Gestão de desempenho individual

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gestão de desempenho individual"

Transcrição

1 capítulo 1 Gestão de desempenho individual A melhor maneira de inspirar as pessoas a terem um desempenho cada vez melhor é convencê-las, por meio de tudo que você faz e por suas atitudes diárias, de que as está apoiando com todo o entusiasmo. Harold S. Geneen, CEO da ITT ( ) Com o deslocamento constante da força de trabalho comum nos dias de hoje, a responsabilidade de avaliar os funcionários está mais desafiadora e complexa. Nos próximos anos, à medida que os representantes da geração baby boomer forem se aposentando, trabalhadores experientes se encontrarão em uma situação destacada, uma vez que empregados como eles se tornarão cada vez mais raros.

2 12 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO questionário de autoavaliação Você gerencia o desempenho de seus funcioná - rios de maneira hábil? Leia as declarações a seguir e indique se concorda com ou discorda de cada uma delas. Em seguida, verifique sua pontuação e examine a análise, no final do questionário. 1. Tento saber tudo de que meus funcionários gostam e desgostam. Concordo Discordo 2. De forma geral, consigo notar quando alguém da equipe está distraído ou com dificuldade para se concentrar no trabalho. Concordo Discordo 3. Os funcionários costumam confiar em mim. Concordo Discordo 4. Avalio o desempenho dos integrantes de minha equipe pelo menos a cada três meses. Concordo Discordo 5. Deixo que meus funcionários saibam como estão se saindo nas tarefas, além dos resultados de avaliações realizadas periodicamente. Concordo Discordo 6. Digo às pessoas de minha equipe quando elas estão fazendo algo errado, mas tento apresentar minhas críticas de modo construtivo. Concordo Discordo

3 GESTÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 13? 7. Todos sabem que podem me contar algo pessoal porque manterei sigilo. Concordo Discordo 8. Acho melhor promover, quando surge a possibilidade, alguém da equipe do que trazer uma pessoa de fora. Concordo Discordo 9. Incentivo os funcionários a falarem o que estão pensando e, de fato, escuto o que eles têm a dizer. Concordo Discordo 10. Não demito ninguém que apresente baixo desempenho sem antes oferecer a oportunidade de corrigir o problema. Concordo Discordo Pontuação Atribua 1 ponto a cada afirmação à qual você respondeu Concordo e 0 a cada afirmação à qual respondeu Discordo. Análise 8 10 Você lida muito bem com a gestão de desempenho de sua equipe. 5 7 É necessário melhorar suas habilidades de gestão de desempenho. 0 4 Você tem muito a melhorar, caso queira ser um bom gestor de desempenho.

4 14 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO A maioria das empresas contrata funcionários jovens, com poucos anos de experiência; pessoas que precisam de objetivos bem definidos, durante o treinamento para o cargo que ocuparão, e de su - per visão contínua. O que os gestores devem considerar quando ana lisam o desempenho desses empregados? Como avaliar a iniciativa individual de um funcionário, a qualidade do trabalho e o potencial de cresci - mento? Como documentar as avaliações? De quan - to em quanto tempo o rendimento do colaborador deve ser reavaliado? Em que situações alguém deve ser promovido ou demitido? Não há atalhos para avaliar funcionários, e sim processos, estratégias e técnicas que ajudam os ges - tores a analisar o rendimento de sua equipe de for - ma mais efetiva. Este livro apresenta os aspectos fundamentais da avaliação de empregados: contra - tação, gestão diária de desempenho, avaliações e o que fazer com problemas de rendimento. por que a gestão de desempenho é importante Tradicionalmente, avaliação de desempenho sig ni - ficava o mesmo que uma valoração do funcio - nário, ou a crítica do rendimento dele. Nos dias atuais, no entanto, muitas organizações vão além de apenas analisar a performance de seus emprega - dos, adotando um processo mais abrangente de gestão de desempenho. A gestão de desempenho consiste em um pro - cesso orientado para avaliar e ajudar os funcio ná -

5 GESTÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 15 rios. O ideal é que comece no dia em que o em pre - gado é admitido e se estenda até o momento em que ele deixa a orga nização. Se uma empresa e sua administração adotam essa visão mais ampla, os gestores se veem em posição bem mais favorável para ajudar cada colaborador a desenvolver seu potencial e a se sentir mais à vontade em sua fun - ção e no local em que trabalha. A gestão de desempenho ajuda os gestores a desen volver as habilidades dos integrantes de sua equipe e a mantê-los motivados. Também contri - bui para elevar a qualidade do trabalho e promover a produtividade, assim como para manter os fun - cio nários em sintonia com os objetivos corporativos. O processo de avaliação dos funcionários está no cerne da gestão de desempenho. O ideal é que os gestores avaliem, de maneira informal e com alguma periodicidade, os empregados ao longo do visão global Avaliação versus Valoração A avaliação de desempenho é muitas vezes confundida com uma espécie de valoração: uma negociação que costuma ser realizada uma vez por ano, em geral associada a uma compensação, isto é, aumento salarial e bônus. Gestores e funcionários costumam considerar essa negociação opressiva e desagradável.

6 16 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ano; em geral, as avaliações formais ocorrem a cada três meses ou uma vez ao ano. Na verdade, essa valoração anual do desem pe - nho tem gerado controvérsias nos círculos geren - ciais. Embora esse processo seja conduzido com a inten ção de ajudar o colaborador a melhorar sua perfor mance, ser bem-sucedido em seus trabalhos pensando diferente Uma matriz de valores e desempenho Jack Welch, ex-ceo da General Electric, descreveu quatro tipos de funcionários em uma carta dirigida aos acionistas, no relatório anual da empresa, em Disse que os dois tipos mais facilmente reconhecíveis eram aqueles que cumpriam todas as tarefas e compartilhavam dos valores da empresa e os que não apresentavam nem uma característica nem outra. O terceiro tipo era o dos empregados que compartilhavam os valores, mas não tinham o desempenho esperado. Welch acreditava que esses podiam ser redirecionados. O quarto tipo, no entanto, era o mais problemático: o dos colaboradores que cumpriam as tarefas, porém não compartilhavam dos valores da corporação. Por fim, Welch colocou esses últimos no olho da rua. Você pode criar um modelo de valores e desempenho para ajudá-lo a avaliar seus

7 GESTÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 17 e, por conseguinte, obter promoções, acaba sendo usado como mera crítica anual um método para se distribuir recompensas e punições. É por isso que hoje se considera essa valoração do desempe - nho apenas uma parte do processo, mais amplo, de gestão de desempenho, o qual abrange a traje tória completa do funcionário na empresa. J funcionários de maneira similar. Pense nas pessoas de sua equipe e se elas executam bem suas tarefas e compartilham dos valores da empresa. Depois disso, distribua-as conforme a matriz a seguir. Desempenho Elevado Razoável Inadequado Valores Elevados Razoáveis Inadequados Ao avaliar os funcionários, leve em consideração os fatos e comportamentos específicos que guiaram sua decisão sobre como posicioná-los na matriz. Depois, para cada um dos membros de sua equipe, identifique os pontos fracos, decida se há necessidade de capacitação e elabore um plano para ajudá-lo a melhorar. Fonte: O motor da liderança, de Noel M. Tichy (Educator, 1999).

