Instituto de Matemática - UFRGS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instituto de Matemática - UFRGS"

Transcrição

1 Considerações sobre a prova de Matemática do ENEM Marcus Vinicius Basso Elisabete Zardo Búrigo Instituto de Matemática - UFRGS Neste texto apresentamos algumas considerações sobre características da prova de Matemática do Exame Nacional de Ensino Médio, com o objetivo de contribuir para os debates a respeito da sua possível utilização como mecanismo de ingresso, total ou parcial, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Inicialmente, revisamos os objetivos e critérios que orientam o atual processo de avaliação (Concurso Vestibular) para ingresso na Universidade. A seguir, examinamos um conjunto de questões de provas do ENEM, confrontandoas com os objetivos e critérios de avaliação propostos para o Exame, segundo os documentos do INEP. Consta no Manual do Candidato ao Concurso Vestibular 2014: Avaliação O Concurso Vestibular constitui-se de provas que visam a avaliação dos conhecimentos adquiridos pelos candidatos nas matérias do núcleo comum do Ensino Médio, matérias essas que, para fins deste concurso, são as seguintes: Física, Literatura de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Língua Portuguesa e Redação, Biologia, Química, Geografia, Matemática e História. Cada conjunto de questões de uma matéria constitui uma prova. Especificamente sobre a prova de matemática, o texto de apresentação, no que se refere ao que é esperado dos candidatos, contém a seguinte redação: Matemática A prova de Matemática pretende identificar o aluno matematicamente alfabetizado, capaz de ler, compreender, interpretar e resolver situações-problema apresentadas na linguagem do cotidiano, na simbólica ou na linguagem dos gráficos, diagramas e tabelas. Privilegia, ao invés da memorização de definições, teoremas e fórmulas isoladas, a capacidade de o candidato usar o pensamento dedutivo e indutivo, o combinatório, o estimativo, o geométrico e o algébrico, entre outros, para resolver problemas e estabelecer conexões entre várias áreas dentro da própria Matemática. Enfatiza, pois, mais os conceitos e as ideias matemáticas do que os símbolos e os procedimentos de cálculo longos e formais. Apresenta, quando possível, questões que envolvam uma visão integrada da Matemática com outras áreas de conhecimento do candidato. As questões propostas abrangem conteúdos de Ensino Fundamental (1 1

2 Grau) e Ensino Médio (2 Grau) que possam servir de subsídio para os estudos posteriores do aluno nos diferentes cursos de graduação. Acompanhando essa redação, são listados os tópicos e subtópicos que serão abordados no exame de matemática. Conjuntos Numéricos Números naturais e inteiros: números primos e compostos decomposição em fatores primos; divisibilidade, máximo divisor comum e mínimo múltiplo comum. Números racionais: operações com frações, com representações decimal e em notação científica; razões, proporções, porcentagem e juros. Números reais: operações e propriedades; simplificação de expressões numéricas e algébricas; ordem, valor absoluto e desigualdades. Intervalos: representação gráfica e operações. Números complexos: expressões algébrica, geométrica e trigonométrica; operações na forma algébrica. Variáveis e Funções Variáveis discretas e contínuas; grandezas diretamente e inversamente proporcionais; construção e interpretação de gráficos (cartesianos, por setores circulares, de barras), de tabelas numéricas e de diagramas. Funções reais de variável real: domínio e imagem; classificação quanto ao crescimento; representação gráfica de y=f(x) e de suas transformadas (y=f(x+k), y=f(x)+k, y=f(k*x) e y=k*f(x), com k constante real não nula); função inversa; resoluções algébrica e gráfica de equações e de inequações. Função linear e afim: expressão algébrica; construção e interpretação de gráficos (raiz, coeficientes angular e linear); resoluções algébrica e gráfica de inequações de 1 grau. Função quadrática: expressão algébrica; construção e interpretação de gráficos (raízes, pontos de máximo e de mínimo, concavidade); resoluções algébrica e gráfica de inequações de 2 grau. Progressões Sequências numéricas: descrição pelo termo geral e por recorrência; construção e interpretação de gráficos Progressões Aritméticas: termo geral, interpolação e soma dos termos. Progressões Geométricas: termo geral, interpolação e soma dos termos. Logaritmo e Exponencial Funções exponenciais: expressão; construção e interpretação de gráficos; propriedades. Funções logarítmicas: expressão; construção e interpretação de gráficos; propriedades. Equações exponenciais e logarítmicas: resolução Polinômios Polinômios: grau e propriedades; operações; teorema do resto Equações algébricas: resolução (raízes simples e múltiplas, racionais e complexas); teorema fundamental da Álgebra Funções algébricas: expressão; construção e interpretação de gráficos (raízes, sinal) 2

3 Trigonometria Arcos e ângulos: medidas (graus e radianos), conversão de medidas Relações trigonométricas nos triângulos retângulos: seno, cosseno e tangente Funções trigonométricas circulares: expressão; construção e interpretação de gráficos; periodicidade; valores das funções nos arcos básicos Relações fundamentais: identidades trigonométricas simples; fórmulas da adição e subtração de arcos Resolução de triângulos quaisquer: leis dos senos e dos cossenos Geometria Euclidiana Plana Figuras geométricas planas: retas, semirretas, segmentos; ângulos; elementos, propriedades e construção de polígonos (triângulo, quadrado, retângulo, paralelogramo, losango, trapézio e hexágono regular) e do círculo; relações de congruência e semelhança Áreas e perímetros: polígonos; círculos e partes do círculo Relações métricas: nos triângulos, polígonos, polígonos regulares e círculos; inscrição e circunscrição de polígonos e círculos Geometria Espacial Figuras geométricas espaciais: poliedros e poliedros regulares Áreas de superfícies e volumes: prismas, pirâmides, cilindros, cones, esferas e partes da esfera Relações métricas: inscrição e circunscrição de sólidos Geometria Analítica Plana Pontos: coordenadas cartesianas e polares; distância entre dois pontos e ponto médio em coordenadas cartesianas. Retas: equações geral e reduzida; construção e interpretação gráfica; condições de paralelismo e perpendicularismo; intersecção de retas; distância de ponto à reta e entre retas paralelas. Círculo: equações normal e reduzida; construção e interpretação gráfica. Posições relativas entre pontos, retas e círculos. Matrizes, Determinantes e Sistemas Lineares Matrizes: construção, operações e propriedades. Determinantes: cálculo e propriedades Sistemas lineares m x n, com m, n 4: discussão e resolução. Análise Combinatória e Probabilidade Princípios de contagem Permutações, arranjos e combinações simples Binômio de Newton: desenvolvimento e termo geral Probabilidade: espaço amostral; resultados igualmente prováveis; probabilidade condicional e eventos independentes Tomando como referência as provas de matemática dos anos de 2010, 2011, 2012 e 2013, constata-se que, nesses quatro exames, todos os tópicos do programa de matemática foram contemplados. Desse modo, as provas sinalizam, 3

