OS NOVOS CONSUMIDORES LUIS SIMOES, MANAGING DIRECTOR IBERIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OS NOVOS CONSUMIDORES LUIS SIMOES, MANAGING DIRECTOR IBERIA"

Transcrição

1 OS NOVOS CONSUMIDORES LUIS SIMOES, MANAGING DIRECTOR IBERIA

2 Projectar o passado Soluções futuras

3 3 FACTORES DE CONTEXTO DESFAVORAVEIS 1. Muito lenta recuperação da economia * PIB -0,4-2,1 0,9-1,7-1,8 +1,2 +2,5 +2,2 Taxa de desemprego 7,6 9,4 10,8 12,0 13,4 13,6 12,5 11,6 FMCG muito elástico a inflação Jan'08 Mai'08 Set'08 Jan'09 Mai'09 Set'09 Jan'10 Mai'10 Set'10 Jan'11 Mai'11 Set'11 Nov' População estabilizada (?) e envelhecida Jan'08 Mai'08 Set'08 Jan'09 Mai'09 Set'09 Jan'10 Mai'10 Set'10 Jan'11 Mai'11 Set' Fonte: Pordata, US Census Bureau *Dado ao 3ºTrim Inflação Food INE %Ev. Vol FMCG anos > 65 anos 0-14 anos

4 IMPACTADOS E PREOCUPADOS Índice de Confiança do Consumidor -25,4-49,4-55,8 Out/09 Out/10 Out/11 Fonte: INE OS Preocupados Os Despreocupados Peso % Buyers 22% 57% 21% 1% Contribuição ao Crescimento FMCG ,1% -1% +4,7% +6,0% +3,8% +0,5% -2,7% -0,2%

5 A POUPANÇA COMO TEMA CENTRAL ALEM FMCG Taxa de Poupança 25 22, ,8 8, Fonte: Pordata, INE

6 DOWNTRADING, RESPOSTA DO CONSUMIDOR NO FMCG TOTAL FMCG - % Evolução vs Homólogo P01.10 P01.10 P01.10 P02.10 P02.10 P02.10 P03.10 P03.10 P03.10 P04.10 P04.10 P04.10 P05.10 P05.10 P05.10 P06.10 P06.10 P06.10 P07.10 P07.10 P07.10 P08.10 P08.10 P08.10 P09.10 P09.10 P09.10 P10.10 P10.10 P10.10 P11.10 P11.10 P11.10 P12.10 P12.10 P12.10 P13.10 P13.10 P13.10 P01.11 P01.11 P01.11 P02.11 P02.11 P02.11 P03.11 P03.11 P03.11 P04.11 P04.11 P04.11 P05.11 P05.11 P05.11 P06.11 P06.11 P06.11 P07.11 P07.11 P07.11 P08.11 P08.11 P08.11 P09.11 P09.11 P09.11 P10.11 P10.11 P10.11 P11.11 P11.11 P11.11 P12.11 P12.11 P12.11 Up/Down Up/Down Inflação Trading Trading (food) Inflação Inflação (food) (food) Evol Preço Evol Evol médio Preço Preço médio médio

7 DOWNTRADING GENERALIZADO Top categorias que caem Top categorias que crescem Águas c/gás Iogurtes Saúde (Bifidus, L.casei...) Vinhos Pão Fresco Carne Fresca Peixe e Marisco Fresco Bacalhau Seco Águas s/gás Iogurtes Tradicionais Ice Tea Pão Industrial Carne Congelada Conservas Atum & Salsichas Bacalhau Congelado Fonte: Kantar Worldpanel

8 OUT OF POCKET É A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO Bacalhau Seco Bacalhau Congelado Preço Médio X Kilo Gasto Médio X Acto 7,25 20,15 Preço Médio X Kilo Gasto Médio X Acto 8,80 (+ 21% vs Bacalhau Seco) 8,98 Evol. Volume ( 11 vs 10) -16% Evol. Volume ( 11 vs 10) +11% Pão Padeiro Pão Forma Preço Médio X Kilo Gasto Médio X Acto 1,40 1,88 Preço Médio X Kilo Gasto Médio X Acto 2,32 (+ 66% vs Pão Padeiro) 1,67 Evol. Volume ( 11 vs 10) -3,4% Evol. Volume ( 11 vs 10) +4% Ytd P Fonte: Kantar Worldpanel

9 PROJECOES SÉRIES TEMPORAIS MODELO AUTO-REGRESSIVO UTILIZADO AR(P) As observações de uma série cronológica estão associadas aos diferentes valores que alcançam numa escala que varia no tempo. Além disso, os dados no momento actual dependem dos dados passados, de uma forma que podemos estudar. f, f, f,..., f ( p Para isso, usamos um algoritmo de busca do modelo ideal que procura o melhor modelo de previsão entre as seguintes famílias de modelos: ) A nossa intenção é "medir" a relação existente no tempo mediante o ajuste de um modelo matemático. = f + f + + f = f + i 0 1 i - 1 p i - p i 0 j i - j i y y... y l j = 1 y l + p f + Modelos ARIMA Modelos de suavização Modelos lineares com elementos sazonais Modelos multiplicativos e aditivos de Winters Chegando a comparar mais de 60 modelos diferentes, a fim de obter a previsão melhor possível. EC = n y - f - i 0 i = p + 1 j = 1 p f j y 2 i - j

10 O GRANDE CONSUMO RESISTIRA NOS PROXIMOS ANOS % Evolução Volume. Total FMCG 3,0 7,4 0,4 +0% -1, % Evolução Valor. Total FMCG 7,1 4,0 0,4 +0,3% , Dado ao Ytd P12 de cada ano Fonte: Kantar Worldpanel

11 HIGIENE & BELEZA SERÁO IMPULSIONADORES % Evolução média do Volume Total Alimentação Frescos Limpeza / Manutenção Lar Higiene & Beleza % 0,1% -0,3% 0,5% EVOLUCAO TOTAL MAQUIAGEM Mat P13'10 Mat P01'11 Mat P02'11 Mat P03'11 Mat P04'11 Mat P05'11 Mat P06'11 Mat P07'11 Mat P08'11 Mat P09'11 Mat P10'11 Mat P11'11 Mat P12'11 Fonte: Kantar Worldpanel

12 EM PORTUGAL, A CRISE INCENTIVA AS VISITAS Total Cestas de Compra na Europa Total Cestas de Compra em Portugal ,5 x ticket 12 artigos

