CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - UNIFAE ÉDER RENATO REZENDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - UNIFAE ÉDER RENATO REZENDE"

Transcrição

1 CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO - UNIFAE ÉDER RENATO REZENDE MÍDIA REGIONAL: O relacionamento entre as assessorias de imprensa e a EPTV Sul de Minas SÃO JOÃO DA BOA VISTA

2 ÉDER RENATO REZENDE MÍDIA REGIONAL: O relacionamento entre as assessorias de imprensa e a EPTV Sul de Minas Monografia apresentada ao Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino UNIFAE, como requisito obrigatório para obtenção do título de Bacharel em Comunicação Social Jornalismo, sob orientação da professora Carmem Silvia Aliende. SÃO JOÃO DA BOA VISTA

3 ÉDER RENATO REZENDE MÍDIA REGIONAL: O relacionamento entre as assessorias de imprensa e a EPTV Sul de Minas Esta monografia apresentada como trabalho de conclusão de curso de Comunicação Social Jornalismo, do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino UNIFAE, e foi avaliada pela banca examinadora integrada pelos professores abaixo nomeados: São João da Boa Vista (SP),... de... de Prof (a). Carmem Silvia Aliende Presidente Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino... Prof (a). Camilo Antônio de Assis Barbosa Examinador Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino... Prof (a). Alice Peruchetti Orrú Examinador Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino 3

4 A Deus. A meus pais, Paula e Ivo. À minha irmã, Elaine À minha orientadora, Carmem Aliende. Aos meus verdadeiros amigos. Aos meus professores desta caminhada. 4

5 "escrevo bem tarde, quando os professores de português já estão dormindo" José Bonifácio Coutinho Nogueira 5

6 RESUMO A monografia Mídia Regional: o relacionamento entre as assessorias de imprensa e a EPTV Sul de Minas aborda a relação entre os jornalistas que atuam na redação da emissora e os jornalistas das assessorias de imprensa da mesma região. O objetivo deste trabalho consiste em compreender não só as características e dinâmica desta parceria, mas também mensurar a contribuição das assessorias na geração de pautas efetivamente produzidas pela emissora. Palavras-chave: EPTV Sul de Minas, Assessoria de Imprensa, sugestão de Pautas, Jornalismo Regional. 6

7 ABSTRACT The following research named Regional Media: the relations between the press offices and the EPTV Sul de Minas approaches the relation between journalists that works at the newspaper s office and the journalists that works at the press office of the same region. This paper aims to provide a broader perspective of the characteristics and dynamics of this association, and also measure quantitatively the contribution of the press office in the development of assignments effectively produced by the newspaper station. Key Words: EPTV Sul de Minas; Press Office; Assignment Suggestions; Regional Journalism. 7

8 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO Resumo das Seções VISÃO HISTÓRICA DA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL História da Comunicação Empresarial Assessoria de Imprensa no Mundo Assessoria de Imprensa no Brasil EMISSORAS PIONEIRAS DE TELEVISÃO O Diário de JB História da EPTV EPTV Sul de Minas, Varginha Dados da EPTV Sul de Minas Os Formatos dos Telejornais EPTV Comunidade EPTV Cidade Jornal da EPTV Jornal Regional A RELAÇÃO DOS ASSESSORES DE IMPRENSA COM OS JORNALISTAS A relação das assessorias de imprensa com a EPTV Sul de Minas A quantidade de releases A agenda Sugestões Reunião de Pauta Produção Gravação Edição Painel

9 5. PESQUISA DE OPINIÃO Pesquisa Interna Pesquisa Externa Questionário Análises dos Dados Propostas de melhoria Perfil e necessidades da emissora Incidência da relação CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS...57 CRONOGRAMA DE ATIVIDADES...61 GLOSSÁRIO ANEXOS APÊNDICES

10 1 INTRODUÇÃO Não é possível pensar a sociedade contemporânea sem considerar a relevância dos meios de comunicação de massa. E, dentro deste contexto, a televisão ocupa um lugar privilegiado, tanto por sua popularidade quanto pela valorização que lhe é atribuída. Para a maioria da população brasileira, o que é noticiado pela TV torna-se imediatamente importante. Assim, antes de considerar a relevância da EPTV no contexto dos veículos de comunicação, é necessário levantarmos os dados sobre a televisão no Brasil e no sul de Minas Gerais. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 95,1% das casas no país possuem um aparelho de TV e, se restringir a pesquisa somente à região sudeste, este índice atinge 97,6% das residências. Os dados são referentes a 2008 e fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad). Outra pesquisa realizada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Hábitos de Informações e Formação de Opinião da População Brasileira SECOM março/2010) mostrou que o meio mais utilizado pela população para se informar é a televisão (96,6%). Além disso, os canais do sistema de televisão aberta são os mais assistidos (83,5%). Outros 10,4% assistem também canais de TV por assinatura. No total, os canais abertos são assistidos por 93,9% dos entrevistados. Apenas 2,7% afirmaram que assistem somente canais por assinatura. O canal de televisão preferido pela maior parte dos entrevistados que assistem televisão é a Rede Globo (69,8%). A Rede Record apresentou o segundo percentual de preferência (13,0%). O SBT é preferido por 4,7% e, a TV Bandeirantes, por 2,9%. Considerado como a programação televisiva mais relevante (64,6%), os telejornais mais assistidos são o Jornal Nacional (56,4%) e os Jornais Locais, que representam 13,8% da preferência da população. No sul de Minas Gerais, a afiliada responsável pela transmissão do sinal da Rede Globo e pela produção dos Jornais locais é a EPTV Sul de Minas, que atua na região há 22 anos e cobre 142 cidades, atendendo milhões de pessoas. (Fonte: Atlas de Cobertura Rede Globo março/2010). A programação jornalística produzida pela EPTV Sul de Minas é composta pelo EPTV Notícia, EPTV Cidade, Jornal da EPTV, Jornal Regional e EPTV Comunidade. Inserido na produção regional da EPTV está o Jornal da EPTV, parte do objeto desta monografia, que vai ao ar de segunda a sábado, às 12h15 e possui cerca de 25 minutos de duração. O intuito da 9

