Orientação a Objeto e UML Questões 2014 Prof. Felipe Leite

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Orientação a Objeto e UML Questões 2014 Prof. Felipe Leite"

Transcrição

1 Orientação a Objeto e UML Questões 2014 Prof. Felipe Leite Pessoal, fiz uma coletânea das questões mais recentes de concursos públicos de TODO o Brasil de várias bancas diferentes sobre os assuntos Orientação a Objetos e UML. Estou disponibilizando pra vocês treinarem conceitos relacionados a estes assuntos. Bons estudos!!! Att, Felipe Leite

2 Orientação a Objeto UFFS 2014 FAFIPA Analista de Tecnologia da Informação (Questão 34) 1) Um dos princípios da orientação a objetos é a herança, assinale a alternativa que apresenta uma de suas características: (A) A classe pai obrigatoriamente tem de ser abstrata. (B) Uma classe herdada não pode ser instanciada. (C) Compartilhamento de atributos e métodos entre classes. (D) Obrigatoriedade da reescrita dos métodos implementados. (E) Somente a reescrita dos métodos getters e setters. UFFS 2014 FAFIPA Analista de Tecnologia da Informação (Questão 40) 2) Qual alternativa define a implementação de um sistema orientado a objetos? (A) Implementa se um conjunto de tabelas no banco de dados que define a estrutura o sistema. (B) O sistema é definido por meio de comportamentos estruturais. (C) A implementação é feita por meio de um código estruturado. (D) Implementa se um conjunto de classes que define os objetos presentes no sistema. (E) A implementação é definida por meio de aspectos de objetos. MSCONCURSOS 2014 IF/AM Professor (Programação, Software, Hardware) (Questão 49) 3) A orientação a objetos possui uma característica que torna os sistemas extensíveis e sustentáveis, permite escrever programas que processam objetos que compartilham a mesma superclasse (direta ou indiretamente) como se todos fossem objetos da superclasse. Essa característica é um dos mecanismos fundamentais na programação orientada a objetos e utiliza o conceito de redefinição, que ocorre quando um método, cuja assinatura já tenha sido especificada, recebe uma nova definição em uma classe derivada. Essa característica é denominada: a) Interface b) Classe abstrata c) Herança d) Polimorfismo e) Acoplamento

3 CESGRANRIO 2014 EPE Analista de Gestão Corporativa (Tecnologia da Informação) (Questão 42) 4) Considere que um programa orientado a objeto possui 5 classes: Máquina, Motor, MotorExplosão, MotorVapor e Gerador. MotorExplosão e MotorVapor são especializações de Motor. Motor e Gerador são especializações de Máquina. Todas as classes respondem a uma mensagem chamada calcularpotencia, sem argumentos, que calcula e retorna um número real que indica potência do objeto, em watts, de acordo com os valores de alguns atributos, com um algoritmo diferente em cada classe. O exemplo acima caracteriza a capacidade de enviar a mesma mensagem para vários objetos e que cada objeto responda a essa mensagem de acordo com sua classe. Tal característica é conhecida como: (A) Polimorfismo (B) Refatoração (C) Herança Múltipla (D) Independência de Dados (E) Tratamento de Exceção IF/Farroupilha 2014 IF/Farroupilha Analista de Tecnologia da Informação (Questão 32) 5) A orientação a objetos é uma tecnologia que enxerga os sistemas como sendo coleção de objetos integrantes. Essa tecnologia é fundamentada no que chamamos, coletivamente, de modelos de objetos. Sobre essa tecnologia é correto afirmar que: a) Um dos grandes diferenciais da programação orientada a objetos em relação a outros paradigmas de programação, que permitem a definição de estruturas e operações sobre essas estruturas, está em não utilizar o conceito de herança. b) Engloba os princípios da abstração, hierarquização, encapsulamento, classificação, modularização, relacionamento, simultaneidade e persistência. c) Encapsulamento é um mecanismo na qual uma classe obtém as características e métodos de outra para expandí la ou especializá la de alguma forma, podendo herdar características, métodos e atributos de outras classes. d) Objetos de uma mesma classe nunca irão possuir a mesma definição para métodos e para atributos. e) Herança é o princípio de projeto pelo qual cada componente de um programa deve agregar toda a informação relevante para sua manipulação como uma unidade (uma cápsula)

4 IF/Farroupilha 2014 IF/Farroupilha Analista de Tecnologia da Informação (Questão 33) 6) Java é uma linguagem de programação orientada a objetos para o desenvolvimento de software que funcione em conjunto com a internet. A definição de uma classe em Java é dada pela seguinte estrutura: a) Public static NomedaClasse { System.out.println ( Nome da Classe ); b) Public static void main { System.out.println ( Nome da Classe ); c) Class void man { Corpo da classe d) Public class NomedaClasse { Corpo da classe e) Class public static { Corpo da classe IF/Farroupilha 2014 IF/Farroupilha Analista de Tecnologia da Informação (Questão 34) 7) Um computador e uma filmadora possuem uma mesma função que é gravar, mas essa função é realizada de forma diferente em ambos. Em programação orientada a objetos, esse é um exemplo clássico de: a) Método b) Exceções c) Polimorfismo d) Herança e) Atributo

5 IF/Farroupilha 2014 IF/Farroupilha Analista de Tecnologia da Informação (Questão 35) 8) É correto afirmar sobre a programação orientada a objetos: a) Uma classe não especifica o formato geral de seus objetos. b) A tecnologia orientada a objetos não permite que classes projetadas adequadamente sejam reutilizáveis em vários projetos. c) Na programação orientada a objetos, um método é um modelo usado para definir vários objetos com características semelhantes. d) As propriedades e ações disponíveis para um objeto não dependem de sua classe. e) Uma classe é uma coleção de objetos que podem ser descritos por um conjunto básico de atributos e possuem operações semelhantes. UFMA 2014 UFMA/NEC Analista de Tecnologia de Informação (Questão 23) 9) Assinale a alternativa que corretamente correlaciona tópicos sobre Programação Orientada a Objetos com as suas respectivas definições. I Herança II Encapsulamento III Polimorfismo IV Sobrecarga V Baixa coesão A. Mecanismo que permite que uma mesma mensagem enviada a objetos diferentes apresente comportamento definido pelo objeto que recebe a mensagem. B. Mecanismo de reutilização de código, a partir do qual uma nova classe é criada absorvendo membros de uma classe existente, podendo adicionar novas potencialidades. C. Mecanismo a partir do qual os detalhes da implementação dos métodos de uma classe são ocultados do usuário da classe. D. É o estado de uma classe cujos membros dão suporte a vários papéis ou responsabilidades não focados. E. Mecanismo que permite a existência de vários métodos de mesmo nome, porém com assinaturas diferentes, ou seja, variando o número e o tipo de argumentos e o valor de retorno. a) I A; II C; III E; IV B; V D; b) I B; II C; III A; IV E; V D; c) I B; II A; III D; IV C; V E; d) I C; II D; III A; IV E; V B; e) I E; II C; III A; IV B; V D;

