UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO HABILITAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO HABILITAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO HABILITAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR ALINE HOLLWEG FLORES AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES: Elaboração e Implantação de um Instrumento na Clínica Odontológica Dr. Sérgio Roberto Müller São José 2007

2 2 ALINE HOLLWEG FLORES AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES: Elaboração e Implantação de um Instrumento na Clínica Odontológica Dr. Sérgio Roberto Müller Trabalho de Conclusão de Curso projeto de aplicação apresentado como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Administração da Universidade do Vale do Itajaí. Orientadora: Márcia Longen Zindel São José 2007

3 3 ALINE HOLLWEG FLORES AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES: Elaboração e Implantação de um Instrumento na Clínica Odontológica Dr. Sérgio Roberto Müller Este Trabalho de Conclusão de Estágio foi julgado adequado e aprovado em sua forma final pela Coordenação do Curso de Administração da Universidade do Vale do Itajaí, em 21 de novembro de Prof(a) MSc. Luciana Merlin Bervian Univali Campus São José Coordenadora do Curso Banca Examinadora: Prof(a) MSc. Márcia Longen Zindel Univali Campus São José Professor Orientador Prof(a) MSc. Luciana Merlin Bervian Univali Campus São José Membro Prof(a) MSc. Kellen da Silva Coelho Univali Campus São José Membro

4 4 Dedico este trabalho primeiramente a Deus, o responsável maior por tudo; aos meus pais, Ivan e Márcia, pelo incentivo constante desde o início e ao meu marido, Sérgio, pelo apoio e credibilidade.

5 5 AGRADECIMENTOS Quero agradecer à minha professora orientadora, Márcia Longen Zindel, pelo seu empenho e dedicação que me incentivaram a realizar a pesquisa; aos funcionários e ao gestor da Clínica Odontológica Dr. Sérgio Roberto Müller, que disponibilizaram cordialmente seu tempo e informações referentes à empresa para o trabalho.

6 6 A empresa (ou qualquer outra instituição) tem, na verdade, apenas um recurso: o homem. Ela funciona tornando os recursos humanos produtivos. Só há desempenho através do trabalho. Tornar o trabalho produtivo é, portanto, uma função essencial. Peter F. Drucker

7 7 RESUMO Este trabalho de conclusão de estágio apresenta como objetivo principal a elaboração e implantação de um instrumento de avaliação de desempenho para a Clínica Odontológica Dr. Sérgio Roberto Müller. A abordagem utilizada foi a qualitativa, o posicionamento em relação às finalidades exploratório, o método de pesquisa bibliográfico, a amostra composta por todo a população da organização e em relação aos dados, foi realizada a análise de conteúdo. O método escolhido para ser implantado na organização foi a Avaliação Participativa por Objetivos (APPO). Após a definição do método, foi realizado um treinamento com o avaliador em duas etapas e a partir disto, foram estabelecidos os objetivos inerentes ao instrumento conjuntamente entre o avaliador e cada um dos avaliados. Na seqüência, foi aplicado um questionário ao avaliador e outro aos avaliados, onde foram coletadas impressões destes em relação à avaliação de desempenho implantada. A partir disto, foi possível verificar algumas sugestões de melhorias ao novo método. As sugestões estão relacionadas à primeira parte do instrumento de avaliação de desempenho (capa), que traz propósitos, premissas e sugestões de como fornecer e receber feedback. As principais são as seguintes: em relação às premissas deve estar ressaltado também que os funcionários devem ter uma atitude ativa em relação à organização no sentido de propor mudanças; em relação às sugestões de como fornecer feedback foi sugerido que em alguns casos deve-se fazer julgamentos; foi apresentado que às vezes há dificuldade em limitar o feedback ao que se em certeza e também que, em alguns casos, é necessário assumir posição defensiva ao receber um feedback quando há justificativas para o não atingimento de um objetivo. O avaliador defende que ele mesmo deva estabelecer os objetivos e posteriormente discutí-los com os funcionários, alterando-os se necessário. Uma das avaliadas sugere que a avaliação de desempenho apresente uma dimensão maior e não apenas individual e sim institucional, a partir de programas institucionais e conformidade com padrões de qualidade. Palavras-chave: avaliação de desempenho, gestão de pessoas, avaliação participativa.

8 8 ABSTRACT This trainee conclusion project presents as its main objective, the elaboration and implementation of an evaluation instrument of performance to Doctor s Sérgio Roberto Müller Deontological Clinic. The approach used was the qualitative, the positioning in relation to the ends was exploratory, the research method was bibliographic, and the sample composed by all organization people to the data was conducted to content analysis. The method chosen to be implemented to the Organization was the participative evaluation for objective (PEFO). After the method definition, it was conducted a training with the evaluator in two stages, and from that, jointly inherent objectives to the instrument were established between the evaluator and each one of the evaluated employees. In sequence, it was applied a questionnaire to the evaluator and a different one to the evaluated employees, where impressions were collected from them in relation to the implemented performance evaluation. According to that, it was possible to verify some suggestions of improvement to the new method. The suggestions related to the first part of the instrument of performance evaluation, which brings purpose assumptions and suggestions of how to provide and receive feedback. The main are: in relation to the assumptions it also should be highlighted that the employees should have an active attitude in relation to the organization in such way to propose changes; in relation to the suggestions of on how providing feedback it was suggested that in certain cases it should make judgments; it was presented that sometimes there is difficulty in limiting feedback, and in other cases it is necessary to assume a defensive position when receiving a feedback that has justifications why the goals were not achieved. The evaluator defends that he should establish the objectives and then discusses them with the employees himself, changing them if necessary. One of the evaluated employees suggests that the performance evaluation should present a bigger dimension and not only individual but yes, institutional, from institutional programs and conformity with standard quality. Key Words: performance evaluation, people management, participatory evaluation.

9 9 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Quadro 1 - Ficha de Escala Gráfica...23 Quadro 2 Ficha de Escolha Forçada...25 Quadro 3 Ficha de Comparação Binária...30 Quadro 4 Ficha de Frases Descritivas...31 Quadro 5 Ficha de Incidentes Críticos...32 Quadro 6 Comparação entre julgamento e aconselhamento Quadro 7 Avaliação de Desempenho Participativa por Objetivos (APPO)...56 Quadro 8 Programa de Treinamento do Avaliador (Módulo I)...58 Quadro 9 Programa de Treinamento do Avaliador (Módulo II)...58 Quadro 10 Avaliação de Desempenho Participativa por Objetivos (APPO)...60 Quadro 11 Avaliação de Desempenho Participativa por Objetivos (APPO)...62 Quadro 12 Avaliação de Desempenho Participativa por Objetivos (APPO)...64

