Parceria Estratégica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parceria Estratégica"

Transcrição

1 Parceria Estratégica 1

2 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias futuras sobre o Banco do Brasil, suas subsidiárias coligadas e controladas. Embora essas referências e declarações reflitam o que os administradores acreditam, as mesmas envolvem imprecisões e riscos difíceis de se prever, podendo, desta forma, haver resultados ou conseqüências diferentes daqueles aqui antecipados e discutidos. Estas expectativas são altamente dependentes das condições do mercado, do desempenho econômico geral do país, do setor e dos mercados internacionais. O Banco do Brasil não se responsabiliza em atualizar qualquer estimativa contida nesta apresentação. 2

3 Seção 1 Descrição da Transação 3

4 Principais Termos da Operação Estrutura Aquisição de participação acionária no Banco Votorantim, pertencente à Votorantim Finanças S.A., equivalente a 50% do Capital Total e 49,99% do Capital Votante. Valor da Transação Valor dos 50% do capital após a transação: R$ 4,2 bilhões, pagos da seguinte forma: R$ 3,0 bilhões pagos diretamente à Votorantim Finanças S.A. R$ 1,2 bilhão aportados no Banco Votorantim S.A., mediante aumento de capital Forma de Pagamento No fechamento (após aprovação pelo Bacen): R$ 3,75 bilhões Seis meses da data do fechamento: R$ 450 milhões Condições Precedentes Aprovação da transação pelo Banco Central 4

5 1 Venda de Participação R$ 3,0 bilhões Modelo da Parceria Banco do Brasil Ações ON R$ Votorantim Finanças 49,99% (ON) 50,01% (PN) 50,01% (ON) 49,99% (PN) 50% Total 50% Total 2 Emissão de Ações R$ 1,2 bilhão R$ Novas Ações PN R$ 0 Distribuição de Reservas Históricas R$ 0,75 bilhão BV Financeira e BV Leasing VAM Corretora Outros Negócios Parceria do capital total Manutenção da maioria do capital votante no setor privado ON: VF com e BB com ações PN: VF com e BB com ações 5

6 Modelo da Parceria Valor contábil do Patrimônio Líquido (PL) do Banco Votorantim (R$ bi) 6,42 1 Distribuição de Dividendos para VF 2 Compra de 45% de participação no Banco Votorantim por R$ 3,0 bilhões 3,00 (0,75) 5,67 5,67 1,20 3 Aporte de capital de R$1,2 bilhão, chegando a 50% do capital do Banco Votorantim 6,87 45% 50% 55% 50% Situação Inicial Distribuição de reserva de lucro do BV à VF Pós Distribuição de dividendos Pós-venda (secundária) Aporte de capital pelo BB no BV Situação final pós aporte Participação no BV (%) 100,0% 0,0% 55,0% 45,0% 50,0% 50,0% 6

7 Configuração Societária Banco do Brasil S.A. Votorantim Finanças S.A. 49,99% (ON) 50,01% (ON) 50,01% (PN) 49,99% (PN) 50% Total 50% Total 100% BV Empreendimentos e Participações Ltda. BV Trading S.A. 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% CP Promotora de Vendas Ltda. BV Sistemas Ltda. BV Financeira S.A. BV Leasing Arrendamento Mercantil S.A. Votorantim CTVM Ltda. Votorantim Asset Management DTVM Ltda. Agência Banco Votorantim Nassau Banco Votorantim Securities Inc. Votorantim Bank Limited BV Corretora de Seguros 7

8 Futura Governança Corporativa do Banco Votorantim Mandatos serão de 2 anos, Presidência do Conselho rotativa anualmente Presidente do Conselho Antonio Francisco de Lima Neto Vice-Presidente do Conselho José Ermírio de Moraes Neto Conselho de Administração Paritário 3 membros indicados pela Votorantim Finanças 3 membros indicados pelo Banco do Brasil Presidente Executivo Wilson Masao Kuzuhara Diretoria executiva existente Modelo de gestão permanece O modelo de negócio e a equipe de colaboradores do Banco Votorantim serão mantidos 8

9 Seção 2 Aderência Estratégica 9

10 Crescimento Estratégico Cenário Consolidação do Sistema Financeiro Nacional Quantidade de Bancos 1, % dos depósitos totais detidos pelos 5 maiores bancos 2 59% 75% 1995 Dez Set-08 Iniciativas do Banco do Brasil Incorporação/aquisição de bancos estaduais Ingresso nos mercados de crédito imobiliário e de veículos Análise de alternativas para distribuição de produtos por canais complementares Crise Financeira Internacional: falta de liquidez, com liberação de Compulsório e aceleração do processo de concentração do SFN Evolução do Crédito SFN - R$ bilhões 209, Crescimento Anual Composto 8,9% 379, Fonte: Banco Central do Brasil. parcerias financeiras + crescimento econômico Crescimento Anual Composto 24,8% 3 379, , Set-08 1 Considera apenas bancos múltiplos e comerciais autorizados a operar pelo Banco Central. 2 Pro-forma pela fusão de Itaú/Unibanco, Santander/Real e Incorporação pelo BB do BESC, BEP e Nossa Caixa. 3 Crescimento Anual Composto considerando as operações de crédito de janeiro a setembro de 2008 anualizadas. Compra de carteiras de crédito Avaliação de interesse na aquisição de participação acionária de instituições financeiras Expansão da atuação em mercados internacionais Expansão na área de mercado de capitais 10

11 Banco Votorantim Grandes Números Performance Set/08 Clientes e Canais 7º maior banco do País em Ativos Totais R$ 81,9 bilhões Carteira de Crédito R$ 38,2 bilhões Recursos Administrados R$ 18,8 bilhões 4º posição 1 Financiamento e arrendamento de Veículos 12,0% 17 Agências 8 em SP, 8 em outros estados: GO (1), MG (1), PR (1), RJ (2), RS (2) e SC (1) exterior (Nassau) 3 Milhões de clientes atendidos pela BV Financeira Funcionários Distribuição Alternativa: BV Financeira: crédito 61 filiais, 82 lojas de Rede Terceirizada: 29 mil parceiros Lucro Líquido (últimos 12 meses) R$ 1,15 bilhão Nível de Eficiência (média 05-07) 25% Atuação diversificada: mercado corporate, mercado de capitais, tesouraria, área internacional, gestão de recursos de terceiros, financiamento de varejo e corretora de valores 1 Ranking de Setembro/2008, considerando a Fusão de Itaú e Unibanco Fonte: Austin Asis, Banco Central e demonstrativos financeiros dos bancos 11