13 COM CONCENTRAÇÃO AINDA MAIOR NAS GRANDES SUPERFÍCIES % QM valor Hipers/Supers 63,4 68,4 71,8 Discounts 17,8 16,3 16,4 Tradicionais+Outros 18,8 15,2 11, Fonte: Kantar Worldpanel

14 MDD S CONTINUARÃO A GANHAR ESPAÇO % QM em Valor Marcas Distribuição 46,3 UK 24,0 27,0 31,2 32,5 34,1 36,7 37,5 França 33,9 Espanha 33,0 Alemanha 41, Fonte: Kantar Worldpanel

15 SAÚDE SEGUIRÁ SENDO A PRINCIPAL PREOCUPAÇAO Estilos de vida do consumidor % Respostas Top 2 boxes SAÚDE Alimentação saudável é importante PRAZER Gosto de me mimar TEMPO Nunca tenho tempo livre Fonte: Kantar Worldpanel & LifeStyles

16 NASCEU O SMART SHOPPER Fonte: Kantar Worldpanel & LifeStyles

17 Projectar o Passado Soluções futuras

18 INVESTIGAÇÃO WORLDPANEL : 36 TENDÊNCIAS EMERGENTES Investigação com lares europeus 2 objectivos: Detectar necessidades emergentes dos consumidores, ainda hoje não satisfeitas Construir um guia para fabricantes e retalhistas * Em asssociaçao com Roland Berger

19 UK Fonte: Kantar Worldpanel / Europanel / Roland Berger 2. ONLINE DIGITAL CENTRAL Crescem as redes sociais orientadas ao Shopping Crescem as compras FCMG por Internet +8,4 10,3 +3,7 3,9 5,3 6,7 1,5 1, Total população Até 45 anos % Quota Valor Internet total FMCG DESAFIOS > Aceso fácil à informação > ROI meios digitais > Falar a linguagem do consumidor > Reduzir custo de entrega > Segurança na forma de pagamento

20 DIGITAL EM PORTUGAL 2011: 0,6% Share 2015: 2,1% Share Fonte: Kantar Wordlpanel FMCG, compra por Internet

21 DRIVE % quota mercado valor 44 Contribui para 77% do crescimento Metade dos seus clientes vem da Auchan

22 28. Séniores pedem um processo de compra mais fácil e menos stressante. Cresce a população com mais de 65 anos +0,7 27,4 +2,2 29,6 DESAFIOS > Ter serviços de suporte para mobilidade e visibilidade reduzida 13,4 12,7 > Acessibilidade dos produtos nos lineares % população Europeia % valor FMCG no W. Europe > Oferta de produtos que se ajustam aos problemas de saúde

23 Espanha 18. A preocupação com o meio ambiente leva a compras mais responsáveis DESAFIOS > Parar o desperdício de produtos Tento comprar produtos mais favoraveis ao meio ambiente Faço reciclagem regularmente > Ser mais amigo do ambiente > Dar suporte aos produtores locais 20. Ser sustentável tem de ser mais do que um valor que se comunica DESAFIOS > Confiar mais nas mensagens de sustentabilidade dos retalhistas > Confiar mais nos claims dos produtos

24 Os portugueses estão preocupados com o meio ambiente mas não aceitarão pagar mais Sensibilidade ao meio ambiente % Respostas Top 2 boxes Utilizo contentores para a reciclagem Pagaria mais por produtos amigos do meio ambiente Fonte: Kantar Worldpanel & LifeStyles

25 5 CONCLUSOES O FMCG DEVERIA RESISTIR EM VOLUME NOS PROXIMOS ANOS NASCEU O SMARTSHOPPER E VAI CRESCER MULTIPLICA VISITAS PARA APROVEITAR OPORTUNIDADES PRIVILEGIA VALOR PERCEBIDO SOBRE PREÇO COMPRA MDD E PRATICA DOWNTRADING COMO VARIAVEL DE AJUSTE SAÚDE SEGUIRÁ ESSENCIAL, REDUZ ALGO O MOTOR PRAZER QUE TAMBEM NAO ENCONTRA EM OUTROS GASTOS AGORA IMPOSSIVEIS MUITO ABERTO A EXPERIMENTAR AS INOVAÇOES DE MARCAS CONHECIDAS DIGITAL CENTRAL PARA UMA ESTRATÉGIA OMNI-CANAL COM ÊXITO 36 OPORTUNIDADES DE CRESCIMENTO

26 OS NOVOS CONSUMIDORES LUIS SIMOES, MANAGING DIRECTOR IBERIA

QUAL O POTENCIAL DE PHARMAFOODS EM PORTUGAL? PORTUGAL FOODS

QUAL O POTENCIAL DE PHARMAFOODS EM PORTUGAL? PORTUGAL FOODS QUAL O POTENCIAL DE PHARMAFOODS EM PORTUGAL? PORTUGAL FOODS 11 de Novembro de 2011 1 O bjectiv O IDENTIFICAR QUAL O POTENCIAL DE PHARMAFOODS EM PORTUGAL 2 A gend A O SHOPPER E AS SUAS MOTIVAÇÕES Como e

Leia mais

QUAL O POTENCIAL DE PHARMAFOODS EM PORTUGAL?

QUAL O POTENCIAL DE PHARMAFOODS EM PORTUGAL? QUAL O POTENCIAL DE PHARMAFOODS EM PORTUGAL? SUMÁRIO EXECUTIVO PORTUGALFOODS AGENDA 1. O Shopper e as suas Motivações Como e onde compra?... 3 2. Como está a Saúde em Portugal? Um Retrato sobre a Saúde

Leia mais

DATA:07/05/2015 AUDITÓRIO: COMERCIAL TEMA:PLANEJAMENTO COMERCIAL MAIS QUE UMA FERRAMENTA, UM DIFERENCIAL COMPETITIVO. PALESTRANTE:FLAVIA AMADO

DATA:07/05/2015 AUDITÓRIO: COMERCIAL TEMA:PLANEJAMENTO COMERCIAL MAIS QUE UMA FERRAMENTA, UM DIFERENCIAL COMPETITIVO. PALESTRANTE:FLAVIA AMADO DATA:07/05/2015 AUDITÓRIO: COMERCIAL TEMA:PLANEJAMENTO COMERCIAL MAIS QUE UMA FERRAMENTA, UM DIFERENCIAL COMPETITIVO. PALESTRANTE:FLAVIA AMADO O NOVO SHOPPER E TENDÊNCIAS PARA 2015 KANTAR WORLDPANEL NO

