AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO: processo de aplicação em uma Cooperativa Agroindustrial 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO: processo de aplicação em uma Cooperativa Agroindustrial 1"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO: processo de aplicação em uma Cooperativa Agroindustrial 1 Fernanda Mendes² Anália Rodrigues³ Resumo: O presente trabalho aborda um dos processos do subsistema da gestão de recursos humanos denominado aplicar pessoas, a Avaliação de Desempenho, com o objetivo tanto de tratar de aspectos referes ao seu conceito, características e benefícios tanto para o avaliado como para a organização que propicia este tipo de ferramenta; como, em um segundo momento, descrever a implantação desta ferramenta em uma Cooperativa Agroindustrial, voltada para o beneficiamento de grãos, Assim, através de encontros individuais e coletivos entre os sujeitos que compõe a equipe de trabalho, suas chefias e o setor de relações humanas da empresa, jogos grupais e a utilização de questionários especialmente desenvolvidos, com o objetivo de fornecer para a organização uma visão mais específica do potencial de cada funcionário, bem como proporcionar aos colaboradores um momento de reflexão sobre seu trabalho junto a seu supervisor direto, recebendo assim, um retorno de como este lhe percebe enquanto profissional: suas potencialidades e os aspectos que ainda podem ser aperfeiçoados desenvolveu-se o projeto piloto de avaliação de desempenho, que pode ser compreendido como satisfatório, independentemente de alguns aspectos observados como passíveis de melhoria. Palavras-chave: desempenho, avaliação, potencial, recursos humanos, cooperativa, agronegócio. Abstract: The present paper addresses the processes of a subsystem of the management of human resources called apply person, Evaluating of Performance, aiming to address both aspects are referring to his concept, features and benefits both the individual and the organization that provides this type of tool; in a second phase, describe the implementation of this tool in an Agro industrial Cooperative, focused on the processing of grains, therefore, through meetings between individual and collective subjects who compose the 1 Artigo apresentado à Especialização do Curso MBA em Rh e Marketing da Faculdade Metodista de Santa Maria/RS-Brasil no ano de ² Psicóloga. Aluna do Curso de MBA em Rh e Marketing da Faculdade Metodista de Santa Maria/RS-Brasil. ³ Psicóloga Especialista em Gestão Inovadora de Pessoas e Equipes, Orientadora do Estudo.

2 team, their leaders and the sector of human relations company, group games and the use of specially developed questionnaires, with the goal of providing a vision for the organization more specifically the potential of each employee, as well as providing employees with a moment of reflection on their work with their direct supervisor, and receiving, a return like this you realize as a professional: their potential and aspects that can still be improved developed the pilot project performance evaluation, which can be understood as satisfactory, regardless of how some aspects observed for improvement. Key words: performance, assessment, potential, Improvement. 1 Introdução Cada vez mais as organizações estão voltando-se para a valorização do ser humano, pois compreenderam que o crescimento organizacional depende dos recursos humanos, assim iniciaram uma busca sistemática por estratégias voltadas para a valorização e gratificação dos funcionários por seu desempenho. Desenvolver pessoas é uma tarefa árdua e que toma tempo. Implica em diagnosticar as competências exigidas pelos cargos e confrontá-las com as de seus ocupantes, suprindo as lacunas existentes através do estabelecimento e acompanhamento de planos de desenvolvimento concisos, específicos, mensuráveis, factíveis, voltados para resultados, com datas definidas e com o coach do líder (Nascimento, Lopes & Argimon, 2005). O coach, de acordo com Araújo (1999), é um relacionamento no qual uma pessoa se compromete a apoiar outra a atingir um determinado resultado: seja ele o de adquirir competências e/ou produzir uma mudança específica. Mas não significa um compromisso apenas com os resultados, mas sim com a pessoa como um todo, seu desenvolvimento e sua realização. Através do processo de Coaching, novas competências surgem, tanto para o coach quanto para seu funcionário. Fica a cargo da pessoa que aplica a avaliação realizar o coach, ou seja, apoiar e incentivar o avaliado a modificar os aspectos que não se enquadram ao seu cargo e às expectativas da organização, bem como ressaltar suas potencialidades. Por isso, é imprescindível que ocorra o coach durante a aplicação da avaliação, pode-se dizer que esta estratégia é responsável em parte pelos bons resultados obtidos e conseqüentemente pela busca e aceitação da Avaliação de Desempenho dentro das organizações. 2

