundada em 1290 Uma das universidades mais antigas do mundo A única em Portugal até 1911 21820 alunos 2056 alunos estrangeiros

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL.

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL. INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL Edição 2015-2017 Nos termos do Decreto -Lei n.º 42/2005, de pelo 22 de Fevereiro,

Leia mais

Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra

Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento fixa as normas gerais relativas a matrículas e inscrições nos cursos do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra. Artigo 2.º Definições De

Leia mais

CONSULTEC: CONSULTORIA EM PROJETOS EDUCACIONAIS E CONCURSOS LTDA

CONSULTEC: CONSULTORIA EM PROJETOS EDUCACIONAIS E CONCURSOS LTDA CARGO: PROFESSOR EDUCAÇÃO BÁSICA LÍNGUA PORTUGUESA/LITERATURA BRASILEIRA 1) 02 21) 04 2) 02 22) 03 3) 01 23) 05 4) 04 24) 01 5) 01 25) 01 6) 04 26) 03 7) 05 27) 05 8) 03 28) 04 9) 04 29) 01 10) 01 30)

Leia mais

Diagnóstico Social CADERNO 5. EMPREGO E DESEMPREGO. Câmara Municipal de Vila Franca de Xira

Diagnóstico Social CADERNO 5. EMPREGO E DESEMPREGO. Câmara Municipal de Vila Franca de Xira Diagnóstico Social CADERNO 5. EMPREGO E DESEMPREGO Aspetos Gerais; População Residente Inativa; População Residente Ativa; Pessoas ao Serviço e Trabalhadores por Conta de Outrem; Remunerações; Duração

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575. Artigo 25.º. Artigo 20.º

Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575. Artigo 25.º. Artigo 20.º Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575 Artigo 20.º Oferta formativa e monitorização 1 A oferta formativa destinada aos activos desempregados é assegurada através de cursos de educação

Leia mais

As perguntas que esperam uma resposta

As perguntas que esperam uma resposta As perguntas que esperam uma resposta As duas referências públicas do primeiro-ministro a este caso foram feitas por escrito ao PÚBLICO e à SIC, mas nunca responderam a questões concretas. Aqui ficam as

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA 2007/2008 DEPARTAMENTO Secção Autónoma de Ciências da Saúde 1. INTRODUÇÃO Em 2003 foi criado o Mestrado em Geriatria e Gerontologia, que se iniciou no

Leia mais

Secretaria de Educação Superior Diretoria de Políticas e Programas de Graduação

Secretaria de Educação Superior Diretoria de Políticas e Programas de Graduação Secretaria de Superior Diretoria de Políticas e Programas de Graduação Proposta: para vagas remanescentes em cursos de graduação de instituições públicas e gratuitas de educação superior Sisu - Vagas Remanescentes

Leia mais

Universidade Católica Portuguesa. Escola Superior de Biotecnologia

Universidade Católica Portuguesa. Escola Superior de Biotecnologia Universidade Católica Portuguesa Escola Superior de Biotecnologia Licenciatura (1º Ciclo) em Bioengenharia Ramo Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Coordenador: Professora Doutora

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO NO ENSINO SUPERIOR

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO NO ENSINO SUPERIOR Campus Académico de Santo André Escola Superior de Tecnologia e Gestão Jean Piaget do Litoral Alentejano REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO ANO LETIVO DE 2013-2014

Leia mais

A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2007 foi de 7,9%

A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2007 foi de 7,9% Estatísticas do Emprego 3º trimestre de 2007 16 de Novembro de 2007 A taxa de desemprego do 3º trimestre de 2007 foi de 7,9 A taxa de desemprego estimada para o 3º trimestre de 2007 foi de 7,9. Este valor

Leia mais

Aumentou a importância relativa das despesas em habitação nos orçamentos das famílias

Aumentou a importância relativa das despesas em habitação nos orçamentos das famílias Aumentou a importância relativa das despesas em habitação nos orçamentos das famílias A despesa anual média dos agregados familiares foi de 20 391, em 2010/2011, de acordo com os resultados definitivos

Leia mais

47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011

47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011 47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011 2) Cartas de curso identificação do Reitor da Universidade Nova de Lisboa, identificação do titular do grau, n.º do documento de identificação

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA ESPECIALIZAÇÃO DE HEMATOLOGIA E IMUNOLOGIA CLÍNICO-LABORATORIAL. (Edição 2011-2013)

