Agroinformativo Mensal. Maio (DC0) Informação Pública

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Agroinformativo Mensal. Maio 2015. (DC0) Informação Pública"

Transcrição

1 Agroinformativo Mensal Maio 2015

2 Cenário Econômico Câmbio O câmbio Ptax iniciou o mês de abril cotado a R$/US$ 3,16 mas fechou o mês a R$/US$ 2,99. Essa queda ocorreu sobretudo em função da divulgação de índices dos Estados Unidos, que mostram que a economia norte-americana ainda permanece fraca e, por isso, a taxa básica de juros do país não deve se elevar antes do final do ano. Além disso, o fluxo cambial em abril foi positivo, com entrada de US$ 13,1 bilhões. O Banco Central deve permanecer com a sua política de menor intervenção no câmbio. Juros O Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a taxa Selic em 0,5 ponto percentual na sua última reunião, que aconteceu nos dias 28 e 29 de abril. A taxa Selic passou de 12,75% a.a. para 13,25% a.a., registrando o maior nível desde dezembro de O ajuste mais agressivo na Selic reforça a necessidade de controle da inflação. Inflação 3,04 Câmbio média abril (R$/US$) Juros (% ao ano) 13,25 Indicadores Econômicos 8,20 Inflação esperada para 2015 (% ao ano) Apesar dos aumentos consecutivos na taxa Selic, a inflação esperada para 2015 permanece elevada. A previsão do Banco Central, neste momento, é que o ano de 2015 se encerre com uma inflação de 8,20%. A alta nos preços é motivada, principalmente, pelo aumento da conta de luz e combustíveis. *Câmbio Ptax: valor médio de todas as taxas de câmbio praticadas durante o dia. É divulgada pelo Banco Central. Indicador Março Abril Variação (%) Março - Abril Câmbio média mensal (R$/US$) Juros (% ao ano) Inflação esperada para 2015 (% ao ano) 3,14 3,04-3,2 12,75 13,25 3,9 8,13 8,20 0,9 Fontes: Banco Central e Valor Econômico. Compilado e organizado por PwC Brasil Agribusiness Research & Knowledge Center. 2 Agrinformativo Mensal Maio 2015

3 Cenário do Agronegócio Agronegócio em geral No primeiro trimestre do ano, empresas do agronegócio e produtores rurais se mostram mais preocupados com seus negócios. O Índice de Confiança do Agronegócio (ICAgro), calculado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), caiu bastante. As instabilidades da economia brasileira e a possibilidade de aumento nos custos de produção foram os principais fatores que influenciaram a queda no índice. Para 2015, o Valor Bruto da Produção (VBP) Agropecuária deve crescer apenas 0,2% quando comparado com 2014, chegando a R$ 481, 6 bilhões, segundo o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa). O carrochefe do Agro brasileiro ainda será a soja, porém o aumento será puxado principalmente pela pecuária, com destaque para a bovinocultura. Em abril ocorreu a aprovação pela Câmara dos Deputados do texto do Projeto Lei da Terceirização. A grande maioria das entidades do agronegócio manifestou-se a favor do Projeto de Lei, alegando que a lei possibilitará uma especialização da mão de obra que se tornará mais qualificada, trazendo mais eficiência para campo. Insumos Crédito rural O Mapa declarou que está em negociação com o Governo Federal para que o novo Plano Safra conte com R$ 176 bilhões em recursos, ante R$ 156 bilhões em 2014/15. Em relação aos juros, a declaração foi de que a elevação das taxas deva ficar entre 2 e 2,5%, totalizando juros próximos a 8,5%. Representantes do ministério ainda declararam que o governo espera incentivar o aumento das operações financeiras utilizando as Letras de Crédito do Agronegócio [LCA], modalidade de financiamento onde os juros não são subsidiados. Alguns setores da iniciativa privada, por sua vez, começam a perceber, no ajuste fiscal e diminuição de recursos promovida pelo governo, novas oportunidades de financiamentos para aportar recursos no crédito rural. Um problema enfrentado pelo ministério diz respeito ao pagamento dos prêmios das apólices de seguro rural contratados pelos agricultores e subsidiados pelo governo. Até o momento, só foram liberados R$ 10 milhões, de um total de R$ 700 milhões contratados. Defensivos O Ministério Público Federal (MPF) voltou a pedir que a justiça proíba o registro de novos agrotóxicos que contenham oito princípios ativos, dentre eles, o glifosato. O pedido foi fortalecido após divulgação de estudo por órgãos internacionais ligando o glifosato a ocorrência de câncer em humanos. Proteína animal Carne bovina A Agroconsult estima que o confinamento de bovinos deverá aumentar até 9% neste ano, ultrapassando as cinco milhões de cabeças. No entanto, os animais terminados continuarão em falta, sustentando os preços. Em relação às exportações, o Brasil embarcou 17,6% menos carne bovina no primeiro trimestre de 2015 em relação ao mesmo período de 2014, ou cerca de 318 mil toneladas. A queda dos preços do petróleo prejudicou as importações da carne brasileira por parte da Rússia e Venezuela. Por outro lado, as negociações para os EUA e China abrirem o mercado para receber carne bovina brasileira estão em andamento. Leite De acordo com o Rabobank, o mercado global de leite passará por um momento de reequilíbrio em A queda nos preços em 2014 desestimulou a produção e os preços devem começar a subir a partir do terceiro trimestre desse ano. No Brasil, o consumo de leite longa vida não deverá ser afetado pela crise que a economia brasileira passa, já que o leite é um produto básico do dia a dia do brasileiro. A expectativa da Associação Brasileira de Leite Longa Vida (ABLV) é que o crescimento da produção seja semelhante aos 3,4% de 2014 em relação a 2013, quando foram produzidos 6,6 bilhões de litros que movimentaram cerca de R$ 15 bilhões. Carne de frango O setor de carne de frango vive bons momentos, apesar das dificuldades da economia brasileira. O setor está sendo beneficiado pela valorização do dólar, surto de gripe aviária nos EUA e elevação do preço da carne bovina que está estimulando os consumidores a trocarem a carne vermelha por frango. Fontes: Abic, ABVL, Agroconsult, Agrolink, Aprobio, CCEE, Conab, Estadão Conteúdo, Fiesp, Globo Rural, ISO, Mapa, MPF, OCB, OIC, Rabobank, Reuters, Scot Consultoria, Unica, UOL, Valor Econômico, Zero Hora Gaia Agro PwC 3

