AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA. iap Interoperabilidade na Administração Pública

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA. iap Interoperabilidade na Administração Pública"

Transcrição

1 iap Interoperabilidade na Administração Pública

2 AGENDA Conceito de Interoperabilidade - Diferentes níveis de Interoperabilidade iap: Plataforma de Interoperabilidade da AP - Conceito da iap - Plataforma de Integração - Autenticação.Gov (Fornecedor de Autenticação) - Plataforma de Pagamentos - Gateway de SMS 2

3 CONCEITO DE INTEROPERABILIDADE Definição de Interoperabilidade Capacidade de múltiplos recursos (sistemas, dispositivos, pessoas e organizações), produzirem, em conjunto, trabalho ou informação de uma forma eficiente. Definição de Interoperabilidade no âmbito TIC Capacidade de múltiplos sistemas trocarem e reutilizarem informação sem custo de adaptação, preservando o seu significado. 3

4 CONCEITO DE INTEROPERABILIDADE Uma AP, milhares de Sistemas de Informação onde as mais avançadas tecnologias coexistem com tecnologias legacy Facilitadores Organizacional/ Colaborativo Grupo de Trabalho para a Interoperabilidade - Rede TIC (RCM 109/2009) - Administração Central, Local e Regional Normas técnicas, semânticas e organizacionais Tecnológico Plataforma de Interoperabilidade da AP - iap 4

5 NÍVEIS DE INTEROPERABILIDADE Classifica-se a interoperabilidade a quatro níveis: Legal (Porquê) simplificação e adequação legislativa e regulatória Organizacional (Para quê) - compatibilização de processos, cooperação entre organizações Semântica (O quê) - significado da informação, taxionomias e esquemas de dados Técnica (Como) - sistemas e dispositivos trocarem dados com fiabilidade e sem custo acrescido 5

6 Conceito iap A iap reflete a Framework Nacional de Interoperabilidade e encontra-se alinhada com a Framework de Interoperabilidade Europeia. Abordagens: - Interoperabilidade legal; - Interoperabilidade organizacional. Implementa e Publica: - Arquitetura Informacional; - Plataforma Tecnológica. 6

7 M11 Interoperabilidade na AP Plano Global Estratégico de Racionalização e Redução de Custos nas TIC (PGERRTIC) M11 Interoperabilidade na AP Esta medida visa a consolidação da Framework Nacional de Interoperabilidade, considerando os níveis semântico, técnico e legal, assumindo caráter obrigatório a plataforma de interoperabilidade da Administração Pública. 7

8 Conceito iap Legal Ponto agregador para legislação na área de Interoperabilidade, a nível nacional e europeu, tendo igualmente um papel relevante na elaboração de legislação com o objetivo de promover e regular a utilização de artefactos nesta área. Organizacional: - facilitador: atua como um ponto de contacto único que permite agregar as necessidades da AP a nível da interoperabilidade e promove os contactos entre as organizações - mediador: participa na definição dos serviços de modo a assegurar a sua reutilização e uma correta definição semântica a nível da arquitetura informacional transversal à AP 8

9 Conceito iap Framework Semântica - É fundamental a existência de arquiteturas que assegurem que diferentes entidades informacionais possuem a mesma definição semântica; - Desta forma a existência e utilização de uma Arquitetura Informacional na AP é um dos pilares da Interoperabilidade; - Esta Arquitetura irá crescer à medida que os serviços são disponibilizados na iap e sejam definidas mais entidades informacionais permitindo à iap ser o repositório semântico a nível nacional e parte do repositório europeu; - A implementação do Asset Description Metadata Schema (ADMS), permitirá Interoperabilidade Semântica com outros Estados Membros da UE; - iap já utiliza o conceito de fontes autenticas de informação como a única forma de obter dados, e irá promover a criação e publicação dessas fontes de informação. 9

10 iap- Concept Plataforma tecnológica de referência para a disponibilização de serviços electrónicos transversais focados nas necessidades dos cidadãos e das empresas Requisitos tecnológicos base: - Standards abertos; - Segurança; - Disponibilidade Lógica de serviços partilhados: Aumento da eficiência do Estado através do reaproveitamento da capacidade instalada na AP. 10

11 Princípios orientadores da iap Integração de serviços o cidadão terá uma visão integrada dos serviços disponibilizados pela AP Identificação simplificada o cidadão só se identificará uma única vez perante os serviços da AP Privacidade e segurança o cidadão e a AP verão garantidas a sua privacidade, confidencialidade e segurança dos dados Imutabilidade dos actuais sistemas de informação os sistemas de informação da AP continuarão a existir, sem que sejam necessárias alterações ou re-estruturações que ponham em causa o seu funcionamento e operação Sustentabilidade partilhada os custos de manutenção e evolução da Plataforma de Interoperabilidade são partilhados pelas entidades aderentes - preço de custo 11

12 iap - Vantagens Total independência da tecnologia utilizada: Soluções baseadas em standards abertos com integrações através de WebServices, com garantias de elevada segurança e disponibilidade. Redução de custos de investimento e operacionais: Aproveitamento de economias de escala - Funcionando numa lógica de serviços partilhados, os custos com aquisição de equipamentos e administração, operação, helpdesk e manutenção destes sistemas são largamente reduzidos. Tempos de implementação reduzidos: A reutilização dos WebServices disponibilizados permite reduzir consideravelmente os prazos para integração e implementação deste tipo de soluções. Reutilização de serviços/dados disponibilizados por outros organismos/entidades: Os organismos aderentes podem, de forma simples, consumir serviços/dados publicados por outros organismos. Gestão integrada dos diversos serviços eletrónicos transversais disponibilizados: Disponibilização de um Back-Office único para gestão dos serviços disponibilizados e consumidos. 12

13 iap Plataforma de Integração Integração dos sistemas de informação das entidades aderentes através de uma arquitectura orientada a serviços. Fornecedor de Autenticação Plataforma de Pagamentos Gateway de SMS Identificação electrónica: Obtenção de atributos para autenticação on-line + single sign-on. Disponibilização de múltiplos métodos de pagamentos, para os diferentes canais de atendimento, com gestão, controlo e monitorização integrada. Envio e recepção de SMS, através de números curtos, entre os organismos da AP e os cidadãos. 13

