O envelhecimento populacional brasileiro e a abordagem da mídia em relação a pessoa idosa Moreira, Thais dos Santos*

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O envelhecimento populacional brasileiro e a abordagem da mídia em relação a pessoa idosa Moreira, Thais dos Santos*"

Transcrição

1 O envelhecimento populacional brasileiro e a abordagem da mídia em relação a pessoa idosa Moreira, Thais dos Santos* Resumo: Este presente artigo tem por finalidade demonstrar de forma sucinta no cenário contemporâneo, o envelhecimento populacional brasileiro, bem como seus impactos na realidade social. Sabemos que a alta taxa de expectativa de vida é uma conquista mundial, porém, se não for planejada e estruturada, trará uma série de problemas e principalmente a falta de atenção e proteção a terceira e quarta idade. Não basta somente que a vida seja prolongada, é preciso que tenhamos qualidade de vida, em especial na terceira idade, pois é nesta faixa etária que se manifestam em grande parte, as conseqüências de uma vida com hábitos inadequados. O aumento da expectativa de vida, traz grandes desafios a serem superados, como: a aceitação da família, a questão da pobreza, o desafio da aposentadoria, a situação precária dos asilos em sua maioria, a questão da saúde ou seja, o bem estar biopsíco-social e a formação profissional adequada e qualificada para atender a população idosa. Para além disso, está a abordagem da mídia sobre a terceira idade. Compreendendo os meios de comunicação, como canais de poderes e ideologias, muito vem sendo feito no sentido de estigmatizar a figura da pessoa idosa, favorecendo e ressaltando a importância do novo, do belo, do atual, reforçando desta maneira o modo capitalista, onde o consumo está acima de tudo. Neste sentido discutiremos para mostrar a importância da pessoa idosa, bem como sua participação social, econômico e político, além da reflexão da abordagem da mídia em relação ao processo de envelhecimento e suas conseqüências na realidade brasileira. Palavras-chave: envelhecimento, população idosa, expectativa de vida, mídia. * Acadêmica do 7 semestre de Serviço Social pela Universidade Federal de Mato Grosso, estagiária do Núcleo de Organização e Estudos da Terceira Idade NOETI.

2 Muitas pessoas afirmam que a única certeza que temos em nossa vida, é a certeza que a morte chegará, porém nos dias atuais esta certeza vem sendo adiada em relação à morte decorrente da velhice. Vemos altos índices de óbitos relacionados a homicídios, acidentes de trânsitos, violências relacionadas às drogas, doenças das mais diversas. Mas a algo que vem mudando cada dia mais, é a expectativa de vida. Até a metade do século vinte, o Brasil era considerado um país jovem, as pessoas morriam antes dos 50 anos em decorrência de diversas doenças e elevadas taxas tanto de natalidade quanto de mortalidade. Com pessoas com mais de 60 anos, segundo o Censo Populacional de 2000, não podemos mais dizer que o Brasil ainda seja um país jovem, este número corresponde cerca de 8,6% da população brasileira que virá crescer ainda mais, o que já torna o Brasil em um país de Meia-idade. De acordo com as projeções da Organização Mundial de Saúde (OMS), entre os anos de 1950 e 2025, a população de idosos no país crescerá dezesseis vezes contra cinco vezes a população total, o que nos dará a colocação do sexto país com maior população idosa, ocorrendo assim uma verdadeira Revolução demográfica. Processo de envelhecimento brasileiro Este processo de envelhecimento ocorre em conseqüência da transição demográfica, no qual ocorre uma mudança da situação de mortalidade e natalidade elevadas, com populações jovens, para uma situação com mortalidade e natalidade baixas, portanto com um aumento significativo de idosos. Essa mudança ocorre graças aos avanços tecnológicos e da saúde que permitem o aumento da expectativa de vida, bem como uma vida de qualidade, diminuindo e/ou controlando as doenças infantis, além do controle de natalidade, que engloba questões culturais, econômicas, sociais e políticas. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa média de vida ao nascer do brasileiro aumentou de 66 para 68,6 anos na última década, o que os países europeus levaram quase um século para fazer, prevê que o Brasil fará em trinta anos, dobrar a proporção de idosos

3 de sua população de 7% para 14%. Mas para que isso ocorra, não basta apenas aumentar a expectativa de vida. A partir dos anos sessenta, com o auge dos métodos contraceptivos, as taxas de fecundidade caíram no Brasil, a taxa de fecundidade total diminuiu de 5,8 filhos por mulher em 1970 para 2,3 filhos em Em 1980, existiam cerca de 16 idosos para cada 100 crianças, vinte anos depois, essa relação dobrou, passando para quase 30 idosos para cada 100 crianças (KALACHE,1998). Mas famílias menores prejudicam também os cuidados com as pessoas idosas, fazendo crescer a necessidade de instituições para cuidados de longo prazo, como os asilos. Mas devemos ressaltar que embora a fecundidade seja o principal componente da dinâmica demográfica brasileira, em relação a população idosa, é a longevidade que vem contribuindo para esta evolução. Ocorre em nosso país, um maior crescimento proporcional dos grupos etários com mais de 75 anos (também chamados de quarta idade). De 1991 a 2000, observa-se que a população total de idosos passou de 36,5%, enquanto que o grupo de 75 anos ou mais, passou a 49,3%. Não podemos deixar de citar outro crescimento bastante significativo, os dos centenários ou mais, que segundo o Censo Demográfico de 1991, foram de aproximadamente 13 mil pessoas e já no Censo de 2000, passou a idosos. Outro fator influenciador, é a composição das populações e no nosso país, têm contribuído para que algumas regiões, que não são desenvolvidas e com altas taxas de natalidade e mortalidade, tenham uma elevada proporção de idosos. Podemos mostrar o estado da Paraíba, que em 2000 contava com cerca de 10% de idosos na sua população, muito mais que os 8,6 % observados em Existe uma grande migração de jovens da Paraíba e de outras regiões pobres do país, para cidades mais desenvolvidas, em busca de uma oportunidade de trabalho. Nessas regiões, mesmo que a transição demográfica seja incompleta, a proporção de idosos aumenta muito, pois são eles que permanecem nessas localidades (KALACHE,1998) Atualmente, 81% dos idosos brasileiros estão nas áreas urbanas e as capitais com a maior proporção de idosos são Rio de Janeiro (12,8%) e Porto Alegre (11,8%). Essa tendência de urbanização continuará, observando que mais homens idosos vivem em zonas rurais, enquanto as mulheres vivem nas

