PROCEDIMENTOS PARA ORGANIZAÇÃO E ENTREGA DE DOCUMENTOS NOVOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROCEDIMENTOS PARA ORGANIZAÇÃO E ENTREGA DE DOCUMENTOS NOVOS"

Transcrição

1 PROCEDIMENTOS PARA ORGANIZAÇÃO E ENTREGA DE DOCUMENTOS NOVOS

2 Este manual foi elaborado para orientar o Cliente, Órgão/Entidade, sobre os procedimentos necessários a serem seguidos com relação à preparação e entrega de documentos novos à Coordenadoria de Gestão de Documentos COGED da MGS. A COGED tem como finalidade a prestação de serviços de gestão documental, visando à satisfação do Cliente quanto à agilidade nos serviços prestados. MGS / COGED: Rua Joaquim José, 1175 Fonte Grande Contagem/MG CEP: Tel.: (31)

3 Sumário 1 - O que são documentos novos O que é planilhamento Objetivo deste manual Áreas de aplicação deste procedimento Procedimentos gerais Metodologia adotada para organização da massa documental Data do documento Modelo de etiqueta padrão para caixa arquivo (tamanho 10x14 cm) Formas de preenchimento da etiqueta padrão... 7 Figura 1: Modelo de contêiner com etiqueta padrão Figura 2: Modelo de contêiner (com lacre e etiqueta de localização) para acondicionamento de documentos Figura 3: Modelo de caixa arquivo com etiqueta padrão MEDIDAS: 13 cm (profundidade), 24 cm (altura) e 35 cm (largura) Fonte: Elaborada pela COGED Figura 4: Modelo de contêiner com caixas arquivo no tamanho padrão Figura 5: Modelo de contêiner com caixas arquivo no tamanho padrão Procedimentos para envio de pastas, processos e/ou prontuários Procedimentos específicos para envio de materiais especiais Procedimentos para solicitar exclusão de dados no Sistema de Gestão de Documentos Precauções para quando houver falhas no Sistema Gestão de Documentos Modelo de protocolo para envio de documentos novos Na COGED Contatos

4 1 - O que são documentos novos São documentos enviados pelos Órgãos/Entidades, Clientes da MGS, à Coordenadoria de Gestão de Documentos - COGED para o seu preparo técnico, cadastramento e armazenamento e que, posteriormente, poderão ser solicitados pelos Clientes para serem consultados. 2 - O que é planilhamento É a identificação dos documentos e descrição dos dados em uma planilha de inventário. Exemplos de dados importantes para o serviço de planilhamento: título do documento + número do documento + data do documento + número da caixa (para caixa arquivo e contêiner). 3 - Objetivo deste manual Estabelecer critérios e procedimentos necessários para envio de documentos novos à COGED, orientando o Cliente quanto à organização da documentação a ser enviada. 4 - Áreas de aplicação deste procedimento Este procedimento aplica-se aos Clientes da Gestão de Documentos. 5 - Procedimentos gerais Enviar solicitação através do Sistema de Gestão de Documentos da COGED (conforme instruções do manual do Sistema de Gestão de Documentos), inserindo no campo "Observação (1.000 Caracteres)" na tela Solicitar Documentos a seguinte frase: "Coleta de documentos novos". Deverá também ser inserido o nome, endereço de e telefone de contato do solicitante, a quantidade e forma de armazenamento dos documentos a serem recolhidos. E, depois de preenchido o 3

5 campo Observação (1.000 Caracteres) e os demais da tela Solicitar Documentos clicar em Enviar SOLICITAÇÃO. É importante fornecer o endereço de juntamente com a quantidade de caixas no campo "Observação (1.000 Caracteres), pois serão encaminhadas as cópias das planilhas de inventário e os recibos referentes aos documentos recebidos através do informado pelo solicitante. Exemplo da tela de Solicitação de Documentos com os campos preenchidos 6 - Metodologia adotada para organização da massa documental O Órgão/Entidade deverá realizar os procedimentos apresentados a seguir, para facilitar a identificação da massa documental. 4

6 Toda a documentação a ser enviada para a COGED deverá estar em caixas arquivo tamanho padrão 13 cm (profundidade), 24 cm (altura) e 35 cm (largura) ou contêineres (fornecidos pela COGED), os quais deverão estar com uma etiqueta padrão na frente (conforme modelo na página 7), contendo a descrição do título/assunto dos documentos que estão armazenados na caixa. Para isso, será necessário agrupar toda a massa documental de acordo com os respectivos assuntos a serem tratados. Exemplos: - Processo de compra; - Processo de pagamento; - Correspondência expedida; - Correspondência recebida. Este agrupamento por assunto deverá ser por contêiner ou caixa arquivo. Deve-se lembrar que cada assunto citado acima representa um título documental a ser inserido em caixas arquivo ou contêiner contendo uma etiqueta padrão. Cada agrupamento ou assunto deverá ser distribuído em caixas de modo que assuntos diferentes deverão estar em caixas distintas. O título deverá estar no singular e ser descrito na etiqueta padrão com o máximo de 250 caracteres. O título no plural é utilizado somente para nomes próprios ou quando não existir o termo no singular. Em caso do uso de siglas, deve-se descrever o nome por extenso e em seguida colocar a sigla, separando-a por hífen. Exemplo: Coordenadoria de Gestão de Documentos COGED. Caso a documentação não esteja acondicionada em caixas arquivo, o Cliente deverá fazer uma solicitação de contêineres via sistema para o armazenamento dos documentos. 5

7 Ao serem enviadas para a Gestão de Documentos, as caixas arquivo e contêineres deverão estar com a etiqueta padrão preenchida com informações sobre os documentos. Essas informações serão essenciais para o serviço de conferência, pois as mesmas não serão violadas pela COGED Data do documento A data do documento deverá ser a mais completa possível (dia, mês e ano). Para datas seguidas ou alternadas usar (;) ponto e vírgula como separador, observando o limite de 50 caracteres no campo. Caso seja ultrapassado este limite usar a data inicial e final do documento. Observe abaixo o quadro com exemplos. Exemplos: Dia/mês/ano 20/05/2008 Mês/ano 05/2008 Ano 2008 Seqüência de dia/mês/ano 01/02/2008 a 28/02/2008 Seqüência de mês/ano 02/2008 a 12/2008 Seqüência de ano 2002 a 2008 Datas seguidas e alternadas 2005; 2006; 2009* * Nesse intervalo não está contido o ano de 2008, por isso é necessário colocar (;) ponto e vírgula. 6

8 6.2- Modelo de etiqueta padrão para caixa arquivo (tamanho 10x14 cm) ÓRGÃO SETOR/SIGLA 1 2 TÍTULO DOCUMENTAL (250 caracteres) 3 DATA (50 caracteres) CÓDIGO 4 5 FASES 1º FASE CORRENTE 2º FASE INTERMEDIÁRIA 6 7 3º DESTINAÇÃO FINAL 8 CAIXA Nº Formas de preenchimento da etiqueta padrão 1. ÓRGÃO/SIGLA: nome do Órgão/Entidade por extenso e a sua sigla. 2. SETOR/SIGLA: nome do Setor/Departamento por extenso e a sua sigla. 3. TÍTULO DOCUMENTAL: é a descrição do assunto do documento que está contido na caixa arquivo ou contêiner. É necessário usar título geral (assunto) e se possível adotar somente um título por caixa. Deverá ter no máximo 250 caracteres. Ex. processo de pagamento nº, convênio nº, correspondência expedida. OBS: É proibido o uso de siglas e abreviações no campo do título documental. 4. DATA: é a data do documento, a qual deverá ser a mais completa possível (dia, mês e ano). 7

