MANUAL DE APLICAÇÃO DA METODOLOGIA DE SEGMENTAÇÃO. Versão Novembro 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE APLICAÇÃO DA METODOLOGIA DE SEGMENTAÇÃO. Versão Novembro 2013"

Transcrição

1 MANUAL DE APLICAÇÃO DA METODOLOGIA DE SEGMENTAÇÃO Versão Novembro

2 Índice Página CAPÍTULO 1: POLÍTICA DE SEGMENTAÇÃO Introdução 1.2 Objetivos 1.3 Níveis 1.4 Competências necessárias vs. benefícios 1.5 Processo de segmentação CAPÍTULO 2: FICHA CADASTRAL PARA SEGMENTAÇÃO 13 CAPÍTULO 3: LISTA DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SEGMENTAÇÃO 18 APÊNDICE AZUL: DETALHAMENTO DE ALGUNS DOCUMENTOS DO CAPÍTULO 3 21 APÊNDICE CINZA: FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO 28 2

3 CAPÍTULO 1 - POLÍTICA DE SEGMENTAÇÃO A seguir encontra-se a descrição da política de segmentação, incluído o detalhamento do processo de segmentação e como utilizar o manual. 3

4 1.1 Introdução Muitas empresas, apesar de receberem recursos de promoção à internacionalização, não apresentam resultados por ainda não estarem plenamente orientadas por processos adequados e por uma gestão eficaz. A partir da necessidade de melhor alinhar as ações de incentivo à internacionalização com a capacidade das empresas em utilizar de forma efetiva estes recursos, foi criado o processo de segmentação. O presente manual foi construído por meio do estudo dos processos de internacionalização das empresas de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (HPPC), pesquisa de regulamentos nacionais e internacionais e de ampla discussão com os diversos atores dos processos de comércio internacional do segmento. Envolveram-se na construção deste material diversos profissionais da ABIHPEC das áreas: jurídica, técnica e regulatória, meio-ambiente, núcleos regionais, inteligência de mercado, assuntos econômicos, tecnologia, e comércio exterior. 1.2 Objetivos O processo de segmentação possui quatro principais propósitos: a) Aplicar recursos em ações de promoção à internacionalização de acordo com o potencial de aproveitamento das empresas participantes do projeto; b) Motivar as Empresas para aprimorarem a qualidade de seus produtos e processos; c) Fornecer um check-list e um guia de referência sobre etapas a serem vencidas para uma empresa tornar-se internacional no setor de HPPC; d) Permitir a identificação das maiores incidências de problemas no processo de internacionalização, facilitando a criação de programas de correções e investimentos por parte das empresas e seus parceiros. 1.3 Níveis de capacidade e maturidade A partir da observação das empresas participantes do projeto setorial de HPPC, das necessidades de apoio ao desenvolvimento dos projetos setoriais por meio do suporte às diferentes etapas do processo de evolução empresarial internacional e na descrição detalhada de processos de exportação, promoção comercial e comunicação, estabeleceu-se um conjunto de conhecimentos e qualificações negociais necessários. 4

5 Estes critérios foram utilizados para definir as principais competências que uma empresa deveria desenvolver visando à internacionalização. Os quatro níveis de capacidade e maturidade em que são segmentadas as empresas do setor HPPC brasileiro são: Access, Club, Top e Special, de acordo com as quatro competências-chave para internacionalização. Figura Matriz de segmentação de empresas por competência (ilustrativa) 4.PROMOÇÃO DE IMAGEM INTERNACIONAL Capacidade de promover imagem e marca da empresa e do setor 3. POSICIONAMENTO INTERNACIONAL Capacidade de acompanhar macroambiente internacional e se posicionar estrategicamente 2. NEGOCIAÇÃO INTERNACIONAL Atendimento a requisitos jurídicos, técnicos, regulatórios e sanitários. Capacidade de desenvolver negócios em mercados internacionais 1. GESTÃO EMPRESARIAL E CAPACITAÇÃO PARA INTERNACIONALIZAÇÃO Formalidade, conhecimentos básicos e capacitação para exportações COMPETÊNCIAS ACCESS CLUB TOP SPECIAL 5

6 1.4 Competências necessárias vs. benefícios Para ter acesso aos benefícios do projeto Beautycare Brazil, a empresa deverá comprovar competências por meio da apresentação de documentos. Documentos de referência poderão ser fornecidos para que as empresas possam estar aptas a atender às exigências das negociações internacionais. A figura abaixo descreve algumas dessas competências e benefícios por nível. Para observar a lista completa de documentos necessários, veja o Capítulo 3 e o Apêndice Azul. Para informação detalhada sobre todas as ações disponíveis por nível, veja o Manual de Ações disponibilizado pelo Beautycare Brazil. Figura Matriz de evolução de competências e benefícios - Não exaustiva ACCESS CLUB TOP SPECIAL Competências necessárias Legalidade e conhecimentos básicos Associação à entidade de forma a cumprir exigências e legalidade de funcionamento, licença sanitária, site em português, etc. + Competência em exportação tabela de preços, embalagem adequada, documentação do processo de exportação, etc. + Marketing avançado Site multilíngüe avançado, estratégia de posicionamento product based, etc. + Imagem internacional mínimo de 1 base internacional, mecanismo de avaliação do resultado de imagem e reconhecimento de marca, estratégia value based de posicionamento internacional, associação ao ITEHPEC, relatório de sustentabilidade etc. Benefícios Catálogo BCB Treinamentos Prospecção de mercado Acesso relatórios e dados internacionais da área de inteligência de mercado da ABIHPEC: balança comercial SECEX (imp/exp) e global reports EUROMONITOR Ações de capacitação regulatória internacional (ex. rodada de checagem de adequação de produto ao mercado internacional) Acesso aos manuais regulatórios para exportação Demais ações de capacitação oferecidas pela ABIHPEC. Acesso/credencial de entrada em feiras internacionais do calendário do projeto para não expositores - Limitado a 01 acesso por empresa + cumulativo nível ACCESS Feiras internacionais Projeto comprador simples Rodada de negócios Relatórios de inteligência de mercado ABIHPEC dos mercados alvo do projeto + cumulativo nível CLUB Projeto comprador avançado (visando ao treinamento de distribuidor) PDV/Ativação de marca Projeto imagem Relatórios de inteligência: + 3 mercados + cumulativo nível TOP Negociação especial Qualquer mercado Relatórios de inteligência: + 5 mercados 6

7 Auto-avaliação de maturidade para segmentação Ao receber este manual, a empresa deverá verificar as competências necessárias de cada nível de segmentação por item (check-list páginas 19 e 20) e então realizar auto avalição para inscrição na rodada de segmentação ao nível pretendido. A validação de nível solicitado será dada somente após verificação documental e aprovação das competências por meio de verificação documental e física através de uma empresa de consultoria contratada pela ABIHPEC. EXCEÇÃO: Todas as empresas que aderirem ao projeto, automaticamente serão enquadradas no nível ACCESS, sem necessidade de comprovação documental ou verificação por parte da consultoria contratada, ficando limitada à participação de ações e outros benefícios oferecidos pelo projeto, de acordo com o quadro de benefícios e competências (página 06) Certificar pelo cumprimento de todas as competências por nível Importante destacar que o processo de segmentação determina que mesmo que a empresa atenda a algumas das competências exigidas a níveis mais elevados, a determinação da classificação da empresa se dará mediante a apresentação e cumprimento de TODAS as exigências ao nível correspondente. Isto é, caso uma empresa atenda a 80% das competências do nível Special, porém cumpra 100% apenas das competências do nível Top, sua avaliação será de nível Top. Este modelo de avaliação se justifica por forçar as empresas a não esquecerem suas dificuldades, pelo contrário, reforça as ações empresariais na manutenção de suas competências em níveis mais elevados, garantindo o padrão de constante desenvolvimento. PRIMEIRA ADESÃO: Obrigatório para todas as empresas que optarem pela adesão ao projeto Beautycare Brazil pela primeira vez, a partir do nível CLUB. Nível ACCESS: isento de envio da lista de documentos para segmentação. Necessário envio somente dos documentos de adesão ao projeto e ficha de segmentação preenchida. Importante: veja quadro de competências x benefícios por nível descritos na página 6 deste manual Renovação de certificação obrigatoriedade para a empresa que: - Por algum motivo deixou de participar do projeto Beautycare Brazil e optar novamente pela adesão (será considerada como primeira adesão); - Pleitear outro nível de segmentação, acima do nível atual aprovado - Não participar de nenhuma ação comercial durante o período do convênio vigente. Será considerada como primeira adesão por ficar INATIVA Premiação e destaque Ao final de cada ciclo de segmentação, a atividade de outorga dos certificados por nível será realizada por comunicação formal da ABIHPEC e entrega de um certificado com validade durante o período do convênio vigente. 7

