t CAPA I Dinneiro na mão ONDE CONSEGUIR DINHEIRO PARA REALIZAR O SEU

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "t CAPA I Dinneiro na mão ONDE CONSEGUIR DINHEIRO PARA REALIZAR O SEU"

Transcrição

1 t CAPA I Dinneiro na mão ONDE CONSEGUIR DINHEIRO PARA REALIZAR O SEU

2 Falta de recursos não é mais motivo para deixar de empreender. Descubra como buscar o melhor apoio para o seu negócio POR JÚLlA PITTHAN E THOMAZ GOMES ILUSTRAÇÃO ESTUDIO AFF

3 t CAPA I Dinheiro na mão Em 1977,o investidor americano Mike Markkula assinou um cheque de US$ 250 mil para dois jovens: Steve Jobs, de 22 anos, esteve Wozniak, 27. Ele acreditou no potencial dos sócios e de sua startup de garagem, então localizada nos subúrbios da pequena Los Altos, na Califórnia. O dinheiro foi usado na criação do primeiro grande sucesso de vendas da empresa, o Apple 11. E deu, também, a largada para a construção da marca mais valiosa do mundo, avaliada em US$ 185bilhões. Hoje, aportes como o feito por Markkula estão à disposição de qualquer empreendedor brasileiro que tenha um projeto promissor. O ecossistema de apoio financeiro no Brasil amadureceu. Nunca houve uma rede de apoio tão ampla às startups no país, com formatos que atendem a diferentes estágios de crescimento. Nas páginas a seguir, você vai entender quais são as diferenças entre cada um desses tipos de recurso, para escolher o que mais combina com o seu perfil. Fizemos um mapeamento detalhado da cadeia de investimentos e selecionamos 68 fontes de apoio e de capital que podem ajudá-lo a construir a sua empresa. De incubadoras, anjos e aceleradoras a fundos e linhas bancárias. E mais: empreendedores e investidores contam os macetes para fazer essa relação dar certo. o CAMINHO DO DINHEIRO Dasincubadoras aos fundos de venture capital, confira quais são os principais modelos de financiamento disponíveis para as startups brasileiras - e descubra o mais adequado para o seu negócio INCUBADORAS Tem uma solução inovadora para problemas sociais, econômicos ou ambientais? O modelo depende de pesquisa e desenvolvimento? As incubadoras são o melhor caminho para obter consultoria e acessar verbas de incentivo à inovação, Com esse dinheiro, é possível contratar pesquisadores e comprar equipamentos, Não existe aporte direto - o que significa que você não cederá uma parte do negócio, Existem 348 incubadoras em atividade no país Juntas, elas reúnem empresas que geram um faturamento anual de R$ 533 milhões FOCONO BIlASI( A maior parte dos negócios íncubados::" oferece inovações para o mercadonacionel 2 -. % Não lnovarn ". "'. 15 % Global 28 % Local 55 % Nacional 76 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS Setembro,2013

4 ACELERADORAS ANJOS BANCOS Se você tem um protótipo ejá fez as primeiras vendas, as aceleradoras podem ser uma opção para escalar a sua startup e atrair a atenção de investidores. Os aportes financeiros - quando existem - não ultrapassam R$lOO mil. As maiores vantagens estão nos investimentos indiretos: infraestrutura, mentoria, consultoria e networking. O custo é dividir uma cota de participação do negócio e estar aberto a mudanças na ideia original. o governo brasileiro investiu R$ 40 milhões no Start-Up Brasil, programa nacional de aceleração de empresas. A meta é desenvolver 150 projetos até 2015 A IMPORTÂNCIA DO protótipo Estágio de desenvolvimento dos negócios do Start-Up Brasil O objetivo desse apoio é incentivar o segundo ciclo de crescimento da startup e prepará-ia para a chegada de um fundo de capital de risco. Os anjos procuram negócios que já estão em operação, com um modelo testado. Os aportes - assim como as participações cobradas pelo investidorsão maiores do que os das aceleradoras. Além do dinheiro, o anjo divide contatos e inteligência de negócios com o empreendedor. R$ 416 mil é a média dos aportes feitos pelos anjos brasileiros. O valor corresponde a algo entre 5% a 10% do seu patrimônio ONDE INVESTEM O setor de tecnologia é o foco dos aportes -ō QUE FAZEM 75 % TECNOlOGIA 56 % APUCAnVOS 44 % SAúDE EBIOTECNOlOGIA 42 % HOMMERCE 38 % EDUCAÇAo 35 % ENTRmNIMENTO Sua empresa já está no mercado há alguns anos e tem uma boa carteira de clientes. Mas você precisa de dinheiro extra para expandir a produção, comprar equipamentos ou reformar a sede. Se atrair um novo sócio para o negócio não está nos seus planos, o financiamento bancário é uma opção. As instituições públicas costumam ter os juros mais balxoã do mercado - e os prazos mais longos. No primeiro semestre de 2013,o BNDES liberou R$ 88,3 bilhões para as empresas brasileiras FORÇA DA INDúsTRIA Os setores que mais receberam recursos - em O/o -29,5 INIlÚSTRIA -27,3 INFRAESTRUTURA 1,8% CONCEITO 16 % DeSENVOlVIMENTO Metade dos anjos divide seu tempo entre as startups do porttólío e a gestão do próprio negócio -17,7 COMtRCIOESERVlÇOS 9,3 A6R0PECUÁRIA 41,1% PROTánPO 41,1 % PROOII1O 5% a 20% é a faixa de participação nas empresas que costuma ser cobrada pelas aceleradoras 50 % EMPREENOEDOR 29 % EXECUTIVO 13% INVESTIDOR PROFISSIONAL 6 % PRORSSIONAl UBERAl 2% OUTROS 4,5 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.~ rn Q :J t ili.- '" c '"E FUNDOS DE CAPITAL DE RISCO Aqui, os aportes começam a ficar mais altos e podem chegar a dezenas de milhões, em várias rodadas de investimento. Em cada uma delas, o empreendedor dilui sua participação. O foco está em empresas com enorme potencial de escala. Nessa fase, a cobrança por resultados se intensifica - as expectativas giram em torno de uma fusão ou de um IPO. É um caminho indicado para quem tem um apetite por crescimento acima da média e suporta grande pressão. O volume de capital comprometido ** disponível no país é de R$ 83 bilhões. Desse total, R$ 2,5 bilhões estão destinados a negócios em fase inicial ou em desenvolvimento CRITÉRIOS DE SELEÇÃO As fontes de consulta mais usadas pelos fundos para analisar propostas -36,9% REOEPESSOAlOECONTATOS 6,9% comprnçoesoeneúócio 5,8 % EVENTOS 5 % INCUBADORAS 4,9% "soma MIOIA MERCADO QUENTE OSsetores mais procurados pelos fundos de venture capital 19,9 % INFORMÁnCA EELETROHICA 10,8 % AGROHEúÓCIOS 8,7 % IMOBIUÁRIO 8% INAlAillRUTURA 7,1 % AUMENTOSEBEBIOAS 6,8% VAREJO 6,8 % ENERGIA EcOMBUSTlvEIS 6,8 % FARMAC~CO, MEDICINA EmrnCA 3,8% construção CIVil 3,5 % SERVIÇOSDIVERSOS dos valores captados na última década. iá investidos e disponíveis para novos apartes 3,3% EDUCAÇAo 3,2 % BIOTECNOlO6IA 2,8 % INIlÚSTRIAS METAWRGICAS, MECÂNICA EDE MATERIAL ELÉTRICO 2,6 % MATERIAL ELÉTRICO 1,6 % SERVIÇOSRNANCEIROS 1,5% SERViços OETRANSPORTE ElOGlsnCA 1,1% INOOSTRIASQUIMICAS 0,8 % INIlÚSTRIAS EXTRAnvAS 0,7% ENTRmNIMENTOETURlSMO ~c ;:;; '" c.9 '" {/) I- :2: g( '"u o<fi w o zrn Li ~Q C «c:i '"B«'Vi i!? rn o TI i9 'c «tii w I- Z ft Setembro, 2013 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS 77

5 t CAPA I Dinheiro na mão IN(UBADORAS ESPAÇO PARA CRESCER Em busca de bons projetos, os investidores privados agora miram empresas Queainda estão dentro das incubadoras Durante muito tempo, a imagem das incubadoras foi associada a um lugar isolado, cheio de pesquisadores que desenvolviam projetos de alta complexidade, sem nenhuma preocupação com o mercado. Esse está longe de ser o cenário de hoje. Criada na década de 80, a rede de incubadoras brasileira já passa das 400 instituições - e nunca viveu tamanha fartura de recursos para investimento. "Antes, os empreendedores bancavam o projeto sozinhos ou dependiam de dinheiro público. Hoje, podem contar com um investidor privado", diz Francilene Procópio Garcia, presidente da Anprotec (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores). Nos últimos dois anos, o Brasil vive um período de excesso de liquidez ao mesmo tempo que faltam bons proj etos - o que fez os investidores olhar para startups ainda sem faturamento. No Cietec (Centro de Inovação, Ernpreendedorismo e Tecnologia), ligado à USP, o CEO Sergio Risola diz receber pelo menos dois bancos ou fundos por semana. As aceleradoras também se aproximaram - os programas podem ser complementares para empresas mais maduras. O Porto Digital, de Recife, tem duas incubadoras e se prepara para lançar uma aceleradora em 2014, a Jump Brasil. "A intenção é complementar o ciclo de desenvolvimento", diz Eiran Simis, coordenador de incubação do Porto Digital. Em Pemambuco, a instituição encontrou dois focos de trabalho: economia criativa e tecnologia. Embora cada região do país tenha a sua vocação, a maioria das incubadoras aposta em projetos apoiados na pesquisa científica desenvolvida dentro das universidades. RFIDEAS OQUE FAZ Desenvolve sistemas de rastreamento e gestão de ativos em tempo real com RFID ANO DE FUNDAÇÃO 2010 SEDESÃO PAULO (SP) EXPECTATIVA DE FATURAMENTO PARA 2013 R$ 3,5 MILHÕeS Depois de seis meses dedicados a montar o plano de negócios da RFIDEAS, os engenheiros Antonio Rossini, 29 anos, e Lucas Almeida, 27, resolveram procurar o Cietec. "Nosso modelo ainda não estava testado. A incubadora era a ponte perfeita para chegarmos bem preparados ao mercado", afirma Rossini. A startup foi aprovada no fim de 2010 e ganhou o reforço de um terceiro sócio, o engenheiro Matheus Costa, PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS Setembro,2013

6 anos. Estar dentro de um ambiente que Pipe (Programa Pesquisa Inovativa em respira inovação foi um diferencial para a Pequenas Empresas), da Fapesp. Os empresa: nos corredores da incubadora, a R$150 mil recebidos no meio de 2011 equipe encontrava consultores e trocava foram destinados a bolsas de pesquisa ideias com outros empreendedores. Os e à compra de equipamentos. Logo, a interlocutores mais frequentes eram empresa estava com o protótipo na mão. Sergio Risola, CEO do Cietec, e o gestor A pesquisa avançava, mas os sócios de TI Franco Margonari Lazzuri. "Eles ainda não tinham faturado. Em julho eram muito focados e duros com a gente. de 2011,veio a primeira chance: Lazzuri Cobravam atenção", diz Risola. fez a ponte entre a startup e a empresa Dentro da incubadora, a empresa de data centers Alog. "Começamos conseguiu o primeiro financiamento pelo com uma venda pequena, suficiente para cobrir nosso custo fixo", afirma Rossini. Em pouco tempo, o contrato triplicou de tamanho. Em abril de 2012, a RFIDEAS trocou a incubadora por um escritório na Avenida Paulista. A graduação, em dez meses, cravou um recorde de tempo na história do Cietec. "O processo foi rápido porque o projeto era bom e eles estavam alinhados com um grande player do mercado", diz Risola. Até o fim de 2013, a empresa espera faturar R$ 3,5 milhões. Royalties No Cietec, as startups pagam umataxade 2% sobre o faturamento do produto ou serviço desenvolvido no período de incubação. Se, por exemplo. a empresa ficou dez meses dentro da instituição, retribui durante esse mesmo tempo com um percentual sobre as vendas quando estiver faturando. GESTAçAo VELOZ Sergio Risola (ã frente) ajudou Matheus Costa, Antonio Rossini e lutas Almeida (da esq.para a dir.). da RFIDEAS.a conquistar a graduação mais rápida da história do Cietec. Foram apenas dez meses Aluguel A maioria das incubadoras cobra uma taxa básica de adesão-um valor fixo pelo espaço e pela infraestrutura. NoCietec,a modalidade mais barata custa cerca de R$ 500 por mês. Fo[o no sodal A Yunus Negócios Sociais Brasil, criada pelo prêmio Nobel da Paz Muhammad Yunus. começará neste mêsa primeira seleção no país (para se inscrever, acesse negociossociais. com). Segundo Rogério Oliveira. cofundador da incubadora, o programa terá início em outubro. Para 2014,a previsão é abrigar pelo menos seis negócios.