11 EPTV Sul de Minas é transmitir informações aos telespectadores, criando vínculos com as comunidades, através da regionalização da programação, que entende como um mecanismo para reforçar a identidade com o público local: Retratar os assuntos locais, proporcionando aos telespectadores acompanhar também o que ocorre no país e no mundo, é a possibilidade que a EPTV fornece ao seu público por intermédio da união das programações regional e nacional. Se uma pessoa desejar assistir às cores locais, basta sintonizar aos programas gerados pela EPTV; se optar por saber o que acontece em outro lugar, assiste aos programas da Rede Globo. (FABBRI JR, 2006, p.15) E, para obter informações para a produção de notícias regionais para os telejornais, uma das ferramentas de que a EPTV se utiliza são as assessorias de imprensa da região. De acordo com a Federação Nacional dos Jornalistas são 80 mil jornalistas em todo país, destes 25 mil são filiados e a estimativa é que 10 mil profissionais atuem em assessoria de imprensa. Segundo o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, ao todo, profissionais são filiados ao órgão no Estado. No sul de Minas Gerais, a estimativa é de 100 jornalistas atuando em veículos de comunicação e assessorias de imprensa, atividade definida pela Federação Nacional dos Jornalistas como: Serviço prestado a instituições públicas e privadas, que se concentra no envio frequente de informações jornalísticas, dessas organizações, para os veículos de comunicação em geral. Esses veículos são os jornais diários; revistas semanais, revistas mensais, revistas especializadas, emissoras de rádio, agências de notícias, sites, portais de notícias e emissoras de tevê. Um trabalho continuado de Assessoria de Imprensa permitirá à empresa criar um vínculo de confiança com os veículos de comunicação e sedimentar sua imagem de forma positiva na sociedade. (FENAJ, 2007, p.7). Hoje, as assessorias de imprensa estão presentes em empresas, escolas, sindicatos, ong s, hospitais, no poder público, em empresas públicas e privadas, além de assessorar pessoas físicas, como políticos, atletas e artistas. Ao detectar o que é de interesse público, o assessor de imprensa pode transformar esta informação em material jornalístico, através de releases, press-kitts, sugestões de pautas, boletins, jornais, revistas etc. Evidentemente, os assessores de imprensa se diferenciam pela competência em propor pautas mais ou menos adequadas tanto em relação ao conteúdo quanto à mídia em questão e trabalham para conquistar para seus clientes o maior espaço possível dentro dos meios de comunicação, agregando reconhecimento e valor social à empresa, produto ou atividade. Muitas vezes, porém, uma pauta adequada para um jornal ou revista não é interessante para a televisão, que 10

12 depende essencialmente da possibilidade de geração de imagem, sendo esta uma das variáveis que esta monografia se propõe a checar. É imprescindível esclarecer que, a afiliada à Rede Globo de Televisão, a EPTV possui três emissoras no interior do estado de São Paulo em Campinas, Ribeirão Preto e São Carlos e, uma no Sul de Minas Gerais em Varginha. Vale ressaltar que esta praça possui uma sucursal localizada na cidade de Poços de Caldas, objeto desta pesquisa. Justificativa O interesse por esta pesquisa foi motivado por dois aspectos. Primeiro, conhecer melhor como se dá a relação entre a EPTV Sul de Minas e as assessorias de imprensa, a partir da minha experiência como estagiário da EPTV, na sucursal em Poços de Caldas, e como futuro profissional na área do jornalismo. E, segundo, contribuir com os estudos do jornalismo regional praticado pela EPTV Sul de Minas, tema que apresenta carência de dados e informações e, em virtude da importância da emissora, merece um estudo mais aprofundado. Hipóteses Buscando compreender este cenário, foram estabelecidas as questões centrais que norteiam esta pesquisa científica: Como é a relação das assessorias de imprensa da região com a EPTV Sul de Minas? Qual a quantidade de reportagens veiculadas na emissora que foram oferecidas/ sugeridas pelas assessorias de imprensa da região? A partir destas indagações foram estabelecidas as seguintes hipóteses: a. Pelo alcance que possui, as assessorias de imprensa priorizam a mídia EPTV Sul de Minas e se preocupam em criar pautas especialmente adaptadas às características do veículo televisão. b. A relação entre as assessorias de imprensa que atuam na região e os jornalistas da EPTV Sul de Minas é bastante intensa, sendo estas responsáveis por grande parte das sugestões de pauta que resultam na produção das matérias jornalísticas. Metodologia Na tentativa de comprovar estas hipóteses, foi definida a realização de uma pesquisa descritiva, adotando duas técnicas de coletas de dados, sendo a primeira a pesquisa de opinião, como método quantitativo que, segundo Novelli (2009, p.164), [...]possibilita a 11

13 coleta de vasta quantidade de dados originados de grande número de entrevistados[...] ; e, como método qualitativo, a técnica do estudo de caso, que se configura como uma inquirição empírica que investiga um fenômeno contemporâneo dentro de um contexto da vida real, quando a fronteira entre o fenômeno e o contexto não é claramente evidente. (DUARTE 2009, p. 215). A revisão bibliográfica deste trabalho é baseada em estudo jornalístico de autores como Manuel Carlos Chaparro, Francisco Gaudêncio Torquato do Rego, Duílio Fabbri Júnior e Rogério Eduardo Rodrigues Bazi. 1.1 Resumo das Seções A primeira seção apresenta um histórico da assessoria de imprensa no mundo até chegar ao Brasil. São expostos conceitos que ressaltam a importância da atividade e o papel que a assessoria de imprensa possui dentro da sociedade e das instituições na atualidade. Na segunda seção é apresentada a história de José Bonifácio Nogueira Coutinho, fundador das Emissoras Pioneiras de Televisão (EPTV), e a instalação da praça da emissora na cidade de Varginha (MG). Confere-se também a evolução da estrutura e o perfil dos telejornais produzidos. A terceira sessão traz os elementos da pesquisa, apresentando como se estabelece a relação entre os jornalistas que atuam na EPTV Sul de Minas e os assessores de imprensa que atuam na região. Além disso, toda a dinâmica do processo é detalhada. A quarta seção traz os subsídios necessários para compreender como é este relacionamento, apresentando os problemas e sugerindo melhorias. A última seção da pesquisa faz as considerações finais, a partir de evidências que apontam para uma necessária reflexão e um novo direcionamento. 12

14 2 VISÃO HISTÓRICA DA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL É impossível não se comunicar. O ato faz parte do homem assim como seus sentimentos, necessidades e instintos. Hoje, comunicar é um dos fenômenos sociais mais importantes para a sobrevivência, desenvolvimento e prosperidade de organizações e pessoas. As funções comunicativas e o intercâmbio de informações somaram-se à estrutura de pequenas, grandes e médias empresas. Auxiliados pela democracia e globalização, os processos e meios de comunicação foram impulsionados em consequência da competição capitalista. Ser parte da notícia passou a ser uma necessidade de todos. Desta forma, os jornalistas assumiram cargos dentro de empresas e estas viram surgir a necessidade de incorporar as técnicas de comunicação ao seu cotidiano. A partir daí, surge a comunicação empresarial. Não existe uma data de início e uma descrição exata sobre o escopo desta atividade. Autores como Chaparro, Torquato e Cândido Teobaldo utilizam diversas citações para delimitar o início desta profissão. Os primeiros relatos são do ano de 202 a.c, na China, através das cartas circulares das cortes da dinastia Han, extremamente militarizada, fundada por Liu Pang. Época marcada pelo progresso na cultura, economia, setor agrícola, comércio, educação e ciência. Outros autores apontam grandes pensadores como Homero, Xenofonte e Sócrates como os precursores deste ramo jornalístico. Mais referências existem do início desta prática: são os primeiros documentos do Governo Romano, que divulgava suas ações, como a Acta Diurna, do fórum romano (século VII ac). Existem outras evidências, como descrito por Chaparro: No estudo, também é qualificada como obra de relações públicas de primeira ordem a Guerra das Gálias, graças à qual o Sr. César teve êxito na eleição. Na mesma linha, se encontram ensinamentos de relações públicas em Virgílio, de quem as Geórgias, para os autores, constituem notável programa do tipo checklist para o retorno à terra, realizando, deste modo, as relações públicas da agricultura, no século I antes de Cristo!. Nesse percurso pela pré-história das relações públicas, os dois franceses chegam a Luís XIV, a quem apelidam de precursor de Ivy Lee -, este, sim, na unanimidade dos que estudaram o assunto, o verdadeiro fundador das relações públicas. (CHAPARRO, 2003, p.34) Já o verdadeiro modelo de jornalismo empresarial só passa a existir, de fato, na passagem do século XIX para o XX, com o nascimento do capitalismo e uma grande transformação social e econômica: a Revolução Industrial, nome criado por Arnold Toynbee, um historiador britânico, ao referenciar as grandes mudanças na sociedade em 13