Leia mais

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 1 INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 3. PRIORIDADES ESTRATÉGICAS 3.1 Concretizar o Potencial da Biedronka 3.2 Assegurar o Crescimento de Longo Prazo 1. THE GROUP TODAY 4. EXPLORAR TODO O POTENCIAL

Leia mais

As diretrizes de consumo no Brasil

As diretrizes de consumo no Brasil As diretrizes de consumo no Brasil A visão do consumidor Luiz Goes A GS&MD Gouvêa de Souza Consultoria Empresarial Canais de distribuição / Centrais e redes de negócios/ Controladoria e finanças / Crédito

Leia mais

3º ENCONTRO DA ORIZICULTURA PORTUGUESA

3º ENCONTRO DA ORIZICULTURA PORTUGUESA 3º ENCONTRO DA ORIZICULTURA PORTUGUESA ASSOCIAÇÃO DE ORIZICULTORES DE PORTUGAL FIGUEIRA DA FOZ 16 DE FEVEREIRO DE 2012 1. A Centromarca 2. A distribuição moderna 3. As relações produção / distribuição

Leia mais

O QUE ESPERAR PARA 2013? Kantar Worldpanel

O QUE ESPERAR PARA 2013? Kantar Worldpanel O QUE ESPERAR PARA 2013? OTIMISMO DO BRASILEIRO COM EVENTOS ESPORTIVOS E MUSICAIS INVESTIMENTO EM INFRAESTRUTURA PARA A COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS PREVISÕES DO GOVERNO PARA CRESCIMENTO DO PIB EM 2013 DESONERAÇÃO

Leia mais

Agenda. Cenário. Tendências e o impacto da Tecnologia. Demandas do Novo Consumidor. Desafios no novo cenário

Agenda. Cenário. Tendências e o impacto da Tecnologia. Demandas do Novo Consumidor. Desafios no novo cenário Agenda Cenário Tendências e o impacto da Tecnologia Demandas do Novo Consumidor Desafios no novo cenário Agenda Cenário Tendências e o impacto da Tecnologia Demandas do Novo Consumidor Desafios no novo

Leia mais

CENÁRIO ABRAS: 2011-2021

CENÁRIO ABRAS: 2011-2021 CENÁRIO ABRAS: 2011-2021 O Mundo está em crise? O Mundo está em crise? Estados Unidos: 8 milhões de empregos a menos desde o início da crise... Menos consumo! Europa: cresce recessão em diferentes países...

Leia mais

COMPETITIVIDADE: DESENVOLVIMENTO PRÓXIMOS ANOS? COMO SERÁ O DO SEU NEGÓCIO NOS. Sussumu Honda

COMPETITIVIDADE: DESENVOLVIMENTO PRÓXIMOS ANOS? COMO SERÁ O DO SEU NEGÓCIO NOS. Sussumu Honda REFLEXÕES SOBRE A COMPETITIVIDADE: COMO SERÁ O DESENVOLVIMENTO DO SEU NEGÓCIO NOS PRÓXIMOS ANOS? Sussumu Honda 2013: O MUNDO Perspectivas Globais RECUPERAÇÃO GRADATIVA COM GRANDES MUDANÇAS Perspectivas

Leia mais

1. O Brasil vive um momento de transformação no padrão do consumo. 3. Produtos de Limpeza e Higiene & Beleza têm enorme potencial

1. O Brasil vive um momento de transformação no padrão do consumo. 3. Produtos de Limpeza e Higiene & Beleza têm enorme potencial PRINCIPAIS MESSAGENS 1. O Brasil vive um momento de transformação no padrão do consumo 2. Temos indicadores demográficos e socio econômicos para ser otimistas nesta década 3. Produtos de Limpeza e Higiene

Leia mais

17º Estudo Anual Marcas Próprias 2011. 17º Estudo Anual de Marcas Próprias

17º Estudo Anual Marcas Próprias 2011. 17º Estudo Anual de Marcas Próprias 17º Estudo Anual Marcas Próprias 2011 Agenda Qual o desempenho da marca própria no mundo? Marca Própria, produto de qualidade e preço? Qual o desempenho da marca própria no Brasil? Quem é o shopper de

Leia mais

MUDANÇAS E NOVAS TENDÊNCIAS DOS HÁBITOS DO CONSUMIDOR CARLOS COTOS

MUDANÇAS E NOVAS TENDÊNCIAS DOS HÁBITOS DO CONSUMIDOR CARLOS COTOS MUDANÇAS E NOVAS TENDÊNCIAS DOS HÁBITOS DO CONSUMIDOR CARLOS COTOS LÍDER MUNDIAL EM CONHECIMENTO DO CONSUMIDOR PAINÉIS DE CONSUMIDORES SINDICALIZADOS & SOLUÇÕES EM COMPORTAMENTO DE COMPRA E DOS CONSUMIDORES

Leia mais

Tendências do Consumidor

Tendências do Consumidor Tendências do Consumidor Responsabilidade Técnica Coordenação CRESCIMENTO DE 8,4% EM 2014 +8,4% Crescimento nominal +1,8% Crescimento real 5,3% Participação PIB 350,0 300,0 250,0 200,0 150,0 100,0 50,0

Leia mais

NOVAS TENDÊNCIAS NO RETALHO ALIMENTAR

NOVAS TENDÊNCIAS NO RETALHO ALIMENTAR NOVAS TENDÊNCIAS NO RETALHO ALIMENTAR Jorge Macor de Brito Dezembro 2013 O shopper está mesmo a mudar? Copyright 2013 The Nielsen Company. Confidential and proprietary. 2 Padrões de consumo pouco alteram

Leia mais

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do

Leia mais

Oportunidades para as TIC no Novo Contexto Económico e Social

Oportunidades para as TIC no Novo Contexto Económico e Social Oportunidades para as TIC no Novo Contexto Económico e Social 10ª Edição Forum TI TechData 15 de Novembro Centro de Congressos de Lisboa 17 de Novembro Casa da Música, Porto Gabriel Coimbra Manging Director,

Leia mais

SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO

SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO Maia, 11 de março de 2015 Reforço de posições de liderança em Portugal, internacionalização e compromisso com famílias em 2014 SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO 1. PRINCIPAIS DESTAQUES DE 2014:

Leia mais

O Mercado e o Shopper Masculino Men's Beauty Show. Abril de 2011

O Mercado e o Shopper Masculino Men's Beauty Show. Abril de 2011 O Mercado e o Shopper Masculino Men's Beauty Show Abril de 2011 Agenda Revisão da Indústria e Cestas Tendências Macro econômicas e Cestas de Consumo Cesta Foco e mercado Masculino Mercado Masculino Nível