7 _ CAPA I Dinheiro na mão APOIO EM TODO O BRASIL Onde estão algumas das principais incubadoras, nas cinco regiões do país PIEBT (Incubadora de Empresas de Base Tecnol6gica) Ano de fundação: 1995 Sede: Belém (PA) Empresas incubadas: Amazon Dreams. Brasmazon. Chama da Amazônia. Ervativa eoutras cinco. Quinze startups foram graduadas Perfil desejado: empresas de base teenológica eque desenvolvam produtos/serviços inovadores alinhados às pesquisas da UFPA (Universidade Federal do Pará) O que oferece: espaço físíco. consultoría nas áreas de gestão. finanças. marketing. teenologia Bprodução: apoio na elaboração de projetos de captação de recurso e networking Áreas de interesse: biodiversidade amazônica. produtos naturais. teenologia da informação e comunicação. bioteenologia. fármacos e energia (ontato: (91) / ; Fucapi Incubadora de Tecnologia Ano de fundação: 2005 Sede: Manaus (AM) Empresas incubadas: Biom Tech. Ryolabs Engenharia de Sistemas. Se Liga Manaus. Sedução Amazônica e mais quatro startups. Já graduou outras quatro Perfil desejado: empresas de base teenológica com propostas de inovação Oque oferece: infraestrutura: orientação empresarial. consultora e assessoria especializadas: qualificação profissional por meio de treínamentos. suporte para registro de marcas e patentes: marketinge publicidade: e informação sobre investimentos. financiamentos e editais Áreas de interesse: ternologla da informação e comunicação. designo bionegócios. engenharias e outras áreas de base teenológica (ontato: (92) _ ~ Incubadora Tecnol6gka de Campina Grande Ano de fundação: 1986 Sede: Campina Grande (PB) Empresas incubadas: 24 incubadas e 86 graduadas. entre elas Campinatec e Silibrina Perfil desejado: negócios inovadores de perfil arrojado O que oferece: apoio à gestão nas áreas de empreendedorismo. mercado. gestão. finanças e tecnologa, com mentoria. cursos e capacitações. consultoria e assessoria Áreas de interesse: teenologia da informação e comunicação. eletroeletrônica. agroindústria. designo biotecqdlogia. petróleo. gás natural. biocombustíveis. teenologias limpas. energias renováveis. jogos digitais e economia criativa (audiovisual, música. artes visuais) (ontato: (83) Incubadora de Empresas de Base Tecnol6gica do CDT/UnB Ano de fundação: 1989 Sede: Brasflia (DF) Empresas incubadas: n no processo de pré-incubação e Fira Soft. loop, Radd's. TG Studio e outras 6 no processo de incubação. Desde foram graduadas Perfil desejado: micro e pequenas empresas inovadoras já constituídas e que buscam apoio gerencial ou téenico O que oferece: infraestrutura compartilhada. ronsultorias especializadas. capacitações empresariais e outros programas do COT/UnB (Centro de Apoio ao Desenvolvimento Teenológico da Universidade de Brasília) Áreas de interesse: TI( (Teenologia da Informação e Comunicação). microeletrônica. teenologias ambientais. biomedicina. bioteenologia. nannternologla, ciências da saúde. farmacologia e energia (fontes renováveis) /' Incubadora de Empresas e Projetos do Inatel (Instituto Nadonal de Telecomunicações) Ano de fundação: 1992 Sede: Santa Rita do Sapucaí (MG) Empresas incubadas: BluMonkey. Fit Networks. Hit Soluções Teenológicas elumenx - 52 já foram incubadas ou graduadas Perfil desejado: de base teenológica. com potencial de rápido crescimento O que oferece: infraestrutura. salas multimídia e laboratórios ternelõgkos; tonsultoría, assessoria e cursos: orientação para captação de capital no mercado e agências de fomento à inovação Áreas de interesse: TIC, eletromédica e automação (ontato: (35) PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS Setembro,2013 Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnol6gica e Inovação Raiar da PUCRS Ano de fundação: 2003 Sedes: Porto Alegre e Viamão (RS) Empresas incubadas: Cliever 3D. Junta.ai. Rockhead Games. Home Manager. Qualistatus. Wispnet.lnnHolder e Proelo. São 23 incubadas e mais de 50 graduadas Perfil desejado: empresas de base teenológica e inovação O que oferece: assessoria em gestão. designo comunicação: apoio em psicologia empresarial. financeira ejurídica: eespaço físico Áreas de interesse: teenologia da informação e comunicação. indústria criativa. ciências da vida. energia. eletroeletrônica. física eenergia (ontato: (51) l CELTA Centro Empresarial para Laboraçio de Tecnologias Avançadas) Ano de fundação: 1986 Sede: Florianópolis (SC) Empresas incubadas: Hoplon. Nanovetores. Resultados Digitais. Welle Laser. Wavetech e mais 26 incubadas; 77graduadas Perfil desejado: startups ou unidades de desenvolvimento de novos produtos nas áreas de interesse O que oferece: espaço físico. orientação fiscal e jurídica. apoio na busca de financiamento e subvenção. marketing institucional e relacionamento com investidores Áreas de interesse: instrumentação. telecomunicações. automação, mecatrônica. microeletrônica. energia. informática. biomedicina. bioteenologia. economia criativa e ciências da vida (ontato: (48)

8 Portomfdla Ano de fundação: 2013 Sede: Recife (PE) Empresas Incubadas: FisioHub, Mr. Plot e outras seis startups Perfil desejado: empresas com uso intensivo de tecnologia da informação e comunicação O que oferece: infraestrutura física e serviços de apoio para gestão tecnológica e empresarial Áreas de interesse: economia críativa, nas áreas de cine-vídeo-animação, multimídia, games, fotografia e música Contato: CAIS do Porto Ano de fundação: 2003 Sede: Recife (PE) Empresas Incubadas: Eventick, icare Games, Opará e outras 21 Perfil desejado: empreendimentos nascentes de TICligados aos setores produtivos depernambuco O queoferec:e: infraestrutura física e serviços de apoio para gestão tecnológica e empresarial Áreas de interesse: TI( Contato: (81) Cietec (Centrodelnovaçio,Empreendedorismo e Tecnologia) Ano de fundação: 1998 Sede: Ipen-USP, São Paulo (SP) Empresas Incubadas: Adespec,lnvel, Lasertools, Tramppo, XMOBOTS e mais n8. Mais de 300 startups já passaram pelo Cietec desde sua fundação Perfil desejado: projetos com ideias inovadoras O que oferece: infraestrutura fisica para instalação e operação e serviços de apoio para atendimento de suas demandas nas áreas de gestão tecnológica, empresarial e de mercado Áreas de Interesse: biotecnologia, eletroeletrônica, medicina e saúde, meio ambiente, quimica e TIC Contato: (11) ; INTEC (Incubadora Tecnol6gica decuritiba) Ano de fundação: 1989 Sede: Curitiba (PR) Empresas Incubadas: 2iM, EngeMOVl, Hit Tecnologia em Saúde, VEZ e 44 empresas graduadas Perfil desejado: empresas de base temeíõgka legalmente constituídas e com produtos em desenvolvimento O que oferece: serviços de consultoria e assessoria, espaço físico, salas de treinamento e laboratório de prototipagem Áreas de interesse: energias renováveis, saúde e meio ambiente Contato: Incubadora de Empresas da COPPE/UFRJ Ano de fundação: 1994 Sede: Rio de Janeiro (RJ) Empresas Incubadas: EOB, Forebrain, Letsevo, OilFinder, Petrec e outras 13startups Perfil desejado: inovadora e com interação com a UFRJ Oqueoferece: infraestruturae desenvolvimento dos negócios por meio de três linhas de ação: assessorias individuais, capacitação e acompanhamento Áreas de interesse: petróleo e gás, energia, meio ambiente, tecnologia da informação e comunicação Contato: (21) A(ELERADORAS PARA GANHAR VELOCIDADE ~ Crescimento rápido e modelo de negócios já testado são características do sistema Que já reúne cerca de 40 programas no Brasil Fazeruma empresa crescer cinco vezes em até oito meses pode parecer uma tarefa difícil É isso que as aceleradoras pretendem quando selecionam uma startup para seu portfólio. "Ter escala é fundamental", diz Yuri Gitahy, da Aceleradora. Ele foi pioneiro, em 2008, ao trazer para o Brasil um modelo inspirado na americana Y Combínator, Na época, Gitahy percebeu que teria mais sucesso se ajudasse vários empreendedores a crescer em vez de investir em seu próprio negócio. "Resolvi diversificar os riscos." Amaior parte das aceleradoras oferece mentoria e injeção de capital. Mas a relação com os empreendedores varia de acordo com o programa_ Enquanto a Aceleradora aposta num modelo descentralizado, com negócios espalhados pelo Brasil e assessoria remota, a 21212, por exemplo, acredita que a presença física é fundamental para fazer o negócio decolar. "É um ritmo intenso, A gente precisa ter os empreendedores por perto", afirma Fred Lacerda, sócio da 21212_ O modelo de aceleração ganhou força no mercado brasileiro nos últimos três anos, impulsionado pelo boom de negócios digitais no país. Segundo um estudo feito por Felipe Matos, diretor de operação do programa Start-Up Brasil, do Ministério da Ciência e Tecnologia, há cerca de 40 entidades em funcionamento - pelo menos 25% delas surgiram de 2012 para cá. Para o governo federal, as aceleradoras são a ponte mais adequada para injetar dinheiro e dar orientação às startups, Por isso, nove foram selecionadas para fazer parte do Start-Up BrasiL Novos programas de aceleração devem surgir nos próximos anos, avalia Matos. Mas, para ele, o mercado passará por um processo de consolidação. "Esse é um negócio de longo prazo, nem todos têm fôlego para sobreviver", diz, Setembro, 2013 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS 81

9 t CAPA I Dinheiro na mão NO TEMPO CERTO Yuri Gitahy (à dir.) já acompanhava Rodrigo Cartacho, da Sympla, bem antes de virar seu investidor. A aceleração só começou um ano depois da estreia da empresa Passando o [hapéu Populares entre produtores culturais e audiovisuais, as plataformas de crowdfunding também são usadas para ideias de negócio. É o caso da Metamáquina, impressora 3D criada pelos engenheiros Felipe Moura, Rodrigo da Silva e Felipe Sanches. Para levantar o dinheiro necessário para produzi-ia, o trio lançou uma campanha no site Catarse. Com 160 apoiadores, o projeto captou R$ 30 mil em apenas um mês. (orrente do bem Fundada em 2005, em Curitiba, a Aliança Empreendedora é uma organização voltada para a promoção do empreendedorismo social. Além de promover cursos e eventos sobre o tema, oferece programas de incentivo para projetos de comunidades de baixa renda. Semente No próximo ano, a deve lançar um fundo de capital semente de US$ 50 milhões. A ideia é investir entre R$ 500 mil e R$ 1milhão em startups já aceleradas. A estratégia faz parte do plano dos sócios de transformar a empresa em um grupo de negócios digitais. SYMPLA OQUE FAZ ~ uma plataforma online para gerenciamento de eventos ANO DE FUNDAÇÃO 2012 SEDE BELO HORIZONTE (MG) EXPECTATIVA DE FATURAMENTO PARA 2013 R$ 5 MILHÕES Sem PowerPoint ou pitch. Foi num encontro informal em Belo Horizonte, em junho de 2011,que o mineiro Rodrigo Cartacho, 32 anos, convenceu o investidor Yuri Gitahy, 39, de que a plataforma para organização de eventos Sympla era um projeto viável. Com um modelo de negócio já conhecido, inspirado na americana EventRight, a startup tinha tudo para dar certo. Gitahy, sócio da Aceleradora, gostou do negócio e passou a aconselhar a startup antes de o projeto estrearainda não havia maturidade para entrar conhecia a farmlia Cartacho há tempos. Marcelo, irmão de Rodrigo e sócio na Sympla, hoje com 36 anos, foi seu contemporâneo na faculdade de Ciência da Computação da UFMG, nos anos 90. Os irmãos e o terceiro sócio, o argentino David Tomasella, 33, lançaram a plataforma no Brasil em janeiro de No primeiro ano, o foco era testar e aprimorar o produto - ainda assim, o faturamento chegou a R$ 1milhão. Nesse inicio, Gitahy fez um trabalho de mentoria informal. "Se eu vejo potencial em uma empresa, acompanho de perto em uma aceleração. O investidor já para ver a evolução", afirma. Quando 82 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS Setembro,2013 FOTO: NI~N SANCHES AG~NCIANITRO / editora Globo