9 5. CÓDIGO: código do assunto segundo o Plano de Classificação do Arquivo Público Mineiro. Preenchimento não obrigatório. 6. FASE CORRENTE: tempo de guarda do documento, segundo a Tabela de Temporalidade do Arquivo Público Mineiro. Preenchimento não obrigatório. 7. FASE INTERMEDIÁRIA: tempo de guarda do documento, segundo a Tabela de Temporalidade do Arquivo Público Mineiro. Preenchimento não obrigatório. 8. DESTINAÇÃO FINAL: se o documento será eliminado ou irá para guarda permanente, segundo a Tabela de Temporalidade do Arquivo Público Mineiro. Preenchimento não obrigatório. 9. CAIXA Nº: número seqüencial adotado pelo Setor/Departamento do Órgão/Entidade, facilitando a identificação da caixa no momento da solicitação para consulta. Cada caixa deverá ter numeração única. Se houver mudança de caixa arquivo para contêiner manter a seqüência da numeração adotada. OBS: Na etiqueta padrão não é obrigatório o preenchimento dos campos de fases (fase corrente, fase intermediária e destinação final). Essas áreas são reservadas à Comissão de Avaliação de Documentos e serão utilizadas posteriormente quando for criado o Plano de Classificação e a Tabela de Temporalidade Documental. 7 - Precauções e cuidados especiais Ao serem encaminhados para a COGED, os documentos novos deverão estar acompanhados de um protocolo em duas vias (conforme modelo na página 16), informando os dados e as quantidades das caixas ou pastas que serão recolhidas. Um protocolo ficará com o Cliente e o outro com o responsável pela coleta. É indispensável que o protocolo tenha as seguintes informações: nome do Órgão/Entidade, Setor/Departamento, telefone para contato, endereço de , nome legível e assinatura do responsável pelo envio e pela coleta da remessa. Além dessas informações, deverão ser listadas as informações referentes a cada caixa descritas na etiqueta padrão: assunto/título, data do documento, n da caixa em que contêm o documento. Essas informações são para facilitar o controle de saída dos 8

10 documentos do Órgão/Entidade, a entrada deles na COGED, seu tratamento técnico e também para a requisição dos mesmos. A COGED possui o seu próprio modelo de protocolo. Se for de interesse, o Cliente poderá solicitá-lo. Caso o Cliente utilize o seu próprio modelo, este deverá ter todas as informações que estão no cabeçalho do modelo sugerido pala COGED. Toda documentação deverá ser armazenada em caixa arquivo tamanho padrão com de 13 cm (profundidade), 24 cm (altura) e 35 cm (largura). Cada caixa arquivo deverá conter uma etiqueta de frente, preenchida com dados referentes aos documentos. OBS: Não inserir outras etiquetas ou outro tipo de material impresso nas caixas, somente a etiqueta adotada pela COGED. Será desconsiderada outra etiqueta inserida na caixa que não seja a padrão. Na COGED essas caixas arquivo serão acondicionadas em contêineres. Cada contêiner irá armazenar três caixas arquivo no tamanho padrão (figuras 4 e 5). Caso o tamanho das caixas arquivo exceda o tamanho padrão, o contêiner irá armazenar a quantidade de caixas que poderá comportar, ou seja, uma ou duas caixas por contêiner. Neste caso, será necessária uma quantidade maior de contêiner para armazenar toda a documentação do Cliente. Medidas do contêiner: 45 cm (comprimento) 38 cm (largura) e 27 cm (altura). 9

11 Figura 1: Modelo de contêiner com etiqueta padrão Fonte: Elaborada pela COGED Figura 2: Modelo de contêiner (com lacre e etiqueta de localização) para acondicionamento de documentos Fonte: Elaborada pela COGED 10

12 Figura 3: Modelo de caixa arquivo com etiqueta padrão MEDIDAS: 13 cm (profundidade), 24 cm (altura) e 35 cm (largura) Fonte: Elaborada pela COGED Figura 4: Modelo de contêiner com caixas arquivo no tamanho padrão Fonte: Elaborada pela COGED 11

13 Figura 5: Modelo de contêiner com caixas arquivo no tamanho padrão Fonte: Elaborada pela COGED Os documentos deverão ser ordenados dentro de caixa arquivo para facilitar a pesquisa, o manuseio, a armazenagem e o transporte. Antes de serem retiradas do Órgão/Entidade, as caixas arquivo deverão ser lacradas com fita adesiva, da preferência do Cliente, para serem transportadas com segurança e garantir a inviolabilidade do documento. As fitas adesivas das caixas devem ser inseridas de forma que não fiquem sobre as etiquetas. Para facilitar a identificação da caixa, cada setor deverá criar numeração sequencial de caixa arquivo. A numeração não deve considerar o assunto do documento, mas o setor, ou seja, para cada setor é necessário seguir uma única seqüência de números. Se houver mudança de caixa arquivo para contêiner manter a seqüência da numeração adotada. Quanto às pastas suspensas, os documentos poderão ser retirados e transferidos para caixa arquivo. Se o Cliente desejar manter o documento na própria pasta suspensa, deverá retirar as abas das pastas para que viabilize o seu acondicionamento na caixa arquivo. Se o Cliente optar em mudar a forma de 12

14 acondicionamento para outro tipo de pasta, envelope ou pacote, estes deverão ser armazenados diretamente na caixa arquivo. Caso a caixa arquivo não comporte o volume de documentos, esses poderão ser acondicionados diretamente no contêiner (ambiente para armazenamento de três caixas arquivo tamanho padrão adotado pela COGED). Nesse caso, a etiqueta deverá ser afixada no próprio contêiner, na parte da frente e centralizada conforme mostra a figura 1. A finalidade da etiqueta de controle do Cliente é para facilitar a conferência no momento da coleta e da chegada dos documentos na COGED. Após a conferência, será retirada a etiqueta de controle do Cliente e será colocada no mesmo local a etiqueta de localização de contêiner da COGED. O Cliente irá fazer o controle dos documentos através da planilha de inventário e dos dados no Sistema de Gestão de Documentos. Caso a documentação seja armazenada diretamente no contêiner, este deverá ter no máximo 40 cm de documentos. Se for do interesse do Cliente em enviar posteriormente mais documentos para serem arquivados diretamente nos contêineres já enviados anteriormente, deverá ter o cuidado em armazenar uma quantidade de documentos de maneira que ocupem um espaço de metragem menor que 40 cm para ser preenchido posteriormente. Caso contrário, irá fazer um novo pedido de armazenamento em novos contêineres. O Cliente deve ter o cuidado de não superlotar os contêineres com peso superior a 20 kg de documentos. Acima desse peso existe o risco dos contêineres serem danificados. Se no momento da coleta de documentos for verificado que os contêineres estão muito acima do peso estabelecido pela Gestão, será comunicado ao Cliente um pedido de reorganização dos documentos de maneira a alcançar a medida certa. Caso a Gestão de Documentos receba em suas instalações contêineres muito pesados, os mesmos serão devolvidos para o Cliente para que se proceda da mesma maneira. A solicitação (pedido do documento via sistema) será realizada conforme a indexação adotada. Será enviada somente a caixa solicitada. 13