15 detrimento do rápido desenvolvimento econômico que ocorria na Europa no século XVII (REGO, 1987, p.17). Com isso, a economia, que antes era constituída pela agricultura, artesanato e manufatura doméstica e rural, desaparece. As indústrias começam a se instalar e grandes centros comerciais são fundados. A relação próxima entre empregador e empregado fica mais distante e, exatamente neste período, tem início o jornalismo empresarial. Algumas pessoas começaram a imaginar que uma das maneiras de solucionar essas contradições internas surgidas no meio empresarial seria a publicação de jornais ou revistas para os funcionários, com o objetivo de familiarizá-los com o ambiente e a própria política da organização e de diminuir as distâncias físicas entre a administração central e a base operária (REGO, 1987,p.18) Era necessário que os diretores de empresas se comunicassem com os operários. Que as informações sobre a empresa em que eles trabalhavam fossem divulgadas de modo correto, e que os operários compreendessem sua posição nesta nova configuração das empresas no cenário mundial. Para enfrentar a concorrência, as empresas tiveram de multiplicar seus mecanismos de comunicação, a fim de se tornarem mais conhecidas e ganharem a preferência do público. Assim, as empresas conseguiam lidar com as informações que eram divulgadas e informar aos funcionários o que acontecia na empresa. Torquato (REGO, 1987, p.20) destaca que os jornais empresariais informavam de modo correto, promovendo uma comunicação mais adequada no ambiente de trabalho, resultando em maior integração. Até os anos 60, as empresas, organizações e instituições do governo mantinham uma relação afastada da imprensa, sempre se defendendo. Entretanto, a partir da década de 70, frente ao início da globalização, a relação com a imprensa começou a mudar. Nos rumos da democracia e da globalização, o mundo mudou, institucionalizou-se, bem como os interesses, as ações, as próprias pessoas. Globalizaram-se os processos, as emoções e sobretudo, os fluxos e circuitos da informação. E, nesse novo mundo, as instituições, incluindo-se as empresas, agem pelo que dizem, em especial pelos acontecimentos significantes que produzem, com os quais interferem na realidade, ao usarem uma eficácia difusora do jornalismo (CHAPARRO, 2003, p.34). Democracia, mercado e tecnologia tornaram-se o tripé, dando início à lógica da competição sustentada na informação, adotada por empresas e governos (CHAPARRO, 2003, p.33). Como resultado deste desenvolvimento industrial começam a se formar os primeiros grupos de trabalhadores, criando sindicatos e associações com ideais anarquistas, comunistas 14

16 e socialistas. Surgem os conflitos, cada vez mais fortes, entre as diversas classes sociais, tornando a comunicação um imperativo para a solução de impasses. E, como estratégia para aumentar a produtividade das empresas, elas começam a trazer para mais perto de si os funcionários. Este maior envolvimento favorece a motivação do empregado, que se sente mais motivado a cooperar. 2.1 História da Comunicação Empresarial Torquato (REGO, 1987, p.18) relembra que, em 1834, Friedrich List ( ), um economista alemão, escreve para Georg V. Cotta, empresário, o orientando a criar um jornal para informar os operários sobre seus direitos. Já no ano de 1840, a Sociedade para Promoção e Estímulo do Bem Público, na Suíça, realizou um concurso com o seguinte tema: Progresso e divertimento para a classe operária. O professor Peter Schitlin, da cidade de Saint Gall, ganhou o prêmio com a ideia de se criar um jornal voltado aos industriários. Entretanto, não podemos dizer que este é o primeiro jornal empresarial que conhecemos nos moldes atuais. Nesta época, difundia-se a produção em larga escala, em massa, instalando maior competitividade no mercado. E, para lidar com a concorrência, as empresas começaram a adotar novos meios de comunicação, com o intuito de conquistar a preferência do público e tornarem-se mais populares. Neste período, no final do século XIX, nasce também o jornalismo sensacionalista, segundo Torquato. Assim, se estabelece uma maior concorrência entre os meios de comunicação e a informação, que antes era feita de modo disperso e, muitas vezes, contraditório. Com isso, as publicações divulgadas pelas empresas tornam-se uma forma de controlar informações que pudessem prejudicar a imagem da empresa. Vale ressaltar que este período é mercado pelos grandes avanços tecnológicos da indústria da comunicação, criando novas formas de impressão mais rápidas que a inventada em 1440 por Gutemberg. Nasce a imprensa a vapor, tornado a impressão mais barata. Entretanto, este não foi um marco tão importante quanto o início das impressoras rotativas, que em seguida foram substituídas pelas máquinas de composição controladas por teclados e, depois, pela chegada das linotipos. Torquato se utiliza de Lorde Francis Willians para descrever a importância da revolução industrial. a imprensa levou mais tempo para ser afetada pela revolução industrial 15

17 do que outros setores, mas quando as inovações mecânicas surgiram, as transformações foram rápidas (REGO, 1987, p.19) Pode-se considerar como um precursores do jornal empresarial, o Lloyd s Lis, que surgiu na Inglaterra em 1869, assim como as cartas que o empresário alemão Friedrich Harkart destinava aos funcionários da fábrica, entre os anos de 1848 e O primeiro jornal voltado aos funcionários e que possui os parâmetros do jornalismo empresarial é o norte-americano The Triphammer, lançado no ano de 1885, pela empresa Massey Harris Cox. Já no setor governamental, o presidente norte-americano Andrew Jackson foi o precursor dos house organs, ao lançar em 1829, o The Globe. Mas tudo começou realmente a mudar com a atuação de um jornalista norteamericano: Ivy Lee, que, em 1906, deu início ao que chamamos hoje de assessoria de imprensa ou assessoria de comunicação. Ivy Ledbetter Lee abandonou o jornalismo e criou o primeiro escritório de relações públicas do mundo, em New York. 2.2 Assessoria de Imprensa no Mundo A assessoria de imprensa trata do relacionamento de uma empresa ou pessoa física com a imprensa. Ela conquista cobertura editorial em jornais, revistas, tevês, sites, colunas, com apelo noticioso gerado a partir de informações de interesse público. Assessoria de Imprensa é a prática do Jornalismo no ambiente e no agir da fonte, para assegurar aos meios de comunicação informações de boa qualidade, sob o ponto de vista da técnica jornalística e da relevância social. Por esse entendimento, a Assessoria de Imprensa deve existir somente em instituições que, por dever e/ou competência, geram atos e fatos de interesse público. (CHAPARRO, 2003, p. 57) O início da Assessoria de Imprensa se estabelece entre os anos de 1875 a 1900, quando os EUA passaram por um período de prosperidade, no momento que o poder passava das mãos da aristocracia dos plantadores do sul do país para o controle dos grandes fazendeiros e empresários do leste e oeste. Estes queriam o lucro fácil, o enriquecimento através de ambiciosos empreendimentos como especulação da terra, construção de estradas de ferro, exploração dos recursos minerais, tudo isso controlando o governo e passando por cima da lei. 16