4 Agroenergia Açúcar Desde a safra 2010/11, o mercado global de açúcar registra um superávit de produção. Para a temporada 2014/15, que se encerra em setembro, o mercado sinaliza que provavelmente ocorrerá pela quinta safra consecutiva uma sobra de açúcar no mundo. A expectativa da Organização Internacional do Açúcar (ISO) é de um superávit de 600 mil toneladas. Grandes produtores como Índia e Tailândia não estão reduzindo a sua produção de açúcar, apesar das quedas nas cotações. Os subsídios concedidos aos produtores de cana continuam estimulando o aumento da oferta nesses países. O Brasil já questionou a Índia na Organização Mundial do Comércio (OMC) alegando a concessão de subsídios exagerados. No Brasil, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), sinalizou uma produção de açúcar 5% maior na safra 2015/16, em torno de 37,3 milhões de toneladas. A maior produção é decorrente dos maiores níveis de produtividade, com o clima favorável no primeiro trimestre do ano. No longo prazo, os fundamentos indicam baixas cotações para o açúcar em função da alta oferta do produto. O aumento na mistura de etanol na gasolina no Brasil, que passou de 25% para 27%, pode ajudar o mercado a se equilibrar, com maior quantidade de cana sendo destinada para a produção de etanol. Bioeletricidade No período de janeiro a março desse ano, foram exportados para a rede 34% mais energia de biomassa quando comparado com o mesmo período do ano anterior. Os dados são da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), compilados pela União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica). Com maior preço da energia, as usinas adquiriram outras biomassas para complementar o bagaço. 4 Agrinformativo Mensal Maio 2015 Biodisel A Associação dos Produtores de Biodiesel no Brasil (Aprobio) estimou um aumento de 25% na produção de biodiesel em A elevação da produção deve ser motivada pela ampliação do percentual de adição de biocombustível no diesel que passou de 5% para 6% em setembro de 2014 e depois para 7% em novembro do mesmo ano. Grãos e grandes culturas Grãos O cenário global para grãos já é conhecido. A produção superior ao consumo contribui para o acumulo de estoques e declínio dos preços. O Brasil acompanha essa tendência e deverá ter uma produção recorde de grãos na safra 2014/15. A Conab acredita que, pela primeira vez, o Brasil produzirá mais de 200 milhões de toneladas de grão por conta da elevação da produtividade. Café Segundo a Organização Internacional do Café (OIC), o consumo mundial continua crescendo de forma significativa, sobretudo, nos países emergentes, a exemplo da Rússia, Coreia do Sul, Argélia e Turquia. A demanda também apresentou incrementos nos grandes exportadores: Brasil, Indonésia, Etiópia e México. União Europeia, Estados Unidos e Japão, apesar de serem responsáveis por 50% do consumo mundial, não registraram forte aumento na demanda nos últimos anos. No Brasil, no ano de 2015, o consumo interno e as exportações deverão ser maiores que a produção. Será necessário recorrer aos estoques para atender o mercado. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), o Brasil deve exportar e consumir 36 e 21 milhões de sacas respectivamente. A produção deve ficar em torno de 46 e 47 milhões de sacas. Um dos destaques do mercado é o café em cápsula, que está presente em 2% dos lares brasileiro. No entanto, consumo cresce 40% em valor e 50% em volume anualmente. A classe A é a maior consumidora desse produto.