3 Dessa forma, a avaliação de desempenho um instrumento que sempre existiu, mas que estava em desuso retorna tornando-se indispensável às empresas. De acordo com Chiavenato (1999), a avaliação de desempenho é uma apreciação sistemática do desempenho de cada pessoa no cargo e o seu potencial de desenvolvimento futuro. Toda avaliação é um processo para estimular ou julgar o valor, a excelência, as qualidades de alguma pessoa e, sobretudo, a sua contribuição para o negócio da organização. O autor ainda afirma que é um excelente meio através do qual se podem localizar problemas de supervisão e gerência, de integração das pessoas à organização, de adequação da pessoa ao cargo, de localização de possíveis dissonâncias ou carências de treinamento e, conseqüentemente, estabelecer os meios e programas para eliminar ou neutralizar tais problemas. Nessa mesma direção, Chiavenato (1981) afirma que, além dos fatores já citados também podem ser observadas e avaliadas competências como: visão estratégica, planejamento, organização, responsabilidade, acompanhamento, liderança, delegação, tomada de decisão, solução de problemas, iniciativa, proatividade, criatividade e inovação, orientação a resultados, autodesenvolvimento, autoconhecimento, administração de conflitos, capacidade de negociação, flexibilidade e adaptação a mudanças, competências interpessoal e trabalho em equipe, identificar os empregados que possuem qualificação superior à requerida pelo cargo, identificar em que medida os programas de treinamento tem contribuído para a melhoria do desempenho dos empregados, além de fornecer subsídios para definir o perfil requerido dos ocupantes dos cargos, remuneração e promoção, e também para elaboração de planos de ação para o alcance de desempenhos satisfatórios. A avaliação de desempenho é uma atividade essencial à gestão de pessoas, porque dela decorrem conseqüências importantes para a motivação e progressão na carreira dos funcionários. O processo de avaliação pressupõe que o desempenho de uma Unidade/Órgão ou de uma estrutura organizacional depende do desempenho de cada pessoa e da atuação dessa pessoa na equipe. Da avaliação resultam três conseqüências principais: a identificação de 3

4 necessidades de qualificação, a determinação de potencial e a gestão de remuneração do funcionário (Chiavenato, 2002). Por ser tratada como um procedimento de grande importância na gestão de recursos humanos em muitas organizações a avaliação de desempenho pode ser vista por muitos gestores como uma forma de melhorar a produtividade, sendo um meio para desenvolver os recursos humanos da organização. Tendo em vista o exposto acima, a avaliação de desempenho é importante, pois toda pessoa precisa receber retroação a respeito de seu desempenho, para saber como está o desenvolvimento de seu trabalho. Sem essa retroação as pessoas caminham às cegas. Também a organização precisa saber como as pessoas desempenham as suas atividades para ter uma idéia de suas potencialidades (Chiavenato, 1999). Os seres humanos gostam de saber como estão indo. Os administradores têm obrigação para com seu pessoal, conservando-os avisados sobre seu progresso ou falta de progresso no trabalho. Tradicionalmente, as chefias tomavam a atitude Se eu não critico, é porque está indo bem. Isso não é o bastante. É importante aplicar um método formal de avaliação para deixar o funcionário a par de seu desempenho (Chiavenato, 1978). Williams (2005) afirma que sem uma avaliação clara como ponto de referência, as pessoas não conseguem ser produtivas e saber se estão no caminho certo. Procurar ver se quando um funcionário faz um bom trabalho, recebe elogio de seu desempenho e se quando ele faz algo reprovável, é explicado o que está errado ou apenas ele é repreendido. A avaliação ajuda na reflexão das atitudes tomadas com as outras pessoas, pois a falta de feedback, ou o mau uso dele, pode dificultar em muito as relações interpessoais, já que ele tem um papel central na vida das pessoas, regendo seus esforços e estímulos. Nas Avaliações de Desempenho a questão do feedback, ou seja, do funcionário receber de seu superior um retorno de como está se saindo no desempenho de suas atividades permite que ele tenha consciência em que deve melhorar, deixando sob sua responsabilidade a decisão de aprimorar ou 4

5 não o que lhe é solicitado. Isso facilita e de alguma forma torna-se mais justo, pois em uma situação de demissão o funcionário não será pego de surpresa, já estará ciente de que seu trabalho não estava correspondendo às expectativas e exigências de seu cargo. Assim, a Avaliação de Desempenho é um processo de redução da incerteza e, ao mesmo tempo, de busca de consonância. As organizações utilizam diferentes alternativas a respeito de quem deve avaliar o desempenho do funcionário, tais como, a auto-avaliação, o gerente, o indivíduo e o gerente, a equipe de trabalho, a equipe avalia o gerente, o órgão de RH, comissão designada especialmente para avaliar e todos os elementos que mantém alguma interação com o avaliado (Chiavenato, 1999). Por isso, a Avaliação de Desempenho não pode ser vista como uma fita métrica, mas como instrumento valioso de gestão empresarial e de pessoas. Em que é preciso romper as amarras, superar os desafios e tirar o máximo proveito dessa ferramenta administrativa fundamental. Infelizmente, na maioria dos processos de Avaliação de Desempenho os avaliadores tendem a acentuar mais as características da personalidade do que os resultados objetivos produzidos pelo avaliado. A má avaliação decorre do mau avaliador. (Siqueira, 2002). Nesta mesma direção Marras (2000), diz que o programa de Avaliação de Desempenho é controvertido no que tange ao atingimento do seu real objetivo pela subjetividade que naturalmente apresenta no seu processo avaliativo. Com isso, o papel do avaliador é essencial para neutralizar seus efeitos negativos, pois ele deve avaliar com imparcialidade, ter o domínio do conhecimento de todas as armadilhas e técnicas envolvidas num processo avaliativo, focar no objetivo e escolher a metodologia adequada para a aplicação da avaliação. Bergamini (1971) faz uma síntese do que representa a Avaliação de Desempenho quando diz que: É um processo que atinge a empresa como um todo e vai apresentar vantagens em todos os seus níveis, quando feita evidentemente dentro da técnica e utilizada para fins administrativamente adequados. Não se trata de uma simples distribuição de questionários entre supervisores, bem como o sistema não se esgota quando de sua leitura superficial por parte dos 5