18 Hebe Wey registra que até o conceito de moral mudou. A pobreza tornou-se sinônimo de inépcia, e a riqueza, de virtude. Triunfar na competição econômica era sinal de aptidão biológica no plano da existência e da sobrevivência. E por essa norma ética, quanto mais implacável a competição, melhor seria, pois assim eram eliminados com mais rapidez os fracos e os incompetentes (CHAPARRO, 2003, p. 35). O mais conhecido empresário das ferrovias americanas, William H. Vanderbilt, é o autor da frase: The public be damned (O público que se dane), dirigida aos jornalistas que lhe pediam explicações sobre o fim de um ramal da ferrovia, que era útil para a população. A expressão ficou marcada na história ao mostrar a péssima relação que os empresários tinham com a sociedade. Um modelo de capitalismo que era descompromissado com as necessidades e os direitos dos trabalhadores. Outros empresários, vistos como sujos e inescrupulosos pela população norte americana, fizeram com que o jornalismo ganhasse um campo de atuação dentro das empresas, com o intuito de melhorar suas imagens públicas. Apontado com monopolista, ao fazer quartel às pequenas empresas e negociar sem escrúpulos, John Rockefeller contratou Ivy Lee para transformar sua imagem de capitalista selvagem e torná-lo respeitado pela população norte-americana. Ele realizava assessoria de imprensa, divulgando informações favoráveis às empresas, através de notícias a serem divulgadas jornalisticamente, e não como espaço comprado nos jornais. Informações de interesse público, que informavam a atuação das empresas, com o objetivo de evitar possíveis denúncias. Um serviço inédito de informações da própria empresa, que eram autorizadas por ela, antes da sua publicação, com o objetivo de influenciar positivamente a opinião da população. Para isso, Ivy Lee elaborou uma declaração de princípios que foi enviada a todos os editores dos jornais na época: Este não é um serviço de imprensa secreto. Todo nosso trabalho é feito às claras. Pretendemos divulgar notícias, e não distribuir anúncios. Se acharem que o nosso assunto ficaria melhor como matéria paga, não o publiquem. Nossa informação é exata. Maiores detalhes sobre qualquer questão serão dados prontamente e qualquer redator e diretor de jornal interessado será auxiliado, com o máximo prazer, na verificação direta de qualquer declaração de fato. Em resumo, nossos planos, com absoluta franqueza, para o bem das empresas e das instituições públicas, é divulgar à imprensa e ao público dos Estados Unidos, pronta e exatamente informações relativas a assuntos com valor e interesse para o público. Uma das primeiras medidas que Lee tomou, ao prestar serviços para Rockfeller, foi durante uma greve de operários dispensar os guarda-costas que acompanhavam John D. Rockfeller, pai. Ao eliminar qualquer barreira existente entre a família e a população, 17

19 procurando angariar simpatia. Dentro da história do jornalismo, porém, Lee não é visto exatamente como um exemplo a seguir. Chaparro, ao citar Teobaldo de Andrade, lembra a operação fecha-boca, os altos benefícios, pagamentos e bons empregos que eram dados aos jornalistas na época [...] para que não atacassem as empresas e, ao mesmo tempo, as defendessem...os amigos de Ivy Lee diziam que o pai das Relações Públicas fazia alarde de que as entrevistas de seus clientes com a imprensa era feitas com inteira liberdade para qualquer pergunta. Mas os inimigos acrescentavam: os canais competentes dos jornais já estavam controlados e os repórteres nada podiam escrever que contrariasse os interesses dos clientes de Lee. Ainda desse homem de relações públicas dizem que, em 1934, prestou serviços ao truste alemão Dye, para corrigir as reações dos americanos a respeito dos acontecimentos na Alemanha de Hitler...As informações eram interessadas e pagas (CHAPARRO. 2003, p.38) Lee, além de cuidar do relacionamento da empresa com os meios de comunicação, criava fatos noticiáveis de grande repercussão. Ele tinha total conhecimento da atuação da empresa e produzia informações jornalísticas competentes, não só como fonte de informações e de elucidações. Neste trajeto tornou-se um especialista jornalístico para as empresas, prestando serviços para as principais corporações norte-americanas. Em 1916, ocorre a abertura da Lee & Harris & Lee, empresa de consultoria de relações públicas, administrada por ele. Como se pode observar, o surgimento da comunicação empresarial está contextualizado num período de efervescência política, ligado aos movimentos sindicais americanos. As reivindicações dos trabalhadores só poderiam ser controladas através de estratégias que mobilizassem a opinião pública, tarefa que também foi desempenhada pela classe patronal, que via a necessidade de também organizar-se a fim de divulgar opiniões positivas para a população. Com a profissionalização da divulgação de notícias oficiais de empresas e empresários, trabalhadores e sindicatos, nasce a Assessoria de Imprensa. 2.3 Assessoria de Imprensa no Brasil Os primeiros registros da atividade de assessoria de imprensa no país são do início do século XX, durante o governo de Nilo Peçanha ( ), que lançou o serviço de informação Secção de Publicações e Bibliotheca, através do Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio. O objetivo era integrar serviços de atendimento, publicações, 18