4 para as Escolas, que tais tópicos são considerados relevantes para a formação dos estudantes do Ensino Médio em termos de conceitos e habilidades básicos de Matemática. Acrescenta-se que as questões apresentam algumas características importantes em termos da formação que se espera de um aluno postulante a uma vaga na Universidade: - domínio de conceitos básicos de Matemática; - habilidade para interpretar textos contendo linguagem natural e linguagem matemática; - habilidade para resolver situações-problema; - habilidade para estabelecer relações. O ENEM, existente desde 1998 como exame de avaliação dos concluintes do Ensino Médio, teve seu caráter alterado em 2009, quando passou a ser utilizado como mecanismo de ingresso nas universidades públicas. A nova estrutura do Exame, organizado segundo áreas do conhecimento, foi Portaria nº 109/2009 do INEP. estabelecida pela A avaliação dos candidatos que realizam a prova do ENEM tem por referência uma Matriz, anexa à Portaria, contendo cinco eixos cognitivos: I. Dominar linguagens (DL): dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica e das línguas espanhola e inglesa. II. Compreender fenômenos (CF): construir e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos históricogeográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas. III. Enfrentar situações-problema (SP): selecionar, organizar, relacionar, interpretar dados e informações representados de diferentes formas, para tomar decisões e enfrentar situações-problema. IV. Construir argumentação (CA): relacionar informações, representadas em diferentes formas, e conhecimentos disponíveis em situações concretas, para construir argumentação consistente. V. Elaborar propostas (EP): recorrer aos conhecimentos desenvolvidos na escola para elaboração de propostas de intervenção solidária na realidade, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. Para cada área do conhecimento, a Matriz é desdobrada em competências e habilidades a serem avaliadas. Para a área denominada Matemática, a Matriz apresenta as competências e habilidades que seguem. 4

5 Competência de área 1 - Construir significados para os números naturais, inteiros, racionais e reais. H1 - Reconhecer, no contexto social, diferentes significados e representações dos números e operações - naturais, inteiros, racionais ou reais. H2 - Identificar padrões numéricos ou princípios de contagem. H3 - Resolver situação-problema envolvendo conhecimentos numéricos. H4 - Avaliar a razoabilidade de um resultado numérico na construção de argumentos sobre afirmações quantitativas. H5 - Avaliar propostas de intervenção na realidade utilizando conhecimentos numéricos. Competência de área 2 - Utilizar o conhecimento geométrico para realizar a leitura e a representação da realidade e agir sobre ela. H6 - Interpretar a localização e a movimentação de pessoas/objetos no espaço tridimensional e sua representação no espaço bidimensional. H7 - Identificar características de figuras planas ou espaciais. H8 - Resolver situação-problema que envolva conhecimentos geométricos de espaço e forma. H9 - Utilizar conhecimentos geométricos de espaço e forma na seleção de argumentos propostos como solução de problemas do cotidiano. Competência de área 3 - Construir noções de grandezas e medidas para a compreensão da realidade e a solução de problemas do cotidiano. H10 - Identificar relações entre grandezas e unidades de medida. H11 - Utilizar a noção de escalas na leitura de representação de situação do cotidiano. H12 - Resolver situação-problema que envolva medidas de grandezas. H13 - Avaliar o resultado de uma medição na construção de um argumento consistente. H14 - Avaliar proposta de intervenção na realidade utilizando conhecimentos geométricos relacionados a grandezas e medidas. Competência de área 4 - Construir noções de variação de grandezas para a compreensão da realidade e a solução de problemas do cotidiano. H15 - Identificar a relação de dependência entre grandezas. H16 - Resolver situação-problema envolvendo a variação de grandezas, direta ou inversamente proporcionais. H17 - Analisar informações envolvendo a variação de grandezas como recurso para a construção de argumentação. H18 - Avaliar propostas de intervenção na realidade envolvendo variação de grandezas. Competência de área 5 - Modelar e resolver problemas que envolvem variáveis socioeconômicas ou técnico-científicas, usando representações algébricas. H19 - Identificar representações algébricas que expressem a relação entre grandezas. H20 - Interpretar gráfico cartesiano que represente relações entre grandezas. H21 - Resolver situação-problema cuja modelagem envolva conhecimentos algébricos. H22 - Utilizar conhecimentos algébricos/geométricos como recurso para a construção de argumentação. H23 - Avaliar propostas de intervenção na realidade utilizando conhecimentos algébricos. Competência de área 6 - Interpretar informações de natureza científica e social obtidas da leitura de gráficos e tabelas, realizando previsão de tendência, extrapolação, interpolação e interpretação. H24 - Utilizar informações expressas em gráficos ou tabelas para fazer inferências. H25 - Resolver problema com dados apresentados em tabelas ou gráficos. 5

6 H26 - Analisar informações expressas em gráficos ou tabelas como recurso para a construção de argumentos. Competência de área 7 - Compreender o caráter aleatório e não-determinístico dos fenômenos naturais e sociais e utilizar instrumentos adequados para medidas, determinação de amostras e cálculos de probabilidade para interpretar informações de variáveis apresentadas em uma distribuição estatística. H27 - Calcular medidas de tendência central ou de dispersão de um conjunto de dados expressos em uma tabela de frequências de dados agrupados (não em classes) ou em gráficos. H28 - Resolver situação-problema que envolva conhecimentos de estatística e probabilidade. H29 - Utilizar conhecimentos de estatística e probabilidade como recurso para a construção de argumentação. H30 - Avaliar propostas de intervenção na realidade utilizando conhecimentos de estatística e probabilidade. A seguir, apresentamos um conjunto de questões das provas do ENEM dos anos de 2010, 2011 e 2012, para examiná-las do ponto de vista de critérios que têm sido divulgados como características relevantes do Exame: a contextualização das questões, a avaliação de habilidades, a ênfase na modelagem e na resolução de situações-problema. Como um primeiro exemplo, comentamos a questão 146 da prova amarela do ENEM Observa-se que, no enunciado da questão, o contexto da siderúrgica e do material utilizado é irrelevante para a construção e para a avaliação da compreensão do conceito de volume pelo candidato. 6

7 Caberia ainda perguntar: essa questão envolve resolver uma situaçãoproblema? De acordo com a literatura, resolver um problema envolve selecionar dados, construir uma estratégia. Que seleção de dados e que estratégia o candidato precisaria utilizar para marcar a resposta correta? Examinando as questões 157 e 162 (prova amarela ENEM 2010), apresentadas a seguir, podemos observar que nelas são dadas diferentes aproximações para a constante : 3 e 3,1. Provavelmente, a intenção era a de facilitar os cálculos necessários para se resolver cada questão. Entretanto, ao dar as aproximações, as questões deixam de avaliar a habilidade do candidato de obtê-las, e reforçam as confusões, recorrentes nos livros didáticos, entre os números irracionais e suas aproximações

8 2010 Na questão de número 168 (prova amarela ENEM 2010), temos novamente um enunciado com um contexto artificial e que, à semelhança de outros tantos enunciados das provas do ENEM, apresenta textos longos e que distraem o leitor em termos do que é essencial para resolver a questão

9 A questão 157 (ENEM 2012 prova amarela) aborda a nomenclatura da ordem dos números. Esse é um exemplo de questão que não avalia nenhuma das habilidades constantes da Matriz de Referência do ENEM Na questão 137 (prova amarela ENEM 2011), temos uma questão cuja resposta está praticamente dada no enunciado, ou que avalia uma habilidade muito básica de leitura de relógios analógicos