15 O Cliente poderá solicitar o documento pelo título descrito na etiqueta ou pelo número da caixa. Por isso, deve-se ter o cuidado com a descrição que reflita o que realmente existe na caixa. A documentação será enviada para o Cliente conforme o serviço realizado pela COGED (contêiner, caixa arquivo ou processo). Se o acondicionamento dos documentos tiver sido feito diretamente por contêiner será enviado o contêiner inteiro quando for feito a solicitação de empréstimo. Se for por caixa arquivo será enviado somente à caixa arquivo solicitada. Caso o acondicionamento for por processo será encaminhado somente o processo solicitado Procedimentos para envio de pastas, processos e/ou prontuários Para o envio de pastas, processos e/ou prontuários o Cliente deverá armazená-los diretamente em contêineres. Neste caso não será necessário colocar a etiqueta padrão no contêiner, uma vez que a indexação e o armazenamento dos documentos na COGED serão feitos por processo. Enviar junto com a documentação, o protocolo contendo as informações importantes para identificação dos documentos (título + número + data). O protocolo deverá ser feito em duas vias, sendo uma para controle do Cliente e a outra para controle da COGED. É aconselhável que o Cliente utilize o modelo de protocolo sugerido pela COGED. (modelo na página 16). Caso seja um serviço novo, o Cliente deverá entrar em contato com a Gestão de Documentos e agendar uma visita técnica ao local para uma avaliação e medição da documentação. Será feito um relatório, o qual será enviado para o Cliente verificar o volume da documentação a ser trabalhada. Após aprovação do relatório pelo Cliente será iniciado o trabalho de definição dos critérios de indexação dos documentos, ou seja, definição dos assuntos/títulos e outros dados que serão extraídos dos documentos para poderem ser identificados numa planilha de inventário, inseridos no Sistema de Gestão de Documentos e localizados no momento da pesquisa. 14

16 7.2 - Procedimentos específicos para envio de materiais especiais O procedimento para envio de material especial (microfilmes, microfichas, mapas, fotos, vídeos, CD, DVD, disquetes, etc.) deverá seguir os critérios estabelecidos para o envio de documentos em caixa arquivo e contêiner. O Cliente poderá encaminhar o material em qualquer tipo de embalagem que será repassada para armário ou para contêiner, conforme o tipo de material. Deverá vir acompanhado de protocolo de entrega, conforme descrito anteriormente. Para microfichas, microfilmes e mapas que vierem em caixas tipo contêiner ou no próprio contêiner, serão inventariados e acondicionados em armários próprios. Os demais serão inventariados e armazenados em contêiner, conforme o serviço oferecido para material convencional Procedimentos para solicitar exclusão de dados no Sistema de Gestão de Documentos A exclusão de dados no sistema é realizada quando o Cliente faz a solicitação do documento e este não retornará para o arquivo da MGS, sendo necessário excluir o cadastro do documento no sistema de Gestão de Documentos. O Cliente deverá acessar o Sistema e fazer a solicitação, preenchendo os campos da mesma forma quando faz a solicitação de documentos. No campo da observação deverá descrever que se trata de solicitação de exclusão, conforme modelo da figura 06. Para solicitar a exclusão dos dados, é necessário que o documento esteja de posse do Cliente. Caso o documento esteja armazenado na COGED, o Cliente deverá fazer a solicitação de empréstimo do mesmo. Após a solicitação da exclusão, a(s) etiqueta(s) código de barras do(s) processo(s), da(s) caixa(s) arquivo ou do(s) contêiner(es) deverão ser retiradas e descartadas. Em hipótese alguma, a etiqueta código de barras do processo, da caixa arquivo ou do contêiner deverá ser reutilizada e enviada novamente para a COGED, pois poderá ser confundido com documento cadastrado no Sistema. 15

17 Figura 6: Modelo de solicitação de exclusão de dados via sistema Fonte: Elaborada pela COGED Precauções para quando houver falhas no Sistema Gestão de Documentos Para as ocasiões em que ocorrer falhas do Sistema de Gestão de Documentos, ou o mesmo fique fora do ar, a comunicação entre a COGED e o Cliente será fazer o contato via telefone. Para fazer a solicitação da coleta de documentos o Cliente deverá ligar para a COGED e fazer a solicitação. Assim que o Sistema de Gestão de Documentos voltar a funcionar a COGED entrará em contato com o Cliente para que a solicitação feita via telefone seja repassada para o sistema. Isso é para que haja um controle no Sistema de Gestão de Documentos das solicitações feitas pelo Cliente. 16

18 7.5 - Modelo de protocolo para envio de documentos novos PROTOCOLO DE ENVIO DE DOCUMENTOS NOVOS À COORDENADORIA DE GESTÃO DE DOCUMENTOS COGED/MGS Data de Envio: ÓRGÃO/ENTIDADE: TELEFONE DE CONTATO: RESPONSÁVEL PELO ENVIO DA REMESSA SETOR/DEPARTAMENTO: ENDEREÇO DE RESPONSÁVEL PELO RECEBIMENTO DA REMESSA Nome por extenso Assinatura Nome por extenso Assinatura DOCUMENTOS ORGANIZADOS POR: Contêiner: Caixa Arquivo: QUANTIDADE ENVIADA DE: Contêiner: Caixa Arquivo: Pastas e/ou Processos: ASSUNTO/TÍTULO DOCUMENTAL Pastas e/ou Processos: DATA DO DOCUMENTO N DA CAIXA 17

19 8 Na COGED Após a coleta dos documentos os carregadores encaminharão os protocolos para conferência na Expedição da COGED. Se os dados estiverem corretos, os documentos serão encaminhados para o (a) Bibliotecário (a) que iniciará junto com uma equipe de auxiliares o processo de planilhamento. Esse será feito conforme o conteúdo descrito na etiqueta padrão da caixa arquivo ou contêiner, e no caso de pastas funcionais, prontuários e/ou processos, o critério de indexação será definido com o Cliente. Após o planilhamento, será enviada para o Cliente uma cópia das planilhas e recibos correlatos aos inventários das caixas. 9- Contatos SAC Serviço de Atendimento ao Cliente (31) (31) (31) (31) Alberto Alves Simões (31) (31) Michel Lopes França (31) (31) Horário de expediente: de segunda a sexta-feira de 08h00min as 17h00min. Estamos à disposição para esclarecimentos em relação aos procedimentos abordados. 18

MANUAL DO SISTEMA GESTÃO DE DOCUMENTOS

MANUAL DO SISTEMA GESTÃO DE DOCUMENTOS MANUAL DO SISTEMA GESTÃO DE DOCUMENTOS Este manual foi desenvolvido para orientar os usuários do Sistema de Gestão de Documentos a realizar pesquisas e consultas de documentos armazenados na Coordenadoria

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-500-R00 ARQUIVAMENTO DE PROCESSOS NA SGP

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-500-R00 ARQUIVAMENTO DE PROCESSOS NA SGP MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-500-R00 ARQUIVAMENTO DE PROCESSOS NA SGP 02/2016 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 03 de fevereiro de 2016. Aprovado, Carolina dos Santos Costa 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE

Leia mais

MANUAL DO SERIE ALIMENTAÇÃO

MANUAL DO SERIE ALIMENTAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO SECRETÁRIO ADJUNTO DIRETORIA DE APOIO AO ESTUDANTE ASSESSORIA DE ANÁLISE E ESTATÍSTICA GERÊNCIA DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR 3 SUMÁRIO 1. ACESSO... 05 1.1 Alterar