4 cidades. Este processo de urbanização fica evidente, quando verificamos que em São Paulo, por exemplo, residem cerca de 1 milhão de idosos, já em Boa Vista e Palmas apresentaram apenas 3,8% e 2,7% de idosos respectivamente. A feminilização da velhice é outro fator que deve ser abordado, pois devido fatores biológicos, sociais e culturais, as mulheres vivem em média 8 anos a mais que os homens, trazendo assim inúmeras implicações como por exemplo, o fato de 93% das idosas serem responsáveis pelos seus domicílios mesmo vivendo com seus cônjuges. Apontando os indicadores por distribuição de sexo, 44,9% sendo homens e 55,1% sendo mulheres e média de anos vividos de 72,6 anos para mulheres e 64,8 para os homens. Um grande problema e desafio para os idosos nos dias atuais, é a sua adaptação com o mundo moderno. Dificuldade este resultante da deficiência educacional desta geração, em que freqüentar escola era privilégio a um grupo reduzido de pessoas. Desta feita, há um alto índice de analfabetismo, que atinge 5,1 milhões de idosos no país. Sendo, ainda, mais agravante em determinadas regiões, como no Nordeste no qual cerca de 56,1% da população idosa são analfabetos segundo o IBGE. A média de anos de estudos dos idosos da cidade de Niterói é de 8,2 anos, já no Piauí, nos municípios de Barra de Alcântara e de Novo Santo Antônio, os idosos têm uma média de 0,2 anos de estudo. Existindo, ainda, analfabetas funcionais, que são indivíduos que estudaram menos de 4anos. Correspondendo cerca de 59,4% dos idosos responsáveis pelos domicílios. Havendo um crescimento de somente 16,1% de alfabetização em relação ao Censo de Em relação a questão de gênero, os homens, ainda, continuam sendo mais alfabetizados que as mulheres, devido ao fato de que até os anos 60, terem mais acesso a escola que as mulheres, sendo 67,7% dos homens alfabetizados contra, 62,6% da mulheres alfabetizadas. Devido ao processo de envelhecimento, de acordo com a revista de Saúde Pública do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo- HUUSP-, muitos idosos se tornam mais vulneráveis às doenças, sendo geralmente portadores de múltiplas enfermidades crônicas, se tornando assim importantes consumidores dos recursos destinados à saúde. Essas debilitações prejudicam a capacidade funcional e autonomia dos idosos,

5 causando a incapacidade e requerendo cuidados especiais em tempo integral em cerca de 30% a 50% dos indivíduos com mais de 85 anos. Há estimativas, segundo o IBGE, que em 2020 o Brasil terá 25 milhões de idosos, que representarão 11,4 % da população brasileira. Em 2002, o país já contava com de pessoas com 60 anos ou mais representando assim 9,3% da população, sendo 56,0% mulheres. Verificou-se que os idosos representam 10,2% da população do Sudeste, 10,0% da população Sul, 9,3% da população Norte, 8,9% da população do Nordeste e 7,2% do Centro-Oeste. Em relação aos centenários, segundo o Censo de 2000, residiam cerca de idosos em São Paulo, centenários na Bahia, em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Do Censo de 1991 ao de 2000, houve um crescimento de 63% nos rendimentos do idosos, passando de R$403,00 para R$657,00, sendo que no corte por gênero, os homens ganham em media mais que as mulheres, sendo R$752,00 para os idosos e R$500,00 para as idosas. As divergências são enormes, pois a renda dos idosos na área rural representa cerca de 40% da área urbana e já nos estados com áreas rurais mais desenvolvidas, o rendimento médio urbano e rural já são bem próximos. Porém, o rendimento na área rural dos estados das regiões Norte e Nordeste, representa em média, menos que a metade do urbano. É importante ressaltar, que embora muitos pensem que os idosos são economicamente inativos, não contribuem para o crescimento econômico, influenciadores na sobrecarga da Previdência, 62,4% dos idosos e 37,6% das idosas, segundo o Censo de 2000, são chefes de família, somando 8,9 milhões de pessoas, além de 54,5% dos idosos chefe de família sustentam seus filhos. Além disso, cerca de 20% dos idosos aposentados continuam trabalhando, sendo 28,9% os homens e 11,5% as mulheres. Essas contribuições chegam a 4,5%dos postos de trabalhos do país, no qual 6,3 tem mais de 60 anos e ainda 40% trabalham por conta própria. Passando do aspecto econômico para o político, segundo Ademar de Martins, é comum vermos a discussão sobre os votos dos adolescentes de 16 a 18 anos(cerca de 4 milhões), porém pouco se fala sobre o público idoso, que representa cerca de 14,5 milhões de pessoas idosas. Na faixa obrigatória de votar na terceira idade, de 60 a 69 anos, existem mais de 8 milhões de eleitores, o dobro de eleitores adolescentes. Mesmo com o crescimento da