8 1.5 Processo de segmentação Figura Ciclo de segmentação 3 Empresa inicia coleta e realiza separação de documentos necessários para participação na rodada de segmentação 2 Empresa recebe treinamento da ABIHPEC sobre o processo de segmentação 3. 4 Empresa envia para consultoria indicada pela ABIHPEC os formulários e documentos, de acordo com o nível pretendido Auto-avaliação de maturidade Cadastro 5 4. Verificadores checam todos os documentos necessários à comprovação de competências para o nível almejado pela empresa Verificação externa de documentos ABIHPEC MONITORAMENTO 65. Aprovação ou elaboração de Relatório de Ajustes Necessários (a partir do nível Club) Ajustes Nível é valido durante período que empresa permanecer ativa no projeto É possível pleitear alteração de nível de segmentação 6. 7 Se necessário, empresa implanta melhorias indicadas no relatório de ajustes necessários (ajustes de documentos indicados como pendente de ajustes) 1 Caso seja 1ª vez no projeto, empresa assina e envia os documentos de adesão ao projeto (originais). Recebe ficha de segmentação e manuais do projeto. ABIHPEC Empresas Verificadores 9 Certificação Recebimento de certificado de maturidade, que dá acesso aos benefícios condizentes ao nível obtido Verificação presencial 7. 8 Verificação dos itens da lista de documentos que exigem vistoria física (ex: adequação da embalagem secundária) e apresentação/entrega documental listados anteriormente como pendente de ajustes na verificação externa 8

9 1.5.1 Atores Os três principais atores do processo são: a) ABIHPEC entidade responsável pela execução das ações do Projeto Beautycare Brazil, com funcionários dedicados à coordenação estratégica das ações b) Empresa a empresa deverá eleger um representante interno para fins de coordenação durante o processo de certificação e comunicação com o Projeto Beautycare Brazil. A empresa é responsável pelo preenchimento, coleta, separação e envio da documentação necessária aos verificadores; c) Verificadores pessoas jurídicas externas à ABIHPEC, instruídos e treinados pela equipe de comércio exterior da ABIHPEC para avaliação e verificação documental Cronograma Geral de Verificações do Projeto de Exportação Verificar calendário de ações Beautycare Brazil no site Mudança de nível Empresas poderão pleitear a mudança de nível a qualquer momento que o Projeto Beautycare Brazil estiver ativo, respeitando o cronograma geral de verificação anual. EXCEÇÃO: As empresas que pleitearem o nível SPECIAL deverão enviar o projeto para análise e sua aprovação se dará mediante à renovação do novo convênio ou de acordo com a disponibilidade do projeto vigente. Será analisado caso a caso. 9

10 1.5.4 Documentos Necessários à Verificação PARTE DO MANUAL DESCRIÇÃO UTILIZAÇÃO Capítulo 2: Ficha Cadastral para Segmentação Indica o interesse da empresa em participar do processo de verificação e indica nível pretendido Planejamento Enviar a Ficha à ABIHPEC assim que preenchida para inscrição segmentação. Capítulo 3: Lista de Documentos Necessários para Segmentação Apêndice Azul: Detalhamento de alguns Documentos do Capítulo 3 Check-list: Contém a lista completa de documentos que a Empresa deverá apresentar a fim de ser certificada no processo de segmentação. Chamamos de "documento" tanto documentos de fato emitidos por órgãos regulatórios (ex. Certificado de autorização de funcionamento expedido pela ANVISA), quanto evidências observáveis (ex.: base própria da Empresa no exterior). Como as competências necessárias por Empresa variam de acordo com o nível que esta pretende obter na segmentação, a lista está organizada para permitir o entendimento do que é exigido para cada nível (CLUB, TOP E SPECIAL) Contém em detalhes instruções ou requisitos mínimos adicionais de alguns documentos do Capítulo 3. A numeração deste Apêndice segue a mesma numeração dos documentos na Lista de Documentos do capítulo anterior. Por exemplo, o documento nº11 (Plano de fornecimento de material promocional), listado no Capítulo 3, tem seus requisitos mínimos detalhados no Apêndice Azul também sob nº 11. Entrega de documentos e verificação (externa ou presencial) A Empresa deve enviar para verificação todos os documentos (ou cópias) exigidos para o nível ao que pretende se enquadrar. Caso um desses documentos possua instruções adicionais ou requisitos mínimos presentes no Apêndice Azul, a Empresa deve atentar para que os documentos a serem enviados à Verificação atendam a todos esses requisitos mínimos descritos. Os documentos deverão ser entregues de acordo com o roteiro de organização documental descrito na página 19 deste manual. Preferencialmente em arquivo eletrônico. 10

11 1.5.5 Observação de Evidências As competências empresariais serão mensuradas por meio de seus atributos observáveis, dentre eles documentos, instalações, e produtos. A avaliação terá sempre uma orientação dicotômica: Conforme e Pendente de ajustes. Esta forma de avaliação, além de reduzir o tempo de análise e verificação, facilita imensamente a discriminação das ações corretivas a serem desenvolvidas no caso do tratamento de pendência de ajustes. A ausência ou presença do documento avaliado com seus conteúdos mínimos direciona o avaliador à objetividade, imparcialidade e orientação às evidências. Seguem descritos abaixo os tipos de avaliação. Avaliação Descrição Ação Conforme Observação positiva do documento necessário ao nível pretendido pela empresa e, se houver, também de seus conteúdos mínimos Verificador registra a conformidade; Se todos os documentos exigidos para o nível pretendido pela empresa estiverem conformes, a empresa é aprovada Pendente de ajustes Não atendimento a um requisito ou uma situação que possa, com base em evidências disponíveis, gerar dúvidas significativas quanto à credibilidade dos documentos emitidos pelo organismo solicitante ou acreditado Registro no relatório de ajustes necessários Ajustes feitos e comprovados pelas empresas na verificação de segmentação Enquadramento da empresa no nível de segmentação imediatamente anterior ao desejado, desde que cumpra 100% dos requisitos do nível anterior 11

12 1.5.6 Confidencialidade Todas as informações disponibilizadas para o Projeto Beautycare Brazil são de uso exclusivo aos propósitos identificados na relação de cooperação entre a empresa e a ABIHPEC e Apex-Brasil. Informações relacionadas aos níveis de capacidade e maturidade só poderão ser divulgados caso haja autorização específica da empresa participante. As situações específicas de divulgação deverão ser sempre realizadas de comum acordo entre empresas e entidade setorial, bem como focadas no interesse comum do Projeto Beautycare Brazil e seus apoiadores e patrocinadores. Será permitida a divulgação consolidada dos dados levantados pela verificação sem identificação individual das empresas, sendo feitas apenas referências ao grupo de empresas participantes do Projeto Beautycare Brazil Detalhamento do Compromisso Ético O processo de segmentação deverá ter o compromisso da imparcialidade, da objetividade e da não permissão de conflitos de interesses por parte dos avaliadores. Ameaças a estes critérios comprometem a fidedignidade da avaliação e enviesam seus resultados com conseqüências negativas para a lisura do processo avaliativo. Como existem várias formas de atividades, relacionamentos e outras circunstâncias que podem ameaçar a seriedade desta avaliação, a ABIHPEC identificou algumas destas ameaças que podem exercer algum tipo de pressão ou mesmo direcionar os resultados da avaliação. Estas ameaças incluem, mas não se limitam à: Envolvimento financeiro de algum tipo entre Verificadores e Empresas Compromissos com Empresas participantes ou parceiras que possam exercer pressão de decisão Relacionamento pessoal e familiar Presentes e brindes Conflitos de interesse Identificadas quaisquer destas características ou outras que comprometam a idoneidade da avaliação, as partes conscientes deverão reportar tais circunstâncias à ABIHPEC no interesse comum do setor. 12

