CAPÍTULO 7 INFRAESTRUTURA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CAPÍTULO 7 INFRAESTRUTURA"

Transcrição

1 CAPÍTULO 7 INFRAESTRUTURA

2 A Univali investe na manutenção, conservação, readequação e atualização da sua infraestrutura para atingir seus objetivos institucionais, como a oferta do ensino, da pesquisa e da extensão com qualidade diferenciada, reconhecida e alinhada à política institucional de sustentabilidade. Para tanto, a atual infraestrutura da Instituição vem passando por modificações pautadas na otimização de espaços, recursos e materiais, na integração de estruturas físicas e tecnológicas e na melhoria das instalações existentes modernizando espaços, equipamentos e materiais de uso permanente. A execução dos projetos de investimentos é sistematicamente acompanhada de forma a mensurar o êxito da aplicação dos recursos e garantir a finalização no tempo adequado, prevendo o melhor desempenho econômico do projeto. 7.1 Infraestrutura física geral As Tabelas 31 e 32 apresentam a infraestrutura geral total da Universidade, considerando, separadamente, as áreas de propriedade da Instituição e de uso da Univali e as áreas locadas para o desenvolvimento das atividades de ensino, pesquisa e extensão. Tabela 31 Infraestrutura total geral da Univali (propriedade) Campus Área construída (m 2 ) Área do terreno (m 2 ) Itajaí , , , Tijucas 5.270, ,74 Jardim Carandaí Biguaçu , ,84 Centro Biguaçu 9.996, ,95 Sertão do Maruim São José , ,66 Piçarras 4.321, Total , ,00 Fonte: Coordenadoria de Infraestrutura, Diretoria Administrativa da Fundação Univali, Tabela 32 Infraestrutura total geral locada/cedida para a Univali Campus/Unidade Área utilizada (m 2 ) Campus Kobrasol São José (locado) Campus Florianópolis (locado) ,49 Unidade Penha (comodato) 389, ,69 Itajaí Escritório Modelo de Advocacia (cedido) Escritório Modelo de Advocacia (locado) Área do terreno (m 2 ) Total 5736, ,18 Fonte: Coordenadoria de Infraestrutura, Diretoria Administrativa da Fundação Univali, Na Univali, algumas atividades específicas são realizadas em áreas externas aos campi. A Tabela 33 apresenta essas áreas de acordo com o Centro que as utiliza. Tabela 33 Áreas externas aos campi utilizadas para atividades específicas Campus/Centro Itajaí-Cejurps (área cedida) Itajaí-CTTMar (área própria) Itajaí-CTTMar (área própria) Localização Área construída (m 2 ) Finalidade Bairro Centro, Itajaí 425 Escritório Modelo de Advocacia Bairro Fazenda, Itajaí Município de Penha * Laboratórios específicos Engenharias e Tecnologia em Construção Naval Centro Experimental de Maricultura

3 Campus/Centro /Cejurps (área locada) Localização Município de Área construída (m 2 ) Finalidade 300 Escritório Modelo de Advocacia Fonte: Coordenadoria de Infraestrutura, Diretoria Administrativa da Fundação Univali, Em Itajaí, além das instalações do Escritório Modelo de Advocacia, há três blocos, com aproximadamente 1.650m 2, que reúnem laboratórios de ensino e pesquisa do Centro de Ciências Tecnológicas da Terra e do Mar, atendendo especialmente os Cursos de Engenharia Civil, Engenharia Ambiental e Superior de Tecnologia em Construção Naval. Na Unidade Penha está instalado o Centro Experimental de Maricultura, com infraestrutura e espaços laboratoriais que ocupam a área equivalente a 1.140m 2, nos quais são desenvolvidas atividades de ensino, pesquisa e extensão dos Cursos de Oceanografia e Ciências Biológicas também pertencentes ao Centro de Ciências Tecnológicas da Terra e do Mar, sobretudo na área de cultivo de organismos marinhos. O Centro Experimental de Maricultura ainda se estende por uma área marinha com cerca de 1 hectare, na qual realiza o cultivo de moluscos marinhos e de peixes. Em área externa ao Campus funciona o Escritório Modelo de Advocacia. Além disso, o Campus Kobrasol contou, até o final de 2012, com sede alugada em São José. Essa estrutura foi deslocada, a partir de 2013, para outro espaço físico localizado no mesmo município, com área construída de 1.853m², na qual são desenvolvidas atividades de ensino, pesquisa e extensão de cursos de graduação e pós-graduação Características físicas das instalações gerais Em face da ampla infraestrutura dos campi e das atividades desenvolvidas na instituição, é necessário descrever as características físicas de suas instalações para o desenvolvimento do ensino, da pesquisa e da extensão. Nesse sentido, é apresentada, neste item, a quantidade de salas de aula, laboratórios, instalações administrativas, sala de professores, espaços para atendimento ao aluno, gabinetes e estações de trabalho para professores, instalações sanitárias, auditórios e bibliotecas por campus/unidade, conforme dados e detalhamentos indicados na sequência. Tabela 34 Quantidade de instalações gerais nos campi da Univali Campus/ Unidade Sala de aula Laboratório* Inst. admin. Sala de Prof. Espaço Atend. Aluno Estação trabalho p/ Prof. Tempo Integral Sanitário Auditório Biblioteca ** Piçarras N/A N/A N/A Jardim Carandaí Biguaçu N/A N/A 5 N/A N/A N/A 12 1 N/A Centro Biguaçu Itajaí Penha N/A 3 N/A 5 N/A N/A Tijucas Florianópolis Kobrasol São José Total Fonte: Diretoria Administrativa da Fundação Univali, * A quantidade de laboratórios é a soma dos laboratórios de informática e dos específicos. ** Ao total de bibliotecas, acrescentam-se três bibliotecas setoriais localizadas no Campus Itajaí.

4 A maioria dos blocos contém salas de aulas e laboratórios, de informática ou especializados. A organização das turmas, nos seus determinados períodos, ocorre em salas e blocos determinados por curso, Centro ou Núcleo. As instalações da Univali são divididas em espaços acadêmicos, de apoio e administrativos, cujas principais características estão assim discriminadas: a) Espaço físico das salas de aula (graduação e pós-graduação): I. As salas de aula têm, em média, 64m² e capacidade instalada para 55/60 alunos. Cerca de 10% das salas de aula apresentam área total aproximada de 80m²; II. Ocupação de salas de aula: a média utilizada é de, no mínimo, 1m² por aluno, com pé-direito de, no mínimo, 3m; III. Acústica: o isolamento entre as salas é constituído por paredes de alvenaria e divisórias acústicas, e o forro possui características absorventes de sons e ruídos; IV. Iluminação: natural, com abertura de vãos de, no mínimo, 1/5 da área do piso, por janelas laterais; e artificial, por lâmpadas fluorescentes; V. Ventilação: a temperatura é controlada pela ventilação cruzada natural (janelas basculantes ou maxi-ar) e ventilação artificial por meio de ar condicionado; a insolação é controlada por persianas, cortinas e/ou películas que possibilitam o escurecimento da sala para aulas com projeção multimídia; VI. Projeção Multimídia: as salas possuem projetor de multimídia, pontos de energia, telas de projeção retráteis e acesso à rede Wi-Fi; VII. Limpeza: ocorre diariamente ao final de cada turno de aula, de acordo com os procedimentos operacionais de limpeza do setor operacional; VIII. Acessibilidade: viabilizada por meio de rampas, elevadores e escadas com corrimão; IX. Circulações: dimensionadas para oferecer escoamento e segurança; X. Quadros de Editais: dispostos nas áreas externas das salas; XI. Bebedouros: dispostos em áreas de circulação e corredores. b) Instalações administrativas: I. As salas possuem pé direito de, no mínimo, 3m; II. Acústica: o isolamento entre as salas é constituído por paredes de alvenaria, e, quando necessário, são utilizadas divisórias acústicas; III. Iluminação: natural, com abertura de vãos de, no mínimo, 1/5 da área do piso, por janelas laterais; e artificial, por lâmpadas fluorescentes; IV. Ventilação: a temperatura é controlada pela ventilação cruzada natural (janelas basculantes ou maxi-ar) e equipamentos de ar-condicionado, para maior conforto; V. Mobiliário: padrão de ergonomia conforme normas da ABNT; VI. Acessibilidade: facilitada por meio de rampas, elevadores e escadas com corrimão; VII. Circulações: dimensionadas para oferecer escoamento e segurança. c) Instalações para docentes dos cursos de graduação e de pós-graduação salas de professores, gabinetes de trabalho para professores tempo integral, salas de reuniões. Seguem as mesmas diretrizes das instalações administrativas. d) Instalações para as coordenadorias dos cursos de graduação e de pós-graduação Dispõem de salas individuais climatizadas, com iluminação natural e artificial, com estação de trabalho e microcomputador ligado às redes interna e externa. e) Auditórios Seguem as normas de segurança, possuem extintores, iluminação, climatização e saídas de emergência, hidrantes e alarme de incêndio. Acusticamente, são adequados segundo projetos específicos.