20 informações e propaganda, reunindo informações através de notas ou notícias que seriam oferecidas à imprensa. Após desenvolverem as técnicas, o setor passa a se chamar Serviço de Informações e Bibliotheca e Serviços de Informações e Divulgação, responsável pelo atendimento e requisição de informações sobre todos os assuntos do ministério e pela produção de um boletim de notícias, conforme Duarte (2003, p.82): Synopse de todos os actos do Governo [...] notícias e informações sobre agricultura, indústria e comércio [...] de modo a construir uma fonte, a mais completa possível, de consulta e divulgação dos conhecimentos úteis aos lavradores, industriaes e commerciantes Paralelamente, o primeiro jornal empresarial brasileiro é o Boletim Light, com início em 1925, elaborado pelos funcionários da indústria Light. Outro destaque foi a revista General Motors, editada pela empresa que se instalou no país, em Com a Revolução de 30, durante o Governo de Getúlio Vargas, a comunicação ganha mais destaque no Brasil. Na época, o objetivo era melhorar a imagem de Vargas, através da assessoria de imprensa. Neste período, o Governo Federal adota o controle e a disseminação de informações e organiza um sistema articulado diretamente ligado aos meios de comunicação. Com a instituição do Governo Provisório, em 1931, é fundado o Departamento Oficial de Publicidade, que anos depois passa a se chamar Departamento de Propaganda e Difusão Cultural (DPDC) e o Departamento Nacional de Propaganda (DNP). É nesta época que surge também o programa de rádio A Voz do Brasil, que conhecemos até hoje. Criado em 1934, tinha como objetivo de reforçar a imagem de Vargas, disseminando as estratégias de governo para a população. O DNP, além de utilizar o rádio, adota toda a imprensa e seus diversos tipos de veículos de comunicação como um meio para a informação governamental. Já no início do Estado Novo, com o golpe de Getúlio Vargas, é criado o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), no qual as funções de divulgação e censura se uniram, sendo criados os Departamentos Estaduais de Imprensa e Propaganda (Deips). Era preciso coordenar a imprensa com o Estado, a fim de que a primeira cooperasse eficazmente com o segundo, tornando-se um instrumento poderoso de defesa do bem público e de propulsão do progresso nacional. (...) Redundará em uma harmonia das atividades jornalísticas com as finalidades do governo nacional. (AMARAL, 1940, p. 12: apud DUARTE) 19

Mídia e Região na Era Digital: Diversidade Cultural & Convergência Midiática. (org. Anamaria Fadul e Maria Cristina Gobbi)

Mídia e Região na Era Digital: Diversidade Cultural & Convergência Midiática. (org. Anamaria Fadul e Maria Cristina Gobbi) Mídia e Região na Era Digital: Diversidade Cultural & Convergência Midiática (org. Anamaria Fadul e Maria Cristina Gobbi) XI Colóquio Internacional de Comunicação para o Desenvolvimento Regional (9,10,11

Leia mais

Portifólio Regina Ramalho

Portifólio Regina Ramalho 1 Portifólio Regina Ramalho Diretora de Comunicação e Editora do Pró Trabalhador Aniger Comunicação janeiro de 2013 até o momento (1 ano 6 meses)aclimação Regina Ramalho- Estratégias de comunicação e Assessoria

Leia mais

CANAIS 14 UHF 22 da NET

CANAIS 14 UHF 22 da NET www.facebook.com/tvredepaulista www.twitter.com/tvredepaulista www.youtube.com/tvredepaulista www.projectocom.com.br tvredepaulista Fundação Cultural Anhanguera R. Dr. Leonardo Cavalcanti, 56 Centro Jundiaí/SP

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social Políticas Públicas de Comunicação...a presença ativa duma universidade, revigorada ao contato de seu núcleo mais vivo e ciosa do seu espaço

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

Elaboração de pauta para telejornal

Elaboração de pauta para telejornal Elaboração de pauta para telejornal Pauta é a orientação transmitida aos repórteres pelo pauteiro, profissional responsável por pensar de que forma a matéria será abordada no telejornal. No telejornalismo,

Leia mais

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Este assunto normalmente é tratado quando se aborda a coleta de dados no ciclo de Inteligência. No entanto, o fenômeno das redes sociais, atualmente, cresceu

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

2. CAIXA DE FERRAMENTAS - CHEGANDO A REDAÇÃO

2. CAIXA DE FERRAMENTAS - CHEGANDO A REDAÇÃO SUMÁRIO INTRODUÇÃO 15 Para que serve este Livro 17 Como usar este livro 1. PARA ENTENDER A PROFISSÃO 23 O que é preciso para ter sucesso na profissão 23 TALENTO - Como saber se você tem 24 CONHECIMENTO-Como

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Televisão brasileira: o início da problemática 1

Televisão brasileira: o início da problemática 1 Televisão brasileira: o início da problemática 1 AUTOR: QUINTANA JÚNIOR, José CURSO: Comunicação Social Jornalismo/Unifra, Santa Maria, RS OBRA: CAPARELLI, Sérgio. Televisão e capitalismo no Brasil: com

Leia mais

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário SOUZA, Kauana Mendes 1 ; XAVIER, Cintia 2 Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná, PR RESUMO O projeto Portal

Leia mais

TOPE [EA]². Assessoria de imprensa voltada à divulgação da ciência

TOPE [EA]². Assessoria de imprensa voltada à divulgação da ciência Assessoria de imprensa voltada à divulgação da ciência Camila Delmondes Assessoria de Relações Públicas e Imprensa Faculdade de Ciências Médicas Unicamp Divulgação Cientifica e Cultural Laboratório de

Leia mais

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA Miranda Aparecida de Camargo luckcamargo@hotmail.com Acadêmico do Curso de Ciências Econômicas/UNICENTRO Luana Sokoloski sokoloski@outlook.com

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES Serviços da Assessoria de Comunicação Social

GUIA DE ORIENTAÇÕES Serviços da Assessoria de Comunicação Social A Assessoria de Comunicação Social (ASCOM) da Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG é uma unidade de apoio e assessoramento da Instituição, diretamente ligada ao Gabinete da Reitoria, que dentre suas

Leia mais

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre N o Brasil há 2.361 municípios, em 23 estados, onde vivem mais de 38,3 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza. Para eles, o Governo Federal criou

Leia mais

Sistema de Gerenciamento da Informação. Mais informação, mais conteúdo, em menos tempo. Mais negócios, mais sucesso profissional.

Sistema de Gerenciamento da Informação. Mais informação, mais conteúdo, em menos tempo. Mais negócios, mais sucesso profissional. Sistema de Gerenciamento da Informação Mais informação, mais conteúdo, em menos tempo. Mais negócios, mais sucesso profissional. O tempo sumiu-1 8 horas dormir; 8 horas trabalhar; 1,5 hora no trânsito;

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO 11/2010

BOLETIM INFORMATIVO 11/2010 Sindicato das Secretárias e Secretários do Estado do Rio Grande do Sul SISERGS Unindo você a todos os Secretários do RS! SISERGS BOLETIM INFORMATIVO 11/2010 Dia 06 de novembro ocorreu o penúltimo treinamento

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico O Dia D e a culturalização de um posicionamento estratégico 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE Centro Universitário Franciscano uma universidade para suas aspirações Santa Maria é um polo educacional

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO Código Unidade 042 Cód. Curso Curso 42501 COMUNICAÇÃO SOCIAL Habilitação Etapa Sem/Ano JORNALISMO 6ª 1º / 2009 Cód. Disc. Disciplina Créditos CH Sem Teoria Prática 121.3604.2 TELEJORNALISMO I 04 X X Docentes

Leia mais

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Apresentação 1.Identificação do órgão:tribunal do Trabalho da Paraíba/ Assessoria de Comunicação Social 2.E-mail para contato:rdaguiar@trt13.jus.br, rosa.jp@terra.com.br

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei;

III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei; Excelentíssimos Senhores Senadores, gostaria de agradecer pela oportunidade de participar dessa audiência pública, essencial não apenas para regulamentação do art. 221, II e III da Constituição, mas também

Leia mais

SEMANA DO SERVIDOR PÚBLICO sugestão de palestrantes. Otimize seu orçamento e mantenha um bom nível de palestrantes.