6 participação dos idosos na economia do país, não ocorreu ainda a conscientização em relação à força política pertencente à população idosa. Digno de nota está à questão da saúde da pessoa idosa e as causas de mortalidade na terceira idade. Dentre as principais causas de morte em idosos no Brasil, nos anos de 1980 e 1998, as causas externas representaram 3,5% da mortalidade geral, ocupando assim a sexta posição. Os dados indicam a tendência de queda desse tipo de óbitos que, já em 1998, significou 3,2% da mortalidade geral nessa faixa etária, tendo sido superado pelas doenças infecciosas e parasitárias, que estavam logo abaixo do ranking das causas da mortalidade. Em 1998, morreram idosos por acidentes e violência no país, significando cerca de 37 óbitos por dia, conforme explicita a pesquisa do HUUSP. Devemos destacar que embora ainda seja a causa de violência mais significativa de mortes de idosos, os acidentes de trânsitos decresceram proporcionalmente no ano de Ao contrario, os homicídios e as quedas apresentaram crescimento proporcional, passando respectivamente de 7,2% e 13,7% do total de mortes por acidentes e violências, em 1980, para 9,6% e 16,6% em A proporção de homicídios deve ser abordada, pois cresceu de 6,7% para 7,8% neste período de 1980 a Há também outros fatores que são determinantes no tocante a saúde da pessoa idosa, como a questão de gênero, pois os homens têm possibilidade de morrer 2,7 vezes maior que as mulheres. Embora as mulheres reclamem mais sobre a saúde, refere-se à qualidade de vida, pois tendo a vida aumentada, convivem com mais doenças, porém devido às diferenças biológicas consideradas protetoras da mulher, como hormônio feminino, estão um pouco mais protegidas que os homens. Outro fator de risco é a própria questão da idade, ter idade igual ou superior a 75 anos representa um risco de óbito aproximadamente quatro vezes maior em relação aos idosos com idade entre 60 e 74 anos. Segundo a pesquisa da Organização Pan-Americana da Saúde, realizada em São Paulo no ano de 2000, em relação à doenças referidas estão principalmente as doenças cardíacas, que aumenta o risco de óbito em 2,7 vezes. A hospitalização também é considerada como um fator de risco, por provocar condições de agravo à saúde como infecções, isolamento social,

7 iatrogenias, entre outras que pode proporcionar perda da independência e autonomia, muitas vezes, levando-os a morte. Terceira idade e mídia Para abordamos sobre o reflexo da pessoa idosa na mídia devemos compreender o significado e função dos meios de comunicação. Podemos considerar os meios de comunicação como instâncias da comunicação de massa, ou seja, a imprensa, a rádio e a televisão em suas acepções públicas, privadas ou comunitárias. Trata-se de mecanismos que permitem a disseminação em massa da informação, facilitando a construção de consensos sociais, a construção e a reprodução do discurso público e certos níveis de interação, principalmente dos novos meios independentes, alternativos e comunitários.bb Estes meios de comunicação social possuem basicamente três funções distintas: informar, entreter e educar. Segundo esta concepção, a informação refere-se à comunicação dos fatos que ocorrem no contexto social: educar, a capacidade que tem o homem para enfrentar-se com este contexto e entreter é transportar mentalmente o espectador para longe do seu contexto, com o objetivo de descanso. Contudo, segundo o cientista político-americano, Harold Lasweel, resumiu as funções dos meios de comunicação em: vigilância do contexto, correlação social, transmissão cultural, socialização e entretenimento. Compreendendo então que a mídia tem como função, informar, educar, entreter, devemos ressaltar que: Os pensamentos da classe dominante são também, em todas as épocas, os pensamentos dominantes, ou seja, a classe que tem o poder material dominante numa sociedade é também a potência dominante espiritual. A classe que dispõe dos meios de produção material dispõe igualmente dos meios de produção intelectual; de tal modo que o pensamento daqueles a quem é recusado os meios de produção intelectual está submetido igualmente à classe dominante. Os pensamentos dominantes são apenas a expressão ideal das relações materiais dominantes concebidas sob a forma de idéias e, portanto, a expressão das relações que fazem de uma classe a classe dominante; dizendo de outro modo, são ais idéias e, portanto, a expressão das relações que fazem de uma classe e classe dominante; dizendo de outro modo, são as idéias do seu domínio.(marx, 1976:55 e 56)

8 Desta forma podemos observar que os padrões, ideologias, pensamentos são passados para a sociedade a todo o momento conforme o pensamento da classe dominante. Sendo esta classe voltada para o capitalismo, para o consumo excessivo, visa o novo, o belo, o atual. Inferioriza então o velho, o usado, o passado. É neste contexto que se localiza a terceira idade na mídia, sendo na maior parte, ridicularizada e estigmatizada, como se estivesse esperando somente a morte chegar. Fica notória a figura da pessoa idosa, voltada para planos funerários, convênios médicos e produtos dentários, como por exemplo, fitas adesivas para dentadura. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a pessoa idosa é economicamente ativa como já mostrado anteriormente, sendo muitos ainda chefes de família, e buscam não somente a extensão da vida, mas sim esta com qualidade. Por isso a terceira idade, busca o consumo de diversos produtos como toda a pessoa independente de sua faixa etária. Não somente em relação ao consumo, é afirmado no Estatuto do Idoso, que a pessoa idosa tem direito a programações voltadas a esta faixa etária, esclarecendo e informando sobre o processo de envelhecimento, o que raramente se efetiva. Conforme afirma uma das representantes de um dos conselhos estaduais do idoso, a pessoa idosa vai ser respeitada, somente quando a terceira idade for no Brasil um fator econômico sério. Mesmo a terceira idade sendo um dos públicos que mais geram audiência aos meios de comunicação em massa, a mídia continua não se preocupado com eles, pelo contrário, despreza, desdenha a pessoa idosa, fazendo então uma espécie de culto de idolatria aos jovens, voltando se cada vez mais para a infância e adolescência, devido os pré-requisitos da beleza estética e do consumismo. A mídia deveria educar, ao invés de deseducar, passar valores de respeito e aceitação das diferenças e não o contrário. Por isto, devemos como afirma a presidente da Associação Nacional de Gerontologia:

9 Deveríamos fica bem atentos para reagirmos a todas essas propagandas tão maléficas, a todos esses esteriótipos que passam à geração futuras, no sentido de dar cada vez mais um peso maléfico à velhice. Desta maneira, devemos buscar cada dia mais, a aceitação da velhice em todas as esferas, pois desde o momento que nascemos estamos envelhecendo, sendo este processo de envelhecimento, algo inerente ao ser humano. Buscar a valorização da pessoa idosa é algo que deve ser contínuo, para que assim como vem acontecendo de maneira tímida, a pessoa idosa venha a ser respeitada e valorizada, não pregando a busca da juventude, mas sim a aceitação da velhice, velhice esta com qualidade e respeito. Considerações finais Verifica-se que o nosso país muito se destaca no tocante ao processo de envelhecimento. Há a expectativa de que em 2025, o Brasil seja o sexto país com população idosa no mundo, o IBGE. Porém não há muito que se comemorar. Observamos ao decorrer deste artigo que muito deve ser feito para que não somente a expectativa de vida venha a ser aumentada, mas sim acompanhado de um envelhecimento digno, respeitada, de qualidade e realizações. Pois há muito idosos analfabetos, sem moradia, lazer, educação, cultura, recebendo da área da saúde um trabalho curativo e emergencial e não um trabalho eficaz sócio-educacional de prevenção e orientação. muitas mudanças deverão ocorrer, mas dentre essas, há maior deve ser feita em relação ao respeito a pessoa idosa, pois não houve um preparo para este crescimento demográfico da terceira idade, com isto esta temática vem imbricada de diversos preconceitos, esteriótipos, estigmas e valores invertidos, em virtude até mesmo do nosso modo de produção capitalista, que valoriza somente o novo, descartando o antigo ou o usado. As mudanças deverão ser de valores, isto é, a partir do individual para o coletivo, mudando a nossa visão sobre velhice. Devemos compreender que tratar da velhice não é assunto somente dos geriatras e/ou gerontólogos, mas sim de toda a população, pois todos nós envelhecemos. Conscientizando a todos que a vida deve ser prolongada, mas

10 em conjunto da luta constante pelos direitos, respeito, pela igualdade e justiça social. Referências Bibliográficas DEBERT, Guita Grin. Artigo O idoso na mídia. Extraído do site acessado dia 03/12/07 O velho na propaganda. Extraído do site Cadernos Pagu n 21 Campinas 2003, acessado dia 28/11/07 GUARESCHI, Pedrinho A., Sociologia Crítica: alternativas de mudança. Mundo Jovem ª edição - EDIPUCRS

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Alto Boa Vista, MT 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2248,35 km² IDHM 2010 0,651 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 5247 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Sorriso, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 9382,37 km² IDHM 2010 0,744 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 66521 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Areado, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 282,6 km² IDHM 2010 0,727 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 13731 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Santos, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 281,35 km² IDHM 2010 0,840 Faixa do IDHM Muito Alto (IDHM entre 0,8 e 1) (Censo 2010) 419400 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Botelhos, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 335,24 km² IDHM 2010 0,702 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 14920 hab. Densidade

Leia mais

Docente: Willen Ferreira Lobato willenlobato@yahoo.com.br

Docente: Willen Ferreira Lobato willenlobato@yahoo.com.br Docente: Willen Ferreira Lobato willenlobato@yahoo.com.br Natal 29/02/2012 1 Considerações Gerais; Principais conceitos demográficos; Gráficos de indicadores sociais; Estrutura das populações mundiais:

Leia mais

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam.

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam. Conjuntura Econômica Brasileira Palestrante: José Márcio Camargo Professor e Doutor em Economia Presidente de Mesa: José Antonio Teixeira presidente da FENEP Tentarei dividir minha palestra em duas partes:

Leia mais

Mudanças demográficas e saúde no Brasil Dados disponíveis em 2008

Mudanças demográficas e saúde no Brasil Dados disponíveis em 2008 Mudanças demográficas e saúde no Brasil Dados disponíveis em 2008 José Cechin Superintendente Executivo Carina Martins Francine Leite Nos últimos meses, vários relatórios publicados por diferentes instituições

Leia mais

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL META Refletir sobre as características da população brasileira como fundamento para a compreensão da organização do território e das políticas de planejamento e desenvolvimento

Leia mais

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens Um país de idosos Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens A expectativa de vida do brasileiro aumentou mais de 20 anos em

Leia mais

Goiás e seu reflexo na sociedade

Goiás e seu reflexo na sociedade Os dados do Censo Escolar da Educação Básica de 2013, divulgado recentemente, apontaram a diminuição do número de matrículas em Goiás tendo como referência o ano de 2010. Notadamente, os decréscimos ocorreram

Leia mais

PED-RMPA INFORME ESPECIAL IDOSOS

PED-RMPA INFORME ESPECIAL IDOSOS A POPULAÇÃO IDOSA NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE SETEMBRO - 2008 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE PED-RMPA INFORME ESPECIAL IDOSOS

Leia mais

SAÍDA DO MERCADO DE TRABALHO: QUAL É A IDADE?

SAÍDA DO MERCADO DE TRABALHO: QUAL É A IDADE? SAÍDA DO MERCADO DE TRABALHO: QUAL É A IDADE? Ana Amélia Camarano* Solange Kanso** Daniele Fernandes** 1 INTRODUÇÃO Assume-se que idade avançada e invalidez resultam em perda da capacidade laboral, o que

Leia mais

Material de apoio para o exame final

Material de apoio para o exame final Professor Rui Piassini Geografia 1º EM Material de apoio para o exame final Questão 01) Em toda a história da humanidade os agrupamentos humanos ou os indivíduos, isoladamente, se movimentam pelo espaço,

Leia mais

DIFERENCIAIS SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS IDOSOS NO BRASIL

DIFERENCIAIS SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS IDOSOS NO BRASIL Seminário sobre Educação Superior e Envelhecimento Populacional no Brasil MEC - SESU/CAPES DIFERENCIAIS SOCIODEMOGRÁFICOS ENTRE OS IDOSOS NO BRASIL Maria Isabel Parahyba Coordenação de População e Indicadores

Leia mais

Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística. 1 - Introdução

Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística. 1 - Introdução Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística Área Temática: Emprego e Mercado de Trabalho, Demografia Econômica. 1 - Introdução Este texto

Leia mais

O IDOSO EM QUESTÃO: ALUNOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS MOSTRAM SUA VISÃO SOBRE O QUE É SER IDOSO NA ATUALIDADE

O IDOSO EM QUESTÃO: ALUNOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS MOSTRAM SUA VISÃO SOBRE O QUE É SER IDOSO NA ATUALIDADE ISSN: 1981-3031 O IDOSO EM QUESTÃO: ALUNOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS MOSTRAM SUA VISÃO SOBRE O QUE É SER IDOSO NA ATUALIDADE Eva Pauliana da Silva Gomes 1. Givanildo da Silva 2. Resumo O presente

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

Indicadores e Dados Básicos: situando Santa Catarina

Indicadores e Dados Básicos: situando Santa Catarina Secretaria da Saúde do Estado de Santa Catarina Diretoria de Planejamento e Coordenação Gerência de Estatística e Informática Setor de Mortalidadade Indicadores e Dados Básicos: situando Santa Catarina

Leia mais

A situação do câncer no Brasil 1

A situação do câncer no Brasil 1 A situação do câncer no Brasil 1 Fisiopatologia do câncer 23 Introdução O câncer é responsável por cerca de 13% de todas as causas de óbito no mundo: mais de 7 milhões de pessoas morrem anualmente da

Leia mais

Capítulo 3. Fichas de Qualificação de Indicadores

Capítulo 3. Fichas de Qualificação de Indicadores Capítulo 3 Fichas de Qualificação de Indicadores A Demográficos População total A.1................................... 58 Razão de sexos A.2................................... 60 Taxa de crescimento da

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Porto Alegre do Norte, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 3994,51 km² IDHM 2010 0,673 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10748 hab.