5 Cotações Mensais Cotações Agrícolas Produto agrícola Fechamento de Abril Variação (%) Março Abril Indicador Café arábica (R$/saca de 60 kg) 435,70-2,2 Cepea/Esalq Café robusta (R$/saca de 60 kg) 294,19-2,8 Cepea/Esalq Açúcar cristal (R$/saca de 50 kg) 51,44 0,2 Cepea/Esalq SP Etanol anidro (R$/litro) 1,42 6,0 Cepea/Esalq SP Etanol hidratado (R$/) 1,26-0,8 Cepea/Esalq SP Soja (R$/saca de 60 kg) 65,01-8,0 Cepea/Esalq Paranaguá Milho (R$/saca de 60 kg) 25,98-11,6 Esalq/BM&FBovespa Algodão em pluma 72,08 4,5 Cepea/Esalq Leite (R$/litro)* 0,98 4,3 Cepea/Esalq Boi 149,07 1,0 Esalq/BM&F Bovespa Frango resfriado (R$/kg) 3,33 0,3 Cepea Esalq SP Suíno vivo (R$/kg) 3,04-8,4 Cepea/Esalq SP *Média mensal de abril de 2015 Fontes: Cepea. Compilado e organizado por PwC Brasil Agribusiness Research & Knowledge Center. Gaia Agro PwC 5

6 Rentabilidade e Operações Rentabilidade CRA % Taxa DI Gross-up IR Apelido Preço Unitário Abril Fevereiro Março Abril 22,5% 22,5% Abril Abril Nardini ,59 1,03% 1,29% 1,18% 161,04% 146,83% Jalles - IPCA ** ,81 1,66% 2,10% 1,76% 239,88% 218,71% Jalles - CDI ,32 1,05% 1,25% 1,14% 155,73% 141,99% Coteminas ,75 0,90% 1,13% 1,04% 141,71% 129,21% Vale do Tijuco ,59 1,03% 1,29% 1,18% 161,12% 146,90% Raízen - CDI 1.065,87 0,82% 1,03% 0,95% 128,77% 117,41% Raízen - IPCA 1.097,16 1,44% 2,03% 1,40% 189,89% 173,14% Copersucar ,67 1,03% 1,29% 1,18% 160,94% 146,74% JF Citrus ,79 1,03% 1,29% 1,18% 161,14% 146,92% *% Taxa DI significa qual deveria ser a rentabilidade do CDI para que o investidor tivesse a mesma rentabilidade de um CRA, considerando o DI acumulado no período de 01/04/15 a 01/05/15. Parte do benefício deve-se à isenção tributária que incide sobre os rendimentos do CRA para pessoa física. **Jalles IPCA: Alteração na rentabilidade histórica devido ao ajuste na metodologia de cálculo do Fluxo. CRA Apelido Código CETIP Código ISIN Valor total de emissão (R$ mil) Valor unitário de emissão (R$) Taxa Emissão Venc. 4ª emissão 1ª série Nardini CRA BRGAFLCRA CDI+3% nov/13 abr/19 1ª emissão 4ª série Jalles - IPCA CRA BRGAFLCRA IPCA+8,5% fev/14 fev/19 1ª emissão 5ª série Jalles - CDI CRA BRGAFLCRA CDI+2,5 % fev/14 fev/18 3ª emissão 1ª série Coteminas CRA I BRGAFLCRA % CDI jul/14 jun/17 9ª emissão 1ª série Vale do Tijuco CRA N BRGAFLCRA CDI+3% out/14 set/19 10ª emissão 1ª série Raízen - CDI CRA Q BRGAFLCRA % CDI out/14 dez/19 10ª emissão 2ª série Raízen - IPCA CRA R BRGAFLCRA0A IPCA + 5,69% out/14 dez/21 8ª emissão 1ª série Copersucar CRA Y BRGAFLCRA0B CDI+3% dez/14 fev/18 12 ª emissão 1ª série JF Citrus CRA Z BRGAFLCRA0C CDI+3% dez/14 dez/17 Total Emitido A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura. Estas informações não substituem as informações contidas no termo de securitização e/ou prospecto dos respectivos CRAs. É recomendada a leitura cuidadosa destes documentos para a efetiva análise dos riscos. 6 Agrinformativo Mensal Maio 2015 Para acessar as informações dos meses anteriores, por favor, acesse o Blog do Projeto Transparência:

7 Agroeventos Junho Data Principais eventos Local Organização Valor 02 a 06 Bahia Farm Show 09 a a 11 4ª Conferência Aspectos Jurídicos, Riscos e Financiamento do Agronegócio 8º Simpósio Internacional de Produção Suína - Suinter Luís Eduardo Magalhães - BA São Paulo - SP Foz do Iguaçu - PR Aiba R$ 10,00 InformaGroup Consuitec 11 Crédito no Agronegócio São Paulo - SP InformaGroup 11 Curso de Análise Fundamental e Mercadológica de Algodão Barreiras - BA Safras & Mercados R$ 3.995,00 a R$ 5.095,00 R$ 667,00 a R$ 750,00 R$ 1.699,00 a R$ 1.999,00 R$ 1.255,00 a R$ 1.560,00 11 e 12 II Workshop de Bioenergia - Perspectivas do Setor de Biodiesel Viçosa - MG BioEnergia e UFV R$ 50, a e 18 Seminário Perspectivas para o Agribusiness 2015 e 2016 XIX Seminário Nordestino de Pecuária - Pec Nordeste Curso Trading School Aplicado ao Mercado de Soja e Milho São Paulo - SP BMF Bovespa R$ 525,00 Fortaleza - CE São Paulo - SP 17 a 19 22ª Hortitec Holambra - SP Faec, CNA, Senar/CE, Sebrae e Sindicato dos Produtores Rurais Safras & Mercados RBB Promoções & Eventos 18 e 19 InterLeite Sul 2015 Foz do Iguaçu - PR AgriPoint/MilkPoint 18 a 21 Via Tecnológica do Leite 2015 Francisco Beltrão - PR 22 a e VII Congresso Brasileiro de Soja - Mercosoja 2015 Curso Trading School Aplicado ao Mercado de Soja e Milho Curso de Comercialização de Boi Gordo Florianópolis - SC Sinop - MT São Paulo - SP Prefeitura de Francisco Beltrão, Seab, Emater, Governo do Estado do PR, Cresol e Rural Leite F&B Eventos e Embrapa Safras & Mercados Safras & Mercados Fontes: ABMR, Agro Agenda, Agroevento, Agrolink, Datagro, Esalq, Exame, InformaGroup, MilkPoint, Rural Centro, Safras e Mercado, SRB, Udop, Unica. Compilado e organizado por PwC Brasil Agribusiness Research São Paulo & Knowledge - SP Center. Safras & Mercados Gaia Agro PwC Não Informado R$ 2.110,00 a R$ 2.640,00 R$ 30,00 R$ 250,00 a R$ 300,00 Não informado R$ 900,00 a R$ 1.200,00 R$ 2.110,00 a R$ 2.640,00 R$ 1.200,00 a R$ 1.400,00 25 Avicultor 2015 Belo Horizonte - MG Avimig Não Informado 30 a 04/jul 30 Megaleite 2015 Curso: Gestão Estratégica na Comercialização de Café Uberaba - MG Associação Brasileira dos Criadores de Girolando Gratuito R$ 1.255,00 a R$ 1.560,00 7

8 Todas as informações, tais como, mas não limitadas a: valores, cotações, projeções etc, contempladas neste relatório foram tão e somente compiladas pela área de Agribusiness Research Center da PwC do Brasil, utilizando-se das diversas fontes citadas neste relatório PricewaterhouseCoopers Brasil Ltda. Todos os direitos reservados. Neste documento, PwC refere-se à PricewaterhouseCoopers Brasil Ltda., a qual é uma firma membro do network da PricewaterhouseCoopers, sendo que cada firma membro constitui-se em uma pessoa jurídica totalmente separada e independente. O termo PwC refere-se à rede (network) de firmas membro da PricewaterhouseCoopers International Limited (PwCIL) ou, conforme o contexto determina, a cada uma das firmas membro participantes da rede da PwC. Cada firma membro da rede constitui uma pessoa jurídica separada e independente e que não atua como agente da PwCIL nem de qualquer outra firma membro. A PwCIL não presta serviços a clientes. A PwCIL não é responsável ou se obriga pelos atos ou omissões de qualquer de suas firmas membro, tampouco controla o julgamento profissional das referidas firmas ou pode obrigá-las de qualquer forma. Nenhuma firma membro é responsável pelos atos ou omissões de outra firma membro, nem controla o julgamento profissional de outra firma membro ou da PwCIL, nem pode obrigá-las de qualquer forma.

Agroinformativo Mensal. Agosto 2015. (DC0) Informação Pública

Agroinformativo Mensal. Agosto 2015. (DC0) Informação Pública Agroinformativo Mensal Agosto 2015 Cenário Econômico Câmbio No mês de julho, o real sofreu uma forte desvalorização que foi acentuada, principalmente, nos últimos dias do mês. Três acontecimentos contribuíram

Leia mais

Agroinformativo mensal. Novembro/2014. (DC0) Informação Pública

Agroinformativo mensal. Novembro/2014. (DC0) Informação Pública Agroinformativo mensal Novembro/2014 Cenário econômico Câmbio No mês de outubro, a média da cotação do dólar ficou em R$ 2,45. O saldo entre ingressos e saídas de dólares foi positivo, tanto nas operações

Leia mais

Agroinformativo Mensal. Dezembro 2014. (DC0) Informação Pública

Agroinformativo Mensal. Dezembro 2014. (DC0) Informação Pública Agroinformativo Mensal Dezembro 2014 Cenário Econômico Câmbio No mês de novembro, a média da cotação do dólar ficou em R$ 2,55 ante R$ 2,45 no mês anterior. Após a maior entrada líquida de capitais em

Leia mais

Agroinformativo Mensal. Outubro 2015. (DC0) Informação Pública

Agroinformativo Mensal. Outubro 2015. (DC0) Informação Pública Agroinformativo Mensal Outubro 2015 Cenário Econômico Câmbio No mês de setembro, o dólar sofreu constantes valorizações, atingindo o valor máximo no dia 29/09 quando bateu R$ 4,12. As instabilidades com

Leia mais

Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades. Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015

Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades. Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015 Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015 Cenário Macro Econômico Brasileiro 2015 Economia em forte e crescente desequilibrio Deficit Fiscal 2014

Leia mais

Milho Perspectivas do mercado 2011/12

Milho Perspectivas do mercado 2011/12 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA Milho Perspectivas do mercado 2011/12 março de 2012 Milho - Oferta e Demanda - Mundo milhões de t. Safras 2008/09 2009/10

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas quarta-feira, 18 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 133,50 0,00 0,00-4,85 SET13 111,05 114,75 111,10-3,75

Leia mais

GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA.

GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA. EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA. GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS Consultores Legislativos da Área X Agricultura e Política Rural MARÇO/2009

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O mês de março de 2015 foi marcado pelo anúncio dos principais resultados da economia de 2014 e deste início de 2015. Dentre eles destacaramse o PIB, taxa de desemprego nas principais

Leia mais

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro estimado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados

Leia mais

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 dezembro, 2012 Índice 1. Algodão 2. Soja 3. Milho 4. Boi Gordo 5. Valor Bruto da Produção ALGODÃO Mil toneladas

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Rural 05. Habitantes no

Leia mais

10 Minutos. sobre o agronegócio no Brasil. Perspectivas para o setor agropecuário brasileiro. Destaques. Agosto 2012

10 Minutos. sobre o agronegócio no Brasil. Perspectivas para o setor agropecuário brasileiro. Destaques. Agosto 2012 10 Minutos sobre o agronegócio no Brasil Perspectivas para o setor agropecuário brasileiro Destaques O Brasil caminha para se tornar nos próximos anos a mais importante potência agrícola do planeta. O

Leia mais

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Organização Internacional do Café - OIC Londres, 21 de setembro de 2010. O Sistema Agroindustrial do Café no Brasil - Overview 1 Cafés

Leia mais

I) INDICADORES DA ECONOMIA E DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

I) INDICADORES DA ECONOMIA E DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO I) INDICADORES DA ECONOMIA E DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO 1) COMÉRCIO INTERNACIONAL EM 2014 As exportações foram: o US$ 225,1 bilhões Brasil; o US$ 96,7 bilhões do Agronegócio, o que representou 43% das exportações

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas CAFÉ CAFÉ Bolsas BM&F ICE FUTURES Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação SET13 136,80 136,50 135,80-1,80 SET 113,50 115,70 113,25-1,45

Leia mais

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento agronegócio brasileiro em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento 2010 ranking Ranking Brasileiro da Produção e Exportação Fonte: USDA e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores:

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores: SEGURIDADE ALIMENTARIA: apuesta por la agricultura familiar Seminario: Crisis alimentaria y energética: oportunidades y desafios para América Latina e el Caribe O cenário mundial coloca os preços agrícolas

Leia mais

A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes. Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA

A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes. Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA O uso da terra no Brasil Evolução das Áreas de Produção Milhões de hectares 1960 1975 1985 1995 2006 Var.

Leia mais

Painel 4 Perspectivas dos mercados de açúcar e etanol

Painel 4 Perspectivas dos mercados de açúcar e etanol BMFBovespa Seminário Perspectivas do Agribusiness 2012-2013 Painel 4 Perspectivas dos mercados de açúcar e etanol Andy Duff, Food & Agribusiness Research, Rabobank Brasil 22 de maio de 2012 Food & Agribusiness

Leia mais

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 ROSEMEIRE SANTOS Superintendente Técnica Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária

Leia mais

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita)

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita) Fornecer aos agentes envolvidos no agronegócio, notadamente as indústrias de insumos agropecuários e de alimentos, além dos produtores, Governo e academia, informações estratégicas sobre a dinâmica futura

Leia mais

Índice de Confiança do Agronegócio

Índice de Confiança do Agronegócio Índice de Confiança do Agronegócio Primeiro Trimestre 2015 Principais Resultados:» Índice de Confiança do Agronegócio» Índice da Indústria (antes e depois da porteira)» Índice do Produtor Agropecuário

Leia mais

O AMBIENTE ECONÔMICO. Boletim n.º 05 1º trimestre de 2013. Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM)

O AMBIENTE ECONÔMICO. Boletim n.º 05 1º trimestre de 2013. Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM) Boletim n.º 05 1º trimestre de O AMBIENTE ECONÔMICO Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM) Atividade econômica A economia brasileira, medida pelo desempenho do Produto Interno

Leia mais

Reiteradas Vendas Pressionam a Curva Futura das Cotações do Café 1

Reiteradas Vendas Pressionam a Curva Futura das Cotações do Café 1 % v. 10, n. 5, maio 2015 Reiteradas Vendas Pressionam a Curva Futura das Cotações do Café 1 A elevação da taxa SELIC anunciada pelo Comitê de Política Monetária (COPOM) na última quarta-feira do mês de

Leia mais

Índice de Confiança do Agronegócio

Índice de Confiança do Agronegócio Índice de Confiança do Agronegócio Terceiro Trimestre 2014 Principais Resultados:» Índice de Confiança do Agronegócio» Índice da Indústria (antes e depois da porteira)» Índice do Produtor Agropecuário

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS. Novembro de 2013

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS. Novembro de 2013 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Novembro de 2013 Milho: Neste mês o mercado de milho registrou comportamento diferenciado. Em algumas localidades ocorreram quedas nos preços, caso do Paraná, e sustentação em outras,

Leia mais

Agronegócio Internacional

Agronegócio Internacional Boletim do Agronegócio Internacional Agronegócio Internacional Recordistas de vendas no valor total exportado pelo Brasil jan-jul 2014/2013 Edição 03 - Agosto de 2014 O agronegócio representou 44% das

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES / 2007 1- Balança Comercial Mato Grosso continua tendo superávit na Balança Comercial registrando em 2007 um expressivo saldo de US$ 4,38 bilhões valor que representa

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA SEMANA DE 21 A 25 DE SETEMBRO de 2009 Semana de preço estável no mercado de Boi Gordo no Rio Grande do Sul, com o preço encerrando a semana a R$ 4,61/kg carcaça.