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÃO PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÃO Acesse o site www.teubilhete.com.br, selecione a opção Teu Online, e clique no botão, preencha o formulário com os dados de sua empresa. Reúna duas vias impressas do Contrato

Leia mais

Parametrização Itens para Movimentação

Parametrização Itens para Movimentação Parametrização Itens para Movimentação Sumário Manutenção Itens... 4 Filtro... 5 Movimentações de Entrada... 8 Movimentações de Saída... 10 Configurações de Inventário de Item... 11 Código de Barras e

Leia mais

1) Todos os dados devem ser digitados em MAIÚSCULA;

1) Todos os dados devem ser digitados em MAIÚSCULA; 1. Iniciar o Cadastramento UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Inicialmente, para cadastrar clicar em Observações importantes: 1) Todos os dados devem ser digitados em MAIÚSCULA; 2) Os processos devem

Leia mais

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Programa AMG Manual de Operação Conteúdo 1. Sumário 3 2. Programa

Leia mais

GUIA DE APLICAÇÃO EBT

GUIA DE APLICAÇÃO EBT GUIA APLICAÇÃO EBT CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO COORNAÇÃO-GERAL COOPERAÇÃO FERATIVA E CONTROLE SOCIAL SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 PREPARAÇÃO... 4 REGULAMENTAÇÃO... 6 PASSIVA... 7 FIM DA AVALIAÇÃO... 10 REVISÃO...

Leia mais

Índice. 5. Editar as seções de um curso 6. Estruturar o curso 7. Publicar o curso 8. Resumo do Fluxo de criação de um curso no educommons

Índice. 5. Editar as seções de um curso 6. Estruturar o curso 7. Publicar o curso 8. Resumo do Fluxo de criação de um curso no educommons Manual do Professor Índice 1. Selecionar a categoria na qual incluir o curso 2. Adicionar um curso novo 3. Importar o template do curso 4. Fazer upload de conteúdos do novo curso para a plataforma 4.1.

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÃO. 1- Para acessar o sistema é necessário seguir os passos abaixo:

GUIA DE ORIENTAÇÃO. 1- Para acessar o sistema é necessário seguir os passos abaixo: GUIA DE ORIENTAÇÃO 1- Para acessar o sistema é necessário seguir os passos abaixo: 1.1 - ACESSAR O SITE DA PREFEITURA: 1.2 - CLICAR NA OPÇÃO: SERVIÇOS >> NOTA FISCAAL ELETRÔNICA 1.3 - Aguarde carregar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA. Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (SISTEC) GUIA SISTEC

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA. Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (SISTEC) GUIA SISTEC MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (SISTEC) GUIA SISTEC FEVEREIRO / 2010 GUIA SISTEC INTRODUÇÃO...03 PRÉ-CADASTRO

Leia mais

Envio de Caixas-Box ao Arquivo Geral (Relativos às peças digitalizadas para descarte)

Envio de Caixas-Box ao Arquivo Geral (Relativos às peças digitalizadas para descarte) PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO PTJAM 61 Envio de Caixas-Box ao Arquivo Geral (Relativos às peças digitalizadas

Leia mais

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO?

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO? Índice BlueControl... 3 1 - Efetuando o logon no Windows... 4 2 - Efetuando o login no BlueControl... 5 3 - A grade de horários... 9 3.1 - Trabalhando com o calendário... 9 3.2 - Cancelando uma atividade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE ELEVADOR UNIPESSOAL QUICK UP 14 PARA UTILIZAÇÃO DA EQUIPE DE OPERAÇÕES NO MUSEU DO AMANHÃ.

TERMO DE REFERÊNCIA OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE ELEVADOR UNIPESSOAL QUICK UP 14 PARA UTILIZAÇÃO DA EQUIPE DE OPERAÇÕES NO MUSEU DO AMANHÃ. TERMO DE REFERÊNCIA OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE ELEVADOR UNIPESSOAL QUICK UP 14 PARA UTILIZAÇÃO DA EQUIPE DE OPERAÇÕES NO MUSEU DO AMANHÃ. JUSTIFICATIVA O Museu do Amanhã será uma das âncoras do plano de

Leia mais

Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO. 1- Como aderir à proposta AMQ?

Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO. 1- Como aderir à proposta AMQ? Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO 1- Como aderir à proposta AMQ? A adesão é realizada através do preenchimento e envio do Formulário de Cadastramento Municipal no site do projeto. O gestor municipal da saúde

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Página 1 de 10 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes básicas pertinentes a Guarda de Documentos de Terceiros. 2. APLICAÇÃO Este procedimento aplica-se aos processos da guarda de documentos de terceiros,

Leia mais

O Presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

O Presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA CRCMG Nº 137/2009 APROVA ALTERAÇÕES NO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROFESSOR ANTÔNIO LOPES DE SÁ. O Presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

PEDIDOS WEB MANUAL DO USUÁRIO

PEDIDOS WEB MANUAL DO USUÁRIO PEDIDOS WEB MANUAL DO USUÁRIO CONTEÚDO Sobre o site... 2 Segurança -Trocar Senha... 4 Segurança Cadastrarusuários... 5 Configurações Preços... 6 Configurações Dados de Contato... 7 Configurações Assinatura

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA XI CONGRESSO DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO CONPEEX

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA XI CONGRESSO DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO CONPEEX UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA XI CONGRESSO DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO CONPEEX NORMAS DA XI MOSTRA DE EXTENSÃO E CULTURA A XI MOSTRA DE EXTENSÃO E CULTURA DA UFG acontecerá

Leia mais

Ter o controle das pastas (Prontuários) armazenadas no "SAME", utilizando-se do recurso do "Volume".

Ter o controle das pastas (Prontuários) armazenadas no SAME, utilizando-se do recurso do Volume. Page 1 of 31 184771 Módulo: AMAP - SAME PDA 184771: Controle do Arquivamento de Pastas do SAME. SOLICITAÇÃO DO CLIENTE Ter o controle das pastas (Prontuários) armazenadas no "SAME", utilizando-se do recurso

Leia mais

Roteiro para Cadastramento no Módulo PC Online do SiGPC Data de atualização: 10/2/2012

Roteiro para Cadastramento no Módulo PC Online do SiGPC Data de atualização: 10/2/2012 Roteiro para Cadastramento no Módulo PC Online do SiGPC Data de atualização: 10/2/2012 Para começar, tenha em mãos o seguinte: A mensagem eletrônica ou ofício que você recebeu do FNDE contendo Usuário

Leia mais

1. REGISTRO DE PROJETOS

1. REGISTRO DE PROJETOS 1. REGISTRO DE PROJETOS Nesta aplicação será feito o registro dos projetos/ ações de extensão, informando os dados iniciais do projeto, as classificações cabíveis, os participantes, a definição da região

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ORÇAMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ORÇAMENTOS Conteúdo MANUAL DE PROCEDIMENTOS ORÇAMENTOS... 2 Conceito de Manual Procedimentos... 2 Objetivos do Manual... 2 Aspectos Técnicos... 2 1. ACESSO AO SISTEMA ODONTOSFERA... 3 2. STATUS DO PACIENTE NO SISTEMA...