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DOS CUIDADOS PREVENTIVOS PARA O ENVELHECER SAUDÁVEL E ATIVO

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DOS CUIDADOS PREVENTIVOS PARA O ENVELHECER SAUDÁVEL E ATIVO TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DOS CUIDADOS PREVENTIVOS PARA O ENVELHECER SAUDÁVEL E ATIVO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO SOCIAL INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS DE BOTUCATU

Leia mais

POPULAÇÃO BRASILEIRA

POPULAÇÃO BRASILEIRA POPULAÇÃO BRASILEIRA É importante conhecer as características da população brasileira para o seu vestibular. Inicialmente vamos conhecer dois conceitos básicos para esse estudo: *População absoluta refere-se

Leia mais

REFERÊNCIAS PARA UMA POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO

REFERÊNCIAS PARA UMA POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GRUPO PERMANENTE DE TRABALHO DE EDUCAÇÃO DO CAMPO REFERÊNCIAS PARA UMA POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO CADERNO DE SUBSÍDIOS BRASÍLIA Outubro, 2003 2 ÍNDICE APRESENTAÇÃO...5

Leia mais

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Professor: Josiane Vill Disciplina: Geografia Série: 3ª Ano Tema da aula: Crescimento populacional: tendências e dilemas Objetivo da aula: contextualizar

Leia mais

GEOGRAFIA. População Brasileira

GEOGRAFIA. População Brasileira População Brasileira No Brasil a concentração populacional tem sua maior ocorrência em áreas litorâneas ou próximas ao litoral. Temos como fatores contribuintes as faixas de planície, clima tropical, sem

Leia mais

Nº 23 Março 2012. Perfil da Raça da População Cearense

Nº 23 Março 2012. Perfil da Raça da População Cearense Nº 23 Março 2012 Perfil da Raça da População Cearense Análise a partir dos dados do Censo Demográfico 2010 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Cid Ferreira Gomes Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho Vice Governador

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Novo Mundo, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5826,18 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 7332 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Vera, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2962,4 km² IDHM 2010 0,680 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10235 hab. Densidade demográfica

Leia mais

CLÁUDIA REGINA VIEIRA LIMA

CLÁUDIA REGINA VIEIRA LIMA CLÁUDIA REGINA VIEIRA LIMA POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A TERCEIRA IDADE NO DISTRITO FEDERAL: Instituições de Longa Permanência & Centros de Convivência Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Como está a desigualdade de gênero entre os estados brasileiros?

Como está a desigualdade de gênero entre os estados brasileiros? Como está a desigualdade de gênero entre os estados brasileiros? Luísa Cardoso 1 Medir de forma multidimensional o quão desigual é a situação das mulheres em relação aos homens é uma iniciativa empreendida

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO (SEPLAN) Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE)

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO (SEPLAN) Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO (SEPLAN) Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) NOTA TÉCNICA Nº 17 UMA COMPARAÇÃO DA COBERTURA PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

PORTO ALEGRE E DEMAIS CAPITAIS BRASILEIRAS

PORTO ALEGRE E DEMAIS CAPITAIS BRASILEIRAS Equipe de Vigilância de Eventos Vitais, Doenças e Agravos não Transmissíveis Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde Secretaria Municipal da Saúde da Prefeitura Municipal de Porto Alegre PORTO ALEGRE

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São José do Rio Claro, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5074,56 km² IDHM 2010 0,682 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 17124 hab.

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Censo Demográfico 2010 Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2012 As presentes publicações dão continuidade à divulgação dos resultados do Censo Demográfico 2010

Leia mais

Nº 07 / 13 TEMA: As Crianças em Goiás

Nº 07 / 13 TEMA: As Crianças em Goiás TEMA: As Crianças em Goiás O dia das crianças foi instituído em 1924 pelo então presidente Arthur Bernardes, mas a data passou várias anos desprezada e apenas ganhou notoriedade na década de 1960. Infelizmente

Leia mais

Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007. Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos

Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007. Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007 Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Cabo Verde, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 368,15 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 13823 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guaranésia, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 294,28 km² IDHM 2010 0,701 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 18714 hab. Densidade

Leia mais

Mercado de Trabalho. O idoso brasileiro no. NOTA TÉCNICA Ana Amélia Camarano* 1- Introdução

Mercado de Trabalho. O idoso brasileiro no. NOTA TÉCNICA Ana Amélia Camarano* 1- Introdução NOTA TÉCNICA Ana Amélia Camarano* O idoso brasileiro no Mercado de Trabalho 30 1- Introdução A análise da participação do idoso nas atividades econômicas tem um caráter diferente das análises tradicionais

Leia mais

Apoio. Patrocínio Institucional

Apoio. Patrocínio Institucional Patrocínio Institucional Apoio O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima de jovens

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Peruíbe, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 323,17 km² IDHM 2010 0,749 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 59773 hab. Densidade

Leia mais

Expectativa de vida do brasileiro cresce mais de três anos na última década

Expectativa de vida do brasileiro cresce mais de três anos na última década 1 FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO PROFESSOR BAHIA TEXTO DE CULTURA GERAL FONTE: UOL COTIDIANO 24/09/2008 Expectativa de vida do brasileiro cresce mais de três anos na última década Fabiana Uchinaka Do UOL Notícias