6 UML 2014 UFMA 2014 UFMA/NEC Analista de Tecnologia de Informação (Questão 29) 10) Um relacionamento é uma conexão entre itens. Sobre os relacionamentos da UML é CORRETO afirmar: a) A realização é um relacionamento estrutural entre classes que descreve um conjunto de ligações, em que as ligações são conexões entre objetos que são instâncias das classes. b) Uma dependência é um relacionamento semântico entre dois itens. Sendo que um item não usa as informações e serviços do outro item. c) Uma associação é um relacionamento semântico entre classificadores, em que o classificador especifica um contrato que o outro classificador garante executar. d) Generalização é um relacionamento de especialização entre itens gerais e tipos mais específicos desses itens. Conectam classes generalizadas a outas mais especializadas. e) Uma associação é um relacionamento de utilização e é representada graficamente como linhas tracejadas. MSCONCURSOS 2014 IF/AM Professor (Programação, Software, Hardware) (Questão 38) 11) A UML (Unified Modeling Language) é utilizada para modelar sistemas orientados a objetos e através dela é possível capturar diferentes visões do sistema. Um de seus diagramas é usado para descrever os tipos de objetos presentes no sistema e os vários tipos de relacionamentos estáticos existentes entre eles. Este diagrama mostra também as propriedades e as operações de um conjunto de objetos e as restrições que se aplicam à maneira como os objetos estão conectados. O diagrama citado é o de: a) Máquina de Estados. b) Atividade. c) Sequência. d) Classes. e) Componentes.

7 MSCONCURSOS 2014 IF/AM Professor (Programação, Software, Hardware) (Questão 42) 12) De acordo com a UML 2.0, analise as assertivas sobre o modelo de classes mostrado a seguir: I Um objeto produto pode ser associado a mais de um objeto cliente. II Um objeto cliente está associado à no máximo um único objeto produto. III Nenhum objeto venda está associado a uma associação entre produto e cliente. Qual(ais) a(s) assertivas está(ão) correta(s)?: a) Somente a I. b) Somente a II. c) Somente a III. d) Somente I e II. e) I, II e III. FUNCAB 2014 ENDUR Analista de Informática (Questão 50) 13) No diagrama de classes da UML, uma linha entre as classes de objetos representa um(a): A) associação. B) atributo. C) operação. D) método. E) herança

8 UFFS 2014 FAFIPA Analista de Tecnologia da Informação (Questão 37) 14) Considerando a Unified Modeling Language (UML), qual alternativa indica o diagrama que representa as interações entre os objetos de um cenário realizadas por meio de métodos? (A) Diagrama de implantação. (B) Diagrama de sequência. (C) Diagrama de Entidade e Relacionamento. (D) Diagrama de Classes. (E) Diagrama de Caso de uso. FCC 2014 SABESP Analista de Gestao (Questão 50) 15) Considere a imagem abaixo: Na UML 2.0, o conceito de modelagem de classes que pode ser observado na imagem é (A) Herança. (B) Propagação. (C) Agregação. (D) Composição. (E) Associação Simples.

9 EMPLASA 2014 VUNESP Analista Administrativo Tecnologia da Informação (Questão 41) 16) Na UML 2.0, a notação utilizada para representar um template de classe é: EMPLASA 2014 VUNESP Analista Administrativo Tecnologia da Informação (Questão 42) 17) No diagrama de objetos da UML 2.0, o nome de um objeto deve respeitar a seguinte notação: (A) nome classe >> nome objeto (B) nome classe (nome objeto) (C) nome objeto < > nome classe (D) nome objeto (nome classe) (E) nome objeto : nome classe

10 EMPLASA 2014 VUNESP Analista Administrativo Tecnologia da Informação (Questão 43) 18) Em um diagrama de máquinas de estado da UML 2.0, os estados inicial e final são representados, respectivamente, pelos símbolos: FCC 2014 Câmara de SP Consultor Técnico Legislativo (Questão 25) 19) A UML é uma linguagem que descreve um conjunto de diagramas para a modelagem de sistemas orientados a objetos. Dentre estes diagramas estão os diagramas de estados que são (A) desenhados para todas as classes, para mostrar o comportamento do ciclo de vida e a interação de vários objetos. (B) adequados para descrever o comportamento de um único objeto em vários casos de uso. (C) a melhor técnica para mostrar a sequência geral de atividades para vários objetos e casos de uso. (D) a melhor técnica para descrever o comportamento de vários objetos em um único caso de uso. (E) construídos, especificamente, para descrever um comportamento que envolva vários objetos em colaboração.

11 CESGRANRIO 2014 EPE Analista de Gestão Corporativa (Tecnologia da Informação) (Questão 37) 20) Uma equipe de desenvolvimento de software escolheu utilizar a análise orientada a objeto, seguindo a notação UML, para desenvolver um projeto razoavelmente complexo. Em certo ponto do projeto, ficou clara a necessidade de representar quais elementos externos interagem com que funcionalidades do sistema, em um nível alto de abstração. Qual o diagrama destinado para representar essas interações? (A) Diagrama de Casos de Uso (B) Diagrama de Colaboração (C) Diagrama de Fluxo de Dados (D) Diagrama de Interface com o Usuário (E) Diagrama de Sequência FCC 2014 ALEPE Analista de Informática (Questão 58) 21) Considere o diagrama UML para a classe Conta ilustrado abaixo. É correto afirmar: (A) A figura apresenta um diagrama de sequência, usado para representar o comportamento dinâmico de uma classe. O diagrama de sequência pode ser utilizado para ajudar a originar as sequências de testes que vão exercitar o comportamento dinâmico da classe e daquelas classes que colaboram com ela. (B) As sequências iniciais movem se entre os objetos Conta vazia e Conta estabelecida. A maior parte dos comportamentos da classe ocorre enquanto se está no objeto Conta