SEMANA DO SERVIDOR PÚBLICO sugestão de palestrantes. Otimize seu orçamento e mantenha um bom nível de palestrantes. SEMANA DO SERVIDOR PÚBLICO sugestão de palestrantes Otimize seu orçamento e mantenha um bom nível de palestrantes. resultados positivos para os servidores? qualidade de vida fernando rocha wesley schunk

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

A experiência da Assessoria de Comunicação dos grupos de Educação Tutorial na UFJF 1

A experiência da Assessoria de Comunicação dos grupos de Educação Tutorial na UFJF 1 A experiência da Assessoria de Comunicação dos grupos de Educação Tutorial na UFJF 1 Isabela LOURENÇO 2 Caio Cardoso de QUEIROZ 3 Francisco José Paoliello PIMENTA 4 Universidade Federal de Juiz de Fora,

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Um projeto para discutir Direitos Humanos necessariamente tem que desafiar à criatividade, a reflexão, a crítica, pesquisando, discutindo e analisando

Leia mais

Concessão de Bolsas de Estudos para as Universidades do Paraná. Clóvis Pereira UFPR; Clóvis R. Braz - FEPAR

Concessão de Bolsas de Estudos para as Universidades do Paraná. Clóvis Pereira UFPR; Clóvis R. Braz - FEPAR 1 Concessão de Bolsas de Estudos para as Universidades do Paraná 1. Introdução Clóvis Pereira UFPR; Clóvis R. Braz - FEPAR Procedimento importante, dentre outros, para o acompanhamento do desenvolvimento

Leia mais

UM PROGRAMA ALEGRE, DE LINGUAGEM CLARA E SIMPLES

UM PROGRAMA ALEGRE, DE LINGUAGEM CLARA E SIMPLES O APRESENTADOR Formado em Comunicação Social, o Jornalista, radialista e publicitário Celsuir Veronese dedicou sua vida a comunicação. Começou sua carreira no rádio aos 16 anos de idade e de lá para cá

Leia mais

A era das carreiras acabou: os sobreviventes serão orientados por projetos 23. Prevenir ainda é melhor que remediar 47

A era das carreiras acabou: os sobreviventes serão orientados por projetos 23. Prevenir ainda é melhor que remediar 47 Sumário Introdução Pauta do livro 13 1 Empregos fixos freelance Quem mexeu no nosso queijo? 17 2 Empreendedorismo A era das carreiras acabou: os sobreviventes serão orientados por projetos 23 3 Terceirização

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

5 Apresentação do método de avaliação de desempenho aplicado ao Programa TV Digital para as Áreas Rurais

5 Apresentação do método de avaliação de desempenho aplicado ao Programa TV Digital para as Áreas Rurais 5 Apresentação do método de avaliação de desempenho aplicado ao Programa TV Digital para as Áreas Rurais 5.1 A Rede Globo A Rede Globo é uma das maiores redes de televisão do mundo, com milhões de espectadores

Leia mais

Luau Bom D+ Bom D+ Verão. Desafio Ciclístico

Luau Bom D+ Bom D+ Verão. Desafio Ciclístico 4 Luau Bom D+ 10 Bom D+ Verão 16 Desafio Ciclístico 22 Triathlon Bahia de Todos os Santos 28 Revezamento a Nado Farol a Farol 34 Carnaval 2013 Record Bahia O que já era bom ficou ainda melhor. A primeira

Leia mais

CDA COMUNICAÇÃO INTEGRADA

CDA COMUNICAÇÃO INTEGRADA Central de Cases CDA COMUNICAÇÃO INTEGRADA www.espm.br/centraldecases Central de Cases CDA COMUNICAÇÃO INTEGRADA Preparado pelo Prof. Marcus S. Piaskowy, da ESPM SP. Recomendado para a área de Administração

Leia mais

O PLANEJAMENTO ECONÔMICO E A ARTICULAÇÃO REGIONAL *

O PLANEJAMENTO ECONÔMICO E A ARTICULAÇÃO REGIONAL * O PLANEJAMENTO ECONÔMICO E A ARTICULAÇÃO REGIONAL * Lúcio Alcântara ** Durante o dia de hoje estaremos dando continuidade aos debates que vêm sendo realizados desde o início do governo Lula sobre a reestruturação

Leia mais

PRODUTORA DE NOTÍCIAS VESTIBULAR 1. Letycia CARDOSO 2 João Gabriel MARQUES 3 Márcio de Oliveira GUERRA 4

PRODUTORA DE NOTÍCIAS VESTIBULAR 1. Letycia CARDOSO 2 João Gabriel MARQUES 3 Márcio de Oliveira GUERRA 4 PRODUTORA DE NOTÍCIAS VESTIBULAR 1 Letycia CARDOSO 2 João Gabriel MARQUES 3 Márcio de Oliveira GUERRA 4 Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG RESUMO Como forma de estimular a criatividade

Leia mais

MDD Mídias Interativas. A Evolução da TV no Brasil

MDD Mídias Interativas. A Evolução da TV no Brasil Pós-Graduação MDD Mídias Interativas A Evolução da TV no Brasil Apresentações Profª. Graciana Simoní Fischer de Gouvêa Email: graciana.fischer@prof.infnet.edu.br Evolução da TV Evolução do Homem x TV Evolução

Leia mais

Apresentação. Diariamente no Net Cidade Canal 26 Sábados na Band Canal 10 Apresentação Eliane Beuren www.progviverbem.com.br

Apresentação. Diariamente no Net Cidade Canal 26 Sábados na Band Canal 10 Apresentação Eliane Beuren www.progviverbem.com.br Apresentação No ar desde 13 de março de 2002, o Programa Viver Bem é apresentado por Eliane Beuren e inspirado no prazer que sentimos em viver e na conquista de uma melhor qualidade de vida através da

Leia mais

REFORMA UNIVERSITÁRIA: contribuições da FENAJ, FNPJ e SBPJor. Brasília, outubro de 2004

REFORMA UNIVERSITÁRIA: contribuições da FENAJ, FNPJ e SBPJor. Brasília, outubro de 2004 REFORMA UNIVERSITÁRIA: contribuições da FENAJ, FNPJ e SBPJor Brasília, outubro de 2004 FEDERAÇÃO NACIONAL DOS JORNALISTAS FENAJ http://www.fenaj.org.br FÓRUM NACIONAL DOS PROFESSORES DE JORNALISMO - FNPJ

Leia mais

Custom Publishing Por que minha organização deve ter uma publicação própria?