Leia mais

SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS

SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS SITUAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS O presente levantamento mostra a situação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) nos municípios brasileiros. Para realizar a comparação de forma mais precisa,

Leia mais

A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade

A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade Introdução Há cerca de 20 anos, a Secretaria de Saúde de um grande município começou a desenvolver e implantar iniciativas relacionadas à Alimentação

Leia mais

MINAS GERAIS. Projeto Situação dos Estados Fundação Perseu Abramo 2014

MINAS GERAIS. Projeto Situação dos Estados Fundação Perseu Abramo 2014 MINAS GERAIS Projeto Situação dos Estados Fundação Perseu Abramo 2014 O TERRITÓRIO A fisionomia territorial de Minas Gerais é elemento decisivo para se compreender seus traços atuais que resultam de sua

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. IV Seminário Internacional Sociedade Inclusiva

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. IV Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais IV Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Propostas e ações inclusivas: impasses e avanços Belo Horizonte 17 a 20 de outubro de 2006 Sessões

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA:

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais

População jovem no Brasil: a dimensão demográfica

População jovem no Brasil: a dimensão demográfica População jovem no Brasil: a dimensão demográfica Introdução O conhecimento detalhado dos aspectos demográficos, sociais, culturais, econômicos, de saúde, entre tantos outros, que dizem respeito a segmentos

Leia mais

Perfil Municipal - Natal (RN)

Perfil Municipal - Natal (RN) Caracterização do Território Área: 169,9 km² Densidade Demográfica: 4.175,5 hab/km² Altitude da Sede: 30 m Ano de Instalação: 1.599 Distância à Capital: 0,0 km Microrregião: Natal Mesorregião: Leste Potiguar

Leia mais

Redução de Homicídios no Brasil

Redução de Homicídios no Brasil Ministério da Saúde MS Secretaria de Vigilância em Saúde - SVS Redução de Homicídios no Brasil SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 1 METODOLOGIA DE ANÁLISE... 1 RESULTADOS... 2 Homicídios no Brasil... 2 Óbitos por Arma

Leia mais

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht Page 1 of 7 Comunicação Social 17 de setembro de 2010 Síntese de Indicadores Sociais 2010 SIS 2010: Mulheres mais escolarizadas são mães mais tarde e têm menos filhos Embora abaixo do nível de reposição

Leia mais

A REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E OS CENSOS DEMOGRÁFICOS: EVOLUÇÃO E DINÂMICA DEMOGRÁFICA (1991, 2000 e 2010)

A REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E OS CENSOS DEMOGRÁFICOS: EVOLUÇÃO E DINÂMICA DEMOGRÁFICA (1991, 2000 e 2010) A REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E OS CENSOS DEMOGRÁFICOS: EVOLUÇÃO E DINÂMICA DEMOGRÁFICA (1991, 2000 e 2010) Adriana Eliane Casagrande 1 Edson Belo Clemente de Souza 2 Eixo temático: POLITICAS DE ESTADO

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Inclusão, Diversidades e EJA

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Inclusão, Diversidades e EJA Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Inclusão, Diversidades e EJA Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário

Leia mais

Perfil Municipal - Queimada Nova (PI)

Perfil Municipal - Queimada Nova (PI) Caracterização do Território Área: 1.438,4 km² Densidade Demográfica: 5,8 hab/km² Altitude da Sede: 410 m Ano de Instalação: 1.993 Distância à Capital: 416,7 km Microrregião: Alto Médio Canindé Mesorregião:

Leia mais

Trabalho infantil e adolescente_. Impactos econômicos e os desafios para a inserção de jovens no mercado de trabalho no Cone Sul

Trabalho infantil e adolescente_. Impactos econômicos e os desafios para a inserção de jovens no mercado de trabalho no Cone Sul Trabalho infantil e adolescente_ Impactos econômicos e os desafios para a inserção de jovens no mercado de trabalho no Cone Sul A Convenção n o 182 da OIT de 1973 determina como idade mínima para iniciar

Leia mais

1. Garantir a educação de qualidade

1. Garantir a educação de qualidade 1 Histórico O Pacto pela Juventude é uma proposição das organizações da sociedade civil, que compõem o Conselho Nacional de Juventude, para que os governos federal, estaduais e municipais se comprometam

Leia mais

População Mundial. Prof. R O C H A

População Mundial. Prof. R O C H A População Mundial Prof. R O C H A Crescimento da População Conceitos Demográficos População absoluta Número total de habitantes Densidade demográfica ou população relativa número de habitantes por Km²,

Leia mais

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO E A MOBILIDADE DO CAMPO PARA A CIDADE EM BELO CAMPO/BA

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO E A MOBILIDADE DO CAMPO PARA A CIDADE EM BELO CAMPO/BA O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO E A MOBILIDADE DO CAMPO PARA A CIDADE EM BELO CAMPO/BA Silmara Oliveira Moreira 1 Graduanda em Geografia/UESB, Bolsista da UESB E-mail: silmara.geo@gmail.com Resumo: O objetivo

Leia mais

Perfil Municipal - Florianópolis (SC)

Perfil Municipal - Florianópolis (SC) Caracterização do Território Área: 436,5 km² Densidade Demográfica: 760,1 hab/km² Altitude da Sede: 3 m Ano de Instalação: 1.726 Distância à Capital: 0,0 km Microrregião: Florianópolis Mesorregião: Grande

Leia mais

JUVENTUDE E TRABALHO: DESAFIOS PARA AS POLITICAS PÚBLICAS NO MARANHÃO

JUVENTUDE E TRABALHO: DESAFIOS PARA AS POLITICAS PÚBLICAS NO MARANHÃO JUVENTUDE E TRABALHO: DESAFIOS PARA AS POLITICAS PÚBLICAS NO MARANHÃO JONATHAN ROCHA GUIMARÃES Avaliar a Política de Trabalho e juventude torna-se de extrema importância na medida em que representa um

Leia mais

Sumário. Aids: a magnitude do problema. A epidemia no Brasil. Característica do Programa brasileiro de aids

Sumário. Aids: a magnitude do problema. A epidemia no Brasil. Característica do Programa brasileiro de aids Sumário Aids: a magnitude do problema A epidemia no Brasil Característica do Programa brasileiro de aids Resultados de 20 anos de luta contra a epidemia no Brasil Tratamento Prevenção Direitos humanos