10 COMOPÉNO ACELERADOR (orno funcionam - e o que buscam - os principais programas de desenvolvimento de negócios do país DIGITAL ACCELERATOR Ano de fundação: 2011 Sedes: RiodeJaneiro (RJ)e NovaYork(EUA) Empresas aceleradas: GoBooks,PagPop,Queremos, ZeroPaper.São21startups ativas ebinativas Perfil desejado: empresasdigitais focadas no mercadobrasileiro,comequipesmultidisciplinares, experiêncianosetor eprotótipos rodando Valor dos investimentos: R$50mil diretos e R$350mil indiretos eminfraestrutura eserviços Faixa de participação: de5% a 20% Oque oferece: suporte nasáreasdenegócios, detecnologia, dedesignejurídica;acesso a rededementores, parceiroseinvestidores; escritóriocompartilhado Áreas de interesse: educação,entretenimento, e-commerce,finanças, B2Besaúde Contato: chegou a hora de aumentar o ritmo de crescimento, o investidor entrou formalmente no processo. Em janeiro deste ano, a startup e a Aceleradora assinaram um contrato - eles não revelam a participação nem o valor do investimento. Com novo fôlego, só no primeiro trimestre de 2013 a Sympla ultrapassou toda a soma das vendas de Até o fim deste ano, a receita deve superar R$ 5 milhões. "Enquanto uma empresa tradicional costuma crescer 30% ao ano em média, a Sympla vai multiplicar o faturamento por cinco", diz Gitahy..~. Espionagem telefônica Em setembro de 2012, Matt Montenegro, 27 anos, fundador do marketplace de cursos Beved, recebeu um telefonema de uma aceleradora. A felicidade de ver seu negócio reconhecido rapidamente deu lugar à desconfiança. "As perguntas sobre a tecnologia da plataforma eram muito específicas." Ao fim da conversa, ele recebeu um convite inesperado: trabalhar seis meses como temporário em um concorrente do portfólio da organização. "O contato era um pretexto para obter informações privilegiadas. to importante buscar referências antes de avançar na negociação com uma aceleradora." ACELERA BRASIL (MICROSOFT PARTlCIPAÇOES) Ano de fundação: 2012 Sedes: RiodeJaneiro(RJ),Porto Alegre (RS) enatal (RN) Empresas aceleradas: ainda não há turmas formadas Perfil desejado: startups detecnologia comfundação entreum etrês anos,faturamento anual entre R$120mil er$l.5 milhão epotencial deescalaglobal Valor dos investimentos: até R$l milhão emais R$200 mil financiadospeloprogramastart-up Brasil Faixa de participação: de20% a 40% Oque oferece: mentoria paraelaboração, acompanhamentoeexecuçãodoplano denegócios; apoio tecnológico (treinamentos, suporte eacesso a software Microsoft); espaçofísicocomescritórios individuais eáreascomuns;networking Áreas de interesse: tecnologias avançadasem sinergiacomlaboratórios depesquisaereníros de desenvolvimento damicrosoft Contato: ACELERADORA Ano de fundação: 2008 Sede: BeloHorizonte(MG) Empresas aceleradas: Crowdtest, Ledfa(e,SymplaeYoucast Perfil desejado: startups detecnologia comtração Setembro,2013 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS 83

11 t CAPA I Dinheiro na mão comprovada e modelos de negócio escaláveis Valor dos investimentos: até R$100 mil, ampliado com aportes de investidores-anjo Faixa de participação: de 5% a 15% Oque oferece: mentoria, workshops, missões e serviços de parceiros como Amazon, Microsoft e Google Areas de interesse: 828, mobile, vídeo, educação e plataformas de TI Contato: DOR DE IMPACTO IS A NEGÓCIOS SOCIAIS) Ano de fundação: 2007 Empresasaceleradas: Fábrica de Aplícatívos, F123, Hand Talk, Konkero, Vivenda e mais 22 startups Perfil desejado: soluções escaláveís voltadas para atender às demandas de comunidades de baixa renda Valor dos investimentos: não há aporte direto nos negócios - a Artemisia artírela investidores para as empresas aceleradas Faixa de participação: não cobra Oque oferece: formatação de modelos de negócio, acesso a rede de mentores, capacitação da equipe, conexão com investidores, gestores e parceiros Areas de interesse: educação, saúde, habitação e serviços financeiros Contato: ACELERA-MGTI Ano de fundação: 2013 Sede: 8elo Horizonte (MG) Empresas aceleradas: sem turmas formadas Perfil desejado: startups detecnologia com produtos em fase de comercialização Valor dos investimentos: a partir de R$ 50 mil Faixa de participação: 4% Oque oferece: instalações físicas; orientação para editais; assessoria nas áreas jurídica, financeira e tecnológica; capacitação em marketing, vendas, estratégia, canais digitais, recursos humanos, finanças e internacionalização Areas de interesse: mineração, energia, saúde, telecomunicações e logistica Contato: ACELE TECH Ano de fundação: 2012 Empresas aceleradas: Carg08r, Gbolso, Mobb e mais oito startups Perfil desejado: modelos de negócio com soluções para grandes indústrias Valor dos investimentos: até R$ 40 mil Faixa de participação: 10% Oque oferece: mentoria, espaço físico, networking e contato com investidores Areas de Interesse: e-commerce, software como serviço, c\oud computing, segurança, mobile, games e internet Contato: OUTSOURCE BRAZIL (251M 5) Ano de fundação: 2010 Sede: Rio de Janeiro (RJ) Empresas Investidas: Codifique, DataEvent, Edusynch, Hands On, KinCentral, Magnus Gyan, MercaFacil, Mundo de Aventuras, Sinteno e TechZelt Perfil desejado: startups capazes de iniciar operação comercial em até dois meses Valor dos investimentos: até R$ 90 mil, ampliado com apertes de investidores-anjo Faixa de participação: de 5% a 18% Oque oferece: workshops; networking no Vale do Silício; mentoria em design de produto, marketing, posicionamento estratégico, governança, serviços contábeis e gestão financeira; acesso a investidores Areas de interesse: 828, mobile e educação Contato: Robert Janssen - (21) PAPAYA VENTURES Ano de fundação: 2012 Sede: Rio de Janeiro (RJ) Empresas aceleradas: Buus, Boosk, Dujour e U.sit. Mais cinco startups foram selecionadas para a próxima turma: BrState, Fitboo, Pega Plantão, Totem Store e Trackmob Perfil desejado: equipes multidisciplinares (designer, programador e administrador) Valor dos investimentos: R$ 20 mil Faixa de participação: 10% Oque oferece: mentoria, workshops, espaço de coworking, networking com investidores e serviços de tecnologia Areas de interesse: mobile e B2B Contato: 1)1;> PIPA Ano de fundação: 2012 Sede: Rio de Janeiro (RJ) Empresas aceleradas: Nativoo, NanoPop, Simbio e WPensar Perfil desejado: negócios com tração comprovada e impacto social Valor dos investimentos: até R$ 70 mil, ampliado com aportes de investidores-anjo Faixa de participação: de 5% a 20% Oque oferece: mentoria, workshops, serviços de tecnologia, contabilidade, apoio juridico (limitado), habitação e escritório Areas de interesse: educação, saúde, serviços financeiros e mobilidade urbana Contato: STARTUPFARM Ano de fundação: 2011 Empresas aceleradas: Beved, Easy Taxi, Listus, Overmedia Cast e mais 101startups Perfil desejado: empresas com equipes estruturadas e dedicadas integralmente ao programa Valor dos investimentos: não há Faixa de participação: não há Oque oferece: programa de aceleração de um mês focado na estruturação e validação de modelos de negócio; networking com mentores e investidores; escritório de coworking Areas de interesse: internet e mobile Contato: STARTYOU UP ACCELERATOR Ano de fundação: 2012 Sede: Vitória (ES) Empresas aceleradas: Agrobis, Baixou, Full Machines, iooioo, Modellita, Media Relevance, PayParking, Pixtoy e SensorBox. Pelo programa Startup Brasil: PagaPraMim e Wotchapp Perfil desejado: startups com protótipos ou tração comprovada Valor dos investimentos: de R$ 30 mil a R$ 50 mil Faixa de participação: de 5% a 15% O que oferece: mentoria; serviços de tecnologia; assessoria jurídica contábil e financeira Areas de interesse: 828, mobile, e-commerce, midia, educação e saúde Contato: WAYRA Ano de fundação: 20n Empresas aceleradas: aatag, FilaExpress, Prodef, Professores de Plantão, Qranio e mais n startups Perfil desejado: empresas com soluções inovadoras de tecnologia Valor dos investimentos: R$100 mil Faixa de participação: de 5% a 10% Oque oferece: mentoria, infraestrutura, apoio jurídico, networking com investidores e intercâmbio global Area de interesse: tecnologia Contato: 84 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS Setembro,2013

12 INVESTIDOR ANJO PROFISSÃO: ANJO Organizados em grupos e associações, os investidores-anjo se tornaram uma das principais fontes de capital para negócios em fase inicial Com aproximadamente R$ 495 milhões aplicados no mercado brasileiro, os investidores-anjo ajudaram a consolidar a oferta de capital semente para as startups nacionais. Segundo o último levantamento da associação Anjos do Brasil, o país reúne investidores nesse perfil, com uma média de 2,5empresas por portfólio - a expectativa é que o número aumente para 4,1 nos próximos dois anos. As atenções devem se concentrar nas áreas de tecnologia, mobile, saúde, biotecnologia, educação, comércio eletrônico e entretenimento. Entre os fatores que levaram ao aumento dos aportes dos anjos estão a baixa rentabilidade das aplicações financeiras - responsáveis pela migração para alternativas de longo prazo mais agressivas - e o surgimento de associações dedicadas ao assunto. "As organizações ajudaram a refinar os critérios do mercado. Elas permitem que os membros troquem informações e dividam o risco", diz Aníbal Messa, diretor de investimentos da Temasek Holding, gestora internacional de fundos de capital de risco. Um dos precursores do mercado digital no país, ele foi o primeiro investidor do Buscapé Company - ven- dido por US$ 342 milhões ao grupo sul-africano Naspers, em A profissionalização do mercado também trouxe como consequência a especialização dos anjos. "Acabou a fase em que estava na moda investir em startups. Esse tipo de aporte passou a ser feito por pessoas que entendem os riscos e os ciclos desse tipo de negócio", afirma Humberto Matsuda, membro do conselho da Anjos do Brasil. "É um cenário promissor para empreendedores e investidores. A presença de anjos mais especializados é essencial para gerar oportunidades em toda a cadeia de investimentos em empresas nascentes." 1,2,3... Gravando Lançado pelo Movimento Empreenda, o projeto Encontre um Anjo tem como meta diminuir a distância entre boas ideias e investidores. Para participar, basta gravar um vídeo de até 1m30s sobre a sua empresa. Os projetos escolhidos ganharão duas sessões de mentoriaea chance de fazer um pitch para um grupo de anjos na Editora Globo. As inscrições vão até o dia 16de setembro. Saiba rnals ernwww revistapegn.globo. com/encontreum-enio. INVESTIMENTO EM GRUPO Conheça cinco associações que fazem apartes em empresas brasileiras ANJOS DO BRASIL Além de encaminhar projetos para investidores, promove eventos e workshops sobre o assunto. Em julho, fechou um acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio para criar políticas de incentivo ao investimento-anjo. BAHIAANGELS Grupo nordestino focado em modelos de negócio inovadores, com barreiras de entrada comerciais ou tecnológicas. As áreas de interesse dos investidores são diversificadas - vão do mercado de games ao setor esportivo. bahia-angels FLORIPAANGELS Com foco regional, tem como objetivo conectar empreendedores e anjos de Santa Catarina. O grupo é especializado em startups de tecnologia, com soluções para os segmentos de internet, software e sistemas digitais. GÁVEAANGELS A associação carioca prioriza empresas em estágio préoperacional, ou seja, aquelas que ainda não registraram as primeiras vendas. Os associados costumam fazer aportes em negócios localizados em um raio de até 200 km da Cidade do Rio de Janeiro. HARVARD BUSINESS SCHOOLANGELS Formada por exalunos de Harvard, a versão nacional da HBS Alumni Angels Association tem 50 membros. Fez apenas um aporte até o momento, na plataforma de vídeos MBA60segundos, e está atrás de soluções inovadoras para B2B. oaporte do Google Em1986,0 americano Andy Bechtolsheim fez um aporte de US$ 100 mil em um projeto de Larry Page e Sergey Brin, dois estudantes de computação da universidade de Stanford. O dinheiro foi aplicado na fundação do Google, avaliado atualmente em US$ 241bilhões. Setembro,20J3 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS 85

13 t CAPA I Dinneiro na mão ZOEMOB OQUEFAZ Aplicativo de rastreamento de pessoas ANO DE FUNDAÇÃO 2010 SEDE SÃO PAULO (SP) EXPECTATIVA DE FATURAMENTO PARA Z013 NÃO REVELADA o investimento inicial de R$ 30 milcaptado via bootstrap, ou seja, com recursos pessoais - permitiu que os empreendedores Daniel Avizú,33 anos, e Hélio Freitas, 41,levantassem uma base de 60 mil usuários para a primeira versão do aplicativo ZoeMob. Em busca de capital para escalar o projeto com mais velocidade, a dupla passou a frequentar encontros de tecnologia em São Paulo. NewTech, em março de 2011,em São Paulo, quando Avizú encontrou Cassio Spina, 46 anos, oresidente do grupo Anjos do Brasil, dentro de um elevador. "Tive apenas três andares para fazer o pitch. Entreguei um cartão de visitas com as principais métricas do negócio escritas no verso." Dois dias depois, ele recebeu um do investidor. "Apresentar um protótipo Depois de receber o aporte, a ZoeMob atingiu a marca de 1milhão de usuários em apenas seis meses - o número atual é de 7 milhões. O crescimento atraiu o interesse da e.bricks, braço de investimentos do Grupo RBS,que investiu mais R$ 1milhão em dezembro do ano passado. Segundo Avizú, a escolha do anjo certo foi essencial para alcançar os resultados esperados pelas "Começamos a procurar investidores e números concretos sobre o duas partes. "É um relacionamento quando comprovamos que o produto potencial de retorno do investimento de longo prazo. A rede de contatos, a poderia gerar receita", afirma Freitas. é fundamental para vender o projeto", experiência e a mentalidade de negócios A chance de apresentar a ideia ao diz Spina, que injetou R$ 600 mil na do Cássio se encaixam perfeitamente na vivo apareceu durante o evento BR empresa no mês seguinte. nossa empresa", afirma.