EDITAL MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA ESPECIALIZAÇÃO DE HEMATOLOGIA E IMUNOLOGIA CLÍNICO-LABORATORIAL. (Edição 2011-2013) EDITAL MESTRADO EM ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA ESPECIALIZAÇÃO DE HEMATOLOGIA E IMUNOLOGIA CLÍNICO-LABORATORIAL (Edição 2011-2013) Nos termos dos Decretos-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ISENÇÃO/REDUÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO - VESTIBULAR FATEC 1º SEM/2016 PRÉ-REQUISITOS PARA CONCESSÃO ISENÇÃO:

INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ISENÇÃO/REDUÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO - VESTIBULAR FATEC 1º SEM/2016 PRÉ-REQUISITOS PARA CONCESSÃO ISENÇÃO: INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ISENÇÃO/REDUÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO - VESTIBULAR FATEC 1º SEM/2016 PRÉ-REQUISITOS PARA CONCESSÃO ISENÇÃO: TER CONCLUÍDO INTEGRALMENTE, OU ESTAR CONCLUINDO EM 2015, O ENSINO

Leia mais

ANEXO II INDICADORES PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DAS METAS DO PDME

ANEXO II INDICADORES PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DAS METAS DO PDME ANEXO II INDICADORES PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DAS METAS DO PDME No presente documento, estão listados os indicadores básicos que serão utilizados para monitoramento e avaliação das metas

Leia mais

8 de Março 2011- E urgente acabar com as discriminações que a mulher continua sujeita em Portugal Pág. 2

8 de Março 2011- E urgente acabar com as discriminações que a mulher continua sujeita em Portugal Pág. 2 8 de Março 2011- E urgente acabar com as discriminações que a mulher continua sujeita em Portugal Pág. 1 A SITUAÇÃO DA MULHER EM PORTUGAL NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER DE 2011 RESUMO DESTE ESTUDO No dia

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DA GUARDA. Regulamento Geral de Avaliação

ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DA GUARDA. Regulamento Geral de Avaliação ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DA GUARDA Artigo 1º (Princípios Gerais) 1- Nos cursos ministrados pela Escola Superior de Educação da Guarda o regime de avaliação orienta-se pelos seguintes princípios gerais:

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UECE N O 01/2015 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO 23 UECE

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UECE N O 01/2015 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO 23 UECE Universidade Estadual do Ceará Faculdade de Educação, Ciências e Letras do Sertão Central Curso de Licenciatura em Física Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física [POLO 23 UECE] EDITAL COMPLEMENTAR

Leia mais

REGULAMENTO DE TRANSIÇÃO CURRICULAR E PLANO DE CREDITAÇÕES. Curso de 1º Ciclo de Estudos em Educação Física e Desporto do ISMAI.

REGULAMENTO DE TRANSIÇÃO CURRICULAR E PLANO DE CREDITAÇÕES. Curso de 1º Ciclo de Estudos em Educação Física e Desporto do ISMAI. REGULAMENTO DE TRANSIÇÃO CURRICULAR E PLANO DE CREDITAÇÕES Curso de 1º Ciclo de Estudos em Educação Física e do ISMAI Preâmbulo O Curso do 1º Ciclo de Estudos em Educação Física e do Instituto Superior

Leia mais

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Seguro Social Voluntário

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Seguro Social Voluntário Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social Seguro Social Voluntário Ficha Técnica Autor: (DGSS) - Divisão dos Instrumentos Informativos - Direção de Serviços da Definição

Leia mais

RELATÓRIO. Avaliação da satisfação dos utilizadores do BAV. Relatório. Resultados do inquérito de satisfação do Balcão de Atendimento Virtual

RELATÓRIO. Avaliação da satisfação dos utilizadores do BAV. Relatório. Resultados do inquérito de satisfação do Balcão de Atendimento Virtual Relatório Resultados do inquérito de satisfação do Balcão de Atendimento Virtual Direcção Municipal da Presidência Gabinete do Munícipe Divisão Municipal de Gestão da Qualidade Porto, 29 de Junho de 2011

Leia mais

NCE/11/00731 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/11/00731 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/11/00731 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Coimbra A.1.a.