Leia mais

Dimensão social. Educação

Dimensão social. Educação Dimensão social Educação 218 Indicadores de desenvolvimento sustentável - Brasil 2004 36 Taxa de escolarização Representa a proporção da população infanto-juvenil que freqüenta a escola. Descrição As variáveis

Leia mais

CRESCIMENTO POPULACIONAL. Estágio-Docência: Camila Macêdo Medeiros

CRESCIMENTO POPULACIONAL. Estágio-Docência: Camila Macêdo Medeiros CRESCIMENTO POPULACIONAL Estágio-Docência: Camila Macêdo Medeiros O que é Crescimento Populacional? O crescimento populacional é a mudança positiva do número de indivíduos de uma população dividida por

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO FINAL GEOGRAFIA (1ª SÉRIE A)

LISTA DE RECUPERAÇÃO FINAL GEOGRAFIA (1ª SÉRIE A) 1. (Unesp 2013) Analise os climogramas dos principais tipos climáticos do Brasil e as fotos que retratam as formações vegetais correspondentes. Identifique o climograma e a respectiva foto que representa

Leia mais

Câmara Municipal de Alter do Chão Setor Ação Social e Educação

Câmara Municipal de Alter do Chão Setor Ação Social e Educação Nota Introdutória O presente projeto de intervenção surge da constatação do elevado número da população idosa na estrutura demográfica do concelho de Alter do Chão, do conhecimento e do contato direto

Leia mais

Região Centro Oeste DISTRITO FEDERAL Total

Região Centro Oeste DISTRITO FEDERAL Total Dimensão Demografia Cidadania Saúde Região Centro Oeste DISTRITO FEDERAL Diferença CADÊ Posição Nacional Estadual 2010 para 2011 Nacional 45.886.531-711.009 - - 19º População Infanto Juvenil por Faixa

Leia mais

A PROTEÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS DO IDOSO E A SUA DIGNIDADE

A PROTEÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS DO IDOSO E A SUA DIGNIDADE A PROTEÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS DO IDOSO E A SUA DIGNIDADE Maíra Sgobbi de FARIA 1 Resumo: O respeito e a proteção que devem ser concedidos aos idosos sempre foram um dever da sociedade, uma vez que as

Leia mais

PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA

PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA SETEMBRO /2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 1. Dimensão e características da ocupação no setor da construção civil no Brasil e na Bahia (2000 e 2010)...

Leia mais

Direito à Educação. Parceria. Iniciativa. Coordenação Técnica. Apoio

Direito à Educação. Parceria. Iniciativa. Coordenação Técnica. Apoio Direito à Educação Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa Objetivos Refletir sobre: O que é Direito à Educação e como chegamos até aqui Garantia do direito à educação no Brasil Papel atual do Gestor

Leia mais

LONGEVIDADE E SEGURO. Longevidade em seu conceito mais simples significa qualidade do Longevo, ou seja, qualidade daquele que tem muita idade.

LONGEVIDADE E SEGURO. Longevidade em seu conceito mais simples significa qualidade do Longevo, ou seja, qualidade daquele que tem muita idade. LONGEVIDADE E SEGURO Longevidade em seu conceito mais simples significa qualidade do Longevo, ou seja, qualidade daquele que tem muita idade. Longevidade está sempre relacionada com expectativa de duração

Leia mais

Trabalho apresentado no III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia, sendo de total responsabilidade de seu(s) autor(es).

Trabalho apresentado no III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia, sendo de total responsabilidade de seu(s) autor(es). O IDOSO INSTITUCIONALIZADO COMO FOCO DE SUA ATENÇÃO RELATO DE EXPERIÊNCIA BERGAMO, Vinicius M. 1 DALL AGNOL, Crístyan C. 2 PIMENTEL, Cauê F. 3 PAZ, Késia M. R. 4 RUPOLO, Denize. J. 5 UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos POPULAÇÃO BRASILEIRA Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos Desde a colonização do Brasil o povoamento se concentrou no litoral do país. No início do século XXI, a população brasileira ainda

Leia mais

Aspectos Demográficos: Conceitos Fundamentais

Aspectos Demográficos: Conceitos Fundamentais Aspectos Demográficos: Conceitos Fundamentais Diversos fatores impedem ou favorecem que pessoas se fixem em um lugar: Fatores Naturais. Fatores Econômicos. Fatores Históricos. Clima, topografia, solo entre

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS BRASÍLIA, Julho de 2014 1 Proteção Social entre os Idosos (pessoas com 60 anos ou mais de idade) - Brasil 2 Cobertura Social entre os

Leia mais

Censo Demográfico 2010 e a Diversidade Social. Ana Lucia Saboia IBGE 27 de setembro de 2011

Censo Demográfico 2010 e a Diversidade Social. Ana Lucia Saboia IBGE 27 de setembro de 2011 Censo Demográfico 2010 e a Diversidade Social Ana Lucia Saboia IBGE 27 de setembro de 2011 Censo Demográfico 2010 Brasil População: 190 755 799 habitantes Brasil - População e taxa média geométrica de

Leia mais

COMISSÃO DE TURISMO. PROJETO DE LEI N o 7.534, DE 2014 I RELATÓRIO

COMISSÃO DE TURISMO. PROJETO DE LEI N o 7.534, DE 2014 I RELATÓRIO COMISSÃO DE TURISMO PROJETO DE LEI N o 7.534, DE 2014 Altera a Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 Estatuto do Idoso, para inserir o turismo como direito fundamental do idoso e o dever do Poder Público

Leia mais

A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO

A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO A AIDS NA TERCEIRA IDADE: O CONHECIMENTO DOS IDOSOS DE UMA CASA DE APOIO NO INTERIOR DE MATO GROSSO SATO, Camila Massae 1 Palavras-chave: Idoso, AIDS, conhecimento Introdução A população idosa brasileira