13 CAPÍTULO 2 - FICHA CADASTRAL PARA SEGMENTAÇÃO A seguir encontra-se a Ficha Cadastral para Segmentação, que deve ser preenchida pela empresa que aderir ao Projeto Beautycare Brazil ou para empresas que buscam mudança de nível (ver casos aplicáveis no item1.4.4 deste manual página 7) Esta ficha apresenta dados cadastrais da empresa. 13

14 CAPÍTULO 2 FICHA CADASTRAL PARA SEGMENTAÇÃO (1/4) 1. DADOS DA EMPRESA Razão Social pela qual exporta: Nome fantasia: Data de fundação: CNPJ pelo qual exporta ou exportará: Inscrição Estadual: Inscrição Municipal: Endereço: Bairro: Cidade: UF: CEP: Nome do principal contato com o Beautycare Brazil: Nome do contato: Cargo/ Função do contato: do contato: Telefone Comercial do contato: Telefone Celular do contato: Tipo de empresa Fabricante Filial Exportadora Comercial Exportadora Trading Company Cooperativa Sua empresa já exportou? Sim Não Exporta diretamente? Sim Não Exporta diretamente e indiretamente Se exporta indiretamente, qual o canal utilizado? Informar CNPJ(s) e razão social de todos os tradings: Classificação por faturamento anual Filial Exportadora Comercial Exportadora Trading Company Cooperativa Micro(<=R$2,4 MM) Pequena (R$2,4 MM < X <= R$16 MM) Média (R$16 MM < X <= R$90 MM) Grande(>R$90 MM) Quantidade de funcionários Até 19 De 20 a 99 De 100 a 499 Mais de 500 Segmento de atuação Produtos Serviços Ambos A empresa é filiada a quais entidades de classe? ABIHPEC (obrigatório) Outras. Informar quais: Empresa já é participante do PEIEX? Sim Não x Qual(is) o(s) canal(is) de distribuição (supermercado, farmácia, salão de beleza, online etc.) da empresa? Em quantos estados brasileiros os produtos/serviços de sua empresa são vendidos? De 1 a 5 De 6 a 10 De 11 a 20 Mais de 20 14

15 CAPÍTULO 2 FICHA CADASTRAL PARA SEGMENTAÇÃO (2/4) Em média, qual o valor anual das exportações de sua empresa? Até US$ 100 mil Entre US$ 101 mil e US$ 1 milhão Acima de US$ 1 milhão Há quanto tempo sua empresa exporta? Iniciante Começou a exportar há menos de 18 meses sem nunca ter exportado antes Desistente Já exportou em anos anteriores, mas não exporta há mais de 18 meses Descontínuo Exportou em anos alternados durante os últimos anos Contínuo Exportou continuamente nos últimos três anos, pelo menos Cite os 5 principais países de destino das exportações de sua empresa: Para quais países deseja exportar? Sua empresa possui Departamento de Exportação? Sim Não Possui material de comunicação em outros idiomas? Sim Não Se sim, quais? Descrever: Possui lista de preços para exportação? Sim Não Já participou de algum evento internacional? (feiras, missões, rodadas de negócios)? Sim Não Possui base no exterior? Sim Não Se sim, qual tipo? Filial Planta produtiva Representante Comercial Distribuidor Participação das exportações no faturamento da empresa? Até 10% De 11% a 30% De 31% a 60% De 61% a 90% Acima de 90% Quais as principais dificuldades que a sua empresa tem para exportar? Dificuldade de obter crédito/financiamento Falta de capacidade produtiva ociosa Produto inadequado ao mercado internacional Falta de pessoal especializado em comércio exterior A exportação não faz parte da estratégia da empresa Desconhecimento do ambiente de negócios internacionais Outros. Descreva: 15

16 CAPÍTULO 2 FICHA CADASTRAL PARA SEGMENTAÇÃO (3/4) 2. NÍVEL SOLICITADO Access Club Top Special 3. INFORMAÇÕES SOBRE CNPJ EXPORTADOR Informar todos os CNPJ s de exportação utilizado pela empresa. EMPRESA CNPJ TIPO DE EMPRESA 1. ( ) COMERCIAL ( ) COOPERATIVA ( ) EMPRESA ( ) FILIAL EXPORTADORA ( ) TRADING 2. ( ) COMERCIAL ( ) COOPERATIVA ( ) EMPRESA ( ) FILIAL EXPORTADORA ( ) TRADING 3. ( ) COMERCIAL ( ) COOPERATIVA ( ) EMPRESA ( ) FILIAL EXPORTADORA ( ) TRADING 4. ( ) COMERCIAL ( ) COOPERATIVA ( ) EMPRESA ( ) FILIAL EXPORTADORA ( ) TRADING 5. ( ) COMERCIAL ( ) COOPERATIVA ( ) EMPRESA ( ) FILIAL EXPORTADORA ( ) TRADING 6. ( ) COMERCIAL ( ) COOPERATIVA ( ) EMPRESA ( ) FILIAL EXPORTADORA ( ) TRADING 7. ( ) COMERCIAL ( ) COOPERATIVA ( ) EMPRESA ( ) FILIAL EXPORTADORA ( ) TRADING 8. ( ) COMERCIAL ( ) COOPERATIVA ( ) EMPRESA ( ) FILIAL EXPORTADORA ( ) TRADING 9. ( ) COMERCIAL ( ) COOPERATIVA ( ) EMPRESA ( ) FILIAL EXPORTADORA ( ) TRADING 10. ( ) COMERCIAL ( ) COOPERATIVA ( ) EMPRESA ( ) FILIAL EXPORTADORA ( ) TRADING 16

17 CAPÍTULO 2 FICHA CADASTRAL PARA SEGMENTAÇÃO (4/4) 3. NCM DE EXPORTAÇÃO Listar TODOS os produtos de exportação. Caso haja mais de 20 itens para exportação, inserir linhas no formulário. 1. NCM DESCRIÇÃO

18 CAPÍTULO 3 - LISTA DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SEGMENTAÇÃO A seguir encontra-se a lista completa de documentos que a empresa deverá apresentar a fim de ser enquadrada na metodologia de segmentação. Chamamos de "documento" tanto documentos de fato emitidos por órgãos regulatórios (ex. Certificado de autorização de funcionamento expedido pela ANVISA), quanto evidências observáveis (ex.: base própria da Empresa no exterior). Como as competências necessárias por empresa variam de acordo com o nível que esta pretende obter na segmentação, também indicamos para quais níveis são necessários cada documento. Empresas participantes do PEIEX podem ser automaticamente enquadradas no nível Club, apresentando apenas o relatório recente de consultoria do PEIEX dos últimos 6 meses Para níveis superiores, é necessário passar pela segmentação comum 18