14 o dinheiro que sumiu No início de 2012, o engenheiro José Eduardo Ferreira, 28 anos, conheceu um investidor disposto a injetar R$ 500 mil na BioSpace, empresa paulistana de sistemas para aeronaves. Dois meses depois de oficializar o aporte, o empreendedor ficou sabendo - por uma mensagem no celular - que o anjo se retiraria do projeto. "Ele estava com problemas pessoais e sumiu durante dois meses." Com as contas vencendo, Ferreira procurou sua rede de pessoal de contatos para captar uma rodada de R$ 450 mil. "Mesmo sendo pessoas próximas, amarramos melhor o contrato com os direitos e deveres de cada um. As duas partes devem estar bem protegidas.", PITCHEM'~,:, '~~,'" TI~ANQARéS..;,:-.i.. ~ Cassio'Spirui (no meio) ",.',... u~iúqpitch'da ZoeMgb dentro de um elevadiji,f'-- ;~.' -: ~ No mê~ seguinte;investiu:"~ R$ 6otl'mirno projeto j dos empreendedqres :~ 1 Hélio FreitllW-esq:)'é 4 j DAni~I.A~izÚ~'''',;-::~.~ :, 'e-', } ~:"~'"':.- ;.\<!':~:~~ Cassio Splna 46 anos, São Paulo (SP) Empresas investidas: Amuseworld, GoJames, lnnovadrinks, Monster Juice, Startupi e ZoeMob Perfil desejado: startups e empresas de médio porte com alto potencial de crescimento Área de interesse: tecnologia Valor dos investimentos: não divulga Contato: br/contato Dica: "Combine como será a relação com o anjo antes de fechar o aporte. Oinvestidor deve ter influência e poder de voto em decisões estratégicas. Mas a sua presença no dia a dia não pode resultar na ingerência do negócio" 14 ANJOS BRASILEIROS Conheça alguns investidores que estão apostando em startups - e suas dicas para conquistar um aporte AmurePinho 30 anos, Rio de Janeiro (RJ) Empresas investidas: Admatic, Dujour, Holandês, Saldo Coletivo evivacinema! Perfil desejado: empresas com foco no B2B e monetização direta Área de interesse: mobile Valor dos investimentos: de R$ 30 mil a R$ 50 mil Contato: não divulga Dica: "DediQue 100% do seu tempo ao projeto. Investidores não gostam de empreendedores Quedividem a sua atenção com outro negócio" Anlbal MesSl 44 anos, São Paulo (SP) Empresas investidas: Buscapé Company, OirectTalk, Evobooks eprontmed Perfil desejado: empresas com inovações tecnológicas para grandes cadeias produtivas Áreas de interesse: e-commerce, educação esaúde Valor dos investimentos: de US$50 mil a US$500 mil Contato: Dica: "Marque várias reuniões eencontros informais antes de fechar Qualquer acordo. Um aparte dá início a um relacionamento de longo prazo. É importante ter certeza de Queos dois lados estão com as expectativas alinhadas" Cláudio Nasajon 51anos, Rio de Janeiro (RJ) Empresas investidas: Braspag, MoIP, OmniPaye Site Blindado Perfil desejado: startups com soluções complementares ao resto do portfólio Áreas de interesse: sistemas de gestão e automação comercial Valor dos investimentos: até R$250 mil Contato: Dica: "Desenvolva a ideia inicial antes de buscar investimento. Um protótipo testado no mercado tem mais chance de atrair um anjo do Queuma proposta conceitualpor mais genial Queela seja" Fabriee 6rinda 38 anos, Nova York (EUA) Empresas investidas': Assured Labor, Brandsclub, Dineromail, Grupo Xangõ, Infracommerce, Moni, Pitzi, Printi, Sonico, Tienda Nube, Viajanet e Viva Real Perfil desejado: startups com soluções inovadoras e copycats de modelos comprovados no exterior Áreas de interesse: e-commerce, turismo, software B2B e marketplaces de produtos e serviços Valor dos investimentos: de US$500 mil a US$1 milhão Contato: Dica: "Aposte em pequenos resultados para demonstrar o potencial do negócio. Essasmétricas ajudam a deixar claro como o aparte será usado para escalar a operação" 'portfólio de investimentos em empresas com atuação no Brasil flávio Jansen 46 anos, São Paulo (SP) Empresas investidas: Brandsclub, Guiato, Ikeda, DQVestir, Seqooia e Mestre dos Concursos Perfil desejado: empreendedores recomendados pela rede de contatos pessoal, com operação comercial iniciada Áreas de interesse: e-rommerce e tecnologia Valor dos investimentos: de R$100 mil a R$1milhão Contato: não divulga Dica: "Receber um aporte não deve ser o objetivo final do negócio: é apenas mais uma maneira de acelerar o crescimento do seu projeto. Oempreendedor pode iniciar a operação com projeções mais conservadoras" Femando mpos 34 anos, Riode Janeiro (RJ) Empresas investidas: Easy Food, Hotelli, Nuuvem ezozi Perfil desejado: startups em estágio inicial com protótipo em operação Áreas de interesse: internet e tecnologia (foco no B2B) Valor dos investimentos: de R$100 mil a R$ 400 mil Contato: Dica: "Na hora de apresentar um projeto, destaque suas experiências de sucesso. Isso ajuda a mostrar o seu potencial de execução para o investidor" Florian Otto 33anos, São Paulo (SP) Empresas investidas: eótica, Gaveteiro, ~ Guia Bolso, Infracommerce, Juv&You, Kekanto, _\ - J,.. Printi, Samba Ads, Viva Real e Welcu, Perfil desejado: lean startups, comandadas por empreendedores com alta capacidade de execução Área de interesse: digital Valor dos investimentos: de US$lO mil a US$100 mil Contato: não divulga Dica: "Algumas startups se destacam pelo seu poder de marketing. Outras, pela sua capacidade de operação. Encontre o seu ponto forte para saber onde encontrar e como negociar com o anjo certo" João Kepler Braga 43 anos, Maceió (AL) Empresas investidas: AdTangerine, Clube do Sapato, Crowd.Mobi, DIYmoob, Doitye HandTalk Perfil desejado: startups com geração de caixa direta e receita recorrente no médio prazo Áreas de interesse: e-rommene e varejo Valor dos investimentos: R$ 50 mil a R$ 250 mil Contato: Dica: "Anjos costumam apostar em ideias alinhadas às outras empresas de seu portfólio. Pesqulse o perfil do investidor antes de apresentar o seu plano de negócio" Kal Sehoppen 34 anos, São Paulo (SP), Empresas investidas: eótica, Gaveteiro,. ~ I) Infracommerce, Itaro, Juv e Printi ~ Perfil desejado: negócios em fase inicial com alto potencial de escala, comandados por equipes com boa experiência no mercado digital Áreas de interesse: e-rommercee varejo Valor dos investimentos: não revelado Contato: Dica: "O dinheiro não deve ser o único critério para escolher um anjo. Procure alguém com presença relevante e bom conhecimento sobre a sua área de atuação" Setembro, 2013 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS 87

15 t CAPA I Dinheiro na mão Marcelo Amorim 49 anos, São Paulo (SP) Empresas investi das: Axado, AceleralO, 'I Centrix, Skedo, Startupi e Zuggi l/perfil desejado: startups com alto potencial de escala, comandadas por empreendedores com experiência no mercado de atuação Áreas de interesse: digital. e-tommerre etecnologia Valor dos investimentos: de R$50 mil a R$500 mil Contato: Dica: "Apresente um plano de negócio com informações claras ediretas. Vá direto ao ponto e destaque dados Que demonstrem o potencial de escala e retorno sobre o aporte" Marcelo Cazado 40 anos, Florianópolis (SC) Empresas investidas: Bookess e mais uma não revelada Perfil desejado: negócios inovadores e alinhados às startups do portfólio Área de interesse: tecnologia Valor dos investimentos: R$500 mil" Contato: Dica: "Não seja generalista. Façaprojeções de receita a partir de recortes de mercado específicos. Issoajuda a provar Que existe uma demanda real para a sua solução" valor total de rodadas feilas em conjunto com outros investidores Romero ROdrigues 35anos, São Paulo (SP) Empresas investidas: Ascenty,e-Midia, Gympass,Grubster,Lema21,Lofty, Prontomed, Siga, Shoes4Vou(fechado),Sonicoeduasnãoreveladas, Perfil desejado: empresas com boas equipes esoluções disruptivas Área de interesse: digital Valor dos investimentos: até R$200 mil Contato: não divulga Dica: "Saiba o momento certo de buscar dinheiro eavalie se compensa abrir mão de parte do negócio. Vocêprecisa descobrir onde consegue chegar sem o apoio do investidor" FUNDOS DE UPITAL RISCO CALCULADO Em um mercado amadurecido, as atenções dos fundos estão voltadas para empresas com soluções inovadoras para grandes mercados consumidores APORTENO POWERPOINT Vann de Vries (no meio) investiu na Sophie & Juliete, de Camila Souza e Ronald Beigl, três meses antes de a startup abrir as portas Piene Mantovani 38 anos, São Paulo (SP) 1 Empresas investidas: Afiliados Geek, Delapraka, Mundo Geek, Omelete, ~ ~ TOLiving, Umani e Wueba Perfil desejado: startups com vantagens claras de tecnologia ou de mercado Áreas de interesse: serviços e produtos para o público geek Valor dos investimentos: de R$50 mil a R$l milhão Contato: no Linkedln - Dica: "Invista em um time degestão capacitado. Opoder de execuçãocostuma sermuito mais valorizado do Quea ideiaem si" Sérgio Kulikovsky 43anos, São Paulo (SP). Empresas investidas: Área Útil. --- Certisign, Incube e NetTrade. )I Perfil desejado: startups com soluções inovadoras para grandes cadeias produtivas Áreas de interesse: meios de pagamento e tecnologia Valor dos investimentos: não divulga Contato: Site da HBSAdo Brasil- Dica: "Investidores gostam de acompanhar o portfólio de perto. Negociar com alguém da sua região pode ser um fator decisivo para fechar um aporte"

16 Fortalecida pela economia favorável e pela consolidação do cenário de tecnologia, a indústria de venture capital brasileira registrou um crescimento acelerado nos últimos cinco anos. De acordo com a pesquisa Brazil VC Ecosystem, realizada pelo centro de estudos americano MIT Sloan Management, o volume de investimentos em startups nacionais saltou de seis apartes em 2008 para 79 em A chegada de grandes fundos internacionais - como Accel, Rocket Internet e Flybridge - ajudou a contribuir para o clima de euforia. Passada a ernpolgação inicial, agora o momento é de ajuste de expectativas. "As primeiras saídas malsucedidas começaram a aparecer. São altos e baixos naturais de qualquer setor", diz Clovis Meurer, presidente da ABVCAP(Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital). "O dinheiro não irá desaparecer de uma hora para a outra. O Brasil continua tendo a seu favor a base massiva de consumidores e um grande volume de demandas não atendidas." Entre as áreas de destaque, o especialista aponta construção civil, energia, tecnologia e medicina. Para Cláudio Furtado, diretor-executivo do GVCepe (Centro de Estudos de Private Equity e Venture Capital da Fundação Getulio Vargas), as incertezas fazem parte do amadurecimento do mercado. Na sua opinião, isso deve resultar em políticas mais pragmáticas de gestão de fundos. Os impactos estarão relacionados à composição dos apartes - e não à diminuição do volume de investimentos. "Modelos de copycat devem perder espaço para projetos de inovação em escala. O cenário será favorável para soluções criativas aplicadas a grandes cadeias produtivas." SOPHIE & JULlETE o QUE FAZ Venda de acessórios de moda, por meio de redes de revendedoras cadastradas ANO DE FUNDAÇÃO 2012 SEDEsAo PAULO (SP) EXPECTATIVA DE FATURAMENTO PARA 2013 R$ 10 MILHÕES Números de vendas reais costumam ser mais convincentes para investidores que projeções de PowerPoint. Comprovar resultados é importante. Mas isso não impede que uma ideia seja vendida ainda no papel. Fundada por Ronald Beigl, 32 anos, nascido em Liechtenstein, e pela paulistana Camila Souza, 31 - ambos ex-funcionários da consultoria americana Bain & Company -, a Sophie & Juliete recebeu um aperte de US$ 7 milhões três meses antes de ser lançada. A rodada foi liderada pelo fundo Redpoint eventures, com participação do grupo espanhollg Expansión. "O currículo dos fundadores foi decisivo. Startups sem histórico comercial devem apostar na bagagem profissional dos empreendedores", afirma Yann de Vries, 43 anos, sócio da Redpoint. Com o dinheiro, a dupla colocou em prática um plano agressivo de expansão. "Investimos em tecnologia e logística. Precisávamos criar uma estrutura que suportasse o crescimento da rede", diz Camila. Pouco mais de um ano após o seu lançamento, a startup reúne uma base de revendedores. Segundo Beigl, a mentoria dos investidores foi essencial para atingir as metas do plano de negócios. "Conversamos todas as semanas para alinhar expectativas e processos. Ter um relacionamento próximo com os gestores dos fundos ajuda a abrir portas", afirma. No fim do ano passado, a startup recebeu outra rodada de investimentos - de valor não revelado -, também da Redpoint eventures. "A ideia é acelerar ainda mais o crescimento da empresa. O investidor sempre vai cobrar velocídade de escala", diz de Vries. "O empreendedor precisa saber lidar com essa pressão." / FOTO: OMAR PAIXÃO / Editora Globo Setembro, 2013 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS 89