10 10 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO DESCRIÇÃO DA SITUAÇÃO PROBLEMA OBJETIVOS Objetivo Geral Objetivos Específicos JUSTIFICATIVA APRESENTAÇÃO GERAL DO TRABALHO FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA CONCEITOS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO BREVE HISTÓRICO DA AVALIAÇÃO DE DEXSEMPENHO BENEFÍCIOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO MÉTODOS TRADICIONAIS Escala Gráfica Escolha Forçada Pesquisa de Campo Avaliação por Objetivos Combinação Binária ou Por Pares Frases Descritivas Incidentes Críticos Distribuição Forçada MÉTODOS MODERNOS Avaliação 360 Graus ou Feedback 360 Graus Avaliação Participativa por Objetivos (APPO) Avaliação de Desempenho por Competências A ENTREVISTA DE AVALIAÇÃO O Papel do Avaliador Treinamento de Avaliadores FEEDBACK...45

11 11 3 DESCRIÇÃO DO MÉTODO CARACTERIZAÇÃO DA PESQUISA Forma de Abordagem Posicionamento em Relação às Finalidades Posicionamento em Relação ao Método CONTEXTO E PARTICIPANTES PROCEDIMENTOS E INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS TRATAMENTO E ANÁLISE DOS DADOS RESULTADOS DA APLICAÇÃO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO IMPLANTADO Descrição do Processo de Elaboração Modelo de Instrumento PROGRAMA DE TREINAMENTO DO AVALIADOR DESCRIÇÃO DA APLICAÇÃO DO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INSTRUMENTO DE COLETA DE IMPRESSÕES SOBRE O MÉTODO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROPOSTO Questões ao Avaliador Questões aos Avaliados DESCRIÇÃO DA APLICAÇÃO DO INSTRUMENTO DE COLETA DE IMPRESSÕES SOBRE O MÉTODO ANÁLISE DAS RESPOSTAS AO QUESTIONÁRIO DESCRIÇÃO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS AO MÉTODO CONSIDERAÇÕES FINAIS...79 REFERÊNCIAS...81

12 12 1 INTRODUÇÃO No contexto atual, as organizações precisam constantemente acompanhar as mudanças sociais, econômicas, políticas e tecnológicas. Tendo em vista que, as pessoas são os principais agentes de mudanças, administrar o potencial humano buscando o máximo de resultados representa um diferencial competitivo. Desta forma, faz-se necessário que os administradores / gestores conheçam melhor seus colaboradores. Não apenas seu perfil, aptidões, habilidades e comportamentos, mas também deve-se regularmente realizar avaliações a fim de gerenciar da forma eficiente seu desempenho, para que dessa forma consigam gerir melhor seus recursos humanos. Como afirma Bergamini e Beraldo (1988, p. 34), A Avaliação de Desempenho nas organizações constitui-se, portanto, no veículo da estimativa de aproveitamento do potencial individual das pessoas no trabalho e, por isso, do potencial humano de toda a empresa. Através da aplicação do instrumento de avaliação de desempenho é possível que os funcionários conheçam o que a organização espera deles, quais seus objetivos e principalmente se estão correspondendo as expectativas e necessidades da organização, entre outros aspectos. Até o início do presente estágio, a empresa não possuía uma ferramenta para avaliar o desempenho de funcionários, o que tornava o gerenciamento das pessoas sem parâmetros definidos para o direcionamento das atividades diárias, realização de treinamentos e capacitação individual, necessidades de contratação ou demissão e alterações na remuneração. Assim, a gestão reconhece a necessidade de avaliar o desempenho dos funcionários da organização de uma forma elaborada e formalizada, tanto para benefícios da empresa como das pessoas que trabalham nela. Sendo assim, o presente trabalho visa à elaboração e aplicação de uma ferramenta de avaliação de desempenho, na Clínica Odontológica Dr. Sério Roberto Müller, com o objetivo de tornar a administração da organização mais eficiente em direcionar tarefas, detectar necessidades de capacitação e treinamento, conhecer as habilidades e aptidões dos funcionários e adequar a remuneração.

13 DESCRIÇÃO DA SITUAÇÃO PROBLEMA A pesquisa foi realizada a partir da necessidade encontrada em desenvolver um instrumento de avaliação de desempenho para aplicação na Clínica Odontológica Dr. Sérgio Roberto Müller. Na elaboração do instrumento diagnóstico foi detectado um dos problemas da organização na área de Recursos Humanos: a carência de um instrumento de avaliação de desempenho formalizado para a organização, pois atualmente o desempenho é avaliado somente de acordo com a percepção da gestão em relação aos funcionários. A necessidade de medir o desempenho dos empregados da clínica está relacionada com a eficácia da tomada de decisões importantes na empresa, inerentes aos empregados, como a mensuração de suas potencialidades e a verificação da necessidade de treinamento e capacitação individuais. 1.2 OBJETIVOS A seguir serão apresentados o objetivo geral e os objetivos específicos que devem nortear o presente trabalho de pesquisa Objetivo Geral Elaborar e implantar uma ferramenta de avaliação de desempenho para a clínica odontológica, que esteja ligada aos objetivos da organização, seja de aplicação simplificada e não envolva custos altos.

14 Objetivos Específicos a) Definir entre os métodos tradicionais e modernos de avaliação de desempenho, qual o mais apropriado para a elaboração do instrumento a ser implantado na clínica. b) Elaborar instrumento de avaliação de desempenho; c) Estruturar e realizar o treinamento com o avaliador; d) Aplicar o instrumento de avaliação de desempenho na organização; e) Elaborar um instrumento para coletar as impressões do avaliador e avaliado a respeito da eficácia do método; f) Descrever as sugestões de melhorias ao método. 1.3 JUSTIFICATIVA Pode-se considerar que, avaliar o desempenho dos funcionários é muito relevante para as organizações, tanto para fins administrativos (contratações, demissões e aumentos salariais), quanto para os empregados tomarem conhecimento sobre como são vistos por seus colegas, gestores e a empresa em geral. Pois é importante para o funcionário, saber como o seu desempenho está sendo percebido. Assim como os gestores saberem também sobre a opinião dos subordinados a respeito de suas atitudes. É importante para uma organização manter um sistema de avaliação de desempenho tecnicamente elaborado. É uma maneira de evitar que a avaliação seja feita de forma superficial e unilateral, do chefe em relação ao subordinado. Dessa forma, a avaliação alcança maior nível de profundidade, ajuda a identificar causas do desempenho deficiente e possibilita estabelecer perspectivas com a participação do avaliado. Sem contar que a avaliação de desempenho elaborada a partir de princípios científicos possibilita uma abordagem mais racional do ser humano, livre das distorções próprias da avaliação feita com base apenas no senso comum. (GIL, 2001, p. 149). A clínica onde está sendo realizado o estágio não possui ferramenta de avaliação de desempenho alguma. Esta depende apenas da percepção de todos que estão ligados à empresa, como proprietário, funcionários, clientes e prestadores de serviços. Não são elaboradas metas