19 CAPÍTULO 3 LISTA DE DOCUMENTOS (1/2) Legenda: Documento com detalhamento adicional (necessário para o processo de segmentação). Procure pelo número deste documento no Apêndice Azul. COMPETÊNCIA 1 - GESTÃO EMPRESARIAL PARA INTERNACIONALIZAÇÃO Tipo 1 Plano de Internacionalização Nº documento Documentos a serem apresentados pela Empresa Necessário para níveis Conforme Pendente de ajustes Access Club Top Special 1 Plano de Internacionalização X X X 2 Registro de marca 2 Certificado de Registro de Marca ou Protocolo de Solicitação de Registro em mercado-alvo definido no plano de internacionalização (documento nº1). Em caso de promoção em ponto de venda (PDV) e ativação de marca, é exigido certificado para todos os mercados onde haverá estas ações 3 Processo de exportação 3 Descrição dos processos de exportação passo a passo (em qualquer formato) Para empresas que visam subir de nível, apresentar melhorias no processo desde a última segmentação COMPETÊNCIA 2 - CAPACITAÇÃO REGULATÓRIA Tipo Nº documento X X X X X X Documentos a serem apresentados pela Empresa Necessário para níveis Conforme Pendente de ajustes Access Club Top Special 4 Legalidade jurídica 4 Notificação ou Registro do Produto em todos os mercados-alvo definidos no plano de internacionalização (documento nº1) 5 Legalidade sanitária 5.1 Licença Sanitária vigente ou protocolo do pedido de renovação X X X COMPETÊNCIA 3 NEGOCIAÇÃO INTERNACIONAL Tipo 5.2 Autorização de Funcionamento para indústria checado por CNPJ no site da ANVISA. No caso de terceirização de fabricação, autorização de armazenagem e/ou distribuição 5.3 Certificado de autorização de funcionamento expedido pela ANVISA, caso Portugal seja um dos mercados-alvo definidos no plano de internacionalização (documento nº1) 5.4 Comprovação de notificação, registro de produto ou dossiê técnico de acordo com a legislação vigente no mercado alvo Nº documento X X X X X X X X X X Documentos a serem apresentados pela Empresa Necessário para níveis Conforme Pendente de ajustes Access Club Top Special 6 Preços e Catálogo 6.1 Tabela de Preço para mercado externo X X X 6.2. Catálogo de Produtos para mercado externo com informações logísticas X X X 7 Documentos comerciais para exportação 7.1 Contrato de distribuição, compra e venda internacional ou representação comercial (exceto se empresa possuir estrutura própria no exterior apresentar evidência) X X X 7.2 Comprovação de habilitação no SISCOMEX (RADAR) X X X 19

20 CAPÍTULO 3 LISTA DE DOCUMENTOS (2/2) COMPETÊNCIA 3 - NEGOCIAÇÃO INTERNACIONAL (1/2) Tipo Nº documento Documentos a serem apresentados pela Empresa Necessário para níveis Conforme Pendente de ajustes Access Club Top Special 8 Sistema de expedição 8.1 Evidência de sistema integrado de faturamento e expedição que inclua emissão de nota fiscal eletrônica (para verificação presencial) 9 Plano de fornecimento de material promocional 10 Relacionamento com equipe interna e compradores COMPETÊNCIA 4 - POSICIONAMENTO INTERNACIONAL Tipo 11 Posicionamento de marketing 8.2 Evidência de embalagem homologada para o transporte internacional para carga perigosa (IMO ou IATA) aplicável para empresas que têm no mix de produtos para exportação (Ficha Cadastral para Segmentação) esmalte, aerossol, colônias, pó descolorante, desodorante e perfumes ou gel antisséptico (para verificação presencial) 8.3 Embalagem secundária adequada para a exportação (para verificação presencial) X X 9 Plano de fornecimento de material promocional X X 10 Evidência de disseminação de estratégia para equipe de vendas própria ou do parceiro comercial (ex. comprovação de sequência de treinamentos da equipe de vendas) Nº documento Documentos a serem apresentados pela Empresa Necessário para níveis Conforme Pendente de ajustes Access Club Top Special 11.1 Coletânea de matérias publicadas sobre a empresa no Brasil e exterior nos últimos 12 meses X X 11.2 Estratégia de posicionamento X X X X X X X 12 Investimento em competitividade 12.1 Relatório de sustentabilidade X 12.2 Participação nas reuniões da área de Meio Ambiente da ABIHPEC X 12.3 Participação nos principais eventos do Instituto de Tecnologia e Estudos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ITEHPEC). Verificação será feita internamente, portanto não é necessário apresentar documentos comprobatórios 12.4 Associação ao Instituto de Tecnologia e Estudos de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ITEHPEC). Verificação será feita internamente à ABIHPEC, portanto não é necessário apresentar documentos comprobatórios 13 Base internacional 13 Evidência de mínimo 1 base própria no exterior (escritório comercial, planta produtiva ou filial) X COMPETÊNCIA 5 - PROMOÇÃO DE IMAGEM INTERNACIONAL Tipo Nº documento Documentos a serem apresentados pela Empresa Necessário para níveis Conforme Pendente de ajustes Access Club Top Special 14 Apresentação e 14 Evidência de estrutura de atendimento à imprensa no exterior (ex. contratos com terceiros ou equipe, atendimento à imprensa relatórios de assessoria de imprensa ou RP, releases de imprensa com contato da equipe) 15 Planejamento de comunicação 15.1 Plano de comunicação X X 15.2 Mecanismo de avaliação de resultado de imagem e marca nos mercados com projeto individual X X X X X X 20

21 Apêndice Azul: Detalhamento de alguns Documentos do Capítulo 3 Este apêndice descreve em detalhes instruções ou requisitos mínimos adicionais de alguns documentos do Capítulo 3. A numeração deste Apêndice segue a mesma numeração dos documentos na Lista de Documentos do Capítulo 3. Por exemplo, o documento nº11 (Plano de fornecimento de material promocional), listado no Capítulo 3, tem seus requisitos mínimos detalhados no Apêndice Azul também sob nº 11. Dica: sempre se oriente pela lista do Capítulo 3 21

22 1 PLANO DE INTERNACIONALIZAÇÃO Necessário para níveis Club Top Special Favor apresentar Plano de Internacionalização (em qualquer formato), que conste com todos os conteúdos mínimos abaixo. Para facilitar, a ABIHPEC elaborou uma planilha simplificada de orçamento para investimento de participação nas ações do projeto, denominado Planejamento de Participação nas Ações do Projeto Setorial, baseado no cronograma de ações do projeto, que pode ser utilizado como Plano de Internacionalização para nível Club. Este modelo pode ser a base de um planejamento, mas idealmente deve haver outros conteúdos que auxiliem a estratégia de exportação. Se a empresa desejar usar a planilha de Planejamento, a mesma deverá ser solicitada por à equipe de Comex da ABIHPEC. CLUB CONTEÚDOS MÍNIMOS CONFORME PENDENTE DE AJUSTES Detalhamento das ações do projeto Beautycare Brazil dos quais a empresa planeja participar e orçamento destinado. Para ações comerciais, informar mercados. TOP CONTEÚDOS MÍNIMOS (CUMULATIVO COM OS ANTERIORES) CONFORME PENDENTE DE AJUSTES RANQUEAMENTO DE MERCADOS - Fornecer lista de mercados-alvo do projeto ranqueados por grau de interesse, indicando que tipo de ação comercial pretende realizar em cada um dos mercados (feiras, projeto imagem, ativações de marca, PDV. Para definir esta lista, sugerimos considerar informações de mercado do documento nº 13, Prospecção de mercado se empresa só pode fazer ação em mercados alvo do PROJETO, pra que pedimos informação de ranqueamento de mercados da empresa? ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE DA EMPRESA - Concorrência: quem são os concorrentes, suas marcas, os canais de distribuição que operam (sugerimos realizar quadro comparativo com canais de mercado informados em estratégia de entrada ESTRATÉGIA DE ENTRADA Com base na análise de competitividade da empresa, fornecer para cada mercado-alvo onde há interesse em fazer ações de Sampling, Promoção em PDV e Ativação de marca, pelo menos os seguintes: - Canais e intermediários a serem utilizados - Canais: quais os canais de distribuição possíveis - Público-alvo - Estratégia: qual a estratégia de entrada e desenvolvimento de mercado. Ex.: foco em custos, em diferenciação, mercados de nicho; PLANO DE INVESTIMENTO INTERNACIONAL Valor total e quebras dos investimentos para vendas internacionais RESULTADOS INTERNACIONAIS - Metas em valor (U$ ton/fob) por país - Metas em percentual de representatividade no faturamento total da empresa SPECIAL CONTEÚDOS MÍNIMOS (CUMULATIVO COM OS ANTERIORES) CONFORME PENDENTE DE AJUSTES PLANO AVANÇADO - Cronograma de Execução Físico-financeira - Plano de Cooperação com o Projeto - Análise de Impacto na Participação do Projeto de Exportação (metas gerais e específicas) 22