Leia mais

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 PORTUGAL Economic Outlook Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 Portugal: Adaptação a um novo ambiente económico global A economia portuguesa enfrenta o impacto de um ambiente externo difícil,

Leia mais

RANKING ABAD NIELSEN 2015 BASE 2014

RANKING ABAD NIELSEN 2015 BASE 2014 RANKING ABAD NIELSEN 2015 BASE 2014 Abril, 2015 AGENDA Um resumo das Mudanças no Mercado Brasileiro em 2014 O Setor Atacadista-distribuidor neste contexto O processo de interiorização do consumo e o reflexo

Leia mais

Inovação e Responsabilidade Social. Moçambique A NOSSA OFERTA

Inovação e Responsabilidade Social. Moçambique A NOSSA OFERTA Inovação e Responsabilidade Social Moçambique A NOSSA OFERTA 1 O que fazemos CONSULTORIA EM GESTÃO DE RS PROJECTOS SENSIBILIZAÇÃO E FORMAÇÃO IDENTIFICAÇÃO E ENVOLVIMENTO DAS PARTES INTERESSADAS EDUCAÇÃO

Leia mais

Workshop de Economia da Saúde

Workshop de Economia da Saúde A Doença de Baumol Portugal e a Experiência dos Países da OCDE UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA João Tovar Jalles Fevereiro 2006 (1) Sector da Saúde com importância económica e social crescente na sociedade

Leia mais

e.newsletter GS1 Portugal

e.newsletter GS1 Portugal Caso não consiga visualizar corretamente, clique aqui A Linguagem Global dos Negócios Evento Da logística ao mobile: 3º Seminário de Boas Práticas Colaborativas debateu a eficiência e a qualidade dos dados

Leia mais

Mercado de Retalho no Brasil

Mercado de Retalho no Brasil Mercado de Retalho no Brasil 2011 1 DEFINIÇÕES ABL Área Bruta Locável é a medida do espaço disponível para arrendamento Arrendamento Mínimo Preço estabelecido sob contrato com o inquilino para a taxa de

Leia mais

Reino Unido BTL 2014. 1. O mercado. 2. Particularidades e Potencialidades. 3. A distribuição. 4. Os Players. 5. Promoção / Comunicação

Reino Unido BTL 2014. 1. O mercado. 2. Particularidades e Potencialidades. 3. A distribuição. 4. Os Players. 5. Promoção / Comunicação Reino Unido BTL 2014 1. O mercado 2. Particularidades e Potencialidades 3. A distribuição 4. Os Players 5. Promoção / Comunicação 6. Comercialização e Venda 7. Sugestões de abordagem 8. Discussão Economia

Leia mais

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL ANEXO III RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL -- ÍNDICE ÍNDICE. OBJECTIVOS E ÂMBITO DO ESTUDO. METODOLOGIA. RESUMO. INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL. INOVAÇÃO NOS ÚLTIMOS 6 ANOS 6. APRENDIZAGEM

Leia mais

Qualidade dos Produtos Mais Baratos Alimentaria 2011. 28.Março.2011 Jorge Morgado

Qualidade dos Produtos Mais Baratos Alimentaria 2011. 28.Março.2011 Jorge Morgado Qualidade dos Produtos Mais Baratos Alimentaria 2011 28.Março.2011 Jorge Morgado Como Avaliámos Como avaliámos Em época de poupança o consumidor pode optar por encher o seu carrinho de compras com os produtos

Leia mais

Ativa Corretora. Novembro de 2010

Ativa Corretora. Novembro de 2010 Ativa Corretora Novembro de 2010 Roteiro A economia global passa por ajustes severos, quase que simultaneamente, o que torna o trabalho de previsão ainda mais complexo do que o normal. Existem ainda questões

Leia mais

Portugal: Destino Competitivo?

Portugal: Destino Competitivo? Turismo O Valor Acrescentado da Distribuição Portugal: Destino Competitivo? Luís Patrão Turismo de Portugal, ip Em 2006 Podemos atingir 7.000 milhões de euros de receitas turísticas Teremos perto de 37,5

Leia mais

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011.

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011. Análise CEPLAN Recife, 17 de agosto de 2011. Temas que serão discutidos na VI Análise Ceplan A economia em 2011: Mundo; Brasil; Nordeste, com destaque para Pernambuco; Informe sobre mão de obra qualificada.

Leia mais

e.newsletter GS1 Portugal

e.newsletter GS1 Portugal Caso não consiga visualizar corretamente, clique aqui A Linguagem Global dos Negócios Seminário Internacional de Boas Práticas Colaborativas Das plataformas logísticas às plataformas digitais. A 14 de

Leia mais

CARROS A GASÓLEO JÁ REPRESENTAM MAIS DE 60% DO MERCADO PORTUGUÊS

CARROS A GASÓLEO JÁ REPRESENTAM MAIS DE 60% DO MERCADO PORTUGUÊS News Release DATA: 30 de Janeiro CARROS A GASÓLEO JÁ REPRESENTAM MAIS DE 60% DO MERCADO PORTUGUÊS As vendas dos carros novos a gasóleo na Europa continuam a aumentar à medida que os consumidores trocam

Leia mais

Tendências do futuro: Novos consumidores e novos canais como conquistar o shopper num cenário adverso

Tendências do futuro: Novos consumidores e novos canais como conquistar o shopper num cenário adverso ANTHONY GIBSON Presidente Publicis Group Creative Agencies Portugal Tendências do futuro: Novos consumidores e novos canais como conquistar o shopper num cenário adverso APED Jan 11 Lisboa A importância

Leia mais

A aplicação de tarifários progressivos

A aplicação de tarifários progressivos Workshop: A gestão de resíduos em regiões insulares: o desafio para os Açores A aplicação de tarifários progressivos Pedro Santos pedro.santos@edvenergia.pt Síntese Instrumentos económicos Tarifários municipais

Leia mais

10 Setembro 2012. Relatório Automóveis, Transportes & Combustíveis

10 Setembro 2012. Relatório Automóveis, Transportes & Combustíveis 10 Setembro 2012 Relatório Automóveis, Transportes & Combustíveis Índice Equação Lógica Ficha Técnica Sumário Resultados descritivos Contactos Equação Lógica, empresa de estudos de mercado Perfil da empresa

Leia mais

Estudo Europeu sobre a Satisfação com os serviços de Telecomunicações 2008

Estudo Europeu sobre a Satisfação com os serviços de Telecomunicações 2008 Estudo Europeu sobre a Satisfação com os serviços de Telecomunicações 8 Data: Julho 8 Preparado para: Apritel Equipa Client Service: Paulo Paula / João Marques PORQUÊ A MILLWARD BROWN? CONSISTÊNCIA Rede