14 Plataforma de Integração É uma plataforma tecnológica central, orientada a serviços e baseada em standards e normas abertas, que disponibiliza a AP uma ferramenta partilhada que permite a interligação dos diversos sistemas e a disponibilização de serviços electrónicos multicanal. 14

15 Plataforma de Integração Authentication Identity Federation Security Other Portals and information systems Citizen Portal Users Management Transactions engine Services Management Process Workflow Services Orchestration e-payment Engine Message Engine Public Body Logging and Auditing Systems Management Directory Services Identity Provider Back-office Security Logging and Auditing Authentication Services Internal Systems 15

16 Plataforma de Integração Estatísticas 750 milhões mensagens trocadas 80 serviços 36 Entidades Média de mensagens diárias 16

17 Ministério da Justiça Pedido Cancelado Aguardar Pagamento MB Validação no Backoffice [Tem insuficiências] Supressão de Insuficiências [Não tem insuficiências] Registo Recusado [Prazo Expirado] [Pedido Pago] [Registo recusado] [Registo Definitivo ou Provisório] Registo Provisório ou Definitivo Ministério das Finanças Declaração de Início de Actividade Segurança Social Inscrição na Segurança Social Plataforma de Integração 1. Comunicação 2. Dados a Integrar 3. Mecanismo para disponibilizar dos dados/serviços Organismo 1 Sistemas internos Organismo Organismo N Sistemas internos Sistemas internos SEM PI Custos acrescidos sempre que haja uma nova necessidade de integração de sistemas entre dois ou mais organismos Conversões de dados caso a caso sem as reutilizar na maioria dos casos Sem regras, pode-se recorrer ao mecanismo mais apropriado, beneficiando o esforço investido Organismo 1 4 Sistemas internos Toolkit Local 3 1 Framework de Serviços Centrais Toolkit Central Serviços Organismo 2 Toolkit Local 2 Sistemas internos 4 Organismo N 3 4 Sistemas internos COM PI A comunicação à PI é feita apenas uma vez por cada organismo. Potencial de reutilização das conversões de dados e serviços disponibilizados Modelo de dados comum, disponível a todos que utilizam a PI Toolkit Local Mecanismo único - WS independente da tecnologia Potencial reutilização dos WS 4. Integração nos sistemas internos Esforço similar 17

18 Plataforma de Integração - Exemplos - Sistema do Ciclo de Vida do Cartão de Cidadão -Mais de de cartões emitidos -Integração com: Justiça, Finanças, Saúde, Segurança Social e Administração interna - Serviços/dados já disponíveis para consumo por novas entidades aderentes Serviço Fornecedor Consumidores actuais Declaração de rendimentos DGCI DGES; MAI Prestações sociais do agregado familiar ISS DGES Indicação de Situação Tributária DGCI DGADR Indicação de Estado de atividade DGCI DGADR Base 2.0 INCI Plat. Eletrónicas ASECE Tarifa social de energia ISS Comerc. de Energia 19

19 Autenticação.Gov O Fornecedor de Autenticação permite a identificação electrónica unívoca de um utilizador portador do Cartão de Cidadão nos Sistemas de Informação aderentes. Deste modo os sistemas aderentes ao Fornecedor de Autenticação poderão delegar o processo de autenticação do utilizador no Fornecedor de Autenticação com total garantia da autenticidade dos dados 20

20 Autenticação.Gov - Vantagens - Identificação sectorial com base no Cartão de Cidadão: através do mecanismo de Federação de Identidades da Plataforma de Interoperabilidade o processo de autenticação no FA permitirá a identificação sectorial e segura de um Cidadão - Simplificação do processo de autenticação: O processo de autenticação do Cidadão pode ser delegado ao FA, que será responsável por assegurar a validação de certificados, obtenção de atributos qualificados, devolvendo os mesmos ao sistema que solicitou o pedido de autenticação. Estes atributos incluem o Nome Completo do Cidadão, bem como as identificações sectoriais (NIC, NIF, NISS, NSNS) 21

21 Autenticação.Gov - Normalização do processo de autenticação: processo de autenticação será realizado com os mesmos níveis de segurança e qualidade de serviço tanto a nível nacional como a nível Europeu com o projecto Stork. - Single Sign-on (SSO) entre as diversas entidades aderentes: através do SSO é possível a navegação entre os vários portais aderentes com fornecimento dos atributos necessários para autenticação e garantia do nível de segurança proporcionado pelo FA - O Cidadão possui pleno conhecimento e opção sobre os dados a serem fornecidos: para que a troca de informação seja realizada, o Cidadão terá que dar a sua confirmação explícita. 22

22 Plataforma de Pagamentos É o elemento da iap que permite aos organismos aderentes, disponibilizar nos seus sites/portais múltiplos métodos de pagamentos VISA, Multibanco, pagamentos ao Estado, entre outros despoletados a partir dos seus sistemas operacionais, garantindo a sua gestão, controlo e monitorização integrada. A PPAP possui cerca de 30 entidades clientes e uma média mensal de cerca de 160 mil transacções. 23

23 Gateway de SMS A GAP é o elemento da iap que permite o envio e receção de SMS, através de números curtos, entre os organismos da Administração Pública e os cidadãos. A GAP possui cerca de 10 entidades clientes e uma média mensal de cerca de 320 mil SMS enviados e recebidos. 24

SAMA2020 OPERAÇÕES TEMÁTICAS ONLY ONCE E ADESÃO À IAP

SAMA2020 OPERAÇÕES TEMÁTICAS ONLY ONCE E ADESÃO À IAP SAMA2020 OPERAÇÕES TEMÁTICAS ONLY ONCE E ADESÃO À IAP 1 DE JULHO DE 2015 OPERAÇÕES TEMÁTICAS COLABORATION SIMPLIFICATION INNOVATION AGENCY FOR THE PUBLIC SERVICES REFORM OPERAÇÃO TEMÁTICA M/C DOTAÇÃO ORÇAMENTAL

Leia mais

Plataforma de Pagamentos Electrónicos Plataforma de Identidade e Autenticação Electrónica

Plataforma de Pagamentos Electrónicos Plataforma de Identidade e Autenticação Electrónica Instituto Nacional de Tecnologias de Informação e Comunicação Seminário sobre Governo Electrónico Implementação de Interoperabilidade Plataforma de Pagamentos Electrónicos Plataforma de Identidade e Autenticação