15 15 de desempenho e há poucas informações a respeito dos funcionários, suas aptidões, gostos e habilidades profissionais. A partir do problema levantado, foi observado que é imprescindível a implantação de um sistema moderno de avaliação de desempenho, que esteja ligado aos objetivos da organização, seja direcionado às tarefas e responsabilidades de cada indivíduo e compare os desempenhos profissionais em diferentes períodos de tempo. A adoção do novo método na clínica será facilitada por não envolver grandes custos, nem provocar muitas alterações na rotina da empresa. A originalidade do projeto é percebida de forma que, na maioria das clínicas, principalmente aquelas de pequeno porte, não há aplicação avaliações de desempenho. Talvez os proprietários ou gestores não reconheçam a importância de tal instrumento para a administração das organizações, sendo profissionais da área de odontologia. 1.4 APRESENTAÇÃO GERAL DO TRABALHO O presente trabalho de pesquisa está dividido em cinco capítulos: introdução, fundamentação teórica, descrição do método, resultados da aplicação e considerações finais. Na seqüência, serão apresentadas as referências, apêndices e anexos. O primeiro capítulo apresenta a introdução, que traz na primeira parte a descrição da situação problema; na segunda parte os objetivos (geral e específicos); na terceira parte a justificativa e na quarta parte a apresentação geral do trabalho. No segundo capítulo está a fundamentação teórica, que traz na primeira parte os conceitos de avaliação de desempenho segundo autores relacionados; na segunda parte é apresentado um breve histórico sobre as práticas de avaliação de desempenho ao longo dos anos; a terceira parte reúne brevemente os benefícios da avaliação de desempenho para os funcionários, gerente e para a organização como um todo; na quarta parte são apresentados os métodos tradicionais de avaliação de desempenho (Escala Gráfica, Escolha Forçada, Pesquisa de Campo, Avaliação por Objetivos, Combinação Binária ou por Pares, Frases Descritivas, Incidentes Críticos e Distribuição Forçada); a quinta parte traz a apresentação dos métodos modernos de se avaliar o desempenho de funcionários nas organizações (Avaliação 360 Graus ou Feedback 360 Graus, Avaliação Participativa por Objetivos e Avaliação de Desempenho por Competências); a sexta parte reúne contribuições sobre a entrevista de avaliação (o papel

16 16 do avaliador e treinamento de avaliadores); e a sétima parte apresenta contribuições sobre feedback. O terceiro capítulo traz a descrição do método, que apresenta na primeira parte a caracterização da pesquisa (forma de abordagem, posicionamento em relação às finalidades e posicionamento em relação ao método); a segunda parte traz o contexto e participantes; a terceira parte reúne a apresentação dos procedimentos e instrumentos de coleta de dados e a quarta parte, o tratamento e análise dos dados inerentes ao trabalho de pesquisa. O quarto capítulo mostra os resultados da aplicação, que traz na primeira parte a apresentação do instrumento de avaliação de desempenho implantado (descrição do processo de elaboração e modelo de instrumento); na segunda parte o programa de treinamento do avaliador; na terceira parte a descrição da aplicação do instrumento de avaliação de desempenho aos funcionários; na quarta parte o instrumento de coleta de impressões sobre o método de avaliação de desempenho proposto (questões ao avaliador e questões aos avaliados); na quinta parte a descrição da aplicação do instrumento de coleta de impressões sobre o método; na sexta parte a análise das respostas ao questionário e na sétima parte a descrição das sugestões de melhorias ao método. O quinto capítulo traz as considerações finais do presente trabalho. E ao final, são apresentadas as referências bibliográficas utilizadas para a realização da pesquisa.

17 17 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA A seguir será abordada a fundamentação teórica do presente trabalho, onde serão apresentadas contribuições de autores diferenciados sobre o assunto. Os itens a serem apresentados são, na seqüência, conceitos de avaliação de desempenho, breve histórico, benefícios, métodos tradicionais, métodos modernos e a entrevista de avaliação. 2.1 CONCEITOS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Avaliar o desempenho próprio ou de outras pessoas é uma prática comum na vida do ser humano. A todo o momento avalia-se o desempenho ou comportamento de coisas ou indivíduos, seja em organizações ou no cotidiano, a partir de sistemas formais ou por observação. Conforme Lucena (1995), todo ato humano é conseqüência do processo de avaliação. Esta consiste na base para apreciação de um fato, idéia, objetivo ou resultado e, também, a base para a tomada de decisão sobre qualquer situação que envolve uma escolha. Segundo Bohlander et al. (2005), o desempenho dos funcionários em uma organização se dá a partir da função Desempenho = f (C,M,A). Onde C é a capacidade (habilidades técnicas, habilidades interpessoais, habilidades de solução de problemas, habilidades analíticas, habilidades de comunicação e limitações físicas); M é a motivação (ambiente de carreira, conflito do funcionário, frustração, justiça/satisfação e metas/expectativas) e A é o ambiente (equipamentos/materiais, plano de cargo, condições econômicas, sindicatos, regras e políticas, suporte ao gerenciamento e leis e normas. Dessler (2003) apresenta três motivos pelos quais os chefes avaliam o desempenho dos funcionários: para decidirem sobre promoções e aumentos, para a correção de deficiências e reforço das qualidades, além de dar subsídios ao planejamento de carreira dos funcionários. Avaliar o desempenho das pessoas no trabalho implica, conseqüentemente, conhecer a dinâmica comportamental própria de cada um, o trabalho a ser realizado e o ambiente organizacional em que essas ações se passam. (BERGAMINI; BERALDO, 1988, p. 32).

18 18 Segundo Vroom (1997, p. 166) faz-se necessário a gerência julgar seus empregados, pois essas avaliações formam a base para políticas salariais e promocionais. O processo de inspeção pode tornar-se mais objetivo ou mais apurado através de pesquisas sobre o instrumento de avaliação, do treinamento dos inspetores ou da introdução de avaliações em grupo; os subordinados podem ser retrabalhados pela instrução ou aconselhamento antes da decisão final de aceitá-los ou rejeitá-los [...]. De acordo com as afirmações dos autores anteriormente relacionados, pode-se observar que não há como efetuar gerenciamento eficiente e eficaz de uma organização sem a presença de um instrumento que avalie o desempenho das pessoas, que mostre se a empresa está no caminho certo ou se é necessário mudar estratégias, adequar melhor os funcionários às tarefas que executam, contratar, demitir, aumentar salários ou mantê-los, entre outras decisões gerenciais. Silva (2001) destaca que é muito comum nas organizações que se faça uma mistura de técnicas de avaliação de desempenho na busca pelo seu próprio modelo, que se ajuste às suas necessidades, utilizando-as como importantes instrumentos de gestão. Na prática, a avaliação de desempenho é um desafio para as empresas, pois os sistemas implantados têm produzido resultados insatisfatórios e decepcionantes. O despreparo dos avaliadores, como responsáveis pelo sucesso ou fracasso do sistema de avaliação de desempenho, é objeto de intensas críticas (SILVA, 2001). Para Bergamini e Beraldo (1988) deve-se levar em consideração que as avaliações são feitas por pessoas e como tal, podem cometer enganos. E também, ao avaliar outra pessoa, uma série de variáveis pode interferir, comprometendo o retrato da realidade. 2.2 BREVE HISTÓRICO DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO As práticas de avaliação de desempenho não são novas na história da humanidade. Conforme Bergamini e Beraldo (1988), desde o período d.c. a dinastia WEI instituiu a figura do julgador imperial, responsável pela avaliação do comportamento da família imperial e posterior informação ao imperador. Anos depois, a Companhia de Jesus, Santo Inácio de Loyola, utilizava-se de sistemas para julgamento de cada um de seus integrantes.