Leia mais

COBRANÇA NÃO REGISTRADA

COBRANÇA NÃO REGISTRADA LAYOUT TÉCNICO - VOLUME I MANUAL DE EMISSÃO DO CLIENTE Versão: Abril/2012 HSBC BANK BRASIL S.A. Banco Múltiplo. PUBLIC ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO Pág. 02 2 CAMPOS DO BLOQUETO A SEREM PREENCHIDOS Pág. 03 3 DADOS

Leia mais

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Versão Fevereiro/2013 Índice PCS - Módulo de Prestação de Contas...3 Acesso ao Módulo PCS...3 1. Contas financeiras...5 1.1. Cadastro de

Leia mais

Manual do Usuário. Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Manual do Usuário. Agência Nacional de Vigilância Sanitária Agência Nacional de Vigilância Sanitária Manual do Usuário Solicitação de Pesquisas ao Banco de Dados, Visões do Banco de Dados e Relatórios permanentes Gerência de Desenvolvimento de Sistemas Gerencia-Geral

Leia mais

Sistema representação G3.ss. Tabela de Clientes. Tabela de Representantes. Tabela de Fornecedores

Sistema representação G3.ss. Tabela de Clientes. Tabela de Representantes. Tabela de Fornecedores Tabela de Clientes Além de registrar os dados principais do cliente, pode-se registrar vários contatos, o endereço de cobrança e de entrega (se forem diferentes do principal). Cada cliente tem um registro

Leia mais

2 PASSO: Depois de acessado um dos endereços acima, clicar em Serviços Eletrônicos.

2 PASSO: Depois de acessado um dos endereços acima, clicar em Serviços Eletrônicos. GUIA PARA PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO TRANSMISSÃO POR DOAÇÃO 1 PASSO: Acesse o sistema ITCMD: 1) Clique no link ITCMD existente no Posto Fiscal Eletrônico, cujo endereço eletrônico é http://pfe.fazenda.sp.gov.br/

Leia mais

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE PERFIL E TREINAMENTO VAPT VUPT

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE PERFIL E TREINAMENTO VAPT VUPT Sistema de Gestão do Programa Vapt Vupt SUPERINTENDÊNCIA DA ESCOLA DE GOVERNO HENRIQUE SANTILLO PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE PERFIL E TREINAMENTO VAPT VUPT Responsáveis: Ludmilla Sequeira Barbosa e Rosana

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A INSTITUCIONALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO

ORIENTAÇÕES PARA A INSTITUCIONALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO ORIENTAÇÕES PARA A INSTITUCIONALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO CURSOS DE EXTENSÃO: Caracterizados como um conjunto articulado de ações pedagógicas, de caráter teórico e/ou prático, presencial ou à distância,

Leia mais

FS133.1. Sistema: Futura Server. Caminho: Contas a Receber>Boleto>Boleto Baixa. Referência: FS133.1. Versão: 2016.07.04

FS133.1. Sistema: Futura Server. Caminho: Contas a Receber>Boleto>Boleto Baixa. Referência: FS133.1. Versão: 2016.07.04 Como Baixar FS133.1 Boletos? Sistema: Futura Server Caminho: Contas a Receber>Boleto>Boleto Baixa Referência: FS133.1 Versão: 2016.07.04 Como Funciona: Esta tela é utilizada para gerar arquivos que informarão

Leia mais

(HOJE É FEITO POR PETICIONAMENTO ELETRÔNICO NO SITE DA ANVISA)

(HOJE É FEITO POR PETICIONAMENTO ELETRÔNICO NO SITE DA ANVISA) ANEXO I Solicitação de Autorização de Funcionamento de Empresas Distribuidoras de Produtos Farmacêuticos (HOJE É FEITO POR PETICIONAMENTO ELETRÔNICO NO SITE DA ANVISA) A empresa interessada em desenvolver

Leia mais

MANUAL DA TABELA DE TEMPORALIDADE

MANUAL DA TABELA DE TEMPORALIDADE MANUAL DA TABELA DE TEMPORALIDADE DEFINIÇÃO Conjunto de documentos produzidos, recebidos e acumulados pela Administração Pública Municipal Direta e Indireta, no exercício de suas funções e atividades.

Leia mais

REGISTRO DE PROJETOS

REGISTRO DE PROJETOS REGISTRO DE PROJETOS 1. REGISTRO DE PROJETOS Esta aplicação tem o objetivo de realizar o Registro de Projetos da Instituição. É possível, incluir, alterar ou excluir essas informações. 1.1. Acessando a

Leia mais

MANUAL DO PEP ATUALIZADO EM 13-08-2014 PROPOSTA ELETRÔNICA DE PREÇOS REFERENTE A VERSÃO DO PEP: 2.0.0.25

MANUAL DO PEP ATUALIZADO EM 13-08-2014 PROPOSTA ELETRÔNICA DE PREÇOS REFERENTE A VERSÃO DO PEP: 2.0.0.25 MANUAL DO PEP ATUALIZADO EM 13-08-2014 PROPOSTA ELETRÔNICA DE PREÇOS REFERENTE A VERSÃO DO PEP: 2.0.0.25 1 Sumário 1.Objetivo...03 2.Suporte...03 3.Como instalar...03 4.Usando o PEP...09 2 1. Objetivo:

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS Manual do Usuário: SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS Em 2013 foi adquirido o Sistema de Gerenciamento de Bibliotecas Pergamum para todas Bibliotecas do IFRS. A implantação está sendo feita de acordo com as

Leia mais

MÓDULO DE DECLARAÇÃO DE RENDIMENTOS DECORE MANUAL Versão 2.0

MÓDULO DE DECLARAÇÃO DE RENDIMENTOS DECORE MANUAL Versão 2.0 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE MÓDULO DE DECLARAÇÃO DE RENDIMENTOS DECORE MANUAL Versão 2.0 Spiderware Consultoria em Informática Rua Mayrink Veiga, 11 / 804 Rio de Janeiro RJ CEP 20090-050 Tel. 0 (XX)

Leia mais

ANEXO C MANUAL DE POLÍTICA DE FORNECIMENTO PARA ATENDIMENTO ÀS LOJAS DA REDE PRÓPRIA

ANEXO C MANUAL DE POLÍTICA DE FORNECIMENTO PARA ATENDIMENTO ÀS LOJAS DA REDE PRÓPRIA ANEXO C MANUAL DE POLÍTICA DE FORNECIMENTO PARA ATENDIMENTO ÀS LOJAS DA REDE PRÓPRIA Prezados Senhores, Face à constante processo de melhoria contínua nos procedimentos da Rede de Valor Le Postiche, elaboramos

Leia mais

TUTORIAL PMS CARD. Acesse o site: www.pmscard.com.br

TUTORIAL PMS CARD. Acesse o site: www.pmscard.com.br TUTORIAL PMS CARD Acesse o site: www.pmscard.com.br FAÇA O LOGIN Para fazer o login digite o seu e-mail e senha e clique em entrar. SELECIONE A EMPRESA Selecione a empresa na qual deseja utilizar clicando

Leia mais

Manual SIGEESCOLA Matrícula - 2009

Manual SIGEESCOLA Matrícula - 2009 Manual SIGEESCOLA Matrícula - 2009 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA EDUCAÇÃO BÁSICA COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO DA ESCOLA PASSO A PASSO DA UTILIZAÇÃO DO SIGE ESCOLA 2009 1. PARA ACESSAR O