8 18 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Avaliações construtivas podem gerar vantagens significativas. Para ser mais preciso, muitas vezes representam a única oportunidade de o empregado ter um tempo a sós com seu chefe imediato. Quan - to maior a ocorrência delas, melhor será o diálogo entre gestor e funcionário, o que aumenta o ânimo do segundo. Quando os gestores se dedi cam a rea - lizar avaliações frequentes, muitos benefí cios fun - da mentais são obtidos: Satisfação com o trabalho. Tende a aumentar após uma avaliação, pois o empregado recebe aten - ção individual de seu gestor e se sente envolvido no processo. Melhora de rendimento. Se o feedback do gestor é positivo e ele e o funcionário concordam em objet ivos específicos, o resultado pode ser a me - lhora significativa de desempenho. Desenvolvimento. Avaliações de performance representam uma excelente oportunidade para que gestores e equipes cheguem a um acordo sobre como as habilidades dos colaboradores podem ser desenvolvidas por treinamentos formais ou realiza - dos na própria empresa. Recompensas e reconhecimento. Quando as avaliações de desempenho estão ligadas a recom - pen sas e reconhecimento sendo a base para os au mentos salariais e o pagamento de bônus, elas se tornam um processo motivador ainda mais forte. Melhora organizacional. As avaliações de de sem - penho podem oferecer uma valiosa visão de como determinados tipos de pessoas lidam com tarefas específicas. Os gestores podem usar essas informa -

9 GESTÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 19 ções para melhorar a descrição das funções e para contratar o funcionário certo para cada cargo. comece contratando as pessoas certas O primeiro passo na gestão de desempenho é con - tra tar a pessoa certa para cada função. Os gestores estudo de caso Hallmark analisa se novos contratados atingem as expectativas Quando a Hallmark Cards não conseguiu encontrar uma ferramenta para ajudar a mensurar o sucesso de seus processos seletivos, a empresa criou seu próprio índice de pessoal. Os funcionários novos eram classificados na categoria qualidade de candidato inicial, variando de médio a excepcional. Após seis meses de trabalho, o empregado era reavaliado, segundo a mesma escala de cinco pontos, para determinar se as expectativas de seu supervisor tinham sido correspondidas. O processo continuava ao longo da primeira e da segunda avaliações anuais, de forma que os recrutadores da empresa podiam ter uma visão de longo prazo e julgar a qualidade contínua de uma contratação recente. Fonte: Hallmark s quality-of-hire initiative, de Aaron Dalton, Workforce Management Online (10 de maio de 2005).

10 20 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO são, com grande frequência, forçados a admitir sob pressão. Quando um funcionário muda de cargo ou quando surge uma nova vaga, o gestor se esforça para preenchê-la o mais rápido possível. No calor do momento, ele pode ceder a um candidato con - ve nientemente disponível, em vez de esperar pelo mais qualificado para ocupar o cargo. Ainda que despenda tempo, é necessário analisar com muita atenção todos os candidatos durante o processo seletivo. As qualidades de cada um deles devem ser adequadas à função. Considere a expe - riência e as referências como aspectos relevantes, mas também certifique-se de que a pessoa se adap ta ao perfil da empresa. Você está realmente veri fi can - do a possibilidade de o candidato ser bem-sucedido no trabalho. Isso é tão importante quan to a avaliação do funcionário. Qual é a melhor forma de encontrar a pessoa certa? Fazer a melhor descrição possível das funções do cargo a ser ocupado. A descrição do cargo como ferramenta de gestão de desempenho Além de ser fundamental para o processo seletivo, a descrição, benfeita, das funções de um cargo é uma ferramenta de gestão de desempenho. A descrição da vaga a ser preenchida deve ser ela borada em linguagem concisa e de fácil compre - en são. Precisa incluir detalhes suficientes para trans - mitir as responsabilidades específicas do cargo; porém, ser flexível o bastante para indicar a pos - sibilidade de crescimento do empregado.

11 GESTÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 21 Deve conter o cargo, um resumo das funções que serão desempenhadas, o nome do gerente ou su per - vi sor a que se reportará, uma lista de respon sabi lidades específicas, incluindo, se houver, tarefas de su pervisão, e as qualificações essenciais à posi ção, como forma - ção acadêmica, experiência e perfil desejado. É importante que contenha diretrizes de como a empresa espera que os funcionários se relacionem com os colegas de trabalho e com os clientes e de como se dá a avaliação de desempenho. Também vale a pena informar a carga horária, a faixa salarial e os benefícios oferecidos. A descrição do cargo bem redigida e abrangente delineia quais são as expectativas para a função e estabelece um padrão de desempenho. Ao apontar com clareza os requisitos necessários experiência, iniciativa e interação com os colegas e com outros departamentos, garante que os candidatos terão as qualificações esperadas e também se torna o guia do gestor para avaliar e conduzir a gestão de desempenho do funcionário. É preciso estar apto a usar a parte referente às responsabilidades de uma boa descrição de cargo como um checklist durante as avaliações periódicas de performance. Definição de metas para novos funcionários Na condição de gestor, sua responsabilidade é esta - be lecer metas que impulsionem os novos colabora - do res na direção correta. Traçar objetivos faz com que todos saibam o que é esperado deles e apresen - ta um esboço de como você avalia o desempenho dos integrantes de sua equipe.

12 22 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Na primeira semana de um funcionário em um novo trabalho, seu gestor imediato deve se reunir com ele e discutir as metas do cargo. Essa é uma oportunidade de rever a descrição da função e cer - ti ficar-se de que o empregado compreendeu por completo suas responsabilidades, assim como a estrutura para reportar o andamento do trabalho. Dê dicas a respeito de quem poderá ajudá-lo e de como transitar pela empresa. Um de meus objetivos é inspirar as pessoas a serem tudo o que podem ser. Também quero servir como exemplo e ensinar alguns princípios úteis e interessantes. Talvez eu possa ser a chave que ligará o motor de suas vidas, para que possam ir com seus carros para onde quiserem. Mark Victor Hansen, autor de O milionário em um minuto (Ediouro, 2004) Esse também é um bom momento para explicar aos novos funcionários como as metas específicas de suas funções vão ao encontro dos objetivos es -

13 GESTÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 23 tratégicos de negócio da empresa. Alinhar metas pes soais aos objetivos estratégicos ajuda os empre - ga dos a compreenderem seus papéis em uma pers - pectiva mais ampla, além de motivá-los. Os novos colaboradores ficarão ainda mais motivados se fo - rem incentivados a participar do processo para esta be lecer as metas. Envolva-os também na hora de definir como essas metas poderão ser atingidas. Seu papel como gestor é guiar os integrantes de sua equipe, não oferecer instruções passo a passo para por trás dos números Métodos de avaliação de desempenho Uma pesquisa com 218 gerentes de Recursos Humanos, em empresas com ou mais empregados, revelou que apenas 5% dos participantes estão satisfeitos com a maneira como a gestão de desempenho é conduzida em suas organizações. Os aspectos que mais deixam a desejar, de acordo com a pesquisa, dizem respeito ao mau uso da gestão de desempenho como ferramenta de retenção do funcionário e a falta de integração entre o sistema de avaliação e o plano de carreira. O maior grau de satisfação foi relativo a como o processo de gestão de desempenho identifica os que tiveram as melhores performances. Fonte: Performance management underperforms, de Gina Ruiz, Workforce Management (26 de junho de 2006).