17 t CAPA I Dinheiro na mão GUIA DO CAPITAL DE RISCO Gestoras e fundos para levantar dinheiro na indústria nacional de venture [apita I, dos negócios sociais ao mercado digital A51NTERNET INVESTMENTS Anodefundação: 2003 Empresas investidas: Amostra Click, Boozai, Brandsclub, clickon, Completa, Oress & Go, Guiato, Lets, Mercado.etc, Mestredos Concursos e OQVestir Perfil desejado: não revelado Valor dos investimentos: não revelado Areasde interesse: entretenimento, midia, tecnologia e telecomunicações Contato: ATOMICO Ano de fundação: 2006 Sede: Londres (Inglaterra) Escritório no lírasil: São Paulo (SP) Empresas investidas no país: CinemaKi, Connect Parts, Bebê Store e PedidosJá Perfil desejado: negócios digitais com potencial de escala global Valor dos investimentos: de US$lO milhões a US$ 20 milhões Areas de interesse: Internet, midia e telecomunicações Contato: ASTELLAINVESnMENTOS Anodefundação: 2008 Empresas investidas: Ciatech, Dualtec, HelpSaúde, tryoopl, Imobox, Moblife, Navegg, Portal Educação, SmartKids e Tuilux Perfil desejado: empresas com soluções globais de alto impacto social e ambiental Valor dos investimentos: de R$ 250 mil a R$I,5 milhão Areas de interesse: educação, saúde, serviços financeiros, tecnologia e varejo Contato: E.BRICKS DIGITAL Ano de fundação: 2013 Empresas investidas: GuiaBolso,Juv, RockContenl, SambaAds, ZoeMob e mais cinco não reveladas Perfil desejado: startups com alto potencial de escala, comandadas por empreendedores experientes Area de interesse: tecnologia Valor dos investimentos: der$1 milhãoa R$lO milhões Contato: FUNDO CRIATEC Ano de fundação: 2007 Sede: Rio de Janeiro (RJ) Empresas investidas: Acser, Amazon Dreams, Arvus, Bioclone, BioLogicus, BR3, Bug, Celer, Cianet, CVDVale, Daccord, Oeprocer, Oiagnext, Edetec, Enalta, Geofusion, Hortiagro, Imeve, Inviron, InVitroCells, Magnamed, Nanoselect, Nanovetores, Nevoa, Polinova, Radiopharmacus, Rizoflora, Sabor Tropical, Silicon Reef, Subsin, Tmed, Trymed,Usix, Vida e Welle Perfil desejado: startups em estágio inicial, com impacto social, econômico e ambiental Valor dos Investimentos: de R$ 800 mil a R$I,Smilhão Areas de interesse: agricultura, educação, energia, indústria, internet e saúde Contato: '0 Criatec Ijá está em fase de desinvestimento. Oedital de seleção para definir os gestores da segunda edição do fundo está em andamento HFPX Anodefundação: 2012 Sede: Joinville (SC) Empresas Investidas: Área central, Foome, Mecasar, Giver, ShopByQR, Beercrewe Prove Agora Perfil desejado: startups com soluções inovadoras para o mercado digital Valor dos Investimentos: R$ 2,5 milhões Areas de interesse: internet e serviços ligados ao varejo Contato: IDEIASNET Ano de fundação: 1998 Sede: Riode Janeiro (RJ) Empresas investidas: Amo Muito, Automatos, Batanga Media, Ciashop, imusica, Moip, Oflicer, Padtec, Pini, Spring Wireless, Tectotal, TVaoVivo e Zura Perfil desejado: empresas de tecnologia com soluções complementares ao portfólio existente Valor dos investimentos: de R$2 milhões a R$10 milhões Areas de interesse: e-commerce, computação em nuvem, educação, midia, mobile e saúde Contato: KASZEK VENTURES Ano de fundação: 2011 Sede: Buenos Aires (Argentina) Escritório no Brasil: São Paulo (SP) Empresas investidas no país: BelezaNaWeb, Compara Online, eútica, Eventialz, GetNinjas, HelpSaúde, Kekanto, MadeiraMadeira, Nethoes, Oppa, OQVestir, PetLove, Pitzi, Safer Taxi, Viva Real ezupcat Perfil desejado: startups em estágio inicial, com foco em inovação tecnológica Valor dos investimentos: de US$ 500 mil a US$ 5 milhões Areas de Interesse: educação, e-commerce, mobile, social commerce e saúde Contato: MONASHEES CAPITAL Ano de fundação: 2006 Empresas investidas: Algentis, Baby.com.br, Bidu, Boo-box, Conta Azul, Dabee, EduK, El07, Get Ninjas, Keepcon, MadeiraMadeira, Medicinia, Mind Lab, OIook, Oppa, Peixe Urbano, Pet Love, Playlore, Popego, Rota dos Concursos, Runrun.it eviva Real Perfil desejado: empresas de tecnologia com soluções de massa para o consumidor final Valor dos investimentos: de R$ 500 mil a R$ 5 milhões Areas de interesse: educação e internet Contato: PERFORMA INVESTIMENTOS Anodefundação: 2005 Empresas investldas: CVD Vale, NeuralNet, Neotriade, Palpiterose mais três empresas não reveladas Perfil desejado: negócios com equipes multidisciplinares (técnicose gestores), focadas em inovações de impacto social, tecnológico e ambiental Valor dos investimentos: de R$1 milhão a R$ 5 milhões Areas de interesse: biotecnologia, internet, nanotecnologia, saúde e tecnologia sustentável Contato: REDPOINT E.VENTURES Ano de fundação: 2012 Empresas investidas: Grupo Xangô, Shoes4you (fechada), Sophie & Juliete, ViajaNet e 55 Social Perfil desejado: startups em estágio inicial. com especialistas nas áreas de atuação Valor dos investimentos: de US$1 milhão a US$lO milhões Areas de interesse: computação em nuvem, e-commerce, midiae mobile Contato: ROCKET INTERNET Ano de fundação: 2007 Sede: Berlim (Alemanha) Escritório no Brasil: São Paulo (SP) Empresas investi das no pais: 21 Diamonds, Airu, ClickBus, CupoNation, Dafiti, Easy Taxi, Glossybox, Helio Food, Kanui, Mobly, Payleven, Tricae, Westwing, YepDoc e Zocprint Perfil desejado: clones de modelos de negócios validados em mercados internacionais Valor dos investimentos: não revelado Areas de interesse: e-commerce, serviços onlinee social commerce Contato: SPVENTURES* Ano de fundação: 2007 Empresas Investidas: BR3, Bug Agentes Biológicos, CVD Vale, Enalta, Geofusion, Imeve e Inviron Perfil desejado: empresas com faturamento de até R$ 25 milhões e modelo de monetização consolidado Valor dos investimentos: de R$ 2 milhões a R$ 6 milhões Areasde interesse: agricultura, tecnologia da informação e saúde Contato: a SP Ventures é uma das gestoras do fundo Criatec I TRINDADE INVESTIMENTOS Ano de fundação: 2010 Empresas investi das: Appies, Boa Consulta, Callix, g0200c, Nuvem Shop, Peela, Tienda Nubee Startupi Perfil desejado: startups com oportunidades de expansão e empresas em recuperação financeira e judicial Valor dos investimentos: de R$ 500 mil a R$ 5 milhões Areas de interesse: internet e tecnologia Contato: VOXCAPITAL Anodefundação: 2009 Empresas investidas: Balcão de Empregos, Banco Pérola, COI Lan, Plano COEe Saútil Perfil desejado: startups com inovações de impacto social e ambiental Valor dos investimentos: até R$15 milhões Areas de interesse: educação, habitação, saúde e serviços financeiros Contato: Private Equity Os apertes de private equity costumam ser a última etapa de investimento antes da abertura de capital ou de fusões com grandes corporações. Para Carlos Miranda, sócio da gestora BR Opportunities, apesar de bem capitalizados, esses fundos têm encontrado dificuldades para escoar o capital dedicado ao mercado brasileiro - um dos motivos para o aumento das apostas em startups. "As oportunidades ficaram mais escassas para aportes desse nível. Agora resta aos fundos menores comprovar o potencial de retorno para os investidores." 90 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS Setembro, 2013

18 ANTES DE ASSINAR o CONTRATO Confira as dicas do advogado Rodrigo Menezes, sócio-fundador do escritório Derraik & Menezes e especialista em venture capital e priva te equity, para se proteger antes de fechar negócio Termo de confidendalidade Informações estratégicas do negócio serão solicitadas pelo potencial investidor - um acordo assinado protege o empreendedor, principalmente se envolver informações de solução inovadora. Carta de Intenções É o primeiro passo para o acordo do negócio. Preste atenção à estratégia de saída, à diluição da participação dos fundadores nas rodadas seguintes e ao poder de veto do investidor. Todos para o mesmo lado A cláusula de drag-along determina que os acionistas minoritários são forçados a seguir o majoritário quando ele decidir vender suas ações. Já na tag-along, quem puxa o negócio é o minoritário. Por isso, é importante estabelecer um percentual mínimo de valorização das cotas para venda da empresa. Isso evita que a transação seja fechada por um valor baixo. Investimento ou dívida? Alguns investidores propõem a injeção de recursos como um empréstimonão como um aporte. Nesse caso, o empreendedor se torna credor e não sócio no negócio. otigre invisível Adepto de uma estratégia discretasem página na internet ou telefone de contato disponível- o Tiger Global Management tem feito algumas das apostas mais rentáveis do mercado de tecnologia. Com um portfólio que inclui apartes no Facebook e no Linkedln, o fundo já investiu em diversas empresas brasileiras, como Netshoes, Peixe Urbano e Catho. BAN[OS NA BOCA DO CAIXA Quem recorre ao financiamento bancário não..precisa lidar com um sócio. Há fartura de linhas de crédito no mercado - escolha a melhor para você Crédito é fundamental para fazer qualquer negócio rodar. Mas com uma expectativa de baixo crescimento do PIE (2% neste ano) e de altas consecutivas na taxa de juros, a recomendação é evitar a tomada de empréstimos sem planejamento. A previsão do mercado, de acordo com o relatório Focus, do Banco Central, é de que a Selic sofra novos aumentos até o final do ano. Hoje cotada a 8,5%, deve encerrar 2013 na casa dos 9,25% - chegando a 9,5% em "Por isso, no momento, é mais indicado adiar um pouco a decisão de buscar um financiamento no mercado", diz Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor de estudos financeiros da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade). A entidade faz uma pesquisa mensal do comportamento dos juros desde de acordo com o levantamento, as taxas para pessoa jurídica estão no seu nível mais alto desde novembro de 2012, cotadas a 44,08% ao ano. "Além disso, os bancos também estão mais seleti- vos na concessão de crédito", afirma Oliveira. Apesar do cenário adverso, o financiamento em instituições bancárias é a principal alternativa para quem busca dinheiro de curto prazo e não tem a intenção de atrair um novo sócio. "Os bancos sempre serão a tábua da salvação para quem precisa de crédito", diz Adriano Gomes, professor de finanças da ESPM. Entre as opções disponíveis no mercado, as linhas ligadas a instituições públicas de fomento - a maioria delas abastecida com recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) - costumam ser as mais atrativas. Segundo João Carlos Natal, consultor do Sebrae-SP, sindicatos e associações empresariais podem funcionar como uma ponte entre as empresas e o dinheiro do governo. "É uma maneira de facilitar o acesso", afirma. Os empreendedores também devem ficar atentos às possibilidades de fazer a portabilidade das dívidas - de um juro mais alto por um mais baixo. "Mesmo 0,5ponto percentual faz diferença. Parece pouco, mas no fim gera uma grande economia", diz Natal. Setembro,2013 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS 91