5 I. Mobiliários: seguem padrões ergonômicos com as devidas adaptações para pessoas com deficiência. II. Recursos tecnológicos: infraestrutura adequada ao porte do espaço físico de áudio, vídeo, iluminação. f) Instalações sanitárias: Os campi possuem instalações sanitárias diferenciadas para discentes, docentes e funcionários, com separação por sexo e adequação às pessoas com deficiência. Na sequência estão descritas em detalhes as condições dos sanitários em todos os campi: I. Mobiliários: os sanitários são dotados de aparelhos sanitários e acessórios, tais como lixeira, saboneteira, papeleira, louça sanitária e lavatórios. Os prédios possuem salas específicas para armazenamento de material de limpeza. II. Adequação e limpeza: ocorrem diariamente, três vezes ao dia, de acordo com os procedimentos operacionais de limpeza do setor operacional. g) Organização estudantil: Os espaços físicos para participação e convivência estudantil são caracterizados de acordo com o partido arquitetônico e resolvidos com cada organização estudantil, conforme abaixo: I. Iluminação: natural, com abertura de vãos de, no mínimo, 1/5 da área do piso, por janelas laterais; e artificial, por lâmpadas fluorescentes. II. Ventilação: a temperatura é controlada pela ventilação cruzada natural (janelas basculantes ou maxi-ar). III. Limpeza: a limpeza nas áreas comuns é realizada pela área de Serviços Gerais. IV. Circulações: são dimensionadas para oferecer evacuação ordenada e segurança. 7.2 Plano Diretor da Univali Uma das principais metas do Planejamento Estratégico da Univali é o desenvolvimento do Plano Diretor dos seus campi, meta esta que previu a realização de estudos diagnósticos preliminares nos anos , nomeação das comissões responsáveis por campus em 2014 e implantação, a partir de 2015, iniciando pelo Campus Itajaí. Um conjunto de diretrizes foi planejado para prover melhorias nas condições de infraestrutura e logística, cuja prioridade é a realização, com qualidade, das atividades acadêmicas concentradas nos campi, mediante instalações de uso compartilhado e comum a várias unidades. Também compõe tal conjunto de diretrizes a intensificação dos entendimentos com as Prefeituras das regiões de abrangência dos campi da Univali para discussão de um plano de inserção territorial que redefina e desenvolva a interação logística, físico-territorial e urbanística da Instituição com os espaços municipais, especialmente nas questões de acesso e transporte, segurança pública e uso, pela comunidade, dos espaços universitários de difusão da ciência, tecnologia, cultura e arte. Em maio de 2014, o Reitor constituiu comissões por campus com o objetivo de elaborar o Plano Diretor dos Campi da Univali. As comissões estão constituídas por três arquitetos vinculados ao Curso de Arquitetura e Urbanismo (em todas as comissões), um representante da Associação dos Funcionários da Univali (Itajaí e ), um representante da Associação dos Professores da Univali (Itajaí e ), dois representantes da Direção de Centro e um representante da Gerência de Campus ou da Coordenadoria de Investimentos, Infraestrutura e Serviços. A comissão tem trabalhado no diagnóstico da configuração atual dos campi e na definição do partido urbanístico ambiental que contemple: urbanização, mobilidade e acessibilidade universal, conectividade, diversidade, densidade, convergência e integração interna e com a cidade, compartilhamento de espaços e usos, transporte coletivo e individual,

6 responsabilidade ambiental e energética, segurança, qualidade do trabalho, humanização dos espaços, restaurantes e praças de alimentação e planejamento como processo. Em dezembro de 2014, a comissão responsável pelo Plano Diretor do Campus Itajaí apresentou um estudo preliminar, cuja proposta se inicia pela acessibilidade das vias de pedestres e adequação das vias de circulação de veículos, para minimizar deslocamentos e facilitar acessos, criação de espaços compartilhados e de convívio e modificações na infraestrutura física visando à adequação dos edifícios existentes e construção de novos. As medidas referem-se ao acréscimo de pavimentos nos edifícios da biblioteca, construção de novos laboratórios didáticos especializados e de três novos edifícios, em substituição aos existentes, um para abrigar as Vice-Reitorias e programas de pós-graduação, com quatro pavimentos, outro que receberá o Colégio de Aplicação da Univali e outro que abrigará um estacionamento de veículos, com capacidade para aproximadamente, 550 vagas, adequando-se os acessos para quatro entradas e quatro saídas, totalizando no campus, cerca de 1,7 mil vagas. Nesta perspectiva, a Comissão do Plano Diretor do Campus, que se encontra ainda na etapa inicial dos trabalhos, prevê a expansão do campus, com a construção de um novo bloco (2016) de três pavimentos e novos laboratórios especializados. Essa comissão, assim como as demais, deve aprofundar seus estudos e intensificar seu trabalho para atender aos anseios e às expectativas da comunidade acadêmica. 7.3 Infraestrutura de acesso, sanitários e adaptações a pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida Com relação à infraestrutura de sanitários e aos acessos especiais a pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida no Campus Itajaí, há diferentes níveis de acessibilidade na composição do espaço físico e das edificações, tendo em vista as várias etapas de expansão física do campus. Os demais campi, por dispor de uma estrutura mais recente, estão dotados das adaptações previstas para as necessidades das pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida. A Tabela 35, apresentada a seguir, identifica os blocos em relação aos sanitários e às adaptações existentes no Campus Itajaí. Tabela 35 Instalações sanitárias e adaptações de acesso e utilização por pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida por blocos no Campus Itajaí Bloco Nº pavimento Finalidade Rampas de acesso Rampas para pavimentos superiores Sanitários por pavimento Sanitários adaptados B1 1 Vice-Reitoria de Graduação Não se aplica 2 Não B2 1 Vice-Reitoria de Graduação Não se aplica 2 2 B3 2 Vice-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação, Extensão e Cultura Não Não se aplica 2 (Sala) Não B6 2 Diretoria Administrativa Não Não se aplica 2 Térreo 3 1º Pav 2 Térreo A1 1 Vice-Reitoria de Planej. e Desenv. Institucional Não se aplica 2 2 A1 1 Procuradoria Geral sim Não se aplica 2 2 A1 1 Teatro Adelaide Konder 3 Térreo Não Não se aplica 4 Térreo 4 C2 2 C3 3 C4 4 C5 3 TV Univali / Estúdios Fotografia Ceciesa CTL Ceciesa Gestão, Nelle, Núcleo das Licenc., CAU Centro de Ciências da Saúde Não se aplica 2 - Térreo Não Não Não se aplica 4 Térreo 2 1º Pav 2 Não 2 sim Térreo 2 1 Pav. 2 2 Pav. 2 Não 2

7 Bloco Nº pavimento Finalidade Rampas de acesso Rampas para pavimentos superiores Sanitários por pavimento 2 Terreo 2 1 Pav. Sanitários adaptados C 2 Biblioteca Central 2 Comunitária Não C4 1 Colégio de Aplicação 4 Não Cejurps/Stricto Sensu 5 Térreo D º Pav 2 2º Pav Não 1 3º Pav E1 4 Centro de Ciências da Saúde Não Centro de Ciências da Saúde 2 Térreo E1 3 Não Não se aplica Não 2 1º Pav E2 1 CTTMar Não Não se aplica CTTMar 8 Não /2 10 Térreo D 2 2 1º Pav Não Ceciesa Gestão 5 Térreo 3 3 1º Pav 3 B º Pav 2 1 3º Pav 1 F4 4 Centro de Ciências da Saúde, Núcleo das Licenciaturas e salas EAD 2 Térreo 2 1º Pav 2 2º Pav 1 3º Pav 1 /Não 1 /Não 1 /Não 1 F1 4 Centro de Ciências da Saúde 1 1 F5 4 Centro de Ciências da Saúde 6 Térreo 4 1º Pav 4 2º Pav 3 3º Pav F2 4 D8 4 F6 4 F7 4 Centro de Vivência 2 Centro de Ciências da Saúde Rádio Univali, CTTMar, Laboratórios do Curso de Música Centro de Ciências da Saúde Não Não CCS/Stricto Sensu, Mestrado em Educação, Pré- Incubadora Áreas de Vivência, Laboratório de Informática, auditório, espaço cultural Atividades desportivas, 1 Térreo 2 1º Pav 1 2º Pav 2 3º Pav 2 1º Pav 2 2º Pav 2 3º Pav 7 Térreo 4 1º Pav 3 2º Pav 2 3º Pav 7 Térreo 12 1º Pav 11 2º Pav 2 3º Pav 4 /2 Não 2 /2 Não 2 /2 Não 2 /1 Não 1 1 /1 Não 1 1 /1 Não 1 1 Não 2 Não 2 /1 Não Não 2 /5 Não 2 /10 Não 2 /9 Não 1 2 1º pav. 2 Quadra 1 coberta CAU, graduação Não se aplica 2 2 sim Ginásio Atividades desportivas, de 02 academia, CAU, graduação 8 Não / 2 sim Esportes Piscina 02 Atividades desportivas, academia, CAU, graduação 02 2 Fonte: Diretoria Administrativa da Fundação Univali, Nos blocos em que não há acesso aos pavimentos superiores por rampas e ocorre o desenvolvimento de atividades de ensino, são organizadas salas de aula, bem como salas para atendimento a docentes e discentes, no andar térreo, com o consequente remanejamento de turmas e de horários, de acordo com as necessidades dos alunos, identificadas pela equipe do Núcleo de Acessibilidade da Univali.