Leia mais

TIC.GOV.PT Medida 12 Lisboa, 31 de março de 2015

TIC.GOV.PT Medida 12 Lisboa, 31 de março de 2015 TIC.GOV.PT Medida 12 Lisboa, 31 de março de 2015 AGENDA COLABORAR SIMPLIFICAR INOVAR Cartão de cidadão uma identidade autenticação e assinatura digital um sistema Segurança em cenários de identidade Tendências

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 02/SAMA2020/2015

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 02/SAMA2020/2015 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 02/SAMA2020/2015 REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DA OPERAÇÃO SISTEMA DE APOIO À MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (SAMA2020) Página 1 de 16

Leia mais

soluções transversais SOLUÇÕES segurança

soluções transversais SOLUÇÕES segurança soluções transversais SOLUÇÕES segurança RESUMO DA SOLUÇÃO single sign-on acessos prevenção autenticação Os serviços de segurança são implementados como um layer do tipo Black Box, utilizável pelos canais

Leia mais

Arquitectura Global de Interoperabilidade PNAGIA Proximidade, Diversidade e Eficiência da Oferta de Serviços ao Cidadão

Arquitectura Global de Interoperabilidade PNAGIA Proximidade, Diversidade e Eficiência da Oferta de Serviços ao Cidadão MTTI/CNTI 2015 Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação Centro Nacional das Tecnologias de Informação Arquitectura Global de Interoperabilidade PNAGIA Proximidade, Diversidade e Eficiência

Leia mais

E-Gov Governo Electrónico Local. 22 Outubro 2009

E-Gov Governo Electrónico Local. 22 Outubro 2009 E-Gov Governo Electrónico Local 22 Outubro 2009 e-gov De modo geral, aceita-se a noção de governo electrónico como ligada à prestação de serviços públicos por meio electrónico, ou seja, utilizando-se recursos

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES

PERGUNTAS FREQUENTES PERGUNTAS FREQUENTES SERVIÇO MB WAY O que é o MB WAY? O MB WAY é a primeira solução interbancária que permite fazer compras e transferências imediatas através de smartphone ou tablet. Basta aderir ao serviço

Leia mais

MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA A EXPERIÊNCIA PORTUGUESA JOÃO RICARDO VASCONCELOS

MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA A EXPERIÊNCIA PORTUGUESA JOÃO RICARDO VASCONCELOS A EXPERIÊNCIA PORTUGUESA JOÃO RICARDO VASCONCELOS JORNADAS CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO PORTO, 21 DE MAIO DE 2013 COLABORAR SIMPLIFICAR INOVAR PORTUGAL POSSUI UM PERCURSO RICO NO DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS

Leia mais

Simplificação nas PMEs

Simplificação nas PMEs Simplificação nas PMEs Aproveitamento das Novas Tecnologias DGITA Portal Declarações Electrónicas Dezembro 2007 Simplificação nas PMEs - Aproveitamento das Novas Tecnologias 1 Agenda O que é a DGITA? Estratégia

Leia mais

Cartão de Cidadão. Autenticação com o Cartão de Cidadão AMA. 20 de Novembro de 2007. Versão 1.6

Cartão de Cidadão. Autenticação com o Cartão de Cidadão AMA. 20 de Novembro de 2007. Versão 1.6 Cartão de Cidadão Autenticação com o Cartão de Cidadão 20 de Novembro de 2007 Versão 1.6 AMA ÍNDICE 1. I TRODUÇÃO... 3 Modelo base de Autenticação... 3 Modelo de Autenticação Federado... 4 2. AUTE TICAÇÃO

Leia mais

Implementação do conceito. Balcão Único na Administração Pública. Janeiro de 2008

Implementação do conceito. Balcão Único na Administração Pública. Janeiro de 2008 Implementação do conceito Balcão Único na Administração Pública Janeiro de 2008 Janeiro 2008 1 Índice 1. Enquadramento e Objectivos...3 1.1. Enquadramento...3 1.2. Objectivos...7 2. Conceitos...7 3. Recomendações

Leia mais

Câmara Municipal de Cascais é uma boa prática no relacionamento com os cidadãos

Câmara Municipal de Cascais é uma boa prática no relacionamento com os cidadãos 27 LEADERSHIP AGENDA a inovação na gestão do relacionamento compensa Câmara Municipal de Cascais é uma boa prática no relacionamento com os cidadãos A participação activa dos cidadãos é vital para a promoção

Leia mais

Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projetos e Despesas TIC FAQ

Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projetos e Despesas TIC FAQ Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projetos e Despesas TIC FAQ Folha de Controlo Nome do Documento: FAQs Evolução do Documento Versão Autor Data Comentários

Leia mais

Plano Tecnológico Uma ideia mobilizadora, uma agenda de prioridades e um compromisso político

Plano Tecnológico Uma ideia mobilizadora, uma agenda de prioridades e um compromisso político Plano Tecnológico Uma ideia mobilizadora, uma agenda de e um compromisso político Apresentação ao Conselho Consultivo do Plano Tecnológico 19 de Julho de 26 Um mundo em profunda mudança O Mundo enfrenta

Leia mais

Reforma Regulatória e Simplificação Administrativa

Reforma Regulatória e Simplificação Administrativa Reforma Regulatória e Simplificação Administrativa MARIA MANUEL LEITÃO MARQUES Secretária de Estado da Modernização Administrativa OCDE GLOBAL FORUM ON GOVERNANCE Rio de Janeiro, 22 de Outubro 2007 Mudar

Leia mais

A segurança de informação é um tema cada vez mais atual nas organizações.

A segurança de informação é um tema cada vez mais atual nas organizações. Pós Graduação em Information Security Gestão - Pós-Graduações Com certificação Nível: Duração: 180h Sobre o curso A segurança de informação é um tema cada vez mais atual nas organizações. A competitividade

Leia mais

MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Da AP Central à AP Local

MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Da AP Central à AP Local Da AP Central à AP Local PAULO NEVES PRESIDENTE DO CONSELHO DIRETIVO 01 JULHO 2014 COMO OS CIDADÃOS VÊEM O SETOR PÚBLICO? 2 3 MAS SERÁ QUE PODEMOS FALAR NUMA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA? 4 DIVERSIDADE DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Um projeto em rede na Administração Pública. 2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados.