12 Evolução de Ativos do Banco Votorantim Maiores instituições financeiras do Brasil (ranking por ativos totais R$bi) Hoje 1 1. BANCO DO BRASIL 2 CAIXA 3. BANESPA 4. BRADESCO 5. BAMERINDUS) 6. NACIONAL 7. UNIBANCO 8. REAL 9. SAFRA 10. ECONOMICO 11. NOSSA CAIXA 12. BANRISUL 13. BNB 14. LLOYDS TSB BANK 15. SANTANDER NOROESTE 16. APLICAP (LIQ EXT) 17. ITAU HOLDING FIN 18. SANTANDER (BOZANO) 19. MULTIPLIC 20. BANERJ EX JUD) 21. CITIBANK, N.A. 22. BBM 23. BANORTE 24. SANTANDER BANESPA 25. ABN - AMRO BANK 26. BANKBOSTON, N.A. 27. IBM 28. ITAMARATI 29. UBS PACTUAL 30. BMB 1. BANCO DO BRASIL 2. CAIXA 3. BRADESCO 4. ITAÚ 5. UNIBANCO 6. BANESPA 7. REAL 8. SAFRA 9. HSBC BANK BRASIL 10. NOSSA CAIXA 11. SANTANDER BANESPA 12. SANTANDER BRASIL 13. ABN - AMRO BANK 14. SANTANDER NOROESTE 15. SANTANDER (BOZANO) 16. BNB 17.VOTORANTIM 18. ITAU HOLDING FIN 19. BICBANCO 20. BANKBOSTON, N.A. 21. BARCLAYS 22. JP MORGAN (CHASE) 23. ALFA 24. BBM 25. LLOYDS TSB BANK 26. BESC 27. RURAL 28. UBS PACTUAL 29. BMB 30. ICATU 4,8 bi 1. BANCO DO BRASIL 2. BRADESCO 3. CAIXA 4. ITAU HOLDING FIN 5. UNIBANCO 6. SANTANDER BRASIL 7. ABN - AMRO BANK 8. BANESPA 9. NOSSA CAIXA 10. CITIBANK 11. SAFRA 12. HSBC BANK BRASIL 13. VOTORANTIM 19bi 14. BANRISUL 15. BNB 16. SANTANDER (BOZANO) 17. JP MORGAN (CHASE) 18. BANKBOSTON, N.A. 19. LLOYDS TSB BANK 20. SANTOS (LIQ) 21. BNP PARIBAS 22. RURAL 23. ALFA 24. BASA 25. UBS PACTUAL 26. BMB 27. WESTLB 28. FIBRA 29. ABC BRASIL 30. VOLKSWAGEN 1. BANCO DO BRASIL 2. BRADESCO 3. ITAU HOLDING FIN 4. SANTANDER + ABN 5. CAIXA 6. UNIBANCO 7. HSBC BANK BRASIL 8.VOTORANTIM 9. SAFRA 10. NOSSA CAIXA 11. CITIBANK 12. UBS PACTUAL 13. BANRISUL 14. BBM 15. BNP PARIBAS 16. DEUTSCHE BANK 17. BNB 18. FIBRA 19. BICBANCO 20. JP MORGAN 21. BMB 22. BANESTES 23. PANAMERICANO 24. VOLKSWAGEN 25. BMG 26. DAYCOVAL 27. ING 28. BASA 29. GMAC 30. BANCO IBI 64bi 1. ITAÚ + UNIBANCO 2. BANCO DO BRASIL + NC 3. BRADESCO 4. SANTANDER + ABN 5. CAIXA 6. HSBC BANK BRASIL 7.VOTORANTIM 8. SAFRA 9. CITIBANK 10. BANRISUL 11. BNP PARIBAS 12. UBS PACTUAL 13. FIBRA 14. BNB 15. ALFA 16. BBM 17. DEUTSCHE BANK 18. JP MORGAN 19. BICBANCO 20. VOLKSWAGEN 21. BANESTES 22. PANAMERICANO 23. SICREDI 24. BMB 25. DAYCOVAL 26. BMG 27. GMAC 28. BASA 29. ABC BRASIL 30. BESC 82 bi 34.VOTORANTIM 0,8 bi Fonte: Austin Asis 1 Dados de set/08: considera a fusão do Itaú-Unibanco e aquisição da Nossa Caixa pelo BB (pro-forma) 12

13 A Operação complementa a estratégia de crescimento do Banco do Brasil R$ bilhões Banco do Brasil 1 Banco Votorantim BB + Votorantim (50%) Variação + Ativos Totais 512,4 81,9 553,3 8% Carteira de Crédito 213,7 38,2 232,8 9% Pessoa Física 51,5 21,7 62,6 21% Empresas 88,1 16,5 96,4 9% Depósitos Totais 264,0 23,4 275,7 4% Lucro Líquido (nove meses) 6,5 0,8 6,8 6% Índice de Basiléia 2 13,5% 13,6% 12,5% 100 bps Números relativos a 30 de setembro de Considera números do BB Consolidado Econômico-Financeiro + Nossa Caixa + BESC + Bescri. 2 Índice de Basiléia do consolidado financeiro estimado para dez/08 considerando alteração na regulamentação que trata do crédito tributário e impacto de Nossa Caixa. 13

14 Seção 3 Racional da Transação 14

15 Lógica Estratégica da Parceria Crescer em um cenário de intensa consolidação bancária Alavancar aplicação de recursos gerados por captação barata e estável Consolidar e ampliar atuação no mercado de veículos Desenvolver e explorar canal de distribuição não-bancário para venda de produtos BB Ampliar presença no Mercado de Capitais, inclusive na atuação junto ao Varejo Geração de ativos de boa qualidade Diversificado portfólio para atuação no segmento de Pessoa Jurídica Grande expertise e escala em Veículos, com mais de 3 milhões de clientes atendidos BV Financeira: 4º Maior em Veículos Atuação através do modelo de correspondentes contando com mais de 29 mil pontos afiliados Votorantim Corretora (Top 18 em BM&F e Top 35 em Bovespa), com potencial de crescimento na plataforma BB 15

16 Lógica Estratégica da Parceria O Banco do Brasil é o único banco de varejo que não possui uma financeira Lógica da BV Financeira para o Banco do Brasil Composição da Carteira de Financiamento ao Consumidor dos Principais Bancos Financeira Controlador Funding Varejo Instituição + + Crédito PF (R$ bi) % Crédito Total Veículos 1 (R$ bi) % Crédito PF 51,5 24,1% 5,6 10,9% 21,7 56,8% 16,8 77,6% 73,2 29,1% 22,4 30,6% 95,2 39,9% 47,1 50,9% 63,7 39,7% 31,2 49,0% Geração de Funding + Ativos 57,3 43,9% 23,7 41,4% Fonte: Informações trimestrais das empresas, Banco Central 1 Considera CDC Auto e Leasing A parceria estratégica proporcionará crescimento da operação de financiamento a veículos do BB fora do ambiente de agências, o que hoje soma R$ 1,9 bilhão, 34% da carteira de veículos 16