6 encarregados de pessoal e administradores. A avaliação pressupõe cuidados específicos em sua preparação, efetuação e interpretação. A partir do exposto, pode-se concluir que a Avaliação de Desempenho, desde que adequadamente adaptada às particularidades e cultura das pessoas e da organização demonstra-se eficiente como método tanto de mensuração de desempenho como de feedback individual; desta forma, foi a sistemática escolhida para suprir tais carências na Cooperativa Agroindustrial de Alegrete. O Centro Comercial serviu como unidade piloto do projeto de avaliação desempenhado pelo setor de RH. A CAAL- Cooperativa Agroindustrial de Alegrete Ltda que tem sua sede situada à fronteira oeste, no estado do Rio Grande do Sul, próximo á Argentina e Uruguai, está no cenário nacional como a mais importante cooperativa de arroz irrigado do Brasil. A cooperativa surgiu da iniciativa de um pequeno grupo de produtores arrozeiros na década de 40, atualmente soma-se 712 associados. Sua preocupação sempre esteve voltada para a melhoria da qualidade de vida de seus associados e no fortalecimento econômico da região onde atua. Com foco na sustentabilidade à atividade agrícola, através da difusão de alternativas, introdução de novas tecnologias e diversificação de negócios que inclui a comercialização de bens de produção, insumos e prestação de serviços. A CAAL faz com que a sua presença na região estabeleça referências de preços ao mercado. Em 1981, a cooperativa criou seu primeiro Supermercado e a partir deste surgiram mais duas lojas, um Centro Comercial, um serviço de buffet, um ponto de comercialização de insumos, uma indústria de ração animal, um atacado, uma loja de produtos veterinários, uma fábrica de charque e a mais recente conquista: uma praça de alimentação. Toda esta diversidade de negócios emprega mais de 800 funcionários. Enquanto indústria de beneficiamento, a CAAL recebe aproximadamente 70% da produção de grãos do município. Com uma estrutura administrativa moderna, é a maior empresa de Alegrete, respondendo por aproximadamente 32% da arrecadação de tributos municipais. Assim, o projeto de Avaliações de Desempenho da CAAL teve início no Centro Comercial, uma unidade comercial localizada no centro da cidade que 6

7 conta com os seguintes setores: veterinária, peças, material elétrico e hidráulico, tintas e pneus. O Centro Comercial serviu como piloto neste projeto por estar localizado próximo ao departamento de RH, bem como por se tratar de um dos negócios com menor número de funcionários e rotatividade. Esta avaliação teve como objetivo analisar o desenvolvimento dos funcionários, a fim de promover seu crescimento pessoal e profissional, visando medir a competência do funcionário no exercício do cargo, durante certo período de tempo. A avaliação permite à organização ficar a par de dados e informações sobre o desempenho de seus funcionários e com isso poder criar ações no sentido de melhorar a organização, mas também no que se refere ao funcionário a avaliação permite que ele saiba o que seu orientador pensa sobre seu desempenho, no que ele precisa melhorar e principalmente no que ele já vem obtendo um bom desempenho. Inicialmente, será abordada a metodologia acrescida da especificação dos participantes do processo. Após, os resultados, ou seja, os efeitos gerados pelo método e por fim e em anexo o modelo de questionário utilizado na aplicação da Avaliação de Desempenho desta Cooperativa Agroindustrial. 2 Metodologia Existe uma variedade de métodos para avaliar o desempenho humano. A avaliação de pessoas exige critérios de eqüidade e de justiça e ao mesmo tempo precisa servir como estímulo. Pode-se citar alguns dos métodos tradicionais: Escalas gráficas, Escolha forçada, Pesquisa de campo, Método dos incidentes críticos e Listas de verificação. Atualmente, existe um novo método de avaliação, a Avaliação participativa por objetivos (APPO), a qual foi aplicada nesta Cooperativa Agroindustrial que consiste em um sistema que adota uma técnica de intenso relacionamento e de visão proativa. Pontes (1996) descreve a Avaliação participativa por objetivos (APPO) como sendo o estabelecimento entre orientador e funcionário de metas e prioridades comuns à organização e ao indivíduo, o que acaba por delimitar a área de responsabilidade de cada funcionário, em termos do resultado total da 7