10 Já na questão de número 149 (prova amarela ENEM 2011), temos um exemplo de uma redação longa, mas que avalia habilidades simples de cálculo e que apresenta alternativas dentre as quais é muito fácil selecionar a correta Sobre a questão 151 (ENEM 2012 prova amarela), questiona-se a necessidade informar ao candidato que a área do forro, após ser lavado, é (5-x)(3-y). A intenção é apresentar essa informação para auxiliar o candidato a resolvê-la? Nessa situação, como em outras, é beneficiado o candidato que, ao invés de ler cuidadosamente o enunciado, identifica rapidamente as pistas dadas no enunciado e nas ilustrações. 10

11 2012 Na questão 153 (ENEM 2012 prova amarela), temos outro exemplo de questão que apresenta um excesso de informações. A figura é apresentada na suposição de que o candidato não será capaz de imaginá-la, a partir do texto? Com esse formato, a questão deixa de avaliar o pensamento geométrico, que pode ser facilmente substituído pela aplicação de uma fórmula bem conhecida. 11

12 2012 As questões que abordam o conteúdo funções limitam-se aos modelos mais simples, e em geral às funções lineares, afins ou quadráticas. Além disso, nas questões 141 e 167 (Prova Cinza, ENEM 2012), observamos que não é avaliada a habilidade de construir gráficos ou equações, bastando ao candidato escolher dentre as alternativas dadas, dentre as quais as erradas podem ser facilmente descartadas

13 13

14 Sistematizando as considerações já feitas, podemos apontar que: - são frequentes, nos enunciados, os contextos artificiais e que, além de conterem enunciado longo e com informações em excesso ou distratoras, não contribuem para a avaliação de habilidades e domínio de conceitos; 14

15 - em geral, para resolver as questões, o candidato não necessita equacionar, construir gráficos, desenhar ou imaginar figuras, pois são dados no enunciado, ou é suficiente que o candidato reconheça as respostas erradas; - embora a prova seja longa (45 questões), avalia poucos conceitos e habilidades, que se repetem em várias questões; - o volume e o formato das questões favorecem a leitura e a escolha rápida de uma alternativa, isto é, uma interpretação superficial, contrariando o discurso interdisciplinar segundo o qual haveria a análise de situações-problema envolvendo as diferentes áreas. Além disso, a organização da matriz do Enem segundo habilidades genéricas oferece ampla liberdade ao INEP para escolher conteúdos que estarão (ou não) envolvidos nas questões. Tópicos usualmente abordados no Ensino Médio, como logaritmos, funções exponenciais, Trigonometria e Geometria Analítica, não têm sido avaliados nas provas. O grande volume de questões, a serem resolvidas em tempo exíguo, só se justifica como mecanismo de produção de diferentes escores, permitindo a classificação dos candidatos, uma vez que poucas habilidades, conceitos e conteúdos têm sido de fato avaliados. Esse formato de prova favorece os candidatos mais bem treinados e revela pouco acerca das aprendizagens em Matemática. Na prova de 2013, ainda não divulgada pelo INEP, pôde-se observar que os enunciados foram, de maneira geral, mais breves, e que foram valorizadas algumas habilidades mais complexas, como a do equacionamento. Entretanto, ainda persistem contextualizações artificiais, ausência de alguns conteúdos usualmente abordados nas Escolas de Ensino Médio e o tempo reduzido para resolução de grande número de questões continua sendo um obstáculo para que a maioria dos candidatos apresentem suas melhores habilidades e conhecimentos. Para finalizar, diante da possibilidade da adoção do ENEM como instrumento de avaliação para ingresso na UFRGS, propomos que seja discutida a Matriz de Referência, pois trata-se de documento emanado pelo INEP, que não encontra amparo na Lei de Diretrizes e Bases (Lei nº 9394/96). Propomos também que seja solicitada ao INEP a divulgação de dados sobre as provas, como: 15

16 - critérios adotados para a seleção de questões, com indicação das habilidades que cada questão pretende avaliar e de quais são as questões consideradas fáceis, médias e difíceis, de modo que se possa avaliar a coerência entre provas e documentos legais que orientam o Exame; - o número de acertos por questão e, preferencialmente, o número de marcações para cada item a, b, c, d e e, com desagregação regional, para seja possível entender o que os candidatos estão acertando ou errando e como; - análises de desempenho, tais como as que constam nos Relatórios Pedagógicos, elaborados pelo INEP até Referências Silva. Patrícia Lima da. ENEM versus aprendizagem em matemática. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Matemática. Curso de Matemática: Licenciatura, Disponível em Acesso online em 14 nov UFRGS. Manual do Candidato, vestibular Disponível em: 2014/manual_CV2014.pdf/at_download/file. Acesso online: 14 nov

Orientações Preliminares. Professor Fábio Vinícius

Orientações Preliminares. Professor Fábio Vinícius Orientações Preliminares Professor Fábio Vinícius O ENEM O ENEM foi criado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), sob a supervisão do Ministério da Educação (MEC), em 1998,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ DISCIPLINA PRISE/PROSEL - 1ª ETAPA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ DISCIPLINA PRISE/PROSEL - 1ª ETAPA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ DISCIPLINA PRISE/PROSEL - 1ª ETAPA Competência Geral para a Matemática no Ensino Médio: Reconhecer, Interpretar e utilizar as informações matemáticas selecionadas a partir

Leia mais

Competências e habilidades EIXOS COGNITIVOS (comuns a todas as áreas de conhecimento) I. Dominar linguagens (DL): dominar a norma culta da Língua

Competências e habilidades EIXOS COGNITIVOS (comuns a todas as áreas de conhecimento) I. Dominar linguagens (DL): dominar a norma culta da Língua Competências e habilidades EIXOS COGNITIVOS (comuns a todas as áreas de conhecimento) I. Dominar linguagens (DL): dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXERCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATORIA E ASSISTENCIAL

MINISTÉRIO DA DEFESA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXERCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATORIA E ASSISTENCIAL MINISTÉRIO DA DEFESA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXERCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATORIA E ASSISTENCIAL PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS 2º ano / Ensino Médio Área: Ciências da Natureza, Matemática

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DE MATEMÁTICA

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DE MATEMÁTICA PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DE MATEMÁTICA 1- APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA A disciplina de matemática é uma área que abrange inúmeros saberes, onde o objeto de estudo ainda está em construção e centrado

Leia mais

7º ano Teste de Sondagem. Língua Portuguesa. Matemática

7º ano Teste de Sondagem. Língua Portuguesa. Matemática 7º ano Teste de Sondagem Interpretação e produção de textos de gêneros variados: Carta, notícia, artigo de Opinião, relatos de viagem, tirinha, charge. Sistema de numeração decimal Conjunto dos números

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO FACENS - Processo Seletivo 2015

MANUAL DO CANDIDATO FACENS - Processo Seletivo 2015 MANUAL DO CANDIDATO FACENS - Processo Seletivo 2015 1. Condições e Normas para a Inscrição: Poderão inscrever-se no Processo Seletivo 2015, de acordo com a legislação vigente, todos aqueles que concluíram

Leia mais

DISCIPLINA DE MATEMÁTICA

DISCIPLINA DE MATEMÁTICA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA OBJETIVOS: 6 ano Levar os estudantes a reconhecerem, em situações cotidianas, as diferentes funções, os diferentes significados e as representações dos números, operações, medidas