Leia mais

ÁREA TEMÁTICA: Saúde OBJETIVOS DAS AÇÕES EXTRA-MUROS

ÁREA TEMÁTICA: Saúde OBJETIVOS DAS AÇÕES EXTRA-MUROS TÍTULO:A CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA DO IDOSO EM AÇÕES INTERSETORIAS DO PROGRAMA UNIVERSIDADE ABERTA COM A TERCEIRA IDADE - UATI E VOLUNTARIADO POPULAR NO MUNICÍPIO DE JEQUIÉ/BA. AUTORES: Andréa Santos Souza;

Leia mais

População residente em Portugal com tendência para diminuição e envelhecimento

População residente em Portugal com tendência para diminuição e envelhecimento Dia Mundial da População 11 julho de 214 1 de julho de 214 População residente em Portugal com tendência para diminuição e envelhecimento Para assinalar o Dia Mundial da População (11 de julho), o Instituto

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese 2014 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese Dieese Subseção Força Sindical 19/09/2014 PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICILIOS - PNAD 2013 Síntese dos Indicadores POPULAÇÃO A Pesquisa

Leia mais

Avaliação Econômica. Relação entre Desempenho Escolar e os Salários no Brasil

Avaliação Econômica. Relação entre Desempenho Escolar e os Salários no Brasil Avaliação Econômica Relação entre Desempenho Escolar e os Salários no Brasil Objetivo da avaliação: identificar o impacto do desempenho dos brasileiros na Educação Básica em sua renda futura. Dimensões

Leia mais

FICHA BIBLIOGRÁFICA. Título: Perfil da Mulher Metalúrgica do ABC. Autoria: Subseção DIEESE/Metalúrgicos do ABC

FICHA BIBLIOGRÁFICA. Título: Perfil da Mulher Metalúrgica do ABC. Autoria: Subseção DIEESE/Metalúrgicos do ABC FICHA BIBLIOGRÁFICA Título: Perfil da Mulher Metalúrgica do ABC Autoria: Subseção DIEESE/Metalúrgicos do ABC Equipe técnica responsável: Fausto Augusto Junior; Zeíra Mara Camargo de Santana; Warley Batista

Leia mais

TEXTO: SISTEMA DE GARANTIA DE DIREITOS HUMANOS.

TEXTO: SISTEMA DE GARANTIA DE DIREITOS HUMANOS. TEXTO: SISTEMA DE GARANTIA DE DIREITOS HUMANOS. O envelhecimento digno é considerado um Direito Humano a ser garantido e preservado pelo Estado e pela Sociedade. Assim, a consolidação desse direito requer

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos 2ª ETAPA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos 2ª ETAPA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos PAAES - Programa de Ação Afirmativa de Ingresso no Ensino Superior

Leia mais

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS Daiana Rodrigues dos Santos Prado¹; Francine de Paulo Martins² Estudante do Curso de Pedagogia; e-mail:

Leia mais

ENVELHECIMENTO POPULACIONAL

ENVELHECIMENTO POPULACIONAL ENVELHECIMENTO POPULACIONAL Maria Ângela Cabanilha de Souza Maltempi Assistente social e gerontóloga Professora e coordenadora da Toledo Aberta a Melhor Idade Segundo as projeções estatísticas da Organização

Leia mais

UMA LEITURA SOBRE A PARTICIPAÇÃO DO JOVEM NO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA

UMA LEITURA SOBRE A PARTICIPAÇÃO DO JOVEM NO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA UMA LEITURA SOBRE A PARTICIPAÇÃO DO JOVEM NO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA Gina Sanchez, Instituto de Ensino Superior de Bauru IESB PREVE; Leila Maria Ferreira Salles, UNESP/IB - Rio Claro. A participação

Leia mais

A educação no Rio de Janeiro

A educação no Rio de Janeiro A educação no Rio de Janeiro Simon Schwartzman Na década de 90, em todo o Brasil, o acesso à educação melhorou, e o Rio de Janeiro não ficou atrás. Antes, não havia escolas suficientes para todas as crianças.

Leia mais

Em 2040, Brasil terá 55 milhões de idosos

Em 2040, Brasil terá 55 milhões de idosos RELEASE 9 de dezembro de 2008. Em 2040, Brasil terá 55 milhões de idosos Novas políticas de proteção social, investimento público e financiamento serão temas cada vez mais presentes; afinal idosos serão

Leia mais

A MUDANÇA NA ESTRUTURA ETÁRIA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA: O CASO DA REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ

A MUDANÇA NA ESTRUTURA ETÁRIA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA: O CASO DA REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ A MUDANÇA NA ESTRUTURA ETÁRIA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA: O CASO DA REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ Adriana Eliane Casagrande Edson Belo Clemente de Souza RESUMO O presente trabalho tem por objetivo analisar

Leia mais

BINGO! CONHECI MEUS DIREITOS : UMA EXPERIÊNCIA DE EMPODERAMENTO SOCIAL NOS CENTROS DE REFERÊNCIA EM ASSISTÊNCIA SOCIAL (CRAS) DE PONTA GROSSA/PR

BINGO! CONHECI MEUS DIREITOS : UMA EXPERIÊNCIA DE EMPODERAMENTO SOCIAL NOS CENTROS DE REFERÊNCIA EM ASSISTÊNCIA SOCIAL (CRAS) DE PONTA GROSSA/PR BINGO! CONHECI MEUS DIREITOS : UMA EXPERIÊNCIA DE EMPODERAMENTO SOCIAL NOS CENTROS DE REFERÊNCIA EM ASSISTÊNCIA SOCIAL (CRAS) DE PONTA GROSSA/PR Maria Iolanda de Oliveira (UEPG) E-mail: maria2672@uol.com.br

Leia mais

Educação do Campo: Um olhar panorâmico

Educação do Campo: Um olhar panorâmico Educação do Campo: Um olhar panorâmico Eliene Novaes Rocha (1) Joana Célia dos Passos ( 2) Raquel Alves de Carvalho (3) 1) Contextualização histórica do debate da Educação do Campo Embora o Brasil sendo

Leia mais

Aula 9 PROCESSOS MIGRATÓRIOS

Aula 9 PROCESSOS MIGRATÓRIOS PROCESSOS MIGRATÓRIOS Aula 9 METAS Inserir o aluno em um dos temas centrais da análise da Geografia da População: a questão migratória; analisar as causas, motivações e conseqüências do deslocamento populacional

Leia mais