8 organização. Na APPO os objetivos são definidos como alvos que os indivíduos ou as organizações procuram alcançar em um determinado período. A APPO como é chamada é democrática, participativa, envolvente, motivadora e segue seis etapas: Formulação de objetivos consensuais; Comprometimento pessoal quanto ao alcance dos objetivos conjuntamente formulados; Negociação com o gerente sobre a alocação dos recursos e meios necessários para o alcance dos objetivos; Desempenho; Constante monitoração dos resultados e comparação com os objetivos formulados; Retroação intensiva e contínua avaliação conjunta (Chiavenato, 2004). A avaliação de Desempenho dentro da Cooperativa seguiu estes passos, ou seja, superior e funcionário se reuniram, responderam juntos ao questionário e formularam também de forma conjunta os objetivos que desejam chegar. A ação individual do superior foi de proporcionar apoio, direção, orientação e recursos, enquanto que a ação individual do funcionário consta em desempenhar as tarefas estabelecidas e juntos chegaram ao objetivo da Avaliação que é de um trabalho conjunto para buscar alcançar objetivos e reciclar processos de avaliação que já aviam ocorrido dentro da Cooperativa. Esse tipo de Avaliação de Desempenho pensa mais no futuro não se detendo muito em acontecimentos passados. Ou melhor, está mais voltada para o planejamento do desempenho futuro do que para o julgamento do desempenho passado. E não fica somente nisso: procura orientar o desempenho para fins e objetivos previamente negociados e fixados cercá-lo de todos os recursos necessários para a sua adequação e consecução. Tudo para assegurar um desempenho conforme as necessidades da organização e os objetivos de carreira do avaliado (Chiavenato, 2004). O fato das metas serem estabelecidas em conjunto por orientador e funcionário, fez da APO a melhor opção de instrumento a ser aplicado nesta Cooperativa Agroindustrial, pois a participação do funcionário na elaboração das metas proporciona um maior comprometimento com os resultados, bem como ocorre a descentralização das decisões demonstrando que o funcionário é parte essencial para a obtenção dos resultados desejados pelo todo. Após a escolha do tipo de Avaliação a ser aplicada buscou-se encontrar o melhor método a ser utilizado, o qual se compreendeu como sendo o 8

9 questionário, contendo 10 questões objetivas a serem respondidas por orientador e funcionário juntos. Inicialmente reuniram-se todos os encarregados, a fim de explicar a avaliação: seus objetivos e forma de aplicação; posteriormente cada encarregado avaliou de forma individual os funcionários de sua equipe. No questionário consta um campo para o avaliado inserir um plano de ação, ou seja, as ações acordadas entre orientador e funcionário para que este último melhore seu desempenho até a próxima avaliação. Consta também um espaço destinado a observações que podem ser feitas tanto pelo orientador quanto pelo funcionário avaliado. Esses dados também servirão como subsídios para o processo de avaliação de desempenho. Por se tratar de uma avaliação que visou inicialmente aproximar funcionários, superiores e permitindo que o primeiro tenha uma idéia de como está se saindo no desempenho de seu trabalho, e com isso ficar consciente de suas potencialidades e aspectos que ainda podem ser aperfeiçoados, esta avaliação pode ser classificada como Qualitativa. De acordo com Marras (2000) quando os parâmetros de exigência e atingimento da relação metaresultado não estão determinados em termos numéricos, mas, sim, por propriedades ou valores que, uma vez alcançados, definem a aceitação daquilo que foi pré-fixado os resultados a serem avaliados estão expressos na forma Qualitativa. Assim, os resultados podem ser obtidos na hora da aplicação do questionário através do feedback dado pelo orientador ao funcionário e funcionário ao orientador. 2.1 Amostra Participaram deste processo trinta e sete funcionários, com idades entre dezessete e cinqüenta e seis anos, sendo cinco do sexo feminino e trinta e dois do sexo masculino. A escolaridade varia do ensino médio incompleto a pósgraduação. No que se refere à remuneração destes funcionários, esta está entre R$ 380,00 e R$ 3.028,00 e a faixa salarial média fica em torno de R$ 829,18. O tempo de empresa encontrado nesta amostra foi de três meses a vinte e um anos. 9

10 3 Resultados e Conclusões O fato da Avaliação não ser mensurada em números permitiu que os funcionários participassem efetivamente do processo de avaliação, pois tiveram a oportunidade de discutir suas potencialidades e deficiências e até mesmo argumentar sobre os posicionamentos de seus orientadores. Observou-se que essa estratégia trouxe uma diminuição da ansiedade, um maior comprometimento e até mesmo uma maior credibilidade por parte dos avaliados com o processo de Avaliação de Desempenho. De acordo com Fontes (1975) é importante que o empregado tome conhecimento da sua avaliação. Pois assim, ele poderá corrigir os pontos fracos ou modificar as suas qualidades negativas. Se a avaliação do desempenho é uma responsabilidade de linha e se o maior interessado nela é o próprio funcionário, uma alternativa interessante é a aproximação das duas partes. O envolvimento do indivíduo e de seu superior na avaliação é uma tendência muito forte. Nessa alternativa, o superior funciona como o elemento de guia e orientação, enquanto o funcionário avalia o sei desempenho em função da retroação fornecida pelo superior. O superior fornece todos os recursos para o funcionário, orientação, treinamento, aconselhamento, informação, equipamento, metal e objetivos a alcançar, e cobra resultados, enquanto o funcionário fornece o desempenho e resultados e cobra recursos do superior. Observa-se assim, um intercâmbio no qual cada um contribui com algo para a obtenção de resultados. (Chiavenato, 2004). Durante os jogos de grupo desenvolvidos pelo RH ao final do processo pode-se avaliar que os resultados alcançados com este projeto piloto foram satisfatórios tanto para a Gerência como para os funcionários desta unidade. Espera-se que outras unidades possam se beneficiar deste projeto como mais um recurso para proporcionar momentos de comunicação e motivação entre funcionários e lideranças. Os jogos permitem que as pessoas revelem as facetas de seu caráter que normalmente não exibem por recear sanções. Devido ao ambiente permissivo, as vivencias são espontâneas e surgem comportamentos assertivos ou não-acertivos, trabalhados por meio de análise posterior ao jogo. As conclusões servem de base para reformulações ou reforço de atitudes e 10