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS QUANTO A UTILIZAÇÃO DO SUBSISTEMA DE CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DE DOCUMENTOS/SGA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS QUANTO A UTILIZAÇÃO DO SUBSISTEMA DE CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DE DOCUMENTOS/SGA MANUAL DE PROCEDIMENTOS QUANTO A UTILIZAÇÃO DO SUBSISTEMA DE CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DE DOCUMENTOS/SGA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE SECRETARIA GERAL SERVIÇO DE COMUNICAÇÕES ADMINISTRATIVAS

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE EMISSÃO DE PARECER TÉCNICO

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE EMISSÃO DE PARECER TÉCNICO MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO DE EMISSÃO DE PARECER TÉCNICO CADASTRO NO SISTEMA 1 INÍCIO Para dar início ao cadastro de solicitação, digite o número do CNPJ da

Leia mais

MPR MPR/SIA-805-R03 APROVAÇÃO DO PROGRAMA DE SEGURANÇA DE OPERADOR AÉREO

MPR MPR/SIA-805-R03 APROVAÇÃO DO PROGRAMA DE SEGURANÇA DE OPERADOR AÉREO MPR MPR/SIA-805-R03 APROVAÇÃO DO PROGRAMA DE SEGURANÇA DE OPERADOR AÉREO 07/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 06 de julho de 2015. Aprovado, Leonardo Boszczowski Fabio Faizi Rahnemay Rabbani 3 PÁGINA

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO Nº 084 Novembro 2012

BOLETIM INFORMATIVO Nº 084 Novembro 2012 BOLETIM INFORMATIVO Nº 084 Novembro 2012 Novo Procedimento para Geração de Ordem de Serviço PREZADO(s) PARCEIRO(s) A Luizaseg tem uma novidade para vocês! Agora, será possível gerar a Ordem de Serviço

Leia mais

EDITAL PROGRAD 06/2014 PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS ESTRUTURANTES DE LABORATÓRIOS PARA O ENSINO DE GRADUAÇÃO 2015 / 2017.

EDITAL PROGRAD 06/2014 PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS ESTRUTURANTES DE LABORATÓRIOS PARA O ENSINO DE GRADUAÇÃO 2015 / 2017. EDITAL PROGRAD 06/2014 PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS ESTRUTURANTES DE LABORATÓRIOS PARA O ENSINO DE GRADUAÇÃO 2015 / 2017. I - OBJETIVO DO PROGRAMA 1. O Programa objetiva apoiar a estruturação dos laboratórios

Leia mais

SIE - SISTEMA DE INFORMAÇÕES PARA O ENSINO CADASTRO DE FUNCIONÁRIOS

SIE - SISTEMA DE INFORMAÇÕES PARA O ENSINO CADASTRO DE FUNCIONÁRIOS SIE - SISTEMA DE INFORMAÇÕES PARA O ENSINO CADASTRO DE FUNCIONÁRIOS SANTA MARIA FATECIENS 2008 Este manual tem por finalidade apresentar as especificações detalhadas da aplicação de Cadastro de Funcionários,

Leia mais

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CADERNO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENSINO MÉDIO

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CADERNO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENSINO MÉDIO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CADERNO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENSINO MÉDIO RIBEIRÃO PRETO 2013 ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Aluno: RA: Ano/semestre: Período letivo: 2 SUMÁRIO ORIENTAÇÕES

Leia mais

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo CeC Cadastro eletrônico de Contribuintes Usuário Anônimo Versão 1.2 13/10/2010 Sumário Apresentação... 3 Objetivo... 3 1. Solicitação de CeC... 4 1.1. Cadastro de Pessoas Físicas... 6 1.1.1 Cadastro de

Leia mais

1 DOCUMENTOS FATURÁVEIS

1 DOCUMENTOS FATURÁVEIS 1 DOCUMENTOS FATURÁVEIS O faturamento do posto deve ser ágil e exato, para tanto as funcionalidades básicas que devem ser focadas são as de conferência de documentos e de configuração e validação das informações

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO. Produtos: Saúde Pró Faturamento Saúde Pró Upload. Versão: 20130408-01

MANUAL DE UTILIZAÇÃO. Produtos: Saúde Pró Faturamento Saúde Pró Upload. Versão: 20130408-01 Produtos: Saúde Pró Upload Versão: 20130408-01 Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 LOGIN... 4 3 VALIDADOR TISS... 7 4 CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... 10 4.1 DADOS CADASTRAIS MATRIZ E FILIAL... 11 4.2 CADASTRO DE

Leia mais

TUTORIAL HOMOLOGAÇÃO DE BOLETOS

TUTORIAL HOMOLOGAÇÃO DE BOLETOS Sumário Apresentação... 1 1. Cadastrar Banco... 2 2. Cadastrar Cobrança... 5 3. Permitir Acesso a Cobrança... 7 4. Inserir Dados Integração Bancária... 9 5. Importar Layout... 16 6. Gerar e imprimir boleto...

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CECÍLIA MEIRELES

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CECÍLIA MEIRELES REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CECÍLIA MEIRELES 1) DO ACESSO E DO FUNCIONAMENTO 1.1) Horário de funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h50min. 1.2) Quem pode usar a Biblioteca: I. Alunos regularmente

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA GESTÃO DO TRABALHO FRENQUENTLY ANSWER QUESTIONS (FAQ S) ATIVIDADES PARA FORMAÇÃO

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA GESTÃO DO TRABALHO FRENQUENTLY ANSWER QUESTIONS (FAQ S) ATIVIDADES PARA FORMAÇÃO PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA GESTÃO DO TRABALHO FRENQUENTLY ANSWER QUESTIONS (FAQ S) ATIVIDADES PARA FORMAÇÃO 1 FORMAÇÃO 1.1 O que é formação? Todas atividades relacionadas ao processo de educação, que

Leia mais

Apresentação do VisualA

Apresentação do VisualA Propriedade Intelectual: Distribuidor Exclusivo: M. B. Santos Soares, Lda. Cruzinfor Rua João Andersen, 90 1º Dtº Rua 5 de Outubro, 3 B - Paivas 4250-242 PORTO 2840 SEIXAL Tel.: 22.8329107 Tel.: 21.2249533

Leia mais

Manual de Utilização do PDV Klavix

Manual de Utilização do PDV Klavix Manual de Utilização do PDV Klavix Página 1/20 Instalando a partir do CD Se você recebeu um CD de instalação, rode o programa Instalador que se encontra no raiz do seu CD. Ele vai criar a pasta c:\loureiro

Leia mais

AVISO: Os exemplos contidos no HELP ONLINE são meramente ilustrativos e têm como objetivo principal ensinar o usuário a utilizar o sistema.

AVISO: Os exemplos contidos no HELP ONLINE são meramente ilustrativos e têm como objetivo principal ensinar o usuário a utilizar o sistema. AVISO: Os exemplos contidos no HELP ONLINE são meramente ilustrativos e têm como objetivo principal ensinar o usuário a utilizar o sistema. Os casos não refletem casos reais e não devem ser utilizados

Leia mais

Guia Rápido. Sistema de Cobrança - Beneficiário

Guia Rápido. Sistema de Cobrança - Beneficiário GuiaRápido SistemadeCobrança-Beneficiário GR SistemadeCobrança Beneficiário Índice 1 Introdução... 4 2 Público Alvo... 4 3 Pré-Requisitos... 4 4 Acessando o Sistema de Cobrança... 5 5 Cadastro... 6 5.1

Leia mais

3. Definições: Código de Classificação de Documentos do TJAM. Código: POP-STGARQ-001. Revisão: 06. Páginas 10. Data 31/05/2012.