17 Lógica Estratégica da Parceria O Banco do Brasil é o único banco de varejo que não possui uma corretora de valores mobiliários Ambiente Macroeconômico Benefícios para o Banco do Brasil Crescimento consistente do volume médio diário negociado na Bovespa nos últimos anos Participação crescente de pessoas físicas no mercado acionário Maior participação de investidores estrangeiros em busca de retorno Corretora 1 2 Potencial de criação de valor via base de clientes do Banco do Brasil Votorantim CTVM com estrutura operacional eficiente para alavancar seus negócios utilizando a força da franquia do Banco do Brasil A combinação dos serviços de corretagem com a base de clientes pessoas físicas do Banco do Brasil trará muitas oportunidades para a parceria 17

18 Comparativo Banco do Brasil e Banco Votorantim Financiamento de Veículos Crédito Consignado Crédito Corporate e Large Corporate 4º lugar no Ranking (16%) 1º lugar no Ranking (22%) 2º lugar no Ranking (21%) Participação de Mercado (%) Participação de Mercado (%) Participação de Mercado (%) 12% 19% 14% 7% 4% 3% Fonte: Bacen; Austin Asis; demonstrativos financeiros dos bancos; imprensa Nota: Ranking considera a fusão Itaú + Unibanco (pro-forma), financiamento de veículos utiliza valores de set/08, consignado de jun/08 e Corporate/Large Corporate de dez/07 18

19 Seção 4 Benefícios da Transação 19

20 Alta complementaridade entre a Parceria e a aquisição da Nossa Caixa Complementaridade entre Crédito e Funding Diversidade de Produtos PF Ampla Base de Clientes PF e PJ Funding de Baixo Custo Presença Nacional Funding de Baixo Custo Baixa Alavancagem Disponibilidade de Recursos Folha de Pagamento de SP Geração de ativos de boa qualidade Diversidade de produtos para PJ Distribuição terceirizada Corretora de valores 20

21 A complementaridade das operações beneficiará também a recente aquisição da Nossa Caixa Crédito PF / Depósitos de baixo custo (x) Crédito Consumo 1 / Crédito PF 150,5x 0,89x 0,66x 0,48x 0,33x 0,28x Complementaridade entre operações trará maior rentabilidade 56% dos depósitos do Banco do Brasil e 89% dos depósitos da Nossa Caixa são considerados depósitos de menor custo Depósitos de menor custo: Depósitos a vista, depósitos de poupança e depósitos judiciais Nota: Números relativos a 30 de setembro de Não considera Crédito Consignado 21

22 Evolução do Crédito Veículo nos Últimos 12 Meses Apesar de ter ocorrido um pequeno aumento na inadimplência, a evolução do Crédito Veículo demonstra também o aumento do spread e a redução do prazo médio Spread (p.p.) 1 Saldo de Operações (R$ bi) ,5 18,6 18,8 17,2 16,4 16,4 16,3 18,4 18,7 18,4 22,2 18,8 Dez-08 Jan-07 Fev-08 Mar-08 Abr/08 Mai/08 Jun-08 Jul-08 Ago/08 Set/08 Out/08 Nov-08 1 Dados estimados para Set/08, Out/08 e Nov/08 1 Prazo Médio (dias corridos) Inadimplência (%) Dez-08 Jan-07 Fev-08 Mar-08 Abr/08 Mai/08 Jun-08 Jul-08 Ago/08 Set/08 Out/08 Nov Dez-08 Jan % 4.0% 3.0% 2.0% 1.0% Fev-08 Mar-08 Abr/ Dados estimados para Set/08, Out/08 e Nov/ % Nov-06 May-07 Nov-07 May-08 Nov-08 1 Dados estimados para Set/08, Out/08 e Nov/08 1 Dados estimados para Set/08, Out/08 e Nov/ Mai/08 Jun-08 Jul-08 Ago/08 Set/08 Out/08 Nov-08 Nov-06 Mai-07 Nov-07 Mai-08 Nov-08 Mercado 22

23 O Banco do Brasil e o Banco Votorantim possuem condições de tornar a Operação contributiva ao lucro por ação Em R$ milhões exceto quando mencionado Banco do Brasil Banco Votorantim Custo de Oportunidade do Caixa da Transação Banco do Brasil + Banco Votorantim LTM 3T2008 Lucro Líquido LTM08 1 # Ações (milhões) (495) Lucro por Ação (R$) 2,76 2,79 Criação imediata de valor de 1.2% no Lucro por Ação, sem considerar eventuais sinergias 1 Lucro Líquido dos últimos 12 meses findo em Setembro de Custo de oportunidade calculado com base na taxa Selic atual (13,75%) sobre o valor da transação (R$ milhões) e excluindo impostos. Considerou-se o pagamento à vista, numa parcela única. Valor de R$3,600 milhões = R$3,000 milhões (compra de participação) + 50% x R$1.200,00 milhões (aporte de capital) 3 Considerando apenas a participação do Banco do Brasil 23

24 Banco do Brasil Mais Forte e Competitivo + Maior capacidade de originação de ativos na competitiva indústria do financiamento ao consumo; Acesso a canais de distribuição alternativos bem desenvolvidos - concessionárias, parceiros e lojas da BV Financeira; Modelo de sucesso na promoção de vendas com atuação nacional no mercado de financiamento a veículos; Fortalecimento da atuação do BB no mercado de capitais; Maior diversificação do portifólio de produtos para empresas 24

25 Seção 5 Cronograma Indicativo 25

26 Próximos passos cronograma indicativo Publicação do Fato Relevante anunciando a compra de Participação no Banco Votorantim Aprovação da Transação pelo Bacen D D+15 D1 Abr-09 Assinatura do Contrato de Compra e Venda e Subscrição de Ações Protocolo da documentação junto ao Bacen Fechamento e liquidação financeira Prazos Mínimos 26

27 Assessores da Operação Assessor Financeiro Due Diligence Consultor Legal FRANÇA A E NUNES PEREIRA ADVOGADOS Fairness Opinion Assessor Financeiro Due Diligence 27

28 Unidade Relações com Investidores SBS Qd.01 Ed.Sede III, 5º andar CEP Brasília DF Telefone: (61) Fax: (61) bb.com.br Para maiores detalhes a respeito destas informações acesse 28