Leia mais

Carência vs. Desperdício Alimentar. Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP FAO-PT@fao.org www.fao.org/portugal 22 de janeiro de 2016

Carência vs. Desperdício Alimentar. Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP FAO-PT@fao.org www.fao.org/portugal 22 de janeiro de 2016 Carência vs. Desperdício Alimentar Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP FAO-PT@fao.org www.fao.org/portugal 22 de janeiro de 2016 Pessoas saudáveis dependem de sistemas alimentares saudáveis

Leia mais

Perspectivas 2014 Brasil e Mundo

Perspectivas 2014 Brasil e Mundo 1 Perspectivas 2014 Brasil e Mundo 2 Agenda EUA: Fim dos estímulos em 2013? China: Hard landing? Zona do Euro: Crescimento econômico? Brasil: Deixamos de ser rumo de investimentos? EUA Manutenção de estímulos

Leia mais

Guia de Informação do Franchise

Guia de Informação do Franchise HÁ MAIS DE ANOS Guia de Informação do Franchise Venha Trabalhar Connosco Fazemos Limpezas no Mundo Há Mais de 40 Anos! Isabel Monteiro Directora Geral HÁ MAIS DE ANOS A Jani- King tem sido classificada

Leia mais

XIX CONGRESSO SOCIEDADE, TERRITÓRIO E AMBIENTE A INTERVENÇÃO DO ENGENHEIRO 19 e 20 de outubro de 2012

XIX CONGRESSO SOCIEDADE, TERRITÓRIO E AMBIENTE A INTERVENÇÃO DO ENGENHEIRO 19 e 20 de outubro de 2012 XIX CONGRESSO SOCIEDADE, TERRITÓRIO E AMBIENTE A INTERVENÇÃO DO ENGENHEIRO 19 e 20 de outubro de 2012 O CONSUMO MUNDIAL DE ENERGIA CONTINUARÁ A CRESCER, MAS AS POLÍTICAS DE EFICIÊNCIA TERÃO UM FORTE IMPACTO

Leia mais

O papel da remuneração no engajamento profissional

O papel da remuneração no engajamento profissional O papel da remuneração no engajamento profissional 15 de Maio de 2014 Agenda 1. Sobre o Hay Group 2. Contexto de mercado 3. Estudo global: O papel da remuneração no engajamento 4. Estudo Brasil: Melhores

Leia mais

PERSPECTIVAS ECONÓMICAS PARA OS EUA E A ZONA EURO. J. Silva Lopes

PERSPECTIVAS ECONÓMICAS PARA OS EUA E A ZONA EURO. J. Silva Lopes PERSPECTIVAS ECONÓMICAS PARA OS EUA E A ZONA EURO J. Silva Lopes IDEEF, 28 Setembro 2010 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO I As perspectivas económicas para os tempos mais próximos II Políticas de estímulo à recuperação

Leia mais

A nova classe média vai às compras

A nova classe média vai às compras A nova classe média vai às compras 18 KPMG Business Magazine Cenário é positivo para o varejo, mas empresas precisam entender o perfil do novo consumidor Nos últimos anos o mercado consumidor brasileiro

Leia mais

Alisamento Exponencial (EWMA) e Holt-Winters

Alisamento Exponencial (EWMA) e Holt-Winters Alisamento Exponencial (EWMA) e Holt-Winters 1 - Alisamento Exponencial Simples Admita-se que pretendemos prever os valores futuros da série representada no gráfico 1. Gráfico 1 - esta série não apresenta

Leia mais

Desenvolvimento de estudos referentes ao processo de reciclagem de flat panels

Desenvolvimento de estudos referentes ao processo de reciclagem de flat panels Universidade do Minho Escola de Engenharia Gestão Estratégica e Organizacional Desenvolvimento de estudos referentes ao processo de reciclagem de flat panels Realizado por: David Silva; Pedro Magalhães;

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

Uma aplicação de Inteligência Computacional e Estatística Clássica na Previsão do Mercado de Seguros de Automóveis Brasileiro

Uma aplicação de Inteligência Computacional e Estatística Clássica na Previsão do Mercado de Seguros de Automóveis Brasileiro Uma aplicação de Inteligência Computacional e Estatística Clássica na Previsão do Mercado de Seguros de Automóveis Brasileiro Tiago Mendes Dantas t.mendesdantas@gmail.com Departamento de Engenharia Elétrica,

Leia mais

MESTRADO EM ECONOMIA PORTUGUESA E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL PROGRAMAS DAS UNIDADES CURRICULARES

MESTRADO EM ECONOMIA PORTUGUESA E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL PROGRAMAS DAS UNIDADES CURRICULARES MESTRADO EM ECONOMIA PORTUGUESA E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL UNIDADES CURRICULARES OBRIGATÓRIAS PROGRAMAS DAS UNIDADES CURRICULARES Análise de Informação Económica para a Economia Portuguesa 1. Identificação

Leia mais

Tecnologia e Meios de Pagamento - Geradores de novas formas de consumo

Tecnologia e Meios de Pagamento - Geradores de novas formas de consumo Tecnologia e Meios de Pagamento - Geradores de novas formas de consumo Fernando Adão da Fonseca Presidente da Unicre Congresso da APED 17.01.2012 2 Nos últimos 10 anos Tecnologia e Pagamentos Actualmente

Leia mais

Raul Marques. Poupança: Onde colocar o meu dinheiro

Raul Marques. Poupança: Onde colocar o meu dinheiro Raul Marques 27 de Novembro de 2010 Sociedade de consumo Evolução do consumo privado (%PIB) Portugal vs Alemanha Fonte: Banco de Portugal, Eurostat 27 de Novembro de 2010 2. Aumento do endividamento das

Leia mais

Relatório Sistema de Indicadores de Alerta Março 2013

Relatório Sistema de Indicadores de Alerta Março 2013 EAPN Portugal / Rede Europeia Anti Pobreza Observatório de Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa Relatório Março 2013 Uma iniciativa: Com apoio: 1 Índice 1. Construção do 1ª fase (Janeiro a Março 2013)...2

Leia mais

Congresso Nacional GS1 Portugal 10 Novembro Museu do Oriente. Inscreva-se já!