12 ativa. Uma retirada final e fechamento da conta para a classe Conta fazem com que se estabeleçam mensagens para os objetos Conta inativa e Conta morta, respectivamente. (C) Os testes projetados devem cobrir apenas os objetos centrais do diagrama, quais sejam, Conta estabelecida, Conta ativa e Conta inativa, já que Conta vazia e Conta morta não contêm dados a serem validados. (D) O modelo de estados pode ser percorrido em forma de inclusão progressiva. Neste contexto, inclusão progressiva implica um caso de teste exercitar uma única transição e, quando uma nova transição tiver de ser testada, são usadas apenas aquelas previamente testadas. (E) O caso de teste: Abrir EstabelecerConta FazerDepósito(inicial) FazerRetirada(final) Fechar é denominado sequência máxima de teste e a este caso de teste não podem ser acrescentadas outras sequências de teste. FCC 2014 ALEPE Analista de Informática (Questão 59) 22) Visibilidade refere se à capacidade de um método referenciar uma característica de outra classe. Num diagrama de classes da UML 2.0 a visibilidade é indicada com um prefixo representado pelos caracteres: I. # II. + III. ~ IV. Os tipos de visibilidade definidos de I a IV são correta e respectivamente: (A) private public protected package (B) public private package protected (C) private package public protected (D) protected public package private (E) package protected private public

13 FCC 2014 ALEPE Analista de Informática (Questão 60) 23) Considere o diagrama da UML 2.0: Trata se de um diagrama de I e nele podem ser identificados II, III e IV. As lacunas de I a IV são correta e respectivamente preenchidas por: (A) interfaces componentes relacionamentos de realização conexões (B) implantação elementos de hardware nós vias de comunicação (C) instalação elementos de infraestrutura nós estereótipos de nós (D) modelagem cliente/servidor servidor clientes interfaces de banco de dados (E) componentes interfaces componentes relacionamentos de dependência FCC 2014 ALEPE Analista de Informática (Questão 61) 24) Marcelo trabalha como Analista Legislativo na Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco e recebeu a tarefa de elaborar um diagrama da UML 2.0 que seja capaz de modelar o que pode ocorrer em partes de um sistema orientado a objetos, como: fluxos de controle e de dados, situações de decisão em que haja uma entrada e diversas saídas, diferentes ações que podem ser executadas por objetos ou entidades quando um método for executado, como um conjunto de ações relacionadas pode ser executado e como afetará objetos ao redor, situações em que mais de uma atividade pode acontecer ao mesmo tempo.

14 Marcelo optou por usar o diagrama de (A) Classes. (B) Atividades. (C) Colaboração. (D) Objetos. (E) Casos de Uso. FCC 2014 ALEPE Analista de Informática Especialidade Sistemas(Questão 90) 25) Considere: De acordo com a classe acima, é correto afirmar que: (A) a assinatura do método calcularmedia está incorreta, pois ele precisará receber as notas como parâmetros. (B) o método retornarstatus é protegido, logo, poderá ser acessado de classes que estão no mesmo pacote da classe Boletim. (C) a implementação dos métodos está explícita, ou seja, é possível saber exatamente a operação que o método executará. (D) os métodos da classe são privados, ou seja, são acessados apenas a partir da própria classe. (E) os atributos da classe são públicos (public) e, por isso, poderão ser acessados de outras classes.

15 FCC 2014 ALEPE Analista Judiciário Informática(Questão 21) 26) Considere as classes criadas na linguagem Java. import java.util.list; public class ClasseB { private List atributoclassec; public List getatributoclassec() { return atributoclassec; public void setatributoclassec(list atributoclassec) { this.atributoclassec = atributoclassec; public class ClasseC { private ClasseB atributoclasseb; public ClasseB getatributoclasseb() { return atributoclasseb; public void setatributoclasseb(classeb atributoclasseb) { this.atributoclasseb = atributoclasseb;

16 FCC 2014 ALEPE Analista Judiciário Informática(Questão 22) 27) Herança e interfaces são conceitos da orientação a objetos que possibilitam a obtenção de polimorfismo. Em Java, uma interface pode (A) herdar de mais de uma interface. (B) ser instanciada diretamente por meio da instrução new. (C) possuir apenas assinaturas de métodos públicos e protegidos. (D) possuir métodos abstratos e estáticos. (E) conter declarações de constantes e de variáveis não inicializadas.

17 FCC 2014 ALEPE Analista Judiciário Informática (Questão 37) 28) A figura abaixo mostra um diagrama com as atividades relativas ao levantamento de requisitos. O diagrama e a lacuna da caixa em branco referem se, respectivamente, aos diagramas UML de (A) Componentes e Atividade. (B) Atividade e Casos de Uso. (C) Fluxo de Dados e Atividade. (D) Sequência e Casos de Uso. (E) Requisitos e Classes.

18 Padrões de Projeto UFMA 2014 UFMA/NEC Analista de Tecnologia de Informação (Questão 26) 29) Qual dos padrões de projetos, listados a seguir, define o esqueleto de um algoritmo em uma operação, postergando algumas etapas para as subclasses, permitindo que certos passos de um algoritmo seja redefinido sem alterar a estrutura do mesmo? a) Singleton b) Template Method c) Factory d) Adapter e) Proxy UFMA 2014 UFMA/NEC Analista de Tecnologia de Informação (Questão 27) 30) Um analista de TI ao realizar a análise do desenvolvimento de um software, escuta do cliente algo a respeito de aplicar diferentes regras de negócio em momentos distintos. Então, ele entende que o ideal seria utilizar um padrão de projeto que permitisse encapsular essas regras em uma classe abstrata e ter uma família de algoritmos de derivações concretas. Dentre os padrões de projeto a seguir, qual seria opção pensada pelo analista? a) Observer b) Adapter c) Factory Method d) Strategy e) Memento

19 Gabaritos Orientação a Objetos 1) C 2) D 3) D 4) A 5) B 6) D 7) C 8) E 9) B UML 10) D 11) D 12) A 13) A 14) B 15) C 16) E 17) E 18) C 19) B 20) A 21) D 22) D 23) E 24) B 25) B 26) A 27) A 28) B Padrões de Projeto 29) B 30) D

Análise e Projeto Orientados por Objetos

Análise e Projeto Orientados por Objetos Análise e Projeto Orientados por Objetos Aula 01 Orientação a Objetos Edirlei Soares de Lima Paradigmas de Programação Um paradigma de programação consiste na filosofia adotada na

Leia mais

3.1 Definições Uma classe é a descrição de um tipo de objeto.

3.1 Definições Uma classe é a descrição de um tipo de objeto. Unified Modeling Language (UML) Universidade Federal do Maranhão UFMA Pós Graduação de Engenharia de Eletricidade Grupo de Computação Assunto: Diagrama de Classes Autoria:Aristófanes Corrêa Silva Adaptação:

Leia mais

Capítulo 8. Introdução UML

Capítulo 8. Introdução UML Capítulo 8. Introdução UML 1/42 Índice Indice 8.1 - Introdução UML 8.2 - Modelação estrutural 8.2.1 - Representação de classes e objectos 8.2.2 - Relações entre objectos 8.2-3 - Relações de associação