8 Também é uma alternativa disponível a cadeira escaladora, que está à disposição de alunos cadeirantes, permitindo o acesso às escadas com o auxílio de uma pessoa operando o equipamento. Além disso, o Campus Itajaí possui vagas de estacionamento exclusivas para o uso de pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida. No Campus, localizado na cidade de, conforme revela a Tabela 36, 80% dos blocos possuem adaptações destinadas a pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida, tanto para acesso quanto para utilização dos sanitários. Tabela 36 Instalações sanitárias e adaptações para acesso e utilização por pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida por blocos no Campus Bloco Número de pavimentos Finalidade Rampas de acesso Rampas para pavimentos superiores Sanitários por pavimento Sanitários adaptados 01 1 Administração Não se Ensino aplica Não se aplica Ensino 2 no térreo Administração Ensino 2 no térreo Não 04 3 Administração Ensino 2 Não 05 1 Administração Não se Não se Não se aplica 2 Ensino aplica aplica 06ª 4 Administração Ensino B 4 Administração Ensino Ensino Pesquisa 4 (térreos) 4 Administração 2 (2º piso) 2 Ensino 08 2 Pesquisa Parcial 4 Não Extensão 09 2 Ensino Administração Ensino Não se aplica 2 Não Fonte: Diretoria Administrativa da Fundação Univali, O Campus oferece diversas instalações para serviços terceirizados, ambientes que oportunizam a convivência universitária de forma autônoma, facilitando, a funcionários, professores e alunos, a utilização de tais serviços no próprio espaço da universidade. Além disso, há oito vagas exclusivas no estacionamento para uso de pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida. No Campus Tijucas, a acessibilidade se estrutura conforme apresentado na Tabela 37. Tabela 37 - Instalações sanitárias e adaptações para acesso e utilização por pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida por blocos no Campus Tijucas Bloco Número de pavimentos Rampas de acesso Rampas para pavimentos superiores Sanitários por pavimento Sanitários adaptados 01 2 Não Não 2 (apenas térreo) Não 02 2 Não Não 2 (apenas térreo) 2 Fonte: Diretoria Administrativa da Fundação Univali, A infraestrutura física dos campi de Biguaçu (Jardim Carandaí e Centro) dispõe espaços físicos de uso comum, com estruturas que favorecem a acessibilidade física a pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida, com estacionamento, rampas de acesso e sanitários adaptados, conforme resumo apresentado na Tabela 38.

9 Tabela 38 - Instalações sanitárias e adaptações de acesso e utilização por pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida por blocos nos campi de Biguaçu Campus/ Bloco Jardim Carandaí Biguaçu I, II e III Número de pavimentos Rampas de acesso Rampas para pavimentos superiores Sanitários por pavimento Sanitários adaptados 4 1 Centro Biguaçu I e II 4 1 Fonte: Diretoria Administrativa da Fundação Univali, A infraestrutura do Campus Kobrasol São José, localizado na cidade de São José, abrange dois setores com salas de aula, instalações administrativas, espaços de convivência para docentes e discentes, salas das coordenações de cursos, auditório, biblioteca e instalações sanitárias, conforme revela a Tabela 39, além de estacionamento coberto e controlado para 900 vagas, destas oito vagas são destinadas às pessoas com necessidades especiais e 41 para idosos e praça de alimentação diversificada. Tabela 39 - Instalações sanitárias e adaptações de acesso e utilização por pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida por blocos no Campus Kobrasol São José Setor Número de pavimentos Rampas de acesso Rampas para pavimentos superiores Sanitários por pavimento Sanitários adaptados 01 3 Elevadores Elevadores 8 no pav. 3 4 no pav Elevadores Elevadores Fonte: Diretoria Administrativa da Fundação Univali, O campus situado em Piçarras conta com apenas um bloco constituído por quatro pavimentos, rampas de acesso aos quatro pisos e um sanitário adaptado por pavimento. O Campus Florianópolis conta com um bloco constituído por dois pavimentos, com elevador, rampas de acesso na lateral do condomínio e acesso ao estacionamento e sanitários adaptados em todos os pavimentos. De forma geral, a maior parte das instalações na universidade possibilita o acesso a pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida. Quando isso não é possível, a Instituição viabiliza o acesso remanejando as atividades para o pavimento térreo. A universidade dispõe de mobiliário adaptado nas salas de aula (quando requerido) e conta com elevadores na Biblioteca Comunitária do Campus, no Campus Florianópolis e no Campus Kobrasol São José. A Tabela 40 resume a acessibilidade atualmente verificada na instituição. Em síntese, do total de 459 salas de aula, 388 estão adaptadas para alunos com deficiência física e problemas de mobilidade, perfazendo 84,53% do total. Em relação aos sanitários, do total de 360, 126 possuem adaptação para uso de pessoas com deficiência física e/ou problemas de mobilidade. Tabela 40 Percentual de acessibilidade nos campi Campus Sanitários adaptados para cadeirantes Salas de aula com acesso a cadeirantes Itajaí 81 (33%) 174 (67,70%) 25 (61%) 84 (100%) Tijucas 02 (25%) 14 (58,33%) Piçarras 04 (50%) 09 (100%) Centro Biguaçu 04 (36%) 67 (100%) Kobrasol São José 06 (50%) 15 (60%) Florianópolis 04 (25%) 25 (100%) Total Fonte: Diretoria Administrativa da Fundação Univali, 2014.

10 7.4 Infraestrutura para EAD A infraestrutura física destinada à Educação a Distância (EAD) está organizada em setores, com equipamentos adequados para o desenvolvimento das atividades, compreendendo: Sala da Coordenação de EAD, Laboratório de Web Tutoria, Sala de Coordenadores de Curso, estúdios de produção de material audiovisual (três estúdios devidamente equipados e preparados com cenografia e iluminação específica e equipe de produção específica), Camarim, Sala de Produção (destinada à pré-produção do material audiovisual), Laboratório de Design Gráfico (para diagramação do material didático impresso). Esta infraestrutura física está situada no Campus Jardim Carandaí Biguaçu no 3º piso do Bloco II. Além desse espaço, a modalidade a distância possui equipes de trabalho em outros espaços físicos da instituição. Na Gerência de Tecnologia da Informação, situada no campus de Itajaí, a equipe de sistemas desenvolve e mantém o ambiente virtual de aprendizagem utilizado nos cursos a distância. A Univali possui salas de videoconferência nos campi de Itajaí,, Centro Biguaçu e Florianópolis todas equipadas com equipamento Polycom de alta definição (HD), duas TVs em rack específico e mobiliário. As quatro salas têm a possibilidade de efetuar videoconferências com destinos externos e internos. Quando se fazem necessárias videoconferências com mais de dois pontos, as mesmas são intermediadas pela sala do Campus Itajaí, que proporciona até quatro conexões simultâneas. Todo o ambiente de videoconferência é de responsabilidade da Gerência de Tecnologia da Informação, na qual atua a equipe de telecom. Quanto à infraestrutura dos polos de apoio, é importante destacar que as atividades presenciais obrigatórias previstas nos cursos de graduação a distância, compreendendo avaliação, estágios e defesa de trabalhos de conclusão de curso, são realizadas nos polos de apoio presencial da Univali credenciados pelo Ministério da Educação, os quais dispõem de espaço físico adequado à acomodação dos alunos nos encontros presenciais pré-agendados. Além disso, os polos contam com espaços para convivência, Secretarias Acadêmicas, Laboratórios de Informática equipados com computadores com acesso à internet, auditório e bibliotecas. 7.5 Bibliotecas O Sistema Integrado de Bibliotecas da Univali (Sibiun) é composto por 10 bibliotecas: uma central, três setoriais e seis bibliotecas de campi. No Campus Itajaí, há as Bibliotecas: Central Comunitária, do Programa de Pós Graduação em Educação (setorial), do Centro de Ciências da Saúde (setorial) e do Curso de Odontologia (setorial). As demais são: Biblioteca Comunitária Campus, Biblioteca do Campus Tijucas, Biblioteca Comunitária Campus Biguaçu, Biblioteca do Campus Kobrasol São José, Biblioteca do Campus Piçarras, Biblioteca do Campus Florianópolis e Biblioteca do Campus Sertão do Maruim (em desativação). Com essa estrutura, o Sibiun viabiliza maior cooperação entre as suas bibliotecas, unindo competências e recursos para prestar serviços de qualidade para apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão a toda comunidade universitária. Além disso, todas as suas bibliotecas estão abertas à comunidade em geral.