Nasce uma parceria de sucesso. Brasília, 9 de janeiro de 2009

Nasce uma parceria de sucesso. Brasília, 9 de janeiro de 2009 Nasce uma parceria de sucesso Brasília, 9 de janeiro de 2009 O Banco Votorantim 1 Banco Votorantim: 7 º maior banco do país e 3 º de capital privado nacional, com portfólio de negócios atraentes Sucesso

Leia mais

Painel II: Estratégia de crescimento inorgânico e impactos na estrutura de capital

Painel II: Estratégia de crescimento inorgânico e impactos na estrutura de capital Painel II: Estratégia de crescimento inorgânico e impactos na estrutura de capital Paulo Sérgio Navarro Geral da Unidade Integração de Negócios Banco Votorantim UBV - Parceria estratégica Agenda Estrutura

Leia mais

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL APRESENTAÇÃO ÀS COMISSÕES DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA E DE ASSUNTOS ECONÔMICOS DO SENADO

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL APRESENTAÇÃO ÀS COMISSÕES DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA E DE ASSUNTOS ECONÔMICOS DO SENADO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL APRESENTAÇÃO ÀS COMISSÕES DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA E DE ASSUNTOS ECONÔMICOS DO SENADO CCJ Maria Fernanda Ramos Coelho Brasília, 24 de novembro de 2010. POR QUE A CAIXA

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

Sumário do Resultado 2T09

Sumário do Resultado 2T09 Sumário do Resultado 1 BB lucra R$ 4,0 bilhões no 1º semestre de 2009 O Banco do Brasil registrou lucro líquido de R$ 4.014 milhões no 1S09, resultado que corresponde a retorno sobre Patrimônio Líquido

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 BB Seguridade S.A. Resultado do 2º Trimestre de 2013 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas,

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação de Resultados 1º Trimestre, 2014 Aviso Importante: esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados

Leia mais

13 Rentabilidade... 14 Qualidade da Carteira de Crédito... 15 Crédito Consignado... 16 Canais de Distribuição... 17

13 Rentabilidade... 14 Qualidade da Carteira de Crédito... 15 Crédito Consignado... 16 Canais de Distribuição... 17 Realização: Apoio: Sumário Perfil e trajetória... 3 Grupo JMalucelli..... 4 Contexto Setorial...... 5 Brasil em Foco... 6 Cenário de Crédito... 7 Segmentos de atuação... 12 Lucro Líquido... 13 Rentabilidade...

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico. Referência: Ofício n 2584/2006/SDE/GAB de 31 de maio de 2006

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico. Referência: Ofício n 2584/2006/SDE/GAB de 31 de maio de 2006 MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer n o 06246/2006/RJ COGAM/SEAE/MF Rio de janeiro, 26 de junho de 2006. Referência: Ofício n 2584/2006/SDE/GAB de 31 de maio de 2006 Assunto:

Leia mais

Financiamento de veículos. Crédito Pessoa Física Principais Produtos

Financiamento de veículos. Crédito Pessoa Física Principais Produtos Financiamento de veículos Crédito Pessoa Física Principais Produtos 115 +11% Carteira de Crédito 124 +3% 127 Crédito ao Consumo Veículos R$ Bilhões Pessoa Física Crédito Consignado 1 32 Cartão de Crédito

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação de Resultados 4º Trimestre, Aviso Importante: esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados

Leia mais

1 Banco do Brasil S.A. 2 Banco Central do Brasil. 3 Banco da Amazônia S.A. 4 Banco do Nordeste do Brasil S.A. 6 Banco Nacional Crédito Cooperativo S/A

1 Banco do Brasil S.A. 2 Banco Central do Brasil. 3 Banco da Amazônia S.A. 4 Banco do Nordeste do Brasil S.A. 6 Banco Nacional Crédito Cooperativo S/A Número Nome 1 Banco do Brasil S.A. 2 Banco Central do Brasil 3 Banco da Amazônia S.A. 4 Banco do Nordeste do Brasil S.A. 6 Banco Nacional Crédito Cooperativo S/A 7 BNDES - Banco Nacional de Desenvolv.

Leia mais

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3 VISÃO GERAL - 2T5 Histórico 99 Início das operações como banco múltiplo 2002 Agência em Nassau 2005 Corretora em Nova York 2009 Início da parceria estratégica com o Banco do Brasil 205 BV Promotora (Consignado

Leia mais

Apresentação Institucional. Dezembro 2008

Apresentação Institucional. Dezembro 2008 Apresentação Institucional Dezembro 2008 Sumário Perfil 1 Informações Financeiras 7 Características Operacionais 15 Governança Corporativa 27 Contatos 31 Perfil Agência Blumenau-SC Perfil A especialidade

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 1 Ciclo Apimec 2014 Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 Ciclo Ciclo Apimec 2014 2014 Itaú Itaú Unibanco Unibanco Holding Holding

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

Informações Financeiras Consolidadas

Informações Financeiras Consolidadas Informações Financeiras Consolidadas 3º trimestre 2007 Dados Cadastrais Denominação Comercial: Banrisul S/A Natureza Jurídica: Banco Múltiplo Público Estadual. Sociedade de Economia Mista, sob forma de

Leia mais

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Goiânia 28 de outubro de 2014

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Goiânia 28 de outubro de 2014 1 Ciclo Apimec 2014 Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Goiânia 28 de outubro de 2014 Ciclo Ciclo Apimec 2014 2014 Itaú Itaú Unibanco Unibanco Holding Holding

Leia mais

Resultados do 1T08. 14 de maio de 2008

Resultados do 1T08. 14 de maio de 2008 Resultados do 1T08 14 de maio de 2008 Destaques do Trimestre Desenvolvimento dos Negócios Início dos desembolsos das operações de FINAME e BNDES Automático Bim Promotora de Vendas fase piloto das operações

Leia mais

ESTUDO TÉCNICO SOBRE AS TAXAS DE JUROS VIGENTES NO BRASIL: Uma análise das hipóteses convencionais. 3ª. versão

ESTUDO TÉCNICO SOBRE AS TAXAS DE JUROS VIGENTES NO BRASIL: Uma análise das hipóteses convencionais. 3ª. versão ESTUDO TÉCNICO SOBRE AS TAXAS DE JUROS VIGENTES NO BRASIL: Uma análise das hipóteses convencionais. 3ª. versão Prof. Dr. Alberto Borges Matias FEA-RP/USP POR QUE SÃO ELEVADAS AS TAXAS DE JUROS? Prof. Dr.