Leia mais

Análise e Projeto Orientado a Objetos

Análise e Projeto Orientado a Objetos Análise e Projeto Orientado a Objetos Linguagem UML Modelagem Estrutural Modelagem Estrutural Anderson Belgamo Classes Definição: uma classe é uma descrição de um conjunto de objetos que compartilham os

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008/1 4º PERÍODO 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A3 DATA 15/10/2009 ENGENHARIA DE SOFTWARE 2009/2 GABARITO COMENTADO QUESTÃO 1: Analise as afirmações

Leia mais

QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44)

QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44) QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44) 28) A orientação a objetos é uma forma abstrata de pensar um problema utilizando-se conceitos do mundo real e não, apenas, conceitos computacionais. Nessa perspectiva, a adoção

Leia mais

Linguagem de Programação Orientada a Objeto. Introdução a Orientação a Objetos Professora Sheila Cáceres

Linguagem de Programação Orientada a Objeto. Introdução a Orientação a Objetos Professora Sheila Cáceres Linguagem de Programação Orientada a Objeto Introdução a Orientação a Objetos Professora Sheila Cáceres Introdução a Orientação a Objetos No mundo real, tudo é objeto!; Os objetos se relacionam entre si

Leia mais

Diagrama de Classes. Um diagrama de classes descreve a visão estática do sistema em termos de classes e relacionamentos entre as classes.

Diagrama de Classes. Um diagrama de classes descreve a visão estática do sistema em termos de classes e relacionamentos entre as classes. 1 Diagrama de Classes Um diagrama de classes descreve a visão estática do sistema em termos de classes e relacionamentos entre as classes. Um dos objetivos do diagrama de classes é definir a base para

Leia mais

Tópicos em Engenharia de Computação

Tópicos em Engenharia de Computação Tópicos em Engenharia de Computação Introdução / Revisão UML e POO (JAVA) Prof. Ivan Prof. Zagari UML Linguagem Unificada. Não é metodologia, processo ou método. Versão atual 2.0 3 categorias de Diagramas

Leia mais

Programação com Objectos. Processamento de Dados I. 3. UML (Unified Modeling Language)

Programação com Objectos. Processamento de Dados I. 3. UML (Unified Modeling Language) Programação com Objectos Processamento de Dados I 3. UML (Unified Modeling Language) 1 Modelo UML Diagrama de classes Programação com Objectos / Processamento de Dados I 2 Modelo O desenvolvimento de programas

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL ULYSSES GUIMARÃES CURSO TÉCNICO PROFISSIONALIZANTE EM INFORMÁTICA ERINALDO SANCHES NASCIMENTO

COLÉGIO ESTADUAL ULYSSES GUIMARÃES CURSO TÉCNICO PROFISSIONALIZANTE EM INFORMÁTICA ERINALDO SANCHES NASCIMENTO COLÉGIO ESTADUAL ULYSSES GUIMARÃES CURSO TÉCNICO PROFISSIONALIZANTE EM INFORMÁTICA ERINALDO SANCHES NASCIMENTO MODELAGEM DA ESTRUTURA LÓGICA DE UM SISTEMA: CLASSES E DIAGRAMAS DE CLASSE FOZ DO IGUAÇU 2013

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento de Ciência da Computação Dr. Ítalo S. Vega ES-II/III: Engenharia de Software: Processos Projeto 1 c 2004, ISVega Ferramenta CASE: LiMAOO-PUC CONTEÚDO

Leia mais

Utilizando os Diagramas da UML (Linguagem Unificada de Modelagem) para desenvolver aplicação em JSF

Utilizando os Diagramas da UML (Linguagem Unificada de Modelagem) para desenvolver aplicação em JSF Utilizando os Diagramas da UML (Linguagem Unificada de Modelagem) para desenvolver aplicação em JSF Ben-Hur de Sousa Lopes¹, Jaime William Dias¹ ¹Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí Paraná Brasil

Leia mais

Modelagem de Processos. Prof.: Fernando Ascani

Modelagem de Processos. Prof.: Fernando Ascani Modelagem de Processos Prof.: Fernando Ascani Bibliografia UML Guia de consulta rápida Douglas Marcos da Silva Editora: Novatec UML Guia do usuário Grady Booch James Rumbaugh Ivair Jacobson Editora: Campus

Leia mais

Diagrama de Estrutura Composta

Diagrama de Estrutura Composta Diagramas da UML Diagrama de Estrutura Composta Diagrama de Casos de Uso Indicação: Análise de Requisitos Permite descobrir os requisitos funcionais do sistema Fornece uma descrição clara e consistente

Leia mais

Mapa Mental de Engenharia de Software - Diagramas UML

Mapa Mental de Engenharia de Software - Diagramas UML Mapa Mental Engenharia Software - Diagramas UML Mapa Mental Engenharia Software Diagramas UML Mapa Mental Engenharia Software Diagramas UML Mapa Mental UML - Diagramas, Fases e Detalhes Resolvi juntar

Leia mais

Micro Mídia Informática Fevereiro/2009

Micro Mídia Informática Fevereiro/2009 Micro Mídia Informática Fevereiro/2009 1 UML Introdução Fases de Desenvolvimento Notação Visões Análise de Requisitos Casos de Uso StarUML Criando Casos de Uso Orientação a Objetos Diagrama de Classes

Leia mais

UML Aspectos de projetos em Diagramas de classes

UML Aspectos de projetos em Diagramas de classes UML Aspectos de projetos em Diagramas de classes Após ser definido o contexto da aplicação a ser gerada. Devemos pensar em detalhar o Diagrama de Classes com informações visando uma implementação Orientada

Leia mais

UML Itens Estruturais - Interface

UML Itens Estruturais - Interface Itens Estruturais - Interface Coleção de operações que especificam serviços de uma classe ou componente Descreve o comportamento visível externamente Raramente aparece sozinha. Em geral vem anexada à classe

Leia mais

Programação Orientada a Objeto

Programação Orientada a Objeto Programação Orientada a Objeto Classes, Atributos, Métodos e Objetos Programação de Computadores II Professor: Edwar Saliba Júnior 1) Java é uma linguagem orientada a objetos. Para que possamos fazer uso

Leia mais

EXERCÍCIOS SOBRE ORIENTAÇÃO A OBJETOS

EXERCÍCIOS SOBRE ORIENTAÇÃO A OBJETOS Campus Cachoeiro de Itapemirim Curso Técnico em Informática Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas Professor: Rafael Vargas Mesquita Este exercício deve ser manuscrito e entregue na próxima aula; Valor