Leia mais

Cronograma de Estudos de Matemática - Projeto Medicina - www.projetomedicina.com.br

Cronograma de Estudos de Matemática - Projeto Medicina - www.projetomedicina.com.br Cronograma de Estudos de Matemática - Projeto Medicina - www.projetomedicina.com.br Área Assunto Início Fim Teoria Exercícios Álgebra Médias Álgebra Noções de Estatística Álgebra Razão de Proporção Análise

Leia mais

M A T E M Á T I C A DIRETRIZES GERAIS

M A T E M Á T I C A DIRETRIZES GERAIS M A T E M Á T I C A DIRETRIZES GERAIS O conteúdo programático de Matemática dos processos seletivos da UFU tem como objetivo identificar a habilidade do estudante em resolver problemas, fazer conexões

Leia mais

Conteúdo Básico Comum (CBC) de MATEMÁTICA do Ensino Médio Exames Supletivos/2013

Conteúdo Básico Comum (CBC) de MATEMÁTICA do Ensino Médio Exames Supletivos/2013 SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MÉDIO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Conteúdo

Leia mais

Material de divulgação da Editora Moderna

Material de divulgação da Editora Moderna Material de divulgação da Editora Moderna Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

ANEXO I, DA PORTARIA N 111 MATRIZ DE COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO ENCCEJA/2003 ENSINO MÉDIO

ANEXO I, DA PORTARIA N 111 MATRIZ DE COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO ENCCEJA/2003 ENSINO MÉDIO ANEXO I, DA PORTARIA N 111 MATRIZ DE COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO ENCCEJA/2003 ENSINO MÉDIO 1 - Matriz de Competências e Habilidades de Ciências da Natureza e Suas Tecnologias Ensino Médio EIXOS COGNITIVOS

Leia mais

Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado Conteúdo de Matemática - (1ª série)

Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado Conteúdo de Matemática - (1ª série) Relacionar e resolver problemas que envolvem conjuntos; Reconhecer, operar e resolver problemas com conjuntos numéricos; Compreender os conceitos e propriedades aritméticas; Resolver problemas de porcentagem,

Leia mais

COMISSÃO RESPONSÁVEL PELO PROCESSO SELETIVO

COMISSÃO RESPONSÁVEL PELO PROCESSO SELETIVO DIRETOR GERAL Professor Walner José Mendes DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL Professor Carlos Henrique Reinato DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO Wanderley Fajardo

Leia mais

Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula

Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL RELAÇÃO

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA HABILIDADES CONTEÚDO METODOLOGIA/ESTRATÉGIA HORA/ AULA ANÁLISE GRÁFICA DE FUNÇÕES

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA HABILIDADES CONTEÚDO METODOLOGIA/ESTRATÉGIA HORA/ AULA ANÁLISE GRÁFICA DE FUNÇÕES CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIA DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: MATEMÁTICA I SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:.

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas

Escola Básica e Secundária de Velas Escola Básica e Secundária de Velas Planificação Anual do 12º Ano Matemática A Ano letivo 2015 /2016 1º Período 2º Período 3º Período Nº DE BLOCOS PREVISTOS 39 32 24 Apresentação 0,5 1º Período 2º Período

Leia mais

MATEMÁTICA Edwaldo Bianchini. Um supertalento para fazer livros mais um consagrado time de autores. Resultado: ensino com muito mais valor.

MATEMÁTICA Edwaldo Bianchini. Um supertalento para fazer livros mais um consagrado time de autores. Resultado: ensino com muito mais valor. Material de divulgação da Editora Moderna PNLD 2011 Um supertalento para fazer livros mais um consagrado time de autores. Resultado: ensino com muito mais valor. MATEMÁTICA Edwaldo Bianchini MATEMÁTICA

Leia mais

CURRÍCULO DE MATEMÁTICA PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CURRÍCULO DE MATEMÁTICA PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO CURRÍCULO DE MATEMÁTICA PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO Eduardo Campos VICE-GOVERNADOR João Lyra Neto SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO Ricardo

Leia mais

A ÁREA DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS NO NOVO ENEM POSSIBILIDADE DE MUDANÇAS NA AÇÃO DO PROFESSOR

A ÁREA DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS NO NOVO ENEM POSSIBILIDADE DE MUDANÇAS NA AÇÃO DO PROFESSOR A ÁREA DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS NO NOVO ENEM POSSIBILIDADE DE MUDANÇAS NA AÇÃO DO PROFESSOR GT 02 Educação Matemática no Ensino Médio e Ensino Superior Ana Queli Mafalda Reis, UNIJUÍ, anakelly.reis@unijui.edu.br

Leia mais

1. Linguagens e Códigos; 2. Raciocínio Lógico e Matemática; 3. Leitura e Interpretação de Textos; 4. Atualidades.

1. Linguagens e Códigos; 2. Raciocínio Lógico e Matemática; 3. Leitura e Interpretação de Textos; 4. Atualidades. ANEXO I - PROGRAMA DAS PROVAS DE CONHECIMENTOS GERAIS E DE REDAÇÃO Prova (Todos os Cursos) Trabalhando em consonância com as diretrizes curriculares nacionais, o UNIFEMM entende que as avaliações do processo

Leia mais

Conteúdo Programático Anual MATEMÁTICA

Conteúdo Programático Anual MATEMÁTICA MATEMÁTICA 1º BIMESTRE 5ª série (6º ano) CALCULANDO COM NÚMEROS NATURAIS 1. Idéias associadas à adição 2. Idéias associadas à subtração 3. Idéias associadas à multiplicação 4. Idéias associadas à divisão

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS DA NATUREZA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS DA NATUREZA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS DA NATUREZA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 27 de outubro de 2015) AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE CÓD. 152 870 No caso específico

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC INTRODUÇÃO AO CÁLCULO. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC INTRODUÇÃO AO CÁLCULO. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DO NORDESTE DA BAHIA LTDA - SESNEB EDITAL DE PROCESSO SELETIVO DA FACULDADE DO NORDESTE DA BAHIA VESTIBULAR 2016.

SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DO NORDESTE DA BAHIA LTDA - SESNEB EDITAL DE PROCESSO SELETIVO DA FACULDADE DO NORDESTE DA BAHIA VESTIBULAR 2016. SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DO NORDESTE DA BAHIA LTDA - SESNEB EDITAL DE PROCESSO SELETIVO DA FACULDADE DO NORDESTE DA BAHIA VESTIBULAR 2016.1 A SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DO NORDESTE DA BAHIA LTDA

Leia mais

EDITAL N 10/2012 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR TECNOLÓGICO

EDITAL N 10/2012 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR TECNOLÓGICO EDITAL N 10/2012 PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR TECNOLÓGICO A COMISSÃO PERMANENTE DE PROCESSOS SELETIVOS, no uso das atribuições que lhe confere a Portaria n 07, de 07 de março de 2012, comunica aos interessados,

Leia mais

MINISTERIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ EDITAL Nº 01/2016

MINISTERIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ EDITAL Nº 01/2016 M MINISTERIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ EDITAL Nº 01/2016 A Diretoria de Gestão de Pessoas (DIRGEP), por meio da Secretaria de Desenvolvimento de Pessoas (SEDEP), em conjunto