3. Definições: Código de Classificação de Documentos do TJAM. Código: POP-STGARQ-001. Revisão: 06. Páginas 10. Data 31/05/2012. 001/20 - Providenciar o Arquivamento, : 1. Objetivo: Padronizar os procedimentos relacionados aos pedidos de arquivamento, desarquivamento e encaminhar os autos processuais findos oriundos das Unidades

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS DOS DIRETÓRIOS PARTIDÁRIOS Tendo em vista a obrigação das agremiações partidárias de prestar contas até 30 de abril de 2014, referente ao exercício

Leia mais

Neo Solutions Manual do usuário Net Contábil. Índice

Neo Solutions Manual do usuário Net Contábil. Índice Manual Neo Fatura 2 Índice 1. Introdução... 3 2. Configurando o software para importar dados de clientes... 3 3. Importando o cadastro de clientes... 4 4. Cadastro de Bancos... 5 5. Cadastro de Conta Correntes...

Leia mais

GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS

GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS Sumário 1. Introdução... 2 2. Início Portal Coordenador... 2 2.1. Novos Pedidos... 2 2.2. Pendências... 3 2.3. Menu... 4 2.4. Sair... 4 3. Saldo de Projetos... 5 4. Extrato

Leia mais

Manual do. Almoxarifado

Manual do. Almoxarifado Manual do Almoxarifado Parnaíba 2013 APRESENTAÇÃO O Almoxarifado é o local destinado à guarda, localização, segurança e preservação do material adquirido, adequado à sua natureza, a fim de suprir as necessidades

Leia mais

Manual de Conciliação Bancária

Manual de Conciliação Bancária Manual de Conciliação Bancária Índice Conciliação Bancária... 2 O módulo de Conciliação Bancária no SIGEF... 3 Conciliação Bancária Extrato Bancário... 5 Fazendo a Conciliação Bancária Extrato Bancário...

Leia mais

Manual do Usuário. Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de Alíquota e Antecipação - DeSTDA

Manual do Usuário. Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de Alíquota e Antecipação - DeSTDA Livro Super Simples Manual do Usuário Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de Alíquota e Antecipação - DeSTDA Secretarias de Fazenda Estaduais, do Distrito Federal e Comitê Gestor do Simples

Leia mais

0800-728-2001 (Capitais e Interior) 0800-729-2001 (Demais Localidades) 0800-727-2001 (Capitais e Interior) Golden Fone (SAC)

0800-728-2001 (Capitais e Interior) 0800-729-2001 (Demais Localidades) 0800-727-2001 (Capitais e Interior) Golden Fone (SAC) Golden Fone (SAC) 0800-728-2001 (Capitais e Interior) Central Técnica 4004-2001 (Regiões Metropolitanas do Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília e São Luís) 0800-729-2001

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO

NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO 1. DA DEFINIÇÃO a) O Trabalho de Graduação (TG) compreende o estudo de um problema em profundidade, requerendo

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE VII ATOS DE REVISÃO VERSÃO 2014 Maio de 2014 SIGFIS-Sistema Integrado

Leia mais

Aplicação de RMAs - Instruções

Aplicação de RMAs - Instruções Aplicação de RMAs - Instruções 1 - Registo do Utilizador na Plataforma Existem duas possibilidades de um utilizador se registar na plataforma de RMAs. Utilizador com acesso ao site Utilizador sem acesso

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Instrução Operacional nº 57 SENARC/ MDSBrasília,08de janeirode 2013. Assunto:Divulga aos municípios orientações para a substituição de Gestor Municipal, Prefeito, Órgão Responsável, Equipe de Gestão e

Leia mais

Manual do Módulo de PC Online

Manual do Módulo de PC Online do Módulo de PC Online Agilis Conteúdo Introdução... 4 Acesso à Funcionalidade... 5 1. Internet Explorer 6.x... 7 2. Internet Explorer 7.x... 9 3. Netscape Navigator 7.x... 10 4. Netscape Navigator 7.2x...

Leia mais

PROCEDIMENTO DO CLIENTE

PROCEDIMENTO DO CLIENTE PROCEDIMENTO DO CLIENTE Título: Manual da Loja Virtual. Objetivo: Como anunciar produtos e acompanhar as vendas. Onde: Empresa Quem: Cliente Quando: Início Através deste manual, veremos como anunciar e

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL. Sistema Eletrônico Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação. PARTE I Seleção do município e inserção de dados cadastrais

MANUAL OPERACIONAL. Sistema Eletrônico Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação. PARTE I Seleção do município e inserção de dados cadastrais MANUAL OPERACIONAL Sistema Eletrônico Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação PARTE I Seleção do município e inserção de dados cadastrais Tela 1. Abertura do Sistema Tela 2: 1. Arquivo: Selecione

Leia mais

Novas formas de trabalhar estão se desenvolvendo a partir do uso das. Lotacional, com o propósito de facilitar o controle mediante a

Novas formas de trabalhar estão se desenvolvendo a partir do uso das. Lotacional, com o propósito de facilitar o controle mediante a Apresentação Novas formas de trabalhar estão se desenvolvendo a partir do uso das tecnologias de comunicação. A Diretoria de Material e Patrimônio vem disponibilizar o Manual de Gestão Patrimonial para

Leia mais

RANFS - Registro Auxiliar de Nota Fiscal de Serviço. Perguntas e Respostas. Sistema. Versão 2.0 26/04/2010.

RANFS - Registro Auxiliar de Nota Fiscal de Serviço. Perguntas e Respostas. Sistema. Versão 2.0 26/04/2010. RANFS - Registro Auxiliar de Nota Fiscal de Serviço Perguntas e Respostas Sistema Versão 2.0 26/04/2010. 1- O que é RANFS? O RANFS é o Registro Auxiliar de Nota Fiscal de Serviço, um espelho das informações

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-301-R00 ESTÁGIO PROBATÓRIO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-301-R00 ESTÁGIO PROBATÓRIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-301-R00 ESTÁGIO PROBATÓRIO 11/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 06 de novembro de 2015. Aprovado, Antonia Valeria Martins Maciel 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO PJe TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO MANUAL DO MAGISTRADO 1ºGRAU MÓDULO 4 Sumário 1 Detalhamento 3 11 Aba Processo 4 12 Aba Assunto 8 13 Aba Partes 9 14 Aba Documentos

Leia mais

MANUAL PARA SOLICITAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL

MANUAL PARA SOLICITAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL MANUAL PARA SOLICITAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL Agosto / 2015 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 IMPORTANTE ANTES DE SOLICITAR O CERTIFICADO DIGITAL... 3 SOLICITAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL... 4 APRESENTAÇÃO DOS

Leia mais

1. Introdução Pregão Eletrônico

1. Introdução Pregão Eletrônico Índice 1. Introdução...3 2. Obtendo Senha de acesso...4 3. Identificando pregões de seu interesse...5 4. Encaminhando uma Proposta... 10 4.1. Incorporando o arquivo anexo à proposta... 11 4.2. Informando

Leia mais

Questão 1: As atividades apresentadas a seguir fazem parte das rotinas de protocolo, EXCETO:

Questão 1: As atividades apresentadas a seguir fazem parte das rotinas de protocolo, EXCETO: Questão 1: As atividades apresentadas a seguir fazem parte das rotinas de protocolo, EXCETO: a) distribuir a correspondência particular. b) abrir a correspondência sigilosa. c) verificar a existência de

Leia mais

Laboratório Multiusuário de Estudos em Biologia II Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências Biológicas www.lameb.ccb.ufsc.