19 19 O sistema consistia em autoclassificações feitas pelos membros da ordem, relatórios de cada superior a respeito das atividades de seus subordinados e relatórios especiais feitos por qualquer jesuíta que acreditasse possuir informações sobre seu próprio desempenho ou de seus colegas, às quais o superior poderia não ter acesso de outra maneira. (CHIAVENATO, 1998, p.321). Bohlander et al. (2005) chamam a atenção para o fato de que programas formais de avaliação de desempenho e classificações de mérito são antigos nas empresas. Em 1842, o governo americano começou a avaliar os funcionários, pois o Congresso aprovou uma lei que obrigava revisões de desempenho anuais. Na seqüência, os programas passaram a ser muito utilizados por organizações públicas e privadas de grande e de pequeno porte. Com o movimento da Administração Científica, que teve origem nas experiências de Taylor ( ), nos Estados Unidos e Fayol ( ), na França, o objetivo passou a ser a fundamentação científica das atividades administrativas, substituindo a improvisação e o empirismo. Na seqüência, a Escola das Relações Humanas veio a proporcionar o refinamento da ideologia da harmonização entre capital e trabalho definida pelos teóricos da Administração Científica (GIL, 2001). Assim, as empresas passaram a ver os funcionários de uma forma diferente, vinculando os resultados à satisfação e bom aproveitamento do homem e não somente da máquina. Com base nesse novo enfoque, passou-se a tratar os indivíduos de uma maneira diferente, assim como realizar estudos sobre formas de conhecer e medir o potencial das pessoas nas organizações. Conforme Bergamini e Beraldo (1988), foi por volta de 1950, com a economia dos EUA abalada pela Segunda Guerra Mundial, que criou-se um sistema de avaliação de desempenho baseado na Administração por Objetivos, desenvolvido como resposta à crise e pressão vivida pelos empresários na época, devido ao intenso controle governamental. A Administração por Objetivos representou uma inovação na área da Administração e tornou-se um modismo nas empresas, além de resolver o impasse da realidade americana no pós-guerra. O modelo definiu a necessidade de estabelecer mais democraticamente objetivos e resultados esperados entre indivíduo e organização. Entretanto, a técnica apresenta algumas dificuldades com relação ao estabelecimento dos objetivos, sendo mais direcionada a cargos gerenciais e técnicos. Segundo Chiavenato (1998), a partir do século XX, com a Escola da Administração Científica, houve uma preocupação em apurar a capacidade máxima da máquina em paralelo

20 20 ao trabalho humano, para calcular o desempenho de ambos. Mesmo assim, não houve progresso em relação ao homem, que era visto apenas como um aperta botões. Já com a Escola das Relações Humanas o foco passou a ser o homem. Foram criadas diversas técnicas administrativas com o objetivo de melhorar o desempenho dos funcionários dentro das organizações. Toda a seqüência posterior de teorias administrativas e organizacionais que foram aparecendo teve forte e definitivo impacto: a importância ao ser humano dentro das organizações e seu papel dinamizador dos demais recursos organizacionais. (CHIAVENATO, 1998, p. 322). Também é importante destacar que, conforme Lucena (1995, p. 36), os métodos mais utilizados são basicamente originários de experiências desenvolvidas por algumas instituições que antecederam a organização econômica moderna, como as Corporações Militares e o Estado (Administração Pública). Estas estabeleceram seus requisitos próprios de valores e qualidades, de acordo com a missão de cada uma. No serviço militar é exigido coragem, bravura, solidariedade, disciplina e assiduidade, entre outros critérios. O serviço público absorveu o mesmo modelo por cauda das semelhanças nas prerrogativas, como missão permanente, organização hierarquizada, carreira estruturada e estabilidade. As influências desses modelos na estruturação administrativa das empresas são evidentes. Do início do século até aproximadamente a Segunda Guerra, as empresas se organizaram de maneira bastante hierarquizada e centralizada (modelo ainda predominante na atualidade), tendo a fábrica como o centro de produção em massa, mas eliminaram o sistema rígido de carreira e a estabilidade, pois não combinavam com suas finalidades lucrativas. Predominando a utilização de mão-de-obra pouco qualificada, para operar uma tecnologia sem sofisticação, nem complexidade e o princípio taylorista da organização do trabalho, os métodos de avaliação existentes atendiam perfeitamente, pois o enfoque era totalmente comportamental e controlador de pessoas. (LUCENA, 1995, p. 37). Assim, os métodos foram absorvidos pelas empresas e, ao longo dos anos, alterados em alguns critérios, mas seus princípios básicos foram mantidos nos sistemas de avaliação de desempenho, como será apresentado a seguir.

21 BENEFÍCIOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO De acordo com o apresentado por Martins (2002), a avaliação de desempenho traz benefícios para o funcionário, para o gerente, para a organização e para a comunidade em geral: a) Benefícios para o funcionário: permite que o funcionário conheça o que é valorizado pela empresa, as expectativas da gestão em relação ao seu desempenho e quais são seus pontos fortes e fracos na opinião do gestor. E ainda, toma conhecimento sobre as providências da empresa a respeito de treinamento e do que ele pode auto-desenvolver. b) Benefícios para o gerente: a gestão pode avaliar o desempenho e o comportamento dos funcionários, tento como base fatores de avaliação que minimizem a subjetividade, para posteriormente propor providências no sentido de melhorar os padrões de desempenho. c) Benefícios para a organização: ao realizar a avaliação do desempenho, a organização avalia o seu capital humano a curto, médio e longo prazos, além de definir qual a contribuição de cada funcionário. Assim, é possível identificar necessidades de investimentos em treinamento e possibilidades de promoções ou transferências. Para Chiavenato (1999), a avaliação de desempenho deve proporcionar benefícios para a organização e para as pessoas. Para isso, a avaliação deve envolver o desempenho da pessoa no cargo e o alcance de metas e objetivos traçados, fazendo com que desempenho e objetivos sejam inseparáveis na avaliação; deve enfatizar o indivíduo no cargo e não a análise subjetiva dos hábitos pessoais; deve ser aceita por ambas as partes, tanto pelo avaliador quanto pelo avaliado, e estes estarem de acordo de que a avaliação deve trazer benefício para a organização e funcionário; e deve melhorar a produtividade do indivíduo na organização, para que este alcance a eficiência e eficácia na produção. Os autores ressaltam a importância de a avaliação de desempenho trazer benefícios também para o funcionário, além de cumprir o seu papel de trazer vantagens para a organização. Isso ocorre porque o funcionário é parte integrante e ativa da organização. E se este não concordar com a realização do processo, ou com os objetivos traçados, a qualidade