Um projeto em rede na Administração Pública. 2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. Um projeto em rede na Administração Pública 2015 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 1 Missão Assegurar a obtenção de ganhos de eficácia e eficiência,

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Manual de Políticas da CERCI Elaborado por/data Departamento de Gestão da Qualidade/Março 2013 Aprovado por/data Direção/18.03.2013 Revisto por/data Índice 1. Política e Objetivos

Leia mais

Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projectos e Despesas TIC. FAQs

Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projectos e Despesas TIC. FAQs Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projectos e Despesas TIC FAQs Folha de Controlo Nome do Documento: FAQs Evolução do Documento Versão Autor Data Comentários

Leia mais

sector financeiro SOLUÇÕES mobile banking

sector financeiro SOLUÇÕES mobile banking sector financeiro SOLUÇÕES mobile banking RESUMO DA SOLUÇÃO segurança integração usabilidade transversalidade O canal de Banca Eletrónica Mobile é um canal web para dispositivos móveis (smartphones, PDA

Leia mais

SAMA2020 Pedro Silva Dias

SAMA2020 Pedro Silva Dias SAMA2020 Pedro Silva Dias JUNHO DE 2015 AGENDA MANHÃ 9H30 RECEÇÃO DOS PARTICIPANTES 10H00 ABERTURA CONSELHO DIRETIVO DA AMA COMISSÃO DIRETIVA DO COMPETE2020 10H15 APRESENTAÇÃO DOS AVISOS DE ABERTURA DE

Leia mais

Normas Internas Lourinhã, maio de 2015

Normas Internas Lourinhã, maio de 2015 Normas Internas Lourinhã, maio de 2015 1 Introdução 1.1 A Incubadora Startup Lourinhã é uma iniciativa da Câmara Municipal da Lourinhã e localiza-se no, na Lourinhã. 1.2 As presentes Normas Internas destinam-se

Leia mais

Jornada - Gestão da informação arquivística numa Administração Pública renovada 20 de Outubro de 2011

Jornada - Gestão da informação arquivística numa Administração Pública renovada 20 de Outubro de 2011 Jornada - Gestão da informação arquivística numa Administração Pública renovada 20 de Outubro de 2011 António Bento Planeamento e Gestão da Qualidade www.ama.pt Agenda A AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

A Agenda da Fatura Eletrónica na Administração Pública - Enquadramento

A Agenda da Fatura Eletrónica na Administração Pública - Enquadramento - Enquadramento 2 - Desafios futuros Diretiva Europeia 2014/55/EU Programa Transformacional de Gestão Financeira Autofaturação na Administração Pública eprocurement na Administração Pública 3 - Desafios

Leia mais

Gestão de Identidades e Código Aberto: A simplicidade de um problema complexo. Fernando Mira da Silva fernando.silva@tecnico.ulisboa.

Gestão de Identidades e Código Aberto: A simplicidade de um problema complexo. Fernando Mira da Silva fernando.silva@tecnico.ulisboa. Gestão de Identidades e Código Aberto: A simplicidade de um problema complexo Fernando Mira da Silva fernando.silva@tecnico.ulisboa.pt Gestão de Identidades e código aberto Sumário Código aberto Gestão

Leia mais

Introdução a Web Services

Introdução a Web Services Introdução a Web Services Mário Meireles Teixeira DEINF/UFMA O que é um Web Service? Web Service / Serviço Web É uma aplicação, identificada por um URI, cujas interfaces podem ser definidas, descritas

Leia mais

Declaração de Práticas. Plataforma Compras Públicas: ComprasPT

Declaração de Práticas. Plataforma Compras Públicas: ComprasPT Declaração de Práticas Plataforma Compras Públicas: ComprasPT 1. Revisões do Documento Código Data Responsável Comentário QS-C-0177-V0-IMP 28-04-2015 Mário Lourenço Criação do documento 2. Introdução Este

Leia mais

Administração Pública Eletrónica 2014 - O Que Falta Fazer?

Administração Pública Eletrónica 2014 - O Que Falta Fazer? Administração Pública Eletrónica 2014 - O Que Falta Fazer? 4 de junho de 2014 Auditório Adriano Moreira ISCSP PATRCINADORES PRATA Com a Colaboração Científica Patrocinadores Globais APDSI Da Interoperabilidade

Leia mais

Certidão Permanente. Manual de Procedimentos

Certidão Permanente. Manual de Procedimentos Certidão Permanente Manual de Procedimentos Procedimentos da Certidão Permanente On-line Sim 2. Elaborar Pedido de Subscrição 1. Autenticar apresentante / Login 1.1. Subscrição da Certidão? 4. Efectuar

Leia mais

Base de dados do parque nacional de Elevação

Base de dados do parque nacional de Elevação Base de dados do parque nacional de Elevação WWW.ANIEER.COM Protocolo DGEG CERTIEL; Porquê a CERTIEL?; Vantagens do processo; Fluxo da informação; Disponibilização dos acessos aos municípios; Potencialidades

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO ELABORAÇÃO ASSINATURA APROVAÇÃO ASSINATURA ÍNDICE CAPÍTULO 1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA/ÂMBITO... 3 1.1 POLÍTICA E ESTRATÉGIA DA ENTIDADE... 3 1.2 OBJECTIVO

Leia mais

SAMA2020 OPERAÇÕES TEMÁTICAS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E SISTEMAS DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO

SAMA2020 OPERAÇÕES TEMÁTICAS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E SISTEMAS DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA SAMA2020 OPERAÇÕES TEMÁTICAS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E SISTEMAS DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO 1 DE JULHO DE 2015 OPERAÇÕES TEMÁTICAS COLABORATION SIMPLIFICATION INNOVATION

Leia mais

APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS DE ENGENHARIA DAS ESPECIALIDADES E OUTROS ESTUDOS

APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS DE ENGENHARIA DAS ESPECIALIDADES E OUTROS ESTUDOS Registo n.º Data / / O Funcionário APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS DE ENGENHARIA DAS ESPECIALIDADES E OUTROS ESTUDOS artº. 20º, nº. 4 do Decreto-Lei nº. 555/99, de 16 de Dezembro, na redação do Decreto-Lei nº.