Leia mais

RBC BRASIL DTVM LTDA. Confiança que faz a diferença

RBC BRASIL DTVM LTDA. Confiança que faz a diferença RBC BRASIL DTVM LTDA Confiança que faz a diferença Sobre o RBC Brasil O RBC Brasil (RBC Brasil DTVM Ltda) é uma subsidiária integral do Royal Bank of Canada, cuja história de atuação em nosso país remonta

Leia mais

Divulgação dos Resultados 1T15

Divulgação dos Resultados 1T15 Divulgação dos Resultados 1T15 Sumário Resultado Itens Patrimoniais Índices Financeiros e Estruturais Guidance 2 Resultado Margem Financeira (em e %) * 1T15 / 1T14 1T15 / 4T14 1T15 / 1T14 21,1% 5,4% 21,1%

Leia mais

www.panamericano.com.br

www.panamericano.com.br www.panamericano.com.br Agenda Principais dados do Banco Histórico Divulgação das Demonstrações Financeiras Resultado e Balanço Providências e Perspectivas 2 Agenda Principais dados do Banco 3 Composição

Leia mais

SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL

SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL Comissão de Acompanhamento da Crise Financeira e da Empregabilidade 26 DE MARÇO DE 2009 Fábio Colletti Barbosa Presidente ÍNDICE 1. A Crise Financeira Mundial 2. O Brasil, a Crise

Leia mais

Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011

Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011 Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011 Rio de Janeiro, 09 de Agosto 2011 1 Informação importante Esta apresentação foi preparada pelo Banco Santander (Brasil) S.A., eventuais declarações

Leia mais

BB tem lucro líquido recorde nominal de R$ 12,2 bilhões em 2012

BB tem lucro líquido recorde nominal de R$ 12,2 bilhões em 2012 Informativo para a Imprensa São Paulo (SP), 21 de fevereiro de 2013. BB tem lucro líquido recorde nominal de R$ 12,2 bilhões em 2012 Crédito cresce 25% no ano e atinge participação de mercado histórica

Leia mais

Agenda. I. Grupo Silvio Santos II. Visão Geral Banco Panamericano. III. Desempenho Financeiro IV. Ratings V. Principais Destaques Banco Panamericano

Agenda. I. Grupo Silvio Santos II. Visão Geral Banco Panamericano. III. Desempenho Financeiro IV. Ratings V. Principais Destaques Banco Panamericano 1 Aviso Legal Este material é a apresentação de informações gerais do Banco PanAmericano S.A. na data desta apresentação. Não fazemos nenhuma declaração, implícita ou explícita, e não damos garantia quanto

Leia mais

CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO BRASIL Crescimento Sustentável. ESTRATÉGIA DO BRADESCO Posicionamento/Estratégia

CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO BRASIL Crescimento Sustentável. ESTRATÉGIA DO BRADESCO Posicionamento/Estratégia CRÉDITO IMOBILIÁRIO NO BRASIL Crescimento Sustentável ESTRATÉGIA DO BRADESCO Posicionamento/Estratégia 1 DE 28 1 Crédito Imobiliário no Brasil Crescimento contínuo e sustentável nos últimos anos, aumento

Leia mais

Brasil: Perspectivas para o setor bancário e o mercado de crédito. Espírito Santo, 06/04/2015. Murilo Portugal Presidente

Brasil: Perspectivas para o setor bancário e o mercado de crédito. Espírito Santo, 06/04/2015. Murilo Portugal Presidente Brasil: Perspectivas para o setor bancário e o mercado de crédito Espírito Santo, 06/04/2015 Murilo Portugal Presidente 1 or Bancário O sistema bancário brasileiro comporta atualmente 132 bancos múltiplos,

Leia mais

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 Brasília, 26 de agosto de 2015 O BRB - Banco de Brasília S.A., sociedade de economia mista, cujo acionista majoritário é o Governo de Brasília, anuncia seus resultados do

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T09

Teleconferência de Resultados 4T09 Teleconferência de Resultados 4T09 Índice Comentários de Mercado Pág. 3 Qualidade da Carteira de Crédito Pág. 10 Liquidez Pág. 4 Índice de Eficiência Pág. 14 Funding e Carteira de Crédito Pág. 5 Rentabilidade

Leia mais

Boa tarde a todos. Iniciamos neste momento a teleconferência Banco do Brasil Parceria Estratégica com Banco Votorantim.

Boa tarde a todos. Iniciamos neste momento a teleconferência Banco do Brasil Parceria Estratégica com Banco Votorantim. Operadora: Boa tarde a todos. Iniciamos neste momento a teleconferência Banco do Brasil. Todos os participantes estão conectados apenas como ouvintes, e mais tarde será aberta a sessão de perguntas e respostas,

Leia mais

Outubro de 2009 Estritamente Privado e Confidencial. Position for graphic or image

Outubro de 2009 Estritamente Privado e Confidencial. Position for graphic or image Conglomerado Sumário do Relatório de Avaliação Econômica Outubro de 2009 Estritamente Privado e Confidencial Position for graphic or image Corporate Finance & Recovery Ltda. Av. Francisco Matarazzo, 1400

Leia mais

Tudo o que você precisa saber sobre

Tudo o que você precisa saber sobre Tudo o que você precisa saber sobre CARTILHA DO ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO Produzida pela ABEL - Associação Brasileira das Empresas de Leasing Esta cartilha tem por objetivo esclarecer o que é

Leia mais

Banco Votorantim S.A. Apresentação de Resultados. 2º Trimestre, 2012

Banco Votorantim S.A. Apresentação de Resultados. 2º Trimestre, 2012 Banco Votorantim S.A. Apresentação de Resultados 2º Trimestre, 2012 Disclaimer Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de

Leia mais

RELAÇÃO DOS BANCOS USADOS NO GFOR

RELAÇÃO DOS BANCOS USADOS NO GFOR RELAÇÃO DOS BANCOS USADOS NO GFOR Código Descrição 19 BANCO DO BRASIL S.A. 27 BANCO CENTRAL DO BRASIL 35 BANCO DA AMAZONIA S.A. 43 BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. 78 BANCO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Panorama do Mercado de Crédito

Panorama do Mercado de Crédito Panorama do Mercado de Crédito FEBRABAN Dezembro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe ÍNDICE I. Evolução do Crédito II. Pessoa Física III. Pessoa Jurídica IV. Inadimplência V. Spread VI. Projeções

Leia mais

1T13 FACT SHEET PERFIL DA COMPANHIA PRESENÇA NO BRASIL: FOCO NA REGIÃO SUL

1T13 FACT SHEET PERFIL DA COMPANHIA PRESENÇA NO BRASIL: FOCO NA REGIÃO SUL FACT SHEET 1T13 PERFIL DA COMPANHIA Fundado em 1928, o Banrisul é um banco múltiplo: comercial, de desenvolvimento e social, controlado pelo Estado do Rio Grande do Sul. A proximidade com o setor público

