ABNT NBR 9191:2008. Mara L. S. Dantas. Sacos com lixo infectante necessidade de controle na disposição

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ABNT NBR 9191:2008. Mara L. S. Dantas. Sacos com lixo infectante necessidade de controle na disposição"

Transcrição

1 Sacos com lixo infectante necessidade de controle na disposição

2 Linha do Tempo da participação do IPT na normalização e controle 1991/ jan - IPT emite avaliação dos sacos para a Secretaria de Defesa do Consumidor 1991 / nov IPT publica a Norma IPT-NEA 59 - Sacos para lixo ABNT publica a Norma ABNT NBR Sacos plásticos para acondicionamento de lixo Requisitos e métodos de ensaio 2006 INMETRO publica relatório de análise de sacos de resíduo infectante, realizada pelo IPT. Todas as marcas avaliadas foram não conformes. INMETRO recomenda a certificação compulsória, desde que ANVISA concorde.

3 Sacos plásticos para acondicionamento de lixo Requisitos e Métodos de Ensaio T Classificação Requisitos e Classificação de Defeitos Métodos de Ensaio

4 Classificação dos sacos para lixo Classe I para acondicionamento de resíduos domiciliares Classe II para acondicionamento de resíduos (potencialmente) infectantes

5 Classe II - para resíduos infectantes (resíduo de serviço de saúde) tipo, dimensões, capacidade nominal em litros e em kilogramas. Tipo Largura (cm) Altura (cm) Volume (l) Carga (kg) A ,5 B C D E

6 Capacidade e Símbolo (ABNT NBR 7500)

7 Requisitos 1. Matéria prima : resinas termoplásticas virgens ou recicladas, contendo pigmentos e/ou aditivos compatíveis e que proporcionem a resistência e opacidade necessária a aplicação. 2. Atendam a classificação da norma (dimensões e capacidade) 3. Unidades de compra (pacotes), para cada tipo de saco, as unidades compra no varejo está estabelecida na norma. 4. Dimensões : - Largura: admite-se variação de ± 1 cm - Altura: só é definido o valor mínimo.

8 Requisitos 5. Solda: contínua, homogênea e uniforme, que proporcione perfeita vedação durante o uso. 6. Dispositivo de fechamento: declarar na embalagem. 7. Fácil separação e abertura das unidades. 8. Cor: para a Classe II somente branca leitosa.

9 SOLDA UNIFORME SOLDA NÃO UNIFORME

10 Classificação de defeitos para sacos Classe II: Grave ou Crítico. Requisito / Ensaio Dimensões Levantamento Queda Livre Estanqueidade Perfuração Transparência Capacidade Infectante Grave Crítico Crítico Crítico Crítico Grave Grave A amostra é aprovada ou rejeitada, dependendo do número de falhas por ensaio. Grave : admite-se 1 falha na amostra para avaliação de modelo ou lotes até unidades, acima de unidades admite-se 2 falhas na amostra. Crítico: Não se admite falha na amostra para avaliação de modelo ou lotes até mesmo acima de unidades.

11 Métodos de Ensaio 1. Condicionamento: pelo menos 2 h antes do ensaio na temperatura de 20 C 2. Medidas: utilizar instrumento com 1mm de menor divisão e realizar duas medidas em cada corpo de prova, duas na largura e duas na altura.

12 Medidas - LARGURA

13 Medidas ALTURA ÚTIL

14 3. Capacidade Volumétrica: mede o volume de água introduzido abaixo do nível de estrangulamento

15 4. Verificação da transparência (ABNT NBR 13056): uma parede de filme não transparente a direção das flechas da Figura Padrão

16 5. Resistência à perfuração estática (ABNT NBR 14474): uma parede de filme resistente à uma ponta hemisférica de 10mm que exerce uma força localizada de 10N.

17 6. Verificação da estanqueidade: não apresentar vazamento após 1 minuto com a carga de água descrita na norma

18 7. Resistência ao levantamento: não apresentar ruptura após 2 minutos com a carga descrita na norma

19 7. Resistência à queda: não apresentar ruptura ou vazamento após a queda e levantamento com a carga descrita na norma

20 8. Marcação, rotulagem e embalagem Sacos da Classe II - cada saco individualmente deve apresentar: 1. Identificação do fabricante por seu CNPJ; 2. Capacidade nominal em litros e quilogramas; 3. Símbolo infectante da ABNT NBR 7500 com a inscrição RESÍDUO INFECTANTE; Este símbolo deve estar a 1/3 da altura de baixo para cima e ocupar pelo menos 5% da área da face do saco.

21 obrigada pela atenção ou

NBR 14937. RELEVÂNCIA e REQUISITOS. Léa Mariza de Oliveira. leamzov@ital.sp.gov.br

NBR 14937. RELEVÂNCIA e REQUISITOS. Léa Mariza de Oliveira. leamzov@ital.sp.gov.br NBR 14937 RELEVÂNCIA e REQUISITOS Léa Mariza de Oliveira leamzov@ital.sp.gov.br Programa de Qualidade de Sacolas Plásticas abril/2007 0 CETEA - Quem somos? CETEA - CENTRO DE TECNOLOGIA DE EMBALAGEM www.cetea.ital.sp.gov.br

Leia mais

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5.