Leia mais

EDITAL CED/RTR N.º 003/2008, 05 de março de 2008. PROCESSO SELETIVO ESPECIAL Retificação do Edital n 002/2008 de 25 de fevereiro de 2008

EDITAL CED/RTR N.º 003/2008, 05 de março de 2008. PROCESSO SELETIVO ESPECIAL Retificação do Edital n 002/2008 de 25 de fevereiro de 2008 EDITAL CED/RTR N.º 003/2008, 05 de março de 2008. OCESSO SELETIVO ESPECIAL Retificação do Edital n 002/2008 de 25 de fevereiro de 2008 A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Concurso da AFA. Anexo E Programa de Matérias

Concurso da AFA. Anexo E Programa de Matérias Concurso da AFA Anexo E Programa de Matérias A bibliografia sugerida não limita nem esgota o programa. Serve apenas como orientação para as bancas elaboradoras de provas e para os candidatos. 1 FÍSICA

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL UNIFICADA CAMPOGRANDENSE (FEUC) FACULDADES INTEGRADAS CAMPO-GRANDENSES (FIC) COORDENAÇÃO DE MATEMÁTICA

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL UNIFICADA CAMPOGRANDENSE (FEUC) FACULDADES INTEGRADAS CAMPO-GRANDENSES (FIC) COORDENAÇÃO DE MATEMÁTICA E N A D E 005 LICENCIATURA MATEMÁTICA QUESTÕES RESOLVIDAS I N T R O D U Ç Ã O Estamos apresentando a prova do ENADE aplicada em 005 para os cursos de Licenciatura em Matemática. Este trabalho tem o objetivo

Leia mais

FACULDADES SENAC PROCESSO SELETIVO UNIFICADO 1º SEMESTRE/2016 ANEXO I

FACULDADES SENAC PROCESSO SELETIVO UNIFICADO 1º SEMESTRE/2016 ANEXO I ANEXO I As Faculdades Senac Minas, com o intuito de atender às diversas demandas, oferece à comunidade dois processos vestibular: o vestibular e o vestibular agendado. Ambos os processos buscam selecionar

Leia mais

PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS ESPANHOL 2 Área: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Disciplina: Língua Espanhola carga horária: 60 horas

PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS ESPANHOL 2 Área: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Disciplina: Língua Espanhola carga horária: 60 horas MINISTERIO DA DEFESA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXERCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS ESPANHOL 2 Área: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Leia mais

Planificação 2015/2016

Planificação 2015/2016 Planificação 2015/2016 ENSINO SECUNDÁRIO PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA A 11º ANO DE ESCOLARIDADE CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS GEOMETRIA NO PLANO E NO ESPAÇO II 1-Resolução de Problemas Envolvendo

Leia mais

EDITAL N. º 001/CTPM/2015 CONCURSO DE ADMISSÃO 2016 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EXAME INTELECTUAL

EDITAL N. º 001/CTPM/2015 CONCURSO DE ADMISSÃO 2016 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EXAME INTELECTUAL EDITAL N. º 001/CTPM/2015 CONCURSO DE ADMISSÃO 2016 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EXAME INTELECTUAL 1) PARA O ENSINO MÉDIO REDAÇÃO Do 1º ano ao 3º ano do ensino médio, a prova discursiva será composta

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Centro De Ciências Exatas e da Terra. Departamento de Física Teórica e Experimental

Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Centro De Ciências Exatas e da Terra. Departamento de Física Teórica e Experimental Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro De Ciências Exatas e da Terra Departamento de Física Teórica e Experimental Programa de Educação Tutorial Curso de Nivelamento: Pré-Cálculo PET DE FÍSICA:

Leia mais

CONTEÚDOS DA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA

CONTEÚDOS DA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA CONTEÚDOS DA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA 6ºANO CONTEÚDOS-1º TRIMESTRE Números naturais; Diferença entre número e algarismos; Posição relativa do algarismo dentro do número; Leitura do número; Sucessor e antecessor;

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO - 2013 VP4 MATEMÁTICA 3 a ETAPA 6 o ao 9º Ano INTEGRAL ENSINO FUNDAMENTAL 1º E 2º ANOS INTEGRAIS ENSINO MÉDIO

ROTEIRO DE ESTUDO - 2013 VP4 MATEMÁTICA 3 a ETAPA 6 o ao 9º Ano INTEGRAL ENSINO FUNDAMENTAL 1º E 2º ANOS INTEGRAIS ENSINO MÉDIO 6 o ANO MATEMÁTICA I Adição e subtração de frações: Frações com denominadores iguais. Frações com denominadores diferentes. Multiplicação de um número natural por uma fração. Divisão entre um número natural

Leia mais

GOVERNADOR DE PERNAMBUCO JOÃO SOARES LYRA NETO SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES DO ESTADO RICARDO DANTAS

GOVERNADOR DE PERNAMBUCO JOÃO SOARES LYRA NETO SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES DO ESTADO RICARDO DANTAS ISSN 1948-560X GOVERNADOR DE PERNAMBUCO JOÃO SOARES LYRA NETO SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES DO ESTADO RICARDO DANTAS SECRETÁRIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO ANA SELVA SECRETÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

Matriz Curricular de Matemática 6º ao 9º ano 6º ano 6º Ano Conteúdo Sistemas de Numeração Sistema de numeração Egípcio Sistema de numeração Romano Sistema de numeração Indo-arábico 1º Trimestre Conjunto

Leia mais

Curso de especialização em Educação Matemática. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP)

Curso de especialização em Educação Matemática. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP) Curso de especialização em Educação Matemática. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP) 1. Apresentação/Público Alvo Este curso de Pós-Graduação Lato Sensu é destinado especialmente a alunos graduados

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS MATEMÁTICA_6º ANO_B. Ano Letivo: 2013/2014. 1. Introdução / Finalidades. Metas de aprendizagem

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS MATEMÁTICA_6º ANO_B. Ano Letivo: 2013/2014. 1. Introdução / Finalidades. Metas de aprendizagem DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS MATEMÁTICA_6º ANO_B Ano Letivo: 203/204. Introdução / Finalidades A disciplina de Matemática tem como finalidade desenvolver: A estruturação do pensamento A apreensão e

Leia mais

Conteúdos Básicos do Exame de Qualificação

Conteúdos Básicos do Exame de Qualificação UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UERJ SUB-REITORIA DE GRADUAÇÃO SR-1 DEPARTAMENTO DE SELEÇÃO ACADÊMICA DSEA VESTIBULAR ESTADUAL 2010POVESTIBULAR ESTADUAL 2010 Vestibular Estadual 2014 Conteúdos

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros 2º ciclo PCA - 6º ano Planificação Anual 2013-2014 MATEMÁTICA METAS CURRICULARES

Leia mais

MATEMÁTICA 7.º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014 / 2015

MATEMÁTICA 7.º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014 / 2015 GRUPO DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA MATEMÁTICA 7.º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014 / 2015 (Em conformidade com o Programa de Matemática homologado em 17 de junho de 2013 e com as de Matemática homologadas em 3

Leia mais

Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRDI Comissão Permanente de Magistério - COPEMA Edital nº 06/2011 Retificação de 07 de julho de 2011

Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRDI Comissão Permanente de Magistério - COPEMA Edital nº 06/2011 Retificação de 07 de julho de 2011 Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRDI Comissão Permanente de Magistério - COPEMA Edital nº 06/2011 Retificação de 07 de julho de 2011 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO FUNDAMENTOS EM EDUCAÇÃO (Comum

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE CORONEL FREITAS ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO NÍVEL ALFABETIZADO

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE CORONEL FREITAS ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO NÍVEL ALFABETIZADO ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO NÍVEL ALFABETIZADO CARGOS: AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS, AUXILIAR DE SERVIÇOS EXTERNOS, MOTORISTA, OPERADOR DE MÁQUINAS I, OPERADOR DE MÁQUINAS II. conjunção, interjeição.