Leia mais

Motivação Área plantada Produção Produtividade Exportações líquidas Consumo doméstico (total e per capita) Estoques

Motivação Área plantada Produção Produtividade Exportações líquidas Consumo doméstico (total e per capita) Estoques Novembro 2014 Motivação Fornecer aos agentes envolvidos no agronegócio, notadamente as indústrias de insumos agropecuários e de alimentos, além dos produtores, Governo e academia, informações estratégicas

Leia mais

Edição 40 (Março/2014)

Edição 40 (Março/2014) Edição 40 (Março/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação oficial acelera por alimentos e transportes (Fonte: Terra) O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) avançou 0,73% em março

Leia mais

Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio

Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio Mercado de Capitais e seu Papel Indutor no Desenvolvimento do Agronegócio Fabio Dutra Diretor Comercial e de Desenvolvimento de Mercados 16/06/2015 1 AGENDA DESAFIOS DO AGRONEGÓCIO MERCADO DE CAPITAIS

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014 São Paulo, 29 de abril de 2013 ROTEIRO I. Safra 2012/2013 na região Centro-Sul: dados finais Moagem e produção Mercados de etanol e de açúcar Preços e

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Conceito de Agronegócio e a atuação do Imea 2 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 2.1 Agronegócio Soja 2.2 Agronegócio Milho 2.3 Agronegócio Algodão

Leia mais

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Outubro de 2012. MUNDO O milho é o cereal mais produzido no mundo. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a produção média do

Leia mais

Perspectivas para o setor agrícola no Brasil

Perspectivas para o setor agrícola no Brasil Perspectivas para o setor agrícola no Brasil O que a conjuntura macroeconômica nos reserva? Felippe Serigati O queaconteceucom o setoragrícola nas últimas décadas? A importânciado agronegócioparao Brasil

Leia mais

2014: Um ano de vitórias para o agronegócio

2014: Um ano de vitórias para o agronegócio Edição 08 - Janeiro de 2015 2014: Um ano de vitórias para o agronegócio Esta edição do Boletim do Agronegócio Internacional dedica atenção especial à análise do comércio exterior do setor em 2014. A agricultura

Leia mais

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base Cenário Econômico Internacional & Brasil Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda antonio.lacerda@siemens.com São Paulo, 14 de março de 2007

Leia mais

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético 23 de julho de 2015 Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético Antonio de Padua Rodrigues Diretor técnico ROTEIRO I. Perspectivas para a safra 2015/2016 II. Mercados de açúcar e de etanol

Leia mais

O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO E O SETOR DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 E OS CENÁRIOS DE LONGO PRAZO Carlos Cogo Agosto/2012 LA NIÑA PROVOCA FORTES QUEBRAS EM SAFRAS DE GRÃOS O

Leia mais

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento Duarte Vilela chgeral@cnpgl.embrapa.br Audiência Pública - 18/05/2010 Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento

Leia mais

Açúcar: Informativo Quinzenal. Oferta se acentua e preços cedem. Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo.

Açúcar: Informativo Quinzenal. Oferta se acentua e preços cedem. Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo. Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada CEPEA/ESALQ/USP 25 de maio de 2011 Volume 1, Edição 22 Açúcar: Informativo Quinzenal Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo DATA Valor

Leia mais

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015 JURANDI MACHADO - DIRETOR Cenário Carnes 2014/2015 Oferta e Demanda de Carne Suína CARNE SUÍNA 2014 (a)* no Mundo (Mil toneladas) 2015 (b)* Var % (b/a) PRODUÇÃO 110.606 111.845 1,12 CONSUMO 109.882 111.174

Leia mais

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Por Prof. Dr. Sergio De Zen e Graziela Correr; Equipe Pecuária de Corte Se, de um lado, a forte alta do dólar frente ao Real tem contribuído para elevar

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO PANORAMA RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO SEMANA DE 10 A 14 DE AGOSTO de 2009 Semana de nova estabilidade no preço do Boi Gordo no mercado físico do Rio Grande do Sul, fechando a semana em R$ 5,28/kg

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas quinta-feira, 12 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 140,25 0,00 0,00 4,40 SET13 116,45 116,00 114,00

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: ABRIL/2014 CEPEA - AÇÚCAR & ETANOL I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Relações de preços mercados interno e internacional

Leia mais

Edição 44 (Abril/2014)

Edição 44 (Abril/2014) Edição 44 (Abril/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação tem maior alta desde janeiro de 2013 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial,