11 7.5.1 Infraestrutura Física: Tabela 41 Infraestrutura física das bibliotecas por campus Itajaí Campus Centro Biguaçu Florianópolis Kobrasol São José Piçarras Tijucas Sertão do Maruim - São José Nome da Biblioteca Biblioteca Central Comunitária Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Saúde Biblioteca Setorial do Curso de Odontologia Biblioteca do Campus Biblioteca do Campus Centro Biguaçu Biblioteca do Campus Florianópolis Biblioteca do Campus Kobrasol São José Biblioteca do Campus Piçarras Biblioteca do Campus Tijucas Biblioteca do Campus Sertão do Maruim São José Fonte: Vice-Reitoria de Graduação, Coordenação de Bibliotecas, Legenda: N/A - Não se Aplica A iluminação de todos os ambientes das bibliotecas é artificial e natural. Possuem tratamento acústico, as salas multiuso, na biblioteca de Itajaí, e as salas de vídeo, nas bibliotecas do Centro de Ciências da Saúde, do Curso de Odontologia, dos campi de Tijucas, Piçarras, Kobrasol São José e. Todos os ambientes são climatizados, e a limpeza realiza-se diariamente por empresa terceirizada. Da mesma forma, a segurança patrimonial é assegurada por empresa terceirizada, e as edificações e respectivos ambientes atendem aos requisitos do Código de Obras dos Municípios, assim como às normas estabelecidas pelo Corpo de Bombeiros. A conservação dos ambientes e a manutenção predial, elétrica, sanitária e de conforto térmico de todas as bibliotecas são realizadas preventivamente; e as reformas e os reparos, quando necessários. A Biblioteca do Campus é uma das primeiras edificações do país com etiqueta nacional de eficiência energética emitida pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial e Programa Nacional de Conservação de energia elétrica (Inmetro/Procel) Espaço físico para estudos Área Total Espaço técnico-adm. Área leitura Área estudo individual Área estudo em grupo m² Nº m² Nº m² Nº m² Nº m² Nº N/A 100 N/A 708 N/A 1, ,35 N/A 11 N/A 315 N/A 1, N/A 5 N/A 32 N/A N/A N/A N/A N/A 950 N/A 270 N/A 350 N/A 1, ,72 N/A 26,72 N/A 111,35 N/A N/A N/A 3, ,33 N/A 12 N/A 80 N/A N/A N/A ,55 N/A 11 N/A 4 N/A 0,8 7 6, N/A 20 N/A 36 N/A N/A N/A N/A N/A 192 N/A 12 N/A 64 N/A N/A N/A N/A N/A 128 N/A N/A N/A N/A N/A N/A N/A N/A N/A Uma pesquisa geral realizada pela Universidade sobre metragem quadrada por usuário revela o superdimensionamento de espaço nas bibliotecas da Instituição, bem acima da variação de 2 a 4m² utilizada como padrão para a área, conforme é possível verificar na Tabela 42. A Biblioteca Central Comunitária mantém um ambiente exclusivo a portadores de deficiência visual, que dispõem de um manual do usuário em Braille e outro on-line, em áudio.

12 Tabela 42 Espaço físico para estudos nas bibliotecas Biblioteca Área para leitura (m 2 ) Biblioteca Central Comunitária 608 Biblioteca do Campus 350 Biblioteca do Campus Tijucas 64 Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Saúde 140 Biblioteca do Campus Biguaçu 150 Biblioteca do Campus Sertão do Maruim São José 52 Biblioteca do Campus Piçarras 36 Biblioteca Setorial do Curso de Odontologia 32 Biblioteca do Campus Kobrasol São José 50 Biblioteca Setorial do Programa de Pós Graduação em Educação 38 Biblioteca do Campus Florianópolis 99 Fonte: Vice-Reitoria de Graduação, Coordenação de Bibliotecas, Horário de funcionamento Tabela 43 Horário de funcionamento das bibliotecas Biblioteca Segunda-feira a sexta-feira Sábado Biblioteca Central Comunitária 7h30min às 22h30min 9h às 18h Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Saúde 7h30min às 22h30min Sem atendimento Biblioteca Setorial do Curso de Odontologia 8h às 21h Sem atendimento Biblioteca do Campus 8h às 22h 9h às 13h Biblioteca do Campus Tijucas 9h às 12h e 13h às 22h Sem atendimento Biblioteca do Campus Biguaçu 7h30min às 22h30min Sem atendimento Biblioteca do Campus Sertão do Maruim São José 8 às 12h e das 13 às 22h Sem atendimento Biblioteca do Campus Kobrasol São José 8h às 12h e 13h às 17h e 18h às 22h Sem atendimento Biblioteca do Campus Piçarras 13h30 às 22h30 Sem atendimento Biblioteca do Campus Florianópolis 7h30min às 22h30min Sem atendimento Fonte: Vice-Reitoria de Graduação, Coordenação de Bibliotecas, Serviços oferecidos Quadro 12 Serviços oferecidos no Sistema de Bibliotecas da Instituição Serviço Acesso à Internet Ação Cultural Biblioteca Virtual Capacitação do Usuário Catalogação na Fonte Atividade Acesso a sites para pesquisa escolar, lazer e leitura, bem como uso de . Espaço para eventos culturais como exposição de artes, lançamento de livros, varal literário, hora do conto e palestras sobre os mais variados temas, visando integrar a comunidade universitária e a comunidade em geral. Acesso a sites com conteúdo científico, como: base de dados, periódicos, bibliotecas digitais e buscadores nas áreas de Ciências Exatas, Humanas, Sociais e da Saúde. Visa educar os usuários quanto à utilização da biblioteca, do Sistema Pergamum, das bases de dados e da biblioteca virtual, como também oferecer cursos sobre normalização de trabalhos acadêmicos. É necessário agendamento prévio. Oferecido pelo Setor de Processamento Técnico, já que este trabalho é uma prerrogativa dos profissionais da biblioteconomia. A produção técnico-científica da Universidade recebe o tratamento descritivo e temático para as suas publicações. O processo de extrair os principais dados do original, seguindo as orientações do AACR2 (Código de Catalogação Anglo-Americano), é chamado de catalogação na fonte. Seu produto final é a ficha catalográfica, que serve para facilitar a pesquisa nacional e internacional das obras.

13 Serviço Comutação Bibliográfica Consultas em Bases de Dados on-line Consulta Local Consulta on-line ao acervo Empréstimo Domiciliar Indexação Pesquisa Bibliográfica Publicações Online Serviço de Referência Serviço de Empréstimo entre Bibliotecas Serviço de Empréstimo entre Bibliotecas do Sistema Acafe Serviço Integrado de Devolução Orientação Bibliográfica Renovação Reserva Visitas Orientadas Atividade Visa à obtenção de material científico exclusivamente para pesquisas acadêmicas. Consiste no resgate de cópia de artigos científicos, teses, dissertações e anais de eventos respeitando a lei de direito autoral vigente. Acesso às bases de dados disponíveis na internet, com acesso livre ou restrito. As bases de dados são: Wilson; Micromedex; Springer-Medicine; Asfa; Business Source Premier; Hospitality & Turism; Scopus; Science Direct. Acesso às bases de dados pelo Portal da Capes e EBSCO (Business Surce Premier, Hospitality & Turism). Acesso a informação tratada e armazenada nas bibliotecas do Sibiun por meio do Sistema Pergamum. O acesso ao material bibliográfico é aberto à comunidade universitária podendo ser consultado no espaço da própria biblioteca. Acesso ao acervo tratado e armazenado no Sibiun pela internet e por meio de Sistema Mobile (smartphones e tablets). Fornece ao usuário obras de seu interesse e que possam ser retiradas da biblioteca, mediante empréstimo por prazo determinado, conforme o regulamento do Sibiun. É exclusivo de alunos, egressos, professores, funcionários, aposentados da Univali e a usuários conveniados. Pode ser realizado por meio de autoatendimento apenas na Biblioteca Central Comunitária. Identificação e descrição do conteúdo de um documento com termos representando os seus assuntos. São indexados todos os periódicos publicados pela Univali e os assinados com grande incidência de uso pelas bibliotecas. Consiste na realização de busca de informação tanto no acervo do Sibiun, mediante o uso do Sistema Pergamum, quanto em CD-ROM ou internet. O pesquisador recebe virtualmente as informações recuperadas pelo bibliotecário. Pelo Sistema Pergamum, há o acesso eletrônico a monografias, dissertações, teses e periódicos assinados, sendo recuperados em texto completo. As dissertações e as teses são encontradas na Biblioteca Digital de Dissertações e Teses do Ibict BDTD. Compreende o atendimento personalizado aos usuários, prestando informações sobre questões bibliográficas, instrucionais ou de pesquisa. Consiste no empréstimo de obras entre as bibliotecas do Sibiun. Quando o usuário localiza o material em outra biblioteca, ele faz a solicitação por meio do preenchimento de um formulário, que é encaminhado à biblioteca que possui esse material. Posteriormente, o usuário retira a obra na biblioteca onde foi realizado o pedido. Oferece consultas simultâneas e empréstimos dos acervos das bibliotecas do Sistema Acafe. O material emprestado deve ser consultado somente in loco na biblioteca solicitante. Permite ao usuário devolver a obra em qualquer biblioteca da Univali. Orientação aos usuários quanto à normalização na apresentação da produção científica. As orientações são fundamentadas nas Normas Técnicas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Possibilita ao usuário repetir o empréstimo do material bibliográfico, devolvendo-o conforme o prazo estabelecido no regulamento do Sibiun, salientando que a renovação ocorre se o material não estiver reservado por outro usuário. A renovação pode ser feita em consulta ao Sistema Pergamum local e pela internet, como também por meio do Sistema Mobile (smartphones e tablets). Permite ao usuário formalizar o pedido de empréstimo da obra quando a mesma estiver emprestada por outra pessoa. A reserva pode ser feita em consulta ao Sistema Pergamum local e pela internet, como também por meio de Sistema Mobile (smartphones e tablets). Trata-se de visitas aos setores da biblioteca e apresentação dos serviços oferecidos. É necessário agendamento prévio. Fonte: Vice-Reitoria de Graduação, Coordenação de Bibliotecas, 2014.