Leia mais

Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010

Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010 Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010 18 de Maio de 2010 A taxa de desemprego foi de 10,6% no 1º trimestre de 2010 A taxa de desemprego estimada para o 1º trimestre de 2010 foi de 10,6%. Este valor

Leia mais

Projecto de Lei n.º 54/X

Projecto de Lei n.º 54/X Projecto de Lei n.º 54/X Regula a organização de atribuição de graus académicos no Ensino Superior, em conformidade com o Processo de Bolonha, incluindo o Sistema Europeu de Créditos. Exposição de motivos

Leia mais

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 APROVADO EM SESSÃO PLENÁRIA DO CLAS 21 DE MAIO DE 2013 1 NOTA INTRODUTÓRIA O Diagnóstico Social constituiu a base de trabalho da ação dos Parceiros Locais.

Leia mais

47768 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011

47768 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 47768 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 Artigo 17.º Elementos que constam obrigatoriamente dos diplomas e cartas de curso Dos diplomas e cartas de curso constarão os seguintes

Leia mais

A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010

A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010 Estatísticas do Emprego 4º trimestre de 2010 16 de Fevereiro de 2011 A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010 A taxa de desemprego estimada para o 4º trimestre de 2010 foi de 11,1%. Este

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Colégio Politécnico da UFSM EDITAL COLÉGIO POLITÉCNICO/UFSM 004/2013

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Colégio Politécnico da UFSM EDITAL COLÉGIO POLITÉCNICO/UFSM 004/2013 Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Colégio Politécnico da UFSM EDITAL COLÉGIO POLITÉCNICO/UFSM 004/201 ABERTURA DE VAGAS PARA INGRESSO, REINGRESSO E TRANSFERÊNCIA NOS CURSOS TÉCNICOS

Leia mais

Curso de Licenciatura em Engenharia Mecânica

Curso de Licenciatura em Engenharia Mecânica Curso de Licenciatura em Engenharia Mecânica Relatórios dos Docentes Desempenho do Curso Ano Lectivo 2012/2013 Curso de Licenciatura em Engenharia Mecânica Relatório de Desempenho do Curso Ano Lectivo

Leia mais

1ª vez Renovação Ano Lectivo 20 /20. Data de Emissão. Contribuinte Fiscal Nº de Eleitor Residente no Concelho desde

1ª vez Renovação Ano Lectivo 20 /20. Data de Emissão. Contribuinte Fiscal Nº de Eleitor Residente no Concelho desde CÂMARA MUNICIPAL CENTRO DE INTERVENÇÃO SOCIAL gabinete de educação BOLSA DE ESTUDO AO ENSINO SUPERIOR: CANDIDATURA 1ª vez Renovação Ano Lectivo 20 /20 IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO Morada Código Postal Natural

Leia mais

Apreciação do Anteprojecto de Decreto-Lei sobre o Regime Jurídico da Habilitação Profissional para a Docência

Apreciação do Anteprojecto de Decreto-Lei sobre o Regime Jurídico da Habilitação Profissional para a Docência Apreciação do Anteprojecto de Decreto-Lei sobre o Regime Jurídico da Habilitação Profissional para a Docência Documento elaborado no âmbito das 1ª, 2ª e 3ª Comissões Permanentes e aprovado na reunião destas

Leia mais

TABELA DE VALORES OFICIAIS

TABELA DE VALORES OFICIAIS ANEXO 01 TABELA DE VALORES OFICIAIS praticados no ano civil de 2013 (julho a dezembro) As parcelas vencerão sempre no dia 30 de cada mês para as mensalidades promocionais concedidas por mera liberalidade

Leia mais

Perguntas mais frequentes sobre o Subsídio para aquisição de material escolar a estudantes do ensino superior no ano lectivo de 2014/2015

Perguntas mais frequentes sobre o Subsídio para aquisição de material escolar a estudantes do ensino superior no ano lectivo de 2014/2015 Perguntas mais frequentes sobre o Subsídio para aquisição de material escolar a estudantes do ensino superior no ano lectivo de 2014/2015 Destinatários e Condições da atribuição do subsídio 1. Quem são

Leia mais

Território e Demografia

Território e Demografia Indicadores Sociais Moita Península de Setúbal Território e Demografia Concelho: Moita Território Superfície: 55,26 Km 2 Freguesias: 4 Distância Sede Concelho/Sede Distrito: Demografia População Residente:

Leia mais

Bolsa Emprego IPL - FAQS

Bolsa Emprego IPL - FAQS Bolsa Emprego IPL - FAQS EMPRESAS Para poder colocar uma oferta na Bolsa de Emprego tenho que estar registado? Sim. O primeiro passo deverá ser o registo da empresa/instituição. Posteriormente, e após