11 comportamentos. Por meio dos jogos as pessoas exercitam habilidades necessárias ao seu desenvolvimento integral. Após a aplicação a avaliação ficou a cargo do Setor de Recursos Humanos, o qual analisou o questionário e o manteve em lugar fechado com o máximo de sigilo. Por se tratar de uma empresa de grande porte, a CAAL possui um RH ativo que se responsabiliza por todo processo, desde a formulação do questionário até o seu armazenamento. Assim, pretende-se aplicar a Avaliação de Desempenho nesta Cooperativa com intervalos de um ano e meio, pois se entende que há a necessidade de um espaço de tempo para que as pessoas possam se habituar às mudanças necessárias e atingirem as metas traçadas na avaliação. Quando for aplicada novamente a Avaliação de Desempenho, será possível uma comparação entre as avaliações e com isso serão obtidos dados relativos à evolução do quadro funcional, ou seja, se determinado funcionário cumpriu o plano de ação que elaborou em conjunto com seu orientador ou não. Referências ARAÚJO, A. Coach: Um Parceiro para o Seu Sucesso. São Paulo: Gente, BERGAMINI, C. Avaliação de Desempenho. São Paulo: Atlas, CHIAVENATO, I. Administração através das pessoas. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas-O novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de janeiro: Campus, CHIAVENATO, I. Recursos Humanos. São Paulo: Atlas, CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas: e o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Elsevier, GRAMIGNA, M. Jogos de Empresa. São Paulo: Makron Boocks,1993. MARRAS, J. P. Administração de Recursos Humanos: do operacional ao estratégico. Futura,

12 NASCIMENTO, R. LOPES, R., & ARGIMON, I. Avaliação de desempenho nas organizações. Retirado em: no World Wide Web: PONTES, R. Avaliação de Desempenho-Nova Abordagem. São Paulo: Ltr, SIQUEIRA, W. Avaliação de Desempenho: Como Romper e Superar Modelos Ultrapassados. São Paulo: Reichmann & Affonso, WILLIAMS, R. Preciso Saber se Estou Indo Bem! Rio de Janeiro: Sextante,

13 13

14 14

GESTÃO DE DESEMPENHO. Prof. WAGNER RABELLO JR. Conceito de desempenho. Níveis de desempenho. O di?

GESTÃO DE DESEMPENHO. Prof. WAGNER RABELLO JR. Conceito de desempenho. Níveis de desempenho. O di? GESTÃO DE DESEMPENHO Prof. WAGNER RABELLO JR Conceito de desempenho Níveis de desempenho O di? O que medir? Resultados Desempenho Competências Fatores críticos de desempenho 1 Segundo Chiavenato, existem

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

Avaliação como instrumento de gestão de pessoas

Avaliação como instrumento de gestão de pessoas Glaucia Falcone Fonseca No contexto cada vez mais competitivo das organizações, a busca por resultados e qualidade é cada vez maior e a avaliação de pessoas assume o importante papel de instrumento de

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Questões sobre o tópico Avaliação de Desempenho: objetivos, métodos, vantagens e desvantagens. Olá Pessoal, Espero que estejam gostando dos artigos. Hoje veremos

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia MESQUITA NETO, Rui 1 DIAS, Vanessa Aparecida 2 NUNES, Ruth Vieira 3 RESUMO A organização depende das pessoas para atingir

Leia mais

Avaliação Confidencial

Avaliação Confidencial Avaliação Confidencial AVALIAÇÃO 360 2 ÍNDICE Introdução 3 A Roda da Liderança 4 Indicadores das Maiores e Menores Notas 7 GAPs 8 Pilares da Estratégia 9 Pilares do Comprometimento 11 Pilares do Coaching

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Atual Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo, nesse

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO

DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO Esta pesquisa tem como objetivo abordar o tema voltado para a avaliação do desempenho humano com os seguintes modelos: escalas gráficas, escolha forçada, pesquisa de campo, métodos

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio?

Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio? Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio? Matheus Kfouri Marino Camila Dias de Sá* A competitividade do agronegócio brasileiro é incontestável e resulta em taxas expressivas

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes 1 SÉRIE DESENVOLVIMENTO HUMANO FORMAÇÃO DE LÍDER EMPREENDEDOR Propiciar aos participantes condições de vivenciarem um encontro com

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Entenda o processo de COACHING

Entenda o processo de COACHING Entenda o processo de COACHING O que é coaching? Coaching é um processo que proporciona a mudança de comportamentos e estratégias para a realização de objetivos na vida pessoal e profissional. Esse processo

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO EM COACHING PESSOAL

CURSO DE FORMAÇÃO EM COACHING PESSOAL CURSO DE FORMAÇÃO EM COACHING PESSOAL FOCO 1 Formação para a área de RH CONSULTORES INTERNOS ESPECIALIZADOS em COACHING PESSOAL. FOCO 2 Formação DE CONSULTORES PROFISSIONAIS especializados em COACHING

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

1.1- Existem seis questões fundamentais na avaliação do desempenho:

1.1- Existem seis questões fundamentais na avaliação do desempenho: CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ AULA - TURMA 5- ADN-1 CURSO : ADMINISTRAÇÀO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO DE RH PROF: NAZARÉ FERRÀO TURMAS: 5-ADN-1 I- AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO A avaliação do desempenho é

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 Análise de Tendências e Inovação Estratégica Levar o aluno a compreender os conceitos e as ferramentas de inteligência preditiva e inovação estratégica. Analisar dentro

Leia mais

Desenvolvendo competências nos gestores públicos

Desenvolvendo competências nos gestores públicos Desenvolvendo competências nos gestores públicos Walter Sigollo Superintendente de Recursos Humanos e Qualidade 26/maio/2011 Contexto do País - Mercado Estudo Mercer Consulting Outsourcing - abril 2011

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 Analista da Divisão de Contratos da PRODESP Diretor de Esporte do Prodesp

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

7 CONCLUSÕES A presente dissertação teve como objetivo identificar e compreender o processo de concepção, implantação e a dinâmica de funcionamento do trabalho em grupos na produção, utilizando, para isso,

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Evolução PMC têm atuação diferenciada na gestão de pessoas e clima organizacional, gerando na equipe mais agilidade para a mudança e maior capacidade

Leia mais

Educação Corporativa. Liderança Estratégia Gestão. KM Partners Educação Corporativa

Educação Corporativa. Liderança Estratégia Gestão. KM Partners Educação Corporativa Educação Corporativa Liderança Estratégia Gestão O que é Educação corporativa? Educação corporativa pode ser definida como uma prática coordenada de gestão de pessoas e de gestão do conhecimento tendo

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

ATIVIDADES DE LINHA E DE ASSESSORIA

ATIVIDADES DE LINHA E DE ASSESSORIA 1 ATIVIDADES DE LINHA E DE ASSESSORIA SUMÁRIO Introdução... 01 1. Diferenciação das Atividades de Linha e Assessoria... 02 2. Autoridade de Linha... 03 3. Autoridade de Assessoria... 04 4. A Atuação da

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO 1 A avaliação de desempenho é uma apreciação sistemática do desempenho dos trabalhadores nos respectivos cargos e áreas de actuação e do seu potencial de desenvolvimento (Chiavenato).

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

A importância da Educação para competitividade da Indústria

A importância da Educação para competitividade da Indústria A importância da Educação para competitividade da Indústria Educação para o trabalho não tem sido tradicionalmente colocado na pauta da sociedade brasileira, mas hoje é essencial; Ênfase no Direito à Educação

Leia mais

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica por Camila Hatsumi Minamide* Vivemos em um ambiente com transformações constantes: a humanidade sofre diariamente mudanças nos aspectos

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

Relatório de Competências

Relatório de Competências ANÁLISE CALIPER DO POTENCIAL DE DESEMPENHO PROFISSIONAL Relatório de Competências LOGO CLIENTE CALIPER Avaliação de: Sr. Márcio Modelo Preparada por: Consultora Especializada Caliper e-mail: nome@caliper.com.br

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 RECURSOS HUMANOS EM UMA ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR COM PERSPECTIVA DE DESENVOLVIVENTO DO CLIMA ORGANIZACONAL: O CASO DO HOSPITAL WILSON ROSADO EM MOSSORÓ RN

Leia mais

Permita-se ir além e descubra uma nova possibilidade, um conjunto de ideias e inovação, construído por você.

Permita-se ir além e descubra uma nova possibilidade, um conjunto de ideias e inovação, construído por você. Somos uma empresa inovadora, que através de uma metodologia vencedora proporciona a nossos clientes um ambiente favorável ao desenvolvimento de capacidades, para que seus profissionais alcancem o melhor

Leia mais

Coach - Ferramenta para o

Coach - Ferramenta para o Desafios Aprendizagem Reconheci mento Coach - Ferramenta para o Autodesenvolvimento da Carreira Maria do Carmo Colturato e Silva www.alcalaconsult.com.br 11.99 319 2005 Programa Autoconhecimento (Life

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso III Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí II Jornada Científica 9 a 23 de Outubro de 200 Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso Sablina