Leia mais

Edital do Processo Seletivo de 2016.1

Edital do Processo Seletivo de 2016.1 Edital do Processo Seletivo de 2016.1 A Reitora do Centro Universitário Celso Lisboa, com base nas disposições constantes na legislação vigente, nas Diretrizes e Bases da Educação acional e no Plano de

Leia mais

PLANIFICAÇÃO POR UNIDADE TEMÁTICA MATEMÁTICA 6.º ANO 2015/2016

PLANIFICAÇÃO POR UNIDADE TEMÁTICA MATEMÁTICA 6.º ANO 2015/2016 Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches PLANIFICAÇÃO POR UNIDADE TEMÁTICA MATEMÁTICA 6.º ANO 2015/2016 Tema 1: Números naturais. Potências de expoente

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE JAMBEIRO SP EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 02

CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE JAMBEIRO SP EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 02 CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 O Prefeito do município de Jambeiro, Estado de São Paulo no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor, torna público a presente retificação

Leia mais

Relatório Pedagógico ENEM 2009-2010

Relatório Pedagógico ENEM 2009-2010 Relatório Pedagógico ENEM 2009-2010 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP)

Leia mais

ATENÇÃO: Escreva a resolução COMPLETA de cada questão no espaço reservado para a mesma.

ATENÇÃO: Escreva a resolução COMPLETA de cada questão no espaço reservado para a mesma. 2ª Fase Matemática Introdução A prova de matemática da segunda fase é constituída de 12 questões, geralmente apresentadas em ordem crescente de dificuldade. As primeiras questões procuram avaliar habilidades

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Comunicação Visual CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR. Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h

Curso Técnico Integrado em Comunicação Visual CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR. Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h Curso Técnico Integrado em Comunicação Visual CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h Introdução à Comunicação Visual 40 horas Não tem Desenho I 40 horas Não

Leia mais

PSAEN 2007/08 Primeira Fase - Matemática

PSAEN 2007/08 Primeira Fase - Matemática PSAEN 007/08 Primeira Fase - Matemática : Caio Guimarães, Rodolpho Castro, Victor Faria, Paulo Soares, Iuri Lima Digitação: Caio Guimarães, Júlio Sousa. Comentário da Prova: A prova de matemática desse

Leia mais

processo seletivo 1 a série ensino médio

processo seletivo 1 a série ensino médio processo seletivo 1 a série ensino médio 1 a série ensino médio Regulamento do Processo Seletivo para 2015 O processo seletivo do Colégio Vital Brazil tem por objetivo conhecer a atuação do aluno no processo

Leia mais

Raciocínio Lógico-Quantitativo Correção da Prova ATRFB 2009 Gabarito 1 Prof. Moraes Junior RACIOCÍNIO LÓGICO-QUANTITATIVO

Raciocínio Lógico-Quantitativo Correção da Prova ATRFB 2009 Gabarito 1 Prof. Moraes Junior RACIOCÍNIO LÓGICO-QUANTITATIVO RACIOCÍNIO LÓGICO-QUANTITATIVO 31- A afirmação: João não chegou ou Maria está atrasada equivale logicamente a: a) Se João não chegou, Maria está atrasada. b) João chegou e Maria não está atrasada. c) Se

Leia mais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais Prova de Exame Nacional de Matemática Aplicada às Ciências Sociais Prova 835 2011 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Para: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento

Leia mais

Números complexos são aqueles na forma a + bi, em que a e b são números reais e i é o chamado número imaginário.

Números complexos são aqueles na forma a + bi, em que a e b são números reais e i é o chamado número imaginário. 10. NÚMEROS COMPLEXOS 10.1 INTRODUÇÃO Números complexos são aqueles na forma a + bi, em que a e b são números reais e i é o chamado número imaginário. O número a é denominado parte real do número complexo

Leia mais

Av. Moaci, 965 Moema São Paulo SP CEP: 04083-002 Tel. +55 (11) 2532-4813 www.geekie.com.br. Prezados colégios,

Av. Moaci, 965 Moema São Paulo SP CEP: 04083-002 Tel. +55 (11) 2532-4813 www.geekie.com.br. Prezados colégios, Prezados colégios, Buscando atender a demanda por GeekieTestes para o 1º e 2º anos do Ensino Médio, elaboramos nossa Matriz Geekie de Avaliação para 2014. Nela, buscamos contemplar os principais conteúdos

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL Nº 02/2014 ANEXO IV - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL Nº 02/2014 ANEXO IV - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL Nº 02/2014 1. PROVA - LÍNGUA PORTUGUESA 1.1. Programa da Prova: ANEXO IV - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1.1.1. Português (Nível Médio): Ortografia. Relações entre fonemas

Leia mais

FACULDADE DO NORDESTE DA BAHIA - FANEB

FACULDADE DO NORDESTE DA BAHIA - FANEB FACULDADE DO NORDESTE DA BAHIA - FANEB EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2014.2 A SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DO NORDESTE DA BAHIA LTDA - SESNEB, entidade mantenedora da FACULDADE DO NORDESTE DA BAHIA - FANEB,

Leia mais

EDITAL Nº 05/2015.1. (Bacharelado) Turismo (Bacharelado) 50 Noturno Pedagogia (Licenciatura) 50 Noturno

EDITAL Nº 05/2015.1. (Bacharelado) Turismo (Bacharelado) 50 Noturno Pedagogia (Licenciatura) 50 Noturno EDITAL Nº 05/2015.1 A Diretora Geral da Faculdade de Ensino Regional Alternativa - FERA, no uso de suas atribuições legais, divulga, através desse Edital, as normas do Processo Seletivo Vestibular FERA/2015.1

Leia mais

Gestão de Unidades Curriculares. Departamento de Matemática e Tecnologias

Gestão de Unidades Curriculares. Departamento de Matemática e Tecnologias Gestão de Unidades Curriculares Departamento de Matemática e Tecnologias 2015/2016 5.º ano Matemática Unidade 1 Figuras no plano Conteúdos/Domínios - Retas, semirretas e segmentos de reta. - Retas paralelas

Leia mais

PLANIFICAÇÃO POR UNIDADE TEMÁTICA MATEMÁTICA 5º ANO DISTRIBUIÇÃO ANUAL DAS UNIDADES TEMÁTICAS/ TEMPOS LETIVOS (AULAS DE 45 )

PLANIFICAÇÃO POR UNIDADE TEMÁTICA MATEMÁTICA 5º ANO DISTRIBUIÇÃO ANUAL DAS UNIDADES TEMÁTICAS/ TEMPOS LETIVOS (AULAS DE 45 ) Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches PLANIFICAÇÃO POR UNIDADE TEMÁTICA MATEMÁTICA 5º ANO DISTRIBUIÇÃO ANUAL DAS UNIDADES TEMÁTICAS/ TEMPOS LETIVOS

Leia mais

Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central FACIPLAC EDITAL nº 017, de 4 de dezembro de 2015

Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central FACIPLAC EDITAL nº 017, de 4 de dezembro de 2015 Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central FACIPLAC EDITAL nº 017, de 4 de dezembro de 15 O Diretor Geral das Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central - FACIPLAC,

Leia mais

Cronograma da Disciplina Matemática Básica 2012/1

Cronograma da Disciplina Matemática Básica 2012/1 Cronograma da Disciplina Matemática Básica 2012/1 Período letivo do 1º semestre de 2012 para Matemática Básica De 30 de janeiro de 2012 a 01 de julho de 2012 1ª semana 30/01 a 05/02 Assunto: Números Naturais

Leia mais

Matemática. Euclides Roxo. David Hilbert. George F. B. Riemann. George Boole. Niels Henrik Abel. Karl Friedrich Gauss.