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5. COTAÇÃO DE PREÇO PROCESSO Nº. 349/15 NOME DA EMPRESA: DATA: 1. OBJETO Aquisição de materiais de limpeza e higiene para atender as necessidades do Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul conforme

Leia mais

BLOCOS DE CONCRETO PARA ALVENARIA Portaria Inmetro nº 220/2013 CÓDIGO: 3842

BLOCOS DE CONCRETO PARA ALVENARIA Portaria Inmetro nº 220/2013 CÓDIGO: 3842 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade- Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

CAPÍTULO 6.6 EXIGÊNCIAS PARA A CONSTRUÇÃO E ENSAIO DE EMBALAGENS GRANDES

CAPÍTULO 6.6 EXIGÊNCIAS PARA A CONSTRUÇÃO E ENSAIO DE EMBALAGENS GRANDES CAPÍTULO 6.6 EXIGÊNCIAS PARA A CONSTRUÇÃO E ENSAIO DE EMBALAGENS GRANDES 6.6.1 Disposições Gerais 6.6.1.1 As exigências deste capítulo não se aplicam: - à classe 2 exceto artigos incluindo aerossóis; -

Leia mais

Resíduos Sólidos Acondicionamento. Gersina N. da R. Carmo Junior

Resíduos Sólidos Acondicionamento. Gersina N. da R. Carmo Junior Resíduos Sólidos Acondicionamento Gersina N. da R. Carmo Junior Onde começam os problemas para o serviço de limpeza urbana de sua cidade? Em nossas próprias residências. Conceituação Acondicionar os resíduos

Leia mais

Portaria n.º 5, de 8 de janeiro de 2013.

Portaria n.º 5, de 8 de janeiro de 2013. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 5, de 8 de janeiro de 2013. O PRESIDENTE

Leia mais

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Permanente de Licitação CPL 04

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Permanente de Licitação CPL 04 1 2 ABSORVENTE HIGIENICO NOTURNO; COBERTURA SUAVE; COM ABAS; FLUXO NORMAL; PACOTE COM 08 ADES; CAIXA COM 24 PACOTES. AVENTAL DE PLASTICO - FORRADO FORRADO TAMANHO MÉDIO COM BOLSO AS MELO CX 60 85,00 5.100,00

Leia mais

Caixa para medidores com ou sem leitura por vídeo câmeras

Caixa para medidores com ou sem leitura por vídeo câmeras Dobradiça Furação para passagem de cabo de Ø21 mm ( 12x ) Vista Inferior Item 1 e 2 Adaptador para parafuso A.A. Fixação dos trilhos através de parafuso e porca ( possibilitando regulagem ) Trilho de fixação

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S/A MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIV ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ELOS FUSÍVEIS TIPO EXPULSÃO PARA CIRCUITO DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA COM EXTINÇÃO DE ARCO E ELOS FUSIVEIS

Leia mais

Portaria n.º 318, de 14 de agosto de 2007. CONSULTA PÚBLICA. OBJETO: Regulamento Técnico da Qualidade para EMBALAGEM DE ÁLCOOL ETÍLICO.

Portaria n.º 318, de 14 de agosto de 2007. CONSULTA PÚBLICA. OBJETO: Regulamento Técnico da Qualidade para EMBALAGEM DE ÁLCOOL ETÍLICO. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 318, de 14 de agosto de 2007.

Leia mais

CONEXÕES PARA ÁGUA FRIA EM PVC

CONEXÕES PARA ÁGUA FRIA EM PVC CONEXÕES PARA ÁGUA FRIA EM PVC Tubos e Conexões de PVC, para Água Fria, com Junta Soldável Norma Regulamentadora: ABNT NBR 5648 / jan 1999. Campo de Aplicação: Sistemas Prediais, condominiais e pequenas

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO PARA TELHAS CERÃMICAS E TELHAS DE CONCRETO Portaria Inmetro nº 005/2013

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO PARA TELHAS CERÃMICAS E TELHAS DE CONCRETO Portaria Inmetro nº 005/2013 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade- Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria.

Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria. Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria. Publicação de domínio público reproduzida na íntegra por Andraplan Serviços Ltda. Caso tenha necessidade de orientações sobre o assunto contido nesta

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC Nº 55, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO - RDC Nº 55, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2009 DOU Nº 217, de 13/11/2009 Seção 1 RESOLUÇÃO - RDC Nº 55, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre Regulamento Técnico para Produtos Saneantes Categorizados como Água Sanitária e Alvejantes à Base de Hipoclorito

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS UTENSÍLIOS DE COZINHA E REFEITÓRIO ESCOLAR (Versão 1) Junho/2012 UTENSÍLIOS DE COZINHA E REFEITÓRIO ESCOLAR ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS CATEGORIA: UTENSÍLIOS LOTE: INOX ITEM 1: KIT

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SSP Nº 03/2011. UNIDADE RESPONSÁVEL: Unidades de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SSP Nº 03/2011. UNIDADE RESPONSÁVEL: Unidades de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde. Fls.: 1 de 11 INSTRUÇÃO NORMATIVA SSP Nº 03/2011 VERSÃO: 01/2011 APROVAÇÃO EM: 20 de julho de 2011 ATO DE APROVAÇÃO: Decreto nº 20/2011 UNIDADE RESPONSÁVEL: Unidades de Saúde e Secretaria Municipal de

Leia mais

Portaria n.º 260, de 05 de junho de 2014.