14 24 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO o trabalho ser feito. Deixe claro que todos são par - ceiros no sucesso da empresa e que cada um será res pon sável pelo cumprimento de suas metas. Discuta também como o sucesso será mensurado. Assegure-se de que a definição dos objetivos é flexível e de que eles serão revistos periodicamente e de maneira colaborativa. pontos importantes! Gestão diária de desempenho As cincos etapas a seguir orientarão sua gestão diária de desempenho: Organize o que precisa ser feito, envolva o funcionário no processo de planejamento para incentivá-lo a assumir as tarefas e estabeleça expectativas. Monitore e avalie periodicamente o rendimento de cada integrante de sua equipe. Desenvolva as potencialidades individuais por meio de treinamentos, trabalhos desafiadores e oportunidades de promoção. Analise o desempenho dos colaboradores durante as avaliações trimestrais e anuais, usando uma escala de classificação ou outra forma de avaliar objetivamente. Recompense o bom rendimento com elogios.

15 GESTÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 25 O que mensurar Para avaliar o desempenho de modo efetivo, o ges - tor precisa saber o que é importante ser conside - ra do. Uma forma de se abordar a mensuração do de sem penho, popularizada por Peter Drucker, é a admi nistração por objetivos, também conhecida como Management by Objectives (MBO), em por tuguês, Administração por Objetivos (APO). Segundo a APO, o gestor estabelece objetivos espe - cífi cos de performance, e o funcionário concorda em ser avaliado, de acordo com o sucesso que obti - ver para atingi-los. Esses objetivos são individuais, per tinen tes ao cargo ocupado por cada um quanto mais específicos, melhor. Por exemplo, o objetivo para um profissional de vendas pode ser quantos pedidos de compra foram gerados em determinado período. O principal benefício da APO é mensurar os resultados de forma objetiva, em vez de trabalhar com padrões subjetivos de desempenho. O funcio - nário é envolvido ativamente tanto no processo de estabelecer as metas como no de trabalhar para atin gi-las. Ele se autogerencia e assume a responsa - bilidade de decidir como alcançará cada meta. Ao mesmo tempo em que oferece uma grande flexibi - lidade e independência ao colaborador, o método também pode ser desafiador e até intimidador, sobretudo para os menos experientes. Por essa razão, algumas organizações usam, em vez de a APO, um sistema de classificação de per - for mance, com base no qual o funcionário é classi - ficado segundo uma série de atributos, em uma

16 26 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO estudo de caso Empresas usam a gestão de desempenho para dar a volta por cima Em 1999, a NCCI Holdings, uma empresa que fornece dados sobre reclamações de acidentes no trabalho, enfrentou uma tentativa de aquisição, perdeu seu foco estratégico e viu a taxa de rotatividade de seus empregados aumentar muito. A equipe de Recursos Humanos, então, estudou o problema e decidiu instituir um novo sistema de gestão de desempenho. Com o novo método, o rendimento de cada funcionário era monitorado e depois, a cada seis meses, avaliado. Objetivos específicos eram estabelecidos e atrelados a compensações. A NCCI Holdings também instituiu avaliações em 360, nas quais se obtêm feedbacks confidenciais de colegas de trabalho e clientes acerca de cada empregado. Sessões de treinamento individualizado foram organizadas para os que receberam as piores avaliações. Apesar da complexidade de se implementar um novo sistema, o esforço gerou muitos dividendos. Em dois anos, a rotatividade diminuiu de mais de 26% para 21%, e, o que é ainda mais importante, a empresa reteve mais de 94% dos funcionários que foram identificados como detentores de ótimo desempenho. Fonte: How performance management reversed NCCI s Fortunes, de Patrick Kiger, Workforce Management (maio de 2002).

17 GESTÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 27 escala do tipo que varia de Excelente a Insatisfa - tório. As qualidades podem ser gerais, como atitu - de, esforço, relacionamento e facilidade de comu - ni cação, ou específicas do cargo do empre ga do. Esse sistema é menos flexível do que a APO, mas pode ser padronizado com mais facilidade, o que possi bilita que os resultados de toda a força de tra - balho da empresa sejam analisados. Outras empresas instituem um sistema modifi - ca do de classificação, que combina uma escala clas sificatória e uma descrição por es crito do desem penho do empregado. Além de clas si ficar a perfor man ce do funcionário em uma escala, o gestor reúne feedbacks em 360 (informações fornecidas por colegas de trabalho e clientes), ela - bo rando uma narrativa que oferece uma imagem mais completa da performance do empregado. Às vezes, combina-se a escala classificatória com o método APO, acrescentando-se objetivos mensu rá - veis ao processo de avaliação. O método de mensuração do desempenho pode variar de acordo com a empresa, porém os critérios são basicamente os mesmos. Sua meta como gestor é avaliar a competência geral de seus funcionários e o sucesso deles em preencher as exigências de seus cargos. Defina metas e objetivos Independentemente de você enxergar ou não a administração por objetivos como uma forma de mensurar a performance dos funcionários, é importante definir metas e objetivos para você e

18 28 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO pontos importantes! Como mensurar o desempenho de um funcionário Uma grande variedade de métodos foi desenvolvida para classificar a performance dos funcionários: Administração por objetivos. O gestor estabelece objetivos específicos de desempenho, e o colaborador concorda em ser avaliado, de acordo com o sucesso que obtiver no cumprimento deles. Os objetivos são individualizados por cargo. Sistema de classificação de desempenho. O empregado é classificado conforme uma série de atributos, usando um tipo de escala equivalente às que variam de Excelente a Insatisfatório. As qualidades podem ser gerais, como atitude, empenho, relacionamento e facilidade de comunicação ou específicas ao cargo. Avaliação narrativa de desempenho. Os gestores apresentam apreciações por escrito acerca do rendimento dos funcionários. Então, juntam o feedback em 360 (avaliações confidenciais de colegas de trabalho) ao texto, a fim de criar um quadro mais completo da performance dos integrantes de sua equipe.