Leia mais

FUNDAMENTOS DA ORIENTAÇÃO A OBJETOS- REVISÃO

FUNDAMENTOS DA ORIENTAÇÃO A OBJETOS- REVISÃO FUNDAMENTOS DA ORIENTAÇÃO A OBJETOS- REVISÃO Dado que a UML é uma ferramenta inserida no paradigma da orientação a objetos, vamos rever alguns conceitos fundamentais, dentre os quais, destacamos: Classificação,

Leia mais

PROGRAMAÇÃO AVANÇADA -CONCEITOS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

PROGRAMAÇÃO AVANÇADA -CONCEITOS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br PROGRAMAÇÃO AVANÇADA -CONCEITOS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br ROTEIRO 1. Conceitos de Orientação a Objetos Introdução O paradigma da POO Classes

Leia mais

Programação Orientada a Objetos C++

Programação Orientada a Objetos C++ Programação Orientada a Objetos em C++ Sumário Histórico Comparação com Java Encapsulamento Tratamento de classes e objetos Herança Polimorfismo Histórico Desenvolvido por Bjarne Stroustrup dos Bell Labs

Leia mais

UML: Diagrama de Casos de Uso, Diagrama de Classes

UML: Diagrama de Casos de Uso, Diagrama de Classes UML: Diagrama de Casos de Uso, Diagrama de Classes Diagrama de Casos de Uso O modelo de casos de uso visa responder a pergunta: Que usos (funcionalidades) o sistema terá? ou Para que aplicações o sistema

Leia mais

2 Engenharia de Software

2 Engenharia de Software 20 2 Engenharia de Software 2.1 Design de Sistemas Orientados a Objetos Os Sistemas Orientados a Objetos não são mais novidade hoje em dia já estando há muitos anos no mercado. A orientação a objetos permite

Leia mais

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP 1) Introdução Programação Orientada a Objetos é um paradigma de programação bastante antigo. Entretanto somente nos últimos anos foi aceito realmente

Leia mais

QUESTÕES PARA ESTUDO DIAGRAMA DE CLASSE

QUESTÕES PARA ESTUDO DIAGRAMA DE CLASSE TURMA: / CÓDIGO: CCT0071 PERGUNTAS PARA ESTUDO MODELAGEM DE SISTEMAS DATA: NÃO ENTREGAR CAMPUS: SANTO ANDRÉ PERÍODO: NOTURNO VALOR = 0,0 PROFESSOR: CELSO CANDIDO QUESTÕES PARA ESTUDO DIAGRAMA DE CLASSE

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em Java

Programação Orientada a Objetos em Java Programação Orientada a Objetos em Java Rone Ilídio da Silva Universidade Federal de São João del-rei Campus Alto Paraopeba 1:14 1 Objetivo Apresentar os principais conceitos de Programção Orientada a

Leia mais

INFORMÁTICA (SUBÁREA : DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO WEB)

INFORMÁTICA (SUBÁREA : DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO WEB) CONCURSO PÚBLICO DOCENTE IFMS EDITAL Nº 002/2013 CCP IFMS INFORMÁTICA (SUBÁREA : DESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO WEB) Uso exclusivo do IFMS. GABARITO QUESTÃO 1 (Valor 4 pontos) A Lei nº 11.892, de 29

Leia mais

Modelagem com UML. Fabio Perez Marzullo. IEEE Body of Knowledge on Services Computing Committee on Services Computing, IEEE Computer Society

Modelagem com UML. Fabio Perez Marzullo. IEEE Body of Knowledge on Services Computing Committee on Services Computing, IEEE Computer Society Modelagem com UML Fabio Perez Marzullo IEEE Body of Knowledge on Services Computing Sponsored by Technical Committee on Services Computing, IEEE Computer Society Modelagem Estática (Visão Lógica) Casos

Leia mais

UML Unified Modeling Language

UML Unified Modeling Language UML Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada A linguagem UML UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada É uma linguagem para especificação, É uma linguagem para

Leia mais

Unisant Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER

Unisant Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER Objetivo dessa aula é descrever as características e a simbologia dos diagramas UML e MER na modelagem de sistemas de informação de uma forma a permitir a comunicação entre técnicos e gestores. Modelagem

Leia mais

Casos de uso Objetivo:

Casos de uso Objetivo: Casos de uso Objetivo: Auxiliar a comunicação entre os analistas e o cliente. Descreve um cenário que mostra as funcionalidades do sistema do ponto de vista do usuário. O cliente deve ver no diagrama de

Leia mais

MODELAGEM DE SISTEMAS

MODELAGEM DE SISTEMAS MODELAGEM DE SISTEMAS Diagramas de Casos de Uso Profa. Rosemary Melo Diagrama de Casos de Uso Modelagem de Sistemas Apresenta uma visão externa geral das funções ou serviços que o sistema deverá oferecer

Leia mais

UML - Unified Modeling Language

UML - Unified Modeling Language UML - Unified Modeling Language Casos de Uso Marcio E. F. Maia Disciplina: Engenharia de Software Professora: Rossana M. C. Andrade Curso: Ciências da Computação Universidade Federal do Ceará 24 de abril

Leia mais

A Linguagem de Modelagem Unificada

A Linguagem de Modelagem Unificada A Linguagem de Modelagem Unificada Modelagem de Dados 1 A linguagem de Modelagem Unificada (UML Unified Modeling Language) é uma linguagem gráfica para comunicar especificações de projeto para software.

Leia mais

Guia de utilização da notação BPMN

Guia de utilização da notação BPMN 1 Guia de utilização da notação BPMN Agosto 2011 2 Sumário de Informações do Documento Documento: Guia_de_utilização_da_notação_BPMN.odt Número de páginas: 31 Versão Data Mudanças Autor 1.0 15/09/11 Criação

Leia mais

Fundamentos de Banco de Dados e Modelagem de Dados

Fundamentos de Banco de Dados e Modelagem de Dados Abril - 2015 Universidade Federal de Mato Grosso Instituto de Computação Pós Graduação Lato Sensu em Banco de Dados Fundamentos de Banco de Dados e Modelagem de Dados Prof. Dr. Josiel Maimone de Figueiredo

Leia mais

Unidade III MODELAGEM DE PROCESSOS. Profa. Gislaine Stachissini

Unidade III MODELAGEM DE PROCESSOS. Profa. Gislaine Stachissini Unidade III MODELAGEM DE PROCESSOS Profa. Gislaine Stachissini Diagrama UML Visões do Sistema Diagrama UML Objetivo: fornecer múltiplas visões do sistema a ser modelado, analisando e modelando sobre diversos

Leia mais

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063)

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Aula 6 Polimorfismo Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Prof.