Leia mais

UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento

UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento PT-SI, empresa PT responsável pela integração, implementa plataforma para Pagamentos Electrónicos para a Administração Pública. Os principais benefícios são

Leia mais

Copyright mypartner HealthCare Software Solutions 2007. v1.0. 13 de Dezembro de 2007 Hotel Tivoli - Coimbra

Copyright mypartner HealthCare Software Solutions 2007. v1.0. 13 de Dezembro de 2007 Hotel Tivoli - Coimbra Copyright mypartner HealthCare Software Solutions 2007 v1.0 1 13 de Dezembro de 2007 Hotel Tivoli - Coimbra Agenda Simplificação Hospitalar. Para uma Saúde melhor. Agenda Soluções de gestão empresarial

Leia mais

António Pereira (apereira@ipleiria.pt) Professor Coordenador do Departamento de Engª Informática da ESTG Leiria Coordenador do Centro de Investigação

António Pereira (apereira@ipleiria.pt) Professor Coordenador do Departamento de Engª Informática da ESTG Leiria Coordenador do Centro de Investigação António Pereira (apereira@ipleiria.pt) Professor Coordenador do Departamento de Engª Informática da ESTG Leiria Coordenador do Centro de Investigação em Informática e Comunicações do IPLeiria CIIC Enquadramento

Leia mais

PT Web Conference. DGO Gestão de Oferta Empresarial Setembro de 2009

PT Web Conference. DGO Gestão de Oferta Empresarial Setembro de 2009 PT Web Conference Versão 1.0 DGO Gestão de Oferta Empresarial Setembro de 2009 Este documento é propriedade intelectual da PT e fica proibida a sua utilização ou propagação sem expressa autorização escrita.

Leia mais

Associação na Hora. Empresa na Hora. Empresa Online. Registos Online

Associação na Hora. Empresa na Hora. Empresa Online. Registos Online Empresa na Hora Associação na Hora Empresa Online Registos Online Desde 14 de Julho de 2005 que é possível a constituição de sociedades por quotas, unipessoais por quotas e anónimas num único balcão e

Leia mais

Gerenciamento de identidades

<Insert Picture Here> Gerenciamento de identidades Gerenciamento de identidades Alexandre Pereira Agenda Direcionadores de negócio Solução de gerenciamento de identidades Serviços de diretório Controle de acesso Provisionamento Federação

Leia mais

Como construir uma DLA?

Como construir uma DLA? Como construir uma DLA? Conteúdo Como construir uma DLA?... 2 Introdução... 2 Metodologia DLA... 3 1.Preparação da DLA... 3 2.Planeamento da DLA... 6 2.1. Avaliação do estado actual... 6 2.3. Desenvolvimento

Leia mais

OGFI 2015 Group Project BAI07 Primeiro Relatório

OGFI 2015 Group Project BAI07 Primeiro Relatório Primeiro Relatório 62473 Pedro Vasconcelos 63563 Francisco Ferreira 73440 Filipe Correia 74211 Carolina Ferreirinha 82665 Nkusu Quivuna Sumário Este documento é o primeiro relatório de um projeto de análise

Leia mais

CobiT. MBA em Sistemas de Informação. Conteúdo. 1. Sumário Executivo. 2. Estrutura. 3. Objetivos de Controle. 4. Diretrizes de Gerenciamento

CobiT. MBA em Sistemas de Informação. Conteúdo. 1. Sumário Executivo. 2. Estrutura. 3. Objetivos de Controle. 4. Diretrizes de Gerenciamento MBA em Sistemas de Informação CobiT Conteúdo 1. Sumário Executivo 2. Estrutura 3. Objetivos de Controle 4. Diretrizes de Gerenciamento 5. Modelo de Maturidade 6. Guia de Certificação de TI 7. Implementação

Leia mais

Projecto AAL4ALL. Padrão de Cuidados Primários para Serviços AAL. Projeto âncora do AAL4ALL AAL4ALL

Projecto AAL4ALL. Padrão de Cuidados Primários para Serviços AAL. Projeto âncora do AAL4ALL AAL4ALL Projecto Padrão de Cuidados Primários para Serviços AAL 2 Sumário Mudança demográfica em Portugal Ambient Assisted Living (AAL) Porque é necessário? Quais as áreas de aplicação? Quais são os desafios?

Leia mais

Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projectos e Despesas TIC

Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projectos e Despesas TIC Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projectos e Despesas TIC Overview do Processo de Avaliação de Projectos e Despesas TIC www.ama.pt Índice 1. Enquadramento

Leia mais

SAMA2020 OPERAÇÕES TEMÁTICAS AUTENTICAÇÃO ELETRÓNICA

SAMA2020 OPERAÇÕES TEMÁTICAS AUTENTICAÇÃO ELETRÓNICA AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA SAMA2020 OPERAÇÕES TEMÁTICAS AUTENTICAÇÃO ELETRÓNICA 1 DE JULHO DE 2015 OPERAÇÕES TEMÁTICAS OPERAÇÃO TEMÁTICA M/C DOTAÇÃO ORÇAMENTAL CAPACITAÇÃO PARA AVALIAÇÕES

Leia mais

Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços

Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços Índice Introdução... 2 A solução... 2 Plataforma Integrada (principais características)... 4 Eliminar limitações à execução de testes

Leia mais

O e-gov em Portugal. Fórum Vale do Minho Digital Melgaço 30 de Setembro de 2008

O e-gov em Portugal. Fórum Vale do Minho Digital Melgaço 30 de Setembro de 2008 O e-gov em Portugal Fórum Vale do Minho Digital Melgaço 30 de Setembro de 2008 O Plano Tecnológico é uma estratégia de mudança da base competitiva através do conhecimento, tecnologia e inovação 2 Conhecimento

Leia mais

Governo Eletrônico no Brasil. Rogério Santanna dos Santos Brasília, 08 de Abril de 2009

Governo Eletrônico no Brasil. Rogério Santanna dos Santos Brasília, 08 de Abril de 2009 Governo Eletrônico no Brasil Rogério Santanna dos Santos Brasília, 08 de Abril de 2009 ALAGOAS DIGITAL 2009 Estrutura da apresentação Histórico Estruturas organizacionais Diretrizes Principais áreas de

Leia mais

C O B I T Control Objectives for Information and related Technology

C O B I T Control Objectives for Information and related Technology C O B I T Control Objectives for Information and related Technology Goiânia, 05 de Janeiro de 2009. Agenda Evolução da TI Desafios da TI para o negócio O que é governança Escopo da governança Modelos de

Leia mais

Consulte a área Bancos Aderentes para saber em detalhe todas as informações relativas aos bancos aderentes.