19 GESTÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 29 para os integrantes de sua equipe. É tênue a linha que separa metas de objetivos, mas suficiente para estabelecer uma diferença: meta é um resulta do mais amplo e estratégico que você ou sua em pre sa deseja atingir, enquanto objetivo é um resultado mais específico e tático que apoia a meta. Por exem plo: a meta corporativa poderia ser obter a lide rança mundial isolada no mercado de com - puta dores pessoais neste ano fiscal, e o objetivo seria vender 100 mil computadores pes soais no primeiro trimestre deste ano fiscal. Estou apto a gerar competência em negócios e, ainda mais importante, oferecer experiência. O pessoal aqui na Google é jovem. Todos os dias temos muitos novos desafios. Mantenho as pessoas focadas. Meu discurso diário é: É isso que fazemos. O que você está fazendo é coerente com isso e mudará o mundo? Eric Schmidt, CEO da Google

20 30 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO A definição de metas e objetivos delineia um curso e dá aos funcionários algo pelo que se empe - nhar. Além disso, oferece ao gerente uma estrutura para avaliar desempenhos. Uma me todologia co - mum para criar metas e objetivos efe tivos é a dada pelo acrônimo SMART Specific, Measurable, Achievable, Realistic e Time-related, na sigla em inglês, que se refere a metas espe cíficas, mensu - rá veis, atingíveis, realistas e com prazos determinados. Metas específicas. Ao definir metas com um funcionário, seja o mais específico possível. Ele pre - cisa saber o tipo de meta, quais recursos e pessoas podem ser necessários para atingi-las, o prazo de execução e quaisquer outros detalhes. Metas mensuráveis. Estabeleça como será men - surado o sucesso de metas atingidas. Os crité rios podem incluir o prazo, um percentual de melhora de qualidade ou um aumento estipulado de quan - tidade. Especificar o que será medido nos diferen - tes estágios de trabalho, antes de se atingir por completo a meta, ajuda a monitorar o progresso. Metas atingíveis. Todas as metas devem ser motivacionais, a fim de incentivar o funcionário a agir. Ao passar as metas para o papel, use palavras de ação para energizar o empregado. Tenha certe - za de que ele entendeu e aceitou as metas, e está com prometido a atingi-las. O gestor precisa estar sem pre pronto para oferecer apoio. Metas realistas. Pergunte-se se a consecução da meta estabelecida é viável para o colaborador. Ele pode ter outras responsabilidades, os recursos po - dem ser escassos ou os obstáculos organizacionais podem se interpor no caminho. Uma meta realista

21 GESTÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 31 deve estar sob o controle do funcionário, em vez de depender de muitas outras pessoas. Não há nada de errado em estabelecer metas desafiadoras você quer que a pessoa se desenvolva, mas tenha certeza de que sejam exequíveis. Metas com prazos determinados. Metas efeti - vas têm prazo para sua conclusão. Um prazo final estabelece uma linha do tempo para o empre gado, por trás dos números Funcionários precisam de mais elogios a seus desempenhos Questionários recentes revelam que metade dos empregados diz receber pouco ou nenhum crédito pelas tarefas que executam, e quase dois terços deles afirmam que a administração tende muito mais a criticar negativamente do que a elogiar o trabalho benfeito. Esse é um sinal de alerta para supervisores. Por meio de simples elogios ocasionais, um gestor pode motivar sua equipe a melhorar o desempenho. As conclusões dessa pesquisa baseiam-se em questionários submetidos a cerca de 1,2 milhão de funcionários das 52 principais empresas da lista Fortune 1000 de 2001 a Fonte: Stop demotivating your employees!, de David Sirota et al., Harvard Management Update (janeiro de 2006).

22 32 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO evita o adiamento e estimula o senso de realização. Se a meta tem vários meses até a data final, vale a pena ajudar o funcionário a estabelecer prazos intermediários para completar as diferentes fases do trabalho. Ofereça feedbacks frequentes Não faz sentido contratar um funcionário, investir em treinamento, aclimatá-lo à empresa e depois deixa-lo à deriva. (Ainda que alguns gestores lavem suas mãos e acreditem que o sucesso ou o fracasso dependam integralmente do empregado.) Esse é um tipo de administração que dificulta a avaliação do desempenho dos empregados, pois atrapalha até mesmo os que são mais competentes desde o início. Gestores experientes sabem que os integrantes de sua equipe precisam de feedbacks frequentes e de elogios, caso queiram que eles atin - jam as metas e potencializem suas competências. Isso não significa que você precise fiscalizar seus funcionários o tempo inteiro ou supervisionar cada detalhe das tarefas deles. É possível obter êxito com uma técnica bastante simples batizada de Gestão peripatética Management By Walking Around, MBWA, na sigla em inglês. Há cerca de vinte anos, Tom Peters e Robert H. Waterman Jr. escreveram sobre a MBWA no livro Vencendo a crise (Harper & Row do Brasil, 1983). Essa técnica, que era usada por gestores seniores da Hewlett-Packard para manter um contato próximo com seu pessoal, con - tinua sendo uma das melhores formas para saber como andam as coisas em uma equipe. É possível

23 GESTÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 33 visão global Pessoas comuns Em geral, apenas 20% ou menos de seus funcionários terão desempenhos extraordinários. Esse percentual pequeno representa as poucas estrelas que poderão exceder até mesmo seus objetivos mais ambiciosos. Você deve, é claro, premiá-los com rendimento extraordinário, mas não deixe de reconhecer também os que têm desempenhos comuns. Os 80% de seus funcionários que trabalham de forma consistente todos os dias, contribuindo de diversas maneiras para o sucesso de sua empresa, também são importantes. Avaliações rotineiras de performance revelam os esforços desses empregados valiosos, porém menos visíveis. aplicá-la a qualquer situação, independentemente de onde você trabalhe. Gestão peripatética significa, literalmente, le - van tar-se, sair de sua sala e ir de um empregado a outro. Ao observá-los, fazer perguntas e ainda mais importante ouvi-los, pode-se, informal men - te, verificar o desenvolvimento das tarefas. É pos - sível observar como um funcionário está enfrentan - do determinado desafio, detectar os problemas quando ainda estão se formando e solu cioná-los de

24 34 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO imediato. É claro que, se os colabora dores que se reportam a você estão espalhados pelo país ou pelo mundo, será mais difícil se encontrar fisicamente com cada um deles, mas é possível, ao menos, substituir o contato pessoal por uma conversa casual por telefone. A MBWA, uma vez adotada, possibilita que você ofereça feedbacks frequentes e monitore o andamento dos trabalhos. Qualquer que seja o método que funciona me - lhor para seu estilo de gestão, reconheça e avalie o estudo de caso Análises frequentes de desempenho Poucos anos atrás, gerentes da Whirlpool Corporation faziam a maior parte de suas análises de desempenho via computador. O sistema foi empregado para aliviar o peso, que muitos consideravam oneroso, do processo de analisar o rendimento de seus subordinados. Não demorou muito, no entanto, para que os funcionários começassem a reclamar de que não estavam recebendo um retorno satisfatório. Assim, em 2004, a empresa reformulou o processo. Hoje a Whirlpool demanda que os gestores avaliem, em reuniões cara a cara, a performance de seus funcionários ao menos quatro vezes por ano. Também estipula que os empregados falem sobre suas expectativas com relação ao próprio desempenho, as quais