14 7.6 Laboratórios A Univali, de acordo com dados de 2014, possui 253 laboratórios didáticos especializados e de informática em seus campi. A área média ocupada por laboratório é de cerca de 90m², e a capacidade média de cada laboratório é de 20 alunos. Em relação à área total construída, considerando as áreas de circulação e vivência, além de todos os espaços destinados a ensino, pesquisa, extensão e administração, os laboratórios ocupam 16% percentual um pouco inferior aos espaços destinados às salas de aula (18%). Conforme as políticas institucionais, as Direções de Centro e as coordenações de curso promovem o controle, a revisão e a adequação da infraestrutura desses laboratórios, propondo as ampliações necessárias, as trocas e as manutenções de equipamentos, bem como as adequações de espaço ao número de alunos, por meio dos projetos de manutenção e/ou de investimentos cadastrados no OutBuyCenter e/ou no Qualitor infraestrutura para os casos de demandas menores. Segundo o tipo de equipamento existente, a manutenção periódica é realizada por equipe interna da universidade (como, por exemplo, a manutenção de equipamentos eletroeletrônicos) ou mediante contratação de firma especializada, nos casos de equipamento de alta especificidade (como, por exemplo, os climatizadores de ar e água). Quanto ao material de consumo, os colaboradores alocados em laboratórios solicitam periodicamente material para ensino, a partir de um sistema informatizado de pedido de compras (compras on-line). Tais solicitações são submetidas à apreciação conforme a hierarquia institucional sob a qual estão organizadas Laboratórios didáticos especializados - implantados até 2012 Os laboratórios didáticos especializados mantidos pela Instituição em seus diferentes campi estão relacionados nos Apêndices 1 a 6, que reúnem as respectivas especificações (nome do laboratório, localização, cursos [projetos e programas] que o utilizam, quantidade de equipamentos disponíveis no local, quantidade de mobiliário, capacidade de atendimento, normas de utilização, número de apoio técnico, finalidade e tamanho).

15 7.6.2 Laboratórios didáticos especializados implantados de 2012 a 2014 Quadro 13 - Laboratórios didáticos especializados implantados no período de 2012 a 2014 Campus Itajaí Nome do laboratório LAB-Oficina de Eventos ulação Gerencial Localização Bloco 7, sala 111 A4 Bloco B7, sala 201 Cursos Envolvidos Gastronomia Turismo e Hotelaria Administração Ciências Contábeis Comércio Exterior Logística Gestão Portuária Quant. de equipam. Quant. de mobiliário Capacidade atendimento por turma Número de Apoio Técnico Finalidade F M E Área (m 2 ) Ano implantação do Lab Ensino 47, Ensino Laboratórios especializados: Lapa, Lareh, Labient Bloco 2, sala 103 Arquitetura e Urbanismo Ensino Laboratório de Geoprocessamento Bloco 2, sala 106 Arquitetura e Urbanismo Ensino Laboratório de Criatividade Bloco 2, sala 101 Design de Jogos e Entretenimento Digital Ensino Laboratório de Cabelos Bloco 6ª, sala 106 Estética Ensino Laboratório de Estética Bloco 6B, sala 106 II Estética Ensino Laboratório Especializado Laeg Laca, Lamco Sala 102, Bloco 2 Sala 105, Bloco 2 Arquitetura e Urbanismo Arquitetura e Urbanismo Extensão Ensino Itajaí Lab. Computação X D2, sala 108 Computação Ensino

16 Campus Itajaí Itajaí Itajaí Itajaí Itajaí Itajaí Nome do laboratório Lab. Engenharia Civil - Hidráulica Lab. Materiais de Construção Civil Lab. Engenharia Civil - Mecânica dos Solos Lab. Construção Naval Lab. Projetos Navais Lab. Topografia Localização Bloco 3, sala 102 Bloco 2, salas 101 e 102 Bloco 3, sala 101 Bloco 1, sala 101B Bloco 1, sala 202 Bloco 3, sala 101C Cursos Envolvidos Quant. de equipam. Quant. de mobiliário Capacidade atendimento por turma Número de Apoio Técnico Finalidade F M E Área (m 2 ) Ano implantação do Lab. Engenharia Civil Ensino 60, Engenharia Civil Ensino 305, Engenharia Civil Ensino 137, Tecnologia em Construção Naval Tecnologia em Construção Naval Ensino 106, Ensino 13, Engenharia Civil Ensino 10, Lab. Engenharia Bloco 3, Itajaí Engenharia Civil Ensino 59, Mecânica sala 103 Fonte: Diretoria Administrativa da Fundação Univali, Legenda: F = Funcionário(s); M = Monitor(es); E = Estagiário(s) Projeção de laboratórios didáticos especializados para 2015 e 2016 Quadro 14 Projeção de laboratórios didáticos especializados, PDI 2015 e 2016 Ano implantação do lab Campus Nome do laboratório Cursos Envolvidos 2015 Tijucas 2015 Centro Biguaçu Lab. Ensino, Pesquisa e Extensão em Recursos Humanos e Marketing Lab. Ensino, Pesquisa e Extensão Sala de Estágio Curso de Gestão de Recursos Humanos e Curso de Marketing Quant. de equipam. Quant. de mobiliário Capacidade atendimento por turma Número de Apoio Técnico F M E Administração e Direito Administração, Ciências Contábeis e Direito Finalidade Ensino, pesquisa e extensão Ensino, pesquisa e extensão Ensino e NDE Área (m 2 ) 32,2 89,2 60

17 Ano implantação do lab Itajaí 2015/1 2015/ Campus Nome do laboratório Cursos Envolvidos Jardim Carandaí Biguaçu Kobrasol São José 2015/2 Tijucas 2015/2 Tijucas Laboratório de Apoio Escritório Modelo de Advocacia (EMA) Laboratório Trabalho de Iniciação Científica 1 e 2 Quant. de equipam. Quant. de mobiliário Capacidade atendimento por turma Número de Apoio Técnico F M E Finalidade Direito Ensino 15 Direito Ensino e pesquisa EMA Direito Ensino 60 EMA Laboratório de Produção Científica do Curso de Direito 03 Laboratórios de Trabalho de Iniciação Científica Direito Ensino 300 Direito Ensino 159 Direito Direito Ensino e pesquisa Ensino e pesquisa Área (m 2 ) Tijucas Florianópolis Laboratório de ulação de Audiências Escritório de Relações Internacionais Laboratório de ulação de Voos Laboratório de Pilotagem (Aerodinâmica) Lab Conforto Ambiental, Lab. Materiais e Técnicas Construtivas, Lab. Patrimônio Histórico e Restauração Direito Ensino 64 Relações Internacionais Extensão 30,8 Tecnologia em Pilotagem de Aeronaves Tecnologia em Transporte Aéreo Tecnologia em Pilotagem de Aeronaves Tecnologia em Transporte Aéreo Design Arquitetura e Urbanismo Tecnologia em Design de Interiores ulador de voo (computadores e sistema) Equipamentos de marcenaria, máquinas e ferramentas comuns a uma oficina 8 3 bancadas com 6 cadeiras, recursos de ensino quadro interativo, datashow 6 bancadas com 40 cadeiras, recursos de ensino quadro interativo, datashow 30 mesas tipo pranchetas, 30 cadeiras, 6 bancadas, estantes e 2 armários Ensino Ensino Ensino, pesquisa e extensão 300

18 Ano implantação do lab Campus Nome do laboratório Cursos Envolvidos Laboratório de Informática Administração, Marketing e Gestão de Recursos Humanos Quant. de equipam. Quant. de mobiliário Fontes: Gerências de Campi, Direções de Centro, Diretoria Administrativa da Fundação Univali, Legenda: F = Funcionário(s); M = Monitor(es); E = Estagiário(s). Capacidade atendimento por turma Número de Apoio Técnico F M E Finalidade Ensino 64 Área (m 2 )

19 7.6.4 Laboratórios de informática A Univali dispõe, a alunos e professores, mais de 50 Laboratórios de Informática distribuídos em seus campi e equipados com quadro branco, projetor, computadores e impressoras atualizados, bem como um conjunto de softwares específicos para atender às necessidades de cada curso. Toda estrutura de equipamentos e itens que compõe os Laboratórios de Informática têm relação direta com as diretrizes dos projetos pedagógicos dos cursos, notadamente para atender às disciplinas do currículo e às práticas requeridas no perfil de formação profissional. A Tabela 44 apresenta a distribuição de laboratórios e computadores por campus. Tabela 44 - Laboratórios de Informática implantados até 2014 Campus Laboratórios de Informática Quantidade de Laboratórios Computadores Itajaí Tijucas 2 53 Jardim Carandaí Biguaçu 3 40 Centro Biguaçu Florianópolis Kobrasol São José Piçarras 3 38 TOTAL Fonte: Gerência de Tecnologia da Informação, Diretoria Administrativa da Fundação Univali, Instalações físicas e funcionamento dos laboratórios Os Laboratórios de Informática têm seu espaço físico dimensionado de acordo com o número de estações de trabalho necessárias para atender aos seus objetivos. A dimensão da sala é projetada para dar conforto e condições de mobilidade a todos que a utilizam. Cada espaço é periodicamente avaliado por um engenheiro de segurança, que verifica os quesitos de iluminação, ventilação e segurança, buscando atender às normas vigentes. Todos os laboratórios possuem iluminação artificial e natural e são climatizados. A limpeza é realizada diariamente, e a segurança patrimonial é de responsabilidade de empresas terceirizadas. Além disso, a conservação dos ambientes e a manutenção predial, elétrica, sanitária e de conforto térmico de todos os Laboratórios de Informática são realizados preventivamente e sempre que há necessidade de reparos. - Horário de Funcionamento Os Laboratórios de Informática têm seu horário de funcionamento de segunda à sexta-feira das 8h às 22h30min. Aos sábados, a abertura é sob demanda, principalmente para atender às aulas de pós-graduação lato sensu. - Política de Acesso e Uso Toda pessoa com vínculo com a Universidade possui código de pessoa e senha com os quais tem acesso aos computadores, impressoras e softwares dos laboratórios. Alunos e professores têm livre acesso a qualquer Laboratório de Informática de qualquer campus da Universidade. Durante os horários em que o laboratório está em uso para o ensino, o acesso é restrito aos alunos e professores da disciplina específica. Nos demais horários, o laboratório está livre para outras atividades acadêmicas, elaboração de trabalhos, impressões, uso da internet e/ou atividades de pesquisa.