22 22 da avaliação de desempenho ficará comprometida e o instrumento acabará não cumprindo o seu objetivo final, que é o aumento da produtividade. A seguir, serão apresentados os métodos tradicionais de se avaliar o desempenho de funcionários em organizações, conforme alguns autores. 2.4 MÉTODOS TRADICIONAIS Silva (2001) destaca quatro métodos tradicionais para se avaliar o desempenho dos funcionários nas empresas, Escala Gráfica, Escolha Forçada, Pesquisa de Campo e Avaliação por Objetivos Escala Gráfica Método mais utilizado pelas organizações, a Escala Gráfica leva em consideração fatores pessoais e profissionais do empregado. Os fatores de avaliação são definidos como descrição sumária e objetiva e recebem graduação que retrata desde desempenho satisfatório até ótimo. Este método traz uma representação gráfica do desempenho do funcionário em cada um dos fatores do formulário de avaliação (SILVA, 2001). Modelo de ficha de Escala Gráfica de avaliação de desempenho apresentada por Chiavenato (1999):

Avaliação de Desempenho Gestão de Pessoas

Avaliação de Desempenho Gestão de Pessoas Avaliação de Desempenho Gestão de Pessoas O que Medir? Resultado (quais os resultados concretos e finais que se pretende alcançar dentro de um certo período de tempo). Desempenho (qual o comportamento

Leia mais

Gestão de Pessoas Avaliação

Gestão de Pessoas Avaliação Gestão de Pessoas Avaliação de Desempenho CEFET-MG / DIVINÓPOLIS 2 o bimestre / 2012 Prof. MSc. Antônio Guimarães Campos É a apreciação sistemática do desempenho de cada pessoa no cargo e o seu potencial

Leia mais

Concurso: Recursos Humanos Aula 02 LEONARDO FERREIRA SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR

Concurso: Recursos Humanos Aula 02 LEONARDO FERREIRA SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR Concurso: SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR Recursos Humanos Aula 02 LEONARDO FERREIRA Conteúdo Programático! Recursos Humanos Senado Federal! Recrutamento e Seleção. Avaliação Desempenho. Treinamento e Desenvolvimento.

Leia mais

GESTÃO DE DESEMPENHO. Prof. WAGNER RABELLO JR. Conceito de desempenho. Níveis de desempenho. O di?

GESTÃO DE DESEMPENHO. Prof. WAGNER RABELLO JR. Conceito de desempenho. Níveis de desempenho. O di? GESTÃO DE DESEMPENHO Prof. WAGNER RABELLO JR Conceito de desempenho Níveis de desempenho O di? O que medir? Resultados Desempenho Competências Fatores críticos de desempenho 1 Segundo Chiavenato, existem

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Questões sobre o tópico Avaliação de Desempenho: objetivos, métodos, vantagens e desvantagens. Olá Pessoal, Espero que estejam gostando dos artigos. Hoje veremos

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO 2006 Administração Assunto: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Autor: THAIANA BARRETO ANDRADE 2 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Autora: Thaiana Barreto Andrade 1. Conceitos 2. Objetivos da avaliação 3. Benefícios da avaliação

Leia mais

Equipe: Administradores de Sucesso. Componentes: Ricardo Miranda, Dalma Noronha, Fabio Macambira, Nivea Santos

Equipe: Administradores de Sucesso. Componentes: Ricardo Miranda, Dalma Noronha, Fabio Macambira, Nivea Santos Equipe: Administradores de Sucesso Componentes: Ricardo Miranda, Dalma Noronha, Fabio Macambira, Nivea Santos CONCEITOS PERFIS DE CARGOS AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO TIPOS DE AVALIAÇÃO FEEDBACK CASES SUMÁRIO

Leia mais

Avaliação do Desempenho

Avaliação do Desempenho Avaliação do Desempenho Professor : Glauco Zambonini Bibliografia base: Chiavenato, Idalberto Recursos humanos : o capital humano das organizações / Idalberto Chiavenato. 8. ed. São Paulo : Atlas, 2004

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 02 1 OBJETIVO DO MANUAL... 03 2 CONCEITOS UTILIZADOS... 04 3 POLÍTICA DE CARGOS E SALÁRIOS... 06 4 POLÍTICA DE CARREIRA... 07 5 AVALIAÇÃO

Leia mais

PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL

PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM II Departamento de Orientação Profissional - EEUSP PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROFISSIONAL VERA LUCIA MIRA GONÇALVES AVALIAÇÃO JUÍZO DE VALOR Avaliação de desempenho

Leia mais

Avaliação de desempenho

Avaliação de desempenho Avaliação de desempenho A avaliação de desempenho pode ser definida como a identificação e mensuração das ações que os colaboradores de uma organização realizaram durante determinado período. Tem como

Leia mais

DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO

DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO Esta pesquisa tem como objetivo abordar o tema voltado para a avaliação do desempenho humano com os seguintes modelos: escalas gráficas, escolha forçada, pesquisa de campo, métodos

Leia mais

NOSSO OBJETIVO. GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização

NOSSO OBJETIVO. GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização NOSSO OBJETIVO GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL Oferecer soluções viáveis em tempo hábil e com qualidade. Essa é a receita que a

Leia mais

SESSÃO TÉCNICA ESPECIAL EDUCAÇÃO E GESTÃO DA TECNOLOGIA (STE)

SESSÃO TÉCNICA ESPECIAL EDUCAÇÃO E GESTÃO DA TECNOLOGIA (STE) STE/02 17 à 22 de outubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil SESSÃO TÉCNICA ESPECIAL EDUCAÇÃO E GESTÃO DA TECNOLOGIA (STE) AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E POTENCIAL EM 360º NYDIA GUIMARÃES E ROCHA ABB RESUMO

Leia mais

Administração de Empresas. Indicadores de Desempenho

Administração de Empresas. Indicadores de Desempenho Administração de Empresas Indicadores de Desempenho Controle Administrativo Principio de Eficiência e Eficácia Indicadores de Desempenho Efetividade Os indicadores de desempenho são fundamentais por mensurar

Leia mais

A APLICAÇÃO FOI DRASTICAMENTE REDUZIDA

A APLICAÇÃO FOI DRASTICAMENTE REDUZIDA Bernardo Leite AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO HÁ TEMPOS... Objetivos principais: Aumento de salário Demissão CONCLUSÃO: A APLICAÇÃO FOI DRASTICAMENTE REDUZIDA A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO É um processo natural e

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL COD: NOR 312 APROVAÇÃO: Resolução DIREX Nº 009/2012 de 30/01/2012 NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO 1/17 ÍNDICE

Leia mais

Avaliação de Desempenho

Avaliação de Desempenho Avaliação de Desempenho Desempenho Humano Ato de executar uma meta, vinculada às condições de QUERER FAZER e SABER FAZER, possibilitando realizações com eficiência e eficácia. Avaliação de Desempenho Instrumento

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia MESQUITA NETO, Rui 1 DIAS, Vanessa Aparecida 2 NUNES, Ruth Vieira 3 RESUMO A organização depende das pessoas para atingir