25 GESTÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 35 desempenho de seus funcionários com regulari - dade. É importante realizar reuniões semanais de acompanhamento, com colaboradores individual - mente ou com cada equipe, por exemplo. Outra boa iniciativa é enviar s respondendo às ideias ou comentando as realizações deles, e, é claro, as análises mensais, trimestrais e anuais de desempenho devem servir como oportuni dade para oferecer um feedback honesto. Em geral, os empregados respondem melhor aos elogios, ob via - serão analisadas posteriormente por seus supervisores. Um gerente da empresa, que costumava fazer duas avaliações por ano, decidiu aumentar a frequência e realizar reuniões quinzenais de acompanhamento. Ele se reúne, por no máximo 45 minutos, com seus oito funcionários separadamente, processo que, segundo ele, gerou resultados muito melhores. De acordo com esse gerente, quanto mais frequentes são essas reuniões, mais ele se mantém concentrado em orientar os subordinados e a ajudá-los a expandir suas competências, o que, em troca, permite-lhe delegar mais tarefas para a equipe. Fonte: For relevance, firm revamp worker reviews, de Erin White, The Wall Street Journal (17 de julho de 2006).

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas.

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas. INTRODUÇÃO Você, provavelmente, já sabe que colaboradores felizes produzem mais. Mas o que sua empresa tem feito com esse conhecimento? Existem estratégias que de fato busquem o bem-estar dos funcionários

Leia mais

Levantamento do Perfil Empreendedor

Levantamento do Perfil Empreendedor Levantamento do Perfil Empreendedor Questionário Padrão Informações - O objetivo deste questionário é auxiliar a definir o seu perfil e direcioná-lo para desenvolver suas características empreendedoras.

Leia mais

José Modelo Empresa ABC 16 de dezembro de 2008

José Modelo Empresa ABC 16 de dezembro de 2008 Avaliação Caliper de Empresa ABC 16 de dezembro de 2008 Fornecido por Caliper Estratégias Humanas do Brasil Ltda. Copyright 2008 Caliper Corporation. Todos os direitos reservados. Este Guia de Desenvolvimento

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL - "QDO" 5. ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE QDO

QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL - QDO 5. ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE QDO QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL - "QDO" 1. FOLHA DE RESULTADOS DO QDO 2. PERFIL E INTERPRETAÇÃO DO D.O. 3. FUNDAMENTAÇÃO 4. INTERPRETAÇÃO DO DIAGNÓSTICO 5. ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE QDO 6.

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Rubricas e guias de pontuação

Rubricas e guias de pontuação Avaliação de Projetos O ensino a partir de projetos exibe meios mais avançados de avaliação, nos quais os alunos podem ver a aprendizagem como um processo e usam estratégias de resolução de problemas para

Leia mais

Capítulo 15: TÉCNICAS PARA UMA ENTREVISTA DE TRABALHO

Capítulo 15: TÉCNICAS PARA UMA ENTREVISTA DE TRABALHO Capítulo 15: TÉCNICAS PARA UMA ENTREVISTA DE TRABALHO 15.1 Como se Preparar para as Entrevistas É absolutamente essencial treinar-se para as entrevistas. Se você não praticar, poderá cometer todos os tipos

Leia mais

Desperdiçadores Psicológicos de Tempo. Procrastinação, Perfeccionismo, Desorganização e Falta de disciplina.

Desperdiçadores Psicológicos de Tempo. Procrastinação, Perfeccionismo, Desorganização e Falta de disciplina. Desperdiçadores Psicológicos de Tempo Procrastinação, Perfeccionismo, Desorganização e Falta de disciplina. Desperdiçadores Psicológicos de Tempo Marciliana Corrêa (CRP 06 6519-5) Master Coach pelo International

Leia mais

O ABC da gestão do desempenho

O ABC da gestão do desempenho Por Peter Barth O ABC da gestão do desempenho Uma ferramenta útil e prática para aprimorar o desempenho de pessoas e organizações 32 T&D INTELIGÊNCIA CORPORATIVA ED. 170 / 2011 Peter Barth é psicólogo

Leia mais

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil O futuro é (deveria ser) o sucesso Como estar preparado? O que você NÃO verá nesta apresentação Voltar

Leia mais

Teste sua empregabilidade

Teste sua empregabilidade Teste sua empregabilidade 1) Você tem noção absoluta do seu diferencial de competência para facilitar sua contratação por uma empresa? a) Não, definitivamente me vejo como um título de cargo (contador,

Leia mais

8 Erros Que Podem Acabar Com Seu Negócio de Marketing Digital

8 Erros Que Podem Acabar Com Seu Negócio de Marketing Digital 8 Erros Que Podem Acabar Com Seu Negócio de Marketing Digital Empreender em negócios de marketing digital seguramente foi uma das melhores decisões que tomei em minha vida. Além de eu hoje poder ter minha

Leia mais

Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search

Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search Gerenciamento de Carreira pelo Bluesteps.com Contents: Introdução: O recrutamento de Executivos de Nível Sênior Page 1-2: O que é Retained Executive Search?

Leia mais

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

Quatro Níveis de Avaliação de Treinamento

Quatro Níveis de Avaliação de Treinamento Quatro Níveis de Avaliação de Treinamento Resenha por Eliana Dutra KIRKPATRICK, Donald L., Evaluating Training Programs - THE FOUR LEVELS. Berrett-Koehler Publishers, Inc. 1994. De acordo com Donald Kirkpatrick,

Leia mais

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson Saúde e produtividade: o valor de uma força de trabalho saudável para o sucesso nos negócios Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo,

Leia mais

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Latest update New and revised ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Introdução A ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, a primeira norma ambiental internacional do mundo tem ajudado milhares de

Leia mais

www.dalecarnegie.com.br Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper

www.dalecarnegie.com.br Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper www.dalecarnegie.com.br Copyright 2014 Dale Carnegie & Associates, Inc. All rights reserved.