Portaria n.º 260, de 05 de junho de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 260, de 05 de junho de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

Portaria nº. 220, de 29 de abril de 2013.

Portaria nº. 220, de 29 de abril de 2013. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria nº. 220, de 29 de abril de 2013. O PRESIDENTE

Leia mais

3.1. Esta especificação faz referência aos seguintes documentos:

3.1. Esta especificação faz referência aos seguintes documentos: 1/7 1. OBJETIVO: 1.1. Esta Especificação Técnica tem por objetivo definir as características e estabelecer os critérios para a fabricação e aceitação do Sistema para Cabeamento Interno Aparente em Ambiente

Leia mais

Portaria n.º 116, de 14 de março de 2014. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 116, de 14 de março de 2014. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 116, de 14 de março de 2014. CONSULTA

Leia mais

Certificação de sacolas plásticas impressas tipo camiseta

Certificação de sacolas plásticas impressas tipo camiseta Pág. Nº 1/13 SUMÁRIO Histórico das revisões 1 Objetivo 2 Referências normativas 3 Definições 4 Siglas 5 Descrição do processo de certificação 6 Manutenção da certificação 7 Marcação dos produtos certificados

Leia mais

Procedimento de obra para recebimento de bloco cerâmico Estrutural

Procedimento de obra para recebimento de bloco cerâmico Estrutural Procedimento de obra para recebimento de bloco cerâmico Estrutural 1 OBJETIVO Procedimento padrão para recebimento blocos estruturais cerâmicos; 2 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA NBR 15270-2:2005 Componentes

Leia mais

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...3

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...3 Página 1 de 21 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...3 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...4 7. CONDIÇÕES GERAIS...4 8.

Leia mais

Art. 5º Esta Portaria revoga a Portaria Inmetro n.º 24/1996.

Art. 5º Esta Portaria revoga a Portaria Inmetro n.º 24/1996. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria Inmetro n.º 153, de 12 de agosto de 2005 O PRESIDENTE

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título: TRANSFORMADORES DE POTENCIAL PARA EQUIPAMENTOS ESPECIAIS Código ETD-00.062 Data da emissão 28.09.2012 Data da última revisão Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Normas Complementares

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES. RESOLUÇÃO Nº 3.763, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 (DOU de 08/02/2012 Seção I Pág. 68)

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES. RESOLUÇÃO Nº 3.763, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 (DOU de 08/02/2012 Seção I Pág. 68) AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES RESOLUÇÃO Nº 3.763, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 (DOU de 08/02/2012 Seção I Pág. 68) Altera o Anexo da Resolução nº 420, de 12 de fevereiro de 2004, que aprova as

Leia mais

COMPANHIA MUNICIPAL DE ENERGIA E ILUMINAÇÃO-RIOLUZ DIRETORIA TECNOLÓGICA E DE PROJETO DTP GERÊNCIA TECNOLÓGICA E DE DESENVOLVIMENTO GTD EM-RIOLUZ-14

COMPANHIA MUNICIPAL DE ENERGIA E ILUMINAÇÃO-RIOLUZ DIRETORIA TECNOLÓGICA E DE PROJETO DTP GERÊNCIA TECNOLÓGICA E DE DESENVOLVIMENTO GTD EM-RIOLUZ-14 DIRETORIA TECNOLÓGICA E DE PROJETO DTP GERÊNCIA TECNOLÓGICA E DE DESENVOLVIMENTO GTD EM-RIOLUZ-14 POSTES DE CONCRETO EMISSÃO 17 08-01-15 Página 1 de 20 1 OBJETIVO. SUMARIO 2 DEFINIÇÕES E CONVENÇÕES. 2.1

Leia mais

QUALIFICAÇÃO DE PRODUTOS

QUALIFICAÇÃO DE PRODUTOS QUALIFICAÇÃO DE PRODUTOS HISTÓRICO DO PSQ-Esquadrias de Alumínio - ABR/2001: AFEAL implementa o Programa Setorial da Qualidade (PSQ) de Esquadrias de Alumínio. O referido programa está inserido no Programa

Leia mais

Portaria n.º 17, de 11 de janeiro de 2013.

Portaria n.º 17, de 11 de janeiro de 2013. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 17, de 11 de janeiro de 2013. O PRESIDENTE

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ELO FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ELO FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ELO FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO Código ETD-00.016 Data da emissão 30.04.1987 Data da última revisão 29.06.2006 Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Normas Complementares 3 Definições

Leia mais

Portaria n.º 346, de 24 de julho de 2014.

Portaria n.º 346, de 24 de julho de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 346, de 24 de julho de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

INSTRUÇÕES DE USO EMBALAGEM PARA ESTERILIZAÇÃO SOLIDOR

INSTRUÇÕES DE USO EMBALAGEM PARA ESTERILIZAÇÃO SOLIDOR INSTRUÇÕES DE USO EMBALAGEM PARA ESTERILIZAÇÃO SOLIDOR Importador: Lamedid Comercial e Serviços Ltda. Endereço: Av. Gupê, nº 10767 Galpão 20, Bloco IV Jardim Belval Município: Barueri SP -CEP: 06422-120

Leia mais

QUALIFICAÇÃO DE PRODUTOS

QUALIFICAÇÃO DE PRODUTOS QUALIFICAÇÃO DE PRODUTOS HISTÓRICO DO PSQ-Esquadrias de Aço - NOV/1996 :O Programa da Qualidade da Construção Habitacional do Estado de São Paulo (QUALIHAB), implantado pela CDHU, estimulou a criação do

Leia mais

ANEXO VI ESPECIFICAÇÃO VEICULAR

ANEXO VI ESPECIFICAÇÃO VEICULAR ANEXO VI VEICULAR Para a prestação do serviço de Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do, as operadoras deverão utilizar veículos adequados às especificações veiculares definidas neste Anexo.