20 - Acessibilidade Alunos e professores com necessidades especiais são assistidos pela equipe do Núcleo de Acessibilidade da Univali, que auxilia no mapeamento dos alunos que necessitam utilizar os laboratórios e nas adaptações necessárias, conforme a necessidade de cada um. Um aluno cego, por exemplo, tem acesso aos softwares específicos de leitura de tela (Jaws) e ao material adaptado para o Braille. Alunos com baixa visão têm acesso aos monitores maiores, com a configuração de software adaptada às suas necessidades. Alunos com deficiência auditiva são acompanhados pelo tradutor de libras e têm acesso a outros apoios específicos. Alunos com deficiência física e/ou com dificuldade de mobilidade terão suas aulas nos laboratórios em condições para o seu acesso Recursos de informática disponíveis Os Laboratórios de Informática dispõem do seguinte conjunto de recursos tecnológicos requerido para as atividades acadêmicas e de ensino: - Computadores possuem aproximadamente 1,4 mil computadores para uso exclusivo das atividades acadêmicas. As configurações são definidas de acordo com a necessidade de software de cada laboratório. Tabela 45 Infraestrutura de equipamentos de informática (somente computadores) por campus da Univali Campus Computadores dos Laboratórios Laboratórios de Informática Florianópolis Centro Biguaçu Kobrasol São José Tijucas Piçarras 38 3 Itajaí TOTAL GERAL Fonte: Gerência de Tecnologia da Informação, Diretoria Administrativa da Fundação Univali, Softwares os softwares instalados em cada laboratório são devidamente licenciados, atualizados e coerentes com os perfis e as diretrizes dos projetos pedagógicos dos cursos e da matriz curricular de formação. - Serviços de Impressão os laboratórios estão equipados com impressoras de alta performance (50 páginas por minuto) à disposição de alunos e professores. Alunos possuem a quota de impressão gratuita de 150 páginas por semestre. Com o objetivo de facilitar as impressões nos laboratórios, os alunos têm a opção de compra de quotas, gerenciada por um sistema de autoatendimento na intranet. Professores possuem quota de impressão gratuita maior, de acordo com o seu número de turmas e de alunos no semestre. - Acesso à internet os computadores dos laboratórios estão conectados à internet pela rede cabeada. Todo laboratório possui ainda rede Wi-Fi disponível para os dispositivos pessoais de alunos e professores. A banda de internet disponível é de 700 Mbits, permitindo o acesso com uma boa performance. - Segurança os computadores estão vinculados ao domínio da rede Univali e são gerenciados de forma centralizada e com as devidas atualizações de segurança. - Pessoal Técnico de Apoio os Laboratórios de Informática contam com um auxiliar de laboratório responsável pela organização do ambiente, pelo apoio a alunos e professores e pelo primeiro contato com os técnicos de suporte da Gerência de Tecnologia da Informação. Esta, por sua vez, possui uma equipe exclusiva para suporte aos usuários e ao funcionamento dos

INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO 1.1. Gabinetes de Trabalho para Professores Tempo Integral - TI

INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO 1.1. Gabinetes de Trabalho para Professores Tempo Integral - TI INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO Atualmente a FIBRA encontra-se em novas instalações contando com 33 salas de aula climatizadas, com instalações de equipamentos de multimídia, auditório climatizado com

Leia mais

LOCALIZAÇÃO: PAVIMENTO TÉRREO IDENTIFICAÇÃO ÁREA (M 2 ) CAPACIDADE Auditório 367,23 406

LOCALIZAÇÃO: PAVIMENTO TÉRREO IDENTIFICAÇÃO ÁREA (M 2 ) CAPACIDADE Auditório 367,23 406 INFRA-ESTRUTURA FÍSICA E TECNOLÓGICA As salas de aula da FACULDADE BARRETOS estão aparelhadas para turmas de até 60 (sessenta) alunos, oferecendo todas as condições necessárias para possibilitar o melhor

Leia mais

BIBLIOTECA CENTRAL. Estrutura física

BIBLIOTECA CENTRAL. Estrutura física BIBLIOTECA CENTRAL A missão da Biblioteca Central Prof. Eurico Back - UNESC é promover com qualidade a recuperação de informações bibliográficas, com enfoque no desenvolvimento das atividades de ensino,

Leia mais

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010 FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010 1 Fragilidade resultado inferior a 50% Ponto a ser melhorado 50% e 59,9% Potencialidade igual ou

Leia mais

BIBLIOTECA. METRAGEM MÍNIMA (m2)

BIBLIOTECA. METRAGEM MÍNIMA (m2) BIBLIOTECA Administração Balcão de atendimento Balcão de referência Mesa de trabalho para 6 servidores, sendo recomendado 5 a 6m 2 /2 pessoas, com espaço para armários comuns e armários-arquivo para documentos

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

EDITAL Nº 034/ProEn-SecExc/2012

EDITAL Nº 034/ProEn-SecExc/2012 EDITAL Nº 034/ProEn-SecExc/2012 DIVULGA O CALENDÁRIO, OS PROCEDIMENTOS E AS CONDIÇÕES PARA A MATRÍCULA DOS ALUNOS VETERANOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO OFERTADOS EM REGIME REGULAR, PARA O 2º SEMESTRE DE 2012.

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO SIBIUN

APRESENTAÇÃO DO SIBIUN APRESENTAÇÃO DO SIBIUN Sibiun é composto por onze Bibliotecas e possui pontos de serviço pelos campi onde a Univali está localizada. Conheça os horários de funcionamento e contatos: Coordenação de Biblioteca

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP ESTRUTURA

SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP ESTRUTURA SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP ESTRUTURA Sala de Aula A instituição disponibiliza equipadas com todos os recursos multimídias necessários, que são estes: Projetor

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

Censo da Educação Superior. Bibliotecas Universitárias

Censo da Educação Superior. Bibliotecas Universitárias Censo da Educação Superior Bibliotecas Universitárias Bibliotecas Universitárias e o Censo da Educação Superior Em 2013, ocorreu uma reunião técnica entre representantes do CBBU e técnicos do Inep para

Leia mais

Anexo 1 - Resolução 016/2011 - CONSUN. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI

Anexo 1 - Resolução 016/2011 - CONSUN. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Plano de Desenvolvimento Institucional PDI 13 I ENSINO DE GRADUAÇÃO Objetivo 1 - Buscar continuamente a excelência nos cursos de graduação 1. Avaliar continuamente o processo educativo, em consonância

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2014-2018 PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2014-2018 PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES CAMPUS CONGONHAS DEZEMBRO - 2013 INFRA-ESTRUTURA Objetivo

Leia mais

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior Sesu Departamento de Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria

Leia mais

Núcleo de Coordenação de Bibliotecas - NCB. Relatório Biblioteca Penha Shopping

Núcleo de Coordenação de Bibliotecas - NCB. Relatório Biblioteca Penha Shopping Núcleo de Coordenação de Bibliotecas - NCB Relatório Biblioteca Penha Shopping 2015 SUMÁRIO 1 SISTEMA INTEGRADO DE BIBLIOTECAS - SIBi... 02 2 NÚCLEO DE COORDENAÇÃO DE BIBLIOTECAS - NCB... 02 3 UNIDADE

Leia mais

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso.

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso. Anexo II Dimensões Elementos Indicadores quantitativos Indicadores qualitativos % de cursos com projeto pedagógico/ adequados ao Projeto Condições de implementação dos Projetos Projeto Pedagógico dos Institucional

Leia mais

DADOS TÉCNICOS DA BIBLIOTECA

DADOS TÉCNICOS DA BIBLIOTECA FAHESA - Faculdades de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína ITPAC Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos Ltda BIBLIOTECA DADOS TÉCNICOS DA BIBLIOTECA Araguaína Março / 2014 1.