MANUAL DE APLICAÇÃO DA METODOLOGIA DE SEGMENTAÇÃO. (versão julho 2015)

MANUAL DE APLICAÇÃO DA METODOLOGIA DE SEGMENTAÇÃO. (versão julho 2015) MANUAL DE APLICAÇÃO DA METODOLOGIA DE SEGMENTAÇÃO (versão julho 2015) 2 Índice Página CAPÍTULO 1: POLÍTICA DE SEGMENTAÇÃO...03 1.1 Introdução 1.2 A Política de segmentação 1.3 Níveis de segmentação 1.4

Leia mais

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO PLANEJAMENTO, SEGMENTAÇÃO E AÇÕES DE PROMOÇÃO CASO ABIHPEC EIXOS ESTRATÉGICOS DO PROJETO DE (Resultado do Workshop out 2008) Objetivos Relacionados: 11 - AUMENTAR A DECLARAÇÃO

Leia mais

TERMO DE ADESÃO. Para participação em Projetos de Promoção de Exportação

TERMO DE ADESÃO. Para participação em Projetos de Promoção de Exportação TERMO DE ADESÃO Para participação em Projetos de Promoção de Exportação A empresa..., de CNPJ n.º..., por seu(s) representante(s) legal(is), adere ao projeto BRAZILIAN PUBLISHERS, proposto à APEX-Brasil

Leia mais

NIEx. 30º AgroEx Manaus. 26 de novembro de 2009

NIEx. 30º AgroEx Manaus. 26 de novembro de 2009 NIEx NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO Caminhos para Exportar 30º AgroEx Manaus 26 de novembro de 2009 FASES DO PROCESSO EXPORTADOR Fase Mercadológica Fase Comercial Fase Administrativa Fase Aduaneira

Leia mais

Manual de Exportação e Formação de Preço

Manual de Exportação e Formação de Preço Manual de e Formação de Preço. Sumário FASE 1ª 1 - Planejamento de 2 - Planejamento Estratégico 3 - Canais de Distribuição FASE 2ª 4 - Procedimentos Operacionais de FASE 3ª 5 - Formação de Preço O sumário

Leia mais

Muito mais que um troféu

Muito mais que um troféu São Paulo, 08 de Julho de 2009. Circular ABISIPA Nº 28/2009 Muito mais que um troféu O Brazilian Beauty Club vai premiar o melhor planejamento estratégico de exportação com a participação em um Simpósio

Leia mais

Caminhos para Exportar

Caminhos para Exportar NIEx NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO Caminhos para Exportar 33º AgroEx Marco-CE ADILSON OLIVEIRA FARIAS Assessor técnico JULIANA CAETANO JALES Assistente técnico FASES DO PROCESSO EXPORTADOR Fase

Leia mais

Este briefing contém atividades que deverão ser desenvolvidas durante o convênio supracitado.

Este briefing contém atividades que deverão ser desenvolvidas durante o convênio supracitado. Briefing Prestação de Serviços de Comunicação e Marketing para o Instituto Nacional do Plástico Programa de Incentivo à Exportação Think Plastic Brazil Introdução Este briefing propõe e organiza as ações

Leia mais

Rede CIN CIN MS. Centro Internacional de Negócios FIEMS

Rede CIN CIN MS. Centro Internacional de Negócios FIEMS Rede CIN CIN MS Centro Internacional de Negócios FIEMS O que é a REDE CIN? Coordenada pela Confederação Nacional da Indústria - CNI, e criada com o apoio da Agência Nacional de Promoção de Exportações

Leia mais

Brasil IT Emerging Players

Brasil IT Emerging Players Sua empresa tem um produto competitivo e inovador na área de Tecnologia da Informação e Comunicação? Você tem interesse em expandir sua atuação no mercado externo? Está disposto a qualificar sua empresa

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Projeto BEAUTYCARE BRAZIL MANUAL DE AÇÕES. Versão de Janeiro de 2012

Projeto BEAUTYCARE BRAZIL MANUAL DE AÇÕES. Versão de Janeiro de 2012 Projeto BEAUTYCARE BRAZIL MANUAL DE AÇÕES Versão de Janeiro de 2012 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 O Projeto Beautycare Brazil... 3 1.2 O Modelo de Gestão do Projeto... 3 1.2.1 O Comitê Gestor... 4 1.2.2

Leia mais

Formação de Analista em Comércio Exterior

Formação de Analista em Comércio Exterior Formação de Analista em Comércio Exterior com Pós Graduação Objetivo: Habilitar os participantes para exercer a profissão de Analista de Comércio Exterior e trabalhar com a análise das operações, planejamento,

Leia mais

O Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas é dirigido às empresas que se enquadrem nas seguintes características:

O Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas é dirigido às empresas que se enquadrem nas seguintes características: Regulamento MPE Brasil - 2015 Artigo 1º - Objetivo O MPE Brasil - Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas se constitui no reconhecimento estadual e nacional às micro e pequenas empresas

Leia mais

CENTRO DE NEGÓCIOS DE DUBAI Emirados Árabes Unidos

CENTRO DE NEGÓCIOS DE DUBAI Emirados Árabes Unidos CENTRO DE NEGÓCIOS DE DUBAI Emirados Árabes Unidos CN DUBAI: o exportador brasileiro mais perto do seu cliente. O objetivo do CN DUBAI é a redução da distância entre exportadores brasileiros e seus clientes

Leia mais

Disciplina: Comércio Internacional

Disciplina: Comércio Internacional COORDENADORIA DE TRANSPORTES Sumário 2 Disciplina: Comércio Internacional CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE COMÉRCIO INTERNACIONAL Exportação e Importação Conceitos Cambiais, Aduaneiros e Comerciais Formas de

Leia mais

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP)

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) Seg INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) Ano: 2015 Elaborada por: A. Linguanoto Mudanças do layout 1.09 para o Layout Registros Incluídos na Versão 1.09 Nenhum Registros Com Nova Versão de Layout Nenhum

Leia mais

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO.

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO. 1 2 2. COMO IMPORTAR 2.1. FLUXOGRAMA DE IMPORTAÇÃO 1 PLANEJAMENTO A fase de planejamento das importações é geralmente parte integrante do planejamento geral da empresa para atender sua necessidade de máquinas,

Leia mais

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio.

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Participe da rede de distribuição dos produtos exclusivos da

Leia mais

Procedimentos para exportação

Procedimentos para exportação Procedimentos para exportação Fundamentos de Comércio Exterior Prof. 1. Inscrição da empresa em dois cadastros: REI (MDIC/SECEX) e Radar (MF /SRF); 2. Análise mercadológica: avaliação do potencial do mercado

Leia mais

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP)

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) EntSeg INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) Ano: 2015 Elaborada por: A. Linguanoto Tabelas Recebidas pelo Lúnet- Finalidade A Lúnet Soluções em Tecnologia, desenvolveu este manual técnico com a finalidade

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

ANEXO C.1. Formulário de Apresentação de Projetos das Empresas

ANEXO C.1. Formulário de Apresentação de Projetos das Empresas Proposta de Projeto ANEXO C.1 Formulário de Apresentação de Projetos das Empresas Carta de Encaminhamento Ao (Nome do Agente Financeiro) Encaminhamos, em anexo, a proposta do projeto ao programa INOVACRED.

Leia mais

1.1. Como criar um Ato Concessório Suspensão Integrado...01 1.2. Como alterar um Ato Concessório já enviado para análise...10 1.3.