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ RJ AGÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA DE RESÍDUOS

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ RJ AGÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA DE RESÍDUOS ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ RJ AGÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA DE RESÍDUOS MODELO BÁSICO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS

Leia mais

I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO

I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. DESENVONVIMENTO DE EQUIPAMENTOS E PROCEDIMENTOS

Leia mais

Instrução Técnica nº 25/2011 - Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis - Parte 3 Armazenamento... 625

Instrução Técnica nº 25/2011 - Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis - Parte 3 Armazenamento... 625 Instrução Técnica nº 25/2011 - Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis - Parte 3 Armazenamento... 625 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE FIO 4BWG. LT 138kV ENTRONCAMENTO (INDAIAL RIO DO SUL II) RIO DO SUL RB LT 25519

ESPECIFICAÇÃO DE FIO 4BWG. LT 138kV ENTRONCAMENTO (INDAIAL RIO DO SUL II) RIO DO SUL RB LT 25519 DIRETORIA TECNICA DEPARTAMENTO DE PROJETO E CONSTRUÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO DIVISÃO DE LINHAS ESPECIFICAÇÃO DE FIO 4BWG LT 138kV ENTRONCAMENTO (INDAIAL RIO DO SUL II) RIO DO SUL RB LT 25519 SET/06 SUMÁRIO

Leia mais

SUMÁRIO. Elaboração Revisão Aprovado (ou Aprovação) Data aprovação Maturino Rabello Jr Marco Antônio W. Rocha Carmen T. Fantinel

SUMÁRIO. Elaboração Revisão Aprovado (ou Aprovação) Data aprovação Maturino Rabello Jr Marco Antônio W. Rocha Carmen T. Fantinel SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2 3.1 Hidrômetro...2 3.2 A.R.T...2 3.3 Ramal predial de água...2 4. Procedimentos e Responsabilidades...3 4.1 Generalidades...3

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR PARECER TÉCNICO Nº 011 - CAT

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR PARECER TÉCNICO Nº 011 - CAT ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR PARECER TÉCNICO Nº 011 - CAT Assunto: Saídas de Emergências em Edificações. O Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Espírito Santo:

Leia mais

NORMA MUNICIPAL Nº. 054

NORMA MUNICIPAL Nº. 054 NORMA MUNICIPAL Nº. 054 Portaria Nº.054. de 05 de julho de 2001 Norma de Armazenamento Externo de Contêineres de Resíduos Sólidos ORIGEM: Gestão Diferenciada de Resíduos Sólidos PALAVRA CHAVE: Resíduos

Leia mais

Embalagens para esterilização. O que você precisa saber sobre: Normas técnicas

Embalagens para esterilização. O que você precisa saber sobre: Normas técnicas O que você precisa saber sobre: Normas técnicas Leis e Normas Constituição Federal Leis Infra - constitucinais Ex: Código Penal 1940 Código Civil (1916) 2002 Leis Complementares (Decreto Lei) MP NORMAS

Leia mais

ANEXO I 1 / 5 PROCESSO

ANEXO I 1 / 5 PROCESSO Item DESCRIÇÃO DO PRODUTO UN. 01 02 Álcool etílico hidratado a 92,8º refinado de baixo teor de acidez e aldeídos, especialmente indicado para limpeza, não incluindo desinfecção e sem adição de desnaturante.

Leia mais

Licença de uso exclusiva para Petrobrás S.A. Licença de uso exclusiva para Petrobrás S.A.

Licença de uso exclusiva para Petrobrás S.A. Licença de uso exclusiva para Petrobrás S.A. ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13-28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210-3122 Fax: (021) 240-8249/532-2143

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 13 / 03 / 2014 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de Suporte de Transformador Tipo Cantoneira para utilização nas Redes de Distribuição

Leia mais

COMPRESSOR MANUAL DO PROPRIETÁRIO DENTAL/MEDICAL OIL-FREE WWW.SCHUSTER.IND.BR PERIFÉRICOS ODONTOLÓGICOS

COMPRESSOR MANUAL DO PROPRIETÁRIO DENTAL/MEDICAL OIL-FREE WWW.SCHUSTER.IND.BR PERIFÉRICOS ODONTOLÓGICOS COMPRESSOR S45 DENTAL/MEDICAL OIL-FREE MANUAL DO PROPRIETÁRIO COMPRESSOR S45 110V PERIFÉRICOS ODONTOLÓGICOS WWW.SCHUSTER.IND.BR 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. INTRODUÇÃO... 3 3. TERMOS DE GARANTIA... 3 4. ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

NBR 7483/2005. Cordoalhas de aço para concreto protendido Requisitos

NBR 7483/2005. Cordoalhas de aço para concreto protendido Requisitos NBR 7483/2005 Cordoalhas de aço para concreto protendido Requisitos OBJETIVO Fixar os requisitos para fabricação, encomenda, fornecimento e recebimento de cordoalhas de aço de alta resistência de três

Leia mais

Assentar pisos e azulejos em áreas internas.