Leia mais

BIBLIOTECA 1.1 INFORMAÇÕES GERAIS

BIBLIOTECA 1.1 INFORMAÇÕES GERAIS BIBLIOTECA 1.1 INFORMAÇÕES GERAIS A Biblioteca possui atenção especial dos dirigentes da UCSal, por constituirse em um instrumento de apoio valioso aos programas de ensino, pesquisa e extensão. O foco

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

Câmpus FLORIANÓPOLIS. 12 23,08% Discentes (alunos) 10 19,23% Comunidade 0 0,00%

Câmpus FLORIANÓPOLIS. 12 23,08% Discentes (alunos) 10 19,23% Comunidade 0 0,00% Diagnóstico Planejamento PDI 2014-2018 Período de respostas: 05/09/13 a 18/09/13 Questionários Respondidos 52 Docentes 30 57,69% Técnicos-Administrativos 12 23,08% Discentes (alunos) 10 19,23% Comunidade

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE JARAGUÁ DO SUL

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE JARAGUÁ DO SUL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE JARAGUÁ DO SUL CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 380 de 20 de março de 2008, publicada no DOU em 25 de março de 2008. Diretor da Faculdade: Mauricio Anisio Ferreira

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 067/CONSUN-CaEn/2011

RESOLUÇÃO N.º 067/CONSUN-CaEn/2011 RESOLUÇÃO N.º 067/CONSUN-CaEn/2011 Aprova alterações no Regulamento Geral do Sistema Integrado de Bibliotecas da UNIVALI SIBIUN. O Presidente do Conselho Universitário CONSUN, da Universidade do Vale do

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

Mediadora: Marta Pião Florianópolis, SC junho 2015

Mediadora: Marta Pião Florianópolis, SC junho 2015 Mediadora: Marta Pião Florianópolis, SC junho 2015 ORGANOGRAMA DA EDUCAÇÃO PROCESSOS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR PARA QUE AS INSTITUIÇÕES DE ENSINO TENHAM SEUS CURSOS APROVADOS E REGULAMENTADOS, É NECESSÁRIO

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Biblioteca Ramiro da Silva Oliveira

Biblioteca Ramiro da Silva Oliveira Biblioteca Ramiro da Silva Oliveira Bibliotecária Juliana Ribeiro de Campos Solla CRB-8 201/2013 Provisório Horário de Atendimento de segunda a sexta-feira das 8:00 h às 12:00 h e das 17:00 h às 21:00

Leia mais

Guia do usuário Rev.: 04 Data: 04/11/2015 GUIA DO USUÁRIO

Guia do usuário Rev.: 04 Data: 04/11/2015 GUIA DO USUÁRIO CADASTRO GUIA DO USUÁRIO Quem pode efetuar o cadastro na biblioteca? O acesso à Biblioteca é público, qualquer pessoa pode utilizar suas dependências e pesquisar no acervo. Entretanto, a abertura de cadastro

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor POTENC. PTO. A MELHOR. FRAGIL. 1 -

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor 1 - O professor comparece com regularidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor POTENC. PTO. A MELHOR. FRAGIL. 1

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE SECRETARIADO EXECUTIVO BILÍNGUE 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor 1 - O professor

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 16/05/2005 (*) Portaria/MEC nº 1.625, publicada no Diário Oficial da União de 16/05/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

PDI 2015-2019 Centro de Ciências Humanas e Letras

PDI 2015-2019 Centro de Ciências Humanas e Letras PDI 2015-2019 Centro de Ciências Humanas e Letras O Centro de Ciências Humanas e Letras (CCHL) é unidade de ensino e administração da Universidade Federal do Piauí, reconhecida nos Estatutos da Instituição.

Leia mais

PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO DE USO E OCUPAÇÃO DO CÂMPUS ITAJAÍ

PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO DE USO E OCUPAÇÃO DO CÂMPUS ITAJAÍ PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO DE USO E OCUPAÇÃO DO CÂMPUS ITAJAÍ Agosto/2014 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

Plano de Utilização do Acervo e Acessos

Plano de Utilização do Acervo e Acessos FACULDADE DE RONDÔNIA INSTITUTO JOÃO NEÓRICO Plano de Utilização do Acervo e Acessos SUMÁRIO 1 OBJETIVO GERAL...2 2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS...2 3. ABRANGÊNCIA...2 4. BIBLIOTECA...2 4.1 Espaço Físico...4

Leia mais

PDI DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFPI

PDI DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFPI Ministério da Educação Universidade Federal do Piauí Biblioteca Comunitária Jornalista Carlos Castello Branco Campus Universitário Ministro Petrônio Portella, Bairro Ininga, Teresina, Piauí, Brasil; CEP

Leia mais

Perguntas frequentes sobre a Biblioteca

Perguntas frequentes sobre a Biblioteca Perguntas frequentes sobre a Biblioteca Como funciona o Sistema de Bibliotecas da UFPI? O sistema de Bibliotecas SIBI/UFPI é formado por 01(uma) biblioteca comunitária e 09 (nove) bibliotecas setoriais:

Leia mais

UNIVERSIDADE IGUAÇU CAMPUS ITAPERUNA CURSO DE DIREITO LABORATÓRIOS

UNIVERSIDADE IGUAÇU CAMPUS ITAPERUNA CURSO DE DIREITO LABORATÓRIOS LABORATÓRIOS ITAPERUNA, Julho/2015 ESTRUTURA DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA ASSOCIADOS AO 1 INTRODUÇÃO Os laboratórios que servem ao curso de Direito têm como objetivo oferecer treinamento prático, auxílio

Leia mais

FAPPES FACULDADE PAULISTA DE PESQUISA E ENSINO SUPERIOR ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DE ACERVO

FAPPES FACULDADE PAULISTA DE PESQUISA E ENSINO SUPERIOR ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DE ACERVO FAPPES FACULDADE PAULISTA DE PESQUISA E ENSINO SUPERIOR ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DE ACERVO A Biblioteca da FAPPES é uma Biblioteca especializada, mantida pela Sociedade

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA ESTRUTURA BIBLIOTECA FESVV

FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA ESTRUTURA BIBLIOTECA FESVV FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA ESTRUTURA BIBLIOTECA FESVV VILA VELHA 2010 1. BIBLIOTECAS DA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ ESPÍRITO SANTO As Bibliotecas da Faculdade Estácio de Sá Espírito Santo, seguem

Leia mais

As instalações físicas encontram-se detalhadas no quadro seguinte. QUADRO DE INSTALAÇÕES FÍSICAS

As instalações físicas encontram-se detalhadas no quadro seguinte. QUADRO DE INSTALAÇÕES FÍSICAS As instalações físicas encontramse detalhadas no quadro seguinte. QUADRO DE INSTALAÇÕES FÍSICAS ESPAÇO FÍSICO QUANTIDADES GERAL FACULDADE ÁREA M 2 Salas de aula, medindo cada uma, 69, com um quadro branco,

Leia mais

PROF. DR. CLODIS BOSCARIOLI

PROF. DR. CLODIS BOSCARIOLI PROF. DR. CLODIS BOSCARIOLI PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO GERAL DO CAMPUS DE CASCAVEL QUADRIÊNIO 2012-2015 Cascavel set/2011. APRESENTAÇÃO Nasci em Umuarama/PR em 31/07/1973. Sou técnico em Contabilidade pelo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 052/2011, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 052/2011, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Secretaria Geral RESOLUÇÃO Nº 052/2011, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho

Leia mais

Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos:

Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos: Referência atual: Decreto 5.773, 9 de maio de 2006. Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos: I-missão, objetivos e metas da instituição, em sua

Leia mais

MANUAL INTERNO DA BIBLIOTECA

MANUAL INTERNO DA BIBLIOTECA As Bibliotecas da Universidade Braz Cubas são destinadas ao Corpo Docente, Discente e aos funcionários administrativos. As Bibliotecas utilizam o sistema Informatizado Pergamum, onde o aluno tem a comodidade

Leia mais

PROPLAN Diretoria de Informações. Tutorial SisRAA Biblioteca

PROPLAN Diretoria de Informações. Tutorial SisRAA Biblioteca PROPLAN Tutorial SisRAA Biblioteca Ana Carla Macedo da Silva Jaciane do Carmo Ribeiro Diego da Costa Couto Mauro Costa da Silva Filho Dezembro 2014 SUMÁRIO 1. Menu: Acessibilidade... 3 1.1 Opção de menu:

Leia mais

CURSO DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CURSO DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CURSO DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS 1. OBJETIVOS DO CURSO O Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos tem como objetivo geral formar tecnólogos com visão estratégica em Recursos Humanos,

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE SÃO MIGUEL DO OESTE

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE SÃO MIGUEL DO OESTE FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE SÃO MIGUEL DO OESTE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 1450 de 28 de novembro de 2008, publicada no DOU em 01 de dezembro de 2008. Diretor da Faculdade: Adilson José

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

Estrutura para elaboração do PDI

Estrutura para elaboração do PDI Estrutura para elaboração do PDI NOTA 1 - Orientações para elaboração do Plano de Desenvolvimento Institucional PDI O Plano de Desenvolvimento Institucional PDI consiste num documento em que se definem

Leia mais

setores administrativos Barreiro

setores administrativos Barreiro setores administrativos Barreiro PUC Minas no atualização março de 2010 Pró-reitoria Adjunta Local: Prédio 4, sala 102 Telefone: 3328 9508 E-mail: proreitoriasec.bar@pucminas.br Diretoria Acadêmica Local:

Leia mais

1. Biblioteca. 2. Infra-Estrutura. 2.1 Espaço físico

1. Biblioteca. 2. Infra-Estrutura. 2.1 Espaço físico Biblioteca UPIS 1 SUMÁRIO 1. Biblioteca... 3 2. Infra-Estrutura... 3 2.1 Espaço físico... 3 Campus I... 3 Instalações para estudos individuais... 3 Instalações para estudos em grupo... 3 3. Acervo Bibliográfico...