19 t CAPA I Dinneivo l1cl111êio SEMSOCIO Enquanto a Kimberlit cresce40% ao ano, Antônio Carlos de Gissi Júnior prefere recorrer aos bancos. Ele não Querceder uma parte da empresa a um fundo KIMBERlIT OQUEFAZ é uma fabricante de fertilizantes agrícolas ANO DE FUNDAÇÃO 19a9 SEDE OLIMPIA (SP) EXPECTATIVA DE FATURAMENTO PARA 2013R$ 70 MILHÕES o paulista Antônio Carlos de Gissi O cenário mudou e, em 2008, Júnlor, 47 anos, aprendeu que mexer a Kimberlit voltou a crescer. De um no caixa da própria empresa para faturamento de R$ 25 milhões em financiar uma expansão pode ter um 2010, a empresa passou para custo alto. Em 2004, ele tinha usado R$ 54 milhões no ano passado - e parte da receita da Kimberlit, fabricante a expectativa é encerrar 2013 com de fertilizantes agrícolas com sede em vendas na casa dos R$ 70 milhões. Olímpia, no interior de São Paulo, para Além do bom momento para o comprar máquinas e equipamentos. agronegócio no Brasil,Gissi se preparou Foi quando uma grave crise se abateu para essa retomada. Investiu em sobre o agronegócio brasileiro. Com gestão e em governança e passou a o capital imobilizado - e os clientes observar com mais atenção as opções endividados e inadimplentes -, o de financiamento no mercado. O empreendedor teve de demitir e dinheiro de bancos públicos e privados enxugar a empresa às pressas para é usado de forma combinada com não quebrar. De 26 vendedores, na recursos da empresa. "Não estamos época, ficou apenas com seis. mais imobilizando todo o nosso capital", afirma. Dos cerca de R$ 4 milhões investidos em melhorias no negócio em 2012,cerca de 30% foram financiados com a Desenvolve SP (Agência de Desenvolvimento Paulista). Uma das linhas, a Economia Verde, financiou a expansão da estação de tratamento de água da fábrica, a uma taxa de 4% ao ano. "As agências públicas têm os juros mais baixos no mercado", diz. Com um crescimento de 40% ao ano, a Kimberlit também passou a ser assediada por fundos de priva te equity. Por enquanto, Gissi não tem planos de aceitar as propostas. "Fica caro ter um novo acionista. É melhor pegar dinheiro no banco", afirma. 92 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS Setembro, 2013 FOTO: DAVID ROORIGUES I Editora Globo

20 t CAPA I Dinheiro na mão INVESTIMENTO A LONGO PRAZO As principais linhas públicas de crédito para financiar novos equipamentos e melhorar a infraestrutura da empresa IffJi~miUt BANCO DA FNO Compra de imóveis, a Oefinido (asa a (asa a De 3,53% a 9,50% ao ano a Até 132meses, com 4 a Hipote(a, aliena~ão AMAZONIA matérias-primas, insumos, anos de tarênda fidu(iária, penhor, iança bens ou produtos para bancária ou aval formação de estoques de empresas da região Norte a BANCO a Proger Urbano a Reformas e rompa de a Até R$ 600 mil a Sem fundos de aval: a a Até 72 meses, com 12 ~ Alienação dos bens DO BRASIL Empresarial máquinas, equipamentos partir de TJLP + 5% ao ano. e veículos Com fundos de aval: a partir meses de (arência financiados ou aval de TJLP+ 2,5% ao ano BBCrédito Aquisição de a De R$l milhão a a A partir de 0,246% ao mês a Até 60 meses, com três a Alienação do bem Empresas equipamentos de 90% do valor do item meses de (arência financiado com OP~ãO íntormatka, máquinas, financiado de vin(ulação do F O material de construção (Fundo de Garantia de e veiculas novos para Operações) empresas com faturamento anual de até R$ 90 milhões a BANCO DO a Giro lnsumos a Capital para matéria- Até R$2 milhões a A partir de 5,06% ao ano, a Até 24 meses, com três a Aval, fiança, hipoteca, NORDESTE prima, insumos e formação dependendo do porte da meses de (arência ou alienação dos bens de estoques empresa, da sua localização financiados geográfica e do porte da operação a BNDES a BNDESFiname a Aumento da produção 90% do valor do a TJLP+ 0,9% ao ano a Até 60 meses a Nego(iada com a (MPMEBK) e aquisição de máquinas e item financiado (Remuneração do BNDES) + instituição financeira equipamentos novos para Remuneração da Instituição rredendada mkro, pequenas e médias Finan(eira Creden(iada empresas a BNDESInovação a Investimento em a De R$l milhão a a TJLP+ 4,18% ao ano de Até 132meses a Definidas na análise máquinas, equipamentos, 90% do valor do item taxa de risco de uédito" da operação equipes e software financiado voltados para a pesquisa e o desenvolvimento de projetos de inovação a BNDES a Modernização de a Até R$ 20 milhões a TJLP + 0,9% ao ano a Definido pela a Definidas pela Automático (MPME ativos fixos, além de (Remuneração do BNDES) + instituição financeira instituição financeira Investimento) investimentos em meio Remuneração da Instituição ueden(iada credendada ambiente e projetos de Finan(eira Creden(iada inovação a CAIXA a BNDES a Investimentos em a Até R$ 600 mil a TJLP + 5%aoanoe a Até 48 meses, com seis a Aval dos sócios e ECONOMICA Automático (MPME bens duráveis, sistemas (Remuneração da Caixa) + meses de (arên(ia alienação dos bens FEDERAL Investimento) de automatização, IOF (conforme legislação finan(iáveis BNDESAutomático equipamentos e veiculas vigente) (MPME Investimento) PARA PAGAR AS CONTAS As taxas médias de juros mensais cobradas pelos maiores bancos privados do país' 'Taxadelurosdelongoprazo:5% aoano.emvigoratéjl/9no\l "isenta paraempresascomr"eita operacional brutadeatérs90 milhõesaoano fontes: osbancos BRADESCO HSBC ITAO UNIBANCO SANTANDER Capital de giro 1,88 1,36 1,84 1,72 Conta garantida 4,21 2,3 2,TI 2,07 Desconto de duplicatas 2,56 2,12 2,44 2,12 Cheque especial 6,24 10,01 7,98 10,56 Aquisição de bens" 3,3 5,71 2,43 2,68 'Taxasparaopera\õesdecréditoprefixadas. acrescidas deencargos. paraempresasdetodososportes.númerosatualizados nodia\l/oano\l. Paraconferirasmaisrerentes, acesse:www.bcb.gov.br "TaxasparapessoasHsicasFONTE: Banco(entral 94 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS Setembro, /0 dos empreendedores brasileiros recorrem ao crédito bancário como fonte de capital inicial para os seus negócios FONTE: Endeavor Brasil

Pé na tábua. De olho em empreendimentos com potencial de crescimento rápido e ideias inovadoras, aceleradoras ganham espaço no cenário nacional

Pé na tábua. De olho em empreendimentos com potencial de crescimento rápido e ideias inovadoras, aceleradoras ganham espaço no cenário nacional Shutterstock Pé na tábua De olho em empreendimentos com potencial de crescimento rápido e ideias inovadoras, aceleradoras ganham espaço no cenário nacional POR CAMILA AUGUSTO Já existem dezenas delas nos

Leia mais

Recursos Próprios. Amigos e Familiares

Recursos Próprios. Amigos e Familiares Recursos Próprios Chamado de booststrapping, geralmente é a primeira fonte de capital utilizada pelos empreendedores. São recursos sem custos financeiros. O empreendedor tem total autonomia na tomada de

Leia mais

Graziele Dal-Bó e Rodrigo Rocha, de São Paulo. ro de acessos, o Buscapé tornou-se referência em atração de investidores. A

Graziele Dal-Bó e Rodrigo Rocha, de São Paulo. ro de acessos, o Buscapé tornou-se referência em atração de investidores. A DEBATES expansão Como financiar uma boa ideia Cresce o interesse de fundos nacionais, estrangeiros e empresários com muito dinheiro no bolso por negócios inovadores no Brasil. Saiba como aproveitar a boa

Leia mais

Start Up. Relatório: Startups

Start Up. Relatório: Startups Start Up Introdução O conceito de inovação é amplamente utilizado no setor de tecnologia para aperfeiçoar a gestão de negócios, gerar maior rentabilidade em projetos e dinamizar os recursos existentes

Leia mais

ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D

ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D 1. DESAFIOS de formular uma política pública 2. Programa Start-Up Brasil 3. Ação de Atração de Centros Globais de P&D JOSE

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013 SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013 PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS INOVADORAS A Diretora Geral da Fundação Parque Tecnológico

Leia mais

Fundo Criatec II. Press Release. 1 O Projeto CRIATEC do BNDES. 2 O Fundo CRIATEC I. 3 O Fundo Criatec II. Rio de Janeiro, 14 de novembro de 2013

Fundo Criatec II. Press Release. 1 O Projeto CRIATEC do BNDES. 2 O Fundo CRIATEC I. 3 O Fundo Criatec II. Rio de Janeiro, 14 de novembro de 2013 1 O Projeto CRIATEC do BNDES Fundo Criatec II Press Release Rio de Janeiro, 14 de novembro de 2013 Em Dezembro de 2006, a Diretoria do BNDES aprovou a criação do Programa CRIATEC, focado no apoio às empresas

Leia mais

unidos pelas suas ideias

unidos pelas suas ideias especial unidos pelas suas ideias Especialistas em novos empreendimentos dão dicas para fazer sua startup decolar e explicam como usar o financiamento coletivo para concretizar objetivos 52 revista W W174.especial_starturpcrowdfunding.indd

Leia mais

capa Dê um start na sua 34 revista locaweb LW55.materiacapa.indd 34 11/25/15 12:40 PM

capa Dê um start na sua 34 revista locaweb LW55.materiacapa.indd 34 11/25/15 12:40 PM capa m u ê D a u s a n t r a st 34 revista locaweb LW55.materiacapa.indd 34 startup Descubra como tirar a ideia do papel, entrar no mercado e emplacar seu negócio com a ajuda de incubadoras, aceleradoras,

Leia mais

Mapeamento do campo de Negócios Sociais / Negócios Inclusivos. Resultados: Categoria Desenvolvedores e Investidores

Mapeamento do campo de Negócios Sociais / Negócios Inclusivos. Resultados: Categoria Desenvolvedores e Investidores Mapeamento do campo de Negócios Sociais / Negócios Inclusivos Resultados: Categoria Desenvolvedores e Investidores Conteúdo 1. Objetivos, parceiros, metodologia e públicos 2. Mapeamento de abrangência

Leia mais

Brasil 2011: o momento certo para promover a inovação. Antonio Carlos Valente Presidente do Grupo Telefonica no Brasil Maio, 2011

Brasil 2011: o momento certo para promover a inovação. Antonio Carlos Valente Presidente do Grupo Telefonica no Brasil Maio, 2011 Brasil 2011: o momento certo para promover a inovação Antonio Carlos Valente Presidente do Grupo Telefonica no Brasil Maio, 2011 Agenda 01 O momento certo para promover a inovação tecnológica no Brasil

Leia mais

um anjo que é Entenda como pensam esses investidores e atraia-os para sua startup especial investidores

um anjo que é Entenda como pensam esses investidores e atraia-os para sua startup especial investidores O Investidor que é um anjo Entenda como pensam esses e atraia-os para sua startup Texto Maria Beatriz Vaccari arte ivan volpe No mundo digital, há diversas formas de dar vida a uma ideia e ganhar dinheiro

Leia mais

Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL. Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas

Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL. Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Rochester Gomes da Costa Departamento de Capital Semente 29 de outubro

Leia mais

Ajudar startups com boas tecnologias a chegarem ao mercado

Ajudar startups com boas tecnologias a chegarem ao mercado DESAFIO Ajudar startups com boas tecnologias a chegarem ao mercado Problema: Grande número de potenciais empreendedores com boas tecnológicas, porém: Sem perfil empreendedor; Com modelagem de negócio errada;

Leia mais

EDITORIAL. Grande abraço. Equipe do Programa de Desenvolvimento de Negócios Equipe da Incubadora Santos Dumont

EDITORIAL. Grande abraço. Equipe do Programa de Desenvolvimento de Negócios Equipe da Incubadora Santos Dumont EDITORIAL Desde 2006 a Incubadora Santos Dumont trabalha com foco no desenvolvimento de empresas de produtos e serviços inovadores, totalizando mais de 220 empreendimentos atendidos. A partir do segundo

Leia mais

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca Orientação ao mercado de trabalho para Jovens 1ª parte APRESENTAÇÃO Muitos dos jovens que estão perto de terminar o segundo grau estão lidando neste momento com duas questões muito importantes: a formação

Leia mais

Programa Inovar Seed Forum e Forum de Anjos como Politica Pública de Promoção do Empreendedorismo Inovador

Programa Inovar Seed Forum e Forum de Anjos como Politica Pública de Promoção do Empreendedorismo Inovador Programa Inovar Seed Forum e Forum de Anjos como Politica Pública de Promoção do Empreendedorismo Inovador Rochester Gomes da Costa Chefe do Departamento de Empreendedorismo Inovador Area de Investimentos

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Sumário 1. Capital Semente 2. O Projeto Criatec e o Fundo Criatec 1 3. O Fundo Criatec 2 6. Formação de Tese de Investimento Capital Semente Capital Semente Capital Semente Fases

Leia mais

Encontrando o Investidor Certo para seu Negócio Reprodução permitida desde que citada fonte e link para site www.anjosdobrasil.net

Encontrando o Investidor Certo para seu Negócio Reprodução permitida desde que citada fonte e link para site www.anjosdobrasil.net Encontrando o Investidor Certo para seu Negócio Reprodução permitida desde que citada fonte e link para site www.anjosdobrasil.net Reprodução permitida desde que citada fonte e link para site www.anjosdobrasil.net

Leia mais

CARTILHAS DE CAPITAL EMPREENDEDOR

CARTILHAS DE CAPITAL EMPREENDEDOR Investimento ANJO BRASÍLIA DF 2015 CARTILHAS DE CAPITAL EMPREENDEDOR 2015 Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta

Leia mais

Introdução ao Investimento-Anjo

Introdução ao Investimento-Anjo Introdução ao Investimento-Anjo (preliminar) Investidor-Anjo no Brasil Cabeça de Bacalhau? Investidor-Anjo no Brasil O que é Investimento-Anjo? Investimento-anjo é a categoria que designa o investimento

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLOGICO DA PARAÍBA 01/2014

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLOGICO DA PARAÍBA 01/2014 SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLOGICO DA PARAÍBA 01/2014 PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS INOVADORAS 1. APRESENTAÇÃO A Fundação Parque Tecnológico da

Leia mais

Jump$tarting Empresas Inovadoras

Jump$tarting Empresas Inovadoras Reprodução permitida desde que citada fonte e link para site www.anjosdobrasil.net Cassio Spina Jump$tarting Empresas Inovadoras Reprodução permitida desde que citada fonte e link para site www.anjosdobrasil.net

Leia mais

O Investimento Anjo Pode Fazer a Diferença para o Empreendedorismo Inovador Brasileiro!