Assentar pisos e azulejos em áreas internas. CAMPO DE APLICAÇÃO Direto sobre alvenaria de blocos bem acabados, contrapiso ou emboço desempenado e seco, isento de graxa, poeira e areia solta, para não comprometer a aderência do produto. Indicado apenas

Leia mais

PISO ELEVADO EXTERNO REMASTER COMPARATIVO CONCORRÊNCIA

PISO ELEVADO EXTERNO REMASTER COMPARATIVO CONCORRÊNCIA TECNOLOGIA QUE DEIXA VOCÊ LIVRE PARA CRIAR E SE DESENVOLVER THINK SUSTAINABLE PISO ELEVADO EXTERNO REMASTER PISO PARA ÁREAS EXTERNAS DE CIRCULAÇÃO As placas intertravam-se entre si, garantindo perfeita

Leia mais

BICICLETAS DE USO INFANTIL

BICICLETAS DE USO INFANTIL Página: 1/12 Elaborado por: Maria Lucia Hayashi Verificado por: João Gustavo L. Junqueira Aprovado por: Regina Toscano Data Aprovação: 10/12/2013 1 OBJETIVO Este documento apresenta os critérios complementares

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA 78252 Materiais AGUA SANITARIA, A BASE DE HIPOCLORITO DE SODIO OU CALCIO, COM VALIDADE MINIMA DE 4 MESES, A PARTIR DA DATA DE FABRICACAO, ACAO: DESINFETANTE, TEOR DE CLORO ATIVO: 2,0% P/P A 2,5%P/P, PRODUZIDO

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA 78252 AGUA SANITARIA, A BASE DE HIPOCLORITO DE SODIO OU CALCIO, COM VALIDADE MINIMA DE 4 MESES, A PARTIR DA DATA DE FABRICACAO, ACAO: DESINFETANTE, TEOR DE CLORO ATIVO: 2,0% P/P A 2,5%P/P, PRODUZIDO DE

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA 78252 Materiais AGUA SANITARIA, A BASE DE HIPOCLORITO DE SODIO OU CALCIO, COM VALIDADE MINIMA DE 4 MESES, A PARTIR DA DATA DE FABRICACAO, ACAO: DESINFETANTE, TEOR DE CLORO ATIVO: 2,0% P/P A 2,5%P/P, PRODUZIDO

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 024/2015 TERMO DE REFERÊNCIA

SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 024/2015 TERMO DE REFERÊNCIA SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 024/2015 TERMO DE REFERÊNCIA LOTE 1 materiais de escritório ITEM Qt Unidade Especificação detalhada Valor unitário Valor TOTAL 01 200 Pacote Papéis A4, 75g, tamanho ofício,

Leia mais

Relatório de Licitação Normal

Relatório de Licitação Normal FORNECEDOR STATUS UNIDADE UN. QTDE. PE-Pregão Eletrônico PE 105/16 5173 - CRACHÁ, Material: PVC flexível, Aplicação: identificação individual, Cor: em policromia de até 16 milhões de cores, Tipo Impressão:

Leia mais

CATÁLOGO PILHÃO MENOS RESÍDUOS - MENOS POLUIÇÃO MAIS FUTURO

CATÁLOGO PILHÃO MENOS RESÍDUOS - MENOS POLUIÇÃO MAIS FUTURO CATÁLOGO PILHÃO MENOS RESÍDUOS - MENOS POLUIÇÃO MAIS FUTURO i A ALMOVERDE Ecologia, Lda. dedica se, desde o seu início, à comercialização de equipamentos para a recolha selectiva de resíduos sólidos, nomeadamente

Leia mais

ARMANDO MARIANTE CARVALHO JUNIOR Presidente do INMETRO

ARMANDO MARIANTE CARVALHO JUNIOR Presidente do INMETRO Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - Inmetro Portaria INMETRO nº 157, de 19 de agosto de 2002 O PRESIDENTE

Leia mais

Projeto GLP Qualidade Compartilhada

Projeto GLP Qualidade Compartilhada Projeto GLP Qualidade Compartilhada Projeto RI Botijões Resistentes à Impacto - AUTORES - EDUARDO ROGERIO DOS SANTOS - DOUGLAS ROBERTO PEREIRA - EDUARDO MORAES DE CAMPOS Categoria: Produção PRÊMIO GLP

Leia mais

PLÁSTICO BOLHA DATASHEET

PLÁSTICO BOLHA DATASHEET Pág.1/5 Produzido em Filme de Polietileno de Baixa Densidade, com bolhas de ar, o Plástico Bolha é um produto que proporciona excelente proteção nos materiais nele embalados. Outra aplicação largamente

Leia mais

Manual de Projeto de Sistemas Drywall paredes, forros e revestimentos

Manual de Projeto de Sistemas Drywall paredes, forros e revestimentos Manual de Projeto de Sistemas Drywall paredes, forros e revestimentos 1 Prefácio Este é o primeiro manual de projeto de sistemas drywall publicado no Brasil um trabalho aguardado por arquitetos, engenheiros,