1.1. Como criar um Ato Concessório Suspensão Integrado...01 1.2. Como alterar um Ato Concessório já enviado para análise...10 1.3. 1.1. Como criar um Ato Concessório Suspensão Integrado...01 1.2. Como alterar um Ato Concessório já enviado para análise...10 1.3. Como excluir um Ato Concessório...12 1.4. Como prorrogar um Ato Concessório...14

Leia mais

ITEHPEC. Instituto de Tecnologia e Estudos de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) Apresentação

ITEHPEC. Instituto de Tecnologia e Estudos de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) Apresentação ITEHPEC Instituto de Tecnologia e Estudos de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) Apresentação O ITEHPEC (Instituto de Tecnologia e Estudos em HPPC) tem como objetivo atender a demanda do setor

Leia mais

EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO INFORMAÇÕES E PROCEDIMENTOS BÁSICOS. CM Claudia Mainardi ccmainardi@cmcomex.com.br ccmainardi@gmail.com

EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO INFORMAÇÕES E PROCEDIMENTOS BÁSICOS. CM Claudia Mainardi ccmainardi@cmcomex.com.br ccmainardi@gmail.com EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO INFORMAÇÕES E PROCEDIMENTOS BÁSICOS Providências básicas para iniciar atividades no comércio exterior Ser registrado no RADAR Registro de Exportadores e importadores na Receita Federal;

Leia mais

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN Resumo das diretrizes e critérios da COSERN/ Grupo Neoenergia para patrocínios a projetos socioculturais e ambientais. Guia Básico do Proponente 1 Índice Introdução 2 1.

Leia mais

Política de Patrocínio

Política de Patrocínio SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...02 1. OBJETIVO INSTITUCIONAL...03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS...04 3. LINHAS DE ATUAÇÃO...05 3.1 Projetos prioritários...05 3.2 Projetos que não podem ser patrocinados...05 4. ABRANGÊNCIA...06

Leia mais

CONSULTORIA EM NEGÓCIOS EXTERIORES

CONSULTORIA EM NEGÓCIOS EXTERIORES CONSULTORIA EM NEGÓCIOS EXTERIORES Ser Júnior é ser gigante pela própria natureza. Brasil Júnior Mensagem do presidente Capacitar membros, promover o Movimento Empresa Júnior e causar impacto da sociedade,

Leia mais

Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional

Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO 1.1. O Prêmio Sebrae de Jornalismo (PSJ) é um concurso jornalístico instituído pelo Sebrae Nacional Serviço Brasileiro

Leia mais

Exportação Indireta GRUPO INTERNACIONALIZAÇÃO DO SEBRAE-SP

Exportação Indireta GRUPO INTERNACIONALIZAÇÃO DO SEBRAE-SP Exportação Indireta GRUPO INTERNACIONALIZAÇÃO DO SEBRAE-SP Junho/2011 1 Tipos de Exportação: Direta : A própria empresa vende diretamente ao exterior. Brasil Exterior 2 Indireta : Mercadoria é exportada

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE Marketing Empresarial Capítulo 1 Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca,

Leia mais

PROPOSTA GERAL DE ASSOCIAÇÃO (PE/PB)

PROPOSTA GERAL DE ASSOCIAÇÃO (PE/PB) PROPOSTA GERAL DE ASSOCIAÇÃO (PE/PB) A Delegação Pernambuco e Paraíba, representada pela Carbone & Vicenzi Consulting, é um ponto de assistência oficia da Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio e Indústria

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ELETRÔNICO

PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ELETRÔNICO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ELETRÔNICO Este formulário é o canal exclusivo para o envio dos projetos concorrentes ao Edital de Patrocínio do Banco do Nordeste para 2015. Seu correto preenchimento é imprescindível

Leia mais

Projeto Extensão Industrial Exportadora. 2ª Reunião do Comitê Consultivo. FASE Iv

Projeto Extensão Industrial Exportadora. 2ª Reunião do Comitê Consultivo. FASE Iv 2ª Reunião do Comitê Consultivo FASE Iv O Projeto Extensão Industrial Exportadora - PEIEX, objetiva aumentar a competitividade empresarial e promover a cultura exportadora. Convênio entre a Apex-Brasil

Leia mais

Cartilha - RACO Resolução 632/14 Anatel. Público: Canais Presenciais

Cartilha - RACO Resolução 632/14 Anatel. Público: Canais Presenciais Cartilha - RACO Resolução 632/14 Anatel Público: Canais Presenciais T7lefonica Vivo 07/07/2014 Índice O que é a RACO - Resolução 632/14 da Anatel Resumo das principais mudanças Protocolo Único Proposta

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA

NOTA FISCAL ELETRÔNICA NOTA FISCAL ELETRÔNICA Í n d i c e Julho, 2010 Introdução... 2 1. Acerto dos cadastros de Clientes e de Produtos... 4 1.1. Cadastros Básicos - Cadastro de Clientes... 4 1.2. Cadastros Básicos Cadastro

Leia mais

Importação Passo a Passo

Importação Passo a Passo 1º Passo Defina o que quer importar Importação Passo a Passo O mercado internacional, principalmente a China, apresenta uma ampla oportunidade de produtos para se importar. Antes de iniciar sua operação

Leia mais

MANUAL DO EXPOSITOR ESTANDE COLETIVO DO RIO GRANDE DO SUL FEIRA HOSPITALAR 2015 19 A 22 DE MAIO DE 2015

MANUAL DO EXPOSITOR ESTANDE COLETIVO DO RIO GRANDE DO SUL FEIRA HOSPITALAR 2015 19 A 22 DE MAIO DE 2015 MANUAL DO EXPOSITOR ESTANDE COLETIVO DO RIO GRANDE DO SUL FEIRA HOSPITALAR 2015 19 A 22 DE MAIO DE 2015 1. OBJETIVO GERAL O objetivo do projeto é fortalecer e incentivar o crescimento das empresas da indústria

Leia mais

MANUAL DO ASSOCIADO CINEMA DO BRASIL

MANUAL DO ASSOCIADO CINEMA DO BRASIL MANUAL DO ASSOCIADO CINEMA DO BRASIL O que é o Cinema do Brasil O Cinema do Brasil surgiu em 2006 por meio de uma iniciativa do então presidente do SIAESP - Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado

Leia mais

PESSOA FÍSICA e PESSOA JURÍDICA

PESSOA FÍSICA e PESSOA JURÍDICA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS SIASGnet - SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS GERAIS

Leia mais

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP)

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) Ano: 2015 Elaborada por: A. Linguanoto Tabelas Exportadas pelo Lúnet- Finalidade A Lúnet Soluções em Tecnologia, desenvolveu este manual técnico com a finalidade de proporcionar

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÊMIO DECOLANDO COM GUARULHOS DO GRU AIRPORT - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO.

REGULAMENTO DO PRÊMIO DECOLANDO COM GUARULHOS DO GRU AIRPORT - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO. REGULAMENTO DO PRÊMIO DECOLANDO COM GUARULHOS DO GRU AIRPORT - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO. Artigo 1º - O PROJETO DECOLANDO COM GUARULHOS O Projeto Decolando com Guarulhos é uma parceria entre

Leia mais

Como identificar e cadastrar produtos em sua empresa

Como identificar e cadastrar produtos em sua empresa CAMPANHA PARA REDUZIR RUPTURAS EM R$ 1 Bi 2 2 F A S C Í C U L O Como identificar e cadastrar produtos em sua empresa REALIZAÇÃO COORDENAÇÃO E PRODUÇÃO PATROCÍNIO APOIO C A D A S T R O D E P R O D U T O

Leia mais

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COELBA

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COELBA PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COELBA Guia Básico do Proponente Resumo das diretrizes e critérios da Coelba/ Grupo Neoenergia para patrocínios a projetos socioculturais e ambientais. 1 Índice Introdução 2 1.