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO COLABORADOR www.simplessolucoes.com.br

MATERIAL DE APOIO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO COLABORADOR www.simplessolucoes.com.br Folha 1 de 6 O que é uma avaliação de desempenho? Avaliação de desempenho é um processo contínuo de análise da atuação do colaborador frente às tarefas, responsabilidades e comportamentos da função, contribuindo

Leia mais

1.1- Existem seis questões fundamentais na avaliação do desempenho:

1.1- Existem seis questões fundamentais na avaliação do desempenho: CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ AULA - TURMA 5- ADN-1 CURSO : ADMINISTRAÇÀO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO DE RH PROF: NAZARÉ FERRÀO TURMAS: 5-ADN-1 I- AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO A avaliação do desempenho é

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO POR COMPETÊNCIAS. Instrutora: Rafaela Sampaio

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO POR COMPETÊNCIAS. Instrutora: Rafaela Sampaio AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO POR COMPETÊNCIAS Instrutora: Rafaela Sampaio Esse não será um treinamento comum... Apresento a todos o EVOLUIR!!! EVOLUIR O EVOLUIR é o momento onde você terá a oportunidade, de

Leia mais

ESTUDO DE CASO: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS

ESTUDO DE CASO: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS RINGA MANAGEMENT ESTUDO DE CASO: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS ESTUDO DE CASO: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS RESUMO Aline

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM EMPRESA DE MÉDIO PORTE AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE DESEMPENHO DOS COLABORADORES Por: PRISCILLA CAROLINE CORRÊA PÜSCHEL REIS Orientador

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS Manual de Aplicação Questionário de Levantamento Organizacional e de Fatores Humanos Brasília, novembro

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador. 1. Leia as afirmativas a seguir.

Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador. 1. Leia as afirmativas a seguir. Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador 1. Leia as afirmativas a seguir. I. O comportamento organizacional refere-se ao estudo de indivíduos e grupos

Leia mais

Desenvolvimento de pessoas.

Desenvolvimento de pessoas. Desenvolvimento de pessoas. 2.2 FORMULAÇÃO DE UM PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Gestão de Pessoas (Antonio Carlos Gil) e Gestão de Pessoas (Idalberto Chiavenato) "Se ensinardes alguma coisa a um

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO TÉCNICO- COMPORTAMENTAL EM UMA EMPRESA DO SETOR DE SERVIÇOS DE GUARAPUAVA- PR

ELABORAÇÃO DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO TÉCNICO- COMPORTAMENTAL EM UMA EMPRESA DO SETOR DE SERVIÇOS DE GUARAPUAVA- PR ELABORAÇÃO DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO TÉCNICO- COMPORTAMENTAL EM UMA EMPRESA DO SETOR DE SERVIÇOS DE GUARAPUAVA- PR RESUMO: A presente pesquisa faz parte de um Trabalho de Conclusão de Curso e foi realizado

Leia mais

RECURSOS HUMANOS Avaliação do desempenho

RECURSOS HUMANOS Avaliação do desempenho RECURSOS HUMANOS ? Origem,conceitos e definição Origem: Surge como analogia ao trabalho das máquinas e ao aumento da sua eficiência; Com a aplicação de determinado tipo de princípios era possível obter

Leia mais

CRITÉRIO 3: SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DO DESEMPENHO

CRITÉRIO 3: SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DO DESEMPENHO CRITÉRIO 3: SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DO DESEMPENHO Este capítulo inclui: Visão geral O Ciclo de Gestão do Desempenho: Propósito e Objectivos Provas requeridas para a acreditação Outros aspectos

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

PESQUISA DO CLIMA ORGANIZACIONAL EM UMA EMPRESA DE MÁRMORES E GRANITOS DO MUNICÍPIO DE COLIDER - MT.

PESQUISA DO CLIMA ORGANIZACIONAL EM UMA EMPRESA DE MÁRMORES E GRANITOS DO MUNICÍPIO DE COLIDER - MT. PESQUISA DO CLIMA ORGANIZACIONAL EM UMA EMPRESA DE MÁRMORES E GRANITOS DO MUNICÍPIO DE COLIDER - MT. 1 NATÁLIA SALVADEGO, 2 FRANCIANNE BARONI ZANDONADI 1 Bacharel em Engenheira Florestal (UNEMAT) e Estudante

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

Profa. Lenimar Vendruscolo Mery 2013 APOSTILA DE GESTÃO DE PESSOAS

Profa. Lenimar Vendruscolo Mery 2013 APOSTILA DE GESTÃO DE PESSOAS APOSTILA DE GESTÃO DE PESSOAS SUMÁRIO 1. O QUE SIGNIFICA GESTÃO DE PESSOAS... 3 2. PRINCIPAIS PROCESSOS DE GESTÃO DE PESSOAS... 3 3. O CONTEXTO DA GESTÃO DE PESSOAS... 4 4. EVOLUÇÃO DOS MODELOS DE GESTÃO...

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL - "QDO" 5. ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE QDO

QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL - QDO 5. ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE QDO QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL - "QDO" 1. FOLHA DE RESULTADOS DO QDO 2. PERFIL E INTERPRETAÇÃO DO D.O. 3. FUNDAMENTAÇÃO 4. INTERPRETAÇÃO DO DIAGNÓSTICO 5. ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE QDO 6.

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias FACULDADE GOVERNADOR OZANAM COELHO PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE PESSOAS INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias ALINE GUIDUCCI UBÁ MINAS GERAIS 2009 ALINE GUIDUCCI INTRODUÇÃO À GESTÃO DE

Leia mais

COBIT (CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY)

COBIT (CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY) Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística INE Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Projetos I Professor: Renato Cislaghi Aluno: Fausto Vetter Orientadora: Maria

Leia mais

SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO

SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO ESTRATÉGIAS DE REMUNERAÇÃO REMUNERAÇÃO ESTRATÉGICA É O USO INTELIGENTE DAS VÁRIAS FORMAS DE REMUNERAÇÃO, CUJO CONJUNTO ESTABELECE UM FORTE VÍNCULO COM A NOVA REALIDADE DAS ORGANIZAÇÕES

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Ilca Maria Moya de Oliveira As necessidades de seleção de pessoal na organização são inúmeras e vão exigir diferentes ações da área de Gestão de Pessoas para cada uma delas. A demanda de seleção de pessoal

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

LIDERANÇA DA NOVA ERA

LIDERANÇA DA NOVA ERA LIDERANÇA DA NOVA ERA Liderança da Nova Era Liderança é a realização de metas por meio da direção de colaboradores. A liderança ocorre quando há lideres que induzem seguidores a realizar certos objetivos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Campus de Francisco Beltrão Estágio Supervisionado em Administração

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Campus de Francisco Beltrão Estágio Supervisionado em Administração UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Campus de Francisco Beltrão Estágio Supervisionado em Administração Formulário de Roteiro do Diagnóstico Organizacional Seqüência das partes

Leia mais

Unidade III GESTÃO EMPRESARIAL. Prof. Roberto Almeida

Unidade III GESTÃO EMPRESARIAL. Prof. Roberto Almeida Unidade III GESTÃO EMPRESARIAL Prof. Roberto Almeida Esta estratégia compreende o comportamento global e integrado da empresa em relação ao ambiente que a circunda. Para Aquino:Os recursos humanos das

Leia mais

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir.