Consulte a área Bancos Aderentes para saber em detalhe todas as informações relativas aos bancos aderentes. SERVIÇO MB Way O que é o MB Way? O MB Way é a primeira solução interbancária que permite fazer compras e transferências imediatas através de smartphone ou tablet. Basta aderir ao serviço num MULTIBANCO,

Leia mais

Projeto de Resolução n.º 1036/XII. Aprova a Declaração para a abertura e transparência parlamentar

Projeto de Resolução n.º 1036/XII. Aprova a Declaração para a abertura e transparência parlamentar Projeto de Resolução n.º 1036/XII Aprova a Declaração para a abertura e transparência parlamentar Em 29 de agosto de 2012, 76 organizações de cidadãos de 53 países envolvidas na observação, apoio e incentivo

Leia mais

O consumidor e a mudança de paradigma

O consumidor e a mudança de paradigma O consumidor e a mudança de paradigma XIV Réunion Anual Iberoamericana de Reguladores de la Energia 28 de Abril Maria Margarida Corrêa de Aguiar Índice 1. Envolvente do sector energético: tendências e

Leia mais

FAZER MAIS COM MENOS Maio 2012 White Paper

FAZER MAIS COM MENOS Maio 2012 White Paper CLOUD COMPUTING FAZER MAIS COM MENOS Maio 2012 CLOUD COMPUTING FAZER MAIS COM MENOS Cloud Computing é a denominação adotada para a mais recente arquitetura de sistemas informáticos. Cada vez mais empresas

Leia mais

Racionalização de infraestruturas e plataformas no âmbito dos Sistemas de Informação do MJ

Racionalização de infraestruturas e plataformas no âmbito dos Sistemas de Informação do MJ itsmf Conferência Anual 2012 22 de Maio de 2012 Estratégias de racionalização e sustentabilidade das TIC (setores público e privado) Racionalização de infraestruturas e plataformas no âmbito dos Sistemas

Leia mais

ENQUADRAMENTO DO IGFIJ NA JUSTIÇA PORTUGUESA

ENQUADRAMENTO DO IGFIJ NA JUSTIÇA PORTUGUESA 1 Boas Práticas DESMATERIALIZAÇÃO PROCESSOS NA JUSTIÇA Instituto de Gestão Financeira e Infra-Estruturas da Justiça, I.P. 2 Boas Práticas GRAÇA NAMORA Coordenadora Gabinete Sistemas de Informação 29.10.2010

Leia mais

Perguntas Frequentes Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes Perguntas Frequentes Perguntas Frequentes Advertência: O IRN disponibiliza conteúdos com caráter informativo e geral, sobre o pedido de registo Automóvel Online. Esta informação não substitui o atendimento técnico e qualificado

Leia mais

módulos transversais SOLUÇÕES multi-channel contract workflow

módulos transversais SOLUÇÕES multi-channel contract workflow módulos transversais SOLUÇÕES multi-channel contract workflow RESUMO DA SOLUÇÃO multicanal personalização adesão simplicidade A aplicação Multi-Channel Contract Workflow disponibiliza o processo de adesão

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO EMPRESARIAL EM GESTÃO E MARKETING DIGITAL. Manual do Curso

PÓS GRADUAÇÃO EMPRESARIAL EM GESTÃO E MARKETING DIGITAL. Manual do Curso PÓS GRADUAÇÃO EMPRESARIAL EM GESTÃO E MARKETING DIGITAL Manual do Curso São Paulo Educação Executiva 2014 Apresentação Pós-Graduação Empresarial em Gestão e Marketing Digital é um curso destinado às empresas

Leia mais

Logística e interoperabilidade

Logística e interoperabilidade Workshop Stakeholders Lisboa Logística e interoperabilidade Estratégia tecnológica - logística colaborativa Luís Osório (IPL/ISEL) Lisboa, 9 de Maio de 2012 Tópicos Redes de Empresas/Organizações (E/O)

Leia mais

Request for Proposal RFP

Request for Proposal RFP Request for Proposal RFP Termos Gerais Solução de Monitoramento Integrado de Segurança e Ambiência Sumário Introdução... 2 1. Objetivo... 2 2. Termos e Condições... 3 2.1. Confidencialidade... 3 2.2. Responsabilidade...

Leia mais

SERVIÇOS PÚBLICOS, QUALIDADE DE VIDA E COMPETITIVIDADE. Governação próxima dos cidadãos egov Cabo Verde

SERVIÇOS PÚBLICOS, QUALIDADE DE VIDA E COMPETITIVIDADE. Governação próxima dos cidadãos egov Cabo Verde SERVIÇOS PÚBLICOS, QUALIDADE DE VIDA E COMPETITIVIDADE Governação próxima dos cidadãos egov Cabo Verde O PESI Quadro estratégico da Sociedade de Informação em Cabo Verde. Acessibilidades para Todos: Infra-estruturas

Leia mais

soluções transversais SOLUÇÕES contact center

soluções transversais SOLUÇÕES contact center soluções transversais SOLUÇÕES contact center 1 2 3 4 5 6 7 8 9 + 0-1 2 3 4 5 6 7 8 9 + 0-1 2 3 4 5 6 7 8 9 + 0 - RESUMO DA SOLUÇÃO multi-canal inteligente consolidada browser oriented O IT Contact é uma

Leia mais

Auditoria ao Processo de Mudança de Comercializador. A. Enquadramento e Objectivos. Síntese do Relatório de Auditoria

Auditoria ao Processo de Mudança de Comercializador. A. Enquadramento e Objectivos. Síntese do Relatório de Auditoria A. Enquadramento e Objectivos A EDP Distribuição - Energia, S.A. (EDP Distribuição), empresa que exerce a actividade de Operador de Rede de Distribuição (ORD) de Energia Eléctrica em Média Tensão (MT)

Leia mais

QiDEIA C O M U N I C A Ç Ã O

QiDEIA C O M U N I C A Ç Ã O QiDEIA CREATE WHAT YOU SEE. CREATE WHAT YOU FEEL. CREATE WHAT YOU HAVE NEVER SEEN. JUST CREATE. NATHAN SAWAYA QUEM SOMOS A Qideia é uma agência de comunicação, vocacionada para a estratégia e implementação

Leia mais

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel.