Leia mais

Apostila Emissão de Notas Fiscais de Importação

Apostila Emissão de Notas Fiscais de Importação Apostila Emissão de Notas Fiscais de Importação I- CADASTRO DO FORNECEDOR EXTERIOR I.I- Cadastro Geográfico Antes de iniciarmos o registro do Fornecedor Exterior precisamos verificar se os detalhes do

Leia mais

SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR

SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR CAIXA SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR MANUAL DO USUÁRIO DA FARMÁCIA (INTERNET) Versão 12-05/01/2015 1 ÍNDICE CAIXA CAIXA...1 CAIXA...2 CAIXA...2 1.Introdução... 2 2.Objetivo do Sistema...3 3.Usuário

Leia mais

III Mesa de Debates ABEAD

III Mesa de Debates ABEAD III Mesa de Debates ABEAD SISCOSERV Principais aspectos e desafios Roberta Folgueral roberta@canaladuaneiro.com.br 11-3419-1737 Skype: r.folgueral Twitter: @folgueral SOBRE A INSTRUTORA Contato: roberta@canaladuaneiro.com.br

Leia mais

SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES

SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo, Atlas, 2004. SILVA, Luiz Augusto

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

Regulamento Programa. de Canais Allied Partner. 24 de fevereiro

Regulamento Programa. de Canais Allied Partner. 24 de fevereiro Regulamento Programa de Canais Allied Partner 24 de fevereiro 2015 O Programa de Canais Allied Partner tem por objetivo fortalecer o relacionamento entre a indústria e os canais de venda, promovendo a

Leia mais

Módulo 14. CgaInformatica. NFe. NFe para o Sistema Retwin

Módulo 14. CgaInformatica. NFe. NFe para o Sistema Retwin Módulo 14 CgaInformatica NFe NFe para o Sistema Retwin 2 Sumário O que é... 3 Benefícios... 3 Requisitos para Instalação e Implantação... 3 Obrigação Backup... 4 Configuração Geral do Sistema... 5 Cadastro

Leia mais

Sistema de Devolução Web

Sistema de Devolução Web Manual Sistema de Devolução Web Usuário Cliente ÍNDICE Sumário 1. Prazos...3 2. Solicitação de Devolução... 4 3. Autorização de Devolução... 4 4. Coleta de Mercadoria... 4 5. Acompanhamento da Devolução...

Leia mais

Sistematização das exportações e pagamentos internacionais

Sistematização das exportações e pagamentos internacionais Introdução Sistematização das exportações e pagamentos internacionais Fundamentos de Comércio Exterior Prof. Marco A. Arbex As exportações geram entrada de divisas para o país exportador e saída de divisas

Leia mais

INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL 01/ 2011 - SEBRAE

INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL 01/ 2011 - SEBRAE INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL 01/ 2011 - SEBRAE Anexo I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO Modalidade Tipo 1 Aplicação do modelo CERNE 1 Brasília, 2011 Código da Proposta: (Uso do Sebrae): 1. DADOS

Leia mais

Layout de Extração Relatório de Vendas DI NeoGrid v5.1

Layout de Extração Relatório de Vendas DI NeoGrid v5.1 Layout de Extração Relatório de Vendas DI NeoGrid v5.1 Copyright NEOGRID S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução ou transmissão de qualquer parte deste documento sem autorização escrita

Leia mais

Operador Econômico Autorizado - OEA

Operador Econômico Autorizado - OEA Operador Econômico Autorizado - OEA 26.08.15 Operador Econômico Autorizado - OEA Agenda 00:00 Quem Somos O que é OEA? Benefícios Fases de Implementação Requisitos Projeto Piloto - Fase 1 01:30 Fase 2 OEA

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

BEAUTYWORLD MIDDLE EAST - DUBAI 2010 01 A 03 DE JUNHO DE 2010

BEAUTYWORLD MIDDLE EAST - DUBAI 2010 01 A 03 DE JUNHO DE 2010 AFICHA DE INSCRIÇÃO ANTECIPADA BEAUTYWORLD MIDDLE EAST - DUBAI 2010 01 A 03 DE JUNHO DE 2010 DATA DE INSCRIÇÃO / / ORDEM DE INSCRIÇÃO RAZÃO SOCIAL: NOME FANTASIA: ENDEREÇO: CEP: FONE: RESPONSÁVEL FEIRA

Leia mais

Edital Instituto Sabin - 01/2015

Edital Instituto Sabin - 01/2015 Edital Instituto Sabin - 01/2015 Seleção pública de iniciativas empreendedoras socioambientais inovadoras para parceria com o Instituto Sabin O Instituto Sabin, torna público o presente Edital e convoca

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA CONJUNTA BNDES/FINEP DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO SETOR DE AGRONEGÓCIO INOVA AGRO INOVA AGRO 2013 Modelo de Plano de Negócios Outubro de 2013 1 Introdução Este documento

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO - ESCOLA DE NEGÓCIOS. CURSOS: ADMINISTRAÇÃO, COMÉRCIO EXTERIOR e CIÊNCIAS CONTÁBEIS MANUAL DE ESTÁGIO ESCOLA DE NEGÓCIOS

MANUAL DE ESTÁGIO - ESCOLA DE NEGÓCIOS. CURSOS: ADMINISTRAÇÃO, COMÉRCIO EXTERIOR e CIÊNCIAS CONTÁBEIS MANUAL DE ESTÁGIO ESCOLA DE NEGÓCIOS MANUAL DE ESTÁGIO ESCOLA DE NEGÓCIOS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE COMÉRCIO EXTERIOR CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profª. Dra. Neyde Lopes de Souza Prof. Ms. Luiz Vieira da Costa SUMÁRIO Pág. 1. Apresentação...

Leia mais

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA -feira EM 2014, A ECONOFARMA RETORNA COM UM NOVO OLHAR SOBRE O VAREJO FARMACÊUTICO CENÁRIO ATUAL O varejo nacional projeta otimismo de crescimento para os

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Roteiro Básico Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 1º Passo Efetuar contatos com fornecedor (exportador). 2º Passo Formalizar as negociações com fornecedor (exportador). 3º Passo Negociar a condição de

Leia mais

SA. 02 GERENCIAMENTO DE CADASTRO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO GERENCIAMENTO DE CADASTRO

SA. 02 GERENCIAMENTO DE CADASTRO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO GERENCIAMENTO DE CADASTRO 1 de 17 GERENCIAMENTO DE CADASTRO MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO GERENCIAMENTO DE CADASTRO GERENCIAMENTO DE CADASTRO 1 OBJETIVO... 2 2 ABRANGÊNCIA... 2 3 DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4 PROCEDIMENTOS...

Leia mais

PROJETO EXPORTAR BRASIL

PROJETO EXPORTAR BRASIL CNPJ: 10692.348/0001-40 PROJETO EXPORTAR BRASIL Apresentação da GS Educacional A GS Educacional faz parte de um grupo que trabalha há vários anos com cursos e serviços na área de comércio exterior e vem

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013 SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013 PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS INOVADORAS A Diretora Geral da Fundação Parque Tecnológico

Leia mais

FORMAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO. Instrutor: Luiz Roberto Oliveira. Email: luizroberto@eniconsultoria.com.br

FORMAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO. Instrutor: Luiz Roberto Oliveira. Email: luizroberto@eniconsultoria.com.br FORMAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO Instrutor: Luiz Roberto Oliveira. Email: luizroberto@eniconsultoria.com.br 1 O resumo de nossa. conversa. TEMPO INFORMAÇÃO DINHEIRO 2 Formação do preço de exportação. Vou

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA CONJUNTA BNDES/FINEP/MS DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO SETOR DE EQUIPAMENTOS MÉDICOS E TECNOLOGIAS PARA A SAÚDE INOVA SAÚDE EQUIPAMENTOS MÉDICOS - 02/2013 Modelo de Plano

Leia mais

FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Programa de Inovação Tecnologica FIESP CIESP - SENAI Sede Fiesp 2013 Chave para a competitividade das empresas e o desenvolvimento do país Determinante para o aumento

Leia mais

Manual de Fornecedores

Manual de Fornecedores Manual de Fornecedores Fornecedores (Responsável pela Qualidade) Carimbo, Assinatura e data. 00 2 de 10 Índice 1. MANUAL DO FORNECEDOR... 3 1.1 INTRODUÇÃO... 3 1.2 OBJETIVO... 3 2. RELAÇÃO DE FORNECEDORES...

Leia mais

Quais são as organizações envolvidas no SASSMAQ?