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL Em 2011: Registrou incremento de 5,2% Em 2011, o setor cresceu 5,2%, movimentou R$ 40 bilhões em insumos e produziu 64,5 milhões de toneladas de ração e 2,35milhões de suplementos

Leia mais

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015 TRIGO Período de 02 a 06//205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço Atual PR 60 kg 29,56 35,87 36,75 36,96 Semana Atual

Leia mais

Subsídios para uma nova política agropecuária com gestão de riscos

Subsídios para uma nova política agropecuária com gestão de riscos Subsídios para uma nova política agropecuária com gestão de riscos Evandro Gonçalves Brito Diretoria de Agronegócios / Banco do Brasil Uberlândia (MG), 18 de novembro de 2010. Desafios Globais Os dez maiores

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

25 de abril de 2015/ nº 012

25 de abril de 2015/ nº 012 Participação adm. e dems. total 25 de abril de 2015/ nº 012 Cenário industrial: Em março deste ano, a produção da indústria de transformação em Mato Grosso apresentou crescimento de 6,1% em relação ao

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NA PRODUÇÃO Produção de carnes NACIONAL - USDA - mil ton DO COMPLEXO CARNES - 2014 Carne Bovina

Leia mais

O que esperar do mercado de leite no Brasil e no mundo

O que esperar do mercado de leite no Brasil e no mundo O que esperar Desenvolver do do mercado de de leite no no e fortalecer Brasil e o e no agronegócio no mundo O que esperar do mercado de leite no Rafael Ribeiro de Lima Filho zootecnista Scot Consultoria

Leia mais

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 02 de Janeiro de 2015 Prezado(a) Período de Movimentação FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 01/12/2014 a 31/12/2014 Panorama Mensal Dezembro 2014 A volatilidade

Leia mais

MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO

MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO Paulo Magno Rabelo (1) A análise de desempenho da produção de trigo no mundo desperta apreensões fundamentadas quanto aos indicadores de área

Leia mais

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de Desempenho da Agroindústria No fechamento do primeiro semestre de 2005, a agroindústria registrou crescimento de 0,3%, taxa bastante inferior à assinalada pela média da indústria brasileira (5,0%) no mesmo

Leia mais

O MERCADO DE CAFÉ 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE CAFÉ 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE CAFÉ 1. INTRODUÇÃO O presente boletim tem o objetivo de apresentar a situação atual do mercado, por meio dos dados disponibilizados pelo USDA, CONAB e MAPA. Apresenta-se, posteriormente, a

Leia mais

RADAR ABIT CENÁRIO TÊXTIL E VESTUÁRIO

RADAR ABIT CENÁRIO TÊXTIL E VESTUÁRIO RADAR ABIT CENÁRIO TÊXTIL E VESTUÁRIO Janeiro 2014 TÊXTIL E VESTUÁRIO CENÁRIO TÊXTIL E VESTUÁRIO Para 2014, estima-se que a cadeia produtiva têxtil e de vestuário em termos de volume evolua sobre 2013

Leia mais

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado Políticas Públicas Lélio de Lima Prado Política Cambial dez/03 abr/04 ago/04 dez/04 abr/05 ago/05 Evolução das Reservas internacionais (Em US$ bilhões) dez/05 abr/06 ago/06 dez/06 abr/07 ago/07 dez/07

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009.

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Para os produtores de sorgo o ano de 2008 pode ser considerado como bom. As condições climatológicas foram favoráveis durante todo o ciclo

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Março/2013 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População ocupada 06. PIB Mundial 07. PIB per capita Mundial 08. Exportação Mundial

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas segunda-feira, 23 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 134,55 0,00 0,00 0,00 DEZ13 117,75 121,95 121,50-1,25

Leia mais

$ $ À espera da competitividade

$ $ À espera da competitividade etanol À espera da competitividade foi mais um ano de sufoco para o setor sucroalcooleiro, que ainda sente os reflexos da crise de 2008, que deixou as usinas sem crédito, justamente quando haviam assumido

Leia mais

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL IMPORTÂNCIA ECONOMICA 1- Exportações em 2014: Mais de US$ 100 bilhões de dólares; 2- Contribui com aproximadamente 23% do PIB brasileiro; 3- São mais de 1 trilhão de Reais e

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Outubro de 2013 Panorama Macroeconômico As atenções do mercado externo seguem concentradas nos EUA, tanto em relação aos próximos passos do Fed como aos impasses políticos. A

Leia mais

Biocombustíveis. Também chamados de agrocombustíveis

Biocombustíveis. Também chamados de agrocombustíveis Biocombustíveis Também chamados de agrocombustíveis Biomassa É o combustível obtido a partir da biomassa: material orgânico vegetal ou animal Uso tradicional: lenha, excrementos Etanol: álcool combustível.