Leia mais

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063)

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Aula 5 Herança Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Prof. Bruno

Leia mais

Engenharia Informática

Engenharia Informática Escola Superior de Ciência e Tecnologia Engenharia Informática Análise de Sistemas Informáticos 3º ano Exame 12 de Julho de 2006 Docentes: José Correia e João Paulo Rodrigues Duração: 90 m; Tolerância:

Leia mais

Modelos de Sistemas Casos de Uso

Modelos de Sistemas Casos de Uso Modelos de Sistemas Casos de Uso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2000 Slide 1 Modelagem de Sistema UML Unified Modeling Language (Linguagem de Modelagem Unificada)

Leia mais

Linguagem de Programação III Herança

Linguagem de Programação III Herança Linguagem de Programação III Herança Prof. Moser Fagundes Curso Técnico em Informática (Modalidade Integrada) Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas Vantagens da orientação a objetos

Leia mais

2 Diagrama de Caso de Uso

2 Diagrama de Caso de Uso Unified Modeling Language (UML) Universidade Federal do Maranhão UFMA Pós Graduação de Engenharia de Eletricidade Grupo de Computação Assunto: Diagrama de Caso de Uso (Use Case) Autoria:Aristófanes Corrêa

Leia mais

UM ESTUDO PARA A EVOLUÇÃO DO PHP COM A LINGUAGEM ORIENTADA A OBJETOS

UM ESTUDO PARA A EVOLUÇÃO DO PHP COM A LINGUAGEM ORIENTADA A OBJETOS UM ESTUDO PARA A EVOLUÇÃO DO PHP COM A LINGUAGEM ORIENTADA A OBJETOS Jean Henrique Zenzeluk* Sérgio Ribeiro** Resumo. Este artigo descreve os conceitos de Orientação a Objetos na linguagem de programação

Leia mais

Programa Analítico. Introdução. Origens da programação Orientada a Objetos. Paradigma procedural. Paradigma Orientado a Objetos.

Programa Analítico. Introdução. Origens da programação Orientada a Objetos. Paradigma procedural. Paradigma Orientado a Objetos. Programação II Prof. Gustavo Willam Pereira e-mail: gustavowillam@gmail.com ENG10082 Programação II 1 Ementa Programação orientada a objetos: classes e objetos, atributos e métodos, especificadores de

Leia mais

Guia para elaboração do Modelo de Domínio Metodologia Celepar

Guia para elaboração do Modelo de Domínio Metodologia Celepar Guia para elaboração do Modelo de Domínio Metodologia Celepar Agosto 2009 Sumário de Informações do Documento Documento: guiamodelagemclassesdominio.odt Número de páginas: 20 Versão Data Mudanças Autor

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

Figura 5 - Workflow para a Fase de Projeto

Figura 5 - Workflow para a Fase de Projeto 5. Fase de Projeto A Fase de Projeto caracteriza-se por transformar as informações modeladas durante a Fase de Análise em estruturas arquiteturais de projeto com o objetivo de viabilizar a implementação

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO (PROENG) ASSESSORIA DE DESENVOLVIMENTO ASSESSORIA JURÍDICA

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO (PROENG) ASSESSORIA DE DESENVOLVIMENTO ASSESSORIA JURÍDICA FORMULÁRIO DE ALTERAÇÃO DE EMENTAS CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MATRIZ(ES) CURRICULAR(ES): 2011 ALTERAÇÕES PASSAM A VIGORAR A PARTIR DO SEMESTRE: 2015.1 Banco de Dados I Estudo dos aspectos de modelagem

Leia mais

Programação com Objectos Teste Teórico 04 de Janeiro de 2010, 09:00 (120 minutos)

Programação com Objectos Teste Teórico 04 de Janeiro de 2010, 09:00 (120 minutos) LEIC-A LEIC-T LERC MEE MEIC-A 2009/2010 (1º Semestre) Teste Teórico (201001040900) 1/10 LEIC-A LEIC-T LERC MEE MEIC-A 2009/2010 (1º Semestre) Teste Teórico 04 de Janeiro de 2010, 09:00 (120 minutos) Nome:

Leia mais

Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes

Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes Alexandro Deschamps (Ápice) alexandro@apicesoft.com Everaldo Artur Grahl (FURB/DSC) egrahl@furb.br Resumo. Uma das grandes

Leia mais

Uma visão mais clara da UML Sumário

Uma visão mais clara da UML Sumário Uma visão mais clara da UML Sumário 1 Método...2 2 Análise de requisitos...2 2.1 Diagramas de Casos de Uso...3 2.1.1 Ator...3 2.1.2 Casos de Uso (Use Case)...4 2.1.3 Cenário...4 2.1.4 Relacionamentos...6

Leia mais

Programação Orientada a Objetos. Introdução à Análise Orientada a Objetos (AOO)

Programação Orientada a Objetos. Introdução à Análise Orientada a Objetos (AOO) Programação Orientada a Objetos Introdução à Análise Orientada a Objetos (AOO) Cristiano Lehrer, M.Sc. Processo de Desenvolvimento de Software Um processo de software mostra os vários estágios do desenvolvimento

Leia mais

Resolução da lista de exercícios de casos de uso

Resolução da lista de exercícios de casos de uso Resolução da lista de exercícios de casos de uso 1. Explique quando são criados e utilizados os diagramas de casos de uso no processo de desenvolvimento incremental e iterativo. Na fase de concepção se

Leia mais

Engenharia de Software Engenharia de Requisitos. Análise Orientada a Objetos Prof. Edison A M Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.

Engenharia de Software Engenharia de Requisitos. Análise Orientada a Objetos Prof. Edison A M Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti. Engenharia de Software Engenharia de Requisitos Análise Orientada a Objetos Prof. Edison A M Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br 1 Contextualizando... Fonte: [1] O Processo de ER pode ser

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Prof. M.Sc. Ronaldo C. de Oliveira ronaldooliveira@facom.ufu.br FACOM - 2011 Exemplo de Diagrama de Caso de Uso Sistema de Locadora de Filmes Sistema de Vídeo Locadora Você foi contratado para desenvolver

Leia mais

Engenharia de Software Unidade XI UML Parte 2

Engenharia de Software Unidade XI UML Parte 2 Engenharia de Software Unidade XI UML Parte 2 Prof. Francisco Gerson A. de Meneses Diagramas de Interação... O diagrama de interação na verdade é um termo genérico aplicado à junção de dois outros diagramas:

Leia mais

Itens estruturais/caso de uso. Itens estruturais/classe ativa. Itens estruturais/componente. Itens estruturais/artefatos. Itens comportamentais