Quais são as organizações envolvidas no SASSMAQ? PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES AVALIAÇÃO SASSMAQ (P.COM.26.00) O SASSMAQ é um Sistema de Avaliação de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade, elaborado pela Comissão de Transportes da ABIQUIM, dirigido

Leia mais

Seleção de Empresas para participação em Missões Empresariais em Mercado Internacional:

Seleção de Empresas para participação em Missões Empresariais em Mercado Internacional: CHAMADA EMPRESARIAL N o 01/2014 Seleção de Empresas para participação em Missões Empresariais em Mercado Internacional: Canton Fair China e Feira SIAL Paris Dando continuidade às ações do Programa de Competitividade

Leia mais

Ferramentas de Apoio às Exportações

Ferramentas de Apoio às Exportações INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Ferramentas de Apoio às Exportações Roberto Dantas Diretor do Departamento de Planejamento Apresentação 1 Estrutura da SECEX 2 Portal Brasileiro de Comércio Exterior

Leia mais

Pro r t o oco c lo d e d Integ e ra r ç a ão ã Cotef e áci c l X X Distri r buid i ore r s 1

Pro r t o oco c lo d e d Integ e ra r ç a ão ã Cotef e áci c l X X Distri r buid i ore r s 1 Protocolo de Integração Cotefácil X Distribuidores Versão 5.8 . Objetivo do documento O documento visa apresentar os layouts referentes aos arquivos necessários para a integração de fornecedores a plataforma

Leia mais

- Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC

- Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC FORMAÇÃO Analista de Logística em Comércio Exterior - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC Objetivo: Habilitar o participante para trabalhar com as rotinas da logística

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E ADESÃO AO PROJETO SETORIAL LATITUDE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E ADESÃO AO PROJETO SETORIAL LATITUDE MANUAL DE PROCEDIMENTOS E ADESÃO AO PROJETO SETORIAL LATITUDE Pelo presente instrumento a Associação Brasileira de Arte Contemporânea - ABACT apresenta o Manual de Procedimentos e Adesão referente às regras

Leia mais

Criação e Implantação de um Núcleo de Inteligência Competitiva Setorial para o Setor de Farmácias de Manipulação e Homeopatia.

Criação e Implantação de um Núcleo de Inteligência Competitiva Setorial para o Setor de Farmácias de Manipulação e Homeopatia. Criação e Implantação de um Núcleo de Inteligência Competitiva Setorial para o Setor de Farmácias de Manipulação e Homeopatia Elisabeth Gomes 6º Conferencia Anual de Inteligência Competitiva IBC São Paulo

Leia mais

SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR

SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR MANUAL DO USUÁRIO DA FARMÁCIA (INTERNET) Versão 10 25/02/2011 Revisão Geral ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVO DO SISTEMA...3 3. USUÁRIO GESTOR...3 4. AMBIENTE DO SISTEMA

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DO FORNECEDOR

MANUAL PRÁTICO DO FORNECEDOR MANUAL PRÁTICO DO FORNECEDOR Materiais Indiretos e Prestação de Serviços Março, 2009 2 Índice 1 - Introdução... 3 2 - Objetivos... 3 3 - Interação entre a Sadia e o Fornecedor... 3 4 - Orientações Gerais...

Leia mais

EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CRIAÇÃO DE PORTAL WEB, PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PORTAL DA SOCIEDADE SOFTEX

EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CRIAÇÃO DE PORTAL WEB, PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PORTAL DA SOCIEDADE SOFTEX Campinas 16 de abril de 2009. EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM CRIAÇÃO DE PORTAL WEB, PARA O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO PORTAL DA SOCIEDADE SOFTEX A convida empresas especializadas em

Leia mais

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR 1º Passo: Registro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão

Leia mais

E XPORTAÇÃO. Dica: o dossiê com as informações sobre o produto deve ser preparado antes do contato com o importador.

E XPORTAÇÃO. Dica: o dossiê com as informações sobre o produto deve ser preparado antes do contato com o importador. EXPORTAÇÃO E XPORTAÇÃO Antes de fornecer o preço, é importante analisar os preços de produtos similares praticados no mercado onde está o potencial cliente, exigências técnicas, barreiras tarifárias e

Leia mais

EDITAL PARA EXPOSIÇÃO DE OPORTUNIDADES NA FEIRA DO EMPREENDEDOR DO RIO DE JANEIRO Edição 2015 I DA CONVOCAÇÃO

EDITAL PARA EXPOSIÇÃO DE OPORTUNIDADES NA FEIRA DO EMPREENDEDOR DO RIO DE JANEIRO Edição 2015 I DA CONVOCAÇÃO I DA CONVOCAÇÃO SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO Sebrae/RJ, entidade associativa de direito privado, sem fins econômicos, torna público que promoverá seleção de expositores para

Leia mais

Os 1 Item(ns) da lista de documentos que não foram cumprido(s):

Os 1 Item(ns) da lista de documentos que não foram cumprido(s): Agência Nacional de Vigilância Sanitária Unidade de Atendimento e Protocolo - UNIAP Listagem de Encaminhamento de Documentação em Caráter Precário Data: 14.11.05 EMPRESA: ANCHIETA INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Leia mais

Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA

Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA 1. O Que é? O Importa Fácil Ciência é destinado a pesquisadores/entidades de pesquisa cientifica ou tecnológica, devidamente credenciadas no

Leia mais

Objetivo...2 Requisitos mínimos do sistema...2 Acesso ao sistema...2

Objetivo...2 Requisitos mínimos do sistema...2 Acesso ao sistema...2 Índice Objetivo...2 Requisitos mínimos do sistema...2 Acesso ao sistema...2 Cadastro da Nota Fiscal...3 Grupo Booking...3 Grupo Cliente...5 Grupo Documentos...6 Grupo Contêiner...8 Anexo I... 10 Objetivo

Leia mais

Curso de Consultoria Empresarial

Curso de Consultoria Empresarial Curso de Consultoria Empresarial (Curso Presencial em Belo Horizonte) Início - 23/08 Objetivo: Capacitar o aluno para atuar na área de consultoria e gestão empresarial. Este é um curso livre de capacitação

Leia mais

FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO

FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO 1. CAPA 2. SUMÁRIO 3. INTRODUÇÃO FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO 4. DESCRIÇÃO DA EMPRESA E DO SERVIÇO 4.1 Descrever sua Visão, VISÃO DA EMPRESA COMO VOCÊS IMAGINAM A EMPRESA

Leia mais

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras Plano Estratégico PETROBRAS Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nos mercados nacional e internacional,

Leia mais

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP)

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) Ano: 2015 Elaborada por: A. Linguanoto Mudanças do layout 1.04 para o Layout Registros Incluídos na Versão Marcar Clientes Como Sincronizado - (v ) Marcar Endereços Adicionais

Leia mais

Classificação por Desempenho no Projeto MERITOCRACIA

Classificação por Desempenho no Projeto MERITOCRACIA Classificação por Desempenho no Projeto MERITOCRACIA Meritocracia é o processo pelo qual as empresas com maiores esforços e engajamento no processo de internacionalização são reconhecidas e favorecidas

Leia mais

Curso Analista de Importação

Curso Analista de Importação Curso Analista de Importação (Curso Presencial em Belo Horizonte) Objetivo: Capacitar o aluno para planejar e gerenciar os processos de importação de uma empresa, atuando como analista de importação ou

Leia mais

Proposta de Serviços Royale

Proposta de Serviços Royale ANO. 2011 Proposta de Serviços Royale ROYALE SOLUTIONS IMP. E EXP. LTDA. Departamento Fiscal Rua Evangelina, 257 Vl. Carrão Cep.: 03421-000 São Paulo/SP Tel: +55 11 2532.0772 - Fax: +55 11 2537.8143 sales@royalesolutions.com

Leia mais

REGULAMENTO E QUESTIONÁRIO DE AVALIÇÃO PARA PREMIAÇÃO.

REGULAMENTO E QUESTIONÁRIO DE AVALIÇÃO PARA PREMIAÇÃO. REGULAMENTO E QUESTIONÁRIO DE AVALIÇÃO PARA PREMIAÇÃO. A Revista Motoboy Magazine tem o prazer de realizar o Prêmio Motoboy Magazine Top Motofrete 2013, a fim de prestigiar o trabalho de empresas em prestação

Leia mais