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir. 1. A administração de recursos humanos, historicamente conhecida como administração de pessoal, lida com sistemas formais para administrar pessoas dentro da organização. A administração de recursos humanos

Leia mais

Avaliação como instrumento de gestão de pessoas

Avaliação como instrumento de gestão de pessoas Glaucia Falcone Fonseca No contexto cada vez mais competitivo das organizações, a busca por resultados e qualidade é cada vez maior e a avaliação de pessoas assume o importante papel de instrumento de

Leia mais

Avaliação de Desempenho em uma Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul

Avaliação de Desempenho em uma Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul 1 Avaliação de Desempenho em uma Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul RESUMO Avaliação de desempenho é uma técnica que auxilia a empresa a ter uma visão mais objetiva do desempenho e do potencial

Leia mais

Formulário de Avaliação de Desempenho

Formulário de Avaliação de Desempenho Formulário de Avaliação de Desempenho Objetivos da Avaliação de Desempenho: A avaliação de desempenho será um processo anual e sistemático que, enquanto processo de aferição individual do mérito do funcionário

Leia mais

MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG

MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG Wemerton Luis EVANGELISTA()*; Franciele Ribeiro DA COSTA (2). () Professor do Curso Superior de Tecnologia em Administração: Pequenas e

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO. Prof. WAGNER RABELLO JR

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO. Prof. WAGNER RABELLO JR TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO Prof. WAGNER RABELLO JR TREINAMENTO Treinamentoéoprocessoeducacional,aplicadode maneira sistemática e organizada, pelo qual as pessoas aprendem conhecimentos, atitudes e habilidades

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO (PGD)

PROGRAMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO (PGD) UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DIVISÃO DE TREINAMENTO E AVALIAÇÃO SERVIÇO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROGRAMA DE

Leia mais

CORREÇÃO DA PROVA DE GESTÃO DE PESSOAS STN 2013 Professor: Alyson Barros

CORREÇÃO DA PROVA DE GESTÃO DE PESSOAS STN 2013 Professor: Alyson Barros Caros colegas, como vão? No domingo passado muitos alunos fizeram a prova do STN e aproveito para colocar a parte de Gestão de Pessoas nas Organizações corrigida aqui. Alerto que as únicas que, na minha

Leia mais

TEORIAS DE CONTÉUDO DA MOTIVAÇÃO:

TEORIAS DE CONTÉUDO DA MOTIVAÇÃO: Fichamento / /2011 MOTIVAÇÃO Carga horária 2 HORAS CONCEITO: É o desejo de exercer um alto nível de esforço direcionado a objetivos organizacionais, condicionados pela habilidade do esforço em satisfazer

Leia mais

IBMEC Jr. Consultoria. A melhor maneira de ingressar no mercado de trabalho

IBMEC Jr. Consultoria. A melhor maneira de ingressar no mercado de trabalho IBMEC Jr. Consultoria A melhor maneira de ingressar no mercado de trabalho O mercado de trabalho que nos espera não é o mesmo dos nossos pais... ... ele mudou! As mudanças Certeza Incerteza Real Virtual

Leia mais

RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: ATUAÇÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS

RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: ATUAÇÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS Centro de Educação Superior Barnabita CESB 1 RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: ATUAÇÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS Clara de Oliveira Durães 1 Profª. Pollyanna

Leia mais

Avaliação de Desempenho nas Organizações.

Avaliação de Desempenho nas Organizações. 1 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA PEDAGOGIA EMPRESARIA NICACIA FRANÇA DE OLIVEIRA Avaliação de Desempenho nas Organizações. Rio de Janeiro 2012 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAL. QUAIS AS VANTAGENS DESTE PROCESSO PARA UMA ORGANIZAÇÃO?

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAL. QUAIS AS VANTAGENS DESTE PROCESSO PARA UMA ORGANIZAÇÃO? Resumo: O texto cita algumas evoluções no processo de recrutamento e seleção realizado pelas empresas. Avalia a importância dos recursos humanos, no contexto organizacional. Palavras-Chave: 1. Incentivo

Leia mais

Clima organizacional e o desempenho das empresas

Clima organizacional e o desempenho das empresas Clima organizacional e o desempenho das empresas Juliana Sevilha Gonçalves de Oliveira (UNIP/FÊNIX/UNESP) - jsgo74@uol.com.br Mauro Campello (MC Serviços e Treinamento) - mcampello@yahoo.com Resumo Com

Leia mais

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES INSTITUTO A VEZ DO MESTRE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES INSTITUTO A VEZ DO MESTRE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES INSTITUTO A VEZ DO MESTRE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO Fernanda Silva de Sousa Rio de Janeiro 2010 1 UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

MARIA IZIDORA DE MEDEIROS TORQUATO RÊGO

MARIA IZIDORA DE MEDEIROS TORQUATO RÊGO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MARIA IZIDORA DE MEDEIROS TORQUATO RÊGO AVALIAÇÃO

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014 Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 Este relatório baseia-se nas respostas apresentadas no Inventário de Análise Pessoal comportamentos observados através questionário

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS I. Introdução Este Manual de Gestão de Cargos e Salários contempla todas as Áreas e Equipamentos da POIESIS e visa a orientar todos os níveis de gestão, quanto às

Leia mais

Qual a melhor forma de fazer um determinado trabalho?

Qual a melhor forma de fazer um determinado trabalho? A abordagem típica da Escola da Administração Científica é a ênfase nas tarefas; Objetivava a eliminação dos desperdícios e elevar os níveis de produtividade Frederick W. Taylor (1856-1915): Primeiro período

Leia mais

A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COMO FEEDBACK PARA OS COLABORADORES.