Itens estruturais/caso de uso. Itens estruturais/classe ativa. Itens estruturais/componente. Itens estruturais/artefatos. Itens comportamentais Objetivos da UML Introdução a UML cbraga@ic.uff.br Uma linguagem para: Visualizar Especificar Construir Documentar... e analisar. Desenvolvimento dirigido a modelos 2 Construções básicas Organizadas em

Leia mais

Prof. Jhonatan Fernando

Prof. Jhonatan Fernando Prof. Jhonatan Fernando Métodos Programação OO Instâncias de variáveis (objetos) Mensagens Classes Herança Polimorfismo Encapsulamento Abstração Programação Estruturada Procedimentos e funções Variáveis

Leia mais

UML & Padrões. Aula 1 Apresentação. Profª Kelly Christine C. Silva

UML & Padrões. Aula 1 Apresentação. Profª Kelly Christine C. Silva UML & Padrões Aula 1 Apresentação Profª Kelly Christine C. Silva Sistemas para Internet Módulo I - Construção de sites informativos Módulo II - Construção de sites dinâmicos Módulo III - Aplicações para

Leia mais

UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada

UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada Introdução É a padronização das metodologias de desenvolvimento de sistemas baseados na orientação a objetos. Foi criada por três grandes

Leia mais

Herança. Alberto Costa Neto DComp - UFS

Herança. Alberto Costa Neto DComp - UFS Herança Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Motivação Vimos como se faz encapsulamento e a importância de fazê-lo... Contudo, também é possível fazer encapsulamento em algumas linguagens não OO O que mais

Leia mais

Herança. Algoritmos e Programação II. Aula 5 Herança

Herança. Algoritmos e Programação II. Aula 5 Herança Algoritmos e Programação II Aula 5 Herança *Adaptado do material do Prof. Júlio Machado Herança Uma característica importante da programação orientada a objetos é permitir a criação de novas classes com

Leia mais

Diagrama de Casos de Uso

Diagrama de Casos de Uso Diagrama de Casos de Uso Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Booch, G. et al. The Unified Modeling Language User Guide Medeiros,

Leia mais

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução Carlos Lopes POO e Java Objetivo: proporcionar uma visão dos conceitos de POO e do seu uso na estruturação dos programas em Java. Classes e objetos em

Leia mais

Programação por Objectos UML MEEC@IST UML 1/83

Programação por Objectos UML MEEC@IST UML 1/83 Programação por Objectos UML MEEC@IST UML 1/83 Análise por UML (1) Um sistema de análise descreve os modelos da aplicação a desenvolver. Aumenta legibilidade (menos informação que o código, permitindo

Leia mais

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br

Java. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br Java Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br 3. Considere as instruções Java abaixo: int cont1 = 3; int cont2 = 2; int cont3 = 1; cont1 += cont3++; cont1 -= --cont2; cont3 = cont2++; Após a

Leia mais

Análise Orientada a Objetos

Análise Orientada a Objetos Análise Orientada a Objetos Breve Histórico: Fim da década de 80: amadurecimento da Orientação a Objeto Década de 1990: diversas proposições a partir de diversos autores, como Booch, Rumbaugh e Jacobson.

Leia mais

Análise de Sistemas Orientados a Objetos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org. www.tiagodemelo.info

Análise de Sistemas Orientados a Objetos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org. www.tiagodemelo.info Análise de Sistemas Orientados a Objetos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org www.tiagodemelo.info Roteiro Conceitos de Orientação a Objetos (OO) Visão Geral da UML Diagrama de Classes Diagramas

Leia mais

04/07/2015 UML. Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@hotmail.com DEFINIÇÃO DE REQUSIITOS

04/07/2015 UML. Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@hotmail.com DEFINIÇÃO DE REQUSIITOS UML Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@hotmail.com DEFINIÇÃO DE REQUSIITOS 1 REQUISITOS São os serviços fornecidos para um sistema. São classificados em requisitos

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Engenharia de Sistemas e Tecnologias da Informação-IESTI PCO203 Tópicos Especiais em Programação

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Engenharia de Sistemas e Tecnologias da Informação-IESTI PCO203 Tópicos Especiais em Programação UNIFEI Disciplina Professor Universidade Federal de Itajubá Instituto de Engenharia de Sistemas e Tecnologias da Informação-IESTI PCO203 Tópicos Especiais em Programação Enzo Seraphim 1 Padrões de Operação

Leia mais

PROGRAMAÇÃO OO DIAGRAMA DE CLASSES. Engenheiro Anilton S. Fernandes (asfernandes.com) Janeiro 2012

PROGRAMAÇÃO OO DIAGRAMA DE CLASSES. Engenheiro Anilton S. Fernandes (asfernandes.com) Janeiro 2012 PROGRAMAÇÃO OO DIAGRAMA DE CLASSES Engenheiro Anilton S. Fernandes (asfernandes.com) Janeiro 2012 Pensando Objectos Imagine Quero representar um cão REX O REX é - cor: castanho claro; olhos : pretos; altura:

Leia mais

Encapsulamento de Dados

Encapsulamento de Dados Encapsulamento de Dados Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Modificadores de Visibilidade Especificam

Leia mais

Programação Orientada a Objetos. Encapsulamento

Programação Orientada a Objetos. Encapsulamento Programação Orientada a Objetos Encapsulamento de Dados Ocultação de dados Garante a transparência de utilização dos componentes do software, facilitando: Entendimento Reuso Manutenção Minimiza as interdependências

Leia mais

Sumário. Uma visão mais clara da UML

Sumário. Uma visão mais clara da UML Instituto Federal de Santa Catarina Câmpus Chapecó Ensino Médio Integrado em Informática Módulo V Unidade Curricular: Engenharia de Software Professora: Lara P. Z. B. Oberderfer Uma visão mais clara da

Leia mais

Eduardo Bezerra. Editora Campus/Elsevier

Eduardo Bezerra. Editora Campus/Elsevier Princípios de Análise e Projeto de Sistemas com UML 2ª edição Eduardo Bezerra Editora Campus/Elsevier Capítulo 8 Modelagem de classes de projeto A perfeição (no projeto) é alcançada, não quando não há

Leia mais

Programação por Objectos UML LEEC@IST UML 1/87

Programação por Objectos UML LEEC@IST UML 1/87 Programação por Objectos UML LEEC@IST UML 1/87 Análise por UML (1) Um sistema de análise descreve os modelos da aplicação a desenvolver. Aumenta legibilidade (menos informação que o código, permitindo

Leia mais

Análise e Design OO com UML

Análise e Design OO com UML Análise e Design OO com UML Histórico de revisões Data Versão Descrição Autor 03/01/2015 1.3 Revisão e atualização HEngholmJr 24/12/2011 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr 9/1/2012 1.1 Correção

Leia mais

Construção de novas Classes em Java. Classes Atributos Métodos Herança...