Matemática. Euclides Roxo. David Hilbert. George F. B. Riemann. George Boole. Niels Henrik Abel. Karl Friedrich Gauss. Matemática Jacob Palis Álgebra 1 Euclides Roxo David Hilbert George F. B. Riemann George Boole Niels Henrik Abel Karl Friedrich Gauss René Descartes Gottfried Wilhelm von Leibniz Nicolaus Bernoulli II

Leia mais

(46) 3243-1371 EDITAL N. 042/2013 VESTIBULAR UNILAGOS 2014

(46) 3243-1371 EDITAL N. 042/2013 VESTIBULAR UNILAGOS 2014 1 Fundação de Ensino Superior de Mangueirinha Faculdade Unilagos Rua Saldanha Marinho, 85 www.unilagos.com.br C.N.P.J 05.428.075/0001-91 (46) 3243-1371 EDITAL N. 042/2013 VESTIBULAR UNILAGOS 2014 A Diretora

Leia mais

GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA

GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CICLO BÁSICO 1º BIMESTRE INTRODUÇÃO À ENGENHARIA 40 horas Fundamentos da Engenharia e Suas Grandes Áreas; Inovação e Desenvolvimento de Produto; O Modo

Leia mais

PROVA TEMÁTICA/2014 Conhecimento e Expressão nas Artes e nas Ciências

PROVA TEMÁTICA/2014 Conhecimento e Expressão nas Artes e nas Ciências PROVA TEMÁTICA/2014 Conhecimento e Expressão nas Artes e nas Ciências 6 ANO / ENSINO FUNDAMENTAL MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS (LÍNGUA PORTUGUESA, REDAÇÃO, ARTES E LÍNGUA

Leia mais

Número de aulas previstas 206

Número de aulas previstas 206 Período 2º Unidade didática Nº DE TEMPOS PREVISTOS Apresentação. 1 Atividades de diagnóstico 2 Números e operações (NO5) ( não negativos) 20 1- Efetuar operações com números racionais não negativos Geometria

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2007 PROVA DE RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO. 1 a. fase

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2007 PROVA DE RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO. 1 a. fase FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 007 PROVA DE RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO 1 a. fase Maria Raquel Miotto Morelatti Monica Fürkotter Novembro 006 1 Sumário 1.. Introdução 0 A natureza

Leia mais

Informação - Teste Comum 2.ºCICLO DO ENSINO BÁSICO MATEMÁTICA - 6.º ANO 2015

Informação - Teste Comum 2.ºCICLO DO ENSINO BÁSICO MATEMÁTICA - 6.º ANO 2015 Direção de Serviços da Região Norte Informação - Teste Comum 2.ºCICLO DO ENSINO BÁSICO MATEMÁTICA - 6.º ANO 2015 1- Informação O presente documento divulga informação relativa ao teste comum do 2.º Ciclo

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL- ESTREMOZ MATEMÁTICA A 12ºANO ANO LETIVO 2015/2016 OBJECTIVOS ESPECÍFICOS

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL- ESTREMOZ MATEMÁTICA A 12ºANO ANO LETIVO 2015/2016 OBJECTIVOS ESPECÍFICOS PROBABILIDADES E COMBINATÓRIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL- ESTREMOZ MATEMÁTICA A 12ºANO ANO LETIVO 2015/2016 Introdução ao cálculo Conhecer terminologia das probabilidades de Probabilidades

Leia mais

PROGRAMA DE MATEMÁTICA

PROGRAMA DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE MATEMÁTICA 10ª Classe 2º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO GERAL Área de Ciências Económico-Jurídicas Ficha Técnica Título Programa de Matemática - 10ª Classe (Área de Ciências Económico-Jurídicas)

Leia mais

Padrões de Desempenho Estudantil

Padrões de Desempenho Estudantil Padrões de Desempenho Estudantil Abaixo do Básico Básico Adequado Avançado Os Padrões de Desempenho são categorias definidas a partir de cortes numéricos que agrupam os níveis da Escala de Proficiência,

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 1º SEMESTRE DE 2015

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 1º SEMESTRE DE 2015 Pág.: 1 de 11 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 1º SEMESTRE DE 2015 O Diretor do Instituto Superior de Educação de São Paulo ISESP/Singularidades, autorizado e credenciado pela Portaria Ministerial nº 2.361,

Leia mais

Caderno de Prova TECNOLOGIA E ANÁLISE DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Nome do Candidato:

Caderno de Prova TECNOLOGIA E ANÁLISE DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Nome do Candidato: Universidade do Estado de Santa Catarina Vestibular Vocacionado 1. Caderno de Prova ª FASE 1ª Etapa TECNOLOGIA E ANÁLISE DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Nome do Candidato: INSTRUÇÕES GERAIS Confira o Caderno

Leia mais

Diretrizes Pedagógicas. 9º Ano do Ensino Fundamental 2

Diretrizes Pedagógicas. 9º Ano do Ensino Fundamental 2 Diretrizes Pedagógicas 9º Ano do Ensino Fundamental 2 2º Trimestre 2015 Caro aluno, Ao construirmos este documento de metas de realização do 2º trimestre, pensamos em uma forma de deixar registrado para

Leia mais

Plano Curricular de Matemática 9º ano - 2014 /2015-3º Ciclo

Plano Curricular de Matemática 9º ano - 2014 /2015-3º Ciclo Plano Curricular de Matemática 9º ano - 2014 /2015-3º Ciclo Tema/Subtema Conteúdos Metas Nº de Aulas Previstas Org.Trat.Dados / Planeamento Estatístico Especificação do problema Recolha de dados População

Leia mais

EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01 CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 01/2014

EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01 CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 01/2014 EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01 CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 01/2014 O Prefeito do município de Motuca, Estado de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor, torna público

Leia mais

PROVA DE SELEÇÃO PARA INGRESSO NA ESCOLA MUNICIPAL POLITÉCNICA ANTÔNIO LUIZ PEDROSA ANO 2015

PROVA DE SELEÇÃO PARA INGRESSO NA ESCOLA MUNICIPAL POLITÉCNICA ANTÔNIO LUIZ PEDROSA ANO 2015 PROVA DE SELEÇÃO PARA INGRESSO NA ESCOLA MUNICIPAL POLITÉCNICA ANTÔNIO LUIZ PEDROSA ANO 2015 A Secretária Municipal de Educação, Miryan Inêz de Lima, no uso de suas atribuições legais, torna pública a