Leia mais

RECURSOS HUMANOS Avaliação do desempenho

RECURSOS HUMANOS Avaliação do desempenho RECURSOS HUMANOS ? Origem,conceitos e definição Origem: Surge como analogia ao trabalho das máquinas e ao aumento da sua eficiência; Com a aplicação de determinado tipo de princípios era possível obter

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014 Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 Este relatório baseia-se nas respostas apresentadas no Inventário de Análise Pessoal comportamentos observados através questionário

Leia mais

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL Alessandro Siqueira Tetznerl (1) : Engº. Civil - Pontifícia Universidade Católica de Campinas com pós-graduação em Gestão de Negócios

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

Avaliação de Desempenho

Avaliação de Desempenho Avaliação de Desempenho Avaliar Oportuniza rever, aperfeiçoar, refazer, buscar resultados e eficácia. Beneficia funcionários e organização. Aplicações Motivação Comprometimento Performance Comunicação

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

IETEC Instituto de Educação Tecnológica. Artigo Técnico

IETEC Instituto de Educação Tecnológica. Artigo Técnico IETEC Instituto de Educação Tecnológica Artigo Técnico A Importância Do Desenvolvimento Dos Fornecedores Para A Atividade De Compras Autor: Fernando de Oliveira Fidelis Belo Horizonte MG 11 de Agosto de

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS

ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente dinâmico e competitivo para

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

COACHING EXECUTIVO & COACHING DE NEGÓCIOS

COACHING EXECUTIVO & COACHING DE NEGÓCIOS COACHING EXECUTIVO & COACHING DE NEGÓCIOS Desenvolva sua liderança e obtenha mais qualidade de vida em seu negócio Qualifique-se e descubra todo o seu potencial de Gestão e Liderança A liderança no mundo

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

Entendendo o processo de COACHING

Entendendo o processo de COACHING Entendendo o processo de COACHING COACHING - processo fundamentado Coaching é um processo que proporciona a mudança de comportamentos e estratégias para a realização de objetivos na vida pessoal e profissional.

Leia mais

Equipe: Administradores de Sucesso. Componentes: Ricardo Miranda, Dalma Noronha, Fabio Macambira, Nivea Santos

Equipe: Administradores de Sucesso. Componentes: Ricardo Miranda, Dalma Noronha, Fabio Macambira, Nivea Santos Equipe: Administradores de Sucesso Componentes: Ricardo Miranda, Dalma Noronha, Fabio Macambira, Nivea Santos CONCEITOS PERFIS DE CARGOS AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO TIPOS DE AVALIAÇÃO FEEDBACK CASES SUMÁRIO

Leia mais

O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO

O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO III Congresso Consad de Gestão Pública O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA SEPLAG Norma Maria Cavalcanti Alcoforado Painel 02/007 Avaliação de desempenho e remuneração variável O NOVO MODELO DE

Leia mais

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade As empresas têm passado por grandes transformações, com isso, o RH também precisa inovar para suportar os negócios

Leia mais

Administração Pública

Administração Pública Administração Pública Sumário Aula 1- Características básicas das organizações formais modernas: tipos de estrutura organizacional, natureza, finalidades e critérios de departamentalização. Aula 2- Processo

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

Gestão Estratégica de Pessoas

Gestão Estratégica de Pessoas Gestão Estratégica de Pessoas MBA FGV 1 Grandes Decisões sobre Pessoas Fatores que Garantem o Resultado As Tendências e Perspectivas de Gestão de Pessoas em Saúde Gestão de Pessoas e o Balanced Score Card

Leia mais

Consultoria especializada no desenvolvimento de pessoas, com soluções e serviços em 3 áreas:

Consultoria especializada no desenvolvimento de pessoas, com soluções e serviços em 3 áreas: Consultoria especializada no desenvolvimento de pessoas, com soluções e serviços em 3 áreas: Missão, Visão & Valores Missão Prover os clientes com soluções e serviços que os levem ao alcance de suas metas

Leia mais

O que é Coaching? É um processo que visa aumentar o

O que é Coaching? É um processo que visa aumentar o O que é Coaching? É um processo que visa aumentar o desempenho de um indivíduo, grupo ou empresa, possibilitando o alcance de resultados planejados, através de metodologias, ferramentas e técnicas, conduzidas

Leia mais

Fazendo a mudança dar certo

Fazendo a mudança dar certo Fazendo a mudança dar certo A importância das pessoas 12 de março de 2015 Carlos Siqueira e Daniela Segre Apresentações Carlos Siqueira Hay Group Brasil Diretor Daniela Segre Hay Group Brasil Gerente 2

Leia mais

O PROCESSO DE SELEÇÃO NO CONTEXTO DO MODELO DE COMPETÊNCIAS E GESTÃO DOS TALENTOS

O PROCESSO DE SELEÇÃO NO CONTEXTO DO MODELO DE COMPETÊNCIAS E GESTÃO DOS TALENTOS O PROCESSO DE SELEÇÃO NO CONTEXTO DO MODELO DE COMPETÊNCIAS E GESTÃO DOS TALENTOS Autor: Maria Rita Gramigna Como identificar potenciais e competências em um processo seletivo? Como agir com assertividade

Leia mais

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA A liderança e seus conceitos Liderança é a capacidade de influenciar um grupo para que as metas sejam alcançadas Stephen Robbins A definição de liderança

Leia mais

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 WORKSHOPS CH DATA HORÁRIO INVESTIMENTO CONTEÚDO 1. Razões para prestar um fantástico atendimento. 2. Motivação e empregabilidade. 3. Fidelização do cliente. 4.