Laboratório Multiusuário de Estudos em Biologia II Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências Biológicas www.lameb.ccb.ufsc. LAMEB II (CENTRALIZADO EM MICROSCOPIA E TÉCNICAS HISTOLÓGICAS) 1. NORMAS GERAIS DE USO DO LABORATÓRIO: OBS: A falta de cumprimento das normas relacionadas abaixo implicará na restrição do acesso do usuário

Leia mais

Manual do Usuário. Protocolo

Manual do Usuário. Protocolo Manual do Usuário Protocolo Índice de capítulos Parte I - Processos............................... 01 1 - Buscar................................ 01 2 - Listar................................ 02 3 - Abertura..............................

Leia mais

Orientações para Usuários

Orientações para Usuários Sistema de Gestão de Certificados Eletrônicos Orientações para Usuários Organizadores de evento Controladores de qualidade Objetivos do Sistema Os principais objetivos da concepção do sistema são: automatização,

Leia mais

MANUAL CONTRATAÇÃO DE EVENTOS PRÉ EVENTO A) ELABORAÇÃO DA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E TRÂMITES PARA CONTRATAÇÃO DA EMPRESA

MANUAL CONTRATAÇÃO DE EVENTOS PRÉ EVENTO A) ELABORAÇÃO DA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E TRÂMITES PARA CONTRATAÇÃO DA EMPRESA MANUAL CONTRATAÇÃO DE EVENTOS PRÉ EVENTO A) ELABORAÇÃO DA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E TRÂMITES PARA CONTRATAÇÃO DA EMPRESA 1) Reunião Prévia (Responsável: Secretaria Demandante) Solicitação de Contratação,

Leia mais

Núcleo de Relacionamento com o Cliente. de Relacionamento com o Cliente GUIA PRÁTICO DE USO. Produtos

Núcleo de Relacionamento com o Cliente. de Relacionamento com o Cliente GUIA PRÁTICO DE USO. Produtos GUIA PRÁTICO DE USO Núcleo de Relacionamento com o Cliente de Relacionamento com o Cliente Núcleo Seja bem vindo ao nosso novo canal de relacionamento! Neste Guia Prático de Uso você conhecerá como funciona

Leia mais

Normas da Assessoria de Comunicação

Normas da Assessoria de Comunicação Normas da Assessoria de Comunicação Julho de 2014 10 passos para uma boa comunicação na internet 10 passos para uma boa comunicação na internet 1) Normas para envio das informações que devem ser publicadas

Leia mais

PASSO A PASSO PARA CADASTRAR OFERTAS, PRODUTOS E SERVIÇOS WWW.WEBLUG.COM.BR.COM.BR

PASSO A PASSO PARA CADASTRAR OFERTAS, PRODUTOS E SERVIÇOS WWW.WEBLUG.COM.BR.COM.BR PASSO A PASSO PARA CADASTRAR OFERTAS, PRODUTOS E SERVIÇOS WWW.WEBLUG.COM.BR.COM.BR 1) Acesse na página principal, ANUNCIAR. 2) Preencha todos os campo 3) Escolha o plano de veiculação 4) Digite o nome

Leia mais

ÍNDICE. SPO Módulo de Descentralização de Créditos no SIMEC 2

ÍNDICE. SPO Módulo de Descentralização de Créditos no SIMEC 2 ÍNDICE 1. Visão Geral - Funcionamento do sistema... 3 2. Descrição dos perfis do sistema... 4 3. Operação Novo termo de execução descentralizada... 5 a. Cadastramento do termo no sistema pela Unidade Técnica...

Leia mais

Pró-Reitoria de Administração - PRAd Assessoria de Informática - AI SISTEMA DE PUBLICAÇÃO DE LICITAÇÕES. Manual de Procedimentos

Pró-Reitoria de Administração - PRAd Assessoria de Informática - AI SISTEMA DE PUBLICAÇÃO DE LICITAÇÕES. Manual de Procedimentos Pró-Reitoria de Administração - PRAd Assessoria de Informática - AI SISTEMA DE PUBLICAÇÃO DE LICITAÇÕES Manual de Procedimentos 2004 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVOS...3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO...3

Leia mais

Sistemas Corporativos da USP (Web)

Sistemas Corporativos da USP (Web) Sistemas Corporativos da USP (Web) O sistema de estágios remunerados da USP é fruto da colaboração das seguintes áreas da Reitoria da Universidade de São Paulo: Departamento de Recursos Humanos, Departamento

Leia mais

Sistema Eletrônico de Informações - Notificação de ato de concentração ordinário 1

Sistema Eletrônico de Informações - Notificação de ato de concentração ordinário 1 Sistema Eletrônico de Informações - Notificação de ato de concentração ordinário 1 Sistema Eletrônico de Informações Guia para notificação de atos de concentração 2 Notificação Eletrônica de Ato de Concentração

Leia mais

SOFTWARE DE ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS RURAIS

SOFTWARE DE ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS RURAIS SOFTWARE DE ACOMPANHAMENTO DE PROJETOS RURAIS 25.01.2010 ÍNDICE 1. Notificação de Início do Acompanhamento... 3 2. Software para Elaboração de Projetos Agropecuários... 5 2.1. Ícones... 6 3. Cadastro do

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS. Manual do Usuário

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS. Manual do Usuário SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS Manual do Usuário Acesso Rápido Apresentação 2 Consulta ao Catálogo do SiBIFRS 3 Pesquisa geral 5 Opções de consulta 7 Detalhamento da obra 8 Detalhamento da obra Guia Exemplares

Leia mais

Exames Periódicos de Saúde

Exames Periódicos de Saúde Exames Periódicos de Saúde Neste informativo o servidor encontrará respostas para possíveis dúvidas a respeito do Exame Periódico de Saúde. Realização Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA Pró-Reitoria

Leia mais

Perguntas e respostas frequentes

Perguntas e respostas frequentes Perguntas e respostas frequentes 0 Perguntas e respostas frequentes 1) O que fazer para me cadastrar no SIMEC? R: Acesse o site: simec.mec.gov.br. No canto superior direito onde existe a opção de acessar

Leia mais

2ª REUNIÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/CNPq - FSL 26 e 27 de agosto de 2010 Faculdade São Lucas Porto Velho RO www.saolucas.edu.

2ª REUNIÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/CNPq - FSL 26 e 27 de agosto de 2010 Faculdade São Lucas Porto Velho RO www.saolucas.edu. 2ª REUNIÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/CNPq - FSL de 26 e 27 de agosto de 2010 Faculdade São Lucas Porto Velho/RO A Direção Geral da Faculdade, Comitê Institucional do Programa Institucional de Bolsas

Leia mais

Padrão ix. Q-Ware Cloud File Publisher Manual para realização do Donwload de Arquivos. Versão 1.0.1.0

Padrão ix. Q-Ware Cloud File Publisher Manual para realização do Donwload de Arquivos. Versão 1.0.1.0 Padrão ix Q-Ware Cloud File Publisher Manual para realização do Donwload de Arquivos Versão 1.0.1.0 Copyright 2000-2013 Padrão ix Sistemas Abertos Ltda. Todos os direitos reservados. As informações contidas

Leia mais