Leia mais

PERFUROCORTANTES RÍGIDO

PERFUROCORTANTES RÍGIDO COLETOR PARA RESÍDUOS TÓXICOS Fabricado com plástico rígido proporcionando segurança e fácil limpeza Sistema de fechamento que garante a vedação da tampa evitando o escape do resíduo Translúcido, permite

Leia mais

Número PE070/2014. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número PE070/2014. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 1 LUVA com resistencia mecanica a rasgos e perfuracoes, produzidas com 100% de borracha nitrilica, cor azul ou verde, com espessura suficiente para preservacao do tato. Deve oferecer protecao contra

Leia mais

adota a seguinte Consulta Pública e eu, Diretor Presidente, determino a sua publicação:

adota a seguinte Consulta Pública e eu, Diretor Presidente, determino a sua publicação: Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública nº 75, de 23 de dezembro de 2008. D.O.U de 24 /12/08 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CONDUTOR DE ALUMÍNIO MULTIPLEXADO

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CONDUTOR DE ALUMÍNIO MULTIPLEXADO ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CONDUTOR DE ALUMÍNIO MULTIPLEXADO Código ETD-00.023 Data da emissão 28.12.1993 Data da última revisão 09.09.2009 Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Normas Complementares

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA COLETA DE PREÇOS Nº IAP-HSL 013/2014

TERMO DE REFERÊNCIA COLETA DE PREÇOS Nº IAP-HSL 013/2014 TERMO DE REFERÊNCIA COLETA DE PREÇOS Nº IAP-HSL 013/2014 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA AQUISIÇÃO DE MATERIAL DE LIMPEZA E HIGIENE PARA ATENDER TODA DEMANDA DO HOSPITAL SÃO LUCAS 1 Unidade Requisitante Instituto

Leia mais

TERMILOR PAINÉIS DE POLIURETANO EXPANDIDO PARA ISOLAÇÃO TÉRMICA, ABSORÇÃO E ISOLAÇÃO ACÚSTICA

TERMILOR PAINÉIS DE POLIURETANO EXPANDIDO PARA ISOLAÇÃO TÉRMICA, ABSORÇÃO E ISOLAÇÃO ACÚSTICA TERMILOR PAINÉIS DE POLIURETANO EXPANDIDO PARA ISOLAÇÃO TÉRMICA, ABSORÇÃO E ISOLAÇÃO ACÚSTICA TERMILOR TÉCNICA DO POLIURETANO O QUE É O poliuretano é uma espuma rígida termofixa (que não amolece com a

Leia mais

Portaria Inmetro nº 388/2012 Códigos SGI 03807, 03808 e 03809

Portaria Inmetro nº 388/2012 Códigos SGI 03807, 03808 e 03809 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

Portaria n.º 347, de 11 de julho de 2013. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 347, de 11 de julho de 2013. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 347, de 11 de julho de 2013. CONSULTA

Leia mais

Divinolândia, 18 de março de 2015

Divinolândia, 18 de março de 2015 Divinolândia, 18 de março de 2015 Prezados senhores interessados Esta comissão de Julgamento de Licitação do Conderg Hospital Regional de Divinolândia, esclarece através deste, alterações feita no Edital

Leia mais

OBJETO: Regulamento de Avaliação da Conformidade para tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis em posto revendedor. ORIGEM: Inmetro/MDIC

OBJETO: Regulamento de Avaliação da Conformidade para tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis em posto revendedor. ORIGEM: Inmetro/MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 130, de 31 de julho de 2003. CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

ABIPLAR Associação Brasileira da Indústria de Piso Laminado de Alta Resistência

ABIPLAR Associação Brasileira da Indústria de Piso Laminado de Alta Resistência Entidade Setorial Nacional Mantenedora ABIPLAR Associação Brasileira da Indústria de Piso Laminado de Alta Resistência Rua Dr. Renato Paes de Barros, 714 - Conj. 82 - CEP 04530-001 São Paulo SP / Fone:

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 51, de 12 de fevereiro de 2004. O PRESIDENTE

Leia mais

Portaria n.º 239, de 09 de maio de 2012.

Portaria n.º 239, de 09 de maio de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 239, de 09 de maio de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

1- FILA DE REGISTRO CATEGORIA: DINAMIZADOS COD ASSUNTO 1619 DINAMIZADO - Registro de Medicamento 1708 DINAMIZADO - Desarquivamento de Processo.

1- FILA DE REGISTRO CATEGORIA: DINAMIZADOS COD ASSUNTO 1619 DINAMIZADO - Registro de Medicamento 1708 DINAMIZADO - Desarquivamento de Processo. CATEGORIA: BIOLÓGICOS 1524 PRODUTO BIOLÓGICO - Desarquivamento de Processo 1528 PRODUTO BIOLÓGICO - Registro de Produto Novo 1529 PRODUTO BIOLÓGICO - Registro de Produto 10369 PRODUTO BIOLÓGICO - Registro

Leia mais

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE ARMAZENAMENTO E NA ÁREA DE VENDA

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE ARMAZENAMENTO E NA ÁREA DE VENDA MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE ARMAZENAMENTO E NA ÁREA DE VENDA MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE ARMAZENAMENO E VENDAS CUIDADOS NAS OPERAÇÕES RECEBIMENTO No ato do recebimento dos produtos são conferidos: Procedência;

Leia mais

Portaria n.º 5, de 8 de janeiro de 2013.