Leia mais

Processos Seletivos 2015 Educação a Distância VESTIBULAR 2015.1 EaD Online março/2015

Processos Seletivos 2015 Educação a Distância VESTIBULAR 2015.1 EaD Online março/2015 Processos Seletivos 2015 Educação a Distância VESTIBULAR 2015.1 EaD Online março/2015 Aditamento nº 11 ao Edital de Vestibular de 2015 Educação a Distância, que rege o Vestibular 2015.1 EaD online a ser

Leia mais

ÍNDICE ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DE SANTARÉM 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA. 3.1 História. 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação

ÍNDICE ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DE SANTARÉM 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA. 3.1 História. 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação ÍNDICE 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA 3.1 História 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 4.1 Processos 4.2 Requisitos da Documentação 4.3 Controlo dos

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM ACTIVIDADE FÍSICA NA GRAVIDEZ E PÓS-PARTO

PÓS-GRADUAÇÃO EM ACTIVIDADE FÍSICA NA GRAVIDEZ E PÓS-PARTO Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Desporto de Rio Maior PÓS-GRADUAÇÃO EM ACTIVIDADE FÍSICA NA GRAVIDEZ E PÓS-PARTO REGULAMENTO Artigo 1.º Designação A Escola Superior de Desporto de

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE PONTE DE SOR

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE PONTE DE SOR ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE PONTE DE SOR CURSOS PROFISSIONAIS ANO LECTIVO 2006 / 2007 Cursos Profissionais Cursos vocacionados para a qualificação inicial dos alunos, privilegiando

Leia mais

ALTERAÇÕES AO REGIME DO DESEMPREGO (comparação artigo a artigo) Redacção anterior Nova redação DL 64/2012 Artigo 9.º

ALTERAÇÕES AO REGIME DO DESEMPREGO (comparação artigo a artigo) Redacção anterior Nova redação DL 64/2012 Artigo 9.º ALTERAÇÕES AO REGIME DO DESEMPREGO (comparação artigo a artigo) Artigo 9.º Artigo 9.º Desemprego involuntário Desemprego involuntário 1 - O desemprego considera-se involuntário sempre que a cessação do

Leia mais

A Implementação do Processo de Bolonha em Portugal e os Relatórios Institucionais da sua Concretização uma Análise Exploratória

A Implementação do Processo de Bolonha em Portugal e os Relatórios Institucionais da sua Concretização uma Análise Exploratória A Implementação do Processo de Bolonha em Portugal e os Relatórios Institucionais da sua Concretização uma Análise Exploratória António M. Magalhães CIPES/FPCEUP Apresentação: 1. A implementação do Processo

Leia mais

RECEITAS ADMINISTRADAS POR SERVIÇOS INTEGRADOS EM 2013 INFORMAÇÃO PRESTADA PELOS SERVIÇOS

RECEITAS ADMINISTRADAS POR SERVIÇOS INTEGRADOS EM 2013 INFORMAÇÃO PRESTADA PELOS SERVIÇOS Ministério 01 Encargos Gerais do Estado 1206 SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA 1207 SUPREMO TRIBUNAL ADMINISTRATIVO 2334 CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL 3045 COMISSÃO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE DADOS 04 02 04 040199

Leia mais

Seguro Social Voluntário

Seguro Social Voluntário Ficha Técnica Autor: (DGSS) - Divisão dos Instrumentos Informativos - Direção de Serviços da Definição de Regimes Editor: DGSS Conceção Gráfica: DGSS / Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social de Barrancos 2007 2009 INTRODUÇÃO

Plano de Desenvolvimento Social de Barrancos 2007 2009 INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO O presente documento surge no âmbito do Programa Rede Social, que tem como principal objectivo a articulação e congregação de esforços das entidades públicas e das entidades privadas sem fins

Leia mais

A Fundação concederá apenas bolsas de estudo integrais (100%).

A Fundação concederá apenas bolsas de estudo integrais (100%). ENEM 1 - Quando serão feitas as inscrições para o Enem 2014? Do dia 12 de maio até às 23h59 do dia 23 de maio, observado o horário oficial de Brasília-DF. 2 - Quando será a aplicação das provas do Enem

Leia mais

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Jornalismo.

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Jornalismo. MESTRADOS REGIME DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO JORNALISMO Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Jornalismo. Artigo 2.º Destinatários O Mestrado em Jornalismo

Leia mais