Leia mais

MATERIAL PUBLICITÁRIO

MATERIAL PUBLICITÁRIO Fundos de Investimento em Participações em Infraestrutura BB Votorantim Energia Sustentável I, II e III* Foto meramente ilustrativa. Trata-se da PCH Buriti do Grupo Atiaia Energia S.A., que não faz parte

Leia mais

Bancos Públicos e Desenvolvimento

Bancos Públicos e Desenvolvimento Bancos Públicos e Desenvolvimento Ministro Guido Mantega junho 2009 Seminário Valor Econômico e CEF 1 IMPORTÂNCIA DOS BANCOS PÚBLICOS Crise financeira demostrou a bancos públicos. importância dos Economias

Leia mais

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A. 4 trimestre de 2010 Sumário Executivo Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco) do quarto trimestre de 2010 e do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. (exceto

Leia mais

Banco Votorantim S.A. Apresentação de Resultados. 3º Trimestre, 2012

Banco Votorantim S.A. Apresentação de Resultados. 3º Trimestre, 2012 Banco Votorantim S.A. Apresentação de Resultados 3º Trimestre, 2012 Disclaimer Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de

Leia mais

Apresentação Bradesco

Apresentação Bradesco Apresentação Bradesco 1 Perspectivas Econômicas 2013 Bradesco 2014 * Consenso do Mercado ** 2015 * 2014 2015 PIB 2,50% 0,50% 1,50% 0,29% 1,01% Juros(SelicFinal) 10,00% 11,00% 11,00% 11,00% 11,38% Inflação(IPCA)

Leia mais

INSTITUIÇÕES INTEGRADAS*

INSTITUIÇÕES INTEGRADAS* INSTITUIÇÕES INTEGRADAS* *Importante: o conceito utilizado para considerar uma instituição integrada ao sistema é o da comprovação da adequação de sua infraestrutura, com o envio das telas de acesso ao

Leia mais

BRASIL PLURAL PREV FIC FIM

BRASIL PLURAL PREV FIC FIM BRASIL PLURAL PREV FIC FIM Agosto / 2013 Todos os direitos reservados para Icatu Seguros S/A - 2013. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, arquivada ou transmitida de nenhuma forma ou por

Leia mais

Desnacionalização: Reserva e Abertura do Mercado aos Bancos Estrangeiros

Desnacionalização: Reserva e Abertura do Mercado aos Bancos Estrangeiros Desnacionalização: Reserva e Abertura do Mercado aos Bancos Estrangeiros Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ desnacionalização bancária No final

Leia mais

BTG Pactual. Administração de Fundos Agosto 2012. Para informações adicionais, favor observar a página ao final desta apresentação.

BTG Pactual. Administração de Fundos Agosto 2012. Para informações adicionais, favor observar a página ao final desta apresentação. BTG Pactual Administração de Fundos Agosto 2012 Para informações adicionais, favor observar a página ao final desta apresentação. Histórico do BTG Pactual 2012 Aquisição da Celfin Capital no Chile 1983-86

Leia mais

DEMONSTRATIVO DAS APLICAÇÕES E INVESTIMENTOS DOS RECURSOS

DEMONSTRATIVO DAS APLICAÇÕES E INVESTIMENTOS DOS RECURSOS DEMONSTRATIVO DAS APLICAÇÕES E INVESTIMENTOS DOS RECURSOS 1. ENTE Endereço: Bairro: Telefone: Prefeitura Municipal de Trajano de Morais / RJ PRAÇA WALDEMAR MAGALHÃES, 01 CENTRO (022) 2564-1106 Fax: (022)

Leia mais

Carlos José da Costa André Diretor de Gestão

Carlos José da Costa André Diretor de Gestão Desafios Estratégicos para a Indústria de Fundos de Investimento Carlos José da Costa André Diretor de Gestão Indústria de Fundos de Investimento Brasileira I. Gestão de Ativos Diferentes Serviços II.

Leia mais

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores 59 Luiz Carlos Angelotti Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores Estratégia de Atuação 60 60 Balanço Patrimonial Tecnologia vs Eficiência operacional Basileia Desempenho Financeiro

Leia mais

Serviço de Avaliação Econômico-Financeira das Empresas BESC PE No. 016/2008

Serviço de Avaliação Econômico-Financeira das Empresas BESC PE No. 016/2008 CONFIDENCIAL Serviço de Avaliação Econômico-Financeira das Empresas BESC PE No. 016/2008 Relatório Final BESC S/A Crédito Imobiliário BESCRI Florianópolis, 21 de Julho de 2008 Este relatório é para uso

Leia mais

QUALIDADE DOS ATIVOS 97,4% das operações de crédito cobertas por garantias Créditos de D a H : 1,9% da carteira Provisões totais: 1,8% da carteira

QUALIDADE DOS ATIVOS 97,4% das operações de crédito cobertas por garantias Créditos de D a H : 1,9% da carteira Provisões totais: 1,8% da carteira São Paulo, 30 de Outubro de 2008 O Banco Sofisa S.A. (Bovespa: SFSA4) anuncia hoje seu resultado do terceiro trimestre de 2008. Todas as informações operacionais e financeiras a seguir, exceto quando indicado

Leia mais

Apresentação de Resultados. 2º Trimestre, 2013

Apresentação de Resultados. 2º Trimestre, 2013 Apresentação de Resultados 2º Trimestre, 2013 Disclaimer Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções

Leia mais

Ciclo Apimec 2015 Geraldo Soares Superintendente de Relações com Investidores. Santos 18/06/2015

Ciclo Apimec 2015 Geraldo Soares Superintendente de Relações com Investidores. Santos 18/06/2015 Ciclo Apimec 2015 Geraldo Soares Superintendente de Relações com Investidores Santos 18/06/2015 Ciclo Apimec 2015 Itaú Unibanco Holding S.A. A apresentação faz referências e declarações sobre expectativas,

Leia mais

RANKING NACIONAL DE CRÉDITO RURAL - MAIO/2009

RANKING NACIONAL DE CRÉDITO RURAL - MAIO/2009 Rural Mercantil do Brasil Banestes RANKING NACIONAL DE CRÉDITO RURAL - MAIO/2009 Saldo devedor do Crédito Rural em R$ mil 16.000.000 14.000.000 12.000.000 10.000.000 8.000.000 6.000.000 4.000.000 5,9 %

Leia mais

bancos com agência em Lavras, MG

bancos com agência em Lavras, MG bancos com agência em Lavras, MG 237 Banco Bradesco S.A. 756 Banco Cooperativo do Brasil S.A. - BANCOOB 001 Banco do Brasil S.A. 389 Banco Mercantil do Brasil S.A. 033 Banco Santander (Brasil) S.A. 104