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas sexta-feira, 13 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 139,70 0,00 0,00-0,55 SET13 116,25 116,10 115,75-0,20

Leia mais

RELATÓRIO PIBAGRO- BRASIL

RELATÓRIO PIBAGRO- BRASIL RELATÓRIO PIBAGRO- BRASIL Dezembro de 2013 GDP Agribusiness Brazil Outlook Relatório PIBAgro-Brasil GDP A G R I B U S I N E S B R A Z I L O U T L O O K O Relatório PIB Agro Brasil é uma publicação mensal

Leia mais

Mercado do Boi Gordo

Mercado do Boi Gordo Mercado do Boi Gordo Perspectivas para os próximos anos SIC Esteio - RS Agosto 2006 Fabiano R. Tito Rosa Scot Consultoria Índice 1. Brasil: país pecuário 2. Comportamento dos preços internos 3. Perspectivas

Leia mais

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a economia nacional registra um de seus piores momentos

Leia mais

Desafios e Oportunidades no Agronegócio

Desafios e Oportunidades no Agronegócio Departamento do Agronegócio Desafios e Oportunidades no Agronegócio Antonio Carlos P. Costa Atualmente reversão de expectativas Apesar da safra recorde em 2014/15: Entre janeiro e maio de 2015: leitura

Leia mais

Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG. Balança Comercial

Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG. Balança Comercial Edição 08 Agosto 1 2 3 Balança Comercial Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG 4 Comportamento Acumulado de janeiro a julho 2015 As exportações

Leia mais

Classificação da Informação: Uso Irrestrito

Classificação da Informação: Uso Irrestrito Cenário Econômico Qual caminho escolheremos? Cenário Econômico 2015 Estamos no caminho correto? Estamos no caminho correto? Qual é nossa visão sobre a economia? Estrutura da economia sinaliza baixa capacidade

Leia mais

Indústria química no Brasil

Indústria química no Brasil www.pwc.com.br Indústria química no Brasil Um panorama do setor Indústria química no Brasil A indústria química e petroquímica é um dos mais importantes setores da economia brasileira e está entre as

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA OS MERCADOS DE AÇÚCAR E ETANOL

PERSPECTIVAS PARA OS MERCADOS DE AÇÚCAR E ETANOL PERSPECTIVAS PARA OS MERCADOS DE AÇÚCAR E ETANOL Marcos Sawaya Jank Presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA) São Paulo, 26 de maio de 2011 SOBRE A UNICA Maior organização representativa

Leia mais

PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20

PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20 PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20 AGE - ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Chefe da AGE: Derli Dossa. E-mail: derli.dossa@agricultura.gov.br Equipe Técnica: José Garcia Gasques. E-mail: jose.gasques@agricultura.gov.br

Leia mais

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis EDIÇÃO N o 91 Agosto/2015 BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 04 de Maio de 2015 Prezado(a) FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 01/04/2015 a 30/04/2015 Panorama Mensal Abril 2015 No cenário internacional, o mês de abril foi marcado por surpresas negativas em

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS DISTRIBUIÇÃO DA PRODUÇÃO DE LARANJA NO CINTURÃO CITRÍCOLA 49% Farelo 85% laranja para indústria 45% Suco 98%

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO (VBP) AGROPECUÁRIO Julho/2015 R$ milhões VBP PRINCIPAIS PRODUTOS AGRÍCOLAS LAVOURAS

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014 Milho: Os preços no mercado brasileiro ficaram estáveis e até mesmo um pouco mais baixos em algumas praças. A incerteza dos produtores quanto à produtividade do milho

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV São Paulo, 06 de julho de 2010. CENÁRIO ECONÔMICO EM JUNHO A persistência dos temores em relação à continuidade do processo de recuperação das economias centrais após a divulgação dos recentes dados de

Leia mais

Siderurgia no Brasil

Siderurgia no Brasil www.pwc.com.br Siderurgia no Brasil Um panorama do setor siderúrgico brasileiro SICETEL Sindicato Nacional da Indústria de Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos IABR Instituto Aço Brasil 1 Setor de

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: JULHO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Perspectivas para a Inflação

Perspectivas para a Inflação Perspectivas para a Inflação Carlos Hamilton Araújo Setembro de 213 Índice I. Introdução II. Ambiente Internacional III. Condições Financeiras IV. Atividade V. Evolução da Inflação 2 I. Introdução 3 Missão

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE ISS 36-9 BOVINOCULTURA DE CORTE Os preços médios da arroba do boi e da vaca, em Mato Grosso do Sul, no mês de fevereiro, foram de R$8,8 e R$,99, respectivamente. Em relação ao mês anterior, houve um avanço

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Tópicos Economia Americana: Confiança em baixa Pág.3 EUA X Japão Pág. 4 Mercados Emergentes: China segue apertando as condições monetárias Pág.5 Economia Brasileira:

Leia mais

Preços. 2.1 Índices gerais

Preços. 2.1 Índices gerais Preços A inflação, considerada a evolução dos índices de preços ao consumidor e por atacado, apresentou contínua elevação ao longo do trimestre encerrado em maio. Esse movimento, embora tenha traduzido

Leia mais

Açúcar Relatório de Mercado Março de 2014 MERCADO INDUSTRIAL

Açúcar Relatório de Mercado Março de 2014 MERCADO INDUSTRIAL Açúcar MERCADO INDUSTRIAL PRODUÇÃO CANA, AÇÚCAR E ETANOL As unidades produtoras do Centro-Sul processaram 149.271 toneladas de cana-de-açúcar na primeira quinzena de fevereiro, volume 3,8% menor ante as

Leia mais