Leia mais

Indicadores de qualidade em Bibliotecas Universitárias como torná-las bem sucedidas

Indicadores de qualidade em Bibliotecas Universitárias como torná-las bem sucedidas Indicadores de qualidade em Bibliotecas Universitárias como torná-las bem sucedidas Ligia Scrivano Paixão Diretora do Sistema de Bibliotecas e coordenadora do curso de Biblioteconomia da Universidade Santa

Leia mais

Inventário de Necessidades de TI - PDTI 2016 2017

Inventário de Necessidades de TI - PDTI 2016 2017 Inventário de Necessidades de TI - PDTI 2016 2017 1. Comunicação Institucional a. Portal UFABC b. Aplicativos para Smartfone c. Eventos d. WEB TV e. Portal do Aluno f. Portal do Professor g. Páginas de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNÓLOGICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNÓLOGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNÓLOGICA DA ESCOLA TÉCNICA AO SETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNÓLOGICA UFPR: um pouco da história A Escola Técnica Federal do Paraná

Leia mais

Indicadores e Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação em Fonoaudiologia (Revisado em 11-11-99)

Indicadores e Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação em Fonoaudiologia (Revisado em 11-11-99) DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DO ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS ENSINO Comissão de especialistas de Fonoaudiologia-CEEFONO Indicadores e Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

[1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 0% 26% 48% 25%

[1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 0% 26% 48% 25% PEDAGOGIA Save as PDF Dimensão 2.1 - AVALIAÇÃO DO ENSINO [1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 0% 26% 48% 25% [2] O sistema de avaliação da aprendizagem utilizado

Leia mais

[1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 2% 35% 29% 32%

[1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 2% 35% 29% 32% MARKETING Save as PDF Dimensão 2.1 - AVALIAÇÃO DO ENSINO [1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 2% 35% 29% 32% [2] O sistema de avaliação da aprendizagem utilizado

Leia mais

Universidade de Brasília Sistema de Planejamento Institucional Secretaria de Planejamento Decanato de Administração

Universidade de Brasília Sistema de Planejamento Institucional Secretaria de Planejamento Decanato de Administração Anexo T Projetos Estratégicos Institucionais 1 Projetos Estratégicos da UnB 1 O processo de modernização da gestão universitária contempla projetos estratégicos relacionados à reestruturação organizacional

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 25 Ministério da Educação Nº 1229 - Segunda feira, 21 de junho de 2010 Gabinete do Ministro - Portaria nº 807, de 18 de junho de 2010 Gabinete do Ministro - Portaria nº 808, de 18 de junho

Leia mais

Comissão Própria de Avaliação - CPA

Comissão Própria de Avaliação - CPA AVALIAÇÃO DO CEFET-RJ PELOS DISCENTES -2010/2 A avaliação das Instituições de Educação Superior tem caráter formativo e visa o aperfeiçoamento dos agentes da comunidade acadêmica e da Instituição como

Leia mais

PROJETO TÉCNICO DA BIBLIOTECA DO FUTURO DO ESPAÇO CRIANÇA ESPERANÇA CANTAGALO, PAVÃO/PAVÃOZINHO SUMÁRIO

PROJETO TÉCNICO DA BIBLIOTECA DO FUTURO DO ESPAÇO CRIANÇA ESPERANÇA CANTAGALO, PAVÃO/PAVÃOZINHO SUMÁRIO PROJETO TÉCNICO DA BIBLIOTECA DO FUTURO DO ESPAÇO CRIANÇA ESPERANÇA CANTAGALO, PAVÃO/PAVÃOZINHO Este Projeto é uma contribuição, de autoria, da Chefe da Biblioteca Euclides da Cunha/Fundação Biblioteca

Leia mais

[1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 1% 15% 47% 35%

[1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 1% 15% 47% 35% AGRONEGÓCIO Save as PDF Dimensão 2.1 - AVALIAÇÃO DO ENSINO [1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 1% 15% 47% 35% [2] O sistema de avaliação da aprendizagem

Leia mais

Lista de Quadros. Fundação Uniplac

Lista de Quadros. Fundação Uniplac Lista de Quadros Quadro 1 Dirigente dafundaçãouniplac... 22 Quadro 2 Matérias apreciadas no Conselho Curador... 23 Quadro 3 Nominata do Conselho Curador... 23 Quadro 4 Matérias apreciadas no Conselho de

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

ROTEIRO PARA SUPERVISÃO I INTRODUÇÃO

ROTEIRO PARA SUPERVISÃO I INTRODUÇÃO ROTEIRO PARA SUPERVISÃO I INTRODUÇÃO Este documento tem a finalidade de estabelecer um referencial para o exercício da função de supervisão dos Cursos das Instituições do Ensino Superior, do Sistema Estadual

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior- Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA DIREÇÃO DE ENSINO DO CÂMPUS CURITIBA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA DIREÇÃO DE ENSINO DO CÂMPUS CURITIBA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA DIREÇÃO DE ENSINO DO CÂMPUS CURITIBA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 A Direção de Ensino do câmpus Curitiba, compreendendo todas as suas seções, com a finalidade

Leia mais

Documento de Referência

Documento de Referência P r ó - R e i t o r i a d e D e s e n v o l v i m e n t o I n s t i t u c i o n a l - I F A M 1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES-RS

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES-RS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES-RS PARECER Nº 07/04 APROVADO EM: 15/12/2004 I- ASSUNTO: Solicitação de autorização de funcionamento da 8ª série da Escola Municipal de Ensino Fundamental Alfredo

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE FLORIANOPOLIS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE FLORIANOPOLIS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE FLORIANOPOLIS CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 39 de 13 de janeiro de 2012, publicada no DOU em 16 de janeiro de 2012. Diretor da Faculdade: Ivanir Salete Bazzei

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS PORTARIA DE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 3.544 de 13 de dezembro de 2002, publicada no DOU em 16 de dezembro de 2002. Diretor da Faculdade: José Carlos

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES -RS

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES -RS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VENÂNCIO AIRES -RS PARECER Nº 14/2004 A APROVADO EM : 15 de dezembro de 2004 I ASSUNTO:Solicitação da autorização de funcionamento da Escola de Educação Infantil Ursinho

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU PORTARIA DE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 1.325 de 18 de maio de 2004, publicada no DOU em 20 de maio de 2004. Diretor da Faculdade: Elita Grosch Maba Diretor

Leia mais

GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL NA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: relato de experiência

GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL NA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: relato de experiência TRABALHO ORAL IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Dimensionamento dos impactos dos serviços digitais na Biblioteca GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL NA BIBLIOTECA CENTRAL

Leia mais

Relatório PROAD 16: Revisar o Plano Diretor de Espaço Físico dos Campi da Universidade para adequá-lo aos Projetos de Expansão da Universidade.

Relatório PROAD 16: Revisar o Plano Diretor de Espaço Físico dos Campi da Universidade para adequá-lo aos Projetos de Expansão da Universidade. DIMENSÃO DO SINAES A QUE SE VINCULA: Infra-estrutura e Bibliotecas Formulário 5 EXTRATO n o 08 REFERENTE AOS RELATÓRIOS DO PROAVI: PROAD 7.2, 14, 15, 16, 17, 18.1, 28.1, 28.2, 28.3, 28.4, 30.1, 30.2, 30.3,

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO INTEGRAL CAMPUS PL PERÍODO 2014 1 INSTITUTO METODISTA

Leia mais

FACILIDADES PARA LOCALIZAÇÃO DE MATERIAIS BIBLIOGRÁFICOS EM ESTANTES NO SISTEMA PERGAMUM

FACILIDADES PARA LOCALIZAÇÃO DE MATERIAIS BIBLIOGRÁFICOS EM ESTANTES NO SISTEMA PERGAMUM 1 FACILIDADES PARA LOCALIZAÇÃO DE MATERIAIS BIBLIOGRÁFICOS EM ESTANTES NO SISTEMA PERGAMUM RESUMO Heloisa Helena Anzolin 1 Relata o caso da Biblioteca Central da Pontifícia Universidade Católica do Paraná,

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA SISTEMA DE BIBLIOTECAS - SIBI NORMAS E PROCEDIMENTOS DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA SISTEMA DE BIBLIOTECAS - SIBI NORMAS E PROCEDIMENTOS DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA SISTEMA DE BIBLIOTECAS - SIBI NORMAS E PROCEDIMENTOS DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UCB 2013 SUMÁRIO 1 DA INTRODUÇÃO... 3 2 DO OBJETIVO... 3 3 DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO...

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Art. 1º A Biblioteca da Faculdade de Tecnologia e Negócios será regida pelo presente Regulamento.

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA. Art. 1º A Biblioteca da Faculdade de Tecnologia e Negócios será regida pelo presente Regulamento. REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Art. 1º A Biblioteca da Faculdade de Tecnologia e Negócios será regida pelo presente Regulamento. CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art. º A biblioteca é uma unidade subordinada,

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Instrução Normativa n o 03/2013 PROGRAD

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2015 MÓDULO IES

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2015 MÓDULO IES DADOS CADASTRAIS MANTENEDORA ID da Mantenedora CNPJ Mantenedora Nome da M antenedora Representante Legal Telefone do Representante Legal Correio Eletrônico do Representante Legal IES ID da IES Nome da

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019. Agosto-2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019. Agosto-2014 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019 Agosto-2014 2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ - PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO

Leia mais

CPA RESULTADOS DAS AÇÕES DE MELHORIAS IMPLEMENTADAS ~ 2014 ~

CPA RESULTADOS DAS AÇÕES DE MELHORIAS IMPLEMENTADAS ~ 2014 ~ CPA RESULTADOS DAS AÇÕES DE MELHORIAS IMPLEMENTADAS ~ 2014 ~ Nossos resultados estão divididos por categorias: Infraestrutura Professores Serviços Acadêmico pedagógico Infraestrutura Unidade FLORIANO PEIXOTO:

Leia mais

Plano de Gestão 2013-2016 IFSP Campus Caraguatatuba

Plano de Gestão 2013-2016 IFSP Campus Caraguatatuba Visão Institucional O Campus Caraguatatuba do IFSP desenvolveu-se nos últimos anos, ampliando os cursos oferecidos, desde a Formação Inicial e Continuada, passando pelos Cursos Técnicos, de Tecnologia,

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA CAMPUS PL PERÍODO 2014 1 INSTITUTO METODISTA

Leia mais