Congresso Nacional GS1 Portugal 10 Novembro Museu do Oriente. Inscreva-se já! Congresso Nacional GS1 Portugal 10 Novembro Museu do Oriente. Inscreva-se já! A GS1 Portugal CODIPOR apresenta o Congresso Nacional [de]coding the Future Value Chain, inteiramente dedicado à Linguagem

Leia mais

O Hypercluster do Mar e o Desenvolvimento das Cidades

O Hypercluster do Mar e o Desenvolvimento das Cidades O Hypercluster do Mar e o Desenvolvimento das Cidades José Poças Esteves COLÓQUIO ANMP/MARE START UP Universidade Católica Portuguesa Lisboa 9 de abril de 2015 Clique Agenda para editar o estilo I. Portugal

Leia mais

Fundo de Pensões BESA OPÇÕES REFORMA

Fundo de Pensões BESA OPÇÕES REFORMA Dezembro de 2013 Fundo de Pensões BESA OPÇÕES REFORMA Relatório Gestão Sumário Executivo 2 Síntese Financeira O Fundo de Pensões BESA OPÇÕES REFORMA apresenta em 31 de Dezembro de 2013, o valor de 402

Leia mais

Balanced Scorecard e a Gestão por Competências

Balanced Scorecard e a Gestão por Competências Balanced Scorecard e a Gestão por Competências ELEVUS O QUE FAZEMOS *Áreas de actuação: *Recrutamento e Selecção *Outplacement *Formação e Desenvolvimento Pessoal *Assessment Centre *Consultoria ELEVUS

Leia mais

Portugal Forte crescimento no início do ano

Portugal Forte crescimento no início do ano 8 Abr ANÁLISE ECONÓMICA Portugal Forte crescimento no início do ano Miguel Jiménez / Agustín García / Diego Torres / Massimo Trento Nos primeiros meses do ano, a retoma do consumo privado teria impulsionado

Leia mais

Conferência Alemanha Europeia / Europa Alemã. 26 de novembro de 2014

Conferência Alemanha Europeia / Europa Alemã. 26 de novembro de 2014 Conferência Alemanha Europeia / Europa Alemã 26 de novembro de 2014 1. Empresas Alemãs em Portugal 2. Investimento Direto Alemão em Portugal 3. Exportação / Importação 1. Empresas Alemãs em Portugal Perspetiva

Leia mais

Smart Cities Benchmark Portugal 2015

Smart Cities Benchmark Portugal 2015 Smart Cities Benchmark Portugal 2015 Agenda Introdução & Objetivos Metodologia Cronograma 2 Um Novo Paradigma Tecnológico 40% 25% 3 3 Introdução & Objetivos Mais de 50% da população do mundo vive hoje

Leia mais

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

A INDÚSTRIA TÊXTIL E VESTUÁRIO PORTUGUESA

A INDÚSTRIA TÊXTIL E VESTUÁRIO PORTUGUESA A INDÚSTRIA TÊXTIL E VESTUÁRIO PORTUGUESA Maio 2013 ATP Associação Têxtil e Vestuário de Portugal A ITV Portuguesa 2012 Volume de Negócios: 5.800 M * Produção: 4.910 M * Emprego: cerca de 150.000* Importações:

Leia mais

Volume de Negócios das áreas de retalho da Sonae cresceu 3% em 2014

Volume de Negócios das áreas de retalho da Sonae cresceu 3% em 2014 1 DESTAQUES Volume de Negócios das áreas de retalho da Sonae cresceu 3% em 2014 SONAE MC Ganhos de quota de mercado e crescimento do Volume de Negócios, num ambiente competitivo particularmente difícil

Leia mais

Strategic IT Manager +351 21 793 29 89. Gestão de Custos, Orçamentos e KPIs em IT. Como planificar, controlar e rentabilizar os investimentos

Strategic IT Manager +351 21 793 29 89. Gestão de Custos, Orçamentos e KPIs em IT. Como planificar, controlar e rentabilizar os investimentos www.iirangola.com MASTERCLASS IT Gestão de Custos, Orçamentos e KPIs em IT Strategic IT Manager Como planificar, controlar e rentabilizar os investimentos Variáveis no desenho do orçamento: objectivos,

Leia mais

PESQUISA E ESTUDO DE MERCADO ANGOLA

PESQUISA E ESTUDO DE MERCADO ANGOLA PESQUISA E ESTUDO DE MERCADO ANGOLA A Keyresearch presta serviços profissionais especializados de pesquisa e estudos de mercado, em todo o país, para todos os sectores de negócios através de vários tipos

Leia mais

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP)

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o estudo do perfil

Leia mais

ESTUDO IDC/ACEPI. Economia Digital em Portugal 2009-2017

ESTUDO IDC/ACEPI. Economia Digital em Portugal 2009-2017 ESTUDO IDC/ACEPI Economia Digital em Portugal 2009-2017 ECONOMIA DIGITAL NO MUNDO (2012) 2.5 mil milhões de internautas no mundo 850 mil milhões de euros 300 mil milhões de euros Europa maior mercado de

Leia mais

4º Congresso Nacional dos Economistas Lisboa, 19-20-21, Outubro 2011 Comunicação

4º Congresso Nacional dos Economistas Lisboa, 19-20-21, Outubro 2011 Comunicação 4º Congresso Nacional dos Economistas Lisboa, 19-20-21, Outubro 2011 Comunicação Portugal face à crise da economia global António Mendonça Economista. Professor catedrático do ISEG-UTL. 1 DIMENSÕES DA

Leia mais

América Latina. Diferentes oportunidades

América Latina. Diferentes oportunidades América Latina Diferentes oportunidades Casa da América Latina Missão: estreitar relações culturais, cientificas e económicas entre AL e Portugal e vice-versa. Fundada em 1998, como uma divisão da Câmara

Leia mais

DISCLAIMER. Aviso Legal

DISCLAIMER. Aviso Legal ANÁLISE FINANCEIRA DISCLAIMER Aviso Legal Esta apresentação inclui afirmações que não se referem a factos passados e que se referem ao futuro e que envolvem riscos e incertezas que podem levar a que os

Leia mais

Instrumentalização. Economia e Mercado. Aula 4 Contextualização. Demanda Agregada. Determinantes DA. Prof. Me. Ciro Burgos

Instrumentalização. Economia e Mercado. Aula 4 Contextualização. Demanda Agregada. Determinantes DA. Prof. Me. Ciro Burgos Economia e Mercado Aula 4 Contextualização Prof. Me. Ciro Burgos Oscilações dos níveis de produção e emprego Oferta e demanda agregadas Intervenção do Estado na economia Decisão de investir Impacto da