Leia mais

Gestão de Desempenho... Promove Sucesso. Um Guia de Visão Geral

Gestão de Desempenho... Promove Sucesso. Um Guia de Visão Geral Gestão de Desempenho... Promove Sucesso. Um Guia de Visão Geral Gestão de Desempenho... Promove Sucesso. Na Watson, reconhecemos que o sucesso global da nossa Empresa é impulsionado pelo compromisso de

Leia mais

Princípios de Liderança

Princípios de Liderança Princípios de Liderança LIDERANÇA E COACH www.liderancaecoach.com.br / liderancaecoach ÍNDICE Liderança Chefe x Líder O que um líder não deve fazer Dicas para ser um líder de sucesso Para liderar uma equipe

Leia mais

Avaliação Confidencial

Avaliação Confidencial Avaliação Confidencial AVALIAÇÃO 360 2 ÍNDICE Introdução 3 A Roda da Liderança 4 Indicadores das Maiores e Menores Notas 7 GAPs 8 Pilares da Estratégia 9 Pilares do Comprometimento 11 Pilares do Coaching

Leia mais

Manual de instruções para o desenvolvimento do Caderno de Evidências Book

Manual de instruções para o desenvolvimento do Caderno de Evidências Book Manual de instruções para o desenvolvimento do Caderno de Evidências Book O Caderno de Evidências (Book) acompanhará o questionário da empresa na pesquisa. É importante lembrar que o envio desse material,

Leia mais

O papel do CRM no sucesso comercial

O papel do CRM no sucesso comercial O papel do CRM no sucesso comercial Escrito por Gustavo Paulillo Você sabia que o relacionamento com clientes pode ajudar sua empresa a ter mais sucesso nas vendas? Ter uma equipe de vendas eficaz é o

Leia mais

Este texto é de autoria da Diretora de Vendas Cláudia Leme, muito bom!!! Vale a pena conferir!!! O PRIMEIRO PEDIDO

Este texto é de autoria da Diretora de Vendas Cláudia Leme, muito bom!!! Vale a pena conferir!!! O PRIMEIRO PEDIDO Este texto é de autoria da Diretora de Vendas Cláudia Leme, muito bom!!! Vale a pena conferir!!! O PRIMEIRO PEDIDO A Sra Mary Kay já dizia: nada acontece enquanto você não vende alguma coisa. Se você está

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa Ricardo Pereira Antes de começar por Ricardo Pereira Trabalhando na Templum Consultoria eu tive a rara oportunidade

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

T&E Tendências & Estratégia

T&E Tendências & Estratégia FUTURE TRENDS T&E Tendências & Estratégia Newsletter número 1 Março 2003 TEMA deste número: Desenvolvimento e Gestão de Competências EDITORIAL A newsletter Tendências & Estratégia pretende ser um veículo

Leia mais

A MOTIVAÇÃO INFLUENCIA NO DESEMPENHO DAS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES? INFLUENCE MOTIVATION PERFORMANCE OF PERSONS IN ORGANIZATIONS?

A MOTIVAÇÃO INFLUENCIA NO DESEMPENHO DAS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES? INFLUENCE MOTIVATION PERFORMANCE OF PERSONS IN ORGANIZATIONS? A MOTIVAÇÃO INFLUENCIA NO DESEMPENHO DAS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES? INFLUENCE MOTIVATION PERFORMANCE OF PERSONS IN ORGANIZATIONS? Ana Carolina Gimenes Figueiredo Graduanda em Administração - Universidade

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

Implementação de estratégias

Implementação de estratégias Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Implementação de estratégias Agenda: Implementação de Estratégias Visão Corporativa sobre

Leia mais

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Por Allan J. Albrecht Proc. Joint SHARE/GUIDE/IBM Application Development Symposium (October, 1979), 83-92 IBM Corporation, White Plains, New York

Leia mais

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento M A N U A L TREINAMENTO 1. Introdução A velocidade das mudanças tecnológicas, o aumento da diversidade nos locais de trabalho e a acentuada mobilidade dos trabalhadores atuais são aspectos do mundo contemporâneo

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Questões sobre o tópico Avaliação de Desempenho: objetivos, métodos, vantagens e desvantagens. Olá Pessoal, Espero que estejam gostando dos artigos. Hoje veremos

Leia mais

Judith H. Katz e Frederick A. Miller. seja. grande

Judith H. Katz e Frederick A. Miller. seja. grande Judith H. Katz e Frederick A. Miller seja grande Com amor, para David, meu parceiro de vida, que mantém sua fé em meu desejo de ser GRANDE; para Fred, que me ensinou o que realmente significa ousar dar

Leia mais

LIDERAR UMA FORÇA DE TRABALHO MULTIGERACIONAL:UM GUIA PARA O COACHING & O ENGAJAMENTO DO COLABORADOR

LIDERAR UMA FORÇA DE TRABALHO MULTIGERACIONAL:UM GUIA PARA O COACHING & O ENGAJAMENTO DO COLABORADOR LIDERAR UMA FORÇA DE TRABALHO MULTIGERACIONAL:UM GUIA PARA O COACHING & O ENGAJAMENTO DO COLABORADOR LIDERAR UMA FORÇA DE TRABALHO MULTIGERACIONAL:UM GUIA PARA O COACHING & O ENGAJAMENTO DO COLABORADOR

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais

www.poderdocoachingemgrupos.com.br

www.poderdocoachingemgrupos.com.br Pesquisa de Mercado A condução de pesquisas de mercado é uma das atividades mais eficazes e importantes que você pode fazer quando você estiver projetando seu coaching em grupo. Você vai se surpreender

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr.

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr. Construindo o Conteúdo da Liderança José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH Módulo 1: Alinhando Gestão de Pessoas com a Estratégia da Empresa Módulo 2: Compreendendo e Dinamizando a Cultura

Leia mais

Líder: o fio condutor das mudanças

Líder: o fio condutor das mudanças Líder: o fio condutor das mudanças Por Patrícia Bispo para o RH.com.br Para quem imagina que liderar pessoas significa apenas delegar ordens e cobrar resultados a qualquer custo, isso pode significar o

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL E DE LIDERANÇA. Estilos de comportamento no ambiente de trabalho Diagnóstico

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL E DE LIDERANÇA. Estilos de comportamento no ambiente de trabalho Diagnóstico PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL E DE LIDERANÇA Estilos de comportamento no ambiente de trabalho Foco do programa O desenvolvimento de habilidades gerenciais e capacidades de liderança passa pelo

Leia mais

Como cultivar leads do Comitê de TI

Como cultivar leads do Comitê de TI BRASIL Como cultivar leads do Comitê de TI O marketing está ajudando ou atrapalhando? Confiança + Credibilidade devem ser CONQUISTADAS O profissional de marketing moderno conhece a importância de cultivar

Leia mais

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky Tradução: Diogo Kosaka Gostaria de compartilhar minha experiência pessoal como engenheiro

Leia mais

Quem precisa de metas afinal? Por que ter metas?