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. Projecto A Oficina+ ANECRA é uma iniciativa criada em 1996, no âmbito da Padronização de Oficinas ANECRA. Este projecto visa reconhecer a qualidade

Leia mais

Este documento tem como objetivo esclarecer algumas questões colocadas pelos Notários

Este documento tem como objetivo esclarecer algumas questões colocadas pelos Notários Este documento tem como objetivo esclarecer algumas questões colocadas pelos Notários Geral G1. Gostaria de assinar o protocolo com a MULTICERT. O que devo fazer? Lista de Perguntas Com o certificado da

Leia mais

4.1. A verba máxima disponível por projecto será de 200.000 Euros. A ajuda solicitada poderá ser aplicada para financiar pessoal, aquisição de

4.1. A verba máxima disponível por projecto será de 200.000 Euros. A ajuda solicitada poderá ser aplicada para financiar pessoal, aquisição de Bases reguladoras para a concessão das ajudas destinadas a dar apoio à valorização de projectos de investigação ao abrigo da Rede Universitária Iberoamericana de Incubação de Empresas (RedEmprendia) Em

Leia mais

Redes Inteligentes. A Rede do Futuro Construída Hoje

Redes Inteligentes. A Rede do Futuro Construída Hoje Redes Inteligentes A Rede do Futuro Construída Hoje Grupo Efacec, Breve descrição Ao longo da sua história, a Efacec tem vindo a antecipar as mudanças num mundo extremamente competitivo, tornando-se numa

Leia mais

Disponibiliza em suporte electrónico actualizado e em tempo real

Disponibiliza em suporte electrónico actualizado e em tempo real Artº.75, nº5 do DL nº76a/2006, de 29/03 e Portaria nº.1416a/2006, de 19/12 Disponibiliza em suporte electrónico actualizado e em tempo real Os registos em vigor respeitantes a qualquer entidade sujeita

Leia mais

Questionário de avaliação de Práticas X Resultados de projetos - Carlos Magno Xavier (magno@beware.com.br)

Questionário de avaliação de Práticas X Resultados de projetos - Carlos Magno Xavier (magno@beware.com.br) Obrigado por acessar esta pesquisa. Sei como é escasso o seu tempo, mas tenha a certeza que você estará contribuindo não somente para uma tese de doutorado, mas também para a melhoria das práticas da Comunidade

Leia mais

Encontro Certificação de Sistemas de Informação para a Saúde

Encontro Certificação de Sistemas de Informação para a Saúde Encontro Certificação de Sistemas de Informação para a Saúde Roteiro da Certificação Fernando Mota José Luís Graça Organigrama funcional UONCSTI UONCSTI - Missão Apoiar o cumprimento da missão da ACSS,

Leia mais

GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS E QUALIDADE DE SERVIÇO Indicadores de Desempenho na Gestão de Recursos Humanos

GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS E QUALIDADE DE SERVIÇO Indicadores de Desempenho na Gestão de Recursos Humanos GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS E QUALIDADE DE SERVIÇO Indicadores de Desempenho na Gestão de Recursos Humanos Luis Gaspar da ROSA 1 ;Paulo OLIVEIRA 2 ;Paulo LOPES 3 RESUMO A conjuntura económica atual vem

Leia mais

Declaração de Práticas

Declaração de Práticas Declaração de Práticas anogov Plataforma de Compras Públicas Data 28 abril 2015 Empresa Certificada ISO 9001 e ISO 27001 1. REVISÕES DO DOCUMENTO Código Data Responsável Comentário QS-C-0176-V0-IMP 28-04-2015

Leia mais

Guia Prático do Certificado Energético da Habitação

Guia Prático do Certificado Energético da Habitação Guia Prático do Certificado Energético da Habitação Fonte: ADENE O QUE É UM CERTIFICADO ENERGÉTICO? Um Certificado Energético (CE) de um edifício ou fracção autónoma é o documento emitido no âmbito do

Leia mais

Anúncio de concurso. Fornecimentos

Anúncio de concurso. Fornecimentos 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:333384-2013:text:pt:html Alemanha-Karlsruhe: Fornecimento de um sistema de vídeo para gestão de riscos destinado ao centro

Leia mais

Seminário OEP/INPI. O papel dos Offices nacionais da PI na promoção da inovação e das invenções. Em colaboração com: Apresentado por

Seminário OEP/INPI. O papel dos Offices nacionais da PI na promoção da inovação e das invenções. Em colaboração com: Apresentado por Seminário OEP/INPI Apresentado por José Maria Maurício Director de Marcas e Patentes O papel dos Offices nacionais da PI na promoção da inovação e das invenções Em colaboração com: Bissau, 21 de Dezembro

Leia mais

Implementação de Ferramentas de Gestão SOX ISO 20000 ISO 27001. Susana Carias Lisboa, 24 de Outubro de 2008

Implementação de Ferramentas de Gestão SOX ISO 20000 ISO 27001. Susana Carias Lisboa, 24 de Outubro de 2008 Implementação de Ferramentas de Gestão SOX ISO 20000 ISO 27001 Susana Carias Lisboa, 24 de Outubro de 2008 Agenda Introdução Desafio 1º passo Problemática ISO 27001 ISO 20000 Conclusões 2 Agenda Introdução

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES

PERGUNTAS FREQUENTES PERGUNTAS FREQUENTES SERVIÇO MB WAY O que é o MB WAY? O MB WAY é a primeira solução interbancária que permite fazer compras e transferências imediatas através de smartphone ou tablet. Basta aderir ao serviço

Leia mais

A Reforma da AP e a evolução dos SI/TI

A Reforma da AP e a evolução dos SI/TI 10 Anos da Sociedade de Informação 2 de Novembro de 2006 FIL Parque das Nações A Reforma da AP e a evolução dos SI/TI João Catarino Tavares ( ) Patrocínio Apoio A Reforma da AP e a evolução dos SI/TI João

Leia mais

CENTRO DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EMPRESAS INOV.POINT REGULAMENTO INTERNO

CENTRO DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EMPRESAS INOV.POINT REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EMPRESAS INOV.POINT REGULAMENTO INTERNO I Introdução 1.1 O presente Regulamento destina-se a estabelecer as regras de acesso e de funcionamento do INOV.POINT Centro

Leia mais

Prova de Conceito Saúde

Prova de Conceito Saúde Prova de Conceito - Saúde Impacto estrutural na economia e sociedade portuguesas Saúde e ass. social Segurança e Justiça Educação Administração Pública Mobilidade e Logística Comércio e Retalho Turismo