Leia mais

NEWSLETTER / FATURA ELETRÓNICA E COMÉRCIO DIGITAL

NEWSLETTER / FATURA ELETRÓNICA E COMÉRCIO DIGITAL AD E AD D LI ID Ç RA SI B A NT IL BI BO A OL VI SE GU RA N ÊN C CI EF I E ÃO ÇA IA TE C S SU 01 GS1 PORTUGAL NO PROGRAMA PME DIGITAL: PROTOCOLO DE ADESÃO FOI ASSINADO COM IAPMEI E ACEPI A GS1 Portugal

Leia mais

Eficiência e Inovação no sector da energia. Jorge Cruz Morais

Eficiência e Inovação no sector da energia. Jorge Cruz Morais Eficiência e Inovação no sector da energia Jorge Cruz Morais Paradigma do século XX Energia abundante Energia barata factores da alteração Preço dos combustíveis fósseis Aumento da Procura Emissões de

Leia mais

Custo do Conflito Para o Sector do Turismo Moçambicano

Custo do Conflito Para o Sector do Turismo Moçambicano Custo do Conflito Para o Sector do Turismo Moçambicano Ema Batey 27 de Maio de 2014 Custo do Conflito para o Turismo em Moçambique Introdução & Contexto Abordagem & Metodologia Panorama do Perfil do Turismo

Leia mais

A EMBALAGEM ALIMENTAR NO CONTEXTO DA POLÍTICA AMBIENTAL. Raquel P. F. Guiné* * Assistente do 1º Triénio - Dep. Agro-Alimentar, ESAV.

A EMBALAGEM ALIMENTAR NO CONTEXTO DA POLÍTICA AMBIENTAL. Raquel P. F. Guiné* * Assistente do 1º Triénio - Dep. Agro-Alimentar, ESAV. A EMBALAGEM ALIMENTAR NO CONTEXTO DA POLÍTICA AMBIENTAL Raquel P. F. Guiné* * Assistente do 1º Triénio - Dep. Agro-Alimentar, ESAV 1 - Introdução A embalagem é hoje em dia uma presença tão constante no

Leia mais

10º Fórum da Indústria Têxtil. Que Private Label na Era das Marcas?

10º Fórum da Indústria Têxtil. Que Private Label na Era das Marcas? Que Private Label na Era das Marcas? Vila Nova de Famalicão, 26 de Novembro de 2008 Manuel Sousa Lopes Teixeira 1 2 INTELIGÊNCIA TÊXTIL O Sector Têxtil e Vestuário Português e o seu enquadramento na Economia

Leia mais

INAUGURAR? COOPERACAO PROMOÇÃO COM A CARA DO CLIENTE

INAUGURAR? COOPERACAO PROMOÇÃO COM A CARA DO CLIENTE SM.COM.BR SETEMBRO DE 2013 ANO 44 5 3 2 VOCÊ ESTÁ PRONTO PARA INAUGURAR? Algumas redes ergueram lojas afobadamente e entraram em recuperação judicial. Não caia nessa. Veja cinco etapas para não corroer

Leia mais

Índice. O desafio é contínuo: o alcance das adblockings... 2. Figura 1: custos globais resultantes das adblockings irão quase duplicar este ano...

Índice. O desafio é contínuo: o alcance das adblockings... 2. Figura 1: custos globais resultantes das adblockings irão quase duplicar este ano... Índice O desafio é contínuo: o alcance das adblockings... 2 Figura 1: custos globais resultantes das adblockings irão quase duplicar este ano... 2 Figura 2: mais de metade dos dados móveis são gastos a

Leia mais

NEWSLETTER / DEZEMBRO

NEWSLETTER / DEZEMBRO EFICIÊNCIA SEGURANÇA COLABORAÇÃO SUSTENTABILIDADE VISIBILIDADE AGENDA 10/12/2013 GS1 in Europe Regional Board Meeting em 11/12/2013 GS1 in Europe Regional Board Meeting em 18/12/2013 Reunião Tripartida

Leia mais

As perspetivas de desenvolvimento da região Norte

As perspetivas de desenvolvimento da região Norte INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO FERREIRA DE BARROS, NA SESSÃO DE DEBATE, SOB O TEMA «REGIÃO NORTE QUE PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO?» NA DELEGAÇÃO

Leia mais

PERSPECTIVAS DO MERCADO SEGURADOR DE AUTOMÓVEL Belo Horizonte/MG Setembro 2014

PERSPECTIVAS DO MERCADO SEGURADOR DE AUTOMÓVEL Belo Horizonte/MG Setembro 2014 PERSPECTIVAS DO MERCADO SEGURADOR DE AUTOMÓVEL Belo Horizonte/MG Setembro 2014 Perspectivas A Transformação dos Consumidores Serviços ao Cliente Tendências PERSPECTIVAS CENÁRIO BRASILEIRO O Real se desvalorizou

Leia mais

ESCOLA DO SERVIÇO DE SAÚDE MILITAR NEWSLETTER. Junho de 2013 ARTIGO. Sistemas de Saúde versus Serviço Nacional de Saúde

ESCOLA DO SERVIÇO DE SAÚDE MILITAR NEWSLETTER. Junho de 2013 ARTIGO. Sistemas de Saúde versus Serviço Nacional de Saúde ARTIGO CAP Luís Pereira Sistemas de Saúde versus Serviço Nacional de Saúde Cada país da Europa desenvolveu, ao longo de décadas ou de séculos, um modelo de sistemas de saúde que assenta em características

Leia mais

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio MB ASSOCIADOS Perspectivas para o Agribusiness em 2011 e 2012 Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio 26 de Maio de 2011 1 1. Cenário Internacional 2. Cenário Doméstico 3. Impactos no Agronegócio 2 Crescimento

Leia mais

CONFERÊNCIA. Biomassa Financiar uma Fonte Limpa de Produção Energética FINANCIAMENTO DE CENTRAIS DE BIOMASSA. Lisboa, 7 de Julho de 2010

CONFERÊNCIA. Biomassa Financiar uma Fonte Limpa de Produção Energética FINANCIAMENTO DE CENTRAIS DE BIOMASSA. Lisboa, 7 de Julho de 2010 CONFERÊNCIA Biomassa Financiar uma Fonte Limpa de Produção Energética FINANCIAMENTO DE CENTRAIS DE BIOMASSA Lisboa, 7 de Julho de 2010 Luís Sousa Santos lsantos@besinv.pt Financiamento de Centrais de Biomassa

Leia mais

ANGOLA, ESTILOS DE VIDA E CONSUMIDOR 2014

ANGOLA, ESTILOS DE VIDA E CONSUMIDOR 2014 ANGOLA, ESTILOS DE VIDA E CONSUMIDOR 2014 ÂMBITO E OBJECTIVO Angola, Estilos de Vida e consumidor 2014 é um projecto da Keyresearch que pretende compreender a complexidade dos comportamentos do povo angolano,

Leia mais

ECONOMIA DA ENERGIA A Importância da Eficiência Energética

ECONOMIA DA ENERGIA A Importância da Eficiência Energética A Importância da Eficiência Energética Ordem dos Engenheiros Lisboa, 17 de Dezembro de 2013 Principal Objectivo Apresentar alguns dados que caracterizam a nossa economia, do ponto de vista macro energético,

Leia mais

José António Rousseau, professor de Marketing e Distribuição. Que balanço faz destes 19 anos da moderna distribuição em Portugal?