Leia mais

Título de apresentação principal em Calibri tamanho 18

Título de apresentação principal em Calibri tamanho 18 COACHING Título de apresentação principal em Calibri tamanho 18 O novo caminho para o sucesso e a realização pessoal! Todos sabem que para ser médico, advogado, dentista ou engenheiro são necessários anos

Leia mais

Competências na Gestão Esportiva

Competências na Gestão Esportiva Competências na Gestão Esportiva ARI MELLO Mestre em Educação Física MBA em Marketing pela ESPM Gerente Esportivo do Clube Esperia Dinâmica: Todos em pé Dividir a sala em 3 grupos Cada grupo em um lado

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle A FUNÇÃO CONTROLE O controle é a ultima função da administração a ser analisadas e diz respeito aos esforços exercidos para gerar e usar informações relativas a execução das atividades nas organizações

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Novo Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo e as empresas

Leia mais

LIDERANÇA INTEGRAL CONTEÚDO

LIDERANÇA INTEGRAL CONTEÚDO TREINAMENTO Levando em consideração que as empresas e pessoas têm necessidades diferentes, os programas de treinamento são personalizados para atender a demandas específicas. Os treinamentos são focados

Leia mais

Catálogo de treinamentos

Catálogo de treinamentos Catálogo de treinamentos 11 3892-9572 www.institutonobile.com.br Desenvolvendo seus Talentos O Instituto Nobile desenvolve as mais modernas soluções em treinamento e desenvolvimento. Oferecemos programas

Leia mais

Enquete. O líder e a liderança

Enquete. O líder e a liderança Enquete O líder e a liderança Muitas vezes, o sucesso ou fracasso das empresas e dos setores são creditados ao desempenho da liderança. Em alguns casos chega-se a demitir o líder, mesmo aquele muito querido,

Leia mais

PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL

PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM II Departamento de Orientação Profissional - EEUSP PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL VERA LUCIA MIRA GONÇALVES AVALIAÇÃO JUÍZO DE VALOR Avaliação de desempenho

Leia mais

Administração Judiciária

Administração Judiciária Administração Judiciária Planejamento e Gestão Estratégica Claudio Oliveira Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica Conselho Superior da Justiça do Trabalho Gestão Estratégica Comunicação da Estratégia

Leia mais

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Avaliação de: Sr. José Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: 11/06/2014 Perfil Caliper Gerencial e Vendas

Leia mais

Gestor-líder: processo dinâmico de criação, habilidade, competência para perceber das limitações do sistema e propor solução rápida;

Gestor-líder: processo dinâmico de criação, habilidade, competência para perceber das limitações do sistema e propor solução rápida; AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Administração Escolar DISCIPLINA: Gestão de Políticas Participativas ALUNO(A):Mª da Conceição V. da MATRÍCULA: Silva NÚCLEO REGIONAL:Recife DATA:17/09/2013 QUESTÃO

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

O que é Benchmarking?

O que é Benchmarking? BENCHMARKING Sumário Introdução Conhecer os tipos de benchmarking Aprender os princípios do bechmarking Formar a equipe Implementar as ações Coletar os benefícios Exemplos Introdução O que é Benchmarking?

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 1 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS Concurso para agente administrativo da Polícia Federal Profa. Renata Ferretti Central de Concursos NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS 1. Organizações como

Leia mais

Agenda. Introdução. Escala de Likert. Pesquisa de clima. Monitoramento do clima

Agenda. Introdução. Escala de Likert. Pesquisa de clima. Monitoramento do clima Pesquisa de Clima Agenda Introdução Escala de Likert Pesquisa de clima Monitoramento do clima Introdução Cultura organizacional: Toda organização tem sua cultura, que é formada pelos seus valores, costumes

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

GABARITO OFICIAL(preliminar)

GABARITO OFICIAL(preliminar) QUESTÃO RESPOSTA COMENTÁRIO E(OU) REMISSÃO LEGAL 051 A 052 A 053 A RECURSO Recrutar faz parte do processo de AGREGAR OU SUPRIR PESSOAS e é o ato de atrair candidatos para uma vaga (provisão). Treinar faz

Leia mais

Princípios de Liderança

Princípios de Liderança Princípios de Liderança LIDERANÇA E COACH www.liderancaecoach.com.br / liderancaecoach ÍNDICE Liderança Chefe x Líder O que um líder não deve fazer Dicas para ser um líder de sucesso Para liderar uma equipe

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

Política de Gestão de Pessoas

Política de Gestão de Pessoas julho 2010 5 1. Política No Sistema Eletrobras, as pessoas são agentes e beneficiárias do fortalecimento organizacional, contribuindo para a competitividade, rentabilidade e sustentabilidade empresarial.

Leia mais