Leia mais

FACULDADE GUARAPUAVA

FACULDADE GUARAPUAVA FACULDADE GUARAPUAVA CONCURSO VESTIBULAR DE VERÃO 2014 EDITAL N.051/2013 - DG/FG A Faculdade Guarapuava (FG), mantida pela União de Ensino e Cultura de Guarapuava Ltda. (UNIGUA), declara abertas as inscrições

Leia mais

A Educação em Ciências e a Educação Matemática: uma visão integradora

A Educação em Ciências e a Educação Matemática: uma visão integradora A Educação em Ciências e a Educação Matemática: uma visão integradora Carmen Teresa Kaiber Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Brasil kaiber@ulbra.br Resumo A atualização e produção de novos significados

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE FAXINAL DOS GUEDES

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE FAXINAL DOS GUEDES ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO NÍVEL SUPERIOR CARGOS: MONITOR CULTURAL, MONITOR DESPORTIVO, PROFESSOR DE ARTES DO 1º AO 5º ANO, PROFESSOR DE CIÊNCIAS 6º AO 9º ANO, PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA EDUCAÇÃO

Leia mais

ENSINO MÉDIO. Sondagem 2014 1ª SÉRIE. Língua Portuguesa

ENSINO MÉDIO. Sondagem 2014 1ª SÉRIE. Língua Portuguesa ENSINO MÉDIO O processo de sondagem do Colégio Sion busca detectar, no aluno, prérequisitos que possibilitem inseri-lo adequadamente na série pretendida. As disciplinas de e são os recursos utilizados

Leia mais

NO ESTUDO DE FUNÇÕES

NO ESTUDO DE FUNÇÕES 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA SEMANA DA MATEMÁTICA 2014 UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES GRÁFICOS NO ESTUDO DE FUNÇÕES PIBID MATEMÁTICA 2009 CURITIBA

Leia mais

CAPÍTULO 1- OPERAÇÕES COM NÚMEROS INTEIROS Indicadores de aprendizagem Verifica se sabes: Identificar o conjunto dos números inteiros.

CAPÍTULO 1- OPERAÇÕES COM NÚMEROS INTEIROS Indicadores de aprendizagem Verifica se sabes: Identificar o conjunto dos números inteiros. CAPÍTULO 1- OPERAÇÕES COM NÚMEROS INTEIROS Identificar o conjunto dos números inteiros. Representar na recta numérica os números inteiros. Indicar o valor absoluto e o simétrico de um número. Comparar

Leia mais

Diagnosticando conhecimentos matemáticos requeridos nas provas do ENEM

Diagnosticando conhecimentos matemáticos requeridos nas provas do ENEM Diagnosticando conhecimentos matemáticos requeridos nas provas do ENEM Maria das Dores de Morais Brasil dora.pe@gmail.com Leonardo de Morais UFPE Brasil leonardob.morais@gmail.com Resumo Este trabalho

Leia mais

CONHECIMENTOS GERAIS

CONHECIMENTOS GERAIS CANDIDATO (S) AO 6º ANO - EF CANDIDATO (S) AO 7º ANO - EF CANDIDATO (S) AO 8º ANO - EF CONJUNTO DOS NÚMEROS INTEIROS CONJUNTO DOS NÚMEROS RACIONAIS EQUAÇÃO DO 1º GRAU SISTEMA DE EQUAÇÕES DO 1º GRAU PROBLEMAS

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE MATEMÁTICA PURA E APLICADA. Programa de Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT)

INSTITUTO NACIONAL DE MATEMÁTICA PURA E APLICADA. Programa de Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT) INSTITUTO NACIONAL DE MATEMÁTICA PURA E APLICADA Programa de Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT) ANÁLISE CRÍTICA DAS PROVAS DE MATEMÁTICA DE 2010 A 2013 DO ENEM Leonardo Pereira

Leia mais

MATRIZ GEEKIE 1º Ano 1ª Aplicação Área Matéria Assunto

MATRIZ GEEKIE 1º Ano 1ª Aplicação Área Matéria Assunto MATRIZ GEEKIE 1º Ano 1ª Aplicação Estrutura celular Impactos ambientais da ação humana Método científico e o estudo da Tratamento de resíduos Estudo do movimento: aceleração Estudo do movimento: velocidade

Leia mais

MATEMÁTICA - 5.º Ano

MATEMÁTICA - 5.º Ano Salesianos de Mogofores - 2015/2016 MATEMÁTICA - 5.º Ano Ana Soares ( amariasoares@gmail.com ) Catarina Coimbra ( catarinacoimbra@mail.ru ) Rota de aprendizage m por Projetos NÚMEROS NATURAIS Desenvolver

Leia mais

EMENTÁRIO: COMPONENTES DA BASE NACIONAL COMUM (BNC)

EMENTÁRIO: COMPONENTES DA BASE NACIONAL COMUM (BNC) SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - SUPROF DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DIRDEP EMENTÁRIO: COMPONENTES DA BASE NACIONAL COMUM (BNC)

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. ANEXO VI DO EDITAL n. o 001/2010 PMC/SME CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA PROVA OBJETIVA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. ANEXO VI DO EDITAL n. o 001/2010 PMC/SME CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA PROVA OBJETIVA Cargo: Professor do Ensino Fundamental Áreas: Pedagogia, Educação Física e Música PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ ANEXO VI DO EDITAL n. o 001/2010 PMC/SME CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA PROVA OBJETIVA NÍVEL

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE MATEMÁTICA 5ª. SÉRIE, 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º BIMESTRE DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO CAIEIRAS

PLANO DE ENSINO DE MATEMÁTICA 5ª. SÉRIE, 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º BIMESTRE DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO CAIEIRAS PLANO DE ENSINO DE MATEMÁTICA 5ª. SÉRIE, 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º BIMESTRE 1-Estrutura do ensino de numeração decimal; agrupamento e contagens; valor posicional; operações básicas; operações inversas;

Leia mais

O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA

O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA Karine Gantes Monteiro (kahh_gtm@hotmail.com) 1 Márcia Lorena Martinez (marcialorenam@hotmail.com) 2 Thaís Gonçalves D Avila (thais.avila@ig.com.br) 3 Vagner

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI PROGRAMA DE ACESSO SERIADO (PAS) Programa de Provas Módulo II

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI PROGRAMA DE ACESSO SERIADO (PAS) Programa de Provas Módulo II UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI PROGRAMA DE ACESSO SERIADO (PAS) Programa de Provas Módulo II O programa das matérias do 2º módulo do PAS relaciona-se aos conteúdos curriculares indicados pelos

Leia mais

caderno Matemática Matemática e suas Tecnologias ELABORAÇÃO DE ORIGINAIS

caderno Matemática Matemática e suas Tecnologias ELABORAÇÃO DE ORIGINAIS Matemática Matemática e suas Tecnologias caderno de ELABORAÇÃO DE ORIGINAIS BETO PAIVA Professor e coordenador pedagógico em escolas de ensino médio e cursos pré-vestibulares há mais de 35 anos. LEO PAULO

Leia mais