Quem precisa de metas afinal? Por que ter metas? Metas e Objetivos Muito se confunde a respeito destes dois conceitos quando se faz um planejamento estratégico do negócio. A diferença entre Meta e Objetivo, no entanto, é bastante clara como será apresentada

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação

Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação Caros colegas, orienta o modo como nossa organização trabalha para selecionar, desenvolver, motivar e valorizar o bem mais importante da Bausch + Lomb nossas

Leia mais

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Estratégia de TI Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio 2011 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões 8 Passos para o Recrutamento Eficaz Por Tiago Simões Uma das coisas que aprendi na indústria de marketing de rede é que se você não tem um sistema de trabalho que comprovadamente funcione, muito provavelmente

Leia mais

Aula 9. Liderança e Gestão de Equipes

Aula 9. Liderança e Gestão de Equipes Aula 9 Liderança e Gestão de Equipes Profa. Ms. Daniela Cartoni daniela.cartoni@veris.edu.br Trabalho em Equipe Nenhum homem é uma ilha, sozinho em si mesmo; Cada homem é parte do continente, parte do

Leia mais

Rumo a novos patamares

Rumo a novos patamares 10Minutos Auditoria Estudo sobre a Situação da Profissão de Auditoria Interna Rumo a novos patamares Destaques Os stakeholders estão menos satisfeitos com a contribuição da auditoria interna em áreas de

Leia mais

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO Por que ler este livro? Você já escutou histórias de pessoas que ganharam muito dinheiro investindo, seja em imóveis ou na Bolsa de Valores? Após ter escutado todas essas

Leia mais

Faça mais, com menos: Como crescer em um mercado de trabalho desafiador

Faça mais, com menos: Como crescer em um mercado de trabalho desafiador Faça mais, com menos: Como crescer em um mercado de trabalho desafiador Investir em pessoal com um programa de gestão de desempenho permite que uma operação de abastecimento não só sobreviva, mas cresça

Leia mais

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa.

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa. A Liderança Faz a Diferença Guia de Gerenciamento de Riscos Fatais Introdução 2 A prevenção de doenças e acidentes ocupacionais ocorre em duas esferas de controle distintas, mas concomitantes: uma que

Leia mais

Manual de Aplicação do Jogo da Escolha. Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas

Manual de Aplicação do Jogo da Escolha. Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas Manual de Aplicação do Jogo da Escolha Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas 1 1. Como o jogo foi elaborado O Jogo da Escolha foi elaborado em 1999 pelo Centro de Pesquisa em Álcool e Drogas

Leia mais

O modelo CORD de produtividade

O modelo CORD de produtividade Data do documento 16. 12. 2014 Este ano eu li Como ser um Ninja em Produtividade, em uma tentativa de me tornar mais produtivo. O autor, Graham Allcott, compartilha algumas estratégias para tirar o máximo

Leia mais

Avaliando Ações de Treinamento e Desenvolvimento. Daniel Orlean

Avaliando Ações de Treinamento e Desenvolvimento. Daniel Orlean Avaliando Ações de Treinamento e Desenvolvimento Daniel Orlean ou... 6Ds + ROI Daniel Orlean Como você faz para aprovar um programa de T&D Na sua percepção, qual a maior barreira ao implementar um processo

Leia mais

O guia do profissional de Recursos Humanos. Como melhorar o desenvolvimento da equipe

O guia do profissional de Recursos Humanos. Como melhorar o desenvolvimento da equipe O guia do profissional de Recursos Humanos Como melhorar o desenvolvimento da equipe 1 Introdução 03 Conhecendo as dores do seu time 05 Investir nos colaboradores! 08 Estabelecendo metas 11 A meditação

Leia mais

COMO FAZER A TRANSIÇÃO

COMO FAZER A TRANSIÇÃO ISO 9001:2015 COMO FAZER A TRANSIÇÃO Um guia para empresas certificadas Antes de começar A ISO 9001 mudou! A versão brasileira da norma foi publicada no dia 30/09/2015 e a partir desse dia, as empresas

Leia mais

DICAS PARA SEU PROCESSO SELETIVO

DICAS PARA SEU PROCESSO SELETIVO DICAS PARA SEU PROCESSO SELETIVO Você tem um real interesse em mudar de emprego? O headhunter entende que quando o candidato toma a decisão de avaliar o mercado, ele está à procura de uma oportunidade

Leia mais

ACTION LEARNING. O que é Action Learning? FUN D A MEN T OS D O

ACTION LEARNING. O que é Action Learning? FUN D A MEN T OS D O C L E O W O L F F O que é Action Learning? Um processo que envolve um pequeno grupo/equipe refletindo e trabalhando em problemas reais, agindo e aprendendo enquanto atuam. FUN D A MEN T OS D O ACTION LEARNING

Leia mais

Saiba Como Convencer os Executivos Sobre o Valor do Gerenciamento de Projetos. White Paper

Saiba Como Convencer os Executivos Sobre o Valor do Gerenciamento de Projetos. White Paper Saiba Como Convencer os Executivos Sobre o Valor do Gerenciamento de Projetos White Paper TenStep 2007 Saiba Como Convencer os Executivos Sobre o Valor do Gerenciamento de Projetos Não há nenhuma duvida

Leia mais

O GERENTE DE PROJETOS

O GERENTE DE PROJETOS O GERENTE DE PROJETOS INTRODUÇÃO Autor: Danubio Borba, PMP Vamos discutir a importância das pessoas envolvidas em um projeto. São elas, e não os procedimentos ou técnicas, as peças fundamentais para se

Leia mais

Coaching de Equipes: a resposta para as limitações do Coaching individual nas organizações

Coaching de Equipes: a resposta para as limitações do Coaching individual nas organizações 2014 Julho Ed. 14 1 Dossiê Coach Executivo e de Equipes, CEO e Fundador da Academy of Executive Coaching, de Londres john.leary-joyce@aoec.com Coaching de Equipes: a resposta para as limitações do Coaching

Leia mais

UNIDADE VI ESCREVENDO E-MAILS QUE GERAM RESULTADOS

UNIDADE VI ESCREVENDO E-MAILS QUE GERAM RESULTADOS UNIDADE VI ESCREVENDO E-MAILS QUE GERAM RESULTADOS Nessa unidade vou mostrar para você como escrever e-mails que geram resultados. Mas que resultados são esses? Quando você escreve um e-mail tem que saber

Leia mais

Dicas para seu sucesso Melhore seus resultados

Dicas para seu sucesso Melhore seus resultados Melhore seus resultados Equipe Tela Brasileira Tela Brasileira é o primeiro site de empregos especializado em cinema, TV, vídeo, rádio e computação gráfica. Contamos com uma vasta rede de profissionais/freelancers

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

GUIA DO SGD. Transformação SISTEMA ELETROBRÁS. Conheça mais sobre o novo Sistema de Gestão do Desempenho (SGD) que entrará

GUIA DO SGD. Transformação SISTEMA ELETROBRÁS. Conheça mais sobre o novo Sistema de Gestão do Desempenho (SGD) que entrará GUIA DO SGD Conheça mais sobre o novo Sistema de Gestão do Desempenho (SGD) que entrará em vigor em todas as empresas do Sistema Eletrobrás ainda este ano. Transformação SISTEMA ELETROBRÁS A T R A N S

Leia mais

DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA

DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA GUIA PARA A ESCOLHA DO PERFIL DE INVESTIMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA Caro Participante: Preparamos para você um guia contendo conceitos básicos sobre investimentos, feito para ajudá-lo a escolher

Leia mais

Problemas, todos temos. Os chefes PONTO. direto ao

Problemas, todos temos. Os chefes PONTO. direto ao Se você usa alguma delas, entre imediatamente em estado de alerta; você pode não ser um líder tão capaz quanto imagina Problemas, todos temos. Os chefes então, nem se fale. Mas, se aqueles que são terríveis

Leia mais

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software [...] O que é a Qualidade? A qualidade é uma característica intrínseca e multifacetada de um produto (BASILI, et al, 1991; TAUSWORTHE, 1995).