Custom Publishing Por que minha organização deve ter uma publicação própria? Custom Publishing O mercado das publicações próprias e suas (excelentes) oportunidades de negócios para as empresas antenadas de qualquer setor, com qualquer público Um guia de consulta rápida sobre a

Leia mais

TÍTULO: "COMUNICAÇÃO E CONTABILIDADE: A TECNOLOGIA NA ROTINA DO CONTADOR"

TÍTULO: COMUNICAÇÃO E CONTABILIDADE: A TECNOLOGIA NA ROTINA DO CONTADOR TÍTULO: "COMUNICAÇÃO E CONTABILIDADE: A TECNOLOGIA NA ROTINA DO CONTADOR" CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DE RIO PRETO

Leia mais

ECONOMIA DA CULTURA. Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec MINISTÉRIO DA CULTURA

ECONOMIA DA CULTURA. Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec MINISTÉRIO DA CULTURA MINISTÉRIO DA CULTURA ECONOMIA DA CULTURA UM SETOR ESTRATÉGICO PARA O PAÍS Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec A produção, a circulação e o consumo de bens e

Leia mais

Imagem corporativa e as novas mídias

Imagem corporativa e as novas mídias Imagem corporativa e as novas mídias Ellen Silva de Souza 1 Resumo: Este artigo irá analisar a imagem corporativa, mediante as novas e variadas formas de tecnologias, visando entender e estudar a melhor

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2009

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2009 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2009 Acrescenta o art. 220-A à Constituição Federal, para dispor sobre a exigência do diploma de curso superior de comunicação social, habilitação jornalismo, para

Leia mais

Pronac Nº 1111032 Você em Cenna é um concurso cultural que irá eleger atores e atrizes amadores de todo o país, que enviarão vídeos de suas performances para votação popular e de júri especializado. Os

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA?

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? Definição: a manipulação planejada da comunicação visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza. Funções: cabe a propaganda informar

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

Programa de Comunicação Interna e Externa

Programa de Comunicação Interna e Externa Programa de Comunicação Interna e Externa Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Comunicação Interna e Externa das Faculdades Integradas Ipitanga FACIIP pretende orientar a execução

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional Política de Comunicação Institucional POLÍTICA PÚBLICA P DE COMUNICAÇÃO O homem é um ser social. O intercâmbio de suas experiências e de seus conhecimentos possibilitou que as pessoas se apropriassem dos

Leia mais

Sumário. Apresentação...7

Sumário. Apresentação...7 Sumário Apresentação................................7 1. CONCEITOS BÁSICOS.........................11 Delimitação de funções..................... 12 2. ORIGENS E DESENVOLVIMENTO...................21 3.

Leia mais

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural No período compreendido entre os dias 16 e 19 do mês de setembro de 2004, realizou-se a Primeira Feira Nacional do Turismo Rural - 1º FEIRATUR,

Leia mais

Resumo executivo do Livro "Crianças Invisíveis - O enfoque da imprensa sobre o Trabalho Infantil Doméstico e outras formas de exploração"

Resumo executivo do Livro Crianças Invisíveis - O enfoque da imprensa sobre o Trabalho Infantil Doméstico e outras formas de exploração ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT PROGRAMA INTERNACIONAL PARA A ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL IPEC Resumo executivo do Livro "Crianças Invisíveis - O enfoque da imprensa sobre o Trabalho Infantil

Leia mais

A CRIANÇA NA PUBLICIDADE

A CRIANÇA NA PUBLICIDADE A CRIANÇA NA PUBLICIDADE Entrevista com Fábio Basso Montanari Ele estuda na ECA/USP e deu uma entrevista para e seu grupo de colegas para a disciplina Psicologia da Comunicação, sobre sua história de vida

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR Já pensou um bairro inteirinho se transformando em escola a

Leia mais

Tema 3 O BNDE e a inserção brasileira no capitalismo industrial

Tema 3 O BNDE e a inserção brasileira no capitalismo industrial Faculdade de Comunicação e Artes Habilitação em Jornalismo Tema 3 O BNDE e a inserção brasileira no capitalismo industrial Economia Brasileira Professora Eleonora Bastos Horta Dayse dos Santos Frederico

Leia mais

Comunicação social Jornalismo, Relações Públicas, Assessoria e Comunicação de Marketing.

Comunicação social Jornalismo, Relações Públicas, Assessoria e Comunicação de Marketing. Comunicação social Comunicação social A Comunicação Social é um campo de conhecimento académico que estuda a comunicação humana e as questões que envolvem a interação entre os sujeitos em sociedade. Os

Leia mais

Somos a melhor opção de investimento para sua marca. mídia kit

Somos a melhor opção de investimento para sua marca. mídia kit Somos a melhor opção de investimento para sua marca. mídia kit Primeiro, um pouquinho sobre nós... Ao infinito e além! ESSE É O NOSSO LEMA. Com 26 anos de estrada, a TV Serra Dourada só cresceu. Também,

Leia mais

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente:

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente: Resumo Com a criação do Ministério do Turismo em 2003, o Brasil passa a ter, pela primeira vez em sua história, um ministério voltado exclusivamente para a atividade turística. A partir de então a Embratur

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Palavras-chave Ação social, Comunicação, Investimento social privado, Responsabilidade Social

Palavras-chave Ação social, Comunicação, Investimento social privado, Responsabilidade Social Título Desafios na Comunicação da Ação Social Privada 1 Autores Prof. Dr. Paulo Nassar, professor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e presidente da ABERJE Associação Brasileira

Leia mais

Evento acontece na cidade de Caxambu e começa nesta sexta (18)

Evento acontece na cidade de Caxambu e começa nesta sexta (18) https://www.educacao.mg.gov.br/imprensa/noticias/178 3-educacao-amplia-interlocucao-com-representantes- do-movimento-sindical Notícia veicula no site Portal da Educação em 17/02/11 Secretária Ana Lúcia

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo saber como é desenvolvido o trabalho de Assessoria de Imprensa, sendo um meio dentro da comunicação que através

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

A Parceria UNIVIR / UNIGLOBO- Um Case Focado no Capital Intelectual da Maior Rede de TV da América Latina

A Parceria UNIVIR / UNIGLOBO- Um Case Focado no Capital Intelectual da Maior Rede de TV da América Latina A Parceria UNIVIR / UNIGLOBO- Um Case Focado no Capital Intelectual da Maior Rede de TV da América Latina Blois, Marlene Montezi e-mail: mmblois@univir.br Niskier, Celso e-mail: cniskier@unicarioca.edu.br

Leia mais

:: C A N A L B A N D N E W S ::

:: C A N A L B A N D N E W S :: :: TABELA DE PREÇOS :: JANEIRO JANEIRO 2013 2011 :: C A N A L B A N D N E W S :: SKY, NET, Claro TV, Oi Tv e independentes, alcança mais de 10.800.000 assinantes. SEXO 4 IDADE CLASSE SOCIAL DIA INÍCIO

Leia mais

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL UNITAU - Universidade de Taubaté CBH-PS Comitê de Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul Trabalho realizado