A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COMO FEEDBACK PARA OS COLABORADORES. PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COMO FEEDBACK PARA OS COLABORADORES. Por: Luciana Batista Moreira Orientador Prof. Maria Esther de Araújo Rio de Janeiro 2009

Leia mais

CRA-SP Centro do Conhecimento O Administrador Premium e Soluções Lucrativas Exigem Falling Walls in Management

CRA-SP Centro do Conhecimento O Administrador Premium e Soluções Lucrativas Exigem Falling Walls in Management CRA-SP Centro do Conhecimento O Administrador Premium e Soluções Lucrativas Exigem Falling Walls in Management Profº Walter Lerner lernerwl@terra.com.br Filme 7 CONTEXTUALIZAÇÃO da ADM e do Administrador

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Universidade Federal do Ceará Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Curso de Administração de Empresas GESTÃO POR COMPETÊNCIAS MAURICIO FREITAS DANILO FREITAS Disciplina

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA MARIANA FACCIO BALTAZAR RODRIGUES Análise do Método de Avaliação de Desempenho dos Servidores Técnico-Administrativos da Universidade Federal de Santa Catarina FLORIANÓPOLIS

Leia mais

CONTROLE ESTRATÉGICO

CONTROLE ESTRATÉGICO CONTROLE ESTRATÉGICO RESUMO Em organizações controlar significa monitorar, avaliar e melhorar as diversas atividades que ocorrem dentro de uma organização. Controle é fazer com que algo aconteça como foi

Leia mais

Ubirajara Brum da Silva (COPEL/CEFET-PR) brum@copel.com. João Luiz Kovaleski (CEFET-PR) kovaleski@pg.cefetpr.br

Ubirajara Brum da Silva (COPEL/CEFET-PR) brum@copel.com. João Luiz Kovaleski (CEFET-PR) kovaleski@pg.cefetpr.br Identificação das necessidades de desenvolvimento da liderança através do Feedback 360º Caso de uma equipe de manutenção da COPEL, Superintendência Centro-sul Ubirajara Brum da Silva (COPEL/CEFET-PR) brum@copel.com

Leia mais

Introdução. Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO

Introdução. Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO ADMINISTRAÇÃO POR OBJETIVOS 1 Introdução Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO Este processo é uma tentativa de alinhar metas pessoais

Leia mais

Instrumentos de Coleta de Dados em Projetos Educacionais

Instrumentos de Coleta de Dados em Projetos Educacionais Instrumentos de Coleta de Dados em Projetos Educacionais (Publicação do Instituto de Pesquisas e Inovações Educacionais - Educativa) Eduardo F. Barbosa - 1998 A necessidade de obtenção de dados no desenvolvimento

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA

CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA REVISÃO DOS DADOS 04 RELAÇÃO DE CARGOS Auxiliar de Montagem Montador Supervisor de Produção Técnico de Programação da Produção Coordenador de Produção IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional. Ciclo Avaliativo 2013 2015

Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional. Ciclo Avaliativo 2013 2015 Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional Ciclo Avaliativo 2013 2015 Cascavel 2014 CPA Comissão Própria de Avaliação Presidente Prof. Gelson Luiz Uecker Representante Corpo Docente Profa. Anália

Leia mais

Teorias da Administração

Teorias da Administração Teorias da Administração Cronologia das teorias da administração 1903 Administração Científica 1903 Teoria Geral da Administração 1909 Teoria da Burocracia 1916 Teoria Clássica da Administração 1932 Teoria

Leia mais

Willian José Gomes 1 e Adriana Carmo Martins Santos 1

Willian José Gomes 1 e Adriana Carmo Martins Santos 1 135 FEEDBACK 360º NO DESENVOLVIMENTO DA LIDERANÇA EM UMA EMPRESA DO SEGMENTO CALL CENTER Willian José Gomes 1 e Adriana Carmo Martins Santos 1 RESUMO: Este trabalho apresenta como tema central o uso do

Leia mais

Palavras-chave: Avaliação de desempenho. Negociação coletiva. Diagnóstico situacional.

Palavras-chave: Avaliação de desempenho. Negociação coletiva. Diagnóstico situacional. Avaliação de Desempenho Através da Negociação Coletiva no Campus Guarulhos da Universidade Federal de São Paulo Autora: Silvia Teresa de Moura Acedo * Graduação em Administração de Empresas Especialização

Leia mais

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica por Camila Hatsumi Minamide* Vivemos em um ambiente com transformações constantes: a humanidade sofre diariamente mudanças nos aspectos

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Ilca Maria Moya de Oliveira Cargos e suas estruturas são hoje um tema complexo, com várias leituras e diferentes entendimentos. Drucker (1999, p.21) aponta que, na nova sociedade do conhecimento, a estrutura

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL Julia Ferreira de Moraes (EEL-USP) moraes.julia@hotmail.com Everton Azevedo Schirmer

Leia mais

Curso de Especialização em Gestão Pública

Curso de Especialização em Gestão Pública Universidade Federal de Santa Catarina Centro Sócio-Econômico Departamento de Ciências da Administração Curso de Especialização em Gestão Pública 1. Assinale a alternativa falsa: (A) No processo gerencial,

Leia mais

Comportamento Organizacional GRUPOS

Comportamento Organizacional GRUPOS Comportamento Organizacional GRUPOS Objetivos da Seção Ampliar a compreensão sobre a dinâmica dos grupos e equipes nas organizações. Apresentar algumas dicas para a criação e manutenção de equipes eficazes

Leia mais

Política Corporativa Setembro 2012. Política de Recursos Humanos da Nestlé

Política Corporativa Setembro 2012. Política de Recursos Humanos da Nestlé Política Corporativa Setembro 2012 Política de Recursos Humanos da Nestlé Autoria/Departamento Emissor Recursos Humanos Público-Alvo Todos os Colaboradores Aprovação Concelho Executivo, Nestlé S.A. Repositório

Leia mais

Curso Empreendedorismo Corporativo

Curso Empreendedorismo Corporativo Curso Empreendedorismo Corporativo Todos os fatores relevantes atuais mostram que a estamos em um ambiente cada vez mais competitivo, assim as pessoas e principalmente as organizações devem descobrir maneiras

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

Captação, Seleção. e Acompanhamento PROCESSO DE COMPARAÇÃO, DECISÃO E ESCOLHA O CONTEXTO DE SELEÇÃO DE PESSOAS E MAIS...

Captação, Seleção. e Acompanhamento PROCESSO DE COMPARAÇÃO, DECISÃO E ESCOLHA O CONTEXTO DE SELEÇÃO DE PESSOAS E MAIS... Captação, Seleção e Acompanhamento O CONTEXTO DE SELEÇÃO DE PESSOAS PROCESSO DE COMPARAÇÃO, DECISÃO E ESCOLHA E MAIS... O PROCESSO DE SELEÇÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES Prof. Victor Andrey Barcala Peixoto

Leia mais

UM COMPARATIVO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA SLC AGRICOLA S/A

UM COMPARATIVO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA SLC AGRICOLA S/A UM COMPARATIVO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA SLC AGRICOLA S/A Carla Regina Prestes da Silva Eliane Vargas de Campos RESUMO O presente artigo traça um comparativo entre a prática

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Gestão de Pessoas Diversidade e Competências

Gestão de Pessoas Diversidade e Competências Gestão de Pessoas Diversidade e Competências Gestão de Pessoas ESTRATEGICA 1985 a hoje Aumentar o envolvimento dos colaboradores e integrar sistemas de suporte ADMINISTRATIVA 1965 a 1985 Foco: indivíduos

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

Sistemas de Gestão da Qualidade. Introdução. Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade. Tema Sistemas de Gestão da Qualidade

Sistemas de Gestão da Qualidade. Introdução. Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade. Tema Sistemas de Gestão da Qualidade Tema Sistemas de Gestão da Qualidade Projeto Curso Disciplina Tema Professor Pós-graduação Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade Sistemas de Gestão da Qualidade Elton Ivan Schneider Introdução

Leia mais