O Investimento Anjo Pode Fazer a Diferença para o Empreendedorismo Inovador Brasileiro! O Investimento Anjo Pode Fazer a Diferença para o Empreendedorismo Inovador Brasileiro! Reprodução permitida desde que citada fonte e link para site www.anjosdobrasil.net Afinal, o que é um Anjo?...É importante

Leia mais

EM PAUTA PRIVATE EQUITY & VENTURE CAPITAL OPORTUNIDADES EM MEIO À CRISE NO BRASIL

EM PAUTA PRIVATE EQUITY & VENTURE CAPITAL OPORTUNIDADES EM MEIO À CRISE NO BRASIL EM PAUTA PRIVATE EQUITY & VENTURE CAPITAL OPORTUNIDADES EM MEIO À CRISE NO BRASIL 14 REVISTA RI Abril 2015 É sabido que 2015 vai ser um ano difícil diante de uma economia com perspectiva de recessão. No

Leia mais

Evento seleciona ideias para reduzir desperdício de alimentos Clique aqui para ver a notícia no site

Evento seleciona ideias para reduzir desperdício de alimentos Clique aqui para ver a notícia no site COPPE/UFRJ Veículo: O Globo Online - RJ Data: 13/05/2014 Tópico: COPPE/UFRJ Página: 16:06 Evento seleciona ideias para reduzir desperdício de alimentos Clique aqui para ver a notícia no site Os 15 escolhidos

Leia mais

UNIDADE 7 Fontes para obtenção de capital

UNIDADE 7 Fontes para obtenção de capital UNIDADE 7 Fontes para obtenção de capital Muitos empreendedores apontam como principal retardo para o crescimento das MPE s no Brasil a dificuldade em se obter financiamento, devido às exigências estabelecidas

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

ponto Frio Ponto Frio (GLOB3 e GLOB4) faz parte do Grupo Pão de Açúcar desde 2009. Saiba qual é o futuro da empresa e se suas ações podem se valorizar

ponto Frio Ponto Frio (GLOB3 e GLOB4) faz parte do Grupo Pão de Açúcar desde 2009. Saiba qual é o futuro da empresa e se suas ações podem se valorizar pág. 08 DOUGLAS DUEK COMO AS EMPRESAS PODEM CHEGAR À BOLSA? pág. 12 TRENDS O QUE PODE ATRAPALHAR A BOLSA EM 2011 A REVISTA DO INVESTIDOR NA BOLSA ANO 3 MAR 11 #36 R$ 12,00 9 771982 835003 0 3 0 3 6 EXEMPLAR

Leia mais

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Ações MEI Políticas de caráter horizontal (incentivos fiscais, crédito, melhoria de marcos regulatórios); Políticas para setores estratégicos;

Leia mais

METODOLOGIA INCUBAÇÃO

METODOLOGIA INCUBAÇÃO METODOLOGIA INCUBAÇÃO Incubadora Santos Dumont Programa de Desenvolvimento de Negócios Fundação Parque Tecnológico Itaipu - BR Versão 1/10-Mar-2014 ESTRUTURA 1. Apresentação 2. Estrutura básica do processo

Leia mais

Seminário ENQUALAB_RESAG / DEMANDAS EMPRESARIAIS DE TECNOLOGIA

Seminário ENQUALAB_RESAG / DEMANDAS EMPRESARIAIS DE TECNOLOGIA Seminário ENQUALAB_RESAG / DEMANDAS EMPRESARIAIS DE TECNOLOGIA Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria

Leia mais

O apoio do BNDES à Inovação por meio do Capital de Risco

O apoio do BNDES à Inovação por meio do Capital de Risco O apoio do BNDES à Inovação por meio do Capital de Risco CNI-MEI São Paulo, 19 de outubro de 2015 Agenda Atuação da BNDESPAR em Capital de Risco Participações diretas Participações por meio de Fundos de

Leia mais

Regulamento da 8ª Edição do Programa Desafio Brasil

Regulamento da 8ª Edição do Programa Desafio Brasil Regulamento da 8ª Edição do Programa Desafio Brasil 1. SOBRE O PROGRAMA: Desafio Brasil é um programa de âmbito nacional voltado para capacitação de empreendedores. Tem por objetivo estimular a criação

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Secretaria de Política de Informática

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Secretaria de Política de Informática Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Secretaria de Política de Informática Edital MCTI/SEPIN/Start-Up Brasil No. 01/2013 Edital de Qualificação de Instituições de Apoio ao Processo de Aceleração

Leia mais

Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação

Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional Brasília, 18 de Setembro

Leia mais

Como o CERNE foi construído?

Como o CERNE foi construído? Por que CERNE? O movimento brasileiro de incubadoras vem crescendo a uma taxa expressiva nos últimos dez anos, alcançando uma média superior a 25% ao ano. Atualmente, as incubadoras brasileiras apóiam

Leia mais

Critérios para Seleção e Avaliação de Investimentos Versão 1.0

Critérios para Seleção e Avaliação de Investimentos Versão 1.0 Material preparado para uso interno, não pode ser usado sem o consentimento por escrito da CODEMIG. Critérios para Seleção e Avaliação de Investimentos Versão 1.0 Roteiro Estratégia de Investimento Políticas

Leia mais

Oportunidades do Sistema de Patentes para Startups de Base Tecnológica

Oportunidades do Sistema de Patentes para Startups de Base Tecnológica Oportunidades do Sistema de Patentes para Startups de Base Tecnológica São Paulo, agosto de 2012. 1 Temas: XXXII CONGRESSO INTERNACIONAL DA 1. As Startups de Tecnologia e a Propriedade Intelectual; 2.

Leia mais

7 Política de investimento direto no Brasil: a internacionalização da economia brasileira

7 Política de investimento direto no Brasil: a internacionalização da economia brasileira 7 Política de investimento direto no Brasil: a internacionalização da economia brasileira Alexandre Petry * A Apex foi criada em 2003, mas funcionava desde 1997 dentro da estrutura do Sebrae. Implementa

Leia mais

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo Empreendedor Empresas Micro e Pequenas Empreender Empreendedorismo Cultural Ação

Leia mais

BDMG. Linhas de financiamento para INOVAÇÃO

BDMG. Linhas de financiamento para INOVAÇÃO BDMG Linhas de financiamento para INOVAÇÃO Setembro/2015 Portfólio BDMG em Inovação Participação em fundos de investimento BDMG TEC Estruturação de parques tecnológicos Financiamentos a projetos inovadores

Leia mais

O Investimento Anjo Pode Fazer a Diferença Para a Inovação Brasileira!

O Investimento Anjo Pode Fazer a Diferença Para a Inovação Brasileira! O Investimento Anjo Pode Fazer a Diferença Para a Inovação Brasileira! TEMA O espaço vazio no sistema nacional de inovação a ser ocupado pelos investidores Anjo e os principais gargalos das políticas públicas

Leia mais

EDITAL DE PARTICIPAÇÃO LEAN START YOU UP - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA ABRIL/2015

EDITAL DE PARTICIPAÇÃO LEAN START YOU UP - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA ABRIL/2015 1. DADOS GERAIS EDITAL DE PARTICIPAÇÃO LEAN START YOU UP - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA ABRIL/2015 Carga Horária: 48h presenciais e 32h de atividades extras. Período de Realização: Dias 15 e 16;

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Secretaria de Política de Informática

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Secretaria de Política de Informática Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Secretaria de Política de Informática Edital MCTI/SEPIN/Start-Up Brasil No. 03/2014 Edital de Qualificação de Instituições de Apoio ao Processo de Aceleração

Leia mais

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação CONCEITOS DE INOVAÇÃO Título da Apresentação Novo Marco Legal para Fomento à P,D&I Lei de Inovação. Nº 10.973 (02.12.04) Apresenta um conjunto de medidas de incentivos à inovação científica e tecnológica,

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

INOVAÇÃO EM SOFTWARE e SERVIÇOS de TI. 1. Agenda TI Maior 2. Start-Up Brasil 3. Inovação

INOVAÇÃO EM SOFTWARE e SERVIÇOS de TI. 1. Agenda TI Maior 2. Start-Up Brasil 3. Inovação INOVAÇÃO EM SOFTWARE e SERVIÇOS de TI 1. Agenda TI Maior 2. Start-Up Brasil 3. Inovação Prof. José Henrique Dieguez Barreiro Secretaria de Política de Informática Chefe da Divisão de Inovação em Software

Leia mais

BNDES Fomento ao Empreendedorismo e à Inovação em Renda Variável. 21 de fevereiro de 2014

BNDES Fomento ao Empreendedorismo e à Inovação em Renda Variável. 21 de fevereiro de 2014 BNDES Fomento ao Empreendedorismo e à Inovação em Renda Variável 21 de fevereiro de 2014 Em seus 60 anos, o BNDES expandiu sua atuação e tem voltado sua atenção para novos desafios 6ª maior indústria automotiva

Leia mais

Realização. Apoio. valeitech.d4uweb.com.br

Realização. Apoio. valeitech.d4uweb.com.br Realização Apoio Vale ITech APRESENTAÇÃO O Vale Itech é uma programação de eventos desenvolvido pela D4U WEB uma empresa nascente, constituída no Condomínio Empresarial de TI CETI em Engenheiro Paulo de

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

Empreendedorismo inovador O caminho do sucesso

Empreendedorismo inovador O caminho do sucesso Empreendedorismo inovador O caminho do sucesso Agende Guarulhos, 1 de Dezembro Michel Brunet INOVA TOOLS O Plano ❶O O modelo da fileira da Inovação 5 min ❷Os atores da fileira da Inovação 15 min ❸ A criação

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012)

CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012) CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012) 1. APRESENTAÇÃO O Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), com o apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DA PARAÍBA ECONOMIA CRIATIVA - 01/2015

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DA PARAÍBA ECONOMIA CRIATIVA - 01/2015 SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DA PARAÍBA ECONOMIA CRIATIVA - 01/2015 PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS INOVADORAS 1. APRESENTAÇÃO A Fundação

Leia mais

1 Introdução 2 O Empreendedorismo e o Mercado de Capitais 3 Questões Jurídicas no Empreendedorismo 4 Como Captar Recursos 5 Debates 6 - Encerramento

1 Introdução 2 O Empreendedorismo e o Mercado de Capitais 3 Questões Jurídicas no Empreendedorismo 4 Como Captar Recursos 5 Debates 6 - Encerramento 1 Introdução 2 O Empreendedorismo e o Mercado de Capitais 3 Questões Jurídicas no Empreendedorismo 4 Como Captar Recursos 5 Debates 6 - Encerramento O EMPREENDEDORISMO E O MERCADO DE CAPITAIS - Luiz Guilherme

Leia mais

Regulamento da 9ª Edição do Programa Desafio Brasil

Regulamento da 9ª Edição do Programa Desafio Brasil Regulamento da 9ª Edição do Programa Desafio Brasil 1. SOBRE O PROGRAMA: Desafio Brasil é um programa de âmbito nacional voltado para capacitação de empreendedores. Tem por objetivo estimular a criação

Leia mais

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo Empreendedor Empresas Micro e Pequenas Empreender Empreendedorismo Cultural Ação

Leia mais

A GP no mercado imobiliário

A GP no mercado imobiliário A GP no mercado imobiliário A experiência singular acumulada pela GP Investments em diferentes segmentos do setor imobiliário confere importante diferencial competitivo para a Companhia capturar novas