Leia mais

Efeitos da Entrada de Bancos Estrangeiros no Setor Bancário Brasileiro: Evolução do Crédito e dos Indicadores Operacionais

Efeitos da Entrada de Bancos Estrangeiros no Setor Bancário Brasileiro: Evolução do Crédito e dos Indicadores Operacionais Efeitos da Entrada de Bancos Estrangeiros no Setor Bancário Brasileiro: Evolução do Crédito e dos Indicadores Operacionais Marcos Roberto Vasconcelos Departamento de Economia Universidade Estadual de Maringá

Leia mais

CRÉDITO Á IMOBILI RIO BB

CRÉDITO Á IMOBILI RIO BB CRÉDITO IMOBILIÁRIO BB Histórico i Mar/2008 Res. 3.549 CMN possibilita ao BB a captar poupança na modalidade SBPE Saldo da Carteira: R$ 384 mil Set/2008 Carteira da Bescri (R$ 63 milhões) é incorporada

Leia mais

Contax. Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI. Janeiro de 2011

Contax. Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI. Janeiro de 2011 Contax Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI Janeiro de 2011 SEÇÃO 1 Racional da Transação 2 A Líder no Mercado de Contact Center no Brasil A Contax Líder no mercado com ampla base de clientes Fundada

Leia mais

Release de Resultado 2T14

Release de Resultado 2T14 BANCO BMG ANUNCIA SEUS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO 2T14 São Paulo, 07 de agosto de 2014 O Banco BMG S.A. e suas controladas ( BMG ou Banco ) divulgam seus resultados consolidados referentes ao período encerrado

Leia mais

Lucro Líquido Ajustado do BB atinge R$ 2,7 bilhões no 1T13

Lucro Líquido Ajustado do BB atinge R$ 2,7 bilhões no 1T13 Sumário do Resultado Resultado Lucro Líquido Ajustado do BB atinge R$ 2,7 bilhões no O Banco do Brasil apresentou lucro líquido ajustado, sem itens extraordinários, de R$ 2,7 bilhões no trimestre, desempenho

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego - PME

Pesquisa Mensal de Emprego - PME Pesquisa Mensal de Emprego - PME abril/2015 21 de maio de 2015 Secretaria de Política Econômica 1(28) Resumo dos Principais Indicadores Sem ajuste sazonal Com ajuste sazonal fev/15 mar/15 jan/15 fev/15

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

REUNIÕES APIMEC 2011

REUNIÕES APIMEC 2011 REUNIÕES APIMEC 2011 Í n d i c e RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Concorrentes Sustentabilidade Projeções e Estimativas 1 RS no Brasil Visão Geral do Estado do Rio Grande

Leia mais

Crédito ao Consumo. Principais Produtos CORRENTISTAS NÃO CORRENTISTAS CRÉDITO PESSOAL CHEQUE ESPECIAL CRÉDITO IMOBILIÁRIO FINANCIAMENTOS DE VEÍCULOS

Crédito ao Consumo. Principais Produtos CORRENTISTAS NÃO CORRENTISTAS CRÉDITO PESSOAL CHEQUE ESPECIAL CRÉDITO IMOBILIÁRIO FINANCIAMENTOS DE VEÍCULOS 1 Crédito ao Consumo Principais Produtos CRÉDITO PESSOAL CHEQUE ESPECIAL CRÉDITO IMOBILIÁRIO CORRENTISTAS NÃO CORRENTISTAS FINANCIAMENTOS DE VEÍCULOS CARTÕES DE CRÉDITO CRÉDITO CONSIGNADO 2 2 Crédito ao

Leia mais

IRPF - Limites para DIRPF

IRPF - Limites para DIRPF IRPF - Limites para DIRPF SUMÁRIO: 1. 1. Exercício 2013 Quadro de Limites e Tabelas a Serem Observados pela Pessoa Física DISCRIMINAÇÃO OBRIGATORIEDADE DE ENTREGA DA DIRPF/2013 - Declaração de Ajuste Anual

Leia mais

TABELA 1 Destaques dos seis maiores bancos Brasil - 2013

TABELA 1 Destaques dos seis maiores bancos Brasil - 2013 DESEMPENHO DOS BANCOS EM 2013 Resultados diferenciados e fechamento de postos de trabalho caracterizaram o desempenho do setor bancário em 2013 Em 2013, os seis maiores bancos do país 1 apresentaram resultados

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 29 de Maio de 2014

Análise de Custo do Crédito 29 de Maio de 2014 Análise de Custo do Crédito 29 de Maio de 2014 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil 1 A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil Guido Mantega Outubro de 2008 1 2 Gravidade da Crise Crise mais forte desde 1929 Crise mais grave do que as ocorridas nos anos 1990 (crise de US$ bilhões

Leia mais

Supervisão de Mercados

Supervisão de Mercados OFERTAS PÚBLICAS Atraso no protocolo do Anúncio de Encerramento: Banco BTG Pactual S/A, 01 multa, R$ 4.500,00. Recomendação de Formador de Mercado: Link S/A CCTVM, 01 multa, R$ 750,00; Prosper S/A Corretora

Leia mais

O Brasil e a Crise Internacional

O Brasil e a Crise Internacional O Brasil e a Crise Internacional Sen. Aloizio Mercadante PT/SP RESUMO 1 Março de 2009 Cenário Internacional 2 Evoluçã ção o da Crise - Em sete dos últimos 20 anos a taxa de crescimento do PIB foi inferior

Leia mais

Unopar. Dezembro 2011 KROT11

Unopar. Dezembro 2011 KROT11 Unopar Dezembro 2011 KROT11 Notas Importantes As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas

Leia mais

FIDC - Fundos de Investimento em Direitos Creditórios no Brasil

FIDC - Fundos de Investimento em Direitos Creditórios no Brasil - Fundos de Investimento em Direitos Creditórios no Brasil Carlos Fagundes 26 de Maio de 2009 Roteiro da Apresentação Histórico e Evolução e outras formas de securitização no Brasil Cenário atual (Crise

Leia mais

Destaques Operacionais. Desempenho Financeiro

Destaques Operacionais. Desempenho Financeiro Press Release Destaques Operacionais O Banrisul apresentou, nos nove meses de 2011, trajetória ascendente de crescimento no crédito. Os indicadores de inadimplência e de qualidade da carteira mantiveram-se

Leia mais

2T13 FACT SHEET PERFIL DA COMPANHIA PRESENÇA NO BRASIL: FOCO NA REGIÃO SUL

2T13 FACT SHEET PERFIL DA COMPANHIA PRESENÇA NO BRASIL: FOCO NA REGIÃO SUL FACT SHEET 2T13 PERFIL DA COMPANHIA Fundado em 1928, o Banrisul é um banco múltiplo: comercial, de desenvolvimento e social, controlado pelo Estado do Rio Grande do Sul. A proximidade com o setor público

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

Cenário. Ibovespa 60.000 50.000 40.000 30.000 20.000 10.000. set-02. set-06. set-04. set-05. set-03. jan-02. jan-04. jan-03. jan-05. jan-06.