Construção de novas Classes em Java. Classes Atributos Métodos Herança... Construção de novas Classes em Java Classes Atributos Métodos Herança... 1 Exemplo Representação em UML Java (Unified Modeling Language) Stack items : Vector Stack( ) push( ) pop( ) isempty( ) finalize(

Leia mais

O que é a UML? Introdução a UML. Objetivos da Modelagem. Modelos. A UML não é. Princípios da Modelagem. O que é um modelo?

O que é a UML? Introdução a UML. Objetivos da Modelagem. Modelos. A UML não é. Princípios da Modelagem. O que é um modelo? O que é a UML? Introdução a UML Linguagem Gráfica de Modelagem para: Visualizar Especificar Construir Documentar Comunicar Artefatos de sistemas complexos Linguagem: vocabulário + regras de combinação

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos O FOCO NO MUNDO REAL Orientação a objetos A orientação a objetos (OO) foi concebida na década de 70. Origem na linguagem SIMULA-67 (década de 60 - Noruega), que já implementava

Leia mais

Orientação a Objetos

Orientação a Objetos Orientação a Objetos Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br Histórico A orientação a objetos (OO) foi concebida na década de 70. Origem na linguagem SIMULA-67 (década

Leia mais

MAPEAMENTO OBJETO RELACIONAL: UM ESTUDO DE CASO

MAPEAMENTO OBJETO RELACIONAL: UM ESTUDO DE CASO MAPEAMENTO OBJETO RELACIONAL: UM ESTUDO DE CASO UTILIZANDO O HIBERNATE Rafael Laurino GUERRA, Dra. Luciana Aparecida Martinez ZAINA Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba FATEC-ID 1 RESUMO Este artigo apresenta

Leia mais

Módulo 07 Características Avançadas de Classes

Módulo 07 Características Avançadas de Classes Módulo 07 Características Avançadas de Classes Última Atualização: 15/06/2010 1 Objetivos Descrever variáveis, métodos e iniciadores static Descrever a semântica do modificador final em classes, métodos

Leia mais

Diagrama de Classe. Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha. Engenharia de Software

Diagrama de Classe. Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha. Engenharia de Software "Antes de imprimir pense em sua responsabilidade e compromisso com o MEIO AMBIENTE." Engenharia de Software Diagrama de Classe Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Leia mais

Programação com Acesso a BD. Programação com OO Acesso em Java

Programação com Acesso a BD. Programação com OO Acesso em Java Programação com OO Acesso em Java a BD Curso: Técnico em Informática Campus: Ipanguaçu José Maria Monteiro Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio Departamento Clayton Maciel de Informática

Leia mais

Técnicas de Programação Avançada TCC- 00175 Profs.: Anselmo Montenegro www.ic.uff.br/~anselmo. Conteúdo: Introdução à Orientação a Objetos

Técnicas de Programação Avançada TCC- 00175 Profs.: Anselmo Montenegro www.ic.uff.br/~anselmo. Conteúdo: Introdução à Orientação a Objetos Técnicas de Programação Avançada TCC- 00175 Profs.: Anselmo Montenegro www.ic.uff.br/~anselmo Conteúdo: Introdução à Orientação a Objetos Introdução Paradigmas de programação Programação Estruturada Composição

Leia mais

Programação Orientada a Objetos. Padrões de Criação

Programação Orientada a Objetos. Padrões de Criação Programação Orientada a Objetos Padrões de Criação Cristiano Lehrer, M.Sc. Objetivos Apresentar cada um dos 23 padrões clássicos descrevendo: O problema que solucionam. A solução. Diagramas UML (Unified

Leia mais

Modelando com UML Unified Modeling Language

Modelando com UML Unified Modeling Language Modelando com UML Unified Modeling Language AHMED ALI ABDALLA ESMIN 1 1 ILES ULBRA Instituto de Informática - Universidade Luterana do Brasil de Informática Cx. Postal 271 CEP 78.9860-000 Ji-Paraná (RO)

Leia mais

Orientação a Objetos com Java

Orientação a Objetos com Java Orientação a Objetos com Java Julio Cesar Nardi julionardi@yahoo.com.br 2011/2 Apresentação 3: Orientação Objetos: Conceitos Básicos Objetivos: Compreender os Conceitos Básicos da Orientação a Objetos;

Leia mais

4 Desenvolvimento da ferramenta

4 Desenvolvimento da ferramenta direcionados por comportamento 38 4 Desenvolvimento da ferramenta Visando facilitar a tarefa de documentar requisitos funcionais e de gerar testes automáticos em uma única ferramenta para proporcionar

Leia mais

UML Unified Modeling Language. Professor: André Gustavo Bastos Lima

UML Unified Modeling Language. Professor: André Gustavo Bastos Lima UML Unified Modeling Language Professor: André Gustavo Bastos Lima Diagramas de Casos de Uso Professor: André Gustavo Bastos Lima DEFINIÇÃO DE CASO DE USO Segundo o RUP: Um Caso de Uso é a relação de uma

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel Ambiente de Desenvolvimento Orientação a Objetos É uma técnica de desenvolvimento de softwares que consiste em representar os elementos do mundo

Leia mais

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior 5COP088 Laboratório de Programação Aula 1 Java Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior Sylvio Barbon Jr barbon@uel.br 1 Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior Formação: Ciência e Engenharia da Computação (2005

Leia mais

Gestão de projectos na Web

Gestão de projectos na Web Gestão de projectos na Web Relatório de desenho de alto nível Versão 1.0, 5 de Maio de 2003 Telmo Pedro Gomes Amaral (mee02013@fe.up.pt) (Grupo 15) Aplicações na Web Mestrado em Engenharia Electrotécnica

Leia mais

PHP Profissional. Alexandre Altair de Melo Mauricio G. F. Nascimento

PHP Profissional. Alexandre Altair de Melo Mauricio G. F. Nascimento PHP Profissional APRENDA A DESENVOLVER SISTEMAS PROFISSIONAIS ORIENTADOS A OBJETOS COM PADRÕES DE PROJETO Alexandre Altair de Melo Mauricio G. F. Nascimento Novatec Sumário Agradecimentos...13 Sobre os

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 6: Herança e Polimorfismo LEEC@IST Java 1/52 Herança revisão A herança é um mecanismo em que a subclasse constitui uma especialização da superclasse. A superclasse pode

Leia mais