José António Rousseau, professor de Marketing e Distribuição. Que balanço faz destes 19 anos da moderna distribuição em Portugal? José António Rousseau, professor de Marketing e Distribuição Que balanço faz destes 19 anos da moderna distribuição em Portugal? A realidade comercial que podemos designar por Distribuição Moderna começou

Leia mais

Inserir mapa Densidade Populacional : 103,8hab/km2

Inserir mapa Densidade Populacional : 103,8hab/km2 Área : 543.965 Km2 (França metropolitana) População : 65 milhões (estimativa 2013) Inserir mapa Densidade Populacional : 103,8hab/km2 Divisão Administrativa : A França está administrativamente dividida

Leia mais

Conferência Reabilitação Urbana: oportunidades do novo regime jurídico. 8 de março de 2013

Conferência Reabilitação Urbana: oportunidades do novo regime jurídico. 8 de março de 2013 Conferência Reabilitação Urbana: oportunidades do novo regime jurídico 8 de março de 2013 Porto Vivo, SRU (2013) Rui Ferreira de Espinheira Quelhas 2 1900-13% 1950-40% 2000-46,6% 2010-50,6% 2050-69,6%

Leia mais

GRANDE DETERMINAÇÃO E EMPENHO NA REVISÃO DAS CONVENÇÕES

GRANDE DETERMINAÇÃO E EMPENHO NA REVISÃO DAS CONVENÇÕES RELATÓRIO DO 1.º TRIMESTRE NEGOCIAÇÃO COLECTIVA 2011 GRANDE DETERMINAÇÃO E EMPENHO NA REVISÃO DAS CONVENÇÕES No que respeita a actualização salarial os últimos anos foram de crescimento moderado mas actualmente

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS PARA ANÁLISE DE CONJUNTURA. Fernando J. Ribeiro Grupo de Estudos de Conjuntura (GECON) - DIMAC

INDICADORES ECONÔMICOS PARA ANÁLISE DE CONJUNTURA. Fernando J. Ribeiro Grupo de Estudos de Conjuntura (GECON) - DIMAC INDICADORES ECONÔMICOS PARA ANÁLISE DE CONJUNTURA Fernando J. Ribeiro Grupo de Estudos de Conjuntura (GECON) - DIMAC FORTALEZA, Agosto de 2013 SUMÁRIO 1. Fundamentos da Análise de Conjuntura. 2. Tipos

Leia mais

Estudo de caso relativo ao projecto

Estudo de caso relativo ao projecto Comissão Europeia Estudo de caso relativo ao projecto Comercialização de novos produtos à base de percebes FLAG: Ria de Vigo A Guarda Galiza, Espanha Apresentação do projecto Na Galiza os percebes são

Leia mais

Maturidade da Impressão e Gestão Documental nas Organizações Nacionais

Maturidade da Impressão e Gestão Documental nas Organizações Nacionais Maturidade da Impressão e Gestão Documental nas Organizações Nacionais 1. Tendências na impressão e gestão documental 2. Modelo de maturidade da impressão e gestão documental 3. Q&A 2 Uma nova plataforma

Leia mais

ICES Um Indicador de Confiança para o Setor de Seguros. Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.br Agosto/2013

ICES Um Indicador de Confiança para o Setor de Seguros. Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.br Agosto/2013 ICES Um Indicador de Confiança para o Setor de Seguros Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.br Agosto/2013 Sumário: 1) Desafios econômicos do setor de seguros (Brasil e Mundo) 2) Princípios sobre Modelos

Leia mais

Conjuntura Macroeconômica e Setorial

Conjuntura Macroeconômica e Setorial Conjuntura Macroeconômica e Setorial O ano de 2012 foi um ano desafiador para a indústria mundial de carnes. Apesar de uma crescente demanda por alimentos impulsionada pela contínua expansão da renda em

Leia mais

BENCHMARKING 2014. Estudo dos niveis de serviço

BENCHMARKING 2014. Estudo dos niveis de serviço BENCHMARKING 2014 Estudo dos niveis de serviço Objetivo do estudo BENCHMARKING 2014 O objectivo deste estudo é conhecer o nível de serviço oferecido pelos fabricantes do grande consumo aos distribuidores,

Leia mais

Capitalizando sobre o Novo Consumidor Smarter Consumer Visão do Mercado Brasileiro

Capitalizando sobre o Novo Consumidor Smarter Consumer Visão do Mercado Brasileiro IBM Institute for Business Value Perspectiva do Segmento de Varejo Capitalizando sobre o Novo Consumidor Smarter Consumer Visão do Mercado Brasileiro Compreendendo e Respondendo às Necessidades e Desejos

Leia mais

O consumo, a crise, os comportamentos de compra e as estratégias empresariais

O consumo, a crise, os comportamentos de compra e as estratégias empresariais O consumo, a crise, os comportamentos de compra e as estratégias empresariais Prof. Celso Cláudio de Hildebrand e Grisi celsogrisi@fractalconsult.com.br 1 - Se, no primeiro momento, o consumo caiu de forma

Leia mais

Consumo de produtos de beleza

Consumo de produtos de beleza Consumo de produtos de beleza Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado.

Leia mais

C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011

C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011 Comunicado de Imprensa Abril 2012 Empresa cresce e continua a investir C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011 Investimentos em atuais e novas lojas Aposta nas lojas on-line Aumento nas vendas de

Leia mais

Estratégias de Marketing Digital

Estratégias de Marketing Digital Estratégias de Marketing Digital @SandraTurchi www.sandraturchi.com.br E-commerce no Mundo Movimentou US$ 1 trilhão em 2012 Tíquete médio US$ 73 Brasil será o 4º país até 2015 (atrás de China, EUA e Japão).

Leia mais