Cenário. Ibovespa 60.000 50.000 40.000 30.000 20.000 10.000. set-02. set-06. set-04. set-05. set-03. jan-02. jan-04. jan-03. jan-05. jan-06. Data Base: jun/07 Cenário O Brasil está começando a firmar-se como economia estável e previsível. A queda dos juros vem diminuindo o atrativo dos investimentos em títulos do Governo. Quanto mais credibilidade

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS CEMEC INFORMATIVO CEMEC MENSAL - POUPANÇA FINANCEIRA. Outubro

CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS CEMEC INFORMATIVO CEMEC MENSAL - POUPANÇA FINANCEIRA. Outubro CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS CEMEC CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS INFORMATIVO CEMEC MENSAL - POUPANÇA FINANCEIRA Outubro 2011 ÍNDICE 1. Objetivo do Relatório... 3 1. Análise da Poupança

Leia mais

Análise de Custo do Crédito

Análise de Custo do Crédito Análise de Custo do Crédito 07 de Março de 2013 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP elaborou um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com o

Leia mais

Remuneração aos Nossos Acionistas. Bonificação e Custo Atribuído

Remuneração aos Nossos Acionistas. Bonificação e Custo Atribuído Remuneração aos Nossos Acionistas Na reunião do Conselho de Administração do dia 3 de agosto foi deliberada a distribuição de Juros sobre Capital Próprio (JCP) complementares aos dividendos mensais, a

Leia mais

Fusões e Aquisições. Fusões e aquisições movimentam R$ 43 bi no primeiro semestre. Destaque. Fusões e Aquisições

Fusões e Aquisições. Fusões e aquisições movimentam R$ 43 bi no primeiro semestre. Destaque. Fusões e Aquisições Fusões e Boletim Ano VIII Nº 9 Primeiro Semestre de 03 Fusões e aquisições movimentam R$ 3 bi no primeiro semestre Fusões e Anúncios Fusões,, OPAs e Reest. Societárias R$ bilhões N o º Semestre/ 3 3,0

Leia mais

Supervisão de Mercados

Supervisão de Mercados CERTIFICAÇÃO Atualizações Via Curso Informadas Fora do Prazo: Bradesco S.A., 01 carta; Itaú Corretora de Valores S.A., 01 carta. FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTAS POR DESCUMPRIMENTO OBJETIVO DISPOSITIVOS DO

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS CENTRO DE ESTUDOS DE CEMEC

MERCADO DE CAPITAIS CENTRO DE ESTUDOS DE CEMEC 10º. SEMINÁRIO CEMEC DE MERCADO DE CAPITAIS CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS CEMEC Financiamento de Investimentos no Brasil e nas Empresas São Paulo 29/Novembro/2011 10º. SEMINÁRIO CEMEC DE MERCADO

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015

OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015 OPERAÇÕES DE CRÉDITO NO BRASIL 30 de julho de 2015 (dados junho de 2015) A SPE não é a fonte primária das informações disponibilizadas nesta apresentação. A SPE apenas consolida e organiza as informações

Leia mais

LAUDO DE AVALIAÇÃO. Renner Participações S.A. 15 de dezembro de 2008

LAUDO DE AVALIAÇÃO. Renner Participações S.A. 15 de dezembro de 2008 LAUDO DE AVALIAÇÃO Renner Participações S.A. 15 de dezembro de 2008 Índice 1. Sumário Executivo Pág. 3 2. Qualificações e Declarações do Avaliador Pág. 8 3. Descrição da Renner Participações Pág. 14 4.

Leia mais

Ações Itaú em foco. Informativo para acionistas Ano 12 2º trimestre de 2015

Ações Itaú em foco. Informativo para acionistas Ano 12 2º trimestre de 2015 Ações Itaú em foco Informativo para acionistas Ano 12 2º trimestre de 2015 nº 47 www.itau.com.br/relacoes-com-investidores facebook.com/itauunibancori @itauunibanco_ri Remuneração aos Nossos Acionistas

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

Atravessando a Crise Mundial

Atravessando a Crise Mundial 1 Atravessando a Crise Mundial LIDE Ministro Guido Mantega Fevereiro de 2009 1 2 Agravamento da Crise Mundial Crise Financeira externa não foi suficientemente equacionada Recessão global vai tomando corpo

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 03 de Abril de 2014

Análise de Custo do Crédito 03 de Abril de 2014 Análise de Custo do Crédito 03 de Abril de 2014 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil, com

Leia mais

Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015

Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015 Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015 Apresentação da Teleconferência 06 de agosto de 2015 Para informações adicionais, favor ler cuidadosamente o aviso ao final desta apresentação. Divulgação

Leia mais

Análise de Custo do Crédito 26 de Fevereiro de 2015

Análise de Custo do Crédito 26 de Fevereiro de 2015 Análise de Custo do Crédito 26 de Fevereiro de 2015 O Departamento de Economia (Depecon) da FIESP desenvolve um estudo comparativo das taxas de juros aplicadas pelos grandes bancos de varejo no Brasil,

Leia mais

Ciclo Apimec 2015 Joinville 24/06/2015

Ciclo Apimec 2015 Joinville 24/06/2015 Ciclo Apimec 2015 Joinville 24/06/2015 1 Itaú Unibanco Macroeconomia em Pauta Equipe Econômica Itaú Unibanco Junho, 2015 Economia americana segue em recuperação Criação de empregos formais Média de 6 meses,

Leia mais

Pesquisa FEBRABAN de Projeções Macroeconômicas e Expectativas de Mercado

Pesquisa FEBRABAN de Projeções Macroeconômicas e Expectativas de Mercado Pesquisa FEBRABAN de Projeções Macroeconômicas e Expectativas de Mercado Variáveis Macroeconômicas Pesquisa de Projeções Macroeconômicas (Média) Efetivos Efetivos Pesquisas anteriores 2012 2013 Pesquisa

Leia mais

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 1 I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 2 Crédito ainda em Expansão, mas Desacelerando 30,7% Crescimento do Crédito 15,1% 20,6% 18,8% 16,4% 14,7% 11,7% 2008

Leia mais