Portaria n.º 5, de 8 de janeiro de 2013. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 5, de 8 de janeiro de 2013. O PRESIDENTE

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 075, de 15 de maio de 2003. O PRESIDENTE DO

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 345, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2005 Dispõe sobre produtos que contenham substâncias inalantes.

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 345, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2005 Dispõe sobre produtos que contenham substâncias inalantes. título: Resolução RDC nº 345, de 15 de dezembro de 2005 ementa: Dispõe sobre produtos que contenham substâncias inalantes. publicação: D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder Executivo, de 19 de dezembro

Leia mais

ADITIVO AO EDITAL. TÍTULO: Registro de Preços para aquisição de produtos químicos para tratamento de água.

ADITIVO AO EDITAL. TÍTULO: Registro de Preços para aquisição de produtos químicos para tratamento de água. ADITIVO AO EDITAL PREGÃO PRESENCIAL Nº 36/2013 TÍTULO: Registro de Preços para aquisição de produtos químicos para tratamento de água. O SERVIÇO AUTÔNOMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO - SAMAE, em conformidade

Leia mais

Telhas Térmicas Dânica

Telhas Térmicas Dânica Telhas Térmicas Dânica TermoWave TermoHouse TermoRoof Divisão Construção Civil Varejo Conheça as principais vantagens das telhas térmicas Dânica Conforto térmico O núcleo isolante em poliuretano (PUR)

Leia mais

Critérios de Avaliação Fabril. Artefatos de Concreto para uso no SEP (Sistema Elétrico de Potência)

Critérios de Avaliação Fabril. Artefatos de Concreto para uso no SEP (Sistema Elétrico de Potência) Critérios de Avaliação Fabril Artefatos de Concreto para uso no SEP (Sistema Elétrico de Potência) O presente subitem tem como objetivo orientar fabricantes de artefatos de concreto para redes de distribuição

Leia mais

PGQ-2 PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE COMPONENTES PARA CONSTRUÇÃO CIVIL FABRICADOS COM PERFIS DE PVC SETORIAL JANELAS

PGQ-2 PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE COMPONENTES PARA CONSTRUÇÃO CIVIL FABRICADOS COM PERFIS DE PVC SETORIAL JANELAS AFAP-PVC: TESIS: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE PERFIS DE PVC PARA CONSTRUÇÃO CIVIL TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PGQ 2 - F - PGQ-2 PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE COMPONENTES

Leia mais

Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis.

Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis. Legislação Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis. Resolução da Diretoria Colegiada RDC nº 20, de 26 de março de 2008 Dispõe sobre o Regulamento Técnico

Leia mais

23/05/2014. Professor

23/05/2014. Professor UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Disciplina: Construção Civil I Alvenarias Área de Construção Civil Prof. Dr. André Luís Gamino Professor Elementos

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJETIVO 03 2. ÂMBITO 03 3. CONCEITOS 03 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 03 5. INSTRUÇÕES GERAIS 04 5.1. Condições de Serviços 04 5.2. Identificação dos transformadores 04 5.3.

Leia mais

Filtros Plissados F7-001 TROX DO BRASIL LTDA. Fone: (11) 3037-3900 Fax: (11) 3037-3910 E-mail: trox@troxbrasil.com.br www.troxbrasil.com.

Filtros Plissados F7-001 TROX DO BRASIL LTDA. Fone: (11) 3037-3900 Fax: (11) 3037-3910 E-mail: trox@troxbrasil.com.br www.troxbrasil.com. F7-001 Filtros Plissados TROX DO BRASIL LTDA. Rua Alvarenga, 2025 05509-005 São Paulo SP Fone: (11) 3037-3900 Fax: (11) 3037-3910 E-mail: trox@troxbrasil.com.br www.troxbrasil.com.br Índice - Descrição

Leia mais

VERIFICAÇÃO INICIAL DE MEDIDORES DE VOLUME DE GÁS TIPO DIAFRAGMA

VERIFICAÇÃO INICIAL DE MEDIDORES DE VOLUME DE GÁS TIPO DIAFRAGMA VERIFICAÇÃO INICIAL DE MEDIDORES DE VOLUME DE GÁS TIPO DIAFRAGMA NORMA N o NIE-DIMEL-073 APROVADA EM DEZ/05 N o /06 SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Campo de Aplicação 3. Responsabilidades 4. Documentos de Referência

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO PARA-RAIOS DE DISTRIBUIÇÃO DE 12, 15 E 27 kv 10 ka

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO PARA-RAIOS DE DISTRIBUIÇÃO DE 12, 15 E 27 kv 10 ka EMD -.008 1/5 Obs: Medidas em milímetros. EMD -.008 2/5 CÓDIGO CEB TENSÃO NOMINAL CEB TABELA 1 TENSÃO DO PÁRA-RAIOS DIMENSÕES (mm) A (máx.) H (mín.) 2 3 4 5 6 12050008 13,8 12 400 80 12050009 13.8 15 450

Leia mais

Especificação Técnica de Projeto N.º 001

Especificação Técnica de Projeto N.º 001 SERVIÇO AUTONOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA ETP 001 Especificação Técnica de Projeto N.º 001 INDICE 1. 2. 3. 3.1. 4. 4.1. 4.2. 4.3. 4.4. 4.5. 4.6. 4.7. 4.8. 4.9. 4.10. 4.11. 4.11.1. 4.11.2. 4.11.3. 4.11.4.