Leia mais

ABRAII ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS ACELERADORAS DE INOVAÇÃO E INVESTIMENTO. Levantamento Aceleradoras 2012-2014

ABRAII ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS ACELERADORAS DE INOVAÇÃO E INVESTIMENTO. Levantamento Aceleradoras 2012-2014 ABRAII ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS ACELERADORAS DE INOVAÇÃO E INVESTIMENTO Levantamento Aceleradoras 2012-2014 LEVANTAMENTO 2012 a 2014 ACELERADORAS BRASILEIRAS Apresentaremos a seguir um levantamento

Leia mais

Empreendedorismo Tecnológico. Kleber Ken Teraoka kleber@ujima.com.br

Empreendedorismo Tecnológico. Kleber Ken Teraoka kleber@ujima.com.br Empreendedorismo Tecnológico Kleber Ken Teraoka kleber@ujima.com.br 1 Startups - contexto 2 Empresa de Base Tecnológica (EBT) Produtos/Serviços de alto valor agregado Uso de tecnologia nos produtos ou

Leia mais

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Maio de 2010 Conteúdo Introdução...4 Principais conclusões...5 Dados adicionais da pesquisa...14 Nossas ofertas de serviços em mídias sociais...21

Leia mais

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Energia Ambiente Mobilidade Saúde Segurança Comunicações O SENAI E SUA CAPACIDADE ATUAL DE ATENDIMENTO O SENAI é a maior rede privada

Leia mais

Incentivos fiscais para a manutenção. da competitividade das indústrias mineiras

Incentivos fiscais para a manutenção. da competitividade das indústrias mineiras Incentivos fiscais para a manutenção da competitividade das indústrias mineiras Histórico do APL Eletroeletrônico de Santa Rita do Sapucaí A pequena cidade de Santa Rita do Sapucaí, no sul de Minas Gerais,

Leia mais

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA Inovação é o que distingue um líder de um seguidor. Steven Paul Jobs Grandes ideias mudam o mundo. Missão

Leia mais

Apoio à Inovação. Junho de 2013

Apoio à Inovação. Junho de 2013 Apoio à Inovação Junho de 2013 Inovação: Conceito (...) implementação de um produto (bem ou serviço) novo ou significativamente aprimorado, ou um processo, ou um novo método de marketing, ou um novo método

Leia mais

Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica

Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica Christimara Garcia CEO Inventta+bgi São Paulo, 29 de abril de 2015 CONTEXTO BRASILEIRO APOIO DIRETO Captação de Recursos Evolução dos desembolsos

Leia mais

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce...

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce... Sumário Bleez Agência Digital... 3 Quem sou eu... 4 Introdução... 5 Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7 Quem está comprando no ecommerce... 10 Por que os brasileiros estão comprando mais... 12 O

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE SUMÁRIO O que é gestão de estoque...3 Primeiros passos para uma gestão de estoque eficiente...7 Como montar um estoque...12 Otimize a gestão do seu estoque...16

Leia mais

Democratizando o Investimento em startups

Democratizando o Investimento em startups Democratizando o Investimento em startups Queremos inspirar Inovação facilitando conexões e eliminando barreiras para que novas idéias possam mudar o mundo. Atuamos em rede com a primeira plataforma eletrônica

Leia mais

2 Revisão da literatura

2 Revisão da literatura 2 Revisão da literatura Este capítulo tem como objetivo realizar uma revisão da literatura considerada relevante para analisar o fenômeno do surgimento de aceleradoras corporativas, suas motivações e benefícios

Leia mais

Parceiros Estratégicos. Apoio

Parceiros Estratégicos. Apoio Parceiros Estratégicos Apoio Com o objetivo de apoiar novos empreendimentos e projetos inovadores surgiram as primeiras Incubadoras na década de 70. Estas organizações tiveram papel fundamental nos avanços

Leia mais

ABDI A 2004 11.080) O

ABDI A 2004 11.080) O Atualizada em 28 de julho de 2010 Atualizado em 28 de julho de 2010 1 ABDI ABDI A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial foi instituída em dezembro de 2004 com a missão de promover a execução

Leia mais

c u l t i v a n d o s t a r t u p s e s p e t a c u l a r e s O maior programa aceleração de startups digitais do Brasil.

c u l t i v a n d o s t a r t u p s e s p e t a c u l a r e s O maior programa aceleração de startups digitais do Brasil. c u l t i v a n d o s t a r t u p s e s p e t a c u l a r e s O maior programa aceleração de startups digitais do Brasil. Realização: Aceleração Eduçação Empreendedora Comunidade = Networking Talento Empreendedor

Leia mais

DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR. Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso ESPECIAL

DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR. Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso ESPECIAL DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso 54 TEXTO MARIA BEATRIZ VACCARI ARTE IVAN VOLPE

Leia mais

Itaú Unibanco Banco Digital Pedro Donati

Itaú Unibanco Banco Digital Pedro Donati Itaú Unibanco Banco Digital Pedro Donati Agenda Evolução digital Construindo um banco digital Evolução digital 90% dos dados de hoje foram criados apenas nos dois últimos anos 10% de todas as fotos do

Leia mais

SeminárioADI-2012. Inclusão financeira inovação para as MPE s

SeminárioADI-2012. Inclusão financeira inovação para as MPE s SeminárioADI-2012 Inclusão financeira inovação para as MPE s Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Barcelona Outubro 2012 1. Diagnóstico Não

Leia mais

CBA PERFIL DO ALUNO. Certification in Business Administration

CBA PERFIL DO ALUNO. Certification in Business Administration CBA Pós - Graduação QUEM SOMOS PARA PESSOAS QUE TÊM COMO OBJETIVO DE VIDA ATUAR LOCAL E GLOBALMENTE, SER EMPREENDEDORAS, CONECTADAS E BEM POSICIONADAS NO MERCADO, PROPORCIONAMOS UMA FORMAÇÃO DE EXCELÊNCIA,

Leia mais

Perfil das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação de Londrina e Região. Pedro José Granja Sella

Perfil das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação de Londrina e Região. Pedro José Granja Sella Perfil das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação de Londrina e Região Pedro José Granja Sella Objetivos Conhecer, em dados, o setor de Tecnologia da Informação e Comunicação da Região de Londrina;

Leia mais

C A PA. Pé na tábua. Aceleradoras apoiam o desenvolvimento de empresas de crescimento rápido em busca de capitalização. empreendedor Agosto 2014

C A PA. Pé na tábua. Aceleradoras apoiam o desenvolvimento de empresas de crescimento rápido em busca de capitalização. empreendedor Agosto 2014 C A PA 24 Pé na tábua Aceleradoras apoiam o desenvolvimento de empresas de crescimento rápido em busca de capitalização Semelhante ao processo de incubação, a aceleração de negócios é uma opção para que

Leia mais

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO 1 DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO Cesar Simões Salim Professor e Autor de livros de empreendedorismo cesar.salim@gmail.com Visite meu blog: http://colecaoempreendedorismo.blogspot.com/

Leia mais

4,5,6,7 8,9,10 11,12,13 14,15 16 17,18. Índice. Introdução 3

4,5,6,7 8,9,10 11,12,13 14,15 16 17,18. Índice. Introdução 3 RELATÓRIO ANUAL Índice Introdução 3 Total de Empresas Unidades de Négócios Empresas Instaladas em Inscrição de Empresas no Processo de Seleção Planos de negócios aprovados Recursos Financeiros para Custeio

Leia mais

Programa Municipal de Competitividade e Inovação INOVA PALHOCA

Programa Municipal de Competitividade e Inovação INOVA PALHOCA Programa Municipal de Competitividade e Inovação INOVA PALHOCA Gestão Pública: Plano Palhoça 2030 Prefeito Municipal de Palhoça Comitê Executivo de Acompanhamento e Implantação Avaliação de Desempenho

Leia mais

MUITO PRAZER, SOU UMA STARTUP!

MUITO PRAZER, SOU UMA STARTUP! MUITO PRAZER, SOU UMA STARTUP! TEXTO DE MARCELO CASAGRANDE SHUTTERSTOCK.COM 74 O crescente número desse tipo de empresa no Brasil faz com que muita gente fique na dúvida sobre as diferenças entre uma startup

Leia mais

Incorporação de Business Angels e Venture Capital como accionista:

Incorporação de Business Angels e Venture Capital como accionista: Dossier de Imprensa Quem Somos Quem Somos Agile Content é uma empresa de tecnologia com soluções para gerenciamento de vídeo e Big Data Audience Management com modelo de Software (SaaS), nas quais permitem

Leia mais

Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação

Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação AS INDÚSTRIAS NECESSITAM IN O VAR PARA SEREM MAIS COMPETITIVAS + Educação Tecnologia + Inovação = Competitividade INSTITUTOS SENAI DE TECNOLOGIA (60) MA Construção

Leia mais

Sede Sebrae Nacional

Sede Sebrae Nacional Sede Sebrae Nacional Somos o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa, uma entidade privada sem fins lucrativos, e a nossa missão é promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável

Leia mais

Conferência Estadual Paulista de C&TI 12 de abril de 2010 Mesa 1: P&D no setor privado. Sistema de Inovação... Como chegar ao P&D?

Conferência Estadual Paulista de C&TI 12 de abril de 2010 Mesa 1: P&D no setor privado. Sistema de Inovação... Como chegar ao P&D? Conferência Estadual Paulista de C&TI 12 de abril de 2010 Mesa 1: P&D no setor privado Sistema de Inovação... Como chegar ao P&D? Ronald M. Dauscha Agenda - Foco em maturidade de inovação - Serviços para

Leia mais

CHAMADA PARA PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO

CHAMADA PARA PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO CHAMADA PARA PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS TECNOPUC Parque Científico e Tecnológico da PUCRS Porto Alegre,

Leia mais

LÍDER NORTE 2013 NOVOS MODELOS DE NEGÓCIO Inovando na Criação e Gestão de Empresas

LÍDER NORTE 2013 NOVOS MODELOS DE NEGÓCIO Inovando na Criação e Gestão de Empresas LÍDER NORTE 2013 NOVOS MODELOS DE NEGÓCIO Inovando na Criação e Gestão de Empresas Pela primeira vez no Estado do Amazonas acontecerá a 4ª edição regional do LÍDER NORTE um encontro de jovens empresários

Leia mais

Otimismo desenvolvedoras de softwares

Otimismo desenvolvedoras de softwares Otimismo nas nuvens Ambiente favorável alavanca negócios das empresas desenvolvedoras de softwares, que investem em soluções criativas de mobilidade e computação em nuvem para agilizar e agregar flexibilidade

Leia mais

O caminho do pote de ouro

O caminho do pote de ouro _EMPREENDEDOR Dos financiamentos bancários aos editais de fomento, passando por venture capital, descubra qual a melhor forma de conseguir dinheiro para o INVESTIMENTO que seu negócio precisa. Fernando

Leia mais

Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad. 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor)

Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad. 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor) Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor) Principais obstáculos à ampliação da produtividade do trabalho

Leia mais

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice 2 Índice Introdução... 3 Passo 1 Entender o que é Venda Online e E-commerce... 4 Passo 2 Entender o Mercado de Comércio Eletrônico... 5 Passo 3 Canais de Venda... 6 Passo 4 Como identificar uma Boa Plataforma

Leia mais

Plano de Negócio EON. Escola Digital

Plano de Negócio EON. Escola Digital Plano de Negócio EON Escola Digital Resumo Executivo A EON é uma startup de educação que tem como principal objetivo capacitar profissionais do mundo digital, levando conhecimento específico, relevante

Leia mais

Você sabe onde quer chegar?

Você sabe onde quer chegar? Você sabe onde quer chegar? O Ibmec te ajuda a chegar lá. Gabriel Fraga, Aluno de Administração, 4º periodo, Presidente do Ibmex, Empresa Jr. Ibmec. Administração Ciências Contábeis Ciências Econômicas

Leia mais

Dicas para Empreendedores Como Conseguir Investimentos Fabiano Marques

Dicas para Empreendedores Como Conseguir Investimentos Fabiano Marques Dicas para Empreendedores Como Conseguir Investimentos Fabiano Marques Depois de vencer, aja como se não tivesse vencido. (Sun Tzu. A Arte da Guerra) Muitos empreendedores, quando conseguem vencer, sentem-se

Leia mais

Startups e Computação em Nuvem: A Combinação Perfeita

Startups e Computação em Nuvem: A Combinação Perfeita Universidade Federal do Ceará Startups e Computação em Nuvem: A Combinação Perfeita Flávio R. C. Sousa flaviosousa@ufc.br @flaviosousa www.es.ufc.br/~flavio 2013 Introdução 2,7 bilhões de usuários na internet

Leia mais

1.1.3. Encontros presenciais para aprimoramento do modelo de negócio das startups, rede de relacionamento e capacitação dos empreendedores;

1.1.3. Encontros presenciais para aprimoramento do modelo de negócio das startups, rede de relacionamento e capacitação dos empreendedores; 1. SOBRE O PROGRAMA: Regulamento da 10 a Edição do Programa Desafio Brasil Desafio Brasil é um programa de âmbito nacional voltado a criação e suporte de novos negócios inovadores de alto impacto (startups).

Leia mais