Leia mais

Como contratar staff de Projetos...

Como contratar staff de Projetos... Como contratar staff de Projetos... Que qualidades estou buscando no profissional de Projetos, e como identificá-las...? Alguns exemplos do que podemos buscar..! 1. Visão 2. Orientação estratégica 3. Inovação

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

Enquete. O líder e a liderança

Enquete. O líder e a liderança Enquete O líder e a liderança Muitas vezes, o sucesso ou fracasso das empresas e dos setores são creditados ao desempenho da liderança. Em alguns casos chega-se a demitir o líder, mesmo aquele muito querido,

Leia mais

Artigo Os 6 Mitos Do Seis Sigma

Artigo Os 6 Mitos Do Seis Sigma Artigo Os 6 Mitos Do Seis Sigma Celerant Consulting A metodologia do Seis Sigma a abordagem Definir, Medir, Analisar, Melhorar e Controlar (DMAIC) para resolução de problemas e as ferramentas a serem usadas

Leia mais

3 Dicas MATADORAS Para Escrever Emails Que VENDEM Imóveis

3 Dicas MATADORAS Para Escrever Emails Que VENDEM Imóveis 3 Dicas MATADORAS Para Escrever Emails Que VENDEM Imóveis O que é um e- mail bem sucedido? É aquele e- mail que você recebe o contato, envia o e- mail para o cliente e ele te responde. Nós não estamos

Leia mais

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir.

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir. 1. A administração de recursos humanos, historicamente conhecida como administração de pessoal, lida com sistemas formais para administrar pessoas dentro da organização. A administração de recursos humanos

Leia mais

ANALISANDO UM ESTUDO DE CASO

ANALISANDO UM ESTUDO DE CASO ANALISANDO UM ESTUDO DE CASO (Extraído e traduzido do livro de HILL, Charles; JONES, Gareth. Strategic Management: an integrated approach, Apêndice A3. Boston: Houghton Mifflin Company, 1998.) O propósito

Leia mais

Como fazer contato com pessoas importantes para sua carreira?

Como fazer contato com pessoas importantes para sua carreira? Como fazer contato com pessoas importantes para sua carreira? - Tem alguém com quem você gostaria de fazer contato? - Porque você não o fez até agora? - Por que é importante aprender a fazer esses contatos?

Leia mais

JANELA DE JOHARI (RELACIONAMENTO INTERPESSOAL)

JANELA DE JOHARI (RELACIONAMENTO INTERPESSOAL) % ABERTURA JANELA DE JOHARI (RELACIONAMENTO INTERPESSOAL) Esta avaliação é constituída de 20 questões possíveis de ocorrer em uma empresa. Cada questão é composta por duas afirmativas. Você deve analisar

Leia mais

Objetivos da aula. Definição de Consultoria 1. Processos Gerenciais

Objetivos da aula. Definição de Consultoria 1. Processos Gerenciais Processos Gerenciais Prof. Clóvis Luiz Galdino Módulo: Inovação e Continuidade Tema: Consultoria Empresarial Objetivos da aula Apresentar os pressupostos básicos da consultoria e suas definições; Discutir

Leia mais

PMBoK Comentários das Provas TRE-PR 2009

PMBoK Comentários das Provas TRE-PR 2009 PMBoK Comentários das Provas TRE-PR 2009 Comentário geral: As provas apresentaram grau de dificuldade médio. Não houve uma preocupação da banca em aprofundar os conceitos ou dificultar a interpretação

Leia mais

Trabalho de avaliação complementar do MBA Fama

Trabalho de avaliação complementar do MBA Fama MBA Executivo Trabalho de avaliação complementar do MBA Fama COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL E ASPECTOS COMPORTAMENTAIS Janaina Ferreira Alves, M.Sc Janainaf@aol.com Realização Faculdade Machado de Assis FAMA

Leia mais

CRITÉRIO 3: SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DO DESEMPENHO

CRITÉRIO 3: SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DO DESEMPENHO CRITÉRIO 3: SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DO DESEMPENHO Este capítulo inclui: Visão geral O Ciclo de Gestão do Desempenho: Propósito e Objectivos Provas requeridas para a acreditação Outros aspectos

Leia mais

LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra

LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra INTRODUÇÃO As organizações vivem em um ambiente em constante transformação que exige respostas rápidas e efetivas, respostas dadas em função das especificidades

Leia mais

CONTROLE ESTRATÉGICO

CONTROLE ESTRATÉGICO CONTROLE ESTRATÉGICO RESUMO Em organizações controlar significa monitorar, avaliar e melhorar as diversas atividades que ocorrem dentro de uma organização. Controle é fazer com que algo aconteça como foi

Leia mais

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Avaliação de: Sr. José Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: 11/06/2014 Perfil Caliper Gerencial e Vendas

Leia mais

% Das estratégias fracassam por ineficácia em sua execução. Raramente fracassam por falta de inteligência ou visão. DEFININDO A DIREÇÃO CAPITULO:1 NÃO É A ESTRATÉGIA UM FUTURO QUE MAL CONSEGUEM VISLUMBRAR

Leia mais

Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS

Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS Modelo operacional Qual é o modelo organizacional do PDS? Trabalhamos bastante para chegar ao modelo organizacional certo para o PDS. E aplicamos

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

AUTORAS ROSANGELA SOUZA

AUTORAS ROSANGELA SOUZA AUTORAS ROSANGELA SOUZA Especialista em Gestão Empresarial com MBA pela FGV e Professora de Estratégia na Pós-Graduação da FGV. Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

Iniciando. Bolsa de Valores. O que é uma ação?

Iniciando. Bolsa de Valores. O que é uma ação? O que é uma ação? Por definição é uma fração de uma empresa. Por isso, quem detém ações de uma companhia é dono de uma parte dela, ou melhor, é um dos seus sócios e por conseguinte passa a ganhar dinheiro

Leia mais

Aula 11 O Efeito Pigmalião

Aula 11 O Efeito Pigmalião Aula 11 O Efeito Pigmalião Objetivos da aula: Conhecer o chamado Efeito Pigmalião. Compreender a importância do conhecimento do Efeito Pigmalião pelo líder,l quando ele está envolvido no desenvolvimento

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

Perfil de investimentos

Perfil de investimentos Perfil de investimentos O Fundo de Pensão OABPrev-SP é uma entidade comprometida com a satisfação dos participantes, respeitando seus direitos e sempre buscando soluções que atendam aos seus interesses.

Leia mais