Leia mais

Relatos de Experiência Paraisópolis: relato do processo de transformação da Biblioteca Comunitária em rede do conhecimento

Relatos de Experiência Paraisópolis: relato do processo de transformação da Biblioteca Comunitária em rede do conhecimento S. M. R. Alberto 38 Relatos de Experiência Paraisópolis: relato do processo de transformação da Biblioteca Comunitária em rede do conhecimento Solange Maria Rodrigues Alberto Pedagoga Responsável pelo

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

Comunicação Empresarial

Comunicação Empresarial Comunicação Empresarial MBA em Gestão Empresarial MBA em Logística MBA em Recursos Humanos MBA em Gestão de Marketing Prof. Msc Alice Selles 24/11 Aula inicial apresentação e visão geral do módulo. Proposição

Leia mais

Indústria do Esporte. Futebol, a maior paixão dos brasileiros Potencial mercadológico atual

Indústria do Esporte. Futebol, a maior paixão dos brasileiros Potencial mercadológico atual Indústria do Esporte Futebol, a maior paixão dos brasileiros Potencial mercadológico atual Abril 2011 Futebol, a maior paixão dos brasileiros Potencial mercadológico atual A BDO RCS, por meio de sua área

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Curso de Especialização em Gestão e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Conheça a Fran Press, a assessoria que oferece as melhores estratégias de relacionamento com a imprensa.

Conheça a Fran Press, a assessoria que oferece as melhores estratégias de relacionamento com a imprensa. Conheça a Fran Press, a assessoria que oferece as melhores estratégias de relacionamento com a imprensa. A Fran Press está de cara nova, mantendo a sua reconhecida identidade estratégica. Nos tempos atuais

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho IMPRENSA IT. 36 08 1 / 6 1. OBJETIVO Administrar o fluxo de informações e executar ações de comunicação junto a imprensa sediada na capital e no interior de forma transparente, ágil, primando pela veracidade

Leia mais

SETE SEMANAS PARA O SUCESSO DE UM ESCRITÓRIO - ETAPAS BÁSICAS PARA IMPLANTAÇÃO DO MARKETING JURÍDICO

SETE SEMANAS PARA O SUCESSO DE UM ESCRITÓRIO - ETAPAS BÁSICAS PARA IMPLANTAÇÃO DO MARKETING JURÍDICO SETE SEMANAS PARA O SUCESSO DE UM ESCRITÓRIO - ETAPAS BÁSICAS PARA IMPLANTAÇÃO DO MARKETING JURÍDICO Ari Lima É possível implantar um plano prático e funcional de marketing jurídico com ótimas chances

Leia mais

Planejamento de Campanha Publicitária

Planejamento de Campanha Publicitária Planejamento de Campanha Publicitária Prof. André Wander UCAM O briefing chegou. E agora? O profissional responsável pelo planejamento de campanha em uma agência de propaganda recebe o briefing, analisa

Leia mais

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 REALIZAÇÃO TABULAÇÃO Quem Somos A WBI BRASIL é uma empresa especializada em planejamento de marketing digital, que presta

Leia mais

b) vantagens e desvantagens para o usuário que acessa Internet grátis comparadas aos serviços oferecidos pelos provedores pagos.

b) vantagens e desvantagens para o usuário que acessa Internet grátis comparadas aos serviços oferecidos pelos provedores pagos. Questão nº 1 I. Seleção de dados relevantes para o assunto em pauta, comparação, hierarquização. Devem aparecer nos textos: a) a Internet grátis desafia os provedores estabelecidos. Ressaltar as posições

Leia mais

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas o Docente universitária na disciplina Fundamentos de marketing o 12 anos de experiência em comunicação

Leia mais

4 Mercado setor de telecomunicações

4 Mercado setor de telecomunicações 4 Mercado setor de telecomunicações Nesta sessão é apresentada uma pequena visão geral do mercado de telecomunicações no Brasil, com dados históricos dos acontecimentos mais relevantes a este trabalho,

Leia mais

MOVIMENTO LONDRINA CRIATIVA

MOVIMENTO LONDRINA CRIATIVA MOVIMENTO LONDRINA CRIATIVA Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em Implantação (projetos que estão em fase inicial) Nome da Instituição/Empresa: "Profissional Autonoma Abril 2009

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES.

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 417 CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Alice da Silva

Leia mais

Brincar de ler e escrever

Brincar de ler e escrever I Edital FNA 2015 Brincar de ler e escrever A Fundação Negro Amor - FNA foi criada em 2008 e, desde então, desenvolve ações na área socioeducativa e cultural, com foco na promoção da educação infantil

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Início em 28 de setembro de 2015 Aulas as segundas e quartas, das 19h às 22h Valor do curso: R$ 21.600,00 À vista com desconto: R$ 20.520,00 Consultar planos de parcelamento.

Leia mais

O PROJETO PORQUE PATROCINAR

O PROJETO PORQUE PATROCINAR PAIXÃO NACIONAL O gosto pelo futebol parece ser uma das poucas unanimidades nacionais do Brasil. As diferenças sociais, políticas e econômicas, tão marcantes no dia a dia do país diluem-se quando a equipe

Leia mais

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação :: LINHAS DE AÇÃO Apoio aos Municípios Tecnologia e Informação em Resíduos Capacitação Promoção e Mobilização Social :: PRESSUPOSTOS DA COLETA SELETIVA Gestão participativa Projeto de Governo Projeto da

Leia mais

Uma empresa especializada em empresas.

Uma empresa especializada em empresas. Sua equipe tem colaborado para que a empresa seja uma das mais competitivas i no mercado? Para avaliar quanto a sua equipe atual está dimensionada, preparada e motivada para os desafios do mercado, você

Leia mais

Pesquisa Semesp 2009. Índice de Imagem e Reputação

Pesquisa Semesp 2009. Índice de Imagem e Reputação Pesquisa Semesp 2009 Índice de Imagem e Reputação Uma ferramenta estratégica para a qualidade de mercado Desvendar qual é a real percepção de seus públicos estratégicos com relação à atuação das instituições

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES Silva.A.A.S. Acadêmica do curso de Pedagogia (UVA), Bolsista do PIBID. Resumo: O trabalho

Leia mais

RÁDIO E TV TÉCNICO EM ATUAÇÃO NO MERCADO

RÁDIO E TV TÉCNICO EM ATUAÇÃO NO MERCADO O CEET - Centro Estadual de Educação Técnica Vasco Coutinho é uma Instituição de Ensino criada e mantida pelo Governo do Estado do Espírito Santo e transferido através da lei n 9.971/12, para Secretaria

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

SERÁ UM ORGULHO TÊ-LO EM NOSSO TIME!!!

SERÁ UM ORGULHO TÊ-LO EM NOSSO TIME!!! A MVP é uma agência de Comunicação e Marketing Esportivo que atua de forma diferenciada no mercado, gerenciando a imagem de grandes atletas do esporte nacional desde 2006, passando pelos ciclos olímpicos

Leia mais