Leia mais

Catálogo IDA de INSTRUMENTOS e TÉCNICAS COMUNS. Interchange of Data between Administrations COMISSÃO EUROPEIA

Catálogo IDA de INSTRUMENTOS e TÉCNICAS COMUNS. Interchange of Data between Administrations COMISSÃO EUROPEIA Interchange of Data between Administrations COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO- GERAL DA EMPRESA INTERCHANGE OF DATA BETWEEN ADMINISTRATIONS PROGRAMME Catálogo IDA de INSTRUMENTOS Interchange of Data between Administrations

Leia mais

MARKETING DIGITAL ESTRATÉGIAS E-COMMERCE PARA HOTÉIS

MARKETING DIGITAL ESTRATÉGIAS E-COMMERCE PARA HOTÉIS MARKETING DIGITAL & ESTRATÉGIAS E-COMMERCE PARA HOTÉIS CONTACTE-NOS VEJA O NOSSO VIDEO MAXIMIZE A RENTABILIDADE DO SEU HOTEL.... através das nossas estratégias de marketing digital concentradas nas necessidades

Leia mais

soluções transversais SOLUÇÕES middleware

soluções transversais SOLUÇÕES middleware soluções transversais SOLUÇÕES middleware RESUMO DA SOLUÇÃO ITbank framework 4g performance orquestração interoperabilidade O Middleware SOA ITBank framework 4g implementa uma arquitetura SOA com orquestração

Leia mais

Criação de empresas on-line. A sua iniciativa, esteja onde estiver

Criação de empresas on-line. A sua iniciativa, esteja onde estiver Criação de empresas on-line A sua iniciativa, esteja onde estiver 30-06-2006 O projecto empresa on-line A Empresa na Hora já permitiu a constituição de sociedades comerciais de forma mais rápida, mais

Leia mais

Gestão Documental. Informação para a Governação

Gestão Documental. Informação para a Governação Gestão Documental Desafios para a Administração Pública Informação para a Governação Informação para a governação 2015-07-10 1 AGENDA O CEGER Missão e atribuições Ring Serviços aplicacionais Gestão Documental

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2016-2019. Versão 0 1.0

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2016-2019. Versão 0 1.0 PETI Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2016-2019 Versão 0 1.0 Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2016-2019 Presidente Luiz Otávio Pimentel Vice-Presidente Mauro Sodré

Leia mais

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft A solução MB DOX oferece uma vantagem competitiva às empresas, com a redução do custo de operação, e dá um impulso à factura

Leia mais

Engenharia de Software e Sistemas Distribuídos. Enunciado Geral do Projecto

Engenharia de Software e Sistemas Distribuídos. Enunciado Geral do Projecto LEIC-A, LEIC-T, LETI, MEIC-T, MEIC-A Engenharia de Software e Sistemas Distribuídos 2 o Semestre 2013/2014 Enunciado Geral do Projecto O objectivo do projecto é criar uma solução informática que facilite

Leia mais

2. Onde posso aderir ao M5O? A adesão ao M5O deve ser feita no formulário disponível no canal Vantagens épt em http://vantagensept.telecom.pt.

2. Onde posso aderir ao M5O? A adesão ao M5O deve ser feita no formulário disponível no canal Vantagens épt em http://vantagensept.telecom.pt. FAQ M5O 1. Não vou pagar nada pelo M5O? O desconto de 100% é relativo ao valor da mensalidade do pacote. A 1ª MEO Box também continua a ser gratuita. O aluguer de filmes no MEO Videoclube, canais premium,

Leia mais

Gestão Operacional do Negócio Distribuição Alinhada ao Modelo Regulatório. José Maria de Macedo

Gestão Operacional do Negócio Distribuição Alinhada ao Modelo Regulatório. José Maria de Macedo Gestão Operacional do Negócio Distribuição Alinhada ao Modelo Regulatório José Maria de Macedo Diretor de Distribuição e Comercialização Maio de 2008 1/XX Cemig Distribuição em números Descrições Posição:

Leia mais

E- Marketing - Estratégia e Plano

E- Marketing - Estratégia e Plano E- Marketing - Estratégia e Plano dossier 2 http://negocios.maiadigital.pt Indíce 1 E-MARKETING ESTRATÉGIA E PLANO 2 VANTAGENS DE UM PLANO DE MARKETING 3 FASES DO PLANO DE E-MARKETING 4 ESTRATÉGIAS DE

Leia mais

HP ajuda empresas a aumentar a eficiência da gestão de informação

HP ajuda empresas a aumentar a eficiência da gestão de informação HP ajuda empresas a aumentar a eficiência da gestão de informação Estudo indica que 70 por cento das empresas têm lacunas na abordagem holística à gestão de informação crítica para o seu negócio Lisboa,

Leia mais

Serviço de Qualidade e Certificação

Serviço de Qualidade e Certificação República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

Introdução ao Oracle Identity Management

Introdução ao Oracle Identity Management Introdução ao Oracle Identity Management White Paper Oracle Junho de 2008 Introdução ao Oracle Identity Management página 1 Introdução ao Oracle Identity Management INTRODUÇÃO A suíte Oracle Identity Management

Leia mais

Declaração de Práticas de Certificação da EC de Assinatura Digital Qualificada do Cartão de Cidadão

Declaração de Práticas de Certificação da EC de Assinatura Digital Qualificada do Cartão de Cidadão Declaração de Práticas de Certificação da EC de Assinatura Digital Qualificada do Cartão de Cidadão Políticas MULTICERT_PJ.CC_24.1.1_0002_pt_.doc Identificação do Projecto: Cartão de Cidadão Identificação

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DO PROJETO-PILOTO DE INTEGRAÇÃO DOS ATRIBUTOS PROFISSIONAIS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS NO SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ATRIBUTOS PROFISSIONAIS (SCAP) Entre:

Leia mais

TURISMO DE PORTUGAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO GERAL DA FORMAÇÃO

TURISMO DE PORTUGAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO GERAL DA FORMAÇÃO TURISMO DE PORTUGAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO GERAL DA FORMAÇÃO INDICE 1 NOTA PRÉVIA 3 2 LINHAS DE ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA 4 3 PLANO DE FORMAÇÃO 4 4 FREQUÊNCIA DE ACÇÕES DE FORMAÇÃO 6

Leia mais