Leia mais

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011 1 - PRODUTO: Acrílico Standard mais rendimento Natrielli. 2 - DESCRIÇÃO: É uma tinta acrílica de alto rendimento apresenta um excelente acabamento em superfícies externas e internas de alvenaria, reboco,

Leia mais

Norma Técnica Interna Sabesp NTS 045

Norma Técnica Interna Sabesp NTS 045 Norma Técnica Interna Sabesp NTS 045 Tubo de Concreto Armado para Esgoto Sanitário Especificação São Paulo Maio - 1999 NTS 045 : 1999 Norma Técnica Interna SABESP S U M Á R I O 1 OBJETIVO...1 2 REFERÊNCIAS

Leia mais

SAN.T.IN.NT 39. Em polietileno, na cor azul Royal, classe B e E Ref. A 29-R, com catraca.

SAN.T.IN.NT 39. Em polietileno, na cor azul Royal, classe B e E Ref. A 29-R, com catraca. 1 / 5 SUMÁRIO: 1. OBJETIVO 2. DESCRIÇÃO 3. MATERIAL 4. DETALHES 5. MEDIDAS 6. EMBALAGEM 7. IDENTIFICAÇÃO 8. GARANTIAS 9. AMOSTRAS 10. INSPEÇÃO 11. LOGOTIPO 12. REFERÊNCIAS 13. ANEXOS 1. OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TR 087 PROCEDIMENTO PARA REMOÇÃO DE TANQUES SUBTERRÂNEOS DE SISTEMA DE ARMAZENAMENTO E ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEL

TERMO DE REFERÊNCIA TR 087 PROCEDIMENTO PARA REMOÇÃO DE TANQUES SUBTERRÂNEOS DE SISTEMA DE ARMAZENAMENTO E ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEL TERMO DE REFERÊNCIA TR 087 PROCEDIMENTO PARA REMOÇÃO DE TANQUES SUBTERRÂNEOS DE SISTEMA DE ARMAZENAMENTO E ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEL Este documento apresenta o procedimento a ser adotado na remoção

Leia mais

SER PESADO EM PRESENÇA DO CONSUMIDOR,

SER PESADO EM PRESENÇA DO CONSUMIDOR, Hoje iremos abordar vários temas ligados a Setor de Mercadorias Pré Medidas. E a primeira duvida e entender o que é um produto Pré Medido? produto pré medido e todo ou qualquer produto medido e/ou embalado

Leia mais

Indicador de Pressão para Extintor de Incêndio. Ademir Ribeiro Dconf/Divec

Indicador de Pressão para Extintor de Incêndio. Ademir Ribeiro Dconf/Divec Ademir Ribeiro Dconf/Divec INTRODUÇÃO: Considerando que os Indicadores de Pressão para Extintores de Incêndio são componentes fundamentais por permitir ao usuário identificar a qualquer momento, se o extintor

Leia mais

ES-01. Estante simples. Mobiliário. Atenção. Revisão Data Página 1/6 5 08/03/13 VISTA LATERAL VISTA FRONTAL ESC. 1:20 VISTA SUPERIOR

ES-01. Estante simples. Mobiliário. Atenção. Revisão Data Página 1/6 5 08/03/13 VISTA LATERAL VISTA FRONTAL ESC. 1:20 VISTA SUPERIOR 2000 1/6 VISTA LATERAL ESC. 1:20 VISTA FRONTAL ESC. 1:20 900 0 VISTA SUPERIOR ESC. 1:20 900 PAINEL DE FUNDO CHAPA 24 (0,6mm) PAINEL LATERAL CHAPA 24 (0,6mm) 0 2/6 2000 13 400 400 1 13 0 0 40 VISTA SUPERIOR

Leia mais

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Permanente de Licitação CPL 03

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Permanente de Licitação CPL 03 LOTE I 1 Água sanitária, à base de cloro. Composição química: hipoclorito de sódio, hidróxido de sódio, cloreto. Teor cloro ativo variando de 2 a 2,50, cor levemente amareloesverdeada. Aplicação: alvejante

Leia mais

4.3 Códigos Padronizados Conforme ANEXO II - ESPECIFICAÇÃO SUCINTA E DETALHADA.

4.3 Códigos Padronizados Conforme ANEXO II - ESPECIFICAÇÃO SUCINTA E DETALHADA. Elaborador: Mário Sérgio de Medeiros Damascena ET - 05.126.00 1 de 20 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de elo fusível para utilização nas

Leia mais

Portaria Inmetro nº 89, de 06 de abril de 2006.

Portaria Inmetro nº 89, de 06 de abril de 2006. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria Inmetro nº 89, de 06 de abril de 2006. O PRESIDENTE

Leia mais

SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. CAMPO DE APLICAÇÃO. Esta Norma aplica-se à RBMLQ-I e à Dimep. 3. RESPONSABILIDADE

SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. CAMPO DE APLICAÇÃO. Esta Norma aplica-se à RBMLQ-I e à Dimep. 3. RESPONSABILIDADE DETERMINAÇÃO DO CONTEÚDO EFETIVO DE PRODUTO PRÉ-MEDIDO DE CONTEÚDO NOMINAL IGUAL COMERCIALIZADO EM UNIDADE DE MASSA NORMA N o NIE-DIMEL-025 APROVADA EM JUL/2011 N o 